Page 1

2017 SET OUT NOV DEZ

TEATRO MICAELENSE


Depois de correr o Mundo, sentir o gosto das conquistas, o aroma das vitórias e a amargura das derrotas, decidi voltar a casa para saborear as coisas boas da vida.

Faça como o Pauleta e desfrute também da sua terra e do melhor café. Delta, o café da sua vida.

www.deltacafes.pt


EQUILÍBRIO No último quadrimestre de 2017, o Teatro Micaelense apresenta um programa que toca em várias áreas artísticas, mantendo a pluralidade de expressões, das tradicionais às mais experimentais. A parceria com os criadores regionais, que tem sido uma constante, é, neste período, ampliada, com a primeira edição do Paralelo - Festival de Dança, em parceria com o 37.25 - Núcleo de Artes Performativas, do qual iremos acolher “Vespa”, o solo que marca o regresso aos palcos, após um interregno de 30 anos, do coreógrafo e bailarino Rui Horta. Rafael Carvalho tem a direção musical da segunda edição de “A Viola que nos Toca”, um espetáculo em que a Viola da Terra faz uma incursão por outros territórios artísticos. A Banda Fundação Brasileira e a Banda Militar dos Açores são presenças habituais no nosso calendário e reafirmam, a cada ano que passa, o seu empenho na renovação de reportórios, num importante trabalho junto da comunidade local. Em parceria com o Instituto Cultural de Ponta Delgada e a editora Companhia das Ilhas, prosseguimos com as leituras dramatizadas de textos de autores nacionais contemporâneos, na tentativa de estimular a produção teatral local e contaminar, quem sabe, o surgimento de novos projetos teatrais. O teatro subirá a palco com “Moçambique”, uma peça de Jorge Andrade, pela companhia Mala Voadora, que venceu o prémio de melhor espetáculo (2016) na gala da Sociedade Portuguesa de Autores, e com “O Olhar de Milhões”, de Raquel Castro, resultado de uma coprodução da Rede 5 Sentidos (da qual o Teatro Micaelense faz parte), que se propõe apoiar a itinerância e a criação contemporânea nacional. No cinema, iremos contar com as presenças do encenador Luís Miguel Cintra e da atriz/ realizadora Sofia Marques, na exibição do documentário “Ilusão” (Prémio do público para melhor longa-metragem portuguesa do DocLisboa’14), para uma conversa em torno desta sua “carta de amor” ao cofundador do Teatro da Cornucópia. No Filme da Minha Vida, teremos o privilégio de (re)ver o visionário “Laranja Mecânica”, a escolha da galerista Fátima Mota. A música continua a ser preponderante na oferta até final deste ano e têm especial referência as estreias, neste palco, de Rita Redshoes, Ricardo Ribeiro, Orquestra Angrajazz, Giovanna Barbati, Alben Berg Ensemble (estes três no âmbito da edição 2017 do Jazzores) e Harlem Gospel Choir. Destacam-se também os regressos de Luísa Sobral e de Joana Gama, esta última, numa apresentação repartida entre o recital “Viagens na Minha Terra” e “Nocturno”, em cocriação com o coreógrafo Victor Hugo Pontes, um espetáculo que explora os medos que as crianças têm do escuro e da noite, mas que pode, e deve, ser visto por todos. Num tempo em que existe uma “redistribuição da receção, artística e cultural” (Guillermo Heras), importa trabalhar de forma consistente e responsável. Mais do que promover objetos massificados, temos de trabalhar, continuadamente, para fidelizar público(s). Isto só se consegue com uma relação de confiança, no equilíbrio de uma programação que promova propostas mais populares com outras, digamos, menos óbvias, com outro lugar e função. Neste equilíbrio estará, acreditamos, a virtude do que fazemos (e do que aqui acolhemos). Alexandre Pascoal

Presidente do Conselho de Administração Julho 2017


TEATRO

MICAELENSE SET - DEZ 2017

15 SET 6ª feira 21h30

AMIZADE AÇORES@MINHO

BANDA FUNDAÇÃO BRASILEIRA CANTO D´AQUI 23 SET sábado 21h30

VESPA

Coreografia e Interpretação RUI HORTA PARALELO - FESTIVAL DE DANÇA 27 SET 4ª feira 21h00

VÓRTICE

De NELSON BOGGIO Leituras Dramatizadas 30 SET sábado 21h30

27, 28 e 31 OUT, 1 NOV 21h30

FESTIVAL DE MÚSICA DOS AÇORES

JAZZORES 2017

31 OUT 3ª feira 21h00

FLORES PARA MIM

De ABEL NEVES Leituras Dramatizadas 11 NOV sábado 21h30

LUÍSA SOBRAL 17 NOV 6ª feira 21h30

VIAGENS NA MINHA TERRA

JOANA GAMA piano

TEMPORADA ARTÍSTICA - AÇORES 2017

18 NOV sábado 17h00

NOCTURNO

De JOANA GAMA & VICTOR HUGO PONTES TEMPORADA ARTÍSTICA - AÇORES 2017

25 NOV sábado 21h30

BANDA MILITAR DOS AÇORES

RITA REDSHOES 4 OUT 4ª feira 21h30

A VIOLA QUE NOS TOCA II

ASSOCIAÇÃO DE JUVENTUDE VIOLA DA TERRA 14 OUT sábado 21h30

LARANJA MECÂNICA

De STANLEY KUBRICK O filme da vida de FÁTIMA MOTA 21 OUT sábado 21h30

MOÇAMBIQUE

Companhia Teatro MALA VOADORA 25 OUT 4ª feira 21h30

29 NOV 4ª feira 21h00

AVESSO

De CARLOS ALBERTO MACHADO Leituras Dramatizadas 2 DEZ sábado 21h30

RICARDO RIBEIRO 9 DEZ sábado 21h30

HARLEM GOSPEL CHOIR 16 DEZ sábado 21h30

O OLHAR DE MILHÕES

De RAQUEL CASTRO

ILUSÃO

De SOFIA MARQUES

* Programa e elencos poderão ser alterados por motivos imprevistos


Š Fernando Resendes


© Fernando Resendes

AMIZADE AÇORES@MINHO

Banda Fundação Brasileira Canto D´Aqui

15 SET

6ª feira 21h30 m/6

€ 5.00

maestros FILIPE CUNHA MARCO TORRE

A Banda Fundação Brasileira e o grupo Canto D´Aqui apresentam Amizade Açores@Minho, um espetáculo que une a filarmónica açoriana ao grupo bracarense, que desenvolve um trabalho de pesquisa e divulgação da música tradicional portuguesa, desde o Minho até às Ilhas, sendo já uma referência do panorama musical nacional. O concerto contará com a participação especial de Luís Alberto Bettencourt. Concert by the Portuguese folk group Canto D´Aqui and the Philharmonic Fundação Brasileira.


VESPA

Rui Horta

23 SET Uma peça sobre uma cabeça a explodir, sobre o que nem sequer falhámos, porque nos coibimos de cumprir. Na dupla condição de voyeur, a do outro e a de si próprio, o público compõe o tétris do personagem em cena, desafiando a sua própria conceção do registo público e privado. Este solo é uma possibilidade, uma fractal, uma marca fugaz. Rui Horta é um veterano selvagem. Só essa condição lhe permite hoje a ousadia e a obstinação de voltar ao palco após 30 anos de ausência. Ou é ou não é. Então, que seja. Que haja luz, fogo, dor e, sobretudo, corpo. Que haja um raio que ilumina e destrói. Mas que haja. Que seja. Uma vespa dentro da cabeça, um zumbido a roer o pensamento. Contemporary dance solo performed and choreographed by Rui Horta. “Vespa” (Wasp) marks the artist’s return to the stage after 30 years of absence.

sábado 21h30 m/16

€ 10.00 plateia em palco, lotação reduzida coreografia, iluminação, interpretação RUI HORTA música original TIAGO CERQUEIRA participação especial TOMÉ GALVÃO FERNANDES aconselhamento artístico TIAGO RODRIGUES MARLENE MONTEIRO FREITAS apoio dramatúrgico PIA KRÄMER MARIANA BRANDÃO direção técnica TIAGO COELHO direção de produção e difusão MARIANA BRANDÃO produção executiva O ESPAÇO DO TEMPO

no âmbito da programação


TEATRO NO TEATRO

Leituras Dramatizadas

27 SET 4ª feira 21h00 m/12

ENTRADA LIVRE

Para participar na leitura deverá inscrever-se através do email teatronoteatroleituras@gmail.com ou na bilheteira do Teatro Micaelense www.icpd.pt

parceria

apoio

Desde fevereiro de 2016, o Teatro Micaelense, a Morada da Escrita/Casa Armando Côrtes-Rodrigues e o Instituto Cultural de Ponta Delgada propõem leituras dramatizadas de peças de teatro de autores portugueses. As sessões têm coordenação de Eleonora Marino Duarte e apresentação de Leonor Sampaio. Em 2017, iniciámos um novo ciclo de leituras com a parceria da editora Companhia das Ilhas. A obra escolhida para esta sessão é “Um Vórtice”, de Nelson Boggio. Em Um Vórtice, temos duas Figuras, ELE e ELA. ELE é um encenador e escritor, inválido, paralisado da cintura para baixo. ELA, sua mulher, é atriz e também escritora. Todo o texto é uma fina rede onde se entretecem pedaços da realidade e da ficção teatral, em subtis jogos de indefinição, com grande tensão verbal e física. O leitor/espectador é obrigado a manter-se em permanente dúvida e na expectativa do desenlace… O texto já foi objeto de montagem, em 2010, na Casa Conveniente, em Lisboa, com encenação do próprio Nelson Boggio, assistido por Mónica Garnel, constituindo também estes o elenco do espetáculo. Dramatic readings | Portuguese spoken


© Augusto Brázio

RITA REDSHOES 30 SET Rita Redshoes apresenta “Her”, o seu quarto álbum de estúdio. Lançado em Novembro de 2016, o novo registo discográfico contou com a produção de Victor Van Vugt, produtor do seminal disco de Nick Cave, “Murder Ballads” e do disco de Beth Orton, “Trailer Park”, vencedor do prestigiado Mercury Prize.

sábado 21h30 m/6

€ 15.00 plateia € 10.00 balcão

Rita Redshoes iniciou o seu percurso como baterista num grupo de teatro de escola, passou por inúmeros projetos musicais como autora e intérprete, onde tocou vários instrumentos e gravou vários discos (Atomic Bees, Photographs, Rebel Red Dog, David Fonseca, The Legendary Tigerman, Noiserv) e tem colaborado em inúmeras bandas sonoras premiadas para teatro e cinema, também com discos editados nesta área. Rita Redshoes presents “Her”, her fourth studio album, produced by Victor Van Vugt, who worked with artists such as Nick Cave and Beth Orton.

patrocínio


A VIOLA QUE NOS TOCA II A segunda edição de “A Viola Que Nos Toca” prossegue a missão de dar a conhecer a Viola de Dois Corações no seu ambiente mais genuíno, quer a solo, quer acompanhada ao Violão, explorando as suas várias dimensões, num espetáculo que combinará os sons da tradição com a dança, a poesia e a voz. Serão também projetados vídeos ilustrativos do papel da Viola em outras ilhas dos Açores, num trabalho de recolha do realizador Tiago Pereira e do seu canal “A Música Portuguesa A Gostar Dela Própria”. This concert explores the multiple dimensions of the Viola de Dois Corações (the two hearts viola), a stringed musical instrument that is native to the Azores islands.

4 OUT

4ª feira 21h30 m/6

€ 7.50

direção musical RAFAEL CARVALHO

organização

Associação de Juventude Viola da Terra


LARANJA MECÂNICA

O Filme da Vida de Fátima Mota

14 OUT Obra-prima de Stanley Kubrick, “Laranja Mecânica” é uma comédia negra com uma interpretação visual de uma anarquia sádica e do cinismo profundo do poder governamental. Num filme que continua atual, passado num futuro próximo, o produtor-realizador-argumentista Kubrick faz uma adaptação sublime do romance homónimo de Anthony Burgess, mantendo o comentário social satírico presente na obra original. “Laranja Mecânica” foi nomeado para quatro Óscares em 1972 (melhor realizador, melhor montagem, melhor filme e melhor argumento). O ciclo de cinema O Filme da Minha Vida é uma parceria entre o Teatro Micaelense e o 9500 Cineclube. Desde 2014, tem sido lançado o repto a várias personalidades, convidando-as a partilharem com o público o filme que conseguem destacar e que, por uma razão ou por outra, as tenha marcado. Fátima Mota (Lagoa, Açores, 1952) é licenciada em Filologia Germânica pela Faculdade de Letras da Universidade Clássica de Lisboa, 1976. Exerceu a docência no Ensino Secundário nas disciplinas de Português, Inglês e Alemão. Em Ponta Delgada, no ano 2000, funda com o marido, António Macedo, a galeria de arte Fonseca Macedo, que dirige desde a sua criação. Neste momento, desenvolve trabalho com artistas representados pela galeria e projetos com artistas convidados e em colaboração com outras instituições.

sábado 21h30 m/16

€ 3.50 € 2.00 Sócios 9500

título original A CLOCKWORK ORANGE de STANLEY KUBRICK com MALCOLM MCDOWELL MICHAEL BATES PATRICK MAGEE WARREN CLARKE GB, 1971 CORES 136 min

Ciclo o Filme da Minha Vida parceria

Film | English spoken | Portuguese subtitles


MOÇAMBIQUE

Mala Voadora

21 OUT sábado 21h30 m/16

€ 10.00

© José Carlos Duarte

texto e direção JORGE ANDRADE com BRUNO HUCA ISABÉL ZUAA JANI ZHAO JORGE ANDRADE MATAMBA JOAQUIM TÂNIA ALVES WELKET BUNGUÉ cenografia JOSÉ CAPELA figurinos JOSÉ CAPELA com execução de ALDINA JESUS vídeo ANIMA BRUNO CANAS banda sonora RUI LIMA SÉRGIO MARTINS luz RUI MONTEIRO coreografia BRUNO HUCA coprodução TEATRO MUNICIPAL MARIA MATOS TEATRO MUNICIPAL DO PORTO RIVOLI/CAMPO ALEGRE TEATRO VIRIATO


Os três elementos mais antigos da Mala Voadora nasceram em Moçambique. Um é o Jorge Andrade. Apesar de ter vindo para Portugal com 4 anos, em Moçambique (o espetáculo) ele propõe-se construir uma autobiografia como se tivesse vivido em Moçambique toda a sua vida. E para que a sua história se torne credível, vai ter de impô-la à História do país. Como o teatro documental só tem interesse se contar mentiras, Moçambique traz imagens efetivamente documentais para o contexto ficcional do teatro, ficcionando-as de um modo que não visa a verdade. Visa antes, como um romance histórico, inventar uma história cujo contexto advém da História. Jorge Andrade fará parte da História de Moçambique. Theatre | Portuguese spoken

A mala voadora foi fundada em 2003 por Jorge Andrade e José Capela, ambos responsáveis pela direção artística da companhia. Divide a sua atividade entre a criação de espetáculos, a programação de um conjunto de atividades centrado na mala voadora.porto e ainda outras atividades, como a publicação ou a pedagogia. Para além de Portugal, a mala voadora apresentou espetáculos na Alemanha, Bélgica, Bósnia Herzegovina, Brasil, Cabo Verde, Escócia, Estados Unidos da América, Finlândia, França, Grécia, Inglaterra, Líbano e Polónia. A mala voadora continua fascinada com o artifício – a contranaturalidade que define aquilo que é especificamente humano e que pode atingir a condição daquilo a que, artificiosamente, se chama “arte”.


ILUSÃO

de Sofia Marques

25 OUT 4ª feira 21h30 m/6

ENTRADA GRATUITA

SESSÃO ESCOLAS

26 OUT 5ª feira 10h30 realização

SOFIA MARQUES

ano

2014

país

PORTUGAL

duração 115min

as sessões contam com a presença de

SOFIA MARQUES LUÍS MIGUEL CINTRA

Luís Miguel Cintra, ator, encenador e diretor da companhia Teatro da Cornucópia, encenou, no início de 2014, o espetáculo ‘Ilusão’, a partir de textos de Federico García Lorca. No entanto, o 119º espetáculo da companhia foi muito distinto dos anteriores, pois do seu elenco fizeram parte 59 não atores, amadores e estudantes de teatro. Respondendo ao desafio lançado por Luís Miguel Cintra, a atriz e realizadora Sofia Marques acompanhou e registou o processo de criação e construção do espetáculo. O filme “Ilusão” documenta esta singular experiência. Mais do que ilusão enquanto engano dos sentidos ou utopia desfocada, a ilusão que percorre este filme prende-se com o sonho, o desejo, a vontade, a fantasia e as suas possibilidades de concretização. No território de todos os possíveis, esta ilusão recobra sentido, Film | Portuguese spoken.


FESTIVAL DE MÚSICA DOS AÇORES

JAZZORES 2017 € 10.00

27 OUT 6ª feira 21h30

GIOVANNA BARBATI

A violoncelista apresentará um programa que inclui obras do período barroco e peças contemporâneas. Solo recital by cellist Giovanna Barbati. The program includes Baroque and contemporary works.

28 OUT sábado 21h30

ORQUESTRA ANGRAJAZZ

A Orquestra Angrajazz , dirigida por Claus Nymark e Pedro Moreira, interpretará, na íntegra, The Far East Suite, de Duke Ellington, num concerto que contará com a participação dos músicos convidados Paulo Gaspar (clarinete) e Ricardo Toscano (saxofone alto). The Angrajazz orchestra will play Duke Ellington’s The Far East Suite.

31 OUT 3ª feira 21h30

MARINO FORMENTI

ANDRÉ ALMEIDA E SOUSA s/ título - da série “estrangeiro em casa” 2011

O trabalho do pianista Marino Formenti, centrado no repertório contemporâneo, é, frequentemente, acompanhado de uma reflexão sobre o repertório clássico e sobre as conexões entre os diferentes estilos e backgrounds musicais. In pianist Marino Formenti’s work, the musical focus on the contemporary repertoire goes often with a reflection on the classical repertoire, and on the connections within the most different musical styles and backgrounds.

1 NOV 4ª feira 21h30

ALBAN BERG ENSEMBLE WIEN

O agrupamento de cordas e piano de Viena, Áustria, interpreta obras de Schubert, Anton Von Webern, Lucas Haselböck e Brahms. The Viennese strings and piano ensemble will play works by Schubert, Anton Von Webern, Lucas Haselböck and Brahms. organização

patrocínio


TEATRO NO TEATRO

Leituras Dramatizadas

31 OUT 3ª feira 21h00 m/12

ENTRADA LIVRE

Para participar na leitura deverá inscrever-se através do email teatronoteatroleituras@gmail.com ou na bilheteira do Teatro Micaelense www.icpd.pt

parceria

Desde fevereiro de 2016, o Teatro Micaelense, a Morada da Escrita/Casa Armando Côrtes-Rodrigues e o Instituto Cultural de Ponta Delgada propõem leituras dramatizadas de peças de teatro de autores portugueses. As sessões têm coordenação de Eleonora Marino Duarte e apresentação de Leonor Sampaio. Em 2017, iniciámos um novo ciclo de leituras com a parceria da editora Companhia das Ilhas. A obra escolhida para esta sessão é “Flores Para Mim”, de Abel Neves. Em “Flores Para Mim” um encontro amoroso que não acontece faz, no entanto, acontecer uma mudança radical nos dias de Catarina. A sala da sua casa é o lugar da lembrança, do encontro que não teve, e é aí, entre o que o destino lhe reservou e o que os outros se destinam a querer mudar ainda na sua vida, que se joga a sua história, perfumada com o aroma das flores. Dramatic readings | Portuguese spoken

apoio


© Isabel Pinto

LUÍSA SOBRAL 11 NOV Luísa Sobral é uma das compositoras e cantoras mais importantes da nova geração de músicos portugueses. No mais recente disco, “Luísa”, estreitam-se a cumplicidade e os laços afetivos com quem ouve, em novas canções e letras tocantes, que a colocam num novo patamar de maturidade criativa: ainda mais segura, exigente, autêntica e espontânea.

sábado 21h30 m/6

€ 20.00 plateia € 15.00 balcão

“Luísa” foi gravado em Los Angeles, no mítico United Recording Studios, por onde já passaram nomes históricos como Frank Sinatra, Ray Charles, Ella Fitzgerald, Jay-Z, Radiohead ou U2. Ao leme da produção esteve Joe Henry, vencedor de 3 Grammy Awards, que, para além de uma sólida carreira em nome próprio, assina trabalhos de músicos como Elvis Costello, Solomon Burke, Beck ou Madonna. Portuguese singer-songwriter Luísa Sobral, author of the winning song at this year’s Eurovision Song Contest, presents her latest album. “Luísa” was recorded in Los Angeles, at the mythical United Recording Studios, used by such historic names as Frank Sinatra and Ray Charles. It is produced by Joe Henry, winner of 3 Grammy Awards, who has worked with musicians like Elvis Costello and Madonna.

patrocínio


© Luís Belo

VIAGENS NA MINHA TERRA Joana Gama

17 NOV

6ª feira 21h30 m/6

€ 7.50

Depois da sua passagem pelo Teatro Micaelense, em 2016, durante a digressão SATIE.150, em 2017, a pianista Joana Gama traz o recital Viagens na Minha Terra, composto por obras de Fernando Lopes-Graça e Amílcar Vasques-Dias. Presença regular nas principais salas portuguesas, Joana Gama (1983) venceu, em 2008, na categoria de piano, o Prémio Jovens Músicos. Como pianista e performer, tem estado envolvida em projetos que associam a música às áreas da dança, da fotografia, do vídeo e cinema. QUEST, o duo de piano e eletrónica partilhado com Luís Fernandes, passou por festivais como Novas Frequências (Rio de Janeiro) e MADEIRADIG. O primeiro disco foi considerado um dos melhores álbuns de 2014 por diversos críticos portugueses. Em 2016, com o apoio da Antena 2, Joana Gama dedicou-se a SATIE.150 - Uma celebração em forma de guarda-chuva, que assinalou, em Portugal, os 150 anos do nascimento do compositor Erik Satie. Pianist Joana Gama presents a program of works by Portuguese composers Fernando Lopes-Graça and Amílcar Vasques-Dias.

TEMPORADA ARTÍSTICA AÇORES 2017


© José Caldeira

NOCTURNO 18 NOV

sábado 17h00

Na imaginação das crianças, a noite é talvez o primeiro dos grandes mistérios. As sombras, o escuro, o silêncio, os barulhos da rua e os movimentos na casa propiciam pensamentos fantasiosos, muitos medos, algum fascínio. Alicerçado num trabalho com escolas em diversas fases da criação, Nocturno inspira-se em muitas noites possíveis – na aldeia e na cidade, ao relento ou em abrigos improváveis. Diferentes sons e experiências, com ou sem estrelas, mas sempre sob o mesmo céu escuro. JOANA GAMA nasceu em Braga, em 1983. Para além da atividade a solo, como pianista, compositora e performer, nos últimos anos, tem estado envolvida em projetos que aliam a música às áreas da dança, do teatro, do cinema e da fotografia. VICTOR HUGO PONTES nasceu em Guimarães, em 1978. Como criador, a sua carreira começa a despontar a partir de 2003 com o trabalho Puzzle. Desde então, vem consolidando a sua marca coreográfica, tendo apresentado o seu trabalho por todo o país, assim como em Espanha, França, Itália, Alemanha, Rússia, Áustria, Brasil, entre outros. É, desde 2009, o diretor artístico da Nome Próprio – Associação Cultural, com sede no Porto.

dos 6 aos 10 anos

€ 5.00 € 2.50 criança

SESSÃO ESCOLAS

17 NOV

6ª feira 10h30 € 2.00

cocriação JOANA GAMA VICTOR HUGO PONTES direção e cenografia VICTOR HUGO PONTES interpretação JOANA GAMA PAULO MOTA VICTOR HUGO PONTES composição musical JOÃO GODINHO desenho de luz e direção técnica WILMA MOUTINHO

In children’s imagination, the night is perhaps the first of the great mysteries. Nocturno (Nocturne) will take inspiration from many possible nights, different sounds and experiences, with or without stars, but always under the same dark sky.

sonoplastia SUSE RIBEIRO JOÃO GODINHO desenho de som SUSE RIBEIRO

TEMPORADA ARTÍSTICA AÇORES 2017


BANDA MILITAR DOS AÇORES 25 NOV

sábado 21h30

ENTRADA LIVRE

Entrada livre mediante levantamento de convites a disponibilizar pela organização organização

ZONA MILITAR DOS AÇORES (ZMA)

No ano em que se celebra o 181º aniversário da criação da 10ª Divisão Militar no Arquipélago dos Açores, a Zona Militar dos Açores assinala a efeméride com um conjunto de atividades de âmbito militar, cultural, religioso e desportivo, que culminará com um concerto no Teatro Micaelense. Com este concerto, a Banda Militar dos Açores pretende, através da música, aproximar-se da população açoriana, contribuindo para a sua valorização cultural e, ao mesmo tempo, dar a conhecer a Zona Militar dos Açores e as suas missões.

Concert by the Military Band of the Azores.


TEATRO NO TEATRO

Leituras Dramatizadas

294ªNOV feira 21h00 m/12

Desde fevereiro de 2016, o Teatro Micaelense, a Morada da Escrita/Casa Armando Côrtes-Rodrigues e o Instituto Cultural de Ponta Delgada propõem leituras dramatizadas de peças de teatro de autores portugueses. As sessões têm coordenação de Eleonora Marino Duarte e apresentação de Leonor Sampaio. Em 2017, iniciámos um novo ciclo de leituras com a parceria da editora Companhia das Ilhas. A obra escolhida para esta sessão é “Avesso”, de Carlos Alberto Machado. Carlos Alberto Machado (1954) é licenciado em Antropologia pela Universidade Nova de Lisboa e Mestre em Sociologia da Comunicação e Cultura pelo ISCTE, em Lisboa. Professor, dinamizador cultural, editor, ensaísta, poeta, dramaturgo e encenador. É editor da Companhia das Ilhas, fundada, em 2011.

ENTRADA LIVRE

Para participar na leitura deverá inscrever-se através do email teatronoteatroleituras@gmail.com ou na bilheteira do Teatro Micaelense www.icpd.pt

parceria

Dramatic readings | Portuguese spoken

apoio


RICARDO RIBEIRO 2 DEZ

sábado 21h30 m/6

€ 15.00

Ricardo Ribeiro apresenta “Hoje é assim, amanhã não sei.”, editado, em 2016, pela WARNER. Aclamado pelo público, o álbum já levou o fadista ao Reino Unido, França, Bélgica, Rússia e Noruega. Também a crítica se rendeu a “Hoje é assim, amanhã não sei.”, que recebeu a cotação máxima (5 estrelas) no jornal Expresso, 4 estrelas no Ípsilon, na revista Blitz, na revista Time Out e, mais recentemente, na revista britânica Songlines, que nomeia Ricardo Ribeiro como a melhor voz masculina do Fado da sua geração. A mesma revista, que não lhe poupa elogios, nomeou novamente Ricardo Ribeiro para Best Artist´17. A primeira nomeação haveria sido com o antecessor “Largo da Memória”. Ricardo Ribeiro, acclaimed by many as the finest male fado singer of his generation, presents his latest album, embraced by critics and audiences alike.


HARLEM GOSPEL CHOIR 9 DEZ

sábado 21h30 m/6

€ 20.00 plateia € 15.00 balcão

O grupo de Harlem foi fundado por Allen Bailey, em 1986, depois de um momento de inspiração obtido ao assistir a uma cerimónia de homenagem a Martin Luther King e, desde aí, tem vindo a acumular um impressionante currículo. O gospel tem a condição singular de ser, ao mesmo tempo, uma música de devoção e de celebração e, por isso, as atuações do Harlem Gospel Choir são sempre exuberantes e profundamente sentidas. Aliando-se a esse facto o reportório cuidadosamente escolhido, interpretado com alma, vivacidade e paixão, obtém-se um espetáculo perfeito para toda a família. Para 2017, o Harlem Gospel Choir preparou uma homenagem a uma das cantoras mais conhecidas da atualidade – Beyoncé. Famed for their beautiful harmonies and powerful, uplifting voices, the legendary Harlem Gospel Choir sings Beyoncé in a fantastic concert for the whole family.

patrocínio


© Ian Hughes

O OLHAR DE MILHÕES 16 DEZ

sábado 21h30

É o maior cruzeiro do mundo e está prestes a levantar âncora em direção ao infinito azul. Desenganem-se aqueles que pensam que se trata apenas de mais um navio de cruzeiro. As características do Olhar de Milhões conferem-lhe o estatuto de um mega resort flutuante - o maior da Europa - e o único capaz de proporcionar a derradeira experiência, ilimitada e total. Para além das aclamadas atrações Ultimate Abyss, Fetiche Arena, Wind Tunnel, Chemical Enhanced Racing, Mummy’s Milk Shot, Full Communication Zone, há novidades para todos os perfis, a não perder. Porque só se vive uma vez. RAQUEL CASTRO é atriz e encenadora. Criou o espetáculo OS DIAS SÃO CONNOSCO (2013), a exposição/performance UMA RETROSPECTIVA (2013), em colaboração com Mariana Tengner Barros, encenou/interpretou a peça DONA DE CASA de Esther Gerritsen (2014), cocriou com Gonçalo Amorim, Pedro Gil e Rui Pina Coelho o espetáculo CASA VAGA (2015) e com Pedro Gil e Miguel Castro Caldas o espetáculo TERRENO SELVAGEM (2016). Theatre | Portuguese spoken

m/12

€ 10.00 plateia em palco, lotação reduzida criação e direção artística RAQUEL CASTRO dramaturgia JOANA BÉRTHOLO interpretação ANAISA LOPES DAVID MARQUES JOÃO VILLAS BOAS MARCO DA SILVA FERREIRA TERESA COUTINHO assistência à criação FILIPA MATTA apoio teórico ANA BIGOTTE VIEIRA desenho de Luz RUI MONTEIRO cenografia JOSÉ CAPELA sonoplastia e música original MIGUEL MENDES produção BARBA AZUL produção executiva VÍTOR ALVES BROTAS coprodução


TEATRO MICAELENSE O QUE É UM TEATRO?

As visitas guiadas ao Teatro Micaelense já encheram de magia muitos dos que as fizeram! Conhecer a história, os bastidores e alguns dos segredos que guarda este tão importante edifício da nossa cidade é objetivo desta oferta educativa do Teatro Micaelense. público m/6 preço gratuito orientado por Ana Almeida

VEM DANÇAR… VEM CONHECER O TEU CORPO!

Os movimentos que o nosso corpo pode fazer… O movimento, a dança é uma forma de expressão individual e coletiva. Uma boa noção do movimento corporal contribui para uma maior perceção, crescimento e desenvolvimento. Através desta oficina exploramos esta faceta da expressão corporal. Os participantes vão perceber o seu corpo e as suas possibilidades. público m/6 preço €1.50 orientado por Maria João Gouveia

HISTÓRIAS SOLTAS

Jogo divertido para todos. Vai obrigar a pensar rapidamente e a improvisar. A ideia é retirar aleatoriamente um objeto da caixa e, a partir dele, iniciar uma história. Era uma vez…

O objetivo é desenvolver a capacidade de improvisação, expressão oral e criativa. público m/8 preço €1.50 orientado por Ana Almeida

O CINEMA, A GRANDE ILUSÃO

Oficina de brinquedos óticos

Espaço oficinal dedicado à história do cinema e à exploração dos seus princípios essenciais. Serão propostos para exploração três brinquedos óticos: o Taumatrópio, o Folioscópio e o Fenacistoscópio. Os jovens serão convidados a construí-los e a expressarem-se plasticamente através do desenho, desenvolvendo narrativas visuais e entendendo, dessa forma, como é criada a ilusão de movimento.

público 8 aos 16 anos preço €1.50 orientado por Vítor Silva

CONCEDE-ME ESTA DANÇA?

Uma oficina de movimento e expressão corporal, que explora o que o nosso corpo pode e deve ainda fazer, num compasso de dança, ou não… Uma descoberta dos sentidos, do espaço e do outro, ao som de grandes clássicos, de forma a estimular a atividade física, motora, intelectual e criativa. público m/60 preço €1.50 orientado por Maria João Gouveia

público m/6 preço €1.50 orientado por Marta Cruz

PEÇAS… AO CRONÓMETRO!

Num ambiente divertido e em contrarrelógio, os participantes são convidados a criar peças de teatro com 3 minutos. No início da atividade são lhes dados alguns estímulos para que iniciem o processo criativo… A imaginação será o guia desta viagem!

Atividades para grupos, por marcação (mínimo de 20 participantes) Para mais informações e inscrições contacte: T 296 308 340 E info@teatromicaelense.pt


Detalhe da peça escultórica de José Aurélio, Salão Nobre © Fernando Resendes


© Fernando Resendes

BILHETEIRA HORÁRIO 3ª a Sábado - das 14h00 às 19h00 Dias de espetáculo - das 16h30 às 21h30 *

* 30 minutos antes do início de cada sessão não se aceitam compras ou reservas para nenhum outro espetáculo nem inscrições para o Cartão de Espectador Frequente

CONTACTOS T (+351) 296 308 350 E bilheteira@teatromicaelense.pt

RESERVAS DE BILHETES Podem ser realizadas presencialmente, por telefone ou por email; Têm que ser levantadas até 48h antes da realização do espetáculo, ou serão anuladas; O Teatro Micaelense reserva-se o direito de não aceitar reservas para alguns espetáculos, previamente determinados.

BILHETEIRA ONLINE Para aceder, basta registar uma conta em http://teatromicaelense.bol.pt, selecionar o evento pretendido, escolher o lugar, pagar através de multibanco (compras superiores a 15 euros) ou cartão de crédito e imprimir o bilhete; Os descontos habituais de Cartão Espectador Frequente, Interjovem e outros só poderão ser obtidos presencialmente na bilheteira do Teatro Micaelense; A apresentação dos comprovativos de compra online de bilhetes para 5 espetáculos diferentes, dá direito a um bilhete gratuito;


A compra na BilheteiraOnline pressupõe o pagamento de custos de operação de 6%, acrescidos de IVA (taxa em vigor em Portugal Continental), sobre o valor total da compra. Esta informação não dispensa a consulta das Condições Gerais do serviço da BOL, disponível em http://www.bol.pt/Ajuda/CondicoesGerais

OBSERVAÇÕES É proibido fumar, comer ou beber dentro da sala; Não é permitida a entrada na sala enquanto o espetáculo está a decorrer, salvo indicação dos assistentes; Não é permitido filmar, gravar ou fotografar durante o espetáculo; Não é permitido o uso de telemóveis ou outros aparelhos sonoros dentro da sala de espetáculos; Programas e elencos poderão ser alterados por motivos imprevistos.

SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS HORÁRIO 2ª a 6ª feira das 9h00 às 12h30 e das 14h00 às 18h00

CONTACTOS Teatro Micaelense - Centro Cultural e de Congressos, SA Largo de São João 9500-106 Ponta Delgada S. Miguel - Açores - Portugal T (+351) 296 308 340 F (+351) 296 308 344 E info@teatromicaelense.pt

EQUIPA

Conselho de Administração Alexandre Pascoal (Presidente), Raquel Sousa Lima (Vogal), Gonçalo Botelho (Vogal não executivo) Direção Técnica André Conceição (Coordenador), Carla Isidoro (Encarregada-geral de edifício) Som André Conceição, Luiz Furtado*, Cristovão Ferreira (estagiário) Iluminação Rui Viveiros, Gabriel Borzasi* Manutenção/Limpeza Marco Costa, Maria Sousa, Sandra Matias Produção Pedro Medeiros, Filipe Branco Serviço Educativo Ana Almeida Serviços Administrativos Conceição Jesus Serviços Financeiros Elisabete Chaves, Cecília Sousa Bilheteira Tânia Andrade Relações Públicas/Eventos Helena do Carmo Comunicação Catarina Medeiros Fotografia Fernando Resendes* Design Gráfico Rui Lopes* Portaria Eduardo Ledo* Frente de Casa* Beatriz Melo, Beatriz Pacheco, Cátia Viveiros, Daniela Furtado, Helena Furtado, Hélder Gonçalves, Hugo Jesus, Inês Cabral, Isabel Costa, Pedro Melo, Vitória Raposo

CINETEATRO MIRAMAR CONTACTOS Rua Nossa Senhora de Fátima, nº 18 9600 Rabo de Peixe - Ribeira Grande T (+351) 296 492 183 E miramar@teatromicaelense.pt

EQUIPA Coordenador Carlos Ferreira* Serviço Técnico / Administrativo Paulo Marcelino * prestação de serviços


BALCÃO

AUDITÓRIO G F E D C B A

G F E D D C C BB AA

PLATEIA

P O N M L K J I H

LOTAÇÃO

Plateia | 478 Balcão | 241 Camarotes | 20 |6 Total | 745

RÉGIE

P O N M L K J I H

G F E D C B A

PA LCO CARTÃO DE ESPECTADOR FREQUENTE 20% na compra do seu bilhete 50% a cada 3 espectáculos 20% na compra de produtos de merchandising CARTÃO SATA IMAGINE Por cada € 1 em compras no Teatro Micaelense ganha 3 milhas de bónus

CARTÃO INTERJOVEM Desconto de 50% Aquisição de bilhetes através da plataforma http://teatromicaelense.bol.pt


TEATRO MICAELENSE © Fernando Resendes

o melhor palco para os seus eventos Reservas e informações T 296 308 340 www.teatromicaelense.pt


Parceiros institucionais

Parceria de programação

Patrocinadores 2017

Apoios

Apoios à produção

© Fernando Resendes

Apoios à divulgação

siga-nos

www.teatromicaelense.pt

Parceiro Tecnológico

Agenda Teatro Micaelense SET/OUT/NOV/DEZ 2017  
Agenda Teatro Micaelense SET/OUT/NOV/DEZ 2017  

Programação para setembro, outubro, novembro e dezembro de 2017

Advertisement