Page 1

Diz-me

0,5 Pinheirinhos

Jornal Escolar - Ano II - Edição III - Junho 2011 EB 2/3 Rainha Santa Isabel

1ºCEB Carreira

1ºCEB Várzeas

1ºCEB Vale da Pedra

Equipa Técnica

1ºCEB Coimbrão 1ºCEB Ortigosa

Nancy Silva Rosa Jesus

1ºCEB Chã de Laranjeira 1ºCEB Bajouca

1ºCEB Lameira 1ºCEB Ervideira

1ºCEB Lavegadas 1ºCEB Moinhos de Carvide

Alunos do 7ºB 1ºCEB Moita Roda

E-Mail

1ºCEB Monte Real

1ºCEB Monte Redondo

jornalrsi@gmail.com 1ºCEB Sismaria

Nesta edição: O Agrupamento em Actividades

1ºCEB Outeiro da fonte

2

1ºCEB Vale da Bajouca

1ºCEB Serra de Porto Urso

1ºCEB Souto da Carpalhosa

1ºCEB Carvide

A Nossa Escola no Mundo

12

Visitas de Estudo

19

JI Bajouca

JI Carreira JI Ruivaqueira

JI Coimbrão JI Moita da Roda

Biblioteca Escolar

25

Concurso de Escrita

28

Produções dos alunos

30

Passatempos

43

JI Monte Redondo

JI Riba D’Aves JI Outeiro da Fonte

JI Ervideira JI Monte Real

JI Vale da Pedra

JI Souto da Carpalhosa

Chegou o calor, a luminosidade, o colorido, o Verão,… Ah, as apetecíveis FÉRIAS!!! O calendário assinala um momento de mudança. Para uns, significa apenas a transição de ano lectivo. Para outros, trata-se de uma mudança bastante mais significativa; com um sabor agridoce. Muitos dos alunos do Agrupamento de Escolas da Rainha Santa Isabel irão, no próximo ano lectivo, integrar uma nova sociedade escolar. São alunos que partem rumo à conquista dos seus objectivos, que voam em busca dos seus sonhos. Aqueles que irão integrar a Escola EB 2,3 da Rainha Santa Isabel serão, carinhosamente, recebidos de braços abertos. Aos nossos alunos finalistas, OBRIGADO pela partilha de experiências socioculturais, bem como pelo enriquecimento humano de que todos usufruímos, ao longo destes anos. Queremos, neste gesto simbólico, transmitir-vos confiança nas vossas aptidões académicas e pessoais. Acreditamos que todo o vosso percurso será pautado pelo conjunto de princípios e de valores, não só recebidos no seio da família, mas, concomitantemente, incutidos por um conjunto de docentes das mais diversas áreas disciplinares. Para os alunos que irão permanecer connosco, ATÉ JÁ! Para aqueles que irão, academicamente, “cortar o cordão umbilical”, ATÉ SEMPRE! Não podemos esquecer que a distância aumenta a SAUDADE, palavra tão singular da Língua Portuguesa, servindo para fortalecer os laços humanos. Para toda a comunidade, votos de FELICIDADES e de umas relaxantes FÉRIAS!


O Agrupamento em Actividades

Foi sob o manto colorido de quatro bandeiras que o Departamento de Línguas deu continuidade à celebração da Semana dos Departamentos. Assim, nos dias 7 e 8 de Abril, os professores de Português, Alemão, Francês e Inglês animaram a escola sede e receberam os alunos do quarto ano. As actividades do dia sete foram particularmente direccionadas para os alunos do quarto ano. Estes, acompanhados e orientados pelos alunos do 9.º ano, dividiram-se por diversas actividades: o acolhimento geral com actividades de animação musical, as corridas das panquecas, as salas temáticas, a representação de uma peça teatro, a feira do livro ou a hora do conto. Houve ainda o momento do almoço e de convívio com os “padrinhos”. Ainda no dia sete, e após a partida dos alunos do quarto ano, houve lugar a actividades destinadas aos alunos da escola sede: concurso de karaoke, chá das línguas, salas temáticas de cinema. No dia 8, os alunos participaram num torneio desportivo da responsabilidade dos professores de Educação Física, degustaram um pequeno-almoço inglês, assistiram a sessões de cinema, visitaram as salas temáticas. A especial satisfação que sentimos ao ver a alegria e a animação do nosso público-alvo, pelo entusiasmo com que participaram nas actividades, transmitiu-nos a sensação de missão cumprida. “Tudo vale a pena, se a alma não é pequena”, a nossa certamente que o não é e a dos nossos meninos é, em tudo, muito superior ao corpo humano que lhe dá vida. Os professores do Departamento agradecem a todos aqueles que colaboraram nas actividades, permitindo que tudo decorresse com a normalidade desejada.

2

Departamento Curricular de Línguas

Obrigado! Danke! Merci! Thank you!

A todos, o nosso bem-haja.

Diz-me tu...


O Agrupamento em Actividades

As docentes da disciplina de Português Língua Não Materna, Sara Cruz e Jaqueline Pimenta, promoveram uma exposição, durante a Semana do Departamento de Línguas. Os materiais expostos foram elaborados pelos alunos estrangeiros que frequentam a nossa escola, cujas línguas maternas são: Uzbeque, Moldavo, Inglês, Holandês e Ucraniano. É importante referir que os alunos do Curso Nocturno de Português Para Falantes De Outras Línguas deram o seu contributo, ajudando na tradução de vocabulário. O nosso muito obrigada a todos os que participaram nesta actividade.

As Professoras de Português Língua Não Materna

Dia da Europa 9 de Maio No dia 9 de Maio comemora-se o “Dia da Europa” e a nossa Escola não deixou passar esta data em branco. Assim, as professoras de Geografia dinamizaram esta actividade, que contou com a exposição de trabalhos realizados pelos alunos do 7º ano na disciplina de Geografia, sobre os vários países da Europa. Tinham como objectivo, dar a conhecer os vários aspectos de cada país, como por exemplo, número de habitantes, língua falada, gastronomia, monumentos, entre outros.

Além da referida exposição, os alunos do 8º ano fizeram uma pequena mostra gastronómica de alguns países da Europa (Portugal, Itália, Alemanha e França). A gastronomia é um meio de divulgação das tradições de um país e na nossa Escola, esta foi um sucesso.

As Professoras de Geografia Idalina Francisco e Lúcia Martinho

3 Jornal Escolar - Ano II - Edição III - Junho 2011


O Agrupamento em Actividades

Dia do Departamento das Expressões Para encerrar o ano lectivo o Departamento das Expressões realizou no dia 21 de Junho um conjunto de actividades que fizeram parte do Dia do Departamento. Alegria, Movimento, Som, Cor, Inclusão e Diversidade estiveram presentes neste dia onde tivemos o prazer de receber mais uma vez os alunos do 4º ano do agrupamento e proporcionar um dia diferente aos alunos da escola sede.

Departamento das Expressões

Foi agradável sentir a colaboração de toda a comunidade educativa neste dia.

4

Diz-me tu...


O Agrupamento em Actividades

PALCO “Fnac” O palco Fnac surgiu da necessidade de se criar um novo espaço para a divulgação/ demonstração de diversas actividades ao longo do ano lectivo. Sob a orientação dos professores de Artes e Ofícios e de Educação Tecnológica, Alcides Lé e Jorge Lemos, e ainda com o apoio e colaboração do professor Telmo Gomes, o Palco é o resultado do trabalho colaborativo dos alunos do 8ºD e de alguns alunos do 7º ano, turmas A, B, C, e D. A substrutura de Educação Especial teve a honra de inaugurar este espaço com as suas Pinturas Faciais, actividade dinamizada no âmbito do Dia das Expressões.

PINTURA MURAL

A Papelaria da escola tem nova “cara”! Ora aí está um trabalho que testemunha a vontade dos alunos e professores em dar novo visual a alguns espaços da escola. Este ano, as turmas C,D e E de 6º ano, sob a orientação das Professoras Isabel Pisco e Manuela Brito, pondo em prática o método de trabalho de projecto, no âmbito da disciplina de EVT, transformaram uma simples parede num alegre mural! Este trabalho teve ainda a imprescindível colaboração dos Assistentes Operacionais Sónia Gomes e Rui Sousa.

5 Jornal Escolar - Ano II - Edição III - Junho 2011


O Agrupamento em Actividades

“Dia escolar da não – violência e da Paz” Actividade dinamizada pela Subestrutura EDUCAÇÂO VISUAL

Vencedores do Concurso Desenho realizado pelos alunos:

Bruno Ferreira e Danilo Branco Turma C do 7º

Dia Mundial da Não-Violência e da Paz

Se tens amor a violência será um terror.

Violência?!?

Com o amor a liderar a Violência vai parar!

Não se cale. Peça ajuda, pois todos têm direito à paz!!! Não seja mais uma vítima!!!

Catarina Matos – 9º C

Iolanda Santos, João Domingues, Juliana Santos – 9º D

6

Diz-me tu...


O Agrupamento em Actividades

7 Jornal Escolar - Ano II - Edição III - Junho 2011


O Agrupamento em Actividades

JARDIM DE INFÂNCIA DE CASAL NOVO Nasceram bichos da seda na nossa sala e nós vimos tudo. Na Primavera nasceram bichos da seda dos ovos que estavam guardados numa caixa desde a outra primavera, eram pequeninos, mediam 3mm. Nós medimos.

Comeram muitas, muitas folhas e ficaram muito grandes e muito gordos.

Um dia, começaram a ficar parados, não comiam e começaram a deitar fios, muitos fios de seda.

E, devagarinho, cada um construiu um casulo de seda à sua volta.

8

Diz-me tu...


O Agrupamento em Actividades

Dos casulos nasceram borboletas brancas que acasalaram e a seguir puseram muitos ovos pequeninos que vamos guardar dentro da caixa onde estão, até à primavera outra vez. No final fizemos um registo colectivo e, com os casulos, fizemos alguns trabalhos.

JI Casal Novo, Maio 2011

TARDE RADICAL No dia 4 de Junho houve uma festa na Fonte da Lagoa, Ortigosa, organizada pelas catequistas para ajudar o MARTIM. O MARTIM é o irmão de uma colega da nossa turma. Ele nasceu com muitos problemas de saúde e precisa de muitos cuidados médicos, por isso, a festa foi organizada para angariar fundos e ajudar a família. Naquele dia jogámos alguns jogos como: basquetebol, futebol, jogo do elástico; também dançámos, cantámos e fizemos pinturas faciais. Lanchámos bolos, pão com chocolate e queijo e bebemos sumos que algumas catequistas e alunos da catequese levaram. Havia uma caixa onde podíamos deixar o nosso donativo, com fotos da nossa colega e do irmão. Também amos comprar jogos de cartão e, assim, juntar mais dinheiro.

podí-

No final, rezámos o “Pai Nosso” para agradecer a presença e apoio de todos. Com a festa angariou-se algum dinheiro que ajudará a família do MARTIM. A família agradece toda a ajuda e preocupação. Mas o MARTIM continua a precisar de TODA A AJUDA, por isso, a sua família pôs caixinhas em diversos espaços comerciais, onde as pessoas podem deixar o seu donativo. Na escola, estamos a juntar rolhas e garrafas de plástico “PET”, contribuindo assim para o MARTIM.

CONTINUEM A AJUDAR O MARTIM!!!

Trabalho colectivo da turma dos 3.º e 4º anos E.B. 1 de Ortigosa

9 Jornal Escolar - Ano II - Edição III - Junho 2011


O Agrupamento em Actividades

Dia Mundial da Criança

Actividade de Articulação – Jardim de Infância e EB1 de ERVEDEIRA Pintámos T-shirts para vestirmos neste dia, ficaram mesmo muito bonitas. Divulgámos no site http://recursosdoeducanaweb.blogspot.com/

10

Diz-me tu...


O Agrupamento em Actividades

O Dia Mundial da Criança No dia 1 de Junho, os alunos do 1ºciclo da escola EB1 da Carreira, foram ao Parque de Merendas da Carreira. Esse parque de Merendas tinha muito arvoredo que dá muita sombra (que nesse dia soube bem porque estava muito calor!), algumas mesas para fazer piqueniques, assadores para as pessoas utilizarem e também havia casas de banho. Quando lá chegámos começamos por comer a nossa merenda, que nos agradou imenso. De seguida, fomos fazer vários jogos como por exemplo: saltar à corda, jogar à bola, o jogo do Bom Barqueiro e jogar com os arcos e raquetas. Passamos lá a manhã toda e regressámos à escola à hora do almoço. No fim de almoçarmos fomos para a sala fazer um trabalho de Expressão Plástica (um separador). De seguida, todos os alunos assistiram a um teatro (“A escola de antigamente”), representado por futuros professores da Escola Superior de Educação de Leiria. Finalmente, fomos surpreendidos pelas professoras que organizaram um delicioso lanche com pizza, várias miniaturas de pastelaria e sumos. Este lanche foi partilhado com os meninos do Jardim-de-infância da Carreira. Este lanche também se deve à Junta de Freguesia da Carreira. Gostámos muito deste dia porque foi “DIFERENTE”!

11 Jornal Escolar - Ano II - Edição III - Junho 2011


A Nossa Escola no Mundo

Reportagem da Reunião de Trabalho na Roménia Quatro jovens, duas professoras, dois adultos… Eles foram os escolhidos… Eles foram os protagonistas de uma aventura na… Roménia! Missão: representar Portugal em mais um desafio do projecto Comenius – “Puzzle Europeu”! Portugal tem imensas qualidades que necessitam de ser mostradas aos outros países, e uma delas é… dança tradicional portuguesa! E foi por isso que Catarina Matos, Luís Trindade, Márcia Marques e Stéphane Duarte, acompanhados por Albertina Carreira e Graça Simões aceitaram o desafio de representar Portugal na Roménia. Vamos conhecer um pouco do que fizeram nos 7 dias que passaram num país estrangeiro: Dia 1 – Viagem e estadia em Bucareste Partimos às 12 horas do dia 30 de Abril, em direcção ao aeroporto de Lisboa. Após uma longa viagem, com escala no aeroporto de Budapeste (Hungria), chegámos por volta da meia-noite e meia (lá são duas horas a mais). Arranjámos um táxi e seguimos em direcção ao hotel onde nos alojamos por uma noite. Dia 2 – Passeio por Bucareste e entrega às “famílias de acolhimento” Após ter dormido cerca de 6 horas (ainda fomos jogar às cartas para o quarto dos rapazes), fomos até à recepção, local de encontro com os professores para o pequeno-almoço. Lá, apanhámos a primeira surpresa do dia. Um senhor, desconhecido de todos nós, começou a meter conversa connosco em inglês. Nós comentávamos entre nós em português “Então mas o que é que ele quer?”, e ele continuava, até que chegou a parte em que disse com sotaque inglês “Podem fa-lar um pou-co de por-tu-guês?”. Aí começámos a rir à gargalhada. Afinal, o senhor era um professor de uma escola de Leiria, que já leccionou na nossa escola. Depois deste pequeno episódio fomos tomar o pequeno-almoço e, de seguida, fomos juntamente com os outros países conhecer Bucareste. Bucareste é uma cidade política e administrativa, com edifícios muito antigos. O que mais nos surpreendeu foi que a cada canto de uma rua, estava uma mesquita cheia de gente a orar. Após conhecer a cidade, partimos a caminho de Sibiu, a cidade onde íamos ficar alojados. Às 19 horas e 30 minutos, chegámos a Boita (aldeia perto de Sibiu), onde finalmente conhecemos as famílias. Confessamos que, pelo caminho, estávamos a ficar assustados pois só víamos casas velhas e sem condições mínimas, com telhados a cair, paredes de madeira podre… Quando chegámos a casa, ficámos bastante aliviados, pois Boita tinha uma qualidade de vida superior às outras aldeias que tínhamos visto. As casas era boas, normais… Conhecemos a nossa família, jantámos e, à noite, fomos para um bar. Dia 3 – Conhecer a escola e Sibiu No dia 2 de Maio, saímos de casa por volta das 9h30m e fomos conhecer a escola. A escola de Boita é bastante diferente das escolas de Portugal. O ensino é só feito até ao 8º ano. Como Boita é uma aldeia pequena, há apenas uma sala para cada ano lectivo, desde o 1º ao 8º. A escola não tem grandes condições, mas o que mais nos assustou foram as casas-de-banho, bastante diferentes do que há em Portugal. Após cantarmos os hinos de todos os países envolvidos no projecto, assistimos a uma palestra de professores, presidente da junta e pároco, e a várias danças e cantos típicos romenos. No almoço, o pároco

12

Diz-me tu...


A Nossa Escola no Mundo congratulou-nos pois fomos os mais patriotas, ao cantar o hino com muita garra. No fim de almoçarmos, fomos ver uma fábrica de vidro, e, depois, partimos em direcção a Sibiu. Foi na viagem para Sibiu que começámos a conhecer os alunos dos outros países, com quem criámos laços muito fortes. Destacaram-se a Grécia, Hungria, Eslovénia e, claro, a Roménia, nas nossas amizades durante a semana. Já em Sibiu, visitámos mesquitas muito lindas, todas elas pintadas com desenhos que representavam as várias etapas da vida de Jesus, típicas da religião Ortodoxa. Após estas visitas, tivemos algum tempo livre para compras e, depois, regressámos para casa. À noite fomos jogar bilhar a um café e voltámos ao bar. Dia 4 – Visita a escolas e ao “Astra Folk Museum” Às 9 horas e 30 minutos do dia 3 de Maio estávamos todos em frente ao “Children’s Palace”. O “Children’s Palace” é uma escola de artes em Sibiu. Lá assistimos a aulas de teatro, dança e algumas lições de aeronáutica. Após conhecer esta pequena escola fomos visitar uma Escola Superior de Artes Performativas. Assistimos a pequenas interpretações de música nos mais diversos instrumentos: piano, violino, xilofone e guitarra. De seguida, visitámos e almoçámos num jardim-de-infância. À tarde, fomos ao “Astra Folk Museum”, um museu gigante, ao ar livre, com casas e instrumentos antigos, típicos da Roménia. À noite, fomos ao habitual bar mas desta vez com os elementos de todos os países. Foi uma noite pectacular!

es-

Dia 5 – V Festival de Folclore de Boita (Internacional) No dia 5 fomos acolhidos na escola com um lanche / almoço, e, por volta das 12h 30m, fomos desfilar para as ruas com os trajes típicos portugueses. Aí, a professora Albertina fez sucesso com o fato de madeirense, e uma peruca ruiva. Após o desfile, seguiram-se as actuações de mais de 20 grupos romenos e todos os países envolvidos no projecto Comenius. A dança que mais nos agradou foi a dos “Homens-chocalho”. A nossa actuação durou cerca de 10 minutos, e foi realizada com uma dança do Rancho Folclórico Rosas do Liz (Carreira) e outra do Rancho Folclórico e Etnográfico Flores da Primavera (Ortigosa). À noite, juntámo-nos todos num parque e passeámos pelas ruas de Boita. Dia 6 – Visita à Transilvânia Sibiu é uma cidade localizada no meio das serras da Transilvânia, por isso, era impossível ir embora sem visitar primeiro uma das montanhas da cordilheira. Pelo caminho, visitámos uma mesquita muito antiga e muito grande, cheia de pinturas e com um museu religioso da cultura Ortodoxa e Católica. Já na montanha o frio dominava, mas fomos acolhidos num restaurante quentinho, com uma sopa diferente das habituais, em que tínhamos de colocar natas, e com um prato de frango (prato típico romeno). Para nossa grande surpresa, começou a nevar e, como é óbvio, tivemos de parar a refeição para ir à rua brincar um pouco com as bolas de neve. Foi fantástico!

13 Jornal Escolar - Ano II - Edição III - Junho 2011


A Nossa Escola no Mundo No fim de almoço, subimos a montanha de teleférico, uma viagem de cerca de 15 minutos. Já lá em cima avistámos de longe uma igreja e um hotel feitos completamente de gelo. Após um chocolate quente delicioso iniciámos a nossa viagem de regresso. Já em Boita, na escola, fomos a uma conferência de imprensa para um jornal, onde a professora Graça Simões deu “bailinho”. Dos alunos, o Stéphane foi o escolhido dos portugueses para responder a algumas questões sobre o modo de vida da Roménia. À noite, seguiu-se o habitual encontro no bar, após mais uma refeição de frango. Dia 7 – Despedidas No dia 6 de Maio, seguiram-se as despedidas das famílias na escola, e também dos estudantes gregos. Após muitos abraços e beijos, fomos para o autocarro, com rumo ao Castelo do Drácula. Após uma visita ao Castelo do Drácula, chegou mais uma hora de despedidas, desta vez, dos Eslovenos. Almoçámos num restaurante muito giro, no topo de uma montanha, onde se conseguia ver toda a cidade em redor. Depois do almoço fomos visitar um palácio lindíssimo, o chamado Palácio de Peles, com relíquias fantásticas da civilização romena. Finalmente foi a vez de nos despedirmos do resto dos países, à excepção da República Checa, que ficou no hotel em Bucareste connosco. Dia 8 – Viagem de regresso Este foi o nosso último dia na Roménia. Às 12 horas, seguimos em direcção ao aeroporto, onde tínhamos voo agendado para as 15:30m. Viajámos até à Hungria, onde fizemos escala e esperámos mais 4 horas no aeroporto. Depois, partimos num voo com destino a Lisboa, onde chegámos por volta da meia-noite e meia. E assim foi a nossa viagem espectacular, que deixa marcas em todos nós, especialmente pelas amizades que criámos com amigos estrangeiros, com quem ainda hoje comunicamos através do Facebook, ou do Messenger.

Catarina Matos, Luís Trindade, Márcia Marques, Stéphane Duarte

14

Diz-me tu...


A Nossa Escola no Mundo

Alemão em Cena Nos dias 5 e 6 de Maio os alunos da turma de alemão, 9ºA, participaram no festival de teatro “Alemão em Cena” em Almada. Seguem-se alguns depoimentos… Eu gostei de participar no festival de teatro “Alemão em Cena”. Foi uma experiência inovadora em que me diverti muito. Acho que este projecto deve continuar porque ajuda os alunos a aprender alemão e ao mesmo tempo divertem-se e conhecem pessoas novas. Iara Duarte Foi muito gratificante… Verónica Serrano Acho que o projecto deve continuar, para que mais pessoas possam aprender o que eu aprendi, viver o que eu vivi e sentir o que eu senti! Jaime Simões Foi fantástica a participação neste projecto, não só ao nível linguístico, como também na arte da interpretação. A nível teatral tivemos excelentes workshops, com actividades, com formas de relaxamento… Ao nível da Língua Alemã adquirimos muito mais vocabulário e divertimo-nos imenso. Outro aspecto que gostei, foi o facto de nos proporcionarem refeições típicas alemãs. Alguns dos meus colegas não apreciaram, mas eu adorei. Penso que este projecto foi enriquecedor a todos os níveis e penso que os meus colegas no próximo ano devem dar continuidade. Miguel Duarte

15 Jornal Escolar - Ano II - Edição III - Junho 2011


A Nossa Escola no Mundo

Projecto Comenius - Bilateral Parceria entre a escola Don-Bosco de Rheine e a nossa escola No dia 30 de Maio de 2011, realizou-se uma visita de estudo à Alemanha, onde fomos nós, a turma 9ºA e cinco meninas do 8ºA (elementos do Clube de Alemão). Realizámos esta visita de estudo no âmbito do projecto Comenius e da disciplina de Alemão. Nesta visita tivemos a oportunidade de visitar vários locais na Alemanha e também de treinar o nosso Alemão, bem como o Inglês. Por volta das 04h00 saímos da escola de autocarro e dirigimo-nos para o aeroporto de Lisboa. O voo demorou cerca de 3 horas, do aeroporto de Lisboa ao aeroporto de Düsseldorf. Neste primeiro dia dirigimo-nos a Köln. Em Köln visitámos a catedral, pelo que tivemos de subir mais de 500 degraus!!! De seguida seguimos de autocarro até à escola DonBosco, onde esperavam por nós as famílias com quem iríamos ficar essa semana. No dia seguinte, fomos para a escola de manhã cedo e fomos apresentados à escola. Participámos em alguns jogos desportivos, onde tínhamos de utilizar a língua alemã, foi muito divertido. Por volta das 12h00 fomos almoçar, o almoço não foi do agrado de todos pelo que muitos ficaram cheios de fome. Na parte da tarde fomos a Rheine (cidade mais próxima da escola) fazer um peddypaper. No fim voltámos para casa e à noite fomos a um café para conversarmos um pouco sobre o dia. Na 4ª feira na parte da manhã fomos assistir às aulas dos nossos colegas alemães, onde pudemos observar as diferenças entre os sistemas de ensino português e o alemão. Na parte da tarde, fomos fazer um agradável passeio de bicicleta com duração de 4 horas, simplesmente para comer um gelado. No fim do passeio voltámos para casa das nossas famílias e à noite fomos andar de kart. O dia seguinte foi feriado, pelo que tivemos a manhã livre. De tarde fomos para a escola onde tivemos a oportunidade de participar nos jogos que os alemães fizeram para nós. Por volta das 18h00 fomos para a Comunidade Portuguesa de Sto António, situada na cidade de Rheine. Fomos todos os portugueses e as respectivas famílias e fizemos um churrasco, pela insistência das professoras alemãs realizámos a nossa peça de teatro em alemão.

16

Diz-me tu...


A Nossa Escola no Mundo Na 6ª feira fomos a Nordeney, que é uma ilha situada no Mar do Norte. Fizemos uma viagem de 3 horas até lá e quando chegámos ao local de embarque para o barco que nos levaria a Nordeney um pneu do autocarro rebentou. Apanhámos todos um susto, mas ainda bem que rebentou só quando tínhamos lá chegado. Fizemos uma viagem de uma hora de barco (nessa viagem de barco conseguimos avistar focas) e depois chegámos à ilha, passámos lá a tarde (na praia e nas lojas) e no final do dia regressámos a casa. À noite fomos a casa do Sebastian, o colega alemão do Jaime.

No Sábado tivemos parte da manhã livre e às 11h00 fomos para Münster de comboio. Quando chegámos a Münster fomos almoçar ao McDonalds e tivemos a tarde livre para visitar a cidade por nossa conta. Visitámos várias lojas e vimos uma igreja que tinha três jaulas penduradas onde eram postos à vista de todos, os que eram contra a Igreja Católica. No final do dia, regressámos a casa e à noite fomos a cada do Nils, o colega alemão do Jóni. No Domingo chegámos a Lisboa por volta das 15h00 e cerca das 17h30 estávamos de volta à Carreira onde os nossos pais nos aguardavam. Tivemos a sorte de participar neste projecto Comenius e passar uma semana fantástica na Alemanha onde pudemos desenvolver a nossa expressão oral, tanto na Língua Alemã como na Língua Inglesa. Obrigada!

Vítor Ferreira, 9ºA

17 Jornal Escolar - Ano II - Edição III - Junho 2011


A Nossa Escola no Mundo

Partners in Learning European Forum 2011 Os professores Luís Noivo e Paulo Ferreira foram reconhecidos pela Microsoft Portugal pela sua participação no Partners in Learning European Forum 2011, em Moscovo. No passado dia 25 de Maio, o Professor Luís Noivo e Paulo Ferreira estiveram presentes na 7ª Conferência Partners in Learning Professores Inovadores, onde foram reconhecidos pela sua participação no Forum Europeu Professores Inovadores, que decorreu em Moscovo, no mês de Março e no qual foram considerados 3st Runnerup na categoria "Construção de Conhecimento e pensamento critico", Projecto "Go Mobility in Education". Esta cerimónia de reconhecimento contou com a presença da Directora Geral da Microsoft Portugal, a Eng.ª Cláudia Goya (à direita na foto) e o Sr. Secretário de Estado Adjunto da Educação, o Dr. Alexandre Ventura (à esquerda na foto).

18

Diz-me tu...


Visitas de Estudo

Visita de Estudo a Lisboa No dia 28 de Abril o 8º ano e os professores: Odete Gonçalves, Jaqueline Pimenta, Telmo Gomes, Alcides Lé, Arminda Andrade, Eugénia Pereira, Fernanda Carreira, foram todos a uma visita de estudo a Lisboa ver a peça de teatro “Falar Verdade A Mentir” posta em cena pela companhia de teatro “O Sonho”, pela parte da manhã. De seguida fomos todos almoçar no jardim do Cais do Sodré de onde partimos para o Metro. Aí esperava-nos um guia que nos contou toda a história do Metro de Lisboa. Cada estação em que saíamos o nosso guia foi-nos contando a sua história, sobre o seu artista/decorador, e o tema de decoração. A seguir fomos para os autocarros e regressámos à escola.

Eduardo Pinheiro nº 8, Luana Alves nº17 8ºC

Na corte d´el rei D. João Dia 25 de Maio realizou-se uma visita de estudo à Corte d´el Rei D. João III, em Leiria. A partida estava prevista para as 12h e 50m. A parte que eu mais gostei foi a segunda peça de teatro em que havia dois homens, um era Pedro e outro era Bartolomeu. Certo dia apareceu lá um outro soldado que lhes tinha dito que se eles se casassem já não pagavam impostos. O Pedro gostava de uma menina que se chamava Safira e o Bartolomeu gostava de Jasmim. Foram a correr ter com elas e o Bartolomeu, como já sabia que a Jasmim andava no mercado às compras para o pai, foi até ao mercado e encontrou-a a chorar. Perguntou-lhe porque é que ela estava a chorar e ela respondeu que tinha de casar com um homem gordo, que se estava sempre a babar, e que era muito feio, e ainda por cima, se não casasse, esse homem feio e gordo ficava com a sua casa. Foi então que Bartolomeu teve uma ideia e perguntou a Jasmim se podia ir para casa dela. Lá foram os dois para casa de Jasmim, entraram em casa e começaram a fazer os preparativos como teias de aranhas nos candeeiros, maçãs podres com palha de porcos, chá de lagartas e muitas coisas assim. A Jasmim foi-se vestir, o Bartolomeu atou um avental e o pai de Jasmim, Rochid, também. Depois de estar tudo preparado, o homem feio e gordo bateu à porta. O Bartolomeu foi abrir e o homem até já trazia o contrato de casamento. A Jasmim estava disfarçada (horrível, na minha opinião!) e deram-lhe aquilo tudo: maçãs podres e tudo o que tinham feito que era para ele desistir do casamento e ele desistiu. Ficaram todos contentes! A parte que eu mais gostei foi a parte do “chantily” que atiraram para a cara do homem. Foi uma tarde super divertida. Eu e os meus colegas fartamo-nos de rir porque os teatros eram mesmo engraçados.

Ana Sofia Pedrosa – 4º Ano EB1 de Sismaria

19 Jornal Escolar - Ano II - Edição III - Junho 2011


Visitas de Estudo

Visita de estudo à Bajouca com os alunos e professores da turma do 7ºE Os professores de Educação Física, Artes Decorativas e Ciências do Ambiente desfiaram os alunos desta turma a fazer uma actividade diferente, para colocar em prática muitas das coisas que eles aprenderam ao longo do ano. Esta actividade era para ser feita ao ar livre e seria uma descoberta do meio envolvente, por percursos de terra batida e de bicicleta, foi executada no dia vinte e sete de Maio, sexta-feira. O Professor Henrique preparou com os alunos as bicicletas da escola durante a semana anterior à visita. Ficou tudo operacional. Os alunos e os professores, saíram da escola, apoiados pela Escola Segura, para controlar o trânsito da estrada nacional e depois de muito pedalar pela areia solta, foram parando em locais marcados com perguntas, especialmente dedicadas aos temas estudados ao longo do ano nas várias disciplinas. Como alguns alunos não sabiam andar de bicicleta e uma das professoras tinha outras aulas houve dois carros de apoio que estiveram a circular. A professora Idalina, a Directora de Turma, foi ter com o conjunto de ciclistas junto há entrada da auto-estrada e foi almoçar com o grupo, para depois ir visitar a olaria da Bajouca. O grupo foi todo almoçar no parque da ribeira da Bajouca – Pisão. E depois de uma agradável serenata com viola do professore Alcides, partiram novamente cheios de energia para a longa subida até à olaria. Depois de uma demorada visita guiada, os alunos ainda fizeram o gosto ao dedo e trabalharam o barro para construir obras genuínas de cerâmica. De retorno à escola, mais uma maratona de bicicleta para o merecido descanso. Todos ficaram satisfeitos com esta actividade, sendo de reflectir a realização de outras deste género.

20

Diz-me tu...


Visitas de Estudo

A visita de estudo à kidzania – Lisboa Na sexta-feira, dia 27 de Maio, fizemos uma visita de estudo à Kidzania. Situa-se no centro comercial Dolce Vita na Amadora. É uma cidade para crianças dos 3 aos 15 anos de idade e possui mais de 60 estabelecimentos representativos de uma cidade real, onde as crianças podem brincar como gente adulta, tais como: correios, EDP, estúdio de fotografias, estúdio TV (SIC), continente, fábricas, estúdio de rádio, hospital, bombeiros, teatro, escola de pintura, PSP… Quando entrámos na cidade deram-nos um cheque no valor de 50 Kidzos que fomos levantar na Caixa Geral de Depósitos. Com os Kidzos, moeda oficial da Kidzania, pudemos entrar em vários estabelecimentos. Em algumas lojas pagávamos e noutras recebíamos Kidzos. Gostamos muito desta visita à cidade mágica porque trabalhámos algumas profissões de uma forma divertida. Trabalho elaborado pelos alunos do 4.º ano EB1 Outeiro da Fonte Ilustração: Mariana Grazina Silva

Rio Lis Da nascente… até à foz… Acompanhando a corrente tranquila do rio, viajámos pela Natureza e aprendemos a respeitá-la. Assim foi! No dia 27 de Maio partimos da escola rumo à nascente do rio Lis. Ali tivemos tempo para observar e brincar… Vimos…, olhámos… observámos… escutámos…sentimos… aprendemos… Valeu a pena apreciar a paisagem envolvente, ouvir os sons da natureza, escutar o chilrear da passarada e até perceber o restolhar dos répteis no meio das ervas ressequidas. Abandonámos o local e partimos em direcção à Valorlis. Aqui, e com a ajuda de uma guia, aprendemos mais sobre o destino dos lixos. Vimos pessoas a fazer a separação dos lixos e a proceder ao seu enfardamento. Aprendemos, ainda, que a Valorlis é uma empresa de tratamento de resíduos sólidos criada pelos municípios da Batalha, Leiria, Marinha Grande, Ourém, Pombal e Porto de Mós. Esta empresa situa-se da freguesia de Parceiros. A viagem continuou… Chegámos à foz do rio Lis, na Praia da Vieira. Ali fizemos várias coisas… … entrevistámos um pescador… … plantámos pinheiros! Também houve tempo para brincar e lanchar. Houve tempo para reaprender a respeitar a Natureza e tudo o que dela faz parte. Valeu a pena!!!

Os alunos do 6.º ano, Turma A

21 Jornal Escolar - Ano II - Edição III - Junho 2011


Visitas de Estudo

Os alunos da EB1 de Carreira fizeram a sua última visita de estudo deste ano lectivo, no dia 8/06/11, à Kidzânia. A Kidzânia é um parque temático, onde as crianças podem brincar aos adultos num ambiente realista, escolhendo aproximadamente entre sessenta profissões diferentes, em estabelecimentos representativos de uma cidade real. Fica aqui o registo das actividades, nas quais mais gostámos de participar, neste dia inesquecível. Tirámos algumas fotografias

22

Diz-me tu...


Visitas de Estudo Desenhámos algumas actividades

Descubra as profissões Seralheiro Arquitecto Trolha Canalizador Carpinteiro Pintor

23 Jornal Escolar - Ano II - Edição III - Junho 2011


Visitas de Estudo

Olá Colegas! Como sabem, a nossa professora de Moral proporcionou aos oitavos e nonos anos uma visita de estudo de dois dias ao Alentejo, com estadia na Quinta de S. João (Elvas)! Chegou a altura de vos contar o que visitámos e o que fizemos. Estão prontos? …. Então aqui vai um pequeno resumo da nossa visita! Como constava do programa visitarmos vários pontos turísticos do Alentejo: Montemor-o-Novo, Monsaraz, Estremoz, Vila Viçosa, Elvas e, claro, a cidade de Évora. No entanto, foi ainda possível fazer um pequeno desvio e deslocarmo-nos à Barragem do Alqueva e à Aldeia da Luz. Assim, no dia 16 de Junho saímos da escola por volta das 08:30 e seguimos para o primeiro local previsto. A viagem correu muito bem. Em Montemor-o-Novo aproveitámos para comer e descontrair o corpo da cansativa, mas agradável viagem. Em seguida, partimos em direcção à Barragem do Alqueva. Ficámos fascinados perante tal grandiosidade, sabendo para o que serve, ou seja, produção de energia. Relembramos que para esta Barragem existir foi necessário destruir a Aldeia da Luz, que foi reconstruída, tal e qual como era, num outro local, que tivemos o privilégio de visitar. Partimos em direcção ao castelo de Monsaraz, de onde pudemos apreciar uma linda vista para os campos. Deambulámos pelas suas ruas, diferentes daquilo a que estamos habituados, e maravilhámo‑nos com os aspectos históricos. Seguidamente, deslocámo-nos para o local onde iríamos passar a noite, ou seja, a Quinta de S. João. Após a nossa instalação, fomos jantar: uma refeição muito agradável e saborosa! Terminado o jantar, tivemos algum tempo livre para conhecermos a quinta, até à hora dos jogos que estavam programados. Então, chegada a hora da diversão, as professoras pediram-nos que cada turma escolhesse cinco elementos para participarem nas actividades que iriam decorrer. Os jogos foram muito engraçados e divertidos. O primeiro foi de cultura geral, um pouco complicado, pois tínhamos de relembrar aspectos que estavam no guião da viagem, entregue pela professora Albertina. De seguida o jogo da mímica, depois um de habilidade (coser um remendo nas calças de um colega, com vendas nos olhos), logo a seguir um jogo de canto e por fim a prova dos cheiros. Terminámos com o festejo do aniversário do nosso colega Joel! Ao fim deste dia cansativo, divertido e cheio de aventuras, soube-nos muito bem desfrutar de um belo sono, visto que o pequeno-almoço do dia seguinte estava programado para as 08:30. No dia 17, após o pequeno-almoço, seguimos viagem para Vila Viçosa, onde visitámos o Paço Ducal e conhecemos um pouco da vila. Daí seguimos para a cidade de Évora, onde fomos visitar a Capela do Ossos (espectacular), a Sé e o templo de Diana. Tivemos então tempo livre para almoçar, conhecer melhor essa cidade e, claro, comprar umas lembranças! Partimos com destino à Carreira, chegando à escola por volta das 19:30, onde já os pais esperavam a chegada dos filhos. E assim termina o relatório da grande, espectacular, divertida e emocionante visita de estudo ao Alentejo! O nosso muito obrigado pela oportunidade!

24

Diz-me tu...


Biblioteca Escolar

Na Biblioteca Escolar de Monte Redondo, durante o 3º período, aconteceu… Visita do escritor António Mota No dia 3 de Maio, o conhecido escritor de Literatura Infanto-Juvenil, António Mota, esteve presente na Biblioteca Escolar. Para o receber, os alunos do 3º e 4º ano realizaram trabalhos inspirados em algumas obras do autor. A presença do escritor foi muito apreciada pelos alunos porque tiveram oportunidade de o conhecer pessoalmente, ouvir algumas histórias da sua vida e colocar diversas questões. Esta visita constituiu uma oportunidade para o escritor divulgar as suas obras e motivar os alunos para a leitura e para a escrita. Os alunos do Jardim de Infância já conheciam algumas histórias do escritor e ouviram com muita atenção as suas palavras. Foi um acontecimento importante para estas crianças e aprenderam, em linguagem gestual, que “ler não engorda”.

Alunos JI No início do ano lectivo, os alunos do 1º Ciclo receberam um “Diário de Leitura” que foram preenchendo ao longo do ano. Neste diário, os discentes tiveram oportunidade de exprimir as suas opiniões sobre os livros que iam requisitando, fazer uma ilustração alusiva à obra ou copiar uma frase ou palavras do seu agrado. Os alunos do 4º ano, prestes a deixar a “escola primária” ou “primeira escola”, dão alguns conselhos aos restantes colegas sobre os benefícios da leitura, são eles: *devem ler livros para aprenderem a escrever melhor e dar menos erros; * devem ler livros porque aprendem vocabulário novo; * devem ler livros porque desenvolvem a imaginação, a criatividade e vontade de escrever histórias imaginativas; * devem ler livros para poder viajar pelas histórias e imaginar que são personagens.

25 Jornal Escolar - Ano II - Edição III - Junho 2011


Biblioteca Escolar

Alunos do 4ºano Os alunos do 3º ano manifestaram preferências diferentes ao nível da leitura. Uns gostam de livros de História, outros simpatizam mais com livros que ensinam a fabricar e cuidar e outros ainda deliciam-se com livros sobre a natureza, a vida em sociedade, aventuras, jogos, etc. Dos livros de António Mota, a sua preferência recaiu sobre Maria Pandorca, Trocas e Baldrocas, O livro dos exageros e Onde tudo aconteceu.

Alunos do 3ºano

26

Diz-me tu...


Biblioteca Escolar Os alunos do 2º ano elegeram as seguintes obras como as preferidas: *O Cuquedo da autoria de Clara Cunha, que conta a história de um bicho pequeno que assusta as pessoas, apesar de ser invisível. *A minha mãe é a melhor do mundo de Mª João Lopo de Carvalho, que fala sobre um menino que gosta muito da mãe, mas a determinada altura cansa-se dela porque não o deixa fazer tudo o que ele quer e parte à procura de outra. *Livro com cheiro a caramelo de Alice Vieira, que é um livro que além de ter histórias engraçadas, tem um cheiro a caramelo que até dá vontade de comer. Obras sobre a temática dos afectos e de como viver em sociedade também foram requisitadas ao longo do ano. A Lara e o Aquiles do 2º ano fizeram questão de referir que gostaram muito de vir à biblioteca escolar porque quando entravam nela e requisitavam livros era como se entrassem na história que ia ser lida ou contada.

Alunos do 2ºano

Os livros favoritos dos alunos do 1º ano foram os que continham muitas ilustrações e histórias pequenas. Uns revelando mais imaginação e outros mais tendência para copiar as imagens das obras requisitadas, foram ilustrando o Diário de Leitura com cores muito vivas.

Alunos do 1º ano

Jornal Escolar - Ano II - Edição III - Junho 2011

27


Concurso de Escrita

“O lobo malandrão e o carneiro” 1º Lugar Junto ao rio, estava um lobo que uivava deitado no chão. Entretanto apareceu um carneiro que, com precaução, lhe perguntou: - Que te aconteceu, para estares aí, feito morto? Com uma voz amiga, o lobo apressou-se em responder: - Eu… eu estou muito ferido! E tu, amigo do coração, por favor demonstra o quão importante sou para ti, testemunha-o agora! Boquiaberto, o carneiro ripostou: - Mas eu conheço-te de algum lado, imbecil? Então o lobo exclamou: - A tua mãe conhece-me! E tu fecha a boca, porque não quero que me roubes as moscas! Isto porque, no outro dia, aprendi a gostar muito desse prato: “moscas recheadas com saliva alentejana”. E quem me deu a conhecer a receita foi precisamente a tua mãe, grande amiga… O carneiro, confuso, perguntou: - Eu não preciso de mosc… O QUÊ?? QUEM?! Malandro, o lobo disse: - Com a tua mã… - Cala essa matraca, eu ouvi bem quem era!! Como a conheces, seu sacana? – perguntou o carneiro, confuso. O lobo respondeu: - É uma amiga, de longa data! Porém, relembra-te: se eu lhe contar que tu me trataste assim, isto é, que nem me ajudaste… eu estou numa situação de vida ou de morte! Aliás, como deves ter percebido, hoje reduzi as minhas palavras ao falar contigo, pois apenas disse uma ou duas palavras. O carneiro, muito desconfiado, disse: - Bom, se dizes ser um fiel amigo da minha mãe, eu manifesto o meu auxílio! Deixa-me ver como tu estás, a dimensão desse tal caso de vida ou de morte… O carneiro aproximou-se, ainda com um mau pressentimento e, num ápice, o lobo abre a sua boca para o tentar comer; todavia, o carneiro recua para junto do rio, seguido ainda do lobo. Este acaba por morrer afogado, enquanto que o carneiro fica contente por saber que o mentiroso não irá praticar o mesmo tipo de acções perante outros animais. Moral da história:  Não confies nos malvados, mesmo que pareçam ser bem-intencionados;  Atenta nos mais pequenos indícios de malvadez e más intenções: “ Mais vale prevenir do que remediar”. Sónia Santos nº22 8ºA

28

Diz-me tu...


Concurso de Escrita

Ai o que as bombas fazem….

2º Lugar

Era uma vez, um pato muito esquisito. Chamava-se Bin Laden e tinha o incrível vício de andar sempre a

rebentar coisas. As suas maiores e melhores amigas, eram as bom-

bas explosivas. Um dia, foi a um celeiro para tentar mandá-lo pelos ares e, quando estava mesmo para agir, ouviu um coelho chamado José Sócrates, que até à data tinha sido um animal exemplar, pois, ia todos os santos Domingos á missa, rezava o terço todas as noites antes de dormir, e ajudava quem mais precisava, a dizer: -Não! Bin Laden, não! Por favor, não me faças morrer! De certeza que não é isso que queres! Eu posso juntarme a ti, faremos uma grande parceria! -Hã?! Tens a certeza que queres abdicar da tua boa reputação e passar a ser um animal rebelde? -Sim, tenho. Os dois parceiros destruíram imensas casas e imensos edifícios… Até ao dia que entraram num super mercado e encontraram o dono do coelhinho. Quando o dono o viu e se apercebeu de que ele tinha fugido e que agora era um parvalhão, apanhou-o e

as-

sou-o na brasa, com umas batatinhas fritas a acompanhar. Moral da história: Junta-te aos bons serás como eles, junta-te aos maus, serás pior que eles.

Francisca Rodrigues da Piedade, nº9, 8ºA

O burro e o cavalo

3º Lugar

Esta é a história do burro Dentuças. Um burro que tinha nascido com os dentes de fora. Por este motivo era muito gozado e desprezado por tudo e por todos. Ate que um dia foi levado para uma quinta. Lá dava-se bem com todos os animais a excepção dos cavalos. Um dos cavalos chamado Maracujá, Tinha a mania que era o melhor de todos e o mais charmoso. SABIA que Dentuças gostava, tal como ele, da égua Rapunzel. Rapunzel sabia que ambos gostavam dela mas era difícil escolher pois alguns animais diziam para escolher o cavalo outros o burro. Algumas semanas mais tarde, a coruja que era o animal mais esperto da quinta, teve a ideia de fazer uma corrida entre dentuças e maracujá. Assim, Rapunzel iria ficar com o que ganhasse. A corrida realizou-se na semana seguinte, á noite, para o que o dono não os visse. E…… o grande vencedor foi….. O BURRO! Dadas as circunstancias o cavalo fugiu dali arreliadíssimo por não ficar com a sua amada égua. E por ver que apesar de o burro ser como é conseguiu o que cria. E foi muito feliz!!

Márcia Crespo,Nº13, 7ºA

29 Jornal Escolar - Ano II - Edição III - Junho 2011


Produções dos Alunos Os alunos da escola EB1 da Chã da Laranjeira, do 3º e 4º anos, escreveram individualmente uma expressão escrita sobre o significado de ser criança. O texto que se segue é o resultado da compilação de algumas frases desses textos individuais.

Uma viagem pelo mundo… Se tu visses o que eu vi lá prós lados da China uma criança a comer com pauzinhos de olhos em bico, que linda menina! Se tu visses o que vi Lá prós lados de Angola um menino de pele negra com uma lança na mão e na outra uma sacola. Se tu visses o que eu vi lá prós lados do Oriente um menino de pele castanha a encantar uma serpente. Se tu visses o que eu vi lá prós lados do Brasil um índio de pele vermelha a fazer uma dança muito baril! Se tu visses o que eu vi e passasses por onde passei aprendias muitas coisas assim como eu, e adorei!

Trabalho colectivo, baseado na exploração do texto “Meninos de todas as cores”, de Luisa Ducla Soares EB1 de Outeiro da Fonte (1.º e 3.º anos)

30

Sou uma criança feliz e amada, Sou uma criança a saber sorrir, Sou uma criança a viver esperanças, Sou uma criança, porque sou rapaz, Sou uma criança, porque não arrumo as coisas…. Sou uma criança distraída e alegre, Sou uma criança que gosta de ver a lua, Sou uma criança que gosta de ajudar os outros, Sou uma criança que gosta de ser inteligente Sou uma criança gira, Sou uma criança reguila, Sou uma criança que gosta da escola, Sou uma que ajuda os pais, Sou uma criança tímida, Sou uma criança muito feliz em casa, Sou uma criança com o sentido de amar, Sou uma criança sem fim na vida… Sou uma criança em mudanças, Sou uma criança que tem esperança no futuro, Sou uma criança misteriosa, Sou uma criança gentil, Sou uma criança que gosta de brincar nos campos cobertos de flores, Sou uma criança que gosta de ver a noite a aparecer. Sou uma criança que gostava de dar a volta ao mundo, Sou uma criança que gosta de segredos ao ouvido, Sou uma criança que vê o arco-íris da outra pessoa, Sou uma criança com uma professora que ensina bem, Sou uma criança com amigos,

Sou uma criança que não gosta de estar de castigo, Enfim sou uma criança…que gosta de ser criança!

Diz-me tu...


Produções dos Alunos

Na escola da fantasia Na escola da fantasia

Na escola da fantasia

Há muita alegria,

Brincamos com a magia.

Estrelas a brilhar

Põe-se a serpente a bailar

E a luz a brincar.

os meninos a pintar,

Vê-se o arco-íris colorido

os patinhos a cantar

A sorrir com sentido.

E os pássaros a voar.

Há magia no ar

Há bolas a saltar,

E truques a dançar.

e alunos a comemorar.

Bailam os aviões

Fazemos viagens no tempo,

Carregados de balões.

E, tudo isto,

Há gatos a ajudar

É o que eu invento!

Os alunos a estudar. O unicórnio é o professor, Ensina o que é o amor. Ensina-nos a voar

1.º/2.º anos da EB1 Outeiro da Fonte

E vamos todos pelo ar!

O mundo ao contrário Nunca vi coisa tão parva, Um giz a escrever no nariz, As flores tornaram-se cantoras, As cotonetes limpavam os dedos, As cadeiras não eram feitas de madeiras, A árvore era feita de mármore. Ah… era tudo muito disparatado! A professora, tão simpática que era Tornou-se uma pantera. As orelhas do meu gato, Ficaram todas pintadas de azul. Só a mim é que me aconteceu uma coisa estranha, As minhas unhas ficaram amarelas E o meu nariz ficou vermelho. Ai que grande confusão! Já nem sei o que pensar Vou-me deixar de patetices Tenho que me concentrar. Amanhã tenho escola, vou-me deitar no armário Não...não há nada para espantar Porque isto é o mundo ao contrário!!!!!!!!!

1.º/2.º anos da EB1 Outeiro da Fonte

Inês Pedrosa, aluna do 4ºano EB1 de Sismaria

31 Jornal Escolar - Ano II - Edição III - Junho 2011


Produções dos Alunos

Amizade Os meus amigos são o meu maior tesouro, aquilo que mais adoro! Se há medos que tenho na vida, um deles é o de perder os meus amigos! É este o meu estado de espírito, neste momento. Quando pensei que o meu dia não podia piorar ainda mais, soube que três amigas, que adoro muito, se vão embora da escola. Poderei, um dia, reencontrá-las? E agora… Quem me chamará Princesa? Quem me fará rir, como só elas conseguiam fazê-lo? Quem me dará aqueles beijos tão doces, logo de manhã? Sinto que estou a ficar sozinha! Todas as pessoas que me são mais queridas partem, um dia! Todas elas são muito importantes para mim, todas elas são estrelas no meu coração e ventos agradáveis na minha alma! Poderei deixar de vê-las todos os dias, todas as manhãs, todas as tardes, mas nunca… NUNCA, as esquecerei! Jamais se esquece alguém que um dia nos fez rir e voltar a erguer a cabeça. A vida continua e não se pode chorar por cima de chuvas já caídas.

Tatiana e Cátia, 7ºB

A pétala de uma rosa Uma pétala será capaz de contar a história de uma rosa? Os ignorantes dizem que não. Quem já o estudou, afirma que sim. Imaginemos uma pétala de uma rosa já morta... Será insignificante? Talvez sim... Talvez não… Uma pétala conta a história de uma rosa! Se perguntarmos... Quem plantou a rosa? Quem amou a rosa? Quem regou a rosa? Como viveu essa rosa? Porque morreu essa rosa, deixando apenas a pequena pétala? Falta de amor? Porque estava infeliz? Ou porque partiu assim do nada? Não existe explicação para a morte de uma rosa! A pequena pétala pode contar essa história A história da rosa que sempre a amou E a pequena pétala, apesar de morta… Sente-se feliz por ter feito parte dessa rosa Mas infeliz por a rosa ter partido.

Medusa

32

Diz-me tu...


Produções dos Alunos

“P’RA MAIORES!” Ora hoje… As meninas vestem-se para parecerem mulheres, as meninas falam como se já tivessem muita experiência: “- Eu… é a primeira vez.; - Tu estás a brincar, não estás?; - Estou. Estava a brincar. Claro que não é a primeira vez.”). E quando damos conta as meninas passam a ser mulherezinhas. As frases anteriores entre aspas, lá para o primeiro parágrafo, fazem parte da contracapa de um romance em que Dulce é a personagem central, uma jovem de quinze anos (quase dezasseis!), que no final acaba por se envolver com um homem de vinte e nove, acabando este por se revelar um efebófilo, Eddie, ou seja, um adulto que se sente atraído sexualmente por um adolescente. Dulce é uma adolescente com pais separados. Durante a sua infância foi conhecendo as jovens namorados do pai e assistindo às diversas tentativas frustradas de reconciliação dos seus progenitores. Dulce era uma criança gordinha, sempre muito apaparicada pelos pais. À medida que foi crescendo foi-se redescobrindo fisicamente, como rapariga que é. É num fim-de-semana em casa da amiga Titó (uma rapariga da mesma idade, mas por sinal um pouco diferente), que Dulce conhece pessoalmente Eddie, um “amigo” do Facebook com quem já tinha falado diversas vezes. Dulce vai adaptando a sua maneira de ser perante as diversas pessoas que se cruzam no seu caminho. Vai-se mostrando como uma adulta perante Eddie, tentando seduzi-lo. Este, mesmo sabendo que o que faz é errado, não resiste e ambos se envolvem, acabando Dulce por fugir com ele para Espanha. Este romance é só mais um dos muitos já publicados por Ana Saldanha. Mais um onde a concentração do leitor tem de estar sempre desperta, desperta para os avanços e recuos no tempo que ajudam a contextualizar a acção que se vai desenrolando ao longo das páginas. O cruzamento de temas actuais é uma constante neste livro. Desde a história do divórcio, a última moda da rede social “Facebook”, os “amigos virtuais”, à atracção de raparigas, que querem crescer depressa demais, por homens mais velhos e vice-versa. Tudo está bem enredado, apesar de neste livro as personagens apresentarem praticamente quase todas, se não forem todas, relacionamentos muito instáveis, demasiado pouco sérios para uma sociedade que precisa cada vez das ligações sólidas e honestas entre as pessoas. “Para Maiores de Dezasseis”… Desde logo um título extremamente apetitoso, principalmente para alguém que no seu Bilhete de Identidade apresenta uma idade inferior a dezasseis anos.

Título: Para Maiores de Dezasseis Autor: Ana Saldanha Ilustrador: João Maia Pinto (capa) Editora: Caminho Género: Romance

Laura Gama Martins 9ºC

33 Jornal Escolar - Ano II - Edição III - Junho 2011


Produções dos Alunos A nossa escola é uma Escola Inclusiva! O princípio fundamental das escolas inclusivas consiste em todos os alunos aprenderem juntos, sempre que possível, independentemente das dificuldades e das diferenças que apresentam. Estas escolas devem reconhecer e satisfazer as necessidades diversas dos seus alunos, adaptando-se aos vários estilos e ritmos de aprendizagem, de modo a garantir um bom nível de educação para todos, através de currículos adequados, de uma boa organização escolar de estratégias pedagógicas, de utilização de recursos e de uma cooperação com várias comunidades. No âmbito da escola inclusiva, decidimos fazer uma entrevista à professora Leonor (professora de Educação Especial), aos nossos colegas com Necessidades Educativas Especiais de Carácter Permanente, aos seus colegas de turma e às auxiliares de acção educativa que acompanham, diariamente, esses alunos.

Questionário direccionado à professora Leonor

Por que motivo quis fazer uma especialização em Educação Especial?

Ao longo da minha actividade como docente do ensino regular, tive, incluídos na minha turma, alunos com Necessidades Educativas Especiais. Sentindo que estas crianças precisavam que eu lhes desse uma resposta diferenciada, fui tentando encontrar soluções. Após alguns anos de experiência, decidi-me pela frequência de uma pós-graduação com especialização em Educação Especial.

Há quanto tempo desempenha esta profissão?

Há 30 anos que lecciono, 15 dos quais a trabalhar com alunos em Educação Especial.

Este serviço presta apoio apenas aos alunos da escola sede?

A Educação Especial é um serviço prestado em todas as escolas deste agrupamento, desde que nelas existam crianças com Necessidades Educativas Especiais de Carácter Permanente. Temos professores a atender alunos desde o ensino pré-escolar até ao nono ano. Encontram-se

em

funcionamento

2

unidades

especializadas

para

atendimento

de

alunos

com

multideficiências. Uma localiza-se na EB1 de Carreira, destinada a alunos do pré-escolar e do primeiro ciclo e

34

Diz-me tu...


Produções dos Alunos esta, na sede, que serve alunos dos 2º e 3º ciclos.

Que actividades são promovidas, nas sessões de acompanhamento, a estes alunos?

As actividades a desenvolver dependem da especificidade de cada aluno e abrangem diferentes áreas: a da comunicação, da mobilidade e da autonomia pessoal.

Estes alunos também frequentam as aulas das turmas do Currículo Nacional de Ensino. Com que objectivo?

Os alunos que frequentam a unidade de multideficiência têm também tempos em que estão nas suas turmas, para que possam participar nas aprendizagens e serem aceites no grupo de pares. Todos nós, enquanto ser humanos, necessitamos de ter experiências, ao longo da nossa vida, que nos permitam ser autónomos e independentes; continuar a crescer e a aprender; ser aceites e amados através da nossa presença e participação e ser respeitados enquanto pessoas. Estes alunos apenas não têm capacidades para, de forma independente, criarem situações e experiências nas sua vidas que permitam responder a algumas das suas necessidades básicas.

De que forma é que estes alunos são preparados para se integrarem, um dia, na sociedade?

A organização das respostas educativas para estes alunos não difere, no essencial do desenvolvimento com todos os outros alunos, na medida em que a inclusão na comunidade e a qualidade de vida são objectivos comuns a todos.

Questionário dirigido às auxiliares de acção educativa

Quais as dificuldades que sente ao trabalhar com estes alunos?

D. Leonor - Posso sentir alguma dificuldade, mas só até os conhecer. Após isso, trabalho bem com todos eles. D. Carina - Eu não tenho dificuldades em trabalhar com estes alunos, gosto muito de conviver com eles. D. Teresa - Sinto algumas dificuldades quando um aluno tem um ataque, pois quero ajudá-lo. Quanto ao trabalho a desenvolver com os alunos, apenas tive alguns problemas há nove anos, devido à inexperiência. Era difícil compreender os alunos e fazer com que eles me compreendessem.

Considera que se trata de uma experiência enriquecedora, a nível pessoal e profissional?

D. Leonor - Claro que sim, para mim é muito enriquecedora. Gosto muito de trabalhar com estas crianças, todos os dias aprendo com eles. Considero que todas as crianças com deficiência têm os mesmos direitos que as crianças sem deficiência.

35 Jornal Escolar - Ano II - Edição III - Junho 2011


Produções dos Alunos D. Carina - Sim. D. Teresa - Sim, porque permite-me compreender melhor estas crianças, olhar para elas de outra maneira, são crianças em geral muito alegres.

Questionário realizado junto dos nossos colegas com Necessidades Educativas peciais de Carácter Permanente

Es-

Gostas da Escola? Tiago- Sim, muito. Milton- Sim, é fixe. João- Sim.

Tens muitos amigos? Tiago- Sim. Milton- Sim, muitos. João- Alguns.

Adquires muitos conhecimentos na escola? O quê?

Tiago- Sim. Aprendo a ler, escrever, contar, andar (aprendo a ter mais força nas pernas). Milton- Sim. Aprendo a escrever o meu nome, a desenhar, a escrever no computador, a cortar e a colar. Quando vou à piscina, aprendo a nadar. João- Sim. Aprendo a mexer nos computadores, a escrever e a ler.

Questionário dirigido às turmas, nas quais os nossos colegas se encontram integrados

O vosso colega integrou-se bem na turma? 9ºB- Sim, apesar de frequentar poucas vezes as aulas. 7ºB- Sim. Ele é uma pessoa igual a nós. Dentro das suas capacidades, ele interage bem com a turma. 6ºD- Não.

O que fizeram para que isso acontecesse? 9ºB- Ajudámo-lo, sempre que necessitou; comunicámos com ele e aceitámo-lo como ele é. 7ºB- Fizemos com que ele se sentisse à-vontade connosco e nós com ele. 6ºD- Não houve colaboração da nossa parte.

Leandro, Mafalda, Neide – 7.ºB

36

Diz-me tu...


Produções dos Alunos

Como surgiu o dia mundial sem tabaco? Desde 1988, a OMS (Organização Mundial da Saúde) promove a comemoração do Dia Mundial sem Tabaco. Pretende-se centrar a atenção do público sobre o problema do tabaco na nossa saúde, independente da forma através da qual ele chega (como fumadores activos ou passivos). Tenta-se consolidar o controle do tabaco e a sua prevenção. Trata-se de um problema bastante complexo em todas suas facetas e que afecta a todos os cidadãos.

Doenças provocadas pelo tabaco Os fumadores apresentam, em maior ou menor grau, problemas de saúde: - perturbações nervosas e sensoriais - alterações respiratórias e circulatórias; - pele seca e com rugas; - dentes amarelos; -… Vários tipos de cancro estão associados ao consumo do tabaco, assim como as bronquites, as úlceras e as doenças cardiovasculares.

Como deixar de fumar? Querer deixar de fumar e decidir fazê-lo são os passos mais importantes. Mas passar à prática exige esforço e auto-disciplina. Algumas rotinas poderão facilitar a tarefa:  Fixe um dia para deixar de fumar. O estabelecimento de uma data ajuda a criar um sentimento de compromisso.  Anuncie aos outros a sua decisão. Envolver os que lhe são mais próximos garante-lhe apoio e solidariedade.  Identifique os seus hábitos tabágicos. Saber em que circunstâncias fuma habitualmente permite-lhe criar estratégias para contorná-las.  Elabore uma lista de motivos para deixar de fumar e releia-a sempre que pensar em desistir.  Aprenda a reagir à vontade de fumar. Os momentos em que sente grande desejo de voltar a fumar duram apenas alguns minutos.  Faça uma alimentação saudável. Se a sua preocupação é o ganho de peso associado ao abandono do tabaco, procure substituir as gorduras, o açúcar e os alimentos ricos em sal por saladas, frutas e legumes.  Tente evitar a proximidade de fumadores, bem como os cigarros e todos os objectos relacionados com o hábito de fumar.  Pratique actividade física. Não só contribui para uma boa forma física, como ajuda a combater a ansiedade e as alterações de humor próprias dos ex-fumadores.  Com o dinheiro que poupar no tabaco, ofereça-se uma prenda que deseje há muito tempo. Se não conseguir à primeira, nada está perdido. A recaída faz parte do processo de mudança. Marque uma nova data e volte a tentar.

Trabalho realizado por: Olavo Carreira, Nº17 9ºB 37 Jornal Escolar - Ano II - Edição III - Junho 2011


Produções dos Alunos

As dietas de Verão Chega o Verão e as preocupações com o peso e a figura. Desde o princípio do ano que se assiste a uma correria aos ginásios e à procura da dieta ideal, para chegar ao Verão com a melhor figura possível e sem aquela barriguinha… Nesta época do ano, as raparigas, principalmente, têm a mania que estão gordas e começam a emagrecer, desmesuradamente. Muitas vezes, ficam demasiado magras, chegando mesmo a ficar anorécticas.

Os perigos das dietas As adolescentes são as maiores vítimas da adopção das dietas descontroladas. Os regimes, com restrições exageradas, provocam desequilíbrios emocionais e físicos. Os riscos são grandes para as pessoas que perseguem um padrão ideal de beleza, adoptando reduções alimentares por conta própria. No entanto, não podemos esquecer que a obesidade é um problema que afecta, cada vez mais, as crianças e os jovens. Uma dieta alimentar equilibrada e a prática regular de exercício físico são fundamentais para o controlo do peso. As dietas para a redução de peso devem ser, preferencialmente, orientadas por um nutricionista. Algumas dicas para dietas saudáveis: 

beba muita água;

 

reduza o consumo de arroz, massa, batata e pão branco; evite comer doces, fritos e beber refrigerantes;

acompanhe as refeições com uma boa salada;

ao jantar, faça uma refeição mais leve;

coma carne, três vezes por semana;

 

entre as refeições, coma uma peça de fruta ou uma barrinha de cereais; faça exercício físico. Carina Silva; Eva Monteiro; Eliana Carnide; Juliana Gaspar Formação Cívica (PES) 7ºB

As saladas são preparações culinárias compostas por vários alimentos diferentes, geralmente têm legumes, muitas vezes com cores contrastantes e geralmente são comidas frias. A palavra salada vem do latim para salgado, referindo o tempero – sal de cozinha – que pode ser o único elemento extra desta combinação, embora normalmente seja mais elaborado. Os legumes são alimentos que contêm uma grande quantidade de vitaminas, minerais, fibras e água, daí terem um baixo valor calórico. Além disso, tratam-se de alimentos frescos, que podem ser consumidos crus ou, ainda que quando cozidos, podem ser arrefecidos e consumidos frios, o que nesta altura do ano é bastante aliciante. Além disso, por terem um baixo valor calórico e conseguirmos ter uma sensação de saciedade com eles, uma vez que são ricos em fibras, são bons aliados no que toca ao controlo do peso. As saladas são tradicionalmente servidas como acompanhamento, no entanto, podem constituir uma refeição completa. Para serem uma opção válida em termos nutricionais, as saladas têm de ter mais do que a tradicional

38

Diz-me tu...


Produções dos Alunos alface, tomate ou cenoura, para que consigamos ingerir todos os nutrientes que são indispensáveis para a nossa saúde. Os hidratos de carbono, as proteínas e as gorduras também podem fazer parte da constituição das saladas. O segredo está em fazer saladas com grandes variedades de legumes, nomeadamente com diversas cores, porque a cor significa riqueza em termos nutricionais, adicionando-lhes alimentos que nos forneçam outros nutrientes, tais como ovos, atum, frango cozido desfiado, frutos secos ou fruta da época, desta forma as saladas podem substituir uma refeição, de uma forma bastante saudável e equilibrada. André Pedrosa, Nº2, João Antunes Nº10, Leandro Neto Nº12, Formação Cívica (PES) 7ºB

As sopas fornecem uma enorme variedade de óptimos nutrientes, para a nossa saúde. Têm uma enorme importância na nossa alimentação, não só pela variedade dos nutrientes que nos fornecem, mas também pelos benefícios que desencadeiam, por exemplo, no bom funcionamento do nosso intestino e na regulação dos níveis de colesterol sanguíneo. Os produtos hortícolas são excelentes fornecedores de vitaminas, minerais, fibra alimentar, antioxidantes e outros produtos com benefícios na nossa saúde. As sopas de legumes têm ainda um baixo valor calórico, contribuindo para a manutenção de um peso adequado. Num questionário sobre hábitos alimentares, realizado recentemente na nossa escola, pelo Projecto de Educação para a Saúde, apenas 16% dos alunos afirmam comer sopa diariamente. A maioria dos alunos refere que raramente come sopa, (70%). Se estás entre aqueles que “torcem o nariz” quando se fala de sopa, pensa nestas 12 boas razões para comer (muita) SOPA! 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12.

É de fácil digestão. É saciante. É reguladora do apetite. Oferece uma grande riqueza de vitaminas e minerais. Tem uma grande quantidade de fibras. Fornece muitas substâncias antioxidantes e protectoras. Geralmente apresenta um baixo valor calórico. Previne a obesidade. É importante para o bom funcionamento intestinal. É reguladora dos níveis de colesterol. Contribui para o equilíbrio da dieta alimentar. É económica.

Beatriz, Cátia, Rafaela e Tatiana Formação Cívica (PES) -7ºB

39 Jornal Escolar - Ano II - Edição III - Junho 2011


Produções dos Alunos

Receitas Saudáveis Batido de Banana Ingredientes 1dl de leite 2 c. de café de açúcar 1/2 banana 2 cubos de gelo Modo de Preparação Ponha tudo no copo misturador e mexa durante 1 minuto, a velocidade média. Sirva de seguida.

Gelado de Pêssego Ingredientes 4 pêssegos grandes maduros 2ovos 2 chávenas de natas frescas 2 colheres de farinha 1 chávena de leite 1 chávena de açúcar Um pouco de raspa de limão Modo de preparação Descascam-se os pêssegos. Tira-se-lhes os caroços, esmagando-os na mixer. Num tacho coloca-se a farinha, o açúcar, os ovos batidos e umas colheres de leite. Mistura-se tudo muito bem e junta-se, pouco a pouco, o restante leite. Leva-se a cozer em lume brando, mexendo sempre, até que o creme comece a aderir à colher, sem o deixar ferver. Retira-se do lume, acrescentam-se as natas e a raspa de limão. Vaza-se o composto para uma taça de pirex redonda e coloca-se no congelador. Quando o gelado começar a formar-se, mexe -se bem com uma colher de pau, acrescentam-se os pêssegos e coloca-se, novamente, no congelador. Deixa-se ficar 30 minutos… E está pronto a servir!!!

Salada de Atum com Grão Ingredientes 1 caldo de knorr de tomate 1 lata grande de grão cozido 1 lata de atum 3 c. de sopa de azeite 1 cebola 2 dentes de alho 1 folha de louro 1 c. de sopa de salsa picada Sal e pimenta a gosto Modo de preparação Corte as cebolas e os dentes de alho e leve ao lume com o azeite, depois de tudo bem douradinho, junte o caldo knorr, o louro e o atum escorrido. Mexa bem, quando vir que está todo bem apurado, junte o grão e por fim a salsa e veja se está bom de sal e pimenta…E está pronto a comer!!

40

Diz-me tu...


Produções dos Alunos

Bolachas de limão Ingredientes 300g de farinha 125g de manteiga derretida 125g de açúcar 1 ovo Raspa de um limão Modo de preparação Mistura-se todos os ingredientes com as mãos e deixa repousar um pouco. Coloca-se uma folha de papel vegetal num tabuleiro e distribua as bolachas moldadas nas formas que quiser. Leve ao forno a cozer, retire e deixe arrefecer. E está pronto a servir!!!

Beatriz e Celina, 7ºB

Dicas para ter uma alimentação saudável Vamos apresentar algumas dicas para que tenha uma alimentação saudável… . Faça 5-6 refeições por dia, devendo ser de 3 em 3 horas. Não de vemos estar mais de 4 horas sem comer. . Coma frutas e legumes todos os dias. . Prefira margarina vegetal e azeite. Tem menos gorduras!! . Evite líquidos durante as refeições, pois estes contribuem para a distensão mecânica do estômago. . Evite bebidas alcoólicas e refrigerantes. . Tenha cuidado com a quantidade de sal. . Coma mais queijos brancos. . Faça exercício físico regularmente. . Beba pelo menos 1.5l de água por dia. . Coma alimentos crus, cozidos, grelhados ou assados. Tente evitar os fritos… . Coma alimentos integrais e naturais, em vez de alimentos refinados e industrializados. . Faça as suas próprias comidas em vez de comprar no fast-food, … . Deixe os restaurantes e comidas gordurosas para dias de festas. . Coma devagar e mastigue bem os alimentos, assim não engorda tanto!! . Coma menos carnes vermelhas e mais carnes brancas. . Coma sopa todos os dias, pois tem muitos nutrientes… Aqui estão as nossas dicas! Faça isto e vai ver que se sente melhor!!!

Beatriz e Celina, 7ºB

41 Jornal Escolar - Ano II - Edição III - Junho 2011


Produções dos Alunos

Séc. XVIII

Séc. XXI

Séc. XX

Carina, Rafa, Eva - 7ºB

42

Diz-me tu...

Séc. XXI


Passatempos

Gestos e costumes Beijos e afectos  Na Indonésia e na Tailândia, não se devem mostrar gestos de afecto em público.  Na Rússia, os homens beijam-se na boca para se cumprimentarem.  Em Itália, se a relação for próxima, de família ou amizade, os homens cumprimentam-se beijando-se, mas nas bochechas…

Gestos    

Em França, significa que aquilo de que se está a falar não vale nada. Na América, significa que está OK. No Japão, representa dinheiro. Na Tunísia, significa uma ameaça de morte.

 Na Grécia ou na Sardenha quem andar a pedir boleia fazendo este gesto, cuidado, aí são convites sexuais!

À mesa  Na China, é uma grande ofensa recusar comida.  Na Rússia e nos países árabes, dar valentes arrotos no fim e durante a refeição significa que a comida está muito boa e que a pessoa está satisfeita!  Em Inglaterra, não é nada educado molhar o pão no molho que está no prato. (É feio, mas não sabem o que perdem!)  Na Alemanha, um brinde só pode ser feito por iniciativa de um homem, nunca de uma mulher. Ana e Eliana, 7ºB

1.

É bom para se comer, mas não se come assado nem cru, nem cozinhado, o que é?

2.

É uma caixinha, de bem-querer, não há carpinteiro, que a saiba fazer?

3.

É uma senhora muito esbelta, que com finos véus se aperta, quem tiver que desapertar, muitas lágrimas háde chorar.

4.

É usado lá na China, mas que se não fosse, não quebrava a sua sina, de aparecer em loiça fina, com correia e muito doce. André, 7ºB

1. 2. 3. 4.

Prato Noz Cebola Arroz

Jornal Escolar - Ano II - Edição III - Junho 2011

43


Boas Férias

Segundo lema do Alentejano - Mais vale morrer de frio do que trabalhar para aquecer. Verbo DEVOLVER no presente: Eu devolvo, Tu de mini, Ele de triciclo. Qual é a peça da mota de que os Alentejanos gostam mais? É o descanso. O Manuel sofria de um mal singular. Sempre que tomava um cafezinho sentia uma forte pontada no olho. Um dia, um amigo dele disse: - Ó, Manuel, porque não tiras a colherzinha antes de tomar o café? André, 7ºB

44

Diz-me tu...

Jornal AERSI 10/11 3Periodo  

Jornal Escolar de Agrupamento de Escolas Rainha Santa Isabel

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you