Page 1


Universidade Nove de Julho - Vila Maria MĂłdulo: Planejamento e Pesquisa AgĂŞncia: Kratos Alunos: Agatha Macedo R.A 317202249 Camila Marques R.A 317201202 Gabriel Antonio R.A 319106690 Kevin Clarindo R.A 317100376 Vitor Hugo R.A 319202791 Wendy Ghannam R.A 318104703


e q u i p e


P R O J E T O DISCENTE


10

EC ONOMIA CRIATIVA

O que é Economia Criativa? Potencial de Crescimento & Mercado Dados Gerais da Indústria Criativa Qual a importância da economia criativa? Pretahub e a economia Porte Verba

11 11 12 13 13 14 14

15

pesquisa e opinião de mercado

Problema de Pesquisa Hipóteses de Trabalho Objetivos: Primários e Secundários Método de Pesquisa Tipos de Pergunta Público Alvo Amostra Defesa de Pesquisa Período Abordagem

16 16 16 17 17 17 17 17 18 18


Quanto à Forma Quanto ao Contéudo Técnicas Amostrais Questões/ Pesquisa Tabulação Gráficos Relatório

18 18 18 18 22 26 30

32

p l a n e ja m e n t o e s t r at ég i c o d e c a m pa n h a

Histórico da Empresa Produtos Feira Preta Afrolab Pretas Potências Conversando A Gente Aprende Afrohub Éditodos Missão, visão e valores Posicionamento da Marca Público Alvo Demográfico Geográfico Psicográfico Personas Análise dos Concorrentes BlackRocks

32 34 34 35 35 36 37 38 39 39 39 39 39 39 40 40 41


Vale do Dendê ANIP Análise SWOT/ PFOA Problema a Ser Resolvido Objetivo de Marketing Objetivo de Comunicação USP Promessa Secundária Reason Why Análise Macroambiente Ambiente Tecnológico Demográfico Fatores Econômicos Educação Aspectos Fisicos Naturais Aspectos Socioculturais Politico Legal Moodboard Planejamento de Campanha Publicidade e Propaganda Redes Sociais OOH E-mail Marketing Audiovisual Exposição no mêtro Exemplos das Peças Defesa da Proposta

41 41 45 45 45 45 46 46 46 46 46 47 49 50 51 52 54 55 55 55 55 56 57 57 58 59 60


10


EC ONOMIA CRIATIVA

O que é Economia Criativa?

É o mercado onde o valor está imposto no conteúdo intelectual, cultural e criativo. Atualmente este mercado conta com cerca de 13 segmentos, por exemplo, o mercado de jogos digitais, moda, audiovisual entre outros.

Potencial de Crescimento & Mercado

Com base nos últimos dados do BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social), o setor da Economia Criativa no Brasil em 2015 movimentou cerca de R$155 bilhões, valor que corresponde a 2,64% do PIB brasileiro. Em prol desse levantamento efetuado, economistas estimam que o setor venha a crescer cerca de 4,6% até 2021, valor esse acima da média mundial (4,2%). Segundo estudos realizados pelo Ministério da Cultura, o setor de economia criativa, mobilizou em 2018 cerca de 3% do PIB mundial, gerando mais de 30 milhões postos de trabalho e um movimentando cerca de U$2,5 bilhões. No Brasil, o setor alcançou cerca de 1,8% dos trabalhadores formais em 2015, e o número de trabalhadores já empregados na área chega à margem das 850 mil pessoas. Entretanto, no Brasil, os empresários não investem pesado nesse setor, pela alta tributação, principalmente nas atividades audiovisuais e musicais, isso faz com que muitos neo empresários busquem o Simples Nacional, citado com um facilitador para os empresários empreenderem no setor da economia criativa brasileiro.

Segmentos da Economia Criativa

Os segmentos da Economia Criativa, são divididos em quatro áreas: Consumo, Mídias, Cultura e Tecnologia.

Consumo: Design Gráfico, Publicidade e Moda. Mídias: Editorial e Audiovisual. Cultura: Expressões culturais, Patrimônio e Artes, Música e Artes Cênicas. Tecnologia:

Pesquisa e Desenvolvimento, Biotecnologia, e Tecnologias da

Informação e Comunicação.

11


Dados Gerais da Indústria Criativa

IMPORTÂNCIA ECONÔMICA

Mais de

800 mil

Setor gera empregos e contribui para o desenvolvimento do país

pessoas são empregadas pela indústria criativa no Brasil

POR ÁREA

DIFERENÇA SALARIAL

A participação de cada área da economia

Compare os rendimentos mensais dos

criativa na geração de empregos

empregados na economia criativa com a média nacional r$ 6.270

44,2%

36,8%

11,1%

7,8%

r$ 2.451 MERCADO

INDÚSTRIA

DE TRABALHO

CRIATIVA

Movimentou cerca de

U$2,5 bilhões

POR ESTADO As Unidades da Federação com mais participação da economia criativa no PIB total: 3,9%

SÃO PAULO

3% é a participação da indústria criativa no PIB total do Brasil

3,1%

DISTRITO FEDERAL

SANTA CATARINA

RIO GRANDE DO SUL

12

3,7%

RIO DE JANEIRO

2,3% 1,9%


Todos os dados foram efetuados pelo MICBR (Mercado das Indústrias Criativas do Brasil), no ano de 2018. Com base nesses dados é possível concluir que o setor econômico criativo está em constante ascensão no cenário brasileiro e mundial, sendo possível notar que o setor tem um forte impacto sob o PIB do Brasil.

Qual a importância da economia criativa?

Pelo que vimos até aqui, já é possível entender o quão significativa é a importância da economia criativa. Além dos números citados acima sobre geração de empregos e valor no Brasil, há ainda outros que são impressionantes. Estamos falando de um setor que cresce no Brasil em plena crise e arranca com força em cenários mais otimistas e favoráveis, puxando a fila da economia. Um país pode perder infraestrutura, capacidade para investir e até reservas internacionais. Mas a criatividade de suas pessoas sempre existirá, assim como sua cultura e história. A partir disso, diversas ideias podem surgir e empreendimentos serem realizados. É função do governo e organizações em geral permitir que esse ecossistema se desenvolva com redução de burocracia, surgimento de linhas de crédito e apoio logístico.

Pretahub e a economia

A Pretahub entende que muito já se foi feito, mas ainda falta. Eles enxergam a falta de representação e pensam a relação com a cultura, a economia e o afro empreendedorismo, para uma sociedade e um mercado que precisa integrar essa população, inclusive no respeito à sua existência e potência criativa e empreendedora. Com o foco na inclusão de empreendedoras e empreendedores negros para um ecossistema empreendedor mais justo e equilibrado, a Pretahub tem o papel de acelerar este processo de empreendedorismo negro no Brasil. Segundo a pesquisa A Voz e a Vez, realizado por Renato Meirelles, cerca de 54% da população do brasileira são composta por pessoas negras, movimentando em renda própria cerca de R$1,7 trilhões por ano, apesar deste estudo, 82% dessas pessoas não aparecem nos anúncios comerciais e não se sentem representados. A pesquisa também revela que 29% dos negros possuem seu próprio negócio formal, movimentando uma renda de aproximadamente R$359 bilhões por ano, 82% desses empreendedores não possuem CNPJ e empreendem informalmente, 57% desses empreendedores dizem que o negro no Brasil sofre preconceito ao tentar empreender.

13


Segundo o movimento Black Money, o afronegócio corresponde a mais da metade da economia brasileira, sendo identificável que mais da metade dos empreendedores não possuem nenhum tipo de instrução para empreender, 11% conseguiram chegar ao ensino fundamental e apenas 4% concluíram o ensino superior. Segue dados do movimento Black Money: Podemos afirmar que toda mão de obra composta por pessoas negras, não possuem o retorno adequado para os mesmo no ambiente brasileiro, sendo possível traçar o verdadeiro objetivo do Black Money e da Pretahub, fazer com que o negro empreendedor seja reconhecido e remunerado de forma eficaz, longe de toda desigualdade racial e sociocultural.

Porte

Empresa de Pequeno Porte(EPP) A empresa conta com a quantidade de 11 a 50 colaboradores, existindo a possibilidade de haver novos colaboradores por tempo limitado. Sendo sua CEO, Adriana Barbosa

Verba

Embora a empresa não libere dados sobre seu capital atual, é possível obter dados do Festival Feira Preta, caracterizado como uma das maiores fonte de renda da Pretahub. Em 2018 o festival, ao longo de 10 dias e mais de 40 atrações distribuídas em cerca de 10 territórios culturais, movimentou em torno de R$700.000,00. Verba disponível: R$100.00,00

14


15


pesquisa e opinião de mercado A Pretahub é um “Hub” de criatividade, inventividade e tendências pretas. É o resultado de atividades do Instituto Feira Preta no trabalho de mapeamento, capacitação técnica e criativa, aceleradora e incubadora do empreendedorismo negro no Brasil. Temos como objetivo de marketing o aumento de 30% na quantidade de participantes na Feira Preta e 50% nos demais projetos. Ampliando campo de atuação, expandindo para mais regiões dentro da cidade de São Paulo com predominância de hegemonia negra. Problema a ser resolvido: a falta de visibilidade da marca.

Problema de pesquisa

Aumentar a visibilidade e quantidade de participantes engajados com a Pretahub em São Paulo.

Hipóteses de trabalho

Ampliando a comunicação para outros meios, será possível estreitar o relacionamento com os empreendedores. Investindo em marketing de relacionamento conseguiríamos expandir a percepção da marca. Investindo em marketing de conteúdo, conseguimos estreitar a relação com o público alvo e consequentemente a percepção da marca.

Objetivos: primários e secundários

PRIMÁRIO: Através da aplicação da pesquisa, identificar possíveis ações estratégicas para estreitar a relação com o público alvo e consequentemente a percepção da marca.

SECUNDÁRIO: Identificar os hábitos relacionados a comunicação do nosso público alvo; Identificar quais fontes de informações nosso público alvo mais busca, e quais redes sociais mais acessam; Identificar qual a dificuldade do público para empreender; Identificar dados geográficos do público.

16


MÉTODO DE PESQUISA

Pesquisa quantitativa:

Com a quantitativa conseguimos identificar a quantidade de pessoas engajadas com nossos objetivos e os locais de atuação da campanha de forma mais certeira, selecionando previamente o público.

Tipos de pergunta

Utilizamos para a construção da pesquisa, perguntas de múltipla escolha com uma resposta, com várias respostas, com a opção de resposta “outro” e de escala de avaliação.

Público alvo

Homens e mulheres, negros e pardos, entre 18 à 50 anos residentes na cidade de São Paulo e em seus arredores com formação média. Empreendedores e aspirantes do segmento que buscam capacitação técnica e criativa.

Amostra

Amostragem por escolha racional, pois a pesquisa almeja o público negro e pardo residente no estado de São Paulo, povos de outras etnias não são relevantes para este questionário. Segundo dados estimativos arrecadados, a amostra ideal para realização da pesquisa, com uma margem de erro de 5%, é de 385 pessoas, o cálculo foi realizado tendo como base em torno de 13 milhões de pessoas negras ou pardas residentes no estado de São Paulo. Fontes: http://produtos.seade.gov.br/produtos/idr/download/populacao.pdf https://www.opinionbox.com/calculadora-margem-de-erro/

Obs: Os dados apresentados neste relatório se referem a uma pesquisa preliminar aplicada a contatos mais próximos, sendo assim uma amostra para teste de eficiência de pesquisa.

Defesa de Pesquisa

O método quantitativo foi escolhido pela fácil compreensão e distinção dos dados adquiridos pela pesquisa, segundo o objetivo primário, dados qualificatórios não são relevantes para tal, e consequentemente para o desenvolvimento da campanha.

17


Período O correspondente período de aplicação da pesquisa será entre 01 de novembro de 2019 até 01 de dezembro de 2019.

Abordagem Por meio das redes sociais, sendo elas: Instagram, Grupos de Facebook e WhatsApp.

Quanto à forma: Estruturado Quanto ao conteúdo: Não-disfarçado, pois facilita para obtermos o consentimento para a entrevista, já que estaremos revelando o por que de solicitarmos determinado tempo da pessoa para responder nossas perguntas. Além disso traz credibilidade para a pesquisa e visibilidade para a marca que é inclusive o que buscamos.

TÉcnicas Amostrais:

A técnica escolhida foi a de amostra probabilística de forma estratificada, pois estamos subdividindo a população em uma camada homogêneo levando em consideração aspectos como etnia e localização. Escolhemos essa técnica, pois subdividindo por tais aspectos teremos a “fatia” da população específica para analisar características do nosso público/ entrevistado e do que ele pensa.

questões/ pesquisa

Vamos dar o primeiro passo? Oi, somos a Pretahub e somos aceleradora do empreendedorismo negro no Brasil. Se você é afrodescendente e tem uma ideia que está na gaveta, essa é a hora de tirá-la. Respondendo essas perguntas você ajuda a gente a te ajudar. Vai ser rapidinho, tipo uns 5 minutos. > Endereço de e-mail ___________________________

18


> Conta pra gente, como você se identifica: ( )Amarelo ( ) Branco ( ) Negro ( ) Pardo ( ) Outros… > Você tem interesse de ter o seu próprio negócio? ( ) Sim ( ) Não

Vamos continuar...

> Qual sua idade? ( ) 18 a 25 anos ( ) 26 a 35 anos ( ) 35 a 45 anos ( ) 46 a 55 anos ( ) Acima de 56 anos > Com qual gênero você se identifica? ( ) Feminino ( ) Masculino ( ) Outro > Em que região de São Paulo você mora? ( ) Zona Norte ( ) Zona Leste ( ) Zona Sul ( ) Zona Oeste ( ) Grande São Paulo ( ) Outros… > Você já trabalha com a sua ideia? ( ) Sim, já trabalho ( ) Ainda não, mas quero começar > Se sim, você trabalha de maneira: ( ) Formal ( ) Informal ( ) Não trabalho com minha idéia

19


> O que dificulta ou dificultou, para você abrir o seu negócio? ( ) Burocracia/ Leis ( ) Falta de conhecimento sobre empreendedorismo ( ) Falta de dinheiro ( ) Falta de tempo ( ) Preconceito ( ) Situação econômica atual > O que te motiva? ( ) Autonomia ( ) Estabilidade Financeira ( ) Melhor qualidade de vida ( ) Passar mais tempo com a família ( ) Outros… > Quais redes sociais você mais utiliza? ( ) Facebook ( ) Instagram ( ) Twitter ( ) LinkedIn ( ) WhatsApp ( ) Youtube > Você costuma pesquisar sobre empreendimentos e como empreender? ( ) Sim, tenho muita curiosidade no assunto. ( ) Não, mas tenho vontade de saber mais. ( ) Não, vou pesquisar só quando eu puder começar. > Para busca de informações, quais canais você mais utiliza? ( ) Redes Sociais ( ) Sites de Busca (Google) ( ) Jornal / Revista ( ) Bibliotecas ( ) Outros… > Prefere quais tipos de conteúdo? ( ) Vídeo aulas ( ) Cursos online ( ) Cursos presenciais ( ) E-book ( ) Outros…

20


> Antes de colocar o seu projeto em prática, quanto você acha interessante fazer um curso especializado na área? Pouco Interessante ()1 ()2 ()3 ()4 ()5 Muito Interessante > Como você chegou até aqui? ( ) Grupo Facebook ( ) Facebook de amigos ( ) Instagram ( ) WhatsApp ( ) Twitter ( ) Outros…

LINK DA Pesquisa

Google Forms: https://forms.gle/FDnsNeyF8B2uNRkB8

21


TABULAÇÃO

22

Opções

Como você se identifica?

Branco

11

Indígena

1

Negro

23

Pardo

13

Total Geral

48

Opções

Você tem interesse de ter o seu próprio negócio?

Não

11

Sim

26

Total Geral

37

Opções

Contagem de faixa-etária

Menores de 18 anos

8

18 a 25 anos

14

26 a 35 anos

2

35 a 45 anos

2

Acima de 56 anos

0

Total Geral

26

Opções

Com qual gênero você se identifica?

Feminino

13

Masculino

13

Outro

0

Total Geral

26

Opções

Em que região de São Paulo você mora?

Bahia

1

Grande São Paulo

3

Guarulhos

1

Jundiai

1

Limeira

1

Zona Leste

2

Zona Norte

16

Zona Sul

1

Outro

0

Total Geral

26


Opções

Você já trabalha com a sua ideia?

Ainda não, mas quero começar

22

Sim, já trabalho

4

Total Geral

26

Opções

Se sim, você trabalha de que maneira:

Formal

1

Informal

7

Não trabalho com minha idéia

18

Total Geral

26

Opções

O que dificulta ou dificultou, para você abrir o seu negócio?

Burocracia/ Leis

1

Burocracia/ Leis, Falta de conhecimento sobre empreendedorismo, Falta de dinheiro, Falta de tempo, Preconceito

1

Burocracia/ Leis, Falta de conhecimento sobre empreendedorismo, Falta de dinheiro, Situação econômica atual

1

Burocracia/ Leis, Falta de dinheiro, Situação econômica atual

1

Falta de conhecimento sobre empreendedorismo

2

Falta de conhecimento sobre empreendedorismo, Falta de dinheiro

1

Falta de conhecimento sobre empreendedorismo, Falta de dinheiro, Falta de tempo, Preconceito, Situação econômica atual

1

Falta de conhecimento sobre empreendedorismo, Falta de dinheiro, Situação econômica atual

1

Falta de conhecimento sobre empreendedorismo, Situação econômica atual

1

Falta de dinheiro

8

Falta de dinheiro, Falta de tempo

1

Falta de dinheiro, Preconceito, Situação econômica atual

1

Falta de dinheiro, Situação econômica atual

1

Falta de tempo

1

Situação econômica atual

4

Total Geral

26

23


Opções

O que te motiva?

Autonomia

2

Autonomia, Estabilidade Financeira

2

Autonomia, Estabilidade Financeira, Melhor qualidade de vida

1

Autonomia, Estabilidade Financeira, Melhor qualidade de vida, Passar mais tempo com a família

3

Autonomia, Estabilidade Financeira, Passar mais tempo com a família

1

Autonomia, Melhor qualidade de vida

1

Autonomia, Melhor qualidade de vida, Passar mais tempo com a família

1

Autonomia, Passar mais tempo com a família

1

Estabilidade Financeira

2

Estabilidade Financeira, Melhor qualidade de vida

3

Estabilidade Financeira, Melhor qualidade de vida, Passar mais tempo com a família

1

Estabilidade Financeira, Passar mais tempo com a família

1

Melhor qualidade de vida

6

Passar mais tempo com a família

1

Total Geral

26

Opções

Quais redes sociais você mais utiliza?

Facebook, Instagram, LinkedIn, WhatsApp

1

Facebook, Instagram, LinkedIn, WhatsApp, Youtube

1

Facebook, Instagram, Twitter, LinkedIn, WhatsApp

1

Facebook, Instagram, Twitter, WhatsApp, Youtube

6

Facebook, Instagram, WhatsApp

3

Facebook, Instagram, WhatsApp, Youtube

6

Facebook, WhatsApp

1

Facebook, WhatsApp, Youtube

1

Instagram

2

Instagram, Twitter, WhatsApp

1

Instagram, WhatsApp

2

Instagram, WhatsApp, Youtube

1

Total Geral

26

24


Opções

Você costuma pesquisar sobre empreendimentos e como empreender?

Não, mas tenho vontade de saber mais.

7

Não, vou pesquisar só quando eu puder começar.

4

Sim, tenho muita curiosidade no assunto.

15

Total Geral

26

Opções

Para busca de informações, quais canais você mais utiliza?

Redes Sociais

2

Redes Sociais, Documentarios rapazeada

1

Redes Sociais, Sites de Busca (Google)

10

Redes Sociais, Sites de Busca (Google), Jornal / Revista

6

Redes Sociais, Sites de Busca (Google), Jornal / Revista, Bibliotecas

3

Sites de Busca (Google)

2

Sites de Busca (Google), Jornal / Revista

1

YouTube

1

Total Geral

26

Opções

Preferem quais tipos de conteúdo?

Cursos online, Cursos presenciais, E-book

1

Cursos presenciais

2

Vídeo aulas

6

Vídeo aulas, Cursos online

2

Vídeo aulas, Cursos online, Cursos presenciais

2

Vídeo aulas, Cursos presenciais

10

Vídeo aulas, Cursos presenciais, E-book

2

Vídeo aulas, E-book

1

Total Geral

26

Nível de Interesse

Antes de colocar o seu projeto em prática, quanto você acha interessante fazer um curso especializado na área?

2

1

3

1

4

4

5

20

Total Geral

26

25


Opções

Como você chegou até aqui?

Facebook de amigos

1

Grupo Facebook

1

Instagram

6

Instagram de um amigo

1

WhatsApp

17

Total Geral

26

GRÁFICOS 1 - Etnia: Como você se identifica? 25

2 - Você tem interesse de ter o seu próprio negócio?

20 15 10 26

5 0

Não

Branco

Indígena.

Negro

Sim

Pardo

3 - Contagem de faixa-etária

Faixa-Etária

Acima de 56 anos Menores de 18 anos 35 a 45 anos 26 a 35 anos 18 a 25 anos 0

2

Feminino

26

Quantidade de Entrevistados

13

Masculino

Outro

6 8 10 Quantidade de Entrevistados

12

14

16

5 - Em que região de São Paulo você mora?

4 - Com qual gênero você se identifica?

13

4

18 16 14 12 10 8 6 4 2 0


6 - Você já trabalha com a sua ideia?

7 - Se sim, você trabalha de maneira: 1

7

15%

85%

Ainda não, mas quero começar

18

Sim, já trabalho

Formal

Informal

Não trabalho com minha idéia

8 - O que dificulta ou dificultou, para você abrir o seu negócio?

Quantidade de Entrevistados

9 8 7 6 5 4 3 2 1 0 Burocracia/ Leis Burocracia/ Leis, Falta de conhecimento sobre empreendedorismo, Falta de dinheiro, Falta de tempo, Preconceito Burocracia/ Leis, Falta de conhecimento sobre empreendedorismo, Falta de dinheiro, Situação econômica atual Burocracia/ Leis, Falta de dinheiro, Situação econômica atual Falta de conhecimento sobre empreendedorismo Falta de conhecimento sobre empreendedorismo, Falta de dinheiro Falta de conhecimento sobre empreendedorismo, Falta de dinheiro, Falta de tempo, Preconceito, Situação econômica atual Falta de conhecimento sobre empreendedorismo, Falta de dinheiro, Situação econômica atual Falta de conhecimento sobre empreendedorismo, Situação econômica atual Falta de dinheiro Falta de dinheiro, Falta de tempo Falta de dinheiro, Preconceito, Situação econômica atual Falta de dinheiro, Situação econômica atual Falta de tempo Situação econômica atual

27


9 - O que te motiva? Quantidade de Entrevistados

7 6 5 4 3 2 1 0 Autonomia Autonomia, Estabilidade Financeira Autonomia, Estabilidade Financeira, Melhor qualidade de vida Autonomia, Estabilidade Financeira, Melhor qualidade de vida, Passar mais tempo com a família Autonomia, Estabilidade Financeira, Passar mais tempo com a família Autonomia, Melhor qualidade de vida Autonomia, Melhor qualidade de vida, Passar mais tempo com a família Autonomia, Passar mais tempo com a família Estabilidade Financeira Estabilidade Financeira, Melhor qualidade de vida Estabilidade Financeira, Melhor qualidade de vida, Passar mais tempo com a família Estabilidade Financeira, Passar mais tempo com a família Melhor qualidade de vida Passar mais tempo com a família

10 - Quais redes sociais você mais utiliza?

Quantidade de Entrevistados

7 6 5 4 3 2 1 0

28

Facebook, Instagram, LinkedIn, WhatsApp

Facebook, Instagram, LinkedIn, WhatsApp, Youtube

Facebook, Instagram, Twitter, LinkedIn, WhatsApp

Facebook, Instagram, Twitter, WhatsApp, Youtube

Facebook, Instagram, WhatsApp

Facebook, Instagram, WhatsApp, Youtube

Facebook, WhatsApp

Facebook, WhatsApp, Youtube

Instagram

Instagram, Twitter, WhatsApp

Instagram, WhatsApp

Instagram, WhatsApp, Youtube


11 - Você costuma pesquisar sobre empreendimentos e como empreender? 7

15 4

Não, mas tenho vontade de saber mais. Não, vou pesquisar só quando eu puder começar. Sim, tenho muita curiosidade no assunto.

12 - Para busca de informações, quais canais você mais utiliza? YouTube Sites de Busca (Google), Jornal / Revista Sites de Busca (Google) Redes Sociais, Sites de Busca (Google), Jornal / Revista, Bibliotecas Redes Sociais, Sites de Busca (Google), Jornal / Revista Redes Sociais, Sites de Busca (Google) Redes Sociais, Documentarios rapazeada Redes Sociais 0

2

4

6

8

10

12

Quantidade de Entrevistados

13 - Prefere quais tipos de conteúdo? Vídeo aulas, E-book Vídeo aulas, Cursos presenciais, E-book Vídeo aulas, Cursos presenciais Vídeo aulas, Cursos online, Cursos presenciais Vídeo aulas, Cursos online Vídeo aulas Cursos presenciais Cursos online, Cursos presenciais, E-book 0

5

10

15

Quantidade de Entrevistados

29


Quantidade de Entrevistados

14 - Antes de colocar o seu projeto em prática, quanto você acha interessante fazer um curso especializado na área? 25 20 15 10 5 0

0

2

4

6

Niveís de Satisfação 0-Insatisfeito | 5-Muito Satisfeito

15 - Como você chegou até aqui? 18

Quantidade de Entrevistados

16 14 12 10 8 6 4 2 0

Facebook de amigos

Grupo Facebook

Instagram

Instagram de um amigo

WhatsApp

relatório Com base nos resultados obtidos, podemos notar que mais da metade dos entrevistados possuem a vontade de ter o próprio negócio, este mesmo público reside predominantemente em São Paulo, fator altamente relevante para a Pretahub, pois, notamos que, 85% dos entrevistados ainda não trabalham com suas ideias. Nota-se que o público, possui mais interesse e consequentemente consome conteúdos, sendo a maior parte, pelo meio digital, a produção de E-books, vídeo aulas e cursos EAD seria de extrema importância para a empresa! O foco agora é redirecionar a campanha, com o foco nos meios digitais, para que assim, a Pretahub venha a ser descoberta e conhecida por mais pessoas negras e pardas que tenham interesse em empreender, levando como foco para toda a campanha, a cidade de São Paulo, pela mesma ser cultural e socialmente o ponto mais forte de presença do público alvo da Pretahub. Link: https://drive.google.com/file/d/1Bv5c_TVyrsmscd4o8v2XaKhoILUDdPrj/view?usp=sharing

30


31


pl anejamento estratégico de campanha

Histórico da empresa

Razão Social: Feira Preta Produções E Eventos Eireli Nome Fantasia: Pretahub CNPJ: 25.124.796/0001-15 Segmento: Serviços - Atuação em organização de feiras, congressos, exposições e festas Endereço: Rua Gabus Mendes, 29 - Sala 15 - República, São Paulo | SP Data de Abertura: 04/07/2016 Tipo: Matriz Situação: ATIVA Natureza Jurídica: 230-5 - Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (de Natureza Empresária) Capital Social: 90000.00 Atividade Principal: 82.30-0-01 - Serviços de organização de feiras, congressos, exposições e festas Atividade Secundária: 73.19-0-03 - Marketing direto Telefone: (11) 3031-2374 Sócio: ADRIANA BARBOSA 65-Titular Pessoa Física Residente ou Domiciliado no Brasil CEP: 02035-011 - R Doutor Zuquim, 1087 - Apt 23 Bloco 2 - Santana, São Paulo | SP Quantidade de funcionários: 12 profissionais Porte da empresa: pequeno E-mail:: contato@pretahub.com Site: https://pretahub.com/

32


Entendendo, aceitando e aprendendo com cada uma das etapas desta jornada, a maioridade da Feira Preta, que este ano chega aos 18 anos, é celebrada com um importante reposicionamento e várias novidades: a Pretahub. A Pretahub é um “Hub” (processo pelo qual se transmite ou difunde determinada informação, tendo, como principal característica, que a mesma informação está sendo enviada para muitos receptores ao mesmo tempo) de criatividade, inventividade e tendências pretas. É o resultado de atividades do Instituto Feira Preta no trabalho de mapeamento, capacitação técnica e criativa, aceleradora e incubadora do empreendedorismo negro no Brasil. É a compreensão de que muito já foi feito, mas que o futuro é promissor, vasto e precisa ser olhado a partir da inventividade preta para fazer negócio. Inventividade que não é apenas potente, mas o que de mais criativo e inovador existe nas práticas de um mercado saturado da falta de representação e proporcionalidade em seus modos de criar, desenvolver e escoar produtos e serviços. A Pretahub pensa a relação com a cultura, a economia e o empreendedorismo pretos, a partir de um olhar honesto e propositivo, entendendo seus papéis fundamentais na mudança estrutural de uma sociedade – e um mercado – que precisa absorver esta população não apenas em seus processos de consumo, mas no respeito à sua existência enquanto potência criativa e empreendedora. A Pretahub compreende, portanto, que a tradicional Feira Preta é um de seus produtos, parte integrante de um processo maior e estrutural da inclusão de empreendedoras e empreendedores negros em um ecossistema empreendedor que precisa ser mais justo e equilibrado em oportunidades e resultados financeiros, desde a criação, passando pela produção e estratégias de distribuição e consumo. Hoje, a Pretahub além da Feira Preta, engloba o Afrolab, o Festival de Pretas Potências, o Conversando A Gente Aprende, o Afrohub e o Éditodos.

33


PRODUTOS Feira Preta: Em sua última edição, o Festival Feira Preta recebeu mais de 50 mil pessoas. O evento que nasceu em 2002 como uma feira de produtos de empreendedores negros, hoje é um festival que apresenta conteúdos, produtos e serviços que representam o que há de mais inventivo e inovador na criatividade preta em diferentes segmentos. Do empreendedorismo, da tecnologia à literatura, da música às artes digitais, passando também pelos painéis com o que há de mais urgente e futurista nas reflexões da existência preta. Com programação que ocupa diferentes pontos da cidade de São Paulo com atrações nacionais e internacionais, o Festival Feira Preta pauta a comunicação de grandes veículos de comunicação no mês de novembro, que celebra o Dia da Consciência Negra. Em 2018, foram mais de 40 atrações nacionais e internacionais ao longo de 10 dias, 120 expositores, atividades distribuídas 10 territórios culturais diferentes e circulação monetária superior a R$ 700 mil reais durante o evento. * dados gerais dos 18 anos

34


AfroLab: Programa de capacitação técnica e criativa Com uma perspectiva sistêmica, que dá suporte e capacitação aos negócios desde sua idealização e origem até o escoamento final dos produtos e serviços desenvolvidos, o Afrolab é um programa de apoio, promoção e impulsionamento do afro empreendedorismo. Com uma metodologia exclusiva e inovadora, oferta conhecimento e capacitação técnica e criativa, com foco em inovação, inventividade e auto-conhecimento. Em sua primeira edição, em 2018, capacitou mais de 200 empreendedoras e empreendedores em seis estados: São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Bahia, Pernambuco e Maceió. Em 2019, leva para nove estados brasileiros o Afrolab Para Elas, voltado exclusivamente para mulheres negras empreendedoras.

Pretas Potências: Um Festival Ressignificativo da Abolição Inconclusa. O Festival Pretas Potências surge para ressaltar a força criativa e inovadora da comunidade negra no passado, presente e futuro. A primeira edição do Festival Pretas Potências aconteceu no dia 13 de maio de 2018. A data, marcada oficialmente pelo dia da abolição da escravidão, que tem sido ressignificada pelos movimentos negros como o dia da abolição inconclusa, ganhou programação focada na inovação, criatividade e resistência negra. Os coletivos Alma Preta e Coletivo Abebé foram parceiros na 35


realização do evento, que teve apoio do Centro Cultural São Paulo, Secretaria Municipal de Cultura e Prefeitura Municipal de São Paulo. A programação é pensada para lançar luz às figuras que resistiram e continuam resistindo para o fortalecimento de toda coletividade negra. Em 2019, o Festival Pretas Potências muda de casa e chega com muitas novidades na Red Bull Station em SP.

Conversando A Gente Aprende: desde 2018. Diálogos criativos e propositivos com instituições privadas, públicas e marcas para sensibilizar e promover a cultura da diversidade racial dentro da organização a partir de diálogos qualificados, abordagem humana e centrada na qualidade das relações, autoliderança, corresponsabilidade e ações práticas. Conversando a gente aprende possui uma metodologia própria criada e realizada em parceria com a Mandacaru Consultoria.

36


Afrohub:

O AfroHub é um programa de aceleração de empreendimentos negros com foco na decodificação dos códigos da internet para o uso das redes sociais de forma estratégica para o crescimento dos seus negócios. É idealizado em parceria com o Afrobusiness e Diáspora.Black, com o apoio do Facebook. No ano de 2018, capacitou mais de 1000 empreendedores em quatro estados: São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo. Em 2019, o projeto chega a 9 estados, São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Recife, Belém, Porto Alegre, Vitória, Belo Horizonte e Distrito Federal.

37


Em sua primeira edição o Afro Hub operou entre junho e novembro com atividades em três frentes. Na primeira fase, serão selecionados dez empreendedores. As empresas escolhidas terão acesso a mentorias com executivos do Facebook, ferramentas avançadas de Instagram e Facebook, cupons de crédito para testes na plataforma de anúncios das redes, acesso a conteúdos de e-commerce via parceiros, além de cursos de gestão, vendas e marketing.

Éditodos (Co-branding): O ÉdiTodos é um fundo social que reúne doze entidades, entre ONGs, aceleradoras e empresas sociais. É fruto do trabalho iniciados no âmbito da Força Tarefa de Finanças Sociais, liderado pelo Instituto de Cidadania Empresarial (ICE). Os recursos captados pelo fundo tem gestão da SITAWI Finanças do Bem. Eles podem ser arrecadados junto a pessoas físicas, empresas, fundos multilaterais e family offices preocupados em causar impacto positivo na base da pirâmide social brasileira. Cada real DOADO para o fundo será utilizado no fortalecimento e ampliação de programas que já estão rodando e apresentam resultados exitosos. Em seu conjunto, eles têm potencial de impactar a vida de, pelo menos, 10 milhões* de pessoas, de forma direta ou indireta. *Baseado no número de pessoas vivendo nas periferias das cidades onde atuam os criadores do Fundo.

38


MISSÃO, VISÃO, VALORES

Missão: Acelerar o empreendedorismo negro no Brasil. Visão: Tornar o ecossistema empreendedor mais justo e equilibrado em oportunidades e resultados financeiros, desde a criação, passando pela produção e estratégias de distribuição e consumo.

Valores: A Pretahub pensa a relação com a cultura, a economia e o empreendedorismo pretos, a partir de um olhar honesto e propositivo, entendendo seus papéis fundamentais na mudança estrutural de uma sociedade – e um mercado – que precisa absorver esta população não apenas em seus processos de consumo, mas no respeito à sua existência enquanto potência criativa e empreendedora. Fonte: https://pretahub.com

POSICIONAMENTO DA MARCA A Pretahub se posiciona como parceira do empreendedor negro trazendo a oportunidade de que o sonho de ter o próprio negócio se torne realidade. Trazendo conteúdo na área de negócios e acesso à cultura proporcionando trocas de informações e experiências aproximando pessoas que têm o mesmo propósito para desenvolvimento em grupo.

PÚBLICO-ALVO

DEMOGRÁFICO Homens e mulheres, negros e pardos, entre 18 à 50 anos residentes na cidade de São Paulo e em seus arredores com formação média, classe C e D.

GEOGRÁFICO

Regiões da cidade de São Paulo.

PSICOGRÁFICO Empreendedores e aspirantes do segmento que buscam capacitação técnica e criativa. Além disso, instituições privadas, públicas e marcas que procuram sensibilizar e promover a cultura da diversidade racial dentro da organização. Consomem serviços, produtos, marcas que os fazem sentir representados. Valorizam a facilidade de acesso aos projetos, festivais e feiras, tanto referente a localização como locomoção, mediante a correria cotidiana, cujo têm que

39


dar conta da vida familiar, pessoal, profissional, um público multitarefas que batalha para conquistar um espaço no mercado e na sociedade, além de buscar oportunidades para conquistar condições melhores para si mesmo e seus familiares. A baixa familiaridade com finanças e o tempo escasso para a realização de cursos de formação são problemas comuns em suas trajetórias.

PERSONAS:

Persona 1- Maria Quitéria 24 anos, negra, paulistana, mãe de 2 filhas, umbandista, solteira, com ensino médio incompleto. Iniciou a 1 ano a utilizar as redes sociais para falar de intolerância religiosa sofrida pela a sua cultura africana e empreendendo por meio de e-commerce a venda de artigos afros. Persona 2- Paulo, 31 anos, negro e gay, classe média baixa, morador de comunidade, se formou com muito custo na faculdade de direito na qual despertou uma ideia em unir seu sonho em exercer o direito E ajudar as pessoas de baixa renda a ter mais voz por meio de um escritório de advocacia. Pelo o seu conhecimento adquirido na faculdade tende a multiplicar e aplicar consultoria jurídicas em sua comunidade para quem ao menos podem pagar por esses atendimentos.

ANÁLISE DOS CONCORRENTES

Concorrentes Diretos: BlackRocks, Vale do Dendê e Anip No mercado em que a Pretahub está inserida, existem outras empresas que possuem um objetivo igual ou similar, que é fortalecer e acelerar o empreendedorismo afro brasileiro.

40


BLACKROCKS A BlackRocks visa a descoberta de novos talentos nesse cenário, promovendo a aceleração de startups iniciantes no mercado, assim como a Feira Preta, a BlackRocks proporciona seu chamado “Arena BlackRocks”, onde startups possuem a possibilidade de expor seus negócios para o público, o evento também conta com diversas atrações, como palestras, workshops etc. A empresa também presta serviços de consultorias especializadas, serviços de capacitação na área tecnológica e palestras em seu espaço físico.

VALE DO DENDÊ A Vale do Dendê surgiu com a idéia de um holding social (conjunto de empresas que tem como objetivo central o desenvolvimento de favelas e seus moradores, nesse caso, empresas!), começando suas atividades em 2016, o principal foco da empresa está em Salvador, Bahia. O intuito é gerar um ecossistema criativo e inovador, levando o negro como foco principal desse ecossistema, ajudando-o a expandir seus negócios e idéias. A empresa já promoveu eventos como a “Ocupação Afro Futurista”, realizado na Estação Nova Lapa (maior estação de ônibus do Nordeste), vale ressaltar que, a empresa também presta serviços de consultoria estratégica para órgãos públicos e privados. ANIP O principal foco da Anip, empresas situada na cidade de São Paulo, é a geração de oportunidades e potencialização para negócios das periferias brasileiras (podendo ser caracterizada como um holding social), segundo a empresa, os negócios periféricos possuem grande impacto social na sociedade e fortalecer esses negócios é um meio para promover empreendedores e empreendedoras que podem no futuro gerar mudanças no país. Segundo dados de um estudo feito pela Secretaria Municipal de Promoção e Igualdade Racial, em 2015, mostra que os extremos das zonas Leste e Sul de São Paulo, concentram o maior número de afrodescentes da capital, sendo cerca de 57,7% residente do extremo sul de SP. Outro dado relevante, e que corrobora com a iniciativa da Anip, quando tratamos de trabalho formal, apenas 32,5% dos negros ficam com a vaga e os outros 66,3% são de pessoas brancas, 3% dos negros empregados formalmente conseguem ocupar cargos de lideranças na cidade de São Paulo. Conclui-se que todas essas empresas possui por finalidade alavancar negócios de afroempreendedores e abrir suas mentes para a criatividade de geração e exploração de novos nichos de mercado, fazendo com que, cada vez mais, o movimento Black Money cresça no panorama brasileiro, economicamente e socialmente. Todas as empresas não divulgaram ou não cobram pela prestação de seus serviços, todas elas possuem apoiadores de grande renome, sendo alguns deles, IBM, Casas Bahia, Itaú Social etc.

41


Concorrentes Indiretos: Sebrae, Google for Startups Ambas prestam apoio aos empreendedores iniciantes, o Sebrae com apoio financeiro e intelectual e o Google, possui um espaço para inserção de startups, para que assim, se possa, prestar apoio ao negócio que está em início. As duas possuem o mesmo foco, porém sem diferenciação de grupo étnico, ou classe social.

8P’s Produto

Pretahub

Blackrocks

Vale do Dendê

Anip

Palestras, Workshops, Cursos de Capacitação na área tecnológica;

Palestras; Cursos de Capacitação: situados na área da tecnologia;

Oferta de cursos, treinamentos e workshops, ainda está em processo de construção a chamada “Escola Vale do Dendê”;

Palestras em regiões periféricas;

Serviços; Consultorias; Feira Preta; Serviços. AfroHub;

Consultoria estratégica voltada à elaboração de projetos;

AfroLab; Disponibilidade de Book (diferencial) em seu site, expondo afroempreendedores afetados pelo projeto;

Festival Preta Potências; Conversando a Gente se Aprende;

Programa de Aceleração: seleção de dez negócios, para o investimento de R$20.000,00 e acompanhamento ao longo de 8 meses; Serviços.

Serviços;

Éditodos (CoBranding).

Preço

Consultorias Especializadas;

Orientação de vendas, voltado a inserção no mercado e repaginação da marca;

Orientação de vendas, preço para entrada de empreendedores no mercado;

Orientação de vendas, preço para o empreendedor se inserir no mercado;

Demanda Plena;

Demanda Plena.

Demanda Plena.

Orientação de vendas, preço para entrar no mercado; Demanda Plena.

42


8P’s Praça

Pretahub

Blackrocks

Vale do Dendê

Anip

Distribuição Direta;

BlackRocks;

Espaço Vale do Dendê, sua localização física, sediada em Av. Vale do Tororó, s/n – Tororó Estação da Lapa – Loja 44 Salvador, Bahia;

Lugares escolhidos para sediar palestras, consultorias e fórum de discussões.

Demanda Seletiva. São Paulo; Oito estados brasileiros.

Meio digital: Site, mídias sociais; Sede em São Paulo; Distribuição Direta de seus serviços.

Demanda seletiva e direta.

Distribuição direta e seletiva.

Locais dispostos a sediar. Consultorias gratuitas.

Promoção

Relações Públicas; O principal foco está nas mídias Assessoria de sociais e em seu Imprensa; site. Marketing digital e de relacionamento.

Processos

Uso de cursos e workshops em seus diferentes produtos; Consultorias especializadas; Presença em eventos e em eventos próprios (Festival Feira Preta);

Marketing de Relacionamento (Relações Públicas).

Facilidade para clientes entrarem em contato pelo site, uso de emails e telefone; Processo de mentoria inicial; Disponibilidade de informações por meio das mídias sociais;

Toda captação de público é feita pelas mídias sociais, eventos (palestras, rodas de discussões etc) e seu site;

Mídias sociais, site, notícias em portais online de jornais, como o Jornal Estadão. Marketing de Relacionamento;

Marketing de Relacionamento; Relações Públicas; Assessoria de Assessoria de Imprensa. Imprensa. Encontro de empresas com potencial econômico, e desenvolvimento de estudos com consultoria; Escola Vale do Dendê em desenvolvimento, com foco em oferecer cursos de capacitação;

Disponibilidade de informações por meio das mídias sociais;

Disponibilidade de informações em seu site e em mídias sociais;

Facilidade para contato inicial.

Fácil contato com consultores.

Fórum de discussões sobre projetos de impacto econômico e social a periferia; Investimento em negócios promissores; Workshops gratuitas, fácil contato com a equipe, disponibilidade de informações no site, e em mídias sociais.

43


8P’s Posicionamento

Pretahub

Blackrocks

Vale do Dendê

Anip

Ambiente aberto a novas opiniões;

Ambiente interno a empresa bem estruturado, distribuido para uma boa comunicação interpessoal entre os colaboradores;

Ambiente da empresa bem estruturado, possuindo um espaço aberto para idéias;

Empresa inserida na comunidade, possuindo bastante aceitação do público periférico;

Ambiente estruturado para palestras, cursos e workshops; Eventos voltados para o público negro. Grande presença nas mídias sociais, iniciativa voltada a causa sociais e economicamente culturais.

Pessoas

Colaboradores capacitados e formados em cursos de ensino superior; Atenciosos no momento do atendimento ao público interessado em seus produtos;

Presença na Campus Party, expondo o serviço oferecido e captando novos empreendedores;

Matéria no jornal “Correio Bahia”, tratando assuntos sobre inovação;

Fácil meio para entrar em contato com a empresa.

Palestras em ambientes diversos.

Colaboradores capacitados, e atenciosos para atender ao público da melhor forma possível. Afinidade com a causa Afro Brasileira e o movimento Black Money.

Colaboradores capacitados e que possuem afinidade com a causa Afro Brasileira, atenciosos no momento do atendimento ao público.

Todos os produtos oferecidos pela Pretahub, possuem notoriedade para uma boa porcentagem do público afro brasileiro e já capacitaram diversos profissionais ao longo de sua existência; Equipe qualificada,

44

Equipe qualificada, serviço eficaz; Startups aprovadas no programa Oracle, faturando cerca de US$38 bilhões por ano.

Apresentação dos colaboradores e patrocinadores em seu site; Colaboradores capacitados e formados; Atendimento atencioso e voltado a causas sociais.

Afinidade com a causa Afro Brasileira e o movimento Black Money.

Performance

Grande presença nas mídias sociais e em jornais, como o Uol;

Equipe qualificada, serviço eficaz; Vários eventos realizados em 3 anos de atividades;

Em sua última edição cinco empresas foram aceleradas e adicionadas ao mercado pela ANIP;

Auxílio na constru- Equipe qualifição de políticas cada, serviço públicas. eficaz.


ANÁLISE SWOT / PFOA

Fatores Internos

Fatores Positivos

Fatores Negativos

FORÇAS:

FRAQUEZAS:

Oferece serviços de forma gratuita

Marca pouco conhecida

Referência como aceleradora do empreendedorismo negro no Brasil

Reposicionamento da marca recentemente Pequena área geográfica de atuação

Promover acesso à cultura negra

Fatores Externos

OPORTUNIDADES:

AMEAÇAS:

Pouca concorrência

Burocracia para captar investimentos

Mercado amplo e com grande demanda Parcerias com outras empresas que apoiam o movimento

Dificuldade de acesso à linha de crédito/ recursos financeiros Falta de identificação étnica dos clientes

PROBLEMA A SER RESOLVIDO

Falta de visibilidade da marca “Pretahub”, devido ao seu reposicionamento recente, pois a marca é conhecida ainda como Feira Preta, que é o nome do seu principal produto.

OBJETIVO DE MARKETING

OBJETIVO DE COMUNICAÇÃO

Levando em consideração os dados ambientais, temos como objetivo o aumento de 30% na quantidade de participantes na Feira Preta e 50% nos demais projetos. Ampliando campo de atuação, expandindo para mais regiões dentro da cidade de São Paulo com predominância de hegemonia negra.

O objetivo terá seu foco em campanha institucional, reforçando o reposicionamento da marca e aumentando sua visibilidade.

45


Unique Selling Proposition - USP:

Promessa secundária:

Reason Why:

análise macroambiente

AMBIENTE TECNOLÓGICO

Dedicação exclusiva na aceleração do empreendedorismo negro no Brasil.

Valorização étnica, desenvolvimento social e econômico da população negra.

Capacitação técnica e criativa, geração de oportunidades e melhorias de negócios para população negra.

O mercado em que a Pretahub está inserida, segue em ascensão tecnológica, sendo o principal foco as ferramentas para suporte ao neo empreendedor afro e os negócios online. Segundo o último censo efetuado pelo IBGE em 2016, genericamente, 60,9% da população brasileira possui acesso a internet, sendo 31,1% de pessoas etariamente superior à 60 anos e 88,4% dessa população se caracterizam como jovens de 20 a 24 anos responsáveis por serem o maior grupo conectado na rede. O uso dos smartphones ainda são o principal meio para a conectividade, correspondendo a 97% dos acessos. Com base nesses dados é possível assimilar o consumo de produtos por meio do E-Commerce, segundo estudos efetuado pelo 38º Webshoppers Ebit/ Nielsen, empresa responsável por pesquisar a satisfação de lojas virtuais, em 2018 os negócios online movimentaram cerca de R$23,6 milhões, em relação a 2017 o setor cresceu cerca de 12,1%. Contrapartida, estudos apontam que 82% das pessoas antes de realizarem a compra de um produto online, sejam eles, roupas, eletrônicos ou acessórios, gostam de pesquisar a reputação das lojas em plataformas de reclamações, como o Reclame Aqui. O avanço das fintechs, startups focadas em serviços financeiros, têm revolucionado os meios de pagamento online, pois possuem baixo custo e facilidade na hora de afiliar a uma dessas fintechs, segundo pesquisa realizada sobre os meios de pagamentos mais utilizados na internet em 2017, se destacam, PayU, Paypal, Moip, Mercado Pago, PagSeguro e BCash, como meios que apresentam facilidade nos pagamentos. Há estimativas que essas empresas futuramente podem movimentar cerca de US$24 bilhões. Por que estes dados se tornam relevante para a Pretahub? Simples, boa parte dos empreendedores que procuram serviços da empresa, não possuem

46


grande investimento monetário para início ou ascensão de seus negócios, acabam procurando facilidades no meio digital, assim direcionando seus produtos para uma gama de público maior digitalmente, se compararmos com o ambiente físico do negócio. Boa parte desses empreendedores trabalham no segmento de vestuário e acessórios afro, a maior dificuldade, é ganhar o reconhecimento do público digital, a partir do momento, que ao observar uma peça de vestuário digitalmente não é possível saber a qualidade da mesma e nem experimentá-la, cabe ao empreendedor conseguir a excelência na venda de seu produto, para que assim, consiga boas avaliações digitalmente. Mídias Sociais: estão no centro do ambiente tecnológico da Pretahub, sempre trazendo benefícios positivos perante a empresa, facilitando na divulgação de eventos como a Feira Preta, e também mantém grande presença nos empreendimentos efetuados pelos alunos da Pretahub . Vale ressaltar que, a Pretahub, por meio do Afrohub, oferece cursos para empreendedores decodificarem códigos das redes sociais como meio de planejamento estratégico para seus empreendimentos. Sendo esse programa criado no ano de 2018, e já estar presente em 8 estados brasileiros. Programa Microempreendedor Individual (MEI): O cenário do MEI no Brasil está cada vez mais em ascensão, se tornando um nicho importante para a Pretahub conquistar novos públicos afros e oferecer suporte aos mesmos. Falando do ambiente tecnológico do MEI, hoje, empresas de maquininhas de cartão, estão adaptando seus produtos voltando-os para o MEI, como por exemplo a PagSeguro, a empresa já oferece maquininhas onde não há taxa para as vendas realizadas, podemos citar diversas empresas que oferecem o mesmo produto, Sum up, BIN, Cielo etc. Essa tecnologia e a facilidade para se tornar um MEI, se torna um ótimo ponto positivo para a Pretahub e para microempreendedores afetados pelos seus produtos e serviços, podendo haver facilidade na formalização do seu negócio financeiramente falando.

DEMOGRÁFICO

Segundo dados do Sebrae, no Brasil, negros representam maioria no setor empreendedor. Entre 2006 e 2016, 50% dos micro e pequenos empresários se autodeclaram negros ou pardos, 49% se autoafirmaram brancos. É a primeira vez que o número de empreendedores afrodescendentes superou o de brancos.

47


Pensando na Pretahub como segmento e separando por uma classe homogêneos: Empreendedores homens e mulheres negros adultos, numa faixa etária de 25 a 40 anos de idade, Graduados ou com um estudo técnico, uma faixa Salarial entre R$1.500 a R$4.000 entre sua lucratividade. Com maior índice de empreendedores negros no Brasil de acordo com os dados do Sebrae, 41% dos negros e pardos que exercem a atividade empreendedora estão no Nordeste, região em que o afroempreendedorismo predomina. Os afroempreendedores aumentaram o seu rendimento mensal e o nível de escolaridade. Entre 2006 e 2016, houve uma ampliação no tempo de anos de estudos entre as pessoas negras, passando de 4,7 para 6,5 anos. Os grupos majoritários em cada região não tiveram alteração em 2018. Os brancos continuam sendo maioria nas regiões Sul (73,9%) e Sudeste (50,7%), assim como os pardos no Norte (71,8%), Nordeste (63,2%) e Centro-Oeste (53%). O perfil mais jovem, menos escolarizado e com menor rendimento dos negros já havia sido identificado em trabalho anterior do SEBRAE, elaborado com base nos dados da PNAD/IBGE. A diferença principal entre os dois estudos é que naquele estudo são considerados apenas os indivíduos que já são Donos de Negócio (Empregadores e Conta Própria), ao passo que na pesquisa GEM Brasil 2017, também são incluídos na categoria de empreendedores os indivíduos que ainda não têm um negócio, mas estão envolvidos na estruturação de um. Distribuição dos empreendedores negros por faixa etária - Brasil 2017:

48


Distribuição de empreendedores negros segunda a renda- Brasil 2017:

Distribuição de empreendedores negros segundo o estado cívil - Brasil 2017

FATORES ECONÔMICOS

A economia é um dos principais pilares para o crescimento de qualquer empresa. E com a Pretahub não poderia ser diferente, que é uma empresa que faz parte do setor terciário, entrando como serviços da informação. Porém, desde o começo do ano (2019) ele vem sofrendo quedas. Segundo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) o volume do setor de serviços caiu 0,7% em março frente a fevereiro. Tratando-se da terceira queda mensal seguida do indicador, confirmando a perda de ritmo e reforçando uma possível retração do PIB (Produto Interno Bruto) no 1º trimestre. Com essa queda, automaticamente diminui a demanda de procura pelos serviços da Pretahub. Outro fator que influencia dentro do desenvolvimento econômico da empresa é a taxa Selic, que é um indicador da taxa básica de juros, e que serve de referência para todas as outras: atualmente reduzido para 5,5% ao ano. Com isso, a facilidade para crédito aumenta para que as pessoas consigam ir atrás

49


de verba para abrir o seu negócio, com mais empreendedores no mercado, maior a demanda e procura de serviços da Pretahub. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), mede a variação dos preços de produtos e serviços para o consumidor final. O IPCA é também considerado como o principal indicador para a taxa de inflação do Brasil. Que influencia diretamente o poder de compra dos consumidores da Pretahub. E com a inflação controlada, temos referências e noção de quanto cobrar pelos serviços prestados e o consumidor uma base para pagamento. Outro fator, nesse caso negativo, que influencia diretamente a empresa é a questão da crise econômica que vem afetando o Brasil nos últimos anos. Com cerca de 12,6 milhões de desempregados, as pessoas tendem a evitar a compra de produtos mais supérfluos e investir no seu negócio próprio. Em uma primeira análise, influenciando a Pretahub de forma positiva, pois o seu público, que são os empreendedores vão em busca de mais informações e até mesmo participando de um dos seus projeto que é a Feira Preta, onde empresários vão em busca de investidores para os seus negócios. Ou no seu programa de capacitação de novos empreendedores, que estão em busca de conhecimento, chamado Afrolab. Em contra partida, ocorre uma diminuição de investimento para a realização dos projetos e aquisição dos serviços. Esse é outro fator crucial que impulsiona a Pretahub ir em de igualdade e de melhorias para a população negra. De acordo com dados do IBGE, os trabalhadores negros ganham cerca de R$ 1,2 mil a menos que os brancos em média. Os dados são do 4º trimestre de 2018 e fazem parte da Pnad Trimestral, que disponibiliza informações desde 2012. Os números mostram que, entre 2012 e 2018, não houve nenhuma mudança substancial na diferença de rendimento entre negros e brancos. A pesquisa também revela que 29% dos negros possuem seu próprio negócio formal, movimentando uma renda de aproximadamente R$359 bilhões por ano, 82% desses empreendedores não possuem CNPJ e empreendem informalmente, 57% desses empreendedores dizem que o negro no Brasil sofre preconceito ao tentar empreender. Essa é outra triste realidade que a Pretahub procura mudar dentro dos serviços que oferece. Com o programa “Conversando a gente aprende” dentro de instituições privadas, públicas e marcas, procura sensibilizar e promover a cultura da diversidade racial dentro da organização a partir de diálogos qualificados, abordagem humana e centrada na qualidade das relações, autoliderança, corresponsabilidade e ações prática, buscando mudar essa diferenciação salarial. E com todo preconceito voltado para empreendedores negros, muitos vão em busca da Feira Preta, onde podem conseguir um investidor para alavancar o seu negócio.

Educação

Uma das áreas mais defasadas no país é a educação. Um terço dos brasileiros entre 19 e 24 anos não havia conseguido concluir o ensino médio em 2018. Apesar da média geral já ser alta (e cujo percentual é similar entre jovens

50


brancos), o panorama entre os negros é ainda pior: quase metade (44,2%) dos negros homens dessa faixa etária não concluiu a etapa. Os recortes por cor de pele e gênero revelam outros abismos: 33% das meninas negras nessa idade não têm ensino médio, enquanto o índice é de 18,8% entre as brancas. Enquanto, na média, 13,1% dos jovens de 19 a 24 anos não haviam concluído o 9º ano do fundamental, entre os negros o percentual era de 19%. Na área da capacitação, iniciativas buscam criar um ambiente de permanência sustentável dos profissionais negros no mercado de trabalho e diminuir a desigualdade racial. Os dados mostram que o número de jovens de 15 a 17 anos que só trabalham e não estudam é maior entre os negros (5,7%), ainda que próximo à realidade dos brancos (4,9%). Referente a educação, em 17 anos, a taxa líquida de matrícula de jovens de 18 a 24 anos – mais que quintuplicou entre os negros. Segundo dados levantados pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) – no ano de 1992, apenas 1,5% dos jovens negros nesta faixa etária estavam na universidade. Em 2009, eram 8,3 %. Entre os jovens brancos, as matrículas líquidas triplicaram no mesmo período – de 7,2% para 21,3%. Nesse cenário, podemos ver a importância do trabalho da Pretahub para capacitação de jovens empreendedores negros. Dando-lhes a oportunidade de aprimorar os seus conhecimentos. A Pretahub é uma empresa que não se relaciona exclusivamente com a população negra. Pensa a relação com a cultura, a economia e o empreendedorismo pretos, entendendo seus papéis fundamentais na mudança de uma sociedade e um mercado que precisa trabalhar a inclusão social/ racial não apenas em seus processos de consumo, mas no respeito à sua existência enquanto potência criativa e empreendedora, lhes dando oportunidades de desenvolvimento e crescimento. Sabendo que a educação é defasada entre os negros devido ao menor acesso a educação identificamos a gama de público que ainda temos em potencial que se beneficiaram de nosso produtos/ conteúdos. E ao mesmo tempo como isso pode afetar no caminho até chegar a nós, com as dificuldades de chegarem até a informação e tornarem dela conhecimento, mediante a um baixo grau de escolaridade.

Aspectos Físicos Naturais

Sabemos que hoje no Brasil o meio ambiente está em uma situação relativamente precária. Vivenciamos recentemente a queimada na Floresta Amazônica que chocou todos os brasileiros e afetou a biodiversidade do país. Além disso, pudemos acompanhar crises hídricas e outros alardes ambientais. Hoje as empresas que se preocupam com o meio ambiente tem um destaque no mercado. Pensando nisso, identificamos as vantagens de uma empresa trabalhar à favor e apoiar as causas de preservação ambiental. A Pretahub não oferece produtos ou serviços que de alguma forma possam

51


afetar o meio ambiente, mas apoiar e desenvolver projetos em prol do mesmo gerará um diferencial notório para a empresa. Em 2017, a empresa especialista em pesquisa de mercado Opinion Box fez uma pesquisa referente ao posicionamento do consumidor brasileiro sobre a sustentabilidade e o engajamento social nas empresas. Os dados deixam claro que as pessoas estão cada vez mais atentas à postura das empresas em relação a práticas sustentáveis e socialmente engajadas. Na pesquisa foram levantadas as informações de que mais da metade das pessoas (54%) sempre ou com frequência preferem marcas famosas por cuidarem do meio ambiente e 42% dos consumidores se preocupam muito com práticas sustentáveis quando compram algo; 49% deles se preocupam pelo menos um pouco. Essa porcentagem tem crescido cada vez mais, e as empresas com causas à favor do meio ambiente se destacam e são notadas no mercado de trabalho por terem esse diferencial buscado cada vez mais pelo consumidor. Para uma startup, essa é uma opção para se desenvolver e ser conhecida. Um dos projetos da Pretahub mais afetados pelos aspectos físicos naturais é o “Afrolab”. O projeto é um programa de apoio, promoção e impulsionamento do afro empreendedorismo. Em uma de suas edições voltadas para a gastronomia, sofreram a influência tanto positiva quanto negativa do fator climático. Por utilizarem produtos naturais e orgânicos, a empresa precisou fazer um levantamento com base no clima e época do ano para saber quais seriam os melhores e piores alimentos para se utilizar, já que a temperatura influencia na produção e plantação dos mesmos.

ASPECTOS SOCIOCULTURAIS

A existência da escravidão no Brasil durante quase quatrocentos anos, além de ter constituído a base da economia material da sociedade brasileira, influenciou também sua formação cultural. A miscigenação entre africanos, indígenas e europeus é a base da formação populacional do Brasil. Dessa forma, a matriz africana da sociedade tem uma influência cultural que vai além do vocabulário. Conta com influência na gastronomia, religião e música, entre outros. Contudo é notável que ainda sim, não se valoriza a ancestralidade, o berço de nossa cultura, vejamos que a desigualdade racial ainda é discrepante, mesmo que a miscigenação seja característica base de nossa cultura. Há sinais de que as coisas podem melhorar. De acordo com o IBGE, em 2018 cresceu no país, o número de brasileiros que se autodeclaram negros ou pardos. O maior aumento em pontos percentuais também é da proporção da população preta, que saiu de 7,4% em 2012 para 9,3% seis anos depois. Os pardos foram de 45,3% para 46,5%. Os brancos, por sua vez, eram 46,6% da população e chegaram a 43,1%.E isto demonstra a mudança de pensamento, o

52


crescimento do empoderamento e orgulho do negro. A presença de políticas afirmativas de raça. A razão entre a renda domiciliar per capita das famílias negras e a das famílias brancas iniciou uma trajetória de queda constante a partir de 2001. Ao longo dos anos 1990, os brancos viviam com um ingresso 2,4 vezes maior do que os negros. Em 2007, essa proporção caiu para 2,06. Mas ainda sim pode-se identificar com clareza a desigualdade entre as raças. Toda melhora é bemvinda, mas o país ainda está em marcha lenta nos avanços neste quesito. Entretanto, ainda se evidencia que 75% das vítimas de homicídio no país são negras aponta Atlas da Violência, proporção é a mais alta da década, segundo estudo do Ipea e do Fórum Brasileiro de Segurança. Enfrentamos com isso a evidência de que a desigualdade racial está longe de extinguida e que os negros precisamos de apoio, de fortalecimento e damos a oportunidade que eles precisam para que sejam enxergados, conquistem seu espaço e tragam com eles a força de sua ancestralidade. Agora, vale ressaltar um movimento que aparentemente é estético, mas que envolve muitos outros fatores, nos últimos 3/4 anos foi o “boom” da transição capilar, que na prática significa um processo de retomada ao aspecto natural do cabelo crespo e cacheado. Trata-se de uma aceitação da identidade étnica que potencializou a representatividade mediante as mídias, produtos e conteúdos. Algo que traz vantagens para oportunidade de negócios aos nossos empreendedores. E também traz concorrência, fazendo com que tenhamos cada vez que nos diferencial, mostrar o que faz da gente, único. Isto serve de alerta: A Bienal do Livro este ano sofreu censura do prefeito referente a HQ “A Cruzada das Crianças”, da Marvel, por conter imagens ilustrativas de um beijo gay. Censura foi impedida por uma liminar da justiça, a Bienal dedicou a programação à diversidade. Se há riscos de censuras como esta, devemos se atentar há um possível regresso social e cultural, fazendo com que sejamos censurados em nosso projetos e conteúdos.

53


Político Legal Desde janeiro de 2003, a Lei nº 10639, torna obrigatório o ensino sobre história e cultura afro-brasileira nas escolas de Ensino Fundamental e Médio do país. E além disso a Lei Rouanet de Incentivo à Cultura contribui para que milhares de projetos culturais aconteçam, todos os anos, em todas as regiões do país. Por meio dela, empresas e pessoas físicas podem patrocinar espetáculos – exposições, shows, livros, museus, galerias e várias outras formas de expressão cultural – e abater o valor total ou parcial do apoio do Imposto de Renda. A Lei também contribui para ampliar o acesso dos cidadãos à Cultura, já que os projetos patrocinados são obrigados a oferecer uma contrapartida social, ou seja, eles têm que distribuir parte dos ingressos gratuitamente e promover ações de formação e capacitação junto às comunidades. Criado em 1991 pela Lei 8.313, o mecanismo do incentivo à cultura é um dos pilares do Programa Nacional de Apoio à Cultura (Pronac), que também conta com o Fundo Nacional de Cultura (FNC) e os Fundos de Investimento Cultural e Artístico (Ficarts). Saiba mais sobre o Programa. Em 2019, o governo extinguiu o Ministério da Cultura e colocou o setor em uma secretaria do recém-criado Ministério da Cidadania. E em abril, o Ministério da Cidadania, instituiu novas regras da Rouanet, que diminuíram o teto de captação de 60 milhões para 1 milhão por projeto e limitaram a 16 os projetos aprovados por proponente com valor total máximo de 10 milhões. Por meio de diferentes normas, o Poder Público brasileiro tenta ampliar a diversidade dos funcionários nas empresas brasileiras, aumentando a participação de grupos, como pessoas com deficiência e negros nas corporações em todos os ramos da economia. Uma delas é a Lei nº 8.213/1991, que exige às empresas com 100 ou mais empregados o preenchimento de 2% a 5% dos seus cargos com pessoas com deficiência. As proporções variam: 2% para companhias com até 200 empregados, 3% para quem tem entre 201 e 500 colaboradores, 4% para quadros de funcionários de 501 a 1.000 e 5% para corporações com 1.001 trabalhadores em diante. Apesar da lei ser de 1991, ela só passou a ser mais efetiva a partir de 2004, quando um decreto (Decreto nº 5.296/2004) estabeleceu normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade, definindo ainda quais tipos de deficiência se encaixam nas cotas. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2017, mais de 54% da população era de pretos e pardos. No entanto, essa população tem o maior percentual de desocupação e, quando empregada, tem os menores salários. Segue o gráfico abaixo. A pretahub pensa a relação com a cultura e a sociedade como todo, apesar de direcionar sua atuação aos negros, não deixa de fora pessoas que se interessam pelo tema e propósito abordado. De olho nas mudanças sabe que a política e mudanças na Lei de Incentivo a Cultura, irão atingir diretamente e financeiramente, como redução de verbas/ investimentos nos projetos e lutam

54


para se manterem em seu propósito tendo como aliado o consumidor que se identifica, que se aproxima e une a causa e também instituições que os apoiam.

moodboard

Planejamento Estratégico de Campanha Campanha: Suas origens te fazem mais forte. Título: Fortalecemos suas conquistas.

Duração da campanha: 6 meses - de janeiro a julho de 2020 Verba disponível: R$100.00,00

A campanha busca apresentar a Pretahub, mostrando sua disposição em ser parceira nos projetos criativos e empreendedores, capacitando as pessoas com criatividade e técnicas para empreender. Contando com a participação de pessoas reais e seus relatos de como conseguiram vencer as dificuldades da sua trajetória e as peças irão conter traços da cultura negra. Lembrando que nada é conquistado sozinho, que é preciso união para ir além e acima de tudo, a Pretahub está com você, te fortalecendo a cada passo, a cada conquista.

Estratégia: Publicidade e Propaganda

Tática: Redes Sociais (Facebook e Instagram) Duração: Janeiro à Julho

55


Através das redes sociais (Facebook e Instagram) conseguiremos fazer uma comunicação em massa, divulgando a marca e seus serviços. Analisamos que nosso público alvo está presente fortemente em ambas as redes, e é possível alcançá-los de forma orgânica através das hashtags, que também são muito usadas por eles. Dentro das redes sociais, também será lançada a pesquisa. E para realização da pesquisa será disponibilizado um formulário dentro dos grupos de influência do Facebook, voltado tanto para empreendedorismo, como para cultura negra.

Principais grupos de influência para realização da pesquisa:

Empreendedores Negros Poder Negro Coletivo NEGA Dandara Grupo Obará Movimento Cultura Consciência Negra Cultura Negra AfroReggae

Público alvo: A campanha tem a intenção de atingir o público negro e pardo, homens e mulheres, entre 18 à 35 anos residentes de São Paulo e arredores, com ensino médio concluído, de classe C e D. Objetivo: Gerar leads e levar ao conhecimento do público a Pretahub e os serviço que são ofertados. Peças: Imagens no formato quadrado com fotos de homens e mulheres negras com suas ferramentas de trabalho (ou objetos que remetam a profissão); uma legenda com o nome da pessoa e enfatizando que ela é dona do seu próprio negócio. Na parte inferior da peça a logo da Pretahub e a logo dos projetos que a mesma realiza. Stories com as mesmas pessoas contando como a Pretahub a ajudou a realizar seu sonho de ser empreendedor, e respondendo perguntas/dúvidas sobre o mundo dos negócios, suas reais dificuldades e conquistas.

Estratégia: Publicidade e Propaganda Tática: OOH (Out Of Home) Duração: Fevereiro à Julho

Sendo uma mídia offline, o objetivo inicial será impactar o espectador durante as suas atividades do dia a dia, chamando sua atenção para a questão do empreendedorismo e ser “dono” do seu próprio tempo. Por o nosso público alvo principal ser voltado para classe C e D, grande parte dos mesmos façam uso de transporte público. Expor a campanha em estações será uma ótima maneira de expandir a marca para o público que queremos. Levando em consideração o fluxo de pessoas dentro os transportes públicos, selecionamos regiões de maior

56


movimentação.

Objetivo: Se tornar presente no cotidiano do nosso público, mostrando que podem transformar suas vidas; fazer com que o público conheça a Petrahub, incentivando o empreendedorismo. Peças: Fotos de homens e mulheres negros com suas ferramentas de trabalho (ou objetos que remetam a profissão), uma legenda com o nome da pessoa e enfatizando que ela é dona do seu próprio negócio. Na parte inferior da peça a logo da Pretahub e a logo dos projetos que a mesma realiza, e um QR Code encaminhando para o site da marca. Metrô - painel (estação Sé e Luz) e tv minuto (linhas azul, vermelha e verde) Ponto de ônibus e relógio nas ruas

Estratégia: Publicidade e Propaganda Tática: E-mail marketing Duração: Janeiro

Trará em seu conteúdo uma nota de agradecimento pela participação e colaboração na pesquisa, e uma breve apresentação sobre a empresa e seus serviços, também com o link do site para que o lead o acesse e conheça mais a Pretahub, além de gerar mais cliques e visualizações da página. Escolhemos essa ferramenta como forma de se aproximar do público e dar início a uma relação de parceria, e nos conhecermos é o primeiro passo.

Público alvo: Serão

Estratégia: Publicidade e Propaganda

Tática: Audiovisual Duração: Janeiro

todos participantes da pesquisa lançada nas redes sociais referente a empreendedorismo. Objetivo: Usar esse público para divulgar serviços novos e conteúdos da Pretahub através de seus e-mails. Peças: Imagem criada na mesma linha criativa das peças anteriores com agradecimento pela participação na pesquisa, breve apresentação da empresa e direcionando o público a conhecer a marca melhor através do site e redes sociais.

O vídeo será um apresentação institucional da empresa, sobre quem é e os serviços que são prestados. Virá com um apelo emocional da cultura negra, mostrando sua força e que o seu lugar de direito é empreendendo, realizando seus sonhos e mostrando como a Pretahub pode ajudar.

Público alvo:

Negros e pardos, homens e mulheres, entre 18 à 35 anos residentes de São Paulo e arredores, com ensino médio concluído, de classe C e D.

57


Objetivo: Apresentar a Pretahub e trazer novos empreendedores para utilizar nossos serviços. Peças: Vídeo de um minuto com as mesma pessoas das peças anteriores, em seus ambientes de trabalho, contando como a Pretahub se tornou um aliado em suas trajetórias. Na introdução, cenas do Museu Afro.

Estratégia: Publicidade e Propaganda

Tática: Exposição no metrô Duração: 20 dias (conforme disponibilidade do metrô)

O objetivo inicial será impactar o espectador durante as suas atividades do dia a dia, chamando sua atenção para a questão do empreendedorismo e ser “dono” do seu próprio tempo. Por o nosso público alvo principal ser voltado para classe C e D, grande parte dos mesmos façam uso de transporte público. Expor a campanha em estações será uma ótima maneira de expandir a marca para o público que queremos. Levando em consideração o fluxo de pessoas dentro os transportes públicos, selecionamos regiões de maior movimentação. Além do que, para fazer uma exposição no metrô o procedimento é sem gasto. Basta preencher e assinar uma ficha de inscrição, apresentar a proposta da exposição seguindo as condições determinadas no site do metrô, entregando ambos para a Companhia do Metropolitano de São Paulo e aguardar a aprovação via e-mail.

Objetivo: Se tornar presente no cotidiano do nosso público, mostrando que podem transformar suas vidas; fazer com que o público conheça a Petrahub, incentivando o empreendedorismo. Peças: Foto de homens e mulheres negros com a legenda enfatizando que são empreendedores, e os remetendo a poder e força. Na parte superior da peça a logo da Pretahub, e na inferior a logo dos projetos que a mesma realiza, e um QR Code encaminhando para o site da marca. Estação da Luz e Sé.

58


EXEMPLOS DAS PEÇAS:

59


Aos participantes nossos sinceros agradecimentos

Beatriz

Luis

Amanda

William

Kelly

Jessica

Hellen

Karina

Maryne

Gabriel

DEFESA DA PROPOSTA:

https://www.youtube.com/channel/UCXy7yCzhF24k9YxPl8CMWDQ

60


FONTES: Sobre a empresa: https://pretahub.com/

Dados da empresa: https://cnpj.rocks/cnpj/25124796000115/feira-preta-producoes-e-eventos-eireli-epp.htm Significado de “hub”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Concentrador Público Alvo: https://ceert.org.br/noticias/dados-estatisticas/9503/levantamento-mostra-distribuicao-da-populacao-negra-em-sao-paulo Afrolab: https://pretahub.com/afrolab/ Feira preta: https://pretahub.com/festival-feira-preta/ Pretas Potências: https://pretahub.com/pretas-potencias/ Conversando a Gente Aprende: https://pretahub.com/conversando-a-gente-se-aprende/ Afrohub: https://pretahub.com/afrohub/ https://revistapegn.globo.com/Startups/noticia/2018/05/conheca-o-afro-hub-programa-de-aceleracao-para-empreendedores-negros.html Éditodos: https://pretahub.com/editodos/ Blackrocks: http://www.blackrocks.com.br/ | http://www.arenablackrocks.com.br/ Vale do Dendê: http://valedodende.org/ Anip: https://www.aceleradoranip.com/

61


Objetivo de Marketing https://ceert.org.br/noticias/mercado-de-trabalho-comercio-servicos/25261/aceleradoras-ajudam-empreendedores-negros-a-driblar-gargalo-de-investimentos http://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2019-09/ipea-reduz-previsao-de-crescimento-da-economia-em-2020-para-21 Marketing de Serviรงos - 8 Ps: http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/artigos/marketing-de-servicos-uma-visao-baseada-nos-8-ps,a799a442d2e5a410VgnVCM1000003b74010aRCRD Pesquisa http://produtos.seade.gov.br/produtos/idr/download/populacao.pdf https://www.opinionbox.com/calculadora-margem-de-erro/ https://pt.wikipedia.org/wiki/Amostragem_(estat%C3%ADstica) https://neilpatel.com/br/blog/pesquisa-de-marketing/ https://mindminers.com/blog/tipos-de-perguntas-usados-em-questionarios/ Economia Criativa: https://educacao.estadao.com.br/noticias/geral,economia-criativa-cresce-acima-da-media-no-brasil,70002396326 https://noticias.r7.com/economia/economia-criativa-cresce-acima-da-media-e-da-um-ole-na-crise-22072018 https://g1.globo.com/especial-publicitario/cultura-gera-futuro/noticia/2018/11/08/em-grafico-veja-a-importancia-da-industria-criativa-para-o-crescimento-da-economia.ghtml https://gife.org.br/pretahub-incentiva-inventividade-criatividade-e-tendencia-do-empreendedorismo-negro-no-brasil/ https://almapreta.com/editorias/realidade/fiasco-da-feira-preta-movimenta-r-700-mil-reais-e-reune-50-mil-pessoas https://www.diariodocentrodomundo.com.br/o-sucesso-da-feira-preta-o-maior-evento-de-empreendedorismo-negro-da-america-latina/ https://www.portalafro.com.br/nova-feira-preta-2018-de-18-a-20-de-novembro/ http://sustentabilidad.mercadolibre.com/po/?p=3845 https://todosnegrosdomundo.com.br/21a-feira-preta-vai-debutar-e-quem-ganha-o-presente-somos-nos-saiba-como/ https://africas.com.br/voce-estimula-o-afroempreendedorismo-quando-reconhece-a-potencia-dele/ https://www.pressreader.com/ https://noticias.r7.com/economia/economia-criativa-cresce-acima-da-media-e-da-um-ole-na-crise-22072018 https://g1.globo.com/especial-publicitario/cultura-gera-futuro/noticia/2018/11/08/em-grafico-veja-a-importancia-da-industria-criativa-para-o-crescimento-da-economia.ghtml https://aupa.com.br/adriana-barbosa-feira-preta-2/ https://www.youtube.com/watch?v=ObO3Ifhzl4I&feature=youtu.be http://blogs.correiobraziliense.com.br/servidor/populacao-negra-movimenta-r-17-trilhao-no-brasil-revela-pesquisa-do-instituto-locomotiva/


Profile for Agencia Kratos

Pretahub  

Projeto discente de planejamento e pesquisa.

Pretahub  

Projeto discente de planejamento e pesquisa.

Advertisement