__MAIN_TEXT__

Page 1

Jornal do

SANTU SANT UÁRIO

www. santuarioscj.com.br

Joinville, 01 de Janeiro de 2013 | Ano 01 | N° 01

01


Expediente CELEBRAÇÕES NO SANTUário

MENSAGEM DO PÁROCO • Segunda-feira - 19h30 (pelos falecidos) • Terça-feira - 16h (pelas intenções da rádio e internet) e 19h30 • Quarta-feira - 19h30 (pelas famílias) • Quinta-feira - 7h, 16h (pelos enfermos) e 19h30 • Sexta-feira - 7h, 12h30 e 19h30 • Sábado - 7h (devocional mariana) e 19h • Domingo - 6h30, 8h, 9h30, 11h30, 17h e 19h • 1ª sexta-feira do mês: 7h, 12h30, 16h, 19h30 e 23h • Missa com tradução em Libras: 4° domingo do mês - 19h • Missa dos Grupos Bíblicos de Reflexão: 2ª terça-feira do mês - 19h30

INFORMAÇÕES importantes • Atendimento de confissões, orientação espiritual e bênção de objetos Terça a sexta-feira - 8h30 às 11h | 14h30 às 17h Sábado - 8h30 às 11h • Adoração Eucarística Quinta-feira - 8h às 19h30 • Grupo de Oração RCC Quinta-feira - 20h30 • Santuário Jovem Sábado - 20h • Terço dos Homens Segunda-feira - 19h

Por padre Sildo César da Costa, scj

Queridos paroquianos e devotos do Sagrado Coração de Jesus: o mês tão esperado chegou! Dezembro, será, sem dúvida, um mês muito abençoado. Abriremos o Ano Santo da Misericórdia instituído pelo papa Francisco. Eu considero um grande presente do papa para nós, devotos do Coração de Jesus, pois o papa quer que todos possam beber da fonte da misericórdia. Lembremo-nos da parábola da ovelha perdida, na qual o Bom Pastor encontra, acolhe, cura as feridas e volta com a ovelha em seus ombros, cheio de alegria, pois encontrou a ovelha que se tinha perdido. Quantas “ovelhas” neste Ano Santo passarão pela Porta Santa de nosso Santuário, querendo voltar para a Casa do Coração! O Senhor se alegrará, a comunidade vai estar preparada para acolher e assim celebrar a grande festa da misericórdia. Abrimos também, neste mês, o ano do Centenário, onde iniciaremos as festividades deste grande evento jubilar, e estaremos em contagem regressiva para a celebração dos cem anos da Paróquia Santuário Sagrado Coração de Jesus. Nossa preparação já iniciou há um bom tempo, em 2014, quando lançamos a campanha em prol das reformas do Santuário, em vista do Centenário. Que bom, chegar neste momento, olharmos o nosso Santuário e dizer: “como está belo!”. Obrigado pelo seu coração generoso! Podemos dizer que estamos felizes, por iniciar o Ano Jubilar, com este espaço digno e santo. Agora é o momento de fazer a grande reforma interior de cada coração. Somos chamados a viver, com alegria, em espírito de festa, de confraternização, intensificando a nossa fé, amando cada vez mais o Coração de Jesus. O Centenário será um recordar da nossa história, mas tendo sempre um olhar para o futuro. Queremos deixar um legado para as gerações futuras. Daqui cem anos eles recordarão a história que estamos escrevendo hoje. Nossa responsabilidade é deixar como herança para as gerações que chegam o maior tesouro que descobrimos nesta terra: “o Sagrado Coração de Jesus”. A história de Joinville passa pelo Coração de Cristo: somos uma Paróquia referência em nossa cidade e Diocese. Quando saio para celebrar nas comunidades, tanto em Joinville, como em outras cidades, pergunto: “Quem conhece o Santuário Sagrado Coração de Jesus?”. A grande maioria levanta a mão, demonstrando, assim, o seu amor por este lugar. Quantos vêm dizer após a missa: “meus pais casaram lá”; “fui batizado naquela igreja”; “fiz minha 1ª Eucaristia no Sagrado”; “hoje, moro na praia, mas não consigo ficar um mês sem visitar o Santuário”; “não perco as celebrações da 1ª sexta-feira do mês”; “conheci o Pe. Augusto, Pe. Henrique, Pe. Érico...”. Construímos a história e a fé de um povo. Você é nosso convidado para participar, de 14 a 20 de dezembro, da Jornada da Misericórdia, em preparação para o Ano Santo. Em 21 de dezembro, às 19h30, acontece a grande celebração de abertura do Ano da Misericórdia e do Centenário. Desejo a todos os devotos e paroquianos um feliz e abençoado Natal, e um ano jubilar cheio de bênçãos. Jesus manso e humilde de Coração: fazei o nosso coração semelhante ao Vosso!

hORÁRIOS DAS RÁDIOS Rádio Clube (AM 1590) Segunda a sexta 7h55 - Nos Caminhos da Palavra 11h55 - O Pão da Palavra Sábado 7h - A Voz do Santuário 7h30 - Direção Espiritual

CRONOGRAMA MENSAL

SEMINÁRIO DA CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2016

Data: 5 de dezembro Local: Centro Diocesano de Pastoral Horário: 8h

Rádio Difusora Arca da Aliança (AM 1480) Domingo 8h - Transmissão da missa Rádio Cultura (AM 1250) 1ª semana do mês (segunda a sexta-feira) 11h - Refletindo a Palavra

2

www.santuarioscj.com.br


Geral felicitações SANTO DO MÊS

Por Arthur Bartsch

Por Sidinei Thomas, coordenador do Conselho Paroquial de Pastoral (CPP)

Aniversários no Santuário

Sagrada Família de Nazaré

No domingo seguinte ao Natal, a liturgia celebra a Solenidade da Sagrada Família de Nazaré: Jesus, Maria e José. Nosso Senhor valorizou a tal ponto a família humana que desejou ter uma. Além disso, santificou-a tanto que a fez de exemplo para todas as demais. Na Sagrada Família, vemos o exemplo de Jesus Menino, fiel e obediente a Seus pais, crescendo em idade, mas também, em sabedoria e graça de Deus. Observamos o exemplo da virgem Mãe, que busca, em todo tempo, responder “sim” ao Pai Eterno, guardando todas as experiências de amor vividas em família no silêncio do seu Imaculado Coração. Encontramos, por fim, São José a prover Jesus e Maria, no cumprimento justo de sua profissão, e a guardá-los de todos os perigos, permanecendo fiel aos desígnios do Senhor. Mesmo suportando diversas provações, como a falta de acolhida em Belém, a fuga para o Egito e a dura vida em Nazaré, a Sagrada Família nos ensina que é possível, sim, viver a caridade, a esperança e a fé em uma linda comunidade de amor. Sagrada Família de Nazaré: santificai nossas famílias!

www.santuarioscj.com.br

Foto: Jacqueline Freudenborg

Reprodução/Internet

Dezembro é um mês de ação de graças para nós, pois três dos padres que atualmente servem em nosso Santuário comemoram aniversário de ordenação e vida. Nosso pároco, Pe. Sildo, celebra mais um ano de vida dia 10, e o 16º ano de ordenação sacerdotal no dia seguinte (11/12). Em 16 de dezembro, é a vez do Pe. Geraldo completar seu 36º aniversário de ordenação. Já na semana do Natal, em 21 dezembro, Pe. Régis Machado, completa seu primeiro ano de sacerdócio. Aniversário é celebrar a vida e a vocação, é poder estar próximo das pessoas que amamos, é ter a certeza de amadurecer mais e perceber que a vida é uma dádiva de Deus. A vocação sacerdotal é doação, que encontra no servir a Deus e o Seu povo a razão mais profunda de existir e ser feliz. Os paroquianos deste Santuário são felizes por terem sacerdotes como vocês, que nos orientam com suas palavras, suas homilias, suas bênçãos, suas orações, com seu testemunho de vida e com a convivência nas atividades pastorais. Neste mês festivo em que vocês celebram o aniversário do seu ministério sacerdotal, renovamos a prece para que sejam sempre instrumentos de Deus na vida do povo. Nós os parabenizamos e louvamos a Deus pelo dom da vida.

Padres Geraldo, Régis, Lucas e Sildo ADVENTO

Adaptado do site padrepauloricardo.org

Qual a origem da coroa do Advento? Todos os anos, a Igreja se prepara para a Solenidade do Natal e é comum encontrar, entre as decorações do Advento, uma espécie de coroa, com uma guirlanda e quatro velas. Pode parecer surpreendente, mas a sua origem está ligada à religião luterana. O seu uso começou em 1839, por iniciativa de um pastor chamado Johann Wichern. Ele cuidava de uma casa de auxílio social a crianças pobres. Nas proximidades do Natal, as crianças, ansiosas, sempre perguntavam quando era a festividade. Então, para marcar a sua chegada, ele fez uma roda com uma vela para cada dia do Advento, de forma que havia velas pequenas para os dias da semana e quatro maiores para simbolizar o domingo. Vários pastores começaram a fazer o mesmo em suas comunidades, simplificando o enfeite para quatro velas. Depois, juntou-se a essa ideia a já tradicional guirlanda natalina. O fato é que este enfeite levou um tempo para ser adotado pela Igreja Católica. Foi usado pela primeira vez em 1925, e depois, alcançou grande sucesso com a vinda do movimento litúrgico. É notável que a coroa do Advento pareça estar mais em sintonia com a fé católica – que tem o tempo litúrgico como tempo sagrado – do que propriamente com a fé protestante. Não sem razão a coroa caiu “como uma luva” na liturgia e espiritualidade católicas. Na comunidade luterana, as velas tinham várias cores diferentes. Originalmente, eram velas escuras que, com o passar dos dias, iam ficando mais claras, para simbolizar a proximidade do nascimento de Cristo. Depois, preferiu-se adaptar as velas para a cor litúrgica do Advento: usam-se, então, três velas roxas e uma rósea – esta para o 3º Domingo do Advento, também chamado de Gaudete. Quanto ao seu significado, várias interpretações são possíveis. O círculo contém a ideia de tempo e eternidade, as velas lembram que o Natal é uma festa de luz e, por fim, os ramos verdes remetem à esperança cristã – à esperança do Senhor que se aproxima, que sai da eternidade para entrar na história.

3


Pela instituição do papa Francisco, 2016 será o Ano Santo da Misericórdia, um sinal de graça e reaproximação das pessoas com a misericórdia de Deus. E com o estabelecimento do ano misericordioso, o Santuário resolveu unir o Ano Santo com o Ano do Centenário, tornando desta maneira, um ano ainda mais santo para o Santuário Sagrado Coração de Jesus. Confira, a seguir, a entrevista com o pároco-reitor, padre Sildo.

Jornal do Santuário (JS):

Quando acontece a abertura do Ano da Misericórdia e do Centenário no Santuário?

Pe. Sildo (PS):

Depois de aberto pela papa Francisco, em 8 de dezembro, em Roma, cada diocese terá a sua abertura em determinadas catedrais, paróquias e santuários escolhidos. A nossa abertura do Ano Santo junto ao Centenário acontece em 21 de dezembro. Com isso, vamos iniciar toda a dimensão de acolhimento deste ano de graças. Queremos que o Santuário seja um sinal de peregrinação e encontro com o Coração misericordioso de Jesus.

(JS):

O Santuário como local de devoção e propagação da misericórdia do Sagrado Coração de Jesus recebe um impulso com o tema proposto para 2016?

(PS):

O papa, ao anunciar o Ano da Misericórdia, dá um presente para os cem anos do Santuário. Indiretamente falando, ele nos presenteia porque oferece a nós como Sagrado Coração de Jesus uma força maior ainda, para divulgarmos a espiritualidade do Coração de Jesus, que tem como principal dimensão a misericórdia. E nos favorece no sentido de mostrar a importância do Santuário para a Diocese de Joinville.

(JS):

Qual o sentido do Santuário realizar a Jornada da Misericórdia em preparação à abertura do Centenário e do Ano Santo?

(PS):

O Santuário propôs, como preparação para o Centenário e abertura do Ano Santo, uma Jornada da Misericórdia. Ela começa em 14 de dezembro, e tem o sentido de levar cada fiel a fazer a experiência da reconciliação com Deus e com os irmãos, através das celebrações, confissão e das obras de misericórdia. No sábado (19), faremos uma caminhada da Catedral até o Santuário, recordando que tudo começou pela Paróquia São Francisco Xavier, hoje Catedral, encerrando com missa devocional mariana e café partilhado. Para o domingo (20), a proposta é realizar uma grande carreata pelas ruas da zona sul, passando pelas paróquias e comunidades que já pertenceram ao Santuário, convidando todos para a grande celebração de 21 de dezembro.

(JS): Por que as pessoas deveriam participar da Jornada e abertura do Centenário? (PS):

Entendemos que o Santuário fez ou faz parte da vida de muitas famílias. O chamado é para recordar um momento histórico. Esse momento remonta a história de cada família, do pai, da mãe, do vô e da vó. Daqueles que casaram, fizeram a 1ª Eucaristia, batizado, enfim. Na zona sul de Joinville, destaca-se a importância da Paróquia Santuário Sagrado Coração de Jesus para muitas paróquias, pois são frutos da Casa do Coração.

4

www.santuarioscj.com.br


www.santuarioscj.com.br

5


Santuário Por Maria da Graça Silvy e Carin Montes

12 PROMESSAS

Família: a mola mestra da sociedade

Adaptado de: As 12 promessas do Coração de Jesus, Pe. Joãozinho, scj

Fotos: Jacqueline Freudenborg

A família é o que seus membros fazem dela. A família foi, é e será sempre a base da sociedade, pois da convivência familiar depende a maneira como os indivíduos estabelecem os relacionamentos que ocorrem dentro e fora do lar. Sabemos que a família começa sempre com um casal: homem e mulher, que acreditam estar suficientemente prontos para estabelecer laços familiares. A dinâmica do casal traz para a família tudo o que cada um vivenciou em seu lar. Os pais revivem, após o nascimento dos filhos, as relações que tiveram com os seus pais, as quais carregam internamente. Os filhos observam tudo o que ocorre a sua volta e isso fica registrado no seu inconsciente. Esses conteúdos registrados serão utilizados durante sua vida. Os filhos têm nos pais o seu “porto seguro” até que se tornem independentes. O lugar mais seguro para um navio é o porto, mas ele não foi feito para os navios permanecerem sempre ali. Filhos são dos pais por um tempo, devem tornar-se cidadãos do mundo. Precisam ser preparados e amados para que, ao lançarem-se para as escolhas da vida possam construir seu caminho e sua futura família, com maturidade e sabedoria. Um pai e uma mãe cristãos exercem plenamente sua vocação à medida que oferecem aos seus um caminho de evangelização e desenvolvimento da fé. Nosso Santuário oferece, no decorrer de cada ano, encontros para namorados, noivos, casais irregulares e casais de segunda união, na esperança de que não se percam os valores cristãos, em especial, os do sacramento do Matrimônio. Assim, em 14 de novembro, aconteceu a celebração de um casamento comunitário, no qual nove casais (fotos) assumiram os compromissos deste belo sacramento que gera famílias; famílias que geram médicos, operários, professores, advogados e tantas outras classes de trabalhadores, bem como de onde saem os sacerdotes que nos dão a oportunidade de sacramentar essa bela aliança que se chama Matrimônio. Estamos encerrando o Ano da Família. Felizes aqueles que conseguem levar até o fim o compromisso assumido. Aqueles que porventura não conseguiram honrar a palavra dada, cabe-lhes, ainda, a esperança do perdão, pois nossos erros e infidelidades não interferem no amor e na misericórdia de Deus.

6

12ª promessa do Sagrado Coração de Jesus: “A todos os que comungarem nas primeiras sextas-feiras de nove meses consecutivos, darei a graça da perseverança final e da salvação eterna”

Foto: Reprodução/Internet

ANO DA FAMÍLIA

Chegamos à última promessa desta coleção inspirada a Santa Margarida Maria. Certamente haveria muitas outras. Para descobri-las bastaria folhear as páginas da Bíblia ou da história. Como não lembrar a promessa feita ao profeta Ezequiel: “Eis que vos darei um novo coração” (Ez 36,26)? Ao longo do Seu caminho, Jesus prometeu vida em plenitude, o Pão que alimenta a alma, a Água Viva, a cura do corpo e do coração, a justiça, a fraternidade, o perdão... daria assunto para mais alguns livros. A décima segunda promessa é também conhecida como “A Grande Promessa”. Muitos até ignoram as outras onze. Seria no mínimo imprudente falar desta promessa sem ter falado das outras. É mais ou menos como entrar no meio de uma conversa. Corremos o risco de entender tudo errado ou de modo incompleto. Assim, muitas pessoas, ao tomar conhecimento da “Grande Promessa”, a entendem de modo mágico, mecânico e automático. Não é nada disso. Esta promessa é uma pedagogia de conversão. É uma escola de salvação. É um exercício eficaz de mudança radical de vida. Dito isso, então vejamos o texto completo da promessa inspirada a Santa Margarida Maria: “Eu te prometo, na excessiva misericórdia de meu Coração, que meu amor onipotente concederá a todos os que comungarem durante nove primeiras sextas-feiras do mês seguidas a graça da penitência final: não hão de morrer em meu desagrado, nem sem receber os sacramentos, servindo-lhes meu Coração de asilo seguro naquela última hora”. Estas palavras são autênticas, pois estão registradas nas “Memórias das contemporâneas”, escritas pelas coirmãs que conheceram Margarida Maria. A própria Santa revelou esta promessa em uma carta pessoal endereçada à Madre de Saunaise, sua ex-superiora e confidente. Por outro lado, estamos diante de uma pessoa portadora de virtudes heroicas e equilíbrio psicológico, tanto que foi canonizada pela Igreja. Margarida Maria não era uma alucinada em busca de atenção. Um exame no texto das revelações mostrou que não existe nada ali que contrarie a fé e os bons costumes.

www.santuarioscj.com.br


Espiritualidade ANO SANTO

Por Simone Medeiros, leiga dehoniana

Maria e Jesus: manifestação do amor misericordioso de Deus

iGREJA

Adaptado do site da Rádio Vaticana

Reprodução/internet

Conclusão do Sínodo dos Bispos

Em 24 e 25 de outubro, o Sínodo dos Bispos concluiu os seus trabalhos sobre “a vocação e a missão da Família na Igreja e no mundo contemporâneo”. No primeiro dia (24), foi votado e publicado o Relatório Final do Sínodo dos Bispos sobre a Família, um documento de 94 pontos que, após dois anos de inten-

www.santuarioscj.com.br

Para os dehonianos, é um novo chamado a viver a disponibilidade, o zelo, o serviço, o amor e a reparação. E os nossos padres do Santuário, que já vivem a espiritualidade de ser profetas do amor e ministros da Reconciliação, atendendo confissões diariamente, serão os canais da misericórdia de Deus para a conversão espiritual de todos que buscarem tamanha graça. Alegremo-nos no Senhor e na vida comunitária, para que o Ano Santo da Misericórdia que se inicia nos conduza a viver um ano marcado por tudo que Maria nos inspira: amor, esperança, justiça, silêncio, verdade, oração, vida e libertação. Vivat Cor Jesu, per Cor Mariae! (Viva o Coração de Jesus, pelo Coração de Maria!)

Reprodução/internet

Ao proclamar o Ano Santo da Misericórdia, que se inicia justamente na Solenidade da Imaculada Conceição, 8 de dezembro, o papa nos leva a refletir que Maria é “Mãe do Amor”, pois Jesus é o próprio amor redentor do Pai, o próprio Deus humanado, a salvação do mundo. Por isso sabemos que “Deus é amor” (1Jo 4,8). E é Jesus que nos revela nas Suas atitudes e palavras o Coração de Deus. Um Deus que é amoroso e misericordioso, pronto a nos acolher e perdoar. Assim como Jesus viveu e reinou no seio e no coração da Virgem Maria, rezemos para que, reconciliados com o Pai pela Sua misericórdia, sejamos nós todos memorial de Sua encarnação. “A nossa fé acolha o vosso Verbo, e o nosso coração, movido pela força do Espírito Santo, seja para sempre Sua morada” (Dehonianos em Oração, 50). O Ano da Misericórdia coincide, também, com a abertura do ano do Centenário do Santuário Sagrado Coração de Jesus, uma imensa graça para todos nós, paroquianos, devotos e peregrinos. Será um tempo de viver intensamente e multiplicar a misericórdia infinita de Deus no nosso dia a dia, nos nossos relacionamentos, nas nossas pastorais, no acolhimento aos irmãos que, pelos mais diversos motivos, afastaram-se da Igreja. Viver este tempo no Santuário será viver um tempo de amor e reconciliação. Francisco, com suas palavras e ações, vem contribuindo diretamente para a atualização da espiritualidade vivida e deixada por Pe. Dehon, fundador da Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus: uma espiritualidade do amor. “Um amor ativo, oblativo, solidário e reparador”. Um amor integral. Ele dizia: “que todos sejam um”. E o papa Francisco, em sua encíclica Laudato Si’, nos pede uma formação para uma ecologia integral (tudo está em relação no universo), levando-nos a prestar atenção na nossa incompletude e na nossa interdependência.

so debate, teve todos os pontos aprovados. Em particular, os parágrafos dedicados às situações familiares difíceis foram aprovados no limite dos dois terços dos votos expressos. O relatório final do Sínodo define a família como “luz no meio da escuridão do mundo”, num texto que se apresenta com uma atitude positiva e acolhedora, em que é reafirmada a doutrina da indissolubilidade matrimonial. No número 84, os padres sinodais propõem uma maior integração dos divorciados recasados nas comunidades cristãs, sublinhando que a sua participação pode ser ao nível dos diversos serviços eclesiais. A esta situação específica, o número 86 do relatório final faz referência a um percurso de acompanhamento e de discernimento espiritual com um sacerdote. Valorização da mulher, acolhimento de pessoas homossexuais, tutela das crianças, defesa da vida, idosos, pessoas com necessidade especiais, preparação para o matrimônio e acompanhamento dos casais e famílias são alguns dos temas abordados pelo relatório final do Sínodo dos Bispos sobre a Família. Ao encerrar o Sínodo, o papa Francisco recordou os papas Paulo 6º, João Paulo 2º e Bento 16, e no final do seu intenso discurso, afirmou que “para a Igreja, encerrar o Sínodo significa voltar realmente a caminhar juntos para levar a toda parte do mundo, a cada diocese, a cada comunidade e a cada situação, a luz do Evangelho, o abraço da Igreja e o apoio da misericórdia de Deus!”.

7


Será que o Natal gira em torno de uma mesa farta e de uma árvore cheia de presentes? Não, o Natal é muito mais. O verdadeiro Natal é aquele em que nos reunimos em família para comemorar o nascimento do nosso Salvador, o Menino Jesus, para celebrar a união e a paz dos homens de boa vontade. E, a melhor mensagem de Natal é aquela que sai em silêncio do nosso coração e aquece com ternura os corações daqueles que amamos e que nos acompanham em nossa caminhada pela vida. A verdadeira felicidade está em nossas casas, entre as alegrias da família. Maranathá: vem, Senhor Jesus!

Profile for Agência Arcanjo

Jornal do Santuário - Edição Dezembro de 2015  

Jornal do Santuário - Edição Dezembro de 2015  

Advertisement