Page 1

Ano 3 . Nº 36 . Janeiro/Fevereiro/2011

Obediência a Cristo, obediência ao irmão “O Filho do Homem veio para servir e não para ser servido” (Mat. 20,28) Por Vinícius Rossi (Coord. Arquid. Ministerio de Comunicação)

Querida família de Deus, Todos nós já sabemos que em 2011, o mandato missionário de Jesus estará no centro de todas as atividades da RCC. O tema “POR CAUSA DA TUA PALAVRA, LANÇAREMOS AS REDES”, baseado no Capítulo 5 do Evangelho de São Lucas, nos levará a uma importante reflexão se formos atentos e solícitos ao espírito. O quanto ainda podemos crescer na virtude cristã da obediência? A propósito, não há como falarmos de obediência sem antes falar da tão necessária humildade do bom servo, da paciência de quem sabe esperar “o tempo de Deus” ou do valioso mandamento do amor que Cristo nos deixou e que deveria nos motivar a amar cada vez mais o outro. Como podemos aprender ao vermos o apóstolo Pedro, mesmo pertencendo a uma sólida companhia de pesca da região da Galiléia, juntamente com seu irmão André, o jovem João, Thiago e tantos outros, deixar-se conduzir pelo Mestre de Nazaré que lhe disse em alta voz: “IDE MAIS AO FUNDO, E LANÇAI VOSSAS REDES PARA A PESCA”(Luc 5,4). Depois de trabalhar a noite toda sem nada pescar, creio que eu e você talvez não tivéssemos tanta paz de espírito que nos levasse a obedecer imediatamente, como aconteceu naquele dia com os santos apóstolos.

Mas, quando falamos de obediência costumamos separar, mesmo sem às vezes perceber, a obediência que devemos à Cristo Jesus da obediência aos nossos irmãos, pessoas que foram convidadas pelo mesmo Cristo, para nos coordenar ao longo da caminhada. Se pensarmos bem, veremos que na verdade não há como fazer essa separação, já que acreditamos que é o Espírito Santo de Deus que move o irmão ou a irmã que nesse tempo, são chamados a estarem à frente de um Grupo de Oração, de um ministério ou de outros serviços de doação. Reconheçamos: nem sempre é fácil obedecermos ao irmão, principalmente quando deixamos o inimigo nos contaminar com o veneno da rebeldia e da vaidade. Ser humilde é também perceber no irmão a pessoa de Cristo que quer agir em nossas vidas Alguns biógrafos de São Francisco dizem que o “pobrezinho de Assis” tinha o hábito de escolher alguém dentre os irmãos para que fosse, durante um tempo, como uma espécie de pai para ele, alguém que pudesse lhe dar ordens, que pudesse dizer o que ele deveria fa-

zer ou não fazer. Que maravilhoso exemplo, não é mesmo? Não se trata apenas de obedecermos a uma hierarquia, algo que conhecemos e respeitamos quando somos ainda crianças, quando aprendemos a ter carinho e admiração pelos padres, pelos bispos e por todos os que são chamados a serem pastores com Cristo, o Senhor. A Nossa Igreja é assim, isso é ser família. Por fim, que saibamos ao longo desse novo ano, aprender com Jesus, O “Servo por Excelência” do Pai, Aquele que em tudo obedeceu e que se entregou numa cruz por amor a vontade Daquele que nos criou, aprender verdadeiramente a obedecer, pois afinal, não pode haver uma real conversão sem o amor generoso que se manifesta na obediência de cada dia. Paz e bem a todos!


ACONTECEU

Uma Festa no Cenáculo 31 anos do G.O Sagrada Família da Praia da Costa Por Silvander Honorato (Ministério de Comunicação do GO Sagrada Família)

Movido pela inspiração do Divino Espírito Santo, no dia 29 de Dezembro, o Grupo de Oração Sagrada Família, da comunidade N. Sra. do Perpétuo Socorro (Praia da costa, em Vila Velha), comemorou com gratidão os seus 31 anos de vida e missão. Deus seja louvado! A forte chuva não foi impedimento para quem quis fazer parte da festa. Foi uma noite de muita alegria, mas também de muita espiritualidade, cujo o tema foi: “A Sagrada Família”. Nosso pároco, Pe. Renato Criste Covre, foi o pregador da noite, que como sempre, com palavras mergulhadas em Deus, falou da importancia de se viver em família, vivenciar na igreja o reflexo do seio familiar, e buscar sem-

pre como exemplo: Jesus, Maria e José. O sentimento de unidade e de família se percebe entre os servos do Grupo de Oração Sagrada Família. Uma família unida na fé e no amor concreto ao irmão. Para nós, o amor é sinal da presença forte do Espírito Santo que sempre se manifesta de vários modos. Principalmente vindo nos momentos em que nos sentimos mais fracos e somos confrontados com as nossas limitações humanas, com as batalhas e as dificuldades. Ao final, algumas das antigas servas e coordenadoras falaram um pouco sobre a história do Grupo de Oração, como ele começou e todas as batalhas que enfrentamos para man-

tê-lo de pé ao longo desses 31 anos. Belos testemunhos de fé, amor e perseverança dos filhos da Igreja. E, como não poderia faltar, comemos um delicioso bolo de aniversário, que foi partilhado entre todos os presentes. Assim, iniciamos 2011 ainda mais compromissados em levar as pessoas a uma maior intimidade com Jesus Cristo, com a sua Palavra, sua Igreja, os Sacramentos e os Carismas. O Grupo de Oração Sagrada Família se reune na Igreja Matriz, Nossa Senhora do Perpétuo Socorro (Próximo da 3º Ponte), as Quartas-feiras, sempre às 19h com a oração do terço, seguido da reunião de oração. Visite-nos!

IGREJA

U

Beatificação de João Paulo II: o papa que nos abraçou como um pai.

ma grande alegria, uma maravilhosa notícia para toda a Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo! Nas primeiras semanas deste novo ano, recebemos a boa nova de que o Santo Padre, o Papa Bento XVI, decidiu assinar a promulgação que autoriza a beatificação, no dia 01 de Maio, do saudoso papa João Paulo II, o “Peregrino do Amor”. Tal notícia chamou a atenção de toda a imprensa mundial, pois nos últimos dez séculos nenhum Papa elevou às honras dos altares o seu imediato predecessor e o título de beato, dado a após a confirmação do primeiro milagre comprovado, é um passo firme rumo à canonização. Celebremos todos, Renovação Carismática Católica, pois isso nos recorda que temos intercessores no céu junto a Jesus Cristo, Nosso Único Senhor. Homens e mulheres que 02

rogam insistentemente por nós e por nossas famílias. Então, a fim de matarmos a saudade e homenagearmos Karol Wojtyla, segue um trecho de um dos seus discursos a nós. Saudemos o “Papa da Paz”, o papa que foi como um pai para a RCC. “Ao saudar a Conferência Internacional para os Responsáveis do Movimento Carismático Católico, “dou graças ao meu Deus por meio de Jesus Cristo, a respeito de vós, pois a fama da vossa fé espalhou-se pelo mundo inteiro” (Rm 1, 8). A Renovação Carismática Católica ajudou muitos cristãos a redescobrir a presença e a força do Espírito Santo na sua vida, na vida da Igreja e no mundo. Esta redescoberta despertou neles uma fé em Cristo repleta de alegria, um grande amor pela Igreja e uma generosa dedicação à sua missão evangelizadora. Neste ano (1998) dedicado ao Espí-

rito Santo, uno -me a vós ao louvar Deus pelos frutos preciosos que quis fazer maturar nas vossas comunidades (...) Como responsáveis da Renovação Carismática Católica, uma das vossas tarefas consiste em tutelar a identidade católica das comunidades carismáticas difundidas em todo o mundo, estimulando-as sempre a manter um vínculo hierárquico e estreito com os Bispos e o Papa. Pertenceis a um movimento eclesial e a palavra «eclesial» obriga a uma preciosa tarefa de formação cristã, que requer uma profunda convergência entre fé e vida.” (Vaticano, 30/10/1998) Bem Aventurado João Paulo II, rogai por nós!


FORMAÇÃO

Fala do Presidente da RCC Brasil para o ano de 2011 “Experimentei o amor de Deus, Jesus se tornou o sentido de minha vida!”. uando somos batizados no Espírito Santo fazemos uma experiência de Deus que nos marca profundamente. Pode este acontecimento ser comparado a um divisor de águas, que dará origem a um modo de vida, no qual a fé passa a reorientar nosso pensar e agir. Na Renovação Carismática, entendemos que essa experiência do Batismo no Espírito não se esgota em apenas um momento, mas pode levar-nos a um modo de vivermos neste mundo, orientando-nos para uma vocação humana, que é a “vida no Espírito” (Catec. 1699ss). A vida no Espírito, por sua vez, abre-nos para uma nova perspectiva a respeito dos planos de Deus para conosco. Sentimo-nos chamados a uma amizade com Deus e, como amigos, a um relacionamento no qual percebemos que Deus tem planos especiais para com cada um de nós. Planos especiais? Sim! Por que somos melhores? Não! Na realidade, na base dessa experiência há uma profunda percepção de que Deus nos ama, que este amor, tem Nome e realizou-se plenamente na história humana na pes-

soa de Jesus Cristo, seu Filho, que se deu a nós por amor. Esse amor se revela com tamanha plenitude e abundância que nos sentimos especiais, pois se Deus se interessou desta forma por mim e por ti, entrando em nossa história pessoal, é porque somos importantes para Ele. As pessoas que passam pela experiência do Batismo no Espírito Santo respondem, em sua grande maioria, que foi isto que aconteceu: “Experimentei o amor de Deus, Jesus se tornou o sentido de minha vida!”. É de se esperar, portanto, que também para a maioria dessas pes-

soas tome rumo uma busca por reorientar o futuro, realinhar suas perspectivas em relação a sua missão neste mundo, buscando fazer a vontade de Deus em suas vidas, questionando-se: o que Deus espera de mim? Qual é sua vontade a meu respeito? Bem, não existem respostas prontas, eis aqui uma jornada que demandará toda uma vida, que exigirá de cada um de nós uma atitude de permanente estado de vigilância, com um firme propósito de submeter-nos aos planos divinos. Sempre considerando que precisamos de irmãos e irmãs, que a vida cristã não se faz sozinha e que a comunidade tem um papel fundamental para podermos discernir nossas decisões (...) Animados pela Palavra do Senhor, em 2011 queremos “lançar as nossas redes”, sentimo-nos impulsionados a dar o melhor de nós para que o Senhor nos use como instrumentos seus. Fraternalmente, Marcos Volcan (Presidente do Conselho Nacional RCC-Brasil)

03


Orientações

para bem divulgarmos o NOSSO VINDE E VEDE 2011 Shalom, irmãos e irmãs! Vem ai o Vinde e Vede 2011, que é obra de Deus, mas que a nós é dado como missão de evangelização e valioso presente. Sendo assim, como orientamos em todos os anos, seguem algumas dicas para divulgarmos essa festa de bênçãos em nosso Grupo de Oração: 1

Usar bem o material de divulgação (Cartaz e Folder) com um bom planejamento e criatividade que geralmente acontece nas reuniões de núcleo.

2

Explorar a Música Tema do Vinde e Vede 2011 na animação do G.O

3

Pensar em curtas apresentações teatrais usando dos talentos dos jovens, das crianças e de quem se interessar em ajudar.

4

Para os que têm Data Show, preparar uma boa apresentação de imagens dos Vinde Vedes passados e a participação dos servos nos últimos anos.

5

Se formos mais ousados podemos colocar também bicicletas e peruinhas para fazermos uma ungida propaganda do Vinde e Vede 2011.

6

Combinar com o seu pároco para que nas Missas o Vinde e Vede seja anunciado

7

Usar os sites, blogs e até comunidades virtuais.

8

Enviar torpedos por meio do celular para aquele irmão que Deus já lhe revelou.

9

Divulgar que aos Sábados, às 16h, acontece o Programa Especial Caminhando com Jesus (AM690).

Esperamos que essas dicas possam animar o seu povo e que vocês nos ajudem a comunicar bem a graça de celebrarmos os 17 anos do NOSSO VINDE E VEDE. Vinícius Rossi (Coordenador do Ministério de Comunicação)

O Conselho Arquidiocesano e o Ministério de Comunicação contam contigo Venha participar conosco da missão de comunicar o amor pelos meios que o Senhor nos confiou. Precisamos do apoio de todos aqueles que participam do Grupo de Oração e que desejam nos ajudar na manutenção do nosso Site www.rccvitoriaes.org.br e na produção do Programa “Caminhando com Jesus” 690 AM às 18h10. Fique atento a agenda de MARÇO ou ligue logo para o telefone 3222-8690 e se informe. EXPEDIENTE Coordenação: Murilo Soares Peixoto Colaboradores nesta edição: Vinicius Rossi / Ana Lúcia Antunes Editoração Eletrônica: Vera Miranda - 3081-6839 Impressão: Gráfica Luppy - 3322-0416

04

O MÊS SANTO D

Santa Escolástica 10 de fevereiro

Hoje, recordamos o testemunho daquela que foi irmã gêmea do grande São Bento, pai do monaquismo cristão. Ambos nasceram em 480, em Núrsia, região de Umbria, Itália. Santa Escolástica começou a seguir Jesus muito cedo. Mulher de oração, ela sempre foi acompanhando o irmão por meio de intercessão. Depois, ao falecer seus pais, ela deu tudo aos pobres. Junto com uma criada, que era amiga de confiança e seguidora também de Cristo, foi ter com São Bento, que saiu da clausura para acolhê-la. Com alguns monges eles dialogaram e ela expressou o desejo de seguir Cristo através das regras beneditinas. São Bento discerniu pela vocação ao ponto de passar a regra para sua irmã e ela tornou-se a fundadora do ramo feminino: as Beneditinas. Não demorou muito, muitas jovens começaram a seguir Cristo nos passos de São Bento e de Santa Escolástica. Uma vez por ano, eles se encontravam dentro da propriedade do mosteiro. Certa vez, num último encontro, a santa, com sua intimidade com Deus, teve a revelação de que a sua partida estava próxima. Então, depois do diálogo e da partilha com seu irmão, ela pediu mais tempo para conversar sobre as realidades do céu e a vida dos bem-aventurados. Mas São Bento, que não sabia do que se tratava, por causa da regra disse não. Ela, então, inclinou a cabeça, fez uma oração silenciosa e o tempo, que estava tão bom, tornou-se uma tempestade. Eles ficaram presos no local e tiveram mais tempo. A reação de São Bento foi de perguntar o que ela havia feito e desejar que Deus a perdoasse por aquilo. Santa Escolástica, na simplicidade e na alegria, disse-lhe: “Eu pedi para conversar, você não aceitou. Então, pedi para o Senhor e Ele me atendeu”. Passados três dias, São Bento teve a visão de uma pomba que subia aos céus. Era o símbolo da partida de sua irmã. Não demorou muito, ele também faleceu, porque o céu é o nosso lugar. Santa Escolástica, rogai por nós!

Informativo de Janeiro/Fevereiro de 2011  

Informativo de Janeiro/Fevereiro de 2011 | RCC Vitória

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you