Edição nº 18 | #EMCASACOMOPAVILHAODAAGUA – Economia Circular

Scroll for more

Page 1

Sustentabilidade e Ambiente Edição nº 18 | #EMCASACOMOPAVILHAODAAGUA – Economia Circular

Notícia O impacto do vírus na sociedade, na saúde e na economia impõe o reforço de ações e respetiva valorização. A economia circular é um modelo de produção e de consumo que desenvolve a partilha, o aluguer, a reutilização, a reparação, a renovação e a reciclagem de materiais e produtos existentes. Com a inclusão deste conceito nas ações do dia-a-dia conseguimos alargar o ciclo de vida de diferentes produtos. Com vista à otimização dos recursos, à minimização dos riscos sistémicos e à criação de fluxos renováveis, este modelo pretende atingir uma gestão mais eficiente dos recursos naturais, prolongando o valor do produto. No caso das empresas, traduzse na criação de uma dinâmica mais equilibrada, nomeadamente na associação entre o crescimento económico e o consumo de recursos não renováveis.

Nesta Edição PG. 2  Economia Circular e Sustentabilidade  Sabia que… PG. 3  Pavimento Betuminoso 100% Reciclado  Dias Comemorativos - fevereiro PG. 4  Porto – Cidade Circular  Atividade em Família – Sacos de Chá Reutilizáveis  Sugestões


Economia Circular e Sustentabilidade

Sabia que… O modelo circular assume que os produtos e serviços têm origem em fatores da natureza, e que, no final da vida útil, retomam à natureza através de resíduos ou através de outras formas com menor impacto ambiental.

Sabia que…

Economia Circular é um conceito estratégico que assenta na redução, reutilização, recuperação e reciclagem de materiais e energia. Substituindo o conceito de fim-de-vida da economia linear, por novos fluxos circulares de reutilização, restauração e renovação, num processo integrado, a economia circular é vista como um elemento chave para promover a dissociação entre o crescimento económico e o aumento no consumo de recursos, relação até aqui vista como inexorável. Inspirando-se nos mecanismos dos ecossistemas naturais, que gerem os recursos a longo prazo num processo contínuo de reabsorção e reciclagem, a Economia Circular promove um modelo económico reorganizado, através da coordenação dos sistemas de produção e consumo em circuitos fechados. Caracteriza-se como um processo dinâmico que exige compatibilidade técnica e económica (capacidades e atividades produtivas) mas que também requer igualmente enquadramento social e institucional (incentivos e valores). A sua definição é muito clara “Manter o valor dos produtos, componentes e materiais no mais alto nível possível em todos os momentos do ciclo de vida, eliminado a própria ideia de desperdício, utilizando menos recursos, de forma mais eficiente e produtiva”. A Economia Circular abre assim um grande espaço para a inovação com natureza disruptiva em toda a cadeia de valor e oferece um sem número de oportunidades.

Segundo dados da Agência Portuguesa do Ambiente apenas 16% dos resíduos são recolhidos seletivamente para valorização material. Para onde vão todos esses resíduos? A maioria, para aterro. Outra percentagem, 11%, para reciclar.

Sabia que… A economia circular impulsionará a competitividade da UE ao proteger as empresas contra a escassez dos recursos e a volatilidade dos preços, ajudando a criar oportunidades empresariais e formas inovadoras, mais eficientes de produzir e consumir.

Sabia que… Atualmente, o consumo global de recursos naturais é 20% maior que a oferta, e 70% das emissões de CO2 advém do meio urbano? Já em Portugal, as principais fontes poluentes estão ligadas ao uso excessivo do automóvel e à frequente substituição de bens de consumo, que acabam em aterros!

Economia Circular

Para o desenvolvimento da Economia Circular, inovar é a chave! Edição nº 18 | #MERGULHOSEGURONOCONHECIMENTO – Economia Circular

2


Pavimento Betuminoso 100% Reciclado

Dias Comemorativos - fevereiro

Trata-se de um projeto inovador implementado pela Unidade Administração Direta, da Águas e Energia do Porto,EM. Tradicionalmente os resíduos associados a pavimentos em betuminoso (alcatrão) produzidos diariamente por diferentes Unidades da Empresa, no âmbito das reparações de infraestruturas instaladas na via pública, são depositados em estaleiro próprio, após um processo de separação, recolha, transporte. Este procedimento, para além de moroso, envolve significativos meios logísticos e custos elevados associados à utilização de meios mecânicos e mão-deobra. Agora, e na expectativa de prolongar o ciclo de vida destes materiais, evitando-se a devolução de alguns dos resíduos, pretende-se que estes passem a ser utilizados como fonte de novos produtos, reintroduzindo-os no ciclo da cadeia de valor.

2 – Dia Mundial das Zonas Húmidas

Por regra a reposição de um pavimento em betuminoso, resulta de uma ação de reparação das infraestruturas, e é realizada através da aplicação de um pavimento provisório a frio, sendo posteriormente aplicado o pavimento definitivo a quente. Num cenário de aplicação direta deste novo produto, evita-se a necessidade da aplicação do pavimento provisório, eliminando-se dessa forma algumas das ações de intervenções intermédias e obtendo-se a vantagem da aplicação de um produto de qualidade, com redução do custo final, em cerca de 50%. Estimulados pela consciência ambiental, este projeto propõe a reciclagem do material fresado, extraído em repavimentações betuminosas e/ou reparações das infraestruturas, que com a adição de uma emulsão líquida, se transforma novamente em betão betuminoso, para aplicação em pavimentos definitivos, com as características técnicas definidas e aceites pela CMP. Assim, prolonga-se o ciclo de vida desses materiais, evitando-se a sua devolução em forma de desperdício, num conceito de economia circular.

Este dia comemorou-se pela primeira vez em 1997. Entende-se por zonas húmidas as áreas de sapal, paul, turfeira, ou água, sejam naturais ou artificiais, permanentes ou temporárias, com água que está estagnada ou corrente, doce, salobra ou salgada. 12 – Dia de Darwin Além das descobertas de Charles Darwin (teoria da evolução das espécies), neste dia festeja-se a ciência, a evolução e a humanidade em si. O objetivo deste dia é inspirar as pessoas pelo mundo, a refletir e a agir cientificamente com curiosidade e procura pela verdade. 14 – Dia dos Namorados Este dia é uma manifestação romântica que é celebrado no dia da morte do Bispo Valentim que foi morto pelo imperador que proibiu casamentos, alegando que os homens solteiros tinham melhor desempenho nas batalhas. O Bispo Valentim desobedeceu às ordens imperiais, celebrando casamentos às escondidas. 16 – Dia de Carnaval Este evento também conhecido como “entrudo” é uma festa pagã que se comemora sempre numa terça-feira, tendo lugar todos os anos em dias diferentes. Do Carnaval até à Páscoa são 40 dias, os quais a igreja recorda como o período em que Jesus esteve no deserto e foi tentado pelo demónio. Este é o tempo da Quaresma, que se inicia na quarta-feira de cinzas, dia seguinte ao Carnaval. 22 – Dia do Pensamento Este dia também conhecido como dia do Fundador, foi criado com o intuito de promover a reflexão a nível mundial de várias temáticas e de assegurar a fraternidade.

Edição nº 18 | #MERGULHOSEGURONOCONHECIMENTO – Economia Circular

3


Porto – Cidade Circular “O Porto é uma referência nacional de eficiência no uso dos recursos em todas as suas funções e de equilíbrio ambiental”.

A Economia Circular é deste modo, um tema central na Estratégia Municipal de Ambiente da Câmara Municipal do Porto. Com o objetivo de transformar o Porto numa cidade circular em 2030, desenvolveu um “Roadmap” com ações concretas da Autarquia.

O Porto foi também uma das cidades pioneiras a aderir ao Green City Accord, em 22 de outubro de 2020. Uma iniciativa da Comissão Europeia, com a ambiciosa visão de que “em 2030, as cidades possam ser locais atraentes para viver, trabalhar e investir, apoiando a saúde e o bem-estar dos europeus. Todos os europeus respirarão ar puro, desfrutarão de água limpa, terão acesso a parques e espaços verdes e sentirão menos ruído ambiente. A economia circular será uma realidade e o desperdício será minimizado graças a uma maior reutilização, reparação e reciclagem”.

Atividade em Família – Sacos de Chá Reutilizáveis O que é que a alimentação tem a ver com a economia circular? A economia circular baseia-se no uso sustentável de recursos naturais e no respeito pelos limites do planeta. Sabendo que a indústria agroalimentar possui uma enorme pegada ambiental, a mesma é um sector prioritário para aplicar estes conceitos. E nós, podemos ajudar? Como consumidores, temos um papel fundamental a desempenhar de modo a alcançar padrões sustentáveis de consumo.

De acordo com a New Scientist beber um saquinho de chá de plástico em água aquecida a 95 graus Celsius liberta cerca de 11,6 mil milhões de microplásticos num único copo. Sabia que… é fácil fazer os seus próprios sacos de chá reutilizáveis? Descubra tudo aqui.

10 Programas de Fim-de-Semana https://bit.ly/PlanosFimdeSemana H2Online - Nuvens Mágicas https://bit.ly/NuvensMagicas Sugestão de Documentário Minimalismo Surrender -Birdy https://bit.ly/Birdy_Surrender Edição nº 18 | #MERGULHOSEGURONOCONHECIMENTO – Economia Circular

4