Revista Supermercados - Edição 198

Page 1

1


2


Editorial Gilberto Soares da Silva Presidente da Agos

É

com grande satisfação que apresento uma nova edição da Revista Supermercados. Este é um espaço onde abordamos e discutimos os principais assuntos do nosso segmento. Justamente por isso, a matéria de capa desta edição enfoca um tema que deve estar no radar de todo supermercadista: a sucessão na empresa familiar. Como sabemos, a grande maioria do nosso setor é constituída por pequenas empresas de origem familiar. Por isso, devemos nos preparar o quanto antes para que tenhamos a sucessão, sem conflitos, de uma geração para outra. A nossa matéria especial sobre esse tema discute os cuidados que devem ser adotados para que isso aconteça num ambiente saudável. Outro assunto importante é o referente às férias de meio do ano, tendo em vista que esse período é propício para buscar novas oportunidades, após dois anos de restrições. Para essa data é necessário preparar as nossas lojas para atender os consumidores com estoque que contemple as suas necessidades. Trazemos algumas dicas muito úteis para você melhorar a sua performance, tanto de vendas quanto para auxiliar no relacionamento, taxa de retenção e fidelização do cliente na loja. E por falar em reter e fidelizar clientes, em tempos de acirrada concorrência e margens apertadas, esse assunto deve requerer atenção permanente do supermercadista. Por isso, também elaboramos uma matéria específica abordando esse assunto. Sabemos que, embora o atendimento seja uma questão básica no varejo de autosserviço, é preciso treinar, orientar e incentivar os colaboradores constantemente para ganhar a preferência do consumidor. Satisfazer as necessidades do cliente - sempre é bom destacar- é o que existe de mais valioso no varejo. Alcançar um atendimento de excelência deve, portanto, ser uma meta contínua. Isto implica estar aberto para ouvir o cliente, saber falar com ele e entender suas necessidades. Estes “segredos” estão ao alcance de todos no varejo. Ainda assim, existem muitas falhas. E como sempre digo: “O cliente é o nosso patrão”. Se não internalizarmos isso não alcançaremos o resultado para a sustentabilidade do nosso negócio. Gostaria de reforçar mais uma vez: está se aproximando a data do maior evento do segmento do varejo da região Centro-Oeste - a 19ª SuperAgos. A Feira está programada para 13 a 15 de setembro de 2022, no Centro de Cultura e Convenções de Goiânia. É o momento em que compradores e vendedores estarão frente a frente para a realização de grandes negócios, relacionamentos, troca de experiências e conhecimentos. Se você, fornecedor, ainda não reservou seu estande, eu te convido para estar presente. Vamos juntos escrever essa história de sucesso. Estes são apenas alguns dos assuntos que você vai encontrar nesta edição da Revista Supermercados. A nossa intenção é surpreendê-lo com outros temas de igual interesse para o nosso segmento.

Av. C-7, No 3144, Qd. 80, Lt. Área, St. Sudoeste, CEP 74.305-080, Goiânia-GO (62) 3215-2528 / 3254-8350 secretaria@agos.com.br www.agos.com.br

PRESIDENTE Gilberto Soares da Silva VICE-PRESIDENTE Sirlei Antônio do Couto SECRETÁRIO Suail Alcântara CONSELHEIROS Mário Júnior de Farias Ediran Carlos da Silva Walter de Paula Oliveira Valdeci Luciano da Costa Wanderson Ferreira Roney Rodrigues Fernandes José Nakamura Givaldo Ribeiro Batista Junior Ricardo Pinheiro dos Santos Júlio Penha Peres José Elias de Paula Murilo Moraes Agnaldo Moreira da Costa Jr. CONSELHO FISCAL - EFETIVOS Jaime Canêdo Nivaldo do Nascimento Araújo Fernando Viandelli Lopes CONSELHO FISCAL - SUPLENTES Ulisses Jair dos Santos Márcio Ronney Dantas de Sousa José Guilherme Schwam DELEGADO JUNTO À ABRAS Nelson Antonino Alexandrino Lima COMITÊ FEMININO Selma Messias Honório COMITÊ DE DESENVOLVIMENTO Glauskston Batista Rios

Um abraço fraterno e boa leitura!

3


Sumário 06

painel empresarial A Gestão eficiente do varejo em tempos de inflação vertical

08

festas juninas Aproveite a data para aquecer o inverno e as vendas

10

varejo & consumo Consumo de orgânicos registra crescimento de 63%

14

informe tributário Supermercados devem recuperar cerca de R$ 1 bilhão em créditos

16

vitória do setor Governador atende pedido da Agos e muda data do ICMS

22

capa Chegou a hora de passar o bastão: e agora, o que devo fazer?

30

férias de julho Com criatividade é possível aumentar o fluxo e o ticket médio

Editor • Francisco Barros Interativa Comunicação e Eventos (62) 3097-1406 / francisco@interativacomunica.com.br Publicidade • Clésida do Espírito Santo Marketing • Frederico Kessler Fotos • Agos / Shutterstock / Freepik Produção e Diagramação • Frederico Kessler

4


5


PAINEL EMPRESARIAL

A Gestão Eficiente do Varejo em Tempos de Inflação Vertical O que o setor supermercadista deve fazer para buscar minimizar os impactos nos preços dos produtos e manter os clientes?

A

eficiência consiste em qualidade e gerenciamento certo daquilo que venha a ser as relações comerciais, empresariais e pessoais. Já a inflação significa perca do valor de compra da moeda. O dinheiro da população, sobretudo pessoas e consumidores menos abastados desvalorizou, em torno de 23%, nos últimos 12 meses. Neste período o Brasil acumulou percentual inflacionário de cerca de 3,5%. O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ficou em 10,38%, em janeiro passado, ante 10,06% acumulados em 2021. A desvalorização da moeda provoca reflexão com relação ao que supermercadistas podem, devem fazer, em termos de negócios, buscando minimizar impactos nos preços dos produtos e, assim, manter os clientes. Criar alianças estratégicas, direto da fonte, com empresas regionais, produtores rurais a fim de escalar a aquisição da matéria-prima, produção, garantia de que toda produção esteja comercializada. Trata-se da velocidade da confiança. Quanto maior a confiança, menores serão os custos. Esta aliança permitirá ganhos extraordinários aos envolvidos no processo de abastecimento: Produtor, Indústria, Supermercadistas, Consumidores. Reforçar o capital de giro próprio. As empresas que têm caixa, compram em escalas maiores, acessam melhores condições. Podem repassar parte dos ganhos aos consumidores sem comprometer a rentabilidade. O problema é que um número significativo de empresas supermercadistas encontra-se descapitalizada, grande parte endividada. Neste ponto um repasse de dicas a estas empresas, alerta àquelas capitalizadas para que não caiam em armadilhas, ilusão com a movimentação financeira da loja/ponto de venda. Vender é relativamente fácil. Difícil e mais complexo é ter rentabilidade suficiente para bancar todas as operações, incluindo os diversos tipos de impostos, tributos e imprevistos que acontecem no cotidiano. Fato é que nem todas as empresas capitalizadas contam com eficiência operacional. Todas as empresas descapitalizadas apresentam ineficiência operacional, erros graves de gestão, estratégias. Para enfrentar e superar este cenário inflacionário e outras crises que certamente virão, recomenda-se:

6

Por Ademir Gomes

Empresário; consultor; treinador especializado em Supermercados; profissionalizou mais de 40 mil colaboradores


PAINEL EMPRESARIAL

Acelerar a eficiência e performance. A realidade mostra a transição da culpa aos resultados. Há mais de 10 anos, gestor da Escola de Vendas, adotei a frase do pensador Suryavan Solar “Quem é bom nas desculpas, é péssimo de resultados”. O mundo vive a era da alta performance. O mercado recompensará somente pessoas e empresas competitivas, com foco supremo nos resultados. Deve-se diferenciar empenho do desempenho. A maioria das pessoas e empresas estão empenhadas, porém, apresentam baixo desempenho. Na prática significa: sobra eficácia - fazer as coisas certas, falta eficiência - fazer certo as coisas. Como acelerar a eficiência e performance da empresa? Algumas dicas: 1. Autogestão é a capacidade de liderar a si. A empresa só cresce e desenvolve até o limite dos seus fundadores. Se os diretores não evoluírem, a instituição para no tempo e espaço. Novos tempos requerem novas atitudes nas dimensões: pessoal, organizacional, sistemas, processos, procedimentos. Existem duas opções disponibilizadas aos supermercadistas: desenvolver novas competências e habilidades; reduzir o tamanho da empresa e sonhos. 2. Liderança inspiradora e produtiva. Os resultados dependem dos colaboradores. Exige a gestão de pessoas que promova o desenvolvimento pessoal, profissional a fim de que os colaboradores entreguem melhores resultados a si, à família, aos clientes, fornecedores e comunidade. Pesquisas comprovam que o fator isolado mais importante para o sucesso ou fracasso de qualquer empresa está nas lideranças. Equipes de trabalho mal dirigidas são, em média, 51% menos produtivas e 44% menos rentáveis que aquelas dirigidas por líderes preparados. 3. Pró-atividade é a capacidade dos dirigentes de traduzir a estratégia da empresa em resultados, mobilizar recursos necessários, romper limites funcionais. A sociedade respira a era da velocidade. É mudar ou morrer. Reforça a realidade o que já foi dito sobre aumentar as habilidades ou reduzir sonhos. 4. Controladoria e finanças. É urgente profissionalizar a gestão das empresas, criar, implantar Controladorias. Com base nos controles plenamente confiáveis os donos e diretores devem centralizar os controles, descentralizar operações a fim de manter crescimento sólido, sustentável. Dos controles eficazes o SUCESSO. E dos descontroles o INSUCESSO. 5. Eliminar desperdícios de todas as naturezas. O famoso Nelson Veiga (fundador da Agos) trabalhou em grandes redes varejistas, e sempre dizia: “- Olhando para frente, dos lados, para trás, mesmo para cima e até para baixo, sempre é possível vislumbrar desperdícios, daí porque cada diretor, gerente, coordenador, colaborador, devem identificar desperdícios no seu espaço e eliminá-los.” É preciso desenvolver níveis elevados de consciência em todos os colaboradores, independentemente do cargo, para envolver todos neste processo desafiador. Ao concluir, reitero que o poder está nas mãos do consumidor, cada vez mais exigente, preparado, a valorizar centavos, disponibilizando de opções, alternativas de compras diversificadas, sejam físicas ou digitais. A fim de conquista-los, retê-los, os supermercados carecem algo a mais, simplesmente comprar bem, expor para vender. E deve-se proporcionar experiência agradável nas compras, desafio o qual depende da gestão eficiente. E programar, articular, fazer certo as coisas com foco na operação da loja, proporcionar melhor atenção aos colaboradores, clientes, processos, procedimentos, controladoria e finanças. A proatividade visa ressignificar os negócios, tomar decisões ousadas, visionárias.

7


FESTAS JUNINAS

devem aquecer o inverno e as vendas em 2022 Acredita-se que depois de mais de dois anos de restrições decorrentes da pandemia as comemorações juninas vão superar em muito as vendas de 2021

As Festas juninas hoje são uma das maiores comemorações brasileiras e se adaptaram ao longo de anos de história e influências de uma grande mistura de culturas. É a festa que tem a cara do país, mas não perdeu sua essência. As brincadeiras como a pescaria, a quadrilha, os jogos e músicas como o forró, as comidas e bebidas típicas como o milho, o amendoim, a paçoca e o pé de moleque, o casamento caipira e o momento especial do correio elegante, são tradições que continuam fortes e presentes nas melhores Festas Juninas de todo o Brasil.”, destaca o livro da Yoki sobre as Festas Juninas. Depois das vendas fracas em 2020, leve recuperação em 2021, agora com a flexibilização da pandemia, os supermercadistas nutrem grande expectativa com relação às festas juninas de 2022. E ainda nesse mês tem o Dia dos Namorados. Associar as duas comemorações pode ser uma forma eficiente e, ao mesmo tempo divertida, para fisgar o interesse do consumidor e gerar mais vendas. Mas para isso, é importante o supermercadista ter em mente a necessidade de buscar inovações para atrair a atenção do consumidor.

8


FESTAS JUNINAS

As festas juninas prometem aquecer os negócios do comércio varejista em diversos segmentos. Mas o destaque são as empresas de gêneros alimentícios, que aguardam um impacto de 40% nas suas vendas, em junho, especialmente na segunda quinzena. É nesse período que acontecem as comemorações de São João (24) e São Pedro (29). Antes, porém, no dia 12 de Junho, tem o Dia dos Namorados que pode ser casado com as outras datas juninas e servirá como um “esquenta”. Uma forma criativa para trabalhar a data foi apresentada pela revista SA Varejo. A publicação sugeriu associar o Dia dos Namorados aos festejos juninos: “Promover produtos dos mais diferentes tipos com uma comunicação bemhumorada”. Em seguida, enumerou quatro ações nessa linha: “1. Cuidados com cabelo: fique mais bonita no Dia dos Namorados e jogue a argola no Santo Antônio; 2. Pack de cerveja: presenteie seu namorado ou namorada na barraca de beijos; 3. Docinhos, chocolates: adoce a namorada e pule a fogueira; 4. Flores: acerte a bolinha no copo e faça sua namorada feliz.” Os especialistas do segmento alertam para a importância dos supermercadistas estarem de olho em três fatores para alcançarem o tão esperado sucesso nas vendas: sortimento assertivo, execução eficiente e boas parcerias. No quesito sortimento não pode faltar de maneira alguma a atenção para os seguintes itens: toda a linha de derivados de milho e coco, flocão, leite condensado, pipocas, cafés, bolos sazonais (na padaria também), massas para bolos e cortes para churrasco. Além do que, o estoque de vinhos também deve ser reforçado para se fazer as famosas sangrias. A Yoki promove uma estrutura toda temática com barracas e decoração típicas a fim de dar visibilidade ao mix ideal de produtos. “Um grande diferencial nosso frente aos outros players é oferecer aos consumidores um ambiente junino nos pontos de venda. Com as barracas, ajudamos o consumidor a entrar no clima da festa, incentivando a venda dos itens sazonais”, explica Fábio Pietracatelli Asquino, gerente de trade marketing da General Mills, dona da marca Yoki. Para garantir que a loja irá explorar o potencial desta sazonalidade, a Yoki orienta o varejista, por segmento e regionalidade, sobre o portfólio e a forma correta de executar seus produtos. A empresa também oferece, por meio de suas redes sociais e pelo site, conteúdos com dicas de receitas, decoração e brincadeiras juninas.

Três curiosidades sobre as danças juninas Quadrilha

A dança mais tradicional da festa não pode ficar de fora. A Quadrilha surgiu nos salões da corte de Paris (Quadrille), veio para o Brasil após a colonização e o povo brasileiro deu sua própria identidade a essa dança. O tipo mais comum é a caipira, mas também é dançada de maneira muito própria em algumas regiões como o Norte e Nordeste. A quadrilha caipira passa por várias fases engraçadas até chegar ao casamento. As roupas usadas nas danças são muito tradicionais. As mulheres usam vestidos floridos com babados, botas, chapéu de palha e tranças nos cabelos. Já os homens, usam camisa xadrez, calça jeans com retalhos costurados, botas e chapéu de palha. São estas as roupas mais comuns usadas em Festas Juninas, inspiradas no estilo rural de quem vive no campo, mas claro, elas podem variar de acordo com a região do Brasil.

Quermesse

As Quermesses estão relacionadas às Festas Juninas, são feiras católicas de caridade, organizadas por igrejas, onde existem brincadeiras para crianças, comidas típicas, sorteios e jogos com prêmios. Todos com o intuito de contribuir com doações para projetos sociais. A decoração é feita tradicionalmente com xita, palha, toalhas xadrez, bandeirinhas e fitas, tudo para deixar a festa com clima junino. Uma mistura de tradições e costumes, as bandeirinhas representam as antigas bandeiras dos Santos homenageados em Junho e a decoração típica imita o clima caipira e rural do interior.

Festas Juninas

Existem duas explicações para o nome “Festa Junina”. Uma das histórias conta que a festa surgiu há muito tempo atrás durante o Solstício de verão da Europa, que acontecia no mês de junho. A outra história conta que os países católicos da Europa trouxeram a festa para o Brasil durante a colonização. A Festa Junina era feita em homenagem a três santos: Santo Antônio, São João e São Pedro.

Fontes: Revista SA Varejo e Livro Yoki sobre Festas Juninas

9


ORGÂNICOS

Consumo de Orgânicos no Brasil registra crescimento de 63% A pesquisa Panorama do Consumo de Orgânicos no Brasil 2021 aponta que a região Centro-Oeste, ao lado da região Sul, lidera com 39% o consumo de orgânicos e o local preferido de compra é o supermercado

A

pesquisa é realizada a cada dois anos pela Organis (Associação de Promoção dos Orgânicos), entidade com 79 associados entre agroindústria, produtores, marcas de produtos, comércio e serviços – entre eles insumos e certificações –, em parceria com a Brain, empresa de inteligência estratégica, e a UniOrgânicos, projeto de comunicação e informação do setor. Esse promissor mercado foi um dos pontos de maior destaque deste ano na ANUFOOD Brazil 2022 -- Feira Internacional para Alimentos e Bebidas, no São Paulo Expo. Isso porque o mercado de alimentação está de olho nas tendências e demandas de bem-estar que o consumidor tem exigido cada vez mais. O diretor da Organis, Ming Liu, ao comentar a pesquisa destacou que o maior motivo que leva ao consumo de alimentos orgânicos é a melhoria da saúde. Segundo Liu, o local preferido para compra é o supermercado, há preferência por orgânicos comprados de produtores locais e não há, hoje, uma marca consolidada de orgânicos que o consumidor consiga referenciar. “O mercado de bem-estar tem determinado o que o varejo vai vender. Os orgânicos abrem uma série de possibilidades, porque podem ser veganos, sem glúten e atender a uma variedade de perfis de consumidor. E como não há consenso sobre qual marca é referência de orgânicos no mercado, existe uma janela de oportunidade para trabalhar brand”, afirma Liu.

10


ORGÂNICOS

O consumo por região, revelado pela pesquisa, mostrou que o Centro-Oeste cresceu de 17% para 39%, um aumento de 129%, no período 2019-2021, tornando-se a região com maior percentual de consumidores do Brasil. Em 2019, o Sul era a região que mais consumia orgânicos, com 23%. Esse percentual chegou a 39% em 2021, ou seja, um salto de 69,5%. O Nordeste teve aumento significativo: 60%, pulando de 20% em 2019 para 32% em 2021.

registraram uma queda de 21% e 45%, respectivamente, em relação a 2019. Uma parcela significativa migrou para as lojas que vendem apenas produtos orgânicos. Ela era de 4% em 2019 e pulou para 11% em 2021, um salto de 175%. A pesquisa revelou que o consumidor identifica o produto orgânico pelo selo. Este reconhecimento saltou de 3% em 2019, para 24% em 2021, um aumento de 700%. Isso demonstra a crescente importância da certificação e sua correta exposição nas embalagens e pontos de venda. A aparência do produto seguiu o caminho oposto, caindo de 12% em 2019 para 8% em 2021. Para 89% dos consumidores o selo deve ser obrigatório para certificar se um produto é realmente orgânico. No Centro-Oeste este percentual sobre para 97%.

Quanto aos produtos orgânicos mais consumidos, encontrase disparado à frente os hortifrútis, com 75%. Ocupando um segundo lugar distante vem os grãos, com 12%, seguido por cereais (10%), açúcar (8%) e biscoitos (6%). Os motivos que levam o consumidor para os orgânicos são: melhorar a saúde (47%); é mais saudável (26%); não contém agrotóxicos (13%); e melhor qualidade do produto (24%). Quanto aos motivos para consumir orgânicos, as pessoas declaram consumir esses produtos por motivos individuais, não aparecendo de forma significativa a dimensão do coletivo. Os números mostram a necessidade de insistir na divulgação das vantagens dos orgânicos em questões que preocupam a sociedade, como a preservação do meio ambiente, a crise climática e a redução dos desequilíbrios socioeconômicos, entre outros.

O público consumidor também está disposto a pagar mais pelos produtos orgânicos. Esse foi outro indicador do estudo: os consumidores podem chegar a pagar até 19% a mais, em média, nos orgânicos quando comparado ao consumo dos não orgânicos. A prateleira dos orgânicos normalmente é associada a produtos de maior qualidade e com benefícios reais à saúde das pessoas. O custo de produção também é um componente que eleva o preço final, e o consumidor identifica essa característica. Por isso, 71% dos consumidores entrevistados disseram que é justificável o preço do orgânico ser maior em relação ao produto tradicional. Aliás, o custo foi apontado por aqueles que consomem e os que não consomem orgânicos.

Quanto aos locais preferidos para a compra de produtos orgânicos, os pesquisados disseram que a preferência é pelos supermercados (48%), seguido por feiras (47%), outros tipos de comércio (13%), lojas apenas de orgânicos (11%). Os supermercados e as feiras, embora liderem a preferência,

Nutrição E bem estar PARA TODA família Fibra betaglucana

Laminação exclusiva

Fibra presente em toda aveia e que auxilia na saúde do coração.

Flocos especiais - são mais inteiros e ideais para diferentes aplicações culinárias

Antioxidantes e Magnésio

O mercado

Vitamina do complexo B

+23%

E relevância DOS FORMATOS MENORES TAMBÉM

cresce EM VALOR!

2020

2021

100% Cereal Integral

+7,8% 22,6%

30,4%

2020

2021

Formato 165/170g

Mercado - Valor

Fonte: Kantar 2022

Fonte: Nielsen 2022

jasminealimentos.com 11


nas

gôndolas Ypê lança lava-louças em pó para máquinas A Ypê, empresa 100% brasileira e uma das maiores fabricantes de produtos de limpeza e higiene do país, lança o Lavalouças em Pó para Máquina Ypê, evidenciando o seu alinhamento às tendências do setor. Com o lançamento, a Ypê busca atender ao crescimento acelerado do segmento de lavagem de louças em máquina no Brasil e no mundo. Conforme revelado pela pesquisa da Household Innovation, as vendas de máquinas no país no primeiro trimestre de 2021 demonstraram um aumento de 40% quando comparado ao ano anterior.

BRF começa o abate de Perus Natalinos em Chapecó A BRF, uma das maiores companhias de alimentos do mundo, já iniciou o abate de perus para atender a demanda das festas de fim de ano no Brasil e exterior em 2022. Em Chapecó, no Oeste de Santa Catarina, está a única unidade da empresa que produz perus natalinos temperados. O ciclo de produção destes produtos comemorativos se inicia no verão anterior, em março, com a criação das aves nas granjas, sob rigoroso programa de bem-estar animal, alinhado com a legislação brasileira e com padrões internacionais. O período de abate deve ocorrer até novembro, quando os produtos chegam nos pontos de venda. No ano passado, as vendas de Kits comemorativos tiveram um crescimento de 11% em relação a 2020.

Vigor lança Grego pronto para beber Cada vez mais, a Vigor traz inovações e praticidade para a vida de seus consumidores, além de proporcionar produtos que ofereçam atributos únicos em qualidade e sabor. Pensando nisso, a marca líder da categoria de iogurte grego no país traz o Vigor Grego Líquido. O produto une a cremosidade e o sabor do iogurte grego com a facilidade das garrafinhas prontas para beber. Vigor Grego Líquido chega aos supermercados em três sabores diferentes: tradicional, frutas vermelhas e tangerina - um sabor diferenciado dentro da categoria de iogurtes gregos.

12


TODDYNHO® lança promoção que sorteará 400 mil reais em prêmios TODDYNHO® está presente no lar dos brasileiros desde 1982 e já se tornou referência quando o assunto é sabor, praticidade e nutrição. Em sua história, se tornou uma marca icônica, hoje líder de vendas, participando da infância dos brasileiros de diferentes gerações. Esse ano, para comemorar seu 40° aniversário, a marca lançou, no dia 5 de abril, uma promoção que sorteará aos consumidores cinco prêmios no valor de R$ 40 mil reais, além de diversos prêmios de R$ 100 a toda hora. A promoção é válida até 31 de maio e para participar, é super fácil! Basta comprar uma ou mais unidades de TODDYNHO® Regular ou TODDYNHO® Levinho, cadastrar o código promocional localizado na parte de cima da embalagem no site: promo.toddynho.com.br e pronto!

Piracanjuba entra no mercado de nutrição infantil Como especialista em leite, e presente nos lares brasileiros desde 1955, a Piracanjuba, por meio da sua Divisão científica -- a Piracanjuba Health & Nutrition --, apresenta a linha de nutrição infantil Piracanjuba excellence. Uma das novidades é a inovadora bebida pronta para consumo Piracanjuba excellence, destinada à idade pré-escolar, segura e prática para alimentar as crianças onde elas estiverem. “Vai levar o filho para passear ou precisa deixá-lo no berçário? A bebida é uma ótima alternativa para esses momentos fora de casa, afinal, traz praticidade e segurança para complementar a alimentação, em qualquer lugar, com menor risco de contaminação, já que dispensa o uso de água para dissolução”, explica a Gerente de Marketing da Piracanjuba, Lisiane Campos.

oficialpiracanjuba

oficialpiracanjuba

13


INFORME TRIBUTÁRIO

Supermercados devem recuperar, pelo menos, R$ 1 bilhão em créditos tributários este ano A estimativa, que prevê a restituição junto à Receita Federal de tributos pagos a maior, como PIS e COFINS, leva em conta o universo de 150 supermercados atendidos por uma empresa de consultoria do RJ Responsável por 7,5% do PIB nacional, o segmento de supermercados tem buscado cada vez mais a restituição de tributos federais como saída para gerar fluxo de caixa. Esse movimento teve início há alguns anos e vem se intensificando diante de um cenário com alta de juros e pressão inflacionária, que -- agora agravado pela guerra na Ucrânia -- impacta diretamente o setor. Para se ter noção dos valores envolvidos, em um universo de 150 supermercados, a previsão é recuperar R$ 1 bilhão em créditos junto à Receita Federal em 2022. A projeção é da BMS Consultoria Tributária, que possui em sua carteira de clientes mais de 150 supermercados distribuídos por diversos estados. O suporte técnico oferecido por seus especialistas tem sido peça-chave para reduzir riscos de inconsistências no recolhimento dos tributos. “A verificação de oportunidades de créditos deve ser recorrente, visto que é um dos setores com mais dificuldades tributárias, devido às alterações constantes das normas vigentes. Além disso, ainda tem como impositivo um alto volume de parametrizações fiscais, que variam inclusive entre itens de uma mesma categoria. As equipes sozinhas passam por dificuldade em manter os cadastros e cálculos em dia, o que resulta em inconformidades com o decorrer do tempo.”, explica o diretor técnico da equipe de tributos federais da BMS, Paulo Gomes. Entre os supermercados, a maioria da restituição, relacionada a valores pagos a maior, diz respeito ao PIS e COFINS. A lista de produtos mais recorrentes nessas apurações é composta por pães, queijos, bolos e materiais de limpeza (sabonetes e detergentes). Segundo Gomes, usando essa base de cálculo é possível recuperar de 8 a 10% da receita anual de um

14

supermercado. Isso significa, por exemplo, que de um total de R$ 200 milhões pagos em tributos, cerca de R$ 20 milhões poderão ser restituídos. “O sistema tributário brasileiro é de grande complexidade para os contribuintes, inclusive para os supermercadistas que, além de suportarem uma tributação sobre a folha de salários por contribuições com diferentes formas de cálculo, comercializam uma grande quantidade de produtos com regras muitas vezes confusas para a correta apuração do ICMS, PIS e COFINS, sendo comum que empresas acabem pagando mais tributo do que o efetivamente devido. A recuperação destes créditos tributários pagos a maior é medida de extrema importância na gestão financeira do supermercado, com alívio do seu fluxo de caixa”, afirma Marcio Milan, Vice-presidente Institucional e Administrativo da ABRAS, entidade criada há 50 anos para representar um segmento que faturou, só em 2020, R$ 554 bilhões, e gera 3 milhões de empregos diretos e indiretos. Considerando as 91,3 mil unidades associadas à ABRAS, por onde passam diariamente 28 milhões de consumidores, a projeção da BMS, de recuperar R$ 1 bilhão até o final do ano -levando em conta os 150 supermercados atendidos atualmente --, poderia ser multiplicada por 600. O diretor da BMS, Paulo Gomes, fez uma palestra durante o Smart Market ABRAS sobre “o eterno desafio da tributação na entrada e saída de mercadorias”. Ele explicou: “Os supermercados ainda exploram pouco a possibilidade da restituição tributária. O que observamos é que algumas empresas realizam a apuração do crédito, mas sem a retificação detalhada”.


BRASIL MAIS

Parceria da Agos e Sebrae permite acesso ao programa Brasil Mais Totalmente gratuito, oferece atendimento especializado e acompanhamento contínuo por quatro meses Uma parceria entre a Associação Goiana de Supermercados (Agos) – por meio da Escola Agos e a Agos Regional Aparecida de Goiânia – e o Sebrae Goiás, resultou na realização de um projeto que disponibiliza aos empresários do ramo de supermercados acesso personalizado ao programa Brasil Mais, do Sebrae. Totalmente gratuito, o Brasil Mais oferece atendimento especializado e acompanhamento contínuo por quatro meses para aumentar a competitividade da empresa. Ele é considerado o maior programa de inovação e produtividade da América Latina. Mais de 67 mil empresas já passaram pelo programa. Elas relataram que tiveram, em média, aumento de 45% no faturamento e 87% de aumento na produtividade. Inicialmente, 14 supermercados associados de Aparecida de Goiânia fazem parte do projeto que é acompanhado de perto pelo Sebrae Regional Metropolitana. O agente local de inovação (ALI) do Sebrae, Victor Miranda, é quem faz as visitas aos

supermercadistas. “Temos notado, até o momento, que os empresários têm sido participativos. Percebemos que eles têm gostado bastante e estão aprendendo muito com o programa”, afirma. O diretor da Agos Regional Aparecida de Goiânia, Mário Júnior, foi um dos empresários que recebeu o projeto em sua loja. Segundo ele, o Brasil Mais atende as necessidades do supermercadista, que neste momento convive com baixa lucratividade e está imerso na atividade operacional. “O programa abrange pontos estratégicos na empresa, como financeiro, pontos de venda por setor, rede social, medidores de produtividade dos colaboradores. Isso acaba dando uma nova perspectiva ao empresário”, avalia.

15


VITÓRIA SUPERMERCADISTA

Governador atende pedido da Agos de mudança na data de pagamento do ICMS Na visita que Caiado fez a Agos, no dia 5 de abril, este foi o ponto central das reivindicações dos supermercadistas. Vinte e um dias depois, na sede da Fecomércio-GO, o governador anunciou que a cobrança passará do dia 5 para o dia 10 de cada mês

A

data para recolhimento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), em Goiás, foi alterada do dia 5 para o dia 10 de cada mês. A mudança é uma demanda antiga dos supermercadistas e de outros segmentos (comércio varejista, bares e restaurantes), que tinha recolhimento antecipado desde 2015.

Vinte e um dias depois, durante reunião entre o governador de Goiás, Ronaldo Caiado, a secretária da Economia, Cristiane Schmidt, o presidente da Fecomércio, Marcelo Baiocchi e diretores da entidade, foi anunciado o novo calendário do ICMS. O presidente da Associação Goiana de Supermercados (Agos), Gilberto Soares da Silva, esteva entre os presentes.

Isso acarretou em uma dificuldade econômica para o setor, visto que a data coincide com outros compromissos financeiros, como folha de pagamento e impostos federais. O ato do Estado, portanto, reduz essa sobrecarga. A medida entra em vigor já a partir do mês de maio.

Gilberto elogiou a medida, lembrando que ela é um resgate de um compromisso que foi assumido perante o setor supermercadista. “O governador deixa todo o nosso segmento muito feliz porque mostra que tem palavra. Ele faz o que promete. Isso faz toda a diferença para um administrador público. Revela a sua credibilidade”, comentou o dirigente classista.

O novo calendário começa a valer a partir de maio e foi concretizado em assinatura de instrução normativa em 16 de abril, em solenidade realizada na sede da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Goiás (FecomércioGO). Na visita que o governador Ronaldo Caiado fez à sede da Agos, no dia 5 de abril, o presidente da entidade, Gilberto Soares da Silva, reforçou perante o chefe do executivo estadual essa reivindicação. O governador, na ocasião, estava acompanhado pelo seu staff administrativo e prometeu atender a demanda.

16

O governador Ronaldo Caiado explicou que a prorrogação do prazo só foi possível devido ao planejamento orçamentário e financeiro realizado em Goiás nos últimos três anos. Nesse período, houve reestruturação da máquina pública e renegociação da dívida. “No momento em que conseguimos avançar no equilíbrio fiscal, a primeira medida que determinei foi exatamente essa que acabo de assinar. Isso dá ao empresário uma maior flexibilidade e alívio no seu fluxo de caixa”, relatou.


“Essa data é importante porque mostra que quando se organiza um Estado, consegue atender demandas da sociedade”, disse a secretária da Economia, Cristiane Schmidt. Ela definiu o anúncio de Caiado como uma troca de fluxo de caixa que vai beneficiar o setor empresarial. “Mostra que estamos fazendo isso porque podemos, porque arrumamos as contas. Tanto é que nunca investimos tanto como agora”, completou ao revelar que, segundo a Secretaria do Tesouro Nacional, Goiás aplicou mais de R$ 4 bilhões somente em 2021. O presidente da Fecomércio, Marcelo Baiocchi, celebrou a mudança da data de recolhimento do ICMS: “Nada melhor do que boas notícias como as de hoje”. O representante da entidade destacou a importância do diálogo que existe entre o Estado e o setor. “Tenho certeza que essa é uma forma democrática de se achar ponto de equilíbrio entre a necessidade de arrecadação do Estado e a capacidade de pagamento do contribuinte”, afirmou.

17


ATENDIMENTO

Excelência no Atendimento contribui para fidelizar clientes Para ser bem sucedido é imprescindível investir em treinamento, capacitação e contratação de mão de obra

T

reinar, orientar e incentivar os colaboradores. Este é o tripé de sustentação para que o varejo consiga a tão sonhada excelência no atendimento, que vai resultar na fidelização dos clientes. Mas falar isso é muito mais fácil do que executar, na prática. No atendimento de autosserviço, por exemplo, tem quem confunda a verdadeira experiência do cliente. Sim, a escolha do que ele vai comprar é unicamente dele. E é ele quem se serve. No entanto, em determinado momento da experiência da compra, se ele necessita de informações, deve recebê-las de forma receptiva, atenta e solícita. É o que ele espera que vá acontecer, por exemplo, no açougue e na padaria. Além do que, o princípio básico do bom atendimento no autosserviço é: deixe o cliente à vontade para escolher, pesquisar e decidir. Depois, quando passar no checkout, ele vai querer ser bem atendido, com educação e simpatia. Na edição anterior da Revista Supermercados (197) uma das principais matérias tinha o seguinte título: “43% dos consumidores brasileiros estão insatisfeitos com atendimento”. Trata-se de um sinal de alerta que não pode ser desconsiderado, até porque, segundo a pesquisa que chegou a essa constatação (Relatório Anual Zendesk), 99% dos consumidores estão dispostos a gastar mais com empresas que personalizam a experiência de atendimento. Como o cliente avalia a qualidade do atendimento numa loja? Os especialistas apontam que isso se dá, primeiro quando ele percebe que a área de exposição está limpa, organizada, atraente, bem sinalizada e com boa exposição. O cliente, também, avalia a postura, comportamento e atitudes dos funcionários da área de vendas, verificando se é receptiva, atenta e solícita. A atitude do colaborador deve ser discreta e, de preferência, com um sorriso de “bom dia” e “bem-vindo”. E o atendimento deve ser personalizado, especialmente, nas áreas de padaria, peixaria, carnes, frios/laticínios e, como já foi dito, no check-out. O funcionário deve identificar a necessidade do cliente. Em outras palavras: corresponder à sua expectativa. Agir, sobretudo, com educação e simpatia. São esses os requisitos essenciais quando se fala num atendimento personalizado. Mas para isso, o funcionário deve conhecer muito os produtos com os quais está trabalhando, bem como os equipamentos e as ferramentas necessárias à realização do seu trabalho. Cada vez mais, o varejo deve compreender como lidar com pessoas dos dois lados do balcão: cliente e atendente. Para ser bem sucedido nessas duas pontas é imprescindível investir em treinamento, capacitação e contratação de mão de obra. É isso que levou a Agos a criar para os seus associados um “Banco de Talentos”, coordenado pela psicóloga e especialista em gestão de recursos humanos, Hellen Brenda.

18


ATENDIMENTO

7 Dicas para melhorar o atendimento no Supermercado 1

O objetivo dessa iniciativa, segundo Hellen, é contribuir para que os supermercados melhorem as suas contratações de mão de obra. Isso será feito por meio da captação de currículos, seleção e distribuição de acordo com as necessidades dos supermercados associados à entidade. A seleção final e contratação serão feitas pelo lojista, explica Hellen. E a Escola Agos entra no projeto contribuindo para a qualificação e treinamento desses profissionais. O presidente da Agos, Gilberto Soares da Silva, é um entusiasta na excelência do atendimento ao cliente e na necessidade de investir na qualificação da mão de obra nos supermercados. Para demonstrar a sua preocupação com o tema ele costuma repetir uma máxima, que serve para ele como um mantra: “O cliente é o nosso patrão. É ele que paga o nosso salário. Sem ele não existimos”. E como o supermercado é o primeiro emprego de muitos profissionais que entram no mercado, Gilberto entende a necessidade do setor investir em capacitação e treinamento. Nesse quesito, a Escola Agos tem sido de grande valia para os supermercadistas que desejam investir na formação de seus colaboradores. “Além de cursos básicos para a área de supermercados, recentemente firmamos uma parceria com a Unialfa para oferecer, com descontos especiais, cursos de pósgraduação na área executiva”, comenta o presidente.

Identifique as situações que gera insatisfação e as evite

Todo consumidor tem uma maneira particular de avaliar um atendimento e concluir se deve prosseguir na compra. Existem clientes que desistem, mesmo depois de pegar o produto e dirigir-se ao caixa, por causa de uma insatisfação ocorrida durante o atendimento. Descubra o que mais irrita seu consumidor e mantenha seu atendimento no padrão de qualidade que ele deseja. Geralmente clientes detestam: 1. Ficar sem resposta por muito tempo; 2. Esperar demasiadamente na fila do caixa de supermercado; 3. Encontrar atendentes mal humorados e antipáticos;

2

Descubra as necessidades do seu cliente e seja fiel a elas

Pergunte ao consumidor o que ele procura em seu estabelecimento, e leve até ele o produto mais adequado possível. Às vezes, o consumidor é novo em sua loja e não consegue achar os produtos que ele está procurando. Pratique o marketing de gentileza e ajude seu cliente a comprar o que ele exatamente deseja.

3

Faça sua parte, mas envolva sua equipe nessa missão!

Você, o fundador do negócio, está comprometido com a excelência no atendimento ao cliente? A operadora de checkout, o açougueiro e todos de sua equipe compartilham dessa mesma visão? Em um supermercado, o cliente deve ser o centro das atenções. As pessoas que trabalham com você precisam assumir esse zelo em relação aos consumidores, sejam novos ou antigos. Por isso, invista no treinamento dos seus funcionários.

4

Esteja próximo do cliente e melhore seu serviço de atendimento

Conhecer o que seu cliente precisa ajuda a identificar o produto certo e aumenta a sua chance de vender par ele. Além dessa vantagem, entendendo o perfil dos seus clientes, você consegue direcionar melhor as suas campanhas de marketing promocional. Aproveite essa proximidade com o consumidor para oferecer um atendimento mais personalizado.

5

Pense e invista na experiência de compra antes de fidelizar clientes

Como o seu cliente se sente comprando no seu supermercado? Os produtos são fáceis de encontrar? As gôndolas estão sempre abastecidas? O cliente terá um bom atendimento quando mantiver contato com os profissionais de seu supermercado? Todos esses questionamentos são relevantes quando o tema é experiência de seu cliente. Ter um cuidado geral com o ambiente e com o atendimento permite que a experiência seja positiva.

6

7

Use as redes sociais

Seus consumidores podem se conectar com a marca através das redes sociais, muitas ferramentas podem ser usadas online para se aproximar e fidelizar os clientes. Postar dicas sobre como usar produtos que a empresa vende, receitas, divulgar promoções de seu supermercado, motivar a interação com perguntas, mostrar as novidades do supermercado e muito mais. Fidelizar clientes requer aproximação entre marca e consumidor, nas redes sociais esse trabalho é muito facilitado.

Crie um programa de fidelidade

Por mais óbvio que pareça ser, os programas de fidelidade são úteis para que o cliente se sinta valorizado e volte frequentemente. Um clube de desconto, por exemplo, é uma boa opção para que o cliente dê preferência na ida ao seu supermercado. É o tipo de estratégia simples de aplicar, que gera alto engajamento e contribui para a satisfação do consumidor. Portanto, é uma das dicas para fidelizar clientes que nunca sairá de moda.

Fonte: Blog do Supermercado

19


20


21


CAPA

Muitos supermercadistas, que criaram o seu negócio, devem estar se fazendo essa pergunta. Esta matéria aponta caminhos que podem ser seguidos no complexo processo da sucessão familiar

22


CAPA

N

oventa por cento dos negócios do Brasil são constituídos por empresas familiares. Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O segmento representa 65% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro e 75% dos empregos no país. Não obstante esses dados robustos no cenário econômico, as empresas familiares convivem com grandes desafios. O maior deles, segundo revelam especialistas, é a preparação para a sucessão do negócio. Estudos apontam que 70% das empresas fecham as portas após a morte do fundador; apenas 5% delas chegam à terceira geração. Por isso, o investimento em programas de capacitação voltados para formação de líderes e com vistas a qualificar cada integrante da família para o seu cargo dentro da empresa pode ser uma saída bastante eficaz para a saúde corporativa. Especificamente, no segmento supermercadista, o negócio familiar não foge à regra. Ou seja, é a esmagadora maioria, com forte presença, seja em pequenas, médias ou grandes organizações. São empresas onde os jovens começam cedo, conhecem o valor do trabalho e procuram unir o conhecimento prático ao acadêmico para inovar e manter os lucros. Mas como se origina esse processo? O nascimento de um supermercado, na maioria das vezes, envolve um empreendedor visionário que se apoia no saber prático. É isso que o orienta a administrar o negócio, muitas vezes aos trancos e barrancos. Ele acaba imprimindo o seu estilo de gestão muito particular, com base em seu relacionamento com a comunidade e no seu tino comercial. As gerações mais novas, por outro lado, não dispensam a vivência acadêmica. Hoje, esta característica tem sido bastante valorizada. Quem tem vivência prática nesse assunto é o economista e consultor de empresas Gilmar Teixeira Santana, que acumula em seu currículo 30 anos no comércio varejista, dos quais 15 na gerência do hipermercado Carrefour, com passagem, também, pela Universidade Martins do Varejo (UMV). Ele que já atendeu aproximadamente 300 supermercados, informa que “na passagem do bastão para os filhos apenas 36% sobrevivem quando assumem o comando e, mais surpreendente ainda, menos de 8% são preparados para o processo sucessório.” Com base nessa experiência, Gilmar explica que “convivi e convivo com muitas situações de fracassos e sucessos na gestão dos supermercadistas, porém um fato sempre me surpreendeu: poucos são os supermercadistas que planejam um processo sucessório em seu negócio. A grande maioria é da geração X, nascidos entre 1965 a 1980.” Ele assegura que “a perenidade dos supermercados hoje (qualquer ramo de negócio) é a grande preocupação das famílias que comandam o comércio supermercadista.”

10 Questionamentos para se fazer no momento da sucessão familiar 1 Quem será o novo responsável pelo comando da empresa? 2 Como será o processo de sucessão? 3 Que preparação será necessária para o processo de transição? 4 O que será feito se o processo sucessório não for bem sucedido? 5 Quem pode ou não fazer parte da empresa? 6 Qual o limite para a admissão de membro da empresa na família? 7 Como será exercida a autoridade? 8 Quem pode possuir cotas da empresa? 9 Como avaliar e pagar os membros da família? 10 O que acontecerá em casos de divórcio ou falecimento?

Por isso, o consultor acredita que “quando é pensado e planejado, esse processo de transferência do controle do supermercado aos filhos, o supermercado passa a ter uma estratégia vitoriosa para o futuro, pois consolida passado, presente e futuro.” Gilmar reafirma a importância de que o processo da sucessão aconteça quando “os donos ainda estiverem vivos e em plena atividade na gestão do supermercado.” Ele complementa: “Em alguns supermercados aonde consegui implantar esse sistema sucessório a grande maioria teve sucesso em sua gestão.” O consultor ressalva, porém, que “os conflitos entre as gerações sempre existiram e continuarão a existir.” Por isso, mesmo tomando todos os cuidados prévios, ele enumera que existem diversos fatores que dificultam o processo sucessório, tais como: “a diferença de idade, a resistência em mudar, a inovação tecnológica, redes sociais, entre outros fatores.” Daí a necessidade, argumenta, que exista “o bom senso e a humildade, que devem imperar para que aconteça o crescimento pessoal e profissional.” Quando o script é seguido, pondera Gilmar, “todos ganham com isso porque passa a existir a troca de experiências entre gerações (o velho e o novo, o experiente e o aprendiz, o conservador e o inovador).”

Fonte: Revista AGAS Ed. 314

23


CAPA

1

5

2

CARACTERÍSTICAS PARA O SUCESSO DA EMPRESA FAMILIAR

CRIAÇÃO DE VALORES FAMILIARES DURADOUROS As famílias de sucesso são muito trabalhadoras, às vezes até o extremo. Elas enfatizam dentro de si e na maneira como educam seus filhos a ideia de criar negócios que durem.

CONTROLE DE GASTOS FAMILIARES O cuidado com os gastos cotidianos e as despesas do negócio é fundamental para evitar que as expectativas da família por um apoio financeiro acabem retirando capital importante do negócio, enfraquecendo-o ou até mesmo liquidando-o.

3

O professor da conceituada Universidade de Harvard John Davis, autor do livro “De geração para geração: ciclo de vidas das empresas familiares”, enumerou cinco características que as empresas familiares de sucesso têm em comum e que servem de exemplo para as demais.

4 5

O especialista argumenta: “o que realmente vale é que a flexibilidade, o aprendizado, as inovações nos torna mais fortes e preparados para uma vida melhor.” Com isso, ele conclui: “Aprender com as experiências adquiridas, principalmente de quem já trilhou o caminho antes de nós é, quase sempre, atalhar caminhos.” O presidente da Agos, Gilberto Soares da Silva, comenta que é o sonho de todo pai, que criou um negócio em meio a tantas dificuldades, rompeu muitas barreiras e superou inúmeros planos econômicos, passar o negócio para o filho sem maiores atropelos. “É preciso que o sucessor se apodere da experiência dos pais para dar continuidade aos negócios”, explica o presidente. Para Gilberto, “esses pais que aprenderam a administrar o negócio ‘na raça’ e construíram esse meio de vida (o supermercado), hoje se sentem realizados.” “Num cenário muito mais propício como o atual,” - explica Gilberto - “sobretudo, devido a todo o trabalho que já foi implementado, é natural querer que os filhos venham assumir o comando do negócio.” Ele entende que “é muito importante que o sucessor desde cedo comece a acompanhar a administração do negócio para que adquira uma vivência prática e conheça a cultura da empresa”. O presidente reconhece que os jovens hoje estão mais preparados “para dar um choque de gestão nos negócios, porque estamos vivendo num mundo pautado pela velocidade das informações e os jovens estão sempre ávidos por novos conhecimentos”. Ele entende como de fundamental importância valorizar os patriarcas que construíram o negócio e agora vão poder, numa fase muito mais propícia, legar aos jovens a continuidade dos negócios da família.

24

NECESSIDADES DO NEGÓCIO EM PRIMEIRO LUGAR Elas colocam o negócio e seu sucesso como o mais importante, não da família, necessariamente, mas das necessidades individuais.

DIVERSIFICAÇÃO DE INVESTIMENTOS PARA GERAR RENDA O cuidado com os gastos cotidianos e as despesas é fundamental para evitar que as expectativas da família por um apoio financeiro acabem retirando capital importante do negócio, enfraquecendo-o ou até mesmo liquidando-o.

CRIAÇÃO DE SISTEMA DE GOVERNANÇA CORPORATIVA Um líder forte não deve prescindir de uma boa gestão em forma de políticas, regras e meios pelos quais a família pode se reunir e falar sobre assuntos delicados.

Depoimento

Diego T. Albernaz fala da sua experiência pessoal O empresário, de 29 anos, que dirige a Rede Zero 7, com três lojas (duas em Bela Vista e uma em Vianópolis) comenta os principais conflitos que viveu durante o processo sucessório na empresa e os seus aprendizados “A sucessão no Supermercado Zero 7 não foi planejada. No ano de 2012, então com 19 anos, pedi ao meu pai pra começar a trabalhar com ele. Ele autorizou. Trabalhei em todos os setores da empresa, passando do depósito, a reposição, caixa e, por fim, no administrativo. Foi só quando fui para o administrativo que meu pai me contratou. Fiquei fixo lá. Coincidiu que nessa época meu pai foi diagnosticado com câncer na cabeça. Aí comecei a me envolver mais ainda nos processos da empresa, à medida que ele ia se afastando para tratamento. Ele foi aumentando as minhas responsabilidades. Nesse processo fui aprendendo mais sobre o comercial. E, também, comecei a me envolver mais na operação, mas agora como gestor. Nessa época tinha 23 anos. É claro que quando ascendi na empresa enfrentei dificuldades. A primeira foi o diálogo com meu pai. Eu queria implementar mudanças e ele me barrava. Eu não aceitava. Ele era muito ‘cabeça fechada’. Achava que as coisas deveriam ser feitas do jeito dele. Por isso, os resultados apareciam devagar. Eu ficava irritado com isso! Quando assumi o cargo de liderança tive dificuldades em me sentir


CAPA

Diego T. Albernaz

merecedor. Achava que estava ali apenas por ser filho do dono. Também tive a impressão que os colaboradores me viam assim. A consequência era que isso acabava me tirando a confiança para exercer funções importantes de gestão. Acredito que a maior dificuldade que enfrentei foi meu pai ter adoecido. Com isso, as coisas mudaram repentinamente. Não teve tempo para uma transição. De repente, chegou num ponto que ele não conseguia mais ir trabalhar. Fiquei sem poder contar com o seu apoio e a sua opinião. No inicio da sucessão, como disse, me irritava por ele não me deixar fazer mudanças, mas quando me vi sem o suporte dele percebi como era pesado assumir um encargo tão grande. Hoje, refletindo sobre essa situação, penso que o principal fator que contribuiu para o êxito no processo de sucessão do Supermercado 07 foi eu ter ouvido e seguido o conselho do meu pai. Ele me orientou para que, primeiro, ganhasse a confiança dos meus tios (irmãos dele, que também são sócios da empresa). Só depois deveria colocar em prática a minha maneira de gerir. Mesmo com algumas brigas, naturais num processo como esse, eu vejo que sempre busquei respeitar e honrar o que meu pai e meus tios construíram. Compreendi que eles ergueram as bases, os alicerces, para que eu pudesse fazer as coisas necessárias hoje! Outro ponto importante: nunca olhei pra eles com arrogância, com um olhar de ‘superar’ ou de ‘fazer melhor’. Busquei, sim, dar continuidade, honrar e respeitar o que tinha sido

construído até aqui. Sei o quanto é difícil erguer e manter um negócio por 30 anos. Vejo, portanto, que sou um privilegiado por poder assumir um negócio consolidado e tradicional. Se tive oportunidade de estudar e aprender teorias de gestão (que meu pai e meus tios não sabiam) foi porque eles sempre trabalharam para que eu pudesse alcançar esses conhecimentos. Então, acho que temos que respeitar esse passado. Honrar isso é não achar que sou o dono da verdade e eles fizeram de maneira errada! A conclusão que tiro sobre o êxito da sucessão do Zero 7: ela veio porque tive humildade de respeitar e honrar aquilo que havia sido construído. Ao mesmo tempo, meu pai e meus tios tiveram a inteligência de entender que as coisas evoluem e, mesmo devagar, aceitaram minhas sugestões de mudança. Isso fez a empresa crescer! O principal conselho que dou para quem estiver vivenciando esse processo de sucessão é: comece enquanto as coisas estão bem! Não espere uma doença ou morte, porque nesse momento estamos com os sentimentos aflorados e as coisas podem desandar por falta de inteligência emocional! Então, comece a pensar e a executar a sucessão enquanto tudo está bem. Estude sobre governança corporativa, procure profissionais que ajudem nesse processo. E aqui é um conselho de quem ‘errou’, ainda que de forma involuntária. Acredito que muitos transtornos que passamos seriam evitados se tivéssemos pensado na sucessão quando tudo estava bem e não apenas quando meu pai adoeceu e faleceu!”.

25


CAPA

SUCESSÃO FAMILIAR Momento do empresário eternizar sua obra e pensar no futuro O planejamento sucessório pode ser considerado um passo importante para a sobrevivência de uma empresa familiar

Q

uando se fala em sucessão familiar grandes homens deixam mais que simples lembranças, deixam um legado a ser seguido pelas gerações futuras. Entre esses se destacam os empresários que conseguem eternizar a sua obra quando pensam no futuro da sua empresa para permanecer viva e próspera além do seu tempo. Para isso, com maturidade e visão vai preparando os seus sucessores para a passagem do bastão e descobrindo entre filho, genro ou neto o que mais se adéque ao perfil de líder da organização, sem perder seus princípios e valores.

Por José Rafael de Medeiros

Mentoring e Humanistic Coach Consultor, palestrante e escritor. É um dos mais requisitados palestrantes motivacionais do Brasil. @joserafaeldemedeiros

O empresário sábio, maduro e realista vai trabalhando e planejando para que a sua sucessão bem planejada ocorra sem outros mal-estares decorrentes dos interesses particulares de cada membro da família. O planejamento sucessório pode ser considerado um passo importante para a sobrevivência de uma empresa familiar, uma vez que ele não comprometerá a continuidade da organização. O que pode prejudicar esse processo é a não definição de quem é quem, quando o líder da família vai postergando essa decisão para evitar intrigas e desavenças familiares. Esse tipo de atitude não só compromete o futuro da empresa como também provoca brigas familiares refletindo no rompimento traumático com o passado e o futuro do seu negócio. É IMPORTANTE SE PLANEJAR O planejamento sucessório está intimamente ligado à continuidade e perpetuidade dos negócios. A sucessão familiar pode ter origem em uma escolha pessoal do patriarca preparando antecipadamente os demais membros da família num acordo bem conversado para que não ocorra nenhum risco de, na sua ausência, os outros sócios questionarem a liderança do escolhido. EVITAR TENSÕES Em muitas empresas familiares os líderes não querem discutir o assunto, mas não se dão conta da complexidade que será a discussão quando a família não tiver mais sua liderança, e que esta discussão pode até mesmo por em risco não só o negócio, mas os laços familiares. Todos sabemos que quando emoção, poder e dinheiro se misturam, conflitos podem surgir. Por isso, é importante analisar fatores críticos para que se faça uma sucessão na empresa familiar da forma mais eficiente e tranquila possível. Antecipar significa evitar no futuro os conflitos e a divisão da família, tanto emocionalmente quanto racionalmente falando. CONTRATE UM PROFISSIONAL O ideal nesse momento quando se fala de sucessão familiar é contar com um profissional para ajudar a conduzir esse processo. Esse profissional irá não só facilitar discussões difíceis, mas irá primordialmente, construir um melhor entendimento das decisões entre os familiares. A sucessão na empresa familiar bem discutida e planejada é a melhor maneira de se evitar conflitos entre sócios, executivos e familiares. Uma pessoa de fora, sem vínculos emocionais com os membros da família e bem preparado, se torna a melhor opção para mediar essa transição e evitar conflitos.

26

Artigo


CAPA

R E U N I R P ES S OA S

REALIZAR D E S E J O S

A L I M E N TA R GERAÇÕES

Essa é a nossa missão ao abastecer a cidade com a cristalalimentos.com.br/nossajornada

/cristalalimentos

@cristalalimentos

27


ARTIGO

Rotatividade e Retenção de Talentos nos Supermercados Fazer com que seus colaboradores se sintam valorizados deve ser prioridade constante

Por Hellen Brenda Rodrigues Costa Sampaio

Psicóloga, especialista em Gestão Estratégica de Pessoas e Consultora de Recursos Humanos

N

o ramo supermercadista, é natural ouvir que a rotatividade é uma realidade constante no dia-a-dia, devido à falta de adaptação aos horários necessários, tais como: trabalhar aos finais de semana, feriados, aguardar o fechamento das lojas, entre outras razões. Porém, não há muito a ser feito quanto a esses motivos. E esse assunto tem despertado cada vez mais os empresários a procurarem estratégias para reter seus colaboradores, uma vez que a permanência ou saída impacta diretamente nos resultados da empresa. Atualmente, o setor enfrenta dificuldades para encontrar candidatos comprometidos e, quando encontra, não se atenta à retenção desses talentos na instituição, aumentando ainda mais a rotatividade na empresa. Mas o que tem gerado esse “vai e vem” de funcionários? O que pode ser feito para amenizar essa problemática? Sem querer colocar como principal causa as razões subjetivas, onde o colaborador solicita o desligamento por motivos de doenças na família, mudança de cidade, entre outros (que também são contabilizados no turnover) vou falar das razões que geram o desligamento por pequenas falhas de comunicação entre colaborador e empresa, dando brechas para um alto índice de rotatividade. Em diagnóstico psicológico e comportamental que realizo nas empresas, encontro pontos sensíveis que precisam ser tratados. Quero citar um dos mais comuns que é a falta de reconhecimento. Algo que parece tão simples mas que gera desmotivação no colaborador, e por vezes diminui a produtividade, influenciando na demissão por parte da empresa. Ao contrário do que a maioria pensa, esse reconhecimento não está ligado somente à remuneração – embora os próprios colaboradores relatam ser esse o motivo. Mas investigando bem as questões sociais e pessoais, encontramos apenas no exercício de “Escuta” a principal razão: “Eu gosto da empresa, gosto do meu trabalho, o salário consigo administrar, mas não sou reconhecido pelo meu esforço.” Os colaboradores relatam que as empresas não tem o costume de dizer: “Feliz Natal” ou “Feliz Ano Novo”, mesmo ficando além do horário nessas datas. Também não se atenta a ofertar alguns mimos como um panetone, em época de Natal. Essa falta de observação e cuidado do empregador com o colaborador gera sentimentos negativos. Estes últimos dizem não se sentir valorizados e reconhecidos, independente do esforço que realizam. Estudos relacionados à retenção de talentos apontam que a política de positivar comportamentos ao invés de dar ênfase apenas aos erros, gera maior resultado. Albert Einstein dizia que: “Não existem ideias más, sem erro não há crescimento”, justamente por acreditar que os erros são o movimento que o colaborador faz para acertar. Fazer com que seus colaboradores se sintam valorizados deve ser prioridade constante. Pessoas que se sentem reconhecidas são mais propensas a serem produtivas e felizes em seus papéis. Muitos

28

Artigo


ARTIGO

empregadores ignoram o fato de que o dinheiro é (para muitos) um motivador de curto prazo e se esquecem da satisfação diária no trabalho, onde um ambiente com comunicação positiva pode ser determinante para a permanência de uma pessoa no local de trabalho. O resultado de uma boa atuação no departamento de Recursos Humanos dentro de uma empresa se torna notório, seja através do psicólogo ou analista, mas que tenha a sensibilidade para dar suporte às necessidades dos colaboradores. É preciso entender suas dores, seus anseios e buscar soluções para um ambiente de trabalho mais positivo. É possível encontrar, dentro dos processos de implantação das diretrizes de RH nas empresas, colaboradores com habilidades comportamentais para atuar no departamento, dando a oportunidade de crescimento na empresa.

FUNCIONÁRIO DO MÊS

Entendendo bem os valores de sua empresa, trabalhando a sinergia e comunicação da sua equipe, o empresário, além de reconhecer por mérito todos os colaboradores que de fato “vestem a camisa” e levantam as portas do seu comércio todos os dias, facilitam a retenção e melhor aproveitamento de sua equipe, em consequência diminuem assim sua rotatividade.

29


FÉRIAS DE JULHO

Com criatividade é possível aumentar fluxo na loja e melhorar o ticket médio A data concentra compras extras – e também de impulso – pelos pais e responsáveis, que tendem a ceder mais aos desejos dos pequenos consumidores

30


FÉRIAS DE JULHO

O

período de férias escolares do meio do ano certamente pode proporcionar para os supermercados o aumento das vendas. O mês de julho possui diversas oportunidades e elas devem merecer sua atenção, no que diz respeito a se preparar para essa data sazonal. Sem dúvida que esse período deve ser muito bem explorado pelo seu supermercado em busca da melhora de resultados. Uma boa alternativa é apostar no relacionamento para melhorar a taxa de retenção e de fidelização de clientes na loja. Para isso você pode apostar tanto em ações online, quanto em investimentos na sua loja física. Com isso será possível atrair novos consumidores, além do que você pode trabalhar a gestão de clientes com os atuais. Os canais digitais podem atuar como eficiente ferramenta de relacionamento e, claro, também para estimular as vendas. Por meio de posts, você pode sugerir ações voltadas para as crianças nas férias escolares. Algo como passeios pela cidade, gincanas, plantação de produtos orgânicos ou festa do pijama. Por exemplo: para um passeio sugerir um piquenique com frutas, sucos, produtos de bomboniere e itens da padaria.

1 2

Criar um encarte digital com esses produtos é uma ótima forma de tornar os seus posts mais relevantes e, claro, também contribuir nas vendas do supermercado. Outra opção para as redes sociais: publique receitas para as famílias prepararem para os filhos durante as férias. Você pode escolher receitas variadas e criar um encarte com os ingredientes. Com as crianças em casa os pais costumam buscar formas de deixá-los entretidas com atividades diferentes. Ao pensar nisso, você pode criar uma sequência de eventos na loja durante o período de férias escolares. Essas ações terão o foco principalmente em criar uma relação mais próxima com quem compra na loja e até mesmo melhorar a experiência de compra. Uma boa ideia: separe um espaço da loja para colocar alguns brinquedos como cama elástica, piscina de bolinhas e escorregadores infláveis. Além disso, você pode deixar um funcionário para tomar conta das crianças enquanto os pais ou acompanhantes realizam as compras na loja. Você também pode promover atividades na loja que tenham relação com a operação. Um exemplo: promover uma tarde para as crianças irem até a padaria da sua loja para aprenderem a produzir pães e depois levar os que produzirem para casa. Você pode, ainda, apostar em ações de merchandising com o tema de volta às aulas. Além disso, pode criar um encarte com produtos de papelaria e bazar. As férias escolares estão chegando. A sua loja precisa criar um planejamento de ações para conseguir bons resultados e aumentar o ticket médio. Aproveite essas dicas para alcançar suas metas.

3 4

Para a consultora Fátima Merlin, sócia fundadora da Connect Shopper, em primeiro lugar, o varejista precisa realizar um bom planejamento, alinhado com os fornecedores, para traçar uma estratégia conjunta a fim de impulsionar as vendas, garantir maior lucratividade e evitar rupturas. “Aliar previsões de vendas calculadas com cuidado e uma logística eficiente ajuda muito o consumidor a encontrar o item desejado”, salienta. Familiarizar o shopper (comprador) com um grande número de opções disponíveis é fundamental no caso dos produtos para as férias de julho. Por se tratar de shoppers que são pais e responsáveis, a escolha dos itens muitas vezes é dificultada pela falta de conhecimento ou por uma precária escolha de categorias. Sugere-se criar um folheto de produtos que ofereça destaque a opções que certamente agradarão às crianças. Eis algumas: achocolatado, alimentos congelados, como lasanha e hambúrguer, pães, frios, biscoitos, sucos, refrigerantes, chocolates e massas. Lembre-se de que a criança, no caso a consumidora desses produtos, poderá não estar presente no ato da compra. Se houver espaço na loja, alinhe algumas das categorias citadas no item anterior para facilitar sua visualização e a composição da lista de compras pelo cliente. Realize cross merchandising de produtos como sucos e bolos industrializados em pontos visíveis, como pontas de gôndola e o corredor da entrada. Realize atividades direcionadas ao publico infantil, pois essa também é uma boa pedida para o período. Atraia os clientes das redondezas com oficinas de pintura, brincadeiras e aulas de culinária. É possível fechar parceria com fornecedores para desenvolver ações desse nível, aumentando a visibilidade de marcas parceiras e elevando o nível de atendimento e de fidelização na sua loja.

Fonte: Revista Varejo de Vizinhança

31


SUPERAGOS 2022

A diretoria da entidade não tem medido esforços para fazer dessa a melhor e maior feira do segmento na região Centro-Oeste

N

ovas perspectivas, negócios, relacionamento e conhecimento serão compartilhados na 19ª Convenção e Feira de Negócios para Supermercados e Panificadoras Feira de Negócios (SuperAgos 2022), prevista para os dias 13, 14 e 15 de setembro de 2022, no Centro de Convenções de Goiânia. A diretoria da Agos, responsável pela realização e organização do evento, não tem medido esforços para fazer dessa a melhor e maior feira do segmento do Centro-Oeste. Para tanto, tem promovido diversas reuniões de trabalho visando ampliar as parcerias do evento. Foi esse o sentido da reunião com o Sebrae Goiás, em 28 de abril, quando a Agos buscou estreitar a parceria com a instituição. Na ocasião, o assessor de relações institucionais, Francisco Lopes de Araújo, e a responsável pelo comercial da Agos, Clésida Espírito Santo, articularam junto ao analista do Sebrae Goiás, o economista Victor Costa, a renovação dos trabalhos da SuperAgos 2022. De acordo com Francisco, essa parceria é estratégica para o segmento, já que o Sebrae Goiás trabalha para estimular o empreendedorismo e possibilitar a competitividade

32

“Nós estamos nos esforçando ao máximo para fazer desta SuperAgos 2022 a melhor de todos os tempos.” Gilberto Soares da Silva


SUPERAGOS 2022

e a sustentabilidade das micro e pequenas empresas. Antes, em 26 de abril, o presidente da Agos, Gilberto Soares, o vice, Sirley do Couto, o assessor de relações institucionais, Francisco Lopes de Araújo, e a responsável pelo comercial da Agos, Clésida Espírito Santo, realizaram visitas a fornecedores para apresentar o projeto da SuperAgos 2022 aos parceiros da associação. Eles foram recebidos pelo diretor de marketing da Cristal Alimentos, Marcos Vinicius; pelo diretor da Real Distribuidora, José Carlos; e pelo proprietário da JBM Embalagens, Jorge Meister. Outro movimento importante da entidade foi a reunião conjunta entre a Agos e a Tecniprom (montadora da Feira) na Secretaria da Indústria Comércio e Serviço de Goiás (SIC), em 19 de abril. O objetivo foi acelerar o andamento ao processo de liberação dos recursos aprovados pelo governador Ronaldo Caiado para a realização da SuperAgos 2022. O assessor de relações institucionais da Agos, Francisco Lopes Araújo, os membros da equipe técnica da SIC, Jefferson Cardoso, Ricardo Fernandes Barbosa e Wagner Vieira, e o proprietário da Tcniprom, Iure Barros, acertaram detalhes sobre o maior evento supermercadista do Centro-Oeste. Depois de dois anos sem a realização da SuperAgos, devido a pandemia da Covid-19, o mercado está ansioso para a volta desse evento presencial. “Nós estamos nos esforçando ao máximo para fazer desta SuperAgos 2022 a melhor de todos os tempos. Para isso, estamos concentrando todos os nossos esforços na organização e queremos contar com a parceria dos nossos fornecedores para que venham se somar conosco, reservando o seu estande. Estou confiante que vamos fazer um evento que deixará a sua marca na história de nossas Feiras”, comenta o presidente da Agos, Gilberto Soares da Silva.

NOVO

CREME ESFOLIANTE PARA MÃOS E PÉS

Com Semente de Apricot E Óleo de Amêndoas www.acetonacruzeiro.com.br

33


Foto Marcos Souza

ATUAÇÃO PARLAMENTAR

Glaustin intensifica giro pelo interior do Estado De perfil cada vez mais municipalista, o deputado chamou para si a responsabilidade de montar as chapas de pré-candidatos do Partido Social Cristão (PSC)

N

inguém segura a pré-campanha à reeleição do deputado federal Glaustin da Fokus (PSC-GO). Se depender do ritmo de trabalho dos primeiros meses de 2022, tudo indica que o parlamentar supere os 100.437 votos recebidos em 2018, primeira eleição disputada em sua vida. Há quem diga nos bastidores da política goiana que ele caminha para ser um dos campeões das urnas em outubro. De perfil cada vez mais municipalista, Glaustin chamou para si a responsabilidade de montar as chapas de pré-candidatos do Partido Social Cristão (PSC) às vagas de deputado estadual e federal, em colaboração com o presidente estadual da sigla, Eurípedes do Carmo, atualmente também à frente da Agência de Fomento de Goiás (GoiásFomento). Segundo o parlamentar, a lista inclui nomes capazes de multiplicar a presença da legenda tanto na Câmara dos Deputados quanto na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego). Para se ter uma ideia, somente em 2020, o PSC elegeu sete prefeitos e 10 vice-prefeitos, em comparação a nenhum gestor vitorioso no pleito de 2016. Já o número de vereadores subiu de 44 para 101. “Nosso partido está em franco crescimento em Goiás”, aponta Glaustin. “Desde então, atraímos para o nosso projeto muita gente capaz de participar efetivamente do

34

desenvolvimento das cidades, incluindo a filiação de três viceprefeitos de grandes municípios.” O giro de Glaustin pelo interior goiano se caracteriza por jornadas de madrugada a madrugada. Em um único fim de semana, por exemplo, o deputado inaugurou o Hospital Municipal Marília Mendonça, em Cristianópolis, participou de uma etapa noturna da Copa Goiás de Fórmula 200, em Edéia, compareceu ao primeiro encontro regional de partidos aliados do União Brasil, em Jaraguá, entregou uma pá carregadeira em Formoso, extremo norte goiano, e ainda prestigiou encontros religiosos em Anápolis, Mara Rosa, Piracanjuba e Santa Tereza de Goiás. No campo religioso, o deputado tem recebido apoio de lideranças tão distintas quanto os pastores presidentes da Assembleia de Deus em Caldas Novas, André Macalão, Missão em Mineiros, Rainer Cavalcante, e em Palmeiras, Eurípedes Marciano. “Em 2018 nós tínhamos um compromisso quando ele apareceu e não teve jeito, mas desta vez estamos fechados com o Glaustin, estamos juntos neste projeto”, comentou Marciano em 3 de abril. O parlamentar também tem estreitado seu vínculo, cada vez mais, com inúmeros templos ligados à Igreja do Evangelho Quadrangular por todo o estado.


Supermercados (Goiânia) Supermercado Goiabão Armazém Express Super Conquista

Fornecedores Salva Lucro Goiânia

Supermercados (Interior) Supermercado Andorinha

Aparecida de Goiânia

Nossa Kaza Supermercados Valparaiso De Goiás

Supermercado Sempre Mais Águas Lindas De Goiás

Supermercado Paineiras Edéia 35


Entidade propõe maior aproximação com Procon Goiás

Agos é recebida em audiência pelo Comando da Polícia Miliar A Agos, por meio do presidente Gilberto Soares da Silva e dos conselheiros José Elias, Weverton Luiz, Ricardo Santos, e do assessor de assuntos institucionais, Francisco Lopes de Araújo, se reuniram, em 17 de março, com o Comando da Polícia Militar, representado pelo Cel. Câmara, Ten. Cel. Bessa e Maj. Wolney, no 3º Batalhão da PM. O objetivo da audiência foi ajustar medidas preventivas sobre roubos e furtos nos supermercadistas e traçar ações para desarticular quadrilhas. A reunião foi intermediada pelo diretor de segurança pública da Acieg, Mihran Merzian. A orientação dada pelos militares aos dirigentes classistas foi no sentido de que qualquer ação deve ser comunicada imediatamente ao 190, primeiro passo para iniciar uma ocorrência. “Esse chamado torna a comunicação melhor e mais eficiente”, assegurou Ten. Cel. Bessa. Os supermercadistas agradeceram a gentileza por serem recebidos e se comprometeram a repassar as informações solicitadas.

36

A Agos promoveu visita de cortesia ao novo superintendente do Procon Goiás, Levy Rafael Alves Cornélio, no dia 25 de abril. A entidade esteve representada pelo seu presidente, Gilberto Soares da Silva, pelo vice-presidente, Sirley do Couto, que estavam acompanhados dos assessores jurídico e de relações institucionais, Reginaldo Vasconcelos e Francisco Lopes de Araújo, bem como dos supermercadistas Weverton Luiz (Pró-Brazilian), Francisco Jovacir (Pró-Brazilian) e Ricardo Campos (Supermercado Campos). Gilberto apresentou um panorama do segmento e informou que os supermercados são “porta de entrada”, responsáveis pela geração do primeiro emprego e desempenharam um importante papel econômico e social durante a pandemia, ao garantir emprego e alimento na mesa das famílias goianas. Os supermercadistas, também, falaram a respeito dos valores das multas praticados pelo Procon Goiás. Eles propuseram um alinhamento entre o setor e o órgão, consubstanciado num Termo de Ajuste e Conduta (TAC).

Agos visita supermercadistas de Aparecida de Goiânia Buscando ampliar suas ações, se aproximar dos associados e ouvir os anseios do segmento, a Agos promoveu em 11 de abril, visita técnica aos supermercadistas de Aparecida de Goiânia. A entidade foi representada pelo assessor de relações institucionais, Francisco Lopes de Araújo, que esteve acompanhado do engenheiro de alimentos Wanderson Lima. A agenda contemplou visita ao diretor da Agos, Márcio Ronney Dantas, para ver de perto como estão as obras do novo Supermercado Manancial, localizado no Bairro Chácara São Pedro. Também acompanhou a visita o proprietário da Tropical Sorvetes, Fernando Rocha. À tarde, Francisco Lopes também foi recebido pelo gerente Fábio Divino Pereira de Jesus, do Super Nobre, localizado no Jardim Olímpico.


Gilberto participa da homenagem a executivo da Caramuru

Gilberto prestigia posse da Asbra em Brasília

Gilberto Soares da Silva, presidente da Agos, participou, em 26 de abril, da sessão especial da Assembleia Legislativa do Estado de Goiás, que concedeu o título de cidadão goiano ao empresário Alberto Borges de Souza, executivo do Grupo Caramuru. A sessão foi realizada no plenário do novo Palácio Maguito Vilela e foi uma iniciativa do deputado Álvaro Guimarães. O presidente da Agos fez questão de parabenizar não apenas o homenageado, Alberto Borges, mas também sua equipe, representada pela gerente de mercado, Valéria Duarte, e o gerente regional de vendas, Carlos Soriani. “Uma fornecedora de longa data do setor supermercadista, a qual conta com uma equipe qualificada e gestor de excelência”, comenta Gilberto. O homenageado é responsável pela credibilidade da Caramuru Alimentos que, hoje, é reconhecida pela qualidade do produto, pela dedicação e seriedade, geração de emprego e renda e de dedicação à área social. A empresa está posicionada entre as cem maiores empresas do agronegócio brasileiro e é a principal companhia de capital nacional no processamento de soja, milho, girassol e canola.

O presidente da Agos, Gilberto Soares da Silva, acompanhado dos assessores jurídico, Reginaldo Vasconcelos, de relações institucionais, Francisco Lopes de Araújo, e do advogado Sandro Schmitt, prestigiou a posse da nova diretoria da Associação dos Supermercados de Brasília (Asbra), que aconteceu em 16 de março, na capital federal. O presidente Jair Prediger, que tem como vice, Gilmar Carvalho Pereira, ressaltou que dará continuidade ao trabalho da gestão anterior. Ele agradeceu a presença de todos e destacou a importância da união do setor na busca por melhorias. A nova diretoria comandará a associação pelos próximos dois anos.

Associados Agos têm descontos em pós-graduação da Unialfa A Agos acaba de firmar mais uma parceria por meio da Escola Agos. Desta vez o convênio é com a UniAlfa que oferece desconto de até R$ 2.880,00 em cursos de pós-graduação. Associados adimplentes e com interesse em investir no seu conhecimento e aprimoramento podem procurar a consultora Flávia Cristina (62) 99938-0240 e conhecer os detalhes do convênio. “O mundo está mudando a cada dia que passa, principalmente com a incorporação de novas tecnologias no dia a dia do trabalho. Para acompanhar essas transformações, é essencial aprimorar e requalificar sua força de trabalho, para que suas equipes possam maximizar seu potencial em sua posição atual ou assumir novas tarefas onde o negócio precisa de suporte”, destaca o presidente da Agos, Gilberto Soares, ao lembrar a importância de investir em qualificação profissional. 37


SÓCIOS-COLABORADORES

BomLixo Fone: (62) 3295-7256 mcarneiro@mcarneiro.com.br

So� Tec Automação Fone: (62) 98169-5371 helder@so�tecsistemas.com.br

Asa do Brasil Fone: (62) 3593-3630 www.asadobrasil.com.br

Grupo Fokus Fone: (62) 3219-3000 www.grupofokus.com.br

Suco Prat’s (62) 3926-0052 narcisoscarinci@gmail.com

HCM Representações Fone: (62)3212-3679 fa�ma@hcm.com.br

_oficial

Cristal Transportadora Fone: (62) 99645-8937

Cristal Alimentos Fone: (62) 3226-9000 www.cristalalimentos.com.br

Congel Contabilidade Fone: (62) 4006-5353 congel@congelcontabilidade.com.br

Riboli Representações Fone: (62) 3247-1066 ribolirepresentacoes@hotmail.com

Layout do Varejo Fone: (62) 99277-1578 diretoria@layoutdovarejo.com.br

Assaí Atacadista Vila São João / St. Central / Pq. Amazônia / Jd. Europa www.assai.com.br

Costa Atacadão Jd. Goiás / Pedro Ludovico / Valparaíso de Goiás Fone: (62) 3412-0808 h�p://costa.economizebr.com.br

Prowa� Engenharia Fone: (62) 98237-1771 romulo.prowa�@gmail.com

Pelos Bares da Vida Fone: (62) 3241-8181 baresdavida@terra.com.br

Bonaboca Fone: (62) 3954-6666 www.bonaboca.com.br

JJ Instalações Comerciais Fone: (62) 98290-0163 www.jj.ind.br

38

Refrescos Bandeirantes Fone: (62) 3236-2000 www.refrescosbandeirantes.com.br

Express E�quetas Fone: (62) 99610-0021 www.expresse�quetas.com.br

Natuplast Fone: (62) 3247-4949 www.natuplast.com.br

Print Master Digital Fone: (62) 3274-2369 www.printmaster.net.br

Goiás Carrinhos Fone: (62) 3249-4937 goiascarrinhos@gmail.com

Focus Contabilidade de Supermercado Fone: (21) 3856-4273 empresarial@focuscontabil.com

Rigonali Alimentos 5LJRQDOL $OLPHQWRV Fone: (62) 3296-2564 )RQH JHUHQFLD#ULJRQDOL FRP EU gerencia@rigonali.com.br

DCCO Fone: (62) 3269-1010 www.dcco.com.br

Ap. de Goiânia / BR 153 / Rodovia dos Romeiros GO 060 Fone: (62) 3209-9326 (062) 3589-1001 / (62) 3238-8200 h�p://www.atacadao.com.br/

Atacadão Dia a Dia Novo Horizonte / Chácara Rio Branco Fone: (62) 4009-4710 www.atacadaodiaadia.com.br

Sr. Food Safety Fone: (62) 3289-2224 wanderson@foodsafety.com.br

Haskell Fone: (62) 3954-0989 comercial@rctoledo.com.br

RCTERC Fone: (61) 3613-1627

Prime Linguiças Fone: (62) 98121-0569 linktr.ee/primelinguicas

Salva Lucro Fone: (62) 99975-0809 www.salvalucro.com.br

Água Na�va Fone: (62) 4006-3300 www.aguana�va.com.br

Lirabel Fone: (64) 3612-7493 www.lirabelloja.com.br

Solar JR Fone: (62) 99657-4218 www.solarjroficial.com.br

Tropical Sorvetes Fone: (62)3284-6559 @tropicalsorvetesoficial

Speed Invest Fone: (11) 5051-7109 www.speedinvest.com.br

Smartset Fone: (62) 3157-0240 www.smartset.com.br

Monte Líbano Seguros Fone: (62) 3945-0077 www.montelibanoseguros.com.br

Plus Packing do Brasil Fone: (19) 98970-1013 abre.ai/comercialplus


39


40