Issuu on Google+

AMBIENTE DE INOVAÇÃO PARA O CAFÉ: ARTICULAÇÃO ENTRE UNIVERSIDADE-EMPRESA-GOVERNO

Cibele Aguiar, Joel Sugano, Sérgio Pereira, Nádia Carvalho


Trajet贸ria


• Objetivo Analisar o ambiente de inovação no sistema agroindustrial do café em Minas Gerais, sob a ótica da Teoria Hélice Tríplice, com foco na comunicação e na coordenação como elementos fundamentais deste processo


Teoria Hélice Tríplice

Atores com perfil, princípios, demandas e expectativas diferenciadas

UNIVERSIDADE

EMPRESA

GOVERNO


Teoria Hélice Tríplice


Teoria Hélice Tríplice


UNIVERSIDADE

EMPRESA

GOVERNO


COMUNICAÇÃO INTEGRADA PARA UM NOVO DESENHO ORGANIZACIONAL

• Qual a percepção acerca dos canais de comunicação existentes entre os diferentes segmentos? • Que fatores podem contribuir ou atrapalhar este processo?


METODOLOGIA • Pesquisa qualitativa e exploratória • Estudo de caso • Entrevista em profundidade • Análise de conteúdo - abordagem qualitativa (categorial)


RESULTADOS  Por um ambiente de inovação • Necessidade de inovações para sanar gargalos

importantes, embora não exista uma cultura de inovação para o setor cafeeiro; • Existência de um articulador central para a interação entre essas esferas. • Inovação colaborativa X existência de inúmeras barreiras neste processo (Discursos X Prática);


RESULTADOS  Por um ambiente de inovação • A aproximação entre as hélices promove uma reavaliação de seus papéis. • Estratégicas flexíveis e ágeis para acompanhar o ritmo das mudanças e das relações a serem articuladas; • Reformulação dos sistemas burocráticos envolvidos em toda a política de C&T.


RESULTADOS  Comunicação Integrada para um Novo Desenho Organizacional

• A comunicação e o fluxo de informações são elos fundamentais que promovem a articulação entre os atores; • O oferecimento de ferramentais, por si só, não confere ao setor maior conectividade.


RESULTADOS  Comunicação Integrada para um Novo Desenho Organizacional • Embora o discurso reverencie o modelo de comunicação aberta, dialógica e reflexiva, na prática, a comunicação cumpre à visão funcionalista; • Oferecer canais de informação que busquem aproximar os elos contribui para a formação do próprio espaço de articulação desejado. (virtual e presencial, formal e informal, dialógico e expositivo)


RESULTADOS  Comunicação Integrada para um Novo Desenho Organizacional • Frágeis vínculos entre os elos, o que desfavorece uma visão sustentável de programas de inovação de longo prazo; • A aproximação entre as esferas universidade e governo é a que apresenta maior sinergia;


Fatores que dificultam

Fatores que facilitam

Descompasso entre prática e discurso

Oferecimento de novos espaços de conversação

Visão funcionalista da comunicação

Criação de incubadoras tecnológicas

Falta incentivo à difusão

Incentivo de mestres e doutores nas empresas

Baixo envolvimento para comunicação em rede

Valorização de outras formas de comunicação com o mercado

Pouca utilização de TIs oferecidas

Respeito às limitações e divergências

Ausência de canais abertos e sistemáticos entre U-E-G

Identificação de atores chave com perfil empreendedor

Preconceito e desinformação da Lei de Inovação

Maior visibilidade dos resultados das pesquisas

Sistemas gerenciais burocráticos

Novo sistema de ensino compatível com o ambiente de inovação

Sistema de avaliação que prioriza publicação entre os pares


INTERFACES DE COMUNICAÇÃO

UNIVERSIDADE

EMPRESA

GOVERNO

Dinâmicas onde há sobreposição positiva ETZKOWITZ & LEYDESDORFF, 2000

UNIVERSIDADE

EMPRESA

GOVERNO

Dinâmicas com sobreposições bilaterais


INTERFACES DE COMUNICAÇÃO

UNIVERSIDADE

EMPRESA

GOVERNO


A inovação é o fenômeno Fundamental do desenvolvimento humano (Schumpeter – 1911)

OBRIGADA


Ambiente de inovaçao para o café