__MAIN_TEXT__

Page 1

REVISTA SUPERMERCADOS | 1


2 | REVISTA SUPERMERCADOS


EDITORIAL

Gilberto Soares da Silva Presidente da Agos

Chegamos, enfim, aos últimos dias de 2020. Podemos afirmar que foi um dos anos mais desafiadores que tivemos nas últimas três décadas. Para resumir: foi um período de dificuldades, mas também de oportunidades. Se, por um lado, tivemos que nos adaptar às profundas mudanças em nosso segmento; por outro, soubemos conduzir o barco no meio da tempestade, e adquirimos uma bagagem de aprendizado. Com essa crise da Pandemia o nosso setor teve que se reinventar da noite para o dia. Tudo o que foi planejado, no ano anterior, teve que ser refeito. Tivemos que trocar o pneu com o carro em movimento. Os hábitos do consumidor passaram por profundas transformações. As questões de higienização e segurança sanitária nas lojas ganharam o centro das atenções. Podemos afirmar com orgulho: saímos muito bem nesses quesitos. Uma palavra define o setor Supermercadista: resiliência. Se consultarmos o dicionário veremos: capacidade de se refazer, de se adaptar e de se adequar às mudanças. Foi o que aconteceu quando adotamos os protocolos para garantir saúde e segurança dos nossos clientes, funcionários e fornecedores. Por fim, eles serviram de modelo para a reabertura do comércio em geral. Fizemos jus à condição de serviço essencial. Agora temos a oportunidade de fazer o nosso planejamento para 2021. Já sabemos a respeito dos hábitos do nosso consumidor: ele deseja uma loja limpa, arejada, segura, com um bom sortimento e com o máximo de higienização. O ano que se avizinha promete crescimento do PIB e melhorias no emprego e na renda dos brasileiros. Isso é muito bom para o nosso segmento que, mesmo enfrentando todas as dificuldades descritas, deve crescer acima de 3% este ano. Mas não nos iludamos: 2021 não será um ano fácil. Novos desafios deverão surgir. Mas serão enfrentados e superados. Assim é a vida de quem, como nós, se propõe a empreender, mesmo quando o cenário é adverso. Com a vasta experiência que acumulamos vamos continuar aperfeiçoando aquilo que fazemos de melhor: garantir o abastecimento dos lares. Assim, manteremos a confiança no nosso trabalho. Uma coisa é certa: os Supermercadistas goianos ganharam maturidade. As novas lojas que estão sendo abertas atendem as necessidades do nosso consumidor, que é cada vez mais exigente. Devemos sempre estar atentos às tendências do mercado e às suas necessidades. É isso que nos manterá competitivos, adaptados a esse novo mundo do varejo, que é, a um só tempo, digital e físico. Com garra e determinação, vamos fazer de 2021 um ano de superação. Desejo a todos, boas vendas, um Feliz Natal e um Ano Novo com muita Prosperidade! Boa leitura!

EXPEDIENTE

CONSELHO ADMINISTRATIVO Presidente – Gilberto Soares da Silva Vice-presidente – Sirlei Antônio do Couto Secretário – Suail Alcântara 1º Conselheiro – Fábio Mesquita Lima 2º Conselheiro – Wainer Neves Mendes 3º Conselheiro – Walter de Paula Oliveira 4º Conselheiro – Valdeci Luciano da Costa 5º Conselheiro – Wanderson Ferreira 6º Conselheiro – Roney Rodrigues Fernandes 7º Conselheiro – José Nakamura 8 Conselheiro – Givaldo Ribeiro Batista Junior 9º Conselheiro – Ricardo Pinheiro dos Santos 10º Conselheiro – Júlio Penha Peres 11º Conselheiro – José Elias de Paula 12º Conselheiro – Murilo Moraes 13º Conselheiro – Agnaldo Moreira da Costa Junior CONSELHO FISCAL - EFETIVOS 1º Conselheiro - Jaime Canêdo 2º Conselheiro - Nivaldo do Nascimento Araújo 3º Conselheiro - Fernando Viandelli Lopes CONSELHO FISCAL - SUPLENTES 4º Conselheiro - Ulisses Jair dos Santos 5º Conselheiro - Ancelmo Marques Pereira 6º Conselheiro - José Guilherme Schwam DELEGADO JUNTO À ABRAS Nelson Antonino Alexandrino Lima COMITÊ FEMININO Selma Messias Honório COMITÊ DE DESENVOLVIMENTO Glauskston Batista Rios SUPERINTENDÊNCIA João Bosco Pinto de Oliveira REVISTA SUPERMERCADOS Editor • Francisco Barros Interativa Comunicação e Eventos (62) 3097-1406 / francisco@interativacomunica.com.br

Reportagem • Gabriel Lisboa Publicidade • Clésida do Espírito Santo Marketing • Frederico Kessler Fotos • Agos / Shutterstock / Freepik Produção e Diagramação • Frederico Kessler Impressão • Poligráfica

Av. C-7, No 3144, Qd. 80, Lt. Área, St. Sudoeste, CEP 74.305-080, Goiânia-GO (62) 3254-8350 | 3215-2528 imprensa@agos.com.br | www.agos.com.br

REVISTA SUPERMERCADOS | 3


8

18

22

SUMÁRIO

6 PAINEL EMPRESARIAL A pandemia mudou significativamente os hábitos de consumo 8 PRODUTOS PET Quer vender mais? Não se esqueça de reservar espaço na gôndola para eles 10 SUCESSÃO FAMILIAR Palestra realizada na Agos com o Dr. Fábio Almeida gerou grande interesse 18 ELEIÇÃO NA AGOS Gilberto é reeleito para biênio 2021-2022 e revela planos da nova gestão 22 MATÉRIA DE CAPA O novo presidente da Abras João Galassi concede entrevista exclusiva 28 ATUAÇÃO PARLAMENTAR Glaustin participa da posse do novo presidente da Abras 30 MERCADORIA ENCALHADA Fique de olho no estoque e evite perdas ao adotar medidas simples e eficazes 4 | REVISTA SUPERMERCADOS


cd - URUAÇU

cd - BRASÍLIA

cd - aparecida DE GOIÂNIA

cd - RIO VERDE

fábrica CATALÃO

REVISTA SUPERMERCADOS | 5


PAINEL EMPRESARIAL

RETROSPECTIVA 2020 E O QUE ESPERAR DE 2021 CAMINHOS E DESAFIOS DO MERCADO FOOD SERVICE

As estatísticas confirmam: a pandemia COVID-19 mudou significativamente os hábitos de consumo

2020

2020 chega ao fim e ufa! Que ano! Acredito que quase todos nós passamos por situações nunca antes imaginadas e vividas. Inegavelmente, ainda que muitas empresas tenham se reinventado, esse foi um dos períodos mais desafiadores. E as estatísticas confirmam: a pandemia COVID-19 mudou significativamente os hábitos de consumo. Segundo a pesquisa Kantar, estamos comendo 50% mais vezes do que antes das restrições de circulação, em todo o Reino Unido, Espanha, Brasil e França. Também foram observados aumentos no consumo de guloseimas e bebidas. Em média, o bloqueio desencadeou mais seis ocasiões de refeição em casa a cada semana. A maioria desses são os momentos de lanche. Contudo, o consumidor está gastando muito menos com comida e bebida. No Reino Unido, por exemplo, observou-se um gasto de menos £ 2,9 bilhões fora de casa durante o mês de bloqueio do que o gasto em um mês normal de 2019. Na França, a alimentação fora de casa diminuiu £ 2,5 bilhões, enquanto na Espanha, o gasto foi de £ 2,3 bilhões a menos. Os dados não incluem vendas de alcoólicos.

Por Emerson Amaral diretor do Instituto de Desenvolvimento das Empresas de Alimentação (@consultideal) 6 | REVISTA SUPERMERCADOS

Ainda conforme a pesquisa, havia uma tendência de longo prazo de não comer sobremesas, mas a quarentena inverteu esse comportamento. Importante dizer ainda que houve um crescimento anual de 245% nos gastos com entrega de refeições no Reino Unido. Enquanto isso, o café da manhã tardio durante a semana, preparar mais refeições e comer mais lanches durante uma típica semana de bloqueio parecem ser as novas tendências na França. Mas com mudanças tão expressivas, o que esperar de 2021 para o segmento da alimentação, setor de panificação e correlatos? Sempre vivemos um processo de adaptação, mas nunca em uma velocidade tão grande quanto nos últimos meses. Foram muitas as transformações nos hábitos de consumo de forma geral e principalmente na alimen-


Tudo indica que em 2021 a panificação sofrerá perda de espaço para outros players com maior atuação de venda online e com maior capacidade de pulverização de pontos de venda, e que consequentemente geram maior conveniência. Posso citar as inúmeras empresas de alimentação em dark kitchen - é um “restaurante fantasma”, ou restaurante virtual, que oferece apenas comida para viagem - lojas de Supermercado e conveniências autônomas, além de os próprios fabricantes ofertarem lojas autônomas. Este tipo de loja também já está sendo instalada dentro de centros comerciais e condomínios residenciais, a exemplo das lojas de comida congelada, bebidas e pães. É um fato que esses perfis de negócio necessitarão de produtos com maior shelf-life (pães, bolos, biscoitos), além de produtos no modelo to go também com maior

As empresas de pães embalados continuarão em crescimento, tendo o foco em produtos com maior shelf-life e saudabilidade se alinhando aos novos hábitos de consumo. Os Supermercados irão focar na oferta de maior mix de produtos frescos e necessitarão de fornecedores que lhes atendam com produtos congelados/resfriados com o objetivo de minimizar perdas e ofertar novos produtos com qualidade a qualquer tempo e hora. Vale destacar que as parcerias com fornecedores são vistas como excelente pois o investimento em centrais de produção é elevado e os Supermercadistas enxergam um retorno mais rápido focando no aumento de número de pontos de venda.

PAINEL EMPRESARIAL

tação. Preocupações antes tímidas passaram a ser fatores decisivos de vendas e de compras.

De forma geral, as empresas irão buscar a média automação e não elevada automação, pois os funcionários não possuem experiência na operação de equipamentos de alta tecnologia e os empresários possuem “medo” por enxergar produtos de alta tecnologia como produtos frágeis. A escassez de mão de obra especializada irá persistir, gerando maior necessidade de capacitação dos funcionários através de fornecedores, sistema S, empresas de consultoria e outros - e nesse aspecto você sabe que pode contar com a Ideal para ser seu suporte.

2021 vida útil (sanduíches, refeições, sobremesas e outros). A busca por fornecedores de produtos congelados e/ou resfriados será aumentada, principalmente para suprir a demanda de produtos que necessitem de mão de obra especializada em sua produção. As indústrias de pães congelados irão evoluir em ampliação de mix de produtos para atender a demanda por maior variedade e melhorias da qualidade. Entretanto, as padarias que já possuem um volume significativo de produção irão buscar equipamentos que proporcionem um ganho de produtividade, com equipamentos de médio volume de produção. Assim, essas empresas serão fornecedoras de produtos congelados e pré-prontos para as pequenas padarias, lojas de conveniência, Supermercados e outros. As indústrias de equipamentos precisarão dar maior ênfase na apresentação dos equipamentos que proporcionem o congelamento e regeneramento com qualidade e rapidez, tendo claro que o panificador não possui grande conhecimento técnico sobre a tecnologia do frio e ainda há um paradigma sobre produtos congelados.

Instintivamente o empresário da panificação precisa mudar seu modo de pensar, pois o mercado mudou e o hábito de consumo também. Há uma necessidade de produtos frescos a qualquer hora, mas a exigência por menores índices de perda e rupturas exigirão um investimento em tecnologia de equipamentos e processos. Há grande dificuldade de se visualizar o e-commerce dentro da panificação. A maioria enxerga que este modelo de venda tira o cliente de dentro da loja e não que será mais uma opção de venda para o consumidor. Entender que o cliente ir até o produto é tradicional, mas o produto ir até o cliente é mais uma opção - e quem não a fizer, haverá quem faça. É preciso sair da bolha, usar da inteligência competitiva para antecipar comportamentos que afetarão significativamente nossas empresas e ir além! O mercado percebe como precursores aqueles que agem frente às oportunidades e não apenas reagem aos desafios. Desejo que tenha fé no seu caminho, saúde para cumprir seus planejamentos, resiliência para adaptar os projetos e claro, boas vendas. 2021 tem tudo para ser nosso melhor ano, se acreditarmos que isso será real! REVISTA SUPERMERCADOS | 7


PRODUTOS PARA PETS

PRODUTOS

PETS

MERECEM DESTAQUE NAS GÔNDOLAS O Brasil é o terceiro maior mercado de pets do mundo, atrás apenas da China e dos EUA. São 54 milhões de cachorros e 24 milhões de gatos nas casas dos brasileiros. E eles precisam, entre outras coisas, se alimentar. Em meio à pandemia que estamos vivendo, os pets viraram companhia (muitas vezes, a única) para muita gente. E são tratados como um integrante da família. Talvez por isso, esse segmento sentiu a crise menos que outros. Os números do setor corroboram essa percepção. A estimativa das entidades desse segmento é que o faturamento de 2020 se mantenha estável com relação ao ano anterior, cujo faturamento foi de R$ 36 bilhões, de acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais (Abripet). Não é nada ruim diante das perspectivas de uma economia (a brasileira) que fechará o ano no negativo. A evolução desse setor se deve em grande parte a uma mudança de cultura do consumidor brasileiro. Até pouco tempo atrás, os cães, só para ficar num exemplo, viviam fora de casa, criados soltos nos quintais. E se alimentavam com os restos das refeições das famílias. Num período de duas décadas, passou-se por um processo que os especialistas cunharam de “humanização dos pets”. Isso foi a chave para o chamado “boom dos pets shops”. Essa mudança de cultura trouxe no seu bojo um novo fenômeno: os pets passaram a ser tratados pelos seus donos como membros da família. Com isso, os animais receberam melhores cuidados em todos os aspectos: alimentação, higiene e saúde. Esse processo coincidiu com a verticalização das cidades. Com apartamentos menores que as casas, isso fez com que as famílias criassem animais menores e mais próximos delas.

8 | REVISTA SUPERMERCADOS


Mercado de Pets

O mercado de pets possui características especiais: é muito pulverizado. E por isso é constituído por milhares de pequenas lojas especializadas – os chamados Pets Shops. Mesmo assim, estima-se que o segmento Supermercadista responda por mais de 13% das vendas de alimentos e produtos. A maior parte dos demais players é de pessoas que tem apenas uma ou duas lojas.

PRODUTOS QUE NÃO PODEM FALTAR GATOS

CÃES

Mas como concorrer nesse mercado complexo, que envolve produtos, serviços e saúde animal? A resposta é conhecer as necessidades do cliente. Ofertar produtos voltados para o seu público, com atenção especial para um detalhe: na pandemia o cliente reduziu as suas visitas às lojas. Ele prefere comprar tudo o que precisa num só lugar. Se a sua loja tiver o produto Pet que ele necessita, bingo: é aí onde ele vai dar preferência.

EM QUAIS PRODUTOS PARA PETS DEVO INVESTIR? A demanda dos clientes deve pautar o mix de produtos para pet. Por isso, antes de qualquer coisa, conheça seu público-alvo. Pergunte-se: para quem eu vendo? Qual o grau de escolaridade, idade, gênero? Quanto meu público ganha por mês? Quanto está disposto a gastar? Lembre-se: um estoque adequado é aquele que tem mais chances de suprir às necessidades das pessoas a quem você objetiva atender. Agora é hora de conhecer os produtos que, independentemente do nicho, estão no pódio de vendas. São itens que possuem alto giro: Quase 70% do faturamento do setor em 2018 foi de produtos para alimentação animal. O giro do estoque é alto por conta da procura rotineira dos donos dos animais de estimação. Afinal, trata-se do item que é responsável pela nutrição diária dos pets. E há diversos tipos no mercado: para cães, para gatos, de origem vegetal, de origem animal, premium, super premium, etc.

Rações

Rações

Sachês

Petiscos

Bifinhos

Ossinhos Bifinhos

Fonte: Henrique Rebello Diretor da Vertical de Gestão da Alterdata

REVISTA SUPERMERCADOS | 9


ESCOLA AGOS Lázaro Jorge Soares e Gilberto Soares

PALESTRA SOBRE SUCESSÃO FAMILIAR SUPERA EXPECTATIVAS Para transmitir o posto aos herdeiros é necessário levar em conta ferramentas que contribuam para que a transição se processe de modo natural e amigável A palestra sobre sucessão familiar que a Associação Goiana de Supermercados (Agos) promoveu no dia 18 de novembro, em sua sede, superou as expectativas. Em função disso, teve que ser transferida de uma sala menor para o salão principal do Espaço de Eventos da entidade, em virtude do elevado número de participantes. O facilitador foi o Ph.D. em Finanças e Contabilidade pela Wisconsin University (USA), Fábio Almeida. Por que o tema gerou tanto interesse? A primeira resposta que vem à mente é a seguinte: o grande número de empresas familiares que existem em Goiás, em especial, no segmento Supermercadista. Geralmente, conduzidas pelos seus fundadores, eles precisam passar o bastão para os descendentes diretos. Como fazer isso sem atropelos e observando a legislação vigente? Essas foram algumas das questões abordadas por Fábio Almeida, que dirige o escritório Alianzo, que atua, entre outras áreas, com auditoria e assessoria, consultoria tributária e estruturação societária. Fábio também é professor de graduação, pós-graduação e instrutor de cursos e palestras. Com certeza, toda essa qualificação do facilitador foi um chamariz a mais para o evento. O presidente da Agos, Gilberto Soares da Silva (que 10 | REVISTA SUPERMERCADOS

estava acompanhado do filho e provável sucessor, Lázaro Jorge Soares), ao fazer a apresentação do palestrante, lembrou aos presentes que a iniciativa da entidade ao promover esse evento, é plantar uma semente para no futuro constituir a Agos Jovem, nos moldes do que existe e funciona muito bem na Associação Gaúcha de Supermercados (Agas). Fábio explicou, de maneira didática, as técnicas que devem ser aplicadas, seja para a gestão de patrimônio, seja para a área tributária. Em sua opinião, o ritual da passagem de bastão deve acontecer o mais cedo possível, quando o patriarca ou matriarca, ainda estiverem vivos. Esse processo - observou - evita desentendimentos futuros e brigas pela sucessão familiar ou disputas pelo patrimônio. Para transmitir o posto aos herdeiros é necessário, lembrou Fábio, levar em conta as ferramentas que contribuam para que a transição se processe de modo natural e amigável. Para isso, é prudente levar em conta a cultura da empresa e o seu modo de organização. Evita-se que a sucessão ocorra de forma atabalhoada. “O importante é buscar as melhores formas legais, seguindo os protocolos familiares e o acordo de cotista para os filhos”, destacou.


REVISTA SUPERMERCADOS | 11


ESCOLA AGOS

Para Fábio a sucessão empresarial acontece de acordo com o perfil da empresa e as suas particularidades. “Nem sempre o que serve para o vizinho serve para mim, cada um vive um contexto. Alguns precisam ajustar como está a formalidade do negócio, a gestão da empresa, observar os protocolos. Grande ou pequena a empresa tem que olhar as suas particularidades, mas todos têm sua forma certa de sucessão, às vezes quanto menor melhor, até porque envolve menos gestão econômica”, afirma Fábio. O especialista também destacou: “Não é excludente a convivência de pais e filhos nos negócios e, para isso, cada um tem suas características. É necessário que tudo esteja pactuado. Afinal, uma coisa é ser parente, outra coisa é ser sócio. Essa linha pode ser muito tênue”. O evento contou com os parceiros Quality, Suco Prates, Viva Natural, que proporcionaram várias degustações, e o escritório Alianzo, que disponibilizou a palestra.

12 | REVISTA SUPERMERCADOS

Gilberto Soares da Silva – Pres. da Agos – “As empresas tem que se perpetuar. A família é a base de tudo. Hoje, estamos lançando uma semente da qual pode surgir um apêndice da nossa entidade – a Agos Jovem. Já temos a experiência do Rio Grande do Sul, onde surgiu a Agas Jovem. Começou com uma reunião de 10 pessoas que trocavam experiências e ideias. Esses garotos começaram a empurrar os seus pais para frente. Estimularam os pais a modernizarem suas lojas. Isso foi chique demais. Hoje a Agas Jovem conta com a participação de 150 jovens. Quem sabe num saia daqui essa semente da Agos Jovem? Seria uma forma de buscar mais inovação para nossos negócios, dar sangue novo nesse mercado tão concorrido e com clientes cada vez mais exigentes”. José Nakamura (Supermercados Pró-Brazilian) – “Todo mundo do nosso segmento precisa saber dessas informações que foram passadas aqui hoje. Eu, por exemplo, não sabia de todos esses detalhes sobre sucessão familiar. Na parte dos imóveis já tinha feito tudo. Mas não fiz na empresa. Aí estou sendo penalizado no imposto, porque a minha mulher faleceu em agosto. Entrou o inventário. Tive que fazer toda a separação para os meus dois filhos e tive que pagar o ITCD [Imposto sobre herança e doações]. A palestra foi esclarecedora. Trouxe muita coisa importante que todo mundo tem que saber”. José Henrique (Herdeiro do Supermercados Pró-Brazilian) – “Palestras como essa sempre contribuem. No nosso caso, uma holding imobiliária já foi constituída. Mas diversos outros aspectos foram mostrados que não tínhamos noção. O que mais chamou atenção foi a possibilidade de redução de impostos. E, também, a possibilidade de constituição de fundo imobiliário e fundo de investimento. Eu gostaria de mais esclarecimentos sobre essas matérias. Achei muito interessante a palestra. As empresas deveriam conhecer mais sobre essas modalidades de engenharia societária e as modalidades de estruturação do patrimônio para reduzir seus impostos”.


ESCOLA AGOS

Murilo Moraes (Supermercado Sirva-se) – “A palestra foi uma iniciativa muito positiva. Veio ao encontro do que se esperava. O tema gera grande interesse porque temos, em Goiás e no Brasil, grande número de empresas familiares. E elas devem se preocupar com a sucessão. Todas tem interesse que a empresa que fundou perdure. No meu caso, meu pai passou a empresa para mim. A empresa tem 50 anos. Hoje, eu e minha mulher estamos no comando. Nós temos dois filhos. A expectativa é passar o comando para os filhos. A sucessão não é fácil. É um processo lento e contínuo. De erros e acertos. Se errar mais do que acertar, a empresa não perdura, porque o mercado é muito concorrido. A palestra foi ótima. O instrutor esbanja conhecimento”. José Elias de Paula (Supermercado Super Zé) – “A palestra foi excelente. Inclusive, peguei o telefone do palestrante para ter uma aula particular. É muita informação, muitas leis, muitos detalhes. Os assuntos tratados são muito interessantes. Coisas que só vamos dar conta quando morrer. Mas o certo é nos preparar antes disso. Ficar atentos até para os casamentos e para os movimentos dos nossos filhos. O palestrante foi muito feliz em suas colocações. Tem muito conteúdo. Por isso, quero reunir com ele. Muitas coisas que ele falou ninguém para pra pensar no meio da correria do dia a dia. Parabéns para a Agos por esta iniciativa”.

Curso de Formação de Líderes e Gerentes Movimenta Escola Agos O bom líder carrega consigo características que são facilmente reconhecidas. Mas nem todo mundo nasce com o dom de ser um líder, mas pode se tornar um, desde que instruído corretamente. Pensando nisso, a Escola Agos, realizou nos dias 12 e 13 de novembro, o Curso de Formação de Líderes e Gestores, que ofereceu ferramentas e conhecimento técnico para que profissionais assumam o cargo de gerentes nas lojas. O curso foi ministrado por Giselle Beatriz de Campos e contou com quase 30 alunos de vários Supermercados de Goiânia, região metropolitana e cidades do interior. Além de aprender sobre a diferença entre liderança, gerência e chefia os participantes foram instruídos sobre a aplicação de cada competência do cargo, incluindo postura adequada, alinhamento aos valores e conceitos de negócios. Durante o curso, manteve-se o distanciamento, a higienização com álcool gel 70% e o uso de máscara. A Agos segue firme no combate à Covid-19. REVISTA SUPERMERCADOS | 13


SEGURANÇA NAS COMPRAS

DEVIDO À PANDEMIA, SEGURANÇA SE TORNOU UMA DAS PRIORIDADES DOS CONSUMIDORES NO ATO DA COMPRA Os consumidores estão mais propensos a evitar interações externas com o comércio e há uma previsão de queda nas compras de artigos não essenciais de até 34% devido à pandemia Devido à pandemia da covid-19, os aspectos que envolvem a segurança pessoal dos consumidores para evitar contágio da doença, seja na retomada do consumo nas lojas físicas ou no recebimento dos produtos adquiridos no comércio eletrônico, passaram a ser uma das prioridades para 40% dos consumidores brasileiros entrevistados. Esse fator agora faz parte dos três principais critérios que incluem ainda o custo-benefício (68%) e a facilidade de compra (40%). É o que aponta o estudo produzido pela KPMG “Consumidores e a nova realidade” (em inglês, Consumers and the new reality) que ouviu mais de 70 mil consumidores do Brasil, Austrália, Alemanha, Canadá, China, Estado Unidos, Espanha, França, Hong Kong, Itália, Japão e Reino Unido, em um período de cinco meses com foco no setor de consumo e varejo. Segundo o levantamento, os consumidores estão mais propensos a evitar interações externas com o comércio e há uma previsão de queda nas compras de artigos não essenciais de até 34% devido à pandemia. Além disso, o gasto líquido com todas as categorias de comércio entre seis e 12 meses será de 22% menor em relação ao período pré-covid-19. Globalmente, a pesquisa aponta que 21% dos consumidores desejam ficar em casa o máximo possível, impactando a retomada das vendas nas lojas físicas.

14 | REVISTA SUPERMERCADOS


Fernando Gambôa.

“Neste contexto, as empresas precisarão se concentrar em entender estas alterações, por mais que algumas possam ser até consideradas momentâneas, para poderem criar experiências que despertem o interesse dos consumidores, bem como continuar investindo em protocolos e medidas que visem garantir a segurança dos clientes no retorno aos espaços físicos”, explica o sócio-líder de consumo e varejo da KPMG no Brasil e América do Sul,

Para o sócio da KPMG, estes segmentos não podem baixar a guarda: “O varejista precisa demonstrar que está preocupado com a segurança dos consumidores. Dessa forma, deve-se seguir com as medidas de proteção e segurança, divulgando seus protocolos e suas ações positivas de enfrentamento ao covid-19 para seguir contando.

O estudo também indicou um recuo na questão da confiança dos consumidores com as marcas, visto principalmente na Europa. Neste mercado, os principais setores que tiveram a credibilidade questionada durante a pandemia foram o varejo alimentício e o não alimentício, com 10% e 8% de queda na confiança, respectivamente. Segundo o levantamento, isso ocorre por causa de um relaxamento das medidas de segurança que foram implementadas no começo da pandemia, fato que deve ser revertido no curto prazo.

SEGURANÇA NAS COMPRAS

A pesquisa mostrou que a pandemia mudou as prioridades dos consumidores, que passaram a incluir a segurança como um dos principais fatores, o que não era percebido antes desse período. Com isso, eles estão mais cautelosos e propensos a priorizarem a segurança, dando preferência para locação de um espaço para passarem as férias do que realizarem uma viagem de turismo tradicional. Esse cenário também é visto em relação as refeições, onde os consumidores têm optado por capricharem mais nas refeições em casa, consumindo produtos diferenciados e redescobrindo o prazer de cozinhar, retardando a volta presencial aos restaurantes.

Fonte: Assessoria de Imprensa da KPMG

NOVOS ASSOCIADOS NOVEMBRO E DEZEMBRO

GENIAL Supermercado POSSE REVISTA SUPERMERCADOS | 15


Indústria goiana Bonaboca cresce em meio à crise A indústria goiana Bonaboca Alimentos, do ramo de alimentos congelados (panificação e salgados) cresceu 30% em 2020, com a geração de 200 empregos diretos em Goiânia. O pão francês e o pão de queijo, carros-chefes na linha de produção, representam 70% dos negócios da empresa. A meta é diversificar e aumentar o alcance dos produtos com novos pontos de venda ao consumidor a partir de 2021. Mesmo durante a pandemia do Coronavírus, a empresa investiu cerca de R$5 milhões em obras de expansão e automação e na climatização da fábrica em Goiânia. Em abril de 2021 está prevista a inauguração de uma nova unidade da Bonaboca em Goiás, o que deve dobrar a produção.

Piracanjuba é vencedora do prêmio Melhores do Agronegócio 2020 A Piracanjuba celebra o título de vencedora do prêmio Melhores do Agronegócio 2020, na categoria Laticínios. O levantamento das campeãs foi feito pela revista Globo Rural e tem como base os dados coletados pela Serasa Experian, relativos ao exercício de 2019. A Piracanjuba ocupa a primeira posição na categoria Laticínios pelo terceiro ano consecutivo. Neste ano, a cerimônia de aclamação das empresas ganhadoras aconteceu no dia 24 de novembro, de forma on-line, e com transmissão ao vivo nas plataformas digitais da Globo Rural. “O prêmio da Globo Rural é motivo de comemoração não apenas pela repercussão nacional, mas também, por traduzir nossa seriedade e compromisso com todos os elos do negócio, resultando em dados positivos em diferentes aspectos”, destaca o Diretor Comercial, Luiz Cláudio Lorenzo.

Sadia amplia portfólio da linha Speciale e lança nova campanha A Sadia, marca de alimentos mais valiosa do Brasil e Top of Mind em 2020, apresenta a nova campanha da linha Speciale. A fim de reforçar o aspecto premium da linha, a marca convidou o renomado maestro João Carlos Martins para reger a trilha do filme publicitário que une gastronomia e música clássica. A campanha contará ainda com diversas ativações no ambiente digital e merchandising em rede nacional, com início na quarta-feira, 11 de novembro. Com o mote “Todo momento pode ser Speciale”, a campanha servirá de apoio para a ampliação da linha, que passa a oferecer 18 opções de produtos. Entre as novidades estão quatro itens comemorativos: pernil espumante, pernil recheado com chutney de maçã e peru espumante. Além de 3 frios importados em parceria com a marca italiana Citterio: salame di milano, presunto parma e presunto san danielle. 16 | REVISTA SUPERMERCADOS


CARRINHO DE OURO 2020 As novas demandas do consumidor impulsionam cada vez mais a transformação digital do varejo, que precisa atuar em diferentes formatos de negócios – como e-commerce e clique e retire. Esse cenário, requer maior atenção as informações, integração entre lojas físicas e virtuais, além da colaboração entre os parceiros da cadeia de abastecimento, trazendo uma nova dinâmica ao varejo. Para atuar neste novo momento com a velocidade que o mercado exige, é fundamental que os supermercados tenham um cadastro de produtos com informações qualificadas e estruturadas e principalmente atualizadas. A boa notícia é que essa solução já chegou com a Vércer, startup criada pela Associação Paulista de Supermercados (APAS) e a GS1 Brasil que oferece uma plataforma que automatiza e moderniza o processo de cadastro de produtos, na qual é possível inserir mais de 400 informações por SKU, além de fotos dos produtos com qualidade profissional. A plataforma possui recursos para automatizar, organizar e alinhar as informações com toda a cadeia de abastecimento, possibilitando que o varejo consulte gratuitamente os dados cadastrados pela indústria fornecedora dos produtos. A Vércer distribui informações completas, precisas, atualizadas e, principalmente, confiáveis para o varejo. Com um cadastro automatizado, as empresas têm a oportunidade de aumentar as vendas e oferecer uma experiência de compra satisfatória para o cliente final.

vercer.com.br

REVISTA SUPERMERCADOS | 17


REELEIÇÃO

GILBERTO SOARES É REELEITO PARA A GESTÃO 2021-2022 DA AGOS Com uma plataforma de trabalho centrada na ideia de uma “Agos mais próxima do associado”, o dirigente foi reconduzido para continuar o trabalho na entidade

Por Francisco Barros

18 | REVISTA SUPERMERCADOS


REELEIÇÃO

Gilberto Soares da Silva respira Supermercado 24h por dia. Ama o que faz. Está sempre ligado, antenado com os problemas do segmento. O tempo todo recebe mensagens de seus companheiros. Atende a todos. Na gestão do Supermercado Ponto Final, que divide com seu irmão Paulo Soares (que o apoia nessa jornada), eles administram com lupa cada detalhe da operação. São perfeccionistas. Com seu estilo elétrico, Gilberto liderou a Agos no período 2019-2020. Foi uma administração exitosa. E agora os seus pares deram sinal verde para prosseguir no biênio 2021-2022. A eleição aconteceu no dia 10 de dezembro. Foi justamente no Supermercado Ponto Final que a reportagem da Revista Supermercados foi encontrá-lo, no dia 7 de dezembro, para fazer um balanço do trabalho à frente da entidade, falar dos planos e dos desafios que o aguardam no próximo biênio. Sem esconder entusiasmo, o presidente reeleito ressaltou que o seu desafio será “manter a Agos mais próxima dos seus associados”. É quase uma obsessão para Gilberto trazer novos associados para a entidade. Confira, a seguir, os principais trechos da entrevista. Balanço da Gestão (2019-2020) “Á frente da diretoria da Agos procuramos dar o máximo de nossas energias para o segmento Supermercadista. Deparamos com muitos desafios. Mas não desanimamos. Fomos vencendo todos. A nossa principal bandeira foi aumentar o número de associados da Agos. Estamos conseguindo atingir esse objetivo. Graças a Deus e a muito trabalho. Solicitamos aos próprios associados que fossem multiplicadores. E fomos atendidos”. “A Agos agora mais forte terá mais vez e voz, especialmente perante os governos municipal e estadual. Temos obtido êxito nesse propósito de congregar mais Supermercadistas que estão chegando. Criamos um grupo de WhatsApp que nos ajuda muito. Trocamos experiências e conhecimentos. Tanto para comprar como para se informar sobre questões tributárias, trabalhistas e sobre órgãos reguladores. É um canal de comunicação que tem sido muito útil, e funciona até mesmo como um classificado”. Pandemia: Mudou Tudo “A pandemia mudou o mundo. Foi uma grande tragédia. Mas, por outro lado, revelou a importância da cooperação e da participação efetiva das pessoas para alcançar uma causa comum. Trouxe, também, muitos ensinamentos. Os Ssupermercados tiverem que se adaptar rapidamente às normas e decretos da Vigilância Sanitária e de outros órgãos do governo. Mantivemo-nos firmes. Não houve registro de óbito, nem entre supermercadista, nem entre nossos colaboradores”. “Tivemos que cumprir decretos editados da noite para o dia, dos quais não participamos, não fomos convidados a opinar. Apesar de a sociedade ter se deparado com a perda de muitas vidas, estamos saindo fortalecidos da pandemia. Ficou evidente que o Supermercado é um serviço essencial. Que somos nós que garantimos abastecimento das famílias. Além disso, geramos empregos, renda e oportunidades”. Fechamento dos Supermercados “Foi um erro crasso, em nossa opinião, o lockdown no que se refere ao fechamento dos Supermercados no sábado e domingo. Essa decisão apenas restringiu o atendimento e provocou aglomeração. Para evitar

Gilberto em conversa com o prefeito de Goiânia, Iris Rezende REVISTA SUPERMERCADOS | 19


REELEIÇÃO

situação como essa deveria haver abertura 24h. Ou, então, deixar como está. Tivemos muitos embates com o governo estadual e prefeituras. Mas adotamos um tom diplomático e muitos casos foram sanados. Mas, também, nos deparamos com prefeitos e secretários de saúde insensatos”. Desafios da Gestão 2021-2022 “Em 2020, devido a pandemia, não conseguimos realizar nossos eventos, como a SuperAgos e o Carrinho de Ouro. Em 2021 queremos dar sequência nesse trabalho que foi interrompido. Vamos, também, retomar a capacitação de nossos colaboradores para que possamos nos qualificar para um varejo mais competitivo, com pessoas bem preparadas para atender o consumidor que está a cada dia mais exigente”. “Temos uma importante bandeira junto ao Estado de Goiás: a volta do pagamento do ICMS para o dia 10, como era anteriormente. Essa mudança foi algo emergencial, que não pode continuar como está. E temos ainda a questão do Procon Goiás. A base de cálculo das multas é descabida, totalmente fora da realidade”. Venda de Medicamentos “Vamos continuar a luta para aprovar a lei que permite a venda de medicamentos sem prescrição médica nos Supermercados. Essa é uma demanda antiga. Já vencemos várias barreiras nas Comissões Temáticas. Quem vai ganhar com isso é a nossa população, tanto dos bairros mais distantes quanto das pequenas localidades do interior que, se não tem uma farmácia, tem um armazém de vizinhança”. Agos Móvel “Fomos impossibilitados de implementar o projeto da Agos Móvel em 2020. Mas entendemos que esse é um projeto muito importante. Trata-se de reforçar a presença da Agos nas diferentes regiões do nosso Estado. Vai aproximar ainda mais a entidade dos nossos associados, com uma prestação de serviço direta, especialmente no que tange às orientações relacionadas às áreas tributária, trabalhista e palestras,”. Aproximação com Fornecedores “Temos nos movimentado para trazer os fornecedores, a indústria, para dentro da Agos. Temos estimulado essa aproximação para que possam abraçar nossos projetos, inclusive, o de capacitação e reciclagem dos nossos colaboradores. Se nós estivermos indo bem, os nossos fornecedores vão bem. Toda a cadeia alimentar gira e movimenta até mesmo o produtor rural, ou seja, o setor primário”. Inflação Preocupa “Esse é um tema que nos preocupa. Muitas indústrias deram férias coletivas. Estamos sentindo esse reflexo. Está faltando embalagens e insumos para composição de variados produtos. Mas é a lei da oferta e da procura.

20 | REVISTA SUPERMERCADOS

Gilberto ao lado de Glaustin da Fokus

E isso vale para a cesta básica. O arroz e o óleo de soja foram exportados, em dólar, em volume ainda nunca registrado. Vale lembrar que grande parte da soja em Goiás está sendo esmagada para o biodiesel”. “Mas a inflação nos assusta. Repassar a alta dos preços também nos preocupa. Somos apenas prestadores de serviço. O ideal é a estabilidade de preços. A palavra chave é negociar. Chamar o fornecedor e achar um denominador comum que seja bom para todos”. Formação de Preços “Queremos alertar os Supermercadistas para a formação de preços, a questão dos cadastros dos produtos, alíquotas, NCM, fator de conversão, evitando desta forma erro nos estoques e na apuração de impostos. Com isso, melhorando significativamente a nossa contabilidade. Evitando, assim, ser penalizado e cair no rigor da lei”. Agos próxima da Abras “A Agos tem uma grande proximidade com o novo presidente eleito da Abras, João Galassi. Vamos apresentar inúmeras sugestões para a nossa entidade-mãe. Temos uma excelente parceria com a Abras e vamos nos movimentar cada vez mais para defender os interesses dos Supermercadistas junto ao governo federal. O nosso canal é direto com o novo presidente da Abras”.


REVISTA SUPERMERCADOS | 21


CAPA

JOÃO GALASSI COMANDARÁ A ABRAS NO BIÊNIO 2021-2022 O empresário João Galassi é o novo presidente da Associação Brasileira de Supermercados (Abras) para o biênio 2021/2022. Ele foi eleito por unanimidade na Assembleia Geral de 30.11, que reuniu toda a diretoria da entidade. O empresário foi empossado em 15 de dezembro, em Brasília (ver matéria na pág. 26). Nascido em Campinas (SP), Galassi é formado em Administração de Empresas pela Pontifícia Universidade Católica (PUC) e possui MBA em Gestão de Pessoas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Iniciou sua carreira empresarial nos negócios da família (Supermercados Galassi). O presidente concedeu (por escrito) entrevista exclusiva para a Revista Supermercados, na qual destacou os principais pleitos da nova gestão, entre os quais: a volta da comercialização dos medicamentos seguros nos Supermercados, os Mips, a Reforma Tributária, e a chegada do Pix na forma de pagamentos de vouchers (vale-alimentação). Galassi também destacou como prioridades de seu mandato: fortalecimento institucional da ABRAS e a reestruturação/modernização interna da entidade, investindo em pessoas, processos, tecnologia e estrutura. Confira a íntegra da entrevista a seguir:

22 | REVISTA SUPERMERCADOS


P. Qual a importância que o Senhor atribuiu à manutenção do auxílio emergencial para o abastecimento

P. Qual o principal marco que o Senhor pretende deixar na sua gestão à frente da Abras? Estamos iniciando uma pesquisa com as associações

CAPA

P. Como o Senhor analisa o cenário econômico e de pós-pandemia? Qual o impacto para o setor de autosserviço do Brasil? A nossa economia estava em lento processo de recuperação devido à crise recente que o Brasil passou, e isso foi agravado pela pandemia, que impactou o mundo todo economicamente. O maior desafio do setor Supermercadista será lidar com o déficit gerado pela pandemia. Estamos otimistas com o surgimento da vacina, que será fundamental para a retomada econômica.

das famílias mais carentes? O auxílio emergencial teve efeito imediato na redução da miséria no Brasil. Nos ajudou a descobrir milhões de brasileiros que não faziam parte das estatísticas, as chamadas “pessoas invisíveis” que viviam sem certidão de nascimento ou CPFs. O auxílio também trouxe alívio para os informais e até para quem tinha carteira assinada, mas vivia com um salário insuficiente para suprir todos os gastos. Gerou renda, poder de compra, e isso reflete no consumo das famílias. Nosso setor é diretamente ligado ao poder de compra da população, e o fim do auxílio representará uma queda importante no crédito e mais um desafio para o varejo. Em conversa com o ministro Paulo Guedes, vimos que o governo está atento a esse cenário, e não descarta uma nova prorrogação do auxílio, caso haja uma segunda onda da doença. A pandemia tornou mais visível a necessidade de uma reestruturação das políticas públicas e sociais no Brasil. No Congresso, a Frente Parlamentar Mista em Defesa da Renda Básica, que conta com diversos deputados, senadores, além de várias entidades da sociedade civil, já está debatendo soluções para as desigualdades aprofundadas durante a pandemia de Covid-19, e temos esperanças de novos projetos que possam melhorar a situação da população mais carente.

P. Quais as principais bandeiras que o Sr. destacaria do seu plano administrativo que pretende implementar na gestão (2021/2022) da Abras? Entre os principais pleitos da nossa gestão estão a volta da comercialização dos medicamentos seguros nos Supermercados, os Mips, a Reforma Tributária, e a chegada do Pix na forma de pagamentos de vouchers (vale-alimentação). Além do fortalecimento institucional da ABRAS e a reestruturação/modernização interna da entidade, investindo em pessoas, processos, tecnologia e estrutura. Queremos que a ABRAS se torne referência em associação setorial, e amplie a capacitação profissional virtual no setor Supermercadista, reforçando os conteúdos nas áreas social, ambiental e de governança.

REVISTA SUPERMERCADOS | 23


CAPA

Ranking Abras 2019, evento anual promovido pela associação

estaduais e com os Supermercadistas do Brasil para identificar o que eles esperam da Associação Brasileira de Supermercados. E atender essas demandas é um dos nossos principais objetivos, é o legado que quero deixar. P. Quais os aspectos que o Senhor considera mais importantes pelos quais o setor varejista deve lutar para impulsionar o segmento no âmbito do governo federal? O setor Supermercadista é um dos grandes motores da economia, gerador de empregos e oportunidades para milhões de brasileiros, e mesmo assim, passa diariamente por inúmeros obstáculos para continuar evoluindo. Atualmente, os desafios de expansão dos empresários do setor de comércio e serviços estão principalmente ligados às altas tributações e taxas de juros, a falta de segurança jurídica, e burocracias desnecessárias que atrasam o nosso crescimento. Precisamos de um ambiente de negócios que incentive o empreendedorismo, que gere mais oportunidades. E trabalharemos por isso. P. Como será o relacionamento da Abras com as associações estaduais de Supermercados? As associações estaduais de Supermercados são uma ponte entre a ABRAS e os estados brasileiros. Possuem papel fundamental no fortalecimento do setor Supermercadista e na representatividade da ABRAS no País. Fui presidente da Associação Paulista de Supermercados (APAS) e sei o quanto é importante o relacionamento próximo da ABRAS com as estaduais. E quero fortalecer essa união tentando dar respostas rápidas às demandas das estaduais. P. Quais as principais mudanças verificadas durante a Pandemia no comportamento do consumidor que 24 | REVISTA SUPERMERCADOS

devem persistir na Pós-Pandemia e para as quais os Supermercadistas devem ficar atentos? O consumidor está mais cauteloso e optando por locais com menos aglomeração e mais segurança para fazer suas compras, e enquanto não tivermos uma vacinação em massa isso deve continuar. Entre as mudanças mais significativas geradas pela pandemia está a inclusão de novos canais na rotina de compra da população, que agora busca fazer o abastecimento em mercadinhos de bairro e pequenos varejos para evitar aglomeração. Além do crescimento expressivo do mercado digital englobando todos os formatos (aplicativos e sites de Supermercados). Esse movimento tem revolucionado a relação dos consumidores com as marcas e produtos, e veio para ficar. P. O Presidente da Agos, Gilberto Soares da Silva, foi reeleito para um novo biênio à frente da entidade. Qual a mensagem que o Senhor deixaria para ele e para os Supermercadistas goianos? O setor Supermercadista goiano está ganhando cada vez mais força e representatividade no País, e isso se deve ao trabalho da Associação Goiana de Supermercados (AGOS). Sabemos que não é fácil manter uma entidade de classe ativa e em desenvolvimento, os obstáculos e desafios na luta por um setor mais forte e empreendedor são enormes. Eu tive a oportunidade de acompanhar o trabalho inspirador do Gilberto. Ele é muito ativo e determinado, interessado nos problemas dos Supermercadistas e dos seus associados. Desejo muito sucesso no novo biênio, e que ele possa dar continuidade ao relevante trabalho que já vem desempenhando à frente da entidade, fortalecendo a união dos empresários Supermercadistas em prol da evolução do setor no estado. Uma AGOS forte é também uma ABRAS mais forte.


R E U N I R P ES S OA S

REALIZAR D E S E J O S

A L I M E N TA R GERAÇÕES

Essa é a nossa missão ao abastecer a cidade com a cristalalimentos.com.br/nossajornada

/cristalalimentos

@cristalalimentos

REVISTA SUPERMERCADOS | 25


Fotos: Marcos Souza

POSSE DO PRESIDENTE

AGOS PARTICIPA DA POSSE DO PRESIDENTE DA ABRAS EM BRASÍLIA O novo presidente da ABRAS, João Galassi, ressaltou a importância das associações estaduais, que ele chamou de “pilares” na sua gestão

26 | REVISTA SUPERMERCADOS


O Presidente da Agos Gilberto Soares participou no dia 15 de dezembro, juntamente com alguns integrantes da Diretoria da Agos, da Cerimônia de Posse do novo Presidente da Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS), João Galassi, para o biênio 2021/2022. Além do Presidente da Agos, a comitiva contou com a participação de Lázaro Jorge Soares e de Júlio Cesar da Silva, da Agos. Também foram à Brasília para prestigiar a posse do novo Presidente da Abras, os Supermercadistas, Fernando Viandelli, José Elias, Valdecir Luciano e Carlos Henrique. Ainda estavam presentes na cerimônia, os advogados da Agos, Reginaldo Vasconcelos, Fabrício Caldeira, Wellington Romanhol e Ranniery Romanhol. O novo presidente da ABRAS, João Galassi, ressaltou em seu pronunciamento a importância das associações estaduais, que ele chamou de “pilares” na sua gestão. “Um associativismo é fundamental para um setor mais forte e empreendedor”, disse. Como ex-presidente de uma associação estadual, a APAS, ele reconheceu o papel dessas entidades no apoio à ABRAS. “Sei do quanto é importante um relacionamento mais próximo das estaduais”, assegurou Galassi.

João Galassi, Gilberto Soares, Glaustin da Fokus e João Sanzovo

No último discurso na gestão, o então presidente, João Sanzovo Neto, no cargo de 2017 a 2020, comentou os desafios pelos quais o setor passou durante seu mandato: a “operação carne fraca”, em 2017; a greve dos caminhoneiros em 2018; e, neste ano, a pandemia do novo coronavírus. “Foram desafios que nos renderam grandes dores de cabeça, mas grandes aprendizados”, comentou. Por outro lado, ele pontuou ganhos do setor no período: a criação da União Nacional das Entidades do Comércio (UNECS), o reconhecimento do setor como atividade essencial; aprovação da reforma da previdência e a possibilidade de diferenciação de preços conforme os meios de pagamentos. O ministro da Economia, Paulo Gudes, prestigiou o evento da Abras. Ele reconheceu a importância do setor Supermercadista, especialmente, neste ano. “O Brasil manteve os sinais de vida na pandemia porque 90% da distribuição de alimentos estão com vocês”, disse Guedes se dirigindo aos Supermercadistas presentes.

Gilberto Soares e o Ministro da Economia, Paulo Guedes

Guedes projetou 2021 como “um ano melhor”. Ele destacou que o país deverá crescer cerca de 4%. Para o ministro, o País já recuperou os empregos perdidos durante o ano. “Fomos atingidos, batemos no fundo do poço, e voltamos em V”, explicou. “Tivemos perda zero de empregos”, disse ele, se referindo à recuperação no segundo semestre de 2020. O Ministério do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, foi outro que participou do evento. Nos seu discurso ressaltou: “o que era a ABRAS e em que ela se tornou hoje?”. Ele enalteceu a relevância do segmento e comparou a força do setor como a de um elefante de espetáculos circenses que fica amarrado a um pé de coentro. “Se ele soubesse a força que tem, não arrastava só o pé de coentro, mas levava abaixo o toldo do circo”, comentou. “Uma força que tem muito a ver com a capacidade de mobilização dos seus líderes”, enalteceu. Comitiva da Agos na posse do novo presidente da Abras REVISTA SUPERMERCADOS | 27


ATUAÇÃO PARLAMENTAR João Galassi, Gilberto Soares, Glaustin da Fokus, João Sanzovo, Eduardo do Prado e Wellington Bessa

MINISTROS DESTACAM PAPEL DOS SUPERMERCADOS NA ECONOMIA NACIONAL Paulo Guedes e Rogério Marinho valorizaram setor na posse do novo presidente da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), João Galassi A resposta ágil dos supermercados foi essencial para tranquilizar a população diante do medo de desabastecimento no início da pandemia de coronavírus. A avaliação é do ministro da Economia, Paulo Guedes, que, nesta terça-feira (15), participou da posse do novo presidente da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), João Galassi, ao lado do ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, do deputado federal Glaustin da Fokus (PSC-GO) e do presidente da Associação Goiana de Supermercados (Agos), Gilberto Soares. “Deixo aqui um cumprimento muito especial a vocês, supermercadistas, porque, se o Brasil manteve os sinais de vida durante essa pandemia, precisamos lembrar que 90% da distribuição de alimentos depende do setor”, disse Guedes, que, em seguida, estimou crescimento de até 4% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional em 2021. “Estamos otimistas e preparados para o desafio. Queremos vacinação em massa e retorno seguro ao trabalho.” Já Rogério Marinho ressaltou a necessidade de estreitar laços com o Poder Legislativo. “Em 2014, a Abras diagnosticou que existiam muito mais projetos de lei prejudiciais do que benéficos ao setor”, recordou o ministro. “Naquele momento, eu disse que o importante era ser propositivo dentro do Congresso Nacional, buscar sinergia com um 28 | REVISTA SUPERMERCADOS

grupo de parlamentares que pensassem de forma parecida e pregassem a desburocratização e a modernização do Estado brasileiro, para superar legislações anacrônicas, bizantinas, ultrapassadas, que prejudicavam e prejudicam a competitividade de quem quer empreender.” Perspectivas Eleito por unanimidade em novembro, Galassi assume o cargo em janeiro de 2021. O novo presidente da Abras defende a volta da comercialização dos medicamentos isentos de prescrição (MIPs), a reforma tributária e a adoção do PIX como forma de pagamento de vouchers, a exemplo do vale-alimentação. Glaustin elogiou o plano de trabalho e se lembrou de seu Projeto de Lei 1774/19, que autoriza supermercados e outros estabelecimentos a vender remédios que não precisam de receita médica. “Esse PL é uma das minhas propostas de maior relevância social, porque beneficia diretamente a população”, expôs. “A proposta facilitaria o acesso a medicamentos em lugares onde não existe farmácia e há uma porta de supermercado sempre aberta, sem falar que indiscutivelmente reduziria o preço dos produtos para os consumidores.” O deputado também integra a Comissão Mista da Refor-


Galassi ressaltou como outras prioridades de seu mandato o fortalecimento institucional e a modernização interna, ao investir em pessoas, processos, tecnologia e estrutura. “Queremos que a Abras se torne referência em associação setorial e amplie a capacitação profissional virtual no setor, reforçando os conteúdos nas áreas social, ambiental e de governança.” Origem Natural de Campinas, interior de São Paulo, o novo presidente da Abras se formou em Administração de Empresas pela Pontifícia Universidade Católica (PUC) e possui MBA em Gestão de Pessoas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Ele iniciou sua carreira empresarial nos negócios da família, contribuindo com o desenvolvimento da rede de Supermercados Galassi, com mais de 50 anos de existência em sua cidade natal. “É uma grande honra presidir a Associação de Brasileira de Supermercados e poder contribuir com o fortalecimento

dessa entidade tão representativa no cenário empresarial do país”, declarou João Galassi. “Assumo esse novo desafio com muita responsabilidade e com o objetivo de trabalhar pela evolução e competitividade do ambiente de negócios no Brasil.” Atual vice-presidente da Abras, o futuro gestor já presidiu a Associação Paulista de Supermercados (Apas), de 2010 a 2014. Como empreendedor, Galassi ainda trabalha nas áreas educacional e de eventos corporativos, além de atuar em conselhos de Administração de empresas de diferentes setores.

ATUAÇÃO PARLAMENTAR

ma Tributária, instalada em fevereiro de 2020 para elaborar um texto de consenso a partir das propostas que tramitavam na Câmara e no Senado. A agenda de reuniões, porém, foi interrompida após a chegada da pandemia de coronavírus. “Agora, para 2021, isso deve ganhar ainda mais prioridade no Congresso Nacional, justamente para que o nosso Brasil se recupere e volte a crescer”, destacou Glaustin.

Representação goianiense Ao lado de Glaustin e Gilberto, o vereador eleito por Goiânia Wellington de Bessa (DC) compareceu à posse de Galassi e se colocou à disposição como outro representante do setor supermercadista, do qual se aproximou em 2019, quando esteve à frente da Superintendência de Proteção aos Direitos do Consumidor do Estado de Goiás (Procon Goiás). Eleito com 3.370 votos, o vereador é advogado e possui graduação em Direito (2007), especialização em Direito do Trabalho e Processo do Trabalho (2008) e mestrado em Direito, Relações Internacionais e Desenvolvimento (2016) pela PUC Goiás. Desde 2010, Bessa é professor do Departamento de Ciências Jurídicas da mesma universidade. Ele também é conselheiro seccional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), com mandato de 2019 a 2021.

REVISTA SUPERMERCADOS | 29


ESTOQUE ENCALHADO

FIQUE DE OLHO NO ESTOQUE E EVITE MERCADORIA ENCALHADA É possível, com medidas simples, minimizar ou, até mesmo, evitar que produtos parados no estoque provoquem prejuízos para os varejistas Mercadoria que gira com facilidade, que não fica parada na gôndola, é o sonho de todo Supermercadista. Na outra ponta, porém, existem as que provocam o desequilíbrio: são as temíveis mercadorias encalhadas. Elas emperram o capital de giro e, ainda, causam prejuízos, isto porque, em função da data de vencimento, mercadorias podem acabar indo parar no lixo. Tudo isso está diretamente associado a um ponto crucial do varejo: a gestão do estoque. O que significa gerir de maneira eficiente o mix da loja e investir nas mercadorias que são bem aceitas e consumidas pelos clientes. Os especialistas asseguram que uma boa administração do giro faz toda a diferença entre sucesso e desacerto no autosserviço. Duas situações provocam as maiores dores de cabeça para o varejista: a aquisição de produtos errados e o superdimensionamento do estoque. 30 | REVISTA SUPERMERCADOS

SETE DICAS PARA MOVIMENTAR ESTOQUE ENCALHADO 1

Procure entender o que fez o produto encalhar

2

Realize promoções para fazer o produtor girar

3

Invista num software de ERP

4

Aproveite a mercadoria encalhada para estimular programas de fidelização

5

Busque o fornecedor para negociar

6

Evite que isso aconteça outra vez

7

Faça doações para entidades beneficentes


Calma, vamos traduzir: significa Sistema Integrado de Gestão. Trocando em miúdos: é um software que faz a gestão integrada da loja, incluindo controle de estoque, departamento financeiro e vendas. Com isso, permite que o varejista faça toda a integração da gestão empresarial de forma automatizada. A conclusão lógica para esta situação: quem ainda não trabalha com o sistema ERP deve colocar esse serviço entre as suas alternativas de gestão empresarial. Contratar este serviço é uma forma colocar o seu negócio em um patamar mais elevado: moderno, dinâmico e acessível a um clique. É um passo rumo a automação gerencial.

Como Minimizar Perdas

Voltando à questão das perdas, uma estratégia para minimizar as perdas é apontada no Blog da Equipe NEX, quando destaca o seguinte: “...os gestores precisam elaborar planos estratégicos para movimentarem esses produtos e operarem com um saldo positivo e com um

capital de giro suficiente.” Uma das ideias apresentadas é fazer promoção para fazer o estoque girar. “Com promoções” – destaca o artigo do Blog – “você conseguirá se livrar daquele estoque que está parado há muito tempo, garantir a entrada de recursos no caixa e otimizar o capital de giro. Além de dar descontos, é importante que a empresa também incentive a venda através de um outro produto, numa espécie de ‘combo’.”

ESTOQUE ENCALHADO

Então, para não cair nessas armadilhas, é necessário conhecer, em detalhes, o perfil e as preferências do seu cliente. Quanto ao estoque, delegue a função para o sistema ERP (sigla em inglês para Enterprise Resource Planning).

Outra ideia apresentada: “Aproveitar as datas comemorativas e as festas de fim de ano também pode ser uma boa ideia para se livrar do estoque sem giro. Vale também fazer com que o comércio participe de dias importantes de venda no país, como o BlackFriday.” Mas se, mesmo com promoções, não conseguir vender os produtos, como fazer? A resposta: “...a melhor alternativa agora é incluí-los como brindes em outras compras.” O artigo conclui, com o seguinte argumento: “Apesar da medida não reduzir os prejuízos e não gerar ganhos financeiros, ela poderá ser uma forma do comércio dizer ‘obrigado’ aos compradores. Isto certamente chamará a atenção do público, o que pode trazer um grande diferencial para o negócio e até estimular novas compras.”

REVISTA SUPERMERCADOS | 31


ARTIGO JURÍDICO

CADASTRO POSITIVO

EMPRESAS PODERÃO CONSULTAR A NOTA DE BOM PAGADOR DO CONSUMIDOR Só serão disponibilizados para análise dados de quem foi contatado por birôs nos últimos meses, por SMS, e-mail ou carta O Cadastro Positivo já é comum em muitos países ao redor do mundo, mas no Brasil ele só ganhou mais visibilidade no ano de 2019. Desde então, muitos questionamentos quanto à sua eficiência vêm sendo levantados, e ele vem dividindo opiniões. O Cadastro Positivo é um banco de dados administrado por empresas privadas homologadas pelo Banco Central, chamadas birôs de crédito. Os bancos e instituições financeiras podem, então, consultar esse banco de dados na hora de conceder crédito às pessoas. As lojas e financeiras passarão a poder consultar a nota de consumidores por meio do Cadastro Positivo. A nota tem como base o histórico de bom pagador do usuário. Os dados poderão ser usados para definir, por exemplo, juros e condições de empréstimos ou parcelamentos solicitados por um cliente. Inicialmente, estarão disponíveis para consulta apenas os dados de quem foi contatado pelas empresas de crédito nos últimos meses, por SMS, e-mail ou carta, sobre a abertura do seu cadastro. Há 60 dias, as empresas que concedem as notas aos consumidores, chamadas birôs de crédito, começaram a receber as informações sobre os usuários. Conforme o SPC Brasil, que começará a disponibilizar as informações, mais de 120 milhões de consumidores já foram notificados. A Serasa Experian apresentará as informações já a partir de sábado. Nesta primeira etapa, entraram no cadastro pessoas que têm crédito nos bancos Itaú, Bradesco, Santander, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal, e em outras 100 empresas. Os consumidores já podem consultar sua nota e histórico financeiro nos sites dos birôs de crédito autorizados pelo Banco Central. Para isso, é preciso fazer um cadastro com e-mail e senha e aceitar um termo de compromisso (veja abaixo em quais sites fazer a consulta). O Cadastro Positivo entrou em vigor em julho de 2019. Trata-se de um banco de dados de consumidores que considera todas as contas já pagas e que ainda vão vencer. Com base nessas informações, os birôs (Serasa, SPC, Boa Vista e Quod) calculam um escore de crédito. A promessa é de que consumidores bem avaliados tenham juros mais baixos. É possível pedir a exclusão do banco de dados. Neste caso, o consumidor será avaliado pelo cadastro negativo, como é hoje. A tendência é de que bancos sejam mais exigentes em conceder crédito a esse consumidor, oferecendo limites de crédito menores ou cobrando juros mais caros.

Por Reginaldo Vasconcelos Assessor Jurídico da Agos 32 | REVISTA SUPERMERCADOS

A única vantagem é a promessa de redução dos custos dos financiamentos para os bons pagadores. As desvantagens que apontamos são as seguintes: Primeiro que, a lei que criou o cadastro positivo não estabeleceu nenhum benefício concreto ao consumidor positivo, como por exemplo, a redução dos juros.


O espumante Conde de Foucauld é a companhia perfeita para quem busca o equilíbrio entre sabor e custo-benefício. Agora, chega ao mercado com novo rótulo: elegante e atrativo, dá uma nova cara para o ponto de venda e encanta os olhos dos consumidores. Verdadeiro embaixador dos momentos de felicidade, o Conde transforma dias comuns em momentos extraordinários.

EXCELENTE CUSTO X BENEFÍCIO IMPULSIONA A VENDA DE OUTROS ITENS

R

O

A COM OR

ÓTU

L

AG

AJUDA A AUMENTAR O TICKET MÉDIO

REVISTA SUPERMERCADOS | 33


TRATAMENTO DE PISO

COMO FAZER O TRATAMENTO CORRETO DE PISO NA SUA LOJA A limpeza da loja, especialmente do piso, é algo muito importante para a imagem do estabelecimento, sobretudo por se tratar de um local que comercializa alimentos Limpeza, asseio, conservação e higiene. Essas expressões ganharam relevância e maior atenção nesse período da pandemia do novo Coronavírus e está no centro das preocupações dos consumidores. Sendo assim, uma questão que sobressaiu nos Supermercados foi a manutenção dos pisos. Ninguém deseja que a loja fique com muitas sujidades e perca clientes para a concorrência, não é mesmo? O Supermercado é um local de grande circulação de pessoas, que recebe a passagem de carrinhos e de maquinário de reposição de estoques. Tudo isso contribui para a geração de problemas como manchas de difícil remoção e a deterioração do piso. Este contato constante provoca o acúmulo de sujidades, o que é normal devido ao fluxo constante de pessoas. 34 | REVISTA SUPERMERCADOS

Para evitar esses problemas, existem empresas no mercado que utilizam a técnica do tratamento de piso. Esse sistema permite: aumento da resistência e durabilidade; maior resistência à abrasão (desgaste causado pelo atrito entre os materiais e o piso); maior brilho; obtenção de propriedades antiderrapantes e diminuição do tempo de manutenção (limpeza diária). De acordo com o diretor da Ki-Jóia Indústria de Produtos de Limpeza, Jaime Canedo, o piso de um Supermercado é uma espécie de cartão de visitas para o cliente. “Quando limpo, o piso dá uma sensação de ambiente saudável e com aspecto de saúde”, explica. Ele recomenda que a limpeza seja feita com grande frequência para que o local mantenha um aspecto bem apresentável aos olhos do cliente.


TRATAMENTO DE PISO

Canedo comenta que alguns departamentos da loja devem ter mais atenção, tais como o FLV (frutas e verduras), padaria e açougue. “É muito importante que estes ambientes estejam permanentemente limpos”, opina. Para isso, ele defende que a loja tenha uma pessoa encarregada para verificar a limpeza do piso: “Sujou, limpa de imediato”, orienta. Ele também defende que se usem sempre produtos de limpeza compatíveis com o tipo de piso, para evitar uma maior deterioração. E dependendo do estado do piso, às vezes é necessário ter que trocá-lo. Canedo também chama atenção para outro aspecto: a iluminação. “Se a iluminação da loja não for boa, ela não reflete a beleza e a qualidade do piso”, argumenta para concluir: “limpeza hoje é sinônimo de saúde”. Outro que chama a atenção para o tratamento de pisos é o Supervisor Comercial da Exímia Industrial (do grupo Zuppani), Antônio Carlos. Esse sistema, segundo explica, proporciona economia em escala, além de proteger o patrimônio contra os desgastes do tempo, proporcionando uma maior vida útil do piso. Antônio Carlos explica que o tratamento correto de piso deve contemplar três etapas: remoção, selagem e impermeabilização. “Esse processo garante uma maior proteção aos pisos e ainda facilita o trabalho da equipe de limpeza do Supermercado durante o processo de higienização do piso que é feito ordinariamente, ou seja, no dia-a-dia”, conclui.

Jaime Canedo, diretor da Ki-Jóia Indústria de Produtos de Limpeza

REVISTA SUPERMERCADOS | 35


Agos e Embaixada da Indonésia Estudam Criar Canal de Compras O presidente da Agos Gilberto Soares recebeu, em 25 de novembro, o embaixador da Indonésia, Edy Yusup. A visita na sede da entidade teve o intuito de estabelecer um possível canal de compras de produtos com qualidade e preço acessível, vindos direto da Indonésia. “A Agos, que é a casa do Supermercadista goiano, fica feliz em receber a todos, com essa busca por diálogo comercial. Tudo isso é muito sadio para ambas as partes” destacou o presidente da Agos. O embaixador da Indonésia veio acompanhado do Cônsul Honorário da República da Indonésia em Santa Catarina, Luiz Carlos Barravieira Júnior e do Diplomata da Seção Econômica, Sr. Ibnu Swantoro. Também estava presente na reunião o presidente da Associação dos Distribuidores

e Atacadistas do Estado de Goiás – ADAG, José Luiz Bueno. Além da possibilidade da entrada de produtos da Indonésia no mercado varejista goiano, também foi discutido a possibilidade de ser feito uma logística reversa a fim de diminuir os custos com frete e demais encargos. Ao final da conversa, o embaixador convidou o presidente da Agos para fazer uma visita de cortesia na Indonésia, para conhecer as empresas e todo o sistema comercial que está instalado no país asiático. Por parte da Agos foi estendido o convite para que as empresas da Indonésia participem da próxima SuperAgos que deve acontecer no segundo semestre de 2021.

Embaixador da Indonésia, Edy Yusup e o Presidente da Agos, Gilberto Soares

Agos Participa de Inauguração da Câmara de Arbitragem O presidente da Agos, Gilberto Soares, participou em 3 de dezembro, na Associação Comercial, Industrial e de Serviços do Estado de Goiás (Acieg), da inauguração da Câmara de Arbitragem e Mediação (CAM – Acieg). Trata-se de uma instituição privada que busca auxiliar o pequeno e médio negócio na solução extrajudicial dos seus conflitos. Para cumprir esses objetivos administra procedimentos de conciliação, mediação e arbitragem, envolvendo as questões empresariais. A Câmara funcionará de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h, na sede da Acieg, na Rua 14, 50, Setor Oeste. 36 | REVISTA SUPERMERCADOS

Rangel Francisco Pinto, Presidente CRC; Uilson Manzan, Presidente ACIC; Rubens Fileti, Presidente Acieg; Gilberto Soares, Presidente da Agos; Renan Santos, Diretor da Acieg e Fernando de Paula Ferreira, Diretor Executivo de Governança Corporativa do Sebrae/GO


O Presidente da Associação Goiana de Supermercados – Agos, Gilberto Soares fez uma visita de cortesia na Secretaria da Economia na segunda-feira (14/12). Na Ocasião, o presidente da Agos foi recebido pela Secretária da Economia, Cristiane Schimidt. Estavam presentes também na reunião, o Presidente da Adag, José Luiz Bueno, o Vereador eleito por Goiânia e Ex Superintendente do Procon Goiás, Wellington Bessa (DC) e o Deputado Federal, Glaustin da Fokus (PSC). No encontro foram tratados assuntos pertinentes ao setor, e também foram apresentados à secretária da economia, números que demonstram a relevância do setor supermercadista em Goiás.

AGOS EM AÇÃO

Presidente da Agos faz visita de cortesia na Secretaria da Economia acompanhado de parlamentares

Presidente da Agos, Gilberto Soares; Secretária da Economia de Goiás, Cristiane Schimidt, Deputado Federal, Glaustin da Fokus e Vereador eleito por Goiânia, Welington Bessa.

REVISTA SUPERMERCADOS | 37


SÓCIO-COLABORADOR

Suco Prat’s (62) 3926-0052 narcisoscarinci@gmail.com

BomLixo Fone: (62) 3295-7256 mcarneiro@mcarneiro.com.br

So� Tec Automação Fone: (62) 98169-5371 helder@so�tecsistemas.com.br

Qualityservice Fone: (62) 98257-1741 qualytservice@gmail.com

Congel Contabilidade Fone: (62) 4006-5353 congel@congelcontabilidade.com.br

Riboli Representações Fone: (62) 3247-1066 ribolirepresentacoes@hotmail.com

HCM Representações Fone: (62)3212-3679 fa�ma@hcm.com.br

Total Strategy Fone: (62) 99908-7842 contato@totalstrategy.com.br

Goiás Carrinhos Fone: (62) 3249-4937 goiascarrinhos@gmail.com

Focus Contabilidade de Supermercado Fone: (21) 3856-4273 empresarial@focuscontabil.com

Araguaia Guindastes e Contêineres Fone: (62) 3297-5522 comercial@grupocastelao.com.br

Layout do Varejo Fone: (62) 99904-1075 diretoria@layoutdovarejo.com.br

Assaí Atacadista Vila São João / St. Central / Pq. Amazônia / Jd. Europa www.assai.com.br

Costa Atacadão Jd. Goiás / Pedro Ludovico / Valparaíso de Goiás Fone: (62) 3412-0808 h�p://costa.economizebr.com.br

Ap. de Goiânia / Rodovia dos Romeiros GO 060 Fone: (62) 3209-9326 (062) 3589-1001 h�p://www.atacadao.com.br/

Atacadão Dia a Dia Novo Horizonte / Chácara Rio Branco Fone: (62) 4009-4710 gerencia.gynbal@atacadaodiaadia.com.br

Prowa� Engenharia Fone: (62) 98237-1771 romulo.prowa�@gmail.com

Pelos Bares da Vida Fone: (62) 3241-8181 baresdavida@terra.com.br

Accert Saúde Fone: (62) 3941-3556 fredbbarros@gmail.com

Sr. Food Safety Fone: (62) 3289-2224 wanderson@foodsafety.com.br

Bf Foods (Bonaboca) Fone: (62) 3954-6666 www.bonaboca.com.br

Express E�quetas Fone: (62) 99610-0021 www.expresse�quetas.com.br

Haskell Fone: (62) 3954-0989 comercial@rctoledo.com.br

Foco Consultoria Fone: (62) 3085-4233 fernando@fococonsultoriasso.com.br

Fiscale Soluções Empresariais Fone: (62) 3095-7927 www.fiscalesolucoes.com

38 | REVISTA SUPERMERCADOS


REVISTA SUPERMERCADOS | 39


40 | REVISTA SUPERMERCADOS

Profile for Agos

Revista Supermercados - Edição 191 (Dezembro 2020)  

Revista Supermercados - Edição 191 (Dezembro 2020)  

Profile for agos-go
Advertisement