Page 14

26

PAINEIRA

PALMEIRA-DA-CALIFÓRNIA 27

Ceiba speciosa

Washingtonia filifera

ORIGEM

ORIGEM

América do Sul

Sul da Califórnia Noroeste do México

FAMÍLIA

Bombacáceas

FAMÍLIA

Arecáceas FOLHAGEM

Caduca

FOLHAGEM

Persistente

FOLHA FOLHA

TRONCO

TRONCO

Copa Tem tamanho médio, que na fase adulta pode chegar aos 20 metros, apresenta-se com uma copa bastante ampla e globosa. Tronco Cinzento-esverdeado com estrias fotossintéticas e fortes espinhos rombudos, muito afiados nos ramos mais jovens. Apresenta uma espécie de alargamento na base do tronco, daí o apelido de “barriguda”. A partir dos 20 anos, os espinhos costumam cair na parte mais baixa do tronco. Folhas São compostas, palmadas e caem na época de floração. Flores São grandes, com cinco pétalas rosadas com pintas vermelhas e bordas brancas. Existe uma variedade menos comum com flores brancas/amarelas. A floração é intensa e ocorre no verão e outono.

Frutos A sua maturação ocorre durante os meses de agosto e setembro com a árvore totalmente despida da sua folhagem. As cápsulas verdes, quando maduras, rebentam e expõem as sementes envoltas em fibras finas e brancas que auxiliam a sua disseminação. Onde podemos vê-la em Cascais? Podemos apreciar uns belos exemplares de paineiras nas traseiras da Igreja dos Navegantes (Largo Dr. Passos Vella) e também no jardim junto ao Centro de Saúde de São Domingos de Rana. Curiosidades A madeira da paineira é bastante leve, mole e pouco resistente e é utilizada na confeção de calçado, caixotaria, celulose, canoas e artesanato. A paina (pluma que envolve as sementes) foi muito utilizada no passado para enchimento de travesseiros e colchões. O seu rápido crescimento, rusticidade e beleza ornamental faz com que seja bastante utilizada em praças e jardins.

Copa É aberta, com folhas grandes em forma de leque, viradas para fora. Tronco (espique) Único, de cor cinzenta, podendo medir até 1 metro de diâmetro. O tronco tem marcas mais salientes do que as cicatrizes das folhas. Está coberto por restos de folhas mortas na parte superior, formando uma saia. Se forem removidas, o tronco (espique) ficará compacto, embora irregular. Folhas Têm um caule ou pecíolo que pode medir aproximadamente 2 metros. É composto por uma ventoinha de pequenas folhas, com cerca de 1,5 ou 2 metros de comprimento. Flores São brancas e amarelas, e projetam-se externamente e frequentemente para baixo da coroa de folhas. O período de floração é entre julho e agosto. Frutos Têm formato de esferas, e medem até 1 centímetro

de comprimento. São de cor negra, pouco carnudos e contêm uma única semente. Onde podemos vê-la em Cascais? Podemos encontrar este tipo de palmeira um pouco por todo o concelho, mas mais concentrado junto à costa. Temos vários exemplares ao longo do paredão do Estoril e no parque do Casino Estoril. Os parques mais conhecidos do concelho e muitos dos separadores e rotundas são embelezados pela Washingtonia filifera. Curiosidades As palmeiras não são consideradas árvores, mas sim plantas vasculares, porque não têm crescimento secundário, apenas desenvolvendo um tronco sem ramificações. O seu nome é, por um lado, uma homenagem ao primeiro presidente dos Estados Unidos da América (George Washington) e, por outro, uma referência aos grandes filamentos que as folhas exibem e que caracterizam esta espécie. Os seus frutos eram muito apreciados pelas tribos nativas da Califórnia.

Guia de espécies - Árvores do Concelho de Cascais.  

Saiba mais sobre as árvores do concelho de Cascais, os locias onde as podemos encontrar, principais características e onde as podemos encont...

Guia de espécies - Árvores do Concelho de Cascais.  

Saiba mais sobre as árvores do concelho de Cascais, os locias onde as podemos encontrar, principais características e onde as podemos encont...

Advertisement