Issuu on Google+

Publicação semanal produzida pelos estagiários da Agência Experimental do curso de Comunicação Social da Ulbra/Canoas. Julie Moresco da Silva, Tatiani Maciak (textos) e Pedro Henrique Freitas (fotografia).

ANO 6 - NÚMERO 75 l

3 A 10 DE MARÇO DE 2014

Funcionárias da Universidade em fotos PEDRO HENRIQUE FREITAS E TIAGO PEREIRA

Em alusão ao Dia da Mulher, comemorado no dia 8 de março, o espaço de Extensão & Assuntos comunitários da ULBRA, em parceria com os cursos de Tecnologia em Fotografia, Estética e Cosmética e Design de Moda, realizaram juntos a sessão fotográfica “Mulheres que fazem a Ulbra”. As imagens serão projetadas no saguão da Reitoria, prédio 10, na próxima semana. O projeto tem o objetivo de valorizar e mostrar a beleza feminina. Para a idealizadora e representante da Diretoria de Assuntos Comunitários e Coordenadora de Cultura da Ulbra, Margarete Heineck, a atividade agregou professores de vários cursos, entre eles o coordenador de atividades do curso de Tecnologia em Fotografia, Fernando Pires. Foi através dele que se cogitou a possibilidade de realizar uma sessão fotográfica, para isso, propôs que as coordenadoras dos cursos de Design de Moda, Mariana Castro, e a de Estética e Cosmética, Jéssica Gabriele, participassem da ação. Com o engajamento dos cursos, o projeto se tornou multidisciplinar. “Foi fundamental a participação das alunas da estética,” comenta o professor Fernando. No meio da correria com maquiagem, roupas e câmera, estavam mulheres que desejavam ver a si mesmas da melhor forma, no melhor ângulo e, por isso, com elevada autoestima. Todas lindas, belezas diferentes, mas com um algo em comum: são funcionárias da ULBRA. A sessão fotográfica reuniu 57 mulheres no estúdio de Fotografia da Universidade, na última terça-feira, 25. O ensaio rendeu um total de 1.300 fotos. Entre as mulheres que participaram da sessão de fotos estava Greysse Kelly de Souza, aluna do curso de Ciências Contábeis e funcionária do departamento de Contabilidade da ULBRA. Para ela, “é importante a mulher se sentir valorizada. Gostei muito de participar do projeto.”

Estudante de jornalismo assume coluna no portal Clic Camaquã DIVULGAÇÃO

Rodrigo Vicente tem 27 anos, e é estudante do quinto semestre de Jornalismo da ULBRA. Ele, que já trabalha com rádio desde 2004, agora assumiu uma coluna no recém lançado Clic Camaquã. Rodrigo diz que quando ingressou no curso de jornalismo seu objetivo era trabalhar em TV. “Acho que isso é o sonho de praticamente todo mundo. Como o tempo foi passando, e eu amadurecendo na profissão, vi que o trabalho do jornalista vai muito além dos tradicionais veículos e grupos de comunicações. Vi na assessoria de comunicação e na própria internet uma boa oportunidade de crescimento profissional”, afirma. A rotina dele na rádio Acústica é movimentada, ele participa de grande parte da programação diária da emissora. É um dos apresentadores dos três programas de cu-

nho jornalístico. Comanda sozinho o Plugado, parte da programação musical da rádio. Sobre o portal Clic Camaquã, Rodrigo diz que é um projeto novo, que está no ar desde o começo de fevereiro deste ano. Eduardo Costa, diretor do site, planejou durante um ano a abertura de um portal de notícias voltado à região centro-sul do Estado. “Os dados de acesso crescem de forma expressiva diariamente, assim como os seguidores nas redes sociais”, conta. No site, ele vai dividir espaço com colunistas de diversas áreas, entre eles o vice-governador Beto Grill, o jornalista André Machado e o especialista em trânsito Fábio Mello. “Isso faz com que me sinta reconhecido, mesmo antes de me formar. Poder colaborar com o Clic Camaquã será mais uma grande ex-

Na coluna, Rodrigo Vicente divulga assuntos relacionados com as redes sociais periência”, garante. Na sua coluna, Rodrigo abordará a comunicação e os meios digitais, todo assunto relacionado a internet como ferramenta que, se-

gundo ele, possa auxiliar na comunicação de uma instituição, seja do primeiro, segundo ou terceiro setor. “Pretendo fazer com que empresários, líderes, políticos ou quaisquer pessoas entendam que a comunicação feita de forma profissional, aliada aos meios digitais, vai ajudar muito nos resultados da instituição.” Quanto ao futuro, Rodrigo pretende investir na área de assessoria de imprensa, pois acredita que as pessoas e empresas precisam se comunicar de forma profissional com seus públicos. “Em um curto prazo eu acredito que não vou sair de Camaquã. A região é muito carente de mão de obra na área da comunicação, o que é bem comum no interior do Estado. Com essa escassez de mão de obra, o trabalho se torna mais valorizado, diferente de grandes centros”, diz.


Info 75