Booklet Informativo - Plantar o Futuro'19

Page 1

by AGORAAVEIRO


agoraaveiro.org


O que é a Agora Aveiro? A Agora Aveiro é uma associação de jovens que trabalha na promoção da cidadania ativa e participativa. Acreditamos que para que as mudanças surjam, temos de as fazer acontecer. Questionamos paradigmas, mudamos mentalidades e, mais importante, atuamos na comunidade. Mantendo um espírito crítico, inspiramo-nos no mundo, combatemos o conformismo e concretizamos ideias com impacto. Desafiamos a comunidade a tornar-se uma força catalisadora de transformação do mundo à sua volta.

O que fazemos? Na Agora Aveiro desafiamos cada um de nós a ser um elemento de mudança. Para isso incentivamos o desenvolvimento de uma atitude crítica, proativa e criativa. Criamos pontes e ligações e juntamos o potencial de cada um dos elementos da sociedade. Fortalecemos sinergias e colaborações entre associações, instituições de ensino, entidades públicas, empresas e tecido comercial em torno de um objetivo comum, a mudança. Apoiamos causas sociais, promovemos a sustentabilidade, divulgamos arte e cultura e intervimos nas ruas da nossa cidade. Fazemos a mudança acontecer!


O Projeto Organizado pela Associação Agora Aveiro em colaboração com a Universidade de Aveiro e o Município de Estarreja, o “Plantar o Futuro” assenta na ideia de que pequenas ações podem ter um grande impacto e de que se cada um de nós plantar uma árvore um dia conseguiremos ter uma floresta. O projeto constitui-se como um movimento pela defesa e promoção da floresta autóctone e do seu valor na mitigação das alterações climáticas, resiliência contra incêndios, regulação e melhoria do clima e conservação da biodiversidade. Este projeto é a expansão do “Biologia a Plantar o Futuro”, uma iniciativa que nasceu por vontade dos alunos de Biologia da Universidade de Aveiro, em 2014. Desde então já foram plantadas milhares de árvores na Mata do Buçaco, Albergaria-a-Velha, Lousada e, neste último ano, Estarreja, contribuindo, igualmente, para a sensibilização de centenas de alunos universitários. Este ano desafiamos todos os novos alunos da Universidade de Aveiro a fazer parte deste movimento! A receber e apadrinhar uma árvore nativa, cuidar dela e plantá-la, ajudando a recuperar a floresta autóctone portuguesa. Chegou o momento de ajudares a floresta. Faz crescer esta ideia!


Informação aos participantes As necessidades de exposição solar e de regularidade de rega da planta variam de espécie para espécie. No booklet estão reunidas todas essas informações; A rega não deve ser excessiva! Podes verificar-se se a terra está ou não molhada enterrando os dedos na terra (3−4 cm). Deve escorrer-se o excesso de água antes de voltar a colocar o vaso no prato; No caso de aparecerem ervas ao redor da planta, estas devem ser removidas; A árvore não pode ser podada nem cortada; Deves evitar manter a árvore exposta a condições climatéricas desfavoráveis (ondas de calor, chuva excessiva, noites de geada, etc.); Se ainda tiveres questões deves consultar a secção Questões Frequentes (FAQ's) deste booklet; Poderás contactar-nos através da Página de Facebook do projeto (fb.com/plantarofuturo) ou através do email plantarofuturo@ua.pt.



amieiro Alnus glutinosa

(L.) Gaertn.

Folha

Caduca

Porte

Altura até 30m Raio da copa até 5m

Longevidade

Entre 100 a 150 anos

Ecologia

Adaptável a vários climas, prefere margens de cursos de água, vales, e outros locais húmidos. Tolera longos períodos de encharcamento do solo e grandes variações de temperatura. Apresenta um crescimento rápido. Fonte de alimento para borboletas e pássaros

Curiosidades

Grande valor ecológico. Benéfica para a agricultura ao fixar azoto no solo. Ótima opção para formar barreiras corta-vento e enriquecer limites agrícolas ou de cursos de água. Madeira com valor comercial. A casca possui propriedades antisséticas e anti-inflamatórias

Polinizador

Vento

Sol

Gosta de exposição solar, podendo crescer sem sombra ou em semi-sombra

Solo

Solos frescos, húmidos a molhados, e semi-compactos



carvalho-alvarinho Quercus robur L.

Folha

Caduca

Porte

Altura até 45m Raio da copa até 15m

Longevidade

Mais de 600 anos

Ecologia

Encontrado em florestas de clima temperado, oceânico. Resiste à seca assim que estabelecido. Necessita de humidade ambiental. É fonte de alimento para muitas larvas de borboletas e habitat de muitas espécies de insetos. Tem um sistema radicular profundo

Curiosidades

Tem enorme importância ecológica, e desempenha um papel importante na proteção contra incêndios. Tem um longo historial de usos medicinais e a sua madeira tem um grande valor comercial. Existem exemplares desta espécie com mais de 1000 anos

Polinizador

Vento

Sol

Esta árvore gosta de exposição solar. Pode crescer sem sombra ou em semi-sombra

Solo

Prefere solos profundos, húmidos ou molhados e soltos. Evitar solos áridos



choupo-negro Populus nigra

L.

Folha

Caduca

Porte

Altura até 30m Raio da copa até 10m

Longevidade

Mais de 100 anos

Ecologia

Cresce na margem de cursos de água. Tolera a secura atmosférica e ventos fortes. Apresenta crescimento rápido e possui um sistema radicular agressivo. É importante para muitas espécies de borboletas

Curiosidades

A parte interior da casca pode ser utilizada como alimento de último recurso. A casca dos seus ramos possui propriedades medicinais no tratamento da febre, reumatismo e bronquite. A casca do tronco é usada para tratar frieiras e feridas infetadas. A madeira é utilizada para construção

Polinizador

Vento

Sol

Esta árvore gosta de muita exposição solar, não pode crescer à sombra (colocar junto da janela)

Solo

Arejados e húmidos (não encharcados)



freixo Fraxinus angustifolia Vahl

Folha

Caduca

Porte

Altura até 35m Raio da copa até 6m

Longevidade

Cerca de 200 anos

Ecologia

Encontram-se na margem de rios e cursos de água nas zonas mais quentes do território. Precisa de humidade ambiental abundante. É muito resistente ao frio e ventos, contudo é afetada pelo ar costeiro. Tolera poluição atmosférica

Curiosidades

A madeira é resistente e elástica. Utilizada para fabrico de marcenaria e cabos de utensílios. As suas folhas estreitas possuem grande interesse ornamental, servem de alimento para o gado, e usam-se em acessos reumáticos e artríticos

Polinizador

Vento

Sol

Gosta de muita exposição solar e não pode crescer à sombra (colocar junto da janela)

Solo

Prefere solos secos ou húmidos, profundos e soltos



salgueiro-branco Salix alba L.

Folha

Caduca

Porte

Altura até 25m Raio da copa até 5m

Longevidade

Cerca de 100 anos

Ecologia

Necessita de humidade permanente no solo e não resiste a temperaturas extremas, razão pela qual se encontra nas margens dos cursos de água. Tem um crescimento rápido e possui um sistema radicular agressivo. Importante para muitas espécies de borboletas e abelhas

Curiosidades

É muito útil na fixação de margens de ribeiras. A sua madeira é de boa qualidade. Os ramos são usados para cestaria. A casca possui propriedades medicinais – origem do princípio ativo da aspirina, ácido salicílico

Polinizador

Abelhas

Sol

Gosta de muita exposição solar e não pode crescer à sombra (colocar junto da janela)

Solo

Prefere solo húmido ou molhado


Questões Frequentes (FAQ's)

Agora que recebeste uma árvore, tens a missão de cuidar dela até à sua plantação. Neste espaço poderás encontrar algumas dicas e conselhos para que tenhas sucesso nesta importante tarefa que ajudará a nossa floresta.

A rega

Em primeiro lugar, procura no booklet a espécie da tua planta e informa-te sobre os cuidados a ter. Para que não te esqueças de regar a tua árvore, escolhe os dias da semana em que tens que a regar e tenta fazê-lo sempre nesses dias. Apesar disso, esta pode necessitar de mais ou menos água, conforme o tempo. Deves verificar regularmente se a terra está húmida ou não. A rega não deve ser excessiva, podes verificar se a terra está molhada enterrando os dedos na terra (3−4 cm). Deves deixar escorrer o excesso de água antes de voltar a colocar o vaso no prato.


O local

A tua planta precisa de um local seguro e com boas condições para crescer. No booklet podes encontrar infomação sobre a exposição solar que a árvore necessita. Evita manter a árvore exposta a condições climatéricas desfavoráveis (zonas muito ventosas, ondas de calor, chuva excessiva, noites de geada, etc…). Caso tenhas animais domésticos deves manter a árvore num local de difícil acesso a eles, pois podem danificar a árvore num momento de brincadeira ou curiosidade.

A árvore

Toma atenção à árvore regularmente, pois esta pode ficar doente ou ter espécies invasoras ao seu redor. No caso de aparecerem ervas no vaso junto com a árvore deves removê-las. Não cortes a árvore em algum momento pois ela está em crescimento. Consulta o booklet para saberes mais informações sobre possíveis doenças que a árvore possa ter, de modo a precaveres-te e poderes ajudá-la o quanto antes.


Possíveis problemas Pestes ou infeções

Padrões assimétricos de manchas castanhas, buracos, limites mordiscados, bolor ou mofo Deves remover as folhas afetadas e todos os insetos visíveis. Lavar folhas e caules com água corrente

Excesso de água

Folhas descaídas, murchas, amarelas, suaves e maleáveis Deves regar menos vezes, e drenar bem o excesso de água

Falta de água

Pontas das folhas castanhas e bordos ou folhas “estaladiças” Deves regar mais vezes, mas não te esqueças de remover o excesso de água


Falta de luz

Folhas desbotadas e pálidas com tendência a cair, os rebentos ficam frágeis Deves mover a planta para próximo de uma janela ou um espaço aberto com luz solar direta

Pouca humidade

Nervuras castanhas e folhas a cair Deves mover a planta para um local mais húmido, mas com luz direta e pulverizar com água

Se qualquer um dos sinais persistir, deverás contactar-nos através do email plantarofuturo@ua.pt


Invasoras mimosa Acacia dealbata

Link. outros nomes vulgares: acácia-mimosa, acácia-das-cabras, bichaneiras

Tipo Proveniência

Árvore perenifólia Sudeste da Austrália e Tasmânia

Principais problemas/ impactos É considerada uma das piores espécies invasoras em ecossistemas terrestres em Portugal continental. Forma povoamentos muito densos impedindo o desenvolvimento da vegetação nativa, diminuindo o fluxo das linhas de água e agravando alguns problemas de erosão. Tem efeitos alelopáticos, impedindo o desenvolvimento de outras espécies. Principais habitats afetados Florestas de amieiro, salgueiro, carvalho, sobreiro, ulmeiro, freixo e choupo. Cursos de água de margens vasosas.

austrália Acacia melanoxylon

R. Br. outros nomes vulgares: acácia-das-cabras, acácia-da-austrália

Tipo Proveniência

Árvore perenifólia Sudeste da Austrália e Tasmânia

Principais problemas/ impactos Forma povoamentos muito densos impedindo o desenvolvimento da vegetação nativa. Alteração do solo. Principais habitats afetados Florestas de amieiro, salgueiro, carvalho, sobreiro, ulmeiro, freixo e choupo. Cursos de água de margens vasosas.


jacinto-de-água Eichhornia crassipes

(Mart.) Solms outros nomes vulgares: lírio-de-água

Tipo Proveniência

Erva aquática América do Sul

Principais problemas/ impactos É considerada uma das piores invasoras aquáticas do mundo. Forma tapetes que podem cobrir totalmente a superfície da água levando à alteração do ambiente aquático. Diminui a qualidade da água, a biodiversidade (fauna e flora aquáticas), a luz disponível e o fluxo de água, e aumenta a eutrofização. Principais habitats afetados Lagos, lagoachos, regolfos de barragens e canais de irrigação.

erva-gorda Arctotheca calendula Tipo Proveniência

(L.) Levyns

Erva anual África do Sul

Principais problemas/ impactos O crescimento vegetativo rápido leva à formação de tapetes impenetráveis que podem impedir o desenvolvimento da vegetação nativa. Considerada tóxica para mamíferos. Principais habitats afetados Locais arenosos e áridos, áreas perturbadas, dunas costeiras, áreas de cultivo e jardins.


acácia-bastarda

Robinia pseudoacacia L. outros nomes vulgares: lacácia-de-flores-brancas, robínia, falsa-acácia Tipo Proveniência

Árvore caduca América do Norte

Principais problemas/ impactos Pode formar povoamentos densos monoespecíficos (por vezes formam um enorme clone ligado pelo sistema radicular) impedindo o desenvolvimento de espécies que precisam de sol. Produz muita folhada rica em azoto, que promove a alteração do solo. Compete com as espécies nativas pelos polinizadores. Principais habitats afetados Florestas de amieiro, salgueiro, carvalho, sobreiro, ulmeiro, freixo e choupo.

erva-das-pampas Cortadeira selloana

(Schult. & Schult.f.) Asch. & Graebn. outros nomes vulgares: penachos, paina, penacheiro, penacho-branco, plumeira

Erva perene Tipo América do Sul tropical Proveniência Principais problemas/ impactos Cresce vigorosamente e forma aglomerados densos que dominam a vegetação herbácea e arbustiva, criam barreiras à circulação da fauna e utiliza os recursos disponíveis para outras espécies. As folhas cortantes podem causar ferimentos nas pessoas. Principais habitats afetados Dunas.


figueira-do-inferno Datura stramonium

L. outros nomes vulgares: erva-do-diabo, erva-das-bruxas

Tipo Proveniência

Erva ou subarbusto anual Sul da América Tropical

Principais problemas/ impactos As pequenas plantas estabelecem-se rapidamente e formam grandes tapetes que ensombram a vegetação circundante graças às folhas de grandes dimensões. Tem efeitos alelopáticos, impedindo o desenvolvimento de outras espécies. Todas as partes da planta, e em especial as sementes, são muito tóxicas e podem ser fatais se ingeridas por humanos e outros animais. Principais habitats afetados Terrenos cultivados, zonas rurais e descampados.

espanta-lobos Ailanthus altissima

(Mill.) Swingle outros nomes vulgares: ailanto, árvore-do-paraíso

Árvore caducifólia Tipo Ásia temperada (China) Proveniência Principais problemas/ impactos É uma das espécies invasoras mais agressivas em Portugal continental. Pode formar povoamentos densos impedindo o desenvolvimento da vegetação nativa. Tem efeitos alelopáticos, impedindo o desenvolvimento de outras espécies. Causam alergias. Principais habitats afetados Florestas de amieiro, carvalho-alvarinho, salgueiro e choupo.


acácia-de-espigas Acacia longifolia

(Andrews) Willd. outros nomes vulgares: acácia-de-folhas-longas, acácia-das-praias

Tipo Proveniência

Arbusto ou pequena árvore perene Sudeste da Austrália

Principais problemas/ impactos É uma das espécies invasoras com maiores impactes nos ecossistemas dunares. Forma povoamentos muito densos impedindo o desenvolvimento da vegetação nativa, diminuindo o fluxo das linhas de água. Principais habitats afetados Dunas, galerias e matos ribeirinhos e cursos de água de margens vasosas.

bons-dias Ipomoea indica Tipo Proveniência

(Burm.) Merr.

Trepadeira perene Zona tropical da América do Sul, Ásia e Havai

Principais problemas/ impactos Forma tapetes impenetráveis que cobrem árvores, arbustos e outras espécies provocando a sua morte, e impedindo o desenvolvimento da vegetação nativa. Principais habitats afetados Florestas de salgueiro.


tintureira

Phytolacca americana L. outros nomes vulgares: fitolaca, vinagreira, uva-dos-passarinhos, baga-moira Tipo Proveniência

Erva de grande porte América do Norte

Principais problemas/ impactos Impede o desenvolvimento da vegetação nativa. Tem efeitos alelopáticos, impedindo o desenvolvimento de outras espécies. Algumas partes da planta (caules, folhas, frutos) são tóxicas sendo, por isso, nocivas para animais. Principais habitats afetados Habitats ruderais e perturbados, campos agrícolas e margens de vias de comunicação. Também invade habitats seminaturais.

figueira-da-índia Opuntia maxima

(L.) Mill. outros nomes vulgares: babosa, figueira-do-diabo, piteira, tuna, figueira-tuna, figueira-palmeira

Tipo Proveniência

Arbusto suculento Parte tropical da América

Principais problemas/ impactos Forma povoamentos densos, impenetráveis, que impedem o desenvolvimento da vegetação nativa e a presença de animais. Os espinhos das folhas impedem a presença de animais. Principais habitats afetados Falésias, dunas e vertentes rochosas.


Organizador:

Co-organizadores:

Golden Sponsor:

Silver Sponsors:

Partners:

Este projeto ĂŠ cofinanciado por:

UNIĂƒO EUROPEIA


“Se cada um de nós plantar uma árvore, um dia teremos uma floresta”

Edição e Design Associação Agora Aveiro Revisão Científica Departamento de Biologia da Universidade de Aveiro Produção Universidade de Aveiro


agoraaveiro.org


Millions discover their favorite reads on issuu every month.

Give your content the digital home it deserves. Get it to any device in seconds.