Issuu on Google+

ANIVERSARIANTES DE NOVEMBRO 01 01 02 04 12

Pe. Ivanildo Rodrigues Miranda Pe. Pedro Lacerda Gontijo Pe. Marcos Tiago da Silva Pe. Daniel Teixeira Miranda Diác. Paulo César Rodrigues Silva

Nascimento Ordenação Nascimento Nascimento Nascimento

20 25 27 28

Pe. Paulo Dias Barboza

Ordenação Nascimento

Pe. José de Castro Lima Pe. Leonardo Silva Campos Nascimento Pe. Célio Vieira da Silva Ordenação Parabéns e Felicidades a todos!

FORMAÇÃO PARA MONITORES DA CF 2013 A formação para Monitores da CF 2013 sobre a Juventude será realizada em Luz, no dia 16 de dezembro, das 8 às 17 horas, com assessoria dos padres Marcus Vinícius e Valter.

AGENDA DIOCESANA DE NOVEMBRO DATA HORA 09-11 09

10

11 16-18 18 23 23-25

24

25 26 26-29

-08h00 19h00 08h00 08h00 10h00 15h00 08h00 08h00 10h30 --08h00 08h00 19h00 --08h00 08h00 08h00 13h00 19h00 08h00 13h00 17h00 --

LOCAL

EVENTO

Belo Horizonte Arcos Japaraíba Foranias Formiga Formiga Formiga Formiga Córrego Fundo Moema Piumhi Belo Horizonte Luz Luz Luz Luz Formiga Arcos Bom Despacho Bom Despacho Bom Despacho Moema Arcos Arcos Belo Horizonte Belo Horizonte

Reunião do Conselho Regional do ECC do Leste II Reunião com Provedores de Hospitais Filantrópicos da região Crisma na Paróquia Nossa Senhora do Rosário Reunião dos Conselhos Forâneos de Evangelização Crisma na Paróquia São Geraldo Crisma na Paróquia São Judas Tadeu Crisma na Paróquia São Vicente Férrer Assembleia Diocesana do Cursilho Crisma na Paróquia Sagrada Família Crisma na Paróquia São Pedro Apóstolo Assembleia Regional da Pastoral Familiar do Leste II Assembleia Regional da PV/SAV do Leste II Encontro Diocesano das Coordenações Paroquiais da Catequese

Encontro Diocesano dos Agentes Paroquiais da PASCOM Crisma na Paróquia São José Operário Encontro Vocacional no Seminário Diocesano Assembleia Diocesana da Pastoral da Criança Curso de Teologia para Leigos na PUC Minas Reunião da Comissão Diocesana da Pastoral Familiar Reunião do Conselho Diocesano do ECC Reunião da Comissão Diocesana para Vida e Família Posse do Pe. Dimas como Pároco na Paróquia São Pedro Assembleia Diocesana Eletiva da RCC Ultreya Diocesana do Cursilho Missa do Acolitato dos Seminaristas do 3º Ano de Teologia Assembleia Regional dos Bispos do Leste II

ANEXOS ENVIADOS ÀS PARÓQUIAS E AOS SEMINÁRIOS • •

Relatório Demonstrativo da Mitra Diocesana de Luz referente a setembro de 2012. Prestação de Contas da Cúria Diocesana de Luz referente a setembro de 2012.

INFORMATIVO DIOCESANO BOLETIM DO CLERO DIOCESE DE LUZ nº 221 – Novembro de 2012

O ANO DA FÉ COMO TEMPO DE GRAÇA O Papa Bento XVI termina a Carta Apostólica Porta Fidei, com a qual proclama o Ano da Fé, confiando que ele será um tempo de graça para todos, pois a graça de Deus deve levar o cristão a compreender sempre mais e melhor o amor generoso de Deus, que ama o ser humano na gratuidade. Embora o cristão tenha capacidades para perceber os sinais de Deus em sua história, é sempre Deus que toma a iniciativa. Isso é graça. O jubileu de ouro do início do Concílio Vaticano II, que inspira esse Ano da Fé, deve nos recordar a dinamicidade da Igreja, que, guiada pelo sopro divino, continua atualizando no mundo a mensagem salvífica de Cristo. Nesses cinqüenta anos, muitas mudanças aconteceram na Igreja, tanto em suas estruturas quanto nas comunidades vivas de fé. Hoje, cada vez mais, o cristão é chamado a viver e a testemunhar sua fé com ardor, recebendo da própria Igreja oportunidades de se preparar para a missão. Olhando para essa transformação, é possível novamente afirmar que tudo é graça de Deus para a humanidade. Mas celebrar o Ano da Fé como tempo de graça não será apenas oportunidade de louvar a Deus pela graça da fé que ele suscitou em nós. Será também ocasião para um profundo exame de consciência, pois o ser humano necessita constantemente de conversão, já que o pecado continua a ser obstáculo ao acolhimento da graça de Deus. Diante das inseguranças do mundo moderno, o cristão parece cada vez mais não conseguir separar ocasiões de santidade das ocasiões de pecado, pois os valores cristãos constantemente são colocados de lado. Certamente é por isso que a fé tem sido tão questionada. Nesse sentido, o papa reforça que, ao longo deste Ano, manteremos o olhar fixo sobre Jesus Cristo, autor e consumador da fé, para quem deve convergir todo trabalho evangelizador da Igreja. Ao reforçar a fé de cada cristão, a Igreja deverá apresentar a proposta de Jesus Cristo de modo cada vez mais claro e convincente, pois tal proposta fará brotar a fé no coração daqueles que ainda não o conheceram e fortalecerá a fé naqueles que ainda não o compreenderam como o Deus que se faz humano para se aproximar de nós. Enquanto pensarmos que a evangelização é para aqueles que estão fora da Igreja, perderemos a oportunidade de amadurecer na fé, pois Jesus falava primeiro aos seus discípulos para depois falar aos outros. Toda a mensagem de Jesus, da qual a Igreja é portadora, deve antes ser oferecida a nós cristãos, para que, cultivando a fé no coração dos outros com nossas palavras e nosso exemplo de vida, possamos transmiti-la bem aos outros.


NA CONSAGRAÇÃO DEVE-SE ESTAR AJOELHADO Na Consagração os fiéis devem ajoelhar-se, em sinal de adoração. A Instrução Geral ao Missal Romano (n. 43) determina que “os fiéis estejam de joelhos durante a consagração, exceto se razões de saúde, a estreiteza do lugar, o grande número dos presentes ou outros motivos razoáveis a isso obstarem. Aqueles, porém, que não estão de joelhos durante a consagração, fazem uma inclinação profunda enquanto o sacerdote genuflete após a consagração”.

A MISSA É A RENOVAÇÃO DO SACRIFÍCIO DE CRISTO A noção da Missa como Sacrifício jamais será ultrapassada, como alguns mais afoitos apregoam por aí. O Magistério da Igreja, por graça do Espírito Santo, é infalível em matéria de fé e moral (CIC 2035). Por isso, a fé católica não muda. “O sacrifício de Cristo e o sacrifício da Eucaristia são um único sacrifício” (CIC 1367). Logo, a Missa é a renovação ou atualização do Único e Eterno Sacrifício de Jesus, oferecido pelas mãos do sacerdote. “A santa Missa é o sacrifício do Corpo e do Sangue de Jesus Cristo, oferecido sobre os nossos altares, sob as espécies de pão e de vinho, em memória do sacrifício da Cruz. (...) O Sacrifício da Missa é substancialmente o mesmo que o da Cruz, porque o mesmo Jesus Cristo, que se ofereceu sobre a Cruz, é o que se oferece pelas mãos dos sacerdotes seus ministros, sobre os nossos altares; mas, quanto ao modo por que é oferecido, o sacrifício da Missa difere do sacrifício da Cruz, conservando contudo a relação mais íntima e essencial com ele. (...) Que diferença, pois, e que relação há entre o Sacrifício da Missa e o da Cruz? Entre o Sacrifício da Missa e o Sacrifício da Cruz há esta diferença e esta relação: que Jesus Cristo sobre a cruz se ofereceu derramando o seu sangue e merecendo para nós; ao passo que sobre os altares Ele se sacrifica sem derramamento de sangue, e nos aplica os frutos da sua Paixão e Morte” (Catecismo publicado pelo Papa Pio X, em 1905, n. 652-654).

QUAL IMAGEM DE JESUS DEVE FICAR NO ALTAR? A Instrução Geral ao Missal Romano (n. 308) determina que “sobre o altar ou junto dele coloca-se uma cruz, com a imagem de Cristo crucificado, que a assembléia possa ver bem. Convém que, mesmo fora das ações litúrgicas, permaneça junto do altar tal cruz, para recordar aos fiéis a paixão salvadora do Senhor”. Portanto, não é verdade que é mais expressiva no altar a imagem de Jesus Ressuscitado do que de Jesus Crucificado. Essa cruz alude ao Sacrifício de Jesus, que se renova no altar. Jesus Cristo está vivo e ressuscitado, mas a Missa renova ou atualiza o Sacrifício de Cristo na Cruz.

QUEM CELEBRA A MISSA: O PADRE OU A COMUNIDADE? A Instrução Redemptions Sacramentum (n. 42), de 2004, discorrendo sobre o Sacrifício da Missa, afirma: “O Sacrifício Eucarístico não deve ser considerado ‘concelebração’, no sentido unívoco do sacerdote juntamente com o povo presente. Ao contrário, a Eucaristia celebrada pelos sacerdotes é um dom que supera radicalmente o poder da assembléia. A assembléia, que se reúne para a celebração da Eucaristia, necessita absolutamente de um sacerdote ordenado que a presida, para poder ser verdadeiramente uma assembléia eucarística. A comunidade também não é capaz de dotar-se por si só do ministro ordenado”.

COORDENAÇÕES PAROQUIAIS DA CATEQUESE No próximo dia 18 de novembro, no Salão Diocesano de Luz, das 8 às 17 horas, será realizado o Encontro Diocesano Anual com as Coordenações Paroquiais da Catequese, com a finalidade de avaliar a caminhada catequética deste ano nas paróquias e programar as principais atividades catequéticas do ano vindouro.

ENCONTRO DE AGENTES DA PASCOM O Encontro Diocesano de Agentes Paroquiais da PASCOM será realizado no Centro de Pastoral Paroquial, em Luz; no próximo dia 18 de novembro, das 8 às 17 horas. Pedimos aos párocos o favor de enviar dois agentes da PASCOM da Paróquia, que entendam de internet, tenham acesso à mesma e sejam de fácil acesso à comunidade. Eles farão a ligação da Diocese com a Paróquia; e da Paróquia com as Pastorais e os Movimentos. As pessoas enviadas pela Paróquia são as responsáveis pelo envio de notícias a serem publicadas no site da Diocese.

FORMAÇÃO DE AGENTES PARA A 5ª SEMANA SOCIAL A formação de Agentes para dinamizar a 5ª Semana Social Brasileira na Diocese será realizada em Luz, no dia 16 de dezembro, das 8 às 17 horas, sob assessoria do Pe. Wagner.

SERVIÇO DE ANIMAÇÃO VOCACIONAL O Serviço de Animação Vocacional (SAV) exige de nós atitudes e serviços que podem, com a boa vontade e a ajuda dos padres, serem encaminhados: - Assumir com dedicação e permanente atenção a oração pelas vocações, como meio indispensável, para ‘vocacionalizar’ toda a ação pastoral e evangelizadora; - Criar a Equipe Paroquial do SAV com agentes do Apostolado da Oração; - A Equipe Paroquial fará o primeiro acolhimento dos candidatos e dará as orientações necessárias para os passos seguintes do discernimento vocacional deles; - A Equipe Paroquial deve conhecer a família e a vida pessoal e eclesial dos candidatos ao Seminário ou à Vida Religiosa, apoiando-os na resposta ao Chamado de Deus; - A Equipe Paroquial e o pároco assumirão a responsabilidade de apresentar os vocacionados ao Seminário, para o acompanhamento específico dos formadores. Nesta oportunidade, queremos agradecer as orações e o empenho dos padres e das comunidades paroquiais em favor dos candidatos ao nosso Seminário diocesano.

ORDENAÇÕES PRESBITERAIS NA DIOCESE No próximo mês de dezembro, nossa Diocese será enriquecida com a ordenação de quatro novos padres: Pe. Samuel (dia 7, em Córrego Fundo), Pe. Cássio (dia 8, em Arcos), Pe. Paulo César (dia 14, em Bom Despacho) e Pe. Luiz Henrique (dia 15, em Betim). Aos ordinandos expressamos os cumprimentos e votos de fidelidade, perseverança, êxito e felicidade no ministério presbiteral que irão assumir.


Informativo Diocesano