Page 1

www.radiocorfm.com.br

PUBLICAÇÃO MENSAL DA PARÓQUIA SÃO VICENTE FÉRRER FORMIGA MG ANO XIV - Nº 273 - NOVEMBRO DE 2013

Atendimento Paroquial Segunda a Sexta-feira: 08:00 às 17:30hs Sábado: 08:00 às 11:00hs Confissões Terça a Sexta-feira: 08:00 às 11:00hs - 14:00 às 17:00hs Sábado: 08:00 às 11:00hs Missa em louvor a São Vicente Férrer todo dia 05 do mês às 12:00hs Venha participar conosco!!!

P. 04

Fotos do Show do Pe. Fábio de Melo está disponível em no site! www.paroquiasaovicenteferrer.com.br

Rádio Cor

106,5 FM 106,5 FM www.radiocorfm.com.br


Novembro de 2013

C

Editorial

om passadas largas, vamos nos aproximando do final do ano; já estamos nos mês de novembro! A nível paroquial, novembro é o mês de celebrarmos momentos muito significativos. 02 de novembro: Finados – como Igreja que crê na Ressurreição e na Vida Eterna, paramos para celebrarmos nossos entes queridos que já faleceram. Sentimos saudades, vivemos recordações, recuperamos memórias. Mas, mais do que tudo, reafirmamos nossa fé no Deus da vida que, na Ressurreição de Jesus, garante nossa ressurreição e nos convida ao banquete da vida eterna. 10 de novembro: 1ª Eucaristia na Matriz. Momento de festa paroquial. 51 crianças de nossa Paróquia receberão a Santa Comunhão pela primeira vez. É momento de comemorarmos um grande esforço em conjunto: o das crianças, o de suas famílias e, sobretudo, o empenho e dedicação dos nossos catequistas. Num trabalho em conjunto, semeamos a preciosa semente da fé no coração de nossos filhos. Que a presença real de Jesus na Eucaristia seja o precioso “adubo” que permita que estas sementes germinem em atitudes de amor, fraternidade e misericórdia no coração de nossos filhos. 23 de novembro: Crisma. Da mesma forma que na 1ª Eucaristia, conferir o Sacramento do Crisma aos nossos adolescentes e jovens é momento de festa. Sacramento da maturidade Cristã, sacramento da responsabilidade Cristã. O que foi plantado em meu coração, no Batismo, o que foi cultivado por pais e catequistas, na minha infância é agora assumido por mim mesmo como tesouro a ser guardado e desenvolvido. Por fim, 28 de outubro, Dia Nacional de Ação de Graças. Celebramos os resultados da grande parceria Deus Homem/Mulher. O Pai nos abençoando, capacitando e nos impulsionando com suas graças, e nós nos comprometendo e fazendo nossa parte. É por isso que há tanto o que agradecer. Que o mês de Novembro seja muito abençoado! Pe. Aurélio Pereira, scj INFORMATIVO

São Vicente Praça São Vicente Férrer, 27 Formiga-MG CEP: 35.570-000 Fone: (0xx37) 3322-2131 psvf@paroquiasaovicenteferrer.com.br www.paroquiasaovicenteferrer.com.br

Fundador: Pe. Cláudio Weber scj Data de Fundação: 01/10/1990 Editor Responsável: Pe. Aurélio Pereira, scj Digitação e Diagramação: Wasley Caetano Amim Redação: Equipe Informativo São Vicente Tiragem: 5.000 - Distribuição: Gratuita Impressão: FUMARC - (0xx31) 3249-7400 As matérias disponibilizadas nesta edição são de responsabilidade de seus autores.

02

O ALÉM JOSÉ LUÍS DOS SANTOS

Ao sair pelo grande portão do Cemitério Municipal de Palma Grande, Giba se deparou com uma nova realidade: viver sem sua família. Sim, viver sozinho. Giba perdeu todos da família, de uma só vez, menos o pai, num horrível acidente automobilístico. O pai havia morrido, vinte dias antes. A sorte parecia afastar-se dele. Tanto mais ele remava, mais a sorte ficava para trás, muito embora fosse uma pessoa convicta dos seus objetivos e um sujeito extremamente otimista. Abraços, condolências, tapinhas nas costas... Tudo isso ajudava, mas sequer passava perto de ser um consolo, uma ajuda propriamente dita; afinal de contas ninguém tem o que falar nesse momento, nem precisa falar algo, a presença já é uma forma de expressão e confirmação da amizade verdadeira. Giba quis voltar pra casa sozinho, dirigindo seu carro, sentindo falta da esposa, das duas crianças, da mãe e do único irmão que tinha. A falta do pai ele já vinha remediando, mas veio à tona sua presença forte e viril, sua voz em tom militar e o odor da sua honestidade impecável. Talvez ele pudesse falar algumas palavras que fizessem Giba voltar a pôr os pés no chão, caso ainda estivesse nesse “andar”. Abrindo o portão da casa (missão que era da filha mais velha), sentiu sua mãozinha de oito anos deslizando aquele conjunto leve. Guardando o carro, recordou as orientações, por vezes exageradas, que passava à esposa todas as vezes que guardava o veículo. Abriu a

porta e podia até mesmo ver, se fosse possível isso, sua mãe, aguardando-o abrir a porta, apoiada no braço do seu irmão, para sentir-se mais segura. Enfim, a vida ainda tinha gosto de passado, mesmo tendo o carimbo da morte. A pior das lembranças ainda estava por vir. Entrou na sala e viu um carrinho de brinquedo (do caçula), da cor do carro da sua finada esposa, de pernas pro ar, exatamente na posição que ficara após o acidente. Giba se conteve; ele, homem de muitas palavras e poucas lágrimas, não chorou, mas “rezou” aquela cena durante muito tempo. Homem da Teologia, quis entender porque um Deus tão Pai quisera vê-lo, um filho tão terno, naquela situação. Rapidamente recolocou os pés no chão da razão e compreendera aquilo que falava a tantas outras pessoas, nas suas aulas, como professor de Ensino Religioso: “Deus não se alegra com a morte, com o sangue, com as desgraças da vida. Deus se contenta com a graça derramada abundantemente sobre nós. Deus precisa gastar a água da graça, derramandoa sobre nós porque cada um tem um corpo no formato de copo, quanto mais cheio, mais Deus derrama água, até inundarmo-nos Nele. Como Pai, Ele quer o melhor. Tanto quer o melhor que nos deu o livre arbítrio, para fazermos o que quisermos. Ele não compra nosso veículo, mas nos dá condições para isso. Ele não acelera nosso veículo, mas nos dá consciência plena do que implicará essa ou outra atitude. Todo Pai quer abraçar um corpo e não sepultá-lo. Dessa forma, todo Pai é puro amor e todo amor pode ser um resumo lapidado da palav ra ‘Pai’. Cabe-nos respeitar o Pai e fazermos das nossas atitudes beijos no seu rosto”. Olhar longe, tristeza rondando e lágrimas que teimavam ficar no seu interior... Essa é a luta humana de filhos que insistem em amar a finitude dos seus dias. Com Giba não poderia ser diferente. Será?

23 ANOS DE FORMAÇÃO E INFORMAÇÃO! “Debaixo do céu há momento para tudo. E tempo certo para cada coisa. Há um tempo de nascer e tempo de morrer; tempo de plantar e tempo de arrancar; tempo de matar e tempo de curar; tempo de derrubar e tempo de construir. Há tempo de ficar triste e tempo de se alegrar; tempo de chorar e tempo de dançar; tempo de espalhar pedras e tempo de ajuntá-las; tempo de abraçar e tempo de afastar. Há tempo de procurar e tempo de perder; tempo de economizar e tempo de desperdiçar; tempo de rasgar e tempo de remendar; tempo de ficar calado e tempo de falar. Há tempo de amar e tempo de odiar; tempo de guerra e tempo de paz”. (Eclesiastes 3,1-8). Hoje é o tempo que temos para agradecer a Deus pelos 23 anos de existência do INFORMATIVO SÃO VICENTE, este eficaz meio de comunicação que há em nossa Paróquia. Agradecer a iniciativa do Pe. Cláudio pela inspiradora ideia de ter, em nosso meio, uma maneira nova e renovada de evangelizar através dos meios de comunicação, e aos párocos que deram continuidade a este trabalho: Pe. Felipe, Pe. José Luís, Pe. Aurélio. Agradecer, também, pelas pessoas especiais que fizeram com que o Informativo fosse cada mês mais especial... Pessoas que deixaram a sua marca, como a Gisela Batista, com os seus desenhos, Ana Maria Braga (in memoriam) e Déa, com as orientações sobre liturgia, Iêda Diniz, com informações sobre Pastoral Vocacional, Marquinhos Coelho, falando da Juventude, e tantas e tantas pessoas que contribuíram com o nosso Informativo, durante esta caminhada. Hoje, o nosso jornal tem cara nova; já não mais é preto e branco, surgiram as cores, mas ele continua com uma equipe muito eficiente, que é composta de: José Luís Santos, Lurdinha Gomes, Ruy Martins, Julieta Voieta, Vitória Ramos, Liliane Sales, André Luiz Silva, Fr. Túlio Marcos, Wanda Picardi, Lúcia Giarola, Danilo Costa, Marilene, Maria Aparecida Pereira da Cruz (Lila), Marlene Leão, Pe. Geraldo Teixeira e o Wasley Amim. A vocês, o nosso agradecimento. Que Deus os recompense em tudo e por tudo o que vocês têm feito em prol da evangelização e do crescimento da nossa Igreja.

PATRICIA MELO


03

Novembro de 2013

01 - Rm 9,1-5; Sl 147,12-20; Lc 14,1-6 02 - Fiéis Defuntos - Jó 19,2327ª; Sl 26; Rm 5,5-11; Jo 6,37-40 03 - Todos os Santos - Ap 7,24.9-14; Sl 24 1Jo 3,1-3; Mt 5,1-12 04- S. Carlos Barromeu - Rm 11,29-36; Sl 69; Lc 14,12-14 05- Rm 12,5-16ª; Sl 131; Lc 14,1524 06- Rm 13,8-10; Sl 112; Lc 14,2533 07- Rm 14,7-12; Sl 27; Lc 15,1-10 08- Rm 15,14-21; Sl 98; Lc 16,1-8 09- Dedicação da Basílica de Latrão - Ez 47,1-12; Sl 46; 1Cor 3,9-17; Jo 2,13-22 10- 32º Dom. Comum - 2Mc 7,12.9-14; Sl 17; 2Ts 2,16-3,5; Lc 20,27-38 11- S. Martinho de Tours-Sb 1,17; Sl 139; Lc 17,1-6 12- S. Josafá- Sb 2,23-3,9; Sl 34; Lc 17,7-10 13- Sb 6,1-11; Sl 82; Lc 17,11-19 14- Sb 7,22-8,1; Sl 119,89-175; Lc 17,20-25 15- Sb 13,1-9; Sl 19; Lc 17,26-37 16- Sb 18,14-16.19,6-9; Sl 105,143; Lc 18,1-8 17- 33º Dom. Comum- Ml 3,1920;Sl 98; 2Ts 3,7-12; Lc 21,5-19 18- 1Mc 1,10-15.41-43.54-57.6264; Sl 119; Lc 18,35-43 19- S. Roque González e comps2Mc 6,18-31; Sl 3; Lc 19,1-10 20- 2Mc 7,1.20-31; Sl 17; Lc 19,11-28 21- Apresentação de N. Sra- Zc 2,14-17; Lc 1,46-55; Mt 12,46-50 22- Sta. Cecília- 1Mc 4,36-37.5259; 1Cr 29,10-12; Lc 19,45-48 23- 1Mc 6,1-13; Sl 9; Lc 20,27-40 24- Cristo Rei do Universo- 2Sm 5,1-3; Sl 122; Cl 1,12-20; Lc 23,35-43 25- Dn 1,1-6.8-20; Dn 3,52-56; Lc 21,1-4 26- Dn 2,21-45; Dn 3,57-61; Lc 21,5-11 27- Dn 5,1-6.13-17.23-28; Dn 3,62-67; Lc 21,12-19 28- Dn 6,12-28; Dn 3,68-74;Lc 21,20-28 29- Dn 7,2-14; Dn 3,57-81; Lc 21,29-33 30- Rm 10,9-18; Sl 19; Mt 4,1822

Tua Palavra é lampâda para os meus pés Senhor! Leia a Bíblia!

RUY MARTINS Sem dúvida, a morte é o maior mistério para o ser humano. Porém, para nós, cristãos ela deve ter um sentido e um significado especial, pois trata-se de um novo nascimento, o início de uma nova vida junto de Deus. E o Dia de Finados é dia não só para lembrarmos e rezarmos pelas pessoas que já morreram, mas, também um dia para professarmos e refletirmos sobre nossa fé na certeza da ressurreição. Quando rezamos o credo, nós dizemos “...creio na ressurreição da carne e na vida eterna....”. Também o Catecismo da Igreja Católica nos ensina que “a morte cristã tem um sentido positivo” e a liturgia da Igreja diz “Senhor, para os que creem em vós, a vida não é tirada, mas transformada”. Ou seja, esta deve ser nossa visão sobre a morte. Porém, é verdade que, na prática, é sempre difícil para o ser humano lidar com a morte, principalmente a dos mais próximos, e até mesmo aceitar que teremos que morrer um dia. Muitos de nós temos até medo da morte, ao invés de enxergar nela um momento maravilhoso do encontro definitivo com Deus. Penso que, dentro de nossa condição humana, este medo é, de certa forma, natural, pois, normalmente temos medo do desconhecido e não

RENDEI

Dia de Finados! queremos nos separar daquelas pessoas que amamos. E é justamente por isso que a Igreja nos concede este dia para refletirmos sobre esta única certeza que temos na vida: a de que um dia vamos morrer.

E é a partir desta certeza que somos convidados a exercitar e fortalecer nossa fé na ressurreição. Primeiramente, como já falamos, rezando por aqueles que já estão junto de Deus (ou ainda não e, por isso mesmo, precisam de nossa oração). Segundo, meditando e pedindo a Deus a graça de

GRAÇAS A

Em todas as coisas criadas, há, em sua plenitude, a bondade de Deus... Bondade esta que se manifesta em vida, em harmonia entre Deus e todas as suas criaturas... Harmonia esta que levou tantas pessoas a erguer os braços para louvar e agradecer ao Deus da vida... Agradecer os dons recebidos durante tantos anos de caminhada, onde a Presença Divina sempre foi constante. Entre tantas pessoas que souberam se mostrar gratas, poderíamos destacar algumas que nos servem de exemplo, hoje: o primeiro é o rei Davi, que não se contentava em apenas agradecer com palavras, mas deixava que todo o seu ser manifestasse a Deus todo o amor que lhe invadia a alma... Também, recordamos Maria, a Virgem que soube ouvir a voz de Deus, atender a seu pedido e cantar o Magnificat... Canto em que ela exalta o Criador e mostra quem é o nosso Deus: é o Deus compassivo que olha a pequenez de seus servos, eleva os humildes, despede os ricos de mãos vazias... É o Deus que derrama a sua misericórdia sobre todos aqueles que o temem... Temor este que não é nenhum castigo, mas temem ficar longe do AMOR, que é gerador de vida... temem ficar longe de Deus. Também, não podemos ignorar as

DEUS

PORQUE

chegarmos ao ponto de dizer como São Paulo: “Viver pra mim é Cristo e morrer é ganho....o meu desejo é partir e ir estar com Cristo” Fl 1,21.23. Portanto, o Dia de Finados deve ser um dia dedicado à oração e à reflexão a fim de encontrarmos e encararmos o significado da morte na perspectiva de nossa fé. E, a partir dessa perspectiva, também vamos encontrando e refletindo sobre o verdadeiro sentido de nossa vida, pois, como o próprio Jesus nos disse: “Quando o Filho do Homem voltar na sua glória.... dirá aos que estão à direita: Vinde benditos de meu Pai... porque tive fome e me destes de comer ...... estava nu e me vestistes ..... enfermo e me visitastes...” Mt 25,31.34-35. Ou seja, nas palavras do Bispo Emérito de Erexim (RS) D. Girônimo Zanandréa: “Para morrer bem, é preciso viver fazendo o bem. Este é o passaporte para a eternidade feliz e o irmão que ajudamos é o avalista de nossa glória no céu.” Que o dia de Finados nos ajude a crescer e fortalecer ainda mais a nossa fé.

ELE

ações e palavras do próprio Filho de Deus, Jesus Cristo, que sempre se mostrou grato a cada sinal da presença de salvação de Deus Pai no meio da humanidade... Assim, Jesus soube agradecer a inocência das crianças, soube agradecer o coração

acolhedor dos pequenos e marginalizados da sociedade, que estavam sempre abertos para acolher a Salvação. Como eles, queremos PARAR um pouco os nossos afazeres para agradecer tantos dons recebidos... Agradecer o ano que se finda, com tantos trabalhos realizados, tantos obstáculos GOMES superados... Agradecer LURDINHA

É BOM!

até a dor que tivemos, pois ela também foi importante para o nosso aperfeiçoamento e crescimento interior. Queremos PARAR um pouco para AGRADECER até o que não conseguimos realizar, pois diante de tudo o que Deus nos presenteia, a nossa atitude não pode ser outra a não ser a atitude de ser de grato. E, diante desta nossa atitude, devemos levar em conta, também, que ao reconhecer a graça de Deus atuando em nós, temos o dever de manifestá-la aos outros através dos inúmeros serviços que temos em nossa comunidade... Serviços que nos levam a erguer o irmão caído, a inaugurar um “novo tempo e uma nova terra”, onde todos sabem que têm o mesmo Pai e, assim, pertencemos a uma única família: a Família de Deus. Façamos a experiência de ser gratos de coração e alma: Ajoelhese... eleve os seus olhos aos céus... solte a sua voz e diga, com o coração repleto de paz e alegria: OBRIGADO, SENHOR, PELA VIDA QUE DESTE AO TEU POVO!


Novembro de 2013

ADVENTO: PREPARAÇÃO PARA A VINDA DO SENHOR!

No próximo mês, para ser mais exato, no dia 01 de dezembro, começaremos a vivenciar o tempo litúrgico do Advento. Este tempo se estende até a tarde do dia 24 de dezembro e é um tempo de esperança, confiança e conversão. Mas, afinal, o que é para nós o Advento? Sempre que nos deparamos com essa pergunta, a resposta que segue é simples: é o tempo de preparação para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo. O Advento é, portanto, o tempo de desejo, de aspirações, de esperanças e expectativas. Só nos alimentamos, quando temos fome. Então, é necessário que tenhamos fome e sede de Deus. Deus não quer impor a sua graça às almas que não O desejam. Àqueles que têm fome, Ele enche de bens. No decurso dos quatro domingos do Advento, somos convidados a preparar os caminhos para a vinda do Rei da Paz. O Cristo Senhor, que há dois mil anos nasceu como homem, numa manjedoura em Belém da Judéia, deseja ardentemente nascer em nossos corações, conforme as santas palavras da Escritura: “Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, eu entrarei na sua casa e tomaremos a refeição, eu com ele e ele comigo” (Ap 3, 20). O Advento nos faz um convite à conversão e a mudarmos a nossa maneira de pensar, agir e sentir, preparando-nos para celebrar o Natal com coerência, acolhendo o Deus

Juventude

feito homem, a luz que veio a este mundo e que muitos não quiseram receber. Precisamos colocar-nos a caminho do bem, pois Cristo virá somente para aqueles que lhe prepararam um tempo e um lugar em suas casas, na comunidade e na

sociedade. A palavra de Deus que nos acompanhará nos domingos do Advento, nos ensinará que Jesus não veio somente uma vez. Ele continua vindo. Vem e está presente nos acontecimentos alegres e tristes da nossa vida; vem e está presente em tudo o que acontece no mundo e na Igreja; vem e está presente naqueles que difundem idéias novas, que anunciam palavras de amor, de paz, de reconciliação, naqueles que se esforçam para construir um

mundo novo. As leituras do Advento nos convidam para a vigilância, para manter nossos olhos bem abertos para poder descobrir e preparar os caminhos que Jesus escolheu para libertar-nos de todos os males nos quais buscamos a felicidade, mas que, em verdade, causam somente muitos sofrimentos. E para que a vinda de Cristo não nos surpreenda, a exemplo do que aconteceu com as jovens imprudentes da parábola de Jesus (Mt 25,1-13) precisamos colocar azeite em nossas lâmpadas. Esperar com alegria e discernimento, vigilância e cuidado, lendo os sinais dos tempos, percebendo os vestígios de esperança que tornam a vida mais humana. Revestir-nos da atitude de espera e não de entorpecimento. É nítido que Jesus vem e continua vindo; mas estamos nós prontos para reconhecê-lo? Sabemos descobrir a sua presença em qualquer acontecimento da vida? Não sentimos frequentemente medo de que a sua mensagem nos perturbe, que exija uma transformação demasiadamente radical dos nossos hábitos? Não preferimos, muitas vezes, fechar, nossos olhos e nossos ouvidos? Ficam estas questões para que cada um reflita e responda em seu coração.

Danilo Costa - Setor Juventude

O CAMINHO DO CORAÇÃO

FR. TÚLIO MARCOS, SCJ Pode-se definir espiritualidade como um caminho ou em outras palavras, uma maneira de caminhar, visto que Cristo é o caminho e a meta a ser atingida. Na Igreja existem várias espiritualidades, em outras palavras várias formas de se chegar a Cristo, como, por exemplo,por meio de uma Espiritualidade Franciscana (voltada para os pobres), Jesuíta (que possui como ponto central o serviço da fé), ou Dehoniana, dentre inúmeras outras. As várias e diferentes “espiritualidades” na Igreja não dividem, mas pelo contrário, enriquecem o caminho da vida cristã, com motivações, estratégias, momentos de pausa e de motivação, com vistas panorâmicas, objetivos e pontos de esforço. O objetivo é ajudar as pessoas que caminham a encontrar motivações para não se desviarem da meta certa, que é Cristo. Pode-se compreender espiritualidade ou um dom carismático na Igreja como: o fruto

de uma experiência de alguém que percorreu um caminho, (no caso dos exemplos acima citados, um

caminho trilhado por São Francisco, Santo Inácio e Pe. Dehon) e foram pessoas que alcançaram a meta. No caso da Espiritualidade Dehoniana, o Superior Geral, Pe Ornelas, diz: “Na hora da morte, Padre Dehon deu-nos uma

indicação que considerava essencial para compreender e viver a sua experiência espiritual: “Deixo-vos o mais maravilhoso dos tesouros, o Coração de Jesus” (Cf. Testamento Espiritual). Em tais circunstâncias, essa indicação não é uma simples ou piedosa recomendação, mas o núcleo da sua experiência pessoal; o que o motivou, amparou e iluminou na sua vida e no seu ministério, levando-o inclusive à fundação da Congregação.” Ter como herança o Coração de Cristo impele-nos a, percorrer a estrada da existência com coração livre e solidário, alegrando-nos e colaborando na transformação do mundo, tomando nós os sofrimentos dos companheiros de caminhada, sem desviar o olhar ou resignar-nos, sem recorrer à rebelião violenta ou à vingança destrutiva. Este é o caminho que Pe. Dehon trilhou e que nós, como filhos espirituais dele, queremos seguir.

04

O SENHOR VEM! (PROFETA ISAÍAS)

“Céus, gritem de alegria! Terra, alegre-se! Montanhas, rompam em aclamações, pois Javé consola o seu povo, e se compadece de seus pobres (49,13)”. Até os jovens se fatigam e cansam, e os moços também tropeçam e caem, mas os que esperam em Javé renovam suas forças, criam asas, como águias, correm e não se fatigam, podem andar que não se cansam (40,3031). A missão da comunidade de Isaías se inicia reacendendo a fé e a esperança de um povo abandonado, que há muito desistiu de acreditar em qualquer sinal de mudança... Por que Javé permite tamanho sofrimento e humilhação? ...o povo perdeu a fé e a esperança!... (voltemos a textos bíblicos) “Todos nós nos tornamos como homens impuros, nossas boas ações são como roupa manchada; como folhas todos nós murchamos, levados por nossos pecados como folhas pelo vento...” “Vós rejeitastes inteiramente vosso povo... a sua terra está cheia de prata e de ouro, e há tesouros sem fim.” “A sua terra está cheia de ídolos...” “Os mortais serão abatidos e o homem será humilhado...” O profeta anuncia a promessa; “...os povos virão em multidão: vinde, dirão eles, subamos à montanha do Senhor, à casa do Deus de Jacó: ele nos ensinará seus caminhos e nós trilhamos as suas veredas...” No capitulo 9, Isaías faz nossa alma se encher de alegria e esperança! “...o povo que andava nas trevas viu uma grande luz; sobre aqueles que habitavam uma região tenebrosa resplandeceu uma luz... porque um menino nos nasceu, um filho nos foi dado... e ele se chama; Conselheiro admirável, Deus Forte, Pai Eterno, Príncipe da Paz...” “Naquele tempo, o rebento de Jessé, posto como estandarte para os povos, será procurado pelas nações e gloriosa será sua morada. Naquele tempo, o Senhor levantará de novo a mão para resgatar o resto de seu povo.” E, no capitulo 12, o Profeta Isaías nos relata: “Eis o Deus que me salva, tenho confiança e nada temo, porque minha força e meu canto, é o Senhor, e ele foi o meu Salvador.” Entoemos, então, juntos, todos nós que acreditamos em Cristo Jesus, e que às portas do Advento, iremos recebê-lo com amor e esperança em dias melhores: “Cantai ao Senhor, porque ele fez maravilhas e que isto seja conhecido por toda a terra. Exultai-vos de gozo e alegria, porque é grande no meio de vós, o Santo de Israel!” (Is 56). LURDINHA GOMES


05

Novembro de 2013

O Rei Saul, nos diz a Sagrada Escritura, foi-se envolvendo em vários desacertos, por não ter docilidade em ouvir a voz de Deus, mesmo quando esta era claramente manifestada. Nas tentativas de agradar somente a seu povo, deixou de fazer a vontade de Deus. O Senhor retirou dele a força do Espírito e, em consequência, sentia-se oprimido por “maus espíritos”. Na busca de soluções para “acalmar os nervos do rei”, um dos seus servos anuncia: “eu vi um filho de Jessé de Belém: ele sabe tocar, é valente e bom soldado; fala bem e tem boa aparência, e o SENHOR está com ele” (1Sm16, 18). Referia-se a Davi, um simples pastor das ovelhas do rebanho de seu pai. Tocava lira, e o Senhor estava com ele. Esta habilidade para tocar, sob a força do Espírito Santo, fez com que ele fosse levado à presença do rei e, a partir daí, deu-se continuidade à realização de um grande projeto de Deus. Com o declínio de Saul, que culminou em sua morte, Davi, ungido de Deus, foi aclamado pelo povo como rei de

UM EXEMPLO PARA OS MÚSICOS!

Judá e, posteriormente, de Israel. Obviamente que, até que isso ocorresse, o ódio e a inveja por quem estava sob as bênçãos do Senhor moveram Saul a perseguir Davi incessantemente. Ele venceu todas as provações, porque se manteve forte na fé. Reinou por quarenta anos, nos quais foi vitorioso em muitas batalhas, conquistou Jerusalém, fazendo dela a capital de seu reino, instituiu lá o centro religioso, organizou um grande exército, organizou a liturgia com sacerdotes e cantores, tudo isso porque soube ouvir e obedecer a Deus. Mas Davi também errou. Caiu na tentação de praticar adultério com Betsabé, esposa de Urias, quando este estava em campo de batalha. Quando percebeu o que tinha feito, e as consequências de seus atos, Davi se viu imerso numa grande agonia, e nesse tempo de penitência,

compôs o belíssimo Salmo 50, o Miserere, que até hoje é entoado em nossas liturgias, sobretudo na Quarta-Feira de Cinzas. Aliás, a maior parte dos 150 salmos da

Bíblia são composições de Davi (entre 70 a 80 salmos). Não seria exagero dizer que Davi foi o maior ministro de música de que se tem notícia. Enfrentou muitas dificuldades, caiu várias vezes e se levantou, mas nunca deixou de crer e de bendizer o Santo Nome do Senhor. Ele o recompensou, concedendo-lhe a graça de deixar um forte legado e uma grande descendência, da qual, cumprindo-se a profecia, nasceu Jesus, o Salvador. Portanto, neste mês em que comemoramos o dia do músico, tomemos este exemplo e reflitamos com nossos grupos de música: Deus pode agir em nós, assim como agiu em Davi? Nos momentos de tribulação, somos capazes de aprender com os erros e de transformar o sofrimento em louvor? Quando tocamos ou cantamos a liturgia, conseguimos conduzir as pessoas à oração? Se suas respostas às questões acima forem “sim”, certamente é porque você também sabe dizer “SIM” à presença e à ação de Deus em sua vida. É de músicos assim que ELE e a Igreja precisam.

ANDRÉ LUIZ SILVA


Novembro de 2013

SENHOR TOMATE Batizados Matriz no 2º e 4º Domingos às 9h30 Santo Antônio 3º Sábado às 19h Santa Luzia 1º Sábado às 19h Imaculada 1º e 3º Domingo às 8h Rosário 3º Domingo às 17h Santo Expedito 2º Domingo ás 09h30

Encontro para Pais e Padrinhos em Novembro Dia 09 Rosário Sábado ás 14:00

Dia 23 Imaculada Conceição Sábado ás 14:00

Dias 27 e 28 Santo Expedito Quarta e Quinta ás 19:00

06

“Bendize, oh minha alma, ao Senhor. Do alto de vossas moradas derramais a chuva e do fruto de vossas obras se farta a terra. Fazeis brotar a relva para o gado e plantas úteis para o homem.” (Sl 103,1, 13-14). Oh abram alas, que ele vai passar! Sim, ele é todo corado, tem pele e esbanja conteúdo, no caso, nutrientes que ajudam a afastar o câncer e o colesterol alto. Em 1864, o inocente tomate saiu da fruteira e entrou para a História. Um não, alguns tomates. O italiano Antonio Latini os picou e os jogou na panela, receita simples, porém digna de revolução, atestam os anais da gastronomia. A fruta virara matéria prima de um molho. Bem sucedido em sua preparação, Latini incluiu o preparo no livro clássico Scalco Alta Moderna, no qual orientava tirar a pele e as sementes, para cozinhar com óleo, sal e ervas aromáticas. Depois de quatro séculos, os bioquímicos reconhecem que o mestre italiano não só criara o molho pomodoro, mas havia descoberto o melhor meio de transformar o tomate em alimento anticâncer. A vocação anticâncer vem de o personagem ser rico, mas muito rico, em licopeno, uma substância defensora do corpo humano. Ela fica dentro de cada uma das células do tomate e é liberada quando o calor rompe as estruturas. Por ser lipossolúvel, o licopeno dissolve em gorduras,

o que facilita seu transporte do intestino para a corrente sanguínea. E Daniela Caetano, consultora da Associação Brasileira de Nutrição, diz que a passagem do tomate para a

panela potencializa os seus efeitos. O licopeno é o pigmento que dá cor automática: quanto mais vermelho, mais concentração de licopeno. Em um novo estudo da Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, cientistas confirmaram, em laboratório, sua ação protetora em células da próstata. Na presença do licopeno, as células responsáveis pela inibição do crescimento tumoral ficam

inibidas. Ou seja, a tentativa de um câncer brotar é cortada logo na raiz. O oncologista Rodolfo Radke, da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre/RS, diz que, num ambiente cheio de licopeno, as células defeituosas tendem a interromper sua multiplicação desenfreada, o primeiro passo para a doença se desenvolver. O metido tomate se convida à cozinha não apenas por participar de expedição antitumoral. Pesquisadores da Universidade de Tufts, nos Estados Unidos, revisaram uma penca de estudos publicados nos últimos dez anos, e o resultado é que a ingestão diária de licopeno está associada à redução de vinte e seis por cento de doenças cardíacas. O licopeno evita a oxidação do LDL, colesterol ruim, processo que contribui para a formação de placas que entopem artérias. A Universidade de Harvard atestou que o consumo de tomate diminui células gordurosas circulantes em mulheres americanas onde o coração, a circulação e o cérebro ficaram melhores. LÚCIA GIAROLA

Carta a um(a) DROGADO(A): Lembra como tudo começou? Uma amostra inocente, sem m a i o r e s consequências... Tudo ficou colorido, brilhante, leve, alegre: do jeito que a vida devia ser sempre! Mas durou pouco e tudo voltou ao que era antes, meio sem sentido, meio estressante. Experimentou de novo: a satisfação foi maior, mais duradoura do que da primeira vez, embora, com um início de dependência. E assim, cada vez mais intensamente, você aguardava a oportunidade de usar de novo, de experimentar sensações sempre mais agradáveis e quase essenciais pra sentir-se bem, mesmo que a custo de sua liberdade de usar ou não, ou de sentir-se cada vez mais sedento de tais sensações. O desenrolar dos capítulos desta triste saga você bem sabe! O problema é que, agora, as coisas levaram você a uma encruzilhada de três opções: a

morte, a loucura ou a prisão. Providencialmente se pode acrescentar, para alguns poucos, uma quarta alternativa: a superação por meio da sobriedade. Morrer está muito comum em nossos dias, sobretudo da parte de alguns artistas e músicos, que escolhem o suicídio até por motivos banais, nem precisa ser uma doença incurável ou uma dívida impagável. Dizem que é menos sofrível, apesar de deixar os fãs meio órfãos e sujeitos a imitar o seu ídolo diante de alguns desafios comuns a todos os mortais. O segundo caminho é o de perder a auto-condução da vida, seja pela morte dos neurônios, seja pelas lesões irreversíveis que o uso de substâncias nocivas acarreta. Caise, assim, numa vida vegetativa, sem vontade própria, num hospital psiquiátrico ou num quartinho isolado. O terceiro e mais frequente dos caminhos escolhidos é o do crime e, cedo ou tarde, a cadeia ou

penitenciária. Ali se aprende, com rapidez, como não reeducar-se e como piorar cada vez mais, salvo algumas honrosas exceções. Mas PODE SER DIFERENTE, mesmo que para isso se tenha que lidar com a ‘bendita’ síndrome de abstinência, a dolorosa renúncia. Aqui cabem duas observações: 1ª = a fissura passa com o tempo, se você souber resistir um pouco. É difícil, exige esforço, mas é muito gratificante perceber que não era tão impossível assim! 2ª coisa= cuidado com o vazio, que precisa ser preenchido com coisas, pessoas ou atividades saudáveis e promissoras. ESSE VAZIO É UM PERIGO! E nada melhor do que ocupar a mente e o corpo pra encher o vazio e alcançar a sobriedade, o bem-estar. Busque apoio nos diversos grupos que existem perto de você (AA, NA, etc). Trate de viver, esforce-se por ser feliz! (Baseado em RUBEM ALVES.)


07

DIZIMISTAS

Novembro de 2013

ANIVERSARIANTES DE

ADAIL DOS SANTOS FARIA ADAIR DOS SANTOS CARVALHO ADAIR LINDOLFO DA SILVA ADELAIDE FARIA DA CUNHA AGOSTINHO DE PAULA RAMOS AGOSTINHO TELES DE CASTRO JUNIOR AIDA BATISTA DE SOUZA AIDE MARIA DE FARIA ALEKSANDRA SAPUCAIA OLIV. CUNHA ALINE CLEMENTINA DOS SANTOS ALINE DIVINA RODRIGUES AMELIA GONCALVES DOS SANTOS AMERICA FERREIRA FERNANDES ANA CONCEICAO RANGEL ANA CRISTINA DE CARVALHO GARCIA ANA LUCIA DE AGUIAR ANA MARIA SILVA PIRIS ANA RITA DE MORAES ANDERSON DE OLIVEIRA ALVES ANDERSON JOSE DE SOUZA ANDERSON MARCELINO RIBEIRO ANDRE LUIZ DA SILVA ANEZIA RODRIGUES BELO ANTONIA MARTA FONSECA ANTONIO CARLOS DA SILVA ANTONIO CARLOS LIMA ANTONIO FERNANDES DA SILVA ANTONIO FRANCISCO DE ASSIS ANTONIO LOPES NUNES ANTONIO NUNES DA SILVA APARECIDA CLEUSA COUTO OLIVEIRA APARECIDA DE FATIMA COSTA APARECIDA FATIMA DA SILVA ARLEM DOUGLAS VELOSO ARLEN RODRIGO DE MENDONCA ARNALDO PEREIRA DA COSTA BENEDITA MARIA BORGES BIANCA VAZ DE OLIVEIRA BRENO COUTO BELO CAMILO XAVIER DE FARIA CARLOS HENRIQUE SILVA VELOSO CARLOS ROBERTO NUNES CAROLINA RODRIGUES COUTO CELIA MARIA RODRIGUES DE SOUZA CESAR AUGUSTO ANDRADE CESAR GERALDO DE CARVALHO CHERAZAIDE PEREIRA DINIZ CLARIANA BEATRIZ ALVES OLIVEIRA CLAUDIA MARIA BORGES CLAUDIO ADRIANO DE FARIA CLAUDIO FRANCISCO DA SILVA CLAUDIONICE TOME DA SILVA OLIVEIRA CLEUZA MARIA DE OLIVEIRA CONCEICAO APARECIDA DE MELO CRISTIANE ANTUNES COUTO CARVALHO DAIANA PRISCILA DA SILVEIRA DALVA MARIA RODRIGUES DA COSTA DANIEL ADAO DE OLIVEIRA DANIEL JOSE DO NASCIMENTO DENIS ANDERSON ATANAZIO DENISE LEAL PEREIRA SILVA DEOMAR MAURA DE MELO DEOVANE CARLOS DE ARAUJO DIEGO MENESES SILVA DIVINO LIMA SOUTO DORALICE MARIA DE MENDONCA DORALICE MARIA SILVA DORALICE VELOSO VIEIRA EDILCEIA DUTRA EDILEIA MARIA PACHECO EDINEIA MARIA FONSECA EDMAR SANTOS DA SILVA EDMUNDO JOSE RAMOS EDNA MARIA DAMACENO EDSON VITAL DOS SANTOS ELBA MARIA RIBEIRO ELIANA APARECIDA DE MORAES ELIANA BARBOSA ELIANA MARCIA AVELAR RODRIGUES ELIANA RESENDE BORGES ELIAS MELO VIEIRA ELIZABETE GEREMIAS ELIZABETH APARECIDA GUIMARAES SILVA ELZA ELIAS EMERSON DE MELO RANGEL EMIR NOGUEIRA VIEIRA ENIO CLARIANO PEREIRA ERICA CASSIA DA SILVA FRAGA ESTELINA DO NASCIMENTO PINTO EUFRASIO TEIXEIRA TATAGIBA EUGENIO GININHO VILELA EUNICE MARIA DE SOUZA EVA DE FATIMA ALVES EVERALDO ALVES PACHECO EZEQUIEL RODRIGUES DE FARIA FABIO ANTUNES PARREIRA FERNANDO ALVES CAMPOS FERNANDO SILVA DE SOUZA FERNANDO SILVA DE SOUZA FLAVIA REGINA CAMPOS VELOSO FLAVIO BUENO FERREIRA FLAVIO VIEIRA FRANCISCA CARLOTA DE FARIA FRANCISCO FERREIRA DA COSTA FRANCISCO LEOGINO DE MENDONCA FREDERICO BARBOSA NOGUEIRA GEOVANE CALIXTO SILVA GERALDA DE SA ALMEIDA GERALDA VALADAO RODRIGUES GERALDO CUPERTINO DA CUNHA NETO GERALDO MAGELA DE MOURA GERALDO TOME DA SILVA GIANCARLO SILVA TIAGO GILMAR LOPES DA SILVA GILSA ALVES CELESTINO GIOVANI DE OLIVEIRA

GISLAINE PEREIRA BELO HAYANDRA JUNIA FONSECA HELOISA HELENA DA COSTA HELOISA SILVA DE SOUZA HELOIZA RIBEIRO PEREZ HENRIQUE JOSE SILVA HILDA MARIA DUARTE HILDA VITORIA TEIXEIRA PEREIRA HOMERO DA SILVA INES DA ROCHA IODETE NEREIS RODRIGUES IOLANDA LIMA FERREIRA IONE DE JESUS DA SILVA IRACI DE MELO FERREIRA IRAIDES HENRIQUE LUIZ ISAURA MARTINS SOUTO ITAMAR ALVES DE MORAES IVA DOS SANTOS MENEZES PINTO IVANA MELO DE SOUZA IVO MARTINIANO DA SILVA IVONE DE SOUZA BRITO IVONE MARIA DA SILVA FERREIRA JAIR JOSE DE OLIVEIRA JAIR LUIZ FERNANDES JAMIL GOMES DE OLIVEIRA JAMIR CARVALHO DE SOUSA JANETE MARIA DE MOURA FREITAS JOANA DARC SILVA JOANA DE CASTRO LEAL JOAO ASSIS DA SILVA JOAO BATISTA DOS SANTOS JOAO DOMINGOS DE ALMEIDA JOAQUIM LUIZ MENDONCA FILHO JOAQUIM PEDRO DA SILVA JONAS WENCESLAU DE SOUZA JORDANA SANTOS KALLAS JORDANO FONSECA SILVA JOSE AFRANE RIBEIRO JOSE DONIZETTE DA SILVA JOSE DOS SANTOS DE SOUZA JOSE HUMBERTO DE SOUZA JOSE MARIA DA SILVA JOSE MARIA DA SILVA JOSE MARIA DO COUTO JOSE MONTEIRO DA SILVA JOSE PEDRO VALADAO JOSE QUINTILIANO FERNANDES JOSIANE FATIMA ROCHA JOSIMAR OLIVEIRA NUNES JULIA ROSALIA BUENO JULIETA PEDROSA DE BRITO JULIO CESAR MENDONCA BOTRELL JULIO CESAR SAMPAIO JUSSARA OLIVEIRA PRACA KATIA DIAS MANSO KEILA JULIANA ARANTES LAURO REIS LAZARINA ADRIANA SILVA LIMA LEONARDO ANTONIO VELOSO LIDIANE SUELEN DE OLIVEIRA LINDEIA DA SILVA CASSIANO LIRA ANDAIA DA SILVA LOURDES CARVALHO ANTONIO LUCAS VENCESLAU LUCIA DA SILVA LUCIA HELENA FRADE LUCIANA PEREIRA FONSECA LUCIANA SOARES MELO LUCIANO FERREIRA JUNIOR LUCIENE DOS REIS CUNHA FELICIO LUCIMAR DA SILVA LUCIMAR DA SILVA COUTO LUCRECIA JULIA LAUDARES LUIZA DE PAULA CASTRO GONCALVES LUTERIO DE FREITAS COSTA LUZIA BARBARA NASCIMENTO LUZIA DE PAULA DA FONSECA RODRIGUES LUZIA DE SOUZA DO COUTO LUZIA GOMES NASCIMENTO MAGALI ELIANA BORGES DE SOUZA MAGALI ELIANA BORGES SOUZA MAGNO KLAYTON DE SOUZA MAIR DE SOUZA MARA LUCIA ALVARENGA CARDOSO MARCI MARIA DA SILVA MARCIA GEREMIAS MARCIA GIAROLA MARCIO JOSE RIBEIRO MARCIO LOPES MARCOS ANTONIO FERREIRA MARCOS ANTONIO LOPES MARCOS ANTONIO PARREIRA MARDEL GUIMARAES DE MOURA MARGARIDA FERREIRA DO COUTO MARGARIDA MARIA DA SILVA MARGARIDA RESENDE DE MORAIS MARIA ALICE SILVA MARIA AMELIA DE MELO RANGEL MARIA ANGELA RODRIGUES MOTA MARIA ANTONIA PEDROSA MARIA APARECIDA EUFRASIO TEIXEIRA MARIA APARECIDA FERREIRA MARIA APARECIDA GONDIM GOMES MARIA APARECIDA PINTO MARIA APARECIDA RAMOS SILVA MARIA AUXILIADORA ALVES DA SILVA MARIA CONCEICAO DE MELO FERREIRA MARIA DA CONCEICAO FIALHO MARIA DA CONCEICAO RIBEIRO MARIA DA CONCEICAO SILVA MARIA DA GLORIA FERNANDES MARIA DA PENHA OLIVEIRA MARIA DAS GRACAS ALMEIDA COUTO MARIA DAS GRACAS DAMACENO MARIA DAS GRACAS FRADE LOPES MARIA DAS GRACAS TEIXEIRA DANTAS MARIA DE CASSIA CAIRES ROCHA

NOVEMBRO

MARIA DE LOURDES ARANTES MARIA DE LOURDES DA SILVEIRA MARIA DE LOURDES OLIVEIRA CUNHA MARIA DO CARMO SILVA CASTRO MARIA DO CARMO SILVA SOUZA MARIA DO CARMO VIEIRA MARIA ELIZABETE COSTA PIERONI MARIA ESTERLITA MENDONCA MARIA EULALIA FERREIRA MARIA GERALDA VIEIRA MARIA GOMES RAMOS MARIA HELENA DE FARIA MARIA HELENA RODRIGUES O. NUNES MARIA HELENA SILVA COUTO MARIA HELENA VAZ DE OLIVEIRA MARIA IGNEZ MENEZES MARIA JOSE ARANTES MOURA MARIA JOSE DE ASSIS MARIA LESIR ALVES MARIA MARLENE SILVA MONTEIRO MARIA RODRIGUES FELIPE MARIA ROSA DE MENEZES MARIA ROSA DE OLIVEIRA MARIA SONIA FIGUEIREDO MARIANGELA VILANO GUIMARAES MARILIA DE FATIMA RIBEIRO COUTINHO MARISA DE OLIVEIRA MARISLEIA VAZ DA SILVA FARIA MARLENE ALVES PACHECO MARLENE DA SILVEIRA RAMOS MARLENE SILVA ARANTES MARLI APARECIDA PEREIRA MARLI MARIA ARANTES RODRIGUES MARLI RAIMUNDA MARLI RITA DA SILVA MAURICIO ROCHA FILHO MOISA MONIZ MONALIZA APARECIDA VALADAO NASCIMENTO DONIZETE FLORENCIO NEIDE DAS GRACAS PAIM NEIDE NANCY DA SILVA DE SOUZA NELSON DOS REIS GONDIN NEUSA MARIA DA SILVA NILTON VALERIO DA SILVA NILZA DE ALMEIDA NUBIA LARISSA DE MENESES ODORICO SIMAO DE BRITO FILHO OLEMAR TEIXEIRA MALTA OLIVIA GONCALVES SEGUNDA PAULO ANDRE DUARTE VAZ PAULO ROBERTO DE CARVALHO PLINIO CESAR DE OLIVEIRA REINALDO VILANO REJANE APARECIDA DE MORAES RENATA APARECIDA DE MOURA RENATO VAZ DE CAMPOS RIBEIRO RICARDO MARTINS PACHECO RODRIGO JOSE DUARTE ROGERIO ALMEIDA ROCHA ROGERIO SILVA NOGUEIRA RONY KELTO LIMIRIO GONCALVES ROSA AMELIA DE SOUSA ROSANA FERNANDES SILVA ROSANGELA DE FARIA ROSANGELA DE FATIMA OLIVEIRA ROSANGELA DE OLIVEIRA GOMIDE ROSANGELA SANTOS ROSANI GONCALVES SOARES ROSELI BENTA SILVA PIRES ROSELY SILVA MELO ALBANEZ ROSEMEIRE DE PAULA MANOEL RUBENS PIMENTA DE SOUZA FILHO SAMUEL COSTA NUNES SANDRA APARECIDA SILVA SEBASTIANA DA SILVA OLIVEIRA SEBASTIAO FERREIRA SELMA DA SILVA SERGIO REIS DA SILVA SERGIO RODRIGUES SILVANA APARECIDA SILVA SILVANA APAREIDA DA SILVA SILVANA APDA SILVA OLIVEIRA SILVIA MARIA DE PAULA SIMAO DA SILVA SIRLEI CARVALHO FONSECA SIRLENE CARMEM DA SILVA SONIA MENDONCA PIRES TANIA AMALIA BARBOSA TANIA MARIA COUTO AZEVEDO TERESA CRISTINA RODARTE COSTA TEREZINHA TEIXEIRA MATEUS TEREZINHA VELOSO TIAGO MAGNO SILVINO TIAGO RODRIGUES VIEIRA TULIO CESAR RODRIGUES SILVA VALDETE PEREIRA DA SILVA VALDIRENE GONCALVES GOULART VALERIA CRISTINA DO NASCIMENTO VALERIA LUCIA DE JESUS VALMIRA CAROLINA DE OLIVEIRA VALQUIRIA MARIA DA SILVA VALTER SILVA DA LUZ VANDER LUCIO DA SILVA CASTRO VERA LUCIA ALVARENGA NUNES VICENTE CARLOS NETO VICENTE RODRIGUES DE CASTRO VICENTE VELOSO COSTA VICENTINA LUIZA PIMENTA VILMAR ONOFRE DE OLIVEIRA VITOR DE CASTRO BELO VITORIA ANDRADE COSTA VITORIA DAS GRACAS SOUZA VIVIAN APARECIDA PICARDI WAINE JORGE FONECA WASLEY HIGINO PEREIRA WAYSLAN LUIS PINTO WESLEY COUTO OLIVEIRA WILMA ALVES MATOS ZENILDA GUIMARAES GOMES ZILDA DE FATIMA VELOSO PEREIRA

Dizimista, continue a construir a Igreja do Senhor! Feliz Aniversário!

É bom lembrar!!! Data

01 02 03 04 05 06 07 08 09

S S D S T Q Q S S

10

D

11 12 13 14 15 16 17 18 19 20

S T Q Q S S D S T Q

21 22 23 24 25 26 27 28 29 30

Q S S D S T Q Q S S

Hora

Agenda Paroquial de Novembro Atividade

Local

08:00

Finados- missa Cemitério

Rosário

14:00

Oficína de música para Advento e Natal Avaliação e calendário 2014 MEP Almoço do EAC Encontro de Coordenadores Paroquias de Catequese

Salão Paroquial Salão Paroquial Vicentão Luz

12° Encontro projeto Resgate 12° Encontro projeto Resgate

Salão Paroquial Salão Paroquial

Reunião Liturgia - preparação Advento e Natal CEPAE CPE Dia mund. de Oraç. e ação pelas crianças Past Criança

Salão Paroquial

15:00

Crisma Encerramento do ano da fé - Festa de Cristo Rei

Vicentão Matriz

19:00

Reunião para coordenadores da Catequese paroquial

Salão Paroquial

Assembléia paroquial da Catequese

Salão Paroquial

08:00

19:00 20:00

Matriz

Assista o Programa Fala Sério! Na TV Oeste todas os Sábados às 13h com reprise no Domingo às 11h e Quarta-feira às 21h30

Nossos patrocinadores: Transportes de passageiros, cargas, encomendas e turismo Formiga São Paulo B.Horizonte Campo Belo

Minas Comercial Materiais de Construção R u a : Av. G u i o m a r G a r c i a N e t o, 2 0 5 , C e n t r o Fone: 3322-2960

Vista-se bem...para ser bem visto

R. Barão de Piunhi, 53- Formiga Fone: 3322-1308 - Fax: 3322-1843

CASA 505 Temos o presente que você procura pelo preço que você deseja. Fone: 3321-2877


Novembro de 2013

FESTA

DE

NOSSA SENHORA APARECIDA

08


04/11 MARIA APARECIDA PEREIRA DA CRUZ ACOLHIDA ANIMADOR: Caríssimos Irmãos e Irmãs, estamos iniciando nossos Encontros do Mês de Novembro: Mês das Almas, Mês de Todos os Santos. É nosso dever e uma atitude de muita piedade, rezarmos pelos nossos mortos, por aqueles que aqui estiveram e hoje já estão na Casa do Pai. Para nós, todos são santos, pois a grande misericórdia do Senhor há de ter perdoado os pecados daqueles que, ainda aqui, se arrependeram e pediram perdão. Iniciemos, cantando: Em nome do Pai... PEDIDO DE PERDÃO ANIMADOR:Deus é perdão, é amor, é misericórdia. Ele não olha o tamanho do nosso pecado, mas a profundidade do nosso arrependimento e compromisso. Sabendo de tudo isso, pedimos a Deus que perdoe os nossos pecados e nos conceda a Sua bênção misericordiosa, para alcançarmos a vida eterna. TODOS:Perdão, Senhor, tenha misericórdia de todos nós! LEITOR 1. Sempre, no primeiro dia de novembro, comemoramos o Dia de Todos os Santos. Nós também somos chamados à santidade, e, para isso, Jesus estabelece para nós condições indispensáveis para ingressarmos em Seu Reino. São propostas que, cumpridas, nos levam a uma vida de santidade. Esta é nossa vocação: a busca de uma vida santa. Os destinatários da salvação são as multidões, quer dizer, todos nós. TODOS: Ser santo deve ser a nossa meta de vida. LEITOR 2. Sabemos que não temos aqui na terra uma morada definitiva. Caminhamos para o amanhã de nossos dias e o nosso destino, nosso objetivo principal é o Reino de Deus. A nossa santidade é construída no dia – a dia, em nossas tarefas e no

Todos os Santos glória de Deus é que Seus filhos vivam” e não que sobrevivam! A PALAVRA DE DEUS ANIMADOR: Os santos e santas não são seres privilegiados que podiam ficar sem comida e não sentir fome, nem que viviam sem dor ou sofrimento. Eram pessoas sujeitas à solidão, cansaço, lágrimas, mas o que os diferenciava era a entrega total a Deus, firmeza em suas opções e ausência de pecado. Cantemos: Jesus Cristo é o Senhor... Ouçamos: Apocalipse 7, 9 – 11.

compromisso com o Evangelho de Jesus Cristo. Para sermos santos, não bastam as preces e orações, mas uma fé com obras, pois, se assim não for, nossa fé será vazia. Somente com as nossas boas obras, preparamos a nossa bagagem para a vida eterna, rumo ao Céu. TODOS: Deus nos chama à santidade e nos dá condições para que isso aconteça. LEITOR 3. É Deus que nos santifica, e devemos tornar nosso modo de agir de tal maneira, que a nossa vida corresponda à dignidade de sermos santificados por Ele. Os santos desfrutam da alegria de estar junto a Deus, de ver Deus e são modelos a serem imitados por nós. É preciso viver buscando a santidade em todas as situações que vivemos e em todos os lugares que frequentamos. Nossa bandeira de vida deve ter o lema: “Ser perfeito como o Pai é perfeito.” TODOS: Para seguirmos os exemplos dos santos, torna – se necessário que estudemos suas vidas. LEITOR 1. Celebrar Todos os Santos é celebrar a santidade de Deus que manifesta em seus filhos e filhas.

Só Deus é santo, mas nós somos sua imagem e semelhança e, por isso, chamados à santidade. Deus é amor e quanto mais vivemos no amor, mais nos assemelhamos a Ele. Como podemos ser santos no mundo de hoje, cheio de conflitos, contradições e desafios? Agindo como os santos, que não foram pessoas caladas e, sim, se posicionavam frente aos conflitos sociais, religiosos, políticos. Viver na santidade é viver na oração, no silêncio, mas não se calar diante das injustiças e opressões. TODOS: Os santos não foram super-heróis, mas, dentro da sua fragilidade, confiaram na força de Deus. LEITOR 2. Nos nossos dias, vivemos a desigualdade que atinge a tantas pessoas, privando – as da sua humanidade, dificultando para elas o trabalho, o alimento, a assistência social, a saúde, a educação, a moradia, a dignidade e a possibilidade de serem livres e felizes. Nós, como os santos, não devemos ter medo de assumir o escândalo da cruz, a glória da ressurreição ou até as perseguições e o martírio. TODOS: Santo Irineu nos diz: “A

PARTILHA ANIMADOR: 1. Quem era essa multidão? 2. O que significa a veste branca que eles traziam? 3. Alguém explica o que quer dizer: “A salvação pertence ao nosso Deus” PRECE TODOS: Pai Altíssimo, estamos vem aos vossos pés, implorar a Vossa ajuda, para que saibamos nos conduzir nesta vida, seguindo os ensinamentos de Vosso Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo e nos orientando pela vida de vossos santos, que habitam no Céu, e nos deixaram o exemplo de suas vidas santificadas. Divino Espírito Santo, pedimos o discernimento, para entendermos a mensagem do Evangelho e, assim, chegarmos à glória eterna. Amém! Cada um diga o nome do Santo de sua devoção, e todos respondam: Rogai por nós! ENCERRAMENTO ANIMADOR: Buscar a santidade é ser feliz, é amar, é vencer o medo, assumindo as consequências do amor a Deus e aos irmãos. Tudo o que Deus pede a nós é possível. Sejamos como os santos que, sendo criaturas frágeis, foram capazes de superar os desafios, com o amor que santifica, chamando sempre Deus de Pai. CANTO: Hino a São Vicente.


Novembro de 2013

11/11 ACOLHIDA ANIMADOR: Irmãos e Irmãs em Cristo aqui reunidos, meditaremos hoje sobre o maravilhoso poder do perdão. Que paz experimenta o homem que consegue perdoar o irmão que o ofendeu, o desprezou! Perdoar é um ato de amor, sendo, também, uma observância à Lei de Deus, que manda que amemos nossos irmãos incondicionalmente. Iniciemos, invocando a Trindade Santa... Em nome do Pai... PEDIDO DE PERDÃO ANIMADOR: Como haveremos de chegar até Deus, com nosso pedido de perdão, se não estamos dispostos a perdoar as fraquezas dos outros? Senhor, dai – nos o Vosso perdão, por todas as vezes que, nós, míseros pecadores, não tivemos a humildade, a capacidade de renúncia ao egoísmo e ao orgulho, negando o perdão a nossos irmãos. TODOS: Eu, pecador, me confesso a Deus... LEITOR 1. A grande fonte de perdão é a caridade. Perdoar é um dos atos básicos da fé cristã,

E-2

O poder do perdão pois a nossa entrada na vida, que Jesus Cristo nos ofereceu, só foi possível porque recebemos o perdão de nosso Pai, o Deus de Bondade. Ele nos perdoou pela obra de Seu Filho feita na Cruz, em nosso favor. Amor e perdão sempre caminharam juntos. Perdoar é um mandamento da Palavra de Deus, não é um sentimento, nem depende da nossa vontade ou emoção. Em Efésios, lemos: “Sede uns para com os outros, benignos, compassivos perdoando – vos uns aos outros como Deus vos perdoou.” TODOS: E, em Colossenses: “Assim como o Senhor nos perdoa, perdoai também vós”. LEITOR 2. Quando Deus nos perdoou, Ele nos chamou para uma nova vida, onde reina o amor e o perdão. Assim, também nós devemos perdoar a quem nos ofende . O perdão de Deus deve gerar em nosso coração o desejo de perdoar sem medidas. O significado de perdoar é deixar de considerar o outro com desprezo ou ressentimento. É ter compaixão, deixando de lado toda idéia de vingança .

TODOS: Perdoai as nossa ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido. LEITOR 3. Devemos perdoar sempre, mas há dois momentos em que o perdão se faz mais presente e assim nos aproxima mais de Deus. O primeiro, é na hora em que fomos atingidos, injuriados, maltratados, ofendidos, perseguidos. Devemos perdoar no mesmo instante e ainda rezar por essa pessoa. O segundo momento é quando o ofensor nos pede perdão. Deve ser uma atitude imediata e sem guardar ressentimento. TODOS: O perdão resulta de colocar a nossa vontade sob a vontade de Deus. LEITOR 1. Perdoar é essencial ao nosso bem estar e ao testemunho da Igreja. O verdadeiro perdão está intimamente ligado ao amor fraterno, pois ele vem do fundo da alma e não permite que cultivemos o ódio e o rancor. Quando adquirimos a consciência de que Deus habita em nós, é aí o caminho do perdão verdadeiro. TODOS: Perdoar é assemelhar – se a Deus. LEITOR 2 Quando alguém nos ofende, nem sempre é o nosso coração que se sente ofendido, é o nosso orgulho que se sente ferido. É nessa hora que temos que fazer um esforço enorme, para podermos deixar o orgulho de lado, junto com o rancor, a mágoa, o ressentimento e o desejo de vingança. A melhor vingança para com quem nos ofende é, junto com o perdão, fazer a ela um favor, mas de coração e não de fachada. Parece difícil perdoar, mas temos que admitir que, muitas vezes, só queremos revidar os atos agressivos e não os atos de amor. TODOS: Para conhecermos o perdão e o amor, é

preciso que nos perdoemos primeiro. A PALAVRA DE DEUS ANIMADOR: O perdão é fundamentado no amor e sustentado pela caridade. Muitos afirmam: “Não levo desaforo para casa, perdão é coisa de gente boba, fraca, medrosa”. Nada disso. Perdoamos para cumprir um pedido de Deus. Todos somos imperfeitos e passíveis de erro. Estamos sempre precisando do perdão dos outros, por isso, pensemos que o outro também precisa do nosso perdão. Aceitemos nossos irmãos com os defeitos e as virtudes. Cantemos: Palavra não foi feita para dividir ninguém... Ouçamos: Lucas , 17 , 3 e 4 PARTILHA ANIMADOR: 1 . O perdão não é fácil. Como preparar o nosso coração para o verdadeiro perdão? 2 . É comum dizer: “Perdoar eu perdôo, mas não quero ver essa pessoa mais”. Perdoamos ou não? 3. O que é o perdão para cada um de vocês? PRECES TODOS:Senhor, nesta oração queremos Te pedir o dom do amor. Não queremos odiar as pessoas, nem julgar, nem jogar pedras. Não queremos ser o acusador, nem sermos hipócritas em apontar os erros dos outros, como se não tivéssemos os nossos. Obrigado, Senhor, por nos perdoar e nos ensinar a perdoar os outros. Amém! Pai Nosso, Ave Maria, Salve Rainha ENCERRAMENTO ANIMADOR: Muitas vezes, antes de perdoarmos os outros, devemos perdoar a nós mesmos. Habitualmente somos mais duros conosco do que com os outros. Recordemos que Cristo nos perdoou e precisamos sentir que Ele nos ama e é misericordioso. Tudo depende do nosso arrependimento e do nosso compromisso de não repetirmos o erro. Precisamos ver como somos aos olhos de Deus e não segundo nossos incorretos sentimentos. Deus é Pai. CANTO: Me chamaste para caminhar...


E-3

Novembro de 2013

18/11 ACOLHIDA ANIMADOR: Caros Irmãos e Irmãs da Comunidade, o que vem a ser o medo? É a falta de confiança em nós mesmos e nos outros E, por isso, temos muitos medos. No mundo de hoje, o que mais nos amedronta é a violência que se instalou no mundo e, com a força do demônio, domina. Para vencer esse grande mal, só nos apegando a Deus, que, com Sua bondade, pode mandar que Seus Anjos nos protejam. Iniciemos, invocando o Espírito Santo, para que Ele nos livre de todos os nossos medos:

Não tenhais medo vinda do Espírito Santo, em Pentecostes. Alguns estudiosos da Sagrada Escritura afirmam que a frase “Não tenhais medo”, é encontrada 366 vezes. Se levarmos em conta que o ano tem 365 dias e o bissexto mais um, somos advertidos a não ter medo, pelo menos uma vez por dia. TODOS: Quantas coisas boas deixamos de viver por medo!

TODOS: Hoje não teremos medo, confiaremos no Senhor! LEITOR 1. Maria, ao receber o Anjo que lhe anunciou Jesus, ouviu essa palavras: “Maria, não temas”. E ela, com coragem, aceitou o presente que Deus lhe mandava. Também nós, não tenhamos medo, escancaremos as portas do nosso coração a

TODOS: Vinde, Espírito Santo... Em nome do Pai...

PARTILHA ANIMADOR: 1. Por que os discípulos tiveram medo ao ver Jesus andando sobre as águas? 2. Pedro ia andando sobre as águas e, de repente, afundou. Por que isso aconteceu? 3. Que mensagem podemos tirar desse trecho de São Mateus?

TODOS: (Cantando) Piedade, piedade, piedade de nós (2 vezes)

TODOS: Muitas vezes não conseguimos controlar o nosso medo! LEITOR 2. Pedro, quando andou sobre as águas ao encontro de Jesus, teve medo e começou a afundar, gritando: “Senhor, salva – me”. Jesus ao salvar Pedro, perguntou: “Por que duvidaste?”. Bem sabemos que Pedro não era um exemplo de coragem, pois teve medo e negou Jesus por três vezes. Mas foi perdoado e curado com a

A PALAVRA DE DEUS ANIMADOR: Na nossa vida existem momentos semelhantes aos que os discípulos passaram, assustando-se ao ver Jesus caminhando sobre as águas. Momentos em que somos dominados pelo medo, pelos “monstros” que aparecem em nossos caminhos. São muitos os motivos que nos impedem de ver a realidade, bloqueiam os nossos sentidos e o nosso coração e, assim, ficamos com medo e impossibilitados de “ver” Jesus. Cantemos: Toda Bíblia é comunicação... Ouçamos: Mateus 14, 25–32

PEDIDO DE PERDÃO ANIMADOR: Se podemos confiar em Deus, por que tanto medo? Mesmo se matarem nosso corpo, Deus nos dará a vida eterna. Senhor Jesus, tirai de nós nossos medos e perdoa– nos, por tantas vezes que não tivemos fé suficiente, para nos entregarmos totalmente à Vossa Misericórdia, vencendo os nossos medos.

LEITOR 1. É difícil quem diga que não tem nenhum medo. Há medos que duram um momento e outros que duram a vida inteira. Pessoas que têm medo de escuro, de altura, de animais, de fantasmas, de ladrões, de morte e de mortos. A Bíblia nos fala de várias situações de medo. Quando os discípulos enfrentaram uma tempestade em alto mar, e Jesus dormia, eles acordaram Jesus dizendo: “Mestre, salva – nos”. E Jesus perguntou: “Por que este medo, gente de pouca fé?” E aí Ele acalmou o vento e o mar.

nossos medos!

LEITOR 3. Jesus, que acalmou o mar, curou os doentes, libertou muitos do pecado e do maligno, venceu a morte que causa tanto medo às pessoas, hoje está dizendo para nós: “Não tenhais medo”. Não importa quais sejam os nossos medos, vamos colocar todos aos pés de Jesus e pedir a Ele que nos liberte. Assim como Ele libertou Pedro de seus medos, fazendo dele um homem valente, que não temeu nem mesmo o martírio, que Ele nos faça novas pessoas, impulsionadas pelo poder do Espírito Santo e confiantes na Palavra que cura e liberta.

Jesus, ao Seu poder salvador. Só Cristo sabe o que vai dentro do homem. Quantas pessoas ignoram que trazem Jesus em seu coração e não conseguem encontrar o sentido da vida, deixando-se invadir pela dúvida, que se transforma em desespero. Alguns acham que, ao se entregarem a Deus, perderão muitas coisas. Pelo contrário, Deus não nos leva nada, nos dá tudo . “Não tenhais medo” são palavras de encorajamento, da certeza que precisamos ter de que Deus está sempre conosco, nos amparando e protegendo. TODOS: Jesus dai-nos coragem para vencermos

PRECE TODOS: Senhor Jesus, não permitais que choremos por medo de coisas que ainda não conhecemos. Não deixeis que ventos contrários nos façam afastar de Vós; queremos sentir Vossa presença no meio das tempestades e das ondas furiosas que invadem nossas vidas. Mestre deixai que seguremos em Vossas Mãos, para alcançarmos o porto seguro. Que o Santo Sacramento, na forma do Pão e do Vinho, nos traga a coragem para nos entregarmos a Vós. Amém! Pai Nosso, Ave Maria, Salve Rainha. ENCERRAMENTO ANIMADOR: Confiemos em Jesus, pois, nos momentos de tribulação, Ele não deixa que cerremos nossos olhos, mas faz que O vejamos bem junto a nós. É preciso estar sempre atentos aos Seus sinais, para que possamos, ter sempre em nossos corações, a certeza de que Ele está no meio de nós. Tenham todos uma semana abençoada! CANTO: Pelas estradas da vida...


Novembro de 2013

25/11

E-4

Jesus Cristo, Rei do Universo

ACOLHIDA ANIMADOR: Caros amigos e amigas, estamos encerrando hoje nossos Encontros do Mês de Novembro e o fazemos com a reflexão da mais bela das comemorações da Igreja: a Festa de Jesus Cristo, Rei do Universo. Ele é o nosso Rei, Aquele a quem tudo pedimos e temos muito a agradecer; portanto, a Ele a nossa homenagem. Iniciemos cantando: Em nome do Pai...

TODOS: Proclamar Jesus Rei do Universo é uma questão de fé, pois as forças do mundo são passageiras. LEITOR 3. A Festa de Cristo Rei foi uma das últimas celebrações instituídas pelo Papa

anunciar a verdade e a conversão. TODOS: A verdadeira conversão vem do nosso coração! LEITOR 2. Jesus Cristo, como testemunha da verdade, veio revelar, com a própria vida, o

PEDIDO DE PERDÃO ANIMADOR: Cristo, Rei do Universo, vem nos dar o Seu perdão, pois, não O aclamamos como devíamos e deixamos de adorar a Sua Pessoa Santa e não confiamos plenamente em Sua Majestade Divina. Não nos deixeis esquecer que, como Rei, o Senhor tudo pode tudo sabe, tudo perdoa e tudo compreende.

TODOS: Jesus é Rei pela paz, pela unidade, pela reconciliação e pelo perdão. LEITOR 2. Jesus já nasceu com o título de Rei, e a Igreja O proclama Rei do Universo. O Profeta Daniel, numa visão, contempla o Trono de Deus e seu juízo sobre o mundo. Ele vê, também, alguém como o “Filho do Homem” sobre o Trono. Nos Evangelhos, essa expressão se refere a Jesus Cristo, Àquele que veio do alto para construir o Reino de Deus. Devemos entender que não são os poderes do mundo que determinam a História, mas sim aquele que é O Senhor da História.

Ouçamos: Lucas 23, 42 – 43 PARTILHA ANIMADOR : 1. De que maneira vocês estão dispostos a fazer acontecer o Reino de Deus? 2. Como leigos, podemos fazer muito pela Igreja. A que pastorais vocês gostariam de pertencer? 3. No Evangelho que ouvimos, quem reconheceu Jesus como Rei? PRECE ANIMADOR: Rezemos com o Salmo 112 (113) TODOS: Louvai, servos do Senhor, louvai o nome do Senhor. Bendito seja o nome do Senhor, agora e para sempre.

TODOS: (Cantando) Jesus, que intercedeis por nós, junto a Deus Pai, que nos perdoa. Piedade, piedade, de nós. LEITOR 1. A Igreja celebra a Festa de Cristo Rei, fechando o Ano Litúrgico. Entender o que é o Reinado de Cristo significa entender a expressão máxima do amor. A realeza de Cristo é, pois, a realeza de todos nós, e esse reino se faz na vivência da justiça e da caridade. A realeza de Cristo concretiza–se na Sua Ressurreição e Ascensão. Os cristãos são chamados a criar na terra esse reino que é comunhão entre Deus e os cristãos.

outros, como pedras vivas da Igreja, trabalhando no Reino de Cristo. Cantemos: Aleluia, aleluia, a minha alma abrirei. Aleluia, aleluia, Cristo é meu Rei.

Pio XII, na época em que o mundo passava pelo pós-guerra, marcado pelo fascismo, pelo nazismo e outros movimentos que levavam o mundo a afastar – se de Deus, da religião e da fé, culminando com a Segunda Guerra Mundial. “Ele instituiu essa Festa para mostrar que tudo leva à plenitude de Cristo, como diz o Apocalipse:” Eu sou o Alfa e Ômega, o princípio e o fim de todas as coisas.” TODOS: Jesus Cristo é o Senhor da Vida e da História. LEITOR 1. Na Festa de Cristo Rei, celebra – se, também, a nossa participação no Reino de Deus, sob a condição de aderirmos à verdade trazida por Jesus, pela qual somos caminheiros que se dirigem à Casa do Pai, para participarmos da Mesa do Reino, assumindo o Evangelho. É hora de nós, cristãos, refletirmos que a vida de Jesus significa para nós a salvação, neste mundo onde impera o pecado, onde devemos

sacrifício da cruz, Sua Paixão e Morte, tudo por amor, desfazendo as injustiças. Ser cristão é construir o Reino de Deus no mundo, através do serviço gratuito, fraterno e humilde, deixando fazer valer a vontade do Pai. Bem-aventurados aqueles que são perseguidos e padecem injustiças, pois, um dia, serão acolhidos por Jesus na Mesa do Reino e serão benditos. TODOS: E Jesus servirá aqueles que souberam viver a justiça, a caridade e fazer o bem aos irmãos mais necessitados. A PALAVRA DE DEUS ANIMADOR: Junto com a Solenidade de Cristo Rei, celebra – se o Dia do Leigo e da Leiga, que possuem uma vocação especial, muitas vezes esquecida. Ser leigo e leigo no mundo de hoje é um desafio. Os cristãos leigos se ocupam de diversos serviços na Igreja e assumem uma vocação de constituir família e ser testemunhas no meio de

Desde o nascer ao pôr do sol, seja louvado o nome do Senhor. Levanta do pó o indigente e tira o pobre da miséria para fazê-lo sentar com os grandes. Amém! Vamos rezar uma dezena do terço, pedindo a Maria que nos faça compreender a grandeza e a misericórdia de Deus. Aproveitemos para colocar também as nossas intenções pessoais. Pai Nosso, Ave Maria, Salve Rainha. ENCERRAMENTO ANIMADOR: Olhando o nosso mundo, vemos o sofrimento de tantos irmãos que trazem consigo a cruz de Cristo, como sinal de vitória e redenção do mundo. Mesmo diante das nossas aflições, dores, angústias e injustiças, não podemos nos sentir derrotados ou abandonados. Não conseguimos entender os desígnios de Deus, mas não temos o direito de duvidar de Seu amor para conosco devemos acolher Jesus como o Rei do Universo, nosso Rei. Vamos nos dar o abraço da paz. Até os próximos Encontros, se Deus quiser. Canto: Jesus Cristo é o Senhor...

Informativo novembro final  

Informativo e formativo