__MAIN_TEXT__
feature-image

Page 1

REVISTA SUPERMERCADOS | 1


R E U N I R P ES S OA S

REALIZAR D E S E J O S

A L I M E N TA R GERAÇÕES

Essa é a nossa missão ao abastecer a cidade com a 2 | REVISTA SUPERMERCADOS cristalalimentos.com.br/nossajornada

/cristalalimentos

@cristalalimentos


EDITORIAL

Gilberto Soares da Silva Presidente da Agos

É uma grande satisfação voltar a falar com todos vocês. Gostaria de trazer boas novas, mas não podemos negar a realidade. A pandemia continua a nos assustar. Não podemos relaxar. Afinal, trata-se da maior crise sanitária dos últimos cem anos. Em face dessa situação, o que fazer? Reforçar os cuidados de higiene e segurança, como os supermercados estão fazendo de maneira exemplar, contribuindo para zelar pela vida dos nossos funcionários e consumidores. Uma prova incontestável desse cuidado do nosso segmento foi a ação desencadeada pela nossa entidade-mãe, a Associação Brasileira de Supermercados (Abras), que lançou em parceria com as afiliadas estaduais (entre elas, a Agos), a campanha #SuperEssencial. Com o slogan “supermercado aberto é abastecimento e segurança para todos”, o movimento tem por objetivo destacar a importância da essencialidade do segmento Supermercadista. Em outras palavras, significa esclarecer para toda a nossa população que o pleno funcionamento das nossas lojas, adotando e reforçando todos os protocolos de segurança preconizados pelas autoridades de saúde, é um aliado na luta contra a pandemia. Restringir o funcionamento dos Supermercados é um grande equívoco. Como já ficou comprovado, onde isso aconteceu, provocou uma busca desenfreada por produtos, gerando aglomerações e comprometendo o funcionamento normal da cadeia de abastecimento. Enquanto dirigente da Agos estou sempre à disposição das autoridades do Estado e dos Municípios para discutir de forma ponderada esta questão. Esse trabalho conjunto entre empresários e órgãos governamentais será essencial para garantir a tranquilidade da população, contribuindo para traçar de forma inteligente ações efetivas para combater a pandemia que tanto nos assola. Não é justo deixar de fora desse debate crucial para nossas vidas um dos maiores setores da nossa economia, que responde por 5,2% do Produto Interno Bruto, que contabiliza 90 mil lojas em todo o País e três milhões de trabalhadores. Além disso, passam por nossas lojas, diariamente, com toda segurança, 28 milhões de consumidores. Esses números dão a dimensão da legitimidade de porque está assegurada em lei a essencialidade do setor supermercadista.

EXPEDIENTE

CONSELHO ADMINISTRATIVO Presidente – Gilberto Soares da Silva Vice-presidente – Sirlei Antônio do Couto Secretário – Suail Alcântara 1º Conselheiro – Fábio Mesquita Lima 2º Conselheiro – Ediran Carlos da Silva 3º Conselheiro – Walter de Paula Oliveira 4º Conselheiro – Valdeci Luciano da Costa 5º Conselheiro – Wanderson Ferreira 6º Conselheiro – Roney Rodrigues Fernandes 7º Conselheiro – José Nakamura 8 Conselheiro – Givaldo Ribeiro Batista Junior 9º Conselheiro – Ricardo Pinheiro dos Santos 10º Conselheiro – Júlio Penha Peres 11º Conselheiro – José Elias de Paula 12º Conselheiro – Murilo Moraes 13º Conselheiro – Agnaldo Moreira da Costa Junior CONSELHO FISCAL - EFETIVOS 1º Conselheiro - Jaime Canêdo 2º Conselheiro - Nivaldo do Nascimento Araújo 3º Conselheiro - Fernando Viandelli Lopes CONSELHO FISCAL - SUPLENTES 4º Conselheiro - Ulisses Jair dos Santos 5º Conselheiro - Márcio Ronney Dantas de Sousa 6º Conselheiro - José Guilherme Schwam DELEGADO JUNTO À ABRAS Nelson Antonino Alexandrino Lima COMITÊ FEMININO Selma Messias Honório COMITÊ DE DESENVOLVIMENTO Glauskston Batista Rios

REVISTA SUPERMERCADOS Editor • Francisco Barros Interativa Comunicação e Eventos (62) 3097-1406 / francisco@interativacomunica.com.br

Reportagem • Gabriel Lisboa Publicidade • Clésida do Espírito Santo Marketing • Frederico Kessler Fotos • Agos / Shutterstock / Freepik Produção e Diagramação • Frederico Kessler Impressão • Cir Gráfica

*** Abro aqui um parêntese necessário (leia matéria completa nesta edição) para prestar uma homenagem a um amigo de longa data e a um profissional altamente competente. Estou me referindo ao nosso eterno Superintendente da Agos, João Bosco Pinto de Oliveira. Ele partiu prematuramente. Mas deixou um legado para a nossa Associação (onde ele estava há mais de duas décadas) que persistirá por muitos e muitos anos. Solidarizo-me com a dor dos seus familiares (a esposa Catarina e os filhos Arthur, Ikaro, Vítor e Saulo) e dos inúmeros amigos que o João Bosco sabia cultivar tão bem. Descanse em paz. A nossa saudade será eterna. Uma boa leitura!

Av. C-7, No 3144, Qd. 80, Lt. Área, St. Sudoeste, CEP 74.305-080, Goiânia-GO (62) 3254-8350 | 3215-2528 imprensa@agos.com.br | www.agos.com.br

REVISTA SUPERMERCADOS | 3


10

18

24

SUMÁRIO

6 PAINEL EMPRESARIAL Sete Pensamentos Destrutivos para o seu Negócio: a Culpa Não é do Mercado 8 PANDEMIA Abras Inova e Cria Campanha Institucional com a Hashtag #SuperEssencial 10 ALIMENTOS FIT Alimentação Fit: Saudáveis, Leves, Nutritivos e Cada Vez Mais Apreciados 14 CONTROLADORIA Solução que Reduz Despesas e Mantém o Lucro dos Supermercados 18 HOMENAGEM PÓSTUMA João Bosco: Legado com Mais de Duas Décadas de Dedicação ao Setor 20 PANIFICAÇÃO Veja as Tendências e Novidades no Segmento da Panificação 24 CAPA Festa Junina: Invista na Descontração e Não Esqueça as Redes Sociais 4 | REVISTA SUPERMERCADOS


Empórios

Restaurantes

Cafés

Sanduicherias

Hotéis

REVISTA SUPERMERCADOS | 5


PAINEL EMPRESARIAL

7 PENSAMENTOS DESTRUTIVOS PARA O SEU NEGÓCIO Ainda que de forma involuntária, muitos empresários adotam atitudes que só atrapalham o sucesso da empresa. A culpa não é só do mercado! Ter um negócio não é simples. Exige estratégia e, agora mais do que nunca, uma mentalidade vencedora. Mas não são raros os momentos em que escuto, nas consultorias, frases que me fazem pensar: essa pessoa quer mesmo fechar a empresa e ir embora para casa? Ainda que racionalmente o empreendedor acredite que está fazendo todo o possível para construir um negócio de sucesso, suas atitudes mostram o contrário. Em mais de um ano de pandemia, nos reinventar é uma necessidade diária. A venda digital se tornou, muitas vezes, o canal mais expressivo de comunicação e geração de rentabilidade. Mas aí vem a frase “Vender online tira o meu cliente da loja”. Perdi as contas de quantas vezes escutei isso como uma premissa de se isentar da responsabilidade de mudar e colocar a culpa no mercado ou no cliente. Acredite: a loja online não vai retirar seu cliente da loja, pois o digital é uma extensão do físico. A multiplicidade de canais amplia suas oportunidades de ser visto, desejado e efetivamente fazer uma conversão em venda.

Por Emerson Amaral

CEO do Instituto de Desenvolvimento das Empresas de Alimentação (@consultideal) 6 | REVISTA SUPERMERCADOS


Logo, não vale também usar a prerrogativa de “Não tenho estrutura para isso”. Vi, de perto, padarias, supermercados, restaurantes e docerias negociando com funcionários para que no tempo ocioso desempenhassem atividades de atendimento e entrega; usando da estrutura que a própria loja já possuía e realizando pequenas adaptações; adaptando embalagens, mobiliário e mix de produtos para o atual cenário. Ferramentas gratuitas como o Goomer (cardápio digital) e o Estúdio de Criação (para agendar postagens de redes sociais) possuem versões gratuitas. Se eu pudesse te sugerir uma estrutura básica seria o smartphone, acesso à internet, impressora térmica, uma mesa e se tiver, um computador. E quando o empresário ainda está resistente, a culpa vai para o consumidor. Em geral, percebo esse pensamento com o argumento de “Meu cliente não tem perfil para comprar assim”. A minha resposta é sempre certeira: o seu cliente não tem perfil para comprar ou você não tem o perfil para vender? Pare de criar obstáculos para a venda! Se você exige demais, coloca restrições e não está aberto a se adaptar, o consumidor vai para a concorrência. Busque sempre facilitar a compra, dê retornos rápidos e seja flexível. Falando em resiliência, vejo o quanto poucas empresas estão preparadas para as vendas em canais próprios, usando o Whatsapp Business ou loja virtual, por exemplo. Aí para não falar que estão fora da internet, afirmam vender só pelos aplicativos de terceiros. O argumento é sempre o mesmo: “Eu só uso app de terceiros aqui da minha cidade”.

Ótimo! Você não tem nenhum cliente, pois na verdade o cliente é do aplicativo. Se o app encerrar hoje as atividades, você volta à estaca zero. Vender de forma digital é mais do que só fazer uma entrega. Vender online é comunicar, encantar, promover experiência - e não há ninguém mais capacitado para fazer isso do que a sua equipe. Quando o empresário olha para o lado, vê o mercado como lhe convém e justifica “Por que eu vou fazer se meu concorrente não faz?”. O primeiro ponto que chamo a atenção é para você parar de se preocupar com a grama do vizinho enquanto seu quintal estiver cheio de entulho. E falando de concorrência, apresento à você a concorrência invisível: marketplaces que vendem de tudo - inclusive alimentos! Já pensou que o seu cliente deixou de comprar contigo porque está gastando na loja.com? Concorrência não é só o que você vê!

PAINEL EMPRESARIAL

E dos mesmos autores, vem a afirmação “Investir no digital dá muito trabalho e custa caro”. Tem razão: dá trabalho mesmo, mas a escolha é sua - ter trabalho e vender, ou ficar parado e fechar seu negócio. O que prefere? E quanto a ser caro, há um grande equívoco. Conheço diversas empresas que buscaram orientação, treinaram o time e hoje desempenham um excelente trabalho de vendas digitais executado pela própria equipe. O que precisa ficar claro é que nem todo investimento é financeiro. Há investimento de tempo, intelecto e claro, de disponibilidade.

“Emerson, estou no meio de uma crise. Vou esperar isso tudo passar, pois vai voltar ao normal”. Bom, para qual normal você acha que vamos voltar? Ao normal de 2019, quando as vendas digitais eram mera conveniência e o cliente ia na loja todos os dias? Não se engane, pois essa realidade não existe! Não é pessimismo, mas veja como o mercado de alimentação se comportou em países com amplo percentual de vacinação. A retomada do varejo foi em um gráfico vertical, mas as vendas digitais não caíram de forma expressiva. Isso acontece porque o cliente já se habituou e vai manter hábitos que já foram incorporados na rotina. O objetivo deste texto é te alertar, com muito respeito, sobre as atitudes que você mesmo anda tendo no seu negócio. Pensamentos são capazes de nos elevar ou de nos destruir. Antes da ação, vem a reflexão. Pense melhor se o mercado anda mesmo tão difícil ou se você é quem tem colocado mais obstáculos. O que a gente quer é ver o seu negócio prosperando! Se precisar de apoio, entre em contato comigo pelo @consultideal e vamos agendar uma conversa. Cuide-se, mantenha sua saúde física e mental - e mão na massa!

O KIT MAIS QUERIDO DO BRASIL REVISTA SUPERMERCADOS | 7


PANDEMIA

Abras Cria Campanha com a Hashtag

#SUPER ESSENCIAL Recentemente, a Associação Brasileira de Supermercados (Abras) apresentou uma campanha com a hashtag #superessencial

O objetivo da ação é o de reforçar a essencialidade do setor diante do papel de abastecer os lares de milhões de famílias neste momento de pandemia e frisar todos os esforços dos estabelecimentos pelo País em manter segurança no ambiente de compras, seja para colaboradores ou consumidores. Afinal, o setor supermercadista brasileiro emprega três milhões de pessoas e enfrenta, nesse momento, o grande desafio de manter a população abastecida e segura durante a pandemia do Coronavírus. Por isso, a Abras reforça que o setor abraçou a responsabilidade de zelar pela vida de todos e criar protocolos ainda mais rígidos, que minimizam os riscos de contaminação dos funcionários e consumidores.

Protocolos de segurança

Os cuidados com a segurança começam logo na entrada das lojas, com a medição da temperatura e a obrigatoriedade do uso de máscara. O álcool em gel fica sempre disponível no ponto de venda para a limpeza das mãos e dos carrinhos, e a lotação dos estabelecimentos é limitada para que não haja aglomeração. Degustações dentro das lojas foram suspensas e a limpeza dos ambientes redobrada. Para a proteção dos idosos, o número de caixas preferenciais foi ampliado e horários exclusivos para eles foram implantados em diversos estabelecimentos. Outra ação que tem sido adotada em alguns supermercados pelo País é a disponibilização de funcionário(s) dentro das lojas para orientação dos clientes sobre o uso correto de máscaras e de mais álcool em gel para higienização das mãos a das manoplas dos carrinhos durante as compras. A Abras também se comprometeu em desenvolver mais campanhas para orientar clientes, para que diminuam a frequência nas lojas e para que venham às compras somente uma pessoa por família, com exceção de casos especiais que necessitam de acompanhantes (idosos, deficientes, menores, grávidas, entre outros). 8 | REVISTA SUPERMERCADOS

Posicionamento diante do lockdown

Em algumas cidades do estado de São Paulo, prefeitos decretaram o lockdown e fecharam os supermercados. A medida já se mostrou ineficiente e trouxe inúmeros transtornos para a população. Além de uma grave crise de desabastecimento, a corrida pelos produtos antes que os mercados fechassem causou muitas aglomerações e ampliou o risco de contaminação. Os mercados não estão preparados para fazer entregas a domicílio nessa escala, nem há disponibilidade de entregadores para tantos pedidos. De acordo com a entidade, isso acarretou atrasos e erros nas entregas, deixando o consumidor frustrado e sem os produtos necessários para suas casas. Países como França, Itália, Alemanha, Espanha e Reino Unido mantiveram os mercados e indústria funcionando no lockdown, por entenderem a importância de assegurar o abastecimento para não gerar caos social. A Abras reitera sua responsabilidade em garantir a população abastecida e em segurança. Por isso, reitera que o setor supermercadista seguirá rigorosamente seus protocolos e estuda novas formas de atendimento durante a pandemia. A mensagem é a de que “o supermercado aberto, é abastecimento e segurança para todos”.


O Índice Nacional de Consumo ABRAS nos Lares Brasileiros (INC) apresentou crescimento real de 7,57%, de janeiro a fevereiro, na comparação com o mesmo período do ano anterior, de acordo com o Departamento de Economia e Pesquisa da entidade nacional de supermercados. Em relação ao mês de janeiro de 2021 o índice registrou queda de -6,75%. Na comparação com fevereiro de 2020 a alta foi de 5,18%. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (14), em coletiva de imprensa. O vice-presidente Institucional e Administrativo da ABRAS, Marcio Milan, atribui o resultado do ano à pandemia da covid-19. “Nos meses de janeiro e fevereiro de 2020, o Brasil ainda não tinha sido impactado pela pandemia, que começou em março. Em 2021, com a continuidade das restrições e das medidas de isolamento social para combater a covid-19, com aulas escolares virtuais, trabalho remoto, e bares e restaurantes fechados, o consumo dentro do lar foi favorecido”, declara Milan. De acordo com o vice-presidente, o resultado negativo na comparação com janeiro é devido ao calendário reduzido do segundo mês do ano. “Fevereiro conta com 28 dias e janeiro com 31, portanto três dias a menos no consumo”, destaca Milan.

Abrasmercado O indicador *Abrasmercado, cesta dos 35 produtos de largo consumo nos supermercados, apurado em parceria com a GfK, registrou queda de -0,47% em fevereiro, na comparação com janeiro, passando de R$ 636,40 para R$ 633,80. No acumulado dos 12 meses o valor da cesta subiu 24,46%. As maiores quedas nos preços da cesta de fevereiro foram registradas nos produtos: tomate, -15%; batata, -14,75%; frango congelado, -3,48%; óleo de soja, -3,31%, e arroz, -3,31%. As maiores altas foram nos itens: cebola, 17,45%; farinha de mandioca, 3,33%; açúcar, 2,79%; ovo, 2,65%; leite em pó integral, 2,63%.

ÍNDICE DE CONSUMO

Índice Nacional de Consumo Abras Registra Crescimento de 7,57%

Regiões As regiões Nordeste e Sul foram as únicas que registraram alta no valor da cesta Abrasmercado, 0,49% e 0,07%, respectivamente. A cesta do Nordeste passou de R$ 550,95 para R$ 553,64, e a do Sul de R$ 691,85 para R$ 692,31.

*A cesta Abrasmercado não é a cesta básica, mas, sim, uma cesta composta por 35 produtos mais vendidos nos supermercados: alimentos, incluindo cerveja e refrigerante, higiene, beleza e limpeza doméstica. Fonte: Comunicação Abras

REVISTA SUPERMERCADOS | 9


ALIMENTOS FIT

Esta categoria de produtos está impulsionando o mercado alimentício ao trazer novidades para as gôndolas dos supermercados Não é de hoje que as pessoas buscam qualidade de vida através da alimentação. Os termos: fazer dieta, se alimentar bem e fazer exercícios físicos foram substituídos pela expressão fit (em boa forma), que pode ser adaptada a vários contextos para expressar que a pessoa está se cuidando. O termo é um tanto quanto recente, mas está impulsionando o mercado alimentício trazendo novidades para as gôndolas dos supermercados. Grandes marcas de produtos alimentícios já se renderam ao mercado da alimentação saudável, como é o caso da Nestlé, com a linha de produtos Nesfit e da Vigor, com os produtos recém-lançados da linha VIV. As marcas trazem um cardápio variado e asseguram que mesmo o produto 10 | REVISTA SUPERMERCADOS


Bolachas, biscoitos, cereais, iogurte e bebidas fits são os alimentos mais comuns de se encontrar nos supermercados. Mas, até mesmo os alimentos mais calóricos como os chocolates já entraram nessa tendência e estão em forma para atender as necessidades do consumidor cada vez mais exigente. Foi pensando neste cliente que vários supermercados já mudaram a estrutura da loja para adequar a nova seção. A venda de alimentos saudáveis tem impactado positivamente a economia. Segundo dados da Agência Euromonitor Internacional, analisados pelo Sebrae, as vendas de alimentos relacionadas ao bem-estar têm aumentado. Em 2019, o segmento movimentou US$ 35 bilhões. Vale destacar que dentro da pesquisa foi analisado o mercado de alimentação sem glúten, vegetariana, vegana e fitness. Uma admiradora dos produtos fits, seja in natura ou processado, é a esteticista Dayane Pereira dos Santos. Ela cuida muito do corpo e na sua opinião a alimentação é a parte essencial para ajudar a conseguir as medidas perfeitas. A esteticista afirma ainda, que a profissão a fez pensar mais na hora de escolher o que vai comer, “ por estar ligada a área da saúde o meu intuito e de todos os profissionais desse ramo é impactar o cliente ou apreciador dos nossos

serviços, logo de primeira. É claro que aliada a uma boa alimentação eu procuro fazer exercícios físicos todos os dias” comenta. Quando vai ao supermercado, além de carnes, ovos, frutas e legumes, que são a base da alimentação, Dayane procura ler os rótulos dos produtos e prefere levar para casa aqueles que contém menos açúcares, sódio e gorduras. “Todos os alimentos necessários para manter a minha dieta eu encontro em qualquer supermercado. Na verdade, existem alguns supermercados que têm um corredor destinado a esses produtos, como barras de cereal com mais proteínas, que antes só era possível encontrar em lojas especializadas” finaliza.

ALIMENTOS FIT

não sendo in natura, eles são ricos em nutrientes.

Diolac no mercado fit

Uma empresa que vem se destacando no mercado com os produtos fit é a Laticínios Diolac. Somente neste ano, a expectativa de produção para a linha é de 230 toneladas de produtos, que são consumidos ao longo do ano, com maior destaque para os meses mais quentes. Em geral, os iogurtes são vistos como práticos e “alimentos do bem”, com destaque para benefício para os ossos e a flora intestinal. As pesquisas de mercado revelam que existe uma demanda relevante de consumidores para produtos com alto teor

23 anos de

radicao

REVISTA SUPERMERCADOS | 11


ALIMENTOS FIT

de proteínas em bebidas lácteas e iogurte. Esses consumidores buscam conciliar saúde e prazer na hora de consumir. Pensando nestes consumidores, o Laticínios Diolac lançou o iogurte com proteínas Whey, um produto zero gordura, sem adição de açúcar e com alto teor de soro. Além dele, o Triplo Zero, produto zero gordura, zero açúcar e zero lactose. E ainda o iogurte natural que já é de linha de produção. Segundo a engenheira de alimentos, Julia Pains, estes produtos complementam uma dieta saudável e possuem benefícios nutricionais como: Diminuição e manutenção do peso; diminuição de doenças ligadas à alimentação; maior disposição; e saudabilidade. O diretor do Laticínios Diolac, Jairo Pains afirma que o controle de qualidade é bem rigoroso. “O Laticínios Diolac implantou o Programa de Autocontrole (PAC), que inclui as Boas Práticas de Fabricação (BPF), e são realizadas análises nas matérias primas e nos produtos acabados na indústria e em laboratórios credenciados para assegurar a qualidade dos produtos fabricados. Os órgãos reguladores são Ministério da Agricultura, Anvisa e Agrodefesa” explica o diretor.

Mercado fit nas gôndolas

Segundo informações do Carrefour Brasil, hoje a rede tem um sortimento de produtos saudáveis de mais de 2200 KKUs (Stock Keeping Unit), desde as lojas físicas até o e-commerce. O diretor da Marca Própria Carrefour, Allan Gate explica o motivo de o grupo ter apostado na venda da alimentação fit: “fizemos movimentações corajosas sob o ponto de vista do varejo tradicional, priorizando espaços de nossas unidades para incluir áreas voltadas somente para produtos saudáveis”. Gate informa que “o Espaço Saudável é uma das várias ações ligadas ao Act For Food, iniciativa global do Grupo Carrefour que propõe ações concretas que de fato tornem o nosso mundo e a nossa alimentação cada vez melhor e mais saudável. Em suma, com esses espaços dedicados, nosso intuito é facilitar a oferta e educar os clientes em relação ao consumo mais saudável de alimentos, buscando cada vez mais democratizar os preços para o aumento deste consumo.” O Carrefour entende que o público de saudáveis busca uma dieta específica que atenda às suas necessidades do dia-a-dia. Ter um local específico para a compra traz conveniência e expõe de maneira mais evidente o sortimento dessa categoria, trazendo robustez e identificação para a rede. Quanto maior a venda de itens voltados a saudabilidade, maior a escala de venda desses produtos, o que vai ocasionar em redução de custo para os consumidores. O papel do varejo é trazer inovação, variedade, educação e disponibilizar melhores ofertas para o cliente.

12 | REVISTA SUPERMERCADOS

SAIBA DIFERENCIAR Fique atento a essas nomenclaturas nos rótulos dos produtos, isso faz toda a diferença, afinal cada um possui a sua tabela nutricional.

Alimento light (leve em inglês) São aqueles com teor reduzido de sódio, açúcares, gorduras ou colesterol. Alimento diet (dieta em inglês) Normalmente prescrito por médicos para quem faz tratamento para a diabetes. Esses produtos devem indicar na sua tabela nutricional isenção total de algum tipo de nutriente, como açúcar, glúten, sal, proteína ou gordura. Alimento zero São os alimentos que tem em sua tabela nutricional um nutriente com valor zerado, normalmente: Açúcar, gordura ou sódio. Esse fator pode ajudar na diminuição de peso, aliado a quantidade ingerida. Alimento fit A alimentação fit é aquela minimamente processada, mas pode englobar qualquer uma das nomenclaturas anteriores, isso porque a terminologia fit não está contemplada na classificação do Ministério da Saúde. Então, é muito importante ler os rótulos e procurar a orientação de um nutricionista.


REVISTA SUPERMERCADOS | 13


PANDEMIA

CONTROLADORIA Solução que Reduz Despesas e Mantém o Lucro do Supermercado Em tempos de crise pandêmica como a que estamos vivendo é fundamental o controle das despesas da empresa para manter o negócio saudável Os momentos de crise são especialmente sensíveis para a gestão dos supermercados. Os controles, tanto financeiros, quanto tributários e administrativos, devem ser acompanhados de perto pelo gestor. Afinal, como diz o ditado popular: “É o olho do dono que engorda o boi”. E a primeira lição de casa refere-se à redução das despesas. Como alcançar isso? Tem quem acredita que é cortando pessoal. Só que isso acaba por comprometer a qualidade da prestação do serviço. Esse caminho, portanto, acaba sendo um “tiro no pé”. Os especialistas em gestão explicam que, muito mais eficiente é apostar numa controladoria estratégica. Mas o que vem a ser isso? Trata-se de uma ferramenta que

14 | REVISTA SUPERMERCADOS


A função essencial da controladoria estratégica: monitorar e processar informações do supermercado, tomando como parâmetro o mercado em que está inserido. A T4 Consultoria, especializada em gestão de negócios para supermercados, observa que: “Para os grandes varejistas, é importante que a performance, medida com as margens de lucros, controles internos robustos, processos otimizados e organizacionais estejam alinhados com a estratégia dos negócios”. E acrescenta: “Neste setor [de supermercados] para atingir lucros esperados, a performance deve ser desenhada e estruturada de acordo com o tamanho e a complexidade da operação”. A consultoria reconhece que o segmento está passando por grandes transformações, que foram aprofundadas

com a vigência da pandemia. Isso ocorre em função de mudanças no comportamento do consumidor, da localização do negócio, da concorrência, dos produtos, do atendimento, dos fornecedores, bem como dos meios de vendas e dos preços praticados. Daí a necessidade de ser flexível, inovador e buscar diversificar o modelo de negócio. Isso vale tanto para o minimercado, quanto supermercados e hipermercados.

CONTROLADORIA

acompanha todo o desempenho da empresa. Ela existe para assegurar a estabilidade na estrutura organizacional. Ou seja, serve para assegurar o cumprimento das metas e objetivos que foram traçados.

Todas estas questões contribuem para aumentar o nível de concorrência no segmento. Em função disso, o empresário deve se empenhar em gerir da melhor forma possível o seu negócio. Isto significa: investir na gestão e no controle da empresa buscando um equilíbrio das finanças, que passa por controle de custos, estoque, margem de lucros, negociação junto a fornecedores, bancos e a implementação de diferenciais competitivos. “Com estas ações, o empresário será capaz de alinhar os objetivos, a estratégia de negócio e promover a criação de valor, com o retorno do capital”, explica Marcelo Viana, Diretor da T4 Consultoria.

REVISTA SUPERMERCADOS | 15


Start lança Vorel Perform nas versões Original e Lavanda Não dá para pensar em prevenção contra riscos de contaminações sem manter ambientes saudáveis. Vorel Perform é a resposta da Start, uma das empresas mais inovadoras do segmento de limpeza e higienização do Brasil, para eliminar germes de pisos, superfícies laváveis e têxteis em geral. Seu ativo é o quaternário de amônio, um dos mais eficazes e recomendados contra o coronavírus. Iniciando com as versões Original e Lavanda, em frascos 1 litro. Em breve novas opções de fragrância e volumes. Se o consumidor busca equilibrar custo e benefício em cada compra, não vai deixar faltar esta novidade na sua loja.

Heinz inova e lança Ketchup sabor Picles Pensando em incentivar os consumidores a expandirem seu repertório de sabor e saírem do lugar comum, Heinz, marca preferida de ketchup dos brasileiros, lança uma novidade surpreendente, o Heinz Picles. Desenvolvido 100% no Brasil, o lançamento celebra dois ícones de Heinz: o picles, produzido e vendido por Henry J. Heinz desde 1860, e o ketchup, que alçou a marca ao patamar de uma das mais amadas do mundo. A novidade teve a aprovação de ninguém menos do que Julio Raw, chef hamburgueiro, fundador da hamburgueria Z Deli e um dos maiores especialistas em picles no Brasil, em um processo que começou muito antes do lançamento oficial de Heinz Picles. O Chef foi convidado para provar em primeira mão o produto antes que entrasse em linha de produção, validando a receita inovadora desenvolvida pela Heinz.

Zuppani Lança Salad Plus: Proteção Contra Fungos, Bactérias e Vírus O Salad Plus é um produto especialista na desinfecção de frutas, verduras, legumes e vegetais; é o cuidado que você precisa para higienizar os alimentos. Possui eficácia comprovada na desinfecção das cepas Escherichia coli e Enterococus faecalis. Lave bem os alimentos para a retirada dos resíduos e dilua 6 ml (1 colher de sopa) em 1 litro de água e deixe as frutas, verduras e legumes em repouso na solução por 10 minutos. Em seguida, enxaguar em água limpa corrente. Suas frutas e legumes estarão prontos para consumo com toda segurança.

16 | REVISTA SUPERMERCADOS


NAS GÔNDOLAS

Armazém Gourmet: Pães Especiais Com Sabor que Remete à Europa O Armazém Gourmet – La Fabrique é uma empresa que atua no mercado de panificação e trabalha com pães especiais. Hoje, o seu carro-chefe é a baguete feita com farinha de trigo do distrito de Paris, bem como outros insumos também importados, como é o caso da manteiga e do azeite. Os pães contam com fermentação natural de 72 horas. Além de todo o procedimento europeu, aqui no Brasil o Armazém Gourmet acrescentou nozes, castanhas, damasco, tomate seco, azeitona preta e outros deliciosos ingredientes para aumentar a gama de sabores. Outra deliciosa opção: o croissant na receita tradicional europeia e no formato doce, com chocolate belga.

Yoki lança pipocas nos sabores maçã do amor e cocada No clima de esquenta das festas juninas - ou festas de São João, nome também dado pelos brasileiros às típicas celebrações do mês de junho - a Yoki, marca da General Mills, presente há mais de 30 anos na mesa dos brasileiros, se antecipa e traz ao mercado nacional inovações em sua categoria de pipocas de micro-ondas com o lançamento das edições limitadas nos sabores maçã do amor e cocada. As novidades fazem parte da plataforma Yokermesse 2021 e estarão disponíveis a partir do mês de março nos mais diversos pontos de venda de todo o Brasil, até quando durarem os estoques. Desde 1996

R

&

Tenha o controle na palma da mão Acompanhe as vendas do PDV em tempo real Alteração de preço de venda Emissão de etiqueta Comparativo de preço direto na gôndola Faturamento mensal gráfico Balanço Sangria

Empresa

Empresa

Empresa

Empresa

Empresa

Sua fila esta crescendo, com o aplicativo você pode atender o cliente direto na fila fazendo a leitura dos produtos no carrinho, recebendo e finalizando a venda.

www.lminformaticame.com.br +55 62 4053-9353 +55 62 9 8497-2140

Av. T-7, 371 Sala 504 Ed. Lourenço Office - Goiânia-GO

REVISTA SUPERMERCADOS | 17


Além de pensar grande, imbuído de uma visão estratégica, assessorando os presidentes da Agos nestas duas décadas, João Bosco imprimiu uma marca de ousadia, modernidade e praticidade Quem escrever os 47 anos de história da Associação Goiana de Supermercados (Agos) forçosamente vai se deparar com o legado inspirador, visionário e arrojado do superintendente da entidade: João Bosco Pinto de Oliveira. Isto porque quase metade desse tempo (22 anos) tem a sua digital. Ele começou a trabalhar na associação em 1999, no primeiro mandato da presidência de Gilberto Soares. Bem articulado, João Bosco imprimiu uma visão moderna e arrojada na entidade, o que permitiu que ela crescesse e se desenvolvesse. Para exemplificar o seu legado basta lembrar que ele esteve envolvido diretamente na concepção e criação da Convenção e Feira de Negócios para Supermercados e Panificadoras (SuperAgos). A feira firmou-se como o principal evento do varejo na região Centro-Oeste e consolidou-se como um dos mais importantes do setor supermercadista do Brasil. Quando surgiu, no início dos anos 2000, grandes 18 | REVISTA SUPERMERCADOS


Além de pensar grande, imbuído de uma visão estratégica, assessorando os presidentes da entidade nestas duas décadas, João Bosco apostava em talentos, em gente e se preocupava em formar mão-deobra qualificada para o avanço do segmento. Foi isso que o impeliu a criar em Goiás, em 1999, a Escola Nacional de Supermercados. Assim, Goiás foi o primeiro Estado a investir em cursos para supermercados (gerenciamento, controle de qualidade e formação de caixa e outros). Anos mais tarde a iniciativa ganhou um novo nome, Escola Agos, como é conhecida atualmente. Atento aos aspectos da comunicação, João Bosco fazia questão de sugerir, avaliar e participar da elaboração das pautas da Revista Supermercados, além de acompanhar de perto a divulgação atualizada das notícias no site da entidade. Ele também valorizava e considerava indispensável o bom relacionamento com a mídia, em suas diferentes plataformas. Foi sob a superintendência de João Bosco que a Agos conquistou, no ano de 2013, a sua ampla e moderna sede, localizada no Setor Sudoeste, com espaço para as áreas administrativas e de eventos. A dedicação e o comprometimento com as conquistas do setor supermercadista estarão sempre associados ao seu nome. Nascido em 5 de novembro de 1953, na cidade de Montes Claros de Goiás, ele é filho do casal Artur Pinto e Mariana Rocha. Nos últimos meses, João Bosco descobriu que estava acometido por uma doença silenciosa e traiçoeira, a Amiloidose Cardíaca. Na manhã do sábado, 20 de março, a doença o venceu. Aos 67 anos, casado, João Bosco deixa a esposa, Catarina Soares Ferreira, e quatro filhos: Artur Leandro Miranda Matos de Oliveira, Ikaro Soares de Oliveira, Vitor Soares de Oliveira e Saulo Soares de Oliveira. E sem sombra de dúvida: deixa uma legião de pessoas que se inspiram no seu exemplo. Confira alguns depoimentos de pessoas que conviveram com João Bosco e deram testemunho sobre o seu legado.

Nelson Antonino Alexandrino Lima – Ex-presidente da Agos e Delegado da Agos junto à Abras Querido amigo João Bosco, foi um grande privilégio tê-lo conhecido e ter convivido com você. Confortam-me todas as lembranças que guardo de você. Na Agos, criamos e realizamos grandes projetos; pode ter certeza que todos os supermercadistas do Estado de Goiás sentem gratidão por sua imensa dedicação para com nossa associação. Homem forte, valente, que sempre lutava por nossos ideais. Saiba que suas conquistas jamais serão esquecidas por nós. Você sempre será lembrado como o João Bosco da Agos.

HOMENAGEM

nomes do segmento supermercadista logo abraçaram a ideia. Nas últimas edições, a visão aguçada de gestor atraiu novos segmentos, como o hoteleiro e o gastronômico.

Valmor Rovaris – Superintende da Associação Paranaense de Supermercados (Apras) Falar de João Bosco é fácil e difícil ao mesmo tempo. Fácil porque as boas lembranças vêm mais rápido do que as palavras, mas difícil porque a perda deste estimado amigo é dolorosa. A vida nos proporcionou bons momentos de amizade, aprendizado e companheirismo. Poder ter convivido com ele foi um privilégio, pois ele era um amigo distinto e de espírito elevado. Entre suas qualidades, estava o seu amor pelo trabalho, competência, alto-astral e uma pessoa sempre muito bem-informada. Despeço-me, com a certeza de que ele está acolhido ao lado de Deus e, espero, que possamos nos reencontrar um dia, se eu for merecedor. Márcio Milan – Superintendente da Associação Brasileira de Supermercados (Abras) Conheci o João Bosco há mais de 16 anos e tenho por ele a mais profunda admiração. Ser seu companheiro de trabalho, ser seu amigo, foi um privilégio. Querer, agir e persistir foram os verbos-chaves utilizados por Bosco durante seu trabalho na Agos, com as conquistas valiosas para o setor supermercadista de Goiás. Antônio Henrique – Ex-Presidente da Agos Tive uma grande convivência com João Bosco. Muitas viagens e muitos projetos que realizamos. Era uma pessoa muito querida no meio Supermercadista de todo o país, bem como por todas as Associações. Isso em decorrência da sua educação, conhecimento e gentileza que sempre o acompanhou. Mas minha maior admiração foi quando, como Presidente da Agos, decidi vender a antiga sede e construir a atual. Ele teve um papel muito relevante nesse projeto. Seja na venda, seja no processo construtivo. Não poupou esforços, diuturnamente, para que tudo ocorresse dentro do maior profissionalismo e lisura, desde a escolha do local, passando pelos projetos e a própria construção. A Agos perdeu um grande baluarte, que Deus o tenha num bom lugar.

REVISTA SUPERMERCADOS | 19


Como Turbinar as Vendas de

Panificação Quem quiser aumentar o seu faturamento deve pensar seriamente em investir no segmento da panificação, que cresce e se moderniza A panificação está entre os seis maiores segmentos da indústria do Brasil, com participação de 36% na indústria de produtos alimentares e 6% na de transformação. O setor gerou mais de 700 mil empregos diretos, sendo 245 mil (35%) envolvidos diretamente na produção. Nada menos que 76% dos brasileiros consomem pão no café da manhã e 98% consomem produtos panificados. Dos pães consumidos, 86% são artesanais, e 52% é do tipo francês. Esses dados fazem parte de estudo produzido pelo Sebrae da Bahia, que fez uma radiografia do segmento. Este estudo revelou ainda dados curiosos acerca desse mercado. Além da comercialização de pães, os empresários do setor também participam de outras cadeias produtivas, como por exemplo, bebidas, congelados, lacticínios, frios, congelados, cigarros, bomboniéres, doces e sorvetes, entre outros; a diversidade de produtos comercializados nas padarias, só perde em quantidade comparativa para supermercados e hipermercados. As padarias artesanais são responsáveis por produzir 79% dos produtos do setor, as padarias industriais fabricam 14% e as padarias de supermercados 7%.

20 | REVISTA SUPERMERCADOS


Devido ao aumento no preço do trigo, principal matéria-prima utilizada na panificação, os empresários estão investindo em outros produtos para a produção, como a mandioca e o milho. O estudo do Sebrae também assinalou que “A diversificação do mix de produtos oferecidos é uma das oportunidades mais interessantes para as padarias. Há uma crescente demanda por produtos mais saudáveis, como os pães e bolos integrais. Além disso, existem outros produtos especiais que também podem ser produzidos e comercializados, que serão apresentados a seguir, nas tendências.” No quesito das embalagens, assinala que: “uma boa oportunidade para os pequenos negócios, é o investimento em embalagens diferenciadas, com design e que tenha as funcionalidades necessárias que são exigidas pela Anvisa – como a obrigatoriedade de conter datas de fabricação e validade dos produtos.” Quanto aos equipamentos, destaca que “O tradicional forno a lenha foi gradativamente substituído por equipamentos a gás ou elétricos. Essa foi uma das principais mudanças no setor de panificação e confeitaria, mas não a única. Os maquinários utilizados em todas as etapas de produção foram modernizados: balanças, batedeiras, liquidificadores, refrigeradores, estufas etc. Tudo isso para garantir a agilidade, segurança e qualidade nos processos”. No quesito das tendências, destaque para as padarias gourmet, cujos produtos, normalmente, “são artesanais e feitos com a utilização de matéria-prima de alta qualidade. As padarias que atendem esse nicho, podem também fabricar seus produtos para atender outras padarias, mercados, lanchonetes e demais negócios de alimentação.”

PANIFICAÇÃO

10

Tendências para o Setor de Panificação

• Pães de fermentação longa/pães rústicos: redescobrimento da “massa madre” em que a qualidade do pão está na fermentação natural. • Boulangeries ou boutiques de pão: são locais especializados na produção de pães especiais com fermentação natural e utilização de ingredientes de alta qualidade. Nesses espaços a variedade de tipos e sabores é vasta. O público que frequenta esses ambientes é diferenciado e exigente, busca pela qualidade e novidade de pães rústicos e artesanais. • Cardápio de sanduíche: aposta em cardápios de sanduíches, com imagens atraentes dos lanches. Muitos estabelecimentos já disponibilizam aos clientes a opção de montar o próprio sanduíche. • Saúde: alimentos saudáveis estão em alta no mercado, graças a mudança no comportamento de consumo da população. A tendência também pode ser chamada de lifestyle fitness - estilo de vida que prioriza a saúde. • Produtos sem glúten e lactose: devido ao aumento das dietas que restringem o consumo da proteína e também para os intolerantes ao ingrediente. • Consumidor do futuro: o setor de panificação precisa investir em ações voltadas para crianças e adolescentes. Então estratégias que remetam para as grandes redes de food service e shoppings, sanduíches, pratos infantis e comidas saudáveis, são ações importantes. • Tecnologia do frio: aposta nos produtos congelados e pré-assados congelados - pão, massas e outros produtos de panificação. • Venda direta ou em domicílio: outra tendência são os serviços delivery (venda em domicílio). Supermercados, restaurantes e outros estabelecimentos de alimentação já oferecem essa modalidade com mais frequência. • Central de Produção - Local responsável apenas pela fabricação de produtos, que são encaminhados diretamente aos pontos de venda. • Central de Negócios - Existência de iniciativas de grupos de empresas que se associam criando redes e centrais de negócio, obtendo, pelo conjunto, mais força de negociação com empresas que se relacionam com o setor, fornecedores, por exemplo. Isso tem contribuído para a ampliação dos negócios, com uma gestão compartilhada.

Fonte: SEBRAE - BA Indústria: panificação REVISTA SUPERMERCADOS | 21


PANIFICAÇÃO

O Mercado em Goiás

As estratégias de diferenciação que os empresários utilizam para se destacar das concorrentes são principalmente em relação à qualidade do produto e ao serviço prestado no atendimento ao cliente. Foi exatamente o que fez, aqui em Goiás, o empresário Rogério Mota, proprietário da empresa La Fabrique Panificação, que produz pães especiais com farinha de trigo importada do distrito de Paris. Rogério preferiu investir num nicho de mercado, apostando em produtos de qualidade superior para atender uma clientela mais exigente, que também pode pagar mais por isso. Ele enxergou, há dois anos, uma oportunidade de negócio e em apenas dez meses montou a sua indústria, baseada num conceito europeu de produção. Todos os equipamentos são europeus e a técnica utilizada também. É, principalmente, francesa, mas também, italiana, espanhola e portuguesa. Quem também está bastante animada com o mercado é a consultora em panificação Malvina Aparecida de Souza, que atua nesse segmento desde 1989. Ela comenta que a pandemia contribuiu para o aumento nas vendas, porque as pessoas estão ficando mais tempo em casa e aumentaram as refeições no lar devido as restrições de comer fora. Ela explica que os supermercadistas não podem deixar de investir na panificação porque a padaria contribui para estimular um fluxo constante na loja. “Seja no período da manhã, quando agrega a venda de outros produtos como leite, café, suco, biscoito, seja no período da tarde, com o lanche e a venda dos salgados”. Investir nesse segmento, orienta Malvina, agrega na qualidade do atendimento final ao cliente. Outro que também está muito otimista com as vendas é o empresário Adriano de Souza e Silva, diretor comercial da Sabor e Arte Congelados, que iniciou suas atividades em 2007, com a fábrica em Anápolis. Hoje, os seus produtos já chegam também a Mato Grosso e ao Distrito Federal. Ele explica que a sua linha de produtos compreende desde os pães de queijos, passando pelas massas doces, massas francesas, até a massa pronta de bolo. Entre os seus clientes, Adriano explica que existe uma variada gama de supermercados parceiros que buscam os seus produtos congelados. Por isso, a Sabor e Arte está sempre investindo em novos equipamentos, ampliando as suas instalações e buscando desenvolver novos produtos agregando valor ao negócio. “É preciso se manter forte no mercado, especialmente nesse momento da pandemia, levando em conta que o pãozinho de cada dia vai estar sempre presente na mesa do brasileiro”, finaliza.

22 | REVISTA SUPERMERCADOS


REVISTA SUPERMERCADOS | 23


festa junina Invista na Descontração para alavancar as vendas e não esqueça as Redes Sociais As vendas de produtos relacionados as festas juninas, nos meses de maio e junho, chegam a crescer mais de 50% No período das festas típicas surgem oportunidades renovadas para o varejo alavancar vendas. É o caso das Festas Juninas que se estendem até julho, em algumas localidades do país. O lojista, respeitando as orientações sanitárias, deve se preparar para atender o consumidor ávido por produtos relacionados a essa temática. No mix do supermercadista, algumas coisas são básicas, não podem faltar em hipótese alguma: amendoim, canjica, caldo, milho de pipoca, paçoca, fubá, pé de moleque e vinho para a sangria.

24 | REVISTA SUPERMERCADOS


A decoração é um item chave na Festa Junina. Mas muito cuidado: evite situações que possam ensejar aglomeração. Respeite o distanciamento mínimo. Mas para entrar no clima da festa é necessário investir em bandeirolas, balões, cartazes chamativos, gôndolas decoradas, fogueiras cenográficas. Caso a sua verba permita, deixe os funcionários vestidos a caráter. Isso pede camisa xadrez, vestido de chita e chapéu de palha. Tudo isso contribui para uma ambientação descontraída e estimula as vendas. Uma ótima dica do Blog “Vitrine do Varejo” recomenda a utilização das Redes Sociais para anunciar as promoções. Explica que “(...) as Redes Sociais podem ser ótimas ferramentas para divulgar as ofertas do período e ações promocionais.”. E, ainda, acrescenta: “Para aumentar ainda mais o engajamento, conteúdos com receitas e curiosidades das festas também atraem bons olhares para a marca.” E por falar em marcas, algumas resolveram investir na Festa Junina online, como foi o caso da fabricante Santa Helena,

que apostou na promoção de festejos virtuais. A decisão foi certeira: as vendas dispararam, especialmente junto aos marketplace. O certo é que nos meses de maio e junho os varejistas veem as suas vendas crescerem mais de 50% em decorrência das promoções e dos festejos juninos.

FESTA JUNINA

Mas, também, não pode se descuidar dos famosos complementos, tais como: coco ralado, chocolate, carne, leite de coco, entre outros.

O Blog “Simplus”, especializado em varejo, também aposta nas Redes Sociais. Ele destaca que estas plataformas também podem ser utilizadas para “divulgar a decoração da loja por fotos e vídeos para chamar a atenção da clientela”. O Blog orienta o varejista a fazer “promoções exclusivas para os clientes que acompanham as Redes Sociais do seu estabelecimento, além de postar curiosidades e frases típicas da festa junina. O engajamento pode aumentar, e muito, com esta estratégia – e o melhor, pode se transformar em vendas”. Especificamente, não se esqueça de uma plataforma muito popular: o Whatsapp. “Por meio dele é possível enviar as promoções do dia ou da semana e criar um canal de atendimento ao consumidor”. Mas existe, ainda, outro canal muito importante nas Redes Sociais: “ Já no Instagram é possível utilizar os stories para promover o seu negócio e se aproximar ainda mais do público”, finaliza.

REVISTA SUPERMERCADOS | 25


ARTIGO JURÍDICO

Lei de Proteção de Dados e os seus Impactos nos Supermercados Os supermercados deverão, o quanto antes, se adequar à nova realidade da legislação e, ainda, ter certeza de que os seus parceiros estão atuando dentro da LGPD A lei que entra em vigor a partir de agosto de 2021, pela sua abrangência, incluirá não apenas as compras on-line e as redes sociais, mas também escolas, hospitais, bancos, hotéis e, claro, os supermercados. Toda empresa ou organização que trabalhe com dados está sujeita à lei e deve estar preparada. Inicialmente, a adequação dos órgãos e entidades em relação à LGPD envolverá uma transformação cultural que deve alcançar os níveis estratégicos, tático e operacional da instituição. Várias medidas e cuidados precisarão ser tomados pelo segmento supermercadista. Inicialmente, deve ser feito uma “limpa” na base de dados dos clientes, mantendo somente aquelas que realmente são necessárias e eliminando todo o resto. Esses dados costumam ser coletados em sorteios, avaliações, dados para entrega e etc. Os supermercadistas devem adotar políticas corporativas de avisos de privacidade, deixando claro e evidente para o cliente que seus dados serão utilizados e, obviamente, garantir total proteção e cumprimento da lei. Outra medida que precisará ser tomada é se enquadrar dentro de, ao menos uma, das dez bases legais expostas pela lei de tratamento de dados pessoais. No caso de negócios comerciais, no qual o segmento se encaixa, os enquadramentos são de Interesse Legítimo e Consentimento Legitimo, isto é, terá que ter Cláusula de Confiabilidade. Os Supermercados precisarão realizar boas práticas: certificações existentes, resolver incidentes com facilidade, praticidade e claro, ter total certeza de que os contratos com terceiros obedecerão à lei de Nº 13.709/18. Para melhor esclarecimento, favor entrar em contato com o Jurídico da AGOS – 62 3215.2528 – 9 9688 7913 ou juridico@agos.com.br.

Por Reginaldo Vasconcelos Assessor Jurídico da Agos

26 | REVISTA SUPERMERCADOS


REVISTA SUPERMERCADOS | 27


ALIMENTO ESSENCIAL

Mesmo depois de cerca de 10 mil anos o trigo está presente em quase todas as refeições e é considerado substancial na mesa dos brasileiros O trigo está presente na história da humanidade desde a antiguidade. Ele foi a fonte da alimentação das sociedades. Possui, também, um grande valor simbólico, uma vez que a bíblia o associa à base do alimento sagrado: o pão. Mesmo depois de cerca de 10 mil anos o trigo está presente em quase todas as refeições e é considerado substancial na mesa dos brasileiros. O cereal é da família das gramíneas, muito consumido em todo mundo por diferentes classes sociais, sendo ingrediente principal de pães, biscoitos, massas e bebidas, como a cerveja. É um alimento rico em carboidratos, responsável por fornecer energia ao corpo humano, e rico em fibras, que auxilia no funcionamento regular intestinal. Hoje o Brasil possui mais de 2 milhões de hectares destinados ao plantio do trigo. A cultura se desenvolve melhor no inverno, por isso, a plantação se inicia geralmente em abril. Embora presente em todas as regiões brasileiras, devido ao clima, se adapta melhor nos estados do Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo, Minas Gerais e no Mato Grosso. Boa parte do que é produzido no Brasil é exportado. Somente no mês de fevereiro de 2021 foi exportado 121,3 mil toneladas de trigo, segundo dados da Companhia Nacional de Abastecimento – Conab

28 | REVISTA SUPERMERCADOS


Cada grão contém três partes distintas que são objeto de separação durante o processo de moagem, na produção da farinha de trigo. • Aproximadamente 2,5% do grão é gérmen de trigo, ele é o embrião da semente rica em nutrientes como lipídeos (gordura), minerais e vitaminas, por este motivo é bastante utilizado na indústria cosmética. Comparado aos demais cereais, possui baixa quantidade de gordura sendo separado no processo de moagem para melhor conservação da qualidade da farinha de trigo; • Em torno de 14,5% é casca ou farelo de trigo, localizado na parte mais externa do grão, rico em fibras e muito utilizado como ingrediente para produção de alimentos para animais, porém com aumento atual de consumo de produtos funcionais e rico em fibras, vem sendo cada vez mais utilizado na indústria de alimentos para humanos; • 83% é o que extraímos da farinha de trigo, tecnicamente conhecido como endosperma ou amido, rica em carboidratos e proteínas, localizado na parte intermediária do grão.

Trigo em Goiás

A Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária (Emater-GO) calcula que somente no mês de março de 2021 o trigo tenha gerado para o estado de Goiás 167 milhões de reais, equivalente a 1,7% da participação no valor nacional.

A Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Governo de Goiás (Seapa) acredita que Goiás deve bater o recorde na produção de trigo na atual safra. Com o acréscimo na produção o Estado deve ocupar o quarto lugar do país. O bom resultado do trigo sequeiro em Goiás ocorre pela boa adaptação ao regime de chuvas do cerrado, somado à necessidade dos moinhos por matéria-prima e pela expectativa de bons preços. Ainda segundo a Seapa, para a safra atual de trigo no Estado, a estimativa é de uma produção de 175,2 mil toneladas. O crescimento, em relação à safra anterior, é da ordem de 89,6%. O desenvolvimento de cultivo, a utilização de tecnologia e investimento por parte do produtor são as responsáveis por esse aumento.

ALIMENTO ESSENCIAL

Composição do grão de trigo

Explicando...

Cibele Rinaldi Moral Gil, Gerente de Qualidade e P&D na empresa Emegê, explica que o trigo é o único cereal que contém glúten, composta pelas proteínas gliadina e glutenina, com quantidade e qualidade suficiente para a produção de diversos produtos panificáveis, como pães, bolos, massas e biscoitos. Quando a farinha de trigo é misturada com água e os demais ingredientes da massa são submetidos ao amassamento ou mistura, ocorre a hidratação das proteínas do trigo e estas formam uma rede proteica (rede de glúten), capaz de segurar o gás formado no processo de fermentação das massas,

REVISTA SUPERMERCADOS | 29


ALIMENTO ESSENCIAL

ÁREA

PRODUTIVIDADE

PRODUÇÃO

2.390,4 mil ha 2,1 %

2.693 kg/ha 1,1 %

6.437,4 mil t 3,3 %

SUPRIMENTO ESTOQUE INICIAL PRODUÇÃO IMPORTAÇÕES

DEMANDA 227,4 mil t 6.234,6 mil t 6.600 mil t 13.062,0 mil t

CONSUMO INTERNO EXPORTAÇÕES

11.559 mil t 900 mil t 12.499 mil t

NÚMEROS DO TRIGO NO BRASIL Comparativo com a safra anterior. Suprimento e demanda referentes à safra de 2020. Referência: Relatório de Acompanhamento de Safra - Companhia Nacional de Abastecimento – Conab (março/2021)

pois possuem características como resistência e extensibilidade (esticar sem se romper) e assim confere aos produtos o volume e maciez característicos. A gerente de qualidade conta que existem diversos tipos de trigo que são classificados de acordo com a sua qualidade em Trigo Brando, Trigo Pão, Trigo Melhorador e Trigo para Outros Usos, pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). Portanto, para cada aplicação (pães, bolos, massas secas ou frescas, massa para pizza, salgados e biscoitos) existe uma farinha específica, produzida com trigo e processos específicos. A moagem do trigo inclui vários estágios: recepção e estocagem, limpeza, condicionamento, a própria moagem, e finalmente, a estocagem e embalagem da farinha. Na moagem do trigo ocorre as etapas de trituração, redução e compressão do grão, seguindo diversas etapas de peneiramento, para separar o endosperma (amido ou farinha) da casca (farelo ou fibra de trigo).

lizadas como ingredientes no preparo de diversos produtos, porém aqueles produzidos com farinha de trigo integral tendem possuir menor volume e menor maciez, pois as fibras de trigo rompem a rede de glúten formada no processo de amassamento.

Sonho de Paris em Goiás

Na produção de farinhas integrais essa separação não ocorre, sendo somente realizado a redução do grânulo de trigo em partículas menores, com granulometria fina como farinha, porém com todas as partes do trigo (gérmen, casca e endosperma). No Brasil, o MAPA classifica a farinha de trigo em 3 tipos: Tipo 1, Tipo 2 e Integral. Elas devem possuir um teor mínimo de proteína de 7,5% para Tipo 1 e 8,0% para Tipo 2 e Integral.

Rogério Mota proprietário da empresa La Frabrique Panificação que produz pães especiais com farinha de trigo importada do distrito de Paris, comenta que a qualidade do produto final está ligada diretamente aos insumos que são utilizados na produção dos pães. “A farinha com a qual trabalhamos possui uma certificação que garante a qualidade, por isso, temos hoje um padrão diferenciado no que é produzido na nossa fábrica” explica.

Para fazer pão, a farinha de trigo mais adequada é a do Tipo 1. Dentre as farinhas do Tipo 1, existem as de uso geral, para massas frescas, para confeitaria e para panificação. A farinha de Tipo 2 é mais amarelada e é mais utilizada pela indústria para produção de biscoitos. Além disso, por determinação do governo, toda farinha comercializada no Brasil deve receber doses extras de ferro e de ácido fólico.

Hoje, existem vários tipos de trigo no nosso País e, segundo o empresário, vigora por aqui um costume de acrescentar alguns produtos que não deveriam estar no trigo. “O meu sonho é que o Brasil tenha um trigo com a mesma qualidade deste que eu compro fora. Quando eu falo do meu produto eu me refiro a uma memória gustativa que a pessoa viveu, por exemplo, em uma viagem à Europa. Por isso eu quis investir neste negócio apostando no trigo de mais qualidade”, finaliza Rogério.

Tanto as farinhas brancas como as farinhas integrais são uti30 | REVISTA SUPERMERCADOS


NOTA ABRAS REVISTA SUPERMERCADOS | 31


ARTIGO TRIBUTÁRIO

É legal a tributação das bonificações no setor varejista? No judiciário, o que vale é a prática. Ou seja, se “a bonificação” está vinculada ao produto ou mercadoria, esse “desconto” merece destaque na Nota Fiscal “Quando se cria argumentos, como contratos e operações registradas, como rateio de despesas, por exemplo, provando que não há uma receita nova, vincula-se o referido bônus a documentação” “Bonificação” nada mais é do que um desconto no preço dado aos clientes para tornar o produto mais atrativo e competitivo, estimulando sua compra. Criada pelo varejo, está nos departamentos comerciais, trata-se do resultado de ações de promoções das lojas.

Por Fabrizio Caldeira Landim Advogado e consultor jurídico tributário da Agos 32 | REVISTA SUPERMERCADOS

Os produtos enviados em bonificação são remessas feitas a um determinado estabelecimento, muitas vezes, vinculadas a promoções, cotas atendidas de vendas


A questão da tributação das bonificações tem gerado dúvida sobre o correto procedimento a ser adotado, além de, efetivamente, ser o tema que mais traz dores de cabeças ao contribuinte perante a Receita Federal. No judiciário, o que vale é a prática. Ou seja, se “a bonificação” está vinculada ao produto ou mercadoria, esse “desconto” merece destaque na Nota Fiscal. Isso acontece porque havendo ou não destaque na Nota Fiscal, para a empresa vendedora, o valor dessa terá tratamento de despesa, sem reflexo para PIS e COFINS. Para o IRPJ e CSLL será considerado como “despesa dedutível”. Quando se cria argumentos, como contratos e operações

registradas, como rateio de despesas, por exemplo, provando que não há uma receita nova, vincula-se o referido bônus a documentação. A grosso modo, podemos dizer: não quer ter riscos, documente!

ARTIGO TRIBUTÁRIO

ou fidelidade de fornecedores, entre outros. Há aquela que é recebida juntamente ou de forma vinculada a uma operação de compra. Nesse caso, o valor da bonificação acaba por diminuir o custo unitário de cada produto recebido, não gerando receita para quem recebe os produtos.

A operação registrada traz resultados e benefícios salutares tanto para o varejista quanto para o fornecedor. Além disso, há que se ficar atento aos detalhes de cada operação, buscando sempre os corretos lançamentos contábeis e a devida apuração tributária. O que ocorre é que ao ofertarem bonificações, muitas empresas desconhecem que tal bônus não integra a base de cálculo do ICMS, recolhendo integralmente o imposto. A base de cálculo do ICMS não é o preço anunciado, mas o valor da operação, que se define no momento em que esta se concretiza. Dessa forma, os valores de bonificação não integram a base de cálculo do ICMS porque não fazem parte do valor da operação da qual decorre à saída da mercadoria da empresa.

REVISTA SUPERMERCADOS | 33


Foto Marcos Souza

ATUAÇÃO PARLAMENTAR Jacques Vanier, César Moura e Glaustin da Fokus

GLAUSTIN E JACQUES VANIER DIVULGAM EDITAL DE R$ 2 MI PARA A CULTURA GOIANA A convite do deputado federal, humorista participou de anúncio de pacote para dinamizar espaços artísticos e promover festivais online em cidades goianas O humorista e influenciador digital Jacques Vanier ajudou a divulgar o lançamento de um edital de R$ 2 milhões da Secretaria de Estado de Cultura (Secult) para dinamizar espaços culturais, por meio de eventos online, e promover geração de renda a trabalhadores da classe artística durante a pandemia. Ele se reuniu nesta terça-feira (16) com o secretário interino César Moura, a convite do deputado federal Glaustin da Fokus (PSC-GO).

mada, reforçou ainda que o governador Ronaldo Caiado também liberou R$ 112 milhões para empréstimos a juro zero para micro e pequenos empresários, desde que não demitam funcionários. Segundo ele, o recurso deve contemplar a economia cultural ligada a bares e restaurantes, bastante prejudicados nos últimos 12 meses pelas medidas de isolamento social e fechamento do comércio para combater a pandemia.

Famoso por representar costumes e linguagens do povo goiano, com mais de 3 milhões de seguidores no Instagram, Jacques Vanier destacou que o edital valoriza a cultura do estado. “Morei nos Estados Unidos e sempre busquei resgatar um pouquinho disso, para que o Brasil e o mundo saibam o tanto que é bom nós falarmos porta, porteira e portão”, brincou o humorista, com sotaque puxado para o R, em vídeo publicado nas redes sociais do deputado federal.

César Moura informou a Glaustin e Jacques Vanier que os editais da Secult foram pensados e redigidos após ouvir diversos representantes do segmento. “Com os espaços sem poder receber público, é preciso garantir a subsistência das famílias que dependem desses postos de trabalho”, afirmou o secretário.

“A notícia é um alívio para o setor cultural, paralisado há um ano por conta da pandemia de coronavírus”, comentou Glaustin. “Esse edital da Secult deve beneficiar 50 espaços e nove festivais musicais online, gerando emprego e renda para mais de mil trabalhadores ligados à classe artística.” O secretário interino César Moura, que acumula neste momento a gestão da Secretaria de Estado da Reto34 | REVISTA SUPERMERCADOS

Investimentos

Do total de R$ 2 milhões, R$ 1,250 milhão será destinado para contemplar mais de 50 espaços como centros culturais, cineclubes, cinemas, galerias de arte, teatros e pontos privados (com ou sem fins lucrativos) ou públicos, ligados às prefeituras do interior goiano. A estimativa é de gerar 600 empregos diretos. Os R$ 750 mil restantes serão destinados a nove projetos de apoio a eventos e festivais produzidos para a internet nas áreas de artes visuais, cinema, circo, dança, letras, música e teatro, com 450 empregos diretos previstos.


NOVA LEI REVISTA SUPERMERCADOS | 35


Agos Discute Estratégias para Campanha de Doação de Alimentos O Presidente da Agos, Gilberto Soares, o Vice-Presidente Sirlei Couto e o Diretor Valdecir Luciano reuniram-se (20/04) na Secretaria de Desenvolvimento Humano e Social (SEDHS) com a primeira dama do Município de Goiânia, Sra. Thelma Cruz, o Secretário de Governo, Arthur Bernardes e o Secretário da SEDHS, José Antônio. Elas trataram das estratégias para a campanha de doação de alimentos a pessoas em situação de vulnerabilidade.

Gilberto Reúne-se com Associados, Parceiros e Fornecedores O Presidente da Agos, Gilberto Soares, ciceroneou os empresários Lucas Cabral, Denis Muniz e Alex Rodrigo, da Rede Campeão de Rio Verde, numa visita técnica, em 16/04, à Rede de supermercados Prátiko Atacarejo, unidade Senador Canedo. Eles foram recebidos pelo empresário Valdecir Cardoso. Ainda, no mesmo dia, a comitiva também esteve no UAI Atacarejo, em Aparecida de Goiânia. Eles foram recepcionados pelos proprietários, Carlos Alberto Medeiros e pelo filho, Fábio Medeiros. A maratona foi finalizada no Supermercado Ponto Final, na Vila Redenção, em Goiânia, onde o Presidente da Agos, Gilberto Soares, recebeu os empresários do sudoeste goiano em sua loja. Antes, no dia 14/04, Gilberto Soares visitou o fornecedor e parceiro distribuidor do Suco Prats, Narciso Scarinci.

Presidente da Agos Discute Portaria na Câmara Municipal de Aparecida Para atender as demandas dos associados da Agos em Aparecida de Goiânia, o Presidente Gilberto Soares, acompanhado pelo Vice-Presidente Sirlei do Couto, do Dep. Federal Glaustin da Fokus e dos Diretores da Agos Ricardo Santos e Márcio Ronney reuniram-se, no dia 30 de março, na Câmara de Vereadores. O objetivo foi de criar um diálogo com as autoridades Municipais, para elaborar novas Portarias e reforçar a importância de se manter o abastecimento das famílias, garantindo o funcionamento normal das lojas. Compareceram à reunião 20 Supermercadistas, que foram recebidos pelo Presidente da Câmara, André Fortaleza, com a presença de 15 Vereadores. Na ocasião foi apresentado um requerimento pelo segmento Supermercadista de Aparecida, expondo suas dificuldades em seguir as exigências do escalonamento Municipal e solicitando a participação da Agos nas reuniões do Comitê de Prevenção e Enfrentamento ao novo Coronavírus. 36 | REVISTA SUPERMERCADOS


Agos e Sesc/Senac Firmam Parceria para Campanha de Arrecadação de Alimentos O Presidente da Agos, Gilberto Soares, o Vice-Presidente Sirlei Couto e o Diretor Valdecir Luciano reuniram-se com a diretoria do Sesc/Senac, em 20/04. Na ocasião foram recebidos pelo Diretor Regional do Sesc/Senac, Leopoldo Veiga, Diretor Executivo de Cultura e Lazer, Orlando de Souza, Diretora Executiva de Assuntos Finalísticos, Rosângela Emrich, Diretor de Compliance, Alexandre de Abreu e Silva e pela Coordenadora de Programas Sociais, Ana Paula. Eles discutiram a formalização da parceria entre Agos e Mesa Brasil para o desenvolvimento da campanha “Juntos contra a fome e o desperdício”. Em razão do atual momento de Pandemia, do Coronavírus, tem-se registrado milhares de família em situação de extrema vulnerabilidade, o SESC, através do programa Mesa Brasil, está lançando a campanha “Juntos contra a fome e o desperdício”. A campanha tem o intuito de arrecadar alimentos e doar para as famílias mais afetadas pela crise e está firmando com a AGOS uma parceria, através do carrinho solidário, onde os associados irão disponibilizar suas lojas para fixação dos pontos de coleta de alimentos não perecíveis.

NOVOS ASSOCIADOS MARÇO, ABRIL E MAIO

GOIÂNIA Ypê Supermercado Mercado Padrão INTERIOR Uze Cartões – Salvador/Ba Uai Atacarejo – Ap. de Goiânia Super Mix - Trindade Empório Baratão - Trindade Super Marista - Trindade Supermercado Garotão - Trindade Comercial Esperança - Trindade Supermercado Moreira - Pirenópolis Supermercado Nota 10 - Pirenópolis Mercado Avenida - Novo Planalto Supermercado Luisa - Caldas Novas Supermercado Econômico - Quirinópolis REVISTA SUPERMERCADOS | 37


SÓCIO-COLABORADOR

Suco Prat’s (62) 3926-0052 narcisoscarinci@gmail.com

BomLixo Fone: (62) 3295-7256 mcarneiro@mcarneiro.com.br

So� Tec Automação Fone: (62) 98169-5371 helder@so�tecsistemas.com.br

HCM Representações Fone: (62)3212-3679 fa�ma@hcm.com.br

Água Na�va Fone: (62) 4006-3300 www.aguana�va.com.br

Qualityservice Fone: (62) 98257-1741 qualytservice@gmail.com

Cristal Transportadora Fone: (62) 99645-8937

Uze Cartões Fone: (62) 98431-3737 www.uzecomvoce.com.br

Congel Contabilidade Fone: (62) 4006-5353 congel@congelcontabilidade.com.br

Riboli Representações Fone: (62) 3247-1066 ribolirepresentacoes@hotmail.com

Total Strategy Fone: (62) 99908-7842 contato@totalstrategy.com.br

Goiás Carrinhos Fone: (62) 3249-4937 goiascarrinhos@gmail.com

Focus Contabilidade de Supermercado Fone: (21) 3856-4273 empresarial@focuscontabil.com

Araguaia Guindastes e Contêineres Fone: (62) 3297-5522 comercial@grupocastelao.com.br

Layout do Varejo Fone: (62) 99904-1075 diretoria@layoutdovarejo.com.br

Ap. de Goiânia / BR 153 / Rodovia dos Romeiros GO 060 Fone: (62) 3209-9326 (062) 3589-1001 / (62) 3238-8200 h�p://www.atacadao.com.br/

Atacadão Dia a Dia Novo Horizonte / Chácara Rio Branco Fone: (62) 4009-4710 gerencia.gynbal@atacadaodiaadia.com.br

Pelos Bares da Vida Fone: (62) 3241-8181 baresdavida@terra.com.br

Accert Saúde Fone: (62) 3941-3556 fredbbarros@gmail.com

Sr. Food Safety Fone: (62) 3289-2224 wanderson@foodsafety.com.br

Bf Foods (Bonaboca) Fone: (62) 3954-6666 www.bonaboca.com.br

Express E�quetas Fone: (62) 99610-0021 www.expresse�quetas.com.br

Haskell Fone: (62) 3954-0989 comercial@rctoledo.com.br

Foco Consultoria Fone: (62) 3085-4233 fernando@fococonsultoriasso.com.br

Fiscale Soluções Empresariais Fone: (62) 3095-7927 www.fiscalesolucoes.com

JJ Instalações Comerciais Fone: (62) 99215-4703 www.jj.ind.br

Assaí Atacadista Vila São João / St. Central / Pq. Amazônia / Jd. Europa www.assai.com.br

Costa Atacadão Jd. Goiás / Pedro Ludovico / Valparaíso de Goiás Fone: (62) 3412-0808 h�p://costa.economizebr.com.br

Prowa� Engenharia Fone: (62) 98237-1771 romulo.prowa�@gmail.com

38 | REVISTA SUPERMERCADOS

Natuplast Fone: (62) 3247-4349 www.natuplast.com.br

Acqua So� Fone: (62) 3241-6260 www.acquaso�go.com.br


REVISTA SUPERMERCADOS | 39


40 | REVISTA SUPERMERCADOS

Profile for Agos

Revista Supermercados - Edição 193  

Revista Supermercados - Edição 193  

Profile for agos-go
Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded