Issuu on Google+

águas frescas Águas de Cascais

Primeiro Semestre 2013

Cascais, a crise e as vendas.

Apesar do número de habitantes em Cascais (agora em desaceleração), ter registado um crescimento muito significativo ao longo desta última década (20% entre 2001/2011), o número de litros de água que cada um destes habitantes consome por dia é cada vez menor, ou seja, temos então um cenário de mais habitantes a consumir cada vez menos. Em 2009, cada habitante consumia cerca de 165 litros por dia. Hoje, o consumo diário regista apenas 140 litros (capitações domésticas).

15.500.000,00 15.000.000,00 Dez-13

Dez-12

Dez-10

Dez-11

14.500.000,00

Se o número de habitantes cresceu 20% entre 2001 e 2011, porque é o número de Clientes não acompanhou este crescimento? Um fenómeno social que eventualmente explica esta dessintonia entre o crescimento da população e o número de clientes, poderá ser o facto de as pessoas estarem a optar por partilhar a casa, em alternativa a viverem sozinhas. Partilhar casa reflecte-se, naturalmente, numa poupança para os Clientes e, paralelamente, numa redução de receita para a Águas de Cascais. 210.000

250

209.000

240

208.000 207.000

230

206.000

220

205.000 204.000

210

203.000

200

202.000

190

201.000 200.000

180

Capitações – Consumos totais per capita Últimos 12 meses (litros/habitantes/dia)

Estaremos nós a consumir cada vez menos?

16.000.000,00

Dez-13

Há quatro anos, cada habitante consumia cerca de 165 litros por dia. Hoje, registamos apenas 149 litros.

16.500.000,00

Dez-12

Número de Habitantes cresceu. Número de Clientes não.

17.000.000,00

Dez-11

(continuação do artigo anterior)

17.500.000,00

dez-09

Para além de uma vagarosa mas crescente consciência ambiental, outro factor que tem contribuído para uma

18.000.000,00

Dez-10

Estes desvios podem ser explicados por uma série de factores, como o menor número de clientes, descida das capitações no consumo e, por conseguinte, menor volume de água facturada.

18.500.000,00

dez-09

As últimas previsões mostram-nos o substancial desvio negativo no Volume Anual de Água Facturada, que, nos últimos quatro anos, chegou aos 2.329.341m³, ou seja, 13% abaixo do registado em 2009. Prevê-se, inclusive, até ao final do ano, que a diferença entre o volume real facturado e o volume previsto, no modelo económicofinanceiro da Concessão, atinga os 18%.

Parecendo que não, estes últimos são responsáveis por cerca de 10% do consumo de água numa habitação** e a sua redução está directamente ligada aos desenvolvimentos tecnológicos verificados nos últimos anos.

ÁGUA FACTURADA (m³) – ÚLTIMOS 12 MESES

*Fonte: Eurostat – Paridades de Poder de Compra 2012.

Este sinal pouco animador, tem tido um impacto negativo e directo não só em nossas casas, como também no desempenho/resultados de grande parte das empresas que operam em Portugal. A Águas de Cascais não foi excepção.

redução do consumo, prende-se com a própria eficiência dos sistemas de rega e electrodomésticos, como máquinas de lavar roupa e loiça.

População residente em Cascais

É sabido que o poder de compra dos Portugueses tem vindo a distanciar-se cada vez mais da média europeia. Em 2001 era 80% e em 2012 chegou aos 75%, ou seja, 25% abaixo desta referência*.

**Fonte: Programa Nacional para o Uso Eficiente da Água (2001)

Edição n.º 22 ▪ Ano 2013


águas frescas Águas de Cascais

Edição n.º 22 ▪ Ano 2013 Como avalia o valor da factura Águas de Cascais relativamente ao de outras entidades abastecedoras de água que conhece?

Especial Inquérito de Satisfação a Clientes

Apenas 3% dos Clientes sabem que o valor da Factura da Águas de Cascais é inferior ao de concelhos limítrofes. No passado mês de Junho, a Águas de Cascais enviou a todos os seus Clientes com endereço de e-mail registado (23.301), um Inquérito de Satisfação, ao qual recebemos 3.919 respostas, ou seja, 16,81% do universo de e-mails enviados (3,52% do total de Clientes). Para além de muitas outras conclusões que vale a pena conhecer, fica aqui registado o seguinte destaque: Não obstante do esforço e estudos que têm vindo a ser feitos, em matéria de comparação tarifária, 97% dos Clientes da Águas de Cascais ainda não sabem que em Cascais, o valor da factura que pagam relativo a água e saneamento é menor do que pagariam, por exemplo, em concelhos limítrofes ▪

Valor Inferior 3% Valor Semelhante 20% ns/nr 46%

Valor Superior 31%

Custo com Água e Saneamento em Cascais

Pesado ou leve? 1% do rendimento médio das famílias, é o valor máximo recomendado que, segundo a ERSAR, deveremos ter com os encargos em água (0,5%) e saneamento (0,5%). Num cenário em que o rendimento do agregado seja, por exemplo, 1.500€, o custo recomendado com estes serviços não deveria exceder os 15€ (1%) mensais.

A Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos (ERSAR) atribuiu à Águas de Cascais o prémio de “Qualidade exemplar da água para consumo humano”, no âmbito dos “Prémios de Qualidade de Serviço em Águas e Resíduos” promovido pela ERSAR numa parceria com as associações técnico-científicas – a Associação Portuguesa de Distribuição e Drenagem de Águas (APDA), a Associação Portuguesa de Engenharia Sanitária e Ambiental (APESB), a Associação Portuguesa dos Recursos Hídricos (APRH), e também do Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC). Este reconhecimento vem premiar as entidades prestadoras de serviços de abastecimento público de água que, tal como a Águas de Cascais, revelaram um exemplar desempenho ou uma excepcional melhoria no âmbito do controlo operacional da qualidade da água, das análises de água realizadas e da qualidade da água nos termos da legislação em vigor. O Selo vem ilustrar e comprovar de forma inequívoca, a boa qualidade da água distribuída em toda a rede pública do Concelho de Cascais, com valores de cumprimento dos parâmetros legais que, no último ano, se fixaram nos 100% de conformidade ▪

Peso no orçamento familiar dos encargos com a água e saneamento

Indicador ERSAR Acessibilidade económica do serviço (%) em Área predominantemente urbana, Norte, Centro Lisboa e Vale do Tejo - RASARP 2012

Qualidade da Água reconhecida

Em Cascais, o peso dos encargos com água e saneamento somados é apenas de 0,42% do orçamento médio familiar.

Porto Matosinhos Moita Cascais_2011 Cascais_1S13 Entroncamento Oeiras/Amadora Braga Almada Maia S. João da Madeira Barreiro Setúbal Seixal Loures Valongo Póvoa do Varzim Gaia Vila do Conde Gondomar Sintra Lisboa Média Nacional

0,36% 0,37% 0,38% 0,40% 0,42% 0,44% 0,45% 0,45% 0,45% 0,50% 0,54% 0,55% 0,55% 0,58% 0,64% 0,66% 0,67% 0,71% 0,76% 0,87% 0,89% 0,58%


Águas Frescas #22