__MAIN_TEXT__

Page 1

S AN T UÁ R I O S AG R A DO COR AÇ ÃO D E JE SU S | JOINVILLE | JUNH O | 2 0 1 8 | DI ST R I B U I Ç ÃO G R AT U I TA


EXPEDIENTE

Mês do Sagrado Coração de Jesus

2

Siga o Santuário no Instagram!

Por Pe. Léo Heck, scj

Junho é um mês particularmente marcante para todos nós. É quando celebramos nosso patrono, o Sagrado Coração de Jesus. A tradicional novena já teve início em 30 de maio. Entre os noveneiros deste ano, contamos com a presença de paróquias próximas, além das pastorais e dos movimentos. Como celebramos o Ano Vocacional, convidamos religiosos, seminaristas e vocacionados para o último dia da novena (7 de junho). Será uma celebração de muita fé, alegria e ação de graças. Na sexta-feira, 8 de junho, Solenidade do Sagrado Coração de Jesus, vamos contar com a presença do nosso bispo diocesano, dom Francisco Carlos Bach. A partir das 10h30, todos os párocos e lideranças das paróquias da Comarca Sul estarão reunidos para a acolhida do ícone e do símbolo do Ano Vocacional. Será um momento único, de muita oração e petição pelas vocações sacerdotais e religiosas. Um amplo programa gastronômico está sendo preparado para comemorar o nosso padroeiro. Abrimos as festividades com um gostoso café em 8 de junho, às 16h. Ela irá se estender, em grande estilo, até 10 de junho. Todos estão convidados para tomar parte, quer da novena, como da festa popular. Convido a todos para celebrarmos, juntos, com fé, amor e alegria esta festa do Sagrado Coração de Jesus. Esta devoção surgiu na Idade Média, quando o próprio Cristo se manifestou à Santa Margarida Alacoque. Desde então, esta devoção não para de crescer e já inspirou dezenas de congregações, dando origem a movimentos como o Apostolado da Oração. Muitos santos e papas se pronunciaram favorável e incentivaram a implantação desta devoção. O papa Pio 11 dizia que, “a espiritualidade do Coração de Jesus é a síntese de toda religião cristã e o caminho de uma vida mais santa e perfeita”. Já São João Paulo 2º afirmava que “a nova evangelização, à luz do Sagrado Coração de Jesus, deve conscientizar o mundo de que o cristianismo é a religião da misericórdia, da esperança e do amor”. O papa Bento 16 ressaltou: a tarefa sempre atual para os cristãos é a de continuar e aprofundar sua relação com o Coração de Jesus, para reavivar a fé no amor salvífico de Deus. Para o pontífice, “o lado transpassado do Redentor é a fonte para alcançar o conhecimento verdadeiro de Jesus Cristo e compreender o que significa conhecer em Jesus Cristo o amor de Deus, experimentá-lo tendo o olhar fixo, até viver completamente da experiência de Seu amor, para poder testemunhá-lo aos demais”. O papa Francisco, ao falar sobre o Sagrado Coração de Jesus, diz que: “o Senhor dá a graça, a alegria de celebrar, no coração do Seu Filho, as grandes obras do Seu amor. Pode-se dizer que é a festa do amor de Deus em Jesus, do amor d’Ele pelo ser humano”. Há dois traços do amor, diz o papa. Primeiro: o amor está mais em dar que em receber. Segundo: o amor está mais nas obras que nas palavras. Seja amado por toda parte, o Sagrado Coração de Jesus!

“Somos chamados à santidade. Santidade é ser de Deus. Santidade vem de Jesus. Ele é o Santo no meio de nós. Ninguém se sinta mal por ser pecador. Ninguém vive já em perfeição esta vida. A santidade é uma conquista diária.”

INFORMAÇÕES IMPORTANTES • Atendimento de confissões, orientação espiritual e bênção de objetos Terça a sexta-feira: 8h30 às 11h e 14h30 às 17h Sábado: 8h30 às 11h

• Rádio Clube (AM 1590) Segunda a sexta-feira 6h55 - Nos Caminhos da Palavra 12h55 - O Pão da Palavra Sábado 7h - A Voz do Santuário 7h30 - Direção Espiritual

• Terço dos Homens Segunda-feira - 18h50

• Rádio Arca da Aliança (AM 1480) Domingo 8h - Santa Missa Segunda a sexta-feira 12h - Oração do Almoço • Rádio Cultura (AM 1250) De 4 a 8/6 e de 25 a 29/6 11h30 - A Palavra de Deus

O Jornal do Santuário é uma publicação do Santuário Sagrado Coração de Jesus, sob responsabilidade do padre Léo Heck, scj Rua Inácio Bastos, 308 - Bucarein - Joinville/SC 47 3455.2204 | www. santuarioscj.com.br

MEMÓRIAS PE. ALOÍSIO

HORÁRIOS DAS RÁDIOS

CELEBRAÇÕES NO SANTUÁRIO • Segunda-feira - 19h30 (pelos falecidos) • Terça-feira - 19h30 (pelas intenções da rádio e internet) • Quarta-feira - 16h (pelos enfermos) e 19h30 (pelas famílias) • Quinta-feira - 7h e 19h30 • Sexta-feira - 7h, 12h30 e 19h30 • Sábado - 7h (devocional mariana) e 19h • Domingo - 6h30, 8h, 9h30, 11h30, 17h e 19h • 1ª sexta-feira do mês: 7h, 12h30, 16h, 19h30 e 23h (missa jovem) • Missa com tradução em Libras: 4° domingo do mês - 19h

@santuarioscj

Produção

• Adoração Eucarística Quinta-feira - 8h às 19h30 • Grupo de Oração RCC Quinta-feira - 20h30 • Santuário Jovem Sábado - 20h

SUGESTÃO DE CONTEÚDO: redacao@agenciaarcanjo.com.br www.agenciaarcanjo.com.br facebook/agenciaarcanjo 47 3227.6640

DIAGRAMAÇÃO Matheus José

JORNALISTA RESPONSÁVEL Rayana Borba DRT/SC 3809

REDAÇÃO Filipe Natali

TIRAGEM: 2.600 exemplares

REVISÃO Fernanda Felicio

IMPRESSÃO: Gráfica Impressul

www.santuarioscj.com.br


DIOCESE

Por Rayana Borba

Por Pe. Sérgio da Silva - coordenador diocesano da Ação Evangelizadora

Para o mês dedicado ao Coração de Jesus, o Jornal do Santuário entrevistou o superior da Província Brasil Meridional da Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus, Pe. Gilberto Xavier, scj. Confira abaixo. (JS) Jornal do Santuário: Como o Coração de Jesus pode inspirar a sociedade a viver de uma maneira mais justa e solidária? (PG) Padre Gilberto: Logo após a Ressurreição de Jesus, o espírito de vida cristão invadia os corações dos que aderiam à fé cristã. E uma das características básicas era a partilha de vida e de fé. A multidão dos que haviam crido no Ressuscitado era um só coração e uma só alma (At 4,32-35). Os apóstolos davam testemunho de Jesus Ressuscitado, as pessoas O aceitavam e a vida se tornava uma partilha. Portanto, o anúncio, a aceitação e o testemunho são tarefas básicas para a nossa vida de vocacionados. O Coração de Jesus é a fonte onde somos chamados a beber da Sua misericórdia, bondade, ternura e cuidado para conosco. A partir do que recebemos por pura graça desse Coração misericordioso, somos chamados a agir assim também com os nossos irmãos. (JS): É possível ver o Sagrado Coração de Jesus se manifestando mesmo em tempos difíceis? (PG): Primeiramente vamos lembrar que Deus não tem tempo, pois a cronologia é algo humano. Deus é eterno: ontem, hoje e sempre. E Sua obra salvadora continua acontecendo em nós e por meio de nós pela ação do Espírito Santo. “Como o Pai Me enviou, Eu também vos envio” (Jo 20,21) e ao mesmo tempo “soprou sobre eles o Espírito Santo” (Jo 20,22). Portanto, a Igreja, que somos nós, batizados, está viva e atuante na sociedade e na vida das pessoas. Na medida que assumimos a nossa missão de discípulos, missionários e testemunhas do Cristo ressuscitado estamos permitindo que o Coração de Jesus, fonte de vida e de graça se manifeste na vida das pessoas e da sociedade. (JS): Qual comportamento tem faltado aos cristãos nos dias atuais? (PG): No domingo de Pentecostes, celebrado este ano em 20 de maio, uma pergunta nos inquietava: por que as portas estão fechadas se o lado do Coração de Cristo está aberto? É isso! Precisamos abrir os nossos ouvidos, nossas mentes, os nossos corações para acolher o que o Senhor tem a nos dizer. Acabamos de celebrar o mês de maio, dedicado à Maria, que está sempre nos “provocando” quando nos diz: “Fazei tudo o que Ele vos disser” (Jo 2,5). E o que o Senhor quer de cada um de nós? Certamente Ele quer entrar e fazer morada em nossas vidas. Com isso teremos mais fervor evangélico e intimidade com Deus. Sairemos do nosso isolamento, do afastamento da vida comunitária e não vamos deixar para assumir a missão que Deus quer nos confiar para “quando der tempo”.

www.santuarioscj.com.br

Em 24 de junho de 2017 tomava posse, como 5º bispo da Diocese de Joinville, dom Francisco Carlos Bach, na Catedral São Francisco Xavier. Depois de um ano como pastor da nossa Igreja diocesana, percebe-se que suas primeiras palavras, naquela bela celebração de posse, vêm tomando corpo na nossa vida eclesial. Unidade, pastoreio e comprometimento foram princípios fortes que seu coração de bispo pediu a todo o povo que atentamente o escutava, especialmente o seu clero. A cada dia, percebemos que tem procurado zelar por tais princípios, tão necessários nessa missão que é de todos. Atento ao clamor da Igreja particular de Joinville, dom Francisco acentuou a dimensão pastoral, que logo ganhou destaque na sua atuação como bispo diocesano. Sua experiência eclética das mais variadas áreas de atuação, como a canônica, econômica e pastoral, contribui para suprir as necessidades da diocese, tendo como meta a missão que lhe é própria: evangelizar, governar e santificar o seu povo. Com suas características comunicativa, dinâmica, carismática e afetuosa, logo conquistou o coração de todos. Sua presença é muito bem quista na Igreja e nos vários ambientes sociais. Como bom comunicador, chega com facilidade em todos os ambientes, com sua palavra de pastor. Sua presença afetuosa tem um tom de liberdade e leveza, que faz o povo achegar-se com muito carinho e tranquilidade. Possui uma alegria que lhe é própria e contagiante. É capaz de parar diante de uma pessoa dando-lhe toda a atenção de alguém que respeita e ama seu semelhante com compaixão. Sua relação com o clero é de proximidade. Foi um ano de conhecimento, de presença e atendimentos. Procurou olhar com carinho para cada um dos seus padres e diáconos, confirmou-lhes na missão e deu suas orientações próprias para a caminhada. Aos poucos está organizando a vida eclesial, tendo por principal meta a comunhão nas decisões gerais da caminhada diocesana. Os conselhos, reuniões, encontros, cursos, retiros e conversas visam o aprofundamento, a unidade e integração de todos na missão, em vista do bem de todo o povo que lhe foi confiado. Nesse um ano, percebe-se algumas mudanças próprias na cúria diocesana e na caminhada pastoral. Assim como a administração, a economia e a chegada do tribunal eclesiástico, toda a dinâmica da vida pastoral tem, aos poucos, passado por alguns ajustes necessários. O grande objetivo é que as crianças, os jovens, as famílias, os mais necessitados, os idosos, enfim, todos sejam bem assistidos e tornem-se cada vez mais sujeitos de uma Igreja evangelizadora. A dom Francisco, nossa gratidão e abertura de coração para ajudarmos em seu pastoreio frente à nossa amada Igreja diocesana. Com ele, dizemos a Deus: “‘Em Tuas mãos, Senhor’, está a nossa vida e a nossa missão evangelizadora. Ajuda-nos a caminhar unidos na missão, no comprometimento e no pastoreio da Tua Igreja. Dirige a todos no caminho da fé e da vida nova em Teu filho, Jesus. Faze de nós instrumentos da Tua misericórdia para com todos os que estão precisados do Teu toque transformador e amoroso. Amém”! Foto: Diocese de Joinville

Foto: Unica FotoFilm

Primeiro ano de dom Francisco em Joinville

GERAL

ENTREVISTA

3


Passado um conjunto de celebrações, como Páscoa, Ascenção, Santíssima Trindade e Corpus Christi, a Igreja convida a contemplar com carinho e devoção o Sagrado Coração de Jesus, celebrado em 8 de junho. O clima da festividade já é presente no Santuário, numa novena iniciada em 30 de maio, e que segue até o dia da festa (conforme programação ao lado). Neste ano, o tema que norteia as celebrações é: “Coração de Jesus, refúgio dos aflitos e dos pecadores”, inspirado na carta do então superior geral da Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus, Pe. Heinrich Wilmer, scj. A carta foi apresentada aos membros da família dehoniana, em 14 de março, celebração do 175º aniversário do nascimento do padre Leão Dehon, fundador da Congregação, e início do Ano do Coração ferido, que terminará com a celebração da Solenidade do Sagrado Coração de Jesus, em 2019. “Para nós, o ‘Coração ferido’ é o ícone do século 21 que transmite uma mensagem que vai além da palavra. Este símbolo é capaz de acolher os sentimentos das mulheres e dos homens deste mundo. O ícone do ‘Coração ferido’ sabe revelar a vida interior e íntima feita de desejos e expectativas, de frustrações e sofrimentos”, escreveu. Segundo Pe. Heinrich, nosso olhar para Deus, que em Jesus Cristo mostra o Seu Coração ferido, se solidariza com todo o sofrimento, onde se encontra uma resposta espiritual para o homem aflito, excluído e rejeitado no seu tempo. “A vida não é o sofrimento em si mesmo, mas o amor que nos compromete na doação aos outros.” Esta é a vida cristã alertada pelo padre, para que possa ser compreendida como possibilidade razoável. A tarefa não é apenas de questionar-se sobre o motivo das lágrimas e de tantas aflições, mas de trabalhar para que diminuam as lágrimas daqueles que necessitam de ser consolados.

Na carta, o padre cita algumas aflições que tomaram conta do Coração humano de Jesus. Uma delas foi a tristeza com que

vo. Avalia o peso dos sofrimentos que suportam e compreendem o seu desespero”, assegura.

Jesus vê pessoas abatidas como ovelhas sem pastor. “Hoje de-

Portanto, é necessário beber plenamente do “Coração feri-

paramo-nos com a situação dos homens do nosso mundo que

do” de Cristo para unirmo-nos ao homem com o coração ferido

vivem nas margens e nas periferias. Também eles são despre-

e contribuir para aliviar o seu jugo. “Neste ano, desejamos tor-

zados como ovelhas sem pastor e perdem toda a esperança”,

nar o ‘Coração ferido’ de nosso Senhor em refúgio dos homens

certifica.

subjugados pelo sofrimento, pela injustiça e pela exclusão.

Jesus também se inquieta com os prisioneiros. “Durante

Pessoalmente e em comunidade, somos convidados a inven-

a Sua Paixão, Jesus sofreu a sorte reservada aos prisioneiros.

tar, criar e implementar projetos que visam marcar esta pre-

Acusado, conduzido perante o Sinédrio (Lc 22,66-71), Pilatos e

ocupação no nosso ministério, orações e devoções”, conclui.

Herodes (Lc 23,1-12)”, declara. Mas apesar de tanto sofrimen-

Parafraseando Pe. Heinrich, que possamos nutrir a nossa

to, em Jesus bate um coração misericordioso, que se interessa

compaixão no Coração de Jesus para tornar possível, urgente

pela miséria dos homens. “Não é indiferente, mas é compassi-

e fecundo o nosso amor por cada pessoa ferida.

www.santuarioscj.com.br


Novena 1/6 – 19h30 Coração de Jesus, oceano infinito de misericórdia Pe. Emerson Citadin Noveneiros: Paróquia São Judas Tadeu, Canto e Liturgia, Ministros da Comunhão Eucarística, Acolhida e Missões 2/6 – 19h Coração de Jesus, Rei e centro de todos os corações Pe. Gilberto Xavier, scj Noveneiros: Infância Missionária, Catequese de 1ª Eucaristia, de Crisma, de Adultos e instituições de ensino 3/6 – 19h Coração de Jesus, cheio de bondade e de amor Pe. Adenir Ronchi Noveneiros: Catedral São Francisco Xavier, Setor Juventude, Santuário Jovem, Emaús, coroinhas e acólitos, Serviço de Animação Vocacional e Pastoral da Comunicação 4/6 – 19h30 Coração de Jesus, formado pelo Espírito Santo no seio da Virgem Mãe Pe. Lucas Scheid, scj Noveneiros: Paróquia Nossa Senhora do Rosário, Terço dos Homens, Dízimo, Mãe Peregrina e Legião de Maria 5/6 – 19h30 Coração de Jesus, no qual estão todos os tesouros da sabedoria e ciência Pe. Sérgio da Silva Noveneiros: Paróquia Cristo Ressuscitado, Grupos Bíblicos de Reflexão, Apostolado da Oração, Leigos Dehonianos, Pastoral dos Surdos e pastorais sociais 6/6 – 19h30 Coração de Jesus, digníssimo de todo o louvor Pe. Helton Iomes, scj Noveneiros: Paróquia São José Operário, Renovação Carismática Católica, Novas Comunidades, Casa Marta e Maria e Comunidade Arca da Aliança 7/6 – 19h30 Coração de Jesus, fonte de vida e de santidade Pe. Ivan do Nascimento Noveneiros: religiosos, religiosas, seminaristas (diocesanos e Frades Menores Capuchinhos), vocacionados e consagrados no mundo.

www.santuarioscj.com.br

Festa SOLENIDADE DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS 8/6 7h – missa 10h30 – acolhida do símbolo e ícone do Ano Vocacional, Adoração e oração pelas vocações e pela santificação do clero 11h30 – missa presidida por dom Francisco Carlos Bach (não haverá missa às 12h30) 15h – oração da Coroa do Sagrado Coração de Jesus, Adoração e missa 19h30 – missa solene A partir das 16h: pastel, cachorro-quente, café, bolos e doces. A partir das 19h: canja FESTA DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS 9/6 7h – missa devocional mariana 10h – celebração com as crianças 15h – celebração com unção aos idosos e aos enfermos 19h – missa A partir das 11h: churrasco, galeto, pinhão, quentão, pastel, cachorro-quente, café, bolos, doces e recreação para as crianças 10/6 Missa: 6h30, 8h, 11h30 e 19h (não haverá missa às 17h) 9h30 – missa com os festeiros 10h30 – apresentação da Banda do 62º Batalhão de Infantaria 14h30 – Show de Prêmios 17h – encerramento da festa A partir das 7h30: café, bolos, doces, pastel e cachorro-quente. A partir das 11h: galeto, churrasco e recreação para as crianças


JUBILEU Por Marco Farias

SANTUÁRIO

Pe. Lucas: 50 anos de doação Em 6 de julho, nosso vigário Pe. Lucas Scheid, scj, festeja seu jubileu de ouro, ao completar 50 anos de ordenação sacerdotal. Natural de Luzerna/ SC, Pe. Lucas iniciou sua caminhada vocacional aos 15 anos, em 1954, no Seminário de Crissiumal/RS. Foi ordenado sacerdote por dom João Hoffmann, em 6 de julho de 1968, em Três Passos/RS. Nestas cinco décadas de dedicação e serviço à Igreja, Pe. Lucas já foi professor, formador, pároco e diretor de seminário, até chegar à Casa

Foto: Unica Foto Film

6

do Coração em 2015. Para bem festejarmos a data, uma missa festiva será celebrada no Santuário no sábado, 7 de julho, às 19h. Em seguida, familiares, amigos e paroquianos serão recepcionados em um jantar no Ádamo Gastronomia (rua Gothard Kaesemodel, 254 - Anita Garibaldi). Os convites para o jantar custam R$ 35 e devem ser adquiridos antecipadamente na Secretaria ou na Livraria do Santuário, pois não serão comercializados na hora. Padre Lucas conta com sua presença!

Cada comunidade uma nova vocação O projeto nasceu de forma inusitada em 14 de novembro de 2016, na sede do Regional Sul 2 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em Curitiba. No decorrer de uma reunião informal referente às atividades da Pastoral Vocacional em âmbito de estado, surgiu, inesperadamente, a inspiração para uma ação evangelizadora ampla, inédita, em prol de todas as vocações da Igreja. Aquilo que no início parecia ser apenas algumas ideias, anotadas livremente a mão, foi tomando forma e depois de alguns minutos resultou em dez páginas de escritos com um conteúdo cheio de novidades: eram as primeiras páginas do projeto “Cada comunidade uma nova vocação”. Tendo como objetivo suscitar uma cultura vocacional em toda a Igreja para despertar as mais variadas vocações, o projeto conta com objetivos bem específicos, como rezar pelas vocações em todos os espaços e momentos da vida eclesial; desafiar as comunidades a despertar um de seus membros para uma vocação de consagração; dar sustentação espiritual aos que responderam ao chamado de Deus; publicar nos meios de comunicação testemunhos, músicas, filmes vocacionais; viver a experiência da unidade eclesial na promoção vocacional. Todas as iniciativas do projeto podem ser acompanhadas em vocacoes.org. Depois de aprovado no Paraná, o projeto foi apresentado aos bispos de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, que prontamente aderiram à iniciativa. A Diocese de Joinville inaugurou o projeto em 2 de fevereiro. Desde 12 de maio o símbolo e o ícone da Jornada Vocacional e Missionária estão em peregrinação pelas paróquias diocesanas. O Santuário Sagrado Coração de Jesus os acolherá em 8 de junho, Solenidade do Sagrado Coração de Jesus e também dia de oração pela santificação do clero. Confira a programação ao lado e participe!

Foto: vocacoes.org

Por Marco Farias

Símbolo e o ícone da Jornada Vocacional e Missionária do Regional Sul 4 da CNBB

8 DE JUNHO 10h30 – acolhida do símbolo e ícone do Ano Vocacional, Adoração e oração pelas vocações e pela santificação do clero 11h30 – missa presidida por dom Francisco Carlos Bach *não haverá missa às 12h30

www.santuarioscj.com.br


Adaptado do portal Canção Nova

Foto: Reprodução/Internet

Providência Divina é uma prova de fé

Às vezes, até parece coincidência, mas pode ter certeza que não é. A Providência Divina é uma prova de fé, que ocorre cada vez que nos confiamos e nos abandonamos nas mãos de Deus. O exemplo vem do próprio Jesus, na cruz: “Pai, em Tuas mãos, entrego o Meu espírito” (Lc 23,46). Ele confiou em Deus como Senhor da Sua história e dono da Sua vida. A Bíblia nos traz outras histórias de homens e mulheres que acreditaram na Providência Divina. Maria aceitou ser mãe do Salvador, sem pensar duas vezes: “Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua palavra” (Lc 1,38). A Providência Divina é um dos elementos mais belos da nossa fé. Ao confiarmos nela, depositamos a nossa vida nas

mãos de Deus, entregando o nosso passado, presente e futuro para o Senhor. Ao testemunharmos que acreditamos profundamente que Deus provê, nós anunciamos que Ele está à frente de tudo o que fazemos e que Ele é o Dono do nosso ser e da nossa história. Não podemos, em hipótese alguma, confundir fé na Providência Divina com displicência ou com os equívocos do fatalismo. Faz-se necessário uma sincera renúncia do que popularmente muitas vezes falamos ou ouvimos: “Vamos deixar como está para ver como é que fica”. Claro que Deus cuida de nós. Mas não podemos nos acomodar. O Senhor faz a parte d’Ele e nós fazemos a nossa. Este é o “casamento” perfeito para que os sonhos se concretizem e os projetos se realizem. Deus vai sempre providenciar o que é necessário para que as portas se abram. E nós vamos colaborar com a Providência de Deus fazendo tudo o que está ao nosso alcance. Esta será sempre a atitude de um homem e de uma mulher que têm fé. Ou seja, de um lado depositar a sua total confiança no Senhor, e de outro, trabalhar incansavelmente, dia e noite, sem parar para que as coisas aconteçam. Precisamos esperar como se tudo dependesse de Deus. E precisamos agir como se tudo dependesse de nós! A fé na Providência nos move, nos estimula, nos dinamiza e nos torna cada vez mais criativos em tudo!

PAPA FRANCISCO Por Pe. Lucas Scheid, scj

Vocação à santidade A exortação apostólica “Gaudete et Exsultate - Alegrai-vos e exultai”, do papa Francisco, é um convite à vivência da santidade no contexto atual: “todos somos chamados a ser santos”. O tema da santidade é constante na Bíblia Sagrada. Já no Antigo Testamento, encontramos Javé exigindo santidade do povo escolhido: “sede santos, porque Eu sou santo’’ (Lv 11, 45). Jesus, o filho de Deus, retoma o chamado dizendo: ”sede perfeitos como é perfeito o Pai de vocês que está no céu” (Mt 5,48). Isto quer dizer, basicamente, sede santos. O Concílio Vaticano 2º (1962-1965), na Constituição Dogmática sobre a Igreja (Lumen Gentium), dedica um capítulo inteiro sobre a vocação universal à santidade. Todos somos chamados a ser santos, repete o papa Francisco nesta exortação, num apelo à santidade. Mas ela tem uma característica própria. O papa propõe a vivência de uma santidade no mundo atual com seus riscos, desafios e oportunidades. A pergunta fundamental é esta: como ser santo hoje? O papa nos orienta com práticas objetivas para trilhar este itinerário. Cada cristão fiel deve pôr-se a caminho em direção à santidade, conforme sua condição e estado de vida. Não exclui ninguém. Deve ser uma busca permanente, pois a “vontade de Deus é que sejais santos”. A santidade acontece todos os dias, seja na vivência da família, no trabalho e inclusive nas tarefas mais simples. O coração desta exortação está na perspectiva da vivência das bem-aventuranças (Mt 5,3-12) e na prática das obras de caridade (Mt 25,3146). Portanto, não é uma santidade individualista, fechada em si, mas na convivência e comunhão fraterna, principalmente com os mais pobres e necessitados. O caminho não é fácil, alerta o papa: “a vida cristã é uma luta permanente’’ (nº 158). Há muitos inimigos que querem nos afastar do caminho da santidade como o gnosticismo, o pelagionismo, o materialismo, o ateísmo, etc. Também o mundo pós-moderno com suas propostas, incluindo o próprio demônio que nos tenta desviar do bem.

www.santuarioscj.com.br

Porém, devemos sempre confiar na graça de Deus que nos acompanha e nos fortalece. Contamos com muitos meios de santificação como a oração constante, a Palavra de Deus, a vivência dos sacramentos — principalmente a Eucaristia e a Reconciliação —, as devoções aprovadas pela Igreja e tantas outras. Esta meta se alcança com a graça de Deus, docilidade ao Espírito Santo, generosidade e perseverança. Eu gostaria ainda de indicar algumas características que o papa põe como sinais da santidade de hoje: paciência e mansidão; alegria; ousadia e ardor; comunidade e oração constante. O papa comenta cada uma destas características e, por isso, sugiro a leitura do próprio documento. Lembre-se que a santidade consiste na união com Deus e na comunhão com os irmãos, iniciada no Batismo e que se plenifica na eternidade. Quero terminar esta pequena reflexão com o próprio desejo do papa, invocando a proteção de Maria, a mãe de Jesus: “Ela é a mais abençoada entre os santos”. E também com a invocação ao Espírito Santo: “Peçamos ao Espírito Santo que infunda em nós um desejo intenso de ser santos para a maior glória de Deus” (nº 176 e 177).

Você encontra a exortação apostólica Gaudete et Exsultate, do papa Francisco, à venda na Livraria do Santuário (R$ 10).

ESPIRITUALIDADE

CONFIANÇA

7


No mês do Sagrado Coração de Jesus, vale relembrar as 12 promessas feitas por Jesus a Santa Margarida Maria Alacoque. Em seus momentos de oração, Jesus mostrou a ela Seu Coração ferido e machucado, porém inflamado de amor e revelou 12 promessas. Vamos descobrir quais são? Você só precisa ligar os desenhos abaixo à promessa correspondente. Partiu?!

Profile for Agência Arcanjo

Edição de Junho - Jornal do Santuário de 2018  

Edição de Junho - Jornal do Santuário de 2018  

Advertisement