Page 1

Jornal do

SANTU SANT UÁRIO

www. santuarioscj.com.br

Joinville, 01 de Janeiro de 2013 | Ano 01 | N° 01

01


Expediente CELEBRAÇÕES NO SANTUário

MENSAGEM DO PÁROCO • Segunda-feira - 19h30 (pelos falecidos) • Terça-feira - 16h (pelas intenções da rádio e internet) e 19h30 • Quarta-feira - 19h30 (pelas famílias) • Quinta-feira - 7h, 16h (pelos enfermos) e 19h30 • Sexta-feira - 7h, 12h30 e 19h30 • Sábado - 7h (devocional mariana) e 19h • Domingo - 6h30, 8h, 9h30, 11h30, 17h e 19h • 1ª sexta-feira do mês: 7h, 12h30, 16h, 19h30 e 23h • Missa com tradução em Libras: 4° domingo do mês - 19h • Missa dos Grupos Bíblicos de Reflexão: 2ª terça-feira do mês - 19h30 INFORMAÇÕES importantes • Atendimento de confissões, orientação espiritual e bênção de objetos Terça a sexta-feira - 8h30 às 11h | 14h30 às 17h Sábado - 8h30 às 11h • Adoração Eucarística Quinta-feira - 8h às 19h30 • Grupo de Oração RCC Quinta-feira - 20h30 • Santuário Jovem Sábado - 20h • Terço dos Homens Segunda-feira - 19h

hORÁRIOS DAS RÁDIOS Rádio Clube (AM 1590) Segunda a sexta 7h55 - Nos Caminhos da Palavra 11h25 - O Pão da Palavra Sábado 7h - A Voz do Santuário 7h30 - Direção Espiritual

Por Padre Sildo César da Costa, scj

Queridos irmãos e irmãs, devotos do Sagrado Coração de Jesus: iniciamos o segundo semestre de 2016. O tempo voa e a gente vai escrevendo a história com as nossas vidas. No início do ano, cada um de nós fez propósitos para começar bem o novo ano. E assim, nos propomos: buscar mais a Deus, orar mais e participar mais das coisas de Deus. Outro ponto, que certamente nos propomos, é “ser melhor”. Melhor pai, melhor mãe, melhor filho, melhor esposo ou esposa. O dia foi passando, um atrás do outro e aqui chegamos. Não quero com esta reflexão desanimá-los, ao contrário, quero encorajá-los, pois o ano ainda não terminou e podemos colocar em prática tudo aquilo que queremos melhorar. Peço para que não nos esqueçamos dos bons propósitos e de pô-los em prática. A vida passa rápido e o que fizemos a cada dia pode fazer a diferença no final do ano. Em nosso Santuário temos muito a agradecer neste semestre que passou, pois realizamos muitas coisas importantes, e outras, que iremos celebrar até o final do ano. Você lembra que em 21 de dezembro de 2015 abrimos o Ano do Centenário e começamos, a partir dali, a nos preparar com muita alegria para a grande celebração do jubileu? Foi neste dia que tivemos a presença de nosso bispo diocesano, Dom Irineu Roque Scherer, que abriu a Porta Santa, iniciando assim, o Ano da Misericórdia e fazendo do Santuário um lugar de peregrinação para as pessoas que queiram conquistar as indulgências. Naquela celebração foi realizada a dedicação da igreja. Depois disso, realizamos as grandes celebrações do Natal, da Quaresma, da Semana Santa, da Páscoa, de Pentecostes, de Corpus Christi, das Novenas do Sagrado Coração de Jesus e terminando com a grande Solenidade e Festa do nosso padroeiro. Não posso deixar de mencionar as inúmeras peregrinações das paróquias vizinhas e distantes de Joinville, como de outras cidades pertencentes à Diocese de Joinville e também de outras dioceses. Recordar a Quarta-feira Santa, onde celebramos a Missa dos Santos Óleos, com a presença dos padres de toda a Diocese e de um grande número de fiéis. Agradecer os encontros das pastorais e movimentos que foram realizados no Santuário: Mãe Peregrina, Apostolado da Oração, Terço dos Homens, etc. Provavelmente devo ter esquecido alguma coisa. Porém, rever e avaliar é sempre muito bom. Certamente vamos percebendo o quanto fizemos e o quanto Deus nos abençoou. Obrigado por vocês, devotos do Coração de Jesus participarem conosco. O segundo semestre inicia e com ele a contagem regressiva para a chegada da comemoração centenária. Vamos juntos preparar o coração para a grande festa do jubileu. Para terminar, convido os nossos dizimistas a fazerem o recadastramento dos seus dados. O Santuário quer celebrar o Centenário com a alegria de estar mais próximo dos seus. Você pode fazer o recadastramento pessoalmente na Secretaria do Santuário ou preencher a ficha que estamos colocando dentro do envelope do dízimo, trazendo junto com sua oferta no Domingo do Dízimo (2º domingo de cada mês). Que o Coração de Jesus derrame a Sua infinita misericórdia sobre todos nós. Jesus, manso e humilde de Coração: fazei o nosso coração semelhante ao Vosso!

Cronograma mensal Inscrições para Catequese de Adultos Data: 4 a 30 de julho Local: Secretaria do Santuário

Encontro de Namorados Data: 30 de julho Local: Auditório do Santuário Inscrições na Secretaria (R$ 50/casal)

Jantar Dançante do ECC Data: 15 de julho Local: Restaurante Glória - Convites (R$ 120/casal) à venda na Secretaria

Rádio Difusora Arca da Aliança (AM 1480) Domingo 8h - Transmissão da missa Rádio Cultura (AM 1250) 1ª semana do mês (segunda a sexta-feira) 11h - Refletindo a Palavra

2

www.santuarioscj.com.br


Geral Por Ivone Moreira

Foto: Amanda Joenk

Solidariedade

Originária do latim, a palavra “solidariedade” entrou no vocabulário português por via francesa: solidarité. Entre muitas outras acepções ditadas pelos dicionários, solidariedade é o sentimento de quem é solidário, isto é, de quem partilha o sofrimento alheio ou se propõe mitigá-lo. Segundo o Catecismo da Igreja Católica (§1939 e §1942), o princípio da solidariedade é uma exigência direta da fraternidade humana e cristã, a qual vai além dos bens materiais. Difundindo os bens espirituais da fé, a Igreja favoreceu o desenvolvimento dos bens temporais, verificando-se, assim, ao longo dos séculos, a palavra do Senhor: “Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão dadas por acréscimo” (Mt 6,33). Quando um doutor da Lei perguntou a Jesus: “Mestre, qual é o maior mandamento da Lei?”, Ele respondeu: “Amarás o Senhor, teu Deus, com todo o teu coração, com toda a tua alma e com todo o teu entendimento. Esse é o maior e o primeiro mandamento. Ora, o segundo lhe é semelhante: Amarás teu próximo como a ti mesmo. Toda a Lei e os profetas dependem desses dois mandamentos” (Mt 22,36-40). Amar os outros como a nós mesmos significa que os vemos como gostaríamos de ser vistos e os tratamos como gostaríamos de ser tratados. Jesus disse: “Tudo quanto desejais que os outros vos façam, fazei-o, vós também, a eles. Isto é a Lei e os Profetas” (Mt 7,12). Amar ao próximo não é apenas um sentimento; envolve ação. Tem a ver com bondade, compaixão, respeito, generosidade, paciência, acolhimento...e outras tantas virtudes que devemos exercitar para cumprir o que foi determinado por Jesus no segundo mandamento. “Caríssimos, amemo-nos uns aos outros, porque o amor vem de Deus e todo aquele que ama nasceu de Deus e conhece a Deus. Quem não ama, não chegou a conhecer a Deus, pois Deus é amor” (1Jo 4,7-8). O amor ao próximo está relacionado com o amor a Deus. Jesus ajudou os pobres, curou os doentes, alimentou os famintos e ensinou as multidões. Seu motivo para fazer tudo isso era auxiliar as pessoas a se reconciliarem com Deus. Amando nossos semelhantes, demonstramos que também amamos aqu’Ele que nos criou à Sua imagem e semelhança.

www.santuarioscj.com.br

Assim como Deus é misericordioso conosco, desejando o nosso bem e querendo ver-nos felizes, cheios de alegria e serenidade, assim também nós somos chamados a sermos misericordiosos uns para com os outros. É desejo do Papa Francisco que, durante este Ano Santo da Misericórdia, façamos uma reflexão sobre as Obras de Misericórdia Corporais e Espirituais. Será uma maneira, diz ele, de acordar a nossa consciência, muitas vezes adormecida perante o drama da pobreza e de entrar, cada vez mais, no coração do Evangelho, onde os pobres são os privilegiados da misericórdia divina. A pregação de Jesus apresenta-nos estas obras de misericórdia para podermos perceber se vivemos ou não como seus discípulos (Misericordiae Vultus, p.22). Obras de misericórdia corporais: dar de comer aos famintos; dar de beber aos sedentos; vestir os nus; acolher os peregrinos; dar assistência aos enfermos; visitar os presos e enterrar os mortos. Obras de misericórdia espirituais: aconselhar os indecisos; ensinar os ignorantes; admoestar os pecadores; perdoar as ofensas; consolar os aflitos; suportar com paciência as pessoas molestas e rezar a Deus pelos vivos e defuntos. A solidariedade consiste na ajuda altruísta, generosa e desinteressada que brota do coração. Aquele que dá o melhor de si para o outro, sem esperar nada em troca, descobre que já recebeu o maior prêmio e a melhor recompensa, pois o bem é um tesouro que traz imensa satisfação pessoal tanto a quem dá como a quem recebe. Sejamos solidários, vivamos a solidariedade! Usemos de misericórdia para com nossos irmãos, principalmente neste período de recessão, em que milhões de irmãos nossos estão desempregados...e consideremos não só os que são necessitados, mas também os que estão necessitados. Reavivamento

Foto: Acácio Freudenborg

ano da misericórdia

O Encontro de Casais com Cristo (ECC) realizou no sábado, 18 de junho um retiro de reavivamento com a participação de 50 casais. Tendo como objetivo gerar uma reaproximação entre os casais encontristas, o evento contou com palestras e momentos de oração, encerrando com um jantar romântico.

3


No núcleo familiar geralmente os avós são as pessoas que recebem posição de destaque, são os mais queridos e respeitados pelos filhos, pelos tios e principalmente pelos netos. Isso acontece porque os avós carregam em si a virtude da experiência. Toda a sabedoria que aprenderam durante tantos anos, eles são capazes de transmitir na sua simplicidade e modo de viver. E assim como existe um dia para homenagear os pais e as mães, também existe o Dia dos Avós, que é celebrado em 26 de julho, em memória a Santa Ana e São Joaquim, os pais de Maria e avós de Jesus. A data foi escolhida pelo papa Paulo 6º, no século 20. E a importância que eles trazem por serem os avós de Jesus é enorme, porque o exemplo de santidade da família perdura gerações e se torna para os fiéis uma herança a ser seguida e espelhada. No Santuário, a presença dos avós, seja nas pastorais ou para os de-

4

votos que aqui participam, origina um brilho diferente, deixa a Casa do Coração ainda mais iluminada. É por meio dessas respeitadas figuras, que se revela ao povo o seu próprio futuro. Dá a todos, sobretudo aos jovens, uma imagem de quem serão lá na frente. E cada um deles é a representação de uma vela, que a cada dia que passa, é consumida por amor a Deus. O Papa Francisco disse em uma de suas homílias diárias na Casa Santa Marta: “Os avós são um tesouro. A memória de nossos antepassados leva à imitação da fé. A velhice, às vezes, é feia por causa das doenças e de todo o resto, mas a sabedoria de nossos avós é a herança que recebemos”. Por isso é preciso dar a importância e o reconhecimento necessário a eles, tesouros que cada família carrega na história. Por Arcanjo Comunicação Católica

www.santuarioscj.com.br


Eraldo e Melice Bankhardt recém entraram para a lista de “Avós do Coração”. A união de mais de 31 anos gerou duas filhas, Elaine e Gabriela, que agora veem a família aumentar com a chegada de Théo, filho de Elaine, e primeiro neto do casal. Atualmente com seis meses de idade, Théo gerou uma mudança na rotina do casal de avós, que se “derretem de amor” ao falar do mais novo membro da família. “O nascimento de um neto mexe com a família inteira, pois agora toda a atenção é dele. Vamos à casa da Elaine cinco vezes por dia para ver como ele está”, conta Eraldo, 53 anos. Para Melice, 51 anos, a grande diferença entre ser mãe e avó, é a responsabilidade: “ser pai e mãe é muito bom, mas é também uma grande responsabilidade, pois filhos são os espelhos dos pais. Já com os netos, dá para curtir um pouco mais, pois hoje temos outra experiência de vida, diferente daquela dos primeiros anos de casamento quando as meninas nasceram”. O casal, participante da Pastoral Familiar do Santuário, descreve com alegria a nova experiência: “Como avós, vemos os ensinamentos e a educação que passamos para nossas filhas serem passados adiante, para uma nova geração. Tudo isso é muito gratificante.”

Ser avó é uma grande alegria na vida de Dilma Borba, 78 anos. Junto ao seu marido Alberto Borba, falecido há 15 anos, ela construiu uma família com os filhos Vanderlei, Jonecir e Jadson, que geraram cinco netos: Rovan, Rayana, Isabela, Lucas e Isadora. “Todos os netos foram muito bem-vindos e amados por nós”, conta. E foi na nova geração da família que Dilma realizou o sonho de ter uma filha mulher. “Deus me presentou com quatro meninas: três netas e a Amanda, minha bisneta”. A avó sente que o carinho pelos netos é ainda maior que o sentido pelos filhos, já que não exige a responsabilidade da formação. “Quando criamos nossos filhos, dividíamos o amor com outros afazeres. Já com os netos, nossa maior responsabilidade é o amor”. Dilma também é ativa na formação cristã dos netos, abençoando-os sempre que os encontra e rezando por eles.

O casal de avós Orestes e Isabel Nogueira, ambos com 81 anos de idade, são parte de nossa história centenária. Moradores do bairro Floresta, frequentam o Santuário há 60 anos, igreja onde casaram, batizaram os filhos e netos. Casados há 56 anos e pais de três filhos - Ione, Luiz Carlos e Maria Aparecida, Orestes e Isabel irradiam alegria ao falar dos cinco netos: Ana Flávia, Maria Luíza, Carolina, Victor e Juliana. “A chegada dos netos aumentou a família e trouxe aquela alegria que só existe quando temos crianças em casa”, revela Isabel, orgulhosa da família que construiu e ansiosa pela chegada dos bisnetos. Já para Orestes, a grande vantagem de ser avô é poder dedicar mais tempo à família: “Quando os filhos eram pequenos, tínhamos mais responsabilidades, como o sustento e a educação deles. Hoje, com os netos, podemos dedicar todo o nosso tempo para eles”. Para o casal, hoje pais e avós, a família deve vir sempre em primeiro lugar, pois é um berço de vocações e uma dádiva de Deus.

Crianças e anciãos constróem o futuro dos povos. (...) Esse diálogo entre as gerações é um tesouro que deve ser conservado e alimentado.

www.santuarioscj.com.br

“ 5


Santuário LEMBRANÇAS

Por Carin Montes

Em 19 de janeiro de 1985 toma posse como pároco o Pe. Carmo Rhoden, scj, vindo do Convento Sagrado Coração de Jesus em Brusque/SC. Padre Carmo já era conhecido pela comunidade, pois havia atuado como vigário paroquial entre 1973 e 1979.

Foto: Arquivo institucional do Santuário

Foto: Reprodução/internet

Memória do Centenário

Dom Carmo Rhoden, scj

ACONTECIMENTOS EM DESTAQUE 1985 – Conserto do telhado da igreja e dos sinos, que estavam parados Fevereiro de 1986 – Chega à Paróquia como vigário o Pe. Jair Rodrigues Costa, scj

Demolição do antigo galpão de festas (julho de 1989)

Julho de 1986 – Com o êxito financeiro da Festa do Padroeiro, foi feita a reforma interna da igreja, com a remoção da grande cruz e a colocação dos vitrais (que hoje estão na parede frontal da igreja), demolição da antiga casa paroquial, bem como a construção do estacionamento para carros, pois só havia local para bicicletas 1987 – A catequese passou a ter a preparação de dois anos: pré e primeiro ano. Pela necessidade de salas a antiga casa paroquial foi adaptada para este fim 12/10/1988 – Após a missa, foi feita a inauguração e bênção solene do nicho, na lateral da igreja, onde foi colocada uma imagem de Nossa Senhora Aparecida Foto: Arquivo institucional do Santuário

7/2/1989 – Inicia como coadjutor o Pe. Floriano de Oliveira, scj Junho de 1989 – O lucro obtido com a Festa do Padroeiro foi destinado à construção do novo Centro Comunitário Julho de 1989 – Demolição do antigo galpão de festas, para dar lugar ao Centro Comunitário Pe. Erico João Ahler 18/12/1989 – Inicia como vigário o Pe. Henrique Boeing, scj 10/8/1990 – Na residência do Sr. Florêncio, no bairro Guanabara, reuniu-se a comissão para formar uma nova capela, a Comunidade Sagrada Família (hoje pertencente à Paróquia N. Sra. do Rosário)

6

1ª igreja da Comunidade Sagrada Família (1990)

www.santuarioscj.com.br


Santuário ACONTECIMENTOS EM DESTAQUE 22/2/1991 – Chega à Paróquia como vigário o Pe. Flávio Morelli, scj 9/12/1991 – Inicia as atividades de vigário o Pe. Maurídio Weber, scj 14/12/1991 – Dom Gregório Warmeling realiza a ordenação sacerdotal de um paroquiano: Pe. Valdir Souza, scj. Na primeira missa do neossacerdote, os jovens foram responsáveis pelos cantos da celebração, uma vez que Pe. Valdir havia sido membro da JUSC (Juventude Unida do Sagrado Coração) 17/12/1991 – Celebração do Jubileu de Prata de Vida Sacerdotal do pároco - Pe. Carmo 25/1/1992 – Despedida do Pe. Cenário Hanauer, scj, transferido para a Paróquia de São Martinho - Diocese de Tubarão/SC Maio de 1992 – Houve uma extensa programação pela “Festa dos 75 anos”, com a participação dos bispos: Dom Eusébio Scheid, scj, Dom Nelson Westrupp, scj, e Dom Gregório Warmeling

Realizada a Romaria de Nossa Senhora no Estádio Ernesto Schlemm Sobrinho, em agosto de 1988, com a participação de aproximadamente 12 mil pessoas. Coube à Paróquia Sagrado Coração de Jesus preparar o campo para a celebração e a transmissão via rádio da missa Por motivo da construção do Centro Comunitário, a Festa do Padroeiro de 1989 não foi realizada em junho, mas sim, entre 10 e 11 de novembro Em 18 de outubro de 1989, a igreja esteve lotada com a presença do Frei Silvério, de Lages/SC No dia de Corpus Christi de 1993, houve missa campal, tendo como pregador o Pe. Léo (Comunidade Bethânia). No mesmo ano, a Paróquia recebeu a doação de um veículo usado, no valor de 300 mil cruzeiros, como colaboração para a construção do Centro Comunitário Durante sua gestão como pároco, Padre Carmo contou também com a valiosa colaboração dos diáconos Rogério Nunes e Dionísio Hoepers

Setembro de 1992 – Foi formado um grupo responsável pela Pastoral do Dízimo 21/2/1993 – Início da Catequese de Perseverança e da Crisma de Adultos 7/8/1993 – Apresentado como vigário o Pe. Onivaldo da Silva, scj 5/2/1994 – Após nove anos à frente da Paróquia, Pe. Carmo despede-se de Joinville, seguindo para nova missão em Brusque. Foi ordenado bispo da Diocese de Taubaté em 1996 (hoje bispo emérito)

Foto: Arquivo institucional do Santuário

CURIOSIDADES: Em dois sábados de dezembro de 1986 foram celebrados 56 casamentos Em 1987, foi recuperada uma antiga máquina, onde eram fabricadas as partículas que a Paróquia utilizava nas missas Em 12 de fevereiro de 1988, a Paróquia acolheu por aproximadamente três horas a imagem peregrina de Nossa Senhora de Fátima, vinda de Portugal para o Brasil. Padre Cenário Hanauer buscou a imagem em Curitiba, sendo comovente a chegada da imagem no carro do Corpo de Bombeiros, recepcionada pela Banda do Batalhão. Aproximadamente seis mil pessoas demonstraram seu gesto de amor à Mãe, mesmo com a missa sendo celebrada ao meio-dia

Imagem peregrina de Nossa Senhora de Fátima, vinda de Portugal

Padres Coadjutores

Jair Rodrigues da Costa (1986-1989)

Floriano de Oliveira (1984)

www.santuarioscj.com.br

Henrique Boeing (1989-1994)

Flávio Morelli (1991-1996)

Maurídio Weber (1991)

Onivaldo da Silva (1993-1994)

7


Para entrar na história! Assim foi a 99ª Festa do Sagrado Coração de Jesus, realizada entre 25 de maio e 5 de junho. Durante 12 dias, o Santuário acolheu os devotos que vieram beber desta fonte inesgotável de misericórdias que é o Coração de Jesus. Nosso agradecimento a você, que tornou essa festa mais bonita, rezando nas novenas, participando das missas, recebendo as bênçãos especiais e saboreando as delícias da festa gastronômica. Nosso muito obrigado também aos Amigos do Coração e Festeiros, que com suas doações generosas fizeram nossa festa acontecer. E um agradecimento todo especial aos voluntários, que trabalharam durante semanas na preparação e organização: sem vocês nada disso seria possível. Que venha 2017! Que venha a 100ª Festa do Sagrado Coração de Jesus! Por Marco A. Farias

Profile for Agência Arcanjo

Jornal do Santuário - Edição Julho de 2016  

Jornal do Santuário - Edição Julho de 2016  

Advertisement