__MAIN_TEXT__

Page 1

Jornal do

SANTU SANT UÁRIO

www. santuarioscj.com.br

Joinville, 01 de Janeiro de 2013 | Ano 01 | N° 01

01


Expediente CELEBRAÇÕES NO SANTUário De 26/12 a 31/1/2016 • Segunda-feira - 19h30 (pelos falecidos) • Terça-feira - 19h30 • Quarta-feira - 19h30 (pelas famílias) • Quinta-feira - 19h30 • Sexta-feira - 19h30 • Sábado - 19h • Domingo - 6h30, 8h, 11h30 e 19h • Missa com tradução em Libras: 4° domingo do mês - 19h INFORMAÇÕES importantes • Atendimento de confissões, orientação espiritual e bênção de objetos Terça a sexta-feira - 8h30 às 11h | 14h30 às 17h Sábado - 8h30 às 11h

hORÁRIOS DAS RÁDIOS

Rádio Clube (AM 1590) Segunda a sexta 7h55 - Nos Caminhos da Palavra 11h55 - O Pão da Palavra

Sábado 7h - A Voz do Santuário 7h30 - Direção Espiritual

Rádio Difusora Arca da Aliança (AM 1480) Domingo 8h - Transmissão da missa

Consagração ao SCJ “Coração de Jesus, Tu és a fonte do amor, da vida e da santidade. No Teu Coração, somos chamados a beber da fonte da Salvação, a experimentar a verdadeira paz e alegria, a fortalecer a nossa vocação e a participar do Teu amor solidário. Nós Te louvamos, porque sempre nos chamas para mais perto do Teu Coração e n’Ele nos ofereces um abrigo seguro onde descansar. Por isso, com alegria, acolhemos o Teu convite, “vinde a Mim”. Com o sincero desejo de viver e testemunhar o Teu amor, aqui estamos para consagrar nossa vida ao Teu Sagrado Coração e confiar a Tua proteção nossas comunidades, nossos projetos e trabalhos. Que o sangue e a água que jorram do Teu Coração, nos deem um coração novo para servir com gratuidade os nossos irmãos e irmãs. Amém.”

2

MENSAGEM DO PÁROCO

Por padre Sildo César da Costa, scj

Um novo ano inicia e com ele uma nova esperança de dias melhores. Nesta época do ano, procuramos fazer propósitos, revendo o ano que passou e tiramos nossas conclusões para melhorar o próximo ano. Nós podemos fazer a diferença em 2016, se acreditarmos em nossos valores, em nossa capacidade de transformação. Ter uma visão de amor, de paz, de solidariedade, de perdão, de justiça... Todo ser humano tem dentro de si qualidades para o bem. O grande problema, é que nos deixamos possuir pelo mal que nos atinge e faz com que projetemos toda a nossa indignação contra os outros, até mesmo contra Deus e nós mesmos. Precisamos observar melhor os dons que Deus nos deu para superarmos as nossas dificuldades de amar. Você é uma pessoa importante, não pelo cargo que ocupa, não pela formação que possui, não pelos troféus que conquistou, mas pela vida que Deus concedeu. Você é importante aos olhos de Deus. Você é importante ao universo das criaturas, de todos os seres vivos. A natureza se alegra com a sua vida. Você pode transformar o mundo, você pode conquistar objetivos, realizar sonhos que parecem impossíveis de serem atingidos. Nunca podemos dizer: “eu não sei”, “eu não posso”, “eu não consigo”. Você sabe, você pode, você consegue. Nós devemos acreditar. Ter fé é sair do nosso comodismo e determinar em nós mesmos que atingiremos nossos objetivos a partir das realidades visíveis e invisíveis. Ter fé é perceber que a grande verdade sobre nós e o mundo vai sendo revelada por Deus a medida que acreditamos no impossível humano, às luzes da bondade de Deus. Cada um traz uma história, cada um traz para este mundo uma bagagem que vai enchendo no caminhar da sua história. Às vezes, nós enchemos nossa bagagem com coisas supérfluas, coisas sem sentido. Ficamos amarrados diante de situações que nós mesmos nos perguntamos: “Como posso ter chegado aqui, deste jeito?”. Machucamos a nós mesmos e machucamos os outros com uma bagagem pesada e difícil de carregar. Papa Francisco vai nos lembrar de que quanto mais estamos apegados com coisas insignificantes, mais teremos dificuldade para sermos felizes e encontrar a alegria da vida, a alegria que vem do Senhor. É necessário tirar da bagagem da nossa história as mágoas, os ressentimentos, o ódio, o sentimento de vingança, de inferioridade, de inveja... Nunca se sinta sozinho nesta vida. Saiba que o ser humano e toda a natureza foram criados para relacionar-se. Ninguém é uma ilha! É importante ter amigos, ter conselheiros, ter pessoas que se preocupam conosco e querem nos ajudar. Nunca tome uma decisão importante em sua vida sem consultar um amigo, alguém que você confia, alguém que te ama, que quer ver você feliz! Às vezes, no ímpeto de querer mudar alguma coisa, sem pensar, sem refletir, nós erramos e para voltar atrás pode ser tarde demais. Diz a letra de uma música muito conhecida por nós: “Eu tenho um amigo que me ama, que me ama, que me ama... seu nome é Jesus!”. Confie n’Ele! Ele te dará a paz necessária, a tranquilidade para conduzir melhor a sua vida. Tudo isso, que escrevo e reflito contigo, caro leitor, é o que podemos fazer para que 2016 seja um ano diferente. Neste ano, tudo pode ser melhor, pois será o Ano Santo da Misericórdia e do Centenário do Sagrado Coração de Jesus. Será um ano abençoado na tua vida e na vida dos teus. Acredite: “Tudo posso naqu’Ele que me fortalece” (Fl 4,13). É acreditando e tomando decisões para o bem que faremos um próspero ano novo. Seja amado por toda a parte: o Sagrado Coração de Jesus!

www.santuarioscj.com.br


Geral Por Maria da Graça Silvy, Conselho Administrativo e Financeiro (CAF)

Obrigado, Senhor! Nossa Paróquia vai celebrar seus cem anos de existência e tudo está sendo preparado para a grande festa. Venha ver o interior da nossa igreja e comprovar a beleza do piso que foi colocado, o coro com seus novos assentos e a proteção de segurança, o maravilhoso sistema de som, a melhor iluminação, o ar-condicionado central - tudo para melhor acolher e servir os paroquianos e visitantes. No segundo piso do Centro Comunitário, visite a Capela do Santíssimo Sacramento, olhe nos olhos de Jesus representado pelo ícone: Ele te espera de braços abertos, trazendo no olhar o sinal com o qual quer dividir contigo as alegrias e dores. Acompanhe o que continua acontecendo: a pintura da igreja, o estacionamento com novo piso, iluminação e paisagismo, tendo como grande destaque a Gruta de Nossa Senhora Aparecida. Ficará tudo muito lindo e especial para bem celebrar o grande dia dos cem anos da “Igreja do Padre Augusto”, hoje, Santuário Sagrado Coração de Jesus, “A Casa do Coração”. Isso tudo aconteceu e está acontecendo graças a sua colaboração. Queremos aqui agradecer a todos que contribuíram e continuam contribuindo. Continuaremos com amor e confiança no cumprimento dos projetos vigentes e vindouros, pois nossos esforços estão valendo a pena. JUBILEU DA MISERICÓRDIA

Inauguração da Gruta

Foto: Marco Farias

REFORMAS

Uma das novidades mais aguardadas em 2015, a Gruta de Nossa Senhora Aparecida, foi solenemente inaugurada em 8 de dezembro. Na ocasião, foi coroada e benzida a réplica da imagem doada pelo Santuário Nacional de Aparecida, e exposta para veneração em um nicho semelhante ao da Basílica. Além da imagem, o espaço, em formato de coração e revestido de pequenas pedras, comporta uma cascata, urnas para os devotos depositarem seus pedidos de oração e ofertas, e um velário. Venha conhecer mais este espaço que o Santuário disponibiliza aos devotos do Coração e da Mãe Aparecida!

Por Ivone Moreira

Reprodução/Internet

Ano Santo O Ano Santo, que, na sua origem, chamava-se “jubileu”, era uma celebração judaica e acontecia de 50 em 50 anos. A palavra jubileu, em sua origem latina, significa “grito de alegria”. Durante aquele ano, os escravos eram libertados, as dívidas eram perdoadas, as pessoas que haviam perdido suas propriedades recebiam-nas de volta, a terra devia ficar sem ser cultivada e se descansava (Lev 25,8). A Igreja Católica inspirou-se no jubileu hebraico, dando-lhe, porém, um sentido mais espiritual. Nesse Ano, a Igreja concede aos fiéis um perdão geral, indulgências e convida-os à conversão, incentivando-os a alimentarem a fé e a estreitarem suas relações com Deus e com o próximo. O primeiro Ano Jubilar da Igreja Católica foi convocado pelo Papa Bonifácio 8º no ano 1300. O Jubileu ou Ano Santo pode ser Ordinário ou Extraordinário. A celebração do Ano Santo Ordinário, atualmente, acontece a cada 25 anos, para que cada geração tenha oportunidade de festejá-lo, pelo menos uma vez na vida. Já o Ano Santo Extraordinário pode ocorrer sempre que um fato importante mereça essa celebração. O Ano Santo Extraordinário da Misericórdia, proclamado pelo Papa Francisco, será o 29º Jubileu da Misericórdia na história da Igreja Católica e terá como lema: “Sede misericordiosos como vosso Pai Celeste é misericordioso”. Várias são as razões para o Papa Francisco proclamar o Ano da Misericórdia: “neste tempo de grandes mudanças, a Igreja é chamada a oferecer, com mais vigor, os sinais da presença de Deus; para que a Igreja cumpra a missão dada a ela por Jesus: ser sinal e instrumento da misericórdia do Pai a todos os homens e mulheres; para que possamos perceber o calor do amor de Deus quando nos carrega em Seus ombros e nos traz de volta à casa do Pai; para nos tornarmos testemunhas da misericórdia; é o tempo favorável para tratar as feridas, para oferecer a todos a via do perdão e da reconciliação, para não cansarmos de ir ao encontro daqueles que esperam os sinais da proximidade de Deus”. A abertura do Ano Santo da Misericórdia aconteceu em 8 de dezembro - dia da Imaculada Conceição - data que marca também os 50 anos do encerramento do Concílio Vaticano 2º, estendendo-se até 20 de novembro de 2016, festa de Cristo Rei. O rito inicial do Jubileu começa com a abertura da Porta Santa na Basílica de São Pedro, em Roma (foto). Essa porta só se abre durante um Ano Santo e significa que se abre um caminho novo para a salvação. O Papa deve tocar a porta com um martelo três vezes, dizendo: “Aperite mihi leva justitiae, ingressus in eas confitebor Domino”, isto é, “Abram-me as portas da justiça, entrando por elas confessarei ao Senhor”. Quando a Porta se abre, canta-se o Te Deum e o Santo Padre atravessa a porta seguido de seus acompanhantes. No domingo seguinte, 13 de dezembro, serão abertas as Portas Santas nas dioceses de todo o mundo. E atenção: nosso Santuário também foi agraciado com uma Porta Santa. Vivamos, pois, com toda a intensidade do amor do nosso coração, o Ano Santo Extraordinário da Misericórdia!

www.santuarioscj.com.br

3


O Santuário inicia em 2016, um ano memorável para os amigos e devotos do Coração de Jesus, pois ele traça o caminho final rumo ao cem anos de sua fundação. Motivo maior de orgulho é voltar para 1916, para a construção da segunda igreja católica de Joinville. Ver todos os frutos e obras geradas dessa devoção nos faz almejar ainda mais a graça que Deus pode proporcionar a este local de encontro com o Coração de Jesus. Ver as pastorais e movimentos, que impulsionam as obras de amor no Santuário, é motivo de júbilo, é confirmação do sonho de Deus, pois “só os desígnios do Senhor permanecem eternamente e os pensamentos de Seu Coração por todas as gerações” (Salmo 32,11). O pároco-reitor, padre Sildo, comenta que neste ano não terão mais obras e sim projetos para 2017. “2015 foi um ano de obras, 2016 será um ano de vivenciar o espírito do Centenário e contemplar o Ano Santo da Misericórdia”. Muitas ações foram feitas durante o ano anterior, tudo em preparação para celebrar os cem anos da Casa do Coração. Iniciando com a exposição histórica em dezembro de 2014, que inseriu no coração dos devotos, por meio do regate histórico com fotografias e objetos, a expectativa pelo ano do Centenário. Visando o conforto e a segurança dos paroquianos, devotos e peregrinos durante as várias celebrações do Centenário, foram feitas reformas e melhorias nas estruturas físicas do Santuário: a reforma do estacionamento, pintura interna e externa da igreja, nova sonorização, nova capela de oração, e a gruta de Nossa Senhora, recém-inaugurada em dezembro. A expectativa do Centenário, segundo o padre, vem sendo gerada desde o dia em que se criou uma comissão organizadora, pois ali o sonho de celebrar a festa foi propagado também a outras pessoas que lutam pela causa. Todas as realizações do Santuário serão envoltas pelo clima histórico da celebração do Centenário. Segundo o pároco, todo o processo de celebrar momentos importantes vem ao encontro da grande celebração do Centenário e da misericórdia. “Em 2016, vamos celebrar a liturgia com clima de centenário: Quaresma, Semana Santa, Festa do Padroeiro, Semana da Família... tudo será celebrado envolvendo um pouco da história do Santuário”, explica. As maravilhas do Senhor são enormes para com o Santuário, e o ano está só começando. Há muita certeza que no Coração de Jesus estão guardadas muitas outras graças que ultrapassam as expectativas humanas. Padre Sildo conclui: “se hoje fosse o encerramento das celebrações do Centenário eu já estaria feliz, pois só as reformas que foram feitas já demonstram a alegria do povo por vivenciar a nossa história. O que vem pela frente é influência do que já vem sendo feito”, finaliza. E acima de tudo é preciso agradecer e glorificar o Senhor por tantas graças recebidas, por tantos sonhos realizados. Cronologicamente, o Centenário começou. Porém, ele vem crescendo no coração do povo desde o dia em que foram anunciadas as obras.

POR ARCANJO COMUNICAÇÃO CATÓLICA

4

www.santuarioscj.com.br


Em 2016, tudo que será feito e vivenciado no Santuário terá a marca do Centenário e do Ano da Misericórdia. Confira alguns destaques do que está por vir.

Com a proclamação do Jubileu Extraordinário da Misericórdia pelo Papa Francisco, o sacramento da Reconciliação, a penitência, o jejum e as obras de caridade serão vivenciados de maneira toda especial durante a Quaresma de 2016, preparando os corações para bem acolher o Cristo Ressuscitado. Nosso Santuário, oficialmente declarado como local de peregrinação, permitirá aos peregrinos que cumprirem os requisitos obter indulgências parciais e plenárias no decorrer do ano.

Além da já tradicional e extensa programação – Meditação de Jesus no Horto, Procissão do Encontro, do Senhor Morto e da Ressurreição – o Santuário sediará na Quarta-feira Santa (23/3) a Missa dos Santos Óleos, na qual se abençoa o óleo dos catecúmenos e dos enfermos e se consagra o Santo Crisma. A celebração presidida pelo bispo diocesano contará com a participação de padres de toda a Diocese, que irão renovar suas promessas sacerdotais.

A Festa do Padroeiro, neste ano jubilar, ganhará uma nova dimensão com o resgate da memória das festas realizadas no passado. A novena (25/5 a 2/6), permitirá que os devotos se aproximem mais uma vez deste Coração que pulsa de amor por todos nós. Uma programação especial está sendo preparada para o Dia do Sagrado Coração de Jesus (3/6), bem como, haverá novidades e bons momentos de confraternização na Festa Gastronômica.

Uma novena (12 a 20/12) irá preparar os fiéis para a Celebração do Centenário em 21 de dezembro de 2016, data em que o Santuário completa cem anos de fundação e encerra as comemorações do Centenário. Está previsto, também, o lançamento do livro que contará a história deste século de evangelização.

www.santuarioscj.com.br

5


Santuário LEMBRANÇAS

Por Carin Montes

Estamos iniciando um “mergulho no tempo”, para contar parte da caminhada de quase cem anos de nossa Paróquia. Para iniciar o processo de retomada desta história, aconteceu de 5 a 21 de dezembro de 2014, a Exposição do Centenário, que contou com fotos e objetos históricos. Para tanto, a equipe organizadora do evento visitou algumas paróquias e comunidades que no passado pertenceram à Paróquia Sagrado Coração de Jesus, ou que foram atendidas pelos padres do Sagrado. Seis delas estiveram presentes na Exposição, ajudando a contar nossa história. Já as comunidades: Nossa Senhora Aparecida (KM 4), Nossa Senhora das Graças (Araquari), São Pedro (bairro Santa Catarina), Senhor Bom Jesus (Morro do Amaral), São Sebastião (Corveta, Araquari), Nossa Senhora das Dores (Morro do Jacú, Araquari), São José (Itinga), bem como a Paróquia São Luiz Gonzaga (Itinga), foram visitadas pela equipe, e transcrevemos a seguir o que foi relatado pelos entrevistados de cada comunidade.

Memória do Centenário

Comunidade Nossa Senhora Aparecida (Rua Santa Catarina, KM 4)

Foto: Acácio Freudenborg

“No início, a Comunidade era atendida pelos padres Ambrósio Gies, Aluísio Hellman, Júlio Lenfers e Carmo Rhoden. Padre Ambrósio chegava de bicicleta, sentava na escadaria da igreja e ficava esperando o povo. A celebração acontecia num galpão de madeira, aberto. Havia apenas um espaço fechado, utilizado como sacristia, onde eram guardados os objetos utilizados nas missas. A Comunidade acolhia todos que vinham do Itinga, da Comunidade São Pedro, e dos arredores (hoje Profipo). A presença do padre Carmo foi muito intensa, tanto que íamos até o Morro do Amaral dar catequese e celebrar a missa. A Comunidade pertence atualmente à Paróquia Cristo Ressuscitado”. Tertúlia Caetano (Tuia)

Foto: Acácio Freudenborg

Comunidade São Pedro (Bairro Santa Catarina) “Em 1957, chegaram à localidade as famílias Stolf e Gretter. Já em 1960, acabaram as estufas de fumo e foi construída a igreja, tendo como primeiro presidente o Sr. Alfredo Stolf. Em 1965, um menino de 11 anos ia à catequese quando foi atropelado por um caminhão, vindo a falecer. Começaram, então, a acontecer várias brigas para tirar a igreja do local. Realizou-se uma votação entre os membros da Comunidade e decidiu-se que a igreja teria mesmo que mudar de lugar, sendo eleita uma comissão para vendê-la. Na mesma época, o padre Luiz Fachini já celebrava missa na escola da comunidade. A atual capela atende os moradores da Rua Santa Catarina, KM 7, e faz parte da Paróquia Cristo Ressuscitado”. Leandro Gretter

Comunidade Nossa Senhora das Graças (Araquari)

Foto: Enriete Stolf

“A Comunidade foi fundada em 1965, quando os moradores da localidade compraram as terras de uma moradora de São Francisco do Sul. Em 1967 foi construída a primeira igreja, em madeira. Na época, padre Ambrósio vinha de moto, nas sextas-feiras. No período da tarde dava catequese, no sábado atendia os moradores e no domingo celebrava a missa. Ele dormia na sacristia. A nova igreja, em alvenaria, foi construída em 1977 com a colaboração da comunidade. No início, a Comunidade era assistida pelos padres dehonianos (Ambrósio, Geraldo de Andrade, Aluísio, Rudy Mildner e Carmo), depois foi atendida pelo padre Luiz Fachini, Paróquia Cristo Ressuscitado, e desde 1990 pertence à Paróquia Senhor Bom Jesus (Araquari)”. João e Catarina Florindo

Continuaremos a contar nossa história na próxima edição, não perca!

6

www.santuarioscj.com.br


Espiritualidade iGREJA

Por Enriete Stolf

MARiA

Campanha da Fraternidade

www.santuarioscj.com.br

Santa Mãe de Deus

Reprodução/internet

Reprodução/internet

Em 2016, o tema será “Casa Comum, nossa responsabilidade” e o lema bíblico apoia-se em Amós 5,24: “Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca”. O objetivo desta Campanha será chamar atenção para a questão do saneamento básico no Brasil e sua importância na qualidade de vida para todos. As reflexões sobre saneamento básico demonstram que o mesmo é um direito humano fundamental, e como outros direitos, requer a união de esforços entre sociedade civil e poder público. O abastecimento de água potável, esgoto sanitário, a limpeza urbana, manejo de resíduos sólidos, o controle de meios transmissores de doenças e a drenagem de águas pluviais são medidas necessárias para que todas as pessoas possam ter saúde e vida dignas. Para isso é preciso ter em mente: “justiça ambiental”, parte integrante da “justiça social”. As escolhas de atitudes para a preservação da vida no planeta Terra devem ser orientadas por critérios coerentes com o propósito de mais justiça e paz. Essas escolhas devem contribuir para a superação das desigualdades e das agressões à criação. Por isso, hoje, as preocupações e consequentes ações no âmbito do saneamento passam a incorporar não só as questões de ordem sanitárias, mas também de justiça social e ambiental. É, portanto, necessária e urgente que as ações para a preservação ambiental busquem também construir a justiça, principalmente para os pequenos e os pobres. Estudos estimam que morre uma criança a cada três minutos por não ter acesso à água potável, por falta de redes de esgoto e por falta de higiene. A escolha do texto do profeta Amós, não é por acaso. Amós fundamenta sua pregação profética numa denúncia social aguda, chamando atenção para um progresso econômico que não traduz justiça e igualdade para todos. Sua denúncia aponta para uma situação de caos social, onde as relações afetivas estavam se rompendo, e Amós revela que a fé em Deus estava sendo manipulada pela religião oficial. Deus quer justiça e dignidade para todos, não apenas para Israel e Judá. Amós ainda denuncia o culto vazio, repleto de oferendas a Deus, mas que não faz com que as pessoas pratiquem a justiça. Não são oferendas que agradam a Deus, mas sim a prática do direito e da justiça.

Por Alvânia Basso

Em 1º de janeiro, oito dias depois da Natividade, o calendário dos santos abre com a festa de Maria Santíssima, no mistério de sua maternidade divina. Ela tem o direito de chamá-lo “Filho”, e Ele, Deus onipotente, chama-a, com toda verdade, Mãe! Como Mãe de Deus, Maria é mãe por excelência. Então, como todas as mães são indescritíveis, ela ainda mais será. Como todas as mães se dão, ela muito mais se dará. Como todas as mães apontam para além de si mesmas, Maria apontará para um nível muito mais elevado do que ela. Como uma verdadeira mãe, Maria não considera nenhuma glória sua como sendo dela própria. Afinal, ela destaca que só está fazendo a vontade de Deus: “Eis aqui a serva do Senhor, faça-se em mim segundo Tua Palavra” (Lc 1,38). Mesmo quando reconhece seus dons superiores, ela sabe que são dádivas de Deus: “Doravante, todas as gerações me chamarão Bem-Aventurada” (Lc 1,48). Como, então, devemos tratar esse assunto indescritível, se ela está sempre relacionada a seu Filho? Para entender a Mãe de Deus, temos que começar por Deus. Toda a mariologia, para a devoção mariana, tem que começar com uma sólida teologia e uma firmeza na fé. Tudo o que Maria faz, e o que ela é, flui de seu relacionamento com Deus e de sua correspondência ao Seu plano divino. Ela é Sua mãe, Sua esposa, Sua filha, Sua serva. Não podemos começar a conhecê-la, se em primeiro lugar, não tivemos noções claras sobre Jesus e sobre Deus, Sua providência e Suas relações com o Seu povo. O Catecismo da Igreja Católica, afirma: Denominada nos Evangelhos como “a Mãe de meu Senhor”, a Igreja confessa que Maria é verdadeiramente Mãe de Deus, visto ser a Mãe do Filho Eterno de Deus feito homem, que é Ele mesmo Deus (CIC 495 e 509). A comemoração de Maria, neste dia, soma-se ao Dia Universal da Paz. Ninguém mais poderia encarnar os ideais de paz, amor e solidariedade do que ela, que foi o terreno onde Deus fecundou Seu amor pelos filhos e de cujo ventre nasceu aquEle que personificou a união entre os homens e o amor ao próximo, o Cristo. Celebrar Maria é celebrar o nosso Salvador. Dia da Paz, dia da Mãe Santíssima. Que nós possamos assumir a maternidade de Maria em nossa vida e dizer, como São João Paulo 2º: totus tuus (todo teu).

Em 1º de janeiro, dia santo de guarda, venha celebrar a Santa Mãe de Deus no Santuário: missa às 6h30, 8h, 11h30 e 19h.

7


Um novo ano se inicia, em especial para nosso Santuário, que celebra em 2016 seu Centenário. São tantas histórias aqui escritas. Muitos avós, pais e tios casaram, receberam a Crisma e Primeira Eucaristia no Santuário. Que celebração importante para todos nós. E para você, Amiguinho do Santuário, deixamos dois desafios de ano novo. No primeiro, temos uma frase a ser completada. Você precisa apenas utilizar as palavras do banco de dados e completar no local correto. Vamos lá?

Feliz ano_ _ _ _! Que o _ _ _ _ que jorra do Coração de Jesus continue forte, próspero e puro, e que todos nossos _ _ _ _ _ _ sejam realizados neste ano de _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ para o Santuário. Que o _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ também possa iluminar toda a festa do Centenário e fazer uma renovação sobre a nossa vida.

Profile for Agência Arcanjo

Jornal do Santuário - Edição Janeiro de 2016  

Jornal do Santuário - Edição Janeiro de 2016  

Advertisement