__MAIN_TEXT__

Page 1

CINCO

Jornal Escolar

ESTRELAS

CINCO ESTRELAS

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AMARELEJA SÉRIE III │ EDIÇÃO II

DEZE MBRO 2016 │0,50 ESTRELAS

G.A.A.F. Informamos que se encontra em funcionamento o Gabinete de Apoio ao Aluno e à Família no nosso agrupamento. O GAAF está disponível para acolher, aconselhar, esclarecer e encaminhar todos os membros da comunidade educativa relativamente a questões relacionadas com a educação, saúde e bem-estar, pessoal e familiar, dos nossos alunos. Contacte, telefonicamente, 285 980 100 ou através dos serviços administrativos, deixando o seu nome e número de telefone para que possa ser agendado um atendimento. Pág. 15

Pág. 5

Biblioteca Escolar Atividades e projetos Aprendemos todos na nossa biblioteca escolar! Pág. 22

Acompanha e forma os nossos alunos, promovendo estilos de vida saudáveis. Pág. 27

CLUBE DE TEATRO

CLUBE DE POESIA A poesia desperta a imaginação e a criatividade. Vem descobrir a magia do admirável mundo poético!

Uma atividade extracurricular com múltiplos benefícios: potencia a capacidade de superação, estimula o autoconhecimento, alarga a cultura geral, melhora o desempenho escolar e desenvolve a coordenação motora.

Pág. 25

Campanhas de recolha em curso

Págs. 24 e 25 Pág. 31

Pág. 26

CLUBE DE PROTEÇÃO CIVIL Sempre a promover uma cidadania ativa!

Pág. 32


CINCO

ESTRELAS

CINCO ESTRELAS Nº 2│dezembro 2016 Propriedade Agrupamento de Escolas de Amareleja Largo das Flores - 7885 Amareleja 285 980 100

Coordenação Manuela Patrícia Vieira manuelavieira@agvamareleja.drealentejo.pt

Colaboradores Francisco Pereira, Pedro Moreira, Isabel Rosado, Alice Rocha, Rita Mestre, Ana Ferreira, Helena Azul, Lígia Cardeno, Susana Valente, Inês Perloiro, Carlos Fialho, Martim Silva, Margarida Agulhas, Daniel Agulhas, Fátima Caro, Vera Oliveira, Célia Ramos, Anabela Ramos, Gabriela Gala, José Piteira, Martim Pereira, Raquel Patrício, Diana Costa, Eva Rodrigues, David Prata, Mariana Lobo, Miguel Ramos, Issabella Alvarez, João Quela, Lara Ramos, Soraia Fontes, alunos dos 3º e 4º anos da Escola Básica de Póvoa de S. Miguel, Mariana Ferreira, Tomás Lopes, alunos do 7º A, Tiago Gaspar, João Almeida, Delfina Veladas, Fátima Baltazar, Lília Fernandes, Elisabete Vogado, Mário Almeida, José Ferreira e Carla Reis.

Paginação e revisão Manuela Patrícia Vieira

Periodicidade Trimestral

SUMÁRIO Editorial

3

Día de la Hispanidad

4

Erasmus+

5

Programa Erasmus+: Roma foi o destino!

6

Dia Mundial da Alimentação

7

Halloween 2016

9

Intercâmbio transfronteiriço

11

S. Martinho

12

Dia Nacional do Pijama

13

Exposições temáticas temporárias

14

GAAF

15

Jovens escritores

16

Na Biblioteca Escolar...

22

Clube de Poesia

25

Clube de Teatro

26

Desporto Escolar

27

Eco-Escolas

31

Clube de Proteção Civil

32

Os muflões do Baldio dos Marvões

33

Vamos embelezar a nossa escola!

34

Christmas picture test

35

Symboles de Noël

36

Navidad

37

Passatempos

38

Ler é o melhor remédio

40

Impressão Reprografia do Agrupamento de Escolas de Amareleja

2


CINCO

ESTRELAS

EDITORIAL Como todos sabemos, o nosso agrupamento de escolas celebrou com o Ministério da Educação, em 2013, um Contrato de Autonomia “com a duração de um ano, renovável, por declaração expressa de ambas as partes, por iguais períodos de tempo, até ao limite de duas renovações, sem prejuízo de celebração de futuros novos contratos”, o que de facto veio a acontecer visto o mesmo ter sido prorrogado por mais um ano escolar. O Contrato de Autonomia integra com carácter de obrigatoriedade a produção de um relatório anual de progresso, o qual incorpora o cumprimento dos objetivos operacionais; a avaliação do Plano de Ação Estratégico; a avaliação dos demais compromissos assumidos e a evolução dos resultados escolares e do abandono escolar. O relatório produzido conjuga o apuramento de dados e respetiva estatística, para os vários elementos de referência, considerando os resultados do processo interno de autoavaliação desenvolvido no ano letivo 2015-2016. Ao longo do ano foram produzidos documentos/ relatórios circunstanciados sobre os resultados escolares; a participação dos encarregados de educação na vida da escola; o cumprimento de regras e disciplina; a eficácia dos planos de acompanhamento pedagógico individual; a participação em clubes e projetos; as formas de solidariedade; o impacto da escolaridade no percurso dos alunos; o acompanhamento e monitorização dos projetos e prestação do serviço educativo; a liderança e gestão. A metodologia de trabalho adotada privilegiou a sistematização da análise documental dos vários domínios/objetivos operacionais, na linha da avaliação do Plano de Ação Estratégico, conjuntamente com a realização de inquéritos por questionário à comunidade educativa.

Acreditamos no poder mobilizador das ideias e assumimos que o essencial para o progresso da educação e do ensino de qualidade é uma ambição coletiva, devidamente cimentada no amplo estudo e debate de ideias, na Francisco Pereira concertação de opiniDiretor do Agrupamento de Escolas de Amareleja ões e na negociação de soluções. Só assim é possível definir uma missão para a escola, estabelecer um compromisso acerca das linhas orientadoras da ação educativa, compromisso entre a política educativa nacional e os interesses locais, compromisso entre a realidade humana, material e financeira e a utopia existente no nosso imaginário. O Agrupamento de Escolas de Amareleja preocupa-se em cultivar em todos os seus colaboradores um espírito de equipa, um sentido de pertença, um sentimento de orgulho coletivo em pertencer ao mesmo. É neste âmbito e com este desiderato que o nosso Contrato de Autonomia contribui para a concretização da nossa Missão a qual visa promover a aquisição de aprendizagens significativas e de qualidade que contribuam para a formação e desenvolvimento integral e pleno das crianças e alunos, habilitando-os para uma integração harmoniosa e responsável na sociedade global. Nesta medida, todas as crianças e alunos receberão as oportunidades de que necessitam para construir conhecimento, competências e atitudes que lhes permitam ser bem sucedidos e membros ativos e intervenientes na comunidade envolvente. 3


CINCO

ESTRELAS

DÍA DE LA HISPANIDAD Por Pedro Moreira

Celebra-se, no dia 12 de outubro, o feriado nacional de Espanha, o Día de la Hispanidad. Este dia também é conhecido, em alguns países, como o Dia de Colombo, pois a 12 de outubro de 1492 Cristóvão Colombo chegou ao Novo Mundo. Este dia é também celebrado por toda a América Central e do Sul onde se fala Espanhol. Colombo, há pouco mais de quinhentos anos, não tencionava descobrir o continente americano, mas sim uma rota para chegar ao oriente, mais concretamente ao Japão, pois naquela época já se desconfiava que a Terra fosse esférica e não plana, como a crença popular sugeriu durante milénios. No entanto, como ninguém ainda tinha trilhado aquele caminho, ninguém sabia que havia um continente por descobrir entre a Europa e a Ásia. Assim, por acidente, como tantas outras descobertas da Humanidade, descobriu-se o Novo Mundo. Para celebrar este dia, no âmbito da disciplina de Espanhol, os alunos da nossa escola foram convidados a elaborar pequenos trabalhos sobre diversos aspetos da história e cultura do mundo hispânico. A decoração do espaço, com diversos motivos culturais espanhóis, ficou a cargo das turmas PIEF, no âmbito das disciplinas de Formação Vocacional e Educação Artística.

4


CINCO

ESTRELAS

Por Isabel Rosado e Alice Rocha

No âmbito do projeto Erasmus+ "The School we like to learn in", decorreu de 17 a 21 de outubro mais um encontro de alunos e professores das seis escolas envolvidas no projeto (escolas de Espanha, Letónia, Áustria, Croácia, Itália e Portugal). O encontro realizou-se em Roma, na Escola Piero de Calamandrei, e contou com a participação de duas professoras e de duas alunas do nosso agrupamento que, mais uma vez, representaram a nossa escola de forma excecional pelo que estão de parabéns tal como as suas encarregadas de educação. Seguindo os princípios orientadores dos projetos Erasmus, o encontro de Roma integrou três vertentes: sessões de trabalho na escola; visitas culturais à cidade de Roma e jogos de comunicação entre todos os participantes, privilegiando a cooperação, o diálogo e a aproximação entre todos. Logo na primeira manhã, segunda-feira, cada escola participante apresentou, em suporte digital, um pouco do seu país e da sua escola. De seguida, através de grupos que incluíam alunos e professores de todos os países, fez-se um peddypaper na escola com o objetivo de ficarmos a conhecê-la. À tarde, realizou-se uma visita cultural à Roma barroca e pudemos admirar in loco quadros de Caravaggio bem como apreciar a beleza da arquitetura, escultura e pintura barrocas em várias das igrejas incluídas no percurso. Na terça-feira de manhã, os professores tiveram uma sessão de formação sobre o desporto adaptado na escola porque duas das áreas fortes da escola são o desporto e o desporto adaptado. Simultaneamente, os alunos, em grupos de trabalho, elaboraram cartazes com as palavras básicas de cada língua dos países envolvidos. De seguida, fomos visitar um clube despor-

tivo onde os alunos tiveram optativamente aulas de ténis ou de natação. À tarde, professores e alunos optaram por uma das seguintes atividades: passeio de bicicleta à descoberta das fontes romanas ou passeio panorâmico em autocarro turístico. Na quarta-feira de manhã, os professores tiveram uma sessão de trabalho sobre os cuidados a ter com os alunos com necessidades educativas especiais. Simultaneamente, os alunos participaram em jogos de desportos integrados. À tarde, fomos visitar a Catedral de S. Pedro, mas por limitações de tempo e de filas de espera enormes limitámo-nos a observar o seu exterior. Na manhã de quinta-feira, tivemos uma aula de História no Museu Massimo sobre mosaicos romanos. Lindos! Os alunos participaram ainda num workshop e aprenderam a fazer mosaicos. À tarde, fomos visitar o Coliseu de Roma e o fórum imperial. Impressionante a sua grandeza, inebriante a sensação de estarmos tão perto de um passado tão distante... Na sexta-feira, alunos e professores [todos] participaram num workshop sobre o Teatro Fórum, que é também uma das metodologias usadas na escola de Calamandrei. Os alunos adoraram! À tarde, tempo livre para pequenas compras na grande Via del Corso de Roma. À noite, na escola, foi o jantar de despedida com muitas lágrimas pelo meio. Ficámos alojados no Parque de Campismo Flamínio Village, em bungalows, e utilizámos o comboio para ir para a escola e o autocarro ou o metro para irmos para o centro de Roma. Atividades como estas são fundamentais porque permitem o conhecimento de outras realidades o que contribui para o crescimento pessoal dos alunos e para o desenvolvimento da alteridade, da tolerância e do respeito pelo outro. Arrivederci, Roma e see you in Spain... 5


CINCO

ESTRELAS

PROGRAMA ERASMUS+

ROMA FOI O DESTINO! Por Rita Mestre, 8º C

Por Ana Ferreira, 9º C

Graças ao programa Erasmus+, este ano letivo, eu tive o prazer de ir a Roma, de visitar sítios que nunca esperei ver, de alargar os meus horizontes, de saber mais sobre nós, seres humanos, do nosso passado e não só. Quando participei neste projeto, nunca pensei ir a Roma e quando mo disseram, não acreditei! Participei, pois queria fazer novas amizades, conhecer novas pessoas, novas culturas e ter a experiência de falar noutra língua. Em Roma, visitámos muitos monumentos, como o Coliseu, a Fontana di Trevi, Roma antiga, a Piazza del Popolo, as várias igrejas, cada uma com a sua história e arte, etc. Fizemos também várias atividades e a que mais gostei foi do Teatro Fórum, pois é uma maneira diferente de aprendermos, de darmos a nossa opinião, de discutirmos sobre vários assuntos. Neste projeto, há várias pessoas de vários países, todos falam diferentes línguas e uns falam melhor inglês do que outros. Eu falo por mim, pois não falo muito bem inglês, mas consegui desenrascar-me e fazer muitos amigos! Neste projeto, todos nos ajudamos, ninguém exclui ninguém, somos como uma família. Eu adorei esta experiência, espero repeti-la e espero que mais pessoas tenham esta oportunidade, que tanto vale a pena.

Participar no programa Erasmus+ foi espetacular. Tive oportunidade de conhecer pessoas de vários países, culturas e línguas. Irei sempre recordar esta viagem inesquecível a Roma que me fez crescer interiormente. Foi a primeira vez que viajei para outro país e que andei de avião. Adorei visitar o Coliseu de Roma, a Fontana di Trevi e as diversas basílicas, mas, acima de tudo, adorei ter conhecido pessoas de vários países. Se um dia tivesse oportunidade, voltaria a Roma, pois é uma cidade maravilhosa, cheia de cultura e história. Nunca me irei esquecer desta viagem magnífica.

6


CINCO

ESTRELAS

DIA MUNDIAL DA ALIMENTAÇÃO No dia 16 de outubro, comemora-se a Alimentação Saudável em todo o mundo. Numa altura em que obesidade infantil atinge valores preocupantes e se ouve cada vez mais “Não Gosto!!!”, é importante sensibilizar as crianças para a importância de ter uma alimentação completa, equilibrada e variada. O primeiro ciclo deste agrupamento de escolas desenvolveu várias atividades no âmbito deste tema: os alunos do 4º ano apresentaram o livro A menina que não gostava de fruta aos alunos do 1º A e, de seguida, exploraram, em conjunto, uma apresentação sobre a Roda dos Alimentos e fizeram um jogo de perguntas. No final, deliciaram-se com uma espetada de fruta. A turma do 3º A fez uma salada de fruta enorme e, após ter jogado o jogo de tabuleiro “A Alimentação”, todos comeram a sua salada. Os alunos do 2º ano também ouviram a história A menina que não gostava de fruta e fizeram trabalhos de expressão plástica sobre a temática. As Atividades de Enriquecimento Curricular também comemoraram este dia com as diferentes turmas: moldaram-se frutos com pasta de moldar, fizeram-se composições com fruta… Gostar de fruta é gostar de comer saudável! 7

Por Helena Azul


CINCO

ESTRELAS

DIA MUNDIAL DA ALIMENTAÇÃO Póvoa de S. Miguel

Por Lígia Cardeno

Os alunos do ensino pré-escolar e do 1º ciclo de Póvoa de São Miguel também assinalaram o Dia Mundial da Alimentação com atividades muito interessantes, relacionadas com a nutrição e a alimentação. Começaram por confecionar uma deliciosa salada de fruta que comeram e adoraram. Depois, em articulação com a professora Ana Branco, que leciona a disciplina de Inglês nas Atividades de Enriquecimento Curricular, nas turmas dos 3º e 4º anos, todos os alunos do 1º ciclo ouviram uma história em inglês, A Lagarta Comilona, de Sheridan Cain e ilustração de Jack Tickle. Foi com muita atenção que escutaram a história da lagarta que adorava poder voar, que invejava as asas do zangão e que desejava poder planar como o pardal, mas a única coisa que ela sabia fazer era mastigar as folhas da amoreira... Por fim, os alunos fizeram uma árvore e uma lagarta que ficaram expostas no “refeitório” da escola. Divertiram-se bastante, gostaram de trabalhar em conjunto e tiveram um primeiro contato com a língua inglesa, os mais novos. O dia 16 de outubro foi um dia muito diferente em que os alunos evitaram as guloseimas em prol de uma alimentação saudável. 8


CINCO

ESTRELAS

Por Susana Valente

No dia 31 de outubro, o departamento de línguas dinamizou mais uma das atividades do seu plano anual de atividades – a comemoração do Halloween. A comemoração do Halloween visa desenvolver nos alunos a “culture awareness”. Pretende-se, pois, promover a descoberta e a consciencialização de padrões culturais dos países de cultura alvo – Reino Unido e Estados Unidos da América – nos seus diferentes modos de pensar, sentir, agir e criar, pelo que as atividades desenvolvidas tiveram como principais objetivos: a compreensão das diferenças culturais entre os países anglófonos e Portugal e a promoção de respeito por diferentes culturas e por determinados valores que são universais. Para o efeito, a escola foi decorada a rigor para a ocasião com elementos alusivos à data. Nos trabalhos de decoração, estiveram envolvidos diversas turmas e professores, tendo-se gerado um bom clima de trabalho que permitiu reforçar os laços de solidariedade entre os vários intervenientes: docentes, não docentes, discentes e restante comunidade educativa. Os docentes do pré-escolar e do primeiro ciclo foram responsáveis pela decoração das suas salas e dos espaços de circulação. Relativamente à decoração dos restantes espaços comuns da escola, a mesma esteve a cargo dos alunos do segundo ciclo sob supervisão da professora Lília Fernandes e das turmas PIEF que, sob supervisão da professora Fernanda Almeida e apoio da professora Anabela Ramos, deram um contributo significativo para a decoração dos espaços. No final da tarde, realizou-se um desfile de máscaras, no qual participaram os alunos dos primeiro e segundo ciclos que encheram a escola de cor e alegria. A Foto Amareleja registou as imagens do desfile para que se possa mais tarde recordar. De realçar o importante contributo das famílias que ficaram responsáveis pelas másca-

ras dos participantes e que durante o desfile nos honraram com a sua presença, valorizando o trabalho desenvolvido e reforçando a autoestima dos alunos. A escola e a comunidade em que se insere podem e devem formar um todo orgânico e trabalhar conjuntamente para materializar o projeto educativo da escola e da comunidade onde se enquadra. Para além das atividades já mencionadas, houve, também, um concurso de vassouras com materiais reciclados destinado a toda a comunidade escolar. Os trabalhos apresentados tinham muita qualidade estética e puderam ser apreciados por todos na exposição do átrio principal. O departamento de línguas faz um balanço satisfatório desta atividade e agradece a todos os que direta ou indiretamente deram o seu contributo para que se realizasse. Assim, esperamos com entusiasmo o Halloween do próximo ano.

ORIGENS… O Halloween e o dia de Todos os Santos têm a mesma origem. Para chegarmos à origem do Halloween e do Dia de Todos os Santos é preciso recuar ao tempo dos celtas. Este povo, que passou pelo território que é hoje Portugal, celebrava o fim do verão e o início do novo ano, o Samhain que se comemorava no fim de outubro e início de novembro era o réveillon dos celtas. Os celtas usavam um calendário lunar que dividia o ano em duas épocas, a quente e a fria. Tradicionalmente, o Samhain durava três dias, coincidindo, atualmente, com as celebrações católicas da Vigília de Todos os Santos (noite de 31 de outubro), Dia de Todos os Santos (1 de novembro) e Dia dos Fiéis Defuntos (2 de novembro). O termo "Hallowe'en" surgiu apenas no século XVII e é uma abreviatura escocesa de "Allhalloweven", literalmente "noite de todos os santos" ("eve of all saints"). 9


CINCO

ESTRELAS

Desde tempos imemoriais que o período está associado aos fantasmas, espíritos e à morte. Para os celtas, era uma altura em que o véu que separava o mundo visível do invisível — o mundo dos vivos e dos mortos — se tornava mais ténue. Acreditava-se que os mortos regressavam e que os deuses e outros seres do submundo passeavam por entre os vivos. Depois de tempos de fertilidade do verão, era altura de fazer regressar os animais dos pastos para passar o inverno ou para serem abatidos para consumo (curiosamente ainda hoje existe o costume de matar o porco no São Martinho), terminar as colheitas e armazenar os alimentos. Para manter a esperança em boas colheitas no ano que, agora, se iniciava, os celtas organizavam banquetes, acendiam fogueiras e realizavam uma série de rituais. Estas festividades pretendiam apaziguar os poderes do outro mundo – isto é, as forças do Além, onde estariam as almas dos mortos – e pedir a abundância nas colheitas futuras. Durante este período, os antepassados eram honrados através de oferendas, de comida e bebida, que eram colocadas no exterior das casas. Na Irlanda e na Escócia celta, era costume acenderem-se fogueiras no topo das colinas, os chamados “hallowe’en fires” (os “fogos de hallowe’en”). Estes fogos, em honra dos familiares já falecidos, serviam também para purificar as pessoas e a terra, de modo a afastar os demónios, que eram mais fortes nesta altura do ano. Na Escócia, serviam também para afastar e destruir as bruxas. Apesar de muitas das tradições celtas se terem perdido com a cristianização, os “hallowe’en fires” continuaram a arder no topo das colinas até cerca de finais do século XIX e são provavelmente a origem dos nossos magustos atuais. O primeiro fogo, que significava a luz, a esperança e a vida, era um fogo sagrado. Refira-se que durante o Samhain o fogo era extinto em todas as casas para que ficassem escuras, frias e pouco convidativas na tentativa que nenhuma entidade do mundo espiritual se alojasse nas habitações. O fogo novo que se acendia na

floresta sagrada era depois transportado para os todos os lares testemunho do novo ano que se iniciava e da esperança renovada na vida e na abundância futura. O Samhain era, também, uma altura para descansar e relaxar, e os jogos eram comuns. Na noite correspondente ao Halloween, e à semelhança do que acontece atualmente, eram feitos vários jogos, alegres e muito barulhentos. Alguns persistem até hoje, como é o caso do “apple bobbing” ou “bobbing for apples”, que consiste em tentar apanhar com a boca uma maçã que flutua dentro de um recipiente cheio de água. Os celtas acreditavam que a presença dos espíritos era propícia à adivinhação e muitos dos jogos tinham, por isso, um caráter divinatório. Eram especialmente usados para questões relacionadas com o amor ou o casamento. Num desses passatempos, os jogadores tinham de comer pequenos bolos chamados “barmbracks”, que tinham no seu interior um anel ou uma noz e que permitiam saber quem se iria casar e quem iria ficar solteiro. Atualmente, em alguns locais, o Halloween é conhecido pela “noite de partir a noz”, “noite da maçã” ou “noite da maçã e da vela”, nomes que provêm dos antigos jogos celtas. Era também uma altura em que se pregavam partidas e, em algumas localidades, eram usadas máscaras feitas de crânios e peles de animais. O Samhain era a celebração mais importante do antigo calendário celta e ainda hoje é lembrado por toda a Europa sob a forma de diferentes tradições e costumes que resistiram à passagem dos séculos e perduraram até aos nossos dias. No século VII, o Papa Bonifácio IV instituiu o feriado do Dia de Todos os Santos dedicado aos mártires e santos da Igreja numa tentativa de cristianizar as culturas pré-cristãs. O Samhain ganhou novas roupagens. O Dia dos Finados, dia 2 de novembro, ainda é o dia de celebrar a vida e a morte. Os finados são aqueles que estão no purgatório à espera de julgamento antes de chegarem ao céu. Esta celebração foi implementada pelos monges de Cluny, em França, no século IX. 10


CINCO

ESTRELAS

INTERCÂMBIO TRANSFRONTEIRIÇO Encontros escolares: “Educando em igualdade” Alunos da Escola Luis Chamizo de Zahínos e da Escola Santa Margarida de Valencia de Mombuey (Extremadura, Espanha) visitam a escola-sede e o polo de Safara. Por Inês Perloiro

No dia 3 de novembro, no âmbito do programa EUROACE (htt://.euro-ace.eu/pt), quarenta e quatro alunos, acompanhados por quatro professores da Escola Luis Chamizo de Zahínos, visitaram a escola-sede. E no dia 7 de novembro, dez crianças do pré-escolar, acompanhadas por duas educadoras, e quarenta alunos do 1ºciclo, acompanhados por quatro professores da Escola de Santa Margarida de Valencia de Mombuey, visitaram o polo de Safara. Esta atividade teve como objetivo principal promover o intercâmbio linguístico e cultural entre alunos e professores. Foram apresentadas atividades de expressão musical, visualizou-se um filme sobre as “10 razões para visitar Portugal”, realizaram-se jogos, fez-se um passeio pela localidade de Safara, visitou-se o Centro de Dia, a Igreja de Safara e o espaço envolvente. Todos reconhecem que é muito bom viver esta experiência de intercâmbio saudável e fraterno entre dois países que pertencem à Península Ibérica e que tanto contribuíram para o alargamento do conhecimento do mundo!

11


CINCO

ESTRELAS

S. MARTINHO PROVÉRBIOS DE S. MARTINHO ILUSTRAÇÃO DOS ALUNOS DO 3º A ESCOLA BÁSICA DE AMARELEJA

Por Carlos Fialho, 3º A

Segundo reza a lenda, num dia frio e tempestuoso de outono, um soldado romano, de nome Martinho, percorria o seu caminho montado a cavalo, quando deparou com um mendigo cheio de fome e frio. O soldado, conhecido pela sua generosidade, tirou a capa que envergava e com a espada cortou-a ao meio, cobrindo o mendigo com uma das partes. Mais adiante, encontrou outro pobre homem cheio de frio e ofereceu-lhe a outra metade. Sem capa, Martinho continuou a sua viagem ao frio e ao vento quando, de repente e como por milagre, o céu se abriu, afastando a tempestade. Os raios de sol começaram a aquecer a terra e o bom tempo prolongou-se por cerca de três dias. Desde essa altura, todos os anos, por volta do dia 11 de novembro, surgem esses dias de calor, conhecidos pelo "verão de S. Martinho". (Texto adaptado) www.infopedia.pt

Por Martim Silva, 3º A

Por Margarida Agulhas, 3º A

12

Por Daniel Agulhas, 3º A


CINCO

ESTRELAS

O que é o Dia Nacional do Pijama? O Dia Nacional do Pijama é um dia educativo e solidário feito por crianças que ajudam outras crianças. Neste dia, as crianças até aos 10 anos (creche, jardim de infância e 1º ciclo ), nas instituições e escolas participantes, de todo o país (continente e ilhas) ou de países onde há portugueses, vêm vestidas de pijama para a escola e passam, assim, o dia em atividades educativas e divertidas até regressarem a casa. O Dia Nacional do Pijama realiza-se a 20 de novembro de cada ano. Nas semanas anteriores, as educadoras e professoras

No dia 21 de novembro de 2016, as crianças da educação pré-escolar do nosso agrupamento festejaram o Dia Nacional do Pijama. Apesar da sua tenra idade, o sentido de solidariedade que demonstraram foi notável. Quinze dias antes do Dia Nacional do Pijama, cada uma recebeu uma Casa dos Pijamas que levou para casa e que funcionou como mealheiro de papel, colocando lá dentro as moedas dadas por familiares, vizinhos e amigos. No Dia Nacional do Pijama, todos trouxeram a sua casinha com os donativos que arranjaram e vieram de pijama para a escola. O valor angariado será depositado numa conta da Associação Mundos de Vida. Esta iniciativa teve um valor educativo muito especial na medida em que promoveu o valor da solidariedade, da partilha e da amizade. Para a concretização desta atividade foi fundamental a colaboração e o empenho das famílias.

organizam, na sala, com as crianças e com as famílias, um conjunto de atividades lúdicas e educativas inspiradas pela Missão Pijama. A data coincide com o Dia da Convenção Internacional dos Direitos da Criança. Este é um dia em que as crianças pequenas lembram, anualmente, a todos que "uma criança tem direito a crescer numa família". O Dia Nacional do Pijama é uma iniciativa e marca registada da Mundos de Vida. É também uma iniciativa que faz parte da Missão Pijama. www.mundosdevida.pt 13


CINCO

ESTRELAS

EXPOSIÇÕES Por Vera Oliveira e Célia Ramos

TEMÁTICAS TEMPORÁRIAS Por Célia Ramos

Todos os invernos, os grous (Grus grus) partem do Norte e Leste europeu para o Sul de Portugal. São animais de hábitos e, por isso, escolhem quase sempre os mesmos locais de dormida e alimentação, nomeadamente no concelho de Moura. Por se tratar de uma ave que “cria empatia” e que é relativamente fácil de ver – por causa da dimensão, dos sons e da plumagem – e porque o nosso agrupamento tem uma grande preocupação pelo ambiente, a docente de Educação Visual e os alunos do 7º ano decidiram representar a chegada dessas aves através de uma exposição. Assim, no âmbito do conteúdo “Linguagem Visual: a Linha”, cada aluno trabalhou uma pena da referida ave de maneira a formar um conjunto coerente que representasse um grou. Os alunos estão de parabéns, pois o resultado final ficou espetacular!

A interdisciplinaridade está cada vez mais presente na prática dos professores e é uma forma de desenvolver um trabalho que permita integrar conteúdos de várias áreas disciplinares. Neste sentido e tentando ultrapassar a ideia de fragmentação entre disciplinas, as professoras de Educação Visual e Geografia selecionaram conteúdos das duas áreas de ensino, articularam os mesmos e realizaram algumas atividades com as suas turmas, as quais resultaram num trabalho final elaborado pelos alunos. Deste trabalho conjunto resultou uma exposição temporária que esteve no átrio de entrada da escola, durante o mês de novembro. Os alunos do 7º ano, turmas C e D, começaram por realizar uma pesquisa de imagens na sala de informática, orientada pela professora de Geografia, referente ao conteúdo “Paisagens Naturais e Paisagens Humanizadas”. Posteriormente, na disciplina de Educação Visual trabalharam o conteúdo “Linguagem Visual: o Ponto” e realizaram trabalhos magníficos, a partir das paisagens anteriormente recolhidas. Neste sentido, é possível concluir que a interdisciplinaridade visa construir um conhecimento mais globalizante e permite que os alunos efetuem aprendizagens mais eficazes no que respeita à compreensão da realidade. Os alunos estão de parabéns pelo excelente trabalho realizado!

14


CINCO

ESTRELAS

G.A.A.F. Por Anabela Ramos

O Gabinete de Apoio ao Aluno e à Família (GAAF) convida todos os interessados: alunos, docentes, não docentes e pais/encarregados de educação a participar no Concurso de Presépios 2016. Os trabalhos deverão ser entregues até ao dia 9 de dezembro na secretaria da escola-sede do agrupamento e todos os participantes terão um

certificado de participação. Para os primeiros classificados, haverá prémios. A receita para participar neste concurso deverá contar com uma dose generosa de criatividade e materiais e dimensões ao critério do artista.

Com o objetivo de preservar o respeito pela tradição, de voltar às coisas únicas e familiares, os alunos do 1º ciclo e crianças do pré-escolar, pais/encarregados de educação estão convidados para um workshop de biscoitos tradicionais que decorrerá na nossa escola no dia 16 de dezembro, entre as 10h00 e as 12h00 e entre as 14h00 e as 16h00. Todos os pais/encarregados de educação interessados em participar deverão fazer a sua inscrição junto dos professores/ educadores das turmas.

Alunos do 1º ciclo e crian-

DESTINATÁRIOS

ças do pré-escolar, assim

Pré-escolar e 1º ciclo

14 de dezembro 10h00 - 12h00

EB1 de Santo Aleixo

como

Pré-escolar e 1º ciclo

14 de dezembro 14h00 - 16h00

EB1 de Safara

Pré escolar e 1º ciclo

15 de dezembro 10h00 - 12h00

EB1 de Póvoa S. Miguel

pais/encarregados

de educação estão convidados para uma sessão de cinema nas férias do Natal, com o seguinte calendário:

DIA

HORA

LOCAL

Pré-escolar

19 de dezembro 14h30 - 16h30 Biblioteca da escola-sede

1º ciclo

20 de dezembro 14h30 - 16h30 Biblioteca da escola-sede

A sessão de cinema será acompanhada de pipocas e sumo! 15


CINCO

ESTRELAS

Jovens escritores Por Gabriela Gala e José Piteira, 7º C

Amareleja, 29 de setembro de 2016 Querida donzela, Escrevo-te esta carta para declarar os meus sentimentos por ti e para me redimir dos meus erros passados. Como sabes, no nosso primeiro encontro, a minha atitude provocou uma barreira entre os nossos sentimentos. Agi sem pensar e desperdicei a maior oportunidade da minha vida. É por isso que venho, por este meio, pedir-te que me desculpes e me consigas dar uma segunda oportunidade para recomeçarmos do zero. O meu coração cada dia bate mais fortemente por ti. És a flor da noite que esperou pela luz da minha lua cheia, és o sol do meu dia, és a chama que arde dentro de mim. Espero que o nosso amor seja como uma flor, ajuda-me a cuidá-la, indo ao local onde tudo começou. Desejo sinceramente que a pétala que baila sobre o nosso amor não caia na chama do esquecimento. Com muito amor,

Armindo

O livro misterioso Por Martim Pereira, 5º A

No dia 10 de outubro de 2016, um aluno da turma A do 5º ano encontrou, na biblioteca da E.B.I. de Amareleja, um livro muito antigo que nunca ali tinha sido visto. O livro tinha sido escrito em 1785, tinha uma capa linda, mas estava todo rasgado, cheio de pó e lama. De quem seria o livro?

O diretor da escola chamou os mais variados especialistas e todos disseram que não conheciam o livro, mas que este valia uns milhares de euros. Então, o diretor decidiu que o livro devia ser vendido, pois a escola estava a precisar urgentemente de alguma verba. A partir daí, a escola melhorou muito, todas as salas foram equipadas com materiais modernos, ar condicionado e o Martim, o aluno que encontrou o livro, para além de ter recebido 20€, melhorou bastante os seus resultados escolares, tendo obtido cem por cento em todos os testes. 16


CINCO

ESTRELAS

SANTO ALEIXO DA RESTAURAÇÃO

Autorretrato

Por Raquel Patrício, 4º ano (Escola Básica de Safara)

Por Diana Costa, 6º A

Santo Aleixo da Restauração é uma terra muito bonita. O seu brasão tem um escudo preto, nas pontas tem dois ramos de milho e, nas pontas de cima, uns canhões dourados. Na praça encontra-se a igreja matriz e, ao centro da praça, está o Obelisco. Tem aproximadamente dez festas por ano. No princípio de maio, festeja-se a festa de Santo António. A festa é assim: as imagens dos santos saem da sua capela e, mais tarde, faz-se uma procissão por toda a aldeia e regressa à igreja. No dia seguinte, as pessoas, às oito da manhã, vão fazer um piquenique debaixo de uma grande árvore. Junto à ermida de Santo António estão tendas a vender brinquedos e outras a vender frangos assados. A minha festa preferida é a da Tomina. É uma festa muito bonita e é festejada quase durante duas semanas. Durante três noites, vão cantores atuar num palco que está montado perto da igreja. O que eu mais gosto, nesta festa, é da visita dos meus primos e de ver a decoração da imagem da Nossa Senhora das Necessidades com colares e anéis. Antigamente, costumava-se fazer as touradas na praça de touros que está no princípio da aldeia, mas, neste momento, faz-se dentro da aldeia. Tenho na minha casa um livro que explica toda a his-

Olá, eu sou a Diana Costa, ando no 6º ano, na turma A. Eu sou alta, uso óculos e tenho olhos e cabelo castanhos. Tenho 13 anos, sou tímida, brincalhona, gosto de estudar, gosto de andar na escola, gosto de brincar com os meus amigos e vivo na Amareleja. Este desenho que eu fiz do meu

tória de Santo Aleixo da Restauração. Gosto muito de

rosto significa muito para mim e ter

ler a informação sobre esta linda aldeia. Retirei do

um trabalho realizado por mim,

livro algumas frases que me chamaram a atenção:

mais uma vez, no jornal da escola é

“Em 1758, a aldeia tinha 737 habitantes.”, “Em

muito bom. Agradeço às professo-

2001, eram 842 os habitantes.”, “A maior parte dos

ras Lília e Lurdes por me terem

santo-aleixenses apelida-se Carrasco, Fialho, Caldei-

ajudado.

ra, Quitéria e Balancho.”. 17


CINCO

ESTRELAS

Os segredos da Lua

Por David Prata, 2º ano (Escola Básica de Póvoa de S. Miguel)

Por Eva Rodrigues e Martim Pereira, 5º A

Nós, jornalistas, nem queríamos acreditar que a Lua tinha tantos segredos, sendo ela apenas um astro, por isso, decidimos entrevistá-la. Quantas formas consegue assumir? Na realidade, não consigo assumir nenhuma forma. Eu apenas giro em torno da Terra e metade de mim fica escura.

Por Mariana Lobo, 3º A (Escola básica de Amareleja)

Tem luz própria? Antigamente, algumas pessoas pensavam que eu tinha luz própria, mas, um dia, uma pessoa descobriu o meu segredo, afinal, não tinha luz própria, o Sol é que me iluminava.

Martinho, um bondoso soldado romano, A cavalgar pela floresta. A Roma estava a chegar, quando uma Tempestade se aproximava. Infelizmente, encontrou um mendigo Na beira do caminho. Herói foi Martinho que deu metade da sua capa! O mendigo agradeceu e o sol apareceu.

Por que é que escolheu ser o satélite natural da Terra? Escolhi a Terra, porque este planeta maravilhoso era o único com vida. Além disso, é extremamente interessante explorar a vida terrestre.

Por Miguel Ramos, 3º A (Escola Básica de Amareleja)

Sente-se sozinha cá em cima? Não e sim, porque tenho os meus amigos da Terra, mas, por outro lado, não tenho ninguém como eu e aí sinto-me só e um pouco estranha.

Magusto a chegar Amigos para brincar Romã para comer Tempestade a surgir Inverno a chegar Noz para comer História de São Martinho para contar Ouriços a abrir

Quem a pisou pela primeira vez? Fui pisada pela primeira vez por Neil Armstrong. Quando me pisou, disse uma frase comovente “Um pequeno passo para o homem, mas um salto gigantesco para a humanidade.”

Por Issabella Alvarez, 3º A (Escola Básica de Amareleja)

Agradecemos-lhe por nos ter dado a conhecer um pouco mais de si.

Mendigo encontrou Amigo, o São Martinho. Raios de sol apareceram e a Tempestade acabou. Ilustre e nobre foi o seu feito! No dia de São Martinho, Há vinho e castanhas. O dia de outono fica quentinho. 18


CINCO

ESTRELAS

O Outono Pelos alunos dos 3º e 4º anos (Escola Básica de Póvoa de São Miguel)

Entrevista com Mercúrio

No outono as folhas mudam de cor. Elas ficam castanhas, laranjas, vermelhas e há algumas que caem e outras que não. Regressa o frio, a chuva e o vento. As blusas de manga comprida, calças e

Por João Quela, Lara Ramos e Soraia Fontes, 5ºA

casacos voltam para as gavetas e os ar-

Hoje, vamos entrevistar um dos planetas onde, até ao momento, se pensa não existir vida, o planeta Mercúrio.

mários. Comemoramos o Dia das Bruxas, o São Martinho e a festa da nossa terra que é a

Qual a origem do seu nome? Deram-me este nome em homenagem a um deus da mitologia romana chamado Mercúrio.

Póvoa de São Miguel. Saboreamos nesta altura romãs, dióspiros, maçãs, nozes, uvas, azeitonas e cas-

Por que é que é um planeta tão quente? Sou um planeta muito quente, porque ocupo a primeira posição a partir do Sol.

tanhas. A escola também começa nesta estação do ano e já sentíamos saudades.

Quem foi a primeira pessoa a observá-lo ? Ah, isso já foi há muito, muito tempo. Em 1610, o astrónomo italiano Galileu Galilei, com uma maquineta chamada telescópio, decidiu observarme para saber um pouco mais de mim.

Com as folhas de outono podemos fazer lindos trabalhos como os que fizemos, ontem à tarde, com aquelas que apanhámos.

Já existiu vida no seu planeta? Não, pois sou um dos planetas mais quentes, mais pequenos e onde não há oxigénio. Qual o seu maior desejo? Nunca me tinham feito essa pergunta, mas agora que me questionam, devo dizer que gostaria de ser um planeta como a Terra. Um planeta com vida, pois não me sentiria tão só e poderia ter uma vida muito mais saudável. Agradecemos-lhe por nos ter dado a oportunidade de sermos as primeiras pessoas a falar consigo.

19


CINCO

ESTRELAS

Saudade

Isabel de Aragão Por Mariana Ferreira, 4º ano (Escola Básica de Póvoa de S. Miguel)

Por José Piteira , 7º C

Sentimento que navega na esperança E fica na alma de quem a sente Momento onde quase não há confiança Mas uma pessoa acredita, não estando ciente

D. Isabelinha Era gira e bonitinha Gostava de vestidinhos, Rosas e sapatinhos

Até que surge algo resplandecente Consequência da saudade Do coração brota uma felicidade ardente De onde escorre amor e felicidade

Casou com D. Dinis, o Lavrador Que era aterrador Ela levava pão aos pobres E quem não gostava era o rei e os nobres

Mas a saudade pode ser falta De um bem nunca antes tido Que salta, ressalta e sobressalta À espera de ser acolhido

Veio de Aragão Distante região Era muito boazinha E também muito fofinha

Por Tomás Lopes, 4º ano (Escola Básica de Póvoa de S. Miguel)

Um dia fechou os olhos Muitas rosas aos molhos Agora o povo canta E ela é santa

Eu gosto de ir à escola! Só gosto de brincar Com os meus amigos. Ouço o som dos passarinhos. Ler é bom, Adoro a escola!

D. Afonso Henriques Por Mariana Ferreira, 4º ano (Escola Básica de Póvoa de S. Miguel)

Pelos alunos do 7º A

Nasceu um menino especial, Alegria houve nesse dia, Também foi noite de trégua e Amor, noite com Luz e euforia!

Do Condado Portucalense Veio um cavaleiro valente Conquistou Portugal até ao meio E não era nada feio Venceu os mouros Com os seus “touros” Ele foi o maior E também o melhor

Por Tiago Gaspar, 7º A

Natal, a melhor época do Ano. Há Ternura, Amor e carinho e muita Luminosidade. 20


CINCO

ESTRELAS

Por João Fialho de Almeida (Ex-aluno do nosso agrupamento, atualmente no 12º ano na Escola Secundária de Moura)

Consumatum est Rima Mental

(Em heptassílabos de rima toante e consoante)

(Em heptassílabos brancos)

Que sinos são estes que ouço? Badaladas de um e de outro? As linhas ténues do tempo Movem-se, cheias de alento, Mas mais finas do que uma teia. Assim se desencadeia A Noite, imensa e escura, Que engole tudo, confusa, Na sua própria plenitude. E não há ninguém que escute… Beijando os dedos da Noite, Sem mais ninguém que o acoite, Surge ao Silêncio o corpo, Leve, vindo desde o Orco. E, co’a Noite, abraça a Terra. Os Ventos sopram a erva, Persistindo ainda os calores. Vejo ‘sferas superiores, Astros contidos no seio Da Noite e tenho receio, Terror sagrado de ver, De admirar o próprio Ser. Desconcertante a nudez, A nudez do nosso Mundo.

A memória seria doce, Não fosse às vezes amarga. A saudade é já luz, Se não descambar em treva. O cantar perdido é suave, Quando vemos o nosso áspero. As brasas do nosso fogo Estão acesas na cinza. Parto-me em mil estilhaços, Mas encontram-me sempre íntegro. Mil estilhaços opacos, Que caem, como transparentes, Nessa imensidão vazia, Que sempre encontrei tão cheia.

Bilitis ou O Canto do Cisne

(Em decassílabos heroicos) Inquietações sensuais me dizes tu. Amores em segredo, corpo nu, Nas emoções, a dor, as bacanais. Que dizes, Bilitis, que dizes mais? A confissão da tua profunda dor? A mágoa grande feita pelo amor? Se tu, que sendo doce como mel, Me deixas vislumbrar o teu papel No drama, então eu posso, Bilitis, Ouvir o canto plangente que quis, No plectro ingente, dar-me a conhecer O doce, o amargo, a terra, o mar, viver… Cantemos, Bilitis, cantemos, sim. Na mão a lira, prata com marfim.

Vinte e Oito de Abril, Aleppo (Em hexassílabos e decassílabos) Qual esperança, qual?! Se o fogo varre o céu, E lhe rasga a pureza do seu véu, Em Aleppo, e arrasa um hospital! E se as paredes tumbam Em tumbas fumegantes, Quando o raide que fez a capital, Com mísseis ofegantes, Também leva a que cubram Os seus rostos mesmo antes Desse estrondo final! 21


CINCO

ESTRELAS

Na Biblioteca Escolar... Por Delfina Veladas

DIA INTERNACIONAL DA BIODIVERSIDADE À semelhança de anos anteriores, realizou-se na nossa escola, no dia 27 de maio de 2016, uma palestra sobre a biodiversidade, com a presença do Dr. António Eloy. Esta atividade realizou-se na biblioteca escolar e foi direcionada para os alunos do 7º ano. Os alunos mostraram muito interesse pelo tema e adquiriram mais conhecimentos sobre os diferentes habitats do nosso planeta.

Dia do Alfarrabista Decorreu, durante a última semana de aulas do ano letivo transato, o Dia do Alfarrabista, na nossa escola. Esta atividade consistiu na venda de livros que foram doados à nossa biblioteca por diversas pessoas da comunidade escolar e por outras exteriores à escola. A biblioteca conseguiu juntar bastantes livros e foram quase todos vendidos. A venda efetuou-se a um preço simbólico, pois o seu principal objetivo consistia no contacto dos nossos alunos com os livros, permitindo a sua aquisição com um mínimo de custos. O dinheiro angariado reverteu a favor da biblioteca para a compra de novos livros. A equipa da biblioteca agradece a todos os que, com a sua generosidade, permitiram que esta atividade se realizasse.

Blogue da Biblioteca: bibliotecaconvida.blogspot.pt Visita-o e atualiza-te!

22


CINCO

ESTRELAS

REQUALIFICAÇÃO DA BIBLIOTECA A biblioteca escolar concorreu, no ano letivo de 2015/2016, a um projeto denominado “Projeto de Requalificação”, dinamizado pela Rede de Bibliotecas Escolares (RBE). O nosso agrupamento está inscrito na Rede Nacional dos Clubes Europeus, cujo tema aglutinador para o presente ano letivo é “Interculturalidade e mobilidade no espaço europeu” pelo que é de extrema importância dotar e apetrechar a nossa biblioteca de forma a permitir aos alunos o desenvolvimento de trabalhos ao nível do exigido. Também estamos, neste momento, a desenvolver um projeto Erasmus+ intitulado “A escola que nós queremos” de modo a podermos dar oportunidades aos nossos alunos de experienciarem culturas estrangeiras, aprenderem/ reforçarem os seus conhecimentos de outras línguas, nomeadamente a língua inglesa que lhes permite atingir um enriquecimento pessoal

e cultural durante um ciclo de estudos - 3º ciclo. Face ao exposto, pretendia-se que a nossa biblioteca, com este projeto, passasse a fazer parte integrante dos outros dois projetos, com os alunos das turmas dos 7º e 8º anos, tornando-se num espaço onde fosse possível a realização de sessões de trabalho conjuntas online e pesquisa de natureza variada nas diferentes áreas curriculares. Foi com grande satisfação que o nosso projeto foi vencedor, e assim, com a verba concedida pela RBE e com a ajuda da Câmara Municipal de Moura e do Agrupamento de Escolas de Amareleja, foi possível apetrechar a nossa biblioteca com mais fundo documental, estantes, mobiliário (mesas e cadeiras), 12 tablets e um computador portátil. Consideramos que é uma mais-valia para os nossos alunos a utilização das tecnologias no processo ensino/aprendizagem.

PROJETO: “PONTES NAS PONTAS DOS DEDOS” A biblioteca escolar concorreu, neste ano letivo, a um concurso de leitura denominado “Leituras que Unem”, dinamizado pelo Plano Nacional de Leitura. O nosso projeto, denominado “Pontes nas Pontas dos Dedos”, consiste na partilha de leituras e saberes entre os alunos e crianças das turmas envolvidas, a comunidade e os vários parceiros e visa desenvolver a leitura e promover a integração de outras culturas. Esta partilha irá realizar-se em diferentes espaços, nomeadamente sala de aula, bibliotecas escolares e municipal, centros sociais e outros locais a determinar, exteriores à escola.

Tem como objetivos: sensibilizar a comunidade escolar para a importância da leitura; promover atividades de leitura de diferentes tipos de texto em diferentes suportes e em contextos diversificados; proporcionar à comunidade aprendizagens e vivências significativas entre diferentes culturas e gerações. Foi com enorme satisfação que fomos um dos vencedores, tendo sido a nossa escola contemplada com alguma verba para a aquisição de fundo documental, ebooks e seis tablets, destinados ao desenvolvimento do projeto. A equipa da biblioteca está de parabéns!

23


CINCO

ESTRELAS

ATIVIDADES DE INÍCIO DO ANO LETIVO No início do ano letivo de 2016/2017, na primeira semana de aulas, a professora bibliotecária recebeu os alunos do 1º ciclo, na biblioteca da escola-sede, dando-lhes a conhecer os diversos espaços e as suas funcionalidades. Depois apresentou-lhes a história tradicional “Ali Babá e os 40 ladrões”. Após a leitura, e para a sua exploração, foi utilizado o jogo “Verdade ou Consequência”. Esta atividade também foi dinamizada nas Escolas Básicas de Póvoa de S. Miguel, Safara e Santo Aleixo da Restauração. Os alunos mostraram-se muito entusiasmados e gostaram de participar no jogo. O resultado foi muito satisfatório.

Dia Internacional das Bibliotecas Escolares BIBLIOPAPER No âmbito da comemoração do Dia Internacional das Bibliotecas Escolares, que se comemora a 24 de outubro, realizou-se, no final do mês de outubro e início de novembro, uma atividade no nosso agrupamento denominada Bibliopaper que consistiu na execução de diversas tarefas: exploração do espaço das bibliotecas, consulta de dicionários, procura de elementos paratextuais num livro, ordenação de frases, entre outras. Esta atividade realizou-se na escola-sede com os alunos dos 4º e 6º anos, e nas escolas de Safara, Póvoa de S. Miguel e Santo Aleixo da Restauração com os alunos de 3º e 4º anos. Todos os alunos participaram com bastante entusiasmo e receberam um certificado e um crachá. Foi bastante divertido! 24


CINCO

ESTRELAS

CLUBE de

Alentejo

Há quem seja estas casas de branco caiadas

Por Alice Rocha

Eu sou uma barra azul a imitar o céu Se gostas de escrever e de ver os teus poemas publicados no jornal da escola ou na imprensa regional ou se gostas de ouvir os teus poemas declamados por professores ou por outros alunos, inscreve-te no Clube de Poesia! Para além disso, o Clube de Poesia alargará os teus horizontes poéticos, dando-te a conhecer vários poemas de autores portugueses. Aparece na biblioteca à terça-feira, das 16h00 às 16h45, e entra no reino mágico da poesia... No início do ano letivo, aquando da entrega do Prémio de Mérito, atribuído pela Câmara Municipal de Moura ao melhor aluno de cada ano de escolaridade, as alunas Beatriz Vitorino, Carolina Grilo, Gabriela Gala e Maria Leonor Santana declamaram muito bem alguns poemas de António Gedeão, Eugénio de Andrade, Sebastião da Gama e Alexandre O'Neill. O Clube de Poesia agradece a sua preciosa colaboração!

Há quem seja estes campos verdes de trigo Eu sou o verde desafiando o vento Há quem seja este cheiro quente de verão Eu sou o sol abrasando os dias Há quem seja estas mãos calejadas de ceifar Eu sou o avental onde elas repousam Há quem seja esta gente respirando vida Eu sou esta terra respirando sol Alice Pereira Há quem tenha a alma da cor dos regatos. E não saiba. Por isso é urgente. O poeta. Porque só ele sabe ver quem tem a alma da cor dos regatos. E nem sequer é preciso ouvir no seu riso o coaxar das rãs. Alice Pereira

25


CINCO

ESTRELAS

Por Alice Rocha

O Clube de Teatro do nosso agrupamento conta neste momento com a participação de catorze alunos e já apresentou duas pequenas peças. A primeira foi sobre a implantação da República e contou com o bom desempenho das pequenas atrizes Lara Ramos, Maria Leonor Santana e Rita Marques, todas do 5º A. Esta peça intitulada "Da Monarquia à República" foi apresentada em sala de aula, no dia 4 de outubro, especialmente às crianças do pré-escolar e aos alunos do 1º ano. Contudo, também foi apresentada à turma A do 6º ano e às turmas do PIEF (Programa Integrado de Educação e Formação). A segunda peça, intitulada "Com a saúde não se brinca", foi apresentada no dia 7 de novembro às crianças do pré-escolar e aos alunos do 1º ano, a propósito da comemoração do Dia Mundial da Alimentação, cuja data se comemora no dia 16 de outubro. Esta peça contou com a participação das alunas Lia Tito, Maria Leonor Santana e Rita Marques do 5º A e das alunas Ana Cristina Modesto e Maria Clara Gonçalves do 8º A. O aluno Pedro Cachopo, do 7º A, foi o apresentador da peça, que incluiu uma pequena mensagem sobre a alimentação saudável: comer muita sopa de legumes, fruta, leguminosas como o grão e o feijão, beber muita água, praticar exercício físico regularmente, não abusar da carne e do peixe, consumir cereais escuros como o arroz e a massa integrais e o pão "escuro", integral ou de mistura. A evitar, os inimigos de sempre: o sal, o açúcar e as gorduras. Ah! E ter cuidado com os enlatados e com as comidas pré-preparadas. Vivam, pois, as sopas das avós, os cozidos de grão e de feijão e outras comidas tradicionais que bem boas são e tão bem fazem... Para novembro estava planificada uma peça sobre cidadania ambiental. Todavia, por um contratempo de saúde da docente responsável pelo

Clube de Teatro, a peça fica adiada para janeiro. Em dezembro, o Clube de Teatro irá apresentar duas peças. A primeira intitulada "Direitos Humanos: utopia ou realidade?", a propósito do Dia Internacional dos Direitos Humanos, que se comemora no dia 10 de dezembro, e a segunda sobre o tema do Natal que será apresentada na última semana de aulas do primeiro período. Ao longo do ano letivo, serão apresentadas mais peças sempre com o objetivo de comemorar factos históricos e culturais e de promover uma cidadania ativa no âmbito da proteção da natureza e do ambiente e da igualdade de género. As peças serão dirigidas a toda a comunidade escolar, desde as crianças do pré-escolar aos alunos do 9º ano, não esquecendo as turmas do PIEF. Algumas peças também serão apresentadas à comunidade local. O Clube de Teatro está aberto a novas inscrições... Se gostas de representar, inscreve-te! Os ensaios decorrem no refeitório, diariamente, entre as 10h30 e as 10h50.

26


CINCO

ESTRELAS

DESPORTO ESCOLAR Por Fátima Baltazar

Caminhada de Sensibilização No dia 22 de setembro, assinalou-se o Dia Mundial sem Carro, inserido na Semana Europeia da Mobilidade (de 16 a 22 de setembro). Nesse dia, o nosso agrupamento promoveu a realização de uma caminhada de sensibilização pela zona do baldio (parque das merendas), no sentido de motivar a comunidade escolar para a prática da atividade física, nomeadamente o pedestrianismo. Durante a caminhada, foi possível contemplar a natureza e estabelecer um convívio bastante positivo, o qual também serviu para alertar os participantes para a importância da mobilidade e da atividade física.

JOGO/TREINO DE FUTSAL Infantil B Masculino x Equipa Feminina No dia 27 de outubro, realizou-se, no pavilhão desportivo do nosso agrupamento, um jogo/treino entre a equipa de futsal infantil B masculino e a “equipa” de futsal feminino. Um grande bem-haja a todos os participantes que promoveram um excelente momento de convívio e desportivismo.

27


CINCO

ESTRELAS

CORTA-MATO ESCOLAR No passado dia 17 de novembro de 2016, decorreu o XVII Corta-Mato Escolar. O corta-mato escolar teve lugar entre as 09h15 e as 13h15 e contou com a participação de um total de cerca de 250 alunos dos 1º, 2º e 3º ciclos e ainda do ensino pré-escolar. Esta atividade realizou-se no Dia do Não Fumador de modo a sensibilizar as gerações mais novas e restante comunidade educativa para esta preocupação, sendo a atividade física uma alternativa saudável e com grandes benefícios em termos de saúde. As classificações finais dos três primeiros lugares foram as seguintes: Provas Femininas

Infantis A

Infantis B

Iniciados

Juvenis

1º Lugar

Soraia Fontes 5º A

Jéssica Cruz 7º C

Rita Mestre 8º C

Beatriz Vidigal 9º B

2º Lugar

Lara Ramos 5º A

Maria Morgado 6º B

Sofia Almeida 9º B

-

3º Lugar

Cristina Cruz 4º A

Gabriela Gala 7º C

Cecília Barradas 9º C

-

Provas Masculinas

Infantis A

Infantis B

Iniciados

Juvenis

Juniores

1º Lugar

Alcides Vitorino 5º A

Bernardo Perfeito 7º A

Tiago Vitorino 6º B

Hélio Guerreiro 9º A

Pedro Ferreira 9º A

2º Lugar

Tomás Rosado 5º A

Tiago Pato 6º B

José Morgado 9º A

Nuno Correia 9º C

3º Lugar

Rodrigo Santos 4º A

Luís Fialho 6º A

António Torres 9º A

Jacinto Abade 9º B

Os seis primeiros alunos de cada escalão/sexo estão apurados para representar a nossa escola no cortamato distrital do Desporto Escolar - CAE BAAL, no dia 20 de janeiro de 2017, em Vendas Novas. Todos os alunos, professores e assistentes operacionais envolvidos estão de parabéns! Todos são vencedores pela sua participação e empenho! Um especial agradecimento aos dois Bombeiros Voluntários de Moura, presentes nesta atividade (com uma ambulância), zelando pela segurança dos alunos participantes. 28


CINCO

ESTRELAS

FUTSAL INFANTIS MASCULINOS Realizou-se, no passado dia 2 de novembro, o primeiro jogo de futsal da equipa de infantis masculinos da nossa escola. Deslocámo-nos à vila de Alvito para defrontar a equipa que representa o agrupamento de escolas da referida vila. Durante os dois primeiros períodos, o jogo foi bastante equilibrado, mas nos 3º e 4º períodos estivemos mais concentrados e aproveitámos as oportunidades para finalizar, o resultado final foi de 11-3 a nosso favor. Os alunos que participaram no jogo foram: Marco Batardinho (GR); Pedro Azevedo; Luís Sanches; André Castelhano (6 golos); Bernardo Perfeito (1 golo); Henrique Nunes e João Baltazar (4 golos). O próximo jogo irá realizar-se em fevereiro, na nossa escola.

29


CINCO

ESTRELAS

I Encontro de Badminton - Série E No dia 30 de novembro, realizou-se o I Encontro de Badminton - Série E, na Escola Básica de Amareleja, no qual participaram 118 alunos das várias escolas envolvidas - Amareleja, Serpa, Pias e Mértola, pertencendo 52 alunos à nossa escola (18 alunos do grupo-equipa de infantil A misto e 34 do grupoequipa vários misto). O encontro decorreu de forma bastante satisfatória, sendo a participação e o empenho de todos os alunos envolvidos também bastante satisfatórios. Muitos alunos da nossa escola obtiveram excelentes resultados. No presente ano letivo, e com o fim do projeto do Desporto Escolar no 1º ciclo (projeto que funcionou na nossa escola durante 3 anos, com uma adesão fantástica, resultados de participação, empenho e desenvolvimento desportivo bastante positivos e inesquecíveis), houve necessidade de dar resposta aos alunos do 1º ciclo. Para que os alunos deste escalão etário pudessem continuar a usufruir de uma prática desportiva regular, foi criado um grupoequipa de infantil A misto de badminton (Amareleja A), por forma a dar também continuidade a uma modalidade de tradição na nossa escola. A maioria dos alunos participantes pertence às turmas de 3º e 4º anos da nossa escola-sede. A participação e o entusiasmo têm sido bastante positivos e a vontade de aprender e de superar as dificuldades é deveras entusiasmante e desafiadora para todos. O encontro foi um sucesso. O convívio e a partilha de conhecimentos entre escolas foi bastante agradável e gratificante. Estão todos de parabéns!

30


CINCO

ESTRELAS

“NA PRESERVAÇÃO DO AMBIENTE O QUE MAIS CONTA É MESMO A ATITUDE”

Por Lília Fernandes

O Agrupamento de Escolas de Amareleja participou, no ano letivo transato, na campanha Papel por Alimentos, entregando, no Banco Alimentar Contra a Fome, de Évora, a título gratuito e sem contrapartidas, 523 quilos de resíduos de papel/cartão para reciclagem que serão convertidos em produtos alimentares e entrarão na cadeia de distribuição solidária dos Bancos Alimentares. O Clube Eco-Escolas agradece a todos os que colaboraram de forma tão solidária nesta campanha e informa que a recolha destes resíduos continua em vigor. Por isso, quem quiser poderá entregá-los na escola-sede do agrupamento, ajudando a alimentar os mais carenciados. Seja um cidadão ativo e lembre-se que o seu papel é importante!

Como eco-escola que somos, todos os anos, desenvolvemos atividades que visam promover a preservação do ambiente. Por isso, à semelhança de anos anteriores, o agrupamento está inscrito em vários projetos cujas atividades promovem a recolha de resíduos variados e o seu posterior encaminhamento. Desta forma, apelamos a toda a comunidade escolar para que preste o seu contributo na preservação do ambiente com gestos tão simples como entregar na escola o que não lhe faz falta. Recolhemos: - equipamentos elétricos e eletrónicos; - pilhas e baterias; - papel; - tampas de plástico; - rolhas de cortiça; - roupas usadas; - calçado; - brinquedos. Ajude o ambiente! Seja um cidadão ecológico e ajude-nos a ajudar o planeta!

Graças ao contributo de toda a comunidade escolar, o nosso agrupamento conseguiu recolher 179 quilos de resíduos, colocados no contentor da empresa H. Sarah Trading destinado à recolha de roupa, calçado e brinquedos usados para posterior tratamento e reencaminhamento. Agradece-se a todos os que contribuíram e informa-se que a iniciativa continua em curso. Ao reciclar roupas, calçado e brinquedos, está a ajudar a reduzir a quantidade de recursos naturais necessários no processo de fabrico de novos produtos. Colabore! 31


CINCO

ESTRELAS

Clube de Proteção Civil Por Elisabete Vogado

No dia 13 de outubro, pelas 10h13, realizou-se no Agrupamento de Escolas de Amareleja mais um exercício público de cidadania no âmbito do risco sísmico – a terra treme. Assim sendo, nessa hora e durante um minuto, todas as pessoas, onde quer que se encontrassem, estavam convidadas a participar individualmente ou em grupo no exercício nacional, praticando os três gestos básicos de proteção em caso de sismo: Baixar – baixe-se sobre os joelhos, esta posição evita que possa cair durante o sismo, mas permite mover-se; Proteger – proteja a cabeça e o pescoço com os braços e as mãos e procure abrigar-se, coloque-se se possível sob uma mesa resistente e segure-se a ela firmemente; Aguardar – aguarde até a terra parar de tremer. Este exercício foi promovido pela Autoridade Nacional de Proteção Civil, em parceria com diversas entidades públicas e privadas, enquadrando-se nos objetivos da Estratégia Internacional para a Redução de Catástrofes das Nações Unidas e no trabalho continuado que se tem mantido junto do Ministério da Educação, no contexto da Educação para o Risco.

RECOLHA DE SANGUE No dia 3 de novembro, na escola-sede do agrupamento, decorreu mais uma sessão de recolha de sangue, promovida pelo Serviço de Imunoemoterapia do Hospital do Baixo Alentejo e organizada pela docente Elisabete Vogado.

32


CINCO

ESTRELAS

OS MUFLÕES DO

BALDIO DOS MARVÕES Por Mário Almeida

O Baldio dos Marvões é uma Zona de Caça Turística, situada no concelho de Moura e freguesia de Santo Aleixo da Restauração, que apresenta enormes potencialidades ao nível da biodiversidade, incluindo diversos núcleos de espécies cinegéticas.

A CAÇADA Em abril de 2010, dirigi-me para esta Zona de Caça com enorme prazer e expetativa, tanto mais que iria ter a companhia do meu filho João. Depois dos cumprimentos de cortesia e amizade, o guarda, Alexandrino dos Santos, decide que iríamos caçar em direção ao Castelo de Murtigão, afloramento geológico e escarpado (Castro da Idade do Ferro), local que poderia apresentar grandes probabilidades de encontrarmos os carneiros que procurávamos. Caminhando sempre com o máximo cuidado, encobertos com a vegetação e o relevo do terreno, avançamos até onde nos é possível ter uma boa panorâmica. Aí, pedimos ao João para ficar nesse local, sem se deslocar para nenhum lado, e decidimos fazer a aproximação final apenas os dois. O Alexandrino, serenamente, gesticula tentando informar-me que já observou os animais e que me aproxime do local onde ele se encontra, mas que o faça com o máximo cuidado e indica-me um grupo de cinco indivíduos machos, dois deles estão deitados, outros dois estão de pé, mas tranquilos e todos em posição adequada de tiro. O quinto elemento do grupo era o melhor, já nos tinha detetado e estava a olhar na nossa direção e suspeitamos ser o que

tínhamos avistado há algum tempo. O guarda pede-me para apoiar a arma no tripé que ele já tinha colocado à altura adequada e meio em surdina balbucia: - Dispara ao que está a olhar para nós! - Alexandrino, é longe e o local de impacto do tiro é muito reduzido! - Dispara, arrisca, que é o melhor e está alerta, não demora que fujam! Observo-os, agora pelo óculo, e confirmo as suas preocupações em pedir-me para disparar sem demoras. O velho macho de muflão está inquieto e olha na nossa direção em busca de nos detetar para correr desenfreadamente desfiladeiro abaixo. - Atira! O som da detonação vem alterar a calma daquele vale profundo e, em silêncio, num gesto mecânico, volto a municiar a arma, mas não é necessário porque ele apercebe-se que o lance tinha sido bem sucedido e, nesse momento, recebo as suas felicitações. A resistência destes carneiros é lendária! O João, embora afastado, involuntariamente, da parte final da aproximação, mostrou-se à altura da caçada! Pode voltar para a próxima! (Texto com supressões) 33


CINCO

ESTRELAS

Vamos embelezar a nossa escola! Se a escola é um local onde os alunos aprendem conteúdos necessários para que se preparem para a vida, ela também é um local onde os alunos aprendem a ser cidadãos mais conscientes. O que se pretende com a iniciativa “Vamos embelezar a nossa escola!”, dinamizada pela direção do agrupamento em colaboração com o conselho de diretores de turma, é sensibilizar toda comunidade educativa, nomeadamente os alunos, para a necessidade fundamental de valorizar, conservar, limpar e preservar o espaço escolar. A colaboração direta dos pais e encarregados de educação nesta ação de sensibilização assume uma importância muito grande na medida em que todos sabemos que é pelo exemplo dado pelos adultos que as crianças e os jovens mais aprendem. Assim sendo, os exemplos dados pelos pais são determinantes para os nossos alunos. Se os gestos e os exemplos têm mais força que

as palavras, participe e venha à escola-sede do agrupamento, no dia 11 de janeiro de 2017, para ensinar o seu educando, através do exemplo, a contribuir para que a escola se mantenha limpa e organizada. Gestos como:  não riscar as carteiras nem as paredes,  deixar as salas arrumadas e limpas,  não destruir os trabalhos expostos, realizados pelos colegas,  deitar o lixo no caixote,  separar o lixo que pode ser reciclado,  respeitar o meio ambiente, ... demonstram a atitude de respeito pelos outros e pelo ambiente escolar. Ajude-nos a sensibilizar o seu educando para a importância da limpeza do espaço escolar. É imprescindível que ele desenvolva um sentimento de pertença e de identidade em relação à escola e ao espaço público em geral. 34


CINCO

ESTRELAS

CHRISTMAS PICTURE TEST Write the missing letters.

We wish you a Merry Christmas

____ n ____el

S ____ nta Cl ____ us

We wish you a Merry Christmas We wish you a Merry Christmas We wish you a Merry Christmas And a Happy New Year Good tidings we bring To you and your king We wish you a Merry Christmas And a Happy New Year

B ____ ____ l

Be ____ ____

Now bring us some figgy pudding Now bring us some figgy pudding Now bring us some figgy pudding And a cup of good cheer We won't go until we get some We won't go until we get some We won't go until we get some So bring it right here

Chris ____ mas tr ____ e

G ____ f ____

So bring us some figgy pudding So bring us some figgy pudding So bring us some figgy pudding And bring it right here Good tidings we bring To you and your king We wish you a Merry Christmas And a Happy New Year

35

Santa Claus Bell Gift Stocking

S ____ oc ____ ing

Solutions: Angel Ball Christmas tree Star

S ____ a ____

Repeat Chorus Three Times


CINCO

ESTRELAS

SYMBOLES DE N0ËL Complète les mots avec les voyelles qui manquent. Ensuite, associe les mots aux images. A. C'est un arbre qu'on décore pour Noël.

S__P__ N

B. Il y en a pour les enfants au pied du sapin.

C__D__ __ __X

C. Gâteau roulé avec la forme d’un tronc d’arbre.

B__CH__

D. Un des plats typiques du jour de Noёl.

D__ND__

E. On les mange crues le soir de Noёl.

H__ __ TR__S

F. On la place tout en haut du sapin.

__ T __ __ L__

Mon beau sapin, roi des forêts Que j’aime ta verdure Quand par l’hiver, bois et guérets Sont dépouillés de leurs attraits Mon beau sapin, roi des forêts Tu gardes ta parure Toi que Noël planta chez nous Au saint anniversaire Joli sapin, comme ils sont doux Et tes bonbons et tes joujoux Toi que Noël planta chez nous Tout brillant de lumière Mon beau sapin, tes verts sommets Et leur fidèle ombrage De la foi qui ne ment jamais De la constance et de la paix Mon beau sapin, tes verts sommets M’offrent la douce image

1 - F; 2 - D; 3 - A; 4 - B; 5 - C; 6 - E Solutions: A. Sapin D. Dinde

36

B. Cadeaux E. Huîres

C. Bûche F. Étoile


CINCO

ESTRELAS

NAVIDAD Añade leyandas a las imágenes.

Canta y diviertete. NOCHE DE PAZ

NOCHE DE PAZ Noche de paz, noche de amor claro sol, brilla ya y los ángeles cantando están gloria a dios, gloria al rey celestial duerme el niño Jesús duerme el niño Jesús Noche de paz, noche de amor Todo duerme alrededor Entre los astros que esparcen su luz Bella anunciando al niñito Jesús Brilla la estrella de paz Brilla la estrella de paz Noche de paz, noche de amor claro sol, brilla ya y los ángeles cantando están gloria a dios, gloria al rey celestial duerme el niño Jesús duerme el niño Jesús

Soluciones:

37


CINCO

ESTRELAS

Passatempos Rabanadas no forno Tipo de receita: sobremesa Custo: económica Número de doses: 20 unidades Tempo de preparação: 45 minutos Dificuldade: fácil

Forma palavras com o número das sílabas indicadas.

Ingredientes: 1 pão tipo baguete (do dia anterior) de 200 g 7 dl de leite 100 g de açúcar casca de limão 1 pau de canela 2 ovos batidos Margarina vegetal para untar Açúcar e canela para passar as rabanadas Preparação: 1. Deixe o pão de um dia para o outro (fora do saco). 2. Leve ao lume um tacho com o leite, o açúcar, a casca do limão e a canela. Mexa, deixe ferver e desligue o lume. 3. Corte o pão em 20 rodelas, ligue o forno a 200º e unte o tabuleiro do forno com margarina. 4. Quando o leite ficar morno, passe as rodelas de pão pelo leite de modo a ficarem bem embebidas. Retire e deixe escorrer. Depois passe-as pelo ovo batido, deixe escorrer um pouco e coloque-as no tabuleiro. 5. Leve ao forno até ficarem douradinhas, retire-as, passe por açúcar e canela e sirva-as.

1 + 2 = ……………………………………… 3 + 4 = ……………………………………… 5 + 6 + 7 = ………………………………… 5 + 8 + 9 = ………………………………… 10 + 11 + 12 = ……………………………… 13 + 14 = …………………………………… 15 + 16 = …………………………………… 18 + 1 + 2 = ………………………………… 12 + 1 = ………………………………………

www.chefermida.com Soluções: Natal / Feliz / Presente / Presépio / Árvore Noite / Festa / Pai Natal / Rena

38


CINCO

ESTRELAS

Escreve a tua carta ao Pai Natal.

NATAL Ninguém o viu nascer. Mas todos acreditam Que nasceu.

Amareleja

É um menino e é Deus.

dezembro de 2016

Querido Pai Natal,

Na Páscoa vai morrer, já homem, Porque entretanto cresceu

________________________________ ________________________________ ________________________________ ________________________________ ________________________________ ________________________________ ________________________________ ________________________________ ________________________________ ________________________________ ________________________________

E recebeu A missão singular De carregar a cruz da nossa redenção. Agora, nos cueiros da imaginação, Sorri apenas A quem vem, Enquanto a Mãe, Também

Um beijinho do(a)

Imaginada,

__________________

Com ele ao colo, Se enternece E enternece Os corações, Cúmplice do milagre, que acontece Todos os anos e em todas as nações. Miguel Torga

Ajuda o Pai Natal a encontrar a rena.

39


CINCO

ESTRELAS

Ler é o melhor remédio! SE NÃO HOUVESSE EGOÍSMO Um homem saiu a dar um passeio pelo campo.

histórias e co-

Marchava triste, porque sofria com a situação

mentários. Lem-

em que se achava um seu vizinho na miséria. —

brou-se, então,

Do coração lhe daria o que tivesse, mas, ai de

de que trazia com ele uma moeda de cobre.

mim! não tenho nada! E o homem que assim

Para dar muito, há sempre tempo; só é impossí-

falava, riquíssimo, tropeçou, nesse momento,

vel voltar a dar aquilo que já se deu. Este racio-

numa bolsa de moedas, e as moedas eram de

cínio pareceu-lhe espantoso para a sua consci-

oiro. Uma pequena fortuna! — Vou entregar já

ência, e ao chegar a casa do vizinho, este, com

metade a fulano, exclamou. Fulano era o vizi-

entusiasmo, exclama: — A riqueza bateu-me à

nho. E se este dinheiro, assim inesperadamen-

porta! Sempre veio antes da morte: metade se-

te, lhe perturbar o juízo? Não: o melhor é dar-

rá para ti. Os teus conselhos e amizade mere-

lhe todos os meses alguma coisa com peso,

cem esta recompensa. Ainda bem que me foi

conta e medida. Como se vê, este homem até

dada a possibilidade e a alegria de o poder fa-

sabia ser prudente. E, antes de se deitar, pen-

zer. O outro nem podia falar. Um velho parente,

sou: Se em vez de moedas de oiro eu tivesse

continua o pobre, que foi de pequeno para o

encontrado moedas de prata, qual seria a déci-

Brasil, lembrou-se à última hora de me fazer

ma parte? Feitas as contas, verificou que a im-

seu herdeiro. É certo que assim tinha que suce-

portância correspondia a duas moedas de oiro.

der, porque sou o único sobrevivente da famí-

Na manhã seguinte dispôs-se a levar o donati-

lia, mas, louvado seja Deus!, são notícias muito

vo ao vizinho. Mas, acompanhado pelo bom

bonitas! — Pois eu vinha visitar-te e trazer-te o

senso e pela prudência — antes de sair de casa

mais que um pobre pode ter: esta moeda de

resolvera dar-lhe só uma moeda de oiro, — che-

cobre. — Obrigado, meu amigo; dentro de dias

gou à lúcida finalidade de que uma moeda de

já o dinheiro aqui estará e nessa altura dar-te-ei

oiro nas mãos de um pobre de Cristo levantaria

metade do que vier.

suspeitas, e se viessem a descobrir que a dádiAntónio Botto, «Se não houvesse egoísmo», in Os Contos de António Botto

va fora sua, também não ficaria a coberto de 40

Profile for Jornal Escolar 5 estrelas

Jornal 5 estrelas dez2016  

Jornal do Agrupamento de Escolas de Amareleja

Jornal 5 estrelas dez2016  

Jornal do Agrupamento de Escolas de Amareleja

Advertisement