Page 1


Criar capa para a Revista Eletrônica

Michelle king 7º B

Carolina Vidal 7º C

Bruno Tricate 7º B

Giovanna Guth 7º C

Melvyn Hsu 7º C

Bruno Pagetti 7º C

Felipe Greche 7º B

Leonardo Chammas 7º A


Recortar e colar no caderno uma imagem atual relacionada a política internacional.

Escrever um parágrafo explicando a situação histórica escolhida. Obama diz que irá orar pelo Egito, porque o país está sendo sacudido por uma rebelião popular contra o presidente. Identificar: fato, causa, consequência, tempo e local. Fato- Obama diz que irá orar pelo Egito. Causa- País sacudido por uma rebelião popular contra o presidente. Consequência- Presidente dos Estados Unidos reza pelo povo do Egito. Tempo- quinta-feira (3/02) Local- Egito e Estados Unidos Mayra R. Shertzman - 7ºC


1) Montar a pirâmide social e escrever a causa dos conflitos sociais.

Patrícios: Donos das maiores e melhores terras e com o poder político. Plebeus: Pequenos agricultores ou pessoas sem terra. Trabalhavam nas terras dos Patrícios, não recebiam salários, trabalhavam em troca de alimento e moradia e não tinham direitos políticos. Cliente: Trabalhadores livres prestavam serviços aos Patrícios. Escravo: Prisioneiros de plebeus endividados.

que

guerra ou

O início da República romana foi marcado por uma série de revoltas dos plebeus contra a dominação de patrícia. Durante cerca de duzentos anos os plebeus organizaram várias revoltas para melhorar sua situação econômica, acabar com a escravidão por dívidas e ter uma participação maior nas terras do Estado. 2) Explicar a expansão romana e suas consequências. Para facilitar a administração do governo e a exploração das terras dominadas, Roma foi divida em províncias. Cada província estava sob a autoridade de um governador, escolhido pelo governo romano, e tinha de pagar impostos a Roma. O poderoso exército romano ocupou terras fora de suas fronteiras, transformando quase toda a Europa em civilização romana (Norte da África + Oriente Médio). Conseqüência – aumentos territoriais de Roma e os povos dominados foram escravizados (aumento do número de escravos em Roma). 3) Escrever as conquistas dos plebeus. Permissão de casamento entre patrícios e plebeus, leis escritas, fim da escravidão por dívidas, um plebeu no Senado romano. 4) Caracterizar questão agrária na Roma antiga. Ao longo da história, um dos maiores problemas enfrentados pelos governantes dos diversos países tem sido a questão da distribuição de terras. Tentando minimizar o problema os irmãos Tibério e Caio Graco propuseram reformas para garantir que os camponeses tivessem acesso a terra. Com o apoio dos cavaleiros, o novo tribuno aprovou a lei que aumentava o direito de participação dos representantes da plebe na administração do Estado. A proposta desagradou os patrícios e os irmãos Graco foram assassinados. Pedro Zahar Miné 7º A


Carolina Vidal 7ยบ C


Ilustrar e explicar uma das conquistas dos plebleus.


André Ferrari 7º B


André Ferrari 7º B


Escrever a relação entre os fatos:

•Desigualdade social/conflitos O início da República Romana foi marcado por uma série de revoltas dos plebeus contra a dominação patrícia. Muitos plebeus, convocados para o exército, eram obrigados a deixar suas terras e a contrair empréstimos para as despesas militares. Ao retornarem, perdiam suas terras para pagar as dívidas e muitos eram transformados em escravos. Plebeus desejavam participação política. •Lutas sociais/conquistas dos plebeus Indignados com essa situação, durante cerca de 200 anos os plebeus organizaram várias revoltas para melhorar sua situação econômica, acabar com a escravidão por dívida. Os plebeus conquistaram o direito de eleger seus próprios magistrados, casamentos entre patrícios e plebeus, fim da escravidão por dívidas e leis escritas.


•Expansão territorial/ escravos Iniciado durante a república, o expansionismo romano e a colonização de novos territórios, teve basicamente 2 objetivos: defender Roma do ataque dos povos vizinhos e assegurar novas terras para desenvolver a agricultura e o pastoreio. Dessa forma, após sucessivas guerras, no decorrer de 5 séculos, os romanos dominaram as Península Itálica, boa parte do continente estenderam seus domínios até o oriente. As conquistas territoriais tiveram grandes efeitos para a vida econômica e social de Roma e também levaram a um grande aumento da população escrava, formada por uma multidão de prisioneiros capturados nas guerras. Os escravos passaram a ocupar o trabalho dos plebeus. Plebeus sem terra e sem trabalho. •Aumento de escravos/ êxodo rural Os plebeus abandonaram os campos e foram para as cidades na tentativa de sobreviver. Com as conquistas territoriais aumentou o número de escravos. •Êxodo rural/ plebeus marginalizados Com a grande chegada de trabalhadores dos campos nas cidades, não existia moradia e emprego para todos. As cidades ficaram cheias de plebeus desocupados. Maria Fernanda – 7ºC


Stephanie Baron 7ยบ A


Ilustrar e explicar uma das causas da crise da República Romana.

Os patrícios começaram a praticar corrupção, isto é, funcionários do senado recebiam dinheiro ou favores em troca de assegurar ganhos privados para essa pessoa. Giovanna Guth – 7º C


Pesquisar e montar um quadro no caderno: organização política (pão e circo), gladiadores, Coliseu e cristianismo. Pão e Circo Devido à grande população das cidades (plebeus que vieram do campo), a maioria vagava pelas ruas sem moradia, emprego e comida. Com medo de revoltas, o Imperador distribuía alimentos e diversão para diminuir as chances de revoltas. Assim, a política “pão e circo” consistia em distribuir trigo para a população carente e organizar espetáculos públicos nos circos e anfiteatros.

Gladiadores Os gladiadores eram lutadores que participavam de torneios de luta na Roma Antiga. De origem escrava, estes homens eram treinados para estes combates, que serviam de entretenimento para os habitantes de Roma e das províncias. Os gladiadores eram escolhidos entre os prisioneiros de guerra e escravos. Com o passar das lutas, caso reunisse muitas vitórias, tornavam-se heróis populares. Nas arenas (a mais famosa era o Coliseu de Roma), os gladiadores lutavam entre si, utilizando vários armamentos como, por exemplo, espadas, escudos, redes, tridentes, lanças, etc.

Coliseu Cristianismo Os romanos possuíam muito tempo livre, pois as O cristianismo nasceu na Galileia, região da atividades do cotidiano eram geralmente Palestina conquistada e anexada pelos romanos em desempenhadas por escravos. Por isso foram 63 a.C. Segundo a crença judaica e com base no construídos inúmeros espaços de lazer e diversão Antigo Testamento, o Messias, proclamado pelos para dezenas de milhares de pessoas: os principais profetas, viria a Terra para anunciar o Reino de Deus eram o circo, onde havia espetáculos como corridas e salvar a humanidade de todos os pecados. de carros e lutas de gladiadores; os anfiteatros, Os cristãos acreditavam que Jesus Cristo foi esse grandes espaços onde se exibiam lutas de animais, Messias de que as Escrituras Sagradas falavam. às vezes com participação humana; teatros, em que Segundo o Novo Testamento, com 30 anos, ele se representavam peças de autores gregos e iniciou suas pregações e formou um grupo de romanos; e os banhos ou termas, construções que seguidores, os apóstolos. reuniam diversas piscinas inclusive aquecidas. Graças ao trabalho dos apóstolos, o cristianismo Nos espetáculos, muitas vezes as arenas dos difundiu-se pelo Império Romano, principalmente anfiteatros se enchiam de água para permitir a entre as camadas populares. realização de combates navais. O cristianismo se diferenciava da maior parte das religiões da época por pregar uma vida desprendida dos bens materiais e centrada no amor a Deus e ao próximo.

Bruno Fongaro Pagetti, 7˚C, n˚2


A política do pão e circo:

Na Roma antiga, a escravidão na zona rural fez com que vários camponeses perdessem o emprego e migrassem. O crescimento urbano acabou gerando problemas sociais e o imperador, com medo que a população se revoltasse com a falta de emprego criou a política pão e circo. Gladiadores:

Os gladiadores eram escolhidos entre os prisioneiros de guerra (escravos). Com o passar das lutas, caso reunisse muitas vitórias, tornavam-se heróis populares. Coliseu

O Coliseu foi utilizado durante aproximadamente 500 anos, tendo sido o último registro efetuado no século VI da nossa era. O edifício deixou de ser usado para entretenimento no começo da Idade Média, mas foi mais tarde usado como habitação, oficina, forte, pedreira, sede de ordens religiosas e templo cristão. Cristianismo

A religião cristã tem três vertentes principais: o Catolicismo, a Ortodoxia Oriental (separada do catolicismo em 1054 após o Grande Cisma do Oriente) e o protestantismo (que surgiu durante a Reforma Protestante do século XVI). O protestantismo é dividido em grupos menores chamados de denominações.

André F. Cavichione 7ºano A


Elaborar 2 parágrafos explicando a crise do Império Romano. Ilustrar e Colorir.

Como o governo romano estava em crise, com altas despesas e com a diminuição de conquistas territoriais (diminuição do número de escravos), faltando assim mãode-obra e cosequentemente elevando os preços dos produtos. Com a decadência econômica, os plebeus retornaram ao campo e passaram a trabalhar nas terras onde recebiam em troco uma parte da produção.

Mayra R. Shertzman – 7ºC


Crise do Império Romano

MENOS CONQUISTAS = MENOS ESCRAVOS = MENOS PRODUÇÃO = FALTA DE ALIMENTOS = ALTA DE PREÇOS = PLEBEUS ABANDONAM CIDADES = CIDADES DESPOVOADAS. Catarina Maria V.G.R. Teixeira 7ºano C


A volta dos plebeus para o campo (crise no Império)

Os patrícios não sabiam plantar e estavam desesperados com a crise. Os plebeus com o alto custo de vida (nas cidades) voltaram para o campo. Giuliana Dorini - 7º C


Elaborar e ilustrar (2 parágrafos) explicando a crise do império romano. A crise do império romano: Por volta do século lll, o império romano passava por uma enorme crise econômica e política. A corrupção dentro do governo a os gastos com luxo retiraram recursos para o investimento no exército romano (fronteiras desprotegidas). Com o fim das conquistas territoriais, diminuiu o número de escravos, provocando uma queda na produção agrícola. Nas cidades subia o custo de vida Na mesma proporção, caía o pagamento de tributos originados das províncias.

Michelle A. King 7º B


1)Montar um quadro explicando as duas grandes crises da civilização romana: Crise da República: Roma se expandiu, e conquistou novas terras. Com isso, o número de escravos aumentou, e eles substituíram os plebeus. Sem o trabalho que costumavam ter, os plebeus saíram do campo, foram para as cidades e ficaram marginalizados. Os senadores recebiam dinheiro ou favores, em troca de benefícios aos interessados. Crise do Império: Roma diminuiu sua expansão, e com isso, o número de escravos baixou. Quanto mais o número de escravos diminuía, a produção de Roma caía. Como a produção diminuiu, sobraram poucos alimentos e o preço das coisas subiu. Como o custo de vida ficou alto, os plebeus voltaram para o campo. 2) Relacione as palavras: êxodo rural, escravismo, política pão e circo, gladiadores e coliseu: Devido ao êxodo rural dos plebeus a população das cidades aumentou, pois os escravos substituíram os plebeus nos trabalhos rurais. Com tantos plebeus vagando pelas cidades, com medo de revoltas, os governantes criaram a política do pão e circo, que consistia em dar comida e diversão a população tais como as lutas entre gladiadores no Coliseu.

Leonardo Gioachini De Paula. 7 ano C


Elaborar 2 parágrafos explicando a crise do império romano. Ficava cada vez mais difícil manter a estabilidade do imenso território, habitado por diferentes povos conquistados pelos romanos nem sempre dispostos a aceitar as regras do governo. Por isso, os conflitos nas cidades eram constantes. O exército precisou, reforçar suas tropas, tanto para proteger as fronteiras quanto para manter a ordem nas províncias. A consequência foi o aumento das despesas. Para equilibrar as contas, o governo elevou os impostos.Essa medida provocou a alta dos preços dos produtos, prejudicando o comércio e revoltando as populações do campo e das cidades. Com a diminuição das guerras de conquistas, não havia mais povos derrotados para serem escravizados e começou a faltar mão-de-obra. Os plebeus empobrecidos devido à decadência econômica passaram a trabalhar nas terras dos grandes proprietários rurais. Em troca, recebiam parte dos rendimentos de sua produção, um lote de terra para viver e a proteção de seu senhor. Maria Eduarda Laurenti - 7ºC


Montar um quadro explicando a organização política da monarquia, república e império romano. Monarquia Durante a Monarquia, Roma era governada por um rei, a quem cabia elaborar e executar as leis, cobrar impostos, punir os crimes e comandar o exército.

República O órgão máximo da república romana era o senado, formado por trezentos patrícios. Após conflitos, os plebeus conquistaram o direito de escolher o tribuno da Plebe para participar do senado.

Império Romano O imperador Otávio concentrava em suas mãos todos os poderes, era o chefe militar e religioso, apresentava as leis, estabelecia os impostos e decidia a guerra e a paz. Seu poder era tão grande que era considerado um verdadeiro Deus.

Fabrizio Martinelli 7º A


Estudo de História Patrícios - donos de terras com poder político. Plebeus - pequenos proprietários ou pessoas sem terra. Trabalhavam na terra dos patrícios, não tinham direitos políticos, pagavam impostos e recebiam com a produção. Clientes - eram livres, mas não tinham propriedades. Para sobreviver colocavam-se como trabalhadores dos patrícios. Escravos - estrangeiros, prisioneiros de guerra e plebeus endividados. Plebeus fizeram greves, recusavam-se a trabalhar e conquistaram alguns direitos: as leis passaram a ser escritas, permissão do casamento entre plebeus e patrícios, anulação da escravidão por dívida e indicação de tribunos da plebe. Decadência da República Romana • A expansão territorial, trouxe como consequência o aumento do número de escravos. • Com grande número de escravos, os plebeus perderam seus empregos. • Êxodo rural (sem terra e sem emprego, os plebeus abandonaram o campo e foram para as cidades buscar sobrevivência. • Milhares de plebeus vagavam pelas ruas de Roma (população marginalizada). • Escravos revoltados no campo. • Corrupção no governo. Revolta dos Plebeus Muitos plebeus convocados para o exército eram obrigados a deixar suas terras e a contrair empréstimos para as despesas militares. Indignados com a situação durante 200 anos os plebeus lutaram por seus direitos.

Características do Império Política Pão e Circo - crescimento urbano, a escravidão gerou desemprego na zona rural, população marginalizada, com medo de revolta dos plebeus desempregados o Imperador criou a política pão e circo, alimentação e diversão. Coliseu - antigamente o Coliseu era utilizado para as pessoas assistirem variados espetáculos. Atualmente ele é considerado um monumento histórico. Cristianismo - o cristianismo nasceu na Galileia. Segundo a crença judaica e com base no Antigo Testamento, o Messias, proclamado pelos profetas viria a Terra para anunciar o Reino de Deus e salvar a humanidade de todos os pecados. Gladiadores - gladiador era um lutador escravo treinado na Roma Antiga. Eles se enfrentavam para divertir o público, e o duelo só terminava quando um deles morria, ficava desarmado ou ferido sem poder se defender. Alguns dizem que bastava o imperador levantar o polegar para salvar o lutador, outros dizem que era a mão fechada que deveria ser erguida.

Crise do Império Com o fim das guerras de conquista (expansão territorial), o número de escravos diminuiu. Com a diminuição de escravos, a produção diminuiu, faltava alimento para a população e a comida estava com o preço muito alto. Devido ao alto custo de vida, os plebeus retornaram ao campo. Origem histórica- Roma foi fundada pelos latinos .Os latinos falavam um idioma da família linguística indoeuropeia. Origem lendária - os gêmeos Remo e Rômulo foram deixados na margem do Rio Tibre. Uma loba os salvou, cuidando dos irmãos como se fossem seus filhotes. Posteriormente, os garotos foram encontrados por um pastor de ovelhas. Os irmãos descobriram que eram príncipes de Alba Longa. Conseguiram reaver o trono e decidiram construir uma cidade no topo de uma das sete colinas. Os irmãos iniciaram um cruel combate que terminou na morte de Remo. Em homenagem ao Rei Rômulo, a nova cidade passou a se chamar Roma.

Julia Cezar Carneiro de Lacerda – 7º B


Isabella Teixeira - 7ยบ B


Leonardo Chammas - 7ยบ A


Stephanie Baron - 7ยบ A


Catarina Maria Teixeira - 7ยบ C


Fazer um desenho sobre a divisão do Império Romano

Com a crise do Império e as fronteiras desprotegidas, os bárbaros ocuparam o Império Romano do Ocidente. Carolina Vidal - 7º C


Elaborar um texto explicando o esquema passado no caderno. Em 395, Roma estava em crise. O imperador que governava era Teodósio que tinha dois filhos. Após sua morte, para tentar conter a crise romana, dividiram Roma em dois reinos, o Império Romano do Ocidente com capital em Roma e Império Romano do Oriente, com capital em Constantinopla. Roma estava sofrendo invasões de grupos bárbaros e em 476, um grupo germânico derrubou Rômulo Augústulo, o último imperador romano do Ocidente. Era o fim do grandioso Império Romano do ocidente (idade antiga) e o começo da época medieval.

Giovanna Salazar - 7º B


Montar um quadro caracterizando a sociedade,religião e culto a guerra dos bárbaros “Onde há sociedade, há direitos.” Esse princípio romano influenciou bastante a SOCIEDADE sociedade medieval. Na idade média , as pessoa acreditavam na necessidade de uma organização social baseada em regras que orientassem as relações entre as pessoas. RELIGIÃO

A religião católica foi uma grande influencia dos romanos. O cristianismo, espalhou-se pela Europa durante a Idade Media, sendo adotada por diferentes camadas da população.

CULTO A GUERRA

O culto a guerra incentivou o desenvolvimento da metalurgia. O metal era utilizado na produção de armas, máscaras, carros de combate e barcos, instrumento indispensáveis às guerras.

Bruno Tricate Malta - 7º B


Giovanna Braghini - 7ยบ B


Elaborar um texto sobre os povos bárbaros no Império Romano do Ocidente: A invasão dos bárbaros no Império Romano do Ocidente.

Por muito tempo os povos bárbaros foram ridicularizados pelos romanos porque não sabiam falar latim. Eles viviam fora das fronteiras de Roma, eram nômades tinham hábitos e costumes diferentes dos romanos. Tudo começou com a crise do Império... A consequência disso foi à divisão do Império Romano que deu origem a ocupação dos povos bárbaros. Para ocupar a Europa (Império Romano do Ocidente) eles inicialmente entraram de forma pacífica (procurando terras) e depois fizeram violentas invasões, entraram matando, incendiando, roubando etc. Como o exército estava sem salário às fronteiras estavam completamente desprotegidas, então os povos bárbaros ocuparam as terras, e isso foi o fim da Idade Antiga.

Fernando Gomes - 7º C


Julia Cesar Carneiro de Lacerda - 7ยบ B


Julia Cezar Carneiro de lacerda - 7ยบ B


Fazer um desenho que ilustre a cerimônia de homenagem. Colorir e explicar.

Um homem ajoelha-se diante de outro homem, une as duas mãos e as coloca nas mãos daquele que está em pé à sua frente. Segue-se um ritual no qual fica estabelecido um acordo e uma amizade para a toda vida. Após essa união, o primeiro homem jura sobre o Evangelho ser fiel ao segundo, também por toda a sua existência. Esse ritual selava a relação entre suseranos e vassalos, típica da época feudal. O suserano (dono de terra) entregava uma parte de sua terra ao vassalo (nobre guerreiro) que em troca jurava fidelidade e defesa para sempre. Bruno Fongaro Pagetti 7ºC


1.

Caracterizar a sociedade medieval.

A sociedade feudal tinha uma estrutura rigidamente hierarquizada, ou seja, dividia-se em grupos mais ou menos imutáveis, constituídos basicamente de clérigos, nobres e camponeses. Como a posição de cada pessoa na sociedade era determinada pelo nascimento, as possibilidades de um camponês tornar-se membro da nobreza eram muito pequenas 2. Montar a pirâmide social da época feudal. Explicar . No topo estão os clérigos, eram considerados os únicos capazes de mediar a relação entre Deus e os

Clero

Nobres

homens. Eram praticamente os únicos letrados num mundo

Servos Vilões

em que pouquíssimos sabiam Escravos ler e escrever. No segundo lugar da pirâmide estão os nobres, seu dever era defender militarmente o reino e a fé cristã. Os servos estão em terceiro lugar da pirâmide, eles trabalhavam nas terras do senhor feudal, não tinham liberdade e estavam sujeitos a uma serie de obrigações. Em quarto temos os vilões que eram camponeses livres. Em quinto são os escravos que eram propriedade do senhor, podendo ser comercializados como qualquer mercadoria. 3. Elaborar 1 parágrafo sobre a igreja católica/educação na época feudal. A educação na Idade Média refletia a enorme influência da Igreja Católica no cotidiano das pessoas. Após a queda do império romano,as escolas nãoreligiosas aos poucos desapareceram,cedendo lugar para instituições de ensino administradas pela igreja.

Maria Fernanda Sasson 7º C


Fazer um desenho que ilustre um feudo medieval. Colorir, identificar os elementos do feudo e suas respectivas funçþes.


Mariana Lima - 7º A

Maria Luiza Olivé - 7º C


Helena Marini - 7ยบ A

Melvyn Wei Hsu - 7ยบ C


Identificar os elementos do feudo.

Rafael Teixeira - 7ยบ B

Elaborar dois parรกgrafos caracterizando o modo de vida nos limites do feudo.

Carolina Vidal - 7ยบ C


Luciana Ximenes Vlasak – 7º C


No caderno elaborar uma frase para cada palavra ligada ao feudalismo: feudo, senhor feudal, sociedade estamental, agricultura de subsistência, igreja católica,espírito guerreiro, servos. Feudalismo - Sistema de organização econômica, política, social e religiosa da idade média na Europa Ocidental. Senhor feudal - O senhor feudal, era um dono de terra que doava um pedaço de sua terra ao vassalo (nobre guerreiro que em troca jurava fidelidade e defesa militar). Feudo - Palavra germânica que significa benefício, esse benefício concedido pelo soberano ao seu vassalo era uma propriedade de terra. Sociedade Estamental - A sociedade era desigual e sem mobilidade social. A camada social era determinada pelo nascimento sendo praticamente impossível existir a troca entre camadas sociais. Agricultura de subsistência - Produziam somente para consumo próprio. Igreja Católica - Era uma instituição poderosa responsável pela fé, oração e controle das pessoas. Espírito Guerreiro - Foi uma das maiores contribuições dos germânicos para a nova sociedade. A guerra era considerada o ideal de vida de muitos jovens medievais. Liderar o exército era uma honra incomparável, vista como uma glória maior que as riquezas econômicas. Servos - Representavam o principal tipo de trabalhador no feudalismo. Eles trabalhavam nas terras do senhor feudal, onde deveriam permanecer até a morte. Luciana Ximenes Vlasak – 7º C


O 11 de setembro na visão de um historiador “Provavelmente nenhum outro acontecimento inesperado da história do mundo tenha sido sentido diretamente por maior número de seres humanos. Eu o vi enquanto acontecia, na tela de televisão de um hospital em Londres. (...) Washington anunciou que o 11 de setembro mudara tudo, e, ao fazêlo, efetivamente tudo mudou, por haver-se de fato declarado único protetor da ordem mundial (...). Quem não aceitasse essa interpretação era inimigo real ou potencial. (...) O 11 de setembro provou que vivemos todos em mundo no qual um único hiperpoder global finalmente resolvera que, a partir do fim da União Soviética, não há limites de curto prazo para seu poderio nem para sua disposição de utilizá-lo (...). O século XX terminou. O século XXI começa com crepúsculo e obscuridade.” HOBSBAWM, Eric. Tempos interessantes: uma vida no século XX. São Paulo: Companhia das Letras, 2002. p. 447-448.

Milhares de pessoas de diferentes nacionalidades, inclusive brasileiros, que trabalhavam no Word Trade Center, desapareceram nas chamas. O número de mortos nos atentados de 11 de setembro, em Nova York, de 2001 (incluindo o ataque ao Pentágono e o avião que não chegou a atingir o alvo) foi de 3.044 pessoas.


www.publico.pt 03 de maio de 2011


O termo Islã tanto pode denominar uma religião (islamismo) quanto as sociedades construídas em torno dela. Em árabe, a palavra significa “entrar em uma condição de paz e segurança com Deus, mediante a obediência e a fidelidade a Ele”. O seguidor dessa religião é chamado islamita ou muçulmano (que, em árabe, quer dizer “resignado à vontade de Deus”).


(...) O fundamentalismo apresenta duas dimensões distintas. No nível religioso, consiste na revalorização da doutrina e das práticas tradicionais, inspiradas numa estrita fidelidade aos textos sagrados. No nível político, o fundamentalismo pretende resgatar o velho Estado teocrático (...) e subordinar toda a vida social às normas religiosas. Na realidade concreta, as duas dimensões apresentamse sempre interligadas. O fundamentalismo ganhou força e notoriedade a partir do final dos anos 70, com a vitória da Revolução Iraniana – um movimento de extraordinária aceitação pelas massas empobrecidas, que se propôs a difundir por todo o mundo árabe o retorno às verdadeiras origens do Islã e o rompimento com a cultura ocidental. Ao lado do fundamentalismo islâmico, cresceu também o fundamentalismo judaico, de clara origem sionista para a defesa do Estado de Israel e a sua consolidação em bases religiosas. (...) (TREIGNIER, Michel. Guerra e paz no Oriente Médio. P. 47.)


Maomé no Monte Hira, perto de Meca, começou a receber revelações do Anjo Gabriel.


As revelações recebidas por Maomé estão reunidas no CORÃO, Livro Sagrado dos Islâmicos, que contém os princípios morais e religiosos que devem orientar a vida dos seguidores do profeta.


Sala de aula na Arábia Saudita

Caaba, na cidade de Meca

Sexta-feira de oração - Paquistão


Muitas são as formas de as mulheres encobrirem os seus corpos e rostos. Em nome da chamada Laicidade do estado, ou seja, a sua desvinculação de qualquer religião, alguns países restringem o uso das vestimentas religiosas em espaços públicos. Na França, proíbe-se o uso nas escolas e centros públicos.


• Em público, as mulheres devem cobrir-se dos pés à cabeça, sob pena de chibata ou prisão. O rosto pode ficar à mostra. • Não podem participar de atividades sociais com homens solteiros ou que não sejam parentes. • Em edifícios públicos, usam entradas separadas das dos homens. • Só podem viajar com autorização expressa do marido. • Precisam de permissão do pai ou de outro homem responsável para se casar. • Podem praticar alguns esportes, como futebol ou tênis, desde que vestidas com o xador (traje feminino que cobre todo o corpo exceto os olhos, comum na cultura de países islâmicos). • Estão sujeitas ao apedrejamento em caso de adultério. • Se doentes, têm de ser atendidas por outras mulheres. • Mulheres divorciadas raramente ficam com os filhos.


A professora Clice (inglês) demonstra uma das formas de utilizar o veu muçulmano. (A professora tem familiares morando na Península Arábica).

Vestes femininas: islamismo. • O uso do veu é obrigatório a partir da puberdade. •O veu expõe a fé e faz parte da obediência a religião. • O veu significa distinção, identidade e possibilita que as mulheres não sejam importunadas. • As mulheres com vestimentas adequadas não mostram seus atrativos feminino fora da família. • O veu padroniza o comportamento e permite que os adeptos se identifiquem.


Utilizar a revista eletrônica (colmagno/plus): Explicar a relação entre a 1ª e 2ª imagem do islamismo. A relação das duas imagens é que Bin Laden, o líder da Al Qaeda, considera o Ocidente e principalmente os Estados Unidos, o próprio mau e inimigo do Islã. Bin Laden atacou os Estados Unidos que por sua vez perseguiu por 10 anos o homem classificado como o maior inimigo norte-americano. Montar um quadro explicando o Islamismo e o fundamentalismo. Islamismo - O termo Islã tanto pode denominar uma religião quanto as sociedades construídas em torno dela. Em árabe, a palavra significa “entrar em uma condição de paz e segurança com Deus’’. Fundamentalismo - O fundamentalismo apresenta duas dimensões distintas. No nível religioso, consiste na revalorização da doutrina e das práticas tradicionais, inspiradas numa estrita fidelidade aos textos sagrados. No nível político, o fundamentalismo pretende resgatar o velho Estado teocrático e subordinar toda a vida social às normas religiosas.

Com base na última página, caracterizar o papel da mulher na sociedade islâmica Em público, as mulheres devem cobrir-se dos pés à cabeça. O rosto pode ficar a mostra. Não podem participar de atividades sociais com homens solteiros ou que não sejam parentes. Só podem viajar com autorização expressa do marido. Precisam da permissão do pai ou de outro homem responsável para se casar. Se doentes, têm de ser atendidas por outras mulheres. Mulheres divorciadas raramente ficam com os filhos. Em edifícios públicos, usam entradas separadas das dos homens. Fernanda Leão Borges Cirino - 7ºC


Utilizar a revista eletrônica: a)Explicar a relação entre a primeira e a segunda imagem do Islamismo. b)Montar um quadro explicando Islamismo e Fundamentalismo. c)Com base na ultima página, caracterizar o papel da mulher na sociedade islâmica. a)A relação entre as duas imagens é que o terrorista Osama Bin Laden planejou o ataque terrorista contra os EUA que era considerado pelo grupo o maior inimigo do Islamismo. O grupo não aceitava a interferência dos EUA nos hábitos e costumes islâmicos. Bin Laden foi cassado pelos EUA que conseguiu eliminá-lo no inicio de maio de 2011, como resposta ao ataque sofrido. b)Islamismo = religião criada por Maomé que acredita em um único Deus e tem como livro sagrado o Alcorão. Fundamentalismo = seguir de maneira radical e fanática as regras da Alcorão. Não admitindo influência do Ocidente. Estado teocrático (governo religioso). c)O papel da mulher na sociedade islâmica é meramente figurativo. João Pedro Feital - 7ºB


Tendo como referência a Revista Eletrônica, elaborar perguntas com respostas sobre o conteúdo da Verificação Mensal. Fazer em forma de Palavras Cruzadas. (1) Feudalismo foi à forma de organização da Idade Média. Cerimônia de (5) Homenagem ocorria entre o vassalo e o suserano. O (10) Suserano doava parte de seu feudo para o vassalo que jurava fidelidade e defesa para sempre. (2) Islamismo muito radical que segue rigorosamente o Alcorão e busca o Estado Teocrático. Fundamentalismo. (3) Religião que acredita em Alá e no Alcorão. Islamismo Antes da ocupação bárbara, a vida era urbana, havia comércio e circulação de (7) Moedas, porém, depois, a vida era rural, havia agricultura de (4) Subsistência. Plebeus (8) Marginalizados (sem terra e sem emprego) vagavam pelas ruas de Roma. (6) Êxodo Rural (plebeus abandonam o campo e vão para a cidade em busca de sobrevivência). (9) Quais povos eram ridicularizados pelos romanos e depois ocuparam a Europa Ocidental? Bárbaros.


10 1 F E U D A L I S M O 2 F U N D A M E N T A L I S M O 4 S U B S I S T E N C I A 5 H O M E N A G E M 6 E X O D O * R U R A L 7 M O E D A 8 M A R G I N A L I Z A D O S 9 B A R B A R O S 3 I S L A M I S M O

Catherine Cover - 7ยบ C


Justificar as frases passadas no caderno. •

A religião da Península Arábica transformou-se com Maomé.

Antes de Maomé a população da península venerava espíritos representados por árvores, pedras e planetas. No ano 610 Maomé teria recebido uma revelação do anjo Gabriel para que pregasse a mensagem de Alá. Os seguidores de Maomé espalharam a religião islâmica para fora da Península Arábica. •

Maomé foi perseguido em Meca o que ocasionou a Hégira.

Muitos habitantes de Meca rejeitaram a sua mensagem e começaram a persegui-lo, bem como aos seus seguidores. Em 622 Maomé foi obrigado a abandonar Meca, numa migração conhecida como a Hégira, tendo se mudado para Yathrib (atual Medina). • Maomé foi criticado por atacar no mês de Ramadã comerciantes de Meca. Maomé e seus soldados invadiram Meca no mês de Ramadã que é considerado sagrado para os muçulmanos. Maomé justificou a ataque revelando que para Alá, mais grave que a guerra no Ramadã seria não crer em Alá, na mesquita e expulsar de Meca seu povo. •

Em 630 Maomé voltou a Meca.

Em janeiro de 630, Maomé e seus homens adentraram a cidade e conseguiram converter à maioria de seus habitantes a fé muçulmana. •

Os muçulmanos têm um livro sagrado.

Alcorão ou Corão é o livro sagrado do islamismo. Os muçulmanos acreditam que o Alcorão é a palavra literal de Deus (Alá) revelada ao profeta Maomé (Muhammad) ao longo de um período de vinte e três anos.

Lucca M. F. Oliveira - 7º B


Justificar as frases: a) No ano de 610, Maomé iniciou o islamismo. Em 610 receberam uma revelação do anjo Gabriel. Nessa revelação o anjo teria ordenado a Maomé que pregasse a mensagem de Alá, que o havia escolhido para ser seu profeta. Islamismo é o nome da religião praticada pelos seguidores de Maomé. b) Maomé foi perseguido em Meca e ocorreu Hégira. Os opositores do profeta o acusaram de visar seus próprios interesses e a tomada do poder. Maomé e seus seguidores passaram a ser alvo de insultos e ameaças, que os levaram a abandonar Meca. Essa saída em 622 ficou conhecida como Hégira. c) No ano de 630 Maomé voltou a Meca. No ano de 630, Maomé reuniu um exército de 10 mil homens e marchou em direção a Meca. Antes que o confronto ocorresse, o patriarca da cidade converteu-se a o islamismo e aceitou as condições impostas por Maomé. A população aceitou o acordo, jurando fidelidade ao profeta e obediência aos princípios por ele ensinados. e) Um dos princípios do islamismo é o Jihad. Expandir o nome de Alá por todas as terras. f) O Alcorão é o livro sagrado dos muçulmanos. O muçulmano tem como livro sagrado o Alcorão (que quer dizer “a leitura”) no qual foram registrados os ensinamentos do profeta ao longo de sua vida. Mayra R. Shertzman - 7ºC


Tendo como referência o capítulo 2: •Explicar a religião da península arábica antes e depois de Maomé. R: Na religião primitiva ocorria o politeísmo: os árabes antes de Maomé adoravam vários Deuses representados por elementos da natureza (árvores, pedras e planetas). Maomé, em 610, recebeu uma revelação do anjo Gabriel. Nessa revelação, o anjo teria ordenado á Maomé que pregasse a mensagem de Alá, que o havia escolhido para ser seu profeta. Por volta de 613, Maomé iniciou sua pregação na cidade de Meca. Os opositores do profeta o acusaram de visar seus próprios interesses e a tomada do poder. Maomé e seus seguidores passaram á ser alvo de insultos e ameaças, que os levaram a abandonar Meca. Buscaram refúgio em Yatrib. Essa cidade passou á se chamar Medina, a cidade do profeta. O islamismo nasceu na península arábica no século VII. Os que se convertiam aos ensinamentos do profeta eram aqueles que se decidiam pelo Islã (submissão total á Deus) palavra da qual se deriva islamismo, nome dado á religião praticada pelos seguidores de Maomé. Os adeptos do islamismo são chamados de mulçumanos, islamitas ou maometanos.


Montar um quadro explicando: Hégira, Caaba, Alcorão, Mesquita, Jihad, Xiita, Sunita. Hégira

Caaba

Maomé foi escolhido para ser profeta. Por volta de 613, Maomé iniciou uma pregação em Meca. Os opositores do profeta o acusaram de visar seus próprios interesses e a tomada do poder. Maomé e seus seguidores passaram á ser alvo de insultos e ameaças, que os levaram á abandonar Meca. Buscaram refúgio em Yatrib. A saída de Maomé e seus seguidores da cidade de Meca ocorrida em 622 ficou conhecida como Hégira (emigração). A cidade de Yatrib passou a se chamar Medina, a cidade do profeta.

No politeísmo, os árabes, antes de Maomé adoravam vários Deuses representados por elementos da natureza. As divindades comuns á maioria do árabes, foram reunidas em um só local: o santuário, chamado Caaba, que tinha em seu interior o Pedra Negra, provavelmente um meteorito, objeto considerado sagrado. A caaba foi construída na cidade de Meca, que se tornou a partir de então, um centro de peregrinações.

Jihad

Xiita

Em Medina, Maomé assumiu a liderança espiritual e política da comunidade e constituiu em forte exército, Os soldados reunidos por Maomé passaram a atacar caravanas de comerciantes de Meca. Em 624, o profeta e seus seguidores foram duramente criticados por terem descumprido um preceito divino. Para Alá, mais grave que a guerra no mês sagrado seria desviar-se dos caminhos divinos, não crer em Alá nem na Mesquita sagrada e de lá afugentaram seu povo. Esse foi o início de uma prática denominada Jihad, o empenho em expandir o nome de Alá por todas as terras.

Logo após a morte de Maomé, teve início á questão sucessória .Um grupo defendia que o sucessor do profeta deveria ser alguém que tivesse com ele laços sanguíneos ou de parentesco. Os xiitas defendiam a criação do Estado Teocrático.

Mesquita Quando Maomé assumiu a liderança espiritual e política da comunidade, surgiu o primeiro local de oração, a Mesquita: utilizada para reuniões da comunidade. Na mesquita reuniam-se os que se convertiam aos ensinamentos do profeta, aqueles que se dedicam ao Islã.

Sunita Grupo que defendia realização de eleições entre os representantes do Islã para a escolha do sucessor de Maomé, de modo semelhante ao antigo costume árabe para a escolha de chefes tribais. (Qualquer fiel muçulmano poderia ser o sucessor de Maomé desde que aceito pela comunidade)

Alcorão Os mulçumanos têm como livro sagrados o Corão (ou Alcorão), no qual foram registrados os ensinamentos do profeta ao longo se sua vida. Após a morte de Maomé, questões para as quis que não havia deixado instruções precisas no Corão passaram a ser definidas com base na tradição, a partir dos relatos de seus seguidores.

Catarina Guedes Rodrigues Teixeira - 7º C


Explicar o significado das palavras ligadas ao Islamismo. * MECA – Cidade onde nasceu o profeta Maomé. Cidade também onde foi construído a Caaba, um santuário construído para abrigar várias divindades e que se tornou um centro de peregrinações. * MEDINA – Cidade onde se refugiou Maomé e seus seguidores depois da Hégira, ou seja, a fuga de Maomé da cidade de Meca em 622. * RAMADÃ – Mês sagrado do calendário islâmico, quando os muçulmanos, do nascer ao pôr-do-sol são proibidos de exercer diversas atividades, como ingerir alimentos ou água e guerrear. * XIITA – Atualmente representam 10% dos muçulmanos que reconhecem o Corão como fonte de ensinamento religioso. Depois da morte de Maomé eram um grupo que seguiam Ali, que havia sido primo e genro de Maomé. * SUNITA – Hoje formam 85% da população muçulmana mundial. Em oposição aos xiitas, eram um grupo que defendia a realização de eleições entre os representes do islã para a escolha do sucessor de Maomé. Eles seguiam o Hadith, ou seja, transcrições de relatos que não se encontravam no Corão, e que foram relatadas pelos seus seguidores. * CALIFA – Significa “sucessores”. Depois da morte de Maomé, os primeiros quatro Califas, ou seja, os primeiros quatro sucessores de Maomé foram escolhidos entre os familiares dele. André Dias Ferrari - 7º B


Montar um quadro explicando as seguintes expressões ligadas ao islamismo. Hégira Foi o episódio da partida de Maomé e seus partidários da cidade de Meca para Medina, em 622. As causas de tal fuga foram as perseguições sofridas por eles em Meca. Mesquita É um local de oração para os seguidores do islã e utilizado também para reuniões da comunidade. Caaba É uma construção que é reverenciada pelos muçulmanos, e é considerado pelos devotos do islã como o lugar mais sagrado do mundo. Alcorão É o livro sagrado do islamismo. Os muçulmanos creem que o Alcorão é a palavra literal de Deus (Alá) revelada ao profeta Maomé. Jihad É um conceito essencial da religião islâmica. Pode ser entendida como uma luta, mediante vontade pessoal, de se buscar e conquistar a fé perfeita. A Jihad é o dever de todos os muçulmanos em defender o islã, seja por pregação religiosa, comportamento pessoal ou luta armada.

Matheus Patrão - 7º A


Interdisciplinaridade


Giovanna Braghini - 7ยบ B


Utilizar a linha do tempo: • Escreva como ocorreu, a disputa de poder político e religioso após a morte de Maomé. Depois da morte de Maomé, a disputa política deu origem a dois grupos: XIITA e SUNITA. Os xiitas defendiam que somente os descendentes de Maomé poderiam ser seus sucessores. Governo Religioso = Estado Teocrático = Fundamentalismo. Os sunitas defendiam a ideia que qualquer fiel muçulmano poderia ser o sucessor de Maomé desde que fosse aceito na comunidade. • Escreva a diferença entre Xá e Aiatolá. O Aiatolá era um líder religioso, chefe do Estado Teocrático e o Xá era um monarca do Irã, um rei que governava com tradição islâmica. • Explique porque no governo do Xá Reza Pahlehvi ocorreu a ocidentalização do Irã. O Xá Reza Pahlehvi governou com poderes absolutos e foi apoiado pelos EUA. —modernizou o país com a venda de petróleo —política de aproximação com o Ocidente (Ocidentalização). • Explique a revolução islâmica de 1979 e as mudanças ocorridas no Irã. O aiatolá Khomeini regressou do exílio e proclamou a República Islâmica do Irã. (Fundamentalismo). —Fanatismo religioso —EUA considerado o grande Satã. (a causa de todos os males do planeta). —Violência e guerra santa. (morrer em nome do Islã).

Júlia Cezar Carneiro de Lacerda - 7ºB


Sobre os fatos estudados sobre o Islamismo, responder: a)Escreva como ocorreu, a disputa de poder político e religioso após a morte de Maomé. Depois da morte de Maomé, a disputa política deu origem a dois grupos: XIITA e SUNITA. Os xiitas defendiam que somente os descendentes de Maomé poderiam ser seus sucessores. Governo Religioso = Estado Teocrático = Fundamentalismo. Os sunitas defendiam a idéia que qualquer fiel muçulmano poderia ser o sucessor de Maomé desde que fosse aceito na comunidade. b)Escreva a diferença entre Xá e Aiatolá. O Aiatolá era um líder religioso, chefe do Estado Teocrático e o Xá era um monarca do Irã, um rei que governava com tradição islâmica. c)Explique porque no governo do Xá Reza Palehvi ocorreu a ocidentalização do Irã. O Xá Reza Palehvi governou com poderes absolutos e foi apoiado pelos EUA. —modernizou o país com a venda de petróleo —política de aproximação com o Ocidente (Ocidentalização) d)Explique a revolução islâmica de 1979 e as mudanças ocorridas no Irã. O aiatolá Khomeini regressou ao exílio e proclamou a república islâmica do Irã. (Fundamentalismo) —Fanatismo religioso —EUA considerado o grande Satã. (a causa de todos os males do planeta) —Violência e guerra santa. (morrer em nome do Irã) Júlia Cezar Carneiro de Lacerda 7ºB


Sophia Peres 7ยบ B


Desenhar as causas das transformações agrícolas

Helena Marini 7º A


Rafael 7ยบ B

Julia Lacerda 7ยบ B


Ilustrar as consequências das transformações que ocorreram na agricultura feudal a partir do século XI. Explicar.


Consequências das transformações agrícolas

Mariana Lima 7º A


Pesquisar e escrever no caderno sobre o tribunal da inquisição

(funções e punições) O Tribunal da Inquisição foi criado pela Igreja Católica Apostólica Romana, no período medieval, com o propósito de investigar, apurar, julgar e condenar os culpados por crimes de blasfêmia, heresia e outras práticas como homossexualismo. O Tribunal era composto por eclesiásticos. Os suspeitos eram encarcerados (eram denunciados por um vizinho, um amigo ou um ambicioso qualquer), tinham seus bens confiscados e entregues a Igreja. O denunciante era submetido a um longo processo do qual costumeiramente constavam sessões de abomináveis torturas e suplícios durante as quais deviam confessar suas culpas (que eles nunca sabiam qual era). Julgados culpados eram entregues ao Estado (governo) para que lhe fosse aplicada a sentença (quase sempre a morte - muitas vezes queimada viva). A Inquisição, nos seus últimos séculos, perseguiu e matou milhares de judeus, protestantes, heréticos e homens das artes e das ciências que ousaram contrariar os dogmas da Igreja e das autoridades da igreja. Com frequência a Inquisição foi usada por reis para justificar a prisão e execução de seus inimigos políticos, acusados de heresia. As punições eram jejum, doação de terras e produtos e morte na fogueira. A venda de indulgências e coisas sagradas (simonia) foi uma prática muito comum na Baixa Idade Média. Comerciantes e padres vendiam todo tipo de coisas (como pedaços da cruz de cristo, espinhos da sua coroa, lugares no céu, ossos de santos, etc.) atribuíndo-lhes poderes milagrosos.

Felipe Imanichi - 7ºC


Explicar os fatos ligados às transformações na Europa Medieval. 1. Transformações agrícolas A produção agrícola cresceu por causa de ferramentas como a charrua, um arado de ferro com rodas que permitia aos agricultores remover a terra com mais facilidade e maior profundidade. Também pelas novas técnicas, como os moinhos de água e de vento. A expansão da área de produção levou à ocupação das áreas de florestas e à construção de diques e de canais de irrigação. 2. Sistema trienal No sistema trienal, a área de cultivo era dividida em três partes: uma descansava, na outra se plantava um tipo de cereal e, na terceira, um tipo de leguminosa. No período seguinte, fazia-se o rodízio dos tipos de cultivo. 3. Aumento populacional Alimentos em maior quantidade e de melhor qualidade foram responsáveis pelo aumento da longevidade e, por consequência, pelo aumento populacional. 4. Formação das cidades Com o aumento da produção e da população, áreas vazias passaram a ser ocupadas, levando à formação de vilas e, então, de cidades, onde aconteciam trocas comerciais e se desenvolvia o artesanato. 5. Burgueses Assim eram chamadas as pessoas que se organizavam para atividades comerciais. 6. Modo de vida nas cidades As cidades eram cercadas por muralhas para proteção. Nelas, viviam pessoas de classes sociais diferentes, que se abasteciam de excedentes agrícolas. Theo de Freitas Holanda, 7º B


De acordo com o livro páginas: 59 a 64. 1. Em relação as transformações econômicas na Europa feudal, explique: início do comércio, atividades econômicas e Burgos/Burguesia. Com a grande produção de alimento, criou-se o comércio, e assim começou a moeda, o empréstimo, o crediário, entre outros. Burguesia foi a classe social da idade média onde os burgueses emprestavam e “trocavam” dinheiro cobrando com juros.. fizeram revoluções por abuso e injustiça. 2.Explicar os significados e os objetivos das corporações de ofícios e identificar as funções desempenhadas por: mestres, jornaleiros e aprendizes. Feita para regulamentar o processo produtivo e artesanal nas cidades consolidando o capitalismo. Os mestres eram os diretores, os jornaleiros eram os professores e os aprendizes eram os alunos. 3.Em relação as cruzadas, montar um quadro explicando: causa, significado, interesses econômicos e consequências. Causa: expedições para recuperar Jerusalém do domínio Otomano , assim como os objetos sagrados, restos mortais dos apóstolos e santos, e objetos sagrados. Significado: expedições cristãs financiadas pelos nobres. Interesses econômicos: conquistar novos mercados para os comerciantes, conquistas de territórios para os nobres, assim como ter contatos com novos produtos no Oriente e criar novas rotas comercias Consequências: no início recuperaram Jerusalém e áreas da Síria e Palestina, mas depois os turcos Otomanos reconquistaram Jerusalém. Os cristãos ficaram com regiões litorâneas da Síria e Palestina. Economicamente, o comércio foi favorecido, foram criadas novas rotas de comércio estimulando inovações nas construções navais e também houve variedades de produtos no Oriente. Lucca Fanucchi de Oliveira - 7º B


Fazer os exercícios 1 e 2 da página 70. 1)Observação as ilustrações a seguir. a)Como se chama e qual a vantagem do método de cultivo apresentado nas ilustrações? Sistema trienal, tem a vantagem de sempre ter uma terra fértil que garante mais produção com maior qualidade. b)Cite outras inovações técnicas ocorridas na Europa da Baixa Idade Media. •Moinho de vento e água. •Charrua. •Florestas derrubadas para plantação. •Construção de dique e canais de água. 2)Observe a figura abaixo. a)A que atividades se dedicavam os personagens representados na figura? Ao comércio. b)Que elementos da imagem permite identificar o trabalho desses personagens? Barraca, jóias e materiais a serem vendidos. c)Por que a atividade em questão foi importante para renascimento comercial na Baixa Idade Media? Volta a circulação de dinheiro, economia monetária. Pamela Benitez - 7º B


Peste Negra 1. Ler as páginas 66 e 67 e fazer um desenho que ilustre a peste negra. Colorir. 2. Elaborar um texto sobre a peste negra: origem da doença, cidades medievais, transmissão e consequências.

• Origem: Ratos doentes que chegaram na Europa, vindos nos navios que traziam mercadorias da Ásia. • Transmissão: -As cidades eram sujas, sem saneamento básico e cheia de pulgas. -Os ratos com a peste (vindos da Ásia) são picados pelas pulgas das cidades. -As pulgas infectadas com a peste mordem as pessoas. • Consequência -Com o medo da doença as pessoas fogem da cidade, vão para o campo e levam a doença junto. -Um terço da população europeia morreu com a doença. Júlia Cezar Carneiro de Lacerda 7ºB


Ler a página 66 e montar um quadro identificando: •Origem da peste negra.

* Transmissão da doença.

* Consequências (Decadência Feudal). Origem Transmissão Consequências A doença, originária da Era transmitida Vários fatores Ásia, chegou a Europa principalmente pelas contribuíram para que a por meio de animais pulgas dos ratos, fome devastasse a contaminados que espalhou-se de modo Europa no início do vinham nos porões dos fulminante pela Europa. século XIV. O esgotamento do solo navios carregados de mercadorias. diminuiu sua produtividade, as mudanças no clima, que se tornou mais frio, com chuvas prolongadas, provocaram a redução das colheitas. Muitas áreas de cultivo foram transformadas em pastos para a criação de ovelhas. Em decorrência de todos esses fatores, a queda na produção agrícola foi bem brutal, enquanto o preço dos alimentos subiu.

Fernanda Cirino - 7º C


Elaborar um texto sobre o final da Idade Média, levando em consideração o vídeo e o livro páginas 66 e 67. Colorir, ilustrar e explicar.

Catherine Cover 7º C


A partir do início do século XIV, uma profunda crise anunciou o final da época medieval. Fome, pestes, guerras, vulcões, mudanças climáticas muito bruscas entre 2 a 3,5 graus Celsius, as plantações acabaram, com a falta de sal seus alimentos não podiam ser refrigerados e rebeliões de servos atingiram a Caio Capuzzo 7º B essência do sistema feudal.

Bruno Tricate Malta 7º B


fÉÑ{|t cxÜxá Jœ Jœ U


Mariana Lima 7ยบ A


Giovanna Braghini 7ยบ B


Catarina Teixeira 7ยบ C


Pedro Kalluf 7ยบ B


Sophia Peres 7ยบ B


Danilo D’el 7º A


Surgimento dos estados nacionais

Centralização do poder real

Absolutismo monárquico

No final da idade media ocorreram o fortalecimento do poder do rei e a definição das fronteiras nacionais. Os soberanos desses estados foram apoiados pelos burgueses, porque o comercio era facilitado pelo estabelecimento de um padrão de medida, peso e moeda. Cada reinado virou um estado. Fatores: •Casamento entre nobres •União de feudos •Conquistas militares.

O aumento do poder real fez com que o rei tivesse o maior controle sobre o estado, definindo as leis, obtendo os impostos especialmente dos burgueses e definindo a linguagem única do estado. Rei com poder totallei, exército, funcionários, impostos, economia. Direitos divinos.

O crescimento do poder do rei foi tão grande que me alguns estados o rei ficou com o poder absoluto, inclusive sobre o poder legislativo e judiciário.


Explicar o significado de renascimento e justificar a expressão ruptura/tempos de mudança. •Podemos definir o Renascimento como um movimento de renovação artística, intelectual e cientifica. A idéia deles era fazer a distinção entre a cultura medieval, atrelada ao pensamento da igreja católica, e o “renascer” das artes e da ciência, livres dessa influencia. Tempos de mudança: o Renascimento faz parte de uma série de mudanças o corridas nas artes, política, técnicas e no conhecimento que o ser humano tinha do universo e de si mesmo. Antes do Renascimento eles acreditavam que todos os fenômenos eram causados por Deus, achavam que a terra era plana e Deus o centro do universo. Com as inovações alguns desses conceitos deixaram de ser validos, o homem passou a ser o centro do universo.


Descrever a nova maneira de representar o mundo. Antes eles colocavam todas as figuram no mesmo plano e sem expressões. As obras e os desenhos começaram a ter profundidade e a mostrar os objetos, as paisagens e as pessoas, como elas são na realidade; sensação de movimento nas obras, uso de técnica de perspectiva, pessoas desenhadas com traços que fazem ficarem mais próximas da realidade e uso das sombras. Caracterizar a presença dos mecenas na época dos renascentistas . Mecenas: nas cortes tinham reis, príncipes e mercadores conhecidos como mecenas, protetores das artes. O mecena exigia do artista obras, pinturas em troca de oportunidades de trabalho. Patrocinavam os artistas em troca de lealdade e prestígio social.


Identificar e explicar as características do Renascimento. O classicismo: pode ser definido como a tentativa de recuperar os modelos artísticos Greco romanos da antiguidade. A busca de inspiração nas ações, realizações e crenças desses povos expressava a intenção de romper com os valores medievais disseminados pela Igreja. O hedonismo pode ser explicado como uma forma de pensamento que valoriza os prazeres dos sentidos, o que inclui a valorização do corpo dos prazeres terrenos e espirituais da beleza e da perfeição. Enquanto a cultura das pessoas comuns estava voltada para a morte e a preparação para o paraíso os renascentistas celebravam a vida. O antropocentrismo: com as mudanças ocorridas na baixa idade média, o ser humano passou a valorizar sua capacidade criativa e realizadora. A partir dessa nova visão, denominada antropocentrismo, o ser humano passou a se dar um valor que antes não tinha. O humanismo: uma das principais características do Renascimento. As idéias humanistas pregavam a valorização do ser humano, a volta aos estudos dos pensadores da antiguidade e a busca da verdade pelo uso da razão. Giulia Junqueira 7º C


Reforma Religiosa •SIGNIFICADO – Martinho Lutero foi o responsável pelo movimento que dividiu a cristandade na Europa ocidental, dando origem as igrejas protestantes. A divisão entre católicos e protestantes não ficou limitada na Europa, mas se espalhou por todos os continentes. •CRITICAS AOS CLEROS – Entre as críticas ao clero estavam: despreparo intelectual, imoralidade, abuso de poder, isenção no pagamento de impostos, simonia e venda de indulgências. •Montar um quadro sobre as novas religiões: LUTERANISMO Líder – Martinho Lutero Local – Alemanha Características – Defendeu a salvação pela fé, autoridade religiosa: Bíblia condenou o culto aos santos a missa e a confissão. CALVINISMO Líder – João Calvino Local – Suíça Características – Defendeu a teoria da predestinação ( já nasciam predestinados a ser pobres ou ser ricos), jogos e festas foram proibidas, o trabalho enriquece e glorifica ANGLICANISMO Líder – Henrique IIIX Local – Inglaterra Características - Estudo da Bíblia, rei chefe da igreja e divórcio. Bruno Tricate Malta 7º B


•Fazer no caderno um desenho que ilustre o Engenho Colonial. Colorir, identificar e explicar os elementos do Engenho.

Adriano Guedes – 7º B


Os engenhos formavam um conjunto de construções normalmente interligadas: a casa grande, a senzala, a capela, as plantações de cana, a lavoura de subsistência, a casa do engenho. Na casa grande moravam o proprietário do engenho, sua mulher e seus filhos. Os escravos do engenho moravam na senzala. Na capela o padre celebrava a missa e outras cerimônias religiosas, como o batismo. A produção de açúcar era feita na casa do engenho. Após o açúcar ser prensado nas moendas, para extrair a garapa, o produto era encaminhado para a casa das caldeiras onde era cozido em enormes tachos de cobre. Depois de pronto, o melaço era levado a casa de purgar para a retirada das impurezas, etapa essencial para garantir a qualidade da mercadoria. Por fim, o produto era encaixotado e transportado para os portos onde embarcava rumo à Europa. Catherine Cover – 7º C


Fazer um desenho que ilustre um engenho colonial. Colorir e explicar os elementos do engenho.

1. Casa Grande: moravam o proprietário do engenho, sua mulher e seus filhos, além de outros parentes e alguns escravos domésticos. 2. Os escravos do engenho viviam na senzala. 3. Na capela, o padre celebrava a missa, e outras cerimônias religiosas, como o batismo. 4. No engenho também havia pequenas áreas de terra destinadas a produção de mandioca, milho e feijão e outros alimentos para os moradores. 5. As pessoas plantavam cana, para transformá-la em açúcar. 6. No engenho os escravos produziam o açúcar.


Em relação a escravidão negra, montar um quadro: Tráfico negreiro, viagem, chegada na América, trabalho escravo, Castigos. (Capítulo 13)

Tráfico Negreiro

Vários fatores fizeram com que as pessoas trocassem a mão-de-obra indígena pela mão-deobra negreira, uma delas foi que era muito difícil obter mão-de-obra indígena suficiente para produzir em grande escala, porque muitos nativos foram mortos em guerras, ou levados à morte por doenças que os portugueses transmitiam. O tráfico negreiro era muito rentável, e tornou-se uma das principais fontes de acumulação de capitais para Portugal. Podiam ser adquiridos em troca de moedasou produtos como rum e Tabaco.

Viagem

Os cativos eram transportados nos porões de navios negreiros (tumbeiros). Quando os barcos chegavam ao Brasil, os escravos (ou “peças”) eram encaminhadas para os “depósitos e preparadas para o comércio.

Chegada na América

Quando chegavam muitos estavam com piolhos, grandes feridas, e doenças de pele, além de estarem com muito medo e fome. Muitos morriam durante a viagem, só sobreviviam principalmente, homens jovens, mulheres, crianças e velhos.

Trabalho Escravo

Castigos

A escravidão é uma instituição muito antiga. Desde tempos remotos, homens e mulheres endividados e prisioneiros de Guerra, se tornavam escravos em troca de sua própria vida. Os negros africanos trabalhavam nas plantações, nos engenhos, em construções, na mineração e em atividades domesticas. As pessoas não recebiam dinheiro em troca do trabalho, não podem deixar o emprego e realizam suas funções sob vigilância permanente e ameaça de castigos físicos: eram torturados, chicotiados no pelourinho, não recebiam refeição, expostos ao calor acorrentados… Júlia Cezar Carneiro de Lacerda 7ºB

7ano  

magno revista 7 ano

Advertisement