Page 1

www.ajorpeme.com.br

edição 54 | ano 9 | Janeiro 2014

AJORPEME - Rua Urussanga nº 292 - Bucarein - CEP 89202-400 - Joinville -SC - Juntos somos mais fortes!

Empreendedorismo, gestão e negócios para as micro e pequenas empresas

E MAIS:

RETROSPECTIVA AJORPEME E INSTITUTO AJORPEME – P. 20


Índice

Por que sou Associado?

Adeus, ano velho.

.06 .08

Núcleos Ajorpeme

.11

Entrevista

.12

By Trunk

Saúde

Rosi Dedekind

30

Conheça as indicações da Biblioteca Ajorpeme

Fale com a

Ajorpeme

A força do voluntariado

.14

Comunicação 2101-4111 / comunicacao@ajorpeme.com.br

Divulgação 2101-4140 / comercial@ajorpeme.com.br Empreendedorismo, gestão e negócios para as micro e pequenas empresas

Eventos 2101-4154 / eventos@ajorpeme.com.br

Capa

Em busca de um olhar inovador para os negócios

Retrospectiva 2013 Gerando valor futuro

AJORPEME - Rua Urussanga nº 292 - Bucarein - CEP 89202-400 - Joinville -SC - Juntos somos mais fortes!

Financeiro 2101-4131 / financeiro@ajorpeme.com.br

Instituto Ajorpeme 2101-4141 / instituto@ajorpeme.com.br

Negócios 2101-4130 / negocios@ajorpeme.com.br E MAIS:

RETROSPECTIVA AJORPEME E INSTITUTO AJORPEME – P. 20

.20 .23

10 anos dedicados a responsabilidade social

.25

Prestando Contas com o Associado

.28

Núcleos 2101-4154 / nucleos@ajorpeme.com.br

Pós-vendas 2101-4140 / comercial@ajorpeme.com.br

Recepção 2101-4100 / recepcao@ajorpeme.com.br

Uniajo 2101-4135 / uniajo@ajorpeme.com.br

03


04 Editorial

Gestão 2013! Por uma associação cada vez mais forte,

participativa e comprometida com as causas da micro e pequena empresa.

E

star à frente da maior associação de micro e pequenas empresas do país é uma tarefa desafiadora, mas acima de tudo muito gratificante. Ciente de que a Ajorpeme tem em seu DNA o associativismo voltado às ações de fortalecimento e de crescimento das MEs e EPP e do empreendedor individual, a diretoria, colaboradores e conselheiros trabalharam com afinco para fazer desta premissa, a ordem do dia. Agora é hora de destacarmos as principais ações realizadas. Iniciamos a gestão com a elaboração do planejamento estratégico 2013/2016, apresentamos e estamos coordenando o projeto Atender que trata da desburocratização do processo de abertura de empresas em Joinville, outro importante projeto apresentado é a Lei Geral das MEs, EPPs e EIs do município de Joinville que restou aprovada no Legislativo Municipal; no campo da capacitação realizamos em parceria com o Sebrae quatro cursos denominado “Empretec”; fortalecemos a pasta de negócios com novas parcerias na área da saúde e de seguros em prol dos associados da entidade; realizamos com a Fampesc o 45º Congresso Catarinense de Micro e Pequenas Empresas e do Empreendedor Individual - Enconampe, em Joinville que contou com a presença de 500 participantes. O Instituto Ajorpeme neste ano completou 10 anos e sua comemoração contou com a presença da senadora e jornalista Ana Amélia Lemos que palestrou sobre Ética, Empreendedorismo e Sustentabilidade. O relatório de sustentabilidade elaborado pelo Instituto e lançado no mês de setembro reforça o compromisso da Ajorpeme com práticas responsáveis. Esse trabalho também é fruto das pastas administrativo e financeiro que vem adotando práticas de governança corporativa. Cabe destacar que todo esse trabalho resultou na Certificação da Ajorpeme pela Assembleia Legislativa de Santa Catarina para empresas e entidades que tenham a responsabilidade socioambiental incluída em suas políticas de gestão. Entendendo ser a inovação elemento essencial para a sobrevivência das empresas, a pasta de projetos em parceria com o Sebrae, realizou com sucesso a Missão Empresarial de Inovação aos Estados Unidos (São Francisco - Vale do Silício e Los Angeles). A pasta de inovação, projetos e de relacionamento foram criadas nesta gestão. Ainda sobre o tema inovação a pasta iniciou suas ações apoiando e realizando eventos, dentre eles, o de indicação

geográfica em parceria com Blumenau com vistas a desenvolver a indicação de procedência ou a denominação de origem de produtos de determinada região. A entidade ainda atuou fortemente em ações junto ao Conselho das Entidades (Ajorpeme, CDL, Acomac e Acij) cujas principais bandeiras foram saúde, segurança, infraestrutura, mobilidade, assuntos amplamente discutidos resultando em pleitos e cobrança junto a todas as esferas do governo. Aliás, iniciamos combatendo a DIFA e findamos nosso mandato refutando o projeto de lei do ISS municipal que majora os impostos, pois não podemos aceitar qualquer tipo de aumento da carga tributária. E, sobre esse tema não poderíamos deixar de externar nosso pensamento. Por tudo que já vivenciamos temos a convicção de que o cenário de crescimento econômico do país passa por mudanças, e de forma singela, anotamos neste editorial algumas delas; alteração do Simples Nacional com a inclusão de todos os segmentos, fim da ST, inclusão da tabela progressiva, correção da tabela e reajuste automático, pois tais benefícios ensejarão no aumento da arrecadação e no crescimento da economia nacional; a imediata redução dos gastos públicos com a adoção de uma gestão voltada a resultados se faz necessário, diga-se, a simples retomada da jornada de trabalho para 08 horas do funcionalismo público faz toda a diferença e acelerará a tramitação de processos judiciais, adminitrativos e de atendimento a população. Ademais, as parcerias público privadas deverão ser a palavra de ordem do bom gestor para a otimização dos parcos recursos públicos. Precisamos criar um ambiente de estimulo ao empresário brasileiro e não podemos tirá-lo do foco que é a geração de riquezas em prol da economia nacional. A exemplo de políticas européias que adotam o check list de impacto e discutem a exaustão a necessidade de normas regulatórias antes de sua aplicação às pequenas empresas. Aliás, é hora de darmos o devido reconhecimento ao atual herói nacional: o empreendedor brasileiro. Por fim, destacamos que a sinergia da entidade é prova de que a cada gestão novos projetos são desenvolvidos, novas ações são realizadas em prol dos grandes empresários da micro e pequena empresa. Portanto, neste momento nos cabe desejar muito sucesso a gestão 2014, pois competência não lhes falta. Grande abraço!

Christiane Schramm Guisso Presidente da Ajorpeme

Expediente

REVISTA AJORPEME - Informativo da Ajorpeme veiculado bimestralmente - Associação de Joinville e Região da Pequena, Micro e Média Empresa. Rua Urussanga, 292, Bucarein, 89202-400, Joinville/SC Fone: (47) 2101-4100 - Site: www.ajorpeme.com.br E-mail: ajorpeme@ajorpeme.com.br Jornalista Responsável: Ana Karina Siqueira Dias (SC 1453 JP), Conselho Editorial: Silvana E. Fioravanti, Fábio Santana Corrêa, Fabiana Bartolomeu, Ana Karina Siqueira Dias, Juliana Batista Seiler e Vinicius Rockenbach. Textos: Ana Karina Siqueira Dias, Juliana Batista Seiler e Andriele Pereira.

Projeto Gráfico LUCKcomm (47) 3029-4014 Diagramação: Renã Santos Fotos: Fotolia e Arquivos Ajorpeme. Impressão: Gráfica Volpato (Joinville/SC). Tiragem: 3.000 exemplares. As matérias da Revista Ajorpeme podem ser reproduzidas à vontade, desde que citada a fonte e o autor. Os textos assinados não são de responsabilidade da Ajorpeme. A AJORPEME É CERTIFICADA COMO ENTIDADE DE UTILIDADE PÚBLICA MUNICIPAL, ESTADUAL E FEDERAL


Blogs corporativos

Espaço infinito para sua empresa crescer Os Blogs Corporativos estão se tornando uma das principais formas de relacionamento da marca com seus clientes, principalmente porque não há barreiras para a entrada em um mundo que oferece público ilimitado. Um amigo que entende muito sobre um assunto e gosta de compartilhar dicas com seus colegas. Em uma conversa informal, ele possui autonomia total para expressar suas opiniões. Assim, os blogs estão concentrando uma fatia cada vez mais significativa do conteúdo da web, podendo ser personalizados em praticamente todos os aspectos para se adequar a imagem corporativa da empresa e perfil de seus usuários, além de integrar links internos ou externos. Devem conter textos ricos, com a possibilidade de integrar fotos e imagens, aumentando a sensação de proximidade, autenticidade e credibilidade. Na teoria, blogs e sites são similares: compostos de páginas HTML e acessados através de um endereço de internet. A diferença de um site e de um blog corporativo é que a função do primeiro é divulgar a marca e informar sobre ela. Já o blog tem como objetivo o relacionamento com o público-alvo, permitindo o diálogo, estreitando laços e criando a proximidade. Lívia Vieira, especialista em Comunicação Empresarial, explica que site e blog têm funções diferentes, e para o caso de Micro e Pequenas Empresas, vai depender da estratégia de comunicação a utilização de um ou outro. “O site institucional tem por objetivo conter as informações mais importantes da empresa, como missão, visão, valores, história, produtos, áreas, etc. Em geral, trata-se de uma comunicação de via única, ou seja, só a empresa fala. Mesmo a área Fale Conosco acaba sendo um local onde a pessoa sugere, comenta e reclama de forma privada, cai direto no email do responsável, não fica visível para todo”. Para criar um relacionamento mais próximo com os clientes, Lívia indica o blog corporativo como a ferramenta com mais vantagens. “Ele possibilita a criação de conteúdos relacionados à marca, promoções e informações úteis até mesmo para quem nunca ouviu falar sobre aquela empresa”. Um blog que não só dê notícias sobre a empresa, mas

também sobre a área de atuação, entretenimento ou outros tipos de conteúdos úteis será acessado, favoritado ou adicionado em leitores de feed. Dessa forma, os blogs corporativos podem ser um ponto de constante contato com o consumidor, promovendo lembrança de marca. Larissa Segui, gestora do blog corporativo do Conta Azul, sistema de gestão para micro e pequenas empresas, conta que o blog da empresa trouxe grandes resultados com relação ao relacionamento com ao seu público. “Constantemente interagimos com nossos clientes tanto no blog quanto em nossas redes sociais. Esses canais também acabam sendo fontes de informação sobre o Conta Azul para nossos clientes e para o público em geral. Também conquistamos novos clientes através do blog”. No caso do Conta Azul, o blog já nasceu integrado ao site. Lívia esclarece que o ideal é que o blog esteja hospedado no servidor da própria empresa ou do fornecedor que ela contrata. Assim, ela tem total controle sobre a administração do blog corporativo, sem ter problemas. Por isso também que o blog corporativo é uma plataforma indicada de relacionamento com os clientes para além das redes sociais. “A empresa não pode controlar as políticas e normas do Facebook, por exemplo, mas tem total controle sobre um blog corporativo próprio”, especifica. O blog é um investimento muito rentável, que continuará a gerar visibilidade e benefícios on-line, na forma de visitas. Além disso, ele contém conteúdo mais abrangente, que pode gerar receita financeira direta para a empresa, se utilizados e vendidos espaços de mídia como banners e links patrocinados através do Google ou Yahoo ou realizada a venda direta de espaço para parceiros. “O ideal é que as duas coisas aconteçam juntas: a empresa tenha um site institucional, com informações mais estáticas e perenes, e o blog corporativo, com conteúdo mais dinâmico e quente”, recomenda Lívia.

05


POR QUE SOU

06 Por que sou associado?

/// SURFISTA E EMPREENDEDOR... EMPREENDEDOR E SURFISTA! Murilo Rech na By Trunk indústria alimentícia

Já imaginaram como seria bom fazer o que se gosta e ainda transformar isso em um negócio? Foi assim que a história desse empresário começou! Como muitos jovens, ele adorava o surf. Um esporte aquático e conhecido como o esporte dos deuses! E para ele era isso mesmo! Estar no mar com sua prancha era bom demais!

“O surf não trouxe apenas bons momentos de lazer junto à natureza, mas foi o principal motivo de toda sua trajetória empreendedora”

O

joinvilense Murilo Rech passou parte de sua adolescência morando em Florianópolis. Sempre próximo as praias, ele dividia seu tempo entre os estudos na Faculdade de Administração da Federal de Santa Catarina, com a prática do surf. Com o tempo o esporte foi ficando tão sério na sua vida que começou até a participar de competições. E consequentemente conseguiu uma empresa patrocinadora. Uma loja de artigos de surf lhe ajudava a continuar participando de provas do esporte. Porém, as coisas foram mudando e ficando a seu favor! Sem ao menos planejar, surgiu a oportunidade de ser em-

presário. Foi quando seu patrocinador comunicou que desistiria do negócio. Mesmo sem experiência para gerenciar a empresa, teve apoio do seu pai para comprar a loja. Ele conta que desde criança tinha vontade de superar desafios. Lembra de alguns momentos de brincadeiras em que como toda criança, ele era inquieto e queria experimentar novos desafios. Sua primeira experiência foi vendendo picolé na praia. Sem necessidade alguma, muito jovem, decidiu matar sua curiosidade sobre o trabalho. “Meu primeiro aprendizado foi o primeiro prejuízo. Tentei vender uma caixa de picolé a noite e claro, não vendi nada”, conta Murilo.

C

M

Y

CM

MY

CY

CMY

K


U ASSOCIADO? Surfista e Empreendedor... Empreendedor e Surfista!

07

OS NEGÓCIOS

Q

uando terminou a faculdade em 1994, decidiu voltar para Joinville e dedicar-se em tempo integral para seu primeiro negócio. A By Trunk Indústria e Comércio de Parafinas, conhecida também como CT Wax, até hoje vende e fabrica produtos da linha esportiva para surfistas. E por incrível que pareça, pela segunda vez lhe surgiu mais uma oportunidade de empreender. “O surf não trouxe apenas bons momentos de lazer junto à natureza, mas foi o principal motivo de toda sua trajetória empreendedora”. Em 1994 o principal fornecedor de matéria prima para produção de parafina, a empresa Duas Rodas de Jaraguá do Sul, tirou o produto do seu portfólio. De imediato, Murilo aprendeu com eles todo o processo e passou a fabricar a goma base, a

borracha que dá a consistência ao chiclete. “Perdemos o fornecedor e não conseguimos outro. Assinamos um contrato com ele para produzirmos nossa própria matéria prima”, detalha. Um ano depois foi fundada a By Trunk Industrial Alimentícia. Murilo explica que além do surf teve que passar a entender tudo sobre a produção da goma. Primeiro ela é derretida e os ingredientes são jogados no misturador. Ao sair da extrusora, a goma ainda está aquecida, meio molenga e difícil de ser cortada. O próximo passo é resfriar a mistura. A goma descansa em bandejas por algumas horas. Em seguida, vai para a sala de refrigeração, a temperaturas mais baixas para poder ser cortada sem grudar ou perder a forma. Por último é embalada em grandes sacos para enviar aos clientes.

A REPRESENTATIVIDADE

O

pai de Murilo, José Rech, também é empresário há anos. Comprou uma empresa de representações na qual era funcionário. Assim passou a ser parceiro do seu filho nos negócios. Juntos administram diariamente a By Trunk Alimentícia. Associados à Ajorpeme há mais de dez anos, eles nunca deram tanta importância ao associativismo. Foi em 2012 que Murilo teve um contato maior com a entidade. Foi convidado a ser diretor da gestão 2013. “No início relutei para não aceitar o convite, pois as empresas me tomavam muito tempo”, confessa. Depois quando aceitou e começou a se envolver diretamente, se suranuncio-ajorpeme.pdf 1 08/03/2013 08:45:07

preendeu com a força da entidade. Para ele o maior benefício é a representatividade. “Me surpreendi com a maneira como a Ajorpeme luta pelos interesses dos empresários de micro e pequenas. De fora não percebemos quanta coisa é feita. Geralmente o empresário reclama que não tem tempo para envolver-se com o associativismo. Mas além de poder fazer negócios, nós podemos ser bem representados e ter uma associação forte lutando por nossa causa”, fala Murilo. Por meio da Ajorpeme, as micro e pequenas empresas estão defendendo seus interesses nas esferas municipais, estaduais e federais.

Me surpreendi com a maneira como a Ajorpeme luta pelos interesses dos empresários da micro e pequena empresa. O FUTURO

S

egundo o empreendedor, seus projetos tendem a crescer ainda mais. Para o próximo ano, a By Trunk Alimentícia está desenvolvendo um produto para indústria farmacêutica. Outra necessidade que também está sendo avaliada é um novo espaço para a empresa crescer. Na loja de artigos para o surf, Murilo conta que estão se preparando para terem novos produtos de nutrição esportiva e iniciar um processo de vendas via internet. Atualmente a By Trunk tem ao todo 19 colaboradores que têm como prioridade pensarem em inovações para suprir necessidades dos seus clientes. E o empresário Murilo Rech diz que as constantes mudanças e desafios são essenciais no mundo dos negócios! Aliás, foi assim que a história desse empresário começou: com muitos desafios! E claro... com muito surf!

Existem coisas que você precisa e já sabe onde encontrar.

Soluções para Limpeza

Essências e Aromatizantes

Produtos para Piscinas

Produtos Químicos

4 Lojas em Joinville:

América, Distrito Industrial, Floresta e Iririú. www.quiminorte.com.br - (47) 3027-1454


08 Saúde

Adeus, Ano Velho. Para você, 2013 foi um bom ano? A sua avaliação pode depender de inúmeros fatores e eventos que marcaram os 12 meses do ano passado. A tarefa não é fácil, por isso, o setor de Psicologia da Unimed Joinville apresenta algumas dicas para que 2014 seja um ano ainda melhor.

O

primeiro passo é considerar que acontecimentos positivos e negativos compõem a vida, servindo de aprendizado e permitindo o fortalecimento pessoal. Quando um ano novo se apresenta é como se recebêssemos uma nova oportunidade, como se pudéssemos zerar tudo o que aconteceu e recomeçar. É preciso ter base neste sentimento de esperança, quando ficamos mais à vontade e nos permitimos a uma nova experiência. Traçar planos e metas para este novo ano é uma oportunidade de reorganização, principalmente daqueles dese-

jos que não foram cumpridos. Mas fique atento, esta é a chance de buscar novos desafios, o que nos possibilita a saída da zona de conforto em direção ao crescimento pessoal. Para ter um ano mais feliz é importante parar de remoer o passado, deixar de preocupar-se excessivamente com o amanhã e viver intensamente o hoje. Muitas vezes, esperamos grandes acontecimentos para que possamos nos sentir felizes, mas nos esquecemos de que a vida é feita de pequenos momentos, que se percebidos, tornam cada minuto especial. Fonte:

Assessoria de Comunicação da Unimed Joinville


Artigo

Núcleo Contábil

eSocial uma revolução digital nas Obrigações Trabalhistas e Previdenciárias

N

o fim de 2013, tivemos um assunto relevante para pensar e começar a preparar nas nossas rotinas para o ano de 2014: o eSocial. Você já deve ter ouvido falar do eSocial. Se ainda não ouviu, certamente ouvirá, e continuará a tê-lo como tema constante, cada vez mais. A implantação do eSocial, módulo do Sistema Público de Escrituração Digital (Sped), a partir de 2014, tem o objetivo de unificar informações, eliminar formulários e algumas obrigações acessórias. O novo sistema promete facilitar a vida do empregador e da área contábil. A ideia é garantir os direitos trabalhistas e previdenciários, a formalização do emprego, a simplificação do cumprimento das obrigações principais e acessórias para redução de custos e da informalidade no mercado de trabalho. O eSocial, promove uma completa mudança comportamental na gestão das informações das empresas, alterando

o vetor da fiscalização, ou seja, não é mais o auditor fiscal que vai até o contribuinte em busca da informações e documentos: agora é a empresa que vai até o órgão de fiscalização quando transmite os seus arquivos digitais via SPED, cujo canal de comunicação para as questões trabalhistas e previdenciárias é o eSocial. O eSocial não está alterando nada que já não esteja previsto na Legislação Trabalhista. Seu impacto será em como as empresas exercem tais obrigações. Com isso, o relacionamento das empresas de contabilidade ou profissionais da área com os seus clientes ou empregadores ficará ainda mais estreito, pois haverá a necessidade de obter as informações praticamente em tempo real para que seja feita a interface entre as práticas trabalhistas dos empregadores e os órgãos oficiais que receberão as informações referentes à sua folha de pagamento e o dia a dia de seus empregados. Para tanto, se faz necessário um processo intenso de capacitação da equipe incumbida de atender a essa mais nova obrigação.

Núcleo de Advogados

O PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR N. 46/2013 E A POSSIBILIDADE DE AUMENTO DO ISS (IMPOSTO SOBRE SERVIÇOS) EM MAIS DE 300%

E

m 31 de outubro de 2013 foi encaminhada à Câmara de Vereadores de Joinville o Projeto de Lei Complementar n. 46/2013, que tem como um dos seus objetivos aumentar o ISS das sociedades de profissionais que são tributadas pelo regime de estimativa fixa, passando de 03 (três) Unidades Padrão Municipal - UPM’s por ano, para 12 (doze) Unidades Padrão Municipal - UPM’s dentro do mesmo período para cada profissional habilitado, sócio, empregado ou não, que preste serviços em nome da sociedade. Tal disposição está inserida no art. 3º do Projeto de Lei Complementar n. 46/2013 e se aprovado, resultará em um aumento da carga tributária em mais de 300% (trezentos por cento). Alguns aspectos, no âmbito legal, devem ser analisados pelo Poder Legislativo antes da aprovação de tal lei. Primeiro, que a mesma não está cumprindo o determinado no artigo 145, parágrafo 1º, da Constituição Federal (princípio da capacidade contributiva) e muito menos o princípio da igualdade ou isonomia tributária (art. 150, II, CF). Tais princípios deixam claro que sempre que possível os impostos devem ter caráter pessoal e serem cobrados de acordo com a capacidade econômica do contribuinte, e que os contribuintes em situação econômica igual devem ser tratados de forma igual, e os desiguais de forma desigual. Digo que tais aspectos constitucionais não estão sendo observados vez que todas as empresas prestadoras de serviço que se enquadrem no regime de estimativa fixa serão tributadas da mesma forma, sem que se observe o seu faturamento, causando um ônus tributário muito maior para as micro e pequenas em-

presas atuantes neste ramo. Porém, o principal, e que não está sendo levado em conta pelo Município de Joinville, é que atualmente, em razão da recessão existente no mercado, não cabe nenhum aumento da carga tributária para os brasileiros, em especifico para os moradores da cidade de Joinville (SC). Não pode a população local arcar com um problema que na verdade está caracterizado pela desigualdade tributária entre os entes públicos, ou seja, União, Estados e Município, onde o primeiro muito arrecada e pouco reverte para nossa cidade. O cidadão Joinvillense, assim como todos os brasileiros, já arca com uma carga tributaria de mais de 40% (quarenta por cento), tendo que trabalhar mais de três meses por ano apenas para pagar tributos! A solução, a meu ver, não é aumentar ainda mais a carga tributaria municipal, e sim promover uma reforma tributaria, onde a repartição de receitas seria distribuída de forma diversa da atual, ficando a maior parcela para os Municípios, e a menor para a União. As entidades representativas, como a Ajorpeme, já estão se manifestando e deixando claro o seu repúdio a qualquer tipo de aumento a carga tributária. Se, ainda assim, o Poder Legislativo Municipal aprovar o referido Projeto de Lei, e com isto, aumentar nossa carga tributária municipal, cabe às nossas entidades representativas, ingressar com a medida judicial cabível, visando a anulação dos efeitos de tal legislação.

09


As empresas que já estão no Condomínio Perini têm bons motivos para que você aceite o convite de vir crescer conosco

João Joaquim Martinelli Presidente - Martinelli Advocacia Empresarial

Há uma sinergia muito grande entre empresas e setores (indústria, comércio e serviços). Somam-se a isso os custos atraentes, a especial atenção à segurança e ao desenvolvimento de uma rede de valor, com o networking constante e incentivado pelo próprio Perini.”

Não temos, na Brunswick, uma unidade fabril localizada em lugar melhor do que o Condomínio Perini. Aqui temos uma fábrica de qualidade, num ambiente seguro, que oferece aos nossos funcionários serviços como atendimento ambulatorial e alimentação. Isso nos permite concentrar o foco na fabricação de barcos.”

José Fernando Fix

Diretor Comercial IGO Gestão Inteligente

Jorge Valdes Diretor Geral - Brunswick Boat Group Brasil

Venha tomar um café conosco. Foi assim que a IGO Gestão Inteligente iniciou, em agosto de 2012, sua história no Condomínio. Hoje temos muitos amigos vizinhos, dobramos nossa carteira de clientes e nossa estrutura para atendê-los. Estamos motivados e muito felizes.”

A decisão pelo Perini Business Park permitiu um crescimento significativo dos negócios, agregando muitos fatores positivos, que somente são possíveis graças à infraestrutura com a dimensão e qualidade que é oferecida.”

www.perinibusinesspark.com.br

|

André Wetzel da Silva Diretor Presidente Wetzel S.A.

047 3803-2200


Núcleos

Núcleo de Advogados

Núcleo Mulheres Empreendedoras

Durante o ano o Núcleo de Advogados realizou Ciclo de Palestras para orientação gratuita entre os núcleos e os associados. Temas como: as vantagens e benefícios fornecidos pelo empregador e suas implicações na relação de emprego; sonegação fiscal inadimplência é crime? e, responsabilidade civil e criminal na construção civil, foram alguns dos temas abordados.

Pelo segundo ano consecutivo o núcleo participou e apoiou a Campanha Outubro Rosa para comemorar o dia Internacional de Prevenção contra o Câncer de Mama. O objetivo da ação deste ano foi de cadastrar e aumentar as doações realizadas par a Rede Feminina de Combate ao Câncer de Joinville.

Núcleo Gestão e Pessoas

Núcleos da Ajorpeme realizam balanço 2013

Com grande sucesso, o núcleo realizou o painel “O Futuro do Mercado de Trabalho: Escassez ou Abundância?”, que debateu os desafios do mercado de trabalho. O evento reuniu aproximadamente 80 pessoas e contou com a presença da especialista em gestão empresarial, Rosa da Luz; do Gerente Corporativo de Recursos Humanos da Schulz, Francisco Reitz; da Consultora e Facilitadora em Relacionamento com o cliente e liderança e Vice-Presidente de Comunicação e Marketing da Ajorpeme, Silvana Fioravanti; do Gerente do SINE de Araquari, Itamar Pedro Mistura; da especialista em recursos humanos, Lenir Nunes Amorim e dos acadêmicos Davi Bicudo e Fernanda Caroline de Souza.

Buscando aplicar a inovação, os núcleos realizaram no final do ano um balanço de suas atividades. Na ocasião foram realizadas as apresentações das ações e avaliações de desempenho de cada núcleo. Atualmente os núcleos ativos são Mulheres Empreendedoras, Tecnologia, Imobiliário, Advogados, Correspondentes Caixa, Segurança, Trade Turístico, Jovem Empreendedor, Educação Infantil, Contábil, Gestão e Pessoas, Cabeleireiros e Similares e, Engenharia. Os núcleos se reúnem quinzenalmente e tem como objetivo fortalecer a cultura do associativismo, promover o desenvolvimento da empresa, do setor e da economia.

Núcleo Trade Turístico

Núcleo de Segurança

O Núcleo do Trade Turístico da Ajorpeme promoveu e participou de inúmeros eventos durante o ano. Um dos destaques foi a participação em conjunto com o COMTUR - Conselho Municipal de Turismo de Joinville, a Fundação Turística de Joinville e representantes da AJAO - Agremiação Joinvilense dos Amadores de Orquídeas, de visitas técnicas à ABAV – 41ª Feira de Turismo das Américas, em São Paulo, e da 32ª Expoflora, maior exposição de flores e plantas ornamentais da América Latina e também aos campos de cultivo de flores, que aconteceu na cidade de Holambra.

Buscando debater sobre segurança na cidade de Joinville, o núcleo realizou Plenária sobre Segurança Pública no auditório da Ajorpeme no mês de julho de 2013. A plenária contou com a participação da presidente da Ajorpeme, Christiane Schramm Guisso, do Comandante Interino do 8° Batalhão, Major Jofrey Santos da Silva; do Delegado, Dirceu da Silveira Júnior; do Secretário de Segurança do Município de Joinville, Francisco José da Silva, do Coronel Adilson Michelli do 5º Batalhão e do presidente do Núcleo de Segurança, Teodoro dos Santos.

11


12 Entrevista

***********************

Formada em Educação Física pela FURJ/UNIVILLE, Rosi Dedekind é casada com Martin Alexandre Dedekind, pai de Marina, 30 e Guilherme, 28 e avó de Maria Eduarda, 07 anos. Nas horas de folga curte estar com a família e com os amigos, viajar e ler. Entre suas preferências gastronômicas estão comida árabe, japonesa, francesa, entre outras. Após 14 anos como associada assume a presidência da Gestão 2014 da Ajorpeme. ***********************


Rosi Dedekind

roSI dedeKINd Revista Ajorpeme - O que levou a entrar na Ajorpeme? Rosi Dedekind - Quando a empresa se associou, foi como a maioria dos associados, visando os convênios e parcerias, mas em 2009, participava de um grupo ligado ao turismo, que se reunia informalmente para conversar sobre o turismo em Joinville. Num determinado momento este grupo sentiu necessidade de procurar uma Associação, para dar suporte e respaldo nas solicitações do setor turístico. Assim foi fundado o Núcleo do Trade Turístico da Ajorpeme, para o qual fui indicada presidente, ficando neste cargo até 2011. Neste mesmo ano fui convidada a fazer parte da diretoria executiva da Ajorpeme, como diretora de Eventos. Em 2012 fui Vice-Presidente da pasta de Eventos e Social e em 2013 Vice-Presidente de Negócios e Núcleos. E daí, a indicação para Presidente em 2014, além de representar a Ajorpeme em conselhos municipais e diretoria de outras entidades. ***********************

RA - Como surgiu a força voluntária e empreendedora em você? RD - O voluntariado é algo que sempre esteve presente em minha vida, mas na Entidade ele foi lapidado e estimulado junto com o lado empreendedor. ***********************

RA - No seu entendimento, qual é a função da Associação de Joinville e Região da Pequena, Micro e Média Empresa e de que forma esse trabalho deve ser desenvolvido? RD - A Ajorpeme é referência em nível municipal, estadual e federal. Onde defende o tratamento diferenciado, nas áreas trabalhistas, ambiental e da tributação, que envolvam a micro, média, pequena empresa e o Empreendedor Individual.

RA- A Ajorpeme é uma instituição de grande importância para a cidade. Como é estar à frente de um órgão tão importante como este? RD - Estar à frente da maior associação, que representa as micro, pequenas, médias empresas e o Empreendedor Individual, é uma grande responsabilidade e honra, que será dividida com todos da diretoria e colaboradores. ********************

RA - Quais os critérios que avaliou para compor a nova diretoria? RD - A composição da diretoria executiva levou em conta as características e habilidades de cada um, para alguns lançando desafios, os quais levarão a um crescimento e para outros aproveitando suas expertises. Agradeço a todos por aceitarem trabalhar por este movimento, que é representar, capacitar, tanto os empresários bem como seus colaboradores. ********************

RA- Quais são seus planos e metas para esta Gestão? RD - Em 2014 daremos sequência aos trabalhos já implementados, e também desenvolveremos novos projetos, de acordo com o planejamento estratégico, os quais serão incorporados pelas gestões futuras. Queremos intensificar as parcerias, para que o associado tenha acesso a produtos com preços diferenciados. Dar continuidade aos projetos já iniciados na Gestão de 2013 e lançar novos benefícios para fidelizar cada vez mais o nosso associado.

13


14 Voluntariado

Foto: divulgação corpo de bombeiros de Joinvile

A Força do voluntariado

D

edicar horas do seu dia a dia de forma voluntária não é para qualquer um. Correr risco de vida ou lutar por uma causa nobre pede dedicação. Com o lema “Um por todos e todos por um, em nome de Deus em defesa do próximo” a Corporação de Bombeiros Voluntário de Joinville é uma das mais antigas instituições do gênero, atendendo a comunidade há 121 anos. O trabalho exemplar e o pioneirismo em Joinville inspiraram outras 75 cidades do sul e do sudeste a terem um corpo de bombeiros civil e voluntário. Atualmente são 320 bombeiros voluntários que dedicam horas do seu dia para trabalhar voluntariamente em Joinville. Segundo o bombeiro voluntário Anderson de Oliveira, 27 anos, o que motivou ser bombeiro voluntário foi o fato do seu filho ter se afogado quando tinha apenas dois meses. Como foi um bombeiro que o ajudou a salvar seu filho, logo pensou em ser voluntário para também poder ajudar o próximo. Fez o curso e se formou em novembro de 2013 como bombeiro voluntário dedicando, a partir desta data, 10 horas por dia, três vezes por semana. Para o Comandante da corporação, Heitor Ribeiro Filho, a participação dos voluntários é fundamental para que a corporação possa continuar a atender adequadamente a população. “Entidade reconhecida como de utilidade pública, o Corpo de Bombeiros tem como principal base de sustentação, a atuação dos Voluntários. Além dos serviços na entidade, a atuação dos voluntários é marcante e um dos grandes destaques da cidade, servindo de modelo para outras cidades no País”. Graças ao quadro de pessoal, Joinville está entre as cidades que cumprem os requisitos mínimos sugeridos pela Organização das Nações Unidas de um bombeiro para cada grupo de 1.000 habitantes. “Sempre houve um esforço muito grande de qualificarmos cada vez mais os voluntários”. Muito dedicado à corporação, o bombeiro voluntário Rodrigues Lima, quis ser bombeiro desde criança e quando teve a oportunidade não desperdiçou. Começou como motorista e hoje é bombeiro voluntário, podendo atuar de frente nas operações.

O Subcomandante voluntário Jackson Renato Seidel dedicou em 2013 cerca de 2.500 horas ao voluntariado e reforça que para se dedicar a esta ação precisa 100% do apoio da família. Iniciou na corporação em 2008 e devido a sua grande dedicação e estudos, no ano de 2013 assumiu o cargo que exerce nos dias de hoje. “Minha função é estar a frente do trabalho voluntário, lutar pela busca da qualidade e dar suporte com treinamentos, uniforme e humanização”, destaca. Moacir Thomazi, Presidente do Corpo de Bombeiros Voluntário de Joinville, destaca que ao longo da sua vida, teve oportunidades de exercer várias funções públicas e privadas, não só em Joinville, mas nenhuma foi tão prazerosa, tão enriquecedora como a de presidir a Corporação. “Não só é fácil liderar voluntários como é muito enriquecedor. Me orgulho de poder prestar minha contribuição, modesta e circunstancial, para que nossa Corporação que já tem 121 anos, possa continuar prestando seus excelentes serviços a população joinvilense, nosso principal patrimônio”.

“A atuação dos voluntários é marcante e um dos grandes destaques da cidade, servindo de modelo para outras cidades no País.”


A Força do Voluntariado

15

Foto: divulgação corpo de bombeiros de Joinvile

Assim como a força dos bombeiros voluntários existe esta força no meio empresarial. A Ajorpeme conta com toda a diretoria e conselheiros voluntários para buscar e lutar por melhorias e um tratamento diferenciado aos empresários da micro, pequena, média empresa e dos empreendedores individuais de Joinville e Região. Todos são empresários que dedicam horas semanais para buscar e lutar pelo fortalecimento e crescimento das MPE’s.

CONFIRA O NÚMERO DE BOMBEIROS EM JOINVILLE

320 160 450 750 voluntários

efetivos

mirins

brigadistas nas empresas


16

Capa

EM BUSCA DE UM OLHAR INOVADOR PARA OS NEGOCIOS São Francisco fica na Costa Oeste dos Estados Unidos e é a quarta maior cidade da Califórnia em população, depois de Los Angeles, San Diego e São José. A região que também abriga o Vale do Silício é mundialmente reconhecida como incubadora de projetos e startups que se tornaram grandes empresas na área tecnológica, além de abrigar as maiores empresas de tecnologia do mundo como a Google, Apple e Facebook.

C

om uma visão inovadora e constante preocupação de gerar novos c onhecimentos, buscar um novo modelo de inovação e gestão, agregar valor ao produto e serviços das empresas associadas e contribuir para o desenvolvimento tecnológico brasileiro, a Ajorpeme em parceria com o Sebrae e a Amcham, realizou no mês de novembro de 2013, uma missão empresarial aos Estados Unidos.


Missão Empresarial Segundo a Vice-Presidente Comunicação e Comercial da Ajorpeme e proprietária da empresa SPIN Traduções & Consultoria, Silvana Fioravanti, a missão em questão foi uma excelente oportunidade para conhecer maneiras diferentes de fazer negócios, culturas diferentes e, com isso, motivar novos pensamentos em relação aos próprios negócios. “Nossas empresas não sobreviverão se continuarmos a fazer tudo como sempre fizemos. A mudança e a inovação têm de estar presentes e é isso que o contato com outras realidades nos proporciona”, destaca.

“Nossas empresas não sobreviverão se continuarmos a fazer tudo como sempre fizemos.” Durante os nove dias foram visitadas empresas mundialmente reconhecidas como a Google, NestGSV, YouNooodle, Associação de Micro e pequenas Empresas da Califórnia – CAMEO, Salesforce, Consulado Brasileiro em São Francisco, LA Chamber e a Feira Small Business Expo. Participaram dessa missão 20 empresas associadas à Ajorpeme, entre os quais podemos destacar empresários e profissionais do ramo de Tecnologia da Informação. Também fizeram parte da delegação brasileira o Presidente da Câmara de Vereadores, João Carlos Vieira e da Secretária de Desenvolvimento Regional de Joinville, Simone Schramm. A presidente da Ajorpeme, Christiane Schramm Guisso destaca que sua percepção de que a inovação está no DNA das empresas americanas, independentemente, de seu porte ou segmento, foi confirmada. “Observei ainda uma forte parceria entre empresas, universidades e investidores para auxiliar e dar todo o apoio estratégico e de acompanhamento aos novos projetos, processos ou produtos. A missão superou minhas expectativas e o Sebrae contribuiu sobremaneira para a sua realização. A missão é o início de uma parceria que pretendemos firmar com empresas no Vale do Silício”, ressalta. Maria Aparecida Pereira Gonçalves, proprietária da Stágio Assessoria em Propriedade Industrial, destaca que durante as visitas nas empresas situadas no Vale do Silício, teve a oportunidade de constatar na prática as informações que tinha quanto a inovação, start-ups, e aceleradoras de inovação. “As empresas da Califórnia são

exemplos disso pro mundo. Esse é o caminho paras as nossas empresas, agora é colocar em prática nos nossos negócios e colher os frutos.” Para Jonatass Hudler, da empresa Prosyst Sistemas, a missão ao Vale do Silício trouxe à tona a força que ambientes colaborativos e de compartilhamento de ideias pode fazer para alavancar o empreendedorismo de uma região. “A experiência foi ótima para se ter um amplo insight da cultura americana no tocante à inovação e ao desenvolvimento de novos negócios, além de abrir portas para futuras parcerias. Tudo isso aliado à boa companhia de empreendedores com o mesmo desejo de fazer diferença no mercado onde atuam”. Segundo Ramon Carlos Boebel, da Empresa Acquaplant, a missão foi de extrema importância tanto para o lado pessoal quanto profissional. Trouxe muitos conhecimentos tanto no lado de comportamento de um cidadão perante o governo e a sociedade, quanto ao comprometimento e comportamento dentro da empresa. “Questões como estrutura da empresa, maneiras de remuneração, como fidelizar e comprometer um colaborador, realização de novos projetos, serão discutidos de uma maneira diferente dentro da empresa após esta missão, com intuito de transformar o trabalho em algo prazeroso e divertido, mas que garanta resultados excelentes”, destaca. O Presidente da Fampesc, Diogo Otero destacou que durante a missão empresarial ao Vale do Silício, foi possível reunir uma série de oportunidades. “A maior delas foi o amplo aprendizado, em especial com o contato realizado com outra cultura de empreendedores.

17


18

Capa

“Foco em resultado, percepções em pessoas e atenção ao cliente é o sistema inovador dos novos tempos.”

Além da possibilidade de acompanharmos de perto a realidade de negócios e gestão de empresas e incubadoras de dentro do Vale do Silício, sendo algumas referências mundiais, pudemos ampliar nossos contatos, como aquele estabelecido com a Associação de Pequenos Negócios da Califórnia e com a Câmara de Comércio de Los Angeles. Importante ressaltar que o grupo era extremamente interessado e unido, o que tornou a missão ainda mais especial e permitiu que fizéssemos grandes e novos amigos”. A lição que o empresário Andreas Boebel da Zínia Análises Químicas e Microbiológicas Ltda trouxe da viagem foi que atualmente o conhecimento está extremamente relacionado com a parte de gestão de um negócio. “Hoje não é só o produto que importa, mas as pessoas que aqui estão. Foco em resultado, percepções em pessoas e atenção ao cliente é o sistema inovador dos novos tempos”. O Diretor Comercial da empresa Priorize, Ademilson Piccoli, destaca que as empresas, entidades e associações que foram visitadas proporcionaram observar uma realidade diferente da qual estamos acostumados no Brasil. “O ambiente corporativo voltado a colaboração e equipes sintonizadas com o projeto, foram percebidos como o diferencial competitivo dessas organizações. A estrutura oferecida aos colaboradores como

áreas de lazer, descanso, alimentação, academia e outros serviços integrados ao ambiente funcional, além da informalidade e descontração, fez com que repensássemos a forma da gestão de nosso negócio. E por fim, a não interferência do governo nos empreendimentos e simplicidade da regras tributárias, foram outros fatores que chamaram a atenção. Sabemos o quanto é difícil ser empresário no Brasil se comparado a realidade a qual pudemos conhecer. E que podemos caminhar para um modelo de negócios voltado a colaboração, mas cabe a nós replicarmos o que observamos e aprendemos!” , fala Piccoli. Como resultado, o grupo trouxe novas experiências, ideias e uma nova visão para tornar o ambiente de trabalho mais humanizado, modelo muito trabalhado nas empresas do Vale do Silício. A delegação brasileira também teve a oportunidade de conhecer in loco como funciona a cultura Segundo o Coordenador Regional Norte, Jaime A. Dias Junior, a missão empresarial realizada em parceria com a Ajorpeme ao Vale do Silicio, atingiu seu objetivo que era de proporcionar as MPE’s o conhecimento das tendências e perspectivas principalmente em inovação, através de visitas planejadas e focadas em tecnologia da informação, incubadoras, venture capitals, associações de pequenos negócios e câmara de comércio. “Tenho a certeza que estes contatos deram uma visão muito abrangente da realidade, cultura e modo como são tratadas as startups no Vale do Silicio, é certo que teremos bons frutos em breve”, finaliza.


20

Retrospectiva 2013

RETROSPECTIVA 2013

AJORPEME E INSTITUTO AJORPEME

JAN

MAR

É realizado Jantar de Posse com a presença de 660 pessoas

Um dos primeiros pleitos da Ajorpeme é concretizado. O Decreto 1.357/2013 é revogado pelo governador

MAI

É realizada Rodada de Negócios com a participação de 13 empresas âncoras e 33 empresas fornecedoras

ABR

Ajorpeme comemorou 29 anos com 650 participantes

Inicia o Projeto Miniempresa capacitando 19 estudantes

JUN JUL

Ajorpeme e Instituto Ajorpeme integram o Conselho da Cidade

Foi criado o Programa Atender

Ajorpeme apoiou novamente a PEC dos Bombeiros

760 empresários participaram dos evendos Café & Negócios, Noites de Negócios e Rodada de Negócios


Retrospectiva Ajorpeme e Instituto Ajorpeme

AGO

Ajorpeme e Instituto Ajorpeme lançam o primeiro Relatório de Sustentabilidade

O Prefeito de Joinville, Udo Döhler recebe a proposta de Projeto de Lei Geral Municipal da Microempresa, Empresa de Pequeno Porte e do Empreendedor Individual

Acontece a plenária sobre Segurança

O Instituto Ajorpeme comemorou 10 anos com palestra da Senadora Ana Amélia Lemos

SET

A Universidade Corporativa da Ajorpeme promoveu 42 cursos e capacitou 738 participantes

Promoveu 6 edições de Integração com Novos Associados, totalizando 365 novos associados durante o ano É lançado o Núcleo Cabeleireiro & Similares

OUT

Realizou o 45º Enconampe com a participação de 500 pessoas e 31 cidades do Estado de Santa Catarina

O Instituto Ajorpeme em parceria com a Junior Achievement levou de forma voluntária a educação empreendedora a 1.100 jovens em Joinville.

A Uniajo torna-se líder no Estado capacitando 101 participantes em 4 edições do Empretec

21


22

Retrospectiva 2013

NOV

O Núcleo Jovem Empreendedor é reaberto

Realizou a Missão Empresarial aos EUA – Vale do Silício

Acontece a plenária sobre Inovação

DEZ Ajorpeme e Instituto Ajorpeme recebem Certificado de Responsabilidade Social de SC


Gerando Valor Futuro

A

década de sessenta foi um período em que a sociedade iniciou profundas mudanças das quais se desdobraram em múltiplos contextos nos anos seguintes. Nesta época, a sociedade se livrou do que era conhecido como “certo”, e procurou um novo sentido de valor. Organizações e instituições governamentais foram confrontadas com incertezas. Essa insegurança em entender os clientes levou para a criação de novas formas de gestão, a institucionalização do planejamento estratégico. O foco desse processo era entender melhor a sociedade e influenciar o hábito de consumo tornando a gestão mais controlável, planejável e previsível. Alguns ciclos se repetem e os últimos anos não foram muitos diferentes. Os indivíduos estão novamente fortemente à procura de novos valores, influenciados pelas incertezas econômicas, formas novas de relacionamento e a difusão de mais informações. O aumento da transparência, a liberdade de criar e a hiper conectividade estão desafiando estruturas existentes e tornando o futuro distante da realidade de hoje; “o futuro muitas vezes chega cedo demais e na ordem errada”, Alvin Toffler, 1928. Organizações tentam compensar essas mudanças com novas formas de gestão e criatividade. Cocriação, inovação, design thinking e a integração de massivos dados para entender melhor as mudanças são uma consequência lógica. O desafio, porém, é mais profundo. A maioria desses processos foram adaptados pelas organizações para atender as mudanças já inicializadas. Essa geração de soluções, também quando necessária, raramente focam em atender possíveis futuras realidades. O grande limitador é por definição que o futuro é complexo. Quando a inovação e o planejamento estratégico trabalham no ambiente simples ou complicado, qualquer futuro é complexo e somente parcialmente conhecido. Neste ponto começa o dilema do desejado versus da prática da antecipação do amanhã. Henry Mintzberg descreveu em um artigo em 1994 na Harvard Business Review, que organizações precisam

D

Artigo

evitar a procura para uma resposta certa. Além disso, sugeriu que executivos devem utilizar o sistema complexo para gerar uma melhor compreensão da realidade, utilizando esses insights a seu favor. David J. Snowden complementa que hoje não podemos trabalhar com a premissa fundamental que existe um certo nível de previsibilidade e ordem no mundo. Essa suposição leva a simplificações que são úteis em condições “complicadas” ou “simples”. As circunstâncias mudam, no entanto, na medida em que elas se tornam mais complexas, as simplificações podem falhar. Após 20 anos e muitas mudanças sociais, organizações entendem essa necessidade. Elas no entanto, têm grandes dificuldades tornar esse desejo em realidade. O desafio está no equilíbrio entre a execução de objetivos estratégicos com recursos limitados e da geração de valor futuro. O Futuring de negócio, tem como objetivo ajudar nesse processo criando, como resultado, uma efetividade organizacional e conectar o presente com o futuro. Tendências e ferramentas são cruciais para esse processo de geração de novas realidades. Porém, não devem ser colocadas no plano principal do processo, e sim as perspectivas neutras e uma exploração holística. Deveríamos evitar a projeção ex ante de valores e crenças do presente para a realidade futura. A sociedade criará o próprio Zeitgeist, “alma da sociedade” que hoje somente parcialmente compreendemos. O recurso que diferenciará um empresa no presente é esse entendimento sobre o que motiva o amanhã. Sintetizando em uma “Proposta de Valor Futura”, esse norte estratégico ajuda as organizações em conceber novas oportunidades para atender o mercado ainda não existente e reduzir o impacto de possíveis riscos. Com essa descrição na mão, os executivos podem transformar a visão organizacional em uma geração de valor futuro. A Lei do Ashby diz que “o único jeito de evitar destruição pela complexidade e incertezas é pela variedade flexibilidade e adaptação.” As organizações que conseguem integrar esse pensamento de foresights e insights na prática se tornarão os grandes influenciadores do futuro.

aniel Egger é professor da Sustentare Escola de Negócios, atua no curso MetaMorfose realizado em parceria com a Ajorpeme. É sócio fundador da Foltigo, agência de ideias, e sócio da Symnetics. Desde 2005, trabalha com inovação aplicada. Atua na criação de futuros e conceitos novos, navega no mundo das ideias e pesquisa assuntos emergentes. Tem educação de Innovation Design do CETRIS, Master de Inovação e Empreendedorismo da B.I. International, Administração da Faculdade de Innsbruck e Engenharia Mecânica e Automatização pela HTL Innsbruck. Autor do livro “Future Value Generation”, Campus/Elsevier 2014.

23


Instituto Ajorpeme

25

10 ANOS DEDICADOS A RESPONSABILIDADE SOCIAL

A senadora Ana Amélia Lemos e o presidente Roni Goulart Nunes

E

ste ano foi um ano para se comemorar. O Instituto Ajorpeme completou 10 anos de dedicação ao desenvolvimento e responsabilidade social. Tudo começou durante a realização do planejamento estratégico da Entidade, em que ficou definido a elaboração de um projeto social do qual os empresários associados pudessem participar. Assim, em 2003 foi criado o Instituto Ajorpeme – Ética e Desenvolvimento Social. O primeiro Presidente foi o empresário Volnei Batista que desenvolveu o planejamento estratégico, definindo Foco. Em 2004, sob a presidência de Maria Aparecida Gonçalves, foram realizadas visitas a entidades sem fins lucrativos em Joinville, concluindo que a necessidade destas Instituições se concentrava na gestão, e na elaboração de projetos para captação de recursos para o desenvolvimento de suas ações. Em 2006 foi formada a primeira turma de empresários para o programa Sustentabilidade Empresarial da Micro, Pequena e Média Empresa. Devido a boa aceitação foi desenvolvido um projeto mais amplo com captação de recursos via MDIC. Em 2007, o Projeto foi aprovado pelo MDIC. A partir de 2008, começou a ser aplicado o Programa Repensar. Ainda em 2007, durante a gestão da Presidente, Maria Salete Rodrigues Pacheco, foi formado duas turmas de treinamento no Tele Centro visando a inclusão digital de jovens carentes via parceria com a Secretaria de Promoção Social

do Município. Também foram patrocinadas 5 mil cartilhas da Campanha “O que você tem a ver com a corrupção,” na linguagem infantil, para serem distribuídas nas escolas municipais de Joinville, levando o Instituto a participar efetivamente da passeata contra a corrupção, capitaneada pelo Ministério Público de Joinville. Em andamento em 2007 o Convênio entre PMJ e o Instituto Ajorpeme para beneficiar crianças cujos pais enquadram-se no perfil de baixa renda e matriculadas aos CEI’s membros do Núcleo de Educação Infantil da Ajorpeme, mereceu grande atenção. Segundo Salete, presidir o Instituto Ajorpeme, foi uma satisfação e um desafio do tamanho da grandeza do tema e da responsabilidade da Ajorpeme com seus mais de 2.000 associados de Micro, Pequenas e Médias empresas. “O Instituto Ajorpeme veio se consolidando ao longo dos anos como a entidade referência em Joinville quando se fala em gestão sustentável. Com seus 10 anos de existência está seguro e maduro para seguir em frente com grandes desafios a transpor. Há a necessidade de consolidar a gestão sustentável nas empresas, por tratar-se de sobrevivência, assim como um dia o desafio era consolidar a cultura da qualidade e que hoje já é tema ultrapassado e consolidado”, reforça. Segundo Eulívia Fleith Comitti presidir o Instituto em 2011 foi um grande desafio pessoal e profissional. “Foi um ano de muitas atividades de voluntariado, em vários conselhos e comitês existentes na cidade e ainda tinha a minha empresa. Senti orgulho pelo convite e confiança depositada”. Neste ano foi revisado o planejamento estratégico do Instituto, foram fortalecidos os programas como a Junior Achievement, Convênio Primeira Infância – CEI, Repensar, Bota a Pilha aí e foram iniciados o Projeto Sacolas Plásticas, adesão ao Programa Nós Podemos Joinville trabalhando os objetivos do Desenvolvimento do Milênio, entre outros. Segundo o atual Presidente, Roni Goulart Nunes, integração é a palavra chave da sua gestão além do grande trabalho realizado na Educação para Sustentabilidade. “Agradeço a cada um da nossa diretoria de 2013, e também as nossas colaboradoras. Obrigado por fazerem parte de um ano vitorioso. Também não poderia deixar de agradecer as nossas famílias que por muitas vezes entenderam e incentivaram nossas idas e vindas para o bem do associativismo, pois Juntos somos mais fortes!

“Uma das soluções para suprir essa necessidade é o investimento em desenvolvimento e profissionalização, por meio de cursos comportamentais e técnicos específicos” Carlos Lienstadt


/// Nova geração

26 Miniempresa

empreendedora

A

creditar que o futuro está nas mãos dos jovens é o que move a Junior Achievement. A maior e mais antiga organização educacional com foco em empreendedorismo desenvolveu valiosos programas para formar líderes transformadores da sociedade. Com trabalho baseado no voluntariado, buscando dar aos jovens, ainda em idade escolar, experiências práticas da atividade empresarial, criando a cultura da iniciativa, a Ajorpeme através da Junior realizou mais uma edição do Miniempresa em Joinville. Por meio deste programa muitos alunos estão ampliando suas habilidades empreendedoras e sendo preparados para o mercado de trabalho que está cada vez mais exigente com quem ingressa. Este programa é a base para qualificação e encaminhamento destes alunos para o mercado de trabalho, desenvolvendo a autonomia capacitação e responsabilidade. Segundo o coordenador do Programa Miniempresa na Ajorpeme, Luiz Fernando Oliveira, a realização de mais um programa Miniempresa da Junior Achievemente na Ajorpeme é uma grande satisfação para o Instituto Ajorpeme. Trata-se de um dos mais bem sucedidos programas de empreendedorismo voltado para adolescente, onde os jovens (em idade de ensino médio), participam de uma simulação prática da idealização, abertura, funcionamento e dia a dia de uma empresa. Tudo é bastante real e viabilizado a partir de valores simbólicos investido por acionistas, convencidos pelos participantes da viabilidade do negócio. É, na maioria dos casos, a primeira experiência concreta desses adolescentes no mundo dos negócios.

Os programas da Junior Achievement são todos aplicados de forma gratuita, por voluntários, e custeado por empresas que acreditam na importância para a sociedade dessa espécie de capacitação para jovens. “Como se pode ver, o foco dessa atividade é inerente à razão de ser do Instituto Ajorpeme, à medida que assim atuamos na formação de futuros empresários, muitos deles possíveis sucessores nas empresas filiadas à Ajorpeme”, destaca Luiz Fernando. Nesse ano, a Miniempresa chamou-se “Eco Bag’s” e fabricava sacolas reutilizáveis de tecido. Contou com a participação de 19 adolescentes. Efetuaram negócios, essencialmente, fornecendo seus produtos à outras empresas, que os utilizariam como brindes de natal à clientes e funcionários. Foram fabricadas e vendidas cerca de 300 sacolas e circulou na Miniempresa valor superior à R$ 3.000,00. O montante arrecadado à título de tributos foram doados à uma instituição beneficente e o restante foi repassado aos acionistas da Miniempresa, que tiveram um lucro aproximado de 25% do valor simbólico que investiram no negócio. Pietro Guilherme Junkes, 16 anos, estudante do Senai Norte de Joinville foi um dos participantes que se formou na turma deste ano. “Fiquei sabendo da miniempresa através de minha mãe, porque a empresa em que ela trabalha é associada à Ajorpeme. Quando ela mencionou sobre o curso, fiquei muito empolgado com o que iria acontecer nele e o que poderia aprender. Foi um curso ótimo, muito bem supervisionado e orientado. Fui eleito o diretor financeiro da “empresa”, e com esse cargo aprendi como lidar com dinheiro, com vendas, com compras, com planilhas de custos, e também aprendi a trabalhar na produção. Nosso produto foi uma sacola ecológica, algo que aparentava ser fácil, mas com o tempo descobrimos que não era só cortar o tecido. Depois de prontas fomos vender as sacolas, outra coisa que aprendi que não é nada fácil. Sei que esse curso será muito útil em minha vida. Acho que todos deveriam ter essa experiência antes de se tornar adulto e conviver em um ambiente de empresarial”, destaca. Para o jovem empreendedor Volnei Batista Júnior, a experiência de fazer o miniempresa foi única. O estudante destaca que uma das lições mais importantes foi aprender a trabalhar em grupo e valorizar os princípios como ética e empreendedorismo. “Quando dava os problemas na confecção do produto, aprendemos a arranjar uma alternativa rápida para poder honrar as entregas. Outro grande aprendizado foi a de montar uma empresa. Não imaginava quantas planilhas que um diretor financeiro precisa fazer. Também fiquei impressionado com a quantidade de coisas que se agregam no valor do produto antes de ir ao mercado. Foram grandes os aprendizados durante os encontros que eram realizados semanalmente na Ajorpeme”, diz.

Foto: arquivo

Programa Miniempresa

O Programa Miniempresa proporciona a estudantes do 2º ano do Ensino Médio a experiência prática em economia e negócios, na organização e na operação de uma empresa. É desenvolvido em 15 semanas, em jornadas semanais, com duração de 3h30min, realizadas nas escolas, geralmente à noite. Os estudantes aprendem conceitos de livre iniciativa, mercado, comercialização e produção. É um programa acompanhado por quatro profissionais voluntários das áreas de marketing, finanças, recursos humanos e produção. Neste Programa, são explicados os fundamentos da economia de mercado e da atividade empresarial através do método Aprender-Fazendo, em que cada participante se converte em um miniempresário.


Tecnologia

Kuiper: crie sua loja virtual grátis

A

plataforma de e-commerce recém-inaugurada em versão beta no Brasil permite ao usuário a criação e manutenção de lojas virtuais totalmente grátis, sem diferenças de funcionalidades, problemas de administração, pagamento de mensalidades e taxas inesperadas. A única tarifa cobrada é sobre as transações efetuadas, que são intermediadas pela Gerêncianet Pagamentos Online. A personalização de layout de cada loja também é um atrativo: além da variedade de opções, o usuário tem facilidade de administrar e fazer o cadastro de novos produtos. A plataforma também conta com sistema de recomendações de produtos e organização dinâmica de acordo com o histórico do cliente, newsletter automatizado de cada loja e mecanismos de SEO para ranquear melhor o e-commerce em sites de busca. Para criar a loja, basta se cadastrar pelo site: www.kuiper.com.br.

Empreendedorismo nas nuvens

D

Vídeos com solução online para pequenas empresas

U

ma série de vídeos com dicas sobre como potencializar negócios com a ajuda da internet auxilia empresários de micro e pequenas empresas a impulsionarem seus negócios. A iniciativa criada pela parceria do Google e do Sebrae, tem seis módulos e ensina, por meio de tutoriais, como um empreendedor pode criar um site gratuito, inserir a empresa no Google Maps, divulgar o site por link patrocinado do Google AdWords, medir e avaliar os acessos por meio do Google Analytics, engajar o público com vídeos no YouTube e gerar uma segunda fonte de receita com o AdSense. A série pode ser vista no site da TV Sebrae (www.tv.sebrae.com.br) e no canal TV Sebrae, no Youtube (www.youtube.com/tvsebrae).

iretor, secretário, analista de RH, financeiro. Quando um empreendedor abre o próprio negócio ele vira o que quer que seja necessário para que o empreendimento funcione, por vezes até prejudicando a produtividade de sua empresa. Ainda hoje, uma boa parte dos empreendedores brasileiros ainda abraça uma tarefa bem complicada para leigos: a tecnologia da informação (TI). Contudo, a migração das necessidades de TI para servidores de gigantes da tecnologia - a chamada computação em nuvem – está ganhando força. O conceito de computação em nuvem se refere à alocação das informações de uma empresa, sejam elas documentos, e-mails ou softwares de gestão, em um servidor externo. Assim, quem tem uma empresa não precisa se preocupar com a manutenção de seus arquivos. O empreendedor que coloca seus arquivos na nuvem, além de não se preocupar com a manutenção de hardware – pois tudo está na internet –, tem a liberdade de acessar a informação de qualquer dispositivo, não apenas no computador da empresa, utilizando plataformas como a Microsoft, IBM e o Trend Micro.

27


28 Associado

Confira nesta edição algumas das ações que a entidade realizou nos últimos dois meses com objetivo de defender o justo tratamento diferenciado e simplificado às MEs e EPPs.

Imposto Sobre Serviço aA Ajorpeme se manifestou contrari ento aum o mente ao Projeto que propõe da carga tributária municipal do nISS (Imposto sobre Serviço). Por enteitar ace der que não podemos mais qualquer tipo de aumento de tributo, pois em média o profissional liberal paga 11,33% acrescido do ISS fixo.

Programa Atender Dando continuidade as ações do Programa Atender iniciou em novembro a segunda fase focada nas ações de TI da prefeitura. O Comitê de Desburocratização do Programa Atender trabalha constantemente para auxiliar a administração pública para dar celeridade ao processo de abertura de empresas na cidade.

Certificado de Responsabilidade Social A Ajorpeme e Instituto Ajorpeme receberam o Certificado de Responsabilidade Social de Santa Catarina pela Assembleia Legislativa. O Prêmio que está na sua 3ª edição foi instituído com base na Lei 12.918, de 23 de janeiro de 2004, e tem como principal objetivo prestigiar organizações que tenham a responsabilidade social incluída em suas políticas de gestão e reconhecer os esforços conjuntos em prol de uma sociedade mais justa e humana voltada para o desenvolvimento socioambiental.

Plenárias Durante o ano de 2013 foram realizadas duas plenárias com o objetivo de promover debates sobre os determinados assuntos. A primeira foi sobre Segurança com o objetivo debater sobre Segurança Pública com autoridades da Polícia Militar, Polícia Civil, Penitenciária e Presídio de Joinville realizada em agosto de 2013. A segunda foi sobre Inovação com a participação do diretor de apoio à micro e pequena empresa e ao empreendedor individual da Secretaria de Desenvolvimento Econômico Sustentável de SC, Cau Harger e do Presidente do Badesc, João Paulo Kleinübing.

Simples Nacional Com o objetivo de representar os interesses dos empresários de micro, pequenas e médias empresas, a Ajorpeme vem realizando de forma incansável, diversas ações durante todo o ano de 2013! Uma delas é a luta para mudança no Simples Nacional. A Ajorpeme luta pela aprovação do projeto para: • Inclusão de todas as categorias no sistema. • Ampliação dos incentivos fiscais com a atualização do teto; • Exclusão do Simples Nacional somente quando a receita bruta ultrapassar mais de 20% do limite de enquadramento e apenas nos casos em que isso ocorrer por dois anos consecutivos; • Correção anual; • Progressividade da tabela do simples; • Fim da ST substituição tributária para empresas do Simples.


A Ajorpeme disponibiliza em sua biblioteca mais de 160 livros nas áreas de vendas, finanças, liderança, gestão, recursos humanos e empreendedorismo. Todo empresário associado e seus colaboradores podem emprestar livros na entidade gratuitamente. Mais informações 2101-4100 ou recepcao@ajorpeme.com.br O crescimento pela Inovação Autor: Clayton M. Christensen Sinopse: Com base em alguns anos de pesquisas profundas e por meio de exemplos de empresas de diversos setores de atividade, Christensen argumenta neste novo livro que a inovação pode ser um processo previsível, capaz de gerar crescimento lucrativo e sustentável. Depois de identificar as forças que induzem os gerentes a tomar más decisões, ao moldar e embalar as novas ideias, o autor oferece novos referenciais que ajudam os gerentes a promover as condições adequadas, no momento oportuno, para garantir e impulsionar o sucesso contínuo. O Poder da Administração Ética Autores: Kenneth Blanchard e Norman Vicent Peale Sinopse: Num livro curto, de fácil leitura e escrito num estilo simples, os autores criaram um marco na ética empresarial e pessoal, ensinando a assumir responsabilidades morais e sociais como questão de consciência, e não de mero respeito a lei. O livro traz a história de um gerente de uma companhia muito competitiva de alta tecnologia que vem enfrentando a queda de suas vendas. Em meio a entrevistas a procura de um novo vendedor competente, encontrou-se num sério dilema.

Empreendedores de Sucesso Autor: Jaime Folle Sinopse: Muitos pensam que as pessoas de sucesso já nascem prontas ou herdam a genética dos pais, por estes terem sido grandes empreendedores. Isso até pode influenciar, mas não são verdades absolutas. Os que pretendem se aventurar no mundo fascinante do empreendedorismo poderão ver, nas páginas desse livro, que não é preciso ter muito dinheiro, nem muita infraestrutura ou outros recursos, basta verificar a história de grandes empreendedores e comprovar que todos eles começaram com muito pouco ou quase nada. Atreva-se a ser o líder - Os segredos do sucesso empresariais Autor: Warren Avis Sinopse: No livro, o autor explica que o melhor é não aceitar nunca os ditames dos negativistas sem mais estas nem aquelas. Muitas pessoas simplesmente não possuem nem a confiança nem a criatividade para enfrentar um problema comercial até encontrarem a solução para ele. Assim, se você esta disposto a dizer sim em vez de não, em crer que tudo é possível e nada é impossível, vai se surpreender com as fortunas e as aventuras que estão esperando para recompensar uma atitude positiva.


Ceia de Natal, amigo-secreto, réveillon. É cooperando com os amigos e com a família que a gente faz do fim do ano uma época tão especial. E vai ser assim, juntos, que vamos fazer de 2014 um ano inesquecível para todos nós.

Feliz Natal e um Ano-Novo com alegrias do tamanho do Brasil.

SAC Sicredi - 0800 724 7220 / Deficientes Auditivos ou de Fala - 0800 724 0525. Ouvidoria Sicredi - 0800 646 2519.


Revista Ajorpeme (ed. 54)  

Revista da Micro e Pequena Empresa de Joinville e Região.

Advertisement