Page 1


Expediente

Sumário

Presidente: Orani João Cardeal Tempesta, O.Cist. Tesoureiro: João Carlos Valentim Secretária: Irmã Nair Paschoalini

04

24º Encontro

06

24º Encontro

08

Sede alegres na esperança!

12

Esperança, a essência do marketing

Conselho Fiscal: José Nilson Ferreira Gomes Filho, João

In f o r m a ç õ es

Monteiro de Barros Filho e Augusto Mariotto Kater Diretor Executivo: Antonio Miguel Kater Filho Jornalista Responsável: Cássio Abreu - MTB 34831

Ficha de inscrição

A REVISTA MARKETING CATÓLICO É PUBLICADA, EDITADA E REGISTRADA PELO IBMC Tiragem: 15.000 exemplares

D o m O r a n i T e m p es t a

INSTITUTO BRASILEIRO DE MARKETING CATÓLICO Av. Tenente Haraldo Egídio de Souza Santos 777 – Sala 07 13070-160 – Campinas/SP Telefone: (19) 3242-2128 / Whatsapp: (19) 99975-1413

A n t ô n i o Mi g u e l K a t e r F i l h o

Site: www.ibmc.com.br Twitter: twitter.com.br/i_b_m_c Facebook: facebook.com/ibmcbrasil

Produção:

(47) 3227-6640 | www.agenciaarcanjo.com.br Diagramação: Giovana Melo

16

Redes sociais e a evangelização: o poder dos influencers de Cristo A l ex a n d r e Va r el a

20

Alegria e Esperança!

22

A fé é o verdadeiro sentido do cristianismo

C l é l i a Mo r a e s e Jo ã o B a t i s t a

A u g u s t o K a t er

Revisão: Taty Feuser | Fernanda Felicio

Editorial O tema do 24º Encontro de Marketing Católico foi escolhido

de Alexandre Varela que, pelas redes sociais, através do site

pelo nosso presidente, Dom Orani Tempesta, a partir de sua

Catequista, cativa centenas de milhares de seguidores com

experiencia e vivência pastoral, onde ele percebeu que a

suas bem-humoradas e alegres reflexões, também se fará

esperança da Ressurreição, anunciada com alegria, arrasta

presente o especialista em liderança católica Guto Kater e

multidões de filhos e filhas de Deus, que se encontram

outros conferencistas que nos incentivarão a sermos realmente

desolados e desanimados diante de tantas coisas más que

alegres na esperança, que mantém vivo o Cristianismo pelo

vivem e presenciam no dia a dia pelo noticiário. Realmente,

mundo.

como ele afirma, a alegria e a esperança são parte do anúncio da

Neste 24º Encontro de Marketing Católico, teremos novidades:

Boa Nova e trazem para a nossa Igreja muitos fiéis desgarrados

uma advogada e um contador especializados na área jurídica e

e desorientados. Por isso, os temas das palestras de nosso

contábil para instituições religiosas estarão disponíveis, junto

24º Encontro de Marketing Católico, que realizaremos em

aos grupos de interesse, para dirimir dúvidas e orientar os

Fortaleza, estarão partindo destas duas realidades contidas na

participantes sobre esses assuntos tão necessários à nossa

frase: sede alegres na esperança, que São Paulo escreve em

Igreja Católica.

sua Carta aos cristãos que viviam em Roma.

Veja nesta edição como participar e venha para Fortaleza

Naturalmente, além de Dom Orani Tempesta, nosso

para juntos trabalharmos e, ao mesmo tempo, usufruirmos das

presidente e Cardeal do Rio de Janeiro, temos confirmada a

praias desta belíssima cidade turística e de sua gastronomia.

presença e a participação de Dom Raymundo Damasceno,

Faça hoje mesmo a sua inscrição e venha conosco participar

Cardeal Emérito de Aparecida, do teólogo e pregador Kater

do 24º Encontro de Marketing Católico. Nós esperamos por você,

Filho, criador e responsável pela matéria Marketing Católico,

por seus assessores, colaboradores e paroquianos!

03


24º Encontro

24º ENCONTRO DE MARKETING CATÓLICO 14 a 17 de maio de 2019 – Fortaleza/CE Tema: “Sede alegres na esperança” (Rm 12,12)

O que é o Encontro de Marketing Católico?

É um encontro anual, realizado há 24 anos, que propicia a troca de experiências bem-sucedidas entre dioceses, paróquias, instituições e empresas católicas que utilizam as técnicas e ferramentas de marketing com bom senso e sob a ética cristã, para atingir objetivos predeterminados e, principalmente, atender as necessidades de seus clientes: satisfazendo-os e encantando-os para que se fidelizem, sejam eles fiéis ou consumidores de produtos e serviços católicos.

Quem pode ou deve participar do Encontro de Marketing Católico? O encontro é marcado pela forte presença de organizações católicas: - paróquias, dioceses, congregações e ordens religiosas; - associações, seminários e grupos missionários; - emissoras de rádio e de TV e escolas, - pastorais (do dízimo, de turismo, de música, entre outras). Pode e deve participar qualquer organização que busca melhorar seu desempenho e aumentar a eficácia de suas atividades ou, ainda, instituições que querem levantar fundos com profissionalismo para manter suas atividades, ampliar instalações, construir ou reformar igrejas, bem como, empresas que querem se comunicar melhor com a comunidade utilizando novas tecnologias.

Local do evento e data

O Encontro será realizado de 14 a 17 de maio de 2019, no Hotel Oásis Atlântico, localizado a 10 km do Aeroporto Pinto Martins. O evento inicia às 10h da terça-feira, 14 de maio, e encerra às 13h da sexta-feira, 17 de maio. 04

Palestras

As palestras do Encontro de Marketing Católico têm a duração de 1h10 (uma hora de explanação e 10 minutos para perguntas ao conferencista). Algumas serão plenárias – de interesse geral com a participação de todos – e outras serão segmentadas – por assuntos específicos – e simultâneas; neste caso, o participante poderá optar por assistir uma ou outra. As palestras plenárias têm um tempo maior de explanação (em torno de 1h30). As palestras apresentadas são dinâmicas e expostas quadro a quadro, em equipamentos de data show. Conferencistas experientes e experts no assunto abordado ministram as palestras, que são avaliadas uma a uma pelos participantes imediatamente após o seu término. Ao final convidamos cada participante a avaliar a palestra assistida em vários quesitos. Essas pesquisas garantem o alto nível que o evento mantém.

Grupos de Interesses

São atividades de partilha, onde se reúnem, em mesa redonda, participantes que tenham interesses específicos e afins para troca de experiências práticas, sem a mediação dos conferencistas. Normalmente, são formados grupos de até 12 participantes, em três sessões durante o evento: dias 15, 16 e 17 de maio, das 8h às 9h50.


Valor das inscrições O investimento por pessoa (já inclusos os quatro almoços – 14 a 17/5 – no restaurante do Hotel) é de:

{

24º Encontro

R$ 890

Para inscrições feitas após 31/12/2018

R$ 790 Para ex-participantes de outros encontros promovidos pelo IBMC

*O valor do treinamento não inclui o custo de hospedagem

Faça sua inscrição em www.ibmc.com.br ou preencha a ficha de inscrição anexa à revista. Mais informações: ibmc@ibmc.com.br ou pelo telefone (19) 3242-2128.

Hospedagem Hotel Oásis Atlântico Fortaleza

Quarto individual: R$ 259/diária Quarto duplo: R$ 297/diária Quarto triplo*: R$ 335/diária *A modalidade “Quarto triplo” é o Quarto duplo com a montagem de uma cama extra de solteiro. ** As diárias do Hotel incluem o café da manhã *** Os participantes que optarem por apartamentos duplos e triplos deverão indicar as pessoas com quem dividirão o quarto e as despesas de hospedagem. O IBMC não se responsabilizará por desistências de companheiros de quarto nem pelo acréscimo de valor na hospedagem causado por essas desistências ou ausências.

Endereço do Hotel Importante: Os participantes que não se hospedarem no Hotel Oásis Atlântico deverão pagar, além da inscrição do evento, o valor adicional de R$ 100 pelo uso do Centro de Convenções do Hotel e pelo direito aos coffeebreaks oferecidos durante o evento.

Valores para inscrições de grupos

Hotel Oásis Atlântico Fortaleza Av. Beira Mar, 2500 - Meireles Fortaleza/CE

Temos descontos especiais para inscrições de grupos, a partir de 6 pessoas, pertencentes à mesma instituição. Informações: ibmc@ibmc.com.br | (19) 3242-2128 WhatsApp (19) 99975-1413 (tratar com Maria)

05


Ficha de inscrição Dados gerais (preenchimento obrigatório) Instituição ou organização: ___________________________________________ CNPJ: _________________________________________________________________ Nome completo: _____________________________________________________ Nome para o crachá: _________________________________________________ CPF: __________________________________________________________________ RG: ___________________________________________________________________ Sexo: _________________________________________________________________ Data de nascimento: _________________________________________________ Telefone fixo: ________________________________________________________ Telefone celular: _____________________________________________________ E-mail: _______________________________________________________________ Rua, Av., Pça.: ________________________________________________________ Nº: ___________________________________________________________________ Complemento: _______________________________________________________ Bairro: _______________________________________________________________ CEP: __________________________________________________________________ Cidade UF: ___________________________________________________________ A – HOSPEDAGEM ( ) NÃO vou me hospedar no HOTEL OÁSIS ATLÂNTICO e pagarei à parte, além da inscrição e do City Tour (opcional), o valor adicional de R$ 100 pelo uso do Centro de Convenções do Hotel e pelos coffee-breaks oferecidos durante o evento. ( ) VOU me hospedar no HOTEL OÁSIS ATLÂNTICO A.1 – FICAREI ACOMODADO(A) EM: ( ) Quarto Individual - R$ 259/diária ( ) Quarto Duplo - R$ 297/diária (R$ 148,50 por pessoa) FICAREI COM O(A) ACOMPANHANTE: ____________________________________________________________ ( ) Quarto Triplo* - R$ 335/diária (R$ 111,66 por pessoa) FICAREI COM OS(AS) ACOMPANHANTES: ____________________________________________________________ ____________________________________________________________ *A modalidade Quarto Triplo é o Quarto Duplo com a montagem de uma cama extra de solteiro ** As diárias do Hotel já incluem o café da manhã *** Os participantes que optarem por apartamentos duplos e triplos deverão indicar com quem eles dividirão o quarto e as despesas de hospedagem. O IBMC não se responsabilizará por desistências de companheiros de quarto nem pelo acréscimo de valor na hospedagem causado por essas desistências ou ausências OBS: a reserva no Hotel será feita pelo IBMC, porém, a diária será acertada pelo participante, diretamente com o Hotel no momento do check-in ou check-out A.1) - DATA E HORÁRIOS DE CHEGADA E SAÍDA Informe a data e horário que seu voo chegará e sairá de Fortaleza Data de chegada: Horário de chegada: Data de saída: Horário de saída:

06

B – SEGMENTO DE PALESTRAS QUE PRETENDE ASSISTIR Escolha uma das opções abaixo: ( ) Marketing e Comunicação ( ) Gestão Empresarial B.1) QUALIFICAÇÃO DO PARTICIPANTE ( ) Bispo ( ) Sacerdote ( ) Religioso(a) ( ) Diácono ( ) Leigo(a) B.2) PARTICIPOU DE OUTROS ENCONTROS DE MARKETING PROMOVIDOS PELO IBMC? ( ) Não ( ) Sim. Quais? _______________________________ C – GRUPOS DE INTERESSE (workshops de pequenos grupos que discutem temas em comum) Em quais desses temas gostaria de participar? Escolha abaixo quantas opções desejar: ( ) Dízimo ( ) Campanhas financeiras ( ) Administração de paróquias e comunidades ( ) Congregações e seminários ( ) Comunicação Católica (rádios, TVs católicas, sites e redes sociais) ( ) Música e sonorização ( ) Catequese e formação ( ) Juventude ( ) Pastorais e movimentos. Quais? _____________________ ( ) Outros. Quais? ________________________________ D – PASSEIO OPCIONAL ( ) Desejo participar do City Tour pelos principais pontos turísticos da cidade de Fortaleza, em 16 de maio, a partir das 14h, encerrando com o jantar em um restaurante de comidas regionais, ao custo de R$ 150 por pessoa OBS: o valor do City Tour poderá ser pago na Secretaria do evento até a manhã da data do passeio, porém a reserva deverá ser feita no início do evento na Secretaria, com Maria Corrêa E – VALOR DA INSCRIÇÃO ** R$ 890 para pagamentos após 31/12/2018 R$ 790 – valor especial para participantes de outros encontros promovidos pelo IBMC

*As inscrições para o evento dão direito a quatro refeições (almoços – 14 a 17/5) **Temos descontos especiais para inscrições de grupos a partir de 6 pessoas pertencentes à mesma instituição. Mais informações: ibmc@ ibmc.com.br ou pelo telefone (19) 3242-2128 – tratar com Maria Corrêa EMISSÃO DE BOLETO E RECIBO Favor emitir o boleto em nome de: _______________________ CPF/CNPJ: _________________________ OBS: os boletos serão enviados para o e-mail informado nesta ficha Favor emitir o recibo em nome de: ___________________ CPF/CNPJ: ______________________ OBS: os recibos deverão ser retirados na Secretaria do evento a partir do segundo dia


24º Encontro

Passeio

Turístico

Em 16 de maio, a partir das 14h, haverá um passeio pelos principais pontos turísticos de Fortaleza em confortáveis ônibus executivos e com acompanhamento de guias turísticos. À noite, será servido um jantar típico em um tradicional restaurante da cidade. O passeio é opcional e por adesão, ao custo de R$ 150 por pessoa (já incluso o jantar com uma bebida não alcoólica). A adesão por pessoa deverá ser feita na ficha de inscrição e o pagamento junto à inscrição ou, ainda, na secretaria do evento no Hotel.

Como se inscrever para participar do 24º Encontro de Marketing Católico ENDEREÇO DO IBMC Instituto Brasileiro de Marketing Católico Av. Ten. Haraldo Egídio de Souza Santos, 777 sala 7 – Jd. Chapadão CEP 13070-160 – Campinas/SP (19) 3242-2128 www.ibmc.com.br

Você pode fazer a sua inscrição on-line em www.ibmc.com.br preenchendo a ficha e enviando-a pelo próprio site Pague o valor da taxa de inscrição por meio de depósito bancário: Banco Bradesco (237) Agência 0046-9 Conta-corrente 5730-4 Instituto Brasileiro de Marketing Católico Caso prefira, envie um e-mail para ibmc@ibmc.com.br e solicite a emissão de um boleto, informando seu nome e sua instituição e pague-o em qualquer agência bancária ou, ainda, imprima um boleto em www.ibmc.com.br Caso necessite de transporte aéreo, indicamos a agência Porto e Poli – que nos atende há 24 anos – para consulta de preços e promoções Telefones: (19) 3234-7925 / 3234-7926 / 3232-7984 – falar com Alexandre ou Adriana | www.portoepoli.com.br

07


Boas-vindas Artigo

Sede alegres na esperança! Dom Orani Tempesta, cardeal arcebispo do Rio de Janeiro

Escolhemos esse tema para o 24º Encontro de Marketing Católico, que irá acontecer em Fortaleza, no Ceará, porque ele reúne duas palavras que marcam a vida cristã desde os seus primórdios: alegria e esperança. Aliás, o Papa Francisco tem se utilizado muito desses temas, tanto para seus escritos como para suas várias intervenções. É um tema constante em sua missão petrina. Ao lermos o livro dos Atos dos Apóstolos, que narra o início do cristianismo, vemos que a alegria era constante nos primeiros cristãos, até mesmo sob as mais severas e letais adversidades. Sim, é importante lembrar que esses temas estão junto do sacrifício, do sentido da cruz, da perseguição e do martírio. No capítulo 2 dos Atos do Apóstolos podemos acolher o sentido da alegria na partilha: “Todos os fiéis viviam unidos e tinham tudo em comum. Vendiam as suas propriedades e os seus bens, e dividiam-nos por todos, segundo a necessidade de cada um. Unidos de coração frequentavam todos os dias o templo. Partiam o pão nas casas e tomavam a comida com alegria e singeleza de coração, louvando a Deus e cativando a simpatia de todo o povo. E o Senhor cada dia lhes ajuntava outros que estavam a caminho da salvação” (At 2, 44–47). Os primeiros cristãos viveram uma situação histórica muito complexa. Eles, convictos de que Jesus era o Senhor, experimentaram o ódio dos governantes. Aliás, essas mesmas questões ainda hoje assolam o mundo dos cristãos. Existem inúmeros testemunhos que nos mostram o quanto era grande o destemor desses santos em meio ao martírio que enfrentavam com alegria. Um exemplo: São Policarpo (Ano 155), Bispo de Esmirna e discípulo de São João Evangelista. Depois de ser capturado, o levaram diante do procônsul que queria obrigá-lo a negar sua fé. Para isso ameaçou lançá-lo aos leões, mas ao ver que isto não o assustava, propôs queimá-lo vivo. Policarpo respondeu-lhe: “Me ameaças com um fogo que dura uma hora, e logo se apaga e te esqueces do juízo verdadeiro e do fogo eterno, no qual arderão para sempre os ímpios? Mas para quê tantas palavras? Executai logo sua vontade, e se descobrires um novo jeito de tortura, pode estreá-lo em mim”. 08

Então, Policarpo foi lançado ao fogo, onde pronunciou esta oração: “Pai do teu amado e bendito Filho Jesus Cristo, por meio do qual te conhecemos, Deus dos anjos e das potestades, te bendigo por me teres julgado digno deste dia e deste momento, fazendo-me participante, no número dos mártires, do cálice do teu Cristo para a ressurreição da alma e do corpo na vida eterna e na incorruptibilidade do Espírito Santo. Possa eu hoje ser acolhido entre eles diante de ti num sacrifício cevado e agradável, como tu mesmo me preparaste e manifestaste e levas agora a cumprimento, Deus veraz e leal. Por isso eu te louvo também por todas as coisas, te bendigo, te dou glória por meio do pontífice eterno Jesus Cristo teu Filho dileto, e por seu meio seja a glória a ti em união com Ele no Espírito Santo agora e sempre nos séculos vindouros. Amém”. Temos ainda inúmeros documentos, fidedignos, que nos contam que os primeiros cristãos que eram presos e não negavam a sua fé em Jesus Cristo eram jogados às feras famintas e devorados vivos (famílias inteiras, desde idosos até recém-nascidos) em arenas públicas, para assim intimidar todos que ousassem professar sua fé no cristianismo. O desejo de intimidar os cristãos e desanimá-los sempre houve e ainda há nos dias atuais. Os cristãos iam para o martírio cantando hinos de louvor e de alegria, para espanto de todos! Com isso muitos espectadores, ao invés de terem medo, se encorajavam a procurar furtivamente os grupos cristãos para descobrir onde eles buscavam tanta força, coragem e alegria naqueles momentos cruciais de seus cruéis martírios. Muitos desses se converteram a partir da alegria espontânea dos fiéis martirizados na hora da morte. A alegria permanente dos primeiros cristãos contagia a muitos que assim encontram em Cristo o seu Salvador e o sentido para as suas vidas. E assim poderíamos passar todos os textos das Sagradas Escrituras, da Tradição da Igreja, da vida dos santos, do magistério dos Papas até chegarmos hoje e aprofundarmos a importância do testemunho alegre que evangeliza. Continua na página 10


09


Artigo

Vossa palavra é minha esperança (Sl 118,114)

Da mesma maneira, a esperança sempre foi outra mola propulsora dos que creem em Deus, já desde o judaísmo. Nas Sagradas Escrituras, em seus 73 livros podemos ler 161 vezes a palavra esperança. Nos 150 Salmos ela aparece 20 vezes e no Novo Testamento 62 vezes! A esperança faz parte de nossa fé cristã: esperança da salvação, da ressureição, da vida eterna! A esperança cristã é uma espera com confiança. Como nos diz São Paulo: “Sei em que pus minha confiança” (2Tim 1,12). Não

fora a esperança, o Cristianismo não teria ultrapassado tantos desafios e incontáveis ataques, atravessando dois milênios e chegando intacto até os nossos dias. Por essa razão, nós, hoje, não podemos perder de vista a alegria, muito menos a esperança ao anunciarmos ao mundo atual a Boa Nova de Jesus. Estas são as duas vias mais estratégicas: a da alegria e a da esperança, para levarmos o Evangelho até o coração das pessoas.

A esperança cristã São Paulo, na Carta aos Romanos assim nos escreve: “Tenho para mim que os sofrimentos da presente vida não têm proporção alguma com a glória futura que nos deve ser manifestada” (Rm 8,18). Uma palavra forte de esperança aos primeiros cristãos que passavam pelos martírios. Assim ele os encorajava e os mantinha firmes na certeza da ressurreição, a partir de Jesus Cristo! Mais à frente, nesta mesma carta dirigida aos cristãos que viviam em Roma, sempre ameaçados, ele complementa: “Porque pela esperança é que fomos salvos. Ora, ver o objeto da esperança já não é esperança; porque o que alguém vê, como é que ainda o espera? Nós que esperamos o que não vemos, é em paciência que o aguardamos.” (Rm 8, 24–25). São Paulo, com esta expressão final, agrega mais um valor imprescindível à esperança: a paciência. Sim, porque esperar sem ver, apenas confiando, sempre, a qualquer tempo, exigirá de cada um de nós, cristãos, muita paciência. Penso ser esta a nossa grande estratégia para anunciarmos o Evangelho nos tempos atuais, onde a paciência é o grande segredo da pessoa de fé. A evolução científica e tecnológica minou, ou até mesmo, em muitos casos, eliminou, a paciência das pessoas. Sim, porque hoje não sabemos mais esperar por nada, queremos tudo na hora, pois tudo está on-line, na palma de nossas mãos, disponível pelos smartphones: notícias, pessoas, informações diversas, diversões, comida (pelos aplicativos de fastfood), previsões do tempo, músicas, filmes e tudo mais. Uma estatística não confirmada mostrada pela TV mostrava que mais de 80% da população brasileira

10

(incluindo as pessoas de baixa renda) possui um smartphone. Claro que isso é uma grande evolução ou mesmo uma solução para inúmeras situações, mas, ao mesmo tempo, é um grande risco para todos. Risco primeiro de nos isolarmos do mundo concreto ao nosso redor e vivermos apenas o nosso mundo virtual das redes. A psicologia que já estuda e classifica os males das pessoas “viciadas” ou dependentes da internet, pode nos trazer esse tema que é uma matéria elaborada e analisada. Outro risco seria nos tornarmos pessoas cada vez mais impacientes, o que afeta o nosso comportamento no trânsito, nas filas, no convívio com os demais e, particularmente, na família, esteio moral e espiritual da humanidade. Observando e analisando, como pastor de almas, os problemas familiares mais comuns hoje em dia, vejo, com clareza, por trás deles todos a impaciência. Diante disso, com esse tema norteando as nossas reflexões: alegria e esperança, eu quero renová-las em todos nós: clero e leigos, de maneira que, a exemplo dos primeiros cristãos, possamos espalhá-las pelo mundo, anunciando a Boa Nova de Jesus, sempre nova, sempre alegre e inspiradora da esperança! Aprofundar o tema desse encontro com todas as questões técnicas que aparecem nesses dias, é sem dúvida, um desafio. Em tempos tão corridos e rápidos na informação, manter o equilíbrio será um grande segredo de futuro. E para isso, sem dúvida, pela fé peçamos que sejamos alegres e promotores da esperança cristã.


AnĂşncio Cepo Esculturas


Esperança, a essência do marketing

Antonio Miguel Kater Filho Consultor de Marketing Católico

Nós sabemos que as estratégias de marketing são, em síntese, as responsáveis pelo sucesso das grandes organizações e das marcas mais famosas. Resumidamente, podemos recordar que toda a atividade de marketing nasce a partir das necessidades dos consumidores de produtos e/ou serviços. Necessidades que nos são reveladas por meio de pesquisas. Onde houver uma necessidade insatisfeita há o que identificamos como uma oportunidade de marketing. A busca da satisfação de uma necessidade detectada pela pesquisa faz surgir, então, um serviço ou um produto que irá ao encontro desta necessidade. Temos aqui definido o primeiro P da teoria dos quatro Ps (teoria definida por Philipe Kotler, o “Papa” do marketing), que define estruturalmente o marketing como: Produto, Preço, Praça e Promoção. O Produto (ou serviço) é tudo o que venha atender a uma necessidade. O Preço é o valor (ou o esforço, a renúncia, a parcela de tempo etc.) que o cliente deve investir para obter o produto ou serviço que satisfaça essa sua necessidade. A Praça é o local onde ele pode encontrar facilmente esse produto ou serviço (exige disponibilidade e facilidade de acesso) e a Promoção é a comunicação da existência do produto (ou do serviço) que irá atender aquela necessidade específica. Assim, a definição básica do marketing pode ser resumida em atender as necessidades do cliente. Diante disso, podemos afirmar que a esperança está intrinsicamente ligada às atividades do marketing, por quê?

12

Porque necessidades pressupõem expectativas, anseios, desejos que não deixam de ser expressões evidentes da esperança em se ter as suas necessidades atendidas, sejam elas quais forem!

Assim, objetivamente, a esperança é a essência do marketing, impulsionando-a e alimentando-a! Esperança que, por sua vez, o marketing procura estimular em seus clientes. Vejamos o exemplo da propaganda do Ômega 3 nos veículos de comunicação. Na realidade o que eles “vendem” em ações de merchandising nos canais de tevê é a expectativa de uma vida com melhor qualidade e não simplesmente uma cápsula de óleo com gosto de peixe, o que é concretamente o produto. Eles apresentam os efeitos benéficos futuros do produto no organismo do cliente. Assim, a expectativa por eles criada na comunicação vai ao encontro da esperança dos consumidores que buscam uma melhor qualidade de vida no decorrer dos anos. Da mesma forma, se observarmos a maioria dos comerciais, veremos que todos buscam, em seu conteúdo, ir ao encontro de alguma esperança de seus clientes.


A esperança é o melhor atrativo para prendermos a atenção das pessoas em qualquer circunstância, e o marketing sabe como despertá-la em suas estratégias. Jesus tinha plena consciência disso, pois Ele usou esta mesma “estratégia” no Sermão das Bem-Aventuranças, narrado no Evangelho de São Mateus, capítulo 5! Jesus foi ao encontro da esperança dos aflitos, dos injustiçados, dos perseguidos e dos oprimidos ao afirmar, entre outras promessas: Bem-aventurados consolados!

os

que

choram,

porque

serão

Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados! Bem-aventurados os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o Reino dos céus! Bem-aventurados sereis quando vos caluniarem, quando vos perseguirem e disserem falsamente todo o mal contra vós por causa de mim.Alegrai-vos e exultai, porque será grande a vossa recompensa nos céus, pois assim perseguiram os profetas que vieram antes de vós. E Jesus, nesse conhecido Sermão, vai além, e alimenta ainda a esperança dos mansos, dos misericordiosos, dos puros e dos pacíficos ao assim dirigir, especificamente, a cada grupo, uma palavra de esperança: Bem-aventurados os mansos, porque possuirão a terra. Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia! Bem-aventurados os puros de coração, porque verão a Deus! Bem-aventurados os pacíficos, porque serão chamados filhos de Deus! Percebam que nesta ação, Jesus ainda se vale de outra estratégia atualmente utilizada pelo marketing, é o que chamamos de segmentação do público. Jesus sabiamente age assim para uma comunicação objetiva e direta, e não genérica e comum a todos, ao falar especificamente de cada aflição de cada grupo de pessoas que O ouvia. Jesus classifica a todos como bem-aventurados depois, especificando cada problema por eles vivido, conclui com uma palavra de esperança para cada segmento: serão consolados, serão saciados, alcançarão misericórdia e assim por diante. Jesus não lhes alimenta ou incita o rancor, o temor, a vingança, o medo, etc, mas, sim, o perdão, a coragem, a paz, enfim, o amor, agindo coerentemente com o Seu discurso central: amai a Deus e ao próximo como a si mesmo!

Continua na página 14

13


Artigo

São Paulo utiliza a mesma estratégia de Jesus Paulo, o grande evangelizador do primeiro século, segue a mesma trilha do Mestre, pois, em suas 13 epístolas, ele nunca perde a oportunidade de alimentar a esperança dos primeiros cristãos, que sofriam as mais terríveis perseguições acompanhadas de atrocidades sem fim em decorrência de sua fé. Paulo sempre dedica um ou mais parágrafos de suas cartas a estas comunidades por ele fundadas, para lhes reavivar a esperança na vida eterna que Jesus nos prometera e que é “a pedra angular” da Boa Nova! Para mim, Paulo é o grande apóstolo da esperança! Ele corrige os erros das comunidades de forma veemente, mas antes lhes exalta as virtudes, na abertura de suas cartas, como escreve aos filipenses: “Dou graças a meu Deus, cada vez que de vós me lembro. Em todas as minhas orações, rezo sempre com alegria por todos vós, recordando-me da cooperação que haveis dado na difusão do Evangelho, desde o primeiro dia até agora. Estou persuadido de que aquele que iniciou em vós esta obra excelente lhe dará o acabamento até o dia de Jesus Cristo” (Fl 1,3–6). O Apóstolo, na sequência, adverte-lhes energicamente, mas, ao mesmo tempo, alimenta em todos eles a esperança da misericórdia divina e da vida eterna, como escreve também aos colossenses: “Nas contínuas orações que por vós fazemos, damos graças a Deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, porque temos ouvido falar da vossa fé em Jesus Cristo e da vossa caridade com os irmãos, em vista da esperança que vos está reservada nos céus. Esperança que vos foi transmitida pela pregação da verdade do Evangelho, que chegou até vós, assim como toma incremento no mundo inteiro e produz frutos sempre mais abundantes. É o que acontece entre vós, desde o dia em que ouvistes anunciar a graça de Deus e verdadeiramente a conhecestes” (Cl 1,3–6). Para corroborar o que escrevi, selecionei ainda outros trechos de suas cartas que nos mostram essa atitude de exaltar sempre a esperança, como também procura fazer o marketing, junto aos seus clientes de serviços ou produtos, nos tempos atuais: “Tenho para mim que os sofrimentos da presente vida não têm proporção alguma com a glória futura que nos deve ser manifestada” (Rm 8,18). Esta expressão paulina nos revela um dos ingredientes essenciais para que possamos difundir a esperança da vida eterna: crermos, sem vacilar, ou simplesmente termos fé na ressurreição! Semelhantemente, quem trabalha o marketing de algum produto ou serviço precisa, antes de tudo, acreditar na eficácia ou nos benefícios do produto/serviço, para poder oferecê-lo com entusiasmo 14

e muita convicção aos potenciais clientes, seguindo o exemplo de São Paulo, que crendo fielmente na vida eterna, a apresenta com entusiasmo e convencimento aos que leem suas cartas. Em muitas ocasiões, nos falta este entusiasmo para convencermos os nossos fiéis desta certeza da vida eterna, particularmente quando falamos a algum cristão enlutado pela morte de uma pessoa querida. “Porque pela esperança é que fomos salvos. Ora, ver o objeto da esperança já não é esperança; porque o que alguém vê, como é que ainda o espera? Nós que esperamos o que não vemos, é em paciência que o aguardamos” (Rm 8,24–25). São Paulo, além de crer piamente, desenvolve a perseverança de seus seguidores, outro fator que o marketing procura trabalhar para que seus produtos ou serviços apresentados ganhem credibilidade junto aos seus usuários. Perseverar é não desistir diante dos obstáculos, dificuldades ou fracassos. Perseverar é manter os olhos acima, além do horizonte, e não fixados nos obstáculos da caminhada, na certeza de que ao superá-los, teremos a recompensa tão aguardada! “Aliás, sabemos que todas as coisas concorrem para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são os eleitos, segundo os seus desígnios” (Rm 8,28). Paulo também gera uma expectativa positiva em seus fiéis seguidores, afirmando-lhes, convictamente, que todas as coisas concorrem para o bem dos eleitos de Deus, não importa o que elas forem! Manter sempre uma expectativa positiva nos corações humanos é manter viva neles a esperança! O marketing também busca trabalhar com as expectativas de seus clientes, ciente de que assim lhes alimentará a sua esperança que, como dissemos, é a essência do marketing. “É como está escrito: Coisas que os olhos não viram, nem os ouvidos ouviram, nem o coração humano imaginou (Is 64,4), tais são os bens que Deus tem preparado para aqueles que o amam” (ICor 2,9). Mesmo não conhecendo o que nos espera na eternidade, São Paulo toma a iniciativa de anunciá-la esplendorosamente, instigando a imaginação e a criatividade de seus leitores ou ouvintes, apresentando-a como algo nunca jamais visto, nunca antes ouvido ou mesmo imaginado pela criatura humana. Iniciativa e expectativa são elementos que o marketing também evidencia em suas ações! Se você quiser aprofundar esta relação entre a esperança e o marketing, venha assistir minha palestra com esse tema no 24º Encontro de Marketing Católico, de 14 a 17 de maio, em Fortaleza!


Artigo

Redes sociais e evangelização: o poder dos influencers de Cristo Alexandre Varela As redes sociais definiram as últimas eleições gerais no Brasil. E não foi apenas para presidente. Candidatos e agora políticos eleitos falam diretamente com seus eleitores através de seus perfis no Facebook e Twitter. A grande imprensa apenas corre atrás para noticiar o que já passou, em vez de chegar na frente como sempre foi. Uma troca de tweets entre o presidente americano Donald Trump e o presidente Norte Coreano Kin Jongun fez todo o mundo ver como um quase conflito se transforma em um encontro histórico. A onda de denúncias de assédio e abuso de mulheres que derrubaram políticos e artistas influentes nos EUA não veio de um grande canal de notícias, mas da hashtag #metoo. Convença-se. A vida se digitalizou. A internet não é mais um espaço alternativo no qual colhemos informações e fazemos compras. Com as redes sociais, a internet efetivamente se transformou em um espaço real, que faz parte do tecido da sociedade. Um elogio ou uma briga nas redes sociais tem efeito real. Não é mais restrito aos ambientes de informática. Não é à toa, que na última Jornada Mundial da Juventude, o Papa Francisco se referiu à Maria como a “Influencer de Cristo”, fazendo assim a ponte entre o cristianismo bimilenar e as novas mídias digitais. Nesse sentido, de quanto tempo ainda vamos precisar para entender que a rede também precisa ser local da presença de Cristo? Que também lá, podemos, como Maria, influenciar as pessoas e mudar a sua história? Eu me chamo Alexandre Varela, sou editor dos sites O Catequista e O Catequista News, e quero falar com você sobre como a Igreja Católica está perdendo tempo

16

e espaço nos corações e mentes, principalmente dos jovens, por não saber usar a internet. Hoje, usamos as redes sociais como meios de informação. Divulgamos eventos, notícias e toneladas de figuras animadas com Jesus dando bom dia ou Nossa Senhora dando boa noite e dizendo que vai abençoar seu sono. Tudo certo. É válido. Esse tipo de publicação é muito compartilhado, mas não mexe com a vida das pessoas. Seja sincero: o que você faz depois que vê uma frase bonita do Papa Francisco (sem a certeza de ser realmente dele) ou uma figura de Jesus dizendo que vai abençoar seu dia? Eu respondo: naquele exato momento você pode gostar e ter o ímpeto de compartilhar. Pode até ficar contente com a quantidade de likes que vai receber, mas na prática, no mundo real, absolutamente nada aconteceu. Esse tipo de publicação não move. Não transforma a vida. A publicação que interessa é aquela que faz você mudar de opinião, faz você entender algo que não tinha pensado, faz você mudar de hábito, ir a algum lugar, tomar uma decisão para a vida. Se não for assim, não é nada. Uma vez vi um comercial de TV que mostrava uma senhora miserável que vivia nas ruas e que claramente precisava de doações para se alimentar. Um grupo de pessoas, vendo aquela situação, tira uma foto e publica no Facebook com a história da mulher e um pedido de ajuda. Ao final, o comercial mostrava uma foto com milhares de likes e uma senhora ainda passando fome nas ruas. Likes não mudam a vida.

Continua na página 18


Artigo

O que muda a vida é uma proposta concreta. Então, se queremos fazer Cristo presente nesse novo lugar da sociedade, é importante termos essa proposta concreta ao lidar principalmente com as redes sociais. E aqui, peço licença para falar de nosso site, O Catequista. Esse projeto, que hoje tem mais de meio milhão de seguidores fiéis e engajados e que foi reconhecido pela Santa Sé, nunca foi pensado para ser algo grande. Foi concebido para ser uma proposta concreta para uma turma de 30 crismandos. E foi isso que fez a diferença. Então, quais seriam as características dessa tal “proposta concreta”?

1

2

3

4

Ser verdadeira – que seja algo feito para pessoas verdadeiras, que responda questões reais, que de fato ajudem na vida delas. Que o intuito da obra (seja ela virtual ou não) seja verdadeiro. Não entre nessa para ser famoso, ou para defender uma determinada bandeira. As pessoas não são bobas. Elas não perdem tempo com isso. Ser autêntica – uma proposta concreta parte da oração e da misericórdia. Ela é um dom de si mesmo, com a intenção de resolver um problema de outras pessoas. E se você está doando a si mesmo, o melhor conselho é: seja você mesmo. Ninguém quer seguir personagens. Não para mudar a vida. Se você quer fazer entretenimento tudo bem, mas se quer evangelizar, seja antes o que você deseja que as pessoas sejam. Não é uma regra nova: tire primeiro a trave do seu olho, mas, atenção: dê o que tem. E perceba se está tentando doar o que não tem. Pode não ser a hora de avançar para águas mais profundas. Ser bem feita – pior do que não fazer nada é fazer mal feito. Se você ou sua paróquia (ou movimento etc) não tem um perfil nas redes sociais, isso é um problema, mas, se tem um perfil e as pessoas já desistiram dele porque é ruim, isso é um problemão. Então, seja criterioso. Não seja amador, preste atenção às tendências, apure a técnica, use as métricas de desempenho a seu favor (e não permita ser usado por elas) e, principalmente, tenha o que dizer. Ser humana – se a internet faz parte do tecido da sociedade, então, precisamos ser sociáveis. A comunicação hoje é baseada em relacionamento. Ninguém quer mensagem enlatada. E isso é especialmente importante aqui, porque estamos falando em mudar a vida das pessoas. Porém, é muito importante saber se relacionar: A doutrina da Igreja é um convite à santidade. Jamais a use como instrumento de coerção ou acusação. Doutrina não é arma. Mons. Giussani (fundador do movimento italiano Comunhão e Libertação), em um livro fantástico chamado “Educar é um Risco” fala sobre a relação professor aluno e em um determinado ponto diz que precisamos saber diferenciar os alunos que têm dúvida dos alunos que duvidam. Com os primeiros temos que investir tempo, porque querem aprender. Com os que apenas duvidam, não se deve perder nenhum segundo. Já estão convencidos de que sabem e só querem impor o ponto de vista. Tenha isso em mente e 90% das brigas de Facebook não irão acontecer. Tretas e discussões não significam inimizade. Muitas vezes significam falta de conhecimento. Lembrese de que a maioria dos leigos não faz ideia do que acontece na missa que frequentam semanalmente. Imagine o restante. Tenha caridade e paciência.

Essas orientações são fruto de 15 anos de observações na catequese e mais sete no trabalho diário com redes sociais. Não são exaustivas e tampouco uma fórmula mágica, mas, são um ponto de partida. E foi com elas que criamos a história de O Catequista, de todas as nossas redes sociais, do nosso canal no Youtube O Catequista TV e do nosso novo site de notícias O Catequista News. Ter uma proposta concreta é a única coisa que pode mover uma pessoa a mudar de vida. E, se queremos trazer Cristo para dentro dos meios digitais, não podemos ter uma pretensão menor. Depois de tudo isso, peço a você que não se sinta intimidado pela dificuldade ou pela responsabilidade. Ainda há muito o que explorar nos meios digitais. Muita coisa ainda será criada. E não tenha medo de inovar. Só erra quem tenta. A Igreja sabe disso e aposta na comunicação desde Paulo VI, quando nem havia internet. Finalizo com as palavras de Francisco: “Prefiro uma Igreja acidentada, do que doente por fechar-se”. Não sejamos doentes, sejamos sãos, santos. Em todos os lugares, na internet inclusive. 18


A maior variedade em livros e arrgos católicos na internet, acesse www.livrarialoyola.com.br

Protetor para Vela Semana Santa Cód. 34556

Carvão gloria 90 pastilhas Cód. 005146

Carvão Holandes 100 pastilhas Cód. 002858 R$ 177,20 Incenso Holandes 500g cód. 003260 R$ 233,20

Visite nossas lojas:

Preço válido até 30/06/19

23,5cm

18,5cm

R$ 1,20 a unidade

R$ 151,00 Incenso gloria 300g cód. 003244 R$ 179,80

Parcele no cartão de crédito

R. Senador Feijó, 120 - Centro, São Paulo, SP R. Quintino Bocaiúva, 234 - Centro, São Paulo, SP R. Barão de itapetininga, 246 - Centro, São Paulo, SP R. Padre Visconde, 8 - Embaré, Santos, SP R. Barão de Jaguara, 1389 - Centro, Campinas (Nova Filial)

Vinho canônico 720 ML Cód. 007326

R$ 36,00

Para pedidos, ligue:

0800 77 20 756

vendas@livrarialoyola.com.br Compre também pelo nosso site:

www.livrarialoyola.com.br


Artigo

Alegria e esperança! Clelia Morais

Advogada – Especialista no terceiro setor Organizações religiosas

João Batista JB

Contador - Bacharel em direito - Contabilidade privada - 30 anos junto ao clero

SEDE ALEGRES NA ESPERANÇA! Que tema maravilhoso e oportuno foi escolhido para esse 24º Encontro de Marketing Católico que, com muita alegria, nós iremos participar. Qual é o nosso desafio? Desenvolver este tema agregando a realidade da Igreja Católica às técnicas profissionais das áreas da Contabilidade e do Direito! Podemos definir isso como uma necessidade, que é o quesito básico e primordial do marketing! Sim, é isso, pois a definição básica e objetiva do Marketing é: atender necessidades! E, hoje, amigos e amigas, a Igreja mais do que nunca necessita desse apoio técnico, jurídico e contábil. Nos áureos tempos, a Igreja não precisava se preocupar com tantas regras, normas e leis a serem cumpridas, pois estava diretamente ligada ao estado, ditando ela mesma, por vezes, muitas regras pertinentes aos seus interesses. Entretanto, nos dias de hoje, em tempos de estado laico, a Igreja está cada vez mais submissa às fiscalizações, sejam elas em suas edificações, por questões de segurança, ou em suas informações fiscais, na conduta do clero em geral, nas obrigações trabalhistas etc. Por estas e demais razões, os integrantes e responsáveis pela administração da Igreja devem PERMANECER ALEGRES NA ESPERANÇA, pois, hoje, felizmente, contam com a assessoria de profissionais em diversas áreas, para auxiliar no cotidiano burocrático no qual a Igreja está inserida. Atualmente, é necessário buscar amparo técnico e profissional, pois é, de fato, uma alegria saber que os nossos bispos, padres e demais administradores eclesiais não precisam 20

e nem são obrigados a “saberem tudo”. A função eclesiástica é muito abrangente e específica, e os problemas e as dificuldades, particularmente as burocráticas, precisam e devem ser compartilhadas ou mesmo terceirizadas, ficando sob a supervisão dos padres responsáveis. Nos últimos tempos, surgiram inúmeros cursos e palestras específicas sobre as questões burocráticas pertinentes às igrejas, especialmente para a Igreja Católica que possui necessidades distintas. Os profissionais que participam e acompanham as inovações normativas estão sempre atualizados para poder oferecer o melhor atendimento às organizações religiosas que os contratam, evitando assim os diversos riscos fiscais inerentes às atividades da Igreja. Por isso, reafirmamos: é com muita ALEGRIA e ESPERANÇA em nossos corações que nós aceitamos o honroso convite para participarmos como conferencistas e consultores, em nossas áreas, no 24º Encontro de Marketing Católico. Ao mesmo tempo, convidamos todos vocês para participarem de nossa palestra e ainda contarem com a nossa presença nos grupos de interesse, com o objetivo de partilharmos os nossos conhecimentos especializados com o clero presente que, todos os anos, busca se atualizar e acompanhar a evolução dos tempos, contribuindo para uma caminhada mais evangelizadora e mais segura, do ponto de vista jurídico e contábil, de nossa querida Igreja Católica Apostólica Romana, presente e atuante no Brasil. Esperamos por vocês em Fortaleza!


Augusto Kater | Administrador, agente literário e instrutor Master Mind (Fundação Napoleon Hill) Esse ano, o tema do 24º Encontro de Marketing Católico nos convoca, com objetividade, a agirmos numa única direção. Em todo o capítulo 12, na Carta aos Romanos, São Paulo nos dá uma verdadeira lição sobre o verdadeiro sentido de sermos cristãos quebrando alguns padrões da época e ressaltando os valores realmente essenciais na vida de Jesus Cristo, como a misericórdia e o amor! E, especificamente no versículo 12, ele nos exorta: “Sede alegres na esperança!”. E a nossa resposta a esse convite é um ato de fé! Vamos refletir a força dessas palavras... Quando ele nos diz para “sermos alegres”, esse comando toca a alma, vai além do temporal, do aparente, é algo íntimo e profundo que nos leva a absorver essa alegria em nossa essência, e assim vivermos de acordo com o nosso ser. A liderança, como já foi estudada por muitos, é eficaz quando somos o exemplo a partir de nossa postura, pois ninguém se dispõe a seguir alguém que prega, mas não vive aquilo que prega. E quando Jesus nos exorta para sermos alegres “na esperança”, temos um cenário ainda mais desafiador. Ele não nos diz para sermos alegres nos bons tempos, quando tudo estiver dando certo, mas sim, em todos os tempos! Nos momentos bons, mas, sobretudo, nas dificuldades, na dor e muitas vezes no auge dos sofrimentos. Porque, o que caracteriza o cristão que vive o verdadeiro sentido de sua fé é justamente crer na providência divina e nos ensinamentos que a vida nos dá em todas as circunstâncias. Isso é, em síntese, a esperança, por isso precisamos ser alegres, sempre. Em todos os tempos, manter a esperança por dias melhores e na certeza da presença real e constante de Deus em nossas vidas.

22

A maturidade cristã nos faz compreender que não estamos protegidos das dificuldades, do sofrimento e da dor, mas sim, que estamos amparados por Deus em todas essas circunstâncias difíceis que vivemos! A fé mais do que um escudo protetor, é acima de tudo, um bálsamo para a alma. Por isso, a alegria é um sentimento que germina naturalmente de nossa fé. Nos treinamentos que eu ministro para executivos, em Campinas/SP, e para líderes e agentes de pastorais, em todo o Brasil, sempre ressalto que nós somos livres para encarar a vida de duas maneiras, uma delas como “um fardo”, e a outra como “uma bênção”. Aí está o ponto! A forma como vemos o mundo tem muito a ver com a maneira que decidimos viver a nossa vida nele. Dependendo da “lente” que usarmos, viver a vida pode ser uma experiência muito libertadora ou extremamente desafiadora. Decidir como você quer viver a sua vida é um ato de grande responsabilidade! Ao enxergarmos as situações que passamos na vida com esperança, à luz da fé, usamos a lente das “bênçãos”, valorizamos o sentido de sermos alegres e damos um bom exemplo para os que convivem conosco. Esse é o princípio máximo da evangelização de Jesus, seguido por Paulo: influenciar as pessoas, positivamente, pelo simples fato de vivenciarmos a nossa fé. Dessa forma, é possível afirmar que viver a nossa fé, semeando a alegria e confiando em Deus, é o verdadeiro sentido do cristianismo! Por isso: “Sede alegres na esperança!” (Rm 12,12)

Foto: Matheus Campos

A fé é o verdadeiro sentido do cristianismo


Profile for Agência Arcanjo

Revista Marketing Católico - 2019  

Revista Marketing Católico - 2019  

Advertisement