Revista A Palavra - Julho de 2019

Page 1

EDIÇÃO 92 | JULHO | 2019 | DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

4

SANTA PAULINA

Seu legado é exemplo e inspiração: “Nunca, jamais desanimeis, embora venham ventos contrários”

7

AMIZADE

Celebramos o Dia do Amigo, em 20 de julho. Mas, afinal o que é ser amigo de verdade?

10 e 11

MATRIMÔNIO

Paróquia São Luís Gonzaga inicia novo modelo de preparação para este sacramento.


EDITORIAL

AGÊNCIA ARCANJO

Atenção! A edição de julho da Revista A Palavra aborda assuntos de extrema relevância para a Igreja e, que merecem sua atenção. Começamos falando sobre a Catequese para o Matrimônio: os casais de noivos precisarão se programar com antecedência para o grande dia, isso porque a nova preparação prevê diversos encontros e aprofundamento maior dos temas relacionados ao casamento. Produzimos uma matéria completa nas páginas 10 e 11 para explicar o que mudou e como funciona esse novo processo para o Sacramento do Matrimônio. A Igreja Católica está se preparando para viver o Mês Missionário Extraordinário, convocado pelo Papa Francisco para outubro de 2019. E nós, enquanto cristãos, estamos prontos para ser essa igreja missionária? Não apenas durante um mês, mas no dia a dia. Trazemos uma reflexão e inúmeros questionamentos acerca do tema na página 5. Você já repassou ou compartilhou ou ainda recebeu alguma notícia falsa? Certamente que sim. Este fenômeno chamado fake news não é novo, mas por meio da internet e das redes sociais causa muito mais impacto, pois atinge milhares de pessoas em pouquíssimo tempo. Nem mesmo a Igreja escapa das notícias falsas. Por isso, nesta edição abordamos o tema para gerar esclarecimentos e trazer orientações sobre o assunto. Como identificar as fakes news? Confira nas páginas 8 e 9! Outro registro importante desta edição é a comemoração pelos 90 anos do Pe. Flávio Morelli. Com bom humor e muita alegria ele respondeu algumas perguntas sobre sua infância, o seu discernimento vocacional, a vida sacredotal e como se sente ao chegar a essa idade.

Por fim, no mês de julho a Comunidade Santa Paulina homenageia sua padroeira. São 12 anos de caminhada comunitária, trajetória inspirada na fé, força e ânimo de Santa Paulina. Está imperdível! Boa leitura!

Missas MATRIZ SÃO LUÍS GONZAGA Segunda a sábado – 19h Domingo – 7h | 9h | 17h e 19h 1ª Sexta-feira do mês – 7h | 15h e 19h

COM. NOSSA SENHORA APARECIDA Sábado – 19h 1ª Sexta-feira do mês – 19h Dia 12 de cada mês – 19h

COM. NOSSA SENHORA DE FÁTIMA Sexta-feira – 19h Sábado – 18h - Adoração ao Santíssimo Sacramento Domingo – 9h Dia 13 de cada mês – 19h Quintas-feiras – 6h30 às 18h30 - Missa com Jovens Última quinta-feira do mês – 22h30

COM. CRISTO REI Domingo – 8h30 1ª Sexta-feira do mês – 19h

COM. NOSSA SENHORA DE LOURDES Sábado – 19h 1ª Sexta-feira do mês – 19h30 Dia 11 de cada mês – 19h COM. SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS Sábado – 19h 1ª Sexta-feira do mês – 19h

2 | REVISTA A PALAVRA

COM. SÃO FRANCISCO DE ASSIS Domingo – 9h Todo dia 4 – 19h

COM. SÃO JOÃO BATISTA Domingo – 7h30 1ª Quinta-feira do mês - 19h Todo dia 24 – 19h30 COM. SÃO JOSÉ Sábado – 17h30 1ª Sexta-feira do mês – 19h30 Dia 19 de cada mês – 19h30 COM. SANTA PAULINA Sábado – 19h15 1ª Quinta-feira do mês – 19h Dia 9 de cada mês – 19h COM. SANTA RITA Sábado – 19h 1ª Sexta-feira do mês – 19h Dia 22 de cada mês – 19h COM. SANTO ANTÔNIO Domingo – 9h 1ª Quinta-feira do mês – 19h30 Dia 13 de cada mês – 19h30


PALAVRA DO PÁROCO

PE. DIOMAR ROMANIV, SCJ

Um Deus que é amor

Gostaria, querido paroquiano, de partilhar os números 114-116 da Exortação Apostólica Pós-Sinodal do Papa Francisco chamada Christus Vivit, na qual ele fala do amor de Deus pelo ser humano: “é como se Ele estivesse procurando maneiras diferentes de manifestá-lo para ver se, com alguma dessas palavras, pode chegar ao teu coração”. Por exemplo, às vezes apresenta-se como aqueles pais carinhosos que brincam com seus filhos: “Segurava-os com laços humanos, com laços de amor, fui para eles como os que levantam uma criancinha contra o seu rosto” (Os 11, 4). Há vezes em que se apresenta repleto daquele amor com que as mães amam sinceramente os seus filhos, com um amor entranhado que é incapaz de esquecer ou abandonar: “Acaso pode uma mulher esquecer-se do seu bebê, não ter carinho pelo fruto das suas entranhas? Ainda que ela se esquecesse dele, Eu nunca te esqueceria” (Is 49, 15). Mostra-se até como um enamorado que chega a tatuar na palma da sua mão a pessoa amada, para poder ter o seu rosto sempre perto: “Eis que Eu gravei a tua imagem na palma das minhas mãos” (Is 49, 16). Outras vezes destaca a força e a firmeza do seu amor, que não se deixa derrotar: “Ainda que os montes sejam abalados e tremam as colinas, o meu amor por ti nunca mais será abalado, e a minha aliança de paz nunca mais vacilará” (Is 54, 10). Ou então diz-nos que desde sempre nos esperou, não aparecemos neste mundo por acaso. Já antes de existirmos, éramos um projeto do Seu amor: “Amei-te com um amor eterno. Por isso, dilatei a misericórdia para contigo” (Jr 31, 3). Faz-nos notar que Ele sabe ver a nossa beleza, aquela que ninguém mais pode descrever: “És precioso aos meus olhos, te estimo e te amo” (Is 43, 4). Ou leva-nos a descobrir que o Seu amor não é triste, mas pura alegria que se renova quando nos deixamos amar por Ele: “O Senhor, teu Deus, está no meio de ti como poderoso salvador! Ele exulta de alegria por tua causa, pelo seu amor te renovará. Ele dança e grita de alegria por tua causa” (Sf 3, 17). Sinta esse amor de Deus que te envolve e te ensina a amar. “Deus te ama. Nunca duvides, apesar do que te aconteça na vida. Em qualquer circunstância, és infinitamente amado”.

mensageirodossonhos.com.br

3 | REVISTA A PALAVRA


MISSÃO

ANA ELISIA DALLAGNOLI MERISIO

“Nunca, jamais desanimeis, embora venham ventos contrários” Santa Paulina (Amábile Lúcia Visintainer) nasceu em Vígolo, na Itália, no dia 16 de dezembro de 1865. Aos 10 anos emigrou com seus pais para o Brasil, estabelecendo-se no atual município de Nova Trento (SC). Em 1895 ela professava os votos perpétuos na Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição, onde foi nomeada superiora da pequena congregação, passando a ser chamada Madre Paulina. Sua vida foi marcada pela humildade, obediência e caridade, principalmente com os doentes e mais pobres. Entregava toda sua vida ao Senhor, sujeitando-se aos trabalhos mais humildes e pesados, sem murmurar nem reclamar. Por causa do diabetes, em 1938, iniciou um período de muito sofrimento. Teve seu braço direito amputado e ficou cega, e mesmo com tamanha dor, permaneceu firme, louvando ao Senhor, dando testemunho da sua fé. Madre Paulina faleceu no dia 9 de julho de 1942. Em 2002 foi celebrada sua canonização, pelo Papa João Paulo II, tornando-a a primeira Santa canonizada do Brasil. Comunidade Inspirados na frase da Padroeira: “Nunca, jamais desanimeis, embora venham ventos contrários”, a Comunidade Santa Paulina, localizada na Travessa Lagoa Dourada, festeja neste mês de julho, seus 12 anos de caminhada. Mas, a fé, a devoção à Santa Paulina e o desejo dos moradores em formar uma Capela no bairro, iniciaram anos antes. Tudo começou com a reza do terço entre amigos em uma capelinha familiar, e logo mais tarde passaram a ser realizadas missas na Escola Padre Luiz Gonzaga Steiner. As celebrações eram todos os sábados, às 19h. O espaço da escola era utilizado também para realizar encontros de catequese para as crianças e jovens. Nessa época já havia um CPC e várias Pastorais. A escola foi utilizada por muito tempo, inclusive para fazer festas para arrecadação de recursos, pois já havia a necessidade da construção de uma igreja.

4 | REVISTA A PALAVRA

O ano de 2007 foi marcado por grandes mudanças e muito trabalho. Em julho foi adquirido um terreno (localizado em frente à Escola). Com a ajuda dos moradores, as primeiras paredes foram erguidas através de mutirões nos finais de semana. As pessoas se uniam e se ajudavam por um bem maior. A parte inferior do galpão foi praticamente, toda construída, pela comunidade. Para a parte superior foi contratada uma empresa. Mas, nos finais de semana, a comunidade auxiliava no transporte de tijolos para o segundo andar, com carinhos de mão em uma rampa improvisada. Assim, durante a semana os tijolos já estavam posicionados nos lugares certos, antecipando o serviço. Resultado de todo esforço e trabalho da comunidade, em 9 de novembro de 2007, foi celebrada a primeira missa na igreja, após três meses do início da construção. Em 2013 foram concluídas as fases de pintura e acabamentos no interior da Capela, ficando a estrutura que há hoje. Todo dia 9 de cada mês é celebrada a missa em Honra à Santa Paulina, e todo mês de julho é realizada a festa da Padroeira, onde o lucro é revertido para melhorias da Capela. “Ainda há muito para se realizar. Embora os ventos contrários, muito já foi feito, e a Comunidade continua caminhando sem desanimar”.


PROTEÇÃO

PE. ALÉSSIO DA ROSA, SCJ

Aprendemos a partir do Concílio Ecumênico Vaticano II, que a Igreja é missionária por excelência. Não é um privilégio, nem uma opção, faz parte da sua vocação natural. A missão é parte constituinte da vida da Igreja. Como afirma o Decreto Ad Gentes do referido Concílio: “A Igreja peregrina é por sua natureza missionária” (AG, n. 2). É neste sentido que um plano global de Missão Integrada à Pastoral Articulada se torna imprescindível, porque sem isso a ação eclesial se torna resumida à aplicação de sacramentos, e deixa de proporcionar os elementos essenciais para um dinamismo missionário e para uma vitalidade na vida cristã. Além disso, torna-se mais fácil cair na tentação de se reduzir o rico significado da evangelização, criando interpretações incompletas que põem em jogo a própria unidade da comunidade cristã. O documento de Aparecida ofereceu à Igreja da América Latina e Caribe a oportunidade de aprofundarmos os passos para um verdadeiro encontro com o Senhor. Seguir Jesus, no passado, ou em nossa época, nunca foi uma decisão fácil e imediata. Trata-se de uma experiência que vai sendo amadurecida num processo contínuo de conversão. A missão é uma etapa desse processo. E como veremos, não é a primeira. A missão não pode vir antes da conversão, do discipulado, muito menos antes de um encontro pessoal com o Senhor. Segundo o documento de Aparecida, o processo de Formação dos discípulos missionários obedece a seguinte ordem: a) O encontro com Jesus Cristo b) A conversão c) O discipulado d) A comunhão e) A missão (DAp, n. 280)

Bamco de imagem

A missão e a vida da Igreja

Diante do exposto acima, surge o nosso grande desafio. No contexto e realidade da Paróquia São Luís Gonzaga, poderíamos pensar num processo missionário desta forma? Preparando uma equipe de missionários, sejam eles jovens e/ou adultos das pastorais e movimentos, que receberiam uma formação mais específica para missão permanente? E a cada ano aconteceriam as missões em uma ou mais comunidades, seguindo o impulso missionário do Cristo e da sua Igreja? A resposta é sim, para todas as perguntas acima. Esse grupo já existe, porém não está completo. Também já aconteceram missões em algumas comunidades da nossa Paróquia. E em outubro, na Comunidade São José, no bairro Primeiro de Maio, acontecerá a etapa missionária de 2019. Que tal você fazer parte desse grupo de missionários?

“A missão não pode vir antes da conversão, do discipulado, muito menos antes de um encontro pessoal com o Senhor”

5 | REVISTA A PALAVRA


ENTREVISTA

ANA ROBERTA VENTURELLI

Ana Roberta Venturelli

“Deus foi muito bondoso para comigo”

Sempre com um sorriso no rosto e uma palavra de carinho, Padre Flávio Morelli dá exemplo de como viver bem, com humor, disponibilidade e gratidão

Revista A Palavra

Qual o segredo para chegar aos 90 anos com tamanha disposição e alegria?

Revista A Palavra

Quais as principais lembranças que guarda da infância?

Revista A Palavra

O que mais se orgulha de sua história de vida?

“Quem não vive para servir, não serve para viver” 6 | REVISTA A PALAVRA

Padre Flávio Morelli nasceu em Botuverá no dia 7 de julho de 1929 e neste mês, completa 90 anos de vida. O quinto filho dentre 15 irmãos, recorda com alegria de momentos marcantes da infância e do dia em que foi estagiar no Seminário Menor em Pinheiral, com apenas 13 anos. Ali teve a certeza de sua vocação e ordenou-se sacerdote em 29 de junho de 1957, no dia da Festa de São Pedro e São Paulo, tendo como lema “Ecce Venio, Ecce Ancilla” expressões ditas por Jesus e por Maria que significam: “Eis-me aqui, eu vim, ó Pai, para fazer a tua vontade”, e “Eis aqui a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a sua palavra”. Sempre com um sorriso no rosto e com uma palavra de carinho, Padre Flávio dá exemplo de como viver bem, com humor, disponibilidade e gratidão.

Pe. Flávio - O segredo da longevidade é manter uma rotina diária e uma boa alimentação. Um dos maiores segredos é dormir as horas certas de sono. Não se pode abrir mão das horas de sono. Sempre gostei muito de ler e estou sempre disposto a fazer o que é preciso. Manter o bom humor, ter boa vontade e, principalmente, alimentar a espiritualidade. Tem pessoas que têm saúde, talentos e liberdade, mas vivem mal porque não têm Deus no coração. Pe. Flávio - Éramos em 15 filhos e nunca nos faltou nada. Mamãe era quem fazia nossas roupas. Brincávamos de escorregar nos pastos com cascas de coqueiros. A gente improvisava qualquer coisa para brincar. Éramos muito felizes. Após o jantar, todos os dias rezávamos o terço ajoelhados. Eu ia muito na casa do meu avô e minha avó sempre fazia um pãozinho pequeninho especialmente para mim. Com 6 anos eu já buscava trato para os cavalos e ajudava meus pais no transporte de materiais em carrocinhas. Desde pequeno eu tinha muita disponibilidade. Cresci num ambiente de confiança e de muita fé. Havia muita harmonia entre minha família. A fé dos meus pais era algo impressionante e minha infância foi marcada por muita obediência e respeito. Pe. Flávio - Todas as fases da minha vida foram muito importantes, mas eu não seria nada sem o sacerdócio. Aos 13 anos fui fazer estágio num Seminário e me apaixonei pela vocação. Certo dia perguntei para Jesus: ‘O que o Senhor quer de um carroceiro?’, e a resposta d’Ele foi: ‘Quero que deixe de transportar mercadorias, para transportar as coisas de Deus’. E assim, nasceu minha vocação. O sacerdócio sublimou, dignificou, enalteceu a minha vida. Sou o que sou pela ordenação sacerdotal. Quem não vive para servir, não serve para viver. A disponibilidade é uma graça de Deus. Deus foi muito bondoso para comigo. A Deus honra e glória, a mim, o trabalho. O sacerdócio é tudo para mim.


JOVENS

JANETE APARECIDA BOAVA E JOÃO CANCIO MOTA

‘Quem encontrou um amigo, encontrou um tesouro’ No dia 20 de julho, é comemorado o Dia do Amigo e diante desta data, convidamos os jovens a refletirem sobre o significado da amizade. Papa Francisco destaca que a amizade é algo sagrado. Ela nasce de forma espontânea e perdura pelo tempo, pois ser amigo é acompanhar a vida do outro naturalmente, sem cobranças ou explicações. Papa Francisco descreve o que é ser um bom amigo: ‘Faz-nos bem pensar no modo como age um amigo: acompanha-me com discrição e ternura no meu caminho; ouve-me profundamente e sabe ir além das palavras; é misericordioso em relação aos defeitos, é livre de preconceitos; sabe partilhar o meu percurso, levando-me a sentir a alegria de não estar sozinho; não me favorece sempre, mas, exatamente porque quer o meu bem, diz-me com sinceridade aquilo que não compartilha; está pronto para me ajudar a levantar, cada vez que eu caio’.

Sabe aquela amizade que você não lembra exatamente como começou, que foi providência de Deus e hoje não há mais como viver sem? Assim é nossa amizade! Nos conhecemos em 2015. Não éramos tão próximos, mas a afinidade foi imediata e tornou-se algo muito forte em pouco tempo. Fazíamos e íamos em todos os lugares juntos, mas não era qualquer lugar ou qualquer programa, participávamos de retiros, formações, palestras, tudo que era relacionado à Igreja. Nesses quatro anos de amizade (que na verdade parece uma vida toda), realizamos muitas coisas incríveis juntos. Montamos um Ministério de Música (que conta também com a participação da Natani) para cantar nas missas, coordenamos um grupo de jovens, fomos catequistas, trabalhamos em congressos...tudo com as bênçãos de Deus. Hoje, mais velhos e experientes temos a certeza de que Jesus é o centro dessa amizade e vamos cultivá-la assim na fé. Tem um versículo que diz: ‘Quem encontrou um amigo, encontrou um tesouro’. Assim definimos nossa amizade: um tesouro de Deus em nossas vidas. Continuamos nossa caminhada na fé, um apoiando e ajudando o outro e quando algo tenta nos

Arquivo Pessoal

Testemunho

Janete tem 32 anos e é professora. João tem 19 anos e trabalha como operador de montagem. Os dois pertencem à Comunidade Santo Antônio, no bairro Volta Grande.

desanimar lembramos que Ele tem um propósito para nós. Um amigo em Deus nos levanta e sustenta nos momentos mais difíceis de nossas vidas, assim como festeja os momentos felizes e as conquistas. Que Deus abençoe e proteja nossa amizade sempre!

23anos - OUTDOOR - IMPRESSÃO DIGITAL 47 3350-7228 jkohleroutdoor 7 | REVISTA A PALAVRA


Parece que há muitos lobos no meio das ovelhas, trazem consigo mentira e destruição. As notícias perniciosas só existem porque há quem as aprecie. Logo, é preciso que os cristãos examinem a si mesmos, a fim de avaliar se não estão praticando a falsidade. Não deve haver lugar para maldade no meio do povo santo, portanto é fundamental discernir o que é compartilhado, se o conteúdo é verdadeiro e relevante. “A verdade vos tornará livres. Notícias falsas e jornalismo de paz”. Este foi o tema da mensagem do Papa para a Dia Mundial das Comunicações Sociais de 2018. Para falar das notícias falsas (fake news) o Papa Francisco fez uma analogia com a serpente que (conforme Genesis, o primeiro livro da Bíblia) acabou convencendo Eva a comer a maçã, única fruta que seria proibida pelo criador (Deus) de ser consumida pelo casal Adão e Eva. Ele lembrou o surgimento do mal como consequência da notícia falsa da serpente dada para Eva. Ou seja: o pecado e o início do mal no mundo são representados pela difusão de uma mentira em nome de manipulação dos seres, onde a serpente representa o mal ao mentir para Eva (criatura) visando que ela desobedecesse às regras de sua consciência, o que inaugurou o mal no mundo, presente até hoje, inclusive nas notícias falsas. As notícias falsas são originadas com esta intenção: manipular pessoas com mentiras e convencer as mesmas que as ‘mentiras são verdades’ através de argumentos falsos, contraditórios puramente apelativos. “Divulgar fake news pode servir para conquistar objetivos específicos, influenciar decisões políticas, e servir para

interesses econômicos”, escreveu o Papa, condenando “a manipulação nas redes sociais” e em outros meios de comunicação. “A verdade vos tornará livres”. Na prática, sugere que a sociedade execute um esforço comum de prevenir a mazela da difusão das notícias falsas. As mentiras, de acordo com Francisco, se espalham tão facilmente que nem mesmo as negativas oficiais das autoridades conseguem conter os danos causados, além de deixar muitas pessoas correrem o risco de serem “cúmplices indecentes na divulgação de ideias tendenciosas e sem fundamento”, completa. Nem mesmo o Papa escapa das fake news. A imagem abaixo circulou pela internet. Francisco aparece em primeiro plano supostamente emanando uma sombra diabólica, com chifres e tudo, contra uma coluna de mármore à sua esquerda.

Divulgação

O papel do cristão, seja em canais digitais ou qualquer outro espaço, é de evangelizar. Disseminar conteúdos que despertem ações e sentimentos positivos e construtivos e estimulem a prática de valores cristãos. Mas, não é isso que temos visto, principalmente nas redes sociais. E isso não é um problema do meio digital, e sim das pessoas. “Os maus dão grande atenção às más notícias, assim como os falsos apreciam ouvir mentiras” (Pv, 17,4).

Fonte: Vatican News


Divulgação

O livro Fake Pope identificou 77 notícias falsas em relação ao Papa

As notícias falsas são um fenômeno da comunicação, na época das grandes navegações que tinham finalidade comercial, elas já eram usadas. Os mercadores relatavam tormentas e tempestades para valorizar o seu trabalho, os produtos que iriam vender. O que muda no cenário das fakes news é justamente o fator tecnológico. O termo se popularizou a partir da eleição de Donald Trump. Segundo o professor e mestre em comunicação pela Cásper Líbero, Rodrigo Amorim, as fake news nem sempre são inventadas. As vezes são tiradas de um contexto. Tirando do seu contexto ela cria um sentido novo. “Normalmente, as fake news são disseminadas de acordo com um interesse, então elas não são inocentes. Quem distorce uma fala do papa ou de qualquer integrante da Igreja tem uma intenção por trás. O impacto pode ser negativo quando ataca a crença, os valores de um grupo de pessoas”, explica. Amorim lembra ainda, que antes da popularização da internet e das redes sociais, a produção de informação estava concentrada nas mãos da imprensa e dos meios de comunicação. Havia um filtro quanto a relevância da informação, ética e todo um processo de apuração e checagem dos fatos para a publicação. “Com as redes sociais houve uma descentralização, os filtros podem não existir nesse caso. O poder da fala foi passado para toda e qualquer pessoa, assim essa produção de informação pode ser muitas vezes no sentido de causar confusão, distorção e de denegrir a reputação de pessoas e/ou entidades”, afirma. E se engana quem acha que a disseminação de notícias falsas na internet fica impune. O professor explica que quem compartilha notícia falsas pode sim ser penalizado. Pois, o crime de calúnia ou difamação, independentemente do meio (digital ou analógico), continua sendo calúnia ou difamação. Já existem inclusive delegacias especializadas em crimes digitais. “É muito comum que a pessoa diga: ‘eu apenas compartilhei’. Mas, ao compartilhar ela alimenta um mecanismo de endosso, ou seja, o compartilhamento gera a viralização. A partir do meu compartilhamento outros vão compartilhar também e assim a notícia falsa se propaga”, completa.

Como identificar notícias falsas? Os veículos de comunicação sérios jamais usarão call to action ou “chamadas para ação” em suas manchetes. Por exemplo, ‘compartilhe antes que saia do ar’, ‘compartilhe a notícia que estão tentando esconder de você’. “Esse tipo de artifício é usado para atingir o senso crítico das pessoas, gerando uma necessidade, uma emergência para que aquela informação não saia do ar. Não compartilhe! É notícia falsa”, alerta Amorim. Outro indício de fake news é quando há o compartilhamento de imagens com informações que não tem fontes e nem podem ser aprofundadas. Observe ainda a URL. Sites de notícias falsas imitam veículos de imprensa autênticos fazendo pequenas mudanças na URL. Outra dica é pegar a informação do canal, pode ser apenas a manchete e colocar no buscador. Se aparecer apenas o site que você estava nos resultados de busca, há grandes chances que a notícia seja falsa. “Na era da internet é praticamente impossível um site ou um blog ter uma informação exclusiva, por muito tempo”, afirma o professor. Atente-se também a data da publicação. A notícia muitas vezes não é falsa, mas aconteceu anos atrás e compartilhada agora fica fora do contexto. Causa aí uma desinformação. Existem também sites específicos de checagem de notícias e fatos. Analisam volumes grandes de informações com potencial viral e trazem a verdade dos fatos. Os sites de fact-checking devem sim fazer parte da agenda do dia das pessoas, temos aí a Agência Lupa e Aos Fatos por exemplo”, sugere Amorim. Por fim, antes de compartilhar qualquer coisa, avalie quais serão os efeitos desta ação: fará a diferença contribuindo para a sociedade ou apenas alimentará o ódio, a intolerância e demais sentimentos negativos e destrutivos? O cristão que se esquece do compromisso espiritual com Cristo, com a verdade, torna-se vulnerável a propagar notícias falsas. Lembre-se, Jesus ordenou a disseminação de boas novas! “E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura” (Mc 16,15).


VIDA PASTORAL

ANA ROBERTA VENTURELLI

Catequese para o Matrimônio

Os noivos Matheus Diegoli e Amanda Fidelis namoram há cinco anos e têm o casamento marcado para julho de 2020. O casal participa de uma das primeiras turmas de Catequese para o Matrimônio, na Paróquia São Luís Gonzaga. A preparação que prevê onze encontros, iniciou em maio e possibilita o debate e aprofundamento de assuntos importantes na vida a dois. “Tivemos a oportunidade de participar do último Curso de Noivos realizado no modelo antigo, mas optamos por frequentar o novo modelo de catequese, para nos preparar melhor e está sendo muito boa essa troca de experiências com outros casais. Eu e o Matheus temos o hábito de conversar bastante, mas tem muitos pontos que abordamos aqui que ajudam a esclarecer e pensar melhor no futuro. Tem sido um grande aprendizado”, descreve Amanda. Silvia e Lelo Lorentino são um dos casais de catequistas que coordenam uma das turmas da Preparação para o Matrimônio. Casados há 38 anos e integrantes da Pastoral Familiar, eles garantem que a nova experiência está sendo gratificante. “Inicialmente, encaramos essa missão como um desafio, mas com o passar dos encontros, temos visto que é uma proposta muito positiva. Como catequistas também temos a oportunidade de repensar o matrimônio e aprendemos coisas novas. A troca de experiências é enriquecedora e percebemos que os casais estão gostando bastante. Antes, participávamos dos Cursos de Noivos, dando palestras e agora, vemos que realmente, era pouco tempo para tratar de um assunto tão especial como o matrimônio. Com certeza, a preparação para a vida a dois requer mais tempo, conforme propõe esse novo modelo de catequese”, declara Silvia. Preparação A Catequese para o Matrimônio surgiu de um desejo da Igreja Católica, para preparar melhor os casais para um sacramento tão importante. No documento “Amoris Laetitia, sobre o amor na família”, Papa Francisco destaca que a complexa realidade social e os desafios,

10 | REVISTA A PALAVRA

Divulgação

Paróquia São Luís Gonzaga inicia novo modelo de preparação para o matrimônio

que a família é chamada a enfrentar atualmente, exigem um empenho maior de toda a comunidade cristã na preparação dos noivos para o matrimônio. “A Igreja chegou à conclusão da necessidade de programas específicos de preparação para o matrimônio que sejam verdadeira experiência de participação na vida eclesial e aprofundem os vários aspectos da vida familiar (cf. AL 206). Não se trata de lhes ministrar o Catecismo inteiro nem de os saturar com demasiados temas. Trata-se duma espécie de ‘iniciação’ ao sacramento do Matrimônio, que lhes forneça os elementos necessários para poderem recebê-lo com as melhores disposições e iniciar com uma certa solidez a vida familiar” (AL 207). Papa Francisco observa que muito casais, durante às vésperas do casamento, tendem a se concentrar nos convites, nas roupas e na festa, com seus inúmeros detalhes que consomem tanto recursos econômicos, como as energias e as alegrias. “Muitos noivos chegam exaustos ao casamento, em vez de dedicarem o melhor das suas forças a preparar-se como casal para o grande passo que, juntos, vão dar. Queridos noivos, tende a coragem de ser diferentes, não vos deixeis devorar pela sociedade do consumo e da aparência. O que importa é o amor que vos une, fortalecido e santificado pela graça. Vós sois capazes de optar por uma festa austera e simples, para colocar o amor acima de tudo” (AL 212), sugere o Papa.


Virtudes O papa Francisco reforça que a vida matrimonial e familiar não é fácil, e cita a Primeira Leitura extraída da carta de São Tiago Apóstolo que aborda a paciência. Diz que talvez seja a virtude mais importante no casal – seja do homem, seja da mulher – e pede a Deus, para que dê à Igreja e à sociedade uma consciência mais profunda, mais bela do Matrimônio, para que todos possam entender e contemplar que no matrimônio há a imagem e a semelhança Dele. “A beleza do casamento está em compreender que o amor é possível! E o amor é capaz de fazer viver apaixonados por toda uma vida: na alegria e na dor, com o problema dos filhos e os próprios problemas... mas indo sempre avante. Na saúde e na doença, mas sempre avante”, reflete o pontífice. Diante dessa realidade, a Igreja Católica está iniciando uma preparação diferente, com encontros dinâmicos e personalizados, coordenados por dois casais casados, e com a participação de quatro casais de noivos. Os encontros podem acontecer semanalmente ou quinzenalmente, duram cerca de 1h30 e contam com o auxílio de um material didático, que possibilita o aprofundamento dos temas abordados, através de reflexões, partilhas, dinâmicas e tarefas de casa.

Catequese O que é o Matrimônio? - O Matrimônio é o cumprimento de uma vocação para a comunhão íntima, exclusiva e indissolúvel entre um homem e uma mulher. “O próprio Deus é o autor do matrimônio”, que foi elevado à dignidade de Sacramento por Nosso Senhor Jesus Cristo. O que é preciso para receber a graça do Matrimônio? - Para casar-se é preciso ter vontade e maturidade para assumir os compromissos que fazem parte deste sacramento. Em vista disso, a Igreja oferece a preparação feita por meio de encontros personalizados. O que são os encontros personalizados de Preparação para o Matrimônio? - São encontros catequéticos que a Igreja disponibiliza para refletir melhor sobre o que é o Sacramento do Matrimônio, proporcionando momentos de diálogo, amizade, oração e conhecimento da doutrina da Igreja. Devem ser realizados em grupos pequenos, de no máximo quatro casais de noivos/namorados. Quem realiza essa preparação e a quem se destina? - É realizada por agentes da Pastoral Familiar, preparados para acompanhar e auxiliar a discernir sobre essa vocação. A preparação é destinada a casais de noivos, namorados ou casais que já vivem juntos e que estejam aptos a este sacramento. Neste último caso, recomenda-se uma conversa prévia com o padre. Como acontecem esses encontros? - Os encontros acontecem na casa de um casal acolhedor ou em salas paroquiais, onde num clima fraterno são partilhados temas sobre o convívio conjugal e familiar. Trata-se de dez encontros, mais um encerramento, com duração média de 90 minutos, realizados num período de três a seis meses. Quanto tempo antes do casamento deve ser realizada a preparação? - É recomendado que pelo menos seis meses antes do casamento, o casal de noivos participe da Catequese, para que possam se sensibilizar e optar conscientemente pelo Sacramento do Matrimônio. Entretanto, não é preciso ter o casamento marcado para participar.

Temas dos encontros 1º O amor conjugal 2º Conhecimento e diálogo: harmonia conjugal 3º Os sacramentos e o sacramento do Matrimônio 4º A celebração do matrimônio e seus aspectos jurídicos e canônicos 5º Viver a fé no dia a dia da família 6º A sexualidade na vida do casal 7º Paternidade responsável 8º Paternidade responsável e métodos naturais 9º Reflexões sobre educação e tempo para os filhos 10º Reflexões sobre administração do lar 11º Missa e reunião com o sacerdote 11 | REVISTA A PALAVRA


Solenidade de Corpus Christi reúne mais de mil fieis

Jorge Deichmann Miguel

Uma manhã de sol para comemorar a presença real de Jesus na Eucaristia. Mais de mil pessoas aproveitaram o feriado para participar da solenidade de Corpus Christi, celebrada na quinta-feira, 20 de junho, na Igreja Matriz São Luís Gonzaga. A missa foi presidida pelo pároco, padre Diomar Romaniv, scj, e concelebrada por outros sacerdotes vinculados à paróquia

Comunidade prestigia a festa de São Luís Gonzaga

12 | REVISTA A PALAVRA

Celebração de Pentecostes encerra Tempo Pascal Ciência, Conselho, Entendimento, Fortaleza, Piedade, Sabedoria, Temor de Deus. Os sete dons do Espírito Santo estampados em faixas vermelhas e dispostos em forma de raios saindo de uma pomba branca, chamaram atenção das centenas de fiéis que participaram da solenidade de Pentecostes, celebrada na Igreja Matriz São Luís Gonzaga, na noite de 9 de junho

Ana Roberta Venturelli

Guédria Motta

Entre os dias 14 e 16 de junho, Paróquia São Luís Gonzaga realizou sua tradicional festa em homenagem ao padroeiro. Na manhã de domingo, 16, foi celebrada a missa com a presença dos 163 festeiros, presidida pelo pároco, padre Diomar Romaniv, e concelebrada pelo diretor do Colégio e Faculdade São Luiz, padre Cláudio Marcio Piontkewicz


Primeira Comunhão

Divulgação

No dia 2 de junho foi celebrada missa de Primeira Comunhão na Capela Santa Paulina. 17 crianças receberam Jesus Eucarístico pela primeira vez em seus corações

Gincana

Silvana Hellmann Resner

Celebração da Primeira Comunhão na Comunidade Nossa Senhora de Lourdes, no dia 19 de maio

Apostolado da Oração

No dia 15 de junho foi realizada uma gincana com as crianças da IVC, na Comunidade Sagrado Coração de Jesus

GBF

Divulgação

Divulgação Divulgação

No domingo, 16 de junho, a Rede Mundial de Oração ao Papa (Apostolado da Oração) reuniu cerca de 500 integrantes, na Paróquia Santa Terezinha, em Brusque. A Jornada Espiritual do Apostolado da Oração celebrou os 175 anos de fundação do movimento com uma programação especial. O evento foi marcado por palestra, adoração ao Santíssimo Sacramento e finalizou com a celebração da Santa Missa. Durante o dia foram realizadas ainda outras atividades, que contaram com a presença do Pe. Joãozinho, scj

Encontro com GBF na Comunidade Sagrado Coração de Jesus, no dia 28 de maio

13 | REVISTA A PALAVRA


Julho

5 a 7/7

Programe-se! Retiro de Crisma (Botuverá)

6/7

Festa da Comunidade Santa Paulina (Travessa Lagoa Dourada)

7/7

10h30 – Missa de Aniversário de 90 anos do Padre Flávio Morelli (Matriz SLG)

10 a 14/7

Acampamento Sênior (Botuverá)

11 a 14/7

XXXV Curso de Emaús Feminino (Casa Pe. Dehon)

13/7

15h30 – Café Cristo Rei (Comunidade Cristo Rei)

14/7

Festa da Comunidade São João Batista (Bateas)

18 a 21/7 31/7

XXVIII Curso de Emaús Masculino (Casa Pe. Dehon) 19h – Celebração dos 146 anos da Paróquia São Luís Gonzaga (Matriz SLG)

Confira mais informações nas redes sociais da Paróquia São Luís Gonzaga: @matrizsaoluisgonzaga

supermercadoscarol.com.br Guabiruba | Brusque | Nova Trento | Blumenau

14 | REVISTA A PALAVRA


15 | REVISTA A PALAVRA Respostas: cooperação, amor, respeito, partilha, solidariedade, compreensão, carinho

Repostas: afeto, companheirismo, união, apego, coleguismo


PARÓQUIA

SÃO LUÍS

GONZAGA

Foto da Capa: Banco de imagem Esta é uma publicação da Paróquia São Luís Gonzaga, sob responsabilidade do Pe. Diomar Romaniv, scj e da Pascom da Paróquia, situada na Rua Padre Gatone, 75 Centro, Brusque - SC. www.paroquiasaoluisgonzaga.com

EDIÇÃO Taty Feuser DIAGRAMAÇÃO Giovana Melo Lapa SUGESTÃO DE CONTEÚDO redacao@agenciaarcanjo.com.br www.agenciaarcanjo.com.br facebook.com/agenciaarcanjo (47) 3227-6640

REVISÃO Larissa Graça IMPRESSÃO Gráfica Volpato TIRAGEM 2.200 exemplares