Issuu on Google+

Uma publicação da Associação de Fabricantes, Prestadores de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Peças e Motocicletas do Nordeste. | ANO III - Nº 12 - JANEIRO/2014

OS RUMOS E DESAFIOS PARA 2014 3º ENCONTRO DE NEGÓCIOS ASSOMOTOS Saiba tudo sobre um dos mais importantes eventos do setor no Nordeste

ASSOCIADO DESTAQUE

Carlos da Italmotos fala sobre sua trajetória no mercado de mototopeças

SEBRAE

O consultor Jack Júnior fala sobre as estratégias para 2014


sumário 08

12

Mercado de acessórios e peças em forte crescimento no ceará

3º encontro de negócios assomotos: O melhor lugar para unir forças e fechar bons negócios

30

32

Associado destaque: carlos da italmotos

10

entrevista com jack júnior, consultor sebrae, fala sobre o planejamento para 2014

|11

VENDA DE MOTOCICLETAS CRESCE 2% NA PRIMEIRA QUINZENA de 2014

|14

recorde em 2013. Setor de duas rodas cresce 2,4%

Produção de pneus bate

Representação comercial Estratégia para

| 16 Entenda como funciona um pneu de motocicleta|20 o mundo das duas rodas em 2013|24 Perspectivas para 2014 no setor de Motocicletas | 26 15 perguntas e respostas sobre o consórcio de motos| 28 hVenda de motos cresceu 22,3% em 2013 |32 Tomaz representações: COMEMORA 30 anos de solidez e credibilidade no mercado|34 Salão Bike Show 2014 recebeu 78 mil visitantes|38 Dez conselhos para proteger a sua moto de roubos e furtos |40 Vai viajar? Confira dicas para levar bagagens em motos |42 Atividade física: entenda por que ela é um das maiores aliadas no combate à dor crônica|44 Marca sem registro é marca sem dono atrair novos negócios


editorial

Associação de Fabricantes, Prestadora de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Motopeças e Motocicletas do Nordeste

PRESIDENTE: Francisco de Assis Tomaz PRIMEIRO VICE-PRESIDENTE: Marcos Antônio de Sousa Jota SEGUNDO VICE-PRESIDENTE: Carlos Maurício de Carvalho DIRETOR ADMINISTRATIVO: Carlos Eduardo Girão Peixoto Associação de Fabricantes, Prestadora de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Moto Peças e Motocicletas do Nordeste

DIRETOR FINANCEIRO: Raimundo Nonato Almeida Lessa DIRETORA DE MARKETING: Adair da Silva Lima DIRETOR COMERCIAL: Francisco Paulo Barroso Batista DIRETOR TÉCNICO: João Eudes de Aquino Marinho

PRESIDENTE DO CONSELHO FISCAL: Daniel Evangelista Cavalcante CONSELHO FISCAL: José Wagner Gouvêa Nascimento Franklin Saragossa Paiva Antônio Jhone Menezes da Silva Francisco Nelson Alexandre PRESIDENTE DO CONSELHO DE ÉTICA: Luiz Alves Moura CONSELHEIRO DE ÉTICA: Fernando Antônio Bezerra Oliveira Nádia Valuce Vale Batista ASSOMOTOS: Av. Visconde do Rio Branco, 1605 - sala 05 Centro. Fortaleza-CE Tel.: (85) 3254.7661 assomotos.ceara@hotmail.com Realização: Associação de Fabricantes, Prestadores de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Peças e Motocicletas do Nordeste. Coordenação Editorial: Fabricio Pereira. Redator e Diretor de Conteúdo: Shelton Texeira. Tratamento de Imagens e Diagramação: Monaliza Ximenes. Impressão: Gráfica Cearense A Revista ASSOMOTOS é uma publicação da Associação de Fabricantes, Prestadores de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Peças e Motocicletas do Nordeste, que detém todos os direitos reservados. As matérias divulgadas não expressam necessariamente a opinião da revista, que se reserva ao direito de adequar os textos enviados para colaboração.

F

oi dada a largada para o terceiro Encontro de Negócios Assomotos Nordeste, onde são esperados grandes nomes regionais e nacionais do segmento de motopeças, entre eles: expositores, empresas, fabricantes e importadores que além de fechar negócios e parcerias, aproveitarão a oportunidade para trocar experiência sobre o mercado. A edição 2014 do evento solidifica a Assomotos como entidade atuante e relevante não só no dia a dia do segmento, mas sim, no crescimento de cada um dos parceiros e associados. Por isso, convidamos você, lojista, fabricante e distribuidor a se associar, para que possa crescer junto com a gente, nesta longa jornada que já é um sucesso. Por falar em mercado, a boa notícia é que o segmento de motopeças anda bem aquecido, graças ao leve recuo nas vendas de motos novas, consequência do rigor na obtenção de créditos e financiamentos para motocicletas. Com todos estes fatores a favor, a demanda por acessórios e peças de reposição para motos usadas aumenta consideravelmente, tanto na capital, como no interior do estado. Aproveitamos para ressaltar a evolução da nossa revista, a Assomotos News, como principal publicação impressa no Nordeste, voltada exclusivamente para o segmento de motopeças. Poucos estados têm o privilégio de terem um material tão vasto e dedicado exclusivamente ao segmento, por isso, reconhecemos a importância da publicação, bem como o empenho dos envolvidos no projeto e percebemos que a cada edição a revista tem evoluído bastante, desde a qualidade do projeto gráfico até o conteúdo, elaborado de forma coerente, procurando sempre manter os associados informados sobre tudo que acontece no mercado de motopeças.


PALAVRA DO PRESIDENTE

E

m contraste com a leve retração nas vendas de motocicletas no final de 2013, o ano de 2014 começa com boas notícias para o mercado de motopeças. Justamente, porque as altas taxas e dificuldade na obtenção de crédito para aquisição de motos novas têm feito os motociclistas optarem pelas motocicletas usadas, refletindo diretamente na expectativa de crescimento das vendas de motopeças, já que a necessidade de peças e manutenções são constantes. Para ter uma ideia de como a situação é favorável, somente em 2013 o crescimento foi de 5%, movimentando impressionantes 6 bilhões de reais. Além disso, os subsídios oferecidos pelo Governo em forma de crédito, proporcionaram aos pequenos empresário a abertura ou ampliação de lojas no segmento de motopeças. Ressaltamos aqui, a

contribuição da ASSOMOTOS neste crescimento, já que oferece em regime de parcerias firmadas com o SEBRAE e a Profiautos, benefícios exclusivos para os associados como: orientação profissional e qualificação contínua, para que os lojistas, empresários e colaboradores, possam atender de forma eficiente, a crescente demanda do mercado. Embalado pelo crescimento de vendas das motopeças, a indústria de pneus também apresentou números positivos em 2013, só para o segmento de duas rodas, o aumento da produção foi de 2,4%. Segundo dados divulgados pela Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos (ANIP) houve um aumento de 14,69 para 15,04 milhões de unidades, segundo a entidade, foram produzidas ao todo, 68,8 milhões de pneus, superando em 9,77% a produção referente ao ano de 2012. Além das motos, este índice contabiliza os pneus produzidos para

Francisco Tomaz

empilhadeiras, carros de passeio, veículos de carga e agrícolas. 2013 foi o ano favorável para o segmento de motos Premium, já que as projeções das gigantes BMW e Harley Davidson ficaram entre 8.000 e 7.700 unidades vendidas, respectivamente, números superiores aos apresentados em 2012. Esperamos que 2014 seja um ano a altura do segmento, ou seja, de pleno crescimento e integração entre a ASSOMOTOS e os associados, aproveitamos a ocasião para convidar os lojistas e empresários a se associarem e assim, fazerem parte dessa sólida e próspera trajetória de crescimento.

Siga nossos canais nas redes sociais e fique por dentro das novidades do mundo das motos. Além disso, você poderá participar de promoções que serão lançadas no Twitter e Facebook da ASSOMOTOS. Siga a ASSOMOTOS no twitter

Curta a página da ASSOMOTOS

Escreva para redação da ASSOMOTOS:

@assomotos

f/assomotos

assomotosnews@gmail.com

A ASSOMOTOS NEWS aceita materias técnicas de empresas, instituições públicas e privadas que tenham afinidade com o setor, como colaboração de sugestão de conteúdo. Os artigos poderão acomapanhados de fotos ilustrativas, obrigatoriamente com as legendas correspondentes, citar sua fonte e o perfil do autor. A revista não se responsabiliza por opiniões e artigos assinados que podem ou não acordar com a opinião do editor, tal conteúdo é de total responsabilidade do autor.


segurança mercado//////

3º encontro de negócios assomotos DO NORDESTE: O melhor lugar para unir forças e fechar bons negócios

F

oi dada a largada para o 3º Encontro de Negócios Assomotos Nordeste, que na edição 2014, será realizado no Centro de negócios do SEBRAE, entidade que é referência nacional em empreendedorismo. São esperados grandes nomes regionais e nacionais do segmento de motopeças, entre eles: expositores, logistas, distribuidores, fabricantes e importadores que além de fechar negócios e parcerias, aproveitarão a oportunidade para unir forças, trocar experiência e vivências sobre o mercado, que vive um bom momento, já que apresentou um crescimento de 15% em decorrência da retração na venda de motos novas e aumento considerável na demanda de manutenção e reposição de peças das motocicletas circulantes. A terceira edição do evento solidifica a Assomotos como entidade ativa não só no dia a dia do segmento, mas sim, no crescimento de cada um dos parceiros e associados. Por isso, convidamos Associação de Fabricantes, Prestadora de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Moto Peças e Motocicletas do Nordeste

8

Associação de Fabricantes, Prestadora de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Moto Peças e Motocicletas do Nordeste

você, fabricante e distribuidor a se associar, para que possa crescer junto com a gente, nesta longa jornada que já é um sucesso. E por falar em crescimento, aproveitamos o ensejo para falar outra ferramenta que tem ajuda a alavancar muitos negócios no setor de motopeças: Revista Assomotos News. Há alguns anos, o mercado de motopeças já possuia diversas publicações do segmento. Várias revistas com o tema motociclismo, mas que no máximo tratam de pilotagens, lançamentos de motocicletas, mas não se relacionavam com os fabricantes de motopeças, aqueles que fabricam e vendem no mercado de reposição. Pois eis que surgiu nossa revista neste segmento: Revista Assomotos News. Ora, se é possível ter sucesso no mercado de motociclismo, o mercado de motopeças (com maior valor agregado), não deveria ser difícil, certo? Errado. No mercado de motopeças, os fabricantes ainda não perceberam que estão investindo muito pouco de seus orçamentos em

marketing, como mídia impressa, como é o caso da nossa publicação, e menos ainda em revistas recém-lançadas ou com tiragens menores. Existe um mercado a ser atendido, existem necessidades, mas como atende-las e tornar o negócio rentável para o setor de motopeças? A revista assomotos News é a mídia oficial de todos os Encontros de Negócios Assomotos Nordeste. Trata-se de uma publicação trimestrla, de nível nacional, sendo a única revista no Nordeste, voltada exclusivamente para o segmento de motopeças, fazendo a ponte entre o fabricante e os clientes (distribuidores e atacadistas). Além de todo esse pioneirismo, a revista Assomotos News foi totalmente estruturada obedecendo aos padrões internacionais de projeto gráfico e distribuição de conteúdo. Todo o projeto da publicação foi concebido e supervisionado por profissionais capacitados, isso garante que nada na revista seja feito de forma amadora, ou improvisada.


JANEIRO - 2014 /

9


segurança mercado//////

VENDA DE MOTOCICLETAS CRESCE 2% NA PRIMEIRA QUINZENA de 2014

E

m relação à primeira metade de dezembro passado, no entanto, houve retração de 8% Levantamento divulgado pela ABRACICLO, Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares, com base nos licenciamentos registrados pelo Renavam, mostra que foram emplacadas 62.889 motocicletas na primeira quinzena deste mês, volume 2,1% superior em relação ao mesmo período do ano passado (61.604). Porém, em comparação com os primeiros quinze dias de dezembro (68.596), houve uma retração de 8,3%. A média diária de vendas nos 10 dias úteis do período analisado foi positiva. Foram comercializadas 6.289 motocicletas por dia útil, correspondendo a 2,1% a mais sobre a quinzena inicial do mesmo mês de 2013 (6.160). Em dezembro, foram vendidas 6.860 unidades por dia útil da primeira quinzena. Sobre a ABRACICLO e o Setor de Duas Rodas Com 37 anos de história e 12 associadas, a ABRACICLO - Associação Brasileira dos Fabricantes de MotoAssociação de Fabricantes, Prestadora de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Moto Peças e Motocicletas do Nordeste

10

Associação de Fabricantes, Prestadora de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Moto Peças e Motocicletas do Nordeste

cicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares - representa, no país, os interesses dos fabricantes de transporte em Duas Rodas, além de investir fortemente em ações que tenham por objetivo a busca pela paz no trânsito e pilotagem defensiva. Representativa, a fabricação nacional de motocicletas – majo-

Frota Nacional: mais de 20 milhões Produção anual: cerca de 1,7 milhão de unidades Produtor mundial: 5º maior

ritariamente concentrada no Polo Industrial de Manaus (PIM) – está entre as cinco maiores do mundo. Já no segmento de bicicletas, o Brasil se encontra na terceira posição entre os principais produtores mundiais. No total, o Setor de Duas Rodas gera em suas indústrias cerca de 20 mil empregos diretos.


Produção de pneus bate recorde em 2013. Setor de duas rodas cresce 2,4%

A

produção de pneus para o segmento de duas rodas no Brasil aumentou 2,4% em 2013 segundo dados revelados pela Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos (ANIP). De acordo com a entidade, o número de unidades produzidas aumentou de 14,69 para 15,04

milhões. Ao todo, foram produzidas 68,8 milhões de unidades de pneus, número 9,77% superior à quantidade feita em 2012 e que, além das motos, inclui aqueles feitos para carros de passeio, veículos de carga, agrícolas, caminhonetes e de uso industrial, como empilhadeiras, por exemplo. “A indústria de pneus estabelecida no Brasil é tecnologicamente muito avançada e vem

investindo continuamente para acompanhar o desenvolvimento da indústria de veículos”, comenta Jean-Philippe Ollier, presidente do Conselho de Administração da ANIP. O relatório da entidade ainda afirma que 21,9% dos pneus produzidos em 2013 foram destinados ao segmento de duas rodas.

Produção de motos ficará estagnada em 2014 O ano de 2014 deve fechar com números de produção de motocicletas semelhantes aos registrados em 2013, segundo a Abraciclo, associação brasileira dos fabricantes do setor de duas rodas. De acordo com a entidade, devem ser produzidas cerca de 1.670.000 unidades, lembrando que o ano passado fechou com 1.669.370 motos fabricadas e isso representa uma queda de 1,2% em relação ao computado no final de 2012, que terminou com 1.690.187 unidades produzidas. Para Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo, a queda na quanti-

dade de dias úteis do calendário e a Copa do Mundo são fatores que irão contribuir para a estagnação. “Nossa perspectiva para 2014 é de estabilidade nos negócios, sem grandes mudanças no cenário em relação ao ano de 2013, que prosseguiu com a seletividade de crédito e retração da atividade econômica. A Copa do Mundo estimula o consumo de outros produtos, como televisores, o que exigirá mais empenho e ações para atrair os consumidores de veículos de duas rodas”, afirma o executivo. JANEIRO - 2014 / 11


segurança mercado//////

Produção de motos cresce 78,5% em janeiro Mês teve 145.302 unidades fabricadas, frente a 81.404 em dezembro. No comparativo anual, com janeiro de 2013, alta foi de 14,2%.

A

indústria de motos brasileira fechou o mês de janeiro de 2014 com 145.302 unidades produzidas no país, informou a Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas e Similares (Abraciclo) no dia 07. O número representa alta de 78,5% em relação a dezembro, quando 81.404 motos foram fabricadas. Segundo a entidade, parte do

Associação de Fabricantes, Prestadora de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Moto Peças e Motocicletas do Nordeste

12

Associação de Fabricantes, Prestadora de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Moto Peças e Motocicletas do Nordeste

crescimento ocorreu pelas férias coletivas de dezembro. No comparativo anual com janeiro de 2013, que havia chegado a 127.220, o crescimento foi de 14,2%. O começo positivo em 2014 vem depois de dois anos com quedas consecutivas na produção de motos brasileira. Em 2013, houve baixa de 1,2%, em relação a 2012, enquanto em 2012 a queda foi de 21%, quando comparado a 2011.

Vendas e emplacamentos As vendas no atacado chegaram a 103.683 unidades em janeiro, correspondendo a uma queda de 9,5% em relação ao mesmo mês de 2013. Na comparação com dezembro passado (109.370 unidades), houve queda de 5,2%. Segundo a Abraciclo, os licenciamentos de janeiro registraram alta de 5,7%, com 133.632 motocicletas emplacadas, ante 126.423 unidades do mesmo mês de 2013. “Nossa avaliação é que as ações comerciais promovidas pelos fabricantes e pela rede de concessionárias estimularam os negócios, porém esse esforço tem como objetivo compensar um possível recuo nas vendas nos meses próximos diante da Copa do Mundo. Com isso, esperamos atingir os números de estabilidade projetados para o ano de 2014”, disse Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo, em comunicado. Exportações Segundo a entidade, as vendas externas avançaram 46,1% em relação a janeiro de 2013, chegando a 8.307 unidades. Em relação a dezembro do ano passado, a alta foi de 6,3%, quando as vendas externas atingiram 7.817 motocicletas.


mercado///

Mercado de acessórios e peças em forte crescimento no ceará

O

mercado de acessórios para motos está aquecido e promete voos maiores para o ano de 2013. No interior do estado, mais precisamente em Russas, a loja MT Acessórios é referência no setor. De acordo com o empresário e proprietário Roberto Sombra, a loja é especialista em fabricar peças e acessórios para motos. “São oito marcas no total. Honda, Yamanha, dentre outras. Temos 70 colaboradores vendendo para todo o nordeste e outros locais do Brasil. Nosso forte são os produtos. Cada vez mais requisitados pelos nossos clientes. No caso os motociclistas e pequenas lojas”, afirmou. No estabelecimento é possível achar vários itens indispensáveis tanto para motos como para bicicletas tais como: protetor mata cachorro, bagageiro, guidão, alça traseira, slider, cavalete central, estribo dentre outros. Os mais requeridos pelos clientes são o guidão e o protetor da perna que custa R$ 9,00 e R$ 16,00 respectivamente. “Há outros também que saem bastante. Cito o slider e a estribo, mas esses dois primeiros citados lideram as vendas e são produtos que eu não Associação de Fabricantes, Prestadora de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Moto Peças e Motocicletas do Nordeste

14

Associação de Fabricantes, Prestadora de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Moto Peças e Motocicletas do Nordeste

posso deixar faltar na loja”, explica. Sem crise Questionado pelo mercado de peças e acessórios para motos,

“Para falar a verdade nesse ramo não tem crise” Roberto Sombra diz que o setor vai decolar neste ano. “Conversando com alguns proprietários a expectativa é de crescimento. Melhor do que o ano passado. Loja trabalha com 65 funcionários com uma linha de produção ativa atendendo vários estados do Brasil. Tudo isso para atender a clientela que cresce a cada dia. “Para falar a verdade nesse ramo não tem crise”, afirmou categórico. A MT Acessórios tem como meta empresarial de aumentar o seu faturamento para 2013 em 30% ao ano e ter 8% no

lucro liquido. A ideia de se tornar empreendedor começou no ano de 1996 quando Roberto Sombra fundou a empresa Metaltub. Empresa esta especializada na construção de móveis tubulares. Iniciava as atividades com apenas dois funcionários e com uma produção diária de dois conjuntos de cadeiras. “Apaixonado por motos pensei em mudar de ramo e em 2005 comecei outras atividades. No caso, no ramo de peças e acessórios para motos. E tive sucesso”, conta. Hoje a MT Acessórios conta com 65 funcionários com uma linha de produção atendendo vários estados do Brasil. A empresa se preocupa também com a preservação do meio ambiente. A loja recicla todos os resíduos havendo assim uma responsabilidade na proteção ambiental. Na loja as formas de pagamento podem ser à vista, no boleto ou no cartão de crédito. Para quem deseja ser um representante da MT Acessórios basta entrar em contato com a empresa. “Todos estão convidados. É só ligar para nossa administração que vamos verificar com carinho. Nosso objetivo é expandir”, disse. Fonte: DN


mercado///

Representação comercial Estratégia para atrair novos negócios Uma das formas mais usuais de expandir os negócios é contratar representantes comerciais para a venda dos produtos. Num país de dimensões continentais como o Brasil, entretanto, o relacionamento entre empresa e representante exige critérios de escolha bem definidos para utilizar esse canal. Cuidados e parâmetros que devem ser utilizados para o bom relacionamento com esses profissionais. Registro O registro do representante comercial, pela imposição da Lei nº 4886/1965, alterada pela Lei nº 8420/1992, é obrigatório, sob pena de incorrer no exercício ilegal da função, devendo o representante comercial se registrar no Conselho de Representantes Comerciais (Core) de onde está domiciliado (se pessoa física), ou onde está sediado (se pessoa jurídica). Para registro de pessoa jurídica, é necessário apresentar ao Core: - Contrato Social ou declaração de firma individual; - Alterações contratuais (se existirem); - CNPJ; - Indicação do sócio responsável, que deverá apresentar cópia da carteira de identidade, cópia do título de eleitor e do último comprovante de voto, 3 fotos 3x4 coloridas e sem data, cópia do CPF, cópia do comprovante de residência, cópia do certificado de reservista, documento ou declaração que indique Associação de Fabricantes, Prestadora de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Moto Peças e Motocicletas do Nordeste

16

Associação de Fabricantes, Prestadora de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Moto Peças e Motocicletas do Nordeste

o tipo sanguíneo e comprovante de quitação das contribuições ao sindicato da categoria. Após o registro, a empresa deverá apresentar ao Core cópia do alvará de localização emitido pela prefeitura e cópia da inscrição no ISS (para confecção do Certificado de Registro). Para registro da pessoa física, ela deverá apresentar todos os documentos exigidos do sócio responsável da empresa, conforme relacionado acima. Valores dos registros - em conformidade com a Lei nº 4.886/1965, os Conselhos Regionais dos Representantes Comerciais possuem autonomia administrativa para fixar os valores dos registros (contribuições e emolumentos) devidos pelos representantes comerciais. CRITÉRIOS PARA ESCOLHER REPRESENTANTES COMERCIAIS 1) Defina o tipo de contratação Opte por serviços de autônomo ou de empresa (pessoa jurídica). As empresas, de forma geral, têm exigido que o representante tenha

constituído empresa (pessoa jurídica) para estabelecer relacionamento comercial de representação de produtos. O representante comercial autônomo tem sido evitado pelo mercado em virtude de haver riscos trabalhistas nesse relacionamento. A atividade de autônomo tem como característica de relacionamento comercial o fato de ser esporádica. Uma atividade de encanador, por exemplo, adapta-se perfeitamente ao formato de prestador de serviços autônomo, uma vez que esporadicamente consumimos esse tipo de serviço em nossa casa. Entretanto, para uma atividade regular, como são as vendas por meio de representantes comerciais, torna-se permanente. Nesse caso, em litígios trabalhistas, o demandante pode alegar que a empresa o mantinha como um prestador de serviços autônomo, mas que na prática esta pessoa trabalhava como um funcionário da empresa. Sendo assim, abre-se o precedente para acusar a empresa


de “maquiar” a relação de trabalho utilizando-se do expediente da contratação de serviços de terceiros, reduzindo assim seus encargos trabalhistas. Portanto, a prática atual do mercado é a de privilegiar a relação com representantes que tenham empresas constituídas (pessoa jurídica). 2) Defina os critérios para atuação Defina claramente territórios onde pretenda atuar e qual representante cuidará dele, evitando disputas e mal-entendidos entre os próprios representantes. Também é válido estabelecer um critério de remuneração e premiação, vinculando-os a resultados objetivos e claros, que podem incluir meta quantitativa, qualidade do atendimento, índice de reclamações e devoluções, entre outros. Consulte outras empresas do setor para conhecer os parâmetros utilizados. Pesquise vários sistemas de remuneração e crie um modelo próprio. Princípios de simplicidade na apuração dos resultados, qualidade e transparência são pré-condições para o sucesso. 3) Pesquise onde buscar representantes Os representantes comerciais encontram-se organizados no Core, presente em quase todos os estados do país. O fato de estar devidamente habilitado gera certos compromissos formais expressos no código de ética da categoria. Os Cores regionais, em geral, dispõem de bolsas de ofertas de profissionais que estejam buscando empresas para representar. 4) Defina os critérios de escolha do representante Uma vez feita a pré-seleção dos candidatos, deve-se entrevistá-los

levando em conta a especialização profissional. Representantes que trabalham com todo tipo de produtos podem ser genéricos e superficiais, o que pode acarretar no comprometimento dos resultados. Verifique as empresas com as quais o representante trabalhou, quais cursos realizou e outros critérios definidos pela sua empresa. Se possível, procure contar com um profissional de recursos humanos para a realização do processo seletivo. Critérios técnicos de análise auxiliam na decisão de contratação. 5) Formalize o contrato O contrato que se estabelece entre o representante comercial e a empresa deve espelhar fielmente do que foi acordado entre as partes. Não omita questões e preveja situações de conflito. O site do Core dispõe de modelos de contratos que poderão ser adaptados às diversas necessidades. 6) Planeje as vendas Faça um planejamento integral de vendas compatível com as condições de expansão da empresa. Esse planejamento deve se desdobrar em territórios e representantes, para tornar claro os objetivos definidos. Os profissionais de vendas devem passar um bom tempo pesquisando “com quem” vão negociar, a fim de investirem tempo com inteligência, sem desperdício. É fundamental que a empresa representada ofereça informações básicas para a atuação do representante. 7) Escute seu representante Em razão de fazer o trabalho de campo junto aos clientes, o representante detém informações e percepções diferentes daquelas de quem está no escritório da empresa.

Em geral, essas informações podem ser utilizadas como “matéria-prima” para a identificação de tendências do mercado, para o desenvolvimento de novos produtos, sobre a atuação dos concorrentes e para a melhoria de processos. Tal recurso deve ser usado “estrategicamente”, e não ser um canal de lamentações da empresa. 8) Pratique o relacionamento “ganha-ganha” O princípio que rege o relacionamento com o representante deve ser o da “interdependência”, gerando ganhos mútuos. Tratar o representante como um inimigo que deve ser explorado ao máximo, e vice-versa, é o primeiro passo para destruir a relação. Lembre-se que o representante é a “cara” da empresa que se apresenta a clientes. Como conseguir representantes de vendas em outros estados – Anunciar em jornal solicitando currículo do representante, para que possa ser feita uma seleção criteriosa; – Buscar o representante no concorrente; – Procurar em agências especializadas; – Solicitar em escolas; – Pesquisar em entidades de classe, principalmente o Conselho Federal de Representantes Comerciais; – Promover alguém da empresa; – Pedir indicação para outro representante - normalmente eles se encontram em hotéis e restaurantes e trocam muitas informações. Mais informações Para aprofundar conhecimento sobre representantes comerciais, acesse o site do Conselho Federal dos Representantes Comerciais. JANEIRO - 2014 / 17


dicas e cuidados ///

Entenda como funciona um pneu de motocicleta

O

s pneus das motos são responsáveis pelo contato que a máquina tem com o solo, é por meio deles que a locomoção do veículo pode ser feita, não sem antes uma série de engrenagens que brotam do interior do motor chegar até a corrente. Então, fique atento, porque hoje é o dia de desvendar o pneu, um dos principais componentes das motocas. Calibragem Principal ator por fazer as motos se deslocarem, os pneus também são responsáveis por criar atrito no asfalto e, consequentemente, instituir uma força de arrasto maior. É como as aves: as asas as mantêm Associação de Fabricantes, Prestadora de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Moto Peças e Motocicletas do Nordeste

18

Associação de Fabricantes, Prestadora de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Moto Peças e Motocicletas do Nordeste

no céu, mas também dificultam as chances de voar mais rápido por causa do atrito que os membros de nossos amigos plumados exercem sobre o ar. Ok, deixemos as aves de lado. Gerando o arrasto, o que vai determinar a quantidade maior ou menor de combustível consumido, neste quesito, é a calibragem. “A calibragem correta pode ser encontrada nos manuais dos proprietários das motocicletas e na própria motocicleta. Sempre observar o que o fabricante da motocicleta indica, pois além de depender do peso do veículo e da carga, existe a distribuição de peso entre os eixos, da potência e da velocidade que o veículo pode alcançar”, explica o gerente técnico da Rinaldi Pneus,

João Umberto Volpato. O gerente também afirma que “pneus com baixa pressão de inflação causam superaquecimento, diminuem a resistência ao rolamento na estrada, provocam o desgaste irregular, danos internos e rachaduras, reduzindo desta forma sua vida útil. Além disso, pode elevar o consumo de combustível com o aumento da área de contato. Já os pneus com pressão de inflação alta tornam o veículo mais ‘duro’, sujeitando-os a danos por impacto, desgaste acentuado no centro da banda de rodagem, entre outros problemas”. Quem vai se dar pior, para início de conversa, é a famosa banda de rodagem, feita de vários tipos de borrachas sintéticas, que vai se desgastar irregularmente. Apesar


de tudo isso, as motos não precisam passar por rodízios, como acontece costumeiramente com os carros. Segundo Volpato, “os pneus dianteiros normalmente possuem diâmetro diferente do traseiro, logo, não é possível fazer o rodízio. Mesmo quando os diâmetros dianteiro e traseiro são iguais, medidas como largura são distintas, bem como as capacidades de carga e de velocidade”. Também não vale usar pneus recauchutados ou que tenham recebido qualquer tipo de reforma, já que não existe qualquer processo de controle de qualidade. Troca Certamente as trocas devem obedecer às especificações do fabricante, porém, os pneus, como qualquer outro produto têm uma validade. “Eles possuem prazo de validade, normalmente cinco anos da data de fabricação. O que deve ser levado em consideração é como o pneu está ou foi utilizado e o índice de desgaste que cada pneu possui, também identificado no pneu com T.W.I. (Tread Wear Indicator) ou com um triângulo, no ombro do pneu, mas com o indicativo na banda de rodagem. Quando o desgaste da banda de rodagem estiver alcançando o T.W.I., é recomendada a sua troca. Esta regra vale para pneus bem utilizados e sem danos sofri-

dos”, diz Volpato. É desnecessário dizer que pneus em más condições de uso devem ser trocados imediatamente, evitando qualquer risco de acidente. Bolhas E já que o assunto é acidente, devemos ficar atento às bolhas que podem aparecer nos pneus. Esses componentes são feitos de várias camadas de tecidos, que quando passam por um processo de vulcanização se fundem e deixam o pneu com um aspecto uniforme, pronto para rodar. Contudo, uma topada mais forte, um buraco meio invisível no meio da noite pode romper essas camadas, e conforme a moto vai rodando, o pneu danificado vai soltando as fibras internas dos tecidos. Com isso, o aquecimento do pneu vai aumentar e o calor fará aumentar o espaço danificado, e quando menos esperar o motociclista verá a bolha saltando aos olhos. Neste caso, só há uma coisa a fazer: trocar. “Bolhas podem se alastrar e causar até o rompimento ou separação da banda de rodagem ou o desbalanceamento do pneu, vibração, entre outros danos que podem acarretar num sério acidente”, diz o gerente. Outros fatores Causas diversas podem acelerar o desgaste dos pneus, a mais comum

é a forma de pilotar. Volpato diz que “é fundamental dirigir com regularidade e com velocidades compatíveis com o tipo de estrada. Por estes motivos, a maneira de dirigir influi diretamente no desempenho final do pneu. Evite freadas e acelerações bruscas”. As estradas também levam grande culpa nesse ciclo, para o gerente “o tipo de pavimento tem influência direta na vida dos pneus. Quanto mais abrasiva e precária a condição do pavimento, menor será sua vida útil (quilometragem) . Estradas com muitas curvas, desníveis, subidas e descidas exigem mais do pneu. Os efeitos de arrastamento, freadas e acelerações diminuem também sua duração. Devem-se evitar impactos violentos contra obstáculos, buracos, meio fio, que podem danificar a carcaça”. Pneus Do que é feito um pneu Feixe de cabos do talão: são cabos super-resistentes cobertos com borracha; Carcaça do pneu: é um componente do pneu feito de vários tipos de lona; Flanco : são responsáveis pela estabilidade lateral do pneu; Banda de rodagem: é feito de misturas de borrachas sintéticas; Como é produzido

JANEIRO - 2014 / 19


dicas e cuidados ///

A construção de um pneu passa por um processo produtivo bem complexo, que vai desde a preparação da borracha até a produção de itens para compor o produto final. As partes de um pneu contam com propriedades físicas e químicas diferentes. Cada detalhe é estudado para alcançar sempre o melhor desempenho. O processo de fabricação é controlado e ocorre de acordo com especi-

de solventes ou outros produtos danifiquem os compostos. Segue abaixo: As pressões devem ser verificadas regularmente em pneus frios. Nunca reduza a pressão do ar enquanto os pneus estiverem quentes, pois é normal que ela cresça além das pressões frias. Os pneus devem ser substituídos quando suas superfícies demonstrarem sinais de desgaste, mesmo

ficações técnicas e procedimentos pré-determinados. O objetivo é garantir aspectos como segurança, uniformidade de peso e geometria, simetria, controle de compostos de borracha, grau de vulcanização, repetibilidade do processo e rastreabilidade, entre outros. Cuidados com os pneus A loja de pneus Della Via, por exemplo, disponibiliza no site (www. dellavia. com.br) algumas dicas e sugestões para manter os pneus em ordem sem deixar que a ação

que o desgaste seja somente parcial (ex.: desgaste irregular). Quando ocorrerem impactos ou furos verifique também a parte interna do pneu. Cumpra o código de velocidade e o índice de carga. O estilo e a velocidade da direção afetam diretamente a vida dos pneus. Faça uma verificação geral de condição dos pneus regularmente. Nunca estacione sobre locais com óleo, solvente, etc.; eles podem

Associação de Fabricantes, Prestadora de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Moto Peças e Motocicletas do Nordeste

20

Associação de Fabricantes, Prestadora de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Moto Peças e Motocicletas do Nordeste

causar danos aos pneus. Dicas de segurança Peça ao montador que, antes de montar o pneu, verifique o estado do aro. Aros danificados criam vibrações e reduzem a estabilidade da motocicleta. Verifique se o pneu foi montado observando a seta indicativa no sentido de rodagem. Após a montagem, examine o ajuste entre o aro e as bordas dos talões. Use sempre a pressão correta para cada tipo de pneu, o que proporciona maior vida útil, excelente capacidade de aderência ao solo e maior estabilidade da motocicleta. Verifique sempre a calibragem indicada pelo fabricante. Em caso de carga, evite o superaquecimento do pneu, aumentando a calibragem (2 lbs/in2 no dianteiro e 4 lbs/in2 no traseiro). Pneu novo requer uma câmara nova. A utilização incorreta do pneu, bem como impactos violentos, podem originar fissuras internas nos pneus, que podem não ser evidenciadas de imediato. A vida útil do pneu depende também da boa montagem. Por isso, siga corretamente as dicas. O que deve ser evitado Sobrecarregar a motocicleta e, consequentemente, os pneus. Utilizar medidas não compatíveis com o índice de carga/velocidade da motocicleta. Utilização de câmaras de ar inadequadas. Utilizar pressões diferentes das recomendações do fabricante da motocicleta. Uso de pneus de marcas diferentes na dianteira e na traseira do veículo.


JANEIRO - 2014 / 21


notícia///

o mundo das duas rodas em 2013

O

ano de 2013 chegou ao seu final e agora relembrarmos os fatos mais marcantes do segmento de duas rodas. No geral, o período foi de retração para o mercado. De acordo com dados da Fenabrave, entidade que contabiliza a distribuição automotiva no Brasil, até novembro passado haviam sido comercializadas 1.375.110 motocicletas, contra 1.499.498 no mesmo período de 2012, o que representa uma queda de 8,3%. Entretanto, seria injusto afirmar que o ano que se despede foi composto apenas de más notícias. Em outubro, tivemos um Salão Duas Rodas repleto de lançamentos e novidades para o setor. Principalmente para as marcas consideradas premium, que cada vez mais enxergam o Brasil como mercado promissor para oferecer os seus produtos. Confira a seguir o que aconteceu de mais importante para o segmento de duas rodas. - Lançamento da Família 500cc da Honda: Durante o Salão Duas Rodas, a Honda apresentou ao público brasileiro três novas motos que fizeram seu debute mundial durante o Salão de Motos de Milão em 2012: a naked CB 500F, a esportiva CBR 500R e a crossover CB 500X. A surpresa, entretanto, foi saber que as três motos, que partilham Associação de Fabricantes, Prestadora de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Moto Peças e Motocicletas do Nordeste

22

Associação de Fabricantes, Prestadora de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Moto Peças e Motocicletas do Nordeste

a mesma base mecânica, seriam montadas aqui no País, sendo que a naked e a esportiva já estão nas concessionárias da marca, disponíveis em versões standard e também equipadas com freios ABS. - Novidades da Yamaha: A Yamaha animou os motociclistas brasileiros ao introduzir dois novos produtos no mercado brasileiro. O mais aguardado era a Fazer 150, o primeiro modelo feito pela marca no Brasil com essa capacidade cúbica e ainda por cima equipado com a tecnologia bicombustível BlueFlex de sua irmã maior. Tudo isso para ameaçar o reinado da Honda CG 150 Titan, que ainda figura entre os veículos mais vendidos do País. A marca dos três diapasões mostrou ainda estar interessada no mercado de motos premium ao anunciar as importações do maxi scooter T-Max e da power cruiser V-Max para 2014 pelos preços de R$ 42.500 e R$ 99.000, respectivamente. - Festa de 110 anos da Harley-Davidson em São Paulo: A importância do Brasil para a Harley-Davidson foi mencionada pela marca norte-americana desde que se estabeleceu aqui oficialmente há dois anos. Em junho, a fabricante norte-americana decidiu reafirmar este compromisso ao colocar a cidade de São Paulo (SP) no mapa das comemorações do seu 110º aniversário, como fez com outras cidades ao redor do planeta, que se somaram ao grande

evento realizado em Milwaukee, onde fica a sede mundial da H-D. A festa, que aconteceu na Arena Anhembi, recebeu mais de 7 mil pessoas e ainda contou com show do Capital Inicial e outras bandas tocando o melhor do Rock’n’Roll. E, como não poderia deixar de ser, um desfile de Harleys de diversas épocas com a participação de Bill Davidson, bisneto de um dos fundadores da marca. - Um ano de Triumph no Brasil: Outra marca que aproveitou o Salão Duas Rodas para mostrar planos ambiciosos para o Brasil foi a Triumph. A marca inglesa comemorou um ano de operações no País e confirmou a chegada de outros sete modelos, como a Street Triple R, a versão convencional da superesportiva Daytona 675 e da bigtrail Tiger 800. A marca também anunciou a aventureira Tiger Explorer XC, a touring Trophy SE, a café racer Thruxton e a bigtrail com ares esportivos Tiger Sport. A marca almeja fechar 2013 com 2.500 unidades comercializadas e aumentar esse volume para 3.500 no ano que vem. - Renovação da Honda CG – O ano de 2013 também foi marcado pela renovação da moto mais famosa do país. As linhas Fan e Titan da Honda CG receberam uma merecida repaginada em aspectos visuais e mecânicos para ficarem mais modernas. Entre as mudanças estão o chassi redesenhado – e


quatro quilos mais leve –, o novo farol poligonal, o painel totalmente digital em toda a linha e a mudança na postura de pilotagem. Para coroar o ano da reviravolta da CG, a Honda ainda anunciou um novo plano de garantia de três anos sem limite de quilometragem, válido para os modelos comprados a partir de dezembro, que também inclui trocas de óleo gratuitas. - Falta de crédito para motociclistas: De acordo com os especialistas, a dificuldade na aprovação de crédito por parte dos bancos foi o maior vilão das vendas de motocicletas em 2013, principalmente as de baixa cilindrada. “Sofremos com a retração da economia”, ressalta Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo,

associação do segmento de duas rodas. O número de vendas 8,3% menor do que 2012 também fez com que a entidade fosse cautelosa – e talvez até um pouco pessimista – ao divulgar as metas para 2014. “Nossa perspectiva é de um 2014 estável, sem mudanças no cenário em relação a 2013, que prosseguiu com a seletividade de crédito e retração da atividade econômica. Com a Copa, os brasileiros tendem a consumir outros produtos, como televisores, e isso pode postergar a decisão de compra de uma motocicleta”, Fermanian. - Primeiras Ducati made in Brazil nas ruas: Em outubro de 2012 a Ducati anunciou oficialmente o início de suas operações no Brasil com suas

motos sendo montadas na fábrica da Dafra em Manaus (AM). Hoje, a Casa de Borgo Panigale tem seis concessionárias inauguradas em território nacional e modelos como a Monster 796 e a Diavel já são vistos nas ruas sem muita estranheza. No último Salão Duas Rodas, inclusive, a marca aproveitou para mostrar seu respeito ao consumidor brasileiro ao revelar a 1199 Panigale S Senna, uma edição da superesportiva limitada exclusivamente para o Brasil que presta homenagem ao tricampeão de Fórmula 1. - Consolidação do mercado premium: Enquanto as motos de baixa cilindrada amargaram declínio no número de unidades vendidas, as motos de alta capacidade cúbica, JANEIRO - 2014 / 23


notícia///

consideradas premium, tiveram mais um bom ano em termos de notas fiscais emitidas. “Os donos de concessionárias de motos de luxo não têm reclamado nem de vendas nem de crédito”, comentou Flávio Meneghetti, presidente da Fenabrave. Apenas para se ter uma ideia do volume, Harley-Davidson e BMW já falam em números superiores a 2012 e projetam fechar o ano com 8.000 e 7.700 motos comercializadas, respectivamente. - Despertar da Suzuki – A Suzuki mostrou em 2013 que ainda é um nome forte no segmento brasileiro de motocicletas. Durante o ano, a marca japonesa representada aqui pelo Grupo J. Toledo, apresentou como grande novidade as nakeds Gladius e GSR 750, além da sport-touring GSX 1250FA. Foram renovadas também as superesportivas GSX-R 750 e GSX-R 1000 e também a bigtrail V-Strom 650 e a hiperesportiva GSX 1300R Hayabusa, que receberam freios ABS de série. No campo da baixa cilindrada, a Suzuki também lançou as inéditas GS 120 e Inazuma 250. - As novas bigtrails e o maxi scooter da BMW – Outro fato de 2013 que merece ser relembrado foi a chegada da nova versão da bigtrail R 1200 GS da BMW ao Brasil. A moto, primeira da marca bávara a ser equipada com o novo propulsor boxer de dois cilindros opostos com refrigeração líquida, fez seu debute por aqui em abril. O modelo traz ainda design repaginado e está disponível em três opções de pacotes: Sport, Sport Plus e Premium, cujos preços são de R$ 73.400, R$ 76.900 e R$ 83.900, respectivamente. Durante o Salão Duas Rodas, a BMW Associação de Fabricantes, Prestadora de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Moto Peças e Motocicletas do Nordeste

24

Associação de Fabricantes, Prestadora de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Moto Peças e Motocicletas do Nordeste

aproveitou para anunciar a chegada de outros dois modelos. São eles: a versão Adventure da F 800 GS, que é montada aqui na fábrica da Dafra em Manaus (AM) e já está nas concessionárias por R$ 47.900; e o maxi scooter C 600 Sport, que inaugura um novo segmento para a marca no País. Ele será importado a partir do ano que vem e seu preço deverá ser de R$ 47 mil. - Chegada da Kawasaki Z800 ao Brasil – Embora seu debute mundial tenha sido em outubro de 2012 durante o Salão de Colônia, na Alemanha, a naked da Casa de Akashi aterrissou aqui não muito depois, logo em janeiro deste ano. Evolução da Z 750, a nova Z800 foi projetada para ficar mais parecida visualmente com a Z 1000 e também “cresceu” na motorização, deixando o motor de 748 cm³ de lado para incorporar um novo propulsor de 806 cm³, capaz de gerar 113 cv de potência máxima a 10.200 rpm e torque máximo de 8,5 kgf.m nos 8.000 giros por minuto, mas que mantém a arquitetura dos quatro cilindros em linha. A moto está disponível nas concessionárias da Kawasaki em verde (claro!), laranja e preto, sendo R$ 36.390 o preço sugerido pela versão standard e R$ 39.390 para o modelo equipado com freios ABS. - Brasil marcou presença na motovelocidade mundial – O motociclismo como esporte também teve motivos para comemorar neste ano que se despede. Em 2013, o Brasil teve seu primeiro representante competindo no tradicional TT – Tourist Trophy. A bordo de uma Ducati 1199 Panigale, o piloto Rafael Paschoalin disputou a principal categoria da prova de

motovelocidade realizada já há cem anos nas ruas da Ilha de Man, no Mar da Irlanda. Ainda no campo da motovelocidade, o ano contou também com a inclusão do Brasil no mapa do Mundial de Motovelocidade. Atualmente, o Grande Prêmio do Brasil aguarda a homologação do Autódromo Internacional Nelson Piquet, em Brasília (DF) para ser oficializado, mas já está no calendário oficial do torneio como a décima quinta etapa, marcada pra o dia 28 de setembro de 2014. - Expansão da MV Agusta – Já que falamos em ascensão do mercado premium e aumento do line-up das marcas de luxo (como a Triumph), não podemos deixar de mencionar as novidades que a MV Agusta confirmou para mercado brasileiro. Em abril deste ano, a marca passou a vender aqui a apimentada F4 RR, que chegou importada pela bagatela de R$ 110 mil. Equipada com freios ABS, a versão mais arisca da superesportiva italiana também conta com o propulsor tetracilindrico Corsa Corta de 998 cm³, capaz de gerar mais de 200 cv de potência máxima. No final do ano, entretanto, a Casa de Varese revelou planos mais ambiciosos para o Brasil. Além de nacionalizar a F4 RR – cujo preço caiu para R$ 99.900 – a marca também oficializou a produção de suas três motos tricilindricas de 800cc na fábrica da Dafra em Manaus. Os modelos, que já estavam expostos no estande da marca durante o Salão Duas Rodas 2013, são a naked Brutale 800, a superesportiva F3 800 e a supermotard Rivale 800, cuja estreia mundial aconteceu em novembro de 2012, em Milão.


JANEIRO - 2014 / 25


notícia///

Perspectivas para 2014: no setor de Motocicletas Enquanto as vendas de modelos de maior cilindrada geram otimismo, motocicletas pequenas não terão vida fácil em 2014.

O

panorama do setor de motocicletas não prevê muita evolução em 2014. Depois de um 2012 e 2013 no vermelho – tanto na produção quando na venda de motos –, executivos e fabricantes não conseguem vislumbrar perspectivas que influenciem positivamente as projeções para ano que vem. Segundo Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo – associação que reúne os fabricantes brasileiros de motocicletas – vão perdurar os problemas enfrentados nos últimos anos, que afetaram principalmente os modelos de baixa cilindrada, mais impactados pela restrições ao crédito para financiamentos. “ Nossa perspectiva é de um 2014 estável, sem mudanças no cenário em relação a 2013, que prosseguiu com a seletividade de crédito e retração da atividade econômica ”, projeta. O que pode complicar ainda mais o mercado de motocicletas é a realização da Copa do Mundo. “Com a Copa, os brasileiros tendem a consumir outros produtos, como televisores, e isso pode postergar a decisão de compra de uma motocicleta”, explica Fermanian. Apesar das previsões Associação de Fabricantes, Prestadora de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Moto Peças e Motocicletas do Nordeste

26

Associação de Fabricantes, Prestadora de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Moto Peças e Motocicletas do Nordeste

desfavoráveis, as fabricantes não vão se inibir e já agendaram uma “cascata” de novos modelos. E um dos segmentos que promete ser agitado é o das scooters. E terá estreias. Sem abrir mão do luxo, a BMW Motorrad vai começar a importar a maxiscooter C600 Sport. Inicialmente, a ideia é trazer um pequeno lote do modelo para testar a reação do mercado, que apresenta um “ grande potencial ”, segundo a marca bávara e, de certa

forma manter uma exclusividade. O modelo tem 61 cv de potência e 6,7 kgfm de torque, que são gerados pelo motor dois cilindros de 647 cc. Quem também vai reforçar a aposta nas pequenas motos é a Dafra. Serão mais dois modelos: a Maxsym 400i e a Cityclass 200i. As scooters estão previstas para março e maio de 2014, respectivamente. A Maxsym 400i será movida por motor de 399 cm³ com injeção eletrônica, refrigeração líquida, quatro válvulas


e 34 cv. Entre os destaques, estão rodas de liga leve de 14 polegadas na frente e 15 atrás, freios ABS, bagageiro iluminado com espaço para dois capacetes e um painel que combina elementos digitais e analógicos. A menor, Cityclass 200i, traz um propulsor de 200 cm³ com injeção eletrônica e refrigeração a ar e óleo, ligado a um câmbio automático CVT. O modelo ainda conta com rodas de 16 polegadas, freios a disco, painel digital, carregador USB, assento em dois níveis com tecido antiderrapante e compartimento para capacetes e outros objetos. No lado das marcas de alta cilindrada, quatro motocicletas da Harley-Davidson vão aparecer em 2014. Destaque para o triciclo feito com base na Electra Glide Ultra Limited e chamado de Tri Glide Ultra. Ele vem da família touring e empurrado pelo motor Twin Cooled Twin Cam 103 de 1.690 cm³. Quem também chega ano que vem a mais nova integrante da família Sportster, a XL 1200X Forty-Eight com visual inspirado nos “ hot rods ” americanos. Completam a lista dois modelos da divisão Custom Vehicle Operations: a CVO Breakout e a CVO Limited. Outras fabricantes premium que irão “ despejar ” novos modelos no mercado brasileiro ano que vem são Ducati e MV Agusta. A casa de Borgo Panigale trará seis motocicletas. O destaque é a 1199 Panigale S Senna – mostrada pela primeira vez no Salão Duas Rodas, que aconteceu em outubro em São Paulo. O modelo é uma releitura da 916 Senna, desenvolvida com o toque pessoal do piloto brasileiro em sua visita à Ducati em 1994. Ela será comercializada exclusivamente no Brasil a partir do segundo semestre e terá apenas 161

unidades fabricadas e numeradas – uma alusão ao total de corridas disputadas por Ayrton na Fórmula 1. Ainda sem preço definido, ela traz a mesma configuração da 1199 Panigale S, ou seja, dois cilindros, 1.198 cc e 195 cv de potência. Além da moto comemorativa, a Ducati terá em sua gama a novíssima Monster 1200, a 899 Panigale e a Hypermotard, que devem chegar antes. No caso da MV Agusta – controlada no Brasil pela Dafra –, a aposta será em modelos de 800 cc. Serão três. Uma é a naked Brutale 800, que chega em março. Logo em seguida, em abril, a esportiva F3 800 começa a ser vendida. Elas motocicletas vêm com motor 798 cc com potência de 148 cv. No meio do ano é a vez da Rivale 800. Aumentar o leque de produtos também será a meta da Triumph. A fabricante britânica já oferece 12 motos em seu atual line-up e prepara mais três lançamento em 2014. Em março, os primeiros a chegar são a Daytona 675 e a Thruxton SE. A primeira é uma versão “ amansada ” da 675 R – lançada por aqui em maio. O conjunto mecânico é o mesmo, mas traz alterações nas suspensões e freios. Já a Thruxton SE faz referência a década de 60 com seu visual retrô. Ela vem equipada com um motor de dois cilindros paralelos de 865 cc, oito válvulas e duplo comando de válvulas – o mesmo que empurra a Boneville T100. Na Thruxton, o propulsor ganhou uma “ forcinha ” e pulou para 69 cv de potência. Em abril de 2014, é a vez da Tiger Sport chegar ao mercado nacional. Segundo Marcelo Silva, gerente geral da Triumph no Brasil, as novidades não param por aí. “ Além das três motos já confirmadas, estamos planejando

mais um lançamento para 2014 ”, diz Marcelo, sem dar pistas de qual modelo seria. No caso das fabricantes mais “ generalistas ”, a Honda vai completar a nova linha de 500 cc. No primeiro semestre, chega a aventureira CB 500X que segue a linha “ bico de pato ”. O modelo fará companhia à 500F e à CBR 500R, que já estão nas lojas. Com as três opções, a Honda espera alcançar a meta de comercializar 20 mil unidades/ano até 2016 e se consolidar a liderança do segmento de alta cilindrada. Atualmente a fabricante domina o mercado brasileiro de motos, com mais de 80% de participação. Nem tão bem sucedidas quanto a Honda, as outras marcas japonesas também querem ter dias melhores por aqui. A Suzuki trará a Inazuma 250, que chega a partir de abril para brigar em um dos segmentos de grande volume de vendas. As especificações para o mercado brasileiro ainda não foram confirmadas, mas no exterior, o modelo vem equipado com um motor bicilíndrico de 248 cm³ com comando simples no cabeçote e refrigeração líquida. Ele desenvolve 24,5 cv a 8.500 rpm e torque de 2,2 kgfm a 6.500 giros. A compatriota Kawasaki mostrou no Salão Duas Rodas a nova Ninja 1000, uma das motos confirmadas a chegar no Brasil no segundo semestre. E a Yamaha vai trazer a nova geração da tradicional V-Max. Criada em 1985, a motocicleta desembarca em março com “pesado ” valor de R$ 99 mil. A versão atual tem motor maior – V4 de 200 cv, 17 kgfm de torque e refrigerado a água – e um quadro mais compacto, de cor preta e em alumínio escovado. JANEIRO - 2014 / 27


notícia///

15 perguntas e respostas sobre o consórcio de motos

C

omprar uma moto à vista com certeza seria uma boa opção para conseguir descontos e evitar outro parcelamento. Mas nem sempre isso é possível, o que não precisa ser um problema! Afinal, existem outras formas de comprar a moto que você deseja – e o consórcio é uma delas. Para ficar por dentro das regras do consórcio, confira 15 perguntas e respostas sobre este assunto: 1. Como funciona o consórcio de moto? Uma empresa que administra consórcios abre um grupo para compradores interessados em uma moto. Cada um que entra deverá pagar uma parcela todo mês para esta administradora, que é responsável por cuidar do dinheiro e dos sorteios. É neste sorteio que você consegue o dinheiro para comprar a moto, ou seja, recebe a carta de crédito. Todo mês alguém será sorteado e, mesmo com o dinheiro na mão, continua pagando as parcelas mês a mês até o final do consórcio. 2. Quanto tempo dura um consórcio de moto? Depende! Os consórcios de moto costumam durar de dois a seis Associação de Fabricantes, Prestadora de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Moto Peças e Motocicletas do Nordeste

28

Associação de Fabricantes, Prestadora de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Moto Peças e Motocicletas do Nordeste

anos. E isso significa que se você for sorteado no final, terá que esperar bastante para comprar sua moto. A não ser que você dê um lance e leve a carta de crédito dessa forma. 3. Como eu entro em um consórcio de moto? Para participar, você deve procurar uma administradora de consórcios. É ela que reúne os interessados em um mesmo modelo de moto. A Konkero é representante da administradora Rodobens e vende consórcios de diversas motos. Para saber mais, visite a nossa loja no piso superior do Mais Shopping, em São Paulo. 4. Como eu faço o pagamento das parcelas? Ao fechar o negócio você recebe um boleto para pagar as parcelas. Esse boleto possui todas as informações sobre o consórcio, por exemplo, quantas pessoas foram sorteadas no último mês. 5. As parcelas têm juros? O consórcio não tem juros como um financiamento, mas você paga uma taxa para a administradora. Além disso, as parcelas podem sofrer reajuste uma vez por ano. Essa mudança acontece porque os modelos de moto ficam mais caros

ou mais baratos com o tempo. 6. Como faço para ser contemplado? Existem duas maneiras. Uma delas é o sorteio mensal, e a outra é dando lances – quem oferece mais dinheiro neste lance leva a moto, como em um leilão. Em alguns consórcios, o lance vencedor é aquele em que o participante antecipa o pagamento do maior número de parcelas. 7. O que acontece se eu der um lance e não levar a carta de crédito? Nesse caso, você pode pegar o dinheiro de volta ou usá-lo para quitar antecipadamente mais parcelas do consórcio. 8. Quantos sorteios acontecem por mês? O número de sorteios varia conforme cada administradora porque elas têm regras próprias. E também muda de acordo com o número de participantes do consórcio, uma vez que quanto mais gente no grupo, mais dinheiro é arrecadado por mês para a compra da moto. 9. Eu tenho que continuar pagando as parcelas depois de ser sorteado? Sim. Mesmo que você seja sorteado


no começo do consórcio, deve continuar pagando todas as parcelas que estão previstas no contrato. Se o seu consórcio é de 30 meses, por exemplo, terá que pagar 30 parcelas. 10. O que acontece se eu atrasar o pagamento de uma parcela? Você terá que pagar este valor com juros e multa. E se você atrasar muitas parcelas corre o risco de ser excluído do grupo. Neste caso, precisa esperar o final do consórcio para resgatar seu dinheiro, e ainda terá um desconto no valor por conta da multa. Quando algum sorteado deixa de pagar as parcelas que faltam, a administradora pode entrar com um processo e fazer a apreensão da moto. 11. O que fazer se eu não consigo mais pagar o consórcio da moto? Ficou pesado pagar o consórcio? Não se preocupe: existem três saídas. Confira! 1. Transferir a sua participação para

outra pessoa, que vai comprar a cota; 2. Mudar para um consórcio, da mesma empresa, que tenha parcelas menores. Por exemplo, ir para um consórcio de uma moto mais barata. 3. Pedir para sair do grupo. Você terá que pagar uma multa e esperar ser sorteado para receber o dinheiro das parcelas anteriores. 12. A carta de crédito é entregue em dinheiro? Não. Quando você for sorteado terá que escolher o modelo da moto, acertar a compra com o vendedor e avisar a administradora. Ela ficará responsável apenas por pagar esse vendedor. Ou seja, o dinheiro da carta de crédito não cai na sua conta. 13. Posso comprar outro produto com a minha carta de crédito? Depende do que está previso no seu contrato. Em alguns consórcios você pode escolher qualquer

modelo de moto ou até migrar para outro produto, como um carro, pagando a diferença quando for contemplado. 14. E se a moto que eu quero tiver um preço diferente da minha carta de crédito quando eu for sorteado? Não tem problema. Se for um modelo mais barato, você pode comprá-lo e usar o restante do dinheiro para quitar as parcelas do consórcio. Se for mais caro, dá para usar carta de crédito, mas você terá que completar o valor que falta. 15. Qual é o prazo máximo para comprar a moto depois que fui sorteado? Você tem tempo até o consórcio terminar. Se você for sorteado e não quiser comprar naquela hora, a administradora deve depositar o valor da carta de crédito em uma poupança e você tem o prazo mínimo de seis meses para sacar esse dinheiro.

JANEIRO - 2014 / 29


associado destaque///

CARLOS capacitação para superar desafios e ser um diferencial no mercado Como o trabalho focado na qualificação de profissionais e variedade de produtos, fizeram a Moto Center traçar um caminho bem sucedido no segmento de motopeças e acessórios.

AN - Quando começaram as atividades da Moto Center? EP - A Moto Center foi fundada em Dezembro de 1991, em 2001 eu assumi a diretoria da empresa, dando continuidade aos trabalhos e sempre acreditando na ascensão do mercado que na época era praticamente formado por motos nacionais e de baixa cilindrada. No inicio, contávamos apenas com uma filial, atualmente, estamos com três filiais que oferecem aos clientes todo tipo de acessórios e serviços que vão desde pintura até alinhamento de chassi. AN - Atualmente, qual a situação do mercado de motopeças e acessórios em Fortaleza? Fantástico, o mercado hoje me surpreende a cada dia com a chagada de grandes marcas no Ceará, como Harley Davidson, BMW querendo chegar e Honda vendendo motos mais robustas, a tendência é melhorar ainda mais. A grata surpresa Associação de Fabricantes, Prestadora de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Moto Peças e Motocicletas do Nordeste

30

Associação de Fabricantes, Prestadora de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Moto Peças e Motocicletas do Nordeste

é o surgimento de concessionárias especializadas em motos importadas, um segmento praticamente inexistente no passado e que hoje é realidade e impulsiona o mercado de motopeças e acessórios em todo estado.

“O nosso diferencial é a variedade com foco na excelência do atendimento. Sempre oferecendo ao cliente, a maior diversidade possível de peças, serviços e acessórios.”

AN - A sua primeira loja foi inaugurada na rua Clarindo de Queiroz? EP - Sim, no início a Moto Center

era uma loja de pequeno porte que posteriormente foi ampliada e como a demanda era crescente, tivemos de inaugurar uma segunda loja, localizada no bairro Aerolândia. Dando continuidade a nossa expansão, inauguramos uma terceira loja especializada em vendas de acessórios, que na época, preenchia uma lacuna no mercado, já que em Fortaleza praticamente não existiam lojas voltadas exclusivamente para este segmento. AN - Qual o diferencial da Moto Center dentro de um mercado tão concorrido? EP - O nosso diferencial é a variedade com foco na excelência do atendimento. Sempre oferecendo ao cliente, a maior variedade possível de peças, serviços e acessórios. Tudo isso, aliado ao atendimento de qualidade, feito por profissionais capacitados. Para ter uma idéia do nosso pioneirismo em vendas de acessórios, mesmo no início das


OUTUBRO - 2013 / 31


institucional///

Tomaz representações: COMEMORA 30 anos de solidez e credibilidade no mercado Reconhecido como um dos principais nomes do segmento de motopeças do Nordeste, Tomaz Representações comemora com clientes e parceiros, três décadas de sólida atuação.

Da esquerda para a direita: Franklin, Leonardo, Donanas, Marcela, Tomaz, Otavio, Tiago, Marcelo, Hélito e Lusmario

D

urante os dias 21, 22 e 23 de novembro o Seara Hotel, localizado na Avenida Beira Mar, foi o palco principal de celebrações e homenagens. Na ocasião, a Tomaz Representações expôs os produtos das principais empresas representadas, prestou Associação de Fabricantes, Prestadora de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Moto Peças e Motocicletas do Nordeste

32

Associação de Fabricantes, Prestadora de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Moto Peças e Motocicletas do Nordeste

homenagem aos ex-colaboradores Ubiratan, Cesar Bezerra e Pedro Alves de Sousa Neto (in-memorian), aos Gerentes atuais Otávio Martins e Marcela Sales. Os primeiros clientes: Audir Melo, Eurides e Amiguinho, Carlinhos (Retmol), Carlos Alberto, Mota e João Antonio, bem como os parceiros que fizeram parte dessa sólida trajetória de sucesso,

também foram homenageados. Francisco Tomaz, um empreendedor relevante para o mercado e marcas que representa. O anfitrião da noite e diretor comercial da Tomaz Representações, Francisco de Assis Tomaz, além de ser um empreendedor bem suce-


dido, procura sempre contribuir de forma relevante com o crescimento do mercado, através de participação constante em encontros setoriais, feiras e eventos. Sempre pesquisando e inovando no lançamento de produtos e serviços, agregando valor aos parceiros e marcas representadas. Suporte integral ao cliente é o segredo de sucesso da Tomaz Representações. A Tomaz Representações é totalmente estruturada, quase como uma equipe de Formula um, a em-

presa possui uma oficina completa, oferecendo serviços como assistência técnica e mecânica dos produtos representados. No segmento de motocicletas a Tomaz Representações distribui produtos de grandes nomes do mercado nacional, dentre eles, os principais são: Borsato, Carrera, Kreumac, Goeasy, Prox Bike, Nek, Metal Lini, Moto B, Breckar, Controlflex, FNA, Fortuna, GDR, Konder, Krieck, Levorin, Pantaneiro, Polivisor, STLU, SuloY, Viper.

Desde 1983 atua de forma relevante no segmento de distribuição de peças para motocicletas e bicicletas. A empresa está presente nos seguintes estados: Rio Grande do Norte, Ceará, Pernambuco, Paraíba e Piauí. -Oferece palestras técnicas e direcionadas aos mecânicos, lojistas, mototaxistas, balconistas e vendedores externos. Essas oficinas têm como principal objetivo, alertar sobre a segurança, ética, qualidade e profissionalização dos segmentos que a Tomaz Representações LTDA atua.

Perfil institucional Tomaz Representações LTDA

OUTUBRO - 2013 / 33


feiras e eventos///

Salão Bike Show 2014 recebeu 78 mil visitantes

O

primeiro grande evento de motos do ano, o Salão Bike Show, maior exposição de motos do Rio de Janeiro e uma dos mais importantes do país, sua 4º edição aconteceu em entre os dias 23 e 26 de janeiro, com a presença de cerca de 78 mil visitantes, que estiveram no Riocentro e encontraram um feira organizada, variada e com novidades do mundo do motociclismo. Foram mais de 100 expositores, representando mais de 200 marcas incluindo as principais montadoras de motos - BMW, Bull Motors, DucaAssociação de Fabricantes, Prestadora de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Moto Peças e Motocicletas do Nordeste

34

Associação de Fabricantes, Prestadora de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Moto Peças e Motocicletas do Nordeste

ti, Harley Davidson, Honda, Kawasaki, Shineray, Triumph, Yamaha, algumas representadas por suas concessionárias locais - expondo sua gama de produtos e serviços. “Estamos muito felizes com mais esta edição, conseguimos mostrar um pouco do segmento de moto de uma forma que reuniu atrações para motociclistas que gostam de música, para os que queriam comprar veículos, para quem precisava de acessórios, para as mulheres e até para as crianças” disse Gustavo Lorenzo idealizador e um dos organizadores do evento. Os motoclubes, como sempre, marcaram presença, com cerca de

10 mil membros que representaram quase 400 grupos, vindos de vários estados do Sul ao Nordeste do país. Um dos momentos emocionantes do evento, que chamou mais atenção, foi a chegada da caravana da Rio Harley, que contava com mais de 100 motos, proporcionando um momento único. A 5ª edição do Salão Bike Show já tem data marcada, será de 29 de janeiro a 1º de fevereiro de 2015. A expectativa é de um evento ainda mais completo e atraente para os motociclistas e fãs do mundo das duas rodas.


OUTUBRO - 2013 / 35


entrevista /// segurança///

Associação de Fabricantes, Prestadora de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Moto Peças e Motocicletas do Nordeste

36

Associação de Fabricantes, Prestadora de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Moto Peças e Motocicletas do Nordeste


JANEIRO - 2014 / 37


segurança & cuidados ///

Dez conselhos para proteger a sua moto de roubos e furtos Confira dicas que passam por uso do retrovisor e escolha da rota

O

que faz um cara com olhar perdido, capacete na mão, em uma rua qualquer de tantos lugares no Brasil? Se lamenta! Sua querida moto não é mais sua, ou ao menos não “está” mais sua: foi levada pelos ladrões. Ser ou estar, não importa o verbo, mas sim a triste realidade que é constatar o elevado índice de furtos e roubos de motocicletas, algo que afugenta uma legião de pessoas de assumir o guidão. Essa triste realidade de ver a amada moto sumir é um problema frequente e cada vez menos circunscrito aos grandes centros urbanos. Qual o remédio para isso? Vergonha na cara! Primeiro das autoridades, que devem aos cidadãos a tão propalada segurança, prometida aos quatro ventos nas campanhas eleitorais. Aos cidadãos, o povo, cabe também uma boa dose desse santo remédio, para largar a inconsequente atitude da aquisição de peças clandestinas. Vergonha na cara ajudaria também fabricantes e comerciantes a vender componentes a preços menores mas... enquanAssociação de Fabricantes, Prestadora de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Moto Peças e Motocicletas do Nordeste

38

Associação de Fabricantes, Prestadora de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Moto Peças e Motocicletas do Nordeste

to nada disso acontece, seguem dez simples e para alguns até óbvios conselhos para não perder sua querida motocicleta. 1) Trava Por mais que tentem os projetistas, ainda não nasceu uma trava de guidão que resista a um ladrão habilido-

so. Assim, a regra básica é complicar a vida do malandro, associando pelo menos mais uma trava à original. No mercado existem infinitos dispositivos criados para proteger motos estacionadas cá e lá. Escolha algo prático, rápido e fácil de colocar ou tirar. Como veremos mais adiante, isso é fundamental para fins de


segurança poder chegar à sua moto e sair com ela no menor espaço de tempo possível. 2) Local Deixar sua moto estacionada na rua será praticamente inevitável em algum momento, e assim não seja preguiçoso, coloque suas pernas e cérebro para funcionar. Ruas desertas são um convite para bandidos, a noite então... Escolha um lugar onde haja algum movimentonem que isso te obrigue a andar um pouco mais para chegar onde você quer ir. Estacione de preferência diante dos olhos de alguém (comércio, portaria de prédio...), o que não garante muita coisa pois a cara de pau é uma “qualidade” típica de ladrões. Mas evidentemente quanto mais olhos houver por perto, menos à vontade estará o bandido. 3) Garagem Sua garagem é segura? Uhmm... Talvez sim, talvez não. O principio básico é deixar sua moto invisível a olhos que não o seu. Morando em um condomínio isso é bem mais fácil, pois sua moto estacionada estará à vista apenas de seus vizinhos. Mesmo assim, como seguro morreu de velho (e com sua moto) mesmo na garagem nunca deixe de travar a moto. Para os que moram em uma casa, a dica é tentar deixar a moto longe da vista de quem passa pela rua. A coisa complica em casas com garagem de portão vazado, tipo grade. Nesse caso, cubra sua moto: melhor um volume coberto (que parece uma moto) do que uma moto aparecendo de fato. 4) Horário Você usa sua moto para quê? Ir e

vir do trabalho, lazer ou ambos? Seja como for, é claro que à noite a possibilidade de ser assaltado ou furtado aumenta. Quanto mais tarde, menos gente na rua, menos olhos, menos testemunhas... mais descarados serão os ladrões. Assim, evite ao máximo rodar por lugares ermos em horários nos quais sua mãe gostaria que você estivesse na cama dormindo. Caso seja inevitável rodar tarde da noite, siga a regra do próximo item. 5) Alerta Regra básica de todo o motociclista é “100% concentrado 100% do tempo”. Isso vale tanto para os aspectos de pilotagem em si quanto a segurança. Circular na madrugada em lugar deserto e ainda por cima distraído, vacilão, equivale “pedir para dançar”. Não é preciso exagerar na velocidade, bastando ficar atento e andar despachado, e não no estilo “procurando endereço”. Isso ajuda a evitar que alguém mal intencionado vá atrás de você e tome sua moto na marra. Já quanto ao furto, é importante que o procedimento de parar e travar sua moto, assim como o de destravá-la e sair sejam rápidos. Subir na moto e ficar afivelando o capacete em câmara lenta numa rua escura? Melhor não... 6) Retrovisor O que vem por trás? Dois em uma moto? Ai, ai, ai... Quem roda de moto nas grandes cidades brasileiras deve, por força das circunstâncias de nosso trânsito, ser um grande fã do espelho retrovisor. Exagerando – mas não muito – pelo menos 20 ou 30% do tempo em que se roda de moto em uma cidade movimentada deve ser dedicado a observar o que vem por

trás. E nesse panorama, dois sujeitos em uma moto fazem sempre soar o alerta. O mais difundido estilo de roubo de motos é a abordagem na qual o garupa aponta uma arma e manda a vítima parar, assume o guidão e pergunta “cadê o alarme?. Enquanto isso o comparsa fica te vigiando, para ver se sua moto não vai ser bloqueada por um dispositivo eletrônico algumas centenas de metros adiante. É a pior das situações, não há o que fazer - a não ser esperar que tudo acabe logo, sem violência. A única maneira de minimizar o risco de uma situação destas acontecer é, portanto, usar o retrovisor e tentar antecipar os movimentos, como entrar em um estacionamento, parar em um posto de combustível... 7) Rota Apesar de a linha reta ser a menor distância entre o ponto A e o ponto B, e quanto menos se roda, menor é o consumo global e o tempo gasto no transporte, em nome da segurança vale deixar de lado esses postulados. Fazer exatamente o mesmo caminho todos os dias é facilitar demais a vida da bandidagem, que vai poder analisar com riqueza de detalhes qual o melhor lugar e momento para dar o bote. Assim, busque variar o percurso, seja imprevisível em seus roteiros. Ladrões não gostam de novidades nem de surpresas. 8) Fim de semana Assim como você, o ladrão quer se divertir quando chega o fim de semana. Diferente de você, ele não para de “trabalhar”. Azar seu. Desse modo, apesar de ser chato constatar isso, o melhor momento para você


segurança & cuidados ///

curtir sua moto pode se transformar também no melhor momento para o ladrão tirar sua moto de você. Como se precaver? Usando todas as receitas acima e mais uma: andar em grupo. Ainda não há notícia de bandos de ladrões atacando, como no velho oeste. Desta maneira, organize passeios com seus amigos, tomem conta uns dos outros: muitos olhos enxergam mais que poucos olhos. 9) Transparente Conselho difícil esse, o de ser transparente. Você e sua moto terão chances bem maiores de continuarem juntos se não chamarem muito a atenção. Capacetes de alto valor, vestimenta “top” de cores chamativas, escapes estilo “vozeirão”... muitos gostam disso tudo, inclusive os ladrões. Ser discreto na escolha dos trajes pode ajudar, assim como escolher uma moto que não seja muito...

10) ...Visada! Ah, a moto “visada”. Rios de saliva e tinta se gastaram para falar e escrever sobre as motocicletas que, por razões óbvias ou nem tanto, se tornam as favoritas da bandidagem. No passado, a moto favorita dos criminosos era a Honda CG, fácil de roubar, fácil de vender, inteira ou desmontada. Com o tempo surgiram outras “favoritas”, como a Yamaha XT 600 sobre a qual se dizia ser visada por conta das qualidades como veículo ideal para praticar crimes. A naked Honda Hornet (e sua irmã CB 1000R) foi – e ainda é - um verdadeiro objeto do desejo da marginalidade, assim como no passado as superesportivas eram alvo por causa da demanda por carenagens e componentes de carroceria danificados em tombinhos bobos, mas cujo custo elevado fazia (e ainda faz) muitos deixarem escrúpulos de

lado e adquirir tais peças usadas sem questionar a procedência. Houve um tempo, nem tão distante assim, que marcas como BMW e Harley-Davidson eram tidas como à prova de furto e roubo, simplesmente porque os ladrões não queriam saber delas. Hoje, lamentavelmente, quase não há marca ou modelo que não tenha um criminoso disposto a levá-las. Tempos difíceis... Enfim, qual o segredo para voltar com sua moto para casa? Não é apenas um, mas sim o conjunto das atitudes acima elencadas que, é claro, devem ser acompanhadas de um enorme pensamento positivo, da figuinha, do patuá, da fita do Nosso Senhor do Bonfim e todos os amuletos que você puder e quiser usar. E sobretudo de uma tremenda boa sorte.

Vai viajar? Confira dicas para levar bagagens em motos. Confira dicas que passam por uso do retrovisor e escolha da rota

A

CESVI (Centro de Experimentação e Segurança Viaria ) alerta motociclistas na hora de transportar objetos. Em algumas situações é necessário transportar bagagens, compras ou qualquer outro objeto na motocicleta. Como prender tudo isso? É necessário levar em consideração o Associação de Fabricantes, Prestadora de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Moto Peças e Motocicletas do Nordeste

40

Associação de Fabricantes, Prestadora de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Moto Peças e Motocicletas do Nordeste

peso da bagagem, sua correta localização na motocicleta e sua melhor fixação. Para auxiliar os motociclistas, o CESVI separou algumas dicas na hora de transportar objetos, confira dicas: - Em relação ao peso que pode ser levado na motocicleta, cada fabricante especifica o total máximo (piloto+passageiro+bagagem) e o peso máximo que o bagageiro,

quando disponível, pode suportar. Verifique estas informações no manual da motocicleta antes de levar suas bagagens. - Não amarre bagagens no guidão, garfo dianteiro ou para-lama dianteiro. Mesmo que não afete o funcionamento da suspensão, o peso extra pode dificultar a pilotagem ou até mesmo causar instabilidade na direção da moto. Procure concentrar


o peso em lugar mais baixo e perto do centro da motocicleta, como em bagageiros laterais. - Para uma melhor acomodação, utilize bagageiros específicos (conhecidos como baú) para sua motocicleta. Use também elásticos, cordas e redes para uma melhor fixação, e assegure que não existem objetos soltos. Em casos de fixações fora dos bagageiros específicos, não bloqueie as luzes da motocicleta e lembre-se

de deixar a placa visível. - Uma dica importante é não utilizar partes móveis da suspensão como ponto de fixação ou amarração. Evite o transporte de objetos em mochilas que vão nas costas do motociclista, pois em caso de queda este peso extra ao corpo pode aumentar as lesões na pessoa. - Atente-se ao tamanho dos objetos transportados na motocicleta. Excesso pode gerar multa, como define

o artigo 224 do Código de Trânsito Brasileiro. - Vale sempre lembrar que, ao carregar peso na motocicleta, é importante verificar a calibragem dos pneus para usar a pressão adequada a essa condição. A informação consta no manual da motocicleta e é especificada pelo fabricante. Fonte: Cesvi

JANEIRO - 2014 / 41


bem estar ///

Atividade física: entenda por que ela é um das maiores aliadas no combate à dor crônica Especialistas dão seis dicas para esclarecer a doença que já atinge mais de 60 milhões de brasileiros

D

ores crônicas como lombocitalgia, artrose e cefaleia já fazem parte da vida de 60 milhões de brasileiros, segundo dados da Sociedade Brasileira de Estudo da Dor (SBED). A fibromialgia, outra dessas doenças, já atinge 10 milhões de pessoas no país e, quando não �� tratada corretamente, causa a depressão, presente em 20% dos pacientes. As doenças consideradas dores crônicas não são fáceis de conviver, mas algumas atitudes do paciente podem ajudá-lo a levar uma vida sem tantos sintomas e com mais qualidade de vida. Um dos tratamentos mais conhecidos no combate à dor são as atividades físicas. O médico João Marcos Associação de Fabricantes, Prestadora de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Moto Peças e Motocicletas do Nordeste

42

Associação de Fabricantes, Prestadora de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Moto Peças e Motocicletas do Nordeste


Rizzo, coordenador da clínica de dor do Hospital Moinhos de Vento, de Porto Alegre (RS), explica a importância dos exercícios físicos no combate à dor. “Caminhadas e corridas, por exemplo, têm alto valor de evidência no tratamento das dores crônicas por liberarem endorfina (analgésicos naturais do nosso organismo). Quando a dor é contínua ou intermitente, por um período igual ou superior a três meses, pode ser considerada crônica. É o tempo mínimo para que ocorra a uma memorização da dor pelo sistema nervoso, característica da dor crônica”, explica o médico. A incidência desses sintomas é maior em um perfil de pacientes, como explica a médica Simone Kurotusche, especialista em medicina esportiva. “As mulheres que têm de 30 a 40 anos desenvolvem doenças como a fibromialgia com mais frequência. Ela atinge uma média de cinco a sete mulheres para cada homem. Uma das hipóteses para maior prevalência da dor crônica entre elas são as questões hormonais, genéticas e de hábitos do dia a dia”. O especialista Rizzo alerta que as dores crônicas não são exclusivas de idosos. “Sempre tomamos cuidado para não priorizar uma faixa etária, pois todas têm suas doenças dolorosas mais prevalentes e igualmente importantes”. O tratamento pode ser simples, dependendo da gravidade do que a pessoa tem. O que ocorre é que muitas agravam os sintomas cometendo erros que podem ser evitados facilmente. Por isso, os dois especialistas esclarecem as dúvidas mais constantes sobre as dores crônicas:

1) Além do exercício físico, alguma outra prática auxilia no controle da dor? Ter um diagnóstico e saber exatamente que tipo de dor tem e quais os procedimentos para amenizá-la é fundamental, como explica Rizzo. “A psicoeducação, que nada mais é do que aprender sobre a dor, e um tratamento medicamentoso adequado sempre prescrito por um médico especialista também ajuda”. 2) A prática de exercício físico todos os dias pode agravar os sintomas das dores crônicas? “Sim, principalmente quando não há supervisão. É importante a frequência, a regularidade e a alternância de grupos musculares trabalhados, para evitar sobrecarga, lesões e abandono das atividades por piora das dores”, orienta a especialista Kurotusche. 3) O exercício é efetivo contra todos os tipos de dores? Se não, quais os casos em que ele mais ajuda? “Respeitando o estado clínico da pessoa, pode-se dizer que dificilmente não haverá benefício para qualquer tipo de dor, pois os efeitos analgésicos do exercício são reais e têm impacto positivo”, afirma a médica. Rizzo cita um caso específico de dor crônica que tem mostrado melhoras significativas quando tratada adequadamente com atividade física. “A hérnia de disco tem reduzido o máximo possível o tempo de repouso que se indica. Hoje, percebe-se que quanto mais repouso, mais dor poderá surgir aos movimentos e mais prolongado o caso pode se tornar”.

4) Existe algum tipo de dor em que não é aconselhável fazer exercícios físicos? Se sim, qual? “As restrições existem, geralmente por curtos períodos. Antes de iniciar um programa de exercícios como parte do tratamento, é imprescindível a avaliação por um profissional. Assim não haverá o risco de agravar qualquer condição clínica”, orienta o especialista Rizzo. Simone Kurotusche lembra que as únicas dores que não se aconselha exercícios físicos são as de origem inflamatória ou infecciosa na fase ativa, em curto prazo após uma operação e nas causadas por algum câncer. 5) Por que as pessoas acreditam que o exercício físico não ajuda a tratar as dores crônicas? “Falta de informação. Muitas acreditam que devem manter repouso quando têm dor crônica”, diz a médica. O especialista Rizzo acrescenta que os resultados não são imediatos e, por isso, muitos acabam largando o tratamento. “Num primeiro momento as dores podem até piorar. O que buscamos é o resultado a médio e longo prazo. Por isso devemos ser enfáticos e educativos quando prescrevemos exercícios físicos como parte do tratamento da dor”. 6) Quais as melhoras que o paciente sente ao começar a fazer exercícios? “É notório o bem-estar, não só físico, mas principalmente mental. O simples fato do paciente se sentir agente ativo em seu tratamento é um grande sinal de melhora”, destaca o médico. JANEIRO - 2014 / 43


legislação ///

Marca sem registro é marca sem dono

Ora, já imaginou se de uma hora pra outra uma pessoa ou empresa qualquer registra sua marca e, por isso, você não poderá mais usá-la? Você trabalhou durante toda sua vida, criou ou cria sua família, tornou-se referência diante dos seus fornecedores e, principalmente, dos seus clientes. Enfim, no que sonhou, venceu! Imagino uma trajetória difícil, pois, de um lado o filho que acabou de nascer, e do outro o movimento que por vezes não paga a passagem ou a gasolina de ida e volta, fiscais do município, estado e união exigindo impostos, alvarás e licenças completamente fora de seu conhecimento. Acrescente-se ainda, a implacável inadimplência dos seus fregueses. Dai, quando se vence os obstáculos iniciais (normalmente duram de 2 a 5 anos), você pode crescer, mas Associação de Fabricantes, Prestadora de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Moto Peças e Motocicletas do Nordeste

44

Associação de Fabricantes, Prestadora de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Moto Peças e Motocicletas do Nordeste

não tem capital e os bancos não oferecem. O que fazer? Não sei, mas garanto que os vencedores, os que vencem e os que vão vencer possuem a resposta exata para esta pergunta. Mesmo que diferente em vários detalhes, a história de quem vem de baixo segue este roteiro. Agora, em todas elas, existe um grande detalhe, que é o nome escolhido para seu comércio/empresa. O mesmo, por vezes, foi nomeado através de reunião de parentes e de sócios, bem como durante o decorrer do tempo com apelidos e fama. Aqui adentramos em nosso assunto. Leitores, nome é igual a marca e esta, para que seja sua, é imprescindível o registro. Mas o nome da minha empresa está cadastrado na Junta? Não adianta.

Mas utilizo meu nome há muitos anos! Não adianta. Segundo o art. 129 da Lei nº 9.279/96 (regula direitos e obrigações relativos à propriedade industrial), “a propriedade da marca adquire-se pelo registro validamente expedido, conforme as disposições desta lei, sendo assegurado ao titular seu uso exclusivo em todo o território nacional”. Ou seja, o dono é aquele que registra e, para isso, necessário que o procedimento seja efetuado no Instituto Nacional da Propriedade Industrial-INPI, especialmente, através de empresas e escritórios de advocacia do ramo. A marca simboliza as características e qualidades dos produtos e serviços oferecidospor pessoas diferentes, auxiliando o consumidor na escolha daquilo que maisatende as suas necessidades. Marca é um sinal visual


que identifica produtos e serviços. Seu registro é como se fosse uma Certidão de Nascimento,Escritura Pública e Matricula de Propriedadede Imóvel, inclusive, possui valor de mercado. Só pra se ter uma ideia, as 3 marcas mais valiosas do mundo (Apple, Google e Coca-Cola) somam a quantia de 270,823 bilhões de dólares (Edição de 2013 do ranking Best Global Brands, da Intebrand). Como se nota, é a identidade de uma empresa e deve ser considerado seu maior patrimônio. Ora, já imaginou se de uma hora pra outra uma pessoa ou empresa qualquer registra sua marca e, por isso, você não poderá mais usá-la? O que seus clientes irão pensar? Seus forne-

cedores ainda estarão dispostos a fornece-lhe produtos a prazo? E os bancos, verão a mudança de marca com bons olhos? Como se não bastasse, o mais humilhante do cenário acima é que, caso mantenha a utilizaçãoda marca que usou por tantos anos, irá responder por crime. Isso mesmo, crime! Nesse passo, toda trajetória sintetizada nos primeiros parágrafos deste texto em muitos aspectos perderão o sentido, pois, na maioria das vezes, batalhamos muito mais pelo prestigio do nosso produto ou serviço. No início podemos até dar prioridade ao dinheiro, uma vez que as despesassuperam as receitas, con-

tudo meu amigo, no final das contas, gratificante mesmo é ver sua marca desfilando em várias filiais, aguerrida com seus concorrentes, reverenciada por seus fornecedores, clientes, ou lá, em seu pequeno estabelecimento, onde se diz: aqui tem a marca da minha ideia, do meu incansável trabalho, do apoio da minha família, do trabalho dos meus funcionários e está perfeitamente registrada no Instituto Nacional da Propriedade Industrial-INPI. Marca sem registro é marca sem dono. A quem pertence a sua? ASSOMOTOS já iniciou o processo de Registro de Marca. Por Daniel Quezado - Advogado

JANEIRO - 2014 / 45


“TABELA DE PREÇOS MÃO DE OBRA JANEIRO 2014” ///

MARCAS E MODELOS

SERVIÇOS

“50 A 150 CC SUZUKI YES/ YBR/XTZ/CG/ DAFRA/BIZ/ TRAX/YROS/ SHINERAY”

“125 A 150 CC BROS 125/150 XLR 125 TRAX OFFROOD”

“200 A 250 CC / CBX 200 XR 200 FAYZER”

“225 A 250 CC TORNADO TWISTER XT 225 LEAD TENEE 250”

“225 A 300 CC CB 300 XRE 300”

“350 A 400 CC SAHARA FALCOM”

ALINAR CHASSI (MINIMO)

150,00

150,00

150,00

160,00

170,00

180,00

ALINHAR CILINDRO(BENGALA)

23,00

28,00

35,00

50,00

45,00

55,00

ALINHAR GARFO TRAS C/DESMONT.MONTAG.

60,00

80,00

85,00

110,00

120,00

115,00

ALINHAR MESA/COLUNA "NA MÃO"

70,00

80,00

85,00

90,00

100,00

100,00

CARGA BATERIA COM ANALISE DA INSTALAÇÃO

15,00

15,00

15,00

15,00

15,00

15,00

CORTAR CORRENTE TRANSMISÃO

10,00

10,00

12,00

12,00

13,00

15,00

DESM./MONT.CILIND(BENGALA)

20,00

23,00

25,00

30,00

30,00

35,00

DESMON/MONTAR BALANÇA (TROCAR BUCHA)

25,00

30,00

33,00

38,00

40,00

50,00

DESMONT.MONTAGEM MOTOR(S/REPARAR)

160,00

180,00

200,00

250,00

270,00

330,00

DESMONT/MONTAG.PINCE FREIO(BURIM INFERIOR)

35,00

35,00

40,00

40,00

45,00

50,00

DIAGNOSTICO DE DEFEITOS DE INJEÇÃO

45,00

45,00

-

55,00

LUBRIFICAÇÃO PINCE FREIO(BURRIM INFERIOR

15,00

15,00

15,00

18,00

18,00

18,00

REGUL. VALVULA C/CBEÇOTE MONTADO

20,00

20,00

30,00

130,00

140,00

50,00

REPARO GERAL MOTOR / LIMP.CARBUR.

200,00

200,00

230,00

300,00

-

500,00

230,00

-

-

350,00

-

35,00

45,00

REPARO GERAL MOTOR / LIMPEZA .INJEÇÃO REPARO MOTOR PARTIDA

35,00

35,00

35,00

35,00

REPARO PARTE FORÇA / LIMP.CARBURAD

100,00

100,00

160,00

220,00

REPARO PARTE FORÇA /LIMPEZA IN JEÇÃO

-

150,00

RETIFICA BIELA

30,00

30,00

30,00

40,00

40,00

50,00

RETIFICA CILINDRO MOTOR

40,00

40,00

45,00

45,00

50,00

60,00

RETIRAR VAZAMENTO CILIND/CABEÇOT)

80,00

80,00

90,00

100,00

120,00

200,00

RETIRAR VAZAMENTO TAMP.EMBREAGEM

35,00

35,00

40,00

40,00

40,00

65,00

RETIRAR VAZAMENTO TAMPA DE VALVULA

15,00

15,00

120,00

20,00

25,00

130,00

REVISAO DO VEICULO S/ INJEÇÃO

90,00

100,00

110,00

145,00

150,00

250,00

REVISAR INJEÇÃO ELETRONICA

60,00

60,00

SERVIÇO CARBURAÇÃO (V/F/C)

40,00

40,00

50,00

55,00

-

100,00

SERVIÇO DE CORREÇÃO ELETRICO (MINIMO)

30,00

30,00

30,00

30,00

30,00

30,00

SERVIÇO DE EMBREAGEM

60,00

60,00

60,00

70,00

70,00

120,00

RETIRAR MOTOR E REPOR

45,00

45,00

50,00

55,00

60,00

110,00

TROCAR PASTILHA FREIO T/D

15,00

15,00

15,00

15,00

15,00

20,00

TROCAR AMORTECEDOR

10,00

25,00

25,00

25,00

25,00

30,00

TROCAR BUCHA CAVALETE CENT

80,00

-

-

-

-

200,00 250,00

70,00

TROCAR BUCHA COROA (FERRO )

15,00

15,00

15,00

15,00

15,00

15,00

TROCAR CABO ACELERADOR (UN)

10,00

10,00

10,00

12,00

12,00

20,00

15,00

15,00

-

15,00

5,00

5,00

5,00

7,00

7,00

10,00

TROCAR CABO AFOGADOR TROCAR CABO EMBREAGEM

5,00

5,00

5,00

TROCAR CABO FREIO

5,00

5,00

-

5,00

5,00

7,00

Associação de Fabricantes, Prestadora de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Moto Peças e Motocicletas do Nordeste

TROCAR CABO VELOCIMETRO 46

Associação de Fabricantes, Prestadora de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Moto Peças e Motocicletas do Nordeste


TROCAR CAIXA DIREÇÃO

30,00

32,00

35,00

38,00

38,00

45,00

TROCAR CARCAÇA FAROL/CAREN

10,00

10,00

10,00

10,00

10,00

13,00

TROCAR CILINDRO FREIO SUP.

25,00

25,00

30,00

30,00

35,00

40,00

TROCAR CORRENTE COMANDO

75,00

75,00

85,00

85,00

100,00

160,00

TROCAR ESCAPAMENTO

15,00

15,00

15,00

20,00

20,00

25,00

TROCAR ESTATOR

30,00

35,00

35,00

35,00

35,00

45,00

TROCAR GUARNIÇÃO ESCAPAM.

18,00

18,00

18,00

18,00

18,00

30,00

TROCAR GUIDAO

15,00

18,00

18,00

18,00

20,00

25,00

TROCAR IGNIÇÃO

15,00

18,00

22,00

22,00

28,00

30,00

TROCAR KIT TRAÇÃO

18,00

18,00

18,00

18,00

18,00

25,00

TROCAR LAMPADA FAROL

5,00

5,00

5,00

5,00

5,00

5,00

TROCAR LONA FREIO

7,00

7,00

10,00

10,00

10,00

12,00

TROCAR OLEO BENGALA (UN)

10,00

12,00

15,00

18,00

18,00

20,00

TROCAR OLEO FREIO/SANGRAR

15,00

15,00

15,00

15,00

15,00

20,00

TROCAR RETENT.BENGALA(UN)

15,00

18,00

25,00

25,00

30,00

35,00

TROCAR RETENTORES EXTERNOS

10,00

10,00

10,00

10,00

10,00

10,00

TROCAR ROLAMENTO RODA

10,00

10,00

15,00

15,00

15,00

20,00

JANEIRO - 2014 / 47


RELAÇÃO DOS ASSOCIADOS ASSOMOTOS Lojistas A. JHONE MENEZES DA SILVA - ME (MOTOS JHONE)

Rua Henrique de Castro, Nº 111 - Jd.das Oliveira Tel.: (85) 3247-6988 Email: antoniojhone@uol.com.br Fortaleza/CE

ANTONIO DANIEL PEREIRA – ME (PLANALTO MOTOS)

Av. Bernardo Manoel, Nº 10394 – Itaperi Tel.: (85) 3493-3630 Email: planaltomotos@ig.com.br Fortaleza/CE

ANTONIO FELIPE TAVARES DE ALMEIDA LTDA. – EPP (CICLEMOTOS) Av. Cel.Virgílio Távora, Nº 350B - Centro Tel.: (85) 3377-1002 Itaitinga/CE

ANTONIO REGINALDO T. MOTA - EPP (REGIS MOTOS)

MOTO PEÇAS LEMOS LTDA - ME (EDIBERTO MOTOS)

FRANCISCO PAULO BARROSO BATISTA (CLINICA DOS CAPACETES)

MOTO PEÇAS PARAIBA COM. DE AUTOPEÇAS LTDA. - ME

Rua Costa Barros, Nº 476 – Centro Tel.: (85) 3253-2393 Email: alexandremotos@hotmail.com Fortaleza-CE

Rua General Sampaio, Nº 1537 - Centro Tel.: (85) 3221-1071 Email: paulo@clinicadoscapacetes.com.br Fortaleza/CE

FRANKLIN SARAGOSSA PAIVA - ME (FRANKLIN MOTOS)

Rua Clarindo Queiroz, Nº 1094 - Centro Tel.: (85) 3081-2167 (85) 3253-3129 Email: franklinmotos2008@hotmail.com Fortaleza/CE

GLEICON BORGES DA COSTA - ME (GLEIDSON MOTOS)

Rua Clarindo de Queiroz, Nº 966 - Centro Tel.: (85) 3231-7852 Fortaleza/CE

Av. Dom Bosco, Nº 125 - Centro Tel.: (85) 33471526 Email: gleysonmotos@hotmail.com Baturité/CE

AUTO PEÇAS PARAISO LTDA. - EPP (PARAISO MOTOS)

HORI COM. DE PEÇAS ACESS. E SERV. PARA MOTOS (BIG MOTOS )

Av. Carneiro de Mendonça, Nº 1502 - Pici Tel.: (85) 3233-3565 Fortaleza/CE

BARBOSA & ALMEIDA LTDA. – ME (BIMOPEÇAS) Av. Dedé Brasil, Nº 2797 A - Itaperi Tel.: (85) 3232-3709 Fortaleza/CE

CLAUDIO VIEIRA LIMA ME (CV RACING)

Av. Carapinima, Nº 1575 - Benfica Tel.: (85) 3254-5979 Email: contato@cvracing.com.br Site: www.cvracing.com.br Fortaleza/CE

EB SOUSA PEÇAS – ME (EDSON MOTOS )

Av. Dr. Theberge, Nº 1742 - Álvaro Weny Tel.: (85) 3282-7290 Email: edsonvozao@hotmail.com Fortaleza/CE

EDSON PEIXOTO MAIA – ME (MOTO MAIA)

Av. Jornalista Tomaz Coelho, Nº 41 - Messejana Tel.: (85) 3274-2442 Email: edsonpeixotomaia@hotmail.com Fortaleza/CE

ELINEIDE MESQUITA MOTA – ME (UNICAPAS)

Rua Clarindo de Queiroz, Nº 1101 - Centro Tel.: (85) 3252-6200 (85) 3252-5168 Email: jorgehori@ig.com.br Fortaleza/CE

JOSEFA GONÇALVES DA SILVA - ME (CASTELO MOTOS )

Rua Pedro Cardonio Uchoa, Nº 42 - Bom Sucesso Tel.: (85) 3484-0966 Email: castelomotosfortaleza@yahoo.com.br Fortaleza/CE

JR BEZERRA DE OLIVEIRA - EPP (ROBERTO MOTOS)

Rua Francisco Monteiro Maia, Nº 238 - Centro Tel.: (88) 3422-1272 Email: roberto_motos8@hotmail.com Morada Nova/CE

JR DE PAIVA - EPP (JR MOTOS)

Av. A, Nº 1520 - Conjunto Ceará Tel.: (85) 3489-6147 (85) 4141-6928 Email: jrmotos2008@gmail.com Fortaleza/CE

LGL COMERCIO MOTOPEÇAS LTDA. - ME (NORDESTE MOTOS) Rua Clarindo de Queiroz, Nº 1006 - Centro Tel.: (85) 3251-1119 Email: nordeste-motos@hotmail.com Fortaleza/CE

Rua 24 de Maio, Nº 1114 - Centro Tel.: (85) 3454-2311 Email: edibertomotos@hotmail.com Fortaleza/CE

Av. Osório de Paiva, Nº 7491 - Centro Tel.: (85) 3498-2630 Fortaleza/CE

MS MOTO PEÇAS LTDA – ME (SUPER MOTOS) Rua Clarindo de Queiroz, Nº 852 LJ02e 03 - Centro Tel.: (85) 3252-3881 Email: supermotosms@hotmail.com Fortaleza/CE

MULTI MOTOPEÇAS LTDA - EPP

Rua Clarindo de Queiroz, Nº 842 - Centro Tel.: (85) 3226-9901 Fortaleza/CE

PR BEZERRA – ME (MM MOTOS)

Rua Cônego de Castro, Nº 2368 - Parangaba Tel.: (85) 3484-4488 Email: mmmotos73@hotmail.com Fortaleza/CE

R. MIRANDA DE SOUSA (MAX MOTOS)

Tv. Ibiapaba, Nº 794–Reino de Franca Tel.: (88) 9924-2045 TIM (88) 9427-2481 CLARO Email: maxmotosipuce@gmail.com Ipu/CE

RAIMUNDO NONATO A LESSA - ME (SOS MOTOS) Rua Miguel Gurgel, Nº 80 - Messejana Tel.: (85) 3276-4792 / 4141-2436 Email: sosmotos@gmail.com Fortaleza/CE

RETMOL RETIFICA PARA MOTOS LTDA. Rua Clarindo de Queiroz, Nº 990 - Centro Tel.: (85) 3252-3388 Email: retmol@hotmail.com Fortaleza/CE

ROSANGELA PETRONILIO PINTO - ME (PIPOCAS MOBY’S)

Rua Clarindo de Queiroz, Nº 1081 A - Centro Tel.: (85) 3226-9526 (85) 3094-1071 Email: juniorpahesud@hotmail.com Fortaleza/CE

SPRINT MOTOS PEÇASE ACESSÓRIOS LTDA. Av. Chanceler Edson Queiroz, Nº 2758 - Centro Tel.: (85) 3334-1441 Email: adm_marcosantonio@hotmail.com Cascavel/CE

MARIA DE FÁTIMA OLIVEIRA MANUNT. - ME (VICENTE MOTOS)

VAMBERTO MOTO PEÇAS LTDA. - ME

ESMAEL PERREIRA DE SOUSA - ME (GILSON MOTOS)

MOTO ART RETIF. E PEÇAS PARA MOTOS LTDA.

VILMAR MOTOS PEÇAS E ACESS. PARA MOTOS LTDA. - ME

FRANCISCO INÁCIO DE AZEVEDO - ME (AZEVEDO MOTOS)

MOTO CENTER PEÇAS E ACESS. LTDA - ME

YAMAPEÇAS COM. DE PEÇAS PARA MOTOS LTDA. - ME

Rua Clarindo de Queiroz, Nº 852 LJ 01 - Centro Tel.: (85) 3254-5123 Email: unicapas@hotmail.com Fortaleza/CE

Rua Martins Neto, Nº 55 - Antônio Bezerra Tel.: (85) 3235-4086 Fortaleza/CE

Rua Augusto dos Anjos, Nº 894 - Parangaba Tel.: (85) 3225-5459 Email: azevedomotos@yahoo.com.br Fortaleza/CE Associação de Fabricantes, Prestadora de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Moto Peças e Motocicletas do Nordeste

48

FRANCISCO NELSON ALEXANDRE - ME (ALEXANDRE MOTOS)

Associação de Fabricantes, Prestadora de Serviços, Distribuidoras e Revendedoras de Moto Peças e Motocicletas do Nordeste

Rua Clarindo de Queiroz, Nº 1066 - Centro Tel.: (85) 3252-6853 (85) 8877-1187 Fortaleza/CE

Rua Clarindo de Queiroz, Nº 1073 - Centro Tel.: (85) 3226-7627 Email: ret.cmc@uol.com.br Fortaleza/CE Rua Clarindo de Queiroz, Nº 1106 - Centro Tel.: (85) 3231-3329 Email: motocenter1106@hotmail.com Fortaleza/CE

Av. Maestro Lisboa, Nº 2617 LJ 03 - Lagoa Redonda Tel.: (85) 3476-8606 (85) 3476-8697 Email: com.vamberto@yahoo.com.br Fortaleza/CE

Rua Clarindo de Queiroz, Nº 1000 - Centro Tel.: (85) 3221-5189 Email: vilmar_motos@hotmail.com Fortaleza/CE

Rua Clarindo de Queiroz, Nº 1120 - Centro Tel.: (85) 3231-5538 / 32315867 Email: yamapecas@hotmail.com Fortaleza/CE


Distribuidores AGUIAR DISTRIBUIDORA DE PENEUS E PEÇAS LTDA - ME (TROPICAL PNEUS) Rua 24 de Maio, Nº 1119 - Centro Tel.: (85) 3253-3501(85) 3254-3502 Email: tropical-pneus@hotmail.com Fortaleza/CE

AMIGUINHO SHOPPING DAS BIKES E PEÇAS LTDA. Rua Henrique Rabelo, Nº 1533 - Centro Tel.: (85) 3255-4848 Fortaleza/CE

AUTOFORT NORDESTE LTDA.

Av. Luciano Carneiro, Nº 1605 – VilaUnião Tel.: (85) 4012-1313 Email: compras@autofortnordeste.com.br Fortaleza/CE

AUTOMOTO IMP. E DISTRIB. DE PEÇAS LTDA. (GERAÇÃO MOTO PEÇAS) Av. Luiz Vieira, Nº 610 – Pq. São José Tel.: 3257-6258 Fortaleza/CE

BEZERRA & OLIVEIRA COM. DE AUTOPEÇAS LTDA. Rua Princesa Isabel, Nº 1185 - Centro Tel.: (85) 4011-9812 Fortaleza/CE

DIST. DE PNEUS N. SRA.DA GLORIA LTDA. (PENTAX) Rodovia BR 116 - KM 23, S/N - Jibóia Tel.: (85) 3254-3646 Email: neivapentax@hotmail.com Fortaleza/CE

ELETROMOTOS COMERCIO DE PEÇAS LTDA. - ME (ELETROMOTOS) Av. dos Expedicionários, Nº 3100 - Benfica Tel.: (85) 3281-9070 Email: eletromotopecas@gmail.com Fortaleza/CE

LEAL & COSTA LTDA. - EPP (LEAL MOTO PEÇAS)

Av. Visconde do Rio Branco, Nº 1641 - Centro Tel.: (85) 3226-9794 (85) 3081-7048 Email: decionleal@yahoo.com.br Fortaleza/CE

MARK CIA COM. E DIST. IMPORTAÇÃO LTDA (COMPANNY)

MOTO PEÇAS PLANETA LTDA. - EPP (PLANETA MOTOS)

Rua Clarindo de Queiroz, Nº 1053 - Centro Tel.: (85) 3252-6292 Email: motopecas_planeta@hotmail.com ret.cmc@uol.com.br Fortaleza-CE

PRIMOS MOTO PEÇASDISTRIBUIDORA LTDA. (PRIMOS MOTOS) Rua 24 de Maio, Nº 1222 – Centro Tel.: (85) 3211-8350 (85) 3211-8363 Email: primosmotos@bol.com.br Fortaleza/CE

REDFOX COM. DE MOTOPEÇAS DO BRASIL LTDA. Rua Briza Leste, Nº 300 - Cajazeiras Tel.: (85) 3487-5333 Email: walerio@redfoxmotopecas.com.br neuza.cysne@redfoxmotopecas.com.br Site: www.redfoxmotopecas.com.br Fortaleza/CE

SOREX DISTRIB. DE BATERIAS LTDA. Rua Dr. Carlito Pompeu, Nº 175, Centro Tel.: (88) 3611-5911 Email: sorex_heliar@hotmail.com Sobral/CE

Rua Tiradentes, Nº 871 APTO 105 - Rodolfo Teófilo Tel.: (85) 3267-1035 Email: thiagof1981@hotmail.com Fortaleza/CE

ITALMOTOS COM. E REPRESENT. LTDA - ME (ITALMOTOS REPRESENTAÇÕES)

Rua Cons. Álvaro de Oliveira, Nº 680 - Parquelândia Tel.: (85) 3281-5788 (85) 3283-4395 Email: italmotos.carlos@yahoo.com.br italmotos@yahoo.com.br Fortaleza/CE

J G REPRESENTAÇÕES LTDA.

Av. Santos Dumont, Nº 3131 SL 416 -Aldeota Tel. (85) 3456 3056 /\ 9994 0015 E-mail: edimar@grupojg.com.br Fortaleza - CE

LíDER REPRESENTAÇÕES LTDA. - ME

AIKO REPRESENTAÇÃO COMERCIAL LTDA. (INOVE REPRESENTAÇÕES)

LMH REPRESENTAÇÕES LTDA. - ME

Rua Jonas Sampaio, Nº 345 - Alagadiço Novo Tel.: (85) 3023-6123 Email: i9representacoes@hotmail.com Fortaleza/CE

ALVARO MAIA E REPRESENTAÇÃO LTDA. (ALVARO REPRESENTAÇÕES) Av. José Bastos, Nº 1490 -Otávio Bonfim Tel.: (85) 3226-4254 (85) 8789-9799 Email: alvaromaiarep@hotmail.com Fortaleza/CE

AUGUSTO REPRESENTAÇÃOE COM. MOTO E BIKE LTDA. (AUGUSTO REPRESENTAÇÕES) Rua NS3, Nº 125 - Parque Iracema Tel.: (85) 3275-7216 Email: augusto@augustorepresentacoes.com.br Fortaleza/CE

CABRAL & ARAUJO REPRESENTAÇÕES LTDA. - EPP

MOREIRA DE DEUS IMP. DE PEÇAS AUTOMOTIVAS LTDA. (MDV MOTOPARTS)

COMERCIAL MUCURIPE REPRESENTAÇÕES LTDA. – ME (CM REPRESENTAÇÃO)

Rua Clarindo de Queiroz, Nº 1004 SL 201 - Centro Tel.: (85) 30992622 Email: distribuidora@motopecasmodelo.com.br Fortaleza/CE

GLOBAL COM. E REP. EM MOTOPEÇAS LTDA. (GLOBAL REPRESENTAÇÕES)

Av. Santos Dumont, Nº 2828 - SL 101 - Aldeota Tel.: (85) 3133-1014 (85) 3133-1020 Email: lider-ce@acdgraup.com.br Fortaleza/CE

Av. Cel. Carvalho, Nº 2978 -Barra do Ceará Tel.: (85) 3304-7000 Email: companynordeste@hotmail.com Fortaleza/CE

MOTO PEÇAS MODELO DISTRIB. LTDA - ME

Rua 49, Nº 260 A - Pref. José Walter Tel.: (85) 9995-8344 (85) 9444-9581 (85) 8799-1183 Email: r.rafael.camelo@gmail.com Fortaleza/CE

REPRESENTANTES

Tereza Bezerra Salustino, Nº 1906 –Lagoa Nova Tel.: (84) 4009-9250 Email: rpcabral@hotmail.com Site: www.cabralearaujo.com Natal/RN

Rua Rodrigues Junior, nº 1195 -Centro Tel.: (85) 3231-6213(85) 3231-3256 Email: mdv@mdvmotoparts.com.br mdvmotoparts@hotmail.com Fortaleza/CE

FRANCISCO RAFAEL CAMELO – ME (CAMELO REPRESENTAÇÃO)

Rua Joaquim Manuel de Mâcedo, Nº 469 LJ I -Henrique Jorge Tel.: (85) 3290-7822 (85) 9611-9855 (85) 8896-9855 Email: cmrepresentacao10@gmail.com Fortaleza –CE

DEATIK COM REPRESENTAÇÕES LTDA. - ME Rua Marcos Macedo, Nº 1333 SL 2212 -Aldeota Tel.: (85) 3264-6000 Email: deatik@deatik.com.br Fortaleza/CE

Av. Oliveira Paiva, Nº 2797 SL114 Cidade dos Funcionários Tel.: (85) 3226-0975 (85) 9985-9374 Email: leandroholanda@uol.com.br Fortaleza/CE

MARCIO ANDRADE DE HOLANDA – ME (MEGA REPRESENTAÇÕES) Rua Tenente Waldeberto Antônio de Sousa, Nº 132 CS 12 – Icaraí Tel. (75) 3426 1536 (85) 9722 1331 E-mail: márcio.aholanda@hotmail.com Caucaia/CE

NORPRES NORDESTE REPRESENTAÇÕES LTDA - ME Rua Silva Jatahy, Nº 15 - Meireles Tel.: (85) 3248-2625 (85) 3248-2625 Email: norpres@veloxmail.com.br Fortaleza/CE

PROFIAUTOS TREINAMENTOS AUTOMOTIVOS (PROFIAUTOS ) Rua Pedro I, Nº 1554 - Centro Tel.: (85) 3223-8663 Email: profiautos@oi.com.br Site: www.profiautos.com.br Fortaleza-CE

REPRESENTAÇÕES ÂNCORA LTDA. - EPP

Av. Antonio Sales, Nº 2371 SL 205 - Dionísio Torres Tel.: (85) 3261-4562 (85) 3264-4175 Email: ancora.rep@uol.com.br Fortaleza/CE

T.B REPRESENTAÇÕES LTDA. - EPP (AMIGOS REPRESENTAÇÕES)

Rua Alberto Magno, Nº 60 LJ 05 – Jardim América Tel.: (85) 3025.3644 (85) 3063.8021 Email: amigosrep@amigosrep.com.br Fortaleza –CE

JANEIRO - 2014 / 49


TAURUS COM. E REPRESENTAÇÕES LTDA - ME Av. Santos Dumont, Nº 2828 SL 1704 - Aldeota Tel.: (85) 3261-5571 Email: taurusce@acdgroup.com.br Fortaleza/CE

TOMAZ REPRESENTAÇÕES

Rua Barão do Rio Branco, Nº 1980 – JoséBonifácio Tel.: (85) 32834877 (85) 3281-1388 Email: tomazrep@tomazrep.com.br Site: www.tomazrep.com.br Fortaleza/CE

INDÚSTRIA

ENTIDADE DE CLASSE

ROBERTO CARLOS ALVES DESOMBRA – EPP (MT ACESSORIOS)

ANFAMOTO Associação Nacional dos Fabricantese Atacadistas de Motopeças

Rua Cônego Augustino, Nº 1856 - Centro Tel.: (88) 3411-2305 Email: mt.acessorios@hotmail.com Russas/CE

Av.9 de Julho, Nº 3229 CONJ. 208/209/210 - Jardim Paulista CEP: 01407-000 - São Paulo/SP Email: anfamotos@anfamotos.com.br Site: www.anfamotos.com.br

ANÚNCIO GRÁFICA CEARENSE



Revista assomotos edicao12 janeiro 2014