__MAIN_TEXT__

Page 1

Jornal do

SANTU SANT UÁRIO

www. santuarioscj.com.br

Joinville, 01 de Janeiro de 2013 | Ano 01 | N° 01

01


Jornal d o

SANTUÁRIO

Expediente CELEBRAÇÕES NO SANTUário • Segunda-feira - 19h30 (pelos falecidos) • Terça-feira - 16h (pelas intenções da rádio e internet) e 19h30 • Quarta-feira - 19h30 (pelas famílias) • Quinta-feira - 7h, 16h (pelos enfermos) e 19h30 • Sexta-feira - 7h, 12h30 e 19h30 • Sábado - 7h (devocional mariana) e 19h • Domingo - 6h30, 8h, 9h30, 11h30, 17h e 19h • 1ª sexta-feira do mês: 7h, 12h30, 16h, 19h30 e 23h • Missa com tradução em Libras: 4° domingo do mês - 19h • Missa dos Grupos Bíblicos de Reflexão: 2ª terça-feira do mês - 19h30

INFORMAÇÕES importantes • Atendimento de confissões, orientação espiritual e bênção de objetos Terça a sexta-feira - 8h30 às 11h | 14h30 às 17h Sábado - 8h30 às 11h • Adoração Eucarística Quinta-feira - 8h às 19h30 • Grupo de Oração RCC Quinta-feira - 20h30 • Santuário Jovem Sábado - 20h • Terço dos Homens Segunda-feira - 19h

MENSAGEM DO PÁROCO

Por padre Sildo César da Costa, scj

Queridos devotos do Coração de Jesus: mais uma vez nos encontramos neste informativo para celebrar a vida e a fé do povo de Deus, apaixonado pelo Coração de Jesus. Aproveito para agradecer a todos os devotos pela festa do Sagrado Coração de Jesus. Tudo o que foi celebrado nas novenas e na festa gastronômica foi uma bênção de Deus. Sua participação muito nos alegrou. Sentimos-nos muito felizes com o envolvimento das lideranças do Santuário e também das pessoas que se apresentaram para ajudar. Agora partimos para um segundo semestre, contando o dia que se aproxima da abertura do Centenário do Sagrado Coração de Jesus. Nossas forças estão direcionadas para a preparação do Centenário. Conto com as vossas orações e com o vosso apoio para dar continuidade à reforma do Santuário. Desculpe-nos se estamos insistindo tanto sobre o projeto, mas queremos que mais pessoas participem dessa reforma rumo ao Centenário. Queremos que você divulgue o projeto do Santuário. Assim, podemos ter mais pessoas a aderindo. Agora é chegada a hora de fazer o que está ao nosso alcance. Se cada devoto achar uma família para contribuir, teremos muitos novos colaboradores. É construindo juntos que vamos chegar ao nosso objetivo. Quero agradecer as pessoas que já colaboraram e aquelas que pegaram um segundo carnê para continuar colaborando. A festa do Coração de Jesus traduziu bem o espírito de comunhão e amor que temos pelo Santuário. Como é bonito ouvir o carinho de famílias por este espaço sagrado. Somos abençoados por poder contar esta história centenária. Em julho, celebraremos vários momentos importantes como a celebração da Crisma de nossos jovens, retiro para os catequistas, retiro do movimento de Casais Encontristas, Jornada Diocesana da Juventude, encontro de namorados, retiro da Renovação Carismática Católica, retiro dos Leigos Dehonianos... Estes são os maiores encontros, fora as reuniões das diversas pastorais e movimentos. Gostaria de salientar esta vivacidade da Igreja, como, povo de Deus. Queremos evangelizar, chegar mais perto dos nossos irmãos e irmãs. Que tudo aquilo que realizaremos neste mês possa ser um sinal de bênção para todos. Fico muito feliz quando vejo uma Igreja que se encontra e caminha. O encontro é para nos sentirmos irmãos e o caminhar, significa todos seguirmos na mesma direção. Tenham todos um mês abençoado! Seja amado por toda a parte: o Sagrado Coração de Jesus!

CRONOGRAMA MENSAL hORÁRIOS DAS RÁDIOS Rádio Clube (AM 1590) Segunda a sexta 7h55 - Nos Caminhos da Palavra 11h55 - O Pão da Palavra Sábado 7h - A Voz do Santuário 7h30 - Direção Espiritual

CELEBRAÇÃO DE CRISMA Local: Igreja Data: 11 de julho Horário: 19h

Encontro de Namorados Local: Auditório Data: 25 de julho Horário: 13h30

Jornada Diocesana da Juventude Local: Paróquia São Judas Tadeu Data: 18 de julho Horário: 15h

Rádio Difusora Arca da Aliança (AM 1480) Domingo 8h - Transmissão da missa Rádio Cultura (AM 1250) 1ª semana do mês (segunda a sexta-feira) 11h - Refletindo a Palavra

2

www.santuarioscj.com.br


Jornal d o

SANTUÁRIO

Geral JUVENTUDE

Por Amanda Joenk e Alessandra Oliveira

Santuário Jovem: juventude no Coração Evangelização, formação e missão tendo a vivência da Eucaristia como centro da espiritualidade no Coração de Jesus: assim é o Santuário Jovem, o grupo de jovens do Santuário que acontece todos os sábados, às 20h, no auditório. Cada encontro é um momento único, que inicia com a animação levando o jovem a cantar e dançar, tendo a música como o meio de evangelização para chegar mais rápido ao coração dos jovens e transmitir a alegria, o entrosamento e o acolhimento no grupo. A experiência de oração é fundamental no encontro: toda semana um jovem é convidado a rezar o terço no seu dia a dia e a compartilhar com todo o grupo esse momento de proximidade com o Senhor. Além disso, vivenciam formações de temas como família, o sentido da vida, identidade pessoal, entre outros, aplicados por palestrantes convidados e pelos participantes do grupo. De tempo em tempo, o Santuário Jovem faz um momento de adoração a Deus, no qual os jovens são convidados a ficar mais perto do Senhor, louvar e honrar com seu amor todas as graças recebidas em sua vida: é o momento de encontro do coração do jovem com o Coração de Jesus. Para celebrar o Ano da Família, todo quarto sábado do mês os encontros do Santuário Jovem tornam-se diferentes e são realizados na casa da família de um membro do grupo, possibilitando a troca de conhecimentos entre pais e filhos. A missão de levar o amor de Jesus, desafia-nos dia a dia, e com a Campanha da Fraternidade deste ano, os jovens elaboraram um projeto social para praticar os ensinamentos do Senhor através de visitas aos idosos e crianças hospitalizadas. O Lar de Idosos Santa Paulina foi escolhido para viver essa experiência de profunda intimidade e comunhão com o Senhor na pessoa do irmão. Os jovens levaram ao Lar muita alegria, esperança, amor e a palavra de Deus para ser compartilhada (foto). Em 19 de julho, o Santuário Jovem completará um ano de existência, graças ao interesse, participação e união dos jovens. Cada jovem, com suas habilidades e talentos tornam nosso grupo único. Assim, juntando nossos dons e talentos vamos nos reunir com outros jovens de nossa diocese para mais uma edição da Jornada Diocesana da Juventude (JDJ), que será realizada no próximo dia 18, às 15h, na Paróquia São Judas Tadeu. A programação conta com oficinas e a missa jovem, seguindo em caminhada até a Comunidade Católica Arca da Aliança, onde acontecerá o show de encerramento. Venha participar conosco da Jornada Diocesana e do Santuário Jovem, venha encontrar no Coração de Jesus alegria, amizade e uma experiência de fé.

Congregação tem novo superior O Pe. Heiner Wilmer, scj, é o novo superior geral da Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus. O alemão, ordenado em 1987, atuou na área da educação e também em iniciativas sociais com os pobres, deficientes e marginalizados. Pe. Wilmer foi eleito durante o Capítulo Geral dos Sacerdotes do Sagrado Coração, em Roma, realizado em maio.

www.santuarioscj.com.br

Intercâmbio social A Cáritas, pastoral social do Santuário, promoveu um intercâmbio com a Paróquia São Sebastião, de Jaraguá do Sul, ajudando na fabricação de fraldas geriátricas para os necessitados.

SANTO DO MÊS

Santa Paulina

Nascida em 16 de dezembro de 1865, em Vígolo Vattaro, Trentino Alto Ádige, norte da Itália, recebeu o nome de Amábile Lúcia Visintainer. Imigrante italiana radicada no Brasil desde os nove anos, Santa Paulina adotou o Brasil como sua pátria. Imigrou junto aos pais, irmãos e outras famílias da região trentina, em 1875, estabelecendo-se na localidade de Vígolo, em Nova Trento, Santa Catarina. Desde pequena ajudava na Paróquia de Nova Trento, especificamente na Capela de Vígolo, como paroquiana engajada na vida pastoral e social. Em 1890 com sua amiga, Virginia Rosa Nicolodi, deu início à Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição. Em 1894 a Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição transferiu-se para a cidade de Nova Trento. Receberam em doação o terreno e a casa de madeira, hoje um centro de encontros. Madre Paulina morreu aos 76 anos, na Casa Geral/SP, em 9 de julho de 1942, com o legado de santidade; pois viveu em grau heroico as virtudes de fé, esperança e caridade. Em 19 de maio de 2002, o Papa João Paulo 2º a canonizou como “Santa Paulina do Coração Agonizante de Jesus”, definindo 9 de julho como dia de sua festa litúrgica.

3


Jornal d o

SANTUÁRIO

A fé é o sentimento que move toda crença e convicção, principalmente no cristianismo. A Igreja Católica por si só é impulsionada e convicta a dar passos rumo ao desconhecido. Para acreditar na ação de Deus é preciso antes ter fé e experienciá-la. Sem a fé é impossível agradar a Deus. Antes de chegar ao Pai, é preciso acreditar primeiro na Sua existência. É pela fé que a confiança é conquistada e a certeza de que uma graça vai acontecer, sem mesmo ter possibilidades de alcançá-la. O Catecismo da Igreja Católica explica que “a fé é a virtude teologal pela qual cremos em Deus e em tudo o que nos disse e revelou, e que a Santa Igreja nos propõe para crer, porque Ele é a própria verdade” (CIC 1814). Foi pela fé que muitos profetas e ungidos do Senhor “conquistaram reinos, praticaram a justiça, viram se realizar as promessas. Taparam bocas de leões” (Hb 11,33). Eles entregaram a sua vida pela fé que possuíam. A convicção de que Deus tinha algo melhor era tanta que os fez buscar cada vez mais o desconhecido de Deus, sem mesmo saber ao certo o futuro, mas deixaram-se guiar pela certeza do invisível. A Bíblia Sagrada narra perfeitamente o poder que a fé condicionou a Moisés ao abrir o Mar Vermelho (Ex 15), que fez Noé construir uma arca (Gn 6,14) e que levou Abraão à Terra Prometida (Gn 12). Esses nomes são conhecidos e estão gravados nas Escrituras, mas é de profetas e ungidos assim que Deus tem precisado também nos dias de hoje. Pessoas que se doam pelo Reino, e trabalham duro em pastorais e movimentos pela fé que possuem.

4

Assim como o apóstolo Tomé, que precisou tocar nas chagas de Jesus para acreditar nEle, são vistos fiéis que agem dessa forma. Aqueles que precisam “ver para crer”, ou buscam a Deus somente nos momentos difíceis da vida. O Senhor deixou bem claro para Tomé: “Creste, porque me viste. Felizes aqueles que creem sem ter visto!” (Jo 20,29). E deixa o recado também hoje para toda a Igreja Católica, principalmente nesse período de férias a qual se ausentam algumas pessoas: façam deste momento um tempo de renovação com Deus, e não sem Ele. Muito mais do que viver um momento de descanso, Deus quer edificar os Seus filhos, quer um exército renovado, pois o Espírito Santo está sempre em movimento, não se pode perder a graça. Outra procedência da fé é a evangelização. Da mesma forma como os discípulos em Pentecostes receberam o Espírito Santo em oração, a fé deles era tão grande que os levou a evangelizar por todos os cantos. Segundo a Bíblia, eles saíram pelas ruas de Jerusalém, e Pedro cheio da graça e do conhecimento de Deus pregou aos que estavam ali: “os que receberam a sua palavra foram batizados. E naquele dia elevou-se a mais ou menos três mil o número dos adeptos” (At 2,41). Mais de três mil pessoas convertidas pela fé de Pedro e dos outros apóstolos, não há outra explicação que não seja pela fé que possuíam em seu coração. E mais uma vez, Deus convoca o Seu povo joinvilense, convoca o Santuário Sagrado Coração de Jesus a levar o Seu nome, por meio da evangelização, a obra concreta da fé, pois “a fé sem obras é morta” (Tg 2,17).

www.santuarioscj.com.br


Jornal d o

SANTUÁRIO

No conceito religioso, a fé é uma virtude dos que aceitam como verdade absoluta os princípios de determinada crença ou religião. A fé católica, por exemplo, é constituída de três pilares sólidos, ou seja, três verdades que a Igreja apresenta como orientação para a religião apostólica romana: a Sagrada Escritura, Sagrada Tradição e o Sagrado Magistério. Nenhum dos pilares é usado em contrariedade com os outros, pelo contrário, antes de ser promulgado uma doutrina há de ter uma sintonia entre elas, essa é a coerência dos fundamentos católicos. Confira:

Sagradas Escrituras: as Sagradas Escrituras perduram durante milênios. São 73 livros que narram a aliança e o plano de salvação de Deus para com a humanidade. Ela possui escritos feitos por apóstolos, profetas e salmistas, que foram unidos e hoje é conhecida como Bíblia Sagrada. A Bíblia é o pilar da revelação de Deus para com Seu povo, pois é o único documento que pode ser usado como fonte histórica da vida do Senhor e da Igreja. É através da Palavra de Deus que são confirmadas as doutrinas católicas, como o Batismo, a Confirmação, a Eucaristia, a divindade de Cristo e a intercessão dos santos.

Sagrada Tradição: a tradição é um pilar de grande referência para os católicos,

pois traz experiências de fé que completam a Bíblia, por costumes escritos pelos primeiros cristãos. “A Tradição de que falamos aqui é a que vem dos Apóstolos. Ela transmite o que estes receberam do ensino e do exemplo de Jesus e aprenderam pelo Espírito Santo. De fato, a primeira geração de cristãos ainda não tinha um Novo Testamento escrito, e o próprio Novo Testamento testemunha o processo da Tradição Viva” (CIC 83). A constituição dogmática Dei Verbum afirma: “foi a Tradição Apostólica que levou a Igreja a discernir quais os escritos que deveriam ser enumerados na lista dos Livros Sagrados” (8).

Sagrado Magistério:

neste pilar a autoridade é conferida aos apóstolos e ao primado Petrino, oriundo do apóstolo Pedro, em que Jesus declarou a ele: “tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja; as portas do inferno não prevalecerão contra ela” (Mt 16,18). Nisto teve origem o primeiro papa e por meio dele foram promulgados os dogmas da Igreja, que totalizam 43, divididos em oito categorias: sobre Deus, Jesus, a Criação, o ser humano, dogmas marianos, sobre o papa e a Igreja, sobre os sacramentos e por último, o dogma sobre as últimas coisas (morte, céu, inferno, Juízo Final).

www.santuarioscj.com.br

5


Jornal d o

SANTUÁRIO

Santuário VOCAÇÃO

Por Pe. Sérgio da Costa, scj

Ano da Vida Consagrada Em 30 de novembro de 2014, iniciou o Ano da Vida Consagrada que deve se estender até 2 de fevereiro de 2016, na festa da Apresentação do Senhor. O papa Francisco dirige uma carta aos consagrados e consagradas intitulada Alegrai-vos: “Queria dizer-vos uma palavra, e a palavra é alegria. Onde quer que haja consagrados, aí está a alegria!” Nesta carta, o papa aponta três objetivos importantes para os consagrados na realização de sua vocação: “Olhar para o passado com gratidão”, sem medo de viver e não perder a identidade do chamado, mesmo diante da incoerência, resultado da fraqueza humana. A alegria deve nos afastar do medo e tirar toda nossa tristeza. “Abraçar o futuro com esperança”, mesmo diante das incertezas e dificuldades atuais dos institutos, principalmente na Europa. “Viver o presente com paixão”. “Uma paixão de enamoramento, de verdadeira amizade, de comunhão; uma paixão por evangelizar a própria vocação e testemunhar a beleza do seguimento de Cristo; uma paixão para despertar o mundo com testemunho profético, em presenças significantes nas periferias geográficas e existenciais da pobreza.” O papa ainda apresenta uma série de iniciativas, e nos diz: “Desejamos que todas as iniciativas deste Ano da Vida Consagrada sejam assumidas com interioridade na santidade, com coerência na vida comunitária, com testemunho na missão. O encanto, a alegria e o entusiasmo no seguimento de Cristo, assumidos por todos os consagrados e consagradas na sua existência como discípulos missionários e por todas as formas de vida consagrada, constituirão certamente fermento e atração de novas vocações à Vida Consagrada.” Como Igreja e povo de Deus, não deixemos de rezar pelas vocações e que nossos jovens possam se encantar coma vida consagrada. Amém!

12 PROMESSAS Adaptado de: As 12 promessas do Coração de Jesus, Pe. Joãozinho, scj

7ª promessa do Sagrado Coração de Jesus: “As almas tíbias tornar-se-ão fervorosas pela prática dessa devoção”

Tibieza... Esta palavra já caiu quase em desuso. Mas, infelizmente, o que ela significa está muito presente no meio de nós. É uma frieza espiritual, uma falta de motivações mais profundas, um desinteresse pelas coisas do alto. Ao contrário do que normalmente se pensa, o “tíbio” pode ser um cristão praticante. Vai à missa, reza, comunga, mas é tíbio porque não sente o sabor do Pão da Vida. Não sente o afeto de Deus. Está frio. Existem muitos motivos para se cair na tibieza. Um deles é viver constantemente na beira do abismo. Existem pessoas que fazem a seguinte pergunta: “Até onde posso pecar levemente, sem o risco de ir para o inferno?” De pecadinho em pecadinho vamos cavando nossa própria sepultura. É claro que existem os pecados veniais e os pecados mortais. Os veniais seriam buracos na estrada que me leva para a cidade no alto da serra. Os mortais seriam a queda de uma barreira que impede totalmente a passagem. Mas se deixarmos a estrada sem reparos, a chuva vai acabar aumentando o tamanho dos buracos e um dia acabamos sendo surpreendidos por aquela placa indesejada: trânsito impedido! O fervor espiritual é para quem se exercita na graça de Deus. O Coração de Jesus é uma “fornalha ardente de caridade” e de misericórdia. Na confissão, Deus repara nossos caminhos e nos faz andar com mais determinação, alegria e consolo. Não vamos esquecer que, depois do perdão a seu filho pródigo, o pai não economizou na festa. E havia música e danças. O céu deve ser um “lugar” bastante animado.

6

www.santuarioscj.com.br


Jornal d o

SANTUÁRIO

Espiritualidade FORMAÇÃO

Por Arthur Garcia Bartsch

A apologética católica A teologia fundamental, ou apologética, é a parte da teologia dedicada à justificação da fé cristã. De forma semelhante à filosofia, a teologia procura dar um sentido à realidade como um todo, diferentemente de outras ciências que procuram entender apenas partes da realidade. Contudo, diversamente da filosofia, que se fundamenta unicamente na razão, a teologia está embasada na razão e na fé. Assim, a teologia fundamental procura expor a razão de ser da fé e, pelos argumentos puramente racionais, defender a fé cristã. A necessidade da existência desse ramo da teologia surgiu ao longo dos séculos. Por inúmeras vezes, diversas correntes de pensamento procuraram negar ou distorcer a fé. Com isso, em resposta a esses desvios, surgiram grandes pensadores que apresentaram a resposta católica a essas doutrinas errôneas. A própria Igreja entende-se como única depositária fiel da fé cristã, de modo que, qualquer outro pensamento em desacordo dessa fé é considerado erro. O próprio São Paulo advertira os gálatas: “De fato, não há dois evangelhos: há apenas pessoas que semeiam a confusão entre vós e querem perturbar o Evangelho de Cristo. Mas, ainda que alguém - nós ou um anjo baixado do céu - vos anunciasse um evangelho diferente do que vos temos anunciado, que ele seja excomungado” (Gálatas 1, 7-9). Entre os grandes apologetas, encontram-se “os padres da Igreja” que defenderam a fé contra as inúmeras heresias dos primeiros séculos. Esses pensadores desenvolveram profundamente a apologética na defesa sistematizada da fé cristã, sua origem, credibilidade, autenticidade e superioridade em relação às demais religiões pagãs.

compromisso

Assim, esses padres mostravam, usando a filosofia, que o cristianismo é a religião mais coerente com o raciocínio correto. Em todas as épocas, aliás, pode-se dizer que a Igreja teve grandes apologetas, porque sempre surgiram heresias e religiões combatendo a fé católica. Na Idade Média, entre os grandes defensores da fé católica encontram-se Santo Tomás de Aquino, Santo Anselmo, São Bernardo, São Domingos de Gusmão, Santo Alberto Magno e São Boaventura. Na Idade Moderna, listam-se ainda grandes doutores da Igreja, como São Francisco de Sales, Santa Teresa de Ávila e São João da Cruz. Nos últimos tempos, outros grandes apologetas surgiram como São Pio 10, G. K. Chesterton e o próprio papa emérito Bento 16. A apologética é importante em todos os tempos. Ainda mais, com o constante surgimento de inúmeras seitas que arrastam muitas pessoas ingênuas, que não pedem as “credenciais” dos seus fundadores e das suas doutrinas. A maioria dessas seitas conquistam seus adeptos por métodos sentimentalistas ou até mesmo fraudes, sem fundamentação teológica convincente. Não é objetivo, nem método da apologética atacar as outras religiões não católicas, nem mesmo discriminar as pessoas em crenças diversas. O seu objetivo é apresentar os fortes argumentos da revelação divina e da razão, em defesa da fé católica. Trata-se de convencer pela argumentação e não pela imposição da fé. Em um mundo que busca desvirtuar o conceito de família e desvalorizar o valor da vida, que todo cristão sempre leve consigo o pedido que o primeiro papa nos deixou, em defesa da fé: “Que estejais sempre prontos para dar razão da vossa esperança diante daqueles que vos pedem contas” (1Pedro 3,15). *Adaptado de AQUINO, F. Qual a importância da apologética? Disponível em: http://blog.cancaonova.com/felipeaquino/2015/06/01/qual-a-importancia-da-apologetica/ Acesso em 18/06/2015.

Por Marco Aurélio Farias

Padrinhos: modelos no caminho da fé Nos ensina o Catecismo da Igreja Católica que “o Batismo é o sacramento da fé” (CIC 1253). Nesta fé, papel fundamental tem os pais e padrinhos: “para que a graça batismal possa desenvolver-se, é importante a ajuda dos pais. Esse é também o papel do padrinho ou da madrinha, que devem ser pessoas de fé sólida, capazes e preparados para ajudar o novo batizado, criança ou adulto, no seu caminho de vida cristã” (CIC 1254). Assim, a função principal dos padrinhos é ajudar os pais na formação cristã dos filhos. Portanto, na hora de escolher os padrinhos não se deve ter em conta apenas a amizade, mas também, e principalmente, o amor e o respeito por Deus e pela Igreja Católica, uma vez que estes darão testemunho desta fé perante o afilhado. Por isso, a Igreja pede que o padrinho e a madrinha estejam em situação regular quanto aos sacramentos: já tenha recebido o sacramento da Confirmação (Crisma) e tratandose de um casal, ter recebido o sacramento do Matrimônio. Ser convidado como padrinho de Batismo é uma grande honra, mas também uma grande responsabilidade, pois os padrinhos recebem a missão de manter acesa a luz que guiará seu afilhado pelos caminhos, muitas vezes escuros, de sua vida. Vale lembrar, que os pais e padrinhos precisam receber a preparação para o sacramento, através do Curso de Pais e Padrinhos.

www.santuarioscj.com.br

7


Profile for Agência Arcanjo

Jornal do Santuário - Edição Julho de 2015  

Jornal do Santuário - Edição Julho de 2015  

Advertisement