Page 1

DIA DO MÚSICO

ANO DA FÉ

PASTORAIS DA PARÓQUIA

No dia 22 deste mês é comemorado o Dia do Músico. Nesta edição, você vai ler uma formação voltada para a espiritualidade do músico. Página 4

A caminhada do Ano da Fé iniciou em outubro do ano passado com o papa emérito Bento 16 e encerra agora no próximo dia 24. A intenção foi de promover a nova evangelização. Confira a matéria. Página 5

Saiba quais são os organismos da Igreja responsáveis por organizar eventos, reuniões, projeções e prestações de conta da vida paroquial. Página 10


Apresentação Horários

Editorial

É tempo de celebração O clima de mudança, como as plantas que florescem e mostram a chegada da primavera e os ventos típicos do mês que dão a sensação de renovação, marcam esse tempo de meditação para nós, cristãos. Este é o mês que rezamos pelas almas que estão no purgatório e ainda estão em busca da salvação. Pode ser conhecido também como mês da saudade, pois lembranças boas daqueles entes queridos são recordadas com muito mais frequência nesse tempo de oração. Este assunto é abordado na matéria principal do jornal,

Palavra do pároco

Comunidade Matriz São João Batista

na qual ressaltamos que, um dia, todos irão se encontrar na presença e na graça de Deus. Nossa vida por aqui é limitada, nosso lugar é junto do Pai. Os músicos também têm destaque nesta edição, pois novembro também é o mês deles. Por isso, por intercessão de Santa Cecília, protetora dos músicos, pedimos a ela que rogue por aqueles que dedicam seu tempo, sua vida e seu dom para servir a Deus. Desejamos a todos uma ótima e agradável leitura. Deus os abençoe!

Por padre Sérgio da Silva

Há um tempo pra cada coisa: agora é tempo de avaliar e projetar. No fim do ano, nossa Paróquia, nossas comunidades, nossas pastorais e movimentos estão vivendo o seu Kairós, o tempo de observar a semeadura da evangelização, o cuidado com o seu desenvolvimento e a espera dos frutos das nossas atividades missionárias. Somos uma paróquia cheia de vida! A dedicação dos agentes de evangelização é incansável, uma verdadeira resposta de amor a Deus, que suscita no coração do seu povo a unção espiritual e o zelo pelo trabalho pastoral. Projetos nascem da necessidade de melhorar, inovar e recriar, respeitando os valores do passado, os sinais do presente e da utopia de um futuro promissor. É nesse intuito que queremos ser uma Igreja paroquial alicerçada em Deus, em comunhão com nossos pastores e na busca de clareza evangélica para agir nesse tempo de uma mudança de época, que, por sua vez, nos dá novas ferramentas para a ação (cf. Doc. Ap.). Em nossas reflexões avaliativas e projetivas, sem dúvida alguma, estará presente a luz do Espírito Santo. Basta abertura de coração, humildade de alma e coragem de mudança. Isso vai exigir de nós os seguintes passos: atitude de fé, exame de consciência, disposição para ouvir, sinceridade dos aspectos positivos e negativos, caridade na exposição, sábias e prudentes sugestões, gentileza no ceder, diálogo nas decisões, clareza no projetar, unidade, participação e criatividade na ação. É nessa perspectiva que queremos entregar diante do altar do Senhor nossas vidas e atividades, oferecendo o Kairós. Que o Ano da Fé, o Ano da Juventude e toda a nossa missão paroquial produza muitos frutos na vida do nosso povo, e que a vontade de Deus seja realizada também em 2014, Ano da Comunidade, sob a intercessão de Maria Santíssima e de São João Batista.

Missas: • Todos os domingos às 7h30 e 19h Missa da Saúde: • Todas às quartas-feiras às 19h Atendimento da secretaria: • Segunda-feira das 14h às 18h • Terça a sexta-feira das 8h às 12h e das 14h às 18h • Sábado das 8h às 12h

Comunidade Nossa Senhora da Paz

Missas: • 2º e 4º domingo do mês às 9h Atendimento da secretaria: • Terça a sexta-feira das 8h às 12h e das 13h30 às 17h30 • Sábado das 8 às 12h

Comunidade Nossa Senhora do Carmo

Missas: • 1º e 3º sábado do mês às 18h Atendimento da secretaria: • Terça, quinta e sexta-feira das 13h30 às 17h30 • Sábado das 8h às 12h

Comunidade Santa Edwiges

Missas: • 2º,4º e 5º sábado do mês às 18h Atendimento da secretaria: • Terça a sexta-feira das 8h às 11h30 e das 14h às 18h

Comunidade Santa Isabel

Missas: • 1º sábado do mês às 19h30 • 3º domingo do mês às 8h Atendimento da secretaria: • Terça a sexta-feira das 8h às 11h30 e das 14h às 17h30 • Sábado das 8h às 11h

Comunidade Santa Paulina

Missas: • 1º, 3º e 5º domingo do mês às 9h Atendimento da secretaria: • Terça a sexta-feira das 8h às 12h e das 13h30 às 17h30 • Sábado das 8h às 12h

Expediente

Comunidade São Francisco de Assis

Missas: • 2º, 3º, 4º e 5º sábado do mês às 19h30 Atendimento da secretaria: • Terça a sexta-feira das 7h30 às 12h e das 13h30 às 17h30 • Sábado das 8h às 12h

Novembro | 2013

02

www.saojoaobatistadofatima.com.br


Mensal Entrevista

A vida de um diácono

a confissão e a unção dos enfermos. Ele é a pessoa da palavra, da caridade e do serviço em geral. OA: Ser diácono é estar à disposição dos cristãos para ajudar e servir. Está escrito em I Timóteo 3,13: “os que tiverem exercido bem a sua função alcançarão para si uma posição honrosa e se sentirão muito seguros na fé em Cristo Jesus”. Sendo assim, o que representa essa função na sua vida? DN: Ser diácono, para mim, é fruto de um trabalho que vem sendo feito há muitos anos. Todo trabalho iniciado possui um final, e ele só se encerra quando a gente morre. Quem está envolvido nesse mundo sempre tem a intenção de crescer, seja como ministro, catequista ou até mesmo como diácono. Tudo está dentro de um projeto que Deus tem para cada um de nós. A partir do momento em que você se entrega, Ele faz acontecer. Eu quero trabalhar na minha Igreja, ajudar no Reino de Deus. Vamos caminhando e ver o que Ele tem preparado para nós. Assim, eu levo o trabalho de diaconato, que é estar a serviço da comunidade e dos irmãos, em todos os sentidos. OA: Deixe uma mensagem de apoio para aqueles que sentem no coração o chamado de servir a Deus por meio do diaconato. DN: Aquele que sente o desejo de ser diácono, que tem o fundamento básico, é só continuar a caminhada, estudar e fazer por merecer, mostrando o seu trabalho para a Igreja.

Entrevista com o diácono Nelson Cabral, da Paróquia São João Batista Fátima. O Anunciador (OA): Como foi que o senhor sentiu no coração o chamado ao diaconato? Diácono Nelson (DN): O chamado é um dom de Deus. Sempre trabalhei em favor da Igreja. Sou de Araquari, mas morei em São Paulo. Lá, eu fui ministro do Batismo e depois voltei para Joinville porque casei. Iniciei os trabalhos na Comunidade São João Batista, há 33 anos. Comecei como diretor de patrimônio, roçando e carpindo. Fui cinco vezes coordenador da Paróquia São João Batista e também tesoureiro, coordenador de catequese, ministro e tantas outras funções. Eu vejo o chamado como fruto do trabalho que a gente faz. É o presente de Deus para nós que só tende a crescer. Eu sou diácono novo, minha ordenação foi em agosto do ano passado e desde o início sempre tive o incentivo da minha família. Tenho três filhos e minha esposa já faleceu faz 14 anos. Foi depois desse acontecimento que passei a ser diácono. OA: Sabemos que cada sacerdote tem funções específicas na vida da Igreja. Explique para nós, então, o que faz um diácono. DN: A intenção é estar sempre junto de todos. Uma das principais funções do diácono é o sentido social da Igreja, é preciso sempre estar atento para ver a necessidade das pessoas, dos doentes e estar sempre a serviço da Igreja. Dos trabalhos que desenvolvemos, o diácono apenas não pode fazer a consagração,

Artigo

Santo

Por Filipe Natali Saramento

Redes Sociais: a importância desta ferramenta como meio de evangelização As redes sociais têm reunido um grande número de pessoas no mundo todo. Nos dias de hoje, é possível perceber o quanto a internet tem influência sobre a vida do ser humano e que pode ser usada tanto para o benefício quanto para o malefício. O Evangelho nos ensina que o joio e trigo crescem juntos (cf. Mt 13,24-30), portanto as redes possuem vários caminhos a trilhar. Muitas vezes demonstram ser de uma forma, mas na realidade é de outra muito distinta, pois está impregnada a um método de articulação que acaba confundindo os olhos humanos. Em outras palavras, a internet pode ser a isca que leva para o pecado. E cada vez mais é perceptível como o catolicismo vem ganhando seu espaço no âmbito digital. Seja por meio das músicas, vídeos, fotos ou textos. Todas as formas de relacionamento nessas redes, de certa forma, estão trazendo as pessoas para mais perto de Deus. Neste sentido, o papa nos deixou a missão de anunciarmos a palavra de Deus ao mundo com toda a nossa fé. Em nossa paróquia, estamos fazendo a evangelização por meio dos meios comunicativos, com o recomeço da Pastoral da Comunicação (Pascom). Em breve, teremos o lançamento de uma nova fan page, com o objetivo de levar Deus ao coração de todos os usuários de forma ainda mais interativa e próxima. Acompanhem!

Novembro | 2013

03

Por Fernanda Cristine Felício

Santa Isabel Nascida na Hungria, em 1207, Isabel foi educada na fé cristã e no desapego das riquezas passageiras. Casou aos 14 anos e viveu um feliz casamento, embasado na penitência cristã. Viúva aos 20 anos, mãe de três filhos, expulsa da corte por prestar ajuda aos pobres e acusada de esbanjar os bens da família, Isabel se refugiou num convento de Marburgo, onde tomou o hábito da Ordem Terceira de São Francisco. Dedicou-se a uma intensa vida de oração e, com a indenização recebida pelos bens que lhe haviam injustamente retirado, serviu aos pobres e doentes. Isabel, o Anjo Nobre da Caridade, veio a falecer com apenas 24 anos, em 1231. Quatro anos depois, o papa Gregório 9 a elevava às honras dos altares. Vista assim, em rápida sucessão, as etapas da sua vida têm a cor de fábula, nas quais se descobrem autênticas maravilhas de graça e virtude.

www.saojoaobatistadofatima.com.br


Formação Artigo

Como iremos transbordar unção de Deus se não estivermos encharcados por ela? Como podemos transmitir o amor de Deus se não o conhecemos? O papa emérito Bento 16 nos diz o seguinte: “Não se pode dar a conhecer Deus unicamente com palavras. Não se conhece uma pessoa quando as únicas referências que se têm a seu respeito são de segunda mão”. Que tenhamos a graça de vivermos uma vida de intimidade com o Senhor, para que o nosso canto seja um verdadeiro louvor e transborde seu amor a todos que o escutam. Santa Cecília, padroeira dos músicos: rogai por nós! “Cantai ao Senhor Deus um canto novo, ressoe o seu louvor na assembleia dos fiéis” (Sl 149,1).

Por Eduardo da Silva e Jesli Paes da Silva

A Espiritualidade do músico Quereis cantar louvores a Deus? Sede vós mesmos o canto que ides cantar. Vós sereis o seu maior louvor, se viverdes santamente. (Santo Agostinho)

A frase dos sermões de Santo Agostinho deve ser uma regra para todos nós, cristãos, mas em especial aos músicos. Nós, que servimos a Deus por meio da música, não podemos esquecer que antes de tudo somos filhos amados do Pai. Devemos assim fazer de nossas vidas um verdadeiro louvor. Os músicos são convidados por Deus para animarem os diversos eventos da Igreja, encontros de pastoral, grupos de reflexão, de oração e, principalmente, a sustentar o canto na liturgia, ajudando a comunidade a ter uma participação plena, consciente e ativa nas celebrações. Por tudo isso, é conhecido também como pelotão de frente, ou seja, aquele que vai a frente do exército de Deus na batalha. E sendo o animador desse exército, é o primeiro que o inimigo deseja atacar, desencorajar e derrubar. Por isso, o músico deve estar sempre vigilante e em oração, para não cair nas armadilhas do inimigo de Deus. Muitas são as tentações que rondam a vida do músico cristão: vaidade, orgulho, ciúme, falta de compromisso e falta de amor. Para vencer essas tentações, precisamos acima de tudo ter uma vida de intimidade com Deus e a consciência de que somos instrumentos nas mãos do Senhor. É Ele quem age por meio de nós. Ligados ao Senhor, fonte de vida eterna, não corremos o risco de vivermos na superficialidade da fé. A espiritualidade do músico deve estar arraigada na vida de oração, na leitura e vivência da Palavra de Deus, no conhecimento da liturgia da Igreja e no aprimoramento da técnica. Para que a nossa música seja eficaz e toque a alma daqueles que a escutam, é necessário que além de ser bem conduzida tecnicamente, seja repleta da unção de Deus.

Oração

Salve, Rainha

ginal e puríssimo, por obra do Espírito Santo, o verbo de Deus encarnado, ao qual ensinou a falar, dando palavra Àquele que é Palavra infinita, em Deus, enquanto Deus. Nossa Senhora é chamada de vida, porque somente por meio dela recebemos a graça da vida em nossas almas, pois todas as graças concedidas à humanidade passam pelo Seu coração. “Doçura”: Maria é doçura para todos. Chamamos de doce tudo o que nos agrada suavemente. Nossa Senhora é mãe que agrada o coração de seus filhos. Nada é tão proporcionado ao ser humano, qualquer que seja ele, quanto Maria, o ser puramente humano, o mais perfeito que possa existir, porque Cristo embora homem, é também Deus infinito. Maria, portanto, é a doçura da humanidade. “Esperança nossa”: Essa oração lembra, ainda, a Nossa Senhora, quando invocamos que Ela é nossa esperança. Esperamos que Maria rogue por nós quando falta o vinho em nossas almas, para que Cristo transforme a água impura pelo pecado em vinho de boas obras, pois não há pecador a qual ela não socorra. “Salve!”: Este segundo “salve”, encerrando a invocação inicial, é uma confirmação do primeiro e, ao mesmo tempo, uma exclamação de alegria pelos títulos de Maria Santíssima que dão a nós, pobres pecadores, a confiança necessária para recorrer à Mãe tão bondosa quanto poderosa.

Por Fernanda Cristine Felício

A oração Salve, Rainha é uma prece a Nossa Senhora que expressa com termos bastante ricos uma homenagem à nossa mãe, rainha do céu e da humanidade. Salve, rainha, mãe de misericórdia, vida, doçura, esperança nossa! Salve! Essa é uma invocação inicial a Nossa Senhora, com previsão nos méritos a ela concedidos, por meio de Nosso Senhor Jesus Cristo. A palavra “salve” expressa uma saudação a Maria, seguida pela palavra “rainha”, a qual não tem a intenção de dizer que Nossa Senhora é uma autoridade com posição elevada, mas que Maria, na sua onipotência suplicante, é uma mãe que sempre nos socorrerá. Os pedidos levados por ela a seu filho Jesus, serão a nós concedidos assim como foi provado em Caná da Galileia. “Mãe de misericórdia”: Maria é rainha dos anjos e dos santos, pois é mãe de Deus. Mas nem tanto adiantaria para nós que fosse rainha dos céus e da terra, se Ela não fosse uma mãe plena de misericórdia. Sendo a mãe de Cristo, Aquele que Se encarnou por misericórdia de nós, é também mãe da misericórdia. “Vida”: Maria deu vida a vida, que é Jesus. Ela concebeu em seu seio vir-

Novembro | 2013

*Continuação da oração nas próximas edições. Confira!

04

www.saojoaobatistadofatima.com.br


Igreja em ação Projetos

Esse tema veio nos encorajar, nos animar a continuar o caminho de Cristo, sendo luz por onde andarmos, dando gosto como sal aos que nos rodeiam e despertar neles o mesmo amor que sentimos e transmitimos aos nossos.

Por Rosi Mari Heidemann Anselmo

2013: Ano da Fé “Será um momento de graça e de empenho para uma sempre mais plena conversão a Deus, para reforçar a nossa fé n’Ele e para anunciá-Lo com alegria ao homem do nosso tempo”, disse o papa emérito Bento 16, na Carta Apostólica Porta Fidei - A porta da fé. A solenidade de Cristo Rei do Universo teve início no dia 11 de outubro de 2012 e terminará no dia 24 de novembro. Mais do que acreditar, o nosso maior desafio nesse tempo é transmitir a verdadeira fé de Jesus Cristo, filho de Deus. É tempo de fazer com que os verdadeiros valores cristãos sejam colocados em prática tanto nas nossas famílias quanto em lugares por onde passamos, trabalhamos ou estudamos, pois professar a fé dentro da casa de Deus é fácil, mas colocá-la em prática em nosso cotidiano não é tão simples assim. A fé é decisão, ou seja, decidir seguir Cristo, fazer o bem, aceitar a mudança dentro do coração. E essa mesma fé exige mudança de vida, de atitude, atos concretos de conversão, até no simples gesto de fazer o sinal da cruz ao passar em frente da casa de Deus. Exige também comprometimento e responsabilidade! Nossas ações devem ser pautadas pela experiência em Jesus Cristo.

Vocações da Paróquia Por Carlos Eduardo Bisewski Todos somos vocacionados, chamados a lançarmos as redes em águas mais profundas. Alguns são chamados ao sacerdócio, citam-se aqui os padres Sérgio e Eduardo e o seminarista Adriano. Outros ao diaconato permanente, como Nelson Cabral e os futuros diáconos, Osvaldo da Maia, Luciano de Araujo e Vilardi Nascimento. Temos ainda outros vocacionados em nossa paróquia, como o jovem Davi Leonardo, que está nos Arautos do Evangelho, e a irmã Meri, que faz parte das Irmãs Paulinas, vocação esta que surgiu dentro do Grupo de Jovens. Cada um é chamado a rezar por estas e outras vocações, pois estamos felizes em dizer que nossas comunidades são verdadeiros celeiros de vocações sacerdotais, religiosas, leigas e consagradas.

Pastoral da Consolação e Esperança Por Vali Raitz e Rosete Lemos

Novembro | 2013

Foto: Carlos Eduardo Bisewski

A Pastoral da Consolação e Esperança é estruturada por uma equipe que está em constante formação para acolher as famílias que passam pelo momento da perda de um familiar, amigo ou ente querido. É responsável por acolher a ressurreição para uma vida nova, com amor fraterno, consolando a todos nesse momento de tristeza. Confirma, por meio da Proclamação do Evangelho, a esperança da ressurreição e a certeza de que a morte não é o fim, mas o início da vida eterna. Após cada sepultamento, os voluntários dessa pastoral perguntam para a família enlutada sobre o desejo de rezar as sete noites de luz: amor, fé, alegria, união, Deus, Cristo e cristão, explicando assim o significado desse momento. Venha fazer parte desta pastoral. Mais informações na secretaria.

05

www.saojoaobatistadofatima.com.br


Desde o nascimento, a única certeza que o ser humano tem é da morte. Talvez seja esse o motivo que todos, ou a grande maioria, têm medo de morrer. Mas se ela for vista pelos olhos da fé, a esperança nasce no coração, porque é alimentada pela busca da vida eterna, a vida no Reino dos céus. Em Hebreus 11,1 já estava escrito que “a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que não se veem.” É difícil acreditar naquilo que não se vê. Mas é fácil acreditar naquilo que se sente. Buscar viver na morada de Deus, aquele que deu seu filho para morrer por nós, é ter certeza de que não há lugar melhor para descansar na vida eterna. O medo da morte faz de nós, cristãos, pequenos na fé. Nossa vida é em função do Reino e para o Reino. Um dos motivos que alimenta o medo é a partida. É não saber lidar com a saudade das pessoas que nos rodeiam, principalmente com as pessoas de nossa família e amigos. O que nos alegra é saber que um dia todos estarão ressuscitados e vivendo na glória eterna do Senhor. O medo pode e deve ser domado para que assim o nosso coração se torne livre para viver o amor de Cristo. Somos estrangeiros na terra. É preciso saber aproveitar cada instante e fazer a diferença na vida das pessoas com os olhos sempre voltados para o céu. Viva, persista, cante, ame, doe-se, aproveite. Neste mundo, nossa vida tem prazo para acabar. Por isso, é preciso saber aproveitar os períodos que

Novembro | 2013

06

nos são dados. Saber viver sem egoísmo, ajudar ao próxim partilhar com justiça e generosidade são alguns exemplos d ações que praticamos e que nos levam para junto de Deus. isso que Deus deseja de nós aqui na terra. Nós somos acomodados e o novo costuma nos assusta Precisamos conhecer os lugares em que pisamos. Por iss a outra vida, o lugar do qual vivemos em busca, nos cau insegurança, sentimento que deveria ser o contrário. Bas confiar, essa é a palavra que deve servir de guia no caminh Crer em Deus, é saber que o melhor é o que Ele te guardado. Em João 11,25-26, Jesus já nos deixou seu recad “Quem crê em mim, ainda que morra, viverá; e todo o qu vive e crê em mim não morrerá, mas viverá eternamente”. Quem morre, alcança a vida eterna. Quem por aqui fic continua na luta e na constante construção desse novo lar: céu. Deus está pronto para nos receber em Sua casa, além d nosso coração já ser Sua moradia. Acredite, tenha fé e busque o Reino. Deus, Pai e Tod Poderoso, tem um lugar para todos. Ele tem preparad maravilhas para nós. Permita-se sentir esse amor puro carregue consigo as promessas do Senhor expressas em Coríntios 2,9: “É como está escrito: coisas que os olhos nã viram, nem os ouvidos ouviram, nem o coração human imaginou, tais são os bens que Deus tem preparado pa aqueles que o amam.”

www.saojoaobatistadofatima.com.br


O medo do purgatório

próximo, mplos de Deus. É

Quando se fala em purgatório e juízo final, dúvidas são suscitadas em nossa mente e devem ser desvendadas. Antes de entendê-las, precisamos lembrar que a morte é o caminho que nos leva junto do Pai. Devemos estar preparados para este dia. Logo após a morte, somos julgados e nossa alma pode ir para um dos três lugares com sentença definitiva: céu, inferno ou purgatório. Este último, em questão, ainda luta pelas faltas que podem ser perdoadas. Padre Eduardo explica que o purgatório se diferencia do inferno justamente porque ainda há esperança de salvação. “Todas as almas que estão no purgatório estão salvas. Elas têm a consolação de que um dia se encontrarão com Deus, diferente das que estão no inferno, para as quais não existe mais esperança”, afirma. Aquelas que tiveram a salvação eterna, mas que ainda necessitam se purificar de imperfeições, passam por esse lugar para entrar na alegria do céu e chegar até Deus. A palavra purgatório vem do verbo latino purgo e significa limpar, reparar, retificar. Todas as almas que passam por esse lugar são purificadas, pois é por meio do sofrimento que nos lavamos do pecado. A existência de um purgatório é a forma de obter o perdão na vida presente, ao passo de outra também na vida futura, como explica o Evangelho de Mateus. O Senhor Jesus fala que se alguém tiver pronunciado uma blasfêmia contra o Espírito Santo, não lhe será perdoado, nem no presente século, nem no futuro (Cf. Mt 12,32). A Igreja Católica reza pelos mortos, em especial na Santa Missa, para aliviar o sofrimento e diminuir o tempo das almas que estão no purgatório. “Rezar pelos falecidos é um ato de caridade muito grande”, diz padre Eduardo. Em relação ao Dia do Juízo Final, que irá acontecer no fim dos tempos, Cristo virá para julgar os vivos e os mortos. Os justos irão para a vida eterna, e os que tiverem praticado o mal, para o castigo eterno (Mt 25,3133.46). Dos medos e mitos que sondam este grandioso dia, padre Eduardo deixa seu recado: “A reencarnação e a possibilidade de uma segunda oportunidade são mitos e não condizem com a doutrina dos evangelhos.”

assustar. Por isso, os causa o. Basta caminho. Ele tem u recado: do o que nte”. qui fica, vo lar: o além do

i e Todo eparado r puro e sas em I lhos não humano ado para

Novembro | 2013

07

www.saojoaobatistadofatima.com.br


Comunidades Por Carlos Eduardo Bisewski

Aniversário Kairós

Foto: Carlos Eduardo Bisewski

Festa de São Francisco de Assis

Foto: Richard Henrique Caetano

São Francisco de Assis

Entre os dias 3 e 6 de outubro, aconteceu em nossa comunidade a Festa do Padroeiro. Celebrações, animação, gastronomia, apresentações teatrais e muita fé marcaram a edição deste ano. Agradecemos a todos pela participação e ajuda. Deus os abençoe!

Nossa Senhora da Paz

No dia 26 do mesmo mês, celebramos o aniversário de 15 anos do GOJ Kairós. A comemoração iniciou com a Santa Missa, seguida de muita festa, partilha fraterna, alegria, espiritualidade e louvor. São 15 anos vivendo na certeza que Deus está conosco, valentes guerreiros!

Santa Paulina

Por Cleide Loh da Silva

Grupo de Oração Jovem (GOJ)

A importância do dízimo para as crianças

Foto: Richard Henrique Caetano Foto: Richard Henrique Caetano

É com alegria que a Comunidade Nossa Senhora da Paz acolhe, novamente, o Grupo de Oração Jovem Mensageiros da Paz. É muito bom ver nossos jovens em oração louvando e bendizendo a Deus. Após a JMJRIO 2013, muitos retornaram a nossa comunidade com um novo ânimo, impulsionados pelo envio do papa Francisco ao afirmar que o caminho para transformar a juventude é jovem evangelizando jovem. Temos a certeza de que o jovem é o futuro de nossa comunidade. Por isso, é preciso acolhê-lo e tê-lo sempre presente em nosso meio. Queridos, sejam verdadeiros missionários e seguidores de Cristo, não tenham vergonha de seguir Jesus. Você, jovem, sinta o chamado e venha participar do Grupo de Oração Jovem todos os sábados, às 17h, em nossa comunidade. Seja mais um membro, nós precisamos de sua força e determinação. O grupo está retornando e precisa do apoio e incentivo de cada um. Sinta-se bem-vindo. Nós esperamos por você de braços abertos!

Novembro | 2013

Por Marcia Gervazi

08

Percebemos a ação do Espírito Santo na Igreja quando suscitou a evangelização do dízimo mirim em nossa comunidade. Nossas crianças precisam ser evangelizadas neste sentido, assim como a comunidade precisa demonstrar para as crianças a importância da contribuição. No mês de outubro, apresentamos o dízimo às crianças da catequese e destacamos que os 10% doados para Deus são fonte de bênçãos para as famílias. Os 90% que ficam são para as necessidades diárias. Em 2014, continuaremos este trabalho, evangelizando para a formação do dízimo jovem. No último dia 20, as crianças se apresentaram de camisa branca tendo nas mãos o seu dízimo, mostrando que é necessário evangelizar as famílias. “O dízimo dever ser doado com alegria” (II Cor 9,6-12).

www.saojoaobatistadofatima.com.br


Comunidades Santa Isabel

Santa Edwiges

Por Fernanda Cristine Felício

A comunidade celebra o mês da padroeira

Festa da Padroeira

Neste mês de novembro, no qual celebramos a memória de Santa Isabel, nossa padroeira, festejamos a alegria de ter uma família tão grande e tão unida aqui nesta comunidade. Recordamos a primeira missa celebrada em 7 de março de 1991, pelo padre Higino Rohden, num galpão de madeira da época. Tantos anos se passaram e pela graça de Deus, essa comunidade vem crescendo em estrutura, espiritualidade, dedicação e fraternidade. Temos um povo participativo e colaborador servindo nas pastorais, servos animados e criativos na messe do Senhor. Queremos louvar a Deus por cada cristão que aqui comunga o Corpo e Sangue de Cristo. Cada qual, nas suas possibilidades, contribui para o crescimento da comunidade. Pedimos ainda a Deus, pela intercessão de Santa Isabel da Hungria, fiel seguidora do ideal de São Francisco, que nos ensine a contemplar o rosto de Cristo em todos os nossos irmãos para que possamos contar com a graça divina em todos os momentos, sendo socorridos em nossas aflições. Com a alegria da ressurreição e a mansidão de Santa Isabel, nossa comunidade permanece de portas abertas para acolher você e sua família.

Nossa Senhora do Carmo

Entre os dias 16 e 20 de outubro, ocorreram em nossa comunidade as festividades pelo dia da nossa Padroeira, Santa Edwiges. Várias atividades e celebrações foram realizadas para comemorar essa grande festa. Momentos de alegria e muita emoção surgiram durante a semana, como no dia 16, data em que foi transferido o Santíssimo da Igreja para o Centro Cultural, lugar onde o padre Sérgio celebrou a missa. A emoção estava estampada no semblante das pessoas e a alegria era imensa. Todos os dias foram de muita comemoração. Após as missas, em cada dia havia uma opção de comida diferente. Servimos sopa, pastel e pizza. No sábado, dia 19, aconteceu a noite das variedades e, para encerrar a programação, logo após a missa no domingo, foi servido um delicioso almoço, com frango recheado e churrasco. Apresentações de dança e bandas também fizeram parte do evento. No fim do dia, o padre Sérgio agradeceu e abençoou a todos.

Matriz

Há 19 anos, participo do grupo de oração da Paróquia São João Batista e, desde então, tem sido uma grande graça na minha vida e dos meus familiares. Toda quinta-feira, eu experimento o poder de Deus. Você também é convidado a fazer essa experiência no grupo de oração, pois vejo que tem se cumprido semanalmente a promessa de Jesus para todos: “Chegando o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar. De repente, veio do céu um ruído, como se soprasse um vento impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam sentados. Apareceu-lhes então uma espécie de línguas de fogo, que se repartiram e pousaram sobre cada um deles. Ficaram todos cheios do Espírito Santo”(Cf Atos 2,1-4).

Por Janete Xister Leme

Olá, povo de Deus! A Comunidade Nossa Senhora do Carmo convida a todos para participar, no dia 7 de dezembro, do mutirão de evangelização. Será o encerramento das missões deste ano, por isso sua presença é fundamental! Aguardamos ansiosamente por todos com o coração aberto para sair em missão. A caminhada missionária terá início às 13h30 e será encerrada com uma missa festiva às 18h. Que Deus abençoe a todos!

Foto: Gustavo Souza

Foto: Carlos Eduardo Bisewski

Por Antonio Marco de Souza

Grupo de oração: eu participo!

“Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura”. Mc 16,15

Novembro | 2013

Por Ivaldo Santos

09

www.saojoaobatistadofatima.com.br


A Paróquia Geral

Por Fernanda Cristine Felício

Retiro para jovens acontece neste mês de novembro

Por padre Sérgio da Silva

Festa das Tendas

2013 na nossa região. Atividades que marcaram nossa festa: lançamento do jornal O Anunciador, as procissões e carreatas das comunidades; o terço missionário da juventude; a missa solene em honra a Nossa Senhora Aparecida; comida e bebida de graça para todos os participantes, com variados e criativos pratos servidos em sete tendas pelas comunidades da paróquia; apresentações culturais; brinquedos para a garotada; pedalada missionária com direito à premiação para as bicicletas criativas no quesito decorativo, promovido pela Infância Missionária; e, por fim, um “arrasta pé”, regado por um delicioso café oferecido pelos Casais Encontristas e pela Catequese. Nossa gratidão aos que se empenharam nessa promoção. Pedimos as graças de Deus e as bênçãos de Nossa Senhora Aparecida para todos os nossos colaboradores. Ano que vem tem mais!

Foto: Gustavo Souza

Foto: Richard Henrique Caetano

Aproveitando a festividade de Nossa Senhora Aparecida e o Dia das Crianças, realizamos em nossa Paróquia a primeira Festa das Tendas no dia 12 de outubro, uma festa popular que tem suas bases no Antigo Testamento. A comemoração teve como objetivo a partilha dos dons, dos alimentos, dos talentos de todas as comunidades que compõem a Paróquia São João Batista. Como primeira experiência, foi um sucesso! A festa começou com uma preparação intensa da coordenação paroquial, em sintonia com as coordenações comunitárias. As pastorais, movimentos e núcleos dos nossos conselhos “arregaçaram as mangas” e fizeram acontecer uma das mais belas festas de

Novembro | 2013

10

Foto: Gustavo Souza

Aconteceu aqui

Cristo), que já passaram por uma experiência semelhante, sendo também surpreendidos e convencidos por esse Deus de infinito amor. Anunciando tal vivência aos retirantes, é proporcionada a eles a oportunidade de também declararem Cristo como Senhor de suas vidas. O legado desse movimento na Paróquia é representado por uma juventude que participa de missas, grupo de jovens, vigílias e pastorais. Todos sedentos por resgatar mais e mais almas para o Senhor. Jovens que já descobriram vocação em matrimônio, outros que fazem caminho vocacional, atuam em lideranças nas nossas comunidades e percorrem os caminhos do Senhor, anunciando a Boa Nova do Reino de Deus. Foto: Lana

Neste mês de novembro, acontece na Paróquia o 5º AHARªY. Este retiro para jovens acima de 17 anos, com o chamado do hebraico Vem e segue-me, tem por característica trazer a juventude para perto de Deus e proporcionar uma experiência de abandono no Seu amor. A intenção também é aproximar os jovens de suas famílias para que, no berço no qual foram criados, possam reencontrar o refúgio que supre as necessidades de filho, irmão, amigo. Numa dinâmica singular e surpreendente, o retiro aborda temas intimamente ligados à vida dos jovens e famílias, bem como suas realidades. A organização conta com a coordenação de três casais pertencentes ao movimento ECC (Encontro de Casais com

www.saojoaobatistadofatima.com.br


Interatividade Testemunho

Crianças

Por Inês de Miranda Reinert

“Quem canta reza duas vezes.” (Santo Agostinho)

Este também é o mês de Santa Edwiges, rainha de humildade e paciência. Muito conhecida por ajudar os necessitados, chegou a ganhar fama de protetora. Agora é a sua vez de ajudá-la. Procure o caminho certo e ligue a santa à sua coroa. Boa diversão!

Hoje tenho 71 anos de idade, mas minha história com a música começou muito cedo, desde que eu tinha apenas 13 anos. Naquela época, as missas ainda eram rezadas em latim e os padres ficavam de costas para os fiéis. O tempo foi passando e com ele fui ganhando experiências, amigos e, principalmente, fé. Foi na música que tive um verdadeiro encontro com o Senhor. Fui percebendo também que as coisas não eram tão simples assim e foi nesse período que as provações começaram a aparecer. Recordo-me de uma vez em que tudo estava dando errado e eu falei para o Senhor: “Eu vou lá cantar esta missa, mas será a última. Se Tu queres que eu continue te servindo por meio da música, me dê um sinal”. Escolhi qualquer canto, sem olhar a liturgia. Quando começou a missa, as músicas foram se encaixando perfeitamente com toda a mensagem que o Evangelho nos passava. Foi uma missa muito ungida. Foi então que percebi qual era a minha missão: evangelizar por meio das canções. Envie seu testemunho para: comunicacao@saojoaobatistadofatima.com.br

Jogos Logo no primeiro dia do mês de novembro, comemoramos o Dia de Todos os Santos. É uma forma que a Igreja encontrou de homenagear todos os Santos em geral, conhecidos ou não. Sendo assim, nós temos um desafio para você! Encontre no caça-palavras os nomes dos dez Santos que estão destacados logo abaixo.

São Francisco de Assis São João Batista Nossa Senhora do Carmo Santa Isabel Santa Edwiges Nossa Senhora da Paz Santa Paulina Santa Cecília Santo Agostinho São Sebastião

Novembro | 2013

D A A N D A A A É A S A D S A S S

E R K O E É A A E A I A E Ã S A Ã

S D I S A N T A I S A B E O L N O

11

à C à S E I à à E A Ê Ã E F à T S

O A A A D L A S S N N A D R A O E

J D D S E Ê D E E T C D E A D A B

O E E E D N E N S A I E D N E G A

à D D N E K D H I E O D E C N O S

O E E H D P E O L D E E D I M S T

B D S O S O S R Ê W D D E S D T I

A E C R D R A A C I E E D C E I Ã

T D O A E O N D N G D D E O D N O

I E L D D E T E J E E E S D E H D

S A H O E A A A E S A V A E A O E

T A I C É A P A A J A O N A A A A

A D D A A D A D A E D D T S D D A

D Ã A R M S U E D S J Ã A S É I E

E A A M Ã E L S Ã U E A C I A A Ã

S M D O E N I P A S N D E S D J A

C Ã E E D H N O D E E E C E E E D

O D D D E K A S E D D D Í D D S E

L M E E D E E É G A L I L F Ç E D

H G D D E D D D E D D D I D D D E

O S A N T A I S A B E L A E F I A

K A D G A L I L É I A D E D D D E

Ç C E E D E E E D E E E D E E E D

N O S S A S E N H O R A D A P A Z

www.saojoaobatistadofatima.com.br


CPC significa Conselho Pastoral Comunitário e CPP, Conselho Pastoral Paroquial. Ambos têm o objetivo de reunir as lideranças das pastorais, movimentos, serviços e organismos da Igreja. Todo mês é marcado um encontro para orações, estudos, avaliações, projeções, prestação de conta da vida paroquial e comunitária, visando a comunhão de todas as comunidades e pastorais. As reuniões movem a direção a seguir de coordenações e servos. É por meio delas que se pode criar um alvo a ser atingido e por meio de seus representantes, colocar em prática na comunidade os assuntos debatidos. De acordo com o artigo 4º do Regimento do Conselho Pastoral Paroquial, “o CPP visa ser também um elemento de integração das pastorais, associações, movimentos, respeitando a índole própria e a autonomia de cada um deles, sendo um sinal de consciência, de coparticipação, de corresponsabilidade e de Comunhão”. A Igreja denomina pastorais todas as realidades que são chamadas a serem realizadas em nome de Jesus Cristo e da paróquia. É todo serviço feito pela Igreja em prol dos fiéis, sendo que o trabalho desenvolvido é totalmente voluntário. As pastorais são divididas em: sociais, litúrgica, familiar, movimentos, organismos entre outras. O certo é que, em nossa paróquia, todas essas citadas estão funcionando ativamente. “A Paróquia São João Batista conta com uma grande atuação das pastorais junto com as comunidades e temos muito orgulho de dizer isso, pois as pastorais hoje são fundamentais para a reconstrução da nossa Igreja”, explica padre Sérgio. Fica aqui registrado o convite para quem deseja participar de alguma pastoral: deixe que Deus faça na sua vida uma obra nova e o seu coração seja modificado com a graça do Espírito Santo.

Jornal O Anunciador | Edição novembro/2013  

Confira a edição do jornal O Anunciador da Paróquia São João Batista do Fátima, de Joinville/SC. O projeto é da agência Arcanjo Comunicação...

Jornal O Anunciador | Edição novembro/2013  

Confira a edição do jornal O Anunciador da Paróquia São João Batista do Fátima, de Joinville/SC. O projeto é da agência Arcanjo Comunicação...

Advertisement