__MAIN_TEXT__

Page 1

Jornal do

SANTU SANT UÁRIO

www. santuarioscj.com.br

Joinville, 01 de Janeiro de 2013 | Ano 01 | N° 01

01


Jornal d o

SANTUÁRIO

Opinião CELEBRAÇÕES NO SANTUário

MENSAGEM DO PÁROCO • Segunda-feira - 19h30 (pelos falecidos) • Terça-feira - 16h (pelas intenções da rádio e internet) e 19h30 • Quarta-feira - 19h30 (pelas famílias) • Quinta-feira - 7h, 16h (pelos enfermos) e 19h30 • Sexta-feira - 7h, 12h30 e 19h30 • Sábado - 7h e 19h • Domingo - 6h30, 8h, 9h30, 11h30, 17h e 19h

INFORMAÇÕES importantes • 1ª sexta-feira do mês Missa às 7h, 12h30, 16h, 19h30 e 23h • Adoração ao Santíssimo Sacramento Toda quinta-feira - das 8h às 19h30 • Missa com tradução em Libras 4° domingo do mês - 19h • Missa dos Grupos Bíblicos de Reflexão 2ª terça-feira do mês - 19h30 • Bênção de objetos Após as missas da 1ª sexta-feira do mês e no expediente paroquial • Confissão Terça a quinta-feira - 8h30 às 11h | 14h30 às 17h Sexta-feira - 7h às 11h30 e das 12h30 às 19h30 Sábado - 8h30 às 11h

Por padre Sildo César da Costa

Queridos irmãos e devotos do Sagrado Coração de Jesus: neste mês de setembro, queremos nos debruçar na leitura da Palavra de Deus. “Deus Se dá a conhecer no diálogo que deseja ter conosco” (cf. Verbum Domini, 6). A Palavra de Deus nos faz conhecê-Lo melhor. Cada vez mais vejo o interesse das pessoas em aprender sobre as coisas dEle. A Bíblia é o caminho certo desta compreensão. “Assim como a chuva e a neve descem do céu para regar e fazer germinar a terra, também a Palavra de Deus não volta sem ter produzido o seu efeito, sem ter executado a vontade de Deus e cumprido a missão” (cf. Is 55,10-11). A Palavra de Deus entra na vida do homem o fazendo produzir algo bom, de transformação, conversão, um olhar diferente da realidade. A Palavra nos envolve, nos atrai a Deus. Não há como aprender as coisas de Deus pela Palavra sem se envolver com a missão. São Paulo, pela sua experiência, nos ensina: “Ai de mim se não evangelizar” (1Cor 9,16). A essência da vida da Igreja é missionária. “Não podemos guardar para nós as palavras de vida eterna que recebemos no encontro com Jesus Cristo: são para todos, para cada homem” (Verbum Domini, 91). É necessário ter o gosto pela Palavra de Deus. Temos que cada dia ler e reler um trecho da Bíblia, aprofundar-nos no conhecimento da realidade e época, trazer para o nosso tempo, contemplar o mistério do amor de Deus por nós na Palavra e fazer da leitura uma oração. Na caminhada da Igreja, chamamos isto de leitura orante. O escritor Bruno Secondin afirma em seu livro “Leitura Orante da Palavra”: “A leitura orante da Palavra é proposta em quatro fases ou etapas: leitura, meditação, oração e contemplação. Pode-se dizer que a leitura leva o alimento sólido à boca, a meditação o mastiga e tritura, a oração sente-lhe o sabor e a contemplação é a doçura mesma que desperta a alegria e refaz as forças. A leitura permanece na casca; a meditação penetra o miolo; a oração se lança na busca despertada pelo desejo e a contemplação repousa no gozo da doçura alcançada”. Ter o gosto, o sabor de sentir a Palavra de Deus em nossa vida. Precisamos rezar com a Palavra. O conhecimento brota de uma busca, de uma experiência de Deus. A Sagrada Escritura se torna vida quando dela transformamos em vida a nossa vida. Uma das formas de buscar ouvir e aprofundar a Palavra de Deus é por meio dos Grupos Bíblicos de Reflexão. São pequenos grupos que se formam para meditar e partilhar sua experiência de fé com os irmãos. Grupo Bíblico de Reflexão é uma rede de comunidades. Se a sua rua não possui um Grupo Bíblico de Reflexão, que tal começar? Venha até o Santuário e deixe o seu contato, e as pessoas encarregadas irão conversar com você e iniciar o projeto de implantação em sua rua. Que Deus nos abençoe! Seja amado por toda a parte: o Sagrado Coração de Jesus!

hORÁRIOS DAS RÁDIOS Rádio Clube (AM 1590) Segunda a sexta 7h55 - Nos Caminhos da Palavra 11h55 - O Pão da Palavra Domingo 20h30 - A Voz do Santuário

CRONOGRAMA MENSAL Encontro MEJ Local: Salão antigo Data: 6 de setembro Horário: 15h30

Encontro de NAMORADOS Local: Auditório Data: 27 de setembro Horário: 13h30

Jantar dançante ECC Local: Sociedade Glória Data: 19 de setembro Horário: 19h

Inscrições para casamento 2015 Local: Secretaria Data: 1º de outubro Horário: 8h

Rádio Difusora Arca da Aliança (AM 1480) Domingo 8h - Transmissão da missa 1ª sexta-feira do mês 15h45 - Bênção das casas 16h - Transmissão da missa Rádio Cultura (AM 1250) 1ª semana do mês (segunda a sexta-feira) 10h - Refletindo a Palavra

2

www.santuarioscj.com.br


Jornal d o

SANTUÁRIO

Geral Por Marco Farias

Casal celebra bodas de diamante durante Semana da Família

Foto: Jacqueline Freudenborg

O Santuário realizou, como parte da programação da Semana da Família, a renovação das promessas matrimoniais e a bênção dos casais jubilares. Na ocasião, diversos casais que completam 25, 50 ou 60 anos de vida matrimonial em 2014 participaram da celebração. Entre eles estão Miguel e Genoveva Borderes que conseguiram vencer as diferenças e permaneceram unidos por décadas. Ele com 84 e ela com 80 anos, celebram no próximo dia 25 de setembro 60 anos de vida em comum. Foi na cidade onde nasceram – Luís Alves (SC) – que Miguel e Genoveva se conheceram e decidiram pelo sacramento. Genoveva ainda recorda de como conheceu Miguel: “Éramos vizinhos e íamos à mesma igreja”. Os frutos da união foram cinco filhos, 15 netos e sete bisnetos. “No início, não foi fácil. Trabalhávamos muito para enfrentar as dificuldades”, relembra Miguel, “mas hoje vivemos no paraíso”. E o segredo para uma união tão duradoura? Miguel compara o amor a uma flor, que necessita ser regada regularmente para se manter viva.

SANTO DO MÊS

São Gregório Magno

Nascido em 540, numa família tradicional romana, Gregório registrou de maneira aplausível sua passagem na história da Igreja, deixando importantíssimas realizações, como a instituição da observância do celibato, a introdução do Pai-Nosso na missa e o famoso “canto gregoriano”. Sua vocação surgiu ainda na infância, sendo educado num ambiente muito religioso. Sua mãe e duas de suas tias foram responsáveis por sua formação cultural. Após se tornar prefeito, construiu e participou de um convento para os monges beneditinos, e foi ali que iniciou sua vida vocacional como monge. Tempos depois, papa Pelágio morreu, e Gregório foi eleito seu sucessor. No início, resistiu ao cargo por conta de sua saúde, mas depois deu seu sim. Seu pontificado entrou para a história da Igreja. Ele morreu em 604 e foi sepultado na basílica de São Pedro. Os registros mostram que, durante o funeral, o povo já o aclamava como santo papa Gregório Magno, honrado com o título de doutor da Igreja.

www.santuarioscj.com.br

CIDADANIA

Por Jouber Castro

Eleições 2014

Seu voto: prova de confiança e compromisso cristão O mês de outubro reserva aos brasileiros uma nova oportunidade de transformação do país por meio do exercício democrático do voto. Mais que uma ação de cidadão, votar é um encontro cristão com o desejo de construir um mundo mais fraterno. Em Lucas 22,25-27, Jesus resume a atitude ideal de um representante do povo: “E Jesus disse-lhes: os reis dos pagãos dominam como senhores, e os que exercem sobre eles autoridade chamam-se benfeitores. Que não seja assim entre vós; mas o que entre vós é o maior, torne-se como o último; e o que governa seja como o servo. Pois qual é o maior: o que está sentado à mesa ou o que serve? Não é aquele que está sentado à mesa? Todavia, eu estou no meio de vós, como aquele que serve”. A eleição é um dever social com o mandamento de amor ao próximo por meio do serviço, entrega pessoal em favor da vida pública. Ato de extrema responsabilidade para quem se candidata, assumindo um compromisso coletivo de converter palavras em obras, e para quem vota, depositando sua confiança e esperança nas mãos de alguém que se julga competente e capacitado. Mesmo após a urna, não esqueça de acompanhar e fiscalizar, como bom cristão e cidadão.

Santuário participa do Encontro Nacional da Pascom Os comunicadores Marco Farias e Rayana Borba, do Santuário Sagrado Coração de Jesus, integraram-se às diretrizes da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) ao participar do Encontro Nacional da Pastoral da Comunicação e do Seminário Nacional de Jovens Comunicadores. O evento aconteceu em julho, no Santuário Nacional de Aparecida, e teve como temática “Comunicação, desafios e possibilidade para evangelizar na era digital”. O evento teve caráter formativo e contou com palestras de especialistas como Pe. Antônio Spadaro, Leticia Soberon e Cristiane Monteiro, membros do Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais do Vaticano. “Fomos convidados a participar do plano de salvação ao comunicar a mensagem de Jesus Cristo para toda criatura”, destaca Rayana que, durante o Encontro, contou sua experiência como comunicadora católica em ambiente corporativo.

Foto: A12

JUBILEU

3


Jornal d o

SANTUÁRIO

No Brasil, o mês de setembro tem uma grande importância para a Igreja Católica, pois é considerado o “mês da Bíblia”. Isso se dá por conta de São Jerônimo, lembrado em 30 de setembro, por ser o revisor das bíblias latino-americanas. Seu trabalho repercutiu muito naquele tempo e tem suas raízes até os dias atuais, pois muitos sacerdotes, bispos e leigos brasileiros puderam ler e interpretar a Palavra por meio da tradução de Jerônimo. A Bíblia tem suas origens há muito tempo, antes mesmo do nascimento de Jesus. Alguns pesquisadores indicam que ela tenha surgido entre 1200 a.C. a 100 d.C., é mais ou menos a estimativa que se chega segundo os fatos que a Sagrada Escritura revela em seu conteúdo. A formação do Antigo Testamento conta com muitas histórias e fatos, desde a criação do mundo e das coisas até os profetas de Deus. Para entender melhor o nascimento da Bíblia, é necessário compreender os patriarcas da Palavra, como Abraão, Isaac e Jacó. Nesse contexto, o povo da Bíblia, que era fiel a Deus, denominava-se filhos descendentes de Israel (israelitas). Israel foi neto de Abraão, o patriarca por excelência. Então, a Bíblia surge quando os israelitas são libertos por Moisés e pela ação de Deus, Javé, como era chamado. A partir daí, Deus ficou conhecido como o único, pois naquele tempo os povos tinham muitos deuses. A partir de então se começou a formar o Antigo Testamento. O Novo Testamento começou a ser constituído pelos testemunhos deixados por Jesus de Nazaré e Seus apóstolos, entre outros profetas, sábios e documentos que a Igreja dos primeiros séculos, guiada pelo Espírito Santo, reteve como referência fundamental da revelação de Deus. Jesus e Seus discípulos, tinham como escrituras o Antigo Testamento,

4

mas eram livros, que de forma separada, constituíam esses escritos. No século 4, a Igreja se reuniu em Niceia para formar o cânon da Bíblia. O cânon foi a junção de todos os livros bíblicos, que segundo o Catecismo da Igreja Católica, “deviam ser enumerados como lista dos Livros Sagrados. Esta lista completa é denominada ‘cânon’ das Escrituras. Ela comporta 46 escritos para o Antigo Testamento e 27 para o Novo Testamento” (CIC 210), completando 73 escritos. Atravessando uma vasta história de milhares de anos, a Bíblia está firmada até os dias atuais, e hoje é um dos livros mais conhecidos no mundo. Ela se tornou o livro de mais credibilidade e confiança dos religiosos no cristianismo. A Sagrada Escritura é tão atual que seus escritos podem ser comprovados ainda em 2014. O livro do Apocalipse escrito por João, fiel discípulo de Jesus, por exemplo, é um livro profético que não foi escrito para ser uma especulação futurológica, mas a esperança e resistência para a atualidade dos fiéis. É como afirma Pe. Kleber, scj: “A Palavra é viva e está no meio de nós, nos acontecimentos, na vida das pessoas, em tudo que fazemos, sentimos ou pensamos. As histórias ali narradas são as nossas histórias, o rosto das famílias apresentados é também o rosto da nossa família. Por isso ela é viva, ou melhor é a nossa vida. Ela só pode produzir seu efeito se aceita e vivida por nós”, enfatiza. Que neste mês da Bíblia todos possam ver e conhecer a Escritura em que depositam sua fé, como forma de informação, esperança e confiança naquEle que deu vida a tudo que existe. Que todos possam ser como o apóstolo Paulo, um grande profeta de Deus, com fogo no coração, palavra sobre os lábios e profecia no olhar.

www.santuarioscj.com.br


Jornal d o

SANTUĂ RIO

www.santuarioscj.com.br

5


Jornal d o

SANTUÁRIO

Santuário SERVIR

Por Simone Thomas

Dízimo: sinal de gratidão a Deus

INVESTIMENTOS

Foto: Jacqueline Freudenborg

As lideranças do Santuário Sagrado Coração de Jesus participaram de formação sobre o dízimo. A palestra foi conduzida por Marlos de Oliveira, que nos recordou da escolha de Deus por nós, nos chamando à vida e fazermos parte do Seu projeto desde o ventre de nossa mãe. “Somos criação de Deus realizada em Cristo Jesus para fazermos boas obras, as quais Deus preparou antes para nós a praticarmos” (Ef 2,10). Servir a Deus e a Igreja não é uma opção. Faz parte do projeto de Deus para nossa vida. E este servir também engloba a ajuda material das necessidades da Igreja, que se dá com o dízimo. O dízimo é a parte que pertence a Deus, é propriedade do Senhor. O Catecismo da Igreja e a Sagrada Escritura nos colocam a necessidade de contribuir conforme a nossa própria possibilidade, “cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria” (2 Cor 9,7). O dízimo é feito mensalmente enquanto a oferta é semanal. Sou eu quem faço e ofereço daquilo que é meu. Em todas as missas em que participo devo fazer o meu ofertório, oferecendo a vida, os frutos do trabalho, a família, a cruz de cada dia e também minha oferta material à comunidade, por menor que seja. Ser cristão é ser dizimista, pois além de devolver o que é de Deus, é com ele que a nossa Igreja consegue manter suas estruturas físicas, investir em formação para os leigos, preparar os sacerdotes e diáconos e nos proporcionar um local para as celebrações. Se você ainda não é dizimista, venha fazer esta experiência. O cadastro pode ser feito na Secretaria Paroquial e também pelo telefone: 3455-2204.

Marlos de Oliveira foi palestrante na formação do dízimo para as lideranças no Santuário

Por Marco Farias

6

Em 12 de agosto, celebração de 89 anos da morte de Pe. Dehon, aconteceu a renovação dos votos dos Leigos Dehonianos e a posse da nova coordenação: Simone Medeiros e Joseli Chiodini passam a coordenar o movimento no Santuário.

Foto: Jacqueline Freudenborg

O Santuário está passando por uma série de reformas e melhorias nas áreas interna e externa da igreja e também na estrutura do Centro Paroquial. O projeto contempla a implantação de um sistema de prevenção e combate a incêndios com instalação de hidrantes, para-raios, iluminação e sinalização de emergência. “Ao término das obras, nossa estrutura estará de acordo com as normas vigentes de segurança”, salienta Nicolau Monteiro, presidente do Conselho de Administração e Finanças (CAF) do Santuário. Além das melhorias na segurança, em breve nossos fiéis poderão contar com uma nova capela, localizada no 2º andar do Centro Paroquial. O local está passando por adequações para receber Jesus Eucarístico, e permitirá que nossos paroquianos possam fazer seus momentos de adoração e oração em um ambiente que preze pelo silêncio e acolhida. “Estas melhorias são de extrema importância, pois visam garantir a segurança e o conforto das milhares de pessoas que passam pelo Santuário”, conclui Nicolau. Santuário em obras Acompanhe as melhorias e reformas que serão feitas nas próximas edições do Jornal do Santuário!

Foto: Jacqueline Freudenborg

Aqui está o seu dízimo

Nosso padre internauta completou mais um aniversário no Santuário Sagrado Coração de Jesus. Que o Senhor conceda muitas bênçãos e sabedoria ao sacerdote Kleber. Parabéns!

www.santuarioscj.com.br


Jornal d o

SANTUÁRIO

Espiritualidade SALVAÇÃO

Por Pe. Jairson Hellmann, scj

A cruz de Cristo, nossa vida e ressurreição

A cruz para o cristão não é símbolo de morte, mas de vida. Ela é nossa única esperança. A cruz está sempre presente na vida da Igreja, quer na celebração da Eucaristia, quer no Batismo e demais sacramentos. O sinal da cruz é o indicativo de que a pessoa é cristã e nós o usamos sempre no início da missa. Com esse sinal nós somos abençoados e abençoamos em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Acreditamos que, exaltar a cruz é exaltar a morte de Cristo e proclamar que Ele está vivo e por Seu sacrifício na cruz nos obteve a salvação. A “Exaltação da Santa Cruz” é uma solenidade conhecida desde longa data, desde os primeiros séculos da Igreja, para sermos mais precisos, com uma finalidade bem clara: glorificar a Deus, porque pela cruz de Jesus Cristo, podemos participar da salvação que Ele nos oferece. O motivo da celebração não é, evidentemente, o instrumento de tortura usado pelos romanos até a morte, mas aquilo que diz São Paulo, escrito aos Gálatas 6,14: “a cruz de nosso Senhor Jesus Cristo deve ser a nossa glória: nEle está nossa vida e ressurreição”. Paulo inverte o sentido e a finalidade da cruz, depois que Cristo foi nela torturado e ali morreu. Paulo explica que a cruz deixa de ser instrumento de tortura e de morte e, graças ao amor divino, Deus a torna instru-

PERSEVERANÇA

Por Ivone Moreira

As sete dores de Nossa Senhora O Senhor não nos permite ver as cruzes que nos esperam e as espadas que atravessarão nossos corações. Com Maria, não foi assim. Acompanhemos as sete principais dores que ela sofreu durante sua vida terrena. A profecia de Simeão – Ao apresentar Jesus no templo, Simeão disse a Maria: “...e uma espada transpassará a tua alma...” (Lc 2,35). Desde aquele instante, Maria tinha essa profecia sempre diante dos olhos e padecia. Mas era obediente e confiante em Deus. A fuga para o Egito - Em sonho, um anjo do Senhor disse a José: “Levanta-te, toma o menino e sua mãe e foge para o Egito e fica lá até que eu te avise, porque Herodes vai procurar o menino para matá-lo.” (Mt 2,13). Pobre Mãe! Quanto deve ter sofrido! Mas Maria tinha o amor divino que traz paz e confiança em Deus. A perda do Menino Jesus - Terminada a Festa da Páscoa, o Menino ficou em Jerusalém sem que Seus pais o percebessem. “Três dias depois O acharam no templo, sentado no meio dos doutores, ouvindo-os e interrogando-os” (Lc 2,46). Embora aflita, Maria submeteu seu filho à vontade de Deus.

www.santuarioscj.com.br

mento de salvação ou, como diz Edith Stein, torna-se a porta pelo qual entramos no caminho da salvação apresentado por Jesus. (cf. liturgia.pro.br) Por ter Ele quisto se utilizar da cruz como instrumento para a redenção, tornouse ela, de símbolo de tortura que era, em símbolo de tudo de mais sagrado. Nas catedrais, nas coroas, nas obras mais importantes concebidas pelo homem, aí está a cruz resplandecendo como o estandarte de triunfo do homem-Deus, que atingiu os mais altos píncaros de vitória contra o demônio, o mundo e a carne com sua ignominiosa morte no madeiro (cf. Oliveira, Plinio Corrêa da revista Dr. Plinio, nº 138, setembro de 2009, p. 4). Podemos dizer que três luzes se acendem — vida, libertação e salvação — para compreender o simbolismo da serpente de bronze no livro de Números 21,4-9, como figura da cruz de Cristo no Evangelho de João 3,13-17. No chão de nossa terra, onde vivemos, também vivem serpentes venenosas que ameaçam, atacam e matam vidas humanas pelo pecado. A cura não está na terra, mas no alto, na contemplação divina, que torna a haste com uma serpente da analogia salvadora. Quem contemplá-la, garante Deus, será salvo e terá a vida preservada. Percebendo o risco humano de caminhar em caminhos de morte (pecado), Deus levanta um sinal vivificador capaz de reconduzi-lo à vida. A haste com a serpente é convite à contemplação e orientação existencial para não se caminhar em estradas onde habitam serpentes que matam; convite para levantar a cabeça e contemplar a salvação divina elevada diante de nossos olhos. A cruz, portanto, é fonte de vida, de salvação, da presença divina nos caminhos do mundo. Em todos os tempos, serpentes venenosas do pecado ameaçam vidas humanas nos caminhos do mundo, de onde a necessidade de uma fonte de vida plena, que se encontra na cruz. É nela que nos deparamos com o amor do Pai, que tanto amou o mundo, a ponto de dar Seu Filho para que possamos participar da vida eterna.

O encontro com Jesus no caminho do Calvário - Um dos momentos mais pungentes foi o encontro de Maria com Jesus sob o peso da cruz, no caminho do Calvário. Nesse momento, Jesus fitou os olhos de Sua mãe, fazendo-a compreender a dor de Sua alma. E Maria dobrou-se à vontade do Altíssimo. A morte de Jesus na cruz - “Junto à cruz de Jesus estavam de pé Sua mãe, a irmã de Sua mãe, Maria, mulher de Cléofas, e Maria Madalena“ (Jo 19,25). Maria assistiu à morte de seu Filho, com a alma e o coração transpassados das mais cruéis dores; porém, sem duvidar um só instante, aceitou a vontade de Deus. A descida de Jesus da cruz - Depois da morte de Jesus, dois de Seus discípulos, José e Nicodemus, desceram o Seu corpo da cruz e O colocaram nos braços da aflita mãe. “Tomaram o corpo de Jesus e envolveram-no em panos com os aromas, como os judeus costumam sepultar” (Jo 19,40). Só Deus pôde compreender o martírio dessa hora. O sepultamento de Jesus - Essa foi a última dor de Maria. “No lugar em que Ele foi crucificado, havia um jardim e, no jardim, um sepulcro novo, em que ninguém ainda fora depositado. Foi ali que depositaram Jesus...” (Jo 19,41-42). Maria deu o último adeus ao seu Filho e, com humildade, voltou para casa. Unamo-nos às dores de Maria e peçamos a Deus as forças e graças necessárias para suportarmos, com paciência, todas as dores de nossas vidas.

7


Olá, amiguinho do Santuário! Sou Pedrinho e estou aqui para explicar um pouquinho da importância da Bíblia em nossa vida. Como sabemos, nós, crianças, precisamos aprender a ler a Bíblia e entender as histórias que a Palavra nos conta. Mas, muitas vezes, temos dificuldades para entender o que está escrito, pois a Bíblia traz histórias de milhares de anos atrás. Para ajudar na leitura, tenho uma Bíblia escrita especialmente para crianças que é muito divertida. Os textos são fáceis e ainda têm vários desenhos. Eu já li a história do rei Salomão, aquele homem sábio, também a de Davi, que derrubou um gigante com uma pequena pedra... Meus pais compraram minha Bíblia na Livraria do Santuário. Ali tem vários livros infantis que contam as histórias do Antigo e do Novo Testamento. Tem até um tal de livro sonoro, para aquelas crianças bem pequenininhas que ainda não sabem ler. Aí é só por o CD e ouvir as histórias da Bíblia.

Profile for Agência Arcanjo

Jornal do Santuário - Edição setembro/ 2014  

Jornal do Santuário - Edição setembro/ 2014  

Advertisement