Issuu on Google+

Aproveitamento Econômico de Áreas de Reserva Legal

VII SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL Araxá, 25 de Agosto de 2011 - das 10:30 - 11:20h

Dr. Sergius Gandolfi Laboratório de Ecologia e Restauração Florestal www.lerf.esalq.usp.br LCB – ESALQ/USP


Reserva Legal

APP


RESTAURAÇÃO DE APPs Mata Ciliares


INDUÇÃO E CONDUÇÃO DA REGENERAÇÃO NATURAL


Fazenda Intermontes Morro Restaurado ap贸s 3 anos SEM plantio


Semeadura direta (em linha) de preenchimento  – 1 ano e 10 meses após implantação


Hidrossemeadura 20 spp arb贸reas iniciais Outubro de 2003 Rodovia Caminhos do Mar S茫o Paulo - Cubat茫o

1 ano Ap贸s a hidrossemeadura


6 meses


Reserva Legal Plantio 7 Anos

Reserva Legal Plantio 10 Anos


Jaciára – MT (2008) Restauração com 10 anos


TECNOLOGIA DE PLANTIO DE MUDAS


www.pactomataatlantica.org.br


~3%


RESERVA LEGAL

§ 2o A vegetação da Reserva Legal não pode ser suprimida, podendo apenas ser utilizada sob regime de manejo florestal sustentável, de acordo com princípios e critérios técnicos e científicos estabelecidos no regulamento, ressalvadas as hipóteses previstas no § 3o deste artigo, sem prejuízo das demais legislações específicas. (Redação dada pela Medida Provisória nº 2.166-67, de 2001)


IMPLANTAR RESERVA LEGAL


Reflorestamento de Uso MĂşltiplo COMO FAZER?


Reserva Legal Uso Múltiplo SERVIÇOS – Ex. POLINIZAÇÃO APROVEITAMETO DIRETO – PRODUTOS APROVEITAMENTO DIRETO – TURISMO Aproveitamento Indireto – CERTIFICAÇÃO Etc.


POLINIZAÇÃO- CAFÉ Aumentos de produção de 20% a até 1 Km de distância Abelhas silvestres mais eficientes Área florestal na paisagem


MADEIRA


Hoje, mais da ½ do consumo de lenha no Brasil vem de florestas nativas ! 1°lugar - consumo de lenha para energia Siderurgia 50 milhões m³/ano 2°lugar - uso para fins domésticos, ~30 milhões m³/ano (Balanço Energético Nacional do Ministério de Minas e Energia)

Prof. Dr. José Otávio Brito (Esalq-USP)


Silvicultura Tradicional de EspĂŠcies Nativas


Madeira


Módulo de exploração para madeiras nativas  Tempo = 0 Nº de indivíduos.ha‐1

Operação: implantação total alinhada. Idade da linha (anos): 3 m Madeira Final &  preenchimento

Ano 0 0 2 m

Madeira Inicial

Madeira Média

0

0

Madeira Inicial

0

Madeira Final &  preenchimento

0

Madeira   Final

207,5

Espécies de  preen_ chimento

207,5

Madeira  Inicial

830

Madeira  Média

415 1660

Obs.: várias espécies  podem ter uso medicinal  ou melífero  concomitantemente.


0

0 0 0

0

0 0 0 0

ZERO


MANEJO FLORESTAL DERRUBADA EM LINHA


15

15 15 15

15

15 15 15 15


Módulo de exploração para madeiras nativas Madeira Final

Tempo = 10 a 15 anos Madeira Média Madeira Inicial

Operação: colheita de Madeiras Iniciais.

Espécies de preenchimento

Idade da linha (anos): Madeira Final &  preenchimento

Madeira Inicial

Madeira Média

10‐ 15 10‐15 anos 10‐ 15

Madeira Inicial

10‐15 anos

Madeira Final &  preenchimento

10‐ 15

Colheita: 830 ind.ha‐1


MANEJO DE MADEIRA - RL


15

0 15 0

15

0

15 0

15


Módulo de exploração para madeiras nativas Tempo = 10 a 15 anos

Madeira Final Madeira Média Espécies de preenchimento

Operação: plantio de Madeiras Médias em quincôncio. Idade da linha (anos): Madeira Final &  preenchimento

10‐ 15 Ano 0

Madeira Média

Madeira Média

830 ind.ha‐1 Ano 0

Madeira Média Madeira Final &  preenchimento

Plantio:

10‐ 15

10‐ 15


Módulo de exploração para madeiras nativas Tempo = 20 a 25 anos

Madeira Final Madeira Média Espécies de preenchimento

Operação: colheita de Madeiras Médias. Idade da linha (anos): Madeira Final &  preenchimento

20‐ 25 10‐15

Madeira Média

Madeira Média

20‐ 25 anos 10‐15

Madeira Média Madeira Final &  preenchimento

20‐ 25

Colheita: 415 ind.ha‐1


Módulo de exploração para madeiras nativas Madeira Final

Tempo = 20 a 25 anos

Madeira Média Espécies de preenchimento

Operação: plantio de Madeiras Finais e espécies de preenchimento. Idade da linha (anos): Madeira Final &  preenchimento

20‐ 25 10‐ 15

Madeira Média

Plantio: 

Madeira Final &  preenchimento

Ano 0

Madeira Média

10‐ 15

Madeira Final &  preenchimento

20‐ 25

415 ind.ha‐1


Módulo de exploração para madeiras nativas

Madeira Final

Tempo = 30 a 35 anos

Madeira Média Espécies de preenchimento mortas

Operação: colheita de Madeiras Médias.

Espécies de preenchimento

Idade da linha (anos): Madeira Final &  preenchimento Madeira Média

30‐ 35

Colheita: 415 ind.ha‐1

20‐ 25 anos

Madeira Final &  preenchimento

10‐ 15

Madeira Média

20‐ 25

Madeira Final &  preenchimento

30‐ 35


MANEJO DE MADEIRA - RL

2

1

2


Módulo de exploração para madeiras nativas

Madeira Final

Tempo = 30 a 35 anos

Madeira Média Espécies de preenchimento mortas

Operação: replantio de Madeiras Médias.

Espécies de preenchimento

Idade da linha (anos): Madeira Final &  preenchimento

30‐ 35 Plantio: 

Madeira Média

Ano 0

415 ind.ha‐1

Madeira Final &  preenchimento

10‐ 15

Madeira Média

20‐ 25

Madeira Final &  preenchimento

30‐ 35


Módulo de exploração para madeiras nativas

Madeira Final

Tempo = 35 a 40 anos

Madeira Média Espécies de preenchimento mortas

Operação: colheita de Madeiras Médias.

Espécies de preenchimento

Idade da linha (anos): Madeira Final &  preenchimento

35‐ 40

Madeira Média

5‐ 10 15‐ 20

Madeira Final &  preenchimento Madeira Média Madeira Final &  preenchimento

25‐30 anos 35‐ 40

Colheita: 415 ind.ha‐1


Módulo de exploração para madeiras nativas

Madeira Final

Tempo = 35 a 40 anos

Madeira Média Espécies de preenchimento mortas

Operação: replantio de Madeiras Médias.

Espécies de preenchimento

Idade da linha (anos): Madeira Final &  preenchimento

35‐ 40

Madeira Média

5‐ 10

Madeira Final &  preenchimento

15‐ 20 Plantio: 

Madeira Média

Madeira Final &  preenchimento

Ano 0 35‐ 40

415 ind.ha‐1


Módulo de exploração para madeiras nativas Tempo = 40 a 45 anos

Madeira Final Madeira Média Espécies de preenchimento mortas

Operação: colheita de Madeiras Finais.

Espécies de preenchimento

Idade da linha (anos): Madeira Final &  preenchimento

Madeira Média

40‐ 45 anos

10‐ 15

Madeira Final &  preenchimento

Madeira Média

Madeira Final &  preenchimento

Colheita:  20‐ 25

5‐ 10

40‐ 45 anos

207,5 ind.ha‐1  de Madeiras Finais


Módulo de exploração para madeiras nativas

Madeira Final

Tempo = 40 a 45 anos

Madeira Média Espécies de preenchimento mortas Espécies de preenchimento

Operação: replantio de Madeiras Finais e espécies de preenchimento. Idade da linha (anos): Madeira Final & preenchimento

Madeira Média

Ano 0

Madeira Final & preenchimento

415 ind.ha-1

1015

Madeira Final & preenchimento

Madeira Média

Plantio:

2025 5- 10 Plantio: Ano 0

415 ind.ha-1


Tese ‐ Maria do Carmo Ramos Fasiaben

RESULTADOS TABELA 17 – VARIAÇÃO NAS MARGENS BRUTAS DAS ATIVIDADES DO TIPO 4, MICROBACIA DO RIO ORIÇANGA, ESTADO DE SÃO PAULO (EM R$/HA) Período

Laranja

Milho Alta Tecnologia

Reserva Legal Manejada

2002/03

3.465,39

1.595,66

188,59

2003/04

2.163,24

668,37

237,58

2004/05

-91,82

244,29

285,71

2005/06

1.021,37

125,04

423,78

2006/07

2.131,27

504,75

440,34

2007/08

1.806,64

871,52

435,23

2008/09

17,91

-64,52

470,16

Média

1.502,00

563,59

354,49

FONTE: Dados da pesquisa, utilizando-se de séries de preços listadas no Banco de Dados do IEA (2010) para insumos e para os produtos laranja e milho, e do IPT para madeira (FLORESTAR ESTATÍSTICO, 2003, 2004, 2005, 2006, 2007, 2008) Valor médio da madeira considerada para as 4 classes = R$ 40,00/m3 da madeira em pé na propriedade


MĂŠdia 40 anos R$ = 1.282,00


Módulo de exploração para madeiras nativas usando Eucaliptus como pioneira – 01/08/2005  Tempo = 0 Operação: implantação total alinhada.

Idade da linha (anos): Mad. final &  preenchimento

Nº de indivíduos.ha‐1

3 m

0 2 m

Eucaliptus

Mad. média

Eucaliptus

Madeira   final

207,5

Espécies  de preen_ chimento

207,5

Eucaliptus

830

Madeira  média

415

0

0

0

1660 Obs.: várias espécies  podem ter uso medicinal  ou melífero  concomitantemente.


Módulo de exploração para madeiras nativas usando Eucaliptus como pioneira Tempo = 6 anos Operação: primeira colheita de Eucaliptus.

Idade da linha (anos): Mad. final &  preenchimento

Eucaliptus

6

6/0

Mad. média

6

Eucaliptus

6/0

Colheita: 830 ind.ha‐1


Módulo de exploração para madeiras nativas usando Eucaliptus como pioneira Tempo = 12 anos Operação: segunda colheita de Eucaliptus.

Idade da linha (anos): Mad. final &  preenchimento

Eucaliptus

Mad. média

Eucaliptus

12

12/0

12

12/0

Colheita: 830 ind.ha‐1


Módulo de exploração para madeiras nativas usando Eucaliptus como pioneira Tempo = 12 anos Operação: plantio de madeiras médias em quincôncio.

Idade da linha (anos): Mad. final &  preenchimento

12

Mad. média

0 Plantio: 

Mad. média

Mad. média

12

830 ind.ha‐1 0


MODELO 1 apenas nativas, em linhas simples

madeira final madeira complementar madeira inicial madeira média

40 anos

139 ind./ha

20 anos

139 ind./ha

10 anos

555 ind./ha

20 anos

278 ind./ha

MODELOS 2 e 3 Nativas em linha simples e eucalipto em linha dupla, como espécie inicial, visando exploração para celulose (modelo 2) ou celulose e serraria (modelo 3) madeira final madeira complementar eucalipto madeira média

40 anos

139 ind./ha

20 anos

139 ind./ha

6/15 anos

555 ind./ha

20 anos

278 ind./ha

MODELOS 4 e 5 Nativas em linha dupla e eucalipto em linha dupla, como espécie inicial, visando exploração para celulose (modelo 4) ou celulose e serraria (modelo 5) madeira final madeira complementar eucalipto madeira média

40 anos

139 ind./ha

20 anos

139 ind./ha

6/15 anos

555 ind./ha

20 anos

278 ind./ha


Potencial Econômico das Árvores Nativas Manejadas na RL

APROVEITAMENTO FLORESTAL ÁRVORES


RESERVA LEGAL USO SUSTENTÁVEL PRODUÇÃO E EMPREGO

Frutíferas Ex.: Cajás, Bacuri, Mirtáceas, etc.


UVAIA Eugenia pyriformis

PITANGA Eugenia uniflora

ARAÇÁ Psidium cattleyanum

GRUMIXAMA Eugenia brasiliensis


Jenipapo Genipa americana

Cabeludinha Eugenia tomentosa


JaracatiĂĄ

Mamoeiro do Mato

Jacaratia spinosa

Carica quercifolia

Madeira + FrutĂ­feras


FrutĂ­feras Nativas

Surfistas Americanos


Surfistas Americanos


Extrativismo Sustentável de Pequi em Reservas Legais de Cerrado

Local – Reservas Legais em Pirapora (MG) Cerrado – Com 10 ou mais árvores de Pequi por hectare Extrativismo sustentável dos frutos – Coleta de 36,3% dos frutos Venda dos frutos – CEASA de Uberlândia (MG) e Belo Horizonte (MG) Preço médio dos frutos – Mais de R$ 1,00 por fruto Margem bruta – Maior ou igual a da produção de soja (2011 - Dissertação de mestrado de Ana Cláudia Sant'Anna - orientador Dr. Ricardo Shirota Departamento de Economia, Administração e Sociologia – ESALQ/USP)


Madeira + MEL 1º semestre de 2011 – exportação Brasil = US$ 18,3milhões, ou seja, 7.200 ton apenas ~ 4,3 da demanda mundial


MADEIRAS + PIGMENTOS CORANTES NATURAIS


MADEIRAS + PIGMENTOS CORANTES NATURAIS

LÁTEX VERMELHO Sangra d’ água Croton urucurana LÁTEX AMARELO Taiúva Maclura tinctoria


Madeiras + Medicinais

Espinheira-santa

Maytenus ilicifolia

Pilocarpina Jaborandi

Pilocarpus pennatifolius


Madeiras + Medicinais Guaรงatonga

Casearia sylvestris

Pariparoba

Pothomorphe umbellata


Madeira + Medicinal Ex.:Copaíba Pau D’ Óleo


Sementes Comercialização para Viveiros

Artesanato, etc.


Produção Mudas São Paulo 2003 – 13 MILHÕES – 55 VIVEIROS 2008 – 33 MILHÕES – 114 VIVEIROS


Madeira + Ornamentais

Ex.:Bromélias, Orquídeas, etc.


Ă RVORES

Flores de Corte


PRODUTOS NÃO MADEIREIROS Látex, Palmito, Frutos, Ornamentais, Sementes, Óleos, etc...


Madeiras + FrutĂ­feras + Medicinais + MelĂ­feras + Sementes + Corantes + Ornamentais + etc....


TURISMO RURAL Belezas Cênicas, Tipos de Vegetação, Áreas em Restauração, Trilhas de Educação Ambiental, Coleta de Sementes, Produção de Mudas, etc.


CERTIFICAÇÃO AMBIENTAL Melhor Gestão ÁGIO FIDELIDADE MERCADOS ISO 14001 FSC RAINFOREST ALLIANCE GLOBAL GAP IMAFLORA INSTITUTO BIODINâMICO Etc.


CAFÉ CURUPIRA


Expansão do Café em São Paulo


ExpansãoFronteira do Café em São Paulo Agrícola

- CAFÉ


Com o tempo a vegetação do interior de São Paulo foi ficando fragmentada


Paisagens antigamente dominadas pelo CAFÉ


Tem hoje fragmentos de Floresta com cafĂŠ no sub-bosque


No passado café dentro das florestas estavam sempre recebendo pólen do café de FORA da floresta


Mas os cultivos de cafĂŠ na paisagem foram desaparecendo


e com o tempo o caf茅 dentro das florestas foi recebendo cada vez menos p贸len de FORA da floresta


até que o café dentro das florestas ficou isolado dos cafés de FORA da floresta


X Assim, durante gerações o café dentro de cada fragmento de floresta só cruzou entre si acumulando as diferenças existentes ou as que aí surgiram


Em cada floresta o café teve de sobreviver as pragas e patógenos locais, à competição com as outras plantas, ao solo, sendo assim FORTEMENTE SELECIONADO


Teve de sobreviver ao clima de cada região e provavelmente , acumulou diferenças genÊticas surgidas independentemente em cada fragmento ficando assim .....


um pouco diferente em cada local.....


CAFÉ CURUPIRA

Grande Potencial Cooperação Programa Federal de Pesquisa? Programa Privado de Pesquisa?


RESUMO Aproveitamento Econômico de Áreas de Reserva Legal AGRICULTURA TRADICIONAL RESERVA LEGAL (área agrícola) Cafés resgatados de fragmentos Sombreados X CONSÓRCIO DE NATIVAS


CERCAS-MORTAS VS CERCAS-VIVAS


OBRIGADO

Dr. Sergius Gandolfi sgandolf@esalq.usp.br


Aproveitamento Econômico de Áreas deReserva Legal