__MAIN_TEXT__

Page 7

Jornal d o

SANTUÁRIO

Espiritualidade QUARESMA

Por diácono Osvaldo da Rosa

Jejum e abstinência

Consciência

Por Danieli Herdt

Campanha da Fraternidade Fraternidade e Tráfico Humano

Quando chega a Quaresma, muitas pessoas têm dúvidas de como fazer o jejum e a abstinência que, por vezes, acabam confundindo as duas coisas achando que são iguais. O que é o jejum? O jejum é deixar de fazer uma refeição no dia (almoço ou jantar). Acontece assim: você toma o café da manhã, normalmente, e escolhe uma das duas refeições para fazer somente um lanche básico. Nesse dia, não se pode comer doces, bolachas ou lanches entre as refeições, assim como beliscar ou beber refrigerante, cerveja, entre outras bebidas e aperitivos. Quem pode fazer o jejum? Todos podem fazer jejum. Sejam idosos, estejam cansados ou doentes; sejam gestantes, jovens ou adultos. Todos podem jejuar sem que isso lhes faça mal. Muitas pessoas não jejuam porque não sabem fazê-lo. Imaginam que jejuar seja uma coisa muito difícil e dolorosa e que elas não conseguiriam. Qual a essência do jejum? A disciplina. É não comer nada além dessas três refeições. O que interessa é cortar de vez o hábito de “beliscar”, de abrir a geladeira várias vezes ao dia para comer “uma coisinha”. Evitar completamente, nesse dia, balas, doces, chocolates e biscoitos. Deixar de lado refrigerantes, bebidas e os cafezinhos. O que é abstinência? O Código de Direito Canônico (Can. 1251) ensina que: “Observe-se a abstinência de carne ou de outro alimento, segundo as prescrições da Conferência dos Bispos, em todas as sextas-feiras do ano, a não ser que coincidam com algum dia enumerado entre as solenidades; observe-se a abstinência e o jejumna quarta-feira de Cinzas e na sexta-feira da Paixão e Morte de Nosso Senhor Jesus Cristo.” No Brasil, a CNBB, por delegação expressa da Santa Sé mediante o cânon aludido, concedeu a faculdade ao fiel de, nas sextas-feiras do ano, inclusive durante a quaresma, substituir a abstinência de carne por “alguma forma de penitência, principalmente obra de caridade ou exercício de piedade” (Legislação Complementar da CNBB). Assim, salvo a abstinência da Quarta-feira de Cinzas e da Sexta-feira Santa (que devem ser observadas juntamente com o jejum: não basta “não comer carne”, é preciso comer só uma refeição completa). As demais, no Brasil, podem ser substituídas por outro tipo de mortificação ou penitência: renúncia a outro alimento, determinadas orações, atos de piedade ou caridade, etc. Quem está obrigado à abstinência de carne? Todo católico que tiver quatorze anos completos até o final da vida. Assim, na Quarta-feira de Cinzas e na Sexta-feira da Paixão, todo católico deve abster-se de comer carne e seus derivados e fazer jejum. O abster-se de comida e bebida tem como fim introduzir na existência do homem não somente o equilíbrio necessário, mas também o desprendimento do que se poderia definir como “atitude consumista”. Com estes sacrifícios, trata-se de que todo nosso ser (alma e corpo) participe em um ato em que reconheça a necessidade de fazer obras com as quais reparemos o dano causado com nossos pecados e para o bem da Igreja.

www.santuarioscj.com.br

O tema da Campanha da Fraternidade deste ano é “Fraternidade e Tráfico Humano” e tem como lema “É para a liberdade que Cristo nos libertou” (Gl 5,1). O objetivo deste ano é identificar as práticas de tráfico humano em suas várias formas e denunciá-las como violação da dignidade e da liberdade humana, mobilizando cristãos e a sociedade brasileira para erradicar esse mal, com vista ao resgate da vida dos filhos e filhas de Deus. A liberdade nos foi dada na cruz de Cristo; Ele nos concedeu participar da plenitude de Sua vida. Na morte, deu-nos a vida; no sofrimento, conquistou para nós a plena liberdade. Jesus fala que o conhecimento da verdade liberta: “conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará” (Jo 8,32). A verdade liberta, pois traz à luz a dignidade da pessoa humana, esta liberdade é dignidade única e transparente. Todos os laços que impedem a liberdade desfiguram o homem e a mulher criados “à imagem e semelhança de Deus” (cf. Gn 1,26). O tráfico humano é uma das modas atuais de escravidão, sendo um crime que atenta contra a dignidade da pessoa humana, já que envolve seres humanos. O papa Francisco, em maio de 2013, se referiu a essa prática afirmando que “tráfico de pessoas é uma atividade ignóbil, uma vergonha para as nossas sociedades que se dizem civilizadas. Peçamos ao Senhor a graça de chorar pela nossa indiferença, e chorar pela crueldade que há no mundo, em nós, incluindo aqueles que, no anonimato, tomam decisões socioeconômicas que abrem a estrada a dramas como este.”. A Campanha da Fraternidade acontece durante a Quaresma, período compreendido entre a Quarta-feira de Cinzas (5 de março) e a Quinta-feira Santa (17 de abril).

7

Profile for Agência Arcanjo

Jornal do Santuário - Edição de fevereiro/2014  

Confira a Edição de fevereiro do Jornal do Santuário Sagrado Coração de Jesus, de Joinville / SC.

Jornal do Santuário - Edição de fevereiro/2014  

Confira a Edição de fevereiro do Jornal do Santuário Sagrado Coração de Jesus, de Joinville / SC.

Advertisement