__MAIN_TEXT__

Page 1

Jornal do

SANTU SANT UÁRIO

www. santuarioscj.com.br

Joinville, 01 de Janeiro de 2013 | Ano 01 | N° 01

01


Jornal d o

SANTUÁRIO

Opinião CELEBRAÇÕES NO SANTUário

MENSAGEM DO PÁROCO • Segunda-feira - 19h30 (pelos falecidos) • Terça-feira - 16h (pelas intenções da rádio e internet) e 19h30 • Quarta-feira - 19h30 (pelas famílias) • Quinta-feira - 7h, 16h (pelos enfermos) e 19h30 • Sexta-feira - 7h, 12h30 e 19h30 • Sábado - 7h e 19h • Domingo - 6h30, 8h, 9h30, 11h30, 17h e 19h

INFORMAÇÕES importantes • 1ª sexta-feira do mês Missa às 7h, 12h30, 16h, 19h30 e 23h • Adoração ao Santíssimo Sacramento Toda quinta-feira - das 8h às 19h30 • Missa com tradução em Libras 4° domingo do mês - 19h • Missa dos Grupos Bíblicos de Reflexão 2ª terça-feira do mês - 19h30 • Bênção de objetos Após as missas da 1ª sexta-feira do mês e no expediente paroquial • Confissão Terça a quinta-feira - 8h30 às 11h | 14h30 às 17h Sexta-feira - 7h às 11h30 e das 12h30 às 19h30 Sábado - 8h30 às 11h

hORÁRIOS DAS RÁDIOS Rádio Clube (AM 1590) Segunda a sexta 7h55 - Nos Caminhos da Palavra 11h55 - O Pão da Palavra Domingo 20h30 - A Voz do Santuário

Por padre Sildo César da Costa

Queridos paroquianos e devotos do Sagrado Coração de Jesus: quero lembrá-los que neste mês recordamos as vocações. Agosto nos aproxima dos padres, das famílias, da vida religiosa e de todos os cristãos engajados nos ministérios da Igreja. É tempo de oração, meditação e reflexão sobre cada uma das vocações. Deus nos chama. A iniciativa é dEle. Temos de dar uma resposta ao Seu chamado. Saber responder com sinceridade de coração e não olhar para trás. Uma vocação certa é aquela em que a pessoa se realiza e se sente feliz. A vida tem sentido, do contrário tudo se torna um peso, nada está bom, tudo é péssimo. Acolher o chamado de Deus na minha vida é assumir no meu sim as alegrias e tristezas, vitórias e derrotas. Viver a vocação em qualquer circunstância da vida. Um sacerdote será realizado quando exercer sua vocação em uma realidade que oferece todas as condições para a evangelização e o seu bem-estar, como também em uma realidade sofrida onde a precariedade das coisas faz-se abrir ao sacrifício. Assim também na vida matrimonial: quando casamos, somos jovens, com saúde, com inspirações, projetos e sonhos; o tempo passa e vem a fragilidade humana, a doença, os problemas financeiros, a rotina, a dificuldade de educar o filho, e nós temos que continuar a dizer o nosso sim a Deus. Na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, todos os dias da nossa vida. Gostaria de unir algo que perpassa todas as vocações (sacerdotais, religiosas, matrimonial, missionária): a vida comunitária. Nossa Diocese, neste ano de 2014, vive o “Ano da Comunidade”. “Nós somos muitos, mas formamos um só corpo em Cristo” (Rm 12,5). Quando falamos em comunidade, pensamos num viver juntos, caminhar juntos, partilhar juntos, rezar juntos. Uma caminhada solitária perde o sentido do ser. A vocação tem a dimensão comunitária. Mesmo aqueles que optaram pela vida de solteiro perpassam neste chamado a dimensão do servir e estar junto com a comunidade. A vocação gera comunhão. Todos nós que aceitamos o chamado de Deus somos levados a viver uma vida comunitária. Quando uma família não reparte, não partilha, cada um vive para si, perde-se o sentido de ser família. Quando o esposo não sente a dor da doença de sua esposa, não sofre junto e não a ajuda a carregar a cruz, isto significa que não assumiu ou não compreendeu a sua vocação. O sacerdote, o religioso, missionário, será muito mais realizado quando viver o ser comunidade. Nosso fundador, Pe. Dehon, pedia aos seus religiosos que estivessem no meio do povo. Juntos somos mais irmãos, família, comunidade, filhos de Deus. Celebremos neste mês de agosto a graça das vocações como um sinal das bênçãos de Deus. Seja amado por toda a parte: o Sagrado Coração de Jesus!

CRONOGRAMA MENSAL Café dos ministros – Dia dos pais Local: Galpão Data: 9 de agosto Horário: 8h

Formação de Catequistas Local: CDP Mitra Data: 20 de agosto Horário: 19h30

Encerramento semana da família – Comarca sul Local: Igreja Data: 17 de agosto Horário: 19h

Curso de Noivos Local: Auditório Data: 23 de agosto Horário: 8h

Rádio Difusora Arca da Aliança (AM 1480) Domingo 8h - Transmissão da missa 1ª sexta-feira do mês 15h45 - Bênção das casas 16h - Transmissão da missa Rádio Cultura (AM 1250) 1ª semana do mês (segunda a sexta-feira) 10h - Refletindo a Palavra

2

www.santuarioscj.com.br


Jornal d o

SANTUÁRIO

Geral ARTiGO DO MÊS

Por Andressa da Silva

Foto: Jacqueline Freudenborg

Coroinhas do Coração de Jesus

Andressa foi presenteada com uma imagem do Sagrado Coração de Jesus em sua despedida como coroinha

Há sete anos, fui convidada a participar da equipe de coroinhas do Santuário Sagrado Coração de Jesus. Desde pequena, acompanhei meus pais nas missas, o que me levou a perceber que meu sonho era ser coroinha. Muitas vezes, ia à igreja e ficava apreciando aquele ato de servir, e a missa foi se tornando cada vez mais especial. Em 2008, após ter feito minha primeira eucaristia, entrei no grupo da Perseverança. Era tudo maravilhoso, pessoas acolhedoras que me recebiam de um modo companheiro. Nunca me esquecerei da primeira catequista nesse grupo, a irmã Maysa. Anos passaram, tivemos diversas catequistas. Por um tempo, tivemos uma decaída, na qual perdemos muitos coroinhas, mas nunca desistimos. Fazer parte dos coroinhas do Sagrado Coração de Jesus, digo

com certeza absoluta, foi a melhor escolha que fiz. Participei com muita alegria, carinho, respeito e dedicação durante seis anos, sendo que em 29 de junho servi em minha última missa. Foram muitas lágrimas que caíram no dia, na certeza de que tudo havia valido a pena. Agradeço a Deus por me colocar em Seu caminho e também pelas palavras, gestos e atitudes. Tenham em mente que ser coroinha não é apenas o ato de servir no altar, e sim de estar em um lugar sagrado, mais próximo de Deus. Sirva com vontade e não por obrigação. Venha participar você também do nosso grupo e veja como é bom estar próximo de Deus. O encontro dos coroinhas acontece todo sábado, das 9h30 às 11h30. Podem participar crianças e adolescentes que já tenham recebido o sacramento da 1ª Eucarística, ou que ainda esteja se preparando para recebê-la. A idade limite é 16 anos. Ao término da Crisma, para participar é necessário fazer as formações que ocorrem duas vezes ao ano, uma em cada semestre. Em 2 de agosto, tem início uma nova turma. Os interessados podem entrar em contato com a coordenação. Ruan Bertoli: 9658-7556 – bertoli.ruan@gmail.com Cicelly T. Bertoli: 9648-9385 – cicy.truppel@gmail.com

www.santuarioscj.com.br

Por Jackson Medeiros

Pai: porto seguro quando criança e respeito quando adulto “Honra teu pai e tua mãe, para que teus dias se prolonguem sobre a terra que te dá o Senhor, teu Deus” (Êxodo 20,12). A palavra grega para honra significa reverenciar, estimar e valorizar. O mandamento de honrar pai e mãe é demonstrado por palavras e ações que surgem de uma atitude interior de estima e respeito pela posição que ocupam. O quarto mandamento indica a obra da caridade. Deus quis, depois dEle mesmo, que honrássemos nossos pais, a quem devemos nossa vida e que nos transmitiram o conhecimento de Deus. Ele os revestiu de Sua autoridade. Esse mandamento é dirigido aos filhos em relação aos pais porque é a relação mais universal. A observância deste mandamento nos faz alcançar, junto com os frutos espirituais, frutos temporais de paz e prosperidade. Ao contrário, sua não observância traz grandes danos às comunidades e às pessoas individualmente. Hoje também sou pai de três filhos e passo a eles o mesmo ensinamento que recebo de meu pai, Moacir Medeiros. Lembro que ele sempre nos incentivou a participar dos eventos de nossa comunidade. Agradeço o incentivo que tive quando criança para frequentar a igreja. Hoje posso dizer ao meu pai que sou muito grato por sua influência com os filhos, pois também trabalho para Deus em minha comunidade. A música foi o que nos embalou e é o que nos reúne desde pequenos: pais, filhos e netos. Tudo que sou, devo ao Jackson com seu pai Moacir (direita)pai e seus filhos Guilherme, Natália e Patrícia pai que tenho. Feliz Dia dos Pais a todos os pais!

SANTO DO MÊS

Santa Clara de Assis

Clara nasceu em Assis, em 1193, numa família da nobreza italiana. Porém, o que a menina mais queria era seguir os ensinamentos de Francisco de Assis. Aliás, foi Clara a primeira mulher da Igreja a se entusiasmar com o ideal franciscano, mesmo sua família não concordando. Aos 19 anos de idade, fugiu de casa e se apresentou na igreja de Santa Maria dos Anjos, onde era aguardada por Francisco e seus frades. Ele, então, cortou-lhe o cabelo, pediu que vestisse um modesto hábito de lã e pronunciasse os votos perpétuos de pobreza, castidade e obediência. Em 1226, Francisco de Assis morreu e Clara teve visões dele e os ritos das solenidades do seu funeral que estavam acontecendo na igreja. Por essas visões, que pareciam filmes projetados numa tela, Santa Clara é considerada padroeira da televisão e de todos os seus profissionais. Dois anos após sua morte, o papa Alexandre 4º a proclamou Santa Clara de Assis.

3

Foto: Jacqueline Freudenborg

SERviR


Jornal d o

SANTUÁRIO

Em agosto, a Igreja celebra o mês vocacional, um tempo de reflexão sobre qual vocação discernir, seja escolher construir uma família, doar inteiramente a vida para Deus ou se entregar à missão ministerial, que são compromissos sérios e pelos quais se precisa zelar. Em meio a tantas escolhas, uma vocação que merece destaque é a sacerdotal, pois em 4 de agosto é celebrado o Dia do Padre, aquele que traz para a comunidade o sustento, a base e a orientação. Ser padre é se deixar ser usado pelas mãos de Deus, é cuidar da comunidade, ouvindo, orientando como pastor e entendendo suas ovelhas. O sacerdócio é um dom de Deus entregue nas mãos dos fiéis, pois assim como os discípulos de Jesus um dia perceberam que as comunidades precisavam de um diretor espiritual, o padre tem por objetivo ensinar e propagar o Evangelho a todos de sua comunidade. Como transmissor do amor de Deus, o sacerdote faz uma grande escolha em sua vida, pois passa a lidar com pessoas cuja salvação pode estar relacionada à sua palavra de direcionamento. Porque é por meio da confissão que o sacerdote é usado por Deus para redimir os pecados e orientar os fiéis a caminhar juntos na mesma direção. No Santuário, a vida sacerdotal é um estado permanente de entrega ao Coração de Jesus, espiritualidade que busca ser transmitida em todos os sentidos pelos padres Sildo, Kleber e Geraldo. Uma herança deixada pelo testemunho do Pe. Dehon aos devotos do coração, que é herdada de geração em geração.

Os padres Geraldo, Kleber e Sildo têm rotina agitada. Geralmente acordam entre 6h e 6h30, aproveitando as batidas do sino. Na sequência, fazem suas preces pessoais e seguem para a capela da Casa Paroquial, onde acontecem as orações comunitárias, com adoração ao Santíssimo Sacramento. Quem celebra missa às 7h no Santuário ou Mosteiro acaba não participando da oração da manhã. O café costuma ser precedido por uma roda de chimarrão, quando os padres conversam sobre os compromissos do dia. Depois, o tempo é dedicado à leitura de jornais, sites e e-mails. Às 8h30, começam os atendimentos no expediente paroquial com bênçãos, confissões, orientações espirituais e pastorais. Na sexta-feira, a rotina é mais intensa e o atendimento acontece na própria igreja, já que os horários aumentam. Padre Kleber diz: “É gratificante pra mim e pra minha vocação saber que estou tentando contribuir um pouquinho com aquilo que optei fazer em minha vida”. Quem não está em atendimento, procura se preparar para as celebrações e retiros, acompanhar alguma pastoral, visitar casas, empresas e doentes. A manutenção da fé também é feita nesses momentos, quando o padre pode dedicar à leitura orante da Bíblia, ao estudo teológico pastoral ou à meditação. A Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus – da qual fazem parte – também exige a participação em encontros, reuniões, seminários, retiros e assembleias.

4

www.santuarioscj.com.br


Jornal d o

SANTUÁRIO

O almoço é comunitário, seguido por um descanso, que padre Geraldo carinhosamente chama de “consulta com os doutores Pestana e Prevenildo”. Os atendimentos e compromissos continuam à tarde e à noite com celebrações eucarísticas, reuniões na Mitra Diocesana e outros encontros: “A formação de um padre nunca acaba”, explica Pe. Kleber. Cada padre tem ainda uma semana de plantão por mês, quando é responsável por atender aos doentes para confissão, dar unção dos enfermos e fazer encomendações. Aos domingos, Geraldo, Kleber e Sildo celebram duas missas cada e o plantonista segue para a Rádio Clube, onde acompanha o programa Direção Espiritual, às 20h30. “O tempo livre é pouco”, acrescenta Pe. Geraldo, “e quando sobra, é dedicado a uma boa conversa ouvindo música clássica, regionalista ou MPB. TV é coisa rara”. O fim do dia chega com a conclusão de várias tarefas, mas de bem com a vida. O pároco-reitor do Santuário, Pe. Sildo, resume: “O que ficou, ficou para amanhã. Deixamos as preocupações do lado de fora do quarto para poder dormir bem e acordar bem. A vida precisa seguir”. Nas segundas-feiras, os padres têm o dia livre, mas mantêm suas rotinas de oração. Os compromissos costumam ser familiares ou médicos, ou apenas horas de descanso.

www.santuarioscj.com.br

5


Jornal d o

SANTUÁRIO

Santuário FAMÍLIA

Por Rayana Borba

Santuário celebra Semana da Família Pastoral Familiar disseminará a espiritualidade cristã na família entre 10 e 17 de agosto

O Santuário Sagrado Coração de Jesus celebrará a Semana da Família em agosto. Toda a programação será inspirada na temática “A espiritualidade cristã na família: um casamento que dá certo”, que propõe a prática espiritual do casal e em família. Para isso, pastorais e movimentos da Paróquia participarão das missas especialmente preparadas para formação do tema de 2014. A seguir, confira a programação completa: 10 de agosto (domingo) – 19h - Abertura da Semana da Família 11 de agosto (segunda-feira) – 19h30 - Missa com a Pastoral da Consolação e Esperança

DEHONIANOS

Por Simone Medeiros

- Missão no Centro de Educação de Jovens e Adultos da Escola de Ensino Médio Governador Celso Ramos 12 de agosto (terça-feira) – 19h30 - Missa com os Grupos Bíblicos de Reflexão e Leigos Dehonianos 13 de agosto (quarta-feira) – 19h30 - Missa com a Pastoral da Catequese 14 de agosto (quinta-feira) - 18h45 – Vigília pelas famílias - 19h30 – Missa com os Ministros Extraordinários da Eucaristia e Renovação Carismática Católica (RCC) - 20h30 – Palestra sobre família (RCC) 15 de agosto (sexta-feira) - 19h30 – Missa com Apostolado da Oração e Cáritas - 20h30 – Confraternização 16 de agosto (sábado) – 19h - Missa com Encontro de Casais com Cristo (ECC), Emaús, Movimento Eucarístico Jovem (MEJ), Missão Dehoniana Juvenil (MDJ) e Santuário Jovem, bênção jubilar dos casais que completam 25, 50, 60, 65, 70 e 75 anos de matrimônio em 2014 e que se inscreveram na Secretaria Paroquial e renovação matrimonial 17 de agosto (domingo) – 19h - Missa de encerramento com a participação da Comarca Sul da Diocese de Joinville.

Santuário Jovem

Reavivamento espiritual Na espiritualidade do Sagrado Coração de Jesus, conhecemos a certeza de que nosso Deus tem um coração que se derrama em amor por nós. Como nos diz sempre o Pe. Chico Sehnem, scj, “espiritualidade implica em vivência”. E é essa vivência que os Leigos Dehonianos do Santuário e da província vêm buscando experimentar junto ao Sagrado Coração de Jesus. Desta forma, em 27 de julho, estivemos reunidos no Santuário, das 8h às 16h, sob a orientação do Pe. Sildo. O encontro de reavivamento espiritual foi vivido como preparação para a celebração da memória de Pe. Dehon. Uma missa em 12 de agosto, às 19h30, recordará os 89 anos de seu falecimento e marcará a renovação do compromisso apostólico dos Leigos Dehonianos. Pe. Sildo nos direcionou a sentir e experimentar a vida de comunhão com o Sagrado Coração, levando cada participante e cada grupo a se aprofundar no conhecimento e no compromisso com o carisma dehoniano que nos exorta a ser “profetas do amor e ministros da reparação”. “Que mais é um carisma senão um modo de ver o mundo por meio dos olhos do Espírito? E que mais faz um dom do Espírito senão ajudar a olhar o nosso mundo e a nossa vida por meio do ágape, por meio do amor?”, explica Pe. Chico Sehnem.

6

O lançamento do grupo Santuário Jovem trouxe mais alegria ao Santuário. Os encontros acontecem todos os sábados, às 20h, no Salão Antigo do Santuário.

www.santuarioscj.com.br


Jornal d o

SANTUÁRIO

Espiritualidade SANTIDADE

Por diácono Osvaldo da Rosa

Assunção de Nossa Senhora

Em 15 de agosto, a Igreja celebra a solenidade da Assunção de Nossa Senhora. É a terceira e última solenidade de Maria durante o ano, na Igreja Católica. A festa da Assunção de Nossa Senhora é um feriado nacional em muitos países, como Áustria, Bélgica, Chile e Colômbia. Em muitos outros, festividades populares e procissões se realizam neste dia. Há também os países católicos e ortodoxos nos quais a data é importante, mas não é reconhecida como feriado. A Assunção de Nossa Senhora é um dogma de fé, proclamado pelo papa Pio 12, em 1950. Por meio desse dogma, a Igreja afirma a santidade de Maria, levada em corpo e alma ao céu, recompensa por sua vida, por sua aceitação à vontade do Senhor e pela santificação de seu coração, onde o pecado não tocou. A festa da Assunção é, pois, a alegria da humanidade. Maria, sujeita a dores e aflições, a alegrias e surpresas da vida humana, é levada ao céu como pessoa inteira – corpo e alma – para participar da glória do Senhor. Esta é a grande promessa da ressurreição, da nossa vida futura na glória de Deus. Maria já vive e, por isso, tornou-se nossa intercessora junto ao Pai e ao Filho. Mãe amorosa, não se esquece dos homens e mulheres que ainda vivem na terra e que precisam de seu carinho e olhar maternal. Sua presença junto à Trindade nos dá a certeza de que também nós podemos ser glorificados e presenteados com a vida eterna. O canto do Magnificat, que Maria entoou em visita à sua prima Isabel, é o tema do Evangelho da liturgia eucarística da Assunção. Naquela época, a Virgem de Nazaré já conhecia o clamor de seu povo e sabia que só de Deus poderia vir a salvação. O Magnificat reúne palavras atuais que ainda podem nos recordar das maravilhas que o Senhor faz por nós, e de como Ele e por Ele poderemos também experimentar a salvação. Meditemos, pois, sobre as palavras de uma mãe que intercede por seu povo e que, com toda certeza, continua a recitá-las, pedindo por nós. “A minha alma proclama a grandeza do Senhor, meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador, porque olhou para a humilhação de sua serva. Doravante, todas as gerações me felicitarão, porque o Todo Poderoso realizou grandes obras em meu favor, Seu nome é santo, e Sua misericórdia chega aos que o temem, de geração em geração. Ele realiza proezas com Seu braço, dispersa os soberbos de coração, derruba do trono os poderosos e eleva os humildes; aos famintos enche de bens e despede os ricos de mãos vazias. Socorre Israel, Seu servo, lembrando de Sua misericórdia, conforme prometera aos nossos pais, em favor de Abraão e de sua descendência, para sempre.” (Lc 1,46-55)

CHAMADO

Por Edith Simão

Vocação e missão do catequista

www.santuarioscj.com.br

conceito dos catequizandos. Assim, a missão do catequista consiste no oferecimento de si mesmo, de sua vida, como também das pessoas com as quais convive e do mundo que o rodeia.

Foto: Jacqueline Freudenborg

Ser catequista é um dom do Espírito Santo. Trata-se de uma resposta generosa a um convite feito por Deus e de uma vocação radicada no batismo, um serviço eminentemente eclesial. Sua missão na Igreja tem raízes no batismo, pelo qual todos participamos da missão de Cristo. A tarefa do catequista percorre um caminho árduo. Ele deve despertar o catequizando para que, consciente de seu trabalho no mundo e no contato com a criação, seja mais um cristão chamado a consagrar este mundo. Santificá-lo a partir de dentro, de onde está. Em sua incumbência, é chamado a uma constante, progressiva e permanente conversão, com relação à comunidade, a Cristo e Sua Igreja e ao ser humano com todas as suas aspirações e situações. Importa que ele esteja apto a ajudar o catequizando no encaminhamento de sua fé, experiência com Deus e comunhão com Jesus Cristo (centro e meta da catequese) na prática de amor e partilha com os outros. A missão do catequista deve se orientar pela misericórdia, que não significa piedade ou sentimentalismo, mas proximidade e partilha. Implica, sem dúvida, mudança do estilo de vida. Estilo que quem imprime é o próprio catequista; é ele que, com seu exemplo, consegue mudar a lógica das prioridades que se fazem presentes no

Cássia, Kátia, Edith, Elza e Claudette: catequistas da 1ª Eucaristia no Santuário

7


Olá, amiguinho do Santuário! Abaixo, como podemos ver, temos uma multidão de pessoas. São tantas espalhadas que ficamos até confusos. Como estamos no mês vocacional e nesta edição do jornal falamos sobre a vocação dos padres, estamos à procura deles. Parece que três padres estão no meio do povo, você pode ajudar a encontrá-los? Vamos lá?

Profile for Agência Arcanjo

Jornal do Santuário - Edição de Agosto/2014  

Jornal do Santuário - Edição de Agosto/2014  

Advertisement