Page 1

boletim informativo 6ª edição | Ano 2015

ARM - Águas e Resíduos da Madeira, S.A.

Funchal, janeiro de 2016

A ARM - Águas e Resíduos da Madeira, S.A. é uma empresa de capitais exclusivamente públicos que tem por objeto a exploração e a gestão do sistema multimunicipal de águas e de resíduos da Região Autónoma da Madeira.

ATI V ID A D E S

IN D ICADORES

pág 1

S E N S IB ILIZ A Ç Ã O

pág 2

pág2 14 pág


Indicadores Principais indicadores (baixa) de 2015, dos sistemas municipais de Câmara Lobos, Machico, Porto Santo, Ribeira Brava e Santana.

Quantidade água fornecida

4 795 001 m3

N.º Contratos Ativos

36 796 contratos

Quantidade Resíduos Recolhidos

28 190 toneladas

Recolhas Resíduos Verdes e Monos Contentores Lavados

serviço gratuito de recolha resíduos verdes e monos

3 074 pedidos 25 408 contentores

Conhece os serviços que a ARM presta aos seus clientes?

comunicar anomalias na rede (fugas/roturas na via pública)

comunicar anomalias resíduos (vandalismo contentores) serviço de limpa fossas conheça o nosso tarifário

comunicar leituras contador www.aguasdamadeira.pt | geral@aguasdamadeira.pt 1


atividades Em 2015, a ARM, S.A. realizou inúmeras atividades nas suas áreas de atuação (águas e resíduos), nos concelhos aderentes: Câmara de Lobos, Machico, Porto Santo, Ribeira Brava e Santana.

Intervenções nas redes de distribuição de água dos municípios ARM Durante o ano de 2015, a ARM, S.A. executou várias intervenções nas redes de distribuição dos municípios aderentes por forma a melhorar o abastecimento público de água aos seus clientes. As intervenções efetuadas foram sobretudo para substituição/recuperação de redes antigas e ou desadequadas; remodelação de ramais e colocação de novos contadores. A substituição/remodelação das redes de distribuição de água é imperativa, não só para garantir um melhor abastecimento à população, mas também para atenuar a elevada percentagem de perdas que se tem verificado (acima dos 60%). S ub st i t u iç ão de r e de - Fajã da s F lor e s, R i b e i r a Br ava

N ova r e de - C a mi nh o São João, C â m ar a de Lob os

S ub st i t u iç ão de r e de - V i a E x p r e ss o Fai a l, Sa n ta na

N ova r e de - Pa l m e i r a de C i m a, C a n iç a l, M ac hico

2


Controlo ativo de perdas de águas da rede de distribuição de água em baixa O Plano Nacional para o Uso Eficiente da Água (PNUEA) estabelece como meta a atingir até 2020, para a ineficiência no uso da água no setor urbano, 20% de perdas. A topografia, a idade das redes, a pressão e o tipo de material são fatores que contribuem para o nível de perdas de uma rede de distribuição de água. As perdas de água na rede de distribuição nos municípios aderentes ao sistema multimunicipal de distribuição de água sob gestão da ARM estão acima dos 60%. Há um longo caminho a percorrer. No sentido de inverter esta situação, a ARM tem em curso um projeto (PROJETO DE EXECUÇÃO DA REMODELAÇÃO E AMPLIAÇÃO DOS SISTEMAS DE ABASTECIMENTO E DE DRENAGEM DA ZONA LESTE - FASE 1) com objetivos de melhoria da gestão e funcionamento dos serviços municipais, nomeadamente no que se refere à distribuição de água e à drenagem de águas residuais, prevendo-se para o efeito a instalação de dispositivos de monitorização e controlo, bem como a resolução de problemas pontuais de funcionamento dos

A ç ão de de t eç ão de f u ga na r e de de di st r i b u iç ão de ág ua n o C u rr a l da s F r e i r a s

respetivos sistemas. A par disso, e no sentido de combater as perdas de água nas redes, a ARM efetua um controlo ativo de perdas, ou seja, dispõe de uma equipa que percorre a rede de distribuição de água, onde são colocados equipamentos de deteção de fugas. Os equipamentos utilizados são acústicos, ou seja, as fugas são localizadas com base no ruído que uma fuga provoca na rede. A água, ao sair por um orifício da fuga, origina vibrações nas tubagens, às quais associa-se um ruído característico definido por uma determinada gama de frequências dominantes. As técnicas acústicas consistem em analisar as frequências e a intensidade da onda sonora proveniente da fuga de água na rede que, tendo por base expressões matemáticas, permitem determinar a localização da rotura. Esta técnica tem duas fases: a primeira fase consiste na colocação de sondas pré-localizadoras que avaliam a probabilidade de existência de roturas na rede após um período de amostragem das frequências na rede. 3


Após o período de amostragem, as sondas pré-localizadoras informam da probabilidade de existência de fugas de água nos locais onde foram colocadas. Nos locais em que foi identificada elevada probabilidade de fuga são colocadas sondas para a localização exata da mesma. A localização da fuga é efetuada através da correlação das frequências entre as várias sondas colocadas numa determina área. Eq u i pa m e n tos de de t eç ão e x ata de f u ga s – s o n da s cor r e l a d or a s

Co lo c aç ão de s o n da s p r é-lo c a l i za d or a s na r e de de di st r i b u iç ão de ág ua e m M ac hico

A título de exemplo, na rede de distribuição associada ao Rerservatório do Paraíso, em Machico, após uma campanha de controlo ativo de fugas foi registada uma redução no consumo mínimo noturno (período do dia onde se regista menor consumo de água) de 23%.

Implementação de Planos de Segurança da Água (PSA) para consumo humano Visando a melhoria da qualidade da água fornecida aos seus clientes, deu-se início à implementação dos Planos de Segurança da Água (PSA) em 3 zonas de abastecimento dos concelhos do Porto Santo, Ribeira Brava e Câmara de Lobos, seguindo as metodologias preconizadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS) numa perspetiva de análise e prevenção de riscos em sistemas de abastecimento de água. Os PSA têm por missão assegurar, com confiança, o fornecimento de água potável ao consumidor final em qualidade compatível com as exigências legais aplicáveis, minimizando os riscos para a saúde pública da população servida.

Fajã d o Ro dr ig ue s


Para tal, importa que na elaboração dos PSA participem todos os agentes envolvidos no processo, desde a captação, passando pelo tratamento até à torneira do consumidor, numa abordagem de gestão de riscos. Sendo preocupação da ARM fornecer água segura aos seus clientes, esta empresa convidou várias entidades externas com competência em matéria da qualidade da água, nomeadamente, a Direção Regional do Ordenamento do Território e Ambiente (DROTA), a Saúde Pública através do Instituto de Administração da Saúde e Assuntos Sociais, IP-RAM, Câmaras Municipais de Ribeira Brava, Câmara de Lobos e Porto Santo a participarem neste projeto.

C a ptaç ão ág ua s ubt e rr â ne a - G a l e r i a da s R a baç a s

A 14 de agosto de 2015 realizou-se a primeira reunião do grupo de trabalho, para apresentação da equipa e metodologia, bem como da 1ª fase de trabalhos que a ARM desenvolveu desde abril de 2015. No dia 11 de Dezembro de 2015, promoveu-se um encontro do grupo de trabalho com as referidas entidades externas, onde foi apresentada e discutida a avaliação do risco dos sistemas das zonas de abastecimento atrás referidas.

Manutenção e Conservação de Infraestruturas A manutenção e conservação das infraestruturas é um trabalho contínuo e importante para o bom funcionamento de todo o sistema de abastecimento de água à população. Em 2015, a ARM, S.A. efetuou cerca de 80 intervenções de reparação e reabilitação de infraestruturas, das quais se destaca as seguintes:

Intervenção na Ponte de Santa Luzia - VR1 (Ribeira Brava-Caniçal) Tratou-se de uma intervenção programada de manutenção dos suportes da conduta suspensa na Via Rápida VR1 (Ribeira Brava - Caniçal). Os trabalhos, executados em período noturno, resumiram-se a: 1. Corte e remoção de pavimento betuminoso; 2. Demolições para rebaixo localizado de sistema de amarração; 5


3. Substituição de chapas de ancoragem e de amarração, pernos e abracadeiras; 4. Tratamento de berços; 5. Selagem com grout; 6. Aplicação de tapete betuminoso até a cota do pavimento existente. I n t e rv e n ç ão na p o n t e de Sa n ta Luz i a - V R1

Reparação de Conduta - Levada Nova de Machico (Preces - Machico) Na sequência de um deslizamento de terras da encosta sobranceira à Levada Nova de Machico, no sítio das Preces ocorreu um arrastamento parcial da conduta adutora em aço DN 275, com origem nas Fontes Vermelhas, comprometendo-se em termos de segurança o funcionamento do sistema de abastecimento. Graças a operações e manobras efetuadas pela ARM, S.A. foi possível efetuar a reparação sem interromper o abastecimento às populações servidas pela conduta adutora. Trabalhos efetuados: 1. Limpeza de terras sobre a conduta e criação de espaço no tardoz da conduta para efetuar o realinhamento; 2. Substituição de juntas; 3. Execução de maciços; 4. Reparação do canal. R e par aç ão de Co n du ta n o sí t io da s p r ec e s - m ac hico

6


Sistema de Abastecimento de Água e Saneamento da freguesia do Curral das Freiras - fase 1

F r eg ue si a d o C u rr a l da s f r e i r a s

A ARM, S.A. como entidade concessionária do Sistema Multimunicipal de Distribuição de Água e Saneamento Básico em Baixa da Região Autónoma da Madeira, no âmbito dos quais se incluem os serviços de distribuição de água para consumo público e a recolha de águas residuais urbanas, visando a melhoria da qualidade da água para abastecimento público e um adequado tratamento das águas residuais domésticas da freguesia do Curral das Freiras, procedeu à construção de redes de abastecimento de água e saneamento, e de uma Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) nesta localidade.

Abastecimento de água potável O Curral das Freiras dispunha de um sistema de distribuição domiciliária de água deficitário devido à sua antiguidade. Embora houvesse abastecimento domiciliário de água nesta localidade, a qualidade não estava conforme as normas legalmente exigidas (Decreto-Lei n.º 306/2007, de 27 de agosto). A ARM, S.A. no âmbito do projeto “Sistema de Abastecimento de Água e Saneamento da freguesia do Curral das Freiras - fase 1”, realizou trabalhos em várias zonas desta freguesia, nomeadamente,

7


nos sítios: da Achada e Balseiras (centro da localidade), Murteira, Capela, Casas Próximas e Terra Chã, de modo a dotar a população de um sistema de abastecimento domiciliário de água que cumpra as exigências técnicas previstas na regulamentação em vigor, mas que acima de tudo contribua para a melhoria da qualidade de vida e do bem-estar da mesma. R e s e rvatór io da Te rr a C h ã e m co nst ru ç ão

Saneamento básico No âmbito do referido projeto, procedeu-se também ao lançamento de nova rede de saneamento, em várias zonas do Curral das Freiras (centro da freguesia, Murteira e Capela), por forma a disponibilizar aos seus habitantes um serviço de escoamento das águas residuais domésticas, promovendo-se igualmente a melhoria da qualidade de vida, das condições sanitárias e do bem-estar da populção residente.

Início do controlo de qualidade da água fornecida O Plano de Controlo de Qualidade de Água (PCQA) constitui um programa de controlo analítico cujo objetivo é verificar o cumprimento dos valores paramétricos do Decreto-lei nº 306/ 2007, de 27 de Agosto, relativos à qualidade da água para o consumo humano. O PCQA é elaborado nos termos definidos no referido decreto-lei, e submetido à aprovação da autoridade competente, a DROTA Direção Regional do Ordenamento do Território e Ambiente. O PCQA permite avaliar continuamente a qualidade da água fornecida aos utentes do sistema de abastecimento, garantindo a sua conformidade com os valores legalmente estabelecidos. Durante 2016, a ARM, S.A. efetuará análises de controlo de qualidade da água distribuída nesta freguesia e no próximo ano serão publicados os resultados das análises.

Esta obra da responsabilidade da ARM – Águas e Resíduos da Madeira, S.A. está associada a um investimento público na ordem dos 3M/€, cofinanciado pela União Europeia ao abrigo do Programa Operacional de Valorização do Potencial Económico e Coesão Territorial da RAM, designado por Programa Intervir+.

8


ETAR do Curral das Freiras A ARM, S.A. com a construção da Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) do Curral das Freiras pretende dotar esta freguesia de uma estação que trate e devolva ao meio recetor, em condições de qualidade regulamentares, as águas residuais domésticas que serão drenadas pelo sistema de drenagem implementado nesta localidade, e que serve cerca de 500 habitantes. A ETAR confere um grau de tratamento às águas residuais que está de acordo com os parâmetros definidos no Decreto – Lei n.º 152/97, de 19 de junho e no anexo XVIII, do Decreto – Lei n.º 236/98, de 1 de Agosto. Esta obra é da responsabilidade da ARM – Águas e Resíduos da Madeira, S.A., e está associada a um investimento público elegível de 444.225,01€, cofinanciado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER), ao abrigo do Programa Operacional de Valorização do Potencial Económico e Coesão Territorial da Região Autónoma da Madeira 2007-2013 (PO Intervir+).

E TA R d o C u rr a l da s f r e i r a s e m co n st ru ç ão

O que é uma ETAR? ETAR - Estação de Tratamento de Águas Residuais, é uma infraestrutura que tem se destina ao tratamento de águas residuais de origem doméstica (mais conhecidas por esgotos), através de processos físicos que removem partículas sólidas da água, para posteriormente ser encaminhada para o meio marinho sem risco de contaminação deste.

9


Rede de Rega do Parque Agrícola do Porto Santo A obra “Rede de Rega do Parque Agrícola do Porto Santo (PAPS)” dotou de um sistema de distribuição de água de rega as zonas das Cancelas, Lombas e Campo de Cima, na ilha do Porto Santo, para beneficiação do perímetro agrícola do “Parque Agrícola do Porto Santo” e arredores, visando a resolução dos problemas da fraca pluviosidade anual e da elevada antiguidade das infraestruturas de captação e de distribuição de água para irrigação da zona abrangida pelo respetivo complexo agrícola.

R e s e rvatór io de r ega d o sí t io d o Ta n q ue

Os trabalhos desenvolvidos foram os seguintes: remodelação/ampliação de um reservatório e instalação de um novo sistema elevatório no sítio do Tanque; execução de um sistema de filtragem automática na Lingua de Vaca; execução de uma nova rede de distribuição em PEAD com escoamento sob pressão; construção de caixas de derivação e descargas de fundo e de hidrantes de rega e respetivos acessórios. A distribuição é realizada por 63 hidrantes perfazendo um total de 126 bocas de rega. A par desta intervenção principal, o projeto incluiu também o lançamento de condutas elevatórias, numa extensão total de cerca de 1,2 km, fornecimento e instalação de equipamentos eletromecânicos e integração no Sistema de Telegestão.

um d os 63 hi dr a n t e s da r e de de r ega d o pa p s

Esta obra concluída a meados de 2015 representa um investimento público na ordem dos 978 000,00€, cofinanciado pela União Europeia ao abrigo do Programa de Desenvolvimento Rural para a Região Autónoma da Madeira (PRODERAM), do FEADER.

10


Entrada em funcionamento da 3ª Fase e selagem da 2ª Fase B do Aterro da ETRS da Meia Serra

O projeto “3ª Fase do Aterro Sanitário da ETRS da Meia Serra” incluiu as componentes de planeamento/ conceção (projetos técnicos) construção e supervisão (assessoria à fiscalização, controlo de qualidade e coordenação e segurança) respeitantes à construção da 3ª Fase do Aterro da ETRS da Meia Serra (composto por 2 células diferenciadas A1 e B) e também respeitantes à construção dos respetivos acessos e infraestruturas associadas, bem como à selagem da 2ª Fase B do Aterro. A construção da 3ª Fase do aterro sanitário permitiu dotar a Região de uma solução técnica e ambientalmente correta para o destino final dos resíduos sólidos resultantes dos processos de tratamento instalados na Estação de Tratamento de Resíduos Sólidos da Meia Serra e dos que não podem ser tratados pelos métodos implementados, constituindo uma alternativa à instalação que se encontrava em operação (2ª Fase B), e que, entretanto, atingiu a sua capacidade limite.

3 ª fa s e d o At e rro da E T R S da M e i a S e r r a

Foram construídas células específicas para a deposição de escórias e de resíduos não passíveis de tratamento por incineração ou compostagem e para a deposição de cinzas provenientes das instalações de incineração e que são previamente inertizadas.

11


Com a entrada em funcionamento da 3ª Fase do Aterro, em 2015 e com o esgotamento da capacidade de deposição de resíduos nas células do aterro que se encontrava em operação - 2 ª Fase B - tornou-se necessário dar início à selagem das respetivas células e à recuperação paisagística do local. Assim, a selagem da 2ª Fase B do aterro permitirá integrar a infraestrutura na sua envolvente biofísica e paisagística, dando assim cumprimento ao disposto na legislação específica aplicável, bem como, reduzir a quantidade de lixiviados afluentes à ETAR.

s e l age m da c é lul a (2 ª fa s e B) de R SU e e s cór i a s

s e l age m da c é lul a (2 ª fa s e B) de C i nza s

Este projeto da responsabilidade da ARM - Águas e Resíduos da Madeira, S.A. representa um investimento público na ordem dos 8,9 M/€, cofinanciado pela União Europeia ao abrigo do Programa POVT - Eixo Prioritário IV - Redes e Equipamentos Estruturantes da Região Autónoma da Madeira.

O que é um Aterro Sanitário? É uma modalidade de confinamento de resíduos no solo em local especialmente preparado - impermeabilizado e com sistemas de recolha, tratamento e monitorização de efluentes líquidos e gasosos - onde os resíduos são depositados ordenadamente e cobertos com terra ou material similar. Na ETRS da Meia Serra o aterro em operação (que se apresenta de seguida) é composto por duas células: uma para depositar as escórias e outra para depositar as cinzas inertizadas provenientes da unidade de incineração.

12


Recolha de Resíduos

Em 2015, a ARM, S.A. recolheu 28 190 toneladas de resíduos, entre as quais, 25 405t de resíduos indiferenciados, 344t de embalagens de plástico e metal, 810t de papel e cartão, 846t de vidro, 785t de outros (resíduos verdes, monos: eletrodomésticos, móveis, etc.). Quantidades resíduos recolhidos nos municípios da ARM, em 2015 (toneladas)

Município

Indiferenciado

Plástico/Metal

Papel/Cartão

Vidro

Outros resíduos

Ribeira Brava

3 693

48

104

130

34

Câmara de Lobos

9 566

143

327

244

244

Machico

7 644

53

185

181

125

Santana

2 018

28

61

127

53

Porto Santo

2 484

73

133

165

329

25 405

344

810

846

785

Total

A percentagem de resíduos indiferenciados recolhidos representa 90% da totalidade da recolha dos resíduos.

Distribuição dos resíduos recolhidos nos municípios da ARM, em 2015 (%) 3% 3% 1%

A quantidade de recolha dos restantes resíduos representam apenas 10%, dos quais 3% são embalagens de plástico e metal, 3% resíduos de papel e cartão, 3% de vidro e ainda 1% de outros resíduos, entre os quais, resíduos verdes, eletrodomésticos, móveis, etc.

3%

Indiferenciado Plástico/Metal Papel/Cartão Vidro 90%

Outros resíduos

Serviço gratuito de recolha de resíduos verdes e monos Durante 2015, esta empresa recebeu 3 074 pedidos para o serviço gratuito de recolha de resíduos verdes e monos que é realizado mediante pedido, através do n.º verde 800 910 500 na ilha da Madeira e do n.º 291 980 560 na ilha do Porto Santo. No total, foram recolhidas cerca de 785 toneladas de resíduos verdes, monos (eletrodomésticos, móveis, etc.) e outros.

Serviço lavagem de contentores A lavagem automática de contentores de resíduos é um serviço único na Região que a ARM, S.A. presta aos 5 municípios aderentes com recurso a duas viaturas preparadas para o efeito. Durante todo o ano, as viaturas percorrem os vários municípios aderentes, procurando garantir a lavagem dos contentores entre 2 a 6 vezes por ano, com maior incidência nas zonas urbanas. Em 2015, foram lavados 25 408 contentores. 13

L avage m de Co n t e n t or


sensibilização Ações de sensibilização e visitas às estações de tratamento de água e resíduos da ARM, S.A. Em 2015 realizaram-se 75 visitas às estações de tratamento de águas e de resíduos da ARM, S.A., e 23 ações de sensibilização com os temas: “O Valor da Água” e “Valorizar os Resíduos”, em estabelecimentos de ensino, juntas de freguesia e centros cívicos.

No total foram sensibilizadas 2 678 pessoas, através destas atividades, dinamizadas um pouco por toda a Região, com principal enfoque nos municípios aderentes.

Nr.participantes participantes visitas Nr. visitaseeações ações2015 2015 >60 anos 30-59 anos 18-29 anos 14-17 anos

A maioria dos participantes nas atividades realizadas pertencem às faixas etárias a frequentar os 2º e 3º ciclos do ensino básico (10 a 17 anos).

10-13 anos 6-9 anos 3-5 anos 0

» Grupo Amigos do Fiat Madeira ETA da Alegria

100

200

300

400

500

600

700

800

» DROTA ETA de Santa Quitéria

» Universidade da Madeira ETZl/ET - Porto Novo

» Centro Social Calheta ETRS da Meia Serra

14


Estas iniciativas visaram a consciencialização de todos para a adoção de comportamentos sustentáveis no seu quotidiano, especialmente para o uso racional da água e a redução, separação e correta deposição e ou encaminhamento dos resíduos para o local adequado (por ex. Ecocentros).

sensibili zar para educar

Além das habituais ações de sensibilização e visitas às estações que ocorrem durante todo o ano, dinamizaram-se campanhas de sensibilização em vários meios de comunicação e promoveram-se outros eventos a assinalar dias comemorativos.

Campanha: Poupança de Água A ARM – Águas e Resíduos da Madeira, S.A., colaborou com a Secretaria Regional do Ambiente e Recursos Naturais, na campanha de sensibilização para a poupança de água em vários meios de comunicação (televisão, rádio, impressa escrita e redes sociais, entre outros), que se iníciou no passado mês de agosto e se estende até o fim do mês de outubro. O objetivo primordial da campanha consistiu na demonstração inequívoca de que é possível, diariamente e com pequenas mudanças de hábitos, reduzir substancialmente o consumo de água, até porque é um imperativo global que toda a população assuma uma atitude de responsabilização individual, como forma de coletivamente marcar a diferença. Só adotando um consumo racional do recurso hídrico se pode garantir que, hoje e futuramente, este seja disponibilizado em quantidade e qualidade para o consumo de toda a população, bem como para outros fins essenciais como, por exemplo, o abastecimento agrícola. Na rua

Na casa de banho

Na cozinha


Campanha de divulgação do Serviço de Recolha Gratuito de Resíduos Verdes e Monos

A ARM, S.A., lançou nos meses de novembro e dezembro de 2015 uma campanha de divulgação do seu Serviço Gratuito de Recolha de Resíduos Verdes e Monos, nos Municípios de Câmara de Lobos, Machico, Porto Santo, Ribeira Brava e Santana. O objetivo da divulgação deste serviço foi o de evitar o abandono de eletrodomésticos, móveis, resíduos provenientes da limpeza de jardins e terrenos, entre outros, na via pública, junto aos contentores, ribeiras e na floresta, promovendo assim a limpeza dos espaços públicos, e consequentemente o bemestar, segurança e saúde da população. A divulgação efetuou-se em vários meios de comunicação, designadamente: mupis e outdoors, imprensa escrita, televisão, folhetos e cartazes em vários pontos de atendimento ao público, redes sociais e sites e outras ações de sensibilização à população e contou com o apoio da Secretaria Regional do Ambiente e Recursos Naturais (SRA) e dos Municípios aderentes atrás referidos.

Fazendo um balanço da campanha (através da comparação dos valores de 2015 com os do período homólogo em 2014, designadamente o número de pedidos efetuados e a quantidade de resíduos recolhida) conclui-se que os objetivos da mesma foram cumpridos: i. Dar a conhecer o serviço a um maior número de clientes da ARM, o que se pode verificar com o aumento do número de pedidos este ano em todos os municípios relativamente ao mesmo período no ano anterior; ii. Evitar o abandono de resíduos verdes e monos junto aos contentores e na via pública, principalmente nos municípios de Machico e Câmara de lobos, municípios onde estas situações 16


mais ocorriam. Crê-se que esta situação tenha sido atenuada pelo aumento considerável das quantidades recolhidas nestes dois municípios. Quantidades Recolhidas (t/ano) - 2015 e 2014

Nº pedidos - 2015 e 2014

Ribeira Brava

Ribeira Brava

Câmara Lobos

Câmara Lobos

Machico

Machico

Santana

Santana

Porto Santo

Porto Santo 0

10

20

Quantidade (t) 2015

30

40

50

60

70

Quantidade (t) 2014

0

50

100

Nº pedidos 2015

150

200

250

300

350

Nº pedidos 2014

Importa referir que a colaboração entre as as diversas entidades (Munícipios, Juntas de Freguesia, Casas do Povo, entre outras) revelou-se fundamental para um contacto mais direto e próximo com a população.

Comemoração do Dia Nacional da Água Para assinalar o Dia Nacional da Água, a 1 de outubro, e com o intuito de promover a reflexão sobre a importância da gestão adequada dos recursos hídricos e a necessidade do seu uso racional, a ARM – Águas e Resíduos da Madeira, S.A. dinamizou visitas abertas ao público a duas Estações de Tratamento de Água (ETA: ETA Eng. Manuel Rafael Amaro da Costa (Alegria) e à ETA de Santa Quitéria. A Secretária Regional do Ambiente e Recursos Naturais, Professora Doutora Susana Prada, juntou-se a esta iniciativa e esteve presente numa das visitas à ETA Engº. Manuel Rafael Amaro da Costa (Alegria). » Universidade da Madeira - Mestrado Engenharia Civil, com a presença da S.ª Secretária Regional do Ambiente e Recursos Naturais Visita ETA da Alegria e Centro de Telegestão da ARM

17


responsabilidade social Apadrinhamento de crianças e jovens da ABRAÇO - Natal 2015 No Natal de 2015, os colaboradores da ARM, S.A voltaram a oferecer prendas a 18 crianças e jovens da ABRAÇO (Madeira). “A ABRAÇO é uma associação privada sem fins lucrativos que presta apoio a pessoas infectadas e afectadas pelo VIH e desenvolve também ações de prevenção para a redução do vírus, dirigidas a todos quanto se encontram em risco de novas infeções. Foi fundada a 5 de Junho de 1992 como instituição particular de solidariedade social (IPSS) com fins de saúde, segundo a legislação portuguesa, gozando do estatuto de Organização Não Governamental (ONG) para o desenvolvimento. Atualmente, a ABRAÇO desenvolve as suas áreas de intervenção em 4 Delegações (Lisboa, Setúbal, Funchal e Porto) lutando diariamente em prol de uma sociedade mais justa e igualitária.”

Outras causas sociais Os colaboradores da ARM, S.A. têm vindo a colaborar com outras causas sociais, nomeadamente: - Banco Alimentar Contra a Fome, como voluntários nas ações de recolha de bens alimentares que esta entidade organiza, várias vezes ao ano, junto a estabelecimentos comerciais (hiper e supermercados); - Associação Ajuda a Alimentar Cães, através de donativos em dinheiro e em géneros (ração para cão e para gato e comida em lata; desparasitantes internos e externos para cão e para gato; casotas em plástico; produtos de limpeza; mantas, toalhas ou lençóis usados; coleiras anti-parasitárias; medicamentos de uso veterinário, entre outros. Conheça e ajude também estas causas: www.bancoalimentar http://www.facebook.com/ajudaaalimentarcaes ajudaaalimentarcaes@hotmail.com 18


Contactos sede ARM, S.A. Rua dos Ferreiros, nยบ 148 - 150, 9000-082 Funchal geral@aguasdamadeira.pt | T. 291 201020 | F. 291 201021 /aguasdamadeira | www.aguasdamadeira.pt

Boletim informativo arm 6ª edição  
Advertisement