Issuu on Google+

TRANSPORTE CICLOVIÁRIO A MOBILIDADE URBANA INTEGRADA A SUA CIDADE


O QUE A SUA CIDADE GANHA COM O ICENTIVO A CICLOMOBILIDADE? MELHOR QUALIDADE DE VIDA INCLUSÃO SOCIAL INTEGRAÇÃO MODAL CRIAÇÃO DE PEQUENOS NEGÓCIOS VALORIZAÇÃO DOS ESPAÇOS PÚBLICOS REESTRUTURAÇÃO URBANA

REDUÇÃO POLUIÇÃO SONORA POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA TEMPO DOS DESLOCAMENTOS CONGESTIONAMENTO ACIDENTES COM CICLISTAS

O QUE O CICLISTAS QUER?

QUALIDADE FÍSICA DA INFRAESTRUTURA Proteção lateral, sinalização, iluminação e adequação do piso; INFRAESTRUTURA CONTÍNUA Tratamento das interseções, onde a bicicleta deve ter espaços adequados e independentes para realizar as travessias necessárias à continuidade de um trajeto; FACILIDADE PARA GUARDAR A BICICLETA Estacionamentos seguros (bicicletários ou paraciclos) em vários pontos do espaço urbano, com vigilância permanente; INTEGRAÇÃO DA BICICLETA COM OUTROS MODOS A mobilidade do ciclista e a aceitação deste modal aumentam muito caso este aspecto seja atendido. A integração depende também de infraestrutura para segurança das bicicletas, banheiros, etc.


Mobilidade sustentável

lei 12.587/12

É LEI!

FICA A DICA O Plano de mobilidade urbana é obrigatório para municípios com mais de 20 mil habitantes e deverá ser integrado ao Plano Diretor Municipal até 2015, findo os quais, o município ficará impedido de receber recursos orçamentários federais destinados à mobilidade urbana até que atenda a exigência da lei. Conforme o estatuto das Cidades: Plano diretor obrigatório para cidades com mais de 20 mil habitantes e, para cidades com mais de 500 mil habitantes, obrigatório o plano de transporte urbano.


SAIBA COMO A LOGITRANS

PODE AJUDAR A TORNAR ISSO POSSÍVEL NA SUA C PRIMEIRAS ETAPAS

1

RECONHECIMENTO DA CIDADE

2

RECONHECIMENTO EM CAMPO DA REDE CICLOVIÁRIA ATUAL

PESQUISAS

4

(SE EXISTENTE);

contagens volumétricas em de entrevistas com os cicli definição do projeto geom

DIAGNÓSTICO DO SISTEMA VIÁRIO E ANÁLISE DA CAPACIDADE DAS VIAS PASSIVEIS DE RECEBEREM IMPLANTAÇÃO DE TRECHOS DA REDE CICLOVIÁRIA;

ELABORAÇÃO DE PROJETOS

assim como outras ob cicloviária exige proje de drenagem, de ilumi seguir as normas técn

ETAPAS COMPLEMENTARES

INTEGRAÇÃO MODAL I COMUNICAÇÃ


R CIDADE “O envolvimento direto no planejamento, execução e implantação de projetos, nos diversos ramos da mobilidade, nos motiva a buscar desafios maiores”

3

O

CONTAGENS DE TRÁFEGO NA REDE CICLOVIÁRIA EXISTENTE OU NAS VIAS ONDE FOI CONSTATADO MAIOR ÍNDICE DE CICLISTAS;

m pontos especiais e interseções, além istas são muito importantes para posterior étrico.

5

CONCEPÇÃO DO PROJETO BÁSICO CICLOVIÁRIO VISANDO AUMENTAR A MOBILIDADE DOS USUÁRIOS DA BICICLETA, BEM COMO A SEGURANÇA.

bras de engenharia, a implantação de uma rede to geométrico, de sinalização, de pavimentação, inação e de estacionamento. Estes projetos devem nicas e recomendações de manuais específicos.

S

ÃO I BICICLETÁRIOS I

PARACICLOS


Empresa de consultoria fundada em 1997 com sede em Curitiba e atuação no Brasil e exterior. A Logitrans já realizou estudos em mais de 90 cidades. Nossa equipe tem compromisso constante com os resultados, desenvolvendo, testanto e implantando alternativas inteligentes de transporte em conjunto com órgãos governamentais, empresas privadas e agências multilaterais de financiamento. Saiba mais sobre a Logitrans e seus projetos, acesse: www.logitran.com.br

Rua México, 320 - Bacacheri - Curitiba/PR -Brasil CEP 82510-060 Fone/Fax: +55 41 3357-2142 contato@logitran.com.br


Lgt folder teste