__MAIN_TEXT__

Page 1

S an t uá r i o S ag r a do Cor aç ão de Je sus | joinville | se t e mbro | 2 0 1 7 | di s t r i b u i ç ão g r at u i Ta


EXPEDIENTE

A Palavra de Deus em nossa vida

2

EventoS do mês

Por Pe. Léo Heck, scj

Oração do Terço na Gruta 12 de setembro, 19h

Caros amigos paroquianos e devotos do Sagrado Coração de Jesus: qual é a importância da Palavra de Deus em nossa vida e na vida da sociedade em que vivemos? Todos sabemos que a Bíblia é o livro por excelência do cristão. Não por nada é o livro mais lido e comercializado no mundo. Ela está na prateleira da casa ou na cabeceira da cama de todos os que se dizem cristãos. Apesar de tão larga difusão e leitura, parece que estamos cada vez mais longe de colocála em prática. No mundo, somos aproximadamente 2,180 bilhões de pessoas, e destes, 36% professam a fé cristã, sendo que a maioria vive no mundo ocidental e são católicos (em média, 70% da população). Mesmo assim, não nos deixamos ser guiados pela lei divina. A descristianização tem avançado muito nas últimas décadas, num processo crescente de secularização que questiona valores, tradições e normas que, até então, norteavam a vida e as instituições. É sempre maior o número dos que se dizem ateus ou sem religião. As projeções dos estudos indicam que, a continuar assim, em 2060, esse número chegará a 50% da população global. O que a Igreja está fazendo em relação a tudo isso? O Papa e os bispos não têm medido esforços no sentido de alertar e auxiliar os cristãos a fazerem frente a essa onda destruidora da fé. A reforma bíblica começou com o Concílio Vaticano 2º, que resultou na Constituição Dogmática Dei Verbum (Palavra de Deus), afirmando que às verdades reveladas “deve-se obediência da fé, pela qual o homem livremente se entrega todo a Deus, prestando ao Deus revelador um obséquio pleno do intelecto e da vontade” (DV, 5). E, depois de reconhecer a importância da revelação nas Escrituras, orienta todos os pastores a interpretarem a Bíblia e ajudarem os fiéis leigos a ler e a colocar em prática essa Palavra de Deus (DV, 25). No período pós-conciliar, os estudos bíblicos tiveram um progresso notável na Igreja Católica. Nunca a Palavra de Deus foi tão meditada, lida e comentada como em nossos dias. Na Diocese de Joinville, temos, como prioridade, os Grupos Bíblicos de Reflexão, que buscam “anunciar Jesus Cristo através de encontros domiciliares em torno da Palavra, edificando o Reino do Coração de Jesus”. Um belo ideal, mas qual tem sido a incidência prática em nossa vida familiar e social? Talvez seja hora de darmos novo alento e redescobrir novos métodos de estudo bíblico. É necessário educar o povo na leitura e na meditação da Palavra. Que ela se converta em seu alimento, para que, por experiência própria, as pessoas sintam que as palavras de Jesus são espírito e vida!

memórias pe. Aloísio

“A Palavra de Deus é viva e eficaz; ela purifica, ela dá gosto para as coisas de Deus, ela nos une a Jesus. Ela prepara o nosso coração para o encontro com Ele. Devemos nos deixar guiar pela Palavra de Deus em nossas vidas.”

hORÁRIOS DAS RÁDIOS

• Atendimento de confissões, orientação espiritual e bênção de objetos Terça a sexta-feira - 8h30 às 11h e das 14h30 às 17h Sábado - 8h30 às 11h • Terço dos Homens Segunda-feira - 19h • Adoração Eucarística Quinta-feira - 8h às 19h30 • Grupo de Oração RCC Quinta-feira - 20h30 • Santuário Jovem Sábado - 20h

O Jornal do Santuário é uma publicação do Santuário Sagrado Coração de Jesus, sob responsabilidade do padre Léo Heck, scj Rua Inácio Bastos, 308 - Bucarein - Joinville/SC 47 3455.2204 | www. santuarioscj.com.br

Missa de louvor 28 de setembro, 19h30

INFORMAÇÕES importantes

CELEBRAÇÕES NO SANTUário • Segunda-feira - 19h30 (pelos falecidos) • Terça-feira - 19h30 (pelas intenções da rádio e internet) • Quarta-feira - 16h (pelos enfermos) e 19h30 (pelas famílias) • Quinta-feira - 7h e 19h30 • Sexta-feira - 7h, 12h30 e 19h30 • Sábado - 7h (devocional mariana) e 19h • Domingo - 6h30, 8h, 9h30, 11h30, 17h e 19h • 1ª sexta-feira do mês: 7h, 12h30, 16h, 19h30 e 23h • Missa com tradução em Libras: 4° domingo do mês - 19h

Encontro de Noivos 23 de setembro, 8h

Produção

• Rádio Clube (AM 1590) Segunda a sexta-feira 6h55 - Nos Caminhos da Palavra 12h55 - O Pão da Palavra Sábado 7h - A Voz do Santuário 7h30 - Direção Espiritual • Rádio Difusora Arca da Aliança (AM 1480) Domingo 8h - Transmissão da missa • Rádio Cultura (AM 1250) 1ª semana do mês (segunda a sexta-feira) 11h - A Palavra de Deus

SUGESTÃO DE CONTEÚDO: redacao@agenciaarcanjo.com.br www.agenciaarcanjo.com.br facebook/agenciaarcanjo 47 3227.6640

DIAGRAMAÇÃO Mariana Emerim

JORNALISTA RESPONSÁVEL Rayana Borba DRT/SC 3809

REDAÇÃO Filipe Natali

TIRAGEM: 2.500 exemplares

REVISão Bruna Brenneisen

IMPRESSÃO: Gráfica Volpato

Foto de capa: Filipe Natali / Arcanjo Comunicação Católica

www.santuarioscj.com.br


SOLENIDADE

A Igreja celebra com júbilo muitas festas e solenidades de Nossa Senhora por ela ser a Mãe do Deus humanado, por ter dado corpo ao Verbo divino, para que acontecesse a salvação da humanidade. O nascimento de Maria anunciou alegria e a aproximação da Salvação do mundo perdido; por isso esta festa se celebra na Igreja com grande louvor e ação de graças. Com o seu “sim”, Maria respondeu em nome de toda a humanidade a Deus e permitiu, então, que o Senhor da história entrasse na história dos

ENTREVISTA Por Jouber Castro

Encontro de Casais com Cristo (ECC) Fundado em 1970, o Encontro de Casais com Cristo (ECC) chegou ao Santuário em 1977, e em 40 anos, são mais de 70 retiros. Para esta edição, entrevistamos o casal Carlos e Maria Isolete Souza (foto), coordenadores do movimento no Santuário, que estão sob a orientação espiritual do Pe. Lucas Scheid, scj. Confira a entrevista. (JS) Jornal do Santuário: Como o ECC contribui para o fortalecimento familiar? (CM) Carlos e Maria: Baseados em diretrizes nacionais, evangelizamos famílias e despertamos casais para um compromisso na comunidade, com retiros em três etapas – o chamado aos casais afastados da Igreja; encontro catequético e vivência plena da mensagem de Jesus; e mudança das estruturas e vivência em sociedade. Ajudamos a unir os cônjuges e os filhos, formando na fé e para a evangelização. (JS): Há atividades específicas para a família como um todo? (CM): Há um cronograma anual, com promoções como a Noite do Pastel, campanhas solidárias, piqueniques de integração, missa mariana (2º sábado do mês, às 7h) e um jantar dançante anual.

www.santuarioscj.com.br

homens, para salvá-los. Maria nasceu para ser a Mãe do Salvador, daqu’Ele que é “o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo” (João 1,29). Por isso, somente de Maria, como também de João Batista e Jesus Cristo, a Igreja celebra não só o nascimento para o céu, mas também o nascimento para este mundo. Maria foi concebida no ventre de sua mãe Ana, sem o pecado original, para poder gerar o Criador em forma humana. Ela veio ao mundo de forma diferente de todos os demais humanos, não isenta da graça santificante e não sujeita ao pecado, mas pura, bela, formosa e gloriosa, adornada das graças mais preciosas que convinha àquela escolhida para ser a Mãe do Salvador. Ela veio para desatar o nó da desobediência, e esmagar a cabeça de satanás (Gn 3,15). São Pedro Damião, (1007-1072), doutor da Igreja, no seu “Segundo Sermão sobre a Natividade de Nossa Senhora”, diz: “Deus onipotente, antes que o homem caísse, previu a sua queda e decidiu, antes dos séculos, a redenção humana. Decidiu, portanto, encarnar-se em Maria. Hoje é o dia em que Deus começa a pôr em prática o Seu plano eterno, pois era necessário que se construísse a casa, antes que o Rei descesse para habitá-la. Casa linda, porque se a sabedoria constrói uma casa com sete colunas trabalhadas, este palácio de Maria está alicerçado nos sete dons do Espírito Santo”. A tradição diz que a Virgem Maria nasceu em Jerusalém, nas proximidades do tanque de Betesda, onde atualmente se venera uma cripta sob a igreja de Santa Ana, como sendo o local onde nasceu Nossa Senhora.

3

(JS): Além do retiro, como se dá participação no movimento do ECC? (CM): Temos reuniões pós-encontro para trocar experiências, fortalecer a fé, encarar problemas e confortar os irmãos, com oração pela santificação das famílias, terço e confraternização. Comemoramos as bodas, pois o ECC faz questão que homem e mulher recordem os anos de vivência unidos a Cristo. (JS): Como as pessoas podem participar do movimento? (CM): Tendo o sacramento do Matrimônio, o casal deve ficar atento aos anúncios na Paróquia, deixar seu nome e contato na Secretaria ou procurar os casais encontristas, que os visitarão para recolher os dados necessários para a participação no retiro. Jesus Cristo veio restaurar a família e o casamento com Sua graça. Ele entrou no mundo pela família e Seu primeiro milagre foi num casamento. Cristo nos chama a fazer parte do plano de Deus e faz este convite de diversas maneiras, e uma delas é através do ECC. Ele não nos obriga, basta dizer “sim”! Por isso, nós todos do ECC, convidamos os casais a fazerem essa experiência com Deus, tornando-se um casal encontrista.

Foto: Jacqueline Freudenborg

Foto: Reprodução/Internet

8 de setembro: Festa da Natividade de Nossa Senhora

geral

Por Prof. Felipe Aquino (adaptado do site cleofas.com.br)


o tema e o lema do mês da bíblia em 2017 nos ajudam a olhar com carinho a evangelização realizada no Santuário ao longo dos últimos 100 anos: “Para que n’Ele nossos povos tenham vida”, e o lema “Anunciar o Evangelho e doar a própria vida” (1ts 2,8). São Paulo é um ótimo instrumento que vai nos ajudar a compreender a evangelização que nossos antepassados fizeram acontecer em nosso Santuário. a preocupação no início, quando os primeiros sacerdotes aqui estiveram, foi fazer com que se constituísse uma comunidade. onde os valores cristãos e católicos fossem acolhidos e vividos. Que todos pudessem ser assistidos nos diversos sacramentos e que se consolidasse a vida em comunidade. “Agradecemos a Deus sem cessar, porque, ao receberdes a Palavra de deus que ouvistes de nós, vós a recebestes não como palavra humana, mas como o que ela de fato é: Palavra de deus” (1ts 2,13). acolher a Palavra de deus é gerar frutos. e isto aconteceu na vida da Paróquia Sagrado Coração de Jesus. esta palavra semeada foi tomando corpo, com a participação maior dos leigos na vida pastoral. destacamos o surgimento de várias pastorais e movimentos pós-Concílio vaticano 2º. a necessidade de constituição de novas comunidades também foi um exemplo desta acolhida da Palavra de deus. a devoção ao Sagrado Coração de Jesus foi uma crescente na vida do povo. a primeira sexta-feira do mês foi sendo marcada no coração dos fiéis. Uma presença forte dos sacerdotes dehonianos no confessionário e na orientação espiritual do povo. o carisma e a espiritualidade dehoniana sendo implantada na evangelização. a Paróquia sempre se destacou, dando início a algo novo na evangelização. alguns exemplos: - o encontro de Casais com Cristo (cf. 1ts 4,4-5) foi, e continua sendo, uma bênção para tantas famílias, completando 40 anos de história no Santuário; - a renovação Carismática Católica (cf. 1ts 5,12-22) na diocese de Joinville iniciou em nossa Paróquia, sendo ao longo do tempo uma força importante da redescoberta da vida de fé no espírito Santo, comemorando 50 anos do seu surgimento na vida da Igreja; - Os Grupos Bíblicos de Reflexão (cf.1Ts 4,1b), que um dia já se chamaram Grupos de Famílias ou Círculo Bíblico, é a forma de evangelizar mais próxima do povo. Há Grupos Bíblicos de Reflexão com mais de 40 anos; - as missões e retiros Querigmáticos (cf. 1ts 2,4). desde as missões franciscanas e redentoristas até as missões populares, vemos a evolução do anúncio. Hoje todos os batizados são chamados a evangelizar. até as crianças evangelizam. os retiros querigmáticos são sementes que foram lançadas e que podemos dizer que estão dando os seus frutos. a partir do ano 2000, passamos a ser conhecidos como Santuário Sagrado Coração de Jesus. até hoje o anúncio continua, com novas formas e ferramentas sendo usadas, porém, o centro é Jesus Cristo. Hoje são milhares de pessoas que frequentam o Santuário semanalmente. temos uma responsabilidade na missão de anunciar. tenhamos a coragem de São Paulo ao afirmar: “Estávamos dispostos, não só a comunicar-vos o Evangelho de deus, mas a dar-vos nossa própria vida, tão caros vos tínheis tornado a nós” (1ts 2,8). Por Pe. Sildo da Costa, scj, ex-pároco-reitor do Santuário Sagrado Coração de Jesus

www.santuarioscj.com.br


As revelações de Deus na vida do ser humano acontecem de inúmeras formas, seja por meio de pessoas, pela Igreja e até mesmo pelas obras da Sua criação. Mas há um lugar íntimo e pessoal em que Deus gosta de falar ao coração de cada um dos seus: a Sagrada Escritura. Nela são revelados os desejos mais profundos do Senhor para o Seu povo, as orientações e direcionamentos que os levam a uma vida de espiritualidade autêntica. Porém, para escutar a voz do Senhor por meio da Bíblia, é preciso abrir-se à graça e se permitir ser tocado pelas palavras contidas nas Escrituras.

2) Meditação: após a leitura, vem o momento de meditação daquilo que se foi entendido até então. A meditação traz um valor interior, que brota da alma. É a partir dela que serão dados os caminhos para a formação de uma possível lógica do que o Senhor tem a dizer para sua vida com determinada passagem bíblica. Deus se revela também por meio da meditação, como está escrito: “Traze sempre na boca (as palavras) desse livro da lei; medita-o dia e noite, cuidando de fazer tudo o que nele está escrito” (Js 1,8).

Como rezar com a Bíblia?

3) Oração: toda boa meditação culmina em oração. Este é o momento de responder a Deus com as palavras mais sinceras tudo aquilo que Ele revelou por meio da leitura e meditação. Não se preocupe em rezar com palavras bonitas, reze com o coração, entregue a Deus, louve, agradeça e peça perdão. Mas sobretudo, faça aquilo que o Senhor lhe inspirar. “Se vós, pois, que sois maus, sabeis dar boas coisas a vossos filhos, quanto mais vosso Pai celeste dará boas coisas aos que Lhe pedirem” (Mt 7,11).

Um método de oração com a Bíblia é a leitura orante, conhecida tradicionalmente como Lectio Divina. E neste mês de setembro, intitulado pela Igreja como mês da Bíblia, a proposta ao Santuário e seus devotos é de conhecer ainda mais a fundo a Palavra de Deus por meio da leitura orante (Lectio Divina). A Lectio é uma proposta de oração com a Palavra de Deus. Ela é o alimento espiritual diário dos fiéis. Muito mais do que uma leitura, ela traz a meditação, oração e contemplação real do Reino de Deus traduzido e explanado na Bíblia Sagrada. Fazer a Lectio todos os dias é uma proposta desafiadora, mas essencial para andar de acordo com as moções do Espírito de Deus. Assim como disse São Jerônimo, “ignorar as Escrituras é ignorar a Cristo”. A Lectio Divina é um método realizado individualmente, mas também pode ser feita em grupos. Antes é preciso pedir a luz do Espírito Santo para que ilumine todos os pensamentos e conceda os seus dons de Entendimento e Sabedoria. Para sua realização são necessários quatro passos essenciais, que são: leitura, meditação, oração e contemplação. 1) Leitura: na leitura se dá o início e a essência da Lectio Divina. Por isso, ela precisa ser feita com muita atenção e num ambiente tranquilo. No início é aconselhável que se comece pela leitura dos evangelhos, por serem mais conhecidos e trazerem uma familiaridade maior. Para continuar é preciso fazer um planejamento de quais livros serão lidos. Na leitura, busque sempre descobrir os detalhes, o sentido de cada palavra, o contexto que elas estão inseridas e o objetivo do autor em relatar determinado fato. “Ora, tudo quanto outrora foi escrito, foi escrito para a nossa instrução, a fim de que, pela perseverança e pela consolação que dão as Escrituras, tenhamos esperança” (Rm 15,4).

www.santuarioscj.com.br

4) Contemplação: no último momento é Deus quem opera. Deixe Ele conduzir verdadeiramente no silêncio a Sua contemplação. Sinta o que o Senhor tem a lhe proporcionar, seja paz, tranquilidade ou amor. Deus tem muito a agir e fazer na vida de cada um quando Suas criaturas O contemplam. “Quanto a mim, contemplarei a Tua face na justiça; eu me satisfarei da Tua semelhança quando acordar” (Sl 17,15). Por fim, procure anotar todas as direções que o Senhor impulsionar o seu coração, trace um plano de leitura e nunca deixe de registrar tudo para ter como banco de memórias, ver as promessas que Deus e que com certeza vai cumprir em sua vida de espiritualidade. Faça da sua Bíblia um livro diário, um calendário de compromisso com Deus. A todos uma abençoada leitura! “Se tivéssemos a Palavra de Deus sempre no coração, nenhuma tentação poderia nos afastar de Deus e nenhum obstáculo poderia nos desviar no caminho do bem; saberíamos vencer as propostas do mal que está dentro e fora de nós; e seríamos mais capazes de viver uma vida ressuscitada segundo o Espírito” (Papa Francisco)


Foto: reprodução/internet

doutor em teologia e educação, Pe. Joãozinho, scj, é autor de 35 livros sobre espiritualidade, teologia e formação de lideranças. em sua passagem por Joinville, em 29 e 30 de setembro, o sacerdote dehoniano conduzirá uma formação para os agentes de pastoral do Santuário, com o tema “A Mística do Coração alimentando a vida do Santuário Sagrado Coração de Jesus”. as inscrições para a formação são gratuitas e podem ser efetuadas na Secretaria, sendo o número de vagas limitado. encerrando sua passagem por Joinville, na noite de 30 de setembro, Pe. Joãozinho presidirá uma missa no Santuário. na sequência, fará um show aberto ao público, em homenagem ao centenário da presença dehoniana, onde apresentará algumas de suas canções presentes nos mais de 30 álbuns já lançados. veja a programação completa no quadro abaixo:

aGENda Formador: Pe. Joãozinho, scj 29/9 – SEXTA 19h30 às 21h30 – Formação para agentes de pastoral 30/9 – SÁBADO 8h às 11h – Formação para agentes de pastoral (continuação) 16h30 às 18h30 – Formação para ministérios de música e liturgia 19h – Santa missa 20h – Show em homenagem aos 100 anos da presença dehoniana

FUNDAMENTO Por Ivone moreira

O verdadeiro sentido do dízimo no capítulo 1º do livro do gênesis, está o registro da criação do mundo. deus criou o céu e a terra com todos os seus elementos: a luz, o mar, toda a vegetação, o sol, a lua, as estrelas, os monstros marinhos e todos os peixes, os pássaros, os animais domésticos, os animais selvagens e todos os animais pequenos do chão. Finalmente, deus criou o ser humano (o homem e a mulher) à Sua imagem e semelhança, abençoou-os e disse-lhes: “Sede fecundos e multiplicai-vos, enchei a terra e submetei-a! dominai sobre os peixes do mar, as aves do céu e todos os animais que se movem pelo chão”. E acrescentou: “Eis que vos dou, sobre toda a terra, todas as plantas que dão semente e todas as árvores que produzem seu fruto com sua semente, para vos servirem de alimento. e a todos os animais da terra, a todas as aves do céu e a todos os animais que se movem pelo chão, eu lhes dou todos os vegetais para alimento”. Caro irmão, deus é o Criador e Senhor de tudo. nós fomos criados para administrar os bens que ele criou. aí está o fundamento do dízimo. Quem se dá conta disso, começa a entender o verdadeiro sentido do dízimo. você já parou para pensar em tudo o que, de graça, recebemos de deus? não é justo, pois, que lhe mostremos o nosso reconhecimento? Deus não olha a quantia que Lhe oferecemos; isso é o nosso coração que deve indicar. deus olha a quantia de amor e gratidão que lhe dispensamos, para dizer que lhe somos gratos por Sua solidariedade, por Seu grande amor gratuito e incondicional. “Ser dizimista é participar, é fazer parte da comunidade, é sentir os problemas da comunidade e buscar a solução comum desses problemas”. *Adaptado da Apostila de Evangelização da Pastoral do Dízimo da Diocese de Joinville

Seja você também um dizimista! Cadastre-se em nosso site: www.santuarioscj.com.br

Paroquianos do Santuário Sagrado Coração de Jesus participaram do 10º mutirão brasileiro de Comunicação (muticom), realizado em agosto, na expoville. o encontro reuniu os principais nomes da comunicação católica no brasil, além de monsenhor dario viganó, prefeito da Secretaria para a Comunicação da Santa Sé (vaticano).

Foto: Filipe natali

Foto: Filipe natali

SaNTUÁriO 6

Pe. Joãozinho no Santuário

www.santuarioscj.com.br


Foto: Reprodução/Internet

A relação saudável entre a Igreja Católica e a comunidade política

Há 195 anos, a nossa “Terra de Santa Cruz” tornava-se uma nação independente. Após sucessivas mudanças de regime político, nossa atual constituição, no Art. 5º, par. VI, garante “inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos”. Nesses termos, o Brasil é um país laico, sem uma religião oficial. Mas, isso não significa que nosso país é ateu: os valores morais e religiosos também devem compor o debate democrático e guiar nossos legisladores na elaboração de leis justas. Em relação à Lei Eclesial, o Código de Direito Canônico, no can. 287, par. 2, proíbe sacerdotes de possuírem qualquer cargo político, dada a dimensão atemporal da Igreja e de seus ministros. Isso não os impede de denunciar leis imorais ou a corrupção praticada por membros do corpo político. Padres e leigos não podem ser indiferentes à política. Inclusive, segundo o papa Francisco, “temos que nos envolver na política, porque ela é uma das formas mais altas de caridade” (Vat. 07/06/14). O próprio papa questiona: “A política está suja. Por quê? Porque os cristãos não se envolveram nela com espírito evangélico”. Assim, é missão do cristão colaborar na construção de uma sociedade mais justa e santa inclusive no meio político. Sobre essa relação da Igreja, e, consequentemente, de seus membros, com a comunidade política, a Doutrina Social da Igreja (DSI) dedica o Cap. 8º, especificamente, o nº 425. A DSI ressalta que “a autonomia recíproca da Igreja e da comunidade política não comporta uma separação tal que exclua a colaboração entre elas” pois ambas “estão ao serviço da vocação pessoal e social dos mesmos homens”. Desse modo, “a Igreja e a comunidade política podem desempenhar tanto mais eficazmente este serviço para o bem de todos quanto mais cultivarem entre si uma sã colaboração”. Assim, o apoio da comunidade política permite à Igreja exercer seu papel de formação moral e espiritual do ser humano. Em contrapartida, a Igreja deve pleitear, às organizações políticas, o fortalecimento das instituições democráticas e a garantia dos direitos fundamentais da sociedade. Essa mútua colaboração permite o crescimento benéfico de nosso país independente.

www.santuarioscj.com.br

espiritualidade

Por Arthur Bartsch

discernimento Por diácono Osvaldo da Rosa

A busca do equilíbrio: oração e trabalho Jesus inicia Sua vida pública aos 30 anos, e já aos 33, morre crucificado, ressuscitando ao terceiro dia para nossa salvação. Em três anos, Jesus foi batizado, tentado por satanás, monta um grupo de 12 discípulos, ensina a compaixão para aqueles que estavam perdidos, faz milagres e confronta os poderosos que regiam a terra. Jesus expulsa demônios; cura leprosos, cegos e surdos; ensina aos Seus seguidores com paciência e humildade; dá uma aula de ousadia e coragem para os doutores da lei; transforma água em vinho, multiplica pães e peixes, acalma uma tempestade; cumpre com as tradições judaicas e com Seus deveres de cidadão; tem tempo para estar com as crianças, para chorar com os que choram, se alegrar com os que se alegram e tempo para lamentar a morte de um amigo... Jesus teve tempo para amar até o Seu traidor e perdoar a todos os que Lhe perseguiam! Jesus ainda conseguiu tempo para orar, e isso aconteceu várias vezes. Ele tem tempo para se despedir, sofrer, morrer, voltar à vida e subir aos céus. Apesar de ser Deus, Jesus administrou Seu tempo como nós, que somos humanos. Ele sabia que tinha uma missão, que tinha um trabalho para fazer, mas em tudo na Sua vida Ele encontrava o equilíbrio exato. Sabia a hora de parar e de ir. Jesus “perdia tempo” comendo na casa de amigos, mas aproveitava o máximo para exercer Sua compaixão e focar em Seu propósito. “Perdia tempo” ensinando, pois sabia que aqueles três anos que Lhe restavam passariam rápido. Mas Ele sabia que Seus ensinamentos seriam transmitidos de geração em geração. Jesus exerceu muito bem o equilíbrio entre o produzir e o permanecer, orar e trabalhar. E com uma linguagem bem adequada, nos ensinou pela ilustração da videira que o grande segredo para o “equilíbrio” é permanecer em Deus (conf. João 15). Estando n’Ele, teremos um propósito em tudo aquilo que venhamos a fazer.

7

Foto: Filipe Natali

Política


o Santuário contou com uma extensa programação voltada para as famílias nos últimos meses. em 29 de julho, mais de 30 casais participaram do 8º encontro de namorados, evento promovido anualmente pela Pastoral Familiar. no sábado seguinte, 5 de agosto, dom Carmo rhoden, bispo emérito de taubaté, esteve no Santuário presidindo a missa em comemoração aos 40 anos do Encontro de Casais com Cristo. “Família, uma luz para a sociedade” foi tema da Semana da Família, celebrada entre 13 e 19 de agosto, contando com missas temáticas e com a participação das pastorais e movimentos da Paróquia. ainda na programação da Semana da Família, em 18 de agosto, tivemos a graça de acolher o Pe. eduardo dougherty, fundador da associação do Senhor Jesus e da rede Século 21, que presidiu uma missa celebrativa pelo jubileu de ouro da renovação Carismática Católica (RCC), atraindo para o Santuário fiéis de Joinville e região. Concluindo a Semana da Família, tivemos a renovação dos votos matrimoniais e a bênção aos casais jubilares, em 19 de agosto. Que a Sagrada Família de nazaré continue a abençoar nossas famílias! Jesus, maria e José: minha família vossa é!

Fotos: Amanda Joenk e Jacqueline Freudenborg

Profile for Agência Arcanjo

Jornal do Santuário - Edição setembro 2017  

Jornal do Santuário - Edição setembro 2017  

Advertisement