Page 1

AGULHA

NOVEMBRO 2010 - Nº12

BOLETIM ORGANIZATIVO DE COMBATE DOS TRABALHADORES DO VALE DO SOUSA, VALE DO AVE e VALE DO CÁVADO

EDITORIAL

Greve Geral

Após semanas de discussão, o Orçamento de Estado para 2011 foi final e previsivelmente aprovado pelo PS/PSD. Este OE vem materializar os desejos de Sócrates e de Passos Coelhos, que passam pela destruição do SNS, pelo sistemático desinvestimento no Ensino Público, pelos cortes nos apoios sociais. Para além da violência das políticas que atacam os desempregados e os beneficiários do RSI, o Governo reduziu significativamente os salários dos funcionários públicos e congelou as reformas. Todas estas medidas de insensibilidade social são implementadas com a justificação da crise actual. O Governo e a burguesia falam-nos da inevitabilidade destas medidas para superarmos esta crise, no entanto não nos podemos esquecer que a crise não chega a todos. Somos nós, trabalhadores, que pagamos a factura de uma crise da qual não somos responsáveis, enquanto a Banca vai lucrando milhões. Face a todas estas políticas de direita, o mês de Novembro é de extrema importância para demonstrarmos o nosso descontentamento e rejeitarmos estas medidas. Para o dia 24 de Novembro está convocada uma Greve Geral pelas centrais sindicais CGTP e UGT. Esta data deve ser encarada como um momento importante para podermos paralisar o país e para demonstrar a força da nossa classe. No entanto, esta Greve não pode ser o fim da luta, deve ser encarada como uma etapa na concretização do nosso objectivo: derrubar os PEC´s! A combatividade dos nossos colegas Franceses e Gregos, que realizaram greves por tempo indeterminado, deve ser seguida. Só com a radicalização da luta é que podemos contrariar todas estas políticas injustas que nos empobrecem. Estas medidas de austeridade têm sido implementadas por toda a Europa, desta forma a classe trabalhadora europeia têm que dar uma resposta unificada, realizando uma greve Geral Europeia que faça tremer a burguesia e os seus representantes nos mais diversos Governos. É preciso lutar, é possível vencer!

Finalmente a Greve! Depois de reformas congeladas, depois de salários cortados, depois de abonos retirados e o IVA a aumentar foi convocada a Greve Geral. O Governo Sócrates, com o auxílio imprescindível do PSD, vai cortando os apoios sociais, vai destruindo a escola pública, encerra centros hospitalares e entrega os hospitais públicos aos grupos privados deteriorando, dia após dia, o serviço nacional de saúde. Todos estes cortes se fazem com a desculpa do défice público, mas não nos esquecemos que foi este Governo que enterrou 4 mil milhões de euros para salvar o BPN com dinheiro dos contribuintes.

Greve Geral para derrubar os PEC’s

A Greve marcada para 24 de Novembro representa um momento importante da luta social contra as políticas presentes nos PEC´s (Plano de Estabilidade e Crescimento).

É inexplicável a não convocação de uma manifestação, uma vez que estavam reunidas todas as condições para uma manifestação massiva onde demonstrássemos todo o nosso descontentamento a este Governo. Esta Greve Geral não pode ser mais um protesto, não pode ser o culminar da luta, deve ser a primeira etapa a percorrer até sairmos vitoriosos, até conseguirmos derrubar estes PEC´s. Estes ataques não se fazem sentir só em Portugal - os Governos Europeus, representantes dos interesses da banca, implementam duras medidas de austeridade que têm tido a resistência dos trabalhadores europeus. É importante uma respos ta conjunta da classe trabalhadora Europeia a estas políticas, façamos Greve Geral Europeia! No dia 24 resistamos aos ataques do Governo, demonstremos a nossa força, paralisemos o país!

1/2


AGULHA - Novembro 2010 - Nº 12

Boletim organizativo de combate dos trabalhadores

Em tempos de crise, os ricos mais ricos e os pobres mais pobres Conheceram-se, no início deste mês, as contas dos 4 maiores bancos privados portugueses (BES, BCP, BPI e Santander Totta). No total, estas entidades tiveram um lucro de 1122,2 milhões de euros, mais 53,4 milhões que no mesmo período do ano passado! É incrível como num período de crise ecónomica mundial, como aquele que vivemos, os senhores que controlam o capital financeiro vêem os seus bolsos cada vez mais cheios, ao passo que nós vemos os nossos cada vez mais vazios. É inadmissível a forma como o Governo carrega para cima de nós, trabalhadores, os custos desta crise, cortando nos salários, nos apoios socias e nos serviços públicos, enquanto os donos da banca levam para casa milhões e milhões. É escandaloso como nos vão por a pagar cerca de 80% da factura, destruindo as nossas condições de vida, enquanto eles, em conjunto com os especuladores da bolsa e os donos das grandes empresas, apenas se quedam com os restantes 20%. Não podemos ficar parados enquanto nos roubam o pouco que temos. Está na hora de dizer BASTA!!! Por isso, apelamos a todos os trabalhadores a aderirem à greve geral de dia 24 e a apelarem também junto dos seus colegas e das suas famílias à sua participação nesta luta para parar estas medidas injustas! BASTA DESTES CORTES A QUEM MENOS TEM E MAIS TRABALHA! NÃO PAGAREMOS A CRISE CRIADA PELA BANCA E PELOS ESPECULADORES! TODOS À GREVE GERAL DE DIA 24!!!

Breves

Abono de Família O Governo anunciou, já em Setembro, cortes no abono de família que entraram em vigor no passado dia 1 de Novembro. Actualmente, se uma família de 2 adultos e 1 filho quiser abono, cada adulto terá de ganhar menos de 628,38€ mensais. Isto significa que no próximo ano, as despesas com abono de família vão cair 26,7%, devido à eliminação dos escalões mais elevados e das novas regras de acesso às prestações sociais. Estas políticas afectam, como já sabemos, sobretudo as famílias de menores recursos e agravam o risco de pobreza infantil. Em 2008, 1 em cada 4 crianças era considerada pobre, o valor mais elevado da União Europeia. O problema agrava-se à medida que aumenta o número de crianças no agregado familiar, ou seja, o risco de pobreza aumenta nos agregados com mais crianças. Além disso, estas medidas injustas são um retrocesso nas políticas de incentivo à natalidade.

PORTUGAL - Manifestação Nacional da Função Pública, 6 Novembro; PORTUGAL - Greve Geral a 24 de Novembro contra as medidas de austeridade e contra os PEC’s; BRASIL - Manifestação de trabalhadores por melhores salários parou o trânsito; FRANÇA - Manifestação contra o aumento da idade da reforma, a 6 de Novembro; PORTUGAL - Manifestação contra a NATO em Lisboa a 20 de Novembro.

O Governo PS/Sócrates corta nos apoios sociais até das crianças. A crise tem de ser paga pelos ricos e não pelas crianças, nem pelos trabalhadores que nada têm que ver com ela. Não podemos deixar que nos retirem até os apoios mais elementares. TODOS À GREVE GERAL PARA DEMONSTRARMOS QUE ESTAMOS UNIDOS E QUE UNIDOS CONSEGUIMOS DERROTAR ESTAS MEDIDAS DE AUSTERIDADE!

TODOS À GREVE GERAL

24 Novembro

CONTACTO

Este boletim é um espaço para todos os que desejam empreender uma participação activa na reivindicação dos nossos direitos e na organização de todos nós trabalhadores para fazer frente ao derrotismo instalado. Queremos que todos aqueles que queiram dar voz aos seus desejos de luta, denunciar situações e não encontrem sítio, usem este espaço para contribuir para o nosso fortalecimento. Tudo sempre com todo o anonimato e a segurança necessárias.

CONTACTA-NOS por telefone: 919568535 envia um email para: boletim.agulha@gmail.com blog: boletimagulha.blogspot.com

PARTICIPA!

2/2

Agulha 12  

agulha nº 12

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you