Issuu on Google+

Programa de Aprendizagem ao longo da Vida

Intercâmbio Suécia No âmbito das Parcerias Multilaterais do Programa Sectorial Comenius, do Programa Aprendizagem ao Longo da Vida, com o tema “A sustentabilidade do Teu Lar”, partimos, dia 02 de Dezembro de 2010, rumo à Suécia. Esta viagem marca o início de um intercâmbio entre alunos portugueses e suecos. Este projecto teve como finalidade conhecer uma nova cultura, um novo país e, consequente-

Como seria de esperar, fomos acolhidos pelo frio tipicamente sueco, não fosse a cidade onde ficamos instalados o local onde mais nevava por influência dos ventos frios da Rússia. Por isso, era normal que Tidaholm se encontrasse permanentemente coberta por um manto de neve.

mente, novas tradições. Cada aluno português teve Ao contrário do que esperávamos, não conseoportunidade de ser acolhido por uma família sue- guimos pôr de pé o boneco de neve que tanto ca, durante os cinco dias de estadia na bela cidade, Tidaholm. Foi uma experiência completamente diferente para nós e, por isso, nunca nos iremos esquecer desta maravilhosa viagem.

A escola sueca foi o ponto mais surpreendente naquele país, não apenas devido às óptimas condições das infraestruturas, mas também devido à responsabilidade assumida pelos alunos. O método adoptado pela escola permite aos discentes a troca de livros, para que os mesmos de anos anteriores possam usufruir do material didáctico necessário, o que reduz o gasto financeiro dos pais dos educandos. Também o método de ensino é muito diferente do português, na medida em que a matéria é leccionada de uma forma muito mais interactiva, didáctica e informal, sendo que há uma maior proximidade entre professor e aluno.

ansiávamos por construir. Em contrapartida, descobrimos muitas outras formas de nos divertirmos na neve: desde lutas na neve, “sku”, até râguebi na neve. Sendo que a temperatura mínima alcançou os 10ºC negativos, era indispensável um bom agasalho, gorros, luvas e um cachecol. Na Suécia, por volta das 15:30h anoitece. Deste modo, os alunos e a generalidade dos trabalhadores têm um outro horário de trabalho; por isso, dá-se lugar a uma maior ligação nos laços entre pais e filhos, pois o tempo que se encontram juntos assim o proporciona.

Outro aspecto que devemos salientar a nível da educação é o facto de que a língua inglesa é ensinada desde o primeiro ano de escolaridade. Por isso, é normal que a população sueca domine fluentemente esta língua. Por entre palavras e gestos, não nos podemos esquecer do nosso objectivo principal: absorver outras Olá! – Hej! culturas. É por Feliz Natal – God Jul! isso que ainda Como estás? - Hur mår du? nos lembramos Adeus – Farval. de muitas palavras que os nossos amigos nos ensinaram...

A sala dos professores


Todos os dias, éramos surpreendidos com novos paladares e novas experiências gustativas, o que se tornou agradável. Mas nem sempre!... Tivemos também oportunidade de experimentar coisas que não se relevavam assim tão agradáveis... Como era época natalícia, foinos dado a descobrir a comida típica dessa festa. Por entre salsi-

chas, peixe cru, salmão fumado ou até mesmo almôndegas de

foi o facto de que, durante a época de Natal, é vendida uma bebida apenas consumida nessa altura, a que lhe chamam “Julmust”.

“A Verdadeira

viagem não está em sair à procura de novas paisagens, mas em possuir novos olhos.” Marcel Proust

carne de alce… tudo tinha um sabor doce. Continuamos a preferir o nosso típico bacalhau! O que achamos muito engraçado

tam na cabeça uma estrela dourada. Há competições entre as várias localidades para se eleger a maior procissão e a Santa Luzia mais bonita. A Santa Luzia celebra-se na noite de 12 para 13 de Dezembro.

Uma das tradições mais peculiares daquele país é a festa religiosa em adoração à Santa Luzia. Esta é uma tradição proveniente da Itália, em que algumas raparigas levam velas na cabeça como ornamentação numa procissão. Por sua vez, os rapazes transpor-

É também tradição no Natal, decorar as janelas de cada casa com um candelabro ou com uma estrela. Dão ainda muita importância à iluminação natalícia. Ao contrário da tradição portuguesa, é usual montar a árvore de natal apenas uma semana antes do dia de Natal e, por isso, não nos foi possível observar e contemplar as decorações de Natal, no que toca à árvore.

Num país tão distante do nosso, não era de admirar as diferenças sentidas. Para além dos contrastes na aparência física, também a maneira de pensar e as suas atitudes eram diferentes. Quando comunicam uns com os outros, fazem-no de uma maneira moderada, raramente acompanham o seu dis-

moderada e calmamente. Na Suécia, as famílias são normalmente numerosas, possuindo, em média, cada casal três ou quatro filhos, o que torna as famílias mais próximas e unidas. Foram todos muito simpáticos e agradáveis o que nos deu um maior à vontade para

curso com gestos, falam baixo,

comunicar.

Os alunos: André Rodrigues Guimarães nº4

10ºA

Cláudia Alexandra Silva nº9

10ºA

Pedro Freixo Ribeiro nº15 11ºA Sofia Azevedo Vale nº17 11ºA Página 2


À descoberta de Gotemburgo… Gotemburgo ou Goteburgo é uma cidade da Suécia do condado de Västra Götaland. Com cerca de 506 000 habitantes na cidade e 879 000 na área metropolitana, é a segunda maior cidade sueca depois de Estocolmo. A cidade situa-se na foz do rio Göta älv, que desagua no estreito de Kattegat. O rio divide a cidade em duas partes, sendo a margem norte a ilha Hisingen.

O local é apropriado para a presença de um porto: a cidade expandiu o seu porto marítimo, tornando-se no maior dos países nórdicos.

A cidade é conhecida como Gothenburg em inglês, alemão e neerlandês e Gothenbourg em francês. Estas formas tradicionais estão sendo substituídas pela forma sueca Göteborg.

“Para conhecer os homens é preciso viajar pelo mundo todo...” Immanuel Kant

A cantina

Vista exterior da escola

Espaços de convívio dos alunos Página 3


Projecto Comenius