Revista A Palavra - Julho de 2022

Page 1

EDIÇÃO 125 | JUL/2022 |DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

8

SÍMBOLO, ORAÇÃO E HINO DO JUBILEU

O início de um tempo de ação de graças

10

A PARÓQUIA E A SUSTENTABILIDADE

Energia solar em todas as comunidades

13

OS FRUTOS NA VELHICE

São Joaquim, Sant’Ana e os idosos


EDITORIAL

POR AGÊNCIA ARCANJO

APRESENTAÇÃO

Bem-vindos à revista A Palavra! Caro leitor, entramos em um tempo muito especial! Julho de 2022 marca a abertura do Ano Jubilar, uma caminhada de celebração rumo aos 150 anos da instituição da Paróquia São Luís Gonzaga em Brusque. Para celebrar esse tempo solene, criamos nosso símbolo, nosso hino e nossa oração especialmente para o Jubileu, conforme você pode conferir na Central. Na página 06 e 07, Padre Claudionor e Padre Adilson relatam sobre a experiência de dedicar a vida toda para o Reino de Deus. No caderno Espiritualidade, abordamos sobre os frutos que são produzidos na velhice, lembrando e comemorando São Joaquim e Sant’Ana, avós de Jesus. Pensando na sustentabilidade, a Paróquia deu um importante passo com a instalação do sistema de energia solar, que irá produzir e gerar energia para a Matriz e as doze comunidades que formam a Paróquia São Luís Gonzaga, descrito na página 10. Esperamos que a alegria própria deste tempo jubilar, a mesma que impulsionou essa edição, chegue ao seu coração. Uma boa leitura!

2 | REVISTA A PALAVRA

mensageirodossonhos.com.br


POR PE. DIOMAR ROMANIV, SCJ

EDITORIAL PALAVRA DO PÁROCO

Rumo ao Jubileu

31 de julho de 2022: nossa paróquia celebrará o aniversário de 149 anos de fundação! Eis que se abre um novo tempo: o tempo da graça – o ANO JUBILAR! Celebrar um Ano Jubilar é abrir o coração para: • • • • •

agradecer a Deus e a tantas pessoas e famílias que fazem parte desta história; fazer memória da bela e rica história que temos; reconhecer a presença carinhosa de Deus em todos os momentos; renovar as forças, a alegria e o entusiasmo para continuarmos a escrever esta história; assumir a nossa parte na missão.

Querido paroquiano,

Teremos 365 dias para viver com intensidade o JUBILEU de 150 anos da nossa paróquia! Iniciaremos no dia 31 de julho, às 09h, com a Santa Missa e depois um almoço festivo. Ao longo do ano teremos alguns momentos fortes, como eventos sociais e celebrações litúrgicas, que nos ajudarão a viver e marcar este tempo histórico que somos protagonistas.

Do coração de Brusque ao Coração de Jesus!

É à luz desta expressão que queremos vivenciar o Jubileu. O coração de Brusque recorda o centro de nossa cidade, e nele, a igreja Matriz, a nossa casa mãe, que reúne os seus filhos! Foi em volta deste templo que cresceu a nossa cidade! O coração de Brusque lembra também o coração de cada brusquense aqui nascido ou brusquense de coração… O coração de Brusque é o ponto de partida para o Coração de Jesus, que aponta para a nossa fé, para a espiritualidade que marca a nossa paróquia! Caminhamos pelas ruas de Brusque vivendo a nossa vida, mas somos peregrinos em direção ao Coração de Jesus, onde seremos acolhidos no céu! Neste tempo jubilar, queremos também fazer a experiência de sentir as graças do Coração de Jesus tocarem o coração de Brusque e dos moradores de Brusque, para reavivar os valores cristãos já presentes em nossa sociedade. Que este tempo seja precioso e fecundo: do coração de Brusque ao Coração de Jesus, e do Coração de Jesus para o coração de cada morador de Brusque!

3 | REVISTA A PALAVRA


GERAL

POR CHARLES GODINI

MATÉRIA

Juliana Costa Masera reflete a Campanha da Fraternidade à luz de sua profissão É importante ressaltar que a Campanha da Fraternidade deste ano é voltada para a educação em todos os âmbitos: na escola, na comunidade, na Igreja, no trabalho, na família e em sociedade. Para essa edição, a revista A Palavra apresenta a jornalista, gestora escolar e professora, Juliana Costa Masera, 27 anos, que se coloca como um instrumento na formação de tantas pessoas. “O tema escolhido para a Campanha da Fraternidade corresponde a uma educação integral do ser humano, a qual é de responsabilidade não só da escola, mas também da família, da igreja e da sociedade em geral. Trata-se de uma escolha muito apropriada para o contexto em que vivemos, no qual precisamos de uma educação que aponte o caminho reto, de respeito, da solidariedade e do amor. Enfim, um caminho que nos leve a Jesus”, afirma. Juliana pertence a uma família de professores. E, apesar de exercer a profissão há apenas seis anos, sua dedicação e o carinho empregado no dia a dia é de alguém que leciona há décadas. “Ser professora foi uma escolha. Em certo momento da vida, percebi que deveria buscar algo que me fizesse mais feliz, pois não estava totalmente satisfeita. Me aventurei no mundo da educação e gostei. A partir disso, passei a me dedicar e estudar para o que havia me proposto. Hoje, me sinto feliz e realizada”, explica. Atualmente, Juliana leciona na Escola de Ensino Fundamental Theodoro Becker e no Colégio Cônsul Carlos Renaux.

4 | REVISTA A PALAVRA

“O tema escolhido para a Campanha da Fraternidade corresponde a uma educação integral do ser humano, a qual é de responsabilidade não só da escola, mas também da família, da igreja e da sociedade em geral.”

“O professor, para a nossa sociedade, é alguém de extrema importância. O que eu vou falar pode parecer clichê, mas é uma realidade que não pode ser esquecida quando se trata da importância deste profissional: professor é a profissão que forma profissões. Soma-se a esse caráter formativo a capacidade de um educador influenciar as formas de enxergar o mundo, estimular o pensamento crítico e criativo, a tomada de decisões e resolução de problemas; competências importantes para viver em sociedade”, enaltece.


POR CHARLES GODINI

GERAL

Crédito: Juliane Ferreira

MATÉRIA

A professora Juliana Costa Masera participou da Missa de Lava-pés, na Quinta-feira Santa

Questionada sobre os desafios dessa profissão, ela comenta que são inúmeros, tanto dentro, quanto fora do ambiente escolar. “Na atualidade, o professor enfrenta a desvalorização profissional, a sobrecarga de trabalho e outros obstáculos que residem fora da sala em que leciona. Dentro dela, temos a questão da competição com as novas tecnologias que se apresentam como uma forma fácil e rápida de entretenimento e consumo. Sua instantaneidade e oferecimento de informações prontas – sem apelar para o senso crítico do usuário – afasta o aluno das nossas propostas, as quais giram em torno da busca pelo conhecimento, acesso à criatividade e estímulo da investigação por meio do raciocínio. Mas, tudo isso é superado quando participamos do processo de construção de um cidadão. É uma importante missão para o profissional. Acredito que ver a evolução dos educandos seja um combustível para todo professor”, argumenta.

“Professor é a profissão que forma profissões.” sal da terra e luz do mundo; que sejamos o tempero que torna a vida mais agradável e a luz que ilumina quem está à nossa volta; que sejamos a figura que representa um bom exemplo de cidadão para nossos alunos. Penso que a educação deve ser pautada no respeito ao próximo e, sobretudo, com base em exemplos. Espero ser um exemplo de pessoa de bem, que busca sempre seguir os passos de Jesus. Peço ao Espírito Santo que nos capacite para lidarmos com os desafios diários e para encontrarmos a felicidade mesmo em meio aos obstáculos”, expressa Juliana.

Juliana ainda cita o quanto a intimidade com Deus e a presença na Eucaristia podem inspirar e fortalecer o ofício de ensinar. “Lidamos todos os dias com pessoas em fase de construção, por isso, ao gerir a nossa sala de aula, que possamos lembrar de ser

5 | REVISTA A PALAVRA


GERAL

POR CHARLES GODINI

ENTREVISTA

Em maio deste ano, a Santa Sé anunciou a data do 2º Dia Mundial dos Avós e Idosos, celebrado em 24 de julho. Na ocasião, o Papa Francisco falou sobre o tema do evento, intitulado “Dão fruto mesmo na velhice”. A temática escolhida acentua, ainda mais, a necessidade de inserir os idosos em todas as esferas da sociedade, já que a experiência adquirida ao longo de tantos anos é motivo de respeito, admiração e, principalmente, aprendizagem.

“Dão fruto mesmo na velhice.”

“O tema nos permite refletir que é possível apresentar aos mais jovens tudo o que os idosos conseguiram viver em seu tempo, e mostrar o que eles ainda podem realizar; fazer com que os mais novos possam perceber que cada período da vida

6 | REVISTA A PALAVRA

é diferente. Portanto, a presença de uma pessoa idosa no convívio serve, também, para que os mais novos reflitam que não serão jovens para sempre e que a maturidade chega para todos”, comenta o vigário da Paróquia São Luís Gonzaga, Pe. Adilson José Colombi.

Possibilidades

Em relação ao assunto, Pe. Adilson também fala sobre o famoso ditado, de que “a terceira idade é a melhor idade”. Para ele, a afirmação se enquadra apenas em alguns aspectos, como em relação à maturidade e à experiência, que permitem com que os idosos tenham uma melhor visão do mundo, a respeito de determinadas situações. “Essa é a dádiva da terceira idade. Sempre digo que a melhor escola é a vida. Se vivermos de maneira adequada, a vida nos ensina constantemente”, explica. Já em relação às dificuldades, ele comenta que grande parte é relacionada à questões físicas e limitações,


POR CHARLES GODINI

GERAL ENTREVISTA

‘‘Essa é a dádiva da terceira idade. Sempre digo que a melhor escola é a vida. Se vivermos de maneira adequada, a vida nos ensina constantemente.” como a memória, o corpo, a disponibilidade para realizar um trabalho, a falta de energia, e até mesmo as oportunidades, que não costumam ser as mesmas de quando eram jovens. “Também sou idoso e acredito que devemos saber viver dentro da nossa faixa etária. Precisamos nos situar e questionar: o que ainda posso fazer? Existe um campo aberto, gigante para testemunhar a nossa fé e a nossa oração. Muitos idosos são ativos nas nossas comunidades, ajudando, voluntariamente, nas celebrações e ações sociais. Realizam essas atividades dentro de seus limites, de suas capacidades físicas, e assim mesmo, continuam com seu modo de viver e de testemunhar”, comenta o vigário. Ainda, segundo o religioso, hoje, o acesso às informações é muito mais fácil, mas é preciso usar a capacidade intelectual, independente da idade, ou seja, muitos idosos têm limitações, mas é preciso, pouco a pouco, se adaptar.

Avós e a educação Em relação aos avós, Pe. Adilson comenta também que está havendo uma migração na educação de muitos netos. Alguns pais, por diversos motivos, principalmente o trabalho, estão deixando os filhos com os mais velhos,

que estão assumindo o papel de educadores. “Presenciamos, inúmeras vezes, os avós trazendo seus netos para o encontro de catequese. Em casa, muitas crianças aprendem a rezar, a dar os seus primeiros passos e, até mesmo, a falar suas primeiras palavras com a ajuda deles. Portanto, nesse contexto, os idosos contribuem com seu tempo livre e sua experiência na criação dos seus netos. Eles fazem toda a diferença dentro de uma família. Por isso, é importante fazer com que seus filhos e outros familiares entendam e enxerguem essa contribuição, afinal, os avós podem ser bons exemplos de vida para seus netos”, exemplifica o vigário.

“Eles fazem toda a diferença dentro de uma família.” Desta forma, as expectativas são de que o 2º Dia Mundial dos Avós e Idosos reforce a reflexão sobre a necessidade de se criar uma cultura de respeito, em voltar o olhar aos idosos e avós com admiração e carinho, já que eles podem ser testemunhas vivas da sociedade, exemplos de fé, alegria e perseverança.

7 | REVISTA A PALAVRA


CENTRAL

POR AGÊNCIA ARCANJO

O mês de julho abre as portas para um tempo muito especial de celebração, iniciando o Ano Jubilar em comemoração aos 150 anos de fundação da Paróquia São Luís Gonzaga em Brusque. Isso é uma marca histórica que denota a ação de Deus no meio do seu povo, o desenvolvimento de uma comunidade fundamentada na boa nova do Evangelho se entrelaçando com a expansão de toda uma cidade, seus anseios e suas conquistas.

Assim sendo, considerando a dimensão do Jubileu na vida de cada paroquiano e de toda a sociedade brusquense, para marcar ainda mais esse momento, foram criados o Hino, a Oração e o Símbolo do Jubileu. “Para que os olhos vejam, para que as vozes rezem e cantem esse momento ímpar, elevando o coração de Brusque ao Coração de Jesus”. Com essas palavras do Padre Diomar Romaniv, scj, pároco da Paróquia São Luís Gonzaga, apresentamos esses elementos oficiais do nosso Jubileu.

2 5

6 Senhor, nosso Deus e Pai, É aqui, do coração de Brusque, Que consagramos nossa vida ao Coração de Jesus E Dele recebemos as graças que jorram do Seu lado aberto, Nos santificam e dão forças para viver e testemunhar nossa vida cristã! Nós Vos agradecemos e Vos louvamos Pela história que celebramos neste ano jubilar. Fortalecei os laços que nos unem a esta comunidade, Onde nos sentimos em casa e em família, E dai-nos a Vossa bênção, por intercessão de São Luís Gonzaga. Amém.

8 | REVISTA A PALAVRA


POR AGÊNCIA ARCANJO

1

2

Primeira parte da frase da Campanha “Do coração de Brusque ao Coração de Jesus”

CENTRAL

1873: data da fundação da igreja

Primeira igreja construída no centro da cidade de Brusque.

1 3

3

150 anos do Jubileu em destaque no meio do selo

4

2023: ano em que a fundação completa 150 anos

4

5

Símbolo Dehoniano, ele aparece no início e no fim do selo conectando duas datas do jubileu

Letra e música: Pe. Joãozinho, scj 1 - Nesse berço que a terra criou Um jardim que Deus mesmo plantou Com a força da fé e a união Vive Brusque num só coração Os teares se unem à reza E a praça em prece também Faz o povo de São Luís Gonzaga Repetir para sempre Amém! DO CORAÇÃO DE BRUSQUE AO CORAÇÃO DE JESUS (2x) 3 - Povo alegre e trabalhador Operário e empreendedor Um celeiro de grandes talentos Que este povo ao Brasil ofertou

Escadaria da igreja Matriz

6

Segunda parte da frase da Campanha “Do coração de Brusque ao Coração de Jesus”

4 - Ao Senhor nosso Deus, nosso Pai Nós pedimos a benção, nos dai Consagramos ao Mestre, Jesus Que nos deu seu amor lá na cruz 5 - No Espírito Santo de Amor Com Maria, o nosso louvor Jubilosos em comunidade Em família e fraternidade

9 | REVISTA A PALAVRA


GERAL

POR JULIANE FERREIRA

PARÓQUIA

Paróquia instala sistema de captação de energia solar Placas solares irão produzir e gerar energia para as doze comunidades Além de iniciar a programação que irá celebrar o Jubileu de 150 anos, a Paróquia São Luís Gonzaga dá mais um grande passo em sua história: a instalação do sistema de energia solar, que irá produzir e gerar energia sustentável para a Matriz e as doze comunidades que formam a Paróquia São Luís Gonzaga.

Crédito: Divulgação

Comunhão e unidade

São 198 placas instaladas no telhado do Salão Paroquial, que farão a geração e distribuição de energia para as dezoito unidades consumidoras ligadas ao CNPJ paroquial. “Esse projeto tem sido estudado há diversos anos, com reflexões, partilhas, e agora assumimos esse compromisso como paróquia. É também um gesto concreto de cuidado com a natureza, em união com a Carta Encíclica do Papa Francisco, Laudato Si’, sobre o cuidado da casa comum. Refletimos diversas vezes sobre esse tema na Campanha da Fraternidade, que atualmente a Igreja realiza e que dá indicações ao cuidado da natureza e do planeta Terra. Depois de todo esse estudo e de uma profunda avaliação de estrutura e financeira, tomamos essa decisão, que quer ser um sinal de cuidado e compromisso como Igreja com a natureza, e, ao mesmo tempo, uma maneira de investir e cuidar bem da dimensão financeira das nossas comunidades”, considerou o pároco, padre Diomar Romaniv, scj. A intenção é que o investimento traga benefícios financeiros e administrativos para a vida das comunidades e da paróquia. “Todas as nossas comunidades têm obras a serem realizadas, melhorias a serem feitas, mas, na partilha de cada um, esses valores também foram menores, uma vez que será um único projeto para atender todas as comunidades. Fizemos um processo de comunhão financeira das comunidades para que, ajudando-nos, pudéssemos realizar essa obra e, assim, não prejudicar as tantas outras melhorias que precisam ser feitas em cada comunidade”, pontuou o pároco. “Esta atividade de geração de energia que começaremos a gerar não impactará negativamente nas outras obras, compromissos e trabalhos pastorais; ao contrário, ela quer ser uma

10 | REVISTA A PALAVRA

Crédito: Rafael Zen

ajuda e um sinal para a sociedade do nosso zelo pela casa comum, e também do cuidado com nosso patrimônio e dos bens financeiros que temos”, frisou. A empresa contratada é a Prisma, que possui matriz em Itajaí. Após concluída a instalação das placas, a paróquia aguarda a aprovação da Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc) para iniciar a utilização da sua energia gerada.

Saiba mais Os sistemas de energia solar são geralmente usados por indústrias, poder público, consumidores rurais, serviços públicos e iluminação pública. Segundo o mapeamento da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), o Brasil atingiu a marca de 1 milhão de sistemas de geração de energia solar instalados em telhados, fachadas e pequenos terrenos, somando mais de 10,6 gigawatts (GW) em potência. Os dados são do mês de maio.


GERAL COMUNIDADE

Santa Paulina:

oração, humildade e obediência POR JULIANE FERREIRA E ADELIR ROSA KOHLER

Santa Paulina (Amábile Lúcia Visintainer) nasceu em 16 de dezembro de 1865, na cidade de Vígolo, região de Trento, ao Norte da Itália. Durante sua infância, a Itália passou por uma grande crise econômica e pestes contagiosas. Por isso, aos nove anos de Paulina, seus pais decidiram emigrar para o Brasil, estabelecendo-se no atual município de Nova Trento (SC). Em 1895 ela professava os votos perpétuos na Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição, onde foi nomeada superiora da pequena congregação, passando a ser chamada de Madre Paulina. Tudo era muito precário e pobre. A vida de Paulina foi marcada pela oração, humildade, obediência, e cuidado com os doentes, principalmente os cancerosos. Foi muito perseguida, ficou exilada por nove anos, e depois retornou à Congregação. A partir de 1938, Madre Paulina iniciou seu calvário, período de grandes sofrimentos físicos. Devido a diabetes, teve que amputar o braço direito, e também ficou cega. Apesar da doença, permaneceu firme na fé, louvando ao Senhor por tudo, e sendo cada vez mais amada e admirada pelas Irmãs. Por fim, após quatro anos de sofrimento, entregou sua alma a Deus: era nove de julho de 1942. O Papa João Paulo II celebrou sua beatificação em 1991, no Brasil. Sua canonização aconteceu em 2002, pelo mesmo Papa, e, assim, ela passou a ser a primeira Santa canonizada no Brasil.

Celebração Litúrgica

A Comunidade Santa Paulina, na Travessa Lagoa Dourada, celebra a padroeira com festa e programação litúrgica. O tríduo inicia dia 6 de julho, com missa às 19h30, presidida pelo Pe. Zaqueu. Logo após, haverá venda de cachorro-quente e bebidas. No dia 7, Pe. Aléssio celebra a missa às 19h30 e, em seguida, ocorre venda de cachorro-quente e bebidas. Na sexta-feira, dia 8, a Santa Missa será presidida pelo Pe. Tiago, e em seguida ocorre venda de cachorro-quente e bebidas. No sábado, 9 de julho, a missa festiva inicia às 19h30, celebrada pelo pároco, Pe Diomar. Após, haverá venda de churrasco, acompanhado de maionese, salada, farofa e pão. Às 22h será realizado sorteio do bingo.

São João Batista:

o precursor de Jesus POR JULIANE FERREIRA

O primo de Jesus, João Batista, nasceu em Aim Karim, cidade de Israel, que fica a 6 quilômetros de Jerusalém. Sua mãe, Santa Isabel, era prima de Maria, Mãe de Jesus. São João Batista foi consagrado a Deus desde o ventre materno. Foi o primeiro mártir da Igreja e o último dos profetas. Ele é o Batista porque batizava um batismo de conversão, e batizou o próprio Cristo. A natividade de João Batista é celebrada no dia 24 de junho, porém, em 2022, esta data será celebrada pelo Dia do Sagrado Coração de Jesus, e, então, a natividade será celebrada dia 23 de junho – um dia anterior. Paroquialmente, a data foi incluída na Semana de São Luís Gonzaga, com Santa Missa em honra a São João Batista, além de ser celebrada em comunidade com a programação a seguir.

Programação Litúrgica A Comunidade São João Batista, no bairro Bateas, celebra o padroeiro com programação festiva nos dias 9 e 10 de julho. Neste ano, a comemoração acontece em julho, precedida pelo tríduo preparatório, nos dias 6, 7 e 8 de julho. No dia 9 de julho, após a celebração da Santa Missa, será servido jantar, com buffet completo. Os cartões podem ser adquiridos de forma antecipada com a comunidade, limitado à venda de 300 cartões. O evento inclui serviço completo de bar e cozinha, roda da fortuna e atrações tradicionais. Também há venda de rifa, no valor de R$ 2,00, que será sorteada no domingo, 10 de julho, às 14h.

6º prêmio: R$ 6 mil 5º prêmio: R$ 4 mil 4º prêmio: R$ 2 mil 3º prêmio: R$ 1 mil 2º prêmio: R$ 1 mil 1º prêmio: R$ 1 mil 11 | REVISTA A PALAVRA


GERAL

POR AGÊNCIA ARCANJO

ESPIRITUALIDADE

São Joaquim e Sant’Ana, celebrados pela Igreja no dia 26 de julho, têm a sua devoção propagada pela tradição desde o século VI. A discrição com que aparecem não significa que sua participação na história da redenção não tenha sido importante; muito pelo contrário, dedicaram-se a Deus ao longo de suas vidas, testemunharam com confiança, mesmo em meio a tantas dificuldades, e tiveram sua história marcada por se tornarem os avós de Jesus.

“A comunidade cristã deve tomar conta dos idosos: parentes, amigos e a comunidade.” Ou seja, quando olhamos para a docilidade e temor com que a Virgem Maria responde ao chamado de Deus, vemos nitidamente que a sua vida foi moldada nos caminhos da fé, resultado daquilo que seus pais lhe ensinaram. A vida de Joaquim e Sant’Ana também nos faz refletir sobre a contribuição dos idosos para a edificação da sociedade, mesmo que de uma forma indireta. O Papa Francisco tem tratado dessa questão com muita ênfase. Segundo Francisco, “a

12 | REVISTA A PALAVRA

comunidade cristã deve tomar conta dos idosos: parentes, amigos e a comunidade. A visita aos idosos deve ser feita por muitos, juntos e com frequência. Especialmente hoje em dia, o número de idosos cresceu consideravelmente, também em proporção aos jovens, porque este inverno demográfico não faz filhos. E há muito mais idosos e poucos jovens. Devemos sentir a responsabilidade de visitar os idosos que muitas vezes estão sozinhos e apresentálos ao Senhor com nossas orações. A vida é preciosa”. Voltar o olhar para aqueles que vivem na velhice é uma forma de mostrar reconhecimento às nossas origens e àqueles que a conservaram para nós. A gratidão precisa habitar nossos corações, e deles transbordar. Os idosos demandam cuidados especiais, precisam de alguém que os escute, pois eles têm suas histórias para contar. Cabe aos cristãos, aos filhos e netos, adultos, jovens e crianças, zelar pela dignidade dos idosos e deles receber sagrados tesouros do conhecimento e de suas experiências de fé.


POR JULIANE FERREIRA

ACONTECEU

Crisma A paróquia realizou, de junho a julho, o período das celebrações de Crisma. Em junho, receberam o sacramento 292 crianças e adolescentes que cumpriram o itinerário da Iniciação da Vida Cristã (novo método). Já no mês de julho, mais 242 adolescentes da paróquia, que participaram do método antigo da catequese de Crisma, receberam o sacramento.

Solenidade de Pentecostes Celebrada na igreja Matriz e nas comunidades, a Solenidade de Pentecostes marcou o encerramento do Tempo Pascal. Ciência, Conselho, Entendimento, Fortaleza, Piedade, Sabedoria, Temor de Deus: os sete dons do Espírito Santo. Bendito sejas, Senhor, por essa luz radiante que anuncia a ressurreição de Jesus.

Imagem: Divulgação.

Festa de Santo Antônio Na melodia de Luar do Sertão, entoaram palavras diferentes de louvor a Deus. A Missa Sertaneja, celebrada no dia 11 de junho, na Comunidade Santo Antônio, no bairro Volta Grande, marcou as festividades em honra ao padroeiro. Entre violões e sanfonas, foi possível sentir a devoção das pessoas, bem como a alegria de voltar a festejar o Dia de Santo Antônio em comunidade.

Imagem: Divulgação.

98 Anos do Convento O Convento Sagrado Coração de Jesus comemorou em maio 98 anos de história e caminhada eclesiástica. A data foi celebrada com grande júbilo, confraternização e brincadeiras. Ao longo dos anos, o Convento trouxe ao povo de Brusque a alegria do Sagrado Coração de Jesus através da formação de novos padres e religiosos.

Imagem: Convento SCJ

Imagens: Divulgação.

13 | REVISTA A PALAVRA


ACONTECEU

POR JULIANE FERREIRA

Corpus Christi

60 anos da atual igreja Matriz

Milhares de fiéis participaram, no dia 16 de junho, da solenidade de Corpus Christi, nas escadarias da igreja Matriz São Luís Gonzaga. Após dois anos, a celebração foi retomada com a procissão até o Convento Sagrado Coração de Jesus, sobre os tapetes coloridos, confeccionados por grupos, pastorais e movimentos das 12 comunidades que formam a paróquia, em uma grande manifestação de fé.

Uma noite para comemorar o aniversário de um templo exuberante, no Centro de Brusque. A Paróquia São Luís Gonzaga celebrou solenemente as seis décadas de fundação da igreja Matriz durante a liturgia das 19h de domingo, 19 de junho. Com missa presidida por Dom João Francisco Salm, bispo da diocese de Novo Hamburgo (RS), e presença dos padres que atuam na paróquia e convidados, a celebração também oficializou a abertura da Semana do Padroeiro. Já na sexta-feira, 17 de junho, dia oficial da inauguração da igreja, a paróquia acolheu o padre Eli Lobato dos Santos, pároco de 1996 a 2002, que celebrou a missa das 19h.

Crédito: Divulgação

Crédito: Divulgação

Crédito: Divulgação

Crédito: Divulgação

Crédito: Divulgação

14 | REVISTA A PALAVRA


POR AGÊNCIA ARCANJO

INFANTIL

15 | REVISTA A PALAVRA


EDIÇÃO Mario Augusto Arcanjo

Esta é uma publicação da Paróquia São Luís Gonzaga, sob responsabilidade do Pe. Diomar Romaniv, scj e da Pascom da Paróquia, situada na Rua Padre Gatone, 75 - Centro, Brusque/SC. www.paroquiasaoluisgonzaga.com

DIAGRAMAÇÃO Priscilla Lorena SUGESTÃO DE CONTEÚDO redacao@agenciaarcanjo.com.br www.agenciaarcanjo.com.br facebook.com/agenciaarcanjo (47) 3227-6640

REVISÃO Ana Sanches IMPRESSÃO Gráfica Volpato TIRAGEM 1.500 exemplares