Issuu on Google+

Informativo da Paróquia das Graças, Recife (PE) Ano XXIV | Nº 07 | 17/02/2010 www.matrizdasgracas.com.br

O QUE ESPERAIS DE CRISTO? Por Anderson Pontes

Desde o começo Ele atraiu sobre si seguidores. Fosse para segui-lo, fosse para persegui-lo. Sempre atraiu a atenção. Nunca a indiferença, sempre causou reações das mais diversas, em todos os tempos. Em alguns Cristo causou repulsa ou inveja. Porque não ficava rezando nas esquinas, nem dava esmolas em público desejando ser visto. Não, mas mesmo assim falava como quem tinha autoridade e agia com o poder de Deus, realizando milagres durante o dia e também à noite, até mesmo aos domingos, no dia do descanso. Em outros Cristo trouxe medo e dor. Porque falava de cruz, de humildade, de serviço, de paciência e resignação. Falava que se trataram mal a Ele, também tratariam mal seus seguidores. Ainda outros sentiam esperança, paz e alívio diante dEle. Porque ninguém poderia realizar tais obras se o Pai não estivesse com Ele. E não fala em condenação, mas em recompensa. Não fala em destruição, mas em vitória. Não fala em morte, mas em ressurreição. A semente foi jogada ao alto e continua caindo nos mais diversos solos séculos depois sua subida triunfal a Jerusalém. Experimentou a dualidade humana em seus seguidores: fidelidade e traição, amizade e solidão, coragem e covardia. E agora continua perguntando aos seus seguidores, inclusive àqueles que vão à missa com uma certa frequência: quem sou eu pra você? O que provoco em você? O que sentes por mim? De lá do abandono no Getsêmani, em sua agonia pelo sacrifício supremo, enquanto seus discípulos dormiam, ele pergunta: posso contar contigo para vigiar comigo neste momento decisivo para a humanidade? Para que o reino do meu Pai se estabeleça? E continua perguntando hoje, à medida que o sacrifício supremo se perpetua em cada missa, e se dispõe em cada altar, ao passo em que fica esquecido perante os altares dos espetáculos contemporâneos: a quem preferis? Ao Fausto? Às novelas? Ao dinheiro? Às paixões? Que recompensa esperais em cada escolha? Enquanto o anjo vai consolá-lo, era a um amigo, qualquer amigo que Ele queria ter lá, em sua companhia, em solidariedade. Que tal seria permanecer ao seu lado ao longo destes 40 dias de Quaresma para observar o que haverá de diferente na próxima Páscoa?

3

Campanha da Fraternidade 2010: «Economia e Vida»

4

O que se fez do dízimo em 2009?

ELE ESTÁ À TUA ESPERA

6

O crucifixo do Haiti

7

São Francisco ícone vivo de Jesus (Catequese (Catequese de de Bento Bento XVI) XVI)


2 | AS ATIVIDADES PAROQUIAIS

APOSTOLADO DA ORAÇÃO Reunião na 1ª sextafeira do mês, 15h Adoração ao Santíssimo Sacramento na 1ª quinta-feira do mês, 15h30

SACRAMENTOS BATIZADOS 1º e 3º Domingo, às 10h (ocorre também na Capela da Jaqueira no 2º e 4º Domingo, às 11h30) MISSAS Terça à sexta: 16h30 Sábado: 18h30 Domingo: 7, 9 e 19h

RENOVAÇÃO CARISMÁTICA Grupo Caminhando com Jesus: 3ª feira, 19h30 Grupo Nossa Senhora das Graças: 4ª feira, 14h30 Terço e Adoração: 2ª quarta-feira do mês às 14h30

CONFISSÕES Meia-hora antes das Missas. UNÇÃO DOS ENFERMOS Mediante agendamento na secretaria CRISMA Início de Dezembro

PREPARAÇÃO PARA

SACRAMENTOS BATISMO Preparação para os pais e padrinhos minutos antes da Celebração PRIMEIRA COMUNHÃO (Catequese) Toda quarta-feira, 8h e 14h

MÃE RAINHA Reunião dos Coordenadores Arquidiocesesanos: 1ª quinta-feira, 14h30 Reunião dos Missionários: 3ª quinta-feira, 14h30; Missa da Renovação de Amor da Mãe Rainha: Dia 18 (vide horário em cada templo (matriz e capelas). CRUZADA DO ROSÁRIO Quinta-feira, 9h

CRISMA (para Jovens) Sábado, 15h (de Agosto a Dezembro)

ENCONTRO DE CASAIS COM CRISTO Aguarde programação 2009 Reuniões do Núcleo: segunda-feira, 19h30

MATRIMÔNIO (Curso de Noivos): 25 e 26 de Julho - 24 e 25 de Outubro

INFÂNCIA MISSIONÁRIA Quarta-feira, 9h e 15h30

PASTORAIS PASTORAL SOCIAL Segunda, 15h (estudo do Evangelho) 3ª terça-feira do mês, 8h, 17h 3ª quarta-feira, 8-12h

REDE MUNDIAL DE JUVENTUDE CATÓLICA (CYWN) E BASE NET Clube Giro (meninas de 11 a 16 anos): Domingo, 17h Base Net (crianças dos 6 aos 11 anos): Domingo, 17h.

PASTORAL DA FAMÍLIA Segunda-feira, 20h

TERÇO DOS HOMENS Quinta-feira, 19h30

PASTORAL DA SAÚDE 1ª terça-feira do mês, 15h e 19h30

MOVIMENTOS AMOR EXIGENTE Quinta-feira, 15h (Matriz) No colégio Vera Cruz: quarta-feira, 19h

ESCOLA PAROQUIAL CONVENIADA ESCOLA PAROQUIAL DONA OLEGARINHA Ofícios e Artes. Em convênio com a Prefeitura do Recife. Tel. (81) 3355.0004 / 3423.6301

NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS (Nossa Senhora da Medalha Milagrosa)

Missas na CAPELA DA JAQUEIRA (Nª Srª Conceição das Barreiras) Tel. (81) 9977.9935 Expediente: Segunda à Sexta, 19-21h Sábado, 9 às 12h Quarta: 20h (antecedida por terço às 19h e Ofício de N. Sra. às 19h30) Quinta: 20h (antecedida por Adoração ao Santíssimo Sacramento às 19h) Sábado: 10h (antecedida por terço às 9h e Ofício de Nossa Senhora às 9h30) Domingo: 10h (para crianças) e 19h, ambas antecedida por terço (meia hora antes) Outras atividades da capela: 2º e 4º Domingo de cada mês, 11h30: Batizados 1ª Sexta-feira do mês: 10h (Terço em honra ao Sagrado Coração de Jesus uma hora antes) Dia 18, 19h30: Missa, Celebração da Aliança de Amor com a Mãe Rainha (sobrepondo-se à atividade ordinária do dia da semana) Reza do terço de segunda à sexta às 9h30 Missas na CAPELA DO COLÉGIO DAS DAMAS Tel. (81) 3241.6690 Segunda a Sexta: 6h30 Sábado: 17h (exceto nas férias escolares) Domingo: 7 e 11h Missas na CAPELA DO DERBY (Santa Teresinha do Menino Jesus) Tel. (81) 3221.1396 Segunda: 10h Quarta e Sábado: 16h Domingo: 16h e 19h 1ª Sexta-feira do mês: 10h (em honra ao Sagrado Coração de Jesus) Missas na CAPELA DO HOSPITAL DA PM (Quartel do Derby, 4º andar) Quinta: 10h Missas na CAPELA DO COLÉGIO MARIA AUXILIADORA Tel. (81) 3222.4097 Segunda à Sexta: 6h30 Domingo: 10h Missas na CAPELA DOS MANGUINHOS (São José) Expediente: de Terça a Sexta, das 8 às 11h Sexta-feira: 7h Domingo: 10h30 Missas na CAPELA DO COLÉGIO SÃO LUÍS Tel. (81) 4009.5355 Quarta e Sexta: 6h50 Missas na CAPELA DO COLÉGIO VERA CRUZ Tel. (81) 3222.1876 Terças, quartas, quintas e sábados: 17h Missas na CAPELA DO COLÉGIO NOSSA SENHORA DE LOURDES Tel. (81) 3441.9396 / 3268.3777

A aparição de Nossa Senhora das Graças ocorreu no dia 27 de Novembro de 1830 a Santa Catarina Labouré, irmã de caridade (religiosa de São Vicente Paulo). A santa encontrava-se em oração na capela do convento, em Paris (Rua du Bac), quando a Virgem Santíssima lhe apareceu. Tratava-se de uma "Senhora de mediana estatura, o seu rosto tão belo e formoso... Estava de pé, com um vestido de seda, cor de branco-aurora. Cobria-lhe a cabeça um véu azul, que descia até os pés... As mãos estenderam-se para a terra, enchendo-se de anéis cobertos de pedras preciosas ...” A Santíssima Virgem disse: "Eis o símbolo das graças que derramo sobre todas as pessoas que mas pedem ...". Formou-se então em volta de Nossa Senhora um quadro oval, em que se liam em letras de ouro estas palavras: "Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós". Nisto voltou-se o quadro e eu vi no reverso a letra M encimada por uma cruz, com um traço na base. Por baixo, os Sagrados Corações de Jesus e Maria - o de Jesus cercado por uma coroa de espinhos e a arder em chamas, e o de Maria também em chamas e atravessado por uma espada, cercado de doze estrelas. Ao mesmo tempo ouvi distintamente a voz da Senhora a dizer-me: "Manda, manda cunhar uma medalha por este modelo. As pessoas que a trouxeram por devoção hão de receber grandes graças". O Arcebispo de Paris Dom Jacinto Luís de Quélen (1778-1839) aprovou, dois anos depois, em 1832, a medalha pedida por Nossa Senhora; em 1836 exortou todos os fiéis a usarem a medalha e a repetir a oração gravada em torno da Santíssima Virgem: "Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós". Esta piedosa medalha - segundo as palavras do Papa Pio XII - "foi, desde o primeiro momento, instrumento de tão numerosos favores, tanto espirituais como temporais, de tantas curas, proteções e sobretudo conversões, que a voz unânime do povo a chamou desde logo Medalha Milagrosa".


A COMUNIDADE EM AÇÃO | 3

CAPELA DA JAQUEIRA SOFRE INTERVENÇÃO DA PREFEITURA Por Anderson Pontes

Nos últimos dias acompanhamos as notícias a respeito da decisão da Prefeitura do Recife em proibir que os casamentos realizados na Capela da Jaqueira tenham recepções no jardim anexo. Como o Parque da Jaqueira é administrado pela Prefeitura da Cidade do Recife tem poder para tomar essa decisão, entretanto há de se questionar as razões de sua decisão. Segundo o portal «PE 360 Graus», da Rede Globo, o professor do departamento de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Pernambuco, Geraldo Gomes da Silva, disse que não havia necessidade de proibição. “Não vejo nenhum problema. O jardim é muito interessante para se usar durante o verão, nas recepções”. A esta altura, nos solidarizamos aos noivos

que agendaram suas celebrações com toda a antecedência necessária e esperamos que estes consigam da Prefeitura a autorização para a realização plena dos eventos. A Secretaria de Serviços Públicos do Recife teria afirmado que analisaria cada caso individualmente. Sobre a Capela - O nome desta capela é Capela de Nossa Senhora da Conceição das Barreiras. Localiza-se num lugar privilegiado: dentro do parque de mesmo nome. Proporciona vida espiritual num dos extremos da paróquia além de estar acessível para visitantes do parque, que

CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2010 Por Anderson Pontes

A Quarta-feira de Cinzas abre o período da Quaresma para toda a Igreja Católica, no mundo inteiro. São 40 dias de reflexão e preparação para os dias santos onde reviveremos de uma forma mais intensa a paixão e a ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo. Um convite à reflexão e a conversão. Para a Igreja no Brasil a Quarta-feira de Cinzas tradicionalmente também abre a Campanha da Fraternidade proposta pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). A cada ano, um novo tema é relacionado à fraternidade à luz do Evangelho. Entretanto, como ocorreu em 2000 e 2005, a CNBB cedeu a responsabilidade pela Campanha da Fraternidade 2010 ao Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil, uma associação fundada há 18 e que reune, em torno do espírito ecumênico, as

Anuncie, sugira, critique, pergunte... Tel. (81) 3083.4619 contato@matrizdasgracas.com.br Envie sua notícia através da página www.matrizdasgracas.com.br/newsletter

porventura possam desejar algum momento de paz e de acolhimento espiritual. É pequena no tamanho, mas tem passado por numerosas reformas e ampliações desde que foi reinaugurada há cerca de dez anos.

1ª EUCARISTIA Inscrições abertas

Igrejas Católica Apostólica Romana, Cristã Reformada, Episcopal Anglicana do Brasil, Evangélica de Confissão Luterana no Brasil, Sirian Ortodoxa de Antioquia e Presbiteriana Unida. Segundo o Secretário do Conic, o reverendo Luiz Alberto, o tema da Campanha da Fraternidade 2010 foi escolhido a partir de sugestões nascidas da consciência cristã das Igrejas-membro do Conic. “Na Bíblia, os pobres e todos os necessitados estão no centro da justiça que Deus exige das relações humanas e econômicas”. Sobre o objetivo, declarou: “O objetivo da Campanha da Fraternidade 2010 é unir as Igrejas Cristãs e, principalmente a nossa sociedade, que é formada por pessoas de boa vontade, na promoção de uma economia a serviço da vida, sem exclusões, criando uma cultura de solidariedade e trazendo paz”. Em nossa Arquidiocese a abertura da Campanha da Fraternidade se dará oficialmente na manhã do sábado 20 de Fevereiro a partir das 11 horas no Centro de Convenções, em Olinda.

Direção Editorial: Pe. João Novais Conteúdo: Anderson Pontes e Thiago Gouveia Diagramação: Anderson Pontes Jornalista responsável: Eliane Marques, R.P. 954 Impressão: Gold Star Gráfica e Editora Tiragem desta edição: 1500 exemplares

Na quarta-feira 24 de Outubro terão inicio as aulas preparatórias para que as crianças e pré-adolescentes recebam pela primeira vez o sacramento da Eucaristia. O horário das aulas ainda não está definido, mas os interessados podem procurar a secretaria paroquial para obter mais informações. Sobre a solenidade do sacramento, costuma ocorrer na primeira quinzena de Dezembro.

Terça à Sexta: 08 às 11h e 14 às 16h15 Sábado: 08 às 11h Domingo e Segunda: fechado Tel. (81) 3222.0774 Fax: (81) 3423.8107 www.matrizdasgracas.com.br


4 | PARTILHA E COMUNIDADE

O QUE SE FEZ DO DÍZIMO EM 2009?

DIZIMISTAS ANIVERSARIANTES DO MÊS

Por Anderson Pontes, com dados fornecidos pela Secretaria Paroquial

Janeiro Fevereiro Março Ab Em 2009 nossa Paróquia contou com a implantação da Pastoral do Dízimo. O serviço foi responsável por campanhas que buscavam trazer a tona a dimensão bíblica do dízimo como experiência com Deus e fonte de graças. É claro que o Dízimo também traz retorno financeiro para a Paróquia enquanto gera receita necessária para a manutenção do templo. Foi também por este aspecto que foi estabelecido por Deus, como observamos nas Escrituras. O Porta-Voz inicia o ano trazendo à comunidade um resumo das ações promovidas a partir destes recursos. Ÿ Substituição das correntes de sustentação dos lustres da nave principal da matriz; Ÿ Limpeza de todos os lustres da igreja matriz com substituição de peças quebradas; Ÿ Substituição da fiação do forro e da parte alta da igreja (os fios ainda eram de pano);

Ÿ Substituição de todos os ventiladores da Igreja Matriz Ÿ Compra de duas bombas de água (as anteriores foram roubadas); Ÿ Aumento do muro localizado nos fundos do salão paroquial e colocação de grampos de ferro; Ÿ Pintura da praça;

Janeiro Fevereiro Março Ab

Ÿ Retoques na pintura interna da igreja (principalmente em torno dos vitrais próximos do altar mor e altares laterais);

01 02 03 05

Ÿ Compra de novo condicionador de ar split para a secretaria paroquial;

06

Ÿ Compra do novo harmônio; Ÿ Compra de tecidos para a confecção de novas toalhas para os altares;

15

É importante ainda citar que despesas com água, luz, telefone, impressos (Jornais O Domingo e O Porta-Voz), assim também com folha de pagamento dos que trabalham na secretaria também são pagos com os recursos do dízimo.

16 17 18 20 21 25 27

Os benefícios alcançados com a contribuição de poucos alcançam todos. Em tempo: para ver o demonstrativo financeiro mensal basta dirigir-se a um dos quadros de aviso disponível no interior da igreja matriz.

su

a m a

08 08 09 10 11 14

Ÿ Compra de material de decoração para a ornamentação do Natal e Ano Novo;

Ainda estamos longe da meta de uma maior adesão e fidelização por parte dos dizimistas que nos permita executar ações planejadas de melhoria nas dependências paroquiais.

rca

28 Fernando Antonio da Silva Maria de Lourdes Nunes Francina Lima Cabral José Geraldo de Almeida Falcão 29 Lindalva Alves Carneiro Eliane Maria Soares de Lima 30 Nadja Cavalcanti Malta Sônia Gomes da Silva 31 José Maria Alves da Silva

28

Lenir Bógea da Costa Nunes Franklin Pedrosa Lyra Aliete Suassuna Carvalho Ana Maria Borba Josefa Maria da Silva Rosa Maria de Lima Barreira Roberta de Melo Aguiar Correia Dulcinéia Menezes da Cruz Carmelita Meira Lins Elba Maria Nogueira Ferraz Ramos Guiomar Medeiros Ribeiro Gabriel Malaquias de Arruda Maria das Neves Medeiros Talmo Cavalcante Passos Alzilaine Correia G. da Silva Zélia Regina de Figueiredo Salvador Maria das Graças Martins Castro Lindauria de Souza Ferraz Ana Maria de Lira Carvalho Maria Célia Dias C. de Araújo Maria José Honorato de Albuquerque Maria Travassos Corrêa Renato Américo Pinto Nadja Maria M. da Motta Silveira José Arnaldo P. de Arruda Marcos Miguel de Farias Silva Filho Luzia Marlene Barbosa de Lima

Janeiro Fevereiro Março Ab 01 02 03 04

Antônio Teles de Mendonça José Ricardo da Cunha Sabino Maria Geny R. Burle Ricardo Barreto Fellows Enavane Arcoverde Araújo Maria Cristina de Lima 07 Simone Anna de A. Lafayette Maria da Conceição Silva 08 Iracema de Albuquerque Ehrhardt 09 Teresa Cristina Monteiro Barros

SUA MARCA, VISTA POR CERCA DE 5000 PESSOAS Anuncie aqui e tenha sua marca vista por cerca de 5000 pessoas de todas as idades, em sua maioria residentes no Bairro das Graças e vizinhanças. E também pela internet. Consulte-nos: (81) 3222.0774 (falar com Bruno) ou (81) 9254.3206 (falar com Anderson)


ATUALIDADES | 5

O CRUCIFIXO DO HAITI Pe. Francisco Agamenilton Damascena, vice-reitor do Seminário Diocesano São José, em Uruaçu (GO)

Acabo de ver a imagem do Crucifixo da Igreja Sacre Coeur du Tugeau, no Haiti, exibida pelo Fantástico. O templo sagrado desabou e restou aquele Crucifixo, quase intacto, grande, erguido, exposto aos olhares que banham de lágrimas as noites haitianas. As pessoas param em frente a ele, choram e rezam. Esta imagem provoca o ser pensante. Por que foi assim? Por que aquele Crucifixo resistiu ao equivalente a 30 bombas nucleares como a de Hiroshima? E Cristo ficou ali. Parece ser aquela Sexta-Feira Santa, em Jerusalém, no alto do Calvário. Pus-me a pensar e contemplar a chocante cena. Abri as Sagradas Escrituras e pus-me a ouvir o Senhor. O Filho do Homem permaneceu naquele lugar, representado pela imagem, para dizer aos sofredores haitianos que eles não estão sozinhos. Jesus Cristo está crucificado com eles e eles com Cristo. “Suas dores são minhas dores; suas lágrimas são minhas lágrimas; seu sangue é o meu sangue. Estou na cruz despido, como vocês que agora se encontram despidos de tantos bens.” Como disse o Profeta Isaías: “a verdade é que ele tomava sobre si nossas enfermidades e sofria, ele mesmo, nossas dores” (Is 53,4). Os braços do Filho de Deus permaneceram abertos em Porto Príncipe para acolher o clamor de homens e mulheres transpassados pela lança da destruição, da

fome, da sede, da perda de esperanças. O lado aberto do Cordeiro de Deus ficou ali, às margens da rua destruída, para dar descanso e consolo aos que ainda gritam por socorro debaixo dos escombros de uma cidade cujo concreto tombou sobre vidas cheias de sonhos. “Vinde a mim todos vós que estais cansados e fatigados sob o peso dos vossos fardos e eu vos darei descanso” (Mt 11,28). O Crucificado resistiu às forças cósmicas para dar refúgio e abrigo aos que vagueiam pelas ruas sem destino. O Crucifixo do Haiti foi mais forte que o terremoto para manter viva na mente e coração dos que por aquela rua passarem a boa notícia: “prova de amor maior não há, que doar a vida pelo irmão” (Jo 15,13). Ali ficou uma imagem sagrada feita de matéria, porém, ao seu lado, ficaram os corpos de homens e mulheres, que viveram até o fim o Mandamento Novo. Eles foram imagens vivas do Bom Pastor que dá a vida por suas ovelhas. Trata-se da Dra. Zilda Arns e quinze sacerdotes presentes naquela igreja no momento da tragédia. Eles estavam juntos porque queriam amar intensamente

Catastrofe (Por João Vicente Torres) - Terrível momento viveram e continuam sofrendo os haitianos. Abalo sísmico não teve outro igual no mundo. São acontecimentos que apenas nos trazem lições a nós outros que de longe o assistimos estarrecidos. Não há resposta às perguntas que se fazem neste momento trágico. São acomodações do tempo inexplicáveis, não há um responsável. Os fatos que a natureza oferece não têm explicações ou justificativas. Servem como sinais para que nos comportemos no futuro olhando com maior carinho os fenômenos sociais. Entre eles, poderiam ser citados a fome e a miséria. Haiti é conhecido como país mais pobre do universo. O fenômeno do terremoto vem gritar aos nossos ouvidos esta situação da desigualdade fraterna em que

as crianças daquela nação que esperavam por vida e vida em abundância. O Crucifixo do Haiti permanece erguido e o Espírito de Deus fala aos corações das pessoas de bem que salvam aquela sofrida gente. “Pois eu estava com fome e me destes de comer; eu estava com sede e me destes de beber; eu era estrangeiro e me recebestes em casa; eu estava nu e me vestistes; eu estava doente e cuidastes de mim; ... Todas as vezes que fizestes isso a um dos menores de meus irmãos, foi a mim que o fizestes!” (Mt 25, 35-36.40). O Crucificado ressuscitou e enviou do Pai o Espírito Santo renovando todas as coisas. Ele ficou naquela destruída rua para dizer: “Coragem, eu venci o mundo” (Jo 16,33). Em meio ao caos da maior tragédia enfrentada pela ONU, há esperança, a luz dissipa as trevas em cada pessoa resgatada com vida, e em cada criança amparada. E o brilho volta a resplandecer nos olhos que agora choram os mortos. É a força criativa e reconstrutora do Amor estampada no Crucificado do Haiti.

vivem aqueles também irmãos da humanidade. Está como que dizendo: venham todos, socorrei-nos, estamos com fome, somos miseráveis, não temos como viver, nosso povo está faminto, sem emprego. Gritando está às nações irmãs a anunciar que lá encontrase alojado um povo desprotegido e sem destino. Em voz alta suplicam: ajudai-nos; socorrei-nos; vivemos sem esperança, apressai-vos senão sucumbimos. Os fenômenos manifestados em Haiti não precisam explicações e indagações vãs, estão aos nossos olhos para reflexão. No Recife há diversos pontos de coleta de ajuda aos necessitados do Haiti. Nós, recifenses, temos um dever cívico de comparecer com nossa contribuição. Há pontos de coleta em toda parte, inclusive em nossa paróquia.


6 | FORMAÇÃO E INFORMAÇÃO

CAPELA NOSSA SENHORA DA MEDALHA MILAGROSA Faça uma visita virtual à Capela onde Nossa Senhora apareceu a Santa Catarina Labouré (veja na página 2 esta história) Um lugar de peregrinação. Nesta Capela, a Virgem Maria apareceu em 1830, a uma noviça das Filhas da Caridade, Santa Catarina Labouré, para oferecer ao mundo uma medalha.

PARÓQUIA DAS GRAÇAS NO ORKUT Se você faz parte desta comunidade social na internet, integre-se à nossa Paróquia através da comunidade oficial.

Este simples objeto, destinado a todos sem acepção de pessoas, resume, pelo seu rico simbolismo, os mistérios da fé cristã. Quando estoura em Paris, em fevereiro de 1832, uma epidemia terrível de cólera, que fará mais de 20.000 mortos, as Filhas da Caridade começam a distribuir as primeiras medalhas. As curas multiplicam-se, assim como os sinais de proteções e conversões. Algo extraordinário acontece! O povo de Paris chama então a medalha de "milagrosa". Conheça um pouco mais sobre esta história no site da Capela, que apresenta de forma simples e objetiva os pontos mais interessantes do lugar, na Franca. História em quadrinhos narrando a aparição, jogos, orações, explicações e muito mais. Digite http://www.chapellenotredamedelamedaillemiraculeuse.com no seu navegador de internet e faça a peregrinação virtual.

REFLEXÃO

«Recebestes gratuitamente, dai gratuitamente» São Josemaria Escrivá de Balaguer (1902-1975), presbítero, fundador (Opus Dei) Homilia in Amigos de Dios

Quando Jesus saiu para o mar com os Seus discípulos, não pensava somente nessa pescaria. Foi por isso [...] que respondeu a Pedro: «Não tenhas receio; de hoje em diante serás pescador de homens». E também nessa nova pesca a eficácia divina não faltará: os apóstolos serão instrumentos de grandes prodígios, apesar das suas misérias pessoais. Também nós, se lutarmos todos os dias para alcançar a santidade na nossa vida normal, cada um na sua própria condição no meio do mundo e no exercício da sua profissão, ouso afirmar que o Senhor fará de nós instrumentos capazes de realizar milagres e, se for necessário, dos mais extraordinários. Daremos luz aos cegos. Quem não poderá narrar mil exemplos de cegos quase de nascença que recuperam a visão e recebem todo o esplendor da luz de Cristo? Outro era surdo e outro ainda mudo, que não podiam ouvir nem articular uma única palavra enquanto filhos de Deus [...]: e ouvem e exprimem-se como verdadeiros homens [...]. «Em nome de Jesus», os apóstolos restituem as forças a um enfermo incapaz de qualquer ação útil [...]: «Em nome do Senhor levanta-te e caminha!» (At 3, 6). Outro ainda, um morto, ouviu a voz de Deus como quando do milagre da viúva de Naim: «Jovem, ordeno-te que te levantes» (Lc 7, 14; At 9, 40). Faremos milagres como Cristo, milagres como os primeiros apóstolos. Estes prodígios realizaram-se talvez em ti, em mim: talvez estivéssemos cegos, ou surdos, ou enfermos, ou sentíssemos a morte, quando a Palavra de Deus nos arrancou à nossa prostração. Se amamos a Cristo, se O seguimos, se é apenas a Ele que procuramos e não a nós mesmos, em Seu nome poderemos transmitir gratuitamente o que recebemos gratuitamente.

Ofereça presentes de bom gosto e qualidade refinada da maravilhosa variedade do nosso artesanato pernambucano. Faça uma visita e confira as ofertas e os preços promocionais.

Perguntas & Respostas

DO CATECISMO

Qual é o mistério central da fé e da vida cristã? Compêndio do Catecismo da Igreja Católica (N° 044)

O mistério central da fé e da vida cristã é o mistério da Santíssima Trindade. Os cristãos são batizados no nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

ARTESANATO PERNAMBUCANO - BORDADOS DE CAMA, MESA E BANHO - REDES - TAPETES - XILOGRAFIA - TELAS - BRINQUEDOS ARTESANAIS E EDUCATIVOS - MADEIRA - COURITO - FIBRAS RECICLÁVEIS - DECOPAGEM - BISCUIT - GESSO MARMORIZADO

Rua Joaquim Nabuco, 747 (loja 8), Derby - Galeria Capunga

Tel: (81) 3221.4490


A IGREJA NA HISTÓRIA | 7 FÉ E CIÊNCIA

SÃO FRANCISCO - ÍCONE VIVO DE JESUS Resumo da Catequese do Papa Bento XVI em 27/01/2010 Encontre o texto na íntegra em http://o-porta-voz.blogspot.com

Queridos irmãos e irmãs, hoje, eu gostaria de apresentar-vos a figura de Francisco, um autêntico “gigante” da santidade, que continua fascinando muitíssimas pessoas de todas as idades e religiões. Pertencente a uma família rica – seu pai era comerciante de tecidos –, Francisco transcorreu uma adolescência e uma juventude despreocupadas, cultivando os ideais de cavalaria da época. Aos 20 anos, fez parte de uma campanha militar e foi preso. Ficou doente e foi libertado. Após sua volta a Assis, começou nele um lento processo de conversão espiritual, que o levou a abandonar gradualmente o estilo de vida mundano que havia levado até então. Em três ocasiões, o Cristo na cruz adquiriu vida e lhe disse: “Vai, Francisco, e repara minha Igreja, que está em ruínas”. A situação dramática e inquietante da própria Igreja nessa época, com uma fé superficial que não forma e não transforma a vida, com um clero pouco zeloso, com o esfriamento do amor; com o nascimento de movimentos hereges. Contudo, nessa Igreja em ruínas, o Crucifixo está no centro e fala: convida a renovar a própria Igreja de Cristo, com sua radicalidade de fé e com seu entusiasmo de amor por Cristo. Viveu como um eremita, até que, em 1208, houve outro acontecimento fundamental. Escutando uma passagem do Evangelho de Mateus – o discurso de Jesus aos apóstolos enviados à missão –, Francisco se sentiu chamado a viver na pobreza e a dedicar-se à pregação. Outros companheiros se uniram a ele e, em 1209, ele se dirigiu a Roma para submeter ao Papa Inocêncio III o projeto de uma nova forma de vida cristã. Recebeu um acolhimento paternal por parte daquele grande pontífice que intuiu a origem divina do movimento suscitado por Francisco. Havia compreendido que todo carisma dado pelo Espírito Santo deve ser colocado ao serviço do Corpo de Cristo, que é a Igreja; portanto, agiu sempre em

comunhão plena com a autoridade eclesiástica. Ele sempre soube que o centro da Igreja é a Eucaristia, na qual o Corpo de Cristo e seu Sangue estão presentes. Através do sacerdócio, a Eucaristia é a Igreja. Onde o sacerdócio, Cristo e a comunhão da Igreja caminham juntos, somente aí habita também a Palavra de Deus. O verdadeiro Francisco histórico é o Francisco da Igreja e, precisamente dessa maneira, ele fala também a nós, os crentes, e aos crentes de outras confissões e religiões. Em uma época em que estava em curso um enfrentamento entre o cristianismo e o islã, Francisco, armado voluntariamente só com sua fé e sua mansidão pessoais, percorreu com eficácia o caminho do diálogo. As crônicas nos falam de um acolhimento benevolente e de uma cordial recepção do sultão. Este é um modelo que deve inspirar, ainda hoje, as relações entre cristãos e muçulmanos, para promover um diálogo na verdade, no respeito e na compreensão mútuos (cf. Nostra Aetate, 3). Em 1224, no eremitério de Verna, Francisco viu o Crucifixo em forma de um serafim e, do encontro com o serafim crucificado, recebeu os estigmas; converteu-se, assim, em um com Cristo: um dom, portanto, que exprime sua identificação com o Senhor. A morte de Francisco – seu transitus – ocorreu na noite de 3 de outubro de 1226, na Porciúncula. Após ter abençoado seus filhos espirituais, morreu, deitado sobre a terra nua. Dois anos mais tarde, o Papa Gregório IX o inscreveu no elenco dos santos. Francisco representa um alter Christus; era verdadeiramente um ícone vivo de Cristo. Ele também foi chamado de “irmão de

Jesus”. De fato, este era o seu ideal: ser como Jesus, contemplar o Cristo do Evangelho, amá-lo intensamente, imitar suas virtudes. Em particular, ele quis dar um valor fundamental à pobreza interior e exterior, ensinando-a também aos seus filhos espirituais. A primeira bemaventurança do Sermão da Montanha – “Felizes os pobres, porque deles é o reino dos céus” (Mt 5, 3) – encontrou uma luminosa realização na vida e nas palavras de São Francisco. O testemunho de Francisco, que amou a pobreza para seguir Cristo com dedicação e liberdade totais, continua sendo, também para nós, um convite a cultivar a pobreza interior para crescer na confiança em Deus, unindo também um estilo de vida sóbrio e um desapego dos bens materiais. Queridos amigos: Francisco foi um grande santo e um homem alegre. Sua simplicidade, sua humildade, sua fé, seu amor a Cristo, sua bondade com cada homem e cada mulher o tornaram alegre em toda situação. De fato, entre a santidade e a alegria subsiste uma relação íntima e indissolúvel. Que Nossa Senhora, ternamente amada por Francisco, obtenha esse dom para nós.

INTENÇÕES DE ORAÇÃO DO PAPA PARA O MÊS DE MARÇO DE 2010 INTENÇÃO GERAL

INTENÇÃO MISSIONÁRIA

Desenvolvimento econômico justo. Que a economia mundial se desenvolva segundo critérios de justiça e de equidade, tendo em conta as exigências reais dos povos, especialmente os mais pobres.

As igrejas em África. Que as Igrejas em África sejam sinal e instrumento de reconciliação e de justiça em todas as regiões do continente.


Quaresma

8 | CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2010


O Porta-Voz - Fevereiro de 2010 (Ano XXIV, Nº07)