Issuu on Google+

ews Hospira News nº 01 - Ano I - Jun/Jul/Ago de 2011

RUMO AO SUCESSO Executivos internacionais visitam o Brasil e reforçam a importância do mercado nacional para a companhia

IR ALÉM

TENDÊNCIA

Pilotos se preparam para o GP Hospira de Supervelocidade

Dr. José Mario Teles fala sobre Delirium na UTI


Nº 01 - Ano I - Junho de 2010

Caros Colegas,

Nesta Edição

Você está recebendo a nossa primeira publicação impressa. Essa mudança acompanha a evolução da nossa empresa no país. Crescemos! Crescemos em número de colaboradores. Crescemos em faturamento. Crescemos em processos. Por isso, percebemos que precisaríamos de uma comunicação mais encorpada para comunicar nossos avanços. A nossa meta para os próximos meses é grandiosa, mas sabemos que contamos com um time comprometido e engajado com a companhia. Sabemos que uma empresa tem como pilares sua missão e valores, mas são as pessoas que a faz crescer e reforçam sua marca para os diferentes públicos com os quais conversa todos os dias. A Hospira Brasil é um espelho do empenho de cada um de nossos colaboradores espalhados pelo país. Nessa edição de lançamento, você conhecerá um pouco cada uma de nossas áreas e entenderá o que elas fazem e como vocês podem ajudá-las. Optamos, esse mês, em contar um pouco sobre a área de Marketing. O setor conta com dois novos profissionais com bastante experiência no mercado de saúde. Alexandre Seraphim e Francisco Martins chegam com a importante missão de levar os nossos produtos aos principais centros de saúde do país, com a colaboração de cada um de nós. Para tal, muitas ações estão sendo desenhadas e em breve estaremos informando. Não podemos perder de vista que a empresa é uma engrenagem e precisa de todos. Também conversamos com dois colaboradores da área de vendas, o Cássio dos Santos (PE) e a Ariane Oliveira (DF), que nos trazem revelações interessantes de como atingiram suas metas no mês. Experiências que, com certeza, poderão ser aplicadas por todos. Aproveitamos a vista dos executivos Gerry Stefanatos, vice-presidente do Canadá e América Latina; e Ron Squarer, Senior Vice President, e os entrevistamos. Durante essa conversa ambos falaram sobre a importância do mercado brasileiro para a companhia e o que esperam do nosso time.

Produto em destaque

3

Segurança do paciente: nosso principal patrimônio. Parcerias fortalecem o negócio

4

Superação

Vamos Ir Além no GP Hospira de Supervelociadade

6

Como eu faço

A vontade de fazer junto

7

Como eu faço

A pessoa certa para a decisão certa

8

Especial

Executivos internacionais visitam o Brasil e discutem o rumo dos negócios

10

Tendência

O Delirium na Unidade de Terapia Intensiva

Nosso Negócio

12

O Marketing, a alma do negócio

Outro destaque importante dessa edição é o lançamento de nossa campanha de vendas: a “Gran Prix Hospira de Supervelocidade, uma arrancada para ir além”. Publicamos também um artigo muito interessante do Futuro Presidente da AMIB, Dr. José Mario Teles, sobre o “Delirium na Unidade de Terapia Intensiva”.

Hospira no mundo

Mas como a publicação é feita para nós, colaboradores, vamos nos conhecer um pouco mais e descobrir curiosidades sobre cada uma de nós. Na seção “Tempo Livre”, o representante carioca Fábio Pinheiro nos conta sobre sua grande paixão: a tecnologia.

Giro Rápido

14

Novo presidente assume

14 RH é reestruturado Sedação e Delirium

Boa leitura! Fábio Doria

Fora do Expediente

15

A tecnologia a serviço do homem

Expediente Hospira News é uma publicação trimestral destinada aos colaboradores Tiragem: 500 exemplares Av. Engenheiro Luiz Carlos Berrini, 901 Cep: 04571-010, São Paulo, SP Fone: 11.55083104 | www.hospira.com.br

02

Hospira: Fabio Doria Alexandre Seraphim Francisco Martins Felipe Loureiro Marcio Fragoso

Coordenação: Roseli Andrade Editora e Jornalista responsável: Teca Pereira (Mtb: 19.000) Criação e Diagramação: Rodrigo Giraldi Conteúdo Editorial e Editoração Gráfica: Plano A Comunicação (11)5098.1111


PRODUTO EM DESTAQUE

Segurança do paciente: nosso principal patrimônio O número de incidentes com administração errada de medicamentos tem preocupado gestores de hospitais. A Hospira apresenta uma importante solução. Em 2006, o Instituto de Medicina informou que os erros de medicação ocorrem em pelo menos um paciente por dia nos EUA, devido a erros de medicação. Uma em sete mil mortes a cada ano pode ser atribuída a erros de medicação. A Hospira apresenta ao mercado uma tecnologia de bombas de infusão inteligente composta de um software especializado e projetado para trabalhar com "bombas inteligentes", infusão geral e analgésica e que pode ser controlada pelo paciente na beira do leito. O sistema, conhecido como MedNet, estará disponível no mercado nacional

dados que podem ser analisado para fins múltiplos dentro da instituição, a partir da avaliação de uso de drogas para melhoria contínua da qualidade (MCQ).

em 2012. Personalizado para atender todas as necessidades de uma instituição de saúde, acompanha a programação da bomba, coleta dados, avalia e ajuda a melhorar a infusão de medicação. É desenhado ainda para evitar erros na administração intravenosa e eventos adversos da droga; alertar rapidamente um médico no caso de um erro; e registrar

“O software também pode ser usado para estabelecer uma ligação entre a farmácia, dispositivos de infusão e outros sistemas de informação dentro do hospital, para fornecer ainda mais recursos na segurança do paciente”, explica Felipe Loureiro, gerente de Produto – Bombas.

Saiba mais http://www.hospira.com/ Products/hospiramednetintclincare.aspx

Parcerias fortalecem o negócio projeto visou crescimento não só da nossa companhia nesse segmento, como também no avanço da especialidade”, explicou. Para tal, foram definidas parcerias com as sociedades de especialidades que representassem os profissionais que lidam com a questão no seu dia a dia. Desde junho do ano passado, a Hospira tem traçado estratégias junto à Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor (SBED) e Sociedade Brasileira de Anestesiologia (SBA).

Crescimento também exige visão ampliada. Sendo assim, é preciso focar em públicos diferenciados. Para trabalhar a bomba de infusão GemStar, foi desenhado um Projeto de Dor, que está sendo liderado por Marcio Fragoso. “Esse mercado é pouco difundido. Nosso

No caso da SBED, a Hospira marcou presença no evento nacional o ano passado, o 9° Congresso Brasileiro da Dor, que ocorreu em outubro, em Fortaleza. E, além disso, fechou um acordo com a entidade para participar da Revista Dor, com periodicidade trimestral. “Vamos organizar artigos sobre o tema para ser publicado com o nosso apoio”, comentou Márcio.

Paralelamente, a Hospira também irá contribuir com conteúdo para a elaboração de Guia sobre Dor destinado à população, que será parte do material impresso para a divulgação da Campanha da Dor desse ano, promovida pela sociedade. “A população tem que ser conscientizada dos avanços no tratamento da dor. Precisa entender que há tecnologia e procedimentos que aliviam a dor”, diz Márcio. O mesmo formato de parceria está sendo fechado com a SBA. “Já negociamos a nossa participação no 58° Congresso Brasileiro de Anestesiologia, que acontecerá em novembro, também em Fortaleza, e estamos estudando formatos para educação continuada”. O Plano de Dor traz, principalmente, ações que beneficiem o aprimoramento dos profissionais de saúde, bem como conscientize a população leiga de como lidar com a dor.

03


SUPERAÇÃO

Ir além

Força de Vendas se prepara para o GP Hospira de Supervelocidade

Foi dada a largada para o rumo à vitória de 2011. Com o título Gran Pix Hospira de Supervelocidade, é lançada a campanha anual de Vendas. Ir além é o objetivo proposto e estimulado pelas ações e regras que compõem esse novo propósito. “A frase parece vaga, mas é um grande desafio. Quem a lê, imediatamente, sabe que tem que dar mais de si”, diz Jacel Almeida, gerente Nacional de Vendas (Precedex) Os resultados do ano anterior foram surpreendentes e é preciso superá-los. Essa é a meta de todos. “A empresa tem uma grande expectativa com o Brasil, por isso, precisamos continuar surpreendendo com excelentes resultados e, assim, estabelecer uma forte relação de confiança com a matriz”, diz Alexandre Seraphim, gerente de Marketing.

04

Embora a campanha seja desenhada para a Força de Vendas, o estímulo tem que vir de todos os departamentos, como em uma grande corrida de Fórmula 1. Superar-se é um grande desafio e como já disse o tricampeão mundial de Fórmula 1, Ayrton Senna da Silva, “se você quer ser bem sucedido, precisa ter dedicação total, buscar seu último limite e dar o melhor de si”. Porque a Fórmula 1 A escolha desse esporte que tanto fascina os brasileiros e que nos deu grandes ídolos, além de Senna, Nélson Piquet e Emerson Fittipaldi, deu-se devido às suas próprias características: competitivo, mas imprescindível que seja realizado em equipe. Isso porque a performance do Hospira depende de uma ação sinérgica entre todos os departamentos, assim como um carro necessita que todas as suas peças trabalhem juntas. Ou seja, todos devem abraçar os mesmos objetivos. Para tal, é preciso que todos acelerem ao máximo, mas sempre com segurança,

valorizando, acima de tudo, a qualidade e a transparência junto aos nossos clientes e ao nosso time. Vamos dar a largada para essa grande corrida, que exigirá muito de cada piloto, de cada carro e da torcida. Você, piloto, fique atento às bandeiras e concentre-se no circuito. Faça o seu pit stop para reorganizar suas metas e ações, conte com a equipe sempre e, ao entrar no seu cockpit, acredite na pole position e na sua vitória. Boa sorte a todos e rumo ao sucesso. Em breve as regras dessa fascinante corrida será divulgada para irmos muito além!


ews Conheçam as frases dos grandes pilotos e seja um também “Não sei dirigir de outra maneira que não seja arriscada. Quando tiver de ultrapassar vou ultrapassar mesmo. Cada piloto tem o seu limite. O meu é um pouco acima do dos outros” Ayrton Senna da Silva, tricampeão de F1

“Não se ganha uma corrida na primeira curva, mas pode perdê-la” Juan Manuel Fangio, pentacampeão de F1. Nélson Piquet, tricampeão de F1, repetiu essa frase aos novatos.

“A mente de um piloto tem que ter a habilidade de antecipar, coordenar e mostrar reflexo.” Emerson Fittipaldi, bicampeão de F1, campeão da CART Fórmula Indy e bicampeão das 500 Milhas de Indianápolis.

“Normalmente, os melhores pilotos estão sempre em grandes equipes” Allan Prost, tetracampeão de F1

“Você é o motivo de quase tudo que lhe acontece." Nikki Lauda, tricampeão de F1

“Quando você começa numa equipe, precisa alcançar o grupo andando, para conseguir algo em troca” Michael Schumacher, sete vezes campeão na F1

“Eu não vim para brincar, mas para ser campeão do mundo. Você me dá um carro e eu cuido do resto” Fernando Alonso, bicampeão de F1

05


COMO EU FAÇO

A vontade de

FAZER JUNTO

Cássio Sarmento dos Santos Representante de Vendas

Mudar conceitos e sedimentar novo paradigma para sedação e analgesia para ultrapassar metas Janeiro de 2011. A meta individual do representante de Vendas Cássio Sarmento dos Santos era vender 105 caixas de Precedex, emplacou 128; fevereiro 115, resultado final 205; e março120, atingiu a casa das 329 caixas vendidas. Sendo assim, o seu objetivo foi superado em 225% só no primeiro trimestre do ano. “Determinação alinhada com o conhecimento do produto é fundamental para a elaboração de estratégias vencedoras, que fazem com que o trabalho seja em conjunto com a instituição e principais parceiros”, diz Cássio. Destacamos a seguir três importantes pontos de venda que foram trabalhados por esse representante, que acredita ser o primeiro passo para uma boa venda o fortalecimento do conceito do produto. “Visitar os formadores de opinião e ouvilos, procurando responder a todas as questões, é começo de tudo, depois de estudar minuciosamente os benefícios do produto. Afinal, é preciso ser rápido e assertivo nas respostas”, disse.

No Hospital Esperança, de Recife, Pernambuco, Cássio tinha a meta de ampliar a demanda média mensal de 40 para 60 caixas para o mês de abril. “Procurei trabalhar junto aos intensivistas e enfermeiros a relação custo e benefício do Precedex, sempre conjugando tais informações com segurança e dosagem adequada, respaldado por artigos científicos disponíveis”, afirmou. Mas para se mudar um conceito e instaurar um novo paradigma é preciso muito mais. “Nada mais adequado do que ter um profissional que enfrenta os mesmo problemas diários que os nossos formadores de opinião para falar sobre esse novo conceito de sedação e analgesia. Para isso, entrei em contato com o Dr. José Mario Teles, médico intensivista da Bahia e Presidente Futuro da AMIB, e promovemos um evento científico dentro da UTI do hospital para os profissionais que ali atuam”, conta. A escolha de um profissional respeitado pela classe foi ponto importante para esse sucesso. Mas Cássio conta que não se pode abandonar o cliente. Ou seja, após as visitas e o evento é preciso marcar presença constantemente. Portanto, a estratégia adotada por ele foi de criar uma parceria com o distribuidor local e maximizar a presença e marca Precedex no serviço. Ainda na cidade do Recife, o representante de Vendas trabalhou junto ao Hospital Getúlio Vargas. A

06

seja, padronizar, o que foi concluída em dezembro do ano passado, com pregão já realizado no final de maio. O grande diferencial nesse estabelecimento foi a mudança no formato da educação continuada. Além de promover um evento científico ministrado pelo Dr. José Mario Teles, no dia seguinte, Cássio sugeriu a formação de uma equipe médica e de enfermeiros para presenciarem a aplicação da sedação com o produto feita pelo Dr. José Mario Teles. “Os profissionais puderam vivenciar os benefícios desse novo conceito e esclareceram suas dúvidas”, explicou. O representante também está trabalhando junto à coordenação da UTI e à farmácia para desenvolver protocolos de sedação e analgesia, o que também pretende realizar no Hospital Universitário Campina Grande, na Paraíba. “Tenho participado de reuniões da coordenação da UTI para apresentar os diferencias favoráveis do Precedex”, conta. A padronização já está feita e o Cássio aguarda o pregão para a venda de 600 ampolas no estabelecimento. Enquanto isso, o representante participou com a marca Hospira do I Simpósio de Medicina Intensiva de Campina Grande, que aconteceu nos dias 9 e 10 de junho. “Como diz a música, o artista tem que estar onde o povo está”, finaliza Cássio.


COMO EU FAÇO

A pessoa certa para a

DECISÃO CERTA Ariane Oliveira Representante de Vendas de Bombas

Estreitar relacionamento com quem decide pode ser a chave do sucesso Trabalhar a rede pública de hospitais não é algo fácil. Além de enfrentar a burocracia é necessário saber quem realmente decide. Essa foi a chave do sucesso da representante de Vendas de Bombas, Ariane Oliveira, que atua no Distrito Federal. A executiva da área comercial acaba de fechar a padronização de Bombas de Infusão Plum A+ em todas as UTIs da Secretária de Saúde do DF e aguarda o pregão de equipos para efetivar a entrega das mesmas e atender as necessidades dos hospitais públicos da região. “A minha primeira missão foi descobrir as reais necessidades de cada unidade dentro da rede. Para isso, procurei estreitar relacionamento com as gerências de enfermagem dos hospitais da SES DF, pedindo sempre autorização para tramitar livremente por todos os setores, e, assim, ouvir de cada enfermeira suas reais necessidades no que se refere à equipamento médico –hospitalar”, disse. Com a conquista desse trânsito livre, Ariane conseguiu reunir informações para traçar um Raio X de cada hospital da rede. .

“Comecei pelo patrimônio, porque é nesse setor que verificamos como é a rotatividades de materiais e equipamentos do hospital. Ou seja; baixa definitiva de bombas de infusão, solicitação de novos equipamentos, pedidos de retirada de bombas, etc”, explica.

autorização para testes de equipamentos, aprovações, pareceres técnicos, formulação de edital , cotação de preços, estatísticas de consumo da rede e empenhos. Ou seja, cuida de todos os equipamentos e bens permanentes da Secretaria de Saúde do DF.

Visitar a farmácia do hospital frequentemente também fez parte da rotina da representante, pois, dessa forma pode conhecer a demanda de equipos e as possíveis faltas dos mesmos.

Ariane procurava deixar essa gerência sempre informada dos seus procedimentos e, foi assim, que conquistou a credibilidade dos profissionais responsáveis. O trabalho da representante foi muito além. Ela decidiu elaborar um manual com todo o histórico da Bomba, apresentado o registro, informações técnicas, documentos da empresa, apresentação de insumos (equipos), validação dos equipos (96 horas), características, benefícios, economia na infusão (2 canais). “A informação detalhada agrega muito ao nosso trabalho de campo, por isso, fiz questão de levar a eles um resumo dos principais hospitais que já utilizam nossas bombas e alguns relatos.”

Ariane conta que criou um protocolo de entrega de bomba para cada hospital, que foi aprovado pelo Patrimônio Central e Gerência Geral de Enfermagem da Secretaria de Saúde. Este documento permite que cada órgão saiba que material recebeu, quantidade, número de série do equipamento e distribuição do mesmo, além dos responsáveis pelo recebimento e distribuição dos equipamentos nas unidades pré determinadas. “Com esta forma de trabalho, os equipamentos não são entregues no Patrimônio Central da SES DF e são entregues diretamente no patrimônio de cada hospital, com isso otimizamos muito o tempo e burocracia do órgão central”, esclarece. E, ao final de todas as entregas de equipamentos, o patrimônio Central recebe um manual com todas as informações reunidas, ficando apenas responsável em providenciar uma chapa de patrimônio para cada equipamento. Os esforços da representante foram focados na Gerência Geral de Enfermagem e Assistência à Saúde da SES DF, por ser a principal secretaria dentro da instituição, pois é por meio dela que se obtém

E paralelamente, com o mesmo empenho, trabalhou todas as esferas superiores que estão diretamente envolvidas no processo de padronização, como a UAG – Unidade de Admistração Geral da Secretaria de Saúde, DISM – Diretoria de Saneamentos, Medicamentos e Materiais de Consumo; e a DICOF – Diretoria de contabilidade e finanças da Secretaria de Saúde. “Temos que trabalhar todos o setores com o mesmo grau de importância , respeitando as hierarquias. Além disso, é preciso conhecer principalmente as pessoas com atitudes decisórias dentro de cada setor e manter contato direto principalmente com a UAG, que é responsável em gerir os demais setores”, ensina.

07


ESPECIAL

Executivos internacionais

visitam o Brasil e discutem o rumo dos negócios Os resultados da companhia em nosso país têm colocado o Brasil em destaque na companhia, reforçando o trabalho do time nacional.

Sérgio Teixeira, Ron Squarer, Elizett Cardoso, Gerry Stefanatos e Fabio Dória


ews Em abril, a Hospira Brasil recebeu, em seus escritórios em São Paulo e Rio de Janeiro, três importantes executivos da companhia: Ron Squarer, SVP & Chief Commercial Officer; Gerry Stefanatos, Vice President, Canada and Latin America; e Américo Garcia, Director Regional Latinoaméricas. Na ocasião, foram apresentados a eles os resultados obtidos até o momento e as estratégias previstas para se superar as metas propostas. “Fechamos o ano de 2010 com um resultado que surpreendeu e, para esse ano, nossas metas são mais audaciosas, porque, além de acreditarmos no nosso potencial, o Brasil, para a companhia, é um mercado bastante atrativo”, disse Fabio Dória, Country Manager. Stefanatos, superior imediato de Fábio Dória, mostrou-se bastante satisfeito com os resultados do país. “Há dez anos atuamos no Brasil, que para a companhia é um mercado bastante atrativo, que evolui a cada ano e nos traz expectativas bastante expressivas. Acreditamos muito na equipe e no comando brasileiro”, disse. O executivo também lembrou que, para crescer, algumas ações foram necessárias, mas que as mesmas só reforçaram o trabalho do time e auxiliaram para que os resultados fossem atingidos plenamente. “Para metas audaciosas é preciso um grupo qualificado e perfeitamente comprometido. 2010 foi um ano, para o Brasil, de ampliar, renovar e qualificar o quadro de colaboradores. E os resultados só mostraram que essa estratégia foi assertiva”, disse. Stefanatos reforçou, ainda, que a companhia espera que o Brasil mantenha esse ritmo de crescimento não só em termos numéricos, mas fidelizando a marca nos pontos mais importantes para o negócio. “A nossa missão é avaliar o mercado para melhor direcionar os negócios da empresa aqui no Brasil, para que possamos também implantar novos projetos”. As instituições de saúde e os profissionais médicos do Brasil também impressionaram Stefanatos que enxergou muitas possibilidades, porque as estratégias que essas instituições apresentam são bastante eficientes e a busca por tecnologia com qualidade e

resultados efetivos é uma constante dos profissionais que aqui atuam. “Portanto, tenho certeza que nossos produtos apresentam diferenciais bastante significativos, pois temos inovação aliada com qualidade e resultados positivos”, afirmou. Essa é impressão também de Ron Squarer, que responde diretamente ao novo CEO da companhia, Michael Ball. “O Brasil tem o mesmo potencial que a Austrália, Canadá e outros países de importância para o negócio global. Por isso, é fundamental que a equipe continue focada em seu propósito de ir além. Estamos aqui para rever as estratégias e contribuir com esse sucesso”, disse. Uma das questões levantada durante a entrevista aos dois executivos foi entender quais as estratégias que acreditam ser eficientes para que os produtos e os serviços da Hospira continuem atraindo esse mercado. Stefanatos disse que a educação continuada com os profissionais médicos é um importante canal, porque, dessa forma, é possível, além de apresentar de maneira efetiva todo o potencial dos produtos, presta um serviço importante à comunidade de saúde. “Conhecimento nunca é demais e é sempre bem vindo”, acrescentou. Trabalhar os profissionais de saúde com cursos e palestras nas instituições de saúde de todo o país tem sido uma estratégia bastante utilizada pelos representantes e trazem resultados específicos nas regiões. “Temos um grupo de speakers forte e de reconhecimento nacional. Quando organizamos pequenas palestras sobre alguns dos temas relevantes para a companhia, quebramos paradigmas e conseguimos mostrar nossos diferencias”, disse Francisco Martins, gerente de Precedex, que também acaba de chegar para completar o time da Hospira. Ron finalizou a entrevista parabenizando a equipe da Hospira Brasil que tem se mostrado determinada e completamente comprometido com as diretrizes da empresa. “Represento aqui toda a companhia para desejar muito sucesso ao Brasil e felicitar a todos pela produtividade, empenho e entrosamento com o negócio”.

09


TENDÊNCIA

O Delirium na Unidade de Terapia Intensiva O delirium que ocorre em pacientes internados nas UTIs é um preditor forte e independente de hospitalização prolongada, reintubação, mortalidade aumentada e maiores custo de tratamento. A incorporação da avaliação do delirium na prática clínica da UTI pode melhorar os resultados, a longo prazo, dos pacientes.

Dr. José Mario Teles, presidente Futuro da AMIB (Associação de Medicina Intensiva Brasileira)

O “delirium” é uma categoria diagnóstica do CID-10 (OMS, 1993) e é definido pelo Manual Diagnóstico e Estatístico das Perturbações Mentais (DSM-IV ), da Associação Americana de Psiquiatria (APA, 1994). Quando a alteração de juízo é decorrente de um distúrbio da consciência, chamamos de "delirium”.

Entretanto, “delírio” é um sintoma observado principalmente nas esquizofrenias, onde existe alteração do juízo de realidade, com incapacidade de distinguir o falso do verdadeiro. O diagnóstico do delirium na UTI pode ser feito utilizando instrumentos simples, rápidos e bem validados. Utilizando o Método de Avaliação de Confusão Mental na UTI CAM-ICU (figura 1), diagnosticado em duas etapas. Primeiramente, é necessário avaliar o nível de consciência (vigília) através de uma escala padronizada de sedação (Escala Richmond de Agitação Sedação - RASS); e o método CAM-ICU avalia os doentes em relação a quatro características de delirium.

Método de avaliação da confusão mental na UTI (Confusion Assessment Method in the ICU - CAM-ICU)

RASS > -4 (-3 até +4) Próximo passo

Se RASS =-4 ou -5 (-3 até +4)

PARE Reavalie o paciente depois

10

Delirium = 1 + 2 + 3 ou 4


ews Todos os envolvidos nos cuidados dos pacientes internados na UTI deveriam estar cientes dos fatores de risco do delirium, pois alguns são modificáveis. Mesmo aqueles fatores relacionados às características do paciente ou a doenças crônicas devem ser conhecidos, para que ações preventivas sejam adotadas com mais precocedade. No ambiente da UTI, devemos promover um maior envolvimento dos familiares com os pacientes, seja por flexibilização dos horários de visita, seja pela presença de familiares 24 h/dia na UTI. Outro ponto não menos importante é a restrição desnecessária do paciente, o não retirar o paciente do leito. Um programa de atividade física, com mobilização precoce, inclusive dos pacientes em ventilação mecânica, deve ser instituido. A privação do sono na UTI é outro grande problema. É comum não deixar o paciente dormir a noite, devido às rotinas do plantão noturno. Em média, os doentes das UTI dormem apenas 2 horas por dia e menos de 6% do seu sono é do tipo REM (movimentos rápidos dos olhos). Os sintomas da privação do sono se confundem com os encontrados no delirium, por isso, não tem como se diferenciar uma coisa da outra. Devemos estimular a implementação de um protocolo de sono, com a instituição de medidas efetivas para garantir que o paciente tenha um sono adequado e de boa qualidade. Existem inúmeras publicações demonstrando que o uso excessivo de sedativos e analgésicos aumentam a possibilidade de ocorrência de delirium. Uma estratégia de otimização da sedação deve ser encorajada. Todas as Unidades de Terapia Intensiva devem ter protocolos de sedação instituidos e acompanhados em relação a sua aderência, mas quando nada que, pelo menos, uma rotina de interrupção diária da sedação seja rotineiramente aplicada aos pacientes em ventilação mecânica. A interrupção diária da sedação, uso de baixas doses de benzodiazepinicos e sedativos GABA poupadores (dexmedetomidina)

Característica 1 Início agudo de alterações do estado mental ou curso flutuante

Característica 2 Falta atenção

Característica 3 Pensamento desorganizado

Característica 4 Nível alterado de consciência

ou

Delírio

Quadro 1 - Diagrama de Fluxo do Método CAM-ICU Para diagnóstico de delirium é preciso identificar a presença de alterações do estado mental, destenção e pensamento desorganizado ou nível alterado da consciência. Retirado de Ely EW e col. 2001

devem ser estimulados. A importância da utilização criteriosa destes medicamentos, colocando em destaque a necessidade de ajustes frequentes da analgesia. Principalmente os médicos precisam mudar suas ideias sobre o que nós podemos fazer com relação ao delirium da UTI quando for diagnosticado. Dois estudos randomizados publicados recentemente na JAMA mostraram que dexmedetomidina, um novo agonista do receptor alfa2 que não atua nos receptores de GABA, resultou em menos disfunção cerebral aguda quando comparado aos benzodiazepínicos. O que não está claro é se foi devido ao mecanismo de ação alfa-2 versos o feito agonista GABA dos benzodiazepínicos. Os benzodiazepinicos não são recomendados para o tratamento do delirium porque estes medicamentos são, por eles próprios, fatores de risco de delirium.

Faltam dados que provem a eficácia das estratégias farmacológicas para o tratamento do delirium hipoativo. Entretanto, no tratamento do delirium hiperativo, em que a agitação e o comportamento combativo podem colocar a vida do próprio paciente e a dos membros da equipe em risco, a utilização de medicações psicoativas deve ser feita de forma criteriosa, na menor dosagem que seja eficaz e durante o tempo mais curto possível. Ensaios clínicos controlados recentes não conseguiram demonstrar beneficios de um antipsicóticos sobre outro. São necessários estudos mais bem desenhados, para proporcionar aos medicos, informações mais fidedignas sobre a eficácia e a segurança de ambos os tipos de antipsicóticos, típicos e atípicos, na prevenção e tratamento do delirium na UTI.

Fonte: JAMIB – Jornal da Associação de Medicina Intensiva Brasileira, Nº 58, Jan/Fev/Mar 2011 – páginas 4 e 5.

11


NOSSO NEGÓGIO

Marketing: a alma

do negócio

Pesquisar, analisar, planejar, implementar e avaliar Esses são os verbos praticados pelo departamento de Marketing de uma empresa, e na Hospira essa realidade não é diferente. Para 2011, o setor foi reestruturado, um reflexo do crescimento do último ano. Os líderes da equipe de Marketing são Alexandre Seraphim, Francisco Martins, Felipe Loureiro e Marcio Fragoso. O Marketing age como um guia para outros departamentos diretamente ligados à produção, à execução e ao suprimento de produtos e serviços aos clientes. O trabalho é árduo e exige conhecimento do mercado e do negócio. O primeiro passo é pesquisar e analisar o negócio e o mercado. Em seguida, os envolvidos planejam e desenham um plano de ação sempre com foco em metas previamente estabelecidas. E é justamente a implementação desse projeto que envolve todos os departamentos de uma empresa.

12

“É clichê repetir que o negócio é uma engrenagem, mas essa ideia é bastante pertinente quando vamos explicar o desenvolvimento de uma ação. Não basta o planejar e por no papel, é preciso que a execução seja de responsabilidade de todos. Porque cada departamento, desde a recepção até a presidência, tem o seu papel para o crescimento do negócio”, diz Alexandre Seraphim. Após esse processo chega o momento da avaliação de resultados. Essa fase acontece periodicamente, pois, assim, é possível adequação no plano, se necessário. “O mercado é muito ágil. Estamos vivendo num momento de transformações que refletem diretamente em cada segmento. Precisamos estar atentos e antecipar qualquer movimento”, explica Francisco Martins. Por isso, é válido reforçar que o Marketing não desenha os planos

isoladamente. “É muito importante considerar os comentários de muitas pessoas dentro da empresa. A nossa integração com a Força de Vendas, por exemplo, deve ser constante, porque os profissionais que a compõem estão diretamente ligados ao nosso público final”, diz Felipe Loureiro. Essas sugestões ajudam o restante da empresa a entender e apoiar os esforços de marketing, como também fornecem algumas análises inestimáveis sobre o que o cliente quer e sobre novas ideias. “Os objetivos e diretrizes estabelecidos pelo Marketing devem ser alinhados com a visão e a missão da empresa. Por isso é importante que o envolvimento e cooperação de todos os departamentos na implementação do plano, integrando uma mensagem consistente em todos os canais de comunicação, sejam fundamentais para que ao final as metas possam ser atingidas”, diz Alexandre.


ews E onde queremos chegar? Atingir metas não é algo fácil, sabemos. Portanto, o primeiro passo para se chegar onde se quer é conhecer seu produto, seu concorrente e, principalmente, as necessidades de seu público. Esse conhecimento deve ser disseminado a todos os colaboradores. A comunicação de como andam os negócios deve ser transparente, por isso, a Hospira tem investido em novos canais para apresentar onde está e como está e o que pretende. O Hospira News para os colaboradores passa a ser impresso e trará o universo da empresa, de cada um de nós, dos nossos concorrentes e da força de nosso negócio. Já Hospira News Online, agora, passa a ser direcionado para os profissionais que atuam em Medicina Intensiva, Enfermagem e Anestesiologia e Dor. “Não podemos subestimar a concorrência, porque todos têm o seu valor e seu reconhecimento. Mas temos que superá-la e desenvolver e apresentar nossos diferenciais, tanto em produtos como em atendimento. Antecipar as necessidades de nossos clientes é estar um passo à frente da concorrência”, reforça Alexandre.

Francisco Martins, Felipe Loureiro, Alexandre Seraphim e Marcio Fragoso. No começo de 2010, as metas eram audaciosas, principalmente, em relação ao Precedex. No final do ano, os números foram atingidos, reforçando a ideia de que o mercado brasileiro é um dos mais promissores. “O desafio de ter que crescer rapidamente para aproveitar ao máximo o tempo de proteção de patente que ainda temos é muito grande. Acredito que uma Força de Vendas bem treinada e motivada pode atingir resultados impressionantes.

Certamente, teremos uma estratégia adequada para atuar no mercado quando o cenário mudar e, até lá, já teremos aumentado nosso potfólio com outros produtos promissores”, diz Francisco. Mas se o trabalho eficiente do Marketing é a alma do negócio, cada colaborador, em sua área, é o coração. Porque o que move o homem e o desenvolve e o faz crescer é a paixão e aptidão.

Departamento de Marketing ganha reforços Crescimento leva à reestruturação. Para reforçar a equipe de Marketing e partir para novos desafios, a Hospira foi buscar no mercado mais dois profissionais: Alexandre Seraphim, que assumiu a coordenação do departamento; e Francisco Martins, que chegou para trabalhar o produto Precedex. Alexandre Seraphim

Francisco Martins

Alexandre Seraphim é formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, em Engenharia de Produção, e MBA realizado pela Warwick University, na Inglaterra. São 20 anos de experiência na Indústria Farmacêutica, tendo passado pela Galderma, Novartis e Eli Lilly. “Entusiasmo, dedicação e um excelente ambiente de trabalho são características que encontrei junto à equipe. Dessa forma, tenho certeza

que o trabalho será desenvolvido com bastante competência e chegaremos aonde queremos”, diz. Outra aquisição da empresa, Francisco Martins, é formado em Administração de Empresas pela FEA – Universidade de São Paulo e realizou seu MBA na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Também com anos de experiência no mercado farmacêutico, marcou presença na Baumer, Eurofarma, Roche Químicos e Farmacêuticos e Bristol Myers Squibb. “O desafio é grande, mas temos tudo para superá-los. Uma equipe dedicada, um produto com diferencial significativo e uma marca consolidada no mercado nacional”.

13


HOSPIRA NO MUNDO

Novo CEO O Conselho administrativo da Hospira anunciou, em março de 2011, o novo presidente (CEO) da empresa, Michael F. Ball, em sucessão a Christopher B. Begley, fundador da companhia, que a partir de agora assumirá a presidência do Conselho Executivo Hospira.

Mike Ball

Conhecido como Mike Ball, o executivo de saúde atuou por 16 anos na Allergan, empresa da área de saúde de multi-especialidades, presente em mais de 100 países. O executivo foi responsável pela aceleração do crescimento nos mercados internacionais da Allergan, que trabalha com produtos farmacêuticos especiais, genéricos, produtos biológicos e dispositivos.

Mike Ball continuará o trabalho de crescimento da Hospira. Expandir o alcance global da empresa e fomentar o trabalho dos colaboradores será uma das metas do novo CEO. Em entrevista à assessoria de imprensa da Hospira mundial, Mike Ball falou sobre a satisfação de assumir a presidência da empresa. "Estou profundamente honrado e animado. Tr a b a l h a r e m o s p a r a a u m e n t a r a segurança do paciente, reduzir os elevados custos dos cuidados de saúde e fornecer produtos de alta qualidade”, declarou o CEO para a Hospira.

GIRO RÁPIDO

RH é reestruturado A área de Recursos Humanos desenvolve uma função estratégica dentro da estrutura organizacional. O capital humano das empresas é um dos bens mais valiosos para a consolidação e crescimento empresarial. Para cuidar do seu público interno com maior atenção, a Hospira reestruturou a área de Recursos Humanos no mês de

abril de 2011. Eduardo Lopes dos Santos assumiu a gerência geral de RH da região do Cone Sul, que abrange Argentina, Brasil e Chile, com sede em São Paulo. Nas ações do Brasil, o gestor contará com o apoio de Nathalie Tarin, analista de RH, que iniciou sua carreira na Hospira, como assistente administrativo em 2008.

Sedação e Delirum A Hospira participou do VIII Congresso Norte Nordeste de Medicina Intensiva (CONNEMI), realizado de 5 a 7 de maio em Belém, Pará. O evento contou com mais de 450 participantes. A Hospira interagiu diretamente com o público durante o

14

Simpósio Satélite do dia 6, sobre Sedação e Delirium, com a palestra do Dr. Fernando Dias, diretor da AMIB, e na Feira das Indústrias com os seus representantes: Mariney Volpi, Samuarley Nunes, Luiz Henrique Proença e Adalto Coutinho.


FORA DO EXPEDIENTE

A tecnologia a serviço do homem Os grandes estudiosos da mente acreditam que a tecnologia escravizou o homem e que o tornou solitário. Será? Para o carioca Fabio Pinheiro, Representante de Vendas Pleno Precedex, essa afirmação não se aplica. Apaixonado por tecnologia desde os 12 anos, disse que sempre a usou a seu favor, inclusive, para se aproximar de pessoas com o mesmo interesse e mostrar o seu talento. Seguindo o seu “mentor”, Steve Jobs, um dos fundadores da Apple, NeXT e Pixar, que diz trocar toda sua tecnologia por uma única tarde com o filósofo Sócrates, Fabio não abdica da companhia de amigos, da família e do seu fiel companheiro, Tião, o Cão, para ficar diante de um aparelho, seja ele o mais moderno. “A máquina não substitui o ser humano. Ela deve agregar e servi-lo. Sou completamente antenado. Estou em todas as Redes Sociais e as tenho nos meus três aparelhos de celulares, mas não deixo de ver gente no mundo real, para ficar no virtual”, diz. Essa paixão saudável começou quando Fabio foi apresentado ao Atari; para quem não sabe, um dos primeiros jogos de vídeo game. Fabio passou por todos até chegar, hoje, ao Xbox. “Sou fascinado. Adoro um desafio e, talvez, seja por ter exercitado tanto a minha mente com esses jogos, que hoje encaro qualquer obstáculo traçando estratégias para superá-los”. O primeiro computador que Fabio ganhou de seu pai, o AMIGA, era ligado na TV. Um

dia, passeando seus olhos pelas revistas que começavam a pipocar sobre informática, descobriu o BBS. Uma espécie de sala de bate papo antes da coqueluche do ICQ e do atual MSN. “Eu fiquei alucinado! Para você comprar o programa era preciso cadastrar um Cartão de Crédito. Como só tinha 13, 14 anos, fui obrigado a 'roubar' o do meu pai e, claro, deixá-lo muito bravo”, conta rindo. Outra história desse NERD diferente aconteceu quando era assistente de vendas na Bradesco Seguros. Fabio, nessa época, já tinha devorado muitas revistas, livros e queimado muitos computadores e equipamentos eletrônicos ao abri-los pra tentar entendê-los. “Quando entrei na instituição estavam sendo instalados os primeiros sistemas nas agências e tinha muita pane e o Help Desk, muitas vezes, não conseguia dar conta. Foi então, que descobri que o meu superintende também era um aficionado pelas máquinas e começamos a trocar informações e, com isso, auxiliar o pessoal do Help. Ou seja, abri muitas máquinas e as consertei”. Fabio disse que anda ansioso, porque espera a entrega de seu mais novo aparato tecnológico: um Ipad 2, que irá fazer parte da sua coleção que contém um IPhone 4, um MacBook, dois BlackBerry, um da Nextel, todos ligadíssimos 24 horas na Internet, além do computador da Hospira.

Em janeiro, Fabio foi um dos colaboradores a participar do SCCM 2011, em San Diego, Califórnia. Nós, daqui, por meio do seu Facebook ficamos sabendo de todos os detalhes de sua viagem e do evento em tempo real. Fabio postava todas as suas observações sobre esse importante momento de sua trajetória na Hospira. E depois de contar suas histórias revela que o seu objeto de desejo é um IMac 27 polegadas.

Siga o

Fábio

facebook.com/fabiojsp

twitter.com/Fabiojsp

15


Nossa empresa em ação

0 800 891 93 20


Hospira news #1