Anuário 2020|2021 do Agrupamento de Escolas de Valongo do Vouga

Page 1



2018/2019 é marcado, entre outros pontos, pela continuação do aumento do número de alunos do AEVV. A biblioteca viu vários projetos aprovados, os resultados académicos e desportivos melhoraram. Vieram até nós muitos meninos e meninas oriundos de outros países. O agrupamento fez novas aquisições para melhorar o processo ensino-aprendizagem dos alunos, nomeadamente projetores novos, mesas de jardim (para apurar o diálogo olhos nos olhos), televisão no bar, novos equipamentos de som para os eventos/espetáculos. Os profissionais da educação (professores, técnicos e assistentes) enfrentaram as mudanças, tão exigentes, que decorrem da legislação (em especial, o DL nº54/2018 e do DL nº55/2018), os quais determinaram um movimento/”revolução” que procura integrar melhor os alunos e orientá-los, pedagogicamente, para mais e melhor sucesso, de acordo com as exigências do Perfil do Aluno à Saída da Escolaridade Básica e dos tempos atuais. 2019/2020 começou bem, com uma receção personalizada dos alunos e dos encarregados de educação. Continuou com o Halloween, as Olímpíadas Portuguesas de Matemática, as Assembleias de Delegados e Subdelegados, a Feira da Alimentação na EBVV, a Rota dos Media de Águeda, a promoção da literacia científica (atividades experimentais – Dia da Ciência e Clube Ciência Viva), a amostra de presépios construídos pelos alunos, as Festas de Natal, workshop Falar Europa (JN), Campeonato Nacional de Literacia 3Di, Esta Escola é Mega Fixe, interação com jovens voluntários de outros países do Centro de Juventude de Águeda, projeto Rádio Escolar, atividades do Clube da Europa, a arte na Escola... O pior era o que estava para vir. Inesperadamente, um vírus veio ameaçar-nos com a doença covid-19, obrigar-nos a fechar as escolas, a confinarmos em casa, a mudar o nosso modo de vida. Tivemos que mudar hábitos de vida, de estudo, de trabalho, sempre à distância, cumprindo regras rigorosas de defesa da saúde e da segurança de cada um, logo de todos! Estudar em casa trouxe-nos novos desafios, dificuldades e potencialidades, mas também (as) saudades da escola, dos colegas, do olhar olhos nos olhos, do abraço… O Anuário deste ano foi especialmente custoso. Mas também especialmente importante, pois, em tempo de medo, receio, insegurança, mostrou o quão necessário era acompanhar a evolução do combate, do antes ao depois da pandemia, ou seja, tinha que ser mensageiro da esperança! E eis-nos em 2020/2021, mais um ano com aumento do número de alunos. E ainda marcado pela covid-19, doença originada por um vírus, mais que minúsculo, que nos pôs doentes e domina(ou) o nosso planeta, obrigou-nos a ficar em casa, primeiro, e a sermos mais cuidadosos e higiénicos, alertou-nos para a necessidade de melhorarmos as nossas práticas e de preservarmos a nossa Terra (no ano anterior ilustrámos “telas pela defesa do Planeta”, uma iniciativa da JFVV). E o vírus teimou na ameaça, permanecendo entre nós, não se deixando vencer facilmente. Queremos e temos que continuar esta luta, tendo esperança que o Anuário deste ano marque também a evolução da covid à pós-covid-19, isto é, que reflita a melhoria lenta mas gradual da saúde e da segurança das pessoas. Para que assim seja, temos que ser resilientes, responsáveis, persistentes e, com responsabilidade serena, seguirmos as regras que a DGS definiu para o combate ao coronavírus.

8

anos depois, dois sentimentos nos preenchem o coração:

- um alegre sentimento por termos sido capazes de oferecer esta revista a todos os nossos alunos e famílias. Quem tem os Anuários (na sua estante) tem um pedaço da História deste agrupamento, isto é, tem uma parte importante da história de vida de cada um dos nossos alunos (e dos assistentes, professores e técnicos). Bem haja!; - um sentimento gigantesco de gratidão devido a todos as pessoas, colaboradores, beneméritos, parceiros e/ou empresas e instituições que tornaram possível a edição dos oito números do nosso/vosso Anuário. Bem haja!\ VALONGO DO VOUGA: QUANDO APETECE IR À ESCOLA! Muito gratos! Vítor Manuel Tavares Martins Teresa Alexandra R. Olaio Maria Goreti Graça da Silva Jorge Manuel F. de Almeida

Com estima, o diretor, Vítor Manuel T. Martins

1


Escola Básica de Macinhata do Vouga

J.I.|Grupo A

Turma 1º A 2


Turma 2º B

Turma 3º C 3


Turma 4º D

Escola Básica da Trofa

J.I.|Grupo B 4


J.I.|Grupo C

J.I.|Grupo D 5


Turma 1º E

Turma 1º F 6


Turma 2º G

Turma 2º H 7


Turma 3º I

Turma 3º J 8


Turma 4º K

Turma 4º L 9


Turma 4º M

Escola Básica de Valongo do Vouga

J.I.|Grupo E 10


J.I.|Grupo F

J.I.|Grupo G 11


J.I.|Grupo H

Turma 1º N 12


Turma 1º O

Turma 2º P 13


Turma 2º Q

Turma 3º R 14


Turma 3º S

Turma 4º T 15


Turma 4º U

Escola Básica de Valongo do Vouga - 2º e 3º Ciclo

Turma 5º A 16


Turma 5º B

Turma 5º C 17


Turma 6º A

Turma 6º B 18


Turma 6º C

Turma 6º D 19


Turma 7º A

Turma 7º B 20


Turma 7º C

Turma 7º D 21


Turma 7º E

Turma 8º A 22


Turma 8º B

Turma 8º C 23


Turma 9º A

Turma 9º B 24


Turma 9º C

Turma 9º D 25


Escola Básica da Trofa - Docentes e Assistentes

Escola Básica de Macinhata do Vouga - Docentes e Assistentes

26


Escola Básica de Valongo do Vouga - Docentes e Assistentes

Escola Básica de Valongo do Vouga 2º e 3º ciclo- Assistentes

27


Escola Básica de Valongo do Vouga 2º e 3º ciclo- Docentes e Técnicos

Covid e Educação pós-Covid-19 As XIII Jornadas de Valongo do Vouga, que versaram sobre a temática “Escola e Educação pós-covid: Que Família? Que Assistente? Que Professor?”, realizadas no dia 1 de abril, online, organizadas pelo Agrupamento de Escolas de Valongo do Vouga, contaram com mais de cento e vinte participantes, entre professores, técnicos, assistentes, pais/ encarregados de educação, parceiros educativos, oriundos da comunidade educativa valonguense/concelho de Águeda, mas também com participantes de outros concelhos do país. Dinamizadas pelas Professoras Dr.as Ariana Cosme e Daniela Ferreira, da Faculdade de Psicologia e Educação da Universidade do Porto, da Equipa de Peritas Externas do Programa Território Educativo de Intervenção Prioritária, as jornadas permitiram um debate sobre como lidar com diferentes dimensões da problemática Covid-19 nos contextos familiar e escolar, na busca de um equilíbrio formativo, entre saúde e educação. Foram debatidas, entre outras, questões como as problemáticas da aprendizagem (presencial e à distância), da avaliação (formativa e sumativa), da imprescindibilidade da saúde em relação ao formalismo pedagógico-avaliativo, da escola como fator de elevador social e de democratização da cultura ou, ao invés, como tendência de aumento da discriminação entre alunos. Num registo muito personalizado e informal foi possível, melhor, foi bom poder confrontar perspetivas, de diferentes agentes educativos (escola, família, comunidade), sempre com o objetivo de aprimorar o ato educativo. Tem sido, aliás, esse o vetor central da realização continuada das jornadas educativas de Valongo do Vouga (a primeira edição não presencial). Bem haja, em nome do diretor/direção, a todos os participantes e a todos os que contribuíram para a realização deste evento (e de todas as edições, desde 2007). Saúde! Vitor Martins 28


XIII Jornadas Educativas - ON-LINE

29


30


31


Eco-Escolas | Somos um Eco-Agrupamento

32


33


DIa 28 de maio, a Escola Básica de Macinhata do Vouga celebrou o Dia Mundial da Energia, de acordo com o Plano de Atividades do Projeto Eco-Escolas. Esta celebração culminou com a colocação de cata-ventos, em material reutilizado, feitos pelos alunos com ajuda dos pais, no período de confinamento. O resultado está à vista e a alegria das crianças é indescritível!

Hastear da bandeira Eco-escolas na escola básica de Macinhata do Vouga 34

Hastear da bandeira Eco-escolas na escola básica da Trofa


Desporto Escolar

Ténis de Mesa

35


Biblioteca Escolar… porque há sempre algo a descobrir nos livros! Top RBE – Ser detetive por um dia...

Aprender a ser + Cidadão

Concurso intermunicipal de Leitura

36


Abril. Mês da prevenção dos maus tratos na Infância:” Serei o que me deres, que seja amor!”

PordataKids – o nosso país em números!

Experiências com histórias… Magia? Explosões? Palavras? Ação?

Encontro com as autoras de “Uma Aventura … ”

“10 minutos a ler” pois ler é prazer!

Dia Mundial da Língua Portuguesa

37


Culinária

38

Departamento de Educação Especial


Descobrindo a Arte

Atividade do Dia da Mãe

“A construção do sucesso depende de ti”

Construção de Relógio

39


ARTE URBANA NA ESCOLA

O Agrupamento de Escolas de Valongo do Vouga prossegue a sua matriz curricular diversificada, em resposta à formação integral das crianças/jovens, aos seus gostos e aptidões, no âmbito do Perfil do Aluno à Saída da Escolaridade Obrigatória e do Programa Território Educativo de Intervenção Prioritária (TEIP). Neste contexto, oferece aos alunos do 9º ano de escolaridade a disciplina, semestral, de “Arte Urbana”, criada para o presente ano letivo (oferta de escola). Tal opção tem-se mostrado muito positiva, pois os alunos, enquadrados numa realidade artística atual, envolvem-se em dinâmicas de trabalho que possibilitam uma relação saudável e respeitosa pelos espaços onde diariamente convivem, embelezando-os. Este projeto integra dinâmicas e aproxima os alunos do pensamento da arte e o desejo de superação de capacidades.

40


A Arte na Escola - Trabalhos vários

41


Alimentação Saudável

Uma alimentação saudável é aquela que fornece a energia e nutrientes necessários ao bom funcionamento do organismo e à manutenção do bem-estar físico e mental. É crucial para o crescimento e desenvolvimento das crianças e adolescentes. É igualmente fundamental na prevenção de algumas doenças crónicas. Para termos uma alimentação saudável esta deverá ser completa, variada e equilibrada, proporcionando energia adequada e bem-estar físico ao longo do dia. A crescente influência da publicidade a alguns produtos alimentares e a algumas más práticas culturais tem levado a um crescente consumo de produtos com excesso de açúcar, sal e gorduras, o que tem como consequência o aumento da incidência de doenças como a obesidade, as diabetes, a hipertensão arterial, a anemia, doenças cardiovasculares, cancro, entre outras. Assim, é fundamental e urgente alterar alguns hábitos e rotinas alimentares atuais e promover regras básicas conducentes à saúde, considerando sempre as necessidades nutritivas de cada pessoa, de acordo com a sua idade, sexo, estado de saúde, entre outros e acompanhando esta com atividade física regular e descanso adequado. Algumas regras: - Usar a Roda dos Alimentos como ajuda para escolher e combinar os alimentos na nossa alimentação diária. As diferentes divisões representam a proporção da quantidade em que esses alimentos deverão ser consumidos; - Diversificar a alimentação; - Evitar estar mais de três horas em jejum de dia e oito horas durante a noite; - Tomar sempre pequeno-almoço – leite e derivados, pão escuro, cereais integrais e fruta fresca; - Fazer cinco a seis refeições por dia; - Aumentar o consumo de hortaliças, legumes e frutas; - Iniciar o almoço e o jantar com uma sopa de legumes; - Preferir peixe e carnes magras (aves); - Preferir fruta como sobremesa; - Evitar fritos; - Evitar alimentos salgados; - Beber água em abundância; - Evitar refrigerantes e bebidas artificiais; - Evitar açúcar e alimentos açucarados; - Usar, preferencialmente, o azeite para temperar e cozinhar; - Reduzir o consumo de gorduras, sobretudo as de origem animal; - Ter uma atitude crítica em relação à publicidade a alimentos; - Saber ler e interpretar rótulos alimentares; - Comer devagar e mastigar bem os alimentos; - Não comer em excesso; - Ingerir alimentos ricos em fibras; - Evitar alimentos muito quentes ou muito frios; - Preferir os alimentos da época e de produção local; - Usar ervas aromáticas para diminuir o sal; - Consumir frutos gordos em substituição de snacks pouco saudáveis; Professor Nelson Barata

Aluno, o que fazes? Lara, o que fazes na cozinha? Como uma papinha.

Para cada um seu modo de ver ( Reescrita) Diz a Alícia: Hoje, estou feliz, porque apanhei uma perdiz.

Diz o Ricardo: O meu amigo Mauro desenhou um dinossauro.

Diz a Vitória: Adoro estar ao calor, junto do meu amor.

Diz a Lara Silva: Estive doente, com dores num dente.

Vitória, o que fazes no avião? Viajo com o meu irmão.

Diz a Iara: Comi uma papaia, quando fui à praia.

Diz o João: Já fui a Espanha E vivi na Alemanha.

Lara, o que fazes em Macinhata? Faço uma pinhata. Ricardo, o que fazes no elevador? Arranjo o motor.

Diz o Simão: Sou um agricultor e ando no meu trator.

Diz o Vítor: Eu falo francês, mas sou português.

Diz a Lara Margarida: Eu vi um pato, dentro de um sapato.

Diz a Luana: Eu tenho um irmão, que adora televisão.

Diz a Ana Luísa: Encontrei um jaguar, numa noite de luar.

Diz o Diogo: No nariz, tenho algodão, porque bati no paredão.

Diz a Ana João: Avistei um cão, a pilotar um avião.

Diz a Rosa Estimado: Na minha sala de aula, não há nenhuma Paula.

Vítor, o que fazes no quarto da mana? Embalo-a na cama. Alícia, o que fazes no corredor? Pinto com um marcador. Luana. o que fazes na cantina? Como uma tangerina. Simão, o que fazes no quintal? Brinco com o animal.

Ana, o que fazes no Ninho? Estudo um bocadinho. Ana Luísa, o que fazes no jardim? Descasco um amendoim. Lara Silva, o que fazes no recreio? Salto sem receio. João, o que fazes em Lisboa? Levo uma vida boa. Diogo, o que fazes na feira? Compro uma cadeira. Professora, o que fazes na aula? Ensino a Paula. 42

Turma 4º D

Turma 4º D


Eleição dos novos membros para o Conselho Geral (Quadriénio 2021-2025)

No dia 8 de abril o Conselho Geral do Agrupamento de Escolas de Valongo do Vouga elegeu novos representantes dos professores e do pessoal não docente para o quadriénio 2021/2025. Foi a votos uma lista de representantes daqueles, encabeçada pela professora Maria do Rosário Rocha, e outra lista de representantes deste, encabeçada pela atual coordenadora dos assistentes operacionais Fernanda Paula Duarte Arede Nunes. Apesar de concorrer apenas uma lista para cada representação, o ato eleitoral foi bastante participado (mais de oitenta por cento de professores votou, mais de noventa e sete por cento de assistentes exerceu o seu direito de voto). Sai, assim, reforçada a dinâmica de agrupamento e parabeniza-se a disponibilidade dos eleitos, com desejos de um bom trabalho. Valongo sempre a VaLer!

Mensagem da Presidente do Conselho Geral (Quadriénio 2021-2025) No final de mais um ano letivo assombrado pela pandemia, é chegada a ocasião de fazermos um balanço. Foram tempos difíceis em que, mais do que nunca, professores, alunos, famílias, técnicos, assistentes e parceiros educativos uniram forças e, em conjunto, continuaram a dignificar a educação. É, pois, o momento de refletirmos sobre o que fizemos e começarmos a perspetivar um futuro que se prevê cheio de novidades. Em termos pessoais, o meu desafio consistiu em presidir ao Conselho Geral deste agrupamento do qual muito me orgulho. Acredito que devemos aprender o que a pandemia nos ensinou e continuar a pugnar em conjunto pela formação de cidadãos conscientes, tolerantes, solidários e justos. Apesar das dificuldades que enfrentámos, soubemos erguer-nos e ultrapassar os muitos obstáculos que surgiram no caminho tornando este agrupamento num local de excelência. Os professores reinventaram a forma de lecionar, os alunos aprenderam a trabalhar autonomamente e a escola passou a entrar em casa das famílias. A comunidade uniu-se, apareceram computadores e foi dado acesso à internet a quem não tinha estes meios. Os técnicos continuaram a apoiar alunos, famílias e professores. As assistentes estiveram sempre presentes na escola, zelando pela segurança dos nossos alunos. Por fim, a Direção, qual maestro, orquestrou todos estes intervenientes assegurando-se que tudo corria bem. Este anuário espelha todo o trabalho que faz deste Agrupamento uma comunidade unida e solidária.

Vamos, pois, continuar a unir esforços em prol dos nossos alunos!

Presidente do Conselho Geral Maria do Rosário Rocha 43


Prémio Cívico Dr. Pedro Xavier atribuído a alunos do 6º ano (2019/2020)

No dia 16 de outubro, pelas 17:30h, na escola sede do Agrupamento de Escolas de Valongo do Vouga foi realizada a sessão pública de entrega do Prémio Cívico Dr. Pedro Xavier a alunos do 6º ano de 2019/2020. Este prémio, habitualmente, dá aos premiados a oportunidade de viverem uma experiência cultural diferente (viagem de comboio, concerto de música, dormida num hotel, visita a museu ou experiência gastronómica); no presente momento, por força da covid-19, as premiadas (Stefany Gonçalves, Joana Jesus, Mariana Abreu, Maria Francisca Mendes e Paula Pinheiro) foram agraciadas com uma experiência alternativa, um vale de compras. O importante deste prémio não é o que se recebe, mas sim o espírito de que se reveste; trata-se de premiar alunos que, mais do que a consideração dos resultados académicos, se destacam pelas suas atitudes de colaboração, esforço, entreajuda, companheirismo, numa lógica próxima do que agora se designa por mentoria; ou mesmo na senda do sábio antigo: “educar não é encher cabeças, é sim fazê-las bem”.

Halloween

Este ano, celebramos um Halloween diferente, mas igualmente emocionante e criativo! - “SCARY CONTEST” Até ao dia 28 de outubro, muitos foram os alunos que acederam à plataforma Educativa Teams e lá colocaram trabalhos com muita imaginação e feitos com carinho! Entre as vossas obras de Arte, encontrámos fotos, desenhos, disfarces de Halloween e mesmo montagens alusivas ao tema! Vimos também trabalhos feitos em WordArt com palavras e formatos de Halloween! Foram tantos os trabalhos de qualidade do 1º, 2º e 3º ciclo que o júri se viu literalmente “às aranhas” para decidir. Após muito debate e seguindo difíceis regras de seleção decidiu-se entregar três prémios (três primeiros lugares) e seis prémios de consolação.

Três primeiros Prémios 1º Prémio: Creepy Tik Tok da Ana Fernandes e Carolina Neves (7C) 2º Prémio Haunted House WordArt do Gonçalo Martins (9A) 3º Prémio Spinach Halloween Cake do Rafael Correia (3C) 44


XXXIX Olimpíadas Portuguesas de Matemática

No passado dia 11 de novembro realizou-se, na nossa escola, a 1.ª eliminatória das XXXIX Olimpíadas Portuguesas de Matemática, com participação dos alunos do 5º ao 9º ano, distribuídos por categorias, de acordo com o ano de escolaridade. As Olimpíadas Portuguesas de Matemática têm a sua origem num concurso, designado por Mini-Olimpíadas de Matemática, realizado em 1980 por iniciativa de António Leal Duarte, Jaime Carvalho e Silva e João Filipe Queiró, membros da Sociedade Portuguesa de Matemática (SPM), em que participaram diversas escolas da região centro do país. Atualmente, as Olímpiadas Portuguesas de Matemática constituem um dos acontecimentos na área da Ciência que mais jovens envolve em todo o país. Estas provas, organizadas anualmente pela Sociedade Portuguesa de Matemática, são um concurso de problemas de Matemática, que visa incentivar e desenvolver o gosto pela Matemática. Os problemas propostos neste concurso fazem sobretudo apelo à qualidade do raciocínio, à criatividade e à imaginação dos estudantes. São fatores importantes na determinação das classificações o rigor lógico, a clareza da exposição e a elegância da resolução. Os alunos selecionados, nesta primeira eliminatória, de acordo com o regulamento das OPM, irão participar numa segunda eliminatória, que funciona como uma final regional. O grupo de docentes de Matemática dá os parabéns a todos os alunos que participaram nesta iniciativa! Tendo em conta as contingências do tempo de pandemia em que vivemos e tendo o cuidado para que a prova se realizasse em condições de segurança para todos, queremos ter uma palavra de agradecimento a todos os colegas que nos ajudaram na organização e distribuição dos alunos pelos diferentes espaços da escola, onde esta prova se realizou, e às assistentes operacionais que prontamente se disponibilizaram para a desinfeção dos referidos espaços. A todos o nosso bem-haja! Os docentes dinamizadores: Alcina Magalhães, Ana Paulino e Júlio Cruz

LANIDOR Kids entrega onze equipamentos informáticos ao Agrupamento Devido à evolução da pandemia foi determinado superiormente a interrupção das atividades letivas de 22 de janeiro a 5 de fevereiro e o seu reinício no dia 8 de fevereiro, mas em regime não presencial. Nesse contexto, as escolas voltam a preparar-se para o dejá vu ensino à distância, com a esperança de, o mais brevemente possível, voltarem ao regime presencial, regime pedagógico-didático por excelência. Assim, o Agrupamento de Escolas de Valongo do Vouga disponibiliza aos alunos que precisem equipamentos informáticos, por forma a que possam estudar à distância. Uma vez que tais recursos ainda não foram entregues pelo Ministério da Educação, o nosso agrupamento conta com o imprescindível e habitual apoio de diferentes entidades e pessoas, entre outras a Câmara Municipal de Águeda e a APAEV, aquela emprestando os equipamentos (tablets e kit de net), esta doando-os a alunos deste agrupamento. Outra entidade que se ofereceu para ajudar foi a LANIDOR Kids, a qual esteve representada pelo Sr. Pedro Bordonhos, no dia 5 de fevereiro, na entrega de onze equipamentos informáticos como oferta para alunos mais carenciados (num orçamento a rondar os cinco mil euros). Conta-se ainda com um bom número de tablets do agrupamento, resultantes de diferentes projetos a que tem concorrido (Biblioteca Escolar) e conseguido algum financiamento para tais equipamentos informáticos. No entanto, espera-se que seja possível regressar ao regime presencial muito em breve, em especial para os mais novos, pois parece-nos gravoso lesar crianças tão novas com a ausência da multidimensionalidade educativa relacional/presencial. Um outro apoio extremamente importante é o da Junta de Freguesia de Valongo do Vouga, nomeadamente a nível das refeições escolares, sem olvidar o de outros parceiros educativos. 45


Cyberbullying e Segurança On-line

O Agrupamento de Escolas de Valongo do Vouga aceitou o convite da Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro (CIRA) para participar em mais um grupo de foco para reflexão e discussão de temas de interesse e relevância no contexto educativo, dando simultaneamente cumprimento ao Programa Educ@RA – Plano Integrado e Inovador de Combate ao Insucesso Escolar (PIICIE). Desta feita, o tema proposto foi “Cyberbullying e Segurança On-line”, um tema que marca a atualidade socioeducativa e que tem assumido uma dimensão cada vez maior dentro e fora da escola, pelo que urge atuar ao nível da prevenção. Segundo o promotor, este grupo de foco tem como principais objetivos promover o uso seguro da internet e dispositivos móveis, prevenir o cyberbullying em contexto escolar e consciencializar os Pais/Encarregados de Educação para a importância da monitorização parental. Este grupo de foco contou com duas sessões: dia 11 maio 2021 a alunos do 3.º ciclo do ensino básico, cujo orador convidado foi o Dr. João Pedro Martins, Embaixador Português da Juventude para a Segurança da Internet.; a segunda sessão no mesmo dia, pelas 18h00min., dirigida a pais e Encarregados de Educação, cujas oradoras convidadas foram a Dra. Cláudia Fernandes, Educadora Social e Terapeuta Familiar, e a Dra. Vânia Lemos, Assistente Social e Mediadora Familiar. Os alunos participantes colocaram várias questões sobre tal problemática.

Cidadania e Desenvolvimento

“Conhecer um pouco mais sobre a Europa” foi o mote da intervenção das voluntárias Krisztina, Thea, Aleksandra e Apeksha, do Centro de Juventude de Águeda, junto das turmas do 9ºA e 9ºC na aula de Cidadania e Desenvolvimento. Muito obrigada a todos os intervenientes! 46


Domínios de Autonomia Curricular

Trabalhos realizados pelos alunos da turma do 7.ºE, no âmbito dos domínios de autonomia curricular – Projeto interdisciplinar (Ciência Naturais e Físico química) – Educação para a Literacia.

Saída ao meio no AEVV - Reabilitação da Ribeira da Aguieira

As turmas 5°A, 5° B, 5°C e 6° A comemoraram o dia mundial do Ambiente no parque da Boiça. A saída ao meio foi o culminar de um projeto interdisciplinar no domínio da autonomia curricular, desenhado para estas turmas e que visou a reabilitação da Ribeira da Aguieira. As atividades no local tiveram o apoio da Liga da Proteção da Natureza e da Labrios, que tão bem sensibilizaram os alunos para a proteção e preservação do meio ambiente. O Agrupamento de Escolas agradece todo o empenho da Junta de Freguesia e do Comando Territorial da GNR, de Valongo do Vouga na saída ao meio proporcionada a estes 60 alunos.

“Vamos apadrinhar frases”

No âmbito da atividade proposta pela professora bibliotecária, Teresa Figueiredo, em comemoração da Festa da Leitura, “Vamos apadrinhar frases”, a turma 1.º E da EB da Trofa apadrinhou a frase “A ovelhinha preta olhou pensativamente para as nuvens branquinhas”. Alunos e docente da turma dialogaram e refletiram sobre o que queria dizer aquela frase escrita no quadro e referiram-se alguns valores como a igualdade de género, o respeito pelo outro, a integração da diferença… Depois, visualizaram a história “A ovelhinha preta” e um dos alunos da turma, Francisco Seixas, leu a história para os seus colegas. De novo houve um diálogo sobre os acontecimentos da história e posteriormente a realização do cartaz alusiva à frase apadrinhada pela turma.

“Voz dos alunos”

Participação do Rui Braga e Bia Gomes na “Voz dos alunos” na Reunião de Rede de Escolas da Autonomia e Flexibilidade Curricular, dinamizada pela Equipa Regional Centro no dia 22 de janeiro. 47


Parque da Boiça

Parque da Boiça de Valongo do Vouga: “nova sala pedagógica”, cívica e ambiental Está concluído o projeto que ambiental que transformou a Aguieira e o Parque da Boiça, em Valongo do Vouga, num espaço ecologicamente sustentável e numa zona de lazer por excelência, promovendo ainda ações de educação ambiental. Uma intervenção da Junta de Freguesia de Valongo do Vouga, que contou com o apoio da Câmara Municipal de Águeda e da Agência Portuguesa do Ambiente (APA). Esta zona estava bastante degradada, a ribeira estava cheia de entulho, os muros caídos e a área envolvente estava em mau estado de conservação e transformou-se numa oportunidade ecologicamente sustentável, numa espécie de sala pedagógica em que todos podemos aprender a ser cidadãos. Este projeto permite ainda implementar neste espaço um laboratório de rios, no âmbito do LabRios+, tornando a ribeira num exemplo demonstrativo deste projeto ambiental. Valorizar a paisagem natural da Ribeira da Aguieira; recuperar e estabilizar as margens fluviais deste curso de água, recorrendo a soluções técnicas de engenharia natural; favorecer a valorização da paisagem natural daquela região e a biodiversidade do curso de água; incentivar nas pessoas o contacto com a natureza, com comprovados benefícios na melhoria do estado de saúde, tanto físico como emocional; e fomentar os habitats naturais, criando as condições necessárias para a utilização deste espaço pelas espécies animais autóctones, foram alguns aspetos tratados neste projeto, da autoria de Pedro Teiga. Filipe Falcão, Presidente da Junta de Freguesia de Valongo do Vouga, salienta que este “é um espaço de referência e de excelência, que é exemplificativo da implementação de boas práticas ambientais”. Foi justamente para este local, no âmbito da transformação de toda a zona envolvente à Ribeira da Aguieira e Parque da Boiça, que foi transferida a casa-modelo do “Águeda Concept”, que esteve instalada, durante cerca de oito anos e sem qualquer utilização, ao lado do parque de estacionamento junto à Feira Semanal de Águeda e que foi agora reconstruída pela mesma empresa, a Aguimóveis. Rui Mota, Junta de Freguesia de Valongo do Vouga

Projeto de literacia para a preservação das Florestas

Os alunos da turma B do quinto e a turma A do sexto ano estão a participar num projeto de educação ambiental: o Projeto de literacia para a preservação das florestas, que visa mostrar às crianças e jovens a importância da Floresta levando-as a descobrir diversas áreas florestais, curiosidades sobre o ecossistema associado e formas de contribuir para a sua conservação. Pretende-se promover a cidadania e literacia para a preservação das florestas, uma vez que, para além de toda a informação e sensibilização que é dada sobre a importância das Florestas, é ainda incentivada a cidadania ambiental, levando a que os alunos tenham uma maior consciência para as áreas naturais florestais da sua envolvência e adotem comportamentos e práticas simples no seu dia-a-dia que visem a preservação deste ecossistemas e de toda sua biodiversidade. Este projeto está enquadrado no âmbito dos domínios de autonomia curricular da turma cujo tema é “As Florestas” e também se enquadra no projeto Eco-Escolas. As turmas já tiveram duas sessões de sensibilização on-line que decorreram nos dias 8 de fevereiro e 8 de março e nestas sessões foram lançados alguns desafios! Na 1ª sessão aprende-se o que era a floresta autóctone, espécies autóctones e espécies invasoras e um pouco mais sobre as florestas, tanto de Portugal, como do mundo. Posteriormente foi sugerido que se fizesse um trabalho sobre as florestas. Na 2ª sessão foi abordada a biodiversidade das florestas, como a floresta está em todo o lado e como as aves e os insetos são importantes para a vida e existência das espécies. Depois desta sessão foi lançado um desafio: a construção de um hotel para insetos ou de uma casa para pássaros. Agora é lançar mãos à obra! A turma do 6º A 48