__MAIN_TEXT__
feature-image

Page 1

4

REGIONAL SUL Veja as atividades sociais desenvolvidas nas unidades dos Hospitais São Camilo, envolvendo a comunidade e os colaboradores.

10

UNIDADES DE SAÚDE Confira as ações sociais realizadas pelas unidades camilianas perante a pandemia da COVID-19.

16

“QUERIDA AMAZÔNIA” A exortação pós-sinodal que revela os sonhos do Papa Francisco para o futuro da região amazônica.


ED I TO RI A L Apresentação

Expediente

Ano 3 - Número 11 - 2020 Informativo da Província Camiliana Brasileira Provincial Pe. Antonio Mendes Freitas, mi Conselho Provincial Pe. Mário Luís Kozik, mi Pe. Mateus Locatelli, mi Pe. Francisco Gomes da Silva, mi Pe. João Batista Gomes de Lima, mi Produção Agência Arcanjo Edição Aline F S Oliveira Diagramação Mari Denegredo Revisão Elói Bataglion Junior Fernanda Felicio Pe. Mateus Locatelli, mi

Nosso fundador: São Camilo de Lellis Esta edição do Informativo Camilianos apresenta a vida de São Camilo de Lellis. No momento atual, São Camilo se faz ainda mais presente, por sua intercessão, junto de Deus, pela recuperação e saúde de todos os enfermos, mas, também, como grande inspiração para todos os profissionais da saúde que, diante da pandemia que enfrentamos, doam suas vidas diariamente, para o cuidado dos doentes. Neste contexto, apresentamos as atividades sociais do Regional Sul, nas unidades dos hospitais São Camilo e do Plano de Saúde, envolvendo comunidade e colaboradores em uma grande rede de solidariedade. De lá, também vem o testemunho de profissionais da saúde que atuam na linha de frente no combate ao coronavírus, na cidade de Concórdia/SC. Ainda sobre a COVID-19, veja as ações realizadas nas unidades camilianas do Brasil, para o enfrentamento à doença. São diversas adequações estruturais, treinamentos para equipes, ampliação de atendimentos e investimentos diversos, visando o avanço e a melhoria nos procedimentos envolvidos.

Nossos contatos

Sede Provincial Av. Pompeia, 888 - Pompeia 05022-000 - São Paulo/SP secretaria@camilianos.org.br www.camilianos.org.br /camilianosbr @camilianosbr

O Papa Francisco, ao lançar a exortação pós-sinodal “Querida Amazônia“, revelou todos os seus sonhos para o futuro da região amazônica. Este documento fala de quatro dimensões: social, cultural, ecológica e eclesial, e envolve a Igreja e a sociedade nesses fatores de grande importância, não somente para os países amazônicos, como para o mundo todo. Saúde e Espiritualidade, providencialmente, será o tema trabalhado ao longo de todo o ano na Província Camiliana. Nesta edição, apresentamos o trabalho de divulgação e comunicação do projeto. Apresentamos, também, como ele se dá, no contexto hospitalar, à luz da espiritualidade de São Camilo.

blog.camilianos.org.br

Desejamos uma ótima leitura!

2


NOTÍCIAS DA PROVÍNCIA Comunicação

Por Maiara dos Santos - Agência Arcanjo

Divulgação do Projeto Saúde e Espiritualidade Iniciamos o ano de 2020 com a proposta de trabalharmos, em todas as dimensões da comunicação Camiliana, a continuação do Ano Vocacional, agora com o tema “Saúde e Espiritualidade”, o qual também foi trabalhado na Campanha da Fraternidade. A partir desse objetivo, demos início à comunicação com a criação do novo logo que, certamente, você já viu nas peças publicadas e que deixo aqui ao lado do título, para que você possa visualizar novamente. Sua função é de marcar e relembrar, em cada novo projeto e campanha, que o cuidado e o amor de São Camilo nos acompanham. Não só nos trabalhos ligados à Província Camiliana Brasileira, mas em todo e qualquer espaço alcançado pelas obras Camilianas, gerando assim, uma comunicação cada vez mais integrada.

Hoje, avaliando os acontecimentos atuais, inclusive a pandemia, não temos dúvidas de que esse tema permeia nossa realidade, nos faz perceber a importância de colocar em prática a espiritualidade, o qual nos faz experimentar a saúde de uma nova forma, não só física, mas em todas as dimensões. Essa reflexão nos faz entender, ainda melhor, a divulgação e a comunicação gerada para esse ano. O grande sentido é comunicar em todas as atividades Camilianas que a espiritualidade gera saúde!

Ao longo deste primeiro semestre, já foram realizados muitos projetos com esse alcance, dentre eles: a celebração da memória de São Camilo, no dia 14 de cada mês; vídeos institucionais das unidades da Rede São Camilo, que ao longo do ano continuarão sendo replicados; a distribuição de 20 mil unidades do livro infantil de São Camilo aos colaboradores das obras Camilianas; e, por fim, uma variedade de campanhas que buscam reconhecer a espiritualidade dentro dos eventos cotidianos. Sem dúvidas, esse é um ano que ficará eternamente em nossas lembranças! Esperamos que esses projetos de divulgação fomentem o ardor e nos ajudem a viver ainda melhor todas as dimensões e valores Camilianos.

3


N OT Í C I AS DA PROV Í NC I A Ministério

Por Pe. Osmar Penso, MI

Ações sociais dos hospitais São Camilo Regional Sul Seguindo os preceitos de São Camilo de Lellis, os Hospitais, juntamente com as unidades do Plano de Saúde, desenvolvem atividades sociais, envolvendo toda a comunidade e colaboradores. As ações são realizadas de forma gratuita e objetivam a conscientização, prevenção e promoção à saúde. Nos últimos anos, nossas ações ganharam grande repercussão como, por exemplo, a campanha Agosto Dourado (mês de incentivo ao aleitamento materno). Desta forma, realizamos uma ação para cada mês do ano, com palestras para a comunidade e prevenção na prática, através de ações de verificação de pressão arterial, exames de glicose rápida, informações sobre exames e especialidades médicas. Da mesma forma, o programa “À Espera de um Bebê”, que visa orientar os futuros pais quanto à gestação, trabalho de parto, parto, pós-parto e os primeiros anos de vida do bebê. Com uma equipe multidisciplinar, formada por obstetra, pediatra, anestesista, radiologista, enfermeiros, nutricionista, psicólogo, fisioterapeuta, dentista, fonoaudiólogo e dermatologista, as gestantes e seus acompanhantes recebem orientações detalhadas, além do incentivo ao aleitamento materno e ao parto normal. A Pastoral da Saúde é outra grande atividade, que realiza visita a pacientes internados e em domicílio, com entrega de mensagens e celebração de missas envolvendo a comunidade. Além da assistência espiritual aos enfermos hospitalizados e em domicílio, atua também com campanhas sociais, como: varal solidário, distribuição de cestas básicas, enxoval para bebês, fraldas geriátricas e para recémnascidos. Em nossas unidades, temos também um exército de voluntários do bem, que estão confeccionando aventais em TNT, máscaras, e outros itens, em época de pandemia, além de doações, em geral, aos nossos hospitais.

Também estamos recebendo muitas doações de empresários e pessoas da comunidade, com o lema:

Unidos seremos + Fortes = somos todos Hospital São Camilo! 4


NOTÍCIAS DA PROVÍNCIA Testemunho

Por Fabiane Elisa Stein - Clínica Covid Hospital São Francisco de Concórdia/SC

Linha de frente Nós, profissionais da “ala covid”, estamos atuando na linha de frente, desde o início dessa pandemia, que atingiu o mundo inteiro, não distinguindo raça, cor, idade, religião e, muito menos, questões financeiras. Simplesmente veio, e nos mostrou que somos todos filhos de um só Deus e que nada nos torna diferentes ou mais importantes que os demais. Todos aprendemos que a vida é o bem mais precioso que temos; que cada amanhecer é uma nova oportunidade uma nova chance, uma dádiva. No início de tudo isso, nós, profissionais da saúde, também nos sentimos inseguros, amedrontados e com uma sensação: “meu Deus, o que será de nós? Será que estou preparado para fazer parte da linha de frente? E se for infectado? E se levar para meus filhos e familiares?”. Muitos de nós cogitamos a hipótese de abandonar a profissão e alguns até o fizeram, mas erguemos a cabeça e optamos pelo que “der e vier, seja o que Deus quiser”, arregaçamos as mangas e colocamos a “mão na massa”. Começamos em meio a tantas incertezas, dúvidas e inseguranças a exercer nossa função, a qual não envolve só profissionalismo mas, sim, amor ao próximo. Somos as pessoas que falam “você precisa comer, você vai ficar bem, vai dar tudo certo, tenha fé, tudo vai passar”, mesmo não tendo certeza de nada, acabamos transmitindo o que gostaríamos de acreditar

Equipe foto: Luiza, Juliane,Thaís, Fabiane, Arlene, Dra. Clarissa, Dr. Thiago, Gregori, Graciele e Cleonice.

para juntos fazermos a diferença. Ouvimos muitas histórias que são contadas em meio ao desconforto respiratório, verdadeiras lições de vida, e nos sensibilizamos com cada uma delas, assim, estamos escrevendo a nossa, em meio a tantas incertezas. Após esses dias, que já estamos atuando na ala, descobrimos que somos mais fortes do que esperávamos, que trabalhar em equipe nos torna mais eficientes e que, sozinhos, nada temos e nem somos. Onde um sorriso por detrás de uma máscara é uma recompensa, um olhar tímido embaçado pelos óculos e capacetes é gratificante, e um obrigado por tudo, é sensação de dever cumprindo, onde a família é a maior riqueza, mesmo estando longe, a saudade faz com que sejamos fortes, o orgulho perde sua força, dando espaço à humildade, um pedido de desculpa por tudo. Cada superação e recuperação é motivo de muita comemoração, e a cada perda, uma tristeza imensa nos comove, mas estávamos cientes que elas também fariam parte dessa luta. Quando tudo isso acabar, esperamos que cada ser humano da face da terra, tenha aprendido algo de bom e que passe a agradecer mais e reclamar menos, que pratique o bem, e que viva cada momento, cada segundo como se fosse o último. Obrigada, Deus, por tudo, mesmo em meio a tantas dificuldades. 5


CE NT RAL

Pe. Geovani Antonio Dias, MI

6


Apresentar a vida de um santo é como comentar um poema: haverá sempre algo a mais. Um poema não se deve comentar, deve-se experimentar, degustar. Por isso, não tenho a pretensão de esgotar nestas poucas palavras a vida de São Camilo de Lellis, mas limito-me em apresentar o seu ser padre. O sacerdote, dizia São João Maria Vianey, é o amor do coração de Jesus na terra. O papa Bento XVI, em 2009, ao lançar o ano sacerdotal, assim escrevia: “Penso em todos os presbíteros que propõem, humilde e quotidianamente, aos fiéis cristãos e ao mundo inteiro, as palavras e os gestos de Cristo, procurando aderir a Ele com os pensamentos, a vontade, os sentimentos e o estilo de toda a sua existência. Como não sublinhar as suas fadigas apostólicas, o seu serviço incansável e escondido, a sua caridade tendencialmente universal? E que dizer da fidelidade corajosa de tantos sacerdotes que, não obstante dificuldades e incompreensões, continuam fiéis à sua vocação: a de ‘amigos de Cristo’, por Ele, de modo particular, chamados, escolhidos e enviados?”. O Pe. Camilo de Lellis soube traduzir em sua vida o significado de seu sacerdócio. Ele foi o amor do coração de Jesus a tantos doentes de seu tempo e continua a ser ainda hoje, no céu, pela sua valiosa intercessão. Sua vida, depois de convertido, traduzia as palavras de Jesus. Gestos que figuravam um pintor a desenhar os traços do céu. Foi incompreendido – e ainda o é, quando o reduzimos a um mero assistencialista prestador de serviços aos doentes. Cuidava dos doentes a fim de levar-lhes a Cristo, seu melhor amigo e meta fundamental. Não era um fazedor de coisas, mas se dedicava à essência do ser cristão: ficar com o Senhor, na oração, na disciplina, na abstinência. Foi padre em seu sentido pleno: um pastor segundo o coração de Deus. A vocação ao sacerdócio nasce, em Camilo, de um discernimento da vontade de Deus. Camilo já estava com 33 anos de vida, sem estudos, e tinha decidido fundar uma companhia de irmãos que cuidassem dos enfermos, mesmo com risco de vida, como uma mãe cuida de seu único filhinho doente. Percebeu que sendo padre teria maiores facilidades com a fundação; na verdade, a fundação teria, no seu sacerdócio, o centro de sua espiritualidade. Teve que se humilhar para estudar, pois precisava dos estudos elementares para cursar teologia. A vocação ao sacerdócio sempre esteve bem guardada em seu coração desde a infância. Era filho de Camila de Compellis, mulher piedosa, também estimada por todos como muito caridosa, e de João de Lellis, soldado dedicado a armas. Nasceu quando seus pais já estavam na velhice, no dia de S. Urbano, 25 de maio de 1550, em Buquiânico. S. Urbano é o padroeiro de Buquiânico, então era dia festivo; isso levou sua família a reconhecer que seu nascimento era um grande sinal de Deus. Com ternura, Camila ensinou a base da fé a Camilo. Muito cedo, ficou sem a mãe e seguiu a vida de soldado, semelhante ao pai, mas os ensinamentos da mãe permaneciam em seu coração, guardados. Como soldado, foi se dedicando aos jogos de azar e às coisas deste mundo. Aos 18 anos perdeu também o pai e ficou órfão, sem rumo. A tristeza de Camilo cresceu ainda mais quando apareceu, logo depois da morte do pai, uma ferida na perna direita. Essa ferida foi o início de uma nova vida, pois ela o levou para o hospital, lugar onde encontraria “o jardim de Deus”. A ferida o fez reencontrar-se com os ensinamentos maternos, com a verdade de Cristo, e prometeu tornar-se franciscano, se melhorasse. Os franciscanos o rejeitaram por três vezes, não por falta de vocação, mas por falta de condições

7

>>>

>>>

CENTRAL


CE NT RAL de saúde, pela ferida na perna. Na verdade, não o aceitaram por desígnio de Deus, pois Ele o queria no hospital, junto aos doentes. Enquanto se tratava da ferida no hospital, Camilo ajudava no cuidado aos doentes. Mesmo com o propósito de se tornar franciscano, não havia abandonado a vida mundana - chegou a ponto de perder a camisa que vestia no jogo. Neste estado deplorável, por desígnio de Deus, trabalhando numa construção dos Capuchinhos, em 1575, foi mandado ao convento de S. Giovanni Rotondo, um lugarejo distante, a doze milhas da Manfredônia, para levar uma encomenda. Cumprida sua missão, deveria voltar na manhã seguinte. Pousou no convento. Era véspera da apresentação do Senhor, 2 de fevereiro. Recebendo conselhos do guardião do convento, de nome Ângelo, para mudar de vida, dormiu pesaroso. Após participar da missa, voltou para casa e, no meio do caminho, teve uma iluminação: ali decidiu abandonar o pecado e mudar de vida. Padre Pio, séculos depois, no mesmo convento, fez do quarto onde pousou uma noite o convertido, o seu quarto. Afirmava sempre que, bastou uma noite para Camilo se converter a Deus ali naquele quarto, enquanto ele morou uma vida lá e não se convertia. A humildade é uma característica dos santos. A conversão fez Camilo assumir um novo modo de ser. Tudo mudou. Seu cuidado aos doentes foi lhe revelando que Deus o chamava ali para aquela missão. Quando decidiu fundar a Ordem, já formado pelo coração do Senhor e pela caridade, não mediu esforços para ser ordenado sacerdote e, assim, melhor desenvolver sua missão. Além da dificuldade com os estudos, havia a dificuldade financeira para ser ordenado. Os estudos, ele venceu com humildade e empenho doloroso, e a situação financeira venceu com a confiança na providência que, aliás, acompanhou toda história da ordem. A providência colocou um homem bondoso, que deu a Camilo a esperança e a segurança financeira para se ordenar e iniciar a fundação da Ordem. A ordenação foi um dia muito feliz na vida de Camilo e de seus companheiros. Aconteceu na Basílica de S. Giovanni de Latrão. A primeira missa foi no hospital S. Tiago dos Incuráveis, no dia 10 de junho de 1584. Na missa, o Pe. Camilo demonstrava tanta devoção e amor, que parecia estar no céu. Todos queriam receber a comunhão de suas mãos. Para festejar a ordenação, os diretores do hospital deram ao Pe. Camilo a capelania de sua igrejinha, dedicada à Nossa Senhora dos Milagres. Como capelão, pôde desenvolver seu ministério sacerdotal e ampliar sua atividade e de seus primeiros companheiros para além do hospital São Tiago. Na

8


>>>

igrejinha moravam e iam aos hospitais e às casas dos doentes, depois de cumprirem suas orações, para dar-lhes comida, arrumar-lhes as camas, cuidar da higiene. Cuidavam também de acompanhar os moribundos com palavras de fé e conforto, ajudando os doentes a não morrerem sem fazer sua profissão de fé e receberem os santos sacramentos do viático e da unção e encomendavam a alma dos que morriam. O seu ministério e de seus primeiros companheiros era visto e reconhecido por todos, pois tudo faziam com tanto amor, que pareciam cuidar do próprio Cristo e, de fato, era exatamente isso que faziam. O mesmo zelo com que cuidava do altar, das alfaias da missa, das palavras proferidas na hora da celebração, era confiado aos doentes em seus leitos de dor. Como padre, nutria profunda devoção a Nossa Senhora, por ter se convertido no seu dia e porque as datas importantes de sua vida sempre eram marianas. Era contemplativo do crucifixo, pois num momento de incertezas e até de vontade de abandonar a fundação, teve uma experiência mística, ao rezar diante do crucificado, que parecia se despregar da cruz e dizerlhe: “Siga em frente pusilânime, essa obra é minha e não sua.” O Pe. Camilo entendia o significado do crucifixo, pois todos os dias apresentava a Deus o santo sacrifício de Nosso Senhor em favor dos doentes e dos agonizantes. Era igualmente devoto de São Miguel Arcanjo e dos santos Anjos da Guarda. Durante uma epidemia, à meia noite, nossos padres foram chamados por um belíssimo jovem para levar a santa unção a um homem que estava morrendo. O jovem conduziu os padres noite adentro, na escuridão, e o Pe. Camilo ia sempre à frente. Ao mostrar onde estava o doente, o jovem desapareceu e os nossos padres ficaram admirados. Enquanto rezavam com o doente, tiveram experiências tenebrosas com o demônio. Logo após receber o santo sacramento e os cuidados dos padres, o doente descansou. Isso fez com que o Pe. Camilo crescesse sempre mais na devoção aos Anjos da Guarda e a São Miguel, considerando-os protetores da Ordem. O amor do Pe. Camilo nascia do zelo e piedade eucarística, e toda sua ação caritativa tinha seu ápice neste grande mistério de amor. A Eucaristia é remédio que cura. Pela sua devoção, Pe. Camilo realizou, ainda em vida, curas a doentes graves. Cito um exemplo, dentre muitos: em 1589, um noviço de nome Alexandre Gallo adoeceu de febre pestífera. A doença estava tão grave, que os médicos haviam desenganado o noviço. O Pe. Camilo, ao visitálo, perguntou-lhe se queria sarar e continuar em nossa Ordem. Ele afirmou devotamente que sim, e ao perceber a fé do noviço, Pe. Camilo impôs-lhe as mãos na testa e pediu a Deus que lhe desse saúde. Depois disto, o noviço sarou e os médicos ficaram impressionados. O noviço atribuiu à cura a graça de Deus pela oração do padre fundador e permaneceu na nossa Ordem. A nossa ordem, fundada pelo Pe. Camilo, tem o carisma da misericórdia para com os doentes. Essa ação, é um ministério profundamente sacerdotal, não desmerecendo a função dos irmãos que igualmente são fecundos nesta mesma espiritualidade sacerdotal: “ide curar os doentes.” O quarto voto, instituído pelo Pe. Camilo, de servir os doentes mesmo com risco de vida, produziu uma gama imensa de mártires da caridade que cumpriram a missão sacerdotal de Jesus: dar a vida. A vida do santo Pe. Camilo é um estímulo para aspirarmos aos céus e levarmos os sofredores a este mesmo anseio. Que os corações estejam nas mãos, no olhar, nas palavras e nos cuidados aos doentes, como fez o santo Pe. Camilo.

9

>>>

CENTRAL


ACO NT EC E U

Hospital São Francisco/SC Com o auxílio de recursos próprios, estaduais e donativos, o Hospital São Francisco/SC investiu em equipamentos de imagem e na infraestrutura do pronto socorro, serviço de emergência, UTI adulto e ala clínica de internamento, específica para pacientes da COVID-19. Também foram realizados investimentos em testes rápidos e EPI’s. Para garantir uma assistência segura, a unidade intensificou os treinamentos para os profissionais das áreas técnicas e de apoio. Diversas medidas foram adotadas para evitar aglomerações nas áreas de maior circulação e reduzir a exposição dos profissionais, como sinalizações visuais e barreiras físicas de contato.

Hospital São Camilo Ipumirim/SC A Beneficência Camiliana do Sul – Hospital São Camilo Ipumirim/SC, com o auxílio de recursos municipais e donativos, montou uma tenda externa para a triagem de pacientes com sintomas respiratórios, evitando a contaminação em ambientes internos. A unidade investiu em equipamentos médico-hospitalares e estoque com margem de segurança de materiais e medicamentos, garantindo a disponibilidade de EPI’s para todos os profissionais de saúde do Hospital. Além dos investimentos em estrutura, foi implantado o Comitê de Crise, planos de contingências e intensificação dos treinamentos aos profissionais para enfrentamento da COVID-19.

10


ACONTECEU

Hospital Regional de Caridade Nossa Senhora Aparecida de União da Vitória/PR Prezando pela segurança e humanização, o Hospital Regional de Caridade Nossa Senhora Aparecida de União da Vitória/PR realizou investimentos na infraestrutura da unidade, adequando 2 leitos de isolamento de terapia intensiva (UTI) e 8 leitos de isolamento em enfermaria, para atendimento da COVID-19.

Hospital Leonor Mendes de Barros de Campos do Jordão/SP O Hospital Leonor Mendes de Barros de Campos do Jordão/ SP, especializado em tratamento de tuberculose, adaptou 14 leitos de isolamento para admissão de pacientes do SUS, referenciados pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo.

Hospital Regional do Vale do Paraíba O Hospital Regional do Vale do Paraíba, administrado pela Sociedade Beneficente São Camilo, investiu na adaptação da infraestrutura para disponibilização de 10 leitos de UTI e 42 leitos de enfermaria, exclusivos para atendimento da COVID-19. A unidade também implantou o novo fluxo no pronto atendimento para queixas respiratórias.

Hospital São Vicente de Paulo de Itabirito/MG O Hospital São Vicente de Paulo de Itabirito/MG, com recursos próprios e o auxílio de donativos, adaptou uma ala com 12 leitos, para atendimento exclusivo da COVID-19. A unidade elaborou o Plano de Contingência para os atendimentos e intensificou os treinamentos para os colaboradores.

Hospital Nossa Senhora do Carmo de Resplendor/ MG O Hospital Nossa Senhora do Carmo de Resplendor/MG adotou um novo fluxo no pronto atendimento para casos da COVID-19. Com o auxílio de donativos, a unidade reforçou o estoque de segurança de materiais, medicamentos e EPI’s.

11


ACO NT EC E U

Hospital Monsenhor Horta de Mariana/MG A Sociedade Beneficente São Camilo - Hospital Monsenhor Horta de Mariana/MG, com recursos próprios e doações, montou uma tenda externa para atendimento ininterrupto aos pacientes com sintomas gripais. A unidade adequou uma ala específica na Clínica Médica, com 10 leitos para internação dos pacientes com suspeita ou confirmação da COVID-19. A unidade elaborou o Plano de Contingência para os atendimentos e intensificou os treinamentos para os colaboradores.

Associação Beneficente Hospitalar São CamiloPeritiba/SC A Associação Beneficente Hospitalar São Camilo-Peritiba/ SC realizou investimentos em sua infraestrutura, materiais, medicamentos e EPI’s, para adaptar os fluxos de atendimentos da demanda de casos de COVID-19. Em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde, implantamos o atendimento exclusivo de queixas respiratórias de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 11h30 e das 13h30 às 17h.

Hospital São Roque de Seara/SC A Beneficência Camiliana do Sul – Hospital São Roque de Seara/SC, com o auxílio de donativos, realizou investimentos em equipamentos de suporte à vida, para atendimento da demanda da COVID-19. A unidade instalou uma tenda para espera de pacientes com sintomas gripais, para a triagem da necessidade de isolamento. Os treinamentos das equipes foram intensificados para maximizar a segurança de todos.

Hospital Geral de Itapevi/SP A Cruzada Bandeirante São Camilo – Hospital Geral de Itapevi/SP, com recursos do custeio, locou equipamentos para atendimento à COVID-19. Adaptou 30 leitos de UTI e 60 de enfermaria. Confeccionou EPI’s e distribuiu máscaras de tecido aos colaboradores, para serem utilizadas no trajeto ao Hospital.

IBCC Oncologia – Unidade Mooca O IBCC Oncologia – Unidade Mooca, com o auxílio de donativos, investiu na infraestrutura para adaptar 9 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), para atendimento exclusivo à COVID-19.

12


ACONTECEU

UTIs na Regional Nordeste – Estado do Ceará Ao todo, estamos colocando à disposição do SUS, em nossos hospitais do Ceará, para atender a COVID-19, 70 novos leitos de UTI com os 20 leitos do Crato. No Crato, 10 leitos são de adultos e 10 pediátricos, inclusive para a COVID-19. Importante observar que solicitamos antes da abertura destes leitos de UTI, a habilitação no SUS, e fechamos parceria com a Secretaria de Saúde do Estado do Ceará, para as devidas complementações do custeio da assistência. Mas, enquanto este processo acontece, o que às vezes é burocrático e demorado, saímos na frente, atendendo as pessoas e salvando vidas. O financeiro e o econômico, apesar de serem muito importantes para a sustentabilidade dos nossos hospitais, estamos deixando para depois. A nossa prioridade neste momento, é salvarmos vidas. Quantas? Quantas for possível.

UTI Tianguá

UTI Tauá

UTI Crateús

UTI de Itapipoca

Hospital São Camilo – Imbituba/SC A Sociedade Beneficente São Camilo - Hospital São Camilo – Imbituba/SC, através de recursos próprios, recursos municipais e donativos, investiu na aquisição de equipamentos e EPI’s, com objetivo de ampliar o parque de equipamentos e proteger os profissionais de saúde e pacientes. Disponibilizou um setor com 13 leitos, exclusivo para internação de casos suspeitos e confirmados da COVID-19.

Hospital e Maternidade Vital Brazil de Timóteo/MG A Sociedade Beneficente São Camilo - Hospital e Maternidade Vital Brazil, de Timóteo/MG, com recursos próprios e o auxílio de donativos, adaptou 16 leitos clínicos e 1 leito UTI de isolamento, para os pacientes com COVID-19. A unidade investiu na aquisição de equipamentos e EPI’s e intensificou os treinamentos para os colaboradores.

IBCC Oncologia – Unidade Formosa/GO O IBCC Oncologia – Unidade Formosa/GO, com recursos próprios, adaptou consultórios, triagem e sala de coleta para atendimentos à COVID-19.

13


ACO NT EC E U

Hospital São Pedro/SC O Hospital São Pedro/SC, com recursos próprios e o auxílio de donativos, investiu na aquisição de equipamentos e EPI’s, intensificou os treinamentos para os colaboradores, e criou ala específica para atendimento aos casos da COVID-19.

Hospital Regional Hellmuth Nass/SC

UPA Dr. Olavo Cavalcante Cardoso - Crateús/CE

A Beneficência Camiliana do Sul – Hospital Regional Hellmuth Nass/SC, com recursos próprios, montou uma ala com 13 leitos para atender os casos da COVID-19, e intensificou treinamentos para os colaboradores.

A UPA Dr Olavo Cavalcante Cardoso - Crateús/CE, investiu na aquisição de EPI’s. Disponibilizou, por toda unidade, dispensers de álcool em gel, e adaptou as cadeiras da recepção, respeitando o distanciamento.

Hospital São Camilo de Ponta Grossa/PR A Sociedade Beneficente São Camilo - Hospital São Camilo de Ponta Grossa/PR, com recursos próprios e o auxílio de donativos, montou uma tenda externa para pré-atendimento de pacientes com verificação de sintomas relacionados à COVID-19. A unidade elaborou o Plano de Contingência para os atendimentos e intensificou treinamentos para os colaboradores.

UPA Dr. Olavo Cavalcante Cardoso - Crateús/CE A UPA Dr Olavo Cavalcante Cardoso - Crateús/CE investiu na aquisição de EPI’s. Disponibilizou, por toda unidade, dispensers de álcool em gel, e adaptou as cadeiras da recepção, respeitando o distanciamento.

Hospital São Bernardo de Quilombo/SC A Beneficência Camiliana do Sul – Hospital São Bernardo de Quilombo/SC investiu na aquisição de equipamentos e EPI’s e intensificou os treinamentos para os colaboradores. Com o auxílio de recursos próprios, doações da comunidade e de empresas de diversos seguimentos das cidades vizinhas, montou uma tenda externa para a triagem de pacientes com sintomas respiratórios, evitando aglomerações e a contaminação em ambientes internos, e melhora do fluxo de atendimento para enfrentamento da COVID-19.

14


ACONTECEU

Hospital Beneficente Santa Terezinha – Encantado/RS A Beneficência Camiliana do Sul – Hospital Beneficente Santa Terezinha – Encantado/RS, com o auxílio de recursos municipais, estaduais e donativos, adaptou estrutura exclusiva para pacientes com sintomas respiratórios na Unidade de Urgência e Emergência, e intensificou treinamentos aos profissionais para enfrentamento da COVID-19.

Centro Hospitalar São Camilo de Ponta Grossa/PR A Beneficência Camiliana do Sul – Centro Hospitalar São Camilo de Ponta Grossa/PR adaptou um setor hospitalar para triagem de paciente com sintomas respiratórios, e um setor exclusivo para internação de pacientes da COVID-19. Colaboradores foram destinados especificamente para atendimento a esses pacientes.

Hospital Santa Cruz - Pedro II/PI O Hospital Santa Cruz - Pedro II/PI, com recursos próprios, adaptou uma urgência com acesso específico por um corredor, disponibilizou 2 leitos de ambulatório e 3 leitos de internação, para atendimento exclusivo à COVID-19. A unidade reforçou o estoque de segurança de materiais e EPI’s, e intensificou os treinamentos das equipes para maximizar a segurança de todos.

Hospital São Camilo – Cura d’Ars – Fortaleza/CE O Hospital São Camilo – Cura d’Ars – Fortaleza/CE, construiu 30 leitos de UTI de Isolamento, com leitos de pressão negativa para receber pacientes graves, acometidos pela COVID-19. A unidade criou fluxos de pronto atendimento distintos: COVID e não-COVID, reduzindo o risco de contaminação cruzada, e instalou pias na portaria de colaboradores, para lavagem das mãos na entrada e saída dos profissionais.

Hospital São Camilo e São Luís - Macapá/AP O Hospital São Camilo e São Luís - Macapá/AP, recebeu 10 ventiladores, através de donativo. Destinou 157 leitos para atendimento aos pacientes suspeitos e confirmados com COVID-19. A unidade elaborou o Plano de Contingência para os atendimentos e intensificou os treinamentos para os colaboradores. Movido pelo espírito camiliano de cuidar e servir ao próximo, o Hospital São Camilo e São Luís mobilizouse em realizar uma ação social voluntária, com o objetivo de doar 400 cestas básicas às famílias carentes que dependem do trabalho informal e que foram afetadas pela política de isolamento social.

15


I G RE JA Artigo

Por Agência Arcanjo

Uma Exortação em forma de sonhos: assim é “Querida Amazônia”, o documento póssinodal do Papa Francisco, referente ao Sínodo Amazônico, de outubro passado, que teve como tema - “Amazônia: novos caminhos para a Igreja e para uma ecologia integral”.

Exortação Apostólica pós-sinodal

“Querida Amazônia”

Dividida em quatro capítulos, a Exortação apresenta os sonhos do Papa para a Amazônia. Nela, o Santo Padre abre uma janela para o futuro amazônico, formulando quatro sonhos: um sonho social, um sonho cultural, um sonho ecológico e um sonho eclesial. Sonhos para um “todo plurinacional interligado” que inclui Brasil, Bolívia, Colômbia, Equador, Guiana, Peru, Suriname, Venezuela e Guiana Francesa.

16


IG REJA

Sonho social

O sonho social do Pontífice é uma Igreja ao lado dos oprimidos. Francisco recorda que Bento XVI já havia denunciado “a devastação ambiental da Amazônia”. Os povos originários, afirma, sofrem uma “sujeição”, seja por parte dos poderes locais, seja por parte dos poderes externos. Para o Papa, as operações econômicas que alimentam devastação, assassinato e corrupção, merecem o nome de “injustiça e crime”. E, como João Paulo II, reitera que a globalização não deve se tornar um novo colonialismo.

Sonho cultural

Ao sonho cultural é dedicado o segundo capítulo da “Querida Amazônia”. O Pontífice esclarece que “promover a Amazônia” não significa “colonizá-la culturalmente”. Para Francisco, é urgente “cuidar das raízes” (33-35). Citando Laudato si’ e Christus vivit, destaca que a “visão consumista do ser humano” tende a “homogeneizar as culturas” e isso afeta, sobretudo, os jovens. A eles, o Papa pede que assumam as raízes, que recuperem “a memória danificada”.

Sonho ecológico

O terceiro capítulo fala do sonho ecológico do Pontífice: “Sonho com uma Amazônia que guarde zelosamente a sedutora beleza natural que a adorna, a vida transbordante que enche os seus rios e as suas florestas”.

Sonho eclesial

Inovação e criatividade: é o sonho eclesial do Papa. O último capítulo do documento pontifício é dedicado aos desafios que a Igreja é chamada a enfrentar na região. “Sonho com comunidades cristãs capazes de se devotar e encarnar de tal modo na Amazônia, que deem à Igreja rostos novos com traços amazônicos”.

Com a Exortação Apostólica “Querida Amazônia”, o Papa Francisco regista os seus sonhos para aquela região, estendendo uma mensagem de fé e esperança, para a Igreja do mundo inteiro.

17


ES P I R I T UA LI DA D E Artigo

Por Pe. José Wilson, MI Pastoral da Saúde - Regional Sudeste Capelão do HGI

PROJETO

SAÚDE E ESPIRITUALIDADE NO CONTEXTO HOSPITALAR

O hospital, lugar destinado ao diagnóstico, ao tratamento, à cura e à prevenção, à promoção da saúde, à investigação e ao ensino, pode falar de espiritualidade? Estudos demonstram a importância da espiritualidade no processo de cura do paciente, assim como a relevância de espaços e momentos orantes no hospital. Escolas de administração oferecem pós-graduação em gestão da subjetividade e, na grade, a disciplina espiritualidade (Folha de São Paulo, pós-graduação, 26 de janeiro de 2020, p.14). Um hospital confessional tem missão, visão, princípios, valores e carta de identidade. Uma pesquisa constatou que, apesar da remuneração ser um fator importante de motivação, os trabalhadores têm dado valor a outros aspectos, um deles, afinidade com os valores da empresa (Folha de São Paulo, 3 de agosto de 2019, p. A33). Funcionários que não comungam com os valores da empresa, tendem a adoecer mais facilmente. A Província Camiliana Brasileira, ao encerrar o Ano Vocacional, com os religiosos e os líderes Camilianos, lançou o Projeto Saúde e Espiritualidade, como uma forma de continuar refletindo sobre os valores e a espiritualidade Camiliana. Nas linhas a seguir, lista-se algumas atitudes que engendram saúde e espiritualidade no ambiente hospitalar:

18


ESPIRITUALIDAD E

1.

Ao acolher, atender, assistir e cuidar com o coração nas mãos os usuários, o colaborador irradia vida sana e saúde plena, inclusive salvadora;

2.

Ao aprimorar ou adquirir conhecimentos técnicos, imbuídos de compaixão, o profissional da assistência cuida com qualidade, socializa suas experiências e cresce na espiritualidade;

3.

Ao constar o item atendimento espiritual no prontuário, atende, assim, às demandas espirituais do doente;

4. Ao criar espaços verdes na unidade assistencial, o hospital cumpre

com a responsabilidade socioambiental, além de proporcionar saúde e espiritualidade;

5. Ao imitar São Camilo e consolidar a Pastoral da Saúde, o administrador coloca o enfermo no centro do hospital e os agentes da Pastoral mensageiros do evangelho da vida e da saúde;

6. Ao favorecer um ambiente de trabalho saudável, zela-se pela saúde do colaborador nas suas dimensões física, mental, social e espiritual;

7.

Ao cuidar do paciente, o profissional da assistência busca a saúde em todas as dimensões, integrando-o ao socioambiente;

8.

Ao agir pastoralmente, o agente promove a teologia da saúde e uma espiritualidade saudável de seres renascidos na Páscoa;

9.

Ao administrar os sacramentos de cura (eucaristia, reconciliação e unção dos enfermos), o capelão revive as ações e os rituais curadores do bom samaritano. Ao escutar ativamente, reconcilia a pessoa consigo mesmo, com o outro, com Deus e a natureza;

10.

Ao gerenciar o hospital, os gerentes administram os recursos, gerindo-os da melhor forma possível e produzindo os melhores resultados, sempre consultando os líderes, os colaboradores e os profissionais da saúde. As normativas e os protocolos garantem um ambiente seguro, saudável, equilibrado e favorável ao espiritual;

11. Ao dialogar com a fé, o comitê de ética semeia a cultura de proteção

da dignidade humana, cuidando da vida e da saúde em todas as fases. A equipe multidisciplinar, integrada pelas diferentes áreas que assistem diretamente o paciente, inclusive o capelão, concebe o paciente como um todo e proporciona tratamento diferenciado, humanizado e atento ao espiritual;

12.

As ações da comissão de humanização, contribuem no processo de cura dos pacientes e geram saúde e espiritualidade no ambiente hospitalar.

Enfim, o Projeto Camiliano Saúde e Espiritualidade remonta a São Camilo: “não se assuma nunca a assistência espiritual sem incluir a assistência corporal” (Escritos de São Camilo, p. 249). Que, por sua vez, remonta às ações sanadoras de Jesus, que restabelecia a saúde total dos doentes. Ao evangelizar, semeemos vida e saúde, e ao promover saúde, semeemos espiritualidade e vida plena.

19


“Senhor, coloco-me diante de Ti em atitude de oração. Sei que me ouves, Tu me conheces. Sei que estou em Ti e que Tua força está em mim. Olha para meu corpo marcado pela enfermidade. Sabes, Senhor, o quanto me custa sofrer. Sei que não Te alegras com o sofrimento de Teus filhos. Dá-me, Senhor, força e coragem para vencer os momentos de desespero e de cansaço. Torname paciente e compreensivo. Ofereço minhas preocupações, angústias e sofrimentos, para ser mais digno de Ti. Aceita, Senhor, que eu una meus sofrimentos aos de Teu Filho Jesus, que, por amor aos homens, deu sua vida na Cruz. Peço, ainda, Senhor: ajuda os médicos e enfermeiros a terem para com os pacientes a mesma dedicação e amor que São Camilo tinha. Amém”. São Camilo de Lellis, padroeiro dos enfermos, hospitais e profissionais de saúde, rogai por nós!

Profile for Agência Arcanjo

Informativo Camilianos - Maio, Junho e Julho de 2020  

Informativo Camilianos - Maio, Junho e Julho de 2020  

Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded