__MAIN_TEXT__

Page 1

JÁ ABRIU O GABINETE DE APOIO AO EMPREGO

INFORME-SE!

TAXA PAGA 4605 Vila Meã

Diretor: José Ismael Mendes

Edição: 178

Preço: 0,60 €

PÁGINA 9

abril de 2015

REPORTAGEM

Nuno Fonseca assume a presidência do CETS

Grupo Talho do João

PÁGINA 3

“As nossas grandes apostas são a seleção de produtos de qualidade, variedade e simpatia no atendimento”

Amarantus Aquatic Club

PÁGINA 6

PÁGINA 7

AEVM organiza conferência “PORTUGAL 2020 – Novos Fundos Comunitários” APOIOS: à Agricultura, Emprego, Comércio, Criação do próprio emprego e Desenvolvimento Local

Dia 30 de maio às 14h

Local: Cineteatro Raimundo Magalhães

Inscrições gratuitas obrigatórias

Email: aevilamea@gmail.com

Escuteiros de Vila Meã

PÁGINA 4

Uma associação que luta todos os dias pela igualdade PÁGINA 7 AECB inaugura instalações

PÁGINA 4

União das Freguesias de Real, Ataíde e Oliveira passa a designar-se freguesia de Vila Meã PÁGINA 10


2

abril de 2015 - Jornal de Vila Meã

OPINIÃO Mensagem de Abril III

Razão tinha Teixeira de Pascoaes Parte; deixa crescer a erva à tua porta Vai e não voltes mais A terra onde nasceste não sai da “cepa torta”.

IV

E o que diria agora Aos nossos jovens licenciados? É a vossa vez de irem para fora Que aqui estais “quilhados”. José Ismael Mendes (*)

Para o bem e para o mal, a revolução dos cravos trouxe a liberdade. Pode ser até a liberdade de dizer e fazer asneiras. Mas é melhor que a usemos bem, que façamos algo de positivo com ela.

I

Mas não era, certamente O Abril que se queria É que emigra muita gente Para mal da economia.

II

Nos anos 60, que é passado Emigravam os indiferenciados. Agora num país civilizado Emigram os jovens licenciados.

No início do século passado, após a implantação da república, a tentativa de colocar as crianças nas escolas foi um verdadeiro fracasso. Para os pais, os filhos eram mais importantes a ajudar na lavoura. Estávamos em Portugal, no extremo Ocidental da Europa, um país pobre e analfabeto que, em finais dos anos sessenta, fomentava uma alfabetização envergonhada, enviamos as crianças para a escola, para frequentarem até… à 3ª classe. Manter um povo apenas a saber ler e contar ajudava a manter o poder. Nada mais errado. E foi este enorme atraso que foi, ou que é, preciso vencer. Um atraso que se refletiu em todas as áreas da nossa sociedade. No Portugal democrático

as universidades cresceram e multiplicaram o esforço em investigação, que passou para as primeiras prioridades em muitas delas. Mas tem sido este esforço acompanhado de uma eficiente transferência de conhecimento para a indústria portuguesa? Felizmente sim e infelizmente não. Sim pelas empresas de base tecnológica que foram surgindo ao longo das últimas quatro décadas e que, em muitos casos, se tornaram referências mundiais. Não pela situação económica do País que, entra outras coisas, provocou uma sangria de quadros superiores para o estrangeiro. Esta sangria tem confirmado, por outro lado, a excelente qualidade dos nossos quadros que, encontram, com relativa facilidade, colocação lá fora. Contudo, a relação indústria/ universidade nem sempre tem sido a mais eficiente. À semelhança do Estado Novo parecem estar divorciadas. Grandes empresas fecharam e foram muito importantes enquanto duraram; empregaram milhares de trabalhadores. Mas isto faz parte do desenvolvimento socioeconómico da

Humanidade. Umas fecham outras abrem. E um país que não contribua para a criação de conhecimento não irá muito longe. Com dinheiro pudemos comprar tudo, é certo. Mas quando não o temos… A escola é um veículo da promoção da justiça social e da cidadania esclarecida e responsável pela consolidação da soberania assente no conhecimento.

V

Saibamos pois usar a liberdade Neste País de esperança Que todos tenham acesso Universidade E que não haja lugar à vingança.

à

VI

Que não se percam os princípios e valores Que respeitemos toda a gente Já basta de dissabores É a opinião dum combatente.

VII

Respeitemos a liberdade Demos apreço ao que é banal Professemos a Paz, a verdade E a amizade em geral. Engenheiro (*)

Diretor: José Ismael Mendes Colaboradores:Maria do Rosário Meneses, Delfina Carvalho, Centro Veterinário de Vila Meã, António José Queiroz, Clínica Medimeã, AlegreContorno, Ana Catarina Teixeira e Vanessa Babo (imagem gráfica). Jornalista: Bruna Silva Propriedade: Associação Empresarial de Vila Meã Pessoa Colectiva nº: 504 603 949 Urbanização da Cruz - Real 4605-359 Vila Meã Telef. 255 735 050 Fax 255 735 051 E-mail: jornalvilamea@gmail.com Registo no ICS: 123326 . Depósito Legal: 139555/99 Tiragem média: 1.000 ex. Impressão: Gráfica do Norte (Amarante) Preço de capa: 0,60 euros


3

Jornal de Vila Meã - abril de 2015

REGIÃO Alunos amarantinos visitam o Nuno Fonseca assume a Parlamento Europeu presidência do CETS Entre os dias 2 e 4 de maio os estudantes de Amarante e de Rio Maior realizaram uma visita de estudo ao Parlamento Europeu. O jornal de Vila Meã acompanhou o encontro e realça o interesse demostrado pelos jovens do 3º ciclo que se mostraram bastante entusiasmados com a oportunidade. A seleção dos alunos foi feita pelo seu rendimento escolar, ou seja, cada escola levou os seus melhores alunos do 9º ano. Os jovens estudantes visitaram o Parlamentarium onde puderam aprender a história, o funcionamento e a composição do Parlamento Europeu e tiveram a oportunidade de conhecer a European Schoolnet, uma organização sem fins lucrati-

vos que promove a inovação nas escolas. Para além disso, visitaram ainda as cidades de Bruxelas, Gent e Bruges, o que lhes permitiu conhecer um pouco da Bélgica, país onde se encontram sediados grande parte dos serviços da União Europeia. Por fim, os estudantes encontraram-se com Francisco Assis, depois de uma visita às instalações do Parlamento em Bruxelas, onde o deputado socialista explicou o importante papel que a União Europeia e as suas instituições desempenham no desenvolvimento dos países que a integram e deu-lhes a conhecer o trabalho desenvolvido pelos deputados europeus.

Externato de Vila Meã premiado pelo Ministério da Educação e Ciência O Externato de Vila Meã foi o único estabelecimento de ensino privado, no norte do país, a receber no passado dia 30 de abril, o Prémio Escola 2013-2014, uma iniciativa do Ministério da Educação e Ciência (MEC) que congratulou 11 escolas e agrupamentos escolares. Instituído no ano letivo de 2012-2013, o “Prémio de Escola”, de atribuição anual, distingue um máximo de três escolas ou agrupamentos em cada uma das cinco áreas geográficas do mapa educativo (Norte, Centro, Lisboa e Vale do Tejo, Alentejo e Algarve). Às instituições, para além de uma placa de distinção e um louvor em Diário da República, é prestado apoio ao nível de recursos humanos e materiais destinados a projetos culturais e científicos dos alunos.

Para António Barbeitos, diretor pedagógico do Externato de Vila Meã esta distinção “resulta de um trabalho árduo que tem vindo a ser desenvolvido ao longo destes 50 anos de existência. É, pois, com um enorme orgulho que recebemos este prémio, sabendo que o mesmo representa um incentivo e também uma enorme responsabilidade para continuarmos a desempenhar o mesmo trabalho sério.” Fundado em 1964 por um conjunto de cidadãos da zona de Vila Meã, o externato é frequentado atualmente por 1665 alunos do segundo ciclo, ensino secundário e profissional. Em 2005 foi a primeira instituição do ensino básico e secundário a ser certificada no âmbito da Gestão de Qualidade, em todos os processos de atividade.

No passado dia 28 de abril Nuno Martins da Fonseca assumiu o cargo de Presidente da Direção do Conselho Empresarial do Tâmega e Sousa (CETS). O atual presidente da Associação Empresarial de Felgueiras, sucede assim, de forma natural, a Luís Miguel Ribeiro, da Associação Empresarial de Amarante. De acordo com os princípios estruturantes do CETS, o ato eleitoral previsto nos estatutos conduziu à eleição, em lista única, de Nuno Martins da Fonseca, que doravante assumirá os destinos da instituição, promovendo também a alternância nos órgãos desta estrutura associativa. O Presidente destaca a qualidade do trabalho desenvolvido pelo anterior elenco diretivo e antevê um futuro promissor para o Conselho Empresarial e para a região do Tâmega e Sousa. “Com o trabalho desenvolvido, mostramos a necessidade que esta região tem de contar com um parceiro vindo dos agentes da economia real, que se assuma como um agente do desenvolvimento regional, em colaboração com outras entidades do Tâmega e Sousa, nomeadamente com os Municípios - através da sua estrutura supramunicipal, a Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa e a Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Felgueiras, do IPP, bem como os demais agentes relevantes para o desenvolvimento do território, tendo como enquadramento o quadro estratégico já conhecido. Este, decisivamente, contribuirá para o aumento da competitividade da região, melhorando os indicadores do desenvolvimento”. Nuno Martins da Fonseca, destacou ainda a necessidade de através da cooperação institucional dos principais atores da região, inverter o ciclo económico e social menos favorável dos últimos anos, através de um modelo de desenvolvimento coeso que passa pelas seguintes prioridades: Mais captação de investimento; Empresas mais competitivas; Mais emprego; Maior fixação das populações; e, Melhoria dos indicadores da qualidade de vida.


4

abril de 2015 - Jornal de Vila Meã

VILA MEÃ

AEVM organiza conferência “PORTUGAL 2020 – NOVOS FUNDOS COMUNITÁRIOS”

No próximo dia 30 de maio a Associação Empresarial de Vila Meã (AEVM) irá realizar uma sessão de esclarecimento sobre os Apoios do Novo Quadro Comunitário, no Cineteatro Raimundo Magalhães, em Vila Meã.

A conferência, que decorrerá a partir das 14h, contará com a presença de vários oradores, representantes de diferentes entidades, que apresentarão os incentivos abrangidos pelo novo quadro e as especificidades de cada área (inovação

empresarial, agricultura, empreendedorismo, modernização do comércio e contratação). Este encontro será aberto a toda a população e pretende dar a conhecer de forma simples e resumida o próximo ciclo de financiamentos

comunitários para Portugal (entre 2014 e 2020). Com esta temática o evento pretende destacar o papel dos fundos comunitários na economia regional e alargar as oportunidades à região do Tâmega e Sousa.

Associação Emília Conceição Babo inaugura instalações No passado dia 12 de abril a Associação Emília Conceição Babo (AECB) inaugurou as suas instalações. O evento contou com a presença de cerca de 250 pessoas entre as quais várias entidades representadas, nomeadamente o Ministério da Solidariedade e Segurança Social, a Câmara Municipal de Amarante, o Centro Distrital da Segurança Social, a União Distrital das Instituições Particulares de Solidariedade Social do Porto (UDIPSS), Juntas de Freguesia locais, Bombeiros Voluntários de Vila Meã, Instituto de Emprego e Formação Profissional de Amarante, Centro de Saúde de Amarante, dirigentes e técnicos de outras instituições e entidades locais, sócios, utentes e amigos da associação. O evento iniciou com a receção dos convidados e uma guarda de honra ao Secretário de Estado do Ministério da Solidariedade e Segurança Social, Agostinho Branquinho. Seguiu-se o descerrar da placa de inauguração e procedeu-se ao batismo das instalações numa cerimónia celebrada pelo Padre Jorge Oliveira. Após esta celebração discursaram o presidente da Direção

AECB, António Oliveira Pinto da Cunha, o presidente da Câmara, José Luís Gaspar e o secretário de Estado, Agostinho Branquinho. De Seguida, realizou-se uma visita guiada às instalações onde todos os presentes puderam contemplar os espaços onde é desenvolvido todo o trabalho da instituição. O evento finalizou-se com um lanche convívio para todos, momento que serviu para confraternizar. Este evento foi de grande relevância para a instituição e para a população vilameanense. “Em primeiro lugar, pela concretização da vontade e sonhos do benemérito António Aurélio Babo Magalhães que doou o imóvel para a construção de uma obra de cariz social que desse apoio à população de Vila Meã e freguesias limítrofes. Em segundo lugar, pelo reconhecimento do trabalho levado a cabo por algumas pessoas para que a obra fosse feita, pois foram muitas as dificuldades ao longo do processo e certamente para elas foi um dia muito feliz. Para Vila Meã pela afirmação de um Serviço Social disponível para o apoio à população, um serviço de qualidade,

com colaboradores atentos, prestáveis e carinhosos sempre prontos a fazer mais e melhor. Para a direção pois este foi um momento de muito orgulho e satisfação e um reforço para que o projeto instituído seja cada vez mais sólido e assente no bem-estar dos que mais precisam”, explica a direção da AECB. Apesar da associação ser recente a direção salienta que procuram no dia a dia ir de encontro às necessidades da população. Exemplo disso é o facto de terem começado no mês de fevereiro a fazer o apoio domiciliário também ao fim de semana, pois constituía uma necessidade evidenciada por

muitos daqueles que acompanham. “Passados dois meses do início deste novo serviço já apoiámos mais de 20 agregados familiares. Sentimos dia após dia a confiança e o reconhecimento da comunidade pelos serviços prestados, estando estes sinais espelhados no número de pessoas que apoiámos e na crescente procura pelos mesmos, havendo já lista de espera em algumas das valências. Isto deve-se, essencialmente, ao empenho e dedicação de todos os nossos colaboradores e graças a todo o apoio que nos tem sido dado pela comunidade desde o início da nossa atividade”, remata

2000 pessoas participaram no cortejo que reverteu para o Centro Social de Real No âmbito das comemorações do 10º Aniversário do Centro Social e Cultural da Paróquia do Divino Salvador de Real, a população têm-se mobilizado na organização de cortejos para angariar fundos para a instituição. A população de Real dividiu-se em 5 zonas, que incluem

vários lugares, e cada grupo organiza um leilão e uma marcha. Em cada evento desfila o cortejo e a marcha popular e no final vendem-se os produtos angariados (doçaria, fumeiro, lenha, vinhos...). O cortejo que decorreu no passado dia 19 de abril foi organizado pela população da zona

de Balanceiros e lugares circundantes e contou com a participação de cerca de 2000 pessoas. No primeiro cortejo foram angariados nove mil euros e neste segundo a organização espera ultrapassar esse desafio. O próximo leilão será realizado pela zona da Igreja no próximo dia 17 de maio.


Jornal de Vila Meã

-

5

abril de 2015

OPINIÃO

Terra, um Planeta a Preservar

Desde 1970 que se comemora o Dia da Terra. O dia 22 de abril foi o escolhido para relembrar à humanidade que partilha o Planeta Terra com milhões de espécies. Esta ocasião é aproveitada para promover a sensibilização em diversas questões ambientais. A reciclagem está em voga, e, ao contrário do que se possa pensar, Portugal tem aumentado o número de materiais reciclados. Segundo o estudo “Hábitos e Atitudes face à separação de resíduos Urbanos” cerca de 69% dos lares portugueses realizam regularmente a separação de embalagens usadas. Não se trata apenas de um valor moral e ecológico,

mas de um dever cívico, que deve ser multiplicado por todos os habitantes. É errado pensar-se que apenas devemos dar importância a elevadas quantidades de “lixo”. Todo o material pode ser separado, isto é, existem locais apropriados para a deposição de resíduos, quer estes sejam sólidos ou líquidos. Os resíduos domésticos são os mais simples de reciclar, as três cores dos ecopontos são distintas e os materiais a que se destinam bem conhecidos. Curioso será dizer que uma parte significativa da população, coloca embalagens Tetra Pack (pacotes de leite e sumos) no contentor azul, contudo este tipo de material deve ser depositado juntamente com plástico e metal, ou seja, no ecoponto amarelo. Sabia que existem pilhões espalhados por todo o país que se destinam à reciclagem de pilhas e baterias de pequenos equipamentos? Uma pilha é composta por metais que, quando em contato

com o ambiente, geram fortes níveis de poluição, afetando não só as plantas, mas também os animais, incluindo o Homem. O óleo alimentar é ainda um grave problema para quem o desperdiça, mas principalmente para as ETAR’s. Quando lançados pela rede de drenagem normal (rede sanitária), este material é direcionado para as estações de tratamento de águas residuais, obstruindo os filtros e contaminando a água. Quando se torna impróprio, o óleo alimentar deve ser reservado e entregue em pontos de recolha que, posteriormente, será convertido em Biodisel. Recentemente, um português desenvolveu um projeto de reciclagem de escovas de dentes. Pretende criar um ponto de recolha nas farmácias, o “Escovão”, que ao invés de irem para o lixo, transformam-se em baldes, caixas ou cestos. Quando não separados, os materiais decompõem-se e este tipo de reação provoca danos quase que irreversíveis no meio ambiente, que perduram por vários

anos. Por exemplo:

pequenos ruminantes é a “doença do rim polposo”, causada peloClostridium perfringens tipo D, provocando sintomatologia gastrointestinal, nervosa e mortes súbitas. Está associada a alterações bruscas na dieta e ao fornecimento de altos teores de concentrados e pouca quantidade de fibra. Pode afetar animais de qualquer idade, embora os jovens (4-10 semanas) sejam os mais afetados, especialmente os que se encontram em melhor condição corporal. Em caso de suspeita de um surto de clostridiose, é imprescindível a assistência do Médico Veterinário. À exceção de alguns quadros iniciais, que por vezes respondem à antibioterapia e terapia de suporte, não existe tratamento eficaz e exequível para as clostridioses. Assim, a prevenção é a medida mais eficaz para controlar e reduzir a sua incidência. A estratégia de prevenção passa por dois pontos fundamentais e complementares, evitar os fatores desencadeantes e a vacinação estratégica do efetivo. A eliminação de fatores desencadeantes passa sobretudo por vários cuidados no maneio do efeti-

vo: não submeter os animais a alterações bruscas na dieta, nem a dietas desequilibradas (muito concentrado e pouca fibra); não alimentar os animais de modo abundante, sobretudo após períodos de carência; água potável, palha e feno frescos disponíveis à vontade; garantir o fornecimento do colostro nas primeiras 4 horas de vida, evitando a ingestão de colostro/leite em grandes quantidades de uma só vez; garantir um bom estado sanitário do rebanho (vacinações e desparasitações regulares); A medida mais eficaz de controlo é a vacinação, uma vez que o controlo dos fatores desencadeantes por si só não previne as clostridioses. Para qualquer esclarecimento adicional, não hesite em contactar o seu Médico Veterinário.

· Papel comum: de 3 a 6 meses · Vidros: mais de 4000 anos  · Pontas de cigarros: de 10 a 20 anos  · Embalagens de plástico: de 50 a 450 anos  · Chicletes: 5 anos  · Latas de alumínio: mais de 500 anos É urgente a consciencialização da população no que respeita a questões ambientais. Reciclar não só está na moda, como também constitui um ato cívico importante para a conservação do ambiente e manutenção da vida no Planeta Terra. Tudo o que beneficia o ambiente, conduz à melhoria da qualidade de vida de todos os seres vivos.

Marlene Dias Bióloga marleneisdias@hotmail.com

SAÚDE ANIMAL CLOSTRIDIOSES Devido à sua incidência e gravidade, as clostridioses constituem o grupo de doenças mais importante em pequenos ruminantes, sendo doenças que cursam com mortes súbitas, podendo provocar avultados prejuízos económicos nas explorações. As clostridioses são um grupo de toxinfeções agudas, não contagiosas, causadas por bactérias anaeróbias do género Clostridium. Os clostrídeos são micro-organismos ubiquitários, ou seja, podem encontrar-se no solo, pastagens, equipamentos, instalações e no intestino dos animais, fazendo parte da microflora intestinal e participando ativamente nas funções

digestivas. Para ocorrer doença, esta relação de simbiose tem de ser quebrada, através de fatores desencadeantes que induzem uma rápida e excessiva multiplicação destes

micro-organismos, os quais libertam poderosas toxinas que danificam e destroem órgãos vitais do organismo. A clostridiose mais comum nos

Domingos Amaro Médico Veterinário Centro Veterinário de Vila Meã


6

abril de 2015 - Jornal de Vila Meã

REPORTAGEM Grupo Talho do João

“As nossas grandes apostas são a seleção de produtos de qualidade, variedade e simpatia no atendimento” João Leite, proprietário do Talho do João que se situa na rua da Feira, em Ataíde- Vila Meã, é conhecido pelo seu dinamismo e qualidade dos seus produtos. Com mais de 25 anos de experiência no ramo, o empresário decidiu lançar-se por conta própria após ter estado desempregado. Atualmente conta com a colaboração de dois funcionários, tendo-se tornado num talho de referência em Vila Meã e nas terras limítrofes. “ Temos bastantes clientes que ficaram fiéis ao nosso serviço desde que abrimos. As nossas grandes apostas são a seleção de produtos de qualidade, variedade e simpatia no atendimento”, revela João Leite. A concorrência não preocupa o empresário pois este prima pela diferença e esforça-se todos os dias para que as necessidades dos seus clientes sejam satisfeitas. Com quatro anos de existência no mercado e uma carteira de clientes fidelizados, João Leite decidiu alargar o seu negócio e abrir mais uma loja em 2014, O Pomar do João, que veio complementar o serviço de talho com a venda de hortícolas, frutas, congelados e mercearia. “ Decidimos abrir este novo espaço porque não havia na zona grande oferta de hortícolas e frutas”,

explica Florbela Costa, esposa de João Leite. Neste momento, o empresário está bastante satisfeito com o sucesso das suas lojas e tem idealizados outros investimentos para complementar os que já existem. O seu

objetivo é alargar a oferta e cimentar ainda mais a posição do “Grupo do João” em Vila Meã, abrindo em breve um novo espaço. No passado dia 3 de maio, o Talho do João celebrou o seu 4º aniversário com uma festa aberta

a toda a população. O empresário disponibilizou um porco no espeto, pão e vinho para todos os amigos e clientes. A animação do evento esteve a cargo do Grupo de Cavaquinhos de Via Meã.


7

Jornal de Vila Meã - abril de 2015

ATUALIDADE

Amarantus Aquatic Club

Atletas de Vila Meã integraram os trabalhos da Seleção Nacional Sub 17 de Pólo Aquático Constituído em 2011, o Amarantus Aquatic Club surgiu devido à necessidade que existia nas escolas de natação das piscinas municipais de Amarante e de Vila Meã em dar resposta aos jovens que atingiam o nível 5 e não tinham perspetivas de progressão. O clube veio abarcar estes jovens e proporcionar-lhes um novo serviço, ou seja a competição no meio aquático, através da natação em competição e do polo aquático. Atualmente, o polo aquático está a funcionar com mais força nas piscinas municipais de Vila Meã, onde contam com aproximadamente 35 atletas masculinos e femininos. A equipa técnica responsável pela modalidade faz um balanço bastante positivo deste desporto no concelho amarantino. “Iniciamos em 2011 e em dois anos e meio conseguimos grandes progressos, nomeadamente a chamada de cinco atletas que integraram os trabalhos da Seleção Nacional Sub 17 de Pólo Aquático, da Federação Nacional de Natação. Estes resultados não foram apenas um trabalho

dos técnicos mas também das atletas, pelas suas características físicas e psíquicas e pela predisposição que têm para a modalidade. “As nossas atletas são humildes, resilientes, lutadoras e responsáveis, daí terem alcançado este patamar muito mais cedo do que o habitual”. Para além disso, a equipa destaca também o apoio incondicional por parte do Município de Amarante ao clube. Segundo o treinador é importante realçar que o polo aquático é uma modalidade muito exigente. “Para além de terem de dominar as quatro técnicas da natação (croll, costas, bruços e mariposa), têm de aprender um nado específico da modalidade e têm de saber agarrar uma bola, rematar, passar e reagir perante o confronto com outros atletas”. A projeção nacional e internacional conseguida por Inês Moreira, em representação de Portugal no campeonato da Europa mostra que a modalidade tem futuro e grandes perspetivas de atingir novos patamares nos próximos anos. “Entre atletas de norte

a sul, de vários clubes conceituados, a Inês esteve entre as 13 melhores nacionais”. Neste momento, o clube está em 2º lugar no Campeonato Regional Sub15 e o treinador acredita que durante este ano irão qualificar-se para o nacional e ganhar os primeiros lugares. Na equipa masculina ainda não atingiram resultados tão eficazes porque têm muito infantis a participar nas equipas de juvenis e o desequilíbrio físico tem sido uma desvantagem. No entanto, a equipa de trabalho está a tentar equilibrar essa situação. “Estamos a criar um grupo de formação entre os 8 e os10 anos para se prepararem para integrar as equipas”. A equipa do Amarantus é constituída por Rui Sousa, técnico responsável pelo desenvolvimento da modalidade nas piscinas de Amarante, Renato Luís que está responsável pelos alunos de Vila Meã e Patrícia e Tiago que auxiliam os técnicos no seu trabalho. Inês Moreira, natural de Real, Via Meã, tem 15 anos e sonha um dia

Escuteiros de Vila Meã Uma associação que luta todos os dias pela igualdade Com 25 anos de existência o Agrupamento 925 de Ataíde – Vila Meã acompanha atualmente cerca de 30 crianças e jovens com idades compreendidas entre os 6 e 22 anos de idade. Com sede no Salão Paroquial de Ataíde, este grupo de “pequenos dinamizadores” tem vindo a realizar, ao longo dos anos, várias atividades de grupo e principalmente iniciativas de promoção da solidariedade na comunidade local. As atividades têm sido realizadas em diversos locais sempre com o intuito de formar os jovens para uma sociedade mais justa e atenta. “O ano escutista iniciou em setembro de 2014 e desde então já são muitas as presenças do agrupamento nos vários encontros realizados quer a nível regional, quer a nível de núcleo. E porque a vivência em comunidade é fundamental, os escuteiros realizaram, até ao momento, várias atividades, nomeadamente “Pegada E(cológica)scuteiro”, “Venda de Bolos”, “A máquina do tempo”, “Ceia de Natal”, “Janeiras”, “O poder da Amizade”, entre outras”, explica Marlene Dias, Caminheira do Agrupamento. Recentemente o Agrupamento 925 estive envolvido num projeto da ValorMed – Missão Ambiente – que pretendia recolher o máximo de embalagens vazias e medicamentos fora de uso nas farmácias locais. O valor recolhido pelos escuteiros foi de 731,78 Kg tendo

ficado na 12ª posição na variável per capita a nível nacional. Este ano, o primeiro projeto em comunidade foi desenvolvido pelos Caminheiros e Chefes e tinha como objetivo restaurar uma habitação cedida pela Paróquia de Ataíde a cidadãos com dificuldades económicas. Com a ajuda da Junta de Freguesia de Vila Meã, da Comissão Fabriqueira de Ataíde e do Pároco António Jorge, iniciou-se um

conjunto de trabalhos que pretendem oferecer melhores condições de vida a quem precisa. “O Agrupamento não pode deixar de direcionar uma palavra de apresso e agradecimento ao Pároco Avelino que nos acompanhou desde o início, desde a nossa primeira promessa de escuteiro até à partida da vida escutista e por isso fará sempre parte da Família Escutista do 925!”, realça a Caminheira.

ter uma carreira desportiva. Foi com grande alegria que a família e amigos receberam a notícia que a jovem iria representar a seleção. “Quando entrei para o Amarantus, apesar de dar sempre o meu máximo, nunca pensei que atingiria este objetivo tão cedo. Apesar de ter sido uma adaptação complicada à equipa com a qual joguei, pela falta de cumplicidade e hábitos de jogo, adorei a experiência e espero vir a repeti-la brevemente”.

“Baden Powell (fundador dos escuteiros) na sua última mensagem disse: “Mas o melhor meio para alcançar a felicidade é contribuir para a felicidade dos outros. Procurai deixar o mundo um pouco melhor de que o encontraste”. É com esse lema que os escuteiros procuram trabalhar todos os dias: “Ser Bom! Ser Amigo! Ser Delicado! Ser Especial! Ser Notável!”, concluiu Marlene Dias.


8

abril de 2015 - Jornal de Vila Meã

ATUALIDADE Alimentação Segura Apesar dos esforços contínuos das entidades governamentais de todo o mundo para melhorar a segurança da cadeia de alimentos, as doenças de origem alimentar continuam a ser um problema significativo de saúde pública, tanto nos países desenvolvidos como nos países em desenvolvimento. Estima-se que por ano, 1.8 milhões de pessoas morram devido a doenças diarreicas que na maioria dos casos estão relacionadas com origem nos alimentos ou água contaminados. Mais de 200 doenças conhecidas têm origem alimentar. Os agentes responsáveis pela contaminação dos alimentos podem ser de origem biológica (bactérias, bolores, vírus e parasitas), química (vestígios de detergentes ou venenos por exemplo) ou física (areia, plástico, entre outros). Os alimentos podem ficar contaminados em diferentes pontos da cadeia alimentar, que começa na produção primária (uma horta, por exemplo) e vai até ao momento do consumo do alimento (em nossas casas, por exemplo). As doenças de origem alimentar podem afetar um grande número de pessoas ao mesmo tempo porque os alimentos são produzidos e consumidos globalmente. Os sintomas mais frequentes são dores de estômago, vómitos e diarreia, dores de cabeça, febre, fadiga ou mesmo perturbações do sistema nervoso (visão ou fala), dificuldade respiratória, septicémia, meningite, aborto, parto prematuro e em situações extremas, morte. Os sintomas aparecem 24-72 horas após a ingestão do alimento contaminado. A doenças de origem alimentar podem ser prevenidas através da aplicação de boas práticas na mani-

pulação dos alimentos. Como preparadores de alimentos em nossas casas, podemos promover a segurança das nossas refeições seguindo as cinco regras simples para a promoção de Segurança Alimentar indicadas pela Organização Mundial da Saúde:

1. Mantenha a limpeza: Apesar de a maior parte dos microrganismos não provocar doenças, grande parte dos mais perigosos encontra-se no solo, na água, nos animais e nas pessoas. Estes microrganismos são transmitidos pelas mãos, passando para roupas e utensílios onde facilmente podem passar para o alimento. • Lave as mãos antes de iniciar a preparação dos alimentos e, frequentemente, durante todo o processo; • Lave as mãos depois de ir à casa de banho; • Higienize todos os equipamentos, superfícies e utensílios utilizados na preparação dos alimentos; • Proteja as áreas de preparação e os alimentos de insetos, pragas e outros animais.

2. Separe alimentos crus de alimentos cozinhados: Alimentos crus, especialmente a carne, peixe e os líquidos que libertam (chamados de exsudados), podem conter microrganismos perigosos que podem ser transferidos para outros alimentos. • Separe carne e peixe crus de outros alimentos; • Utilize diferentes equipamentos e utensílios (como facas ou

tábuas de corte) para alimentos crus e alimentos cozinhados; • Guarde os alimentos em embalagens ou recipientes fechados, para que não haja contacto entre eles.

• Refrigere rapidamente os alimentos cozinhados e/ou perecíveis (preferencialmente abaixo de 5 ºC������������������������������� ) e mantenha os alimentos cozinhados quentes (acima de 60 ºC) até ao momento de serem servidos; •

Não armazene alimentos

3. Cozinhe bem os alimen- durante muito tempo, mesmo que seja no frigorífico; tos: Uma cozedura adequada consegue matar quase todos os microrganismos perigosos. Cozinhar os alimentos a uma temperatura acima dos 70 ºC garante um consumo mais seguro. Os alimentos que requerem mais atenção incluem carne picada, rolo de carne, grandes peças de carne e aves inteiras. • Deve cozinhar bem os alimentos, especialmente carne, ovos e peixe; • As sopas e guisados devem ser cozinhados a temperaturas acima dos 70 ºC. Use um termómetro para confirmar. No caso das carnes, assegure-se que os seus exsudados são claros e não avermelhados; • Se reaquecer alimentos já cozinhados assegure-se que o processo é o adequado.

• Não descongele os alimentos à temperatura ambiente.

5. Utilize água e matérias-primas seguras: As matérias-primas, incluindo a água e o gelo, podem estar contaminadas com microrganismos perigosos ou químicos. Podem formar-se químicos tóxicos em alimentos estragados ou com bolor. Tenha atenção na escolha das matérias-primas. • Use água segura; • Selecione alimentos variados e frescos; • Escolha alimentos processados de forma segura, como o leite pasteurizado; • Lave frutas e vegetais, especialmente se forem comidos crus.

4. Mantenha os alimentos a temperaturas seguras: Os microrganismos podem multiplicar-se muito depressa se os alimentos estiverem à temperatura ambiente. Mantendo a temperatura abaixo dos 5 ºC e acima dos 60 ºC, a sua multiplicação é retardada ou mesmo evitada. • Não deixe alimentos cozinhados, mais de 2 horas, à temperatura ambiente;

Ana Catarina Teixeira Dietista Estagiária (CP 1051DE) anacatarinateixeira17@gmail.com

Toponímia de Vila Meã Rua Professor Soares Situada em Real, inicia-se na Rua de Santa Comba e termina na Rua Fidalgo do Carvalho, em frente ao adro da Igreja, no entroncamento da Rua das Cruzes com a Rua de Nossa Senhora de Fátima. Esta artéria recorda uma figura de grande prestígio social, que marcou durante décadas o ensino na nossa terra. Não só na Escola Primária de Real mas também no Externato de Vila Meã, de que foi um dos fundadores e onde também leccionou. Antes da existência deste

estabelecimento de ensino, era em sua casa que o Professor Soares preparava os alunos para o exame de admissão ao Liceu e para os exames do 2.º ano liceal (actual 6.º ano). De origem modesta (era filho e neto de lavradores), José Ribeiro Soares (assim era o seu nome) nasceu em Vila Boa de Quires, concelho de Marco de Canaveses, no dia 1 de Abril de 1903. Foram seus pais Rodrigo Ribeiro (natural de Abragão) e Maria Rosa (natural de Vila Boa de Quires). Era neto paterno de Francisco Ribeiro e Margarida de Faria e neto materno de Ermelindo Correia e Libânia

Rosa Teixeira. Casou, a 7 de Fevereiro de 1926, na sede do seu concelho natal, com Maria dos Prazeres Pereira Cardoso. Desta união houve dois filhos: António (que foi professor) e Rui (que foi médico). Por iniciativa de um conjunto de cidadãos, em que é justo destacar Eduardo José Vieira (proprietário da Farmácia São Pedro, deputado e 1.º director do jornal Riba-Tâmega), Vila Meã prestou-lhe uma digna e merecida homenagem no dia 1 de Abril de 1979, data em que completava 76 anos, que foi designado “Dia da Gratidão”. No Largo da

Feira foi levantado um monumento em sua honra, da autoria do escultor Manuel Dias. O medalhão em bronze, que nele se encontra, foi replicado em medalha, numa edição numerada. A execução esteve a cargo da Medalhística Disart (Porto). Reproduz, no anverso, a efígie do homenageado; no verso, a frase (atribuída a Teixeira de Pascoaes) “Mais vale uma flor em vida que um jardim depois de morto”. O Professor José Ribeiro Soares faleceu no dia 25 de Novembro de 1981. Está sepultado no cemitério de Real. António José Queiroz


9

Jornal de Vila Meã - abril de 2015

ATUALIDADE

Partilhiniciativa dispõe de serviço de apoio ao emprego A API - Partilhiniciativa Associação de Ação Social dispõe de um Gabinete de Apoio ao Emprego - Rumo ao Futuro (GAE) com o objetivo de oferecer um serviço que auxilie os desempregados na sua inserção no mercado de trabalho. O GAE dirige-se a:

1. Ativos Desempregados/ Ativos empregados à procu-

ra de novas oportunidades:

- Apoio na procura de emprego (encaminhamento, elaboração de currículos adaptados ao lugar pretendido);  - Apoio na procura de formação profissional adaptada as suas necessidades;  - Informação sobre as várias medidas de emprego (apoios existentes consoante a idade e escolaridade); - Informação sobre as medidas de criação do próprio emprego;

- Sessões de informação sobre emprego e formação profissional.

2. Empresas/ Instituições...:

- Apoio na divulgação de ofertas de emprego;  - Encaminhamento de candidatos;  - Apoio na seleção de candidatos;  - Sessões de informação sobre medidas de emprego.

3. Empresas de Formação Profissional

- Apoio na divulgação da oferta

formativa; - Encaminhamento de candidatos;  - Apoio na seleção de candidatos.

4. População em geral

- Apoio nas dúvidas sobre emprego, formação profissional e empreendedorismo.

Na API encontrará um atendimento personalizado e diferenciador por apenas uma quota anual de 5 euros.

Centro Veterinário de Vila Meã organiza III Cãominhada À semelhança de ���������������� anos anteriores, o Centro Veterinário de Vila Meã irá organizar no próximo dia 24 de maio a III Cãominhada. O objetivo desta iniciativa é promover a sociabilização entre os animais de companhia, nomeadamente o cão, assim como a angariação de fundos para a Animarco- Associação dos Amigos dos Animais de Marco de Canaveses. PROGRAMA: 14h30 - Concentração junto do Centro Veterinário de Vila Meã 15h00 - Palestra “Nutrição em Animais de Companhia”  15h30 - Início da Cãominhada  17h00 - Fim da Cãominhada no Parque de Lazer Dr. Mota  17h10 - Sorteio  17h30 - Lanche Convívio As inscrições terão um custo de 2 euros que reverterão na totalidade para a Associação Animarco e são abertas a todas as pessoas com ou sem animal de estimação. Os inte-

ressados poderão inscrever-se nas instalações do centro veterinário, através do telemóvel: 914 565 212

ou email: cvetvilamea@gmail.com. Nesta edição a Cãominhada conta com o apoio da Associação

Animarco, da Junta de Freguesia de Vila Meã, da API - Partilhiniciativa e da Advance de Affinity.


10

abril de 2015 - Jornal de Vila Meã

ATUALIDADE

União das Freguesias de Real, Ataíde e Oliveira passa a designar-se freguesia de Vila Meã O Parlamento aprovou no passado dia 17 de abril alterações aos nomes de seis freguesias nos municípios de Amarante, Vila Real, Viseu e Mondim de Basto. Por proposta do PS, a União das Freguesias de Real, Ataíde e Oliveira (Amarante) foi renome-

ada Freguesia de Vila Meã, ao passo que a União das Freguesias de Vila Real (Nossa Senhora da Conceição, São Pedro e São Dinis) passa a Freguesia de Vila Real. As outras quatro novas designações foram propostas pela

maioria PSD/CDS-PP: em Viseu, a União das Freguesias de São Cipriano e Vil de Souto passou a São Cipriano e Vil de Souto, a União das Freguesias de Couto de Baixo e Couto de Cima passou a Coutos de Viseu e a União das Freguesias de Repeses e São

Salvador passou a Repeses e São Salvador. Em Mondim de Basto, a Freguesia com o nome daquela vila minhota ganhou um santo padroeiro, passando a designar-se São Cristóvão de Mondim de Basto.

Jovens de Amarante vão participar na Universidade Júnior Dezanove jovens do concelho de Amarante, selecionados pelos agrupamentos escolares e escolas não agrupadas do ensino público e privado, com base no aproveitamento e mérito escolar, vão frequentar o programa “Verão em Projeto” da Universidade do Porto (UP). O projeto está inserido na iniciativa “Universidade Júnior” e decorrerá de 29 de junho a 3 de julho de 2015. Este protocolo, estabelecido entre a Câmara Municipal de Amarante e a Universidade do Porto, resulta da consciência da

autarquia sobre o importante papel a desempenhar no que respeita à formação qualificada dos jovens do município e na aposta em estratégias que incentivem a prossecução de estudos. No âmbito desta parceria serão ainda contemplados três jovens vencedores do concurso “A Step to Stop”, promovido pela autarquia, subordinado ao tema da prevenção e luta contra a violência doméstica. O município assegurará o pagamento da propina, bem como o transporte gratuito destes jovens e ainda daqueles que por sua iniciativa pretendam frequentar a

Universidade Júnior na semana selecionada pela Autarquia até ao limite da lotação do autocarro. Os interessados deverão preencher a ficha de inscrição para o transporte, disponível em www. cm-amarante.pt e entregá-lo na Divisão de Educação, Juventude e Desporto, na Casa da Portela, na Rua Dr. Miguel Pinto Martins. O programa “Verão em Projeto” é destinado a alunos que frequentam o 9º, 10º e 11º anos e 2º ano profissional, sendo desenvolvidas atividades, designadamente, nas áreas das Engenharias às Ciências, das Letras às Ciências da Educação, da

Medicina às Ciências da Nutrição e da Alimentação, sem esquecer o Desporto, as Belas Artes, o Direito, a Economia, entre outras. A distribuição dos alunos de Amarante que participarão no programa “Verão em Projeto” é a seguinte, por estabelecimento de ensino: Agrupamento de Escolas de Amarante – 4 alunos; Agrupamento de Escolas Amadeo de SouzaCardoso – 4 alunos; Externato de Vila Meã – 3 alunos; Escola Secundária de Amarante - 3 alunos; Colégio de S. Gonçalo – 3 alunos e Escola Profissional António Lago Cerqueira – 2 alunos.

Rede Social de Amarante promoveu sessão de Yoga do Riso No passado dia 30 de abril decorreu no Centro Pastoral de Amarante uma sessão de Yoga do Riso que teve como público-alvo os clientes das IPSS com valências para a terceira idade. A iniciativa fazia parte da agenda cultural sénior da Rede Social, promovida pelo Município de Amarante. A sessão começou com uma reflexão sobre os benefícios do riso, dando de seguida origem a alongamentos, exercícios de respiração e exercícios de simulação do som da gargalhada. Inicialmente, os participantes apenas emitiam o som do riso, mas gradual e espontaneamente, o riso natural começou por surgir e o contágio foi inevitável, permitindo aos intervenientes, de uma forma lúdica e divertida, a libertação de bloqueios e energias negativas. Esta iniciativa contou com a participação de cerca de 95 idosos das seguintes entidades: Adesco; Associação de Solidariedade Social “O BemEstar”; Associação Emília Conceição Babo; Associação Humanitária de Santiago; Associação Progredir; Centro Social Vale Santa Natália; Centro Social e Cultural da Paróquia do Divino Salvador de Real e Cercimarante. No final era notória a satisfação e alegria dos Seniores, que encaravam o riso como uma ferramenta eficaz na melhoria da saúde física e mental.

Programa da Biblioteca Albano Sardoeira Pólo de Vila Meã- mês de maio


11

Jornal de Vila Meã - abril de 2015

ATUALIDADE ATLÉTICO CLUBE VILA MEÃ Resultados do mês de abril

Seniores- Campeonato de Elite Pro-Nacional 12/4/2015- Valadares Gaia 1-1 A.C. Vila Meã 19/04/2015- A.C. Vila Meã 1-0 Leça 26/04/2015- AD Grijo 0-0 A.C. Vila Meã  

Juniores- Campeonato Distrital 1º Divisão A.F. Porto 11/04/2015- A.C. Vila Meã 1-3 Alfenense 18/04/2015- UD Valonguense 2-2 A.C. Vila Meã

Juvenis- Campeonato Distrital 2º Divisão A.F. Porto   12/04/2015- Sousense 14-0 A.C. Vila Meã  

Iniciados- Campeonato Distrital 2º Divisão A.F. Porto 12/04/2015- ACDFC Calçada 2-1 A.C. Vila Meã 19/04/2015- FC Felgueiras 1932 1 –1 A.C. Vila Meã

26/04/2015- Alpendorada 1-2 A.C. Vila Meã

Infantis- Campeonato Distrital 1º Divisão A.F. Porto 11/04/2015- Penafiel 4-1 A.C. Vila Meã

Benjamins Sub. 11- Campeonato Distrital – Sub.11 II Fase   11/04/2015- S.C. Freamunde 2-2  Vila Meã 18/04/2015- Vila Meã 2-1 UD Sousense 25/04/2015- Vila Meã 1-6 Amarante  

Benjamins Sub. 10- Campeonato Distrital - Sub 10 Taça Complementar 18/04/2015- Vila Meã 2-0 C.C.D. Sobrosa 11/04/2015-Vila Meã 4-0 F.C. Paços Ferreira 25/04/2015- F.C. Romariz 1-7 Vila Meã

Centro Columbófilo de Vila Meã Até ao momento já foi realizado metade do Campeonato de Columbofilia, tendo- se executado três concursos de Velocidade, quatro de Meio-Fundo e dois de Fundo. No entanto, segundo o Centro de Vila Meã a fase mais complicada ainda está para acontecer uma vez que faltam quatro concursos de Fundo (a realizar em Espanha), que são consideradas das provas mais difíceis. A classificação está ordenada da

seguinte forma: Fernando Freitas & Filho- 1º da Geral/1º Velocidade/1º Meio Fundo/2º Fundo Os Barros- 2º da Geral/ 3ºVelocidade/ 3º Meio Fundo/ 1ºFundo José Fernando (repas) - 3º da Geral/ 4ºVelocidade/ 5º Meio Fundo/ 3º Fundo Santana- 4º da Geral/ 2ºVelocidade/ 6º Meio Fundo/ 4º Fundo Daniel Carvalho- 5º da Geral/

6ºVelocidade/ 4º Meio Fundo/ 6º Fundo Júlio- 6º da Geral/5º Velocidade/ 2º Meio Fundo/ 9º Fundo Manuel António- 7º da Geral/ 9ºVelocidade/ 7º Meio Fundo/ 10ºFundo Silvino Leite- 8º da Geral/ 7ºVelocidade/ 8º Meio Fundo Miguel Lopes- 9º da Geral/ 10ºVelocidade/ 9º Meio Fundo/ 5º Fundo Rodrigo Mesquita- 10º da Geral/

11ºVelocidade/ 10ºMeio Fundo/ 7º Fundo Manuel Bessa- 11º da Geral/ 8ºVelocidade/ 11ºMeio Fundo António Batista- 12º da Geral/ 12ºVelocidade/ 8º Fundo Casimiro- 13º da Geral Diogo- 14º da Geral Até ao concurso de Montargil o primeiro classificado do bloco 7 da Associação Columbófila do Distrito do Porto é o concorrente Fernando Freitas & Filho do Centro Columbófilo de Vila Meã.


12

PUBLICIDADE

abril de 2015 - Jornal de Vila Me達

Profile for Jornal de Vila Meã

Jornal de Vila Meã  

Notícias de Vila Meã

Jornal de Vila Meã  

Notícias de Vila Meã

Profile for aevilamea
Advertisement