Page 1


“Naquela Época A Gente Tinha Mais Esperança”

Edith Elfrida Winckler Antunes

João Renato Filgueira | Da redação

E

sperança. É esse o termo que descreve a saudade do passado que sente a professora Edith. Com um grande carisma e bom humor, essa senhora, recebeu nossa equipe e contou um pouco desses brilhantes anos meio a nossa princesinha. O cenário revelava uma mente culta, olhos que já leram várias obras e uma fonte de conhecimento a ser ouvida. Nascida em 1928 na cidade vizinha (Pedro Juan caballero, PY), descendente de suiços, mãe de 6 filhos (4 professores, 1 fisioterapeuta e 1 engenheiro), conta-nos que estudou no Paraguay e foi atleta do time de volei da cidade. Questionada sobre como foi sua trajetória

pela faculdade; ela respondeu que fazia faculdade de férias fora da cidade. Uma de suas filhas se formou primeiro que ela “eu estudei quando ja era casada, já tinha filhos... era muito sacrificado”. Começou a lecionar em Amambai no ano de 1947. Em 1950 retorna a Ponta Porã e continua lecionando na escola Batista e assim foi até 2003. Sua boa memória e cuidado com os detalhes encantam quem ouve sua narração de vida. O mais admirável é ver que, apesar do tempo, continua com suas tarefas diárias normalmente e em suas horas livres dedica-se a leitura biblica. Um grande exemplo para muitos.


Trajetória

de um pontaporanense memorável

Ramão Ney Magalhães

N

asceu em Ponta Porã - 25 de agosto de 1935. Com vocação para as lides rurais, após o curso Ginasial no colégio Dom Bosco de Campo Grande e o Colegial no Rio de Janeiro, alcançou o Campus de Florestal da Universidade Federal Rural de Viçosa-MG. Recebendo a graduação de Técnico Agrícola em Ciências Agrárias. Após estágio em Assistência Técnica e Extensão Rural na CAMIG-Companhia Agrícola de MG e na ACAR-MG, retornou a Ponta Porã em 1958. No setor do “agro” exerceu além de produtor rural e ervateiro, entre outras, as funções de Fiscal/Avaliador da Carteira Agrícola do Banco do Brasil/Ag. Ponta Porã-1959-72 – Presidente da Associação Rural de Ponta Porã - Presidente da Cooperativa Mixta Agro-Pec./ Fundador e Presidente do Sindicato Rural – Fundador e Diretor da FAMASUL. Fundador e Presidente da Comissão Org. da 1ª. EXPOINTER.Funções Governamentais: Ass. Sec. da Agric MT-Governo P.Pedrossian/ 1966. Assessor Casa Civil-Sb-Chefía-MS-Gov.P.Pedrossian/1980.

Delegado Federal do Ministério da Agricultura-MS/1987-89. Atividades sociais: Presidente da Sociedade Beneficente Santa Izabel. Atividade atual: Produtor Rural/Agricultura e Pecuária.


“A característica marcante da cidade sempre foi a amizade entre as famílias...”

Hedy Monteiro Magalhães

N

asci em Dourados, distrito emancipado do Municipio de Ponta Porã por isso considero-me uma douradense fronteiriça. Tendo como cidade gêmea Pedro Juan Caballero a Capital do Norte Paraguayo, Ponta Porã sempre teve o “glamour” de uma sociedade eclética, e apresentava o melhor Carnaval do Estado e o maior brilho nas datas festivas nacionais. A caracteristica marcante da cidade sempre foi a amizade entre as famílias e o relacionamento da juventude. O esporte de quadra, principalmente o voleybol é uma lembrança marcante. O Clube de Campo São Carlos um ponto de encontro semanal que deixou saudade. O Gremio Luz e Recreio, o União Tenis Clube e o Clube Social Amambay com seus grandes bailes marcaram minha juventude. Ponta Porã comemora neste 2012 o Primeiro Centenário oficial de sua existência. Sempre hospitaleira e acolhedora tem hoje uma população sui-ge-

neris composta por todas as raças. Assim apresento meus votos de carinho e desejos de sucesso na continuidade de um futuro promissor.


EDITORIAL

Ponta Porã 100

anos de vida e histórias vividas FOTO: GUILHERME CUNHA

edição especial ponta porã 100 anos

Ágil O guia da fronteira EXPEDIENTE Projeto Gráfico VENTURA BRASIL Editoração, diagramação e arte final: CLAUDIA TORRES calonga

“Quem nasce em Ponta Porã, fala o guarani… Eu tive a felicidade de nascer aqui…” Trecho da música Serenata Ponta Porã.

P

onta Porã completa 100 anos de Emancipação Política e Administrativa. Costumo dizer que o município alcança a maturidade quando completa seu Centenário, tempo de rever e corrigir erros e equívocos, avaliar seu processo histórico e buscar soluções para antigos problemas. Um povo que não valoriza a sua história, não esta preparado para viver seu presente e preparar o seu futuro. Ao completar cem anos de forma institucionalizada, pois sua história antecede a este marco, de intensa diversidade sócio-cultural e construção histórica, com registros marcantes que fazem parte da história do país e ajuda a entender a construção de uma comunidade voltada para sólida integração com o país vizinho Paraguai. É tempo de valorizar cada momento vivenciado pela sua gente, que oriundos do sul, leste, norte e oeste do Brasil e de países orientais e ocidentais, optaram em

fincar as suas raízes e costumes na fronteira. Tornando esta parte do globo um modelo de convivência pacifica, mesmo em meio a tantas diferenças raciais. Das ruas estreitas feitas há décadas atrás, ao progresso desenfreado de carros e motos que circulam de forma acelerada pelas ruas e avenidas centrais, confundindo turistas e visitantes que não entendem onde começa o Brasil e onde termina o Paraguai. De sua forte vocação para o turismo de compras ao seu fortalecimento econômico, que permite o desenvolvimento, com trilha sonora própria e ritmo harmonioso, da sua densa e charmosa neblina, clima particular visto em poucas regiões do planeta, riqueza natural que precisa ser valorizada como marco. Em seu centenário vamos comemorar, mas também refletir, aprender e planejar, para termos uma sociedade cada vez mais humanizada. Felicidades Ponta Porã.

Eder Rubens, Diretor de Cultura da FUNCESPP, Radialista comanda o Programa Sábado Alternativo pela NOVAFM 96,9, sendo membro atuante do Conselho Municipal de Cultura.Mas acima de tudo um cidadão pontaporanense.

Fotos, arte final e reportagens especiais: JOÃO RENATO FILGUEIRA Colaboradores: Alice tôrres Carla Caroline Kapusniak Sandra Mareco eder rubens (editorial) Renato Romero Ribeiro Tiragem 10000 EXEMPLARES Circulação Amambai, Coronel Sapucaia, Água Clara, Maracaju, Campo grande, Dourados, Bonito, Três Lagoas, Cuiaba - MT. DISTRIBUIÇÃO GRATUITA PUBLICAÇÃO BIMESTRAL Contato guiaagildafrontera@gmail.com BR - (67) 91207327 (67) 81226846 PY - (0976-829497)

/agilOguiadafronteira As informações contidas neste guia provém de várias fontes. embora todos os esforços de checagem tenham sido feitos, a Ágil não assume nenhuma responsabilidade civil por danos de qualquer tipo causado por erros ou omissões. Fotos utilizadas nesta edição que foram cedidas pelos estabelecimentos são de responsabilidade legal dos mesmos. É terminantemente proibido, sem limitações, reproduzir qualquer mapa, texto ou material contido nesta publicação.


O que a população deseja a ponta porã Maria Inês Barbosa Costureira

“ Espero melhoras para nós. Ponta Porã hoje está boa e esperamos que a cada vez melhore mais daqui para a frente”.

Jorge Domingues Comerciante

“A cidade esta boa. Desejo sucesso e progresso”.

Maria Aracy Sanches Bacharel em direito

Marcos Duartes Lopez Estudante

“ Espero que melhore mais a cada dia que passa. Que cada vez cresça mais”

“ Eu desejo cada vez mais progresso para Ponta Porã, benfeitorias na a área da saúde, da educação - principalmente - por que eu acho que é isso que faz o progresso de uma cidade.”


Ponta Porã Minha casa é esse chão, onde as quatro estações acontecem num dia. Chamo de lar o que me acolhe o que me protege e aceita, com as minhas tantas partes feitas de outras partes feitas. Do Rio Grande do Sul trouxe a postura, sou firme, forte e minha palavra tem peso. Do Paraguai trago a esperança, a fé no impossível, a hospitalidade gratuita e generosa. Sou a roda de tereré e o amargo do chimarrão, o clima que faz vento cantar e a noite gear. Sou o primeira estrela no céu e a ultima nuvem no ar. Sou a miscigenação dos olhos e das cores, as mãos e pés de tantos Josés. Sou as mães fortes que acordam o dia pra trabalhar, sou a vontade de crescer e conquistar. Sou o chamamé, a polca e o vaneirão, Sou o rock cheio de vontade e horizonte. O comércio e os vendedores, o guarani cantado e o português cheio de sorrisos. A sopa paraguaia servida aos domingos, a chipa encomendada aos amigos. Sou a história e os sonhos novos, o frio que faz a grama suar e o gelo dar bom dia. Sou o Brasil todo enraizado nos meus campos, o pôr do sol delicado e intenso. Sou uma cidade que tem outra cidade. Ponta bonita e corajosa, de gente que acredita que amanhã será melhor.

Renata Boeira* Marilene Boeira*


Visionário e incansável lutador Este senhor é Don Modesto Rojas Gamez, cidadão nascido em Horqueta - PY em 24.02.1927, que em meados de 1947, aos 20 anos de idade adotou P.J.Caballero e Ponta Porã para constituir sua família e construir sua história.

S

e casou com D. Carmen Soto, filha de fundadores de P.J.Caballero. Adotou a fronteira como sua terra fincando raízes, teve 8 filhos nascidos nesta cidade. Fundou a Loja Carioca, uma das pioneiras de Ponta Porã no comércio de tecidos, confecções, gerando dezenas de empregos. Posteriormente, fundou em Pedro .Juan Caballero a Casa Soto, Hotel Eiruzu, jardim Aurora, Granja El tatu, e outros empreendimentos gerando centenas de empregos, contribuindo para o desenvolvimento social e econômico da região. Fundou o Rotary Clube, Lions Clube, União Tenis Clube, e sua “menina dos olhos” o Clube Social Amambay de P.J.Caballero, do qual é o único fundador ainda vivo. Homem de fibra, probo e incansável lutador.


Sugestões

HOTÉIS, BARES, RESTAURANTES E MUITO MAIS!

Quer curtir nos bares mais animados da cidade com gente bonita e animação. Ou ainda, apreciar boa comida, atendimento especial, escolha uma de nossas sugestões.

Restaurantes, Pizzarias, Chopperias

Hotéis

Ykua Poty - Restaurante

Lo de Pepe - Restaurant & Buffet

Coma Bem - Restaurante

Cantina do Gauna

Av. Dr. Francia e Jose Berges Pedro Juan Caballero - PY (67) 3431-2012/ 0336-271140

Mcal. Lopes c/ Mcal Estigarribia Pedro Juan Caballero - PY (67) 9102-9227/0976-834199

Mcal Lopez c/ Mcal Estigarribia Pedro Juan Caballero - PY Tel: Py (0336) 272796/ (0981) 169853 Tiradentes nº22 Ponta Porã - MS (67) 9268-8566/3431-6093

PEPES’ s - Restaurant - Buffet Garcia’S - Restaurante e Av. Dr. Francia 758 Pedro Juan Caballero - PY 0336-272375 (Py) (67) 3431 2238

Pizzaria

R. Naciones Unidas c/ Cerro Leon Pedro Juan Caballero - PY Tel: Br (67) 91527854 | Py : (0975) 246532

Porã Palace

R. Dr. Francia c/ Alberdi Pedro Juan Caballero -PY Tel: Br (67) 3431 - 1249

Inter Park

Av. Brasil, 3684 Tel: Br (67) 3437-6700 Ponta Porã - MS

Eiruzu

Mcal Lopez c/ Mcal Estigarribia Pedro Juan Caballero - PY Tel: Py (0366) 272465 | Br (67) 3431 2555

Internacional

Av. Internacional, 2604 Ponta Porã - MS Tel: Br (67) 3431 - 1243


SUGESTÃO DE LEITURA

Sílvio Russo

João Renato Filgueira | Da redação

S

ílvio Russo, artista plástico paulistano responsável pela criação do estilo Biopsíquico, retratou cenas da fronteira. Suas obras estão espalhadas pela fronteira. O lugar mais acessível para visualizar algumas de suas obras é no Museu da Erva Mate. No inicio deste ano(2012) foi lançado o livro “Silvio Russo: Patrimônio Cultural da fronteira Brasil/Paraguai”, autoras Eliane Mendes Barbosa e Maria de Fátima Viegas Josgrilbert. Este traz consigo o legado artístico da vida de Russo e seu estilo que fez história através de linhas e cores, uma ótima pedida para quem aprecia arte contemporânea e deseja conhecer a fundo um artista que viveu a realidade de nossa cultura histórica.


PONTOS TURÍSTICOS

PONTA PORÃ MS Uma cidade, dois países. P

onta Porã está localizado no sudoeste do Estado de Mato Grosso do sul, fazendo fronteira urbana com a cidade de Pedro Juan Caballero, capital do Departamento de Amambay, República do Paraguai. Separadas apenas pela Avenida Internacional, as cidades se encontram justamente na via central das duas cidades, compondo um fronteira seca, sem barreiras de qualquer tipo, formando um único e indissolúvel complexo geo-econômico, dividindo problemas e somando soluções. A região abriga um comércio pujante e duversas atrações turísticas culturais. Entre elas: Lagoa Ponta Porã, Castelinho Figueira, Estação Ferroviária, Igreja Matriz São

José, Museu da Erva Mate, os Parques Eco-arqueológico de Gasory e La Serrana (Lorito Picada), O parque Nacional Cerro Cora e o Parque Ecológico Soy y Luna. A região, que tem gastronomia variada e cultura diferenciada, possui também cassinos, um aeroporto internacional capaz de receber aviões de grande porte e grandes redes hoteleiras internacionais, oferecendo mais de 2700 leitos. Com a economia em transformação, a cidade tem migrado fortemente a caminho da industrialização. Novas empresas chegam à cidade, empregos são gerados e uma mudança na cadeia produtiva se instala. Devido a sua miscigenação, as produções artesanais

Informações gerais: Distância da Capital Estadual: 337 km Distância da Capital Federal: 1.463 km Estradas vicinais: 1.800 km Ruas pavimentadas: 200 km População: 72.207 hab. (IBGE 2007) Altitude média: 655 m Atividades conômicas: Agricultura, Pecuária, Indústria e Serviços Clima: Subtropical com temperatura oscilando de 14ºC a 30ºC Área: 5.328,621 km2 Densidade: 13,55 hab/ km2 Fuso horário: UTC-4 IDH: 0,780 PNUD/2000 PIB: R$ 500.246.000,00 IBGE/2005 PIB per capita: R$ 7.445,00 IBGE/2005 Rede hoteleira: 2.700 leitos Ensino superior: 2 Universidades e 3 Faculdades.

da região possuem características únicas, englobando as heranças culturais dos dois povos. São produtos que rompem os limites territoriais, possuido características da região e valorizando a cultura fronteiriça.


Conheça o local da última batalha da grande Guerra da “Triplice da Aliança” e as inscrições rupestres Gasory.

PONTOS TURÍSTICOS

PEDRO JUAN CABALLERO - PY • Laguna Porã • Municipalidad • Gobernación

• Museo Municipal Casa da Cultura • Nucleo de Artes Puerta de Sol

PARA ENTRAR NOS PONTOS TURÍSTICOS UM POUCO MAIS DISTANTES DO CENTRO DE PEDRO JUAN É PRECISO:

• Solicitar o “permiso” na Migraciones • Viagem de carro próprio documentação completa. • Terceiros - autorização do dono autenticado no cartório (Brasil)

• Arte Paraguay • Casa de Artesania • Aduana

Parque Nacional Cerro Corá 37km • Museu do Parque • Rio Aquidaban • Parque Histórico palco da última batalha a Guerra da Tríplice Aliança Uma das áreas naturais mais importantes do Paraguai, a reserva abriga belas paisagens contornadas por montanhas, paredões rochosos repletos de inscrições e um rio, o Aquidabán, com trechos para banho. Possui paisagem de característica singular , onde se destaca a Cordilheira de Amambay. Ao longo destas serras escorre importante rede de arroios e rios, destacando-se o Apa, o Aquidaban e Ypané. Além das belezas naturais da fauna e da flora, o parque guarda a história de um dos locais mais emblemáticos da Guerra da Tríplice Aliança (1865 - 1870), que envolveu Uruguay e Argentina, sob o comando do Brasil, diante dos paraguaios. Foi lá, às margens do rio Aquidaban que Francisco Solano López morreu em 1° de março de 1870 depois de ser atingido por soldados brasileiros, marcando o fim do sangrento conflito conhecido pelos brasileiros de Guerra do Paraguai.

DIRECIÓN GENERAL DE MIGRACIONES Horários de atendimento: Seg. a Sex.: 7h as 21h Sábados: 8h as 21h Domingos e feriados: 19h as 21h


Moderna música da fronteira

O

ano era 2008, em Ponta Porã – Princesinha dos Ervais, na fronteira invisível com o Paraguai, em uma tarde fria e de densa neblina, em um clima quase que andino, típico da fronteira, os músicos João Caetano e Renan Dorta, que já estavam em processo de formação de uma nova banda, resolveram então apresentar a nova ideia musical ao amigo e baterista Tiago Dalmolim. Pautados em criar uma nova atmosfera musical desconhecida na cidade, os músicos resolveram inovar. Convidaram então, Tiago, para integrar e fortalecer esta nova ideia. Amigos de longa data e integrantes de outras bandas de estilo totalmente diferentes em um passado recente, tinham como objetivo, tocar canções que até então na fronteira eram desconhecidas, e mais do que isso. Queriam formar uma banda com ideologia, opinião e que fizesse a diferença. Muito mais do que jovens músicos reunidos para executarem canções covers. Desde o principio não queriam ser animadores de festas somente, mas gostariam de formar opinião e serem reconhecidos como precursores de um novo movimento musical, mas sabiam que para isso precisariam de músicas diferentes daquele velho pop rock que a fronteira já estava saturada, era necessário executar canções as quais as pessoas se identificassem não só com o estilo da nova banda, mas canções que mostrassem a realidade desta nova fase musical na fronteira que pretendiam criar.

“Yo soy de Pedro Juan, eu sou de Ponta Porã, los bares de su calle, fazem nossa inspiração, en la frontera solo hay un pueblo, somos uma só nação e a cultura se mistura quando canto em guarani, recuerdos dulces de Ypacaray, recurdos dulces de Ypacaray” Soy Surfista – Surfistas de Trem


Dicas da Fronteira Para visitar o Parque Nacional Cerro Corá

Para transitar pelas estradas no PY

Documentos exigidos Entrada • Cidadãos de nacionalidade Boliviana, Brasileira, Chilena e Uruguaia: carteira de identidade ou Passaporte. • Cartão de Ingresso ao País, completo, a ser timbrado/carimbado pela autoridade de Migração nos postos de entrada. Tramitação gratuita. (Lei 978/96, Decreto Regulamentar 18.295/97)

Documentos que podem ser exigidos nas estradas (Polícia Caminera= Polícia Rodoviária) Motorista • Documento oficial de identidade do país de origem (RG, CNH ou passaporte) • Carteira de motorista válida emitida por autoridades competente do país de origem • Cartão de entrada ao país, ou passaporte timbrado/carimbado ao ingresso • Documentos de identidade dos acompanhantes

Saída • Cidadãos de nacionalidade Boliviana, Brasileira, Chilena e Uruguaia: carteira de identidade ou Passaporte • Cartão de Ingresso ao País timbrado/ carimbado ao ingresso, ou passaporte timbrado/carimbado. • Saída antes do período de permanência de 90 dias. Isso pode ser feito na “Dirección General de Migraciones” (Edifício da Aduana) Endereço: Av. Rodrigues Francia Horários de atendimento: Segunda-feira à sexta-feira: 7h às 21h | Sábado 8h às 21h | Domingo e feriados: 19h às 21h O fato de não portar o cartão de ingresso, o carimbo no passaporte, ou seu vencimento, sera passivel de uma multa de cento e noventa e cinco mil guaranies. (Gs. 195.000). Você deve exigir o seu recibo oficial.

Dirigir alcoolizado é crime previsto em lei.

Frases e palavras frequentes Olá - Hola Obrigada - Muchas gracias Bom dia - Buenos días Boa tarde - Buenas tardes Boa noite - Buenas noches Tchau - Adiós/chau Falo pouco espanhol - Hablo poco español Fale devagar por favor - Hable despacio por favor Qual o preço? - Cuanto cuesta? Não gostei - No me gusta Muito caro - Demasiado caro Desconto - Descuento Quero um café - Quiero un café Aceitam cartões de crédito? - Aceptan tarjetas de crédito?

Nenhum agente da “polícia caminera” (Polícia Rodoviária), Polícia Nacional ou Polícia Municipal esta facultado a receber dinheiro sob nenhum conceito, nos postos de controles em rodovias.

Denuncie Exija recibo legal caso seja multado. Nas estradas e rodovias não pague nenhum tipo de multa. Ajude a combater as más condutas.

Ponta Porã 100 anos Parabéns!


em 1900 o hotel internacional já abrigava os viajantes que aqui passaram

Localizado no centro de Ponta Porã na linha internacional. O Hotel Internacional preserva sua arquitetura e história. Começou como pousada para abrigar os trabalhadores daquela época. No Álvara de funcionamento consta a data de 1 de janeiro de 1900.


Persistência e idealização

“A

Empresa ‘Irmãos Gauna’ começou com a troca de um carro, um Passat ano 86, em pacotes de açúcar, que foram vendidos no comércio local e com o dinheiro a família iniciou o processo burocrático para abrir a empresa. Enquanto isso, para não ficar parado, Eduardo Gauna, Luis Carlos e Givanildo, foram vender tomates e bananas na feira de Conceição no Paraguai, e isso durou 4 meses. 120 dias acordando diariamente às 3 horas da madrugada para trabalhar. Período que antecedeu a realização de um sonho, em 1992 eram abertas as portas da loja ‘Móveis

Brasil’. O sonho era bom... mas, não resistiu a crise financeira e o Plano Real. Não desistindo dos sonhos e objetivos a loja de móveis deu lugar a uma Casa de Carnes. Enquanto estiveram nesse ramo lideraram o mercado, mas tinha chegado a hora de mudar e iniciaram um novo percurso . Um novo desafio à minha frente Idealizaram uma nova conquista.. e tinha que ser em Ponta Porã, cidade que os irmãos Gaunas tanto amam, e foi aqui nessa fronteira que construíram a empresa que todos conhecem a Padaria Requinte.


PONTA PORÃ UM SÉCULO DE AMOR * R. Ney Magalhães

A PRINCESA DOS ERVAIS neste ano de DOIS MIL E DOZE, oficialmente comemora UM SÉCULO DE AMOR. Cem anos de amor verdadeiro por este planalto antes pontilhado de lagoas e várzeas, ricas em águas e terras féteis que permitiram e saciaram a sede e a fome dos nossos avós gauchos, permitindo a continuidade de suas vidas e produzindo alimentos para as gerações vindouras. A Princesinha dos Ervais foi assim cantada em versos pelo imortal Dom Aquino Corrêa: Nos píncaros selvagens e altaneiros Da serra do Amambay nasceste um dia Tu que te embalas na canção bravia do altivo beijo infrene dos pampeiros. Princesa dos Ervais que ao sol fagueiros Riem na verde fronde luzidia Celebram-te em arcádicas poesias Nas coxilhas em flor, os boiadeiros. Bate em teu virgem peito, ao ritmo heróico Da alma gentil do bandeirante estóico, O sangue do gaucho ardente e puro. E além, mais belo e forte que o oceano, O salto de Guayra entoa ufano O prelúdio triunfal do teu futuro! Esta homenagem do matogrossense Salesiano Dom Aquino Corrêa, Arcebispo e Governador do MT, saúda os tempos de nossa primeira riqueza a Erva Mate, chamada de Ouro Verde.


Av. Internancional, 860 HORÁRIO DE ATENDIMENTO: 2ª a 6º das 8h as 11h e 13h as 19h Sábado das 10h as 19h Domingo das 10h as 16h

TURISTAS

Cota de isenção >>> US$ 300,00 Imposto de importação >>> 50% do excedente

BENS PESSOAIS barbeador, roupas, etc 1 câmera fotográfica, 1 celular 1 relógio PRESENTES (LEMBRANCINHAS) até 20 itens abaixo de U$5 (máx. 5 =) até 10 acima de U$5(máx. 3 iguais) BEBIDAS Até 12 litros (maiores de 18 anos) Absinto (devido a elevada taxa de porcetagem alcoolica existe restrições) CIGARROS 10 maços (carteira de 20 cigarros) AUTOPEÇAS Que não influenciam no funcionamento do veiculo PRODUTOS MÉDICOS Apenas para uso pessoal

COM MOTOR Automóvel, moto, motor de barco, bicicleta AUTOPEÇAS Consideradas necessárias para a locomoção dos veiculos bens usados CIGARROS Feitos no brasil para exportação e estrangeiros, não vendidos no pais de origem. ARMAS Somente com autorização do exército brasileiro (proibição de simulacro) FERRAMENTAS Para uso comercial ou industrial ANABOLIZANTES De nenhum tipo.

Para uma viagem tranquila, fique ligado! Autorização Crianças com menos de 12 anos em viagem para o exterior de ônibus ou avião, com apenas um dos pais, precisam de uma autorização escrita, com assinatura reconhecida em cartório. As viagens pelo Brasil são permitidas, desde que elas estejam acompanhadas por um adulto, com autorização do Juizado de Menores.


Agil - Edição 4  

Ponta Porã 100 anos Edição Especial

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you