Revista A Palavra - Abril de 2020

Page 1

EDIÇÃO 100 | ABRIL/2020 | DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

5

Coronavírus Paróquia realiza transmissões, após suspensão das celebrações

7

Comunidade Bethânia Em abril, a Rede Mundial de Oração do Papa reza pela libertação das dependências

11

Semana Santa Confira as determinações da Arquidiocese para as Celebrações de Páscoa


EDITORIAL

AGÊNCIA ARCANJO

Bem-vindo a 100ª edição da Revista A Palavra! Sabemos que este é um momento peculiar de nossas vidas. Entramos o mês de abril em uma quarentena iniciada em março, em plena quaresma, por motivo de uma grave pandemia enfrentada pelo mundo todo. Esta edição especial da Revista A Palavra, traz informações importantes, neste momento em que a Igreja se adapta à realidade de isolamento social, vivida por todos. Veja como estão sendo realizadas as transmissões das celebrações, via TV, rádio e internet, em nossa Paróquia e em outras pelo país, e como fazer uma boa preparação para participar da missa em casa. Saiba mais informações sobre como se prevenir da doença e acompanhe a nossa Série “Sacramentos“ que, este mês, fala sobre a Unção dos Enfermos. Com a chegada da Páscoa, confira a nossa mensagem de ressurreição para uma vida nova!

2 | REVISTA A PALAVRA

Desejamos a você e sua família, uma ótima leitura!


PALAVRA DO PÁROCO

PE. DIOMAR ROMANIV, SCJ

A alegria da Ressurreição deve contagiar nossa vida espiritual!

Caros paroquianos, Viveremos, neste mês de abril, a centralidade da nossa fé cristã: o Mistério Pascal! Ao longo da quaresma vivemos um tempo favorável de conversão, iluminados pela Palavra e fortalecidos pelos exercícios da oração, do jejum e da caridade. A Quaresma é “tempo de abertura ao mistério da dor e da morte, da cruz, do Crucificado, Vencedor da morte” (Texto base CF 2020, 16). Os dias da Semana Santa nos envolvem espiritual, afetiva e comunitariamente nas celebrações que fortalecem nossa fé, renovam nossa esperança e revigoram nossa disposição em viver a caridade. Nestes dias, vamos redescobrir que “somos discípulos e amigos do Ressuscitado (Jo 15,15). Estamos a serviço da Vida! Por isso, não nos fechemos em nós mesmos. A Páscoa nos ensina a, por Cristo, com Cristo e em Cristo, romper os túmulos da indiferença e do ódio e ressurgir para o zelo, o cuidado e a solidariedade” (Texto base CF 2020, 87). Acolhamos Jesus com os ramos da esperança, Ele que entra em nossa vida como outrora entrou em Jerusalém. Abramos nosso coração para aprender com o Senhor e Mestre, que nos ensina a servir. Caminhemos com o crucificado e contemplemos sua morte salvadora. Deixemo-nos iluminar pela luz do Ressuscitado! Cantemos ao Senhor, Aleluia! Ressuscitou, Glória, Aleluia!

mensageirodossonhos.com.br

3 | REVISTA A PALAVRA


IGREJA

AGÊNCIA ARCANJO

Foto: Banco de imagens

Sacramento da Unção dos Enfermos

Curar os enfermos Este é um sacramento específico em favor dos enfermos, instituído pelo próprio Cristo e atestado por São Tiago: “Quem está doente, chame a si os presbíteros da Igreja e rezem por ele, depois de o ter ungido com óleo no nome do Senhor” (Tg 5,14-15). Dessa forma, a unção dos enfermos pode ser recebida pelo fiel que se sentir em perigo de morte por doença ou velhice. O mesmo fiel pode recebê-la outras vezes, se a doença se agravar ou, então, no caso de outra enfermidade grave.

O Rito A celebração desse sacramento, se possível, deve ser precedida pela confissão individual do doente. O rito consiste na unção com óleo benzido pelo bispo, na fronte e nas mãos do enfermo, acompanhada da oração do sacerdote, que implora a graça especial desse sacramento. Ele só pode ser administrado pelos sacerdotes.

Perdão dos pecados A unção dos enfermos oferece ao doente conforto, paz, coragem e também o perdão dos pecados, se ele não puder se confessar. Consente, por vezes, se for a vontade de Deus, também a recuperação da saúde física do fiel. Em todo caso, essa unção prepara o enfermo para a passagem à Casa do Pai. Muitos doentes têm medo desse sacramento e adiam-no para o fim, porque pensam se tratar de uma espécie de “sentença de morte”. No entanto, é o contrário disso: a unção dos enfermos é uma espécie de “seguro de vida”, uma verdadeira graça. Fonte: Portal Canção Nova

4 | REVISTA A PALAVRA

No sacramento da unção dos enfermos, faz-se a seguinte petição a Deus: “Por esta santa unção e pela Sua infinita misericórdia, o Senhor venha em teu auxílio com a graça do Espírito Santo, para que, liberto dos teus pecados, Ele te salve e, na Sua misericórdia, alivie os teus sofrimentos”. Essa oração contém o objeto central desse sacramento, e confere a ele uma graça especial, unindo mais intimamente o doente a Cristo.


GERAL

GUÉDRIA MOTTA

Coronavírus Paróquia São Luís Gonzaga suspende celebração de missas Decreto da Arquidiocese também interrompe atividades pastorais e catequéticas No fim da tarde de 17 de março, o pároco da Paróquia São Luís Gonzaga, padre Diomar Romaniv, informou a suspensão das celebrações de missa e todas as atividades pastorais na Matriz e demais comunidades. A medida seguiu a orientação enviada através de decreto pela Arquidiocese de Florianópolis. “Unamo-nos em prece neste momento difícil que estamos vivendo”, pediu o pároco. O documento, assinado pelo arcebispo, Dom Wilson Tadeu Jönck, leva em consideração o aumento de casos do Coronavírus (Covid-19) no Brasil e os decretos federais, estaduais e municipais que estimulam medidas preventivas de controle da pandemia no país. Também cita que o Bispo, por seu direito canônico, pode dispensar os fiéis do cumprimento das leis disciplinares e reconhece a importância de estar colaborando com as autoridades públicas governamentais. Além de pedir que o cristão siga as orientações de saúde pública e de dispensar a participação nas missas, o decreto recomenda que as pessoas que fazem parte

do grupo de risco, com ênfase nos idosos, permaneçam em isolamento. A recomendação é que a celebração da Páscoa ocorra com devoção individual ou celebração em pequenos grupos, respeitando a condição de saúde, o distanciamento das pessoas e a higiene necessária. Prudência, inclusive, também foi solicitada em velórios, evitando a aglomeração. “No espírito da Quaresma e da Campanha da Fraternidade deste ano, vivamos este momento e esta situação no espírito de sacrifício e renúncia, na oração e na comunhão fraterna, colocando-nos na Cruz de Cristo para com Ele vivermos a Ressurreição pascal”, destaca o decreto que, no seu final, saúda os profissionais que trabalham no enfrentamento desta grave situação. Na Paróquia São Luís Gonzaga, através das redes sociais, as missas serão transmitidas diariamente, às 19h, pelo Facebook e Instagram. Aos domingos também é possível acompanhar as celebrações pelas emissoras de rádio Cidade e Araguaia.

Como prevenir o contágio:

Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos

Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas

Evitar contato próximo com pessoas doentes

Ficar em casa quando estiver doente

Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo

Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência

Fonte: Ministério da Saúde

5 | REVISTA A PALAVRA


ENTREVISTA

“Na força do Espírito Santo a nossa oração alcança a todos” Em abril, as intenções de oração do Papa, confiadas à sua Rede Mundial de Oração, tratam da libertação das dependências. Por esta razão, a Revista A Palavra conversou com o moderador geral da Comunidade Bethânia, Padre Vicente Paula Neto. Foto: Arquivo Bethânia

Revista A Palavra

Qual a importância de se interceder para que as pessoas em situação de dependência sejam ajudadas e acompanhadas?

Revista A Palavra

Como é estruturado o processo de recuperação do dependente em Bethânia?

6 | REVISTA A PALAVRA

Padre Vicente Paula Neto: Penso em tantas famílias sofrendo com o fenômeno da dependência química no mundo e em nosso país, que é extremamente confortador saber que no mês de abril as intenções de oração do Papa, confiadas à sua Rede Mundial de Oração, pedem pela libertação das dependências. O gesto do Papa reveste-se de grande importância, pois recorda a todos os que sofrem com o flagelo das dependências, em especial da dependência química, que não estamos sós, nunca. A igreja é comunhão, é corpo místico de Cristo, e, na força do Espírito Santo, a nossa oração alcança a todos. A pessoa na situação mais desesperadora, sente-se envolvida por uma graça poderosa e eficaz, que reforça a certeza de que Deus está conosco até o fim (cf. Lc 17, 20-25). Também, chama a atenção do mundo para essa grande ferida no tecido social do nosso tempo. Vivemos num mundo dependente, que precisa de restauração e cura. Dependências de todos os tipos e matizes. Dependentes químicos em drogas lícitas e ilícitas. Dependentes de farmácias, de pessoas, dependência do consumismo, dependência dos celulares e tantos outros. Quantas doenças físicas, psicoafetivas e espirituais, gerando dependências. Nosso tempo precisa de sanidade. O caminho é um só: juntos na oração uns pelos outros, pois Ele está no meio de nós. PVPN: O caminho da libertação das dependências passa por desafios e exige uma ação coordenada que possa envolver o dependente e criar redes que o ajude a caminhar. O primeiro passo, é a conscientização do dependente, para que, no uso da liberdade e da vontade, ele decida-se pela sua libertação e restauração. É difícil, principalmente nos estágios agudos de dependência química com todas as sequelas trazidas pelas drogas. Devidamente motivado, ele terá forças para lutar e querer ser mais. O segundo passo, é envolvê-lo numa pedagogia integral, capaz de trabalhar as dimensões física, psicoafetiva, social, cultural, espiritual. Esta pedagogia integral deve reeducá-lo para uma reconstrução de seus relacionamentos e retorno à família e sociedade. O terceiro passo, refere-se ao desenvolvimento de uma espiritualidade encarnada, baseada em valores que promovam vida saudável e plena. Sem espiritualidade, não há condições de se conquistar verdadeiro sentido para a vida. O quarto passo, consiste em criar redes que possam ajudá-lo a perseverar, se relacionar, estudar, trabalhar, e criar uma rotina que o possibilite uma vida saudável e produtiva. Como não é possível tirar a droga do mundo, urge tirála do coração de cada.


ENTREVISTA

Revista A Palavra

PVPN: A Comunidade Bethânia celebra 25 Anos. Nestas duas décadas e meia, fomos aprimorando o método, o jeito Bethânia de acolher. Procuramos ser em nossos Recantos “Amor Acolhedor”, acolhendo a cada um que vem até nós como o próprio Cristo. Acolhemos neste tempo, mais de 6500 filhos e filhas com um propósito bem definido: amá-los e acolhê-los. Hoje são oito recantos, sendo um no estado Santa Catarina, um no estado de São Paulo, um em Minas Gerais, um no Rio de Janeiro, e quatro no Paraná. Acolhemos gratuitamente. Acolhemos por amor e missão. Recentemente, passamos a buscar caminhos para trabalharmos com Casas de Passagem, onde possamos dar um acolhimento digno aos “irmãos e irmãs de rua”. Estabelecemos como projeto a abertura de um espaço para este acolhimento em São João Batista, e estamos em conversas para uma futura casa também na cidade de Brusque.

Revista A Palavra

PVPN: Bethânia em hebraico tem muitos significados. “Casa do Pobre”. “Casa da Misericórdia”. Em referência a Jesus é lembrada como “Casa da Amizade” ou “Casa dos Amigos de Jesus”. Todos esses significados somados, nos fazem olhar para Bethânia e contemplá-la como “Casa do Amor Acolhedor e Lugar de Amor Incondicional”. Portanto, Bethânia é, para o mundo, um recanto, onde aqueles que perderam o sentido da vida podem encontrar alento e esperança, podem renovar, restaurar e reconstruir suas vidas. Pela força da espiritualidade e do amor que acolhe, nos tornamos profecia para o nosso tempo. Assim, lembramos à todas as pessoas, às famílias, e principalmente às mães dos nossos filhos de Bethânia, que não desistam. Tem jeito! Tem solução! Não perder a esperança é fundamental neste “vale de lágrimas” no mundo das dependências. Apresentamos sempre Jesus, que é ressurreição e vida. Em Bethânia, anunciamos Jesus que nos diz: “Eu vim para que todos tenham vida e vida em abundância”(Jo 10, 10). É o que chamamos vida plena, e a promessa é para todos. Como repito sempre em Bethânia: estamos juntos! Abraço e benção!

Como está o trabalho de expansão da Comunidade Bethânia no Brasil e a possibilidade de assumir a Casa de Passagem em Brusque?

Qual a palavra deixada por Bethânia às famílias e pessoas que sofrem neste momento pelas dependências?

7 | REVISTA A PALAVRA


Páscoa é passagem – da morte para a vida. Jesus deu sua vida na cruz, pela redenção dos nossos pecados e salvação da humanidade. Pela morte do pecado, chegamos à vida eterna e alcançamos o Reino dos Céus. A Páscoa é a vitória definitiva sobre o mal. E nós, hoje, vivenciamos novamente a oportunidade do renascimento. Morrer para o pecado para ressurgir em uma nova vida. Morre o velho homem e renasce o homem novo, lavado pelo sangue de Cristo na cruz. Renovados pelo Espírito Santo, já não somos alcançados pelo mal. “Que o pecado não reine mais em vosso corpo mortal, levandovos a obedecer às suas paixões. Não ofereçais mais vossos membros ao pecado como armas de injustiça. Pelo contrário, oferecei-vos a Deus como pessoas que passaram da morte à vida, e ponde vossos membros a serviço de Deus como armas de justiça” (Rm 6,12-13) Na Quaresma, tomamos consciência de nossas falhas e refletimos sobre os novos caminhos a seguir. Fugir de tudo que é mau, controlar nossos impulsos, resistir às tentações, abandonar os vícios, são atitudes necessárias para quem busca a conversão. Com a chegada da Páscoa, esses novos caminhos se abrem à nossa frente. Percorrer a estrada de Jesus é, também, acolher sua cruz, assumir sua missão e a ela ser fiel, para, no final, ressurgir em Cristo para a vida eterna. “Devido a vossas limitações naturais, falo de maneira humana: assim como outrora oferecerdes vossos membros como escravos à impureza e à iniquidade, para viverdes iniquamente, agora ofereceivos como escravos à justiça, para a vossa santificação. Que fruto colhíeis, então, de ações das quais hoje vos envergonhais? Agora, porém, libertados do pecado e como servos de Deus, produzis frutos para a vossa santificação, tendo como meta a vida eterna” (Rm 6,19.21-22). O projeto de Deus, para nós, é a salvação de toda a humanidade. Somente em Cristo seremos salvos! Morrer por Ele e renascer com Ele é graça infinita. É convite que se repete a cada Páscoa, feito pelo Nosso Senhor Jesus Cristo que, vitorioso, vive e reina para sempre, no Reino de Deus, que também é nosso! Por Agência Arcanjo


Durante a Semana Santa, vivemos a centralidade da nossa fé cristã. São celebrações ricas, intensas, cheias de significados, símbolos e sinais. Destacamos, neste ano, dois momentos.

Bênção dos Santos Óleos Na manhã da Quinta-feira Santa, na Catedral, o arcebispo preside a Missa do Crisma, concelebrada pelos padres de toda a Arquidiocese. “Constituídos, na última Ceia, ‘servos do Mistério’ realizam eles a unidade do seu sacerdócio no único grande Sacerdote, Jesus Cristo”. Durante a celebração, o bispo abençoa os óleos que são usados nos diversos sacramentos: - O óleo do crisma (óleo misturado com perfumes) para significar o dom do Espírito, que é dado aos fiéis nos sacramentos do Batismo, da Crisma e da Ordem; - Os óleos para os catecúmenos (Batismo) e para os enfermos (Unção dos enfermos), sinal da força que liberta do mal e sustenta na provação da doença.

Preparação do Círio Pascal Na Vigília Pascal, no Sábado Santo, acontece a bênção do fogo novo e a preparação do Círio Pascal. Há, nesta vela, uma verdadeira catequese: Luz: representa Cristo ressuscitado, “a verdadeira luz que ilumina todo homem que vem a este mundo” e que dissipa as trevas (a morte). Cruz: deve

é sempre o símbolo central, é ser tomado, como Cristo, para

o caminho chegar ao

que Pai.

Cravos: são cinco grãos de incenso que são cravados no círio e simbolizam as cinco chagas de Jesus, os três pregos que perfuraram suas mãos e pés, a lança no lado direito do corpo e os espinhos em sua cabeça. Alfa e Ômega: as letras Alfa e Ômega, a primeira e a última do alfabeto grego, indicam que a Páscoa de Cristo, o início e o fim do tempo e da eternidade, chega até nós sempre com nova força no ano especial em que vivemos. Ano atual: representa Deus no presente e como Mestre e Senhor de toda a eternidade. Uma figura que representa o Cristo: este ano, o Pavão. “As primeiras comunidades cristãs já reconheciam o pavão como símbolo da ressurreição, inspiradas no fato de que no inverno o pavão perde todas as penas de sua fantástica cauda e a refaz na primavera. Sendo símbolo da ressurreição, passou a ser símbolo do Cristo glorioso, do Cristo vitorioso sobre a morte e o pecado, do Cristo com poder universal. Representado sobre o globo, simboliza que tudo está sob os pés de Cristo. A cauda colorida do pavão, com seus muitos olhos abertos, lembra a onisciência de Deus que tudo vê, tudo sabe e a quem nada é oculto”. Por Pe. Diomar Romaniv, scj


VIDA PASTORAL

GUÉDRIA MOTTA

A graça de ser ouvido

Pastoral da Escuta mantém atendimento semanal na Paróquia Foi em 2017, por iniciativa do padre Adilson Colombi, que a Pastoral da Família passou a oferecer o serviço de Aconselhamento Familiar. Realizado sempre uma vez por semana, o atendimento era feito em casal e aberto às pessoas que buscavam desabafar sobre dificuldades conjugais ou familiares. Com o passar do tempo e, principalmente, após uma formação ministrada pelo professor Adalto Chitolina, houve uma transição da atividade, agora já constituída como Pastoral da Escuta e vinculada à Pastoral do Acolhimento. “Para o aconselhamento seria necessário mais aprofundamento de todo o grupo. Então, depois de muitos estudos, entendemos que o nosso propósito estava mais relacionado com a Pastoral da Escuta”, conta a coordenadora da Pastoral, Sabina Terezinha Merico. Hoje, os atendimentos estão suspensos, por conta da pandemia. Após o retorno das atividades, para ter acesso ao serviço, basta agendar um horário na Secretaria Paroquial. Os atendimentos acontecem toda quinta-feira, em três horários: das 8h30 às 10h30, das 16h às 18h e das 19h às 21h, no Salão Paroquial. “A procura ainda é baixa, até porque não divulgamos o projeto. A nossa intenção era realmente entender mais sobre o tema, apesar de estarmos sempre à disposição nos horários informados”, afirma a coordenadora.

Confiança e sigilo absoluto

Foto: Guédria Motta

Sabina lembra que as redes sociais encurtaram distâncias, mas afastaram as pessoas. E a falta de confiança no outro também faz com que muitos sigam o caminho carregando dores silenciadas. Por isso, a Pastoral da Escuta oferece seus ouvidos para que o desabafo aconteça em um ambiente seguro, com total sigilo e sem o impacto de julgamentos ou preconceitos. “Conselhos muitas pessoas nos dão, mas são poucos os dispostos a ouvir do começo ao fim, desprendidos de julgamentos. Não estamos ali para resolver problemas, mas, às vezes, quando se conta algo para alguém, nesse mesmo caminho a própria pessoa já encontra uma solução”, esclarece Sabina.

Pastoral da Escuta permanece em estudo e oferece a dádiva de ouvir sem julgar 10|REVISTA A PALAVRA


ESPIRITUALIDADE

AGÊNCIA ARCANJO

Semana Santa Diante de um cenário de pandemia mundial, a Igreja tem tomado ações para contribuir com as orientações das autoridades médicas e civis. Missas, celebrações, encontros, catequeses, enfim, todos os eventos presenciais foram suspensos. Sobre o período da Páscoa, a CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) comunicou: “Os Bispos darão indicações, de acordo com a Conferência Episcopal, para que na Igreja Catedral e nas Igrejas paroquiais, mesmo sem a participação dos fiéis, o bispo e os párocos celebrem os mistérios litúrgicos do Tríduo Pascal, avisando os fiéis da hora de início de modo a que se possam unir em oração nas respectivas habitações. Neste caso são uma ajuda os meios de comunicação por telas ao vivo, não gravada”. Assim, este ano, a Semana Santa será celebrada de uma forma diferente. Cada família acompanhará os ritos de casa, em uma corrente de fé e oração que unirá o mundo inteiro. Confira alguns transmissões:

dos

canais

que

realizarão

as

Rede Vida

Foto: Banco de Imagens

Domingo: 8h e 17h30 Segunda a sexta: 6h55, 9h e 19h Sábado: 7h, 9h, 15h e 17h30

Canção Nova

Domingo a Domingo – 7h Segunda-feira: 7h, 15h30, 19h30 Terça, quarta e sexta-feira: 7h e 20h Quinta: 7h, 16h30 e 20h

TV Aparecida

Domingo: 8h e 18h Segunda a sexta-feira: 6h45, 9h e 18h Sábado: 6h45, 9h e 18h

TV Pai Eterno

Domingo: 6h, 8h, 10h e 17h30 Segunda a sexta: 7h e 19h30 Quarta-feira: 7h, 9h e 19h30 Sábado: 7h e 17h30

Passos para viver a Santa Missa em casa: 1. Escolher um lugar tranquilo para vivenciar este momento especial e convidar a sua família. 2. Silenciar as notificações de seu celular e aparelhos eletrônicos. 3. Manter uma postura digna e pôr-se na presença de Deus. 4. Viver esta Missa em silêncio e somente responder as partes correspondentes. 5. Nas preces, pedir pelos enfermos e para que cesse a propagação desta pandemia. 6. Durante a Comunhão, fazer espiritualmente um ato de fé e adoração.

11 | REVISTA A PALAVRA


Formação da CF 2020

A Paróquia São Luís Gonzaga promoveu no dia 10 de março, uma formação sobre a Campanha da Fraternidade. O encontro foi ministrado pelo formador do Convento Sagrado Coração de Jesus, padre Zaqueu Suczeck, no auditório paroquial. Na oportunidade foi discutida a proposta lançada pela CNBB para 2020, com a temática “Fraternidade e Vida: Dom e Compromisso”, inspirada no Evangelho de Lucas: “Viu, sentiu compaixão e cuidou dele (Lc 10,33-34)”.

Missa de Cinzas

Mais de mil fiéis participaram da missa de Quarta-Feira de Cinzas, em 26 de fevereiro, na Igreja Matriz São Luís Gonzaga. Presidida pelo pároco, padre Diomar Romaniv, a celebração também marcou o lançamento da Campanha da Fraternidade de 2020 e o início do tempo de Quaresma. Ao fim da celebração, os fiéis formaram filas para receber, das mãos dos sacerdotes e Ministros da Eucaristia, as cinzas abençoadas na cabeça ou fronte.

Na tarde de sábado, 29 de fevereiro, no Auditório São Luís Gonzaga, foi realizada uma formação da Rede Mundial de Oração do Papa – Apostolado da Oração. Mais de 120 pessoas participaram do encontro, conduzido pela pregação de Maria da Glória Almeida, sobre os nove passos do Caminho do Coração, que nos faz discípulos e missionários de Jesus, com disponibilidade apostólica.

Rede Mundial de Oração do Papa


Coletiva de imprensa A Paróquia São Luís Gonzaga promoveu, no dia 26 de fevereiro, Quarta-Feira de Cinzas, uma coletiva de imprensa sobre o lançamento da Campanha da Fraternidade em 2020. Durante o evento, estiveram presentes o Capitão BM e comandante da 3ª Companhia de Bombeiro Militar de Brusque, Jacson Luiz de Souza; a vice-presidente da Ação Social Paroquial São Luís Gonzaga, Maria Aparecida Frainer; e os voluntários do Centro de Valorização da Vida (CVV), Luciana Raimundo Marcos e José Airton Leopoldino. Ambos falaram sobre as ações e serviços que realizam nas instituições que atuam e que vão ao encontro da Campanha da Fraternidade deste ano.

Todas as paróquias reunidas no Retiro do Apostolado da Oração da Forania de Brusque.

A Comunidade Sagrado Coração Jesus, no Guarani, acolheu, no início de março, o Padre Carlos Marcos Nicolodelli, scj, que irá acompanhar a comunidade a partir de agora. Nesta primeira missa, também ocorreu o acolhimento das crianças que receberão a primeira Eucaristia.

Dia 15 de fevereiro foi o primeiro encontro dos Coroinhas em 2020, na Comunidade Santa Paulina.


Missa na Igreja Matriz, com as crianças que receberão a Primeira Eucaristia este ano.

No Domindo de Ramos, com a suspensão das celebrações presenciais, a comunidade atendeu ao pedido do Pároco, padre Diomar Romaniv, colocando ramos na frente de suas casas, como sinal de fé e união, em espírito de oração.

A Comunidade Santa Rita de Cássia, realizou no dia 29 de fevereiro, missa do Rito de Eleição das crianças que farão a primeira comunhão.

- OUTDOOR - IMPRESSÃO DIGITAL 47 3350-7228 jkohleroutdoor

supermercadoscarol.com.br Guabiruba | Brusque | Nova Trento | Blumenau

14 | REVISTA A PALAVRA


Chegou a Páscoa! Utilize o código para decifrar a mensagem:

Páscoa

vida

todos

Jesus

cruz

Quem

vai até o fim.

assim.

por

nos

Deu sua A

nós.

nos lembra isso.

Mas a A

não foi o fim de

é a festa da

.

nova de

.

Ressuscitou. está Vivo. Aleluia!

Resposta: Quem ama vai até o fim. Jesus nos ama assim. Deu sua vida por nós. A cruz nos lembra isso. Mas a cruz não foi o fim de Jesus. A páscoa é a festa da vida nova de Jesus. Jesus ressuscitou. Jesus está vivo. Aleluia!

Desenho do mês

ama

15 | REVISTA A PALAVRA


EDIÇÃO Aline F S Oliveira

Esta é uma publicação da Paróquia São Luís Gonzaga, sob responsabilidade do Pe. Diomar Romaniv, scj e da Pascom da Paróquia, situada na Rua Padre Gatone, 75 Centro, Brusque - SC. www.paroquiasaoluisgonzaga.com

DIAGRAMAÇÃO Giovana Melo SUGESTÃO DE CONTEÚDO redacao@agenciaarcanjo.com.br www.agenciaarcanjo.com.br facebook.com/agenciaarcanjo (47) 3227-6640

REVISÃO Fernanda Felicio IMPRESSÃO Gráfica Volpato TIRAGEM 2.200 exemplares