Page 112

Devemos Promover a Paz, a Fraternidade e a Dignidade Humana Não como um Favor Feito a Outra Religião, mas Sim como um Tributo à nossa

Corresponde ao mandamento para tratar um estranho que habita com o povo judeu com amor e com todos os direitos iguais aos direitos do cidadão judeu, sendo a razão para isso: “porque vocês foram estrangeiros na terra do Egito.” A declaração mais precisa sobre a atitude judaica foi proclamada pelo profeta Miqueias: “Todas as nações podem andar em nome dos seus deuses; nós andaremos em nome do Senhor, nosso Deus, para sempre.” Não se trata apenas de uma questão de tolerância. Tolera-se algo que é inferior. A tolerância exprime arrogância. Em vez disso, o Judaísmo respeita as outras religiões. Na Teologia Judaica, o Senhor parece manter um caráter duplo: É o Deus de Israel e, no entanto, é, ao mesmo tempo, o Deus do Universo. Consequentemente, existem dois conjuntos de regras – um para os Judeus; o outro – para o resto do mundo. Ambos foram dados por um mesmo Deus. O Rabi Joseph Albo, um importante filósofo religioso da Idade Média, admitiu mesmo a existência de “duas Toras (Tora significa os ensinos centrais do Judaísmo) ao mesmo tempo, para Nações diferentes”. Há uma coisa que o Judaísmo exige às outras religiões – que respeitem os Sete Mandamentos dados a Noé. Estes mandamentos foram dados por Deus na Aliança do Arco-Íris depois do Dilúvio. A aliança foi feita “entre Deus e cada criatura viva de toda a carne existente sobre a terra”, enfatizando a promessa de Deus de que: “Nem toda a carne será mais cortada pelas águas de uma inundação; nem haverá mais uma inundação para destruir a terra.” Os Sete Mandamentos dados a Noé são princípios de caráter moral básico, descritos por alguns filósofos como regras de lei natural. Um Gentio que guarde os Sete Mandamentos dados a Noé é visto como um Justo entre as Nações, e tem a sua parte no Mundo Vindouro. O Rabi Shlomo Goern, primeiro capelão do exército israelita, refere-se ao mandamento bíblico “amarás o teu próximo como a ti mesmo” e conclui: “O princípio refere-se à fraternidade universal, e a fraternidade não se aplica apenas entre o povo judeu, mas ao amor pela Humanidade em geral, ‘pois o homem foi feito à imagem de Deus’.” A este respeito, vale a pena mencionar um comentário judaico tradicional sobre o motivo por que Deus criou um único homem, ao contrário de uma comunidade de pessoas: “Portanto, cada um deve dizer: ‘o mundo foi criado só para mim’.” Esta ideia é aplicada na prática, no aviso administrado pelos tribunais religiosos judaicos a testemunhas em casos criminais. O Tribunal deve advertir as testemunhas a não apresentarem evidências especulativas nem baseadas no ouvi dizer: O Homem foi criado sozinho para

111

Profile for AIDLR AIDLR

Consciência & Liberdade 30 (2018)  

Consciência & Liberdade 30 (2018)  

Profile for aidlr
Advertisement