Page 1

Maceió, 22 a 28 de dezembro de 2013 l Ano I l Nº 042

alagoas expresso Distribuição Gratuita

E-mail: redacao@alagoasexpresso.com.br l Fone: 3034.1651

De volta à Câmara dos Deputados, João Caldas vai lutar por obras do estaleiro

Parlamentar comentou, em plenário, irregularidades na Assembleia Legislativa, reveladas por seu filho JHC João Caldas, que conhece muito bem a Câmara dos Deputados, visto que já passou

por dois mandatos ininterruptos, tendo que enfrentar duas suplências seguidas, disse que

teve foco ao participar da chapa que ajudou a eleger o prefeito de Maceió, Rui Palmeira, e os depu-

tados Carimbão e Artur Lira. “O govervador tinha compromisso de chamar dois deputados para

serem secretários de estado, mas, quando o Carlos Alberto Canuto saiu mudou tudo.pag. 3 Foto: Agencia Camara

OPERAÇÃO PADRÃO

Militares cruzam os braços e “param” AL com manifestações algumas diretrizes e algumas dessas diretrizes estão sendo desobedecidas pelos gestores”. Segundo ele, a primeira atitude dos servidores da PM e do CBM foi fazer valer a resolução 285/2008 do Conselho Nacional de Trânsito, que trata dos cursos para habilitação de condutores de veículos automotores oficiais, ou viaturas. No primeiro dia da Operação Padrão, na quarta-feira (18), foi assassinado um coveiro do Cemitério São Jorge. pag. 4

Novos leitos e Centro Especializado são inaugurados no Hospital Geral Foto: Agência Alagoas

Na semana passada, os policiais e bombeiros militares, foram atender algumas ocorrências ‘a pé’ e suspenderam o curso de formação de praças, por tempo indeterminado, durante uma mobilização que pede ações “concretas para corrigir distorções e tratamento diferenciados”. De acordo com o Major Wellington Fragoso, presidente da associação dos militares, os servidores não estão ferindo a legislação estadual, nem aquartelando, “mas fazendo cumprir a lei que estabelece

UNIDADE HOSPITALAR

A humanização da assistência no HGE é uma das metas do Governo do Estado, conforme destacou o secretário de Estado da Saúde, Jorge Villas Bôas. Segundo ele, vários investimentos estão sendo feitos no setor para que o alagoano tenha uma saúde de qualidade. Na ocasião, o secretário lembrou a parceria entre a Sesau e a Secretaria Municipal de Maceió para viabilizar projetos voltados para incrementar a saúde. pag. 7


2

Alagoas Expresso

POLÍTICA

Maceió, 22 a 28 de dezembro de 2013

Apesar de afirmar que situação não está definida, Mano poderá disputar eleições

Ex-governador perdeu em União dos Palmares, mas vai contar com Nelito para retornar à política Foto:cadaminuto

Tradição familiar pode contribuir na hora da candidatura

Emanuelle Oliveira Editora Ainda amargando a derrota nas eleições de 2012, na Prefeitura de União dos Palmares, o ex-governador Manoel Gomes de Barros, o Mano - antigo PSDB - é pretenso candidato a fazer um rodízio com o filho, Nelito Gomes de Barros nas urnas em 2013, disputando uma cadeira na Assembleia Legislativa. Desde a derrota ao Governo do Estado para Ronaldo Lessa, Mano não emplaca candidatura própria e por isso, teria resolvido se filiar ao PSC. À reportagem do Alagoas Expresso o ex-governador não quis adiantar detalhes de uma possível candidatura, mas afirmou que as possiblidades estão sendo estudadas. “Ainda não há nada definido, terei que avaliar as coligações e quem serão os candidatos ao governo. Tudo é especulação. Vamos aguardar o

momento oportuno para falar sobre isso”, disse. Natural de União dos Palmares, Mano exerceu o cargo de governador por dois anos e foi apontado como um dos responsáveis em acabar com a ‘Gangue Fardada’. O ex-governador foi Prefeito de União dos Palmares, se elegeu deputado estadual e foi convocado para a Secretaria Estadual da Agricultura. Ele retornou à Assembleia Legislativa e foi vice-governador e governador de Alagoas. Manoel Gomes de Barros já tentou, sem sucesso, retornar à ALE. Como alternativa, lançou o filho como candidato a deputado estadual, que ocupa uma das cadeiras da ALE por três legislaturas seguidas. Além de União dos Palmares, o ex-governador pode ter eleitores nas cidades da Zona da Mata, como Santana do Mundaú. O ex-governador vem de uma família de políticos. Seu pai, Antonio Gomes de Barros

foi deputado e vice governador, além de ser sobrinho do deputado federal Carlos Gomes de Barros. DERROTA EM UNIÃO DOS PALMARES Após ser derrotado por Carlos Alberto Borba de Barros Baía (PSD), que tem como vice Eduardo Pedrosa (PMN), em 2012, Manoel Gomes de Barros pediu a cassação do mandado do adversário, o que foi rejeitado pelo Pleno do Tribunal Regional Eleitoral (TRE/AL), no mês de setembro. Na ação rejeitada pelo TRE, o ex-governador afirmou que Beto Baía teria cometido captação ilícita de sufrágio, uso ilegal dos meios de comunicação e abuso de poder econômico, por meio da distribuição de cestas básicas para funcionários da Usina Laginha. A vitória do médico Beto Baia em União dos Palmares “manchou” o histórico político

de Manoel Gomes de Barros. Ele obteve 14 999 votos contra 16 476, se tornando o primeiro candidato a prefeito derrotado nas urnas biométircas no município. Na época, para sua candidatura, Mano recebeu apoio do governador Téo Vilela, dos senadores Benedito de Lira, de Renan Calheiros, do vice-governador José Tomaz Nonô, do ex-prefeito Iran Menezes e do político Paulo do PDT. No entanto, esse time não conseguiu deslanchar a candidatura do ex-governador. Em maio deste ano, o juiz da 21ª zona eleitoral, Ygor Vieira de Figueiredo determinou o afastamento do prefeito Beto Baía (PSD) e de seu vice, Eduardo Carrilho Pedrosa, . A determinação decorreu do mesmo processo. O juiz decidiu parcialmente procedentes os pedidos contidos na ação de investigação judicial eleitoral, interposto pela coligação de Mano.

FILIAÇÕES Em 2009 o ex-governador Manoel Gomes de Barros decidiu se filiar ao PSDB e ainda levou o seu filho, Nelito Gomes de Barros, que foi liberado pelo PMN para ser tucano. A filiação ocorreu depois de uma conversa com o governador Teotônio Vilela. Segundo Mano, a filiação se deu devido à admiração dos trabalho realizado por Teo no Governo do Estado. Mano relembrou que o seu pai foi idealista, como o pai do Vilela, o senador Teotônio Brandão Vilela. O ex-governador de Alagoas Manoel Gomes de Barros combateu a criminalidade em Alagoas em sua administração pelo PTB. Ele já foi filiado à extinta Arena, época em que foi prefeito de União dos Palmares. Depois, passou pelo PSD, foi para o PFL e por último para o PTB.


Alagoas Expresso

POLÍTICA

Maceió, 22 a 28 de dezembro de 2013

3

Deputado Federal elogiou atuação do filho na Assembleia Legislativa do Estado João Caldas pode buscar alianças para ajudar JHC a se eleger para a Câmara Federal em 2014 Foto: Alagoas24horas

Parlamentar assumiu cargo após afastamento de Arthur Lira

Emanuelle Oliveira Editora De volta à Câmara dos Deputados por pelo menos quatro meses, após o afastamento de Arthur Lira, que entrou com pedido de licença médica, João Caldas (Solidariedade) deve buscar alianças para ajudar o filho, o deputado estadual João Henrique Caldas, o JHC, a galgar novos horizontes na Casa e ainda, a eleger o próximo governador do Estado. Segundo Caldas, nesse sentido, já estão sendo mantidas conversas com o senador Benedito de Lira (PP). João Caldas, que conhece muito bem a Câmara dos Deputados, visto que já passou por dois mandatos ininterruptos, tendo que enfrentar duas suplências seguidas, disse que teve foco ao participar da chapa que ajudou a eleger o prefeito de Maceió, Rui Palmeira, e os deputados Carimbão e Artur Lira. “O governador tinha compromisso de chamar

dois deputados para serem secretários de estado, mas, quando o Carlos Alberto Canuto saiu e desmontou isso. Se eu tivesse desistido ninguém tinha sido eleito. O Solidariedade vai para onde haja um projeto político que seja viável. O futuro governante precisa se comprometer com isso. Não estamos fechados para conversar com qualquer partido. “, relembrou. O deputado federal afirmou que um de seus maiores compromissos será com o estaleiro de Coruripe. “A mãe de todas as obras em Alagoas é a indústria naval. Isso estava na pauta, assim como eu queria ter trazido a refinaria pra cá, mas mesmo com o Aldo Rebelo na Câmara e o Renan no Senado foi pra Pernambuco. O estaleiro vai diminuir o déficit de empregos, através de desevolvimnento, tirando o povo da dependência do estado. A construção precisa ser priorizada”, disse o deputado emendando que também apoia a obra prevista para ser executada

pela Prefeitura em uma área do Quartel do Exército, no Farol. “O município já conseguiu a área e o prefeito se comprometeu em transferir, para desafogar o trânsito e fazer um parque, pois vai haver uma avenida ali”. Ele citou outros projetos que deve priorizar na Câmara Federal. “Estudamos a instalação de uma faculdade em União dos Palmares, a conclusão da BR 416, que liga Alagoas a Pernambuco. Ajudamos a levar o campus da Ufal para Arapiraca. Houve um esforço coletivo”, emendou. Não é a primeira vez que João Caldas assume uma suplência na Câmara Federal. Em 2012 ele substituiu Rui Palmeira, que havia se afastado para tratar de sua candidatura à Prefeitura de Maceió, visto que o primeiro suplente, Alexandre Toledo estava na Secretaria de Saúde do governo. JHC João Caldas não poupou

elogios ao filho, JHC, responsável pelas denúncias de irregulares na Assembleia Legislativa do Estado que culmiram, inclusive, com o afastamento da Mesa Diretora da Casa. ”O problema da violência no estado é caso de emergência. Precisamos acabar com a robalheira na ALE, tenho falado sobre isso na Câmara Federal. O JHC é preparado, viveu outra cultura, tem principios, ideais e quando chegou à ALE não acreditava no que estava vendo, por mais que eu já tivesse falado. Alguém precisava fazer isso, desmantelar uma célula que corroe a sociedade”, ressaltou. Segundo rumores, Caldas tentou conseguir uma secretaria dentro da administração tucana, enquanto esteve nos bastidores da política, mas não obteve êxito. Agora, dependendo de seus interesses familiares, poderá ser candidato em 2014 na Assembleia Legislativa do Estado de Alagoas, onde seu filho teria mais dificuldade para se reeleger.

COBRANDO MANDATO

O

Em 2010 o ex-deputado federal João Caldas, que foi impedido de cumprir novo mandado federal a partir de 2007, por não ter a coligação Alagoas Mudar para Crescer (PTB/PFL/PMN/ PV/PP), pela qual disputou as eleições proporcionais de 2006, alcançado o quociente eleitoral previsto para se fazer representado na Câmara dos Deputados, chegou a ajuizar Ação Cautelar (AC) no Supremo Tribunal Federal (STF), pleiteando o direito de assumir o mandato. Embora obtivesse 152.049 votos (ou 10,94% dos votos válidos), a coligação Alagoas Mudar para Crescer, cujo candidato mais votado foi João Caldas, não alcançou o quociente eleitoral de 154.317 (11,11%), resultante da divisão do número de votos válidos (1.388.854) pelo número de cadeiras destinadas ao estado de Alagoas na Câmara Federal..


4

Alagoas Expresso

CIDADES

Maceió, 22 a 28 de dezembro de 2013

Mobilização conjunta cobra melhorias para o militarismo em Alagoas

Militares deflagraram “Operação Padrão” e realizaram várias manifestações cobrando mais segurança Foto: Alagoas24horas

Nem mesmo a instalação das bases comunitárias diminuiu a violência

Railton Teixeira Repórter Nem mesmo a implantação de Bases Comunitárias de Segurança em bairros de Maceió e alguns municípios do interior conseguiu conter a violência. Ainda nesta semana a Operação Padrão - Um Por Todos e Todos Por Um, deflagrada por militares tende a seguir ‘engrossando as fileiras’, impedindo que os militares que não têm um certificado de treinamento de tiro saiam do Batalhão ou Grupamento Militar para atender alguma ocorrência. Na semana passada, os policiais e bombeiros militares, foram atender algumas ocorrências ‘a pé’ e suspenderam o curso de formação de praças, por tempo indeterminado, durante uma mobilização que pede ações “concretas para corrigir distorções e tratamento diferenciados”.

De acordo com o Major Wellington Fragoso, presidente da associação dos militares, os servidores não estão ferindo a legislação estadual, nem aquartelando, “mas fazendo cumprir a lei que estabelece algumas diretrizes e algumas dessas diretrizes estão sendo desobedecidas pelos gestores”. Segundo ele, a primeira atitude dos servidores da PM e do CBM foi fazer valer a resolução 285/2008 do Conselho Nacional de Trânsito, que trata dos cursos para habilitação de condutores de veículos automotores oficiais, ou viaturas. No primeiro dia da Operação Padrão, na quarta-feira (18), nas primeiras horas da manhã foi assassinado um coveiro do Cemitério São Jorge. Gerson Pedro dos Santos, de 57 anos, teria sido executado durante uma troca de tiros entre grupos que disputavam o tráfico de drogas na região

Militar aproveitou para pedir apoio de deputados

do Vergel do Lago. Na Rua do Banheiro, há poucos metros da Base Comunitária e durante horas, o corpo não esteve sobre a ‘tutela do Estado’. Os militares alegaram que não poderiam atender a ocorrência porque não havia – ao menos – um condutor habilitado ou que possuisse o certificado estabelecido pelo Contran. “E que ninguém está disposto a ir até o local do crime a pé”, enfatizou o sargento responsável pela Base à imprensa. Isso porque, segundo o Major Fragoso, menos de dez militares estão aptos a conduzir as viaturas oficiais na capital de Maceió. Ele ainda garantiu ao Alagoas Expresso que essa realidade não é diferente nos demais batalhões espalhados pelo Estado. Ainda segundo ele, isso compromete a segurança da tropa e da população. “Já aconteceram alguns acidentes com motoristas sem

preparo, em diligência, e por pouco não atingiu nenhum transeunte. E o que é pior, o militar que conduzia a viatura foi penalizado, mas a culpa é do comando da PM”, explicou. Ao longo da semana, outros batalhões também aderiram à Operação Padrão, a exemplo de Maceió. Os batalhões de Arapiraca, Palmeira e Penedo só permitiram a saída da tropa em ‘diligências’ a ‘pé’. Um cabo da PM, que não quis se identificar, com medo de retaliações, destacou à reportagem que no 10º Batalhão de Policiamento Militar (BPM), em Palmeira dos Índios, há apenas quatro viaturas para atender a região de Cacimbinhas a Maribondo e nenhum policial capacitado ou com certificado de direção defensiva. SUSPENSÃO DAS AULAS DO CURSO DE

FORMAÇÃO DE PRAÇAS Até as aulas do Curso de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (CFAP) foram suspensas, por tempo indeterminado. O anúncio foi feito pelo major Cícero Silva, por meio de uma rede social, na última quinta-feira (19). Segundo ele, a medida foi adotada em apoio à Operação Padrão. Por meio de sua assessoria, a Secretaria de Defesa Social (SDS) confirmou a informação, mas negou que ela tenha sido tomada em decorrência da mobilização. Ainda de acordo com o major, por meio de seu post, os alunos do CFAP comparecerão todos os dias, às 6h30 e lá permanecerão até às 9h. Ele explicou que a deliberação foi tomada pelo comando do curso e classificou a situação enfrentada durante a formação como ‘insuportável’.


Alagoas Expresso

CIDADES

Maceió, 22 a 28 de dezembro de 2013

5

Clima de insegurança levou categoria a se revoltar e paralisar atividades

Com pouco efetivo e sem condições financeiras até o Curso de Formação de Praças foi suspenso

Foto: Alagoas24horas

No Quartel do Exército militares tentam desempenhar o trabalho

Railton Teixeira Repórter NOVOS MILITARES A mentalidade dos novos militares que ingressaram na tropa, por meio dos últimos concursos, é considerada por especialistas como ‘aberta’ e menos cruel. Eles próprios chegam a considerar o regimento da corporação como ‘linha dura’ o que automaticamente o possibilita de ter uma visão repressiva nas operações e abordagens, como também machista em relação as próprias colegas de fardamento. Alguns, da última turma convocada, dizem ter desejo para desenvolver as atividades militares junto às bases comunitárias, ‘devido ao seu trabalho preventivo e humanitário’. Segundo um bombeiro militar, que pediu para não ter a sua

identidade revelada, temendo perseguições internas, o militar é condicionado a não embolsar qualquer reação ou sentimento ao longo de sua formação. Ele destacou que já presenciou colegas de fardas, só que policial, descontando a sua raiva em um acusado. “Isso é comum, quantos vídeos não presenciamos de policiais agredindo a população, mesmo que bandidos, e depois vão responder a processos”, explicou, destacando que internamente as perseguições e “arbitrariedades” são constantes. “E ainda tem outra, somos educados desde criança que sempre há um mocinho e um bandido. Ou seja, é visível na postura e no rosto de um policial militar a expressão de raiva. Quer um exemplo maior do que aquela figura no carro da Radiopatrulha de um cachorro pittbull. Ali representa o seu verdadeiro

Policial protesta em cima de carroça

papel, que é o de reprimir”, enfatizou o militar. Para ele, a corporação dos Bombeiros Militar é ‘perversa’ quanto aos ‘policiais’. “Vale a pena destacar que os bombeiros são uma corporação, um braço da Polícia Militar, é militar, mas por não estar na linha de frente, combatendo o crime, se torna mais humanitária”, justificou. De acordo com o professor acadêmico e mestre pela Universidade Federal de Pernambuco, Cláudio Jorge, esse processo repressivo e violento é natural da militarização. Ele explicou ainda que o militarismo nasce nos estado como milícias. “É preciso ter essa consciência para discutir esses fatores, quando se tem em sua base uma formação miliciana e que depois se torna o braço repressivo do Estado. Ainda digo mais, o braço forte da nação, eis onde reside o perigo”, enfati-

zou. Ainda segundo o bombeiro militar, muitos – inclusive ele – defendem o fim do militarismo e, mesmo que em pequeno grupo, discutem isso dentro da corporação. “Mas com perseguições”, disse. Atualmente, dois projetos sobre o tema tramitam no Congresso Nacional. Os projetos são referentes à unificação das forças policiais dos estados. A primeira Proposta de Emenda à Constituição (PEC) foi apresentada em 2011, pelo senador Blairo Maggi (PR/MT), e a segunda apresentada em 2013 pelo senador Lindbergh Farias (PT/RJ). MULHER NA CORPORAÇÃO O dia a dia de uma mulher na corporação da Polícia Militar de Alagoas é considerado como

duro e uma prova de resistência. Ao Alagoas Expresso, uma aluna do Curso de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (CFAP) destacou que a mulher é taxada pelos próprios colegas com termos pejorativos e de baixo calão. Segundo ela, desde o primeiro dia de aula era questionada por colegas ‘valentões’ sobre o que estava fazendo no curso. “São momentos difíceis, onde é preciso engolir muito sapo para não me deixar levar pela emoção”, desabafou. Segundo ela, até a própria formação não reconhece o momento de privação da mulher. “Outro dia presenciei uma aluna com fortes dores do ciclo mestrual e a comandante lhe disse que menstruação não era doença e que a corporação não era lugar de mulherzinha”.


6

Alagoas Expresso

OPINIÃO

2013: AINDA HÁ O QUE FAZER ANTÔNIO TEODORO - ECONOMISTA 2013 não foi um ano fácil para a economia brasileira. Logo, o povo brasileiro também sofreu. Os anos apoiados pelo consumo desenfreado ficaram para trás. As realizações e satisfações pessoais promovidas pelo consumo tiveram de ser substituídas pelas conquistas profissionais e pessoais. 2013 foi muito mais um ano de continuidade do que de avanços mercadológicos. O período de recebimento salarial extra fecha seu ciclo nesta semana. A última parcela do décimo terceiro salário promete injetar na economia o ânimo necessário para que o setor comercial ultrapasse as margens de resultado do ano anterior. A dinamização no comércio traz consigo a consolidação das expectativas industriais. Precisamos colher um período forte no comércio para recuperar a atividade empresarial. Há expectativa sobre a disposição do brasileiro em gastar, consumir e saciar suas necessidades neste final de ano. Porém, acredito que antes de ser tomados por impulsos, devemos analisar a conjectura. A economia mundial continua patinando, sem resultados concretos de recuperação. Nos EUA, o consumidor, animado pela confiança na ampliação do emprego ou no mínimo na manutenção de suas ocupações, retoma de forma tímida, o dia a dia de consumo. Na Europa, iniciado o inverno que puxa para baixo diversas atividades econômicas, é um período de planejamento. Planejar as próximas etapas de sua perspectiva econômica é inerente ao processo decisório europeu. Os debates, a qualificação dos projetos e a necessidade de se equilibrar entre a ortodoxia fiscal versus a reenergização econômica é que mostrará os resultados definitivos. Discute-se ainda a eficiência dos modelos de integração econômica. Os projetos políticos de mudança estão engavetados. Em solo nacional, é chegado o tempo de analisarmos como o ano se procedeu. Como efetivamente nos organizamos frente as nossas finanças pessoais. É hora de remontarmos todo o planejamento de forma inversa. É hora de olharmos se o que projetamos, o que tínhamos de expectativa foi cumprido, ou, se não foi, quais foram os principais percalços deste caminho. A atividade de “fechar para balanço” é algo inerente as ponderações pessoais. Não podemos apenas deixar esta ação no mundo empresarial. Peço desde já que separemos um momento para avaliarmos como nos portamos em 2013. Analise suas finanças, e caso tenha escrito algum projeto no inicio do ano, é hora de analisarmos sua evolução. Será que descartamos projetos bons com início ruim? Será que dosamos a mão nos cortes e nas escolhas das férias familiares? Diversas questões podem ser levantadas, mas o importante é fazer a pausa e organizar as ideias. Se 2013 revelar uma trajetória de sucesso nas conquistas com certeza trará a cada um, novo gás para 2014. Se observadas às intempéries, é hora de mudarmos o curso. O planejamento de 2013, mesmo após um balanço pessoal não precisa se mostrar encerrado. Um assunto muito debatido apenas após o primeiro trimestre de 2014 já pode ser antecipado. As contas para o Imposto de Renda merecem uma atenção especial: há planos de previdência que podem receber aportes e reduzir de forma significativa os valores a serem pagos. Os planos PGBL estão com os cofres abertos para receberem aportes, que poderão reduzir sua base de tributação para 2014. Outro ponto de destaque que ainda pode ser feito em 2013 são doações aos fundos da criança e do adolescente, aos fundos de amparo ao idoso e de doações feitas a projetos aprovados pelo governo segundo a Lei Rouanet, a Lei do Audiovisual ou a Lei do Esporte. Tais doações podem render dedução de até 6% do imposto de renda a ser pago em 2014. Além disso, nunca é uma hora ruim para ajudar ao próximo. Enfim, ainda temos margem para melhorar nossos projetos, fazer reavaliações e desenvolver alternativas para 2014.

Maceió, 22 a 28 de dezembro de 2013

“Um Por Todos e Todos Por Um” Em meio à crise que se instalou na segurança pública do estado, policiais militares e bombeiros militares deflagraram a “Operação Padrão – Um Por Todos e Todos Por Um”, como forma de reinvindicar melhores condições de trabalho. Enquanto isso, a população é quem mais sofre. Se com a presença, mesmo que ínfima, de policiais nas ruas os alagoanos já amargam a violência incessante, imagine sem. Na capital, nem mesmo a instalação de Bases Comunitárias de Segurança em bairros considerados críticos, como Vergel, Benedito Bentes e Jacintinho parecem ter surtindo efeito. Inúmeros homicídios deixaram de ser atendidos. Os incontáveis roubos, assaltos e etc também. As viaturas não circularam. A Polícia Civil, também com limitações e que mesmo assim se prontificou em ajudar a fazer a segurança nesses dias de caos, não dá conta da situação. Até as ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) pararam, já que sem apoio policial, as equipes não se deslocam para socorrer vítimas de crime violento. E a categoria ainda fez mais: Em assembleia, decidiu executar a operação por partes: Na fase 1, que começou na terça-feira (17) e deve ir até o dia 24 de dezembro, estão previstas algumas atividades, como caminhadas, doações de sangue e descanso por 48 horas. Cabos e soldados desempenhariam suas funções sem fardamento, como retaliação à falta de envio de fardamento pelo governo do Estado. Na fase 2, entre os dias 23 e 26 de dezembro, os PMs irão fiscalizarão frotas das prefeituras municipais e podem até interditar locais de diversão pública que não atendam aos requisitos de segurança previstos na legislação. Já na fase 3, policias e bombeiros prometem inspecionar prédios públicos para observar se estão cumprindo todas as normas de segurança contra incêndios e poderá haver interdição. O Governo do Estado tentou amenizar a situação, realizando reuniões com comandantes de Batalhões de Polícia (BPMs). Mas, os policiais esperam valorização pessoal e financeira, além de investimentos na segurança pública do Estado de forma concreta. Todos teriam sugestões a dar para controlar a situação, mas o difícil é fazer com que principalmente as autoridades entendam que o que a sociedade alagoana mais precisa nesse momento é de paz.

alagoas expresso EXPEDIENTE Premissa Comunicação e Eventos Ltda CNPJ 17.259.098/0001-07

Tiago Uzeda Diretor-Geral

Emanuelle Oliveira Editora-Geral

Jornal do Commércio Impressão

Endereço: Avenida Deputado José Lages, 850 - Ponta Verde - Maceió - Alagoas E-mail: redacao@alagoasexpresso.com.br - Fone: 3034.1651


Alagoas Expresso

ECONOMIA

Maceió, 22 a 28 de dezembro de 2013

7

LiderançaCorporativa Conselho avalia ações realizadas para o cooperativismo em 2013 Marcelo Homci * - www.zettacoaching.com.br

Como estamos chegando no fim do ano, normalmente se repetem aquelas famosas promessas que fazemos para nós mesmos, algumas com desejos de mudança de comportamentos, outras com vontade de conquistar bens materiais, então, pensei que pode ser uma época adequada para falarmos sobre metas. Brian Tracy, um grande consultor e coach norte-americano escreveu no livro Metas: Como Conquistar Tudo o Que Você Deseja Mais Rápido do Que Jamais Imaginou, que, se pudesse dar uma única dica importante para quem quiser ter mais sucesso, esta dica seria: “Anote por escritos suas metas, faças planos para alcançá-las e trabalhe diariamente em seus planos.” Há outras dicas que considero muito interessantes e que vou compartilhar agora com você. Elas podem servir como um guia para uma grande reflexão neste momento especial de preparo para o ano novo que logo chegará. 1. Libere seu potencial – imagine que você pode alcançar qualquer meta que se proponha e decida realmente o que você quer ser, fazer e ter. Isto está relacionado diretamente com o seu propósito de vida, com os seus valores pessoais, seus talentos e com o que lhe dá prazer em realizar. 2. Assuma o controle da sua vida – identifique qual o maior problema ou situação negativa em sua vida e entenda que você é o maior responsável por isso. Tome uma decisão para assumir as rédeas do seu destino e siga firme na escolha de sua nova direção sem culpar outras pessoas. 3. Crie seu próprio futuro – imagine que você possa ter uma vida nova dentro de apenas cinco anos e responda às seguintes perguntas: como será a sua nova vida? O que você estará fazendo no trabalho? Que habilidades novas você terá conquistado? Que metas terá atingido? O que você pode fazer a partir de hoje para conquistar esta nova realidade? Para dar suporte a essas três dicas, é imprescindível uma boa sustentação. Isto você conseguirá definindo claramente os seus valores, pois, sabendo o que realmente importa na sua vida, você conseguirá obter a força e a determinação para seguir adiante, além de poder estabelecer melhor o que realmente quer. De tempos em tempos avalie seu progresso e refaça os planos caso necessário mas, nunca fique parado. Afinal, crescer é entender que nada é imutável e que tudo pode ser possível, principalmente para quem caminha com fé, trabalho, respeito e coragem. Marcelo Homci é palestrante, coach de executivos e instrutor de coaching.

Novas linhas de atuação para o próximo ano foram explanadas, durante reunião do Conecoop Foto: Agencia Alagoas

Liderança e Metas

Autoridades acompanharam reunião plenária

Agencia Alagoas A última reunião plenária de 2013 do Conselho Estadual de Cooperativismo (Conecoop), realizada na quinta-feira (19), debateu estratégias e ações para o fortalecimento do sistema cooperativista em Alagoas. Além do balanço geral das ações realizadas em prol do segmento neste ano, o evento contou ainda com a apresentação de ofertas de capacitação e de linhas de créditos que atendem a esse nicho. O Grupo de Trabalho de Capacitação do Conselho foi institucionalizado na ocasião. O encontro foi conduzido pelo presidente do Conecoop e secretário de Estado do Planejamento e do Desenvolvimento Econômico, Luiz Otavio Gomes. “A cada balanço que fazemos, percebemos que, graças à sinergia de todos os envolvidos, o cooperativismo em Alagoas vem ganhando uma nova cara. Sabemos da necessidade de apostar nesse setor, por conta da grande geração de empregos que é proporcionada”, declarou o secretário. Na oportunidade, o quadro

geral das atividades da agricultura voltadas para o segmento, entre 2011 e 2013, foi apresentado pela Secretaria de Estado da Agricultura de Desenvolvimento Agrário (Seagri). Segundo o superintendente de Inclusão Produtiva da Seagri, Luciano Barros, os investimentos realizados nesse período surpreendem, se mostrando maiores do que o esperado. Entre as ações especificadas, foi destacado o Programa do Leite, que conta com mais de R$ 123 milhões de investimentos, beneficiando diretamente os produtores cooperados da Cadeia Produtiva do Leite em Alagoas (CPLA) e associações. O Programa de Sementes também foi lembrado, com R$ 3,8 milhões de recursos e mais de 1.300 toneladas de sementes compradas e distribuídas, atendendo a mais de 85 mil famílias. Capacitação - A grade de cursos do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) foi apresentada pelo superintendente de Fortalecimento do Sistema Descentralizado da Secretaria de Estado da Assistência e do Desenvolvimento Social (Seades), Edmil-

son Vasconcelos. Serão ofertados cursos a cooperativas e associações do Estado nos mais diversos segmentos, entre eles o de Agente de Desenvolvimento Cooperativista, e os mais procurados de 2013: Operador de Computador e Auxiliar Administrativo. “Mais do que uma oferta de cursos, o Pronatec é uma estratégia de desenvolvimento familiar, cada vez melhor utilizada pelo governo”, disse Edmilson. Ainda nessa área, a formação do Grupo de Trabalho de Capacitação do Conselho foi apresentada. De acordo com o superintendente de Desenvolvimento Regional e Setorial da Seplande, Michael Chinelato, até março o cronograma de ações do Grupo deve ser apresentado. Os presentes puderam conhecer ainda as principais linhas de crédito oferecidas pela Desenvolve – Agência de Fomento de Alagoas para cooperativas. Nomeadas como Força Cooperativa; Arranjos Produtivos Locais; Microcrédito Produtivo e Orientado; Compras Governamentais; Cadeia do Leite e Programa do Leite elas sustentam uma importante atuação junto aos pequenos produtores do Estado.


8

Alagoas Expresso

NACIONAL

Maceió, 22 a 28 de dezembro de 2013

Campos é considerado um “trator político” No entanto, há quem diga que governador de Pernambuco tem administração muito aberta Brasil247 O aprendizado no palanque começou cedo, aos 21 anos, quando participou ativamente da eleição do avô, Miguel Arraes, um dos ícones da esquerda na resistência à ditadura militar, para o governo de Pernambuco em 1986. Depois disso, recém-formado em economia, Eduardo Campos foi chefe de gabinete de Arraes, partindo daí para construir sua própria carreira política. Mas se o ponto de partida foi o avô, quem conheceu um e conhece o outro vê fortes distinções. “Ele gerencialmente é melhor que o avô. Politicamente é mais autoritário que o avô”, resumiu um político pernambucano. Em um campo de futebol, nas palavras de um assessor próximo, Arraes seria um meia cerebral, capaz de lançamentos precisos e com ampla visão de jogo. Campos traz mais um perfil para o ataque, jogaria

com a camisa de centroavante, mas não daqueles trombadores. As diferenças entre eles também são atribuídas ao ambiente político em que os dois foram forjados. Arraes enfrentou a ditadura e aprendeu a fazer política nas dificuldades do sertão. Campos, de 48 anos, desenvolveu seu traquejo político na democracia e com mais condições do que o avô. Mas a obstinação herdada é, provavelmente, o traço mais marcante desse governador que quer chegar à Presidência da República. Depois de ocupar cargos na administração do avô, de ser eleito deputado estadual e federal, ser o ministro mais jovem do governo Lula e se eleger governador duas vezes, Campos iniciou 2013 embalado pelo desempenho notável do PSB nas eleições municipais do ano anterior, dizendo a Dilma que não negociaria o apoio do partido à sua reeleição antes de 2014.

Em janeiro, ainda se considerava a possibilidade de que o PT mudasse a aliança com o PMDB para abrigar o PSB como vice de Dilma na disputa pela reeleição. Era mais uma esperança do que uma possibilidade para um partido que historicamente quase sempre esteve aliado aos petistas. Meses depois, já convencido disso e percebendo os movimentos dos demais aliados do governo, o também presidente do PSB deu início ao seu próprio projeto de poder, que chegou ao ápice entre setembro e outubro, quando o partido deixa seus cargos no governo federal e filia, numa reviravolta eleitoral impressionante, a ex-senadora Marina Silva para disputar a Presidência ao lado do pernambucano. Campos também se mostra obstinado para cumprir suas metas à frente de Pernambuco. Não poupa esforços e controla seu governo na ponta dos dedos.

Todos os secretários prestam conta pessoalmente ao governador sobre as 720 metas estabelecidas com a população no começo do segundo mandato, mas nem por isso ficam longe das cobranças diárias de Campos por meio de um grupo no WhatsApp, aplicativo de troca de mensagens, ou das críticas pelos atrasos que ele consegue monitorar direto do seu tablet. Quando desconfia que suas exigências não estão sendo cumpridas, gosta de surpreender o interlocutor. Foiassim durante a construção do Hospital Dom Hélder Câmara. Campos havia fechado um acordo com a construtora e os trabalhadores para que houvesse um terceiro turno de trabalho afim de concluir a obra. Ao analisar as imagens da câmera instalada na obra percebeu que não havia trabalho no turno da noite, segundo um auxiliar. Sem avisar ninguém, Campos se dirigiu até o canteiro de obras e foi atendido

por um atônito vigia que se apressou a pegar o rádio e chamar o chefe para avisar da visita inesperada. Essas histórias de cobrança por resultados podem ser colhidas aos montes entreintegrantes do governo pernambucano e demonstram o quanto Campos gosta de manter as coisas sob o seu controle. TRATOR POLÍTICO O perfil controlador de Campos pode torná-lo alvo de comparação com a presidente Dilma Rousseff, que também gosta de controlar seus auxiliares, mas políticos locais ouvidos pela Reuters fazem uma distinção. Argumentam que o “traço mais autoritário” dele é sentido mais na condução política. Na gestão do governo, ele recebe melhor as críticas e aceita ser confrontado. “Na política, ele é um trator”, disse um político pernambucano.


Alagoas Expresso

NACIONAL

Maceió, 22 a 28 de dezembro de 2013

9

Foto: Agencia Brasil

DaRedação redação - redacao@alagoasexpresso.com.br

LICITAÇÃO DOS ÔNIBUS O prefeito de Maceió, Rui Palmeira anunciou o novo edital para licitação do transporte público, no valor de R$ 90 milhões. Novos ônibus, tarifas que variam de acordo com o destino, construção de novos terminais, ciclovias e novos corredores de ônibus são algumas das mudanças propostas. Será feita a extinção da Transpal no processo de gestão do transporte na capital. A primeira etapa começará ainda este ano, com a revogação da licitação anterior e a publicação do processo licitatório no Diário Oficial do Município, previsto para o dia 27 de dezembro. Uma audiência pública já está marcada para o dia 23 de janeiro de 2014. NOVA AÇÃO NA ALE

Justiça de Brasília absolve Arruda de crime de licitação

Ex-governador foi acusado de irregularidades em reformas Brasil247

A 3ª Vara Criminal de Brasília absolveu na quinta-feira (19) o ex-governador do Distrito Federal José Roberto Arr uda (ex-DEM, hoje no PR) de crime contra a Lei das Licitações. Ele era acusado pelo Ministério Público do DF (MPDF) por supostas irregularidades nas obras de reforma do ginásio Nilson Nelson, no centro da capital do país. O local foi reformado para receber o Campeonato Mundial de Futsal, em 2008. Com a absolvição, ele está livre para disputar as eleições de 2014. De acordo com a denúncia do Ministério Público, a Secretaria de Obras do DF dispensou licitação para refor ma do ginásio, sem justificativa legal, e contratou a empreiteira Mendes Júnior, por R$ 10 milhões. No entanto, por dois votos a um, os desembargadores entenderam que não houve crime. O julgamento foi iniciado na semana passada, mas acabou suspenso pelo pedido de vista do desembargador João Batista Teixeira. O magistrado entendeu

que, a partir das provas coletadas no processo, não ficou claro o prejuízo ao erário. Na visão de Teixeira, houve economia aos cofres públicos. No início do voto, argumentou que Arruda não agiu intencionalmente no caso. Para ele, o procedimento licitatório existiu mesmo sendo realizada apenas uma tomada de preços com cinco empresas. Na semana passada, o relator do caso, Jesuíno Rissato, também votou da mesma maneira. Já o desembargador Humberto Ulhôa manteve a condenação e rejeitou o recurso do ex-governador. Em abril, Arruda e o então secretário de Obras Márcio Machado acabaram condenados em primeira instância. Arr uda teve a pena decretada de cinco anos e quatro meses de prisão e pagamento de R$ 400 mil de multa. Já Machado recebeu a punição de quatro anos e oito meses e mais o pagamento de R$ 300 mil. Caso a condenação fosse mantida pelos desembargadores da 3ª Vara Criminal, ambos estariam inelegíveis para disputar as eleições de 2014. Na segunda-feira (16), Arruda e a deputada Jaque-

line Roriz (PMN-DF) foram condenados em uma ação de improbidade administrativa derivada do mensalão do DEM. Os dois, assim como Manoel Neto, marido de Jaqueline, deverão pagar R$ 200 mil de danos morais, ressarcir R$ 300 mil ao erário e ainda ficar oito anos inelegíveis. À decisão de primeira instância cabe recurso. Criminalmente, ele passou a responder, também em primeira instância, por formação de quadrilha, corrupção ativa e lavagem de dinheiro. O STJ (Superior Tribunal de Justiça) desmembrou, em junho, a ação penal sobre o mensalão do DEM, esquema de corrupção investigado pela Polícia Federal na operação Caixa de Pandora. Com a decisão, o ex-governador do Distrito Federal José Roberto Ar r uda não seria mais julgado no STJ, mas no TJDF (Tribunal de Justiça do Distrito Federal). Assim, dos 37 denunciados na ação penal, a Corte deveria julgar apenas a denúncia contra Domingos Lamoglia de Sales Dias, conselheiro do Tribunal de Contas do DF, que tem prerrogativa de função.

A Mesa Diretora afastada da Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE) deverá responder a uma nova Ação Civil Pública, movida pelos Ministérios Públicos Estadual e de Contas. Nesta Ação, a Casa é acusada de infringir a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e efetuar despesas relativas à folha de pessoal acima do limite legal permitido (até 3%). De acordo com a assessoria do Ministério Público Estadual (MPE/AL), o dano já ultrapassa R$ 33 milhões e, para revertê-lo, os MPs cobram que o Poder Legislativo exonere servidores e não conceda mais gratificações. MUTIRÃO CARCERÁRIO O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) fez uma série de recomendações às autoridades de Alagoas a fim de sanar os graves problemas no sistema prisional do estado, de acordo com o que foi apresentado no relatório do Mutirão Carcerário, realizado no período de 4 de novembro a 6 de dezembro deste ano. Dentre as recomendações propostas, está a instalação de unidades prisionais para o cumprimento de pena nos regimes semiaberto e aberto. FISCALIZAÇÃO NAS RODOVIAS A Polícia Rodoviária Federal (PRF) irá intensificar a fiscalização nas rodovias alagoanas. Através da Operação Rodovida, a polícia pretende reduzir os acidentes de trânsito, diminuindo o número de mortos e feridos decorrentes de acidentes de trânsito, principalmente nos trechos considerados mais críticos da BR-316. A operação foi desencadeada nacionalmente na quinta-feira (19), e acontecerá em duas etapas. A 1ª será até 31 de janeiro e a 2ª etapa vai de 21 de fevereiro a 9 de março. Esse período, que inclui a segunda quinzena do mês de dezembro e o mês de janeiro, é característico pelo aumento do fluxo de veículos e de passageiros nas rodovias federais, em função do período de férias escolares e dos grandes feriados de Natal e Ano Novo. SALÁRIO MÍNIMO O Plenário do Congresso Nacional aprovou na quinta-feira (19) a proposta de Lei Orçamentária Anual para 2014. O texto vai agora para sanção presidencial. O projeto eleva o investimento público em R$ 900 milhões para o próximo ano e mantém despesas com pessoal. O salário mínimo previsto para entrar em vigor a partir de 1º de janeiro do ano que vem é de R$ 724. O relator do Orçamento 2014, deputado Miguel Corrêa (PT-MG), destinou R$ 250 milhões para poder viabilizar um aumento de R$ 1,10 em relação aos R$ 722,90 previstos na proposta enviada pelo Executivo em agosto.


10

Alagoas Expresso

DECOR

Maceió, 22 a 28 de dezembro de 2013

DECOR Laura Amaral - amarallaura@ig.com.br

Então é Natal Natal chegando é essa semana trago para vocês uma opção de mesa que serve tanto para a ceia de Natal como de ano novo. Usei o azul e verde para fugir do tradicional vermelho e dourado dando assim um toque de ousadia a mesa de fim de ano. Esta é uma mesa que serve para receber amigos em casa para uma pós ceia com bolo e champanhe ou ate mesmo uma ceia menor. Usei pinheiros em dois tamanhos dentro de cilindros de vidro e peças de louça azul. Além dos pinheiros o toque de Natal ficou por conta do brilho das bolas natalinas e dos vários pontos de luz que foram espalhados na mesa como castiçais de prata com velas, cilindros de vidro com vela e água e velas em vidros com arroz. Sem duvida detalhes que fazem toda a diferença. Ate a próxima semana, Laura.


Alagoas Expresso

CULTURA

Maceió, 22 a 28 de dezembro de 2013

11

Exposição fotográfica de Francisco Oiticica pode ser vista no Museu Théo Brandão Real Alagoas traz cenas do cotidiano dos alagoanos em forma de arte; A entrada é gratuita Fotos: Revista Graciliano Ramos

Assessoria A dualidade entre a natureza e cultura, elementos ancestrais e contemporâneos, os desafios desse encontro/desencontro. Uma narrativa visual que desperta discussões atuais. Mais do que nunca, a temática da mobilidade urbana e da questão do lixo estão na pauta mundial das questões sociais e políticas. Em um viés antropológico, esses temas são abordados na exposição “Real Alagoas”. A mostra, composta por fotografias e instalações de Francisco Oiticica, foi aberta no último dia 13, no Museu Théo Brandão de Antropologia e Folclore (MTB) e se estende até o dia 22 de fevereiro Oiticica – que já teve seu trabalho exposto no Salão de Pernambuco (Recife), no Maison des Langues et Lettres (França), no Solar Grandjean de Montigny (PUC/Rio de Janeiro), entre outros – explica que “o fio da meada é a relação natureza e cultura, vista sob

as vicissitudes, dificuldades e desafios desse encontro. O real surge como enfrentamento dos fatos, como resultado do entrechoque e da complementaridade entre natureza e cultura”, ressaltou. Assim como a mobilidade, o lixo também é objeto de estudo da Antropologia Urbana. O estigma sobre aquilo que não serve mais, o tabu, sua significação, sua dimensão cultural, seu caráter simbólico são algumas das questões provocadas pela exposição. As instalações compõem parte significativa da mostra e abordam os medos, a perplexidade, os mitos do ser humano. Além da exposição, foram incluídas outras atividades na abertura da mostra. Houve o debate “Antropologia e Artes Visuais”, com a participação do expositor, da professora do Cesmac, Carol Gusmão e da professora da Ufal, Fernanda Rechenberg e a apresentação da Chegança Silva Jardim e da banda de rock Dof Láfá.

Em 2009, Oiticica realizou uma mostra fotográfica no MTB, mas desta vez, seu trabalho reserva uma peculiaridade: algumas das imagens capturadas foram feitas de dentro do carro, pela câmara do celular do expositor. O fotógrafo afirma que esse recurso foi utilizado porque “tanto facilitava sua realização quanto combinava com o assunto (mobilidade urbana), o motivo (carros, muros e calçadas), o automatismo e o movimento”. Oiticica explica que a mostra surgiu a partir de um ensaio que dá nome à exposição “Real Alagoas”. A relação com a Antropologia aconteceu com o “objetivo de sair do enfoque estético da arte, para o que a Antropologia muito colabora ao levantar discussões sobre a sua constituição, vendo a produção material como uma necessidade de ressignificação humana do mundo”, salientou. A exposição é a última do ano no Museu. A programação é gratuita. Real Alagoas - Na primeira sala

da exposição, o espectador confere a série de imagens que batiza a exposição. “Real Alagoas é um ensaio sobre a mobilidade urbana vista através do ângulo do motorista, que capta as fotos através do celular”, conta o artista. É ainda nesse ambiente em que a temática do lixo aparece para os visitantes. Antropologia e artes visuais - Oiticica Filho usa as instalações visando a confluência entre a antropologia e as artes visuais. No circuito, entre outros itens, há fotografias coladas em sacos plásticos preenchidos com jornais. Nesse espaço, “será discutida a questão da mobilidade urbana a partir da visão do pedestre que se depara com aquilo que não serve mais para as pessoas”. Artigos rituais - No salão central, Oiticica usa o caráter simbólico através de suas instalações. Lá, há cocos espetados em varas, que, segundo o artista, remetem à fotografia das cabeças do grupo de cangaceiros comandados

por Lampião, expostas na escadaria da Igreja de Piranhas. “O que se depreende daí é a permanência da violência no ser humano contemporâneo”. “Mesmo com todo desenvolvimento tecnológico e todo aparato conceitual e científico, persiste esse forte impulso, essa tendência à violência na humanidade. Independentemente de onde você vá buscar exemplos disso, irá encontrar traços de selvageria do ser humano. Aquilo que faz o homem um ser selvagem, que escapa ao seu controle, algo contra o que ele nada pode fazer”, pontua. Contigência do viver - A quarta e última sala do circuito é para onde a exposição culmina. Nela, um corredor estreito leva o visitante em direção a uma mesma ponte, fotografada em dois ângulos diferentes. Segundo o artista, o espaço busca lançar perguntas relacionadas à contingência do viver.


12

SOCIAL

Alagoas Expresso Maceió, 22 a 28 de dezembro de 2013

ZOOM elzlane@espalhai.com

As empresárias Christiane e Rachel Goncalves e Paula Tenório reuniram a imprensa para um delicioso café da manhã no Café São Braz do Parque Shopping, na quarta-feira (18). O encontro teve muito riso, comidinhas deliciosas, um saboroso café e muitos presentes, como manda a tradição natalina.

Muita Saúde, Sorte, Felicidade, Amor e Sucesso! Tudo de melhor para o aniversariante, que só não é mais ilustre do que seu parceiro de data de nascimento. O querido jornalista e Big Boss do Grupo Salada Magazine, James Silver, comemora mais um ano de vida no próximo dia 24. Parabéns!

Saulo Fernandes está encabeçando uma campanha para registrar atitudes positivas pelo mundo. Ele acaba de lançar o site www.mapasdobem.com. br, onde serão reunidas imagens e histórias de gente que pratica o bem. Para participar basta registar uma imagem e postar com a hashtag #MapasDoBem.

Dee Jay Adriano Suares traz de volta uma das festas mais desejadas do fim de ano em Maceió. A Substation promete reunir os mais antenados e cult’s na Estação Ferroviária em Jaraguá, após a meia-noite do dia 24.

Espalhaí

Fashion Trip Arezzo Que tal viajar com uma amiga para umas das principais cidades da moda do mundo, ganhar um closet novinho e ainda um cartão com R$ 10.000 para gastar como quiser? Esse é o prêmio da promoção de natal AREZZO. Cada R$300,00 em compras com Mastercard na máquina Cielo, vale um cupom. Eu quero!!! SAMBÔ no Maikai Dia 30 tem SAMBÔ e Santtafé no pré-réveillon do Maikai. Jammil no Gunga Dia 28 tem prévia do Réveillon Absoluto com Jammil e Uma Noites, Cannibal e Hands UP Live, na praia do Gunga. A empresária Ana Loureiro reuniu a imprensa e as chamadas #schutzlovers para festejar o natal na Schutz 285 Mário de Gusmão, na última quinta (19). O evento contou com a apresentação do Coral Prisma e marcou a comemoração de um ano da inauguração da Flagship Schutz em Maceió.


Alagoas Expresso

SAÚDE

Maceió, 22 a 28 de dezembro de 2013

13

Governo reforça assistência com entrega de Unidade Especializada Espaço conta com 99 leitos divididos em UTIs Geral e Pediátrica, Centro Cirúrgico e o Centro de Queimados

Teotônio Vilela participou de inauguração

Os alagoanos contam, desde a quinta-feira (19), com mais um reforço na assistência pelo Sistema Único de Saúde (SUS), com a entrega da Unidade Hospitalar Especializada Irmã Dulce, inaugurado no Hospital Geral do Estado (HGE). O espaço conta com 99 leitos divididos em UTIs – Geral e Pediátrica –, Centro Cirúrgico e o Centro de Tratamento de Queimados. O ato contou com a presença do governador Teotonio Vilela Filho, do secretário de Estado da Saúde, Jorge Villas Bôas, da diretora do HGE, Verônica Omena, e diversas autoridades. A humanização da assistência no HGE é uma das metas do

Governo do Estado, conforme destacou o secretário de Estado da Saúde, Jorge Villas Bôas. Segundo ele, vários investimentos estão sendo feitos no setor para que o alagoano tenha uma saúde de qualidade. Na ocasião, o secretário lembrou a parceria entre a Sesau e a Secretaria Municipal de Maceió para viabilizar projetos voltados para incrementar a saúde. Ainda durante a inauguração, Jorge Villas Bôas reafirmou o compromisso do Governo do Estado em reduzir a demanda nos corredores no HGE. “O primeiro passo foi dado com a retirada de 40 pacientes, que foram transferidos para uma enfermaria. A meta é criar novos

Crianças terão atendimento garantido

espaços no sentido de acomodar todos os que procuram a unidade hospitalar, que é uma referência no atendimento de urgência e emergência e funciona 24 horas”, afirmou o secretário, destacando o empenho da diretora Verônica Omena, que junto a sua equipe, vem trabalhando para humanizar o serviço oferecido à população. O governador Teotonio Vilela Filho ressaltou o empenho da sua administração em melhorar a saúde no estado e, para isso tem viabilizado ações articuladas com a Secretaria de Saúde de Maceió para a melhoria de unidades de saúde, mutirões para a população tem acesso a serviços e consultas com espe-

cialistas, entre outros. “A atenção básica é a porta de entrada no SUS. O governo estadual já investiu R$ 60 milhões na rede hospitalar. Esse centro que estamos inaugurando não é ampliação do HGE, mas uma área nova”, disse Vilela. CENTRO ESPECIALIZADO Na nova ala do HGE é composta pelo Centro de tratamento de Queimados (CTQ), a pediatria e a UTI Pediátrica. O CTQ é especializado no tratamento de queimaduras de primeiro, segundo e terceiro graus. E, desde 2002 foi cadastrado pelo Ministério da Saúde

como referência em assistência a queimados de alta complexidade, tornando-se parte de um sistema nacional. O Centro de Tratamento de Queimados dispõe de 15 leitos. Desse total, um será destinado ao isolamento. As áreas de Pediatria e UTI Pediátrica contam 33 leitos, mas apenas 25 estarão funcionando inicialmente e a UTI passou de oito para dez leitos. A área destinada às crianças ganhou uma Unidade de Cuidados Intermediários (UCI), que conta com seis leitos, além de uma sala de “ludoterapia” com livros e brinquedos variados.


14

Alagoas Expresso

TURISMO

Maceió, 22 a 28 de dezembro de 2013

Garça Torta: Bairro localizado no litoral norte de Alagoas preserva ares de paraíso Praia é ponto de encontro de jovens que buscam tanto tranquilidade quanto badalação

Tonalidade do azul do mar encanta visitantes

Redação com bairros de Maceió O Bairro de Garça Torta fica localizado em Maceió, no litoral norte do Estado, e foi criado através da lei municipal 4953, em 06 de janeiro de 2000, que alterou a lei nº 4.687/98, que dispõe sobre o perímetro urbano da cidade, a divisão do município em regiões administrativas e inclui o abairramento da zona urbana entre outras. O nome do bairro é fruto de um erro de tradução do original tupi, Iguar Apara (Riacho Torto). Em vez de Iguar, traduziu-se o guará (garça). O local tem ares de comunidade de pescadores. A praia de Garça Torta tem grande extensão e é tranquila. Como quase toda costa alagoana, possui denso coqueiral e uma tonalidade de azul esver-

deado em suas águas, nunca encontrado em outras partes do litoral brasileiro. É o azul Garça Torta. Conta com uma espaçosa faixa de areia dourada, apresentando pequenas ondas, dependendo do tempo. De águas claras, é propício para o banho e prática de esportes náuticos, como caiaque e windsurf. No verão costuma ser bastante procurada por famílias, já que crianças podem brincar e nadar a vontade. Conta com boa infraestrutura, com bares e restaurantes que servem bons petiscos e bebidas, além de pousadas próximas. Em sua orla também existem casas de veraneio. A Garça Torta tornou-se na década de 80 o paraíso dos artistas intelectuais locais. A praia também é ideal para caminhadas, banho, pesca ou simples

apreciação das várias espécies da flora e da fauna que habitam os recifes de corais. Os visitantes têm diversão garantida no Milk e no Bar dos Carlinhos. Ambos, se tornaram ponto de encontro de jovens da cidade nos finais de semana. A CASA DA ARTE DE DONA EDNA A Casa da Arte fica na beirada do mar e parece um lugarzinho mágico. Galeria de arte, centro de estudos, espaço aberto pra reflexão, produção e interação cultural. Porto seguro para as obras de artistas de todos os lugares e para os olhares curiosos da comunidade local, que dificilmente encontraria oportunidade de vivenciar a experiência artística através de outros canais. É a Casa da Arte de Dona

Edna, uma mulher cativante e dedicada que deu início a este projeto há mais de vinte anos e que hoje é um dos Pontos de Cultura do estado de Alagoas, dentro do Programa Cultura Viva do Governo Federal. A Casa da Arte atende cerca de 100 crianças e jovens entre 5 e 18 anos de idade em aulas de música, pintura, teatro, e dispõe de um laboratório de línguas (português, inglês e espanhol). “Já vínhamos há um long o tempo utilizando a casa para exposições, aberta para a comunidade daqui. Foi quando, a partir do natal de 1999, resolvemos mudar um pouco, expandir as atividades, incluir a comunidade e seus meninos e meninas como protagonistas dessa história, eles já viviam sempre por aqui mesmo, mas como espectadores, a partir deste momento

eles passaram a ser atores”, contou Dona Edna. Além do importante trabalho social, a Casa da Arte abre espaço para artistas exporem suas obras, sobretudo os artistas iniciantes e (ou) que não possuem espaço nas galerias convencionais da cidade. “A Casa da Arte foi trampolim pra muitos artistas daqui, o próprio Suel, hoje um dos mais reconhecidos em Maceió por seu talento, fez sua primeira exposição aqui. Lembro que vivia cheio de gente na casa apreciando o trabalho dele”. Um dos maiores xodós de Dona Edna é a biblioteca da Casa da Arte, que vive de doações e possui cerca de 3.000 livros de literatura alagoana, brasileira e mundial, além de livros técnicos, diz ela que “tem gente aí lendo o dia todinho, de manhã de tarde e de noite”.


Acesse:

achadao.com.br ano I | edição 042

cursos & empregos imóveis automóveis variados concursos

AUTOMÓVEIS CHEVROLET Agile LTZ 2010 1.4, verde, 4 portas, flex, completo. Tel. 32028023 Astra Hatch ADV 2.0 2009 2.0, prata, 4 portas, flex, completo. Tel. 3202-8027 Celta 2004 1.0, braco, gasolina, 4 portas, Ar. Tel. 3324-1304 Celta 2004 1.0, prata, gasolina, 4 portas, Ar, TE e Alarme. Tel. 3311-7160 Celta 2010 1.0, cinza, 4 portas, flex, ar, te. Tel. 3202-8027 Celta 2010 1.0, prata, 4 portas, flex, ar e te. Tel. 3202-7939 Celta 2010 1.0, prata, flex, 4 portas, Ar, TE e Alarme. Tel. 33117160 Celta 2010 1.0, preto, flex, 4 portas, completo. Tel. 32027930 Celta 2011 1.0, prata, 4 prata, 4 portas, flex, completo. Tel. 32315110 Celta 2011 1.0, preto, flex, 4 portas, Ar, TE

e Alarme. Tel. 32027930 Celta 2012 1.0, cinza, flex, 4 portas, completo. Tel. 30314806 Celta Life 2002 1.0, prata, gasolina, 2 portas. Tel. 3202-8051 Celta Life 2008 1.0, preto, flex, 2 portas, Ar. Tel. 3202-7930 Celta Life 2008 1.0, vermelho, 4 portas, flex, ar. Tel. 3202-7939 Celta Life 2010 1.0, prata, flex, 2 portas, TE e Alarme. Tel. 3311-7160 Celta Spirit 2010 1.0, prata, 4 portas, flex, completo. Tel. 32315110 Celta Spirit 2010 1.0, preto, flex, 4 portas, completo. Tel. 32027949 Classic 2004 1.0, bege, gasolina, 4 portas, Ar, DH, TE e Alarme. Tel. 3031-4806 Classic 2012 1.0, cinza, flex, 4 portas, completo – VE. Tel. 3031-4806 Corsa 2009 1.0, cinza, flex, 4 portas, Ar, TE e Alarme. Tel. 3202-

7930

VOLKSWAGEN Baby Buggy 1600 1986, branco pérola, gasolina - novissimo. Tel. 9616-0536

MOTOS BMW BMW GS 1200 R, 2011, Preta. R$ 58.000,00. Tel. 3216-8000

HONDA Cargo 125 KS, 2009, Branca. R$ 4.500,00. Tel. 3202-3656 | 93268320 CB 1000 R, 2013, Ve r m e l h r a . R $ 4 3 . 6 9 0 , 0 0 . Te l . 3216-8000 CB 1000, 2013, Branca. R$ 47.290,00. Tel. 3216-8000 CB 300 STD, 2011, Preta, R$ 9.500,00. Tel. 3202-3656 | 9326-8320 CBR 1000 FireBlade, 2009, Preta. R$ 46.000,00. Tel .32168000 CBR 1000 FireBlade, 2012, Vermelha. R$ 60.000,00. Tel .32168000 CBR 1000, 2007, Ve r m e l h r a . R $

37.000,00. Tel. 32168000 CBR 250 R, 2012, Preta, R$ 14.500,00. Tel. 3202-3656 | 93268320 CBR 250, 2012, Azul. R$ 17.620,00. Tel. 3216-8000 CBR 600 F, 2013, Azul. R$ 36.910,00. Tel .3216-8000 Crosstourer VFR X 1200, 2013, Vermelha. R$ 83.000,00. Tel. 3216-8000 Fan 125 KS, 2009, Preta. R$ 4.000,00. Tel. 3202-3656 | 9326-8320 Hornet 600, 2011, Preta. R$ 27.500,00. Tel .3216-8000 NC 700 X, 2013, Branca. R$ 31.800,00. Tel. 3216-8000 Pop 100, 2012, Preta. R$ 4.200,00. Tel. 32023656 | 9326-8320 Shadow 750, 2011, Preta. R$ 25.000,00. Tel. 3216-8000 Titan 150 ESD Flex, 2011, Vermelhra. R$ 6.000,00. Tel. 32023656 | 9326-8320 Titan 150 EX Flex, 2012, Azul, R$ 7.000,00. Tel. 3202-

Maceió, 22 a 28 de dezembro de 2013

3656 | 9326-8320 Titan 150 EX Flex, 2012, Cinza, R$ 6.000,00. Tel. 32023656 | 9326-8320 Transalp XL STD, 2013, Branca. R$ 33.000,00. Tel. 32168000 V F R 1 2 0 0 , 2011,Vermelhra. R$ 68.500,00. Tel. 32168000 V F R Au t o m a t i c a 1200, 2011, Preta. R$ 55.000,00. Tel. 32168000 XR 250 Tornado, 2008, Laranja. R$ 7.500,00. Tel. 32023656 | 9326-8320 XRE 300, 2011, Preta, R$ 10.500,00. Tel. 3202-3656 | 9326-8320

SUZUKI

Boulevard 800, 2007, Preta. R$ 19.000,00. Tel. 3216-8000 Boulevard 800, 2009, Preta. R$ 23.000,00. Tel. 3216-8000 GSX-R 1000, 2005, Amarela. R$ 30.000,00. Tel. 32168000 V-Storm 1000, 2009, Preta. R$ 30.000,00. Tel. 3216-8000

DEDETIZAÇÃO Nossos Serviços:

*Controle de pragas *Limpeza de caixa d`agua *Descupinização *Desrratização Trabalhamos com produtos sem cheiro

Contato: (82) 8844-2452 (82) 9127-5302

WALDIR


16

PUBLICIDADE

Alagoas Expresso Macei贸, 22 a 28 de dezembro de 2013

Alagoas Expresso  

Edição N. 42 Maceió, 22 a 28 de dezembro de 2013.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you