Issuu on Google+

NEWS ANO I - Nº 05 - DEZEMBRO 2016

Conheça os 34 tipos de Engenharia que existem no Brasil Gosta da área de exatas? Cálculos e ciência são suas paixões? Então com certeza Engenharia seria uma ótima opção para você! Cada graduação tem características e perfis próprios. Listamos todas as engenharias para você acabar com suas dúvidas e escolher a área que mais lhe interessa. Confira. Engenharia Aeronáutica É o ramo da Engenharia que se ocupa do projeto e da manutenção de aeronaves e do gerenciamento de atividades aeroespaciais. Engenharia Ambiental O Engenheiro que atua nessa área desenvolve e aplica tecnologias para proteger o ambiente dos danos causados pelas atividades humanas. Engenharia Cartográfica O Engenheiro Cartógrafo faz

pesquisas de campo e cálculos para elaborar mapas e cartas impressas ou digitais. Engenharia da Computação O Engenheiro da Computação projeta e constrói computadores, periféricos e sistemas que integram hardware e software. Engenharia de Alimentos Esse profissional cuida de todas as etapas de preparo e conservação de alimentos de origem animal e vegetal. Engenharia de Controle e Automação O Engenheiro de Controle e Automação projeta e opera equipamentos utilizados nos processos automatizados de indústrias em geral, além de fazer sua manutenção. Engenharia de Horticultura Esse profissional aplica tecnologia de ponta no cultivo

de frutas, verduras, legumes, plantas ornamentais, medicinais e aromáticas ou que servem como condimentos. Engenharia de Minas O Engenheiro de Minas localiza jazidas e analisa o tamanho das reservas e a qualidade do minério no local. Engenharia de Petróleo e Gás O Engenheiro de Petróleo

e Gás atua em petroleiros, refinarias, plataformas marítimas e em petroquímicas. Engenharia de Segurança do Trabalho O Engenheiro de Segurança do Trabalho tem a função de assegurar que o trabalhador não corra riscos de acidente sem sua atividade profissional, sejam eles danos físicos ou psicológicos. Página 06

Apoio:

Conheça as cinco normas técnicas destacadas pelo CAU de São Paulo Página 07


02

AERF NEWS - Associação dos Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos Região de Franca ANO I - Nº 05 - DEZEMBRO 2016

Expediente

Diretoria 2016/2018

Presidente: Eng.º Civil Ercel Ribeiro Spinelli Vice-Presidente Eng.º Civil Virginio Henrique Vieira Reis Vice-Pres. Engº Civil Eng.º Civil Rafael Pimenta Furlan Vice-Pres Arquitetura Arquiteto Rafael Koiti Kanazawa Vice-Pres Agronomia Eng.º Márcio de Figueiredo Andrade Vice-Pres Engª Elétrica Eng.º Eletricista Giovanni G. de Sousa Vice-Pres Engª Mecânico Eng.º Mecânico Antonio C. Bettarello 1º Secretário Eng.º Civil José Luiz Tiussu 2º Secretário Engº. Civil Mario Sergio Bertelli 1º Tesoureiro Eng.º Mecânico Araken Seror Mutran 2º Tesoureiro Eng.º Civil Antônio Geraldo Sansoni Diretor de assuntos sociais Arquiteto José Luis Rodrigues Alves Diretor de ouvidoria Eng.º Civil Marco Antônio Franceschi Diretor de convênios Eng.º Civil Wolf de Oliveira Diretor de qualif.profissional Eng.º Civil Ariston Wimmers Loureiro Diretor de comunicação Eng.º Civil Odair Dalseco de Oliveira Diretor de assuntos públicos Eng.º Civil Rodrigo Antônio Cintra Conselho deliberativo: Presidente Eng.º Civil Júlio César Cheade Conselheiro Eng.º Civil Ronaldo Soares Lara Junior Conselheiro Arquiteto Anibal Cristiano Haddad Conselheiro Eng.º Civil Paulo Cesar Teixeira Conselheiro Eng.º Civil Alex Henrique Veronez Conselheiro Eng.º Civil Rui Engracia Garcia Caluz Conselheiro Eng.º Civil João Turido Trevizani Conselheiro Eng.º Eletricista Hermes Cesar de Souza Conselheiro Eng.º Civil Mathias do Val Rocha Conselho consultivo: Conselheiro Eng.º Civil Roberto Latorraca Lima Conselheiro Eng.º Civil Carlos José Martins Tavares Conselheiro Eng.º Civil Amilton Borges Conselheiro Arquiteto José Ricardo Balieiro de Maria Colaboradores: Vivian Karina Bianchini e Tellure Eventos Tiragem: 2.000 exemplares

Jornalista responsável - Beto Pereira MTB 34931

AERF - Rua Voluntário Jaime de Aguilar Barbosa, 1270 Bairro Santa Rita - Franca / SP www.aerf.org.br

(16) 3722-5422 - Gerência / 3722-1827 - Administrativo


AERF NEWS - Associação dos Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos Região de Franca ANO I - Nº 05 - DEZEMBRO 2016

03

CREA orienta sobre serviços de desinsetização Os termos desinsetização são denominações utilizadas por empresas prestadoras de serviços que se propõem a controlar a população de pequenos animais invasores, também conhecidos como pragas urbanas. Tal atividade, assim, como ocorre nos serviços de execução de obras, serviços e projetos da área da Engenharia Civil, Engenharia Mecânica, Engenharia Elétrica, dentre outros, são atividades técnicas privativas de profissionais legalmente habilitados e registrados no CREA-SP, conforme dispõe o art. 2 da Decisão Normativa 067 de 16 de Junho de 2000 do CONFEA, que dispõe sobre o registro e a Anotação de Responsabilidade Técnica das empresas e profissionais prestadores de serviços desinsetização,

desratização e similares: Art.2º Todo serviço de desinsetização, desratização, ou similar somente será executado sob a responsabilidade técnica de profissional legalmente habilitado e registrado no CREA, de acordo com as atividades discriminadas na Resolução Nº218, 29 de Junho de 1973 do CONFEA. & 1º Consideram-se habilitados a exercer as atividades a seguir relacionadas, os seguintes profissionais:

1 – formulação de produtos domissanitários: Engenheiro Agrônomo, Engenheiro Florestal, Engenheiro Químico e Engenheiro Sanitarista; e 2 – supervisão ao manuseio e à aplicação de produtos domissanitários: Engenheiro Agrônomo, Engenheiro Florestal, Engenheiro Químico, Engenheiro Sanitarista, tecnólogos e aos técnicos destas áreas de habilitação. Nesta Decisão Normativa, o Conselho estabelece a necessidade da existência do profissional legalmente habilitado para a atividade, bem como a obrigatoriedade da regularidade da empresa (pessoa jurídica) contratada (ver também ART.59 da Lei 5194/66): Art. 1º Toda pessoa jurídica que executa serviços de desinsetização, desratização e similares, só poderá iniciar suas atividades depois de promover o competente registro no CREA, bem como o dos profis-

sionais de seu quadro técnico. Vale ressaltar que, em se tratando de atividade técnica privativa dos profissionais do sistema CONFEA/CREA, a mesma também está sujeita ao registro da ART (Anotação de Responsabilidade Técnica), conforme o disposto na Lei nº6496 de 7 de dezembro de 1977 e na mencionada Decisão Normativa em seu Artº3º. Assim, o profissional responsável técnico pela empresa de dedetização deverá registrar a devida ART, conforme contrato, dando assim a garantia legal pelo serviço técnico executado: Art.3º Todo contrato, escrito ou verbal, para execução de serviço objeto desta Decisão Normativa, fica sujeito à Anotação de Responsabilidade Técnica – ART no CREA, em cuja jurisdição for exercida a atividade. Assim, ao contratar uma empresa para prestação de serviços de dedetização, é necessário verificar a sua regularidade perante o CREA-SP, solicitando cópia atualizada de certidão de registro no CREA-SP, bem como o fornecimento de ART (Anotação de Responsabilidade Técnica) pelo seu responsável técnico, por ocasião da execução dos serviços. Matéria disponibilizada no site Creasp. org


04

AERF NEWS - Associação dos Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos Região de Franca ANO I - Nº 05 - DEZEMBRO 2016

Jornada de Engenharia de Produção aconteceu na Unifran Nos dias 16, 17 e 18 de novembro ocorreu na Universidade de Franca – Unifran – a Jornada de Engenharia de Produção a qual contou com ilustres palestrantes abordando vários assuntos de interesse da comunidade de Engenharia. No dia 16 o Eng. Alexandre Carmo e o Advogado Felipe Thomas, staff da MDL Consulting, apresentaram a pa-

lestra Boas Práticas – O Mercado do Século XXI: Conceitos, Tendências e Carreiras. Os palestrantes da MDL Consulting trouxeram seus conhecimentos sobre o sistema de planejamento integrado SAP. A MDL possui vínculo com as alemãs Porsche Careers e SAP, esta última atendendo demandas, hoje, da BMW (Joinville/ SC). Foi comentado também sobre os

Alunos

programas e oportunidades ‘’Jobs & Carrer” para a Porsche Automotive. No dia 17 o Eng.

ANIVERSARIANTES 21/12 21/12 24/12 27/12 28/12 29/12 30/12 31/12 31/12 01/01 01/01 01/01 01/01 02/01 02/01 04/01 06/01 10/01 10/01 11/01 12/01 12/01 14/01 14/01 14/01 15/01 16/01 16/01 17/01 17/01 17/01 18/01 18/01

Carlos Lopes da Silva Debora de Carlos Christiane Pizzo Furini Almir Luiz Ribeiro Lisandra Goncalves Cristiane Maria Pucci Anawate Maristela de Oliveira Caparelli Fatima Terezinha Pousa Francisco Antonio Martins Antonio Roberto Alves Garcia Joel Carneiro Alves Simone Rodrigues A. Seixas Guilherme Reis Lourenco Edson Castro do Couto Rosa Marco Aurelio Alvarenga Antonio Henrique Luque Mauro Ferreira Mauro Rosa do Nascimento Luciana Salomao Camila Carrijo Lutfala Alexandre Olimpio de Souza Tais Cristina Farchi Jose Amancio de Castro Wilson Luis Teixeira Adriana Cação Karina Teixeira Guaraldo Gleida Helena Dias Chiareli Daniel Faleiros de Padua Maria C. Gusso Gralik Baccarin Rodrigo Antonio Cintra Thales Pavan Murari Alexandre Lopes Silva Viviane Roberta Arantes

Arquiteto e Urbanista Arquiteto e Urbanista Arquiteto e Urbanista Engenheiro Metalúrgico Arquiteto e Urbanista Arquiteto Arquiteto e Urbanista Arquiteto e Urbanista Engenheiro Civil Técnico em Eletrônica Engenheiro Civil Arquiteto e Urbanista Engenheiro de Produção Engenheiro Agrônomo Arquiteto e Urbanista Arquiteto e Urbanista Arquiteto e Urbanista Engenheiro Civil Arquiteto e Urbanista Engenheiro Civil Engenheiro Eletricista Arquiteto e Urbanista Engenheiro Agrônomo Engenheiro Civil Arquiteto e Urbanista Arquiteto e Urbanista Arquiteto e Urbanista Arquiteto e Urbanista Engenheiro Florestal Engenheiro Civil Arquiteto e Urbanista Engenheiro Civil Engenheiro Civil

Araken Seror Mutran proferiu a palestra O CREA e o Profissional da Engenharia: Importância do Conselho. Nela o Engenheiro além de detalhar o funcionamento do CREA, demonstrou toda sua experiência como Perito da Receita Federal e Perito Judicial do CREA relatando casos cotidianos encontrados no dia a dia da profissão do engenheiro. Após a palestra do CREA, houve a palestra do Eng. Aldo Leopoldo Rossetto Filho, especialista em Meio Ambiente e Economia Rural, atual Diretor Administrativo da Mútua-SP e membro do Conselho Fiscal da Faeasp, que apresentou a MÚTUA – Caixa de Assistência dos Profissionais dos CREAS aos alunos dos cursos de Engenharia de Produção e Engenharia Civil. Na palestra foi possível verificar o rol de apoio dado ao profissional da categoria para os

vários investimentos ao longo de sua carreira profissional. Fechando a Jornada de Engenharia, no dia 18, o Prof. Dr. Marcelo Moraes, com sua vasta experiência acumulada ao longo da carreira como Gestor de Projetos da UNESCO, Gerente de Projetos do Periódicos CAPES, do Ciências sem Fronteiras, ITAÚ e Oi Telecomunicações, proferiu a palestra Gerenciamento de Projetos na Prática, mostrando as vantagens dessa área de gestão e a importância da parceria com PMI Brasil e o apoio oficial da Microsoft para os que desejam atuar nesse campo. Vivian Karina Bianchini - Mestre em Engenharia de Produção; Bacharel em Engenharia de Produção Química, e Coordenadora dos Cursos de Engenharia de Produção e Engenharia Civil da Unifran


AERF NEWS - Associação dos Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos Região de Franca ANO I - Nº 05 - DEZEMBRO 2016

05

ACONTECEu

Palestrante Sr. Marcelo Corrêa de Moraes que falou aos alunos na Semana da Engenharia de Produção sobre Gestão de Projetos.

O Gerente Regional do CREA-SP Eng. Araken Seror Mutran apresentou aos alunos a Aerf e falou aos mesmos também sobre o CREA.

O Diretor Administrativo da MÚTUA Sr. Eng. Aldo Rossetto abriu sua palestra apresentando a MÚTUA aos alunos do curso de Engenharia de Produção.

Vivian Karina Bianchini, Mestre em Engenharia de Produção; Bacharel em Engenharia de Produção Química, e Coordenadora dos Cursos de Engenharia de Produção e Engenharia Civil da Unifran, na abertura oficial da Semana da Engenharia de Produção da Unifran.


06

AERF NEWS - Associação dos Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos Região de Franca ANO I - Nº 05 - DEZEMBRO 2016

Engenharia Elétrica Está presente em todos os aspectos que envolvem a energia, desde a geração, a transmissão, o transporte e a distribuição até o uso nas residências e no comércio. Engenharia Florestal O Engenheiro Florestal avalia o potencial de ecossistemas florestais e planeja seu aproveitamento de modo a preservar a flora e a fauna locais. Engenharia Industrial Esse profissional é o típico Engenheiro de chão de fábrica, que acompanha de perto a implantação e a manutenção da infra-estrutura industrial, como redes de água e de gás, pontes e esteiras rolantes. Engenharia Mecatrônica O Engenheiro Mecatrônico projeta e opera equipamentos utilizados nos processos automatizados de indústrias em geral, além de fazer sua manutenção. Engenharia Naval É a área da engenharia que cuida do projeto, da construção e da manutenção de embarcações e seus equipamentos. O Engenheiro Naval projeta a estrutura, os motores e os demais componentes de navios. Engenharia Sanitária É o ramo da engenharia voltado para o projeto, a construção, a ampliação e a operação de sistemas de água e esgoto. Esse profissional é fundamental para a preservação da natureza e de seus recursos. Engenharia em Tecnologia Têxtil e da Indumentária O bacharel em Tecnologia Têxtil e da Indumentária concebe e desenvolve projetos e pesquisas tecnológicas ligadas à produção têxtil. Engenharia Acústica O Engenheiro Acústico desenvolve técnicas e equipamentos para controlar o ruído ambiental visando ao bem-estar das pessoas. Engenharia Agrícola O Engenheiro Agrícola projeta, implanta e administra técnicas e equipamentos necessários à produção agrícola. Engenharia Biomédica O Engenheiro Biomédico projeta a estrutura, desenvolve e monta os equipamentos e faz a sua manutenção corretiva e preventiva. Engenharia Civil Além de projetar, gerenciar e executar obras como casas, edifícios, pontes, via-

dutos, estradas, barragens, canais e portos, o Engenheiro Civil tem como atribuição a análise das características do solo, o estudo da insolação e da ventilação do local e a definição dos tipos de fundação. Engenharia em Agrimensura É o ramo da engenharia responsável pelo levantamento e pela medição de terrenos. O Engenheiro Agrimensor prepara áreas para obras urbanas, de infra-estrutura hidráulica, sanitária, elétrica ou de transportes. Engenharia de Aquicultura É o conjunto de técnicas e conhecimentos usados na criação de organismos aquáticos em cativeiro. O Engenheiro de Aquicultura projeta, executa e supervisiona a criação de peixes, crustáceos, moluscos e plantas aquáticas. Engenharia de Energia É o ramo da engenharia que planeja, analisa e desenvolve sistemas de geração, transporte, transmissão, distribuição e utilização de energia. Engenharia de Materiais Esse Engenheiro pesquisa e cria materiais, como resinas, plásticos, cerâmicas e ligas metálicas. Engenharia de Pesca O Engenheiro de Pesca estuda e aplica métodos e tecnologias para localizar, capturar, beneficiar e conservar peixes, crustáceo se frutos do mar. Engenharia de Produção É o ramo da engenharia que gerencia os recursos humanos, financeiros e materiais para aumentar a produtividade de uma empresa. O Engenheiro de Produção é peça fundamental em indústrias e empresas de quase todos os setores. Engenharia de Telecomunicações É o segmento da engenharia que se ocupa do projeto, da operação e da manutenção de equipamentos e sistemas de telecomunicações. Esse engenheiro desenvolve e implanta redes de telecomunicações. Engenharia Física É a aplicação de conhecimentos da Física na pesquisa e no desenvolvimento de materiais e tecnologias. É uma profissão muito nova no Brasil. A primeira turma formou-se em 2004. Engenharia Hídrica Planejar e orientar a utilização das águas de bacias hidrográficas, prevenindo os impactos negativos que elas possam sofrer em consequência de atividades industriais, agrícolas e urbanas, é a principal função do Engenheiro Hídrico.

Engenharia Mecânica O Engenheiro Mecânico desenvolve e projeta máquinas, equipamentos, veículos, sistemas de aquecimento e de refrigeração e ferramentas específicas da indústria mecânica. Engenharia Metalúrgica Com profundo conhecimento dos metais e de suas propriedades, esse engenheiro é responsável pelo beneficiamento de minérios e por sua transformação em metais e ligas metálicas. Engenharia Química O Engenheiro Químico cria técnicas de extração de matérias-primas, bem como de sua utilização ou transformação em produtos químicos e petroquímicos, como tintas, plásticos, têxteis, papel e celulose. Engenharia Têxtil O Engenheiro Têxtil projeta as instalações, os equipamentos e as linhas de produção de tecelagens e indústrias de confecção de roupas. O curso superior em Engenharia tem duração média de cinco anos e disciplinas básicas da área de Matemática, Química, Física e Cálculo. Além de matérias específicas dependendo da engenharia escolhida. Mais de 200 universidades no Brasil oferecem cursos de engenharia. Em 29 de junho de 2009, o Ministério da Educação anunciou uma futura reforma no nome dos cursos de graduação – entre eles, os cursos de Engenharia, que, atualmente, possuem 258 nomenclaturas diferentes. Os nomes dos cursos atuais serão reduzidos as área de atuação citadas nesta matéria. Fonte: http://www.guiadacarreira.com.br/


AERF NEWS - Associação dos Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos Região de Franca ANO I - Nº 05 - DEZEMBRO 2016

Seja um associado Cadastre-se pelo site www.aerf.org.br, solicitamos o envio (que pode ser por e-mail resposta ou entregue aqui na associação) de uma cópia com seus documentos (RG, CPF e Carteirinha do CREA ou CAU), um comprovante de residência e uma foto 3x4 para a confecção da carteirinha como Associado da Aerf que irá garantir a utilização dos benefícios (desconto em farmácias, em cafés, clubes e etc.) que só nossos associados tem. No caso dos estudantes, não existe a cobrança das trimestralidades, no entanto em função do estatuto os direitos nos descontos não podem ser repassados, mas garante a participação em nossos eventos como as palestras que realizamos semanalmente e os certificados das mesmas é sim assegurado. E a documentação e o procedimento também é o mesmo descrito para os profissionais já graduados.

07

Conheça as cinco normas técnicas destacadas pelo CAU de São Paulo Normas técnicas estabelecem parâmetros de qualidade, segurança e normalidade que todos os Arquitetos e Urbanistas devem conhecer. No campo da construção civil, vários agentes do mercado exigem o seguimento destas regras como padrão de qualidade e segurança. E dentre as centenas de normas técnicas já editadas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), as listadas abaixo estão entre as consideradas fundamentais para o trabalho dos profissionais de Arquitetura e Urbanismo. NBR 16.280:2015 Reforma em Edificações A “norma das reformas” é uma das mais recentes do grupo e trata dos requisitos para a elaboração de plano de reforma, considerando alterações em áreas privativas das edificações. Essa norma ganhou visibilidade nos últimos anos devido aos episódios recen-

tes de desabamentos, muitas vezes provocados por intervenções desastradas que levaram à colapsos nas estruturas das edificações. A norma exige que intervenções como troca de piso, revestimentos, troca de esquadrias ou fachada-cortina, instalações elétricas, de gás ou de ar-condicionado, e que alterem o projeto original da estrutura, tenham o aval de um Arquiteto ou Engenheiro. NBR 9050: 2015 Acessibilidade Edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos devem ser acessíveis a todos – independentemente de sua condição física - e esta norma técnica ajuda a concretizar esta diretriz. Ao estabelecer exigências para altura de interruptores, dimensões das áreas de transferências e sinalizações táteis (entre muitas outras), a norma leva em conta diversas condições de mobilidade, com ou sem ajuda de aparelhos — como próteses, cadeiras de rodas, bengalas, aparelhos auditivos e quaisquer outros que complementem necessidades individuais. NBR 15575:2013 – Edificações habitacionais – Desempenho Trata da qualidade da produção habitacional, e estabelece os requisitos para os sistemas de pisos, sistemas de vedações verticais internas e externas, sistemas de coberturas, e sistemas hidrossanitários. A norma dita exigências em termos de segurança, sustentabilidade e habitabilidade (desempenho térmico e acústico, desempenho lumínico, funcionalidade e

acessibilidade entre outros). NBR 13532:1995 Elaboração de projetos de edificações Arquitetura Esta norma aborda a confecção dos projetos arquitetônicos, mas regulando as condições exigidas para a construção de edificações, tanto em construção e ampliação, quanto em modificação, recuperação etc. Descrevendo as etapas do projeto arquitetônico (levantamento de dados, estudo de viabilidade, estudo preliminar da Arquitetura entre outros), a norma detalha quais as informações de referência devem constar do projeto. Identificação; descrição; condições climáticas, de localização e de utilização; exigências e características relativas ao desempenho no uso e aplicações do produto ou objeto estão entre as informações que devem ser registradas no projeto, conforme esta norma. NBR 6492:1994 Representação de projetos de Arquitetura Esta norma também trata de projeto arquitetônico, mas se concentra sobre os elementos gráficos do trabalho. O tipo e o formato do papel, as escalas do desenho arquitetônico, os tipos das letras e dos números, os tipos de linhas, as formas de indicação de fachadas e elevações estão entre os parâmetros técnicos definidos pela norma. Tanto a NBR 6492 quanto a NBR 13532 estão em processo de revisão técnica pelos comitês da ABNT. Fonte : http://www. causp.gov.br/


08

AERF NEWS - Associação dos Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos Região de Franca ANO I - Nº 05 - DEZEMBRO 2016


Informativo Aerf - Dezembro de 2016 5ª Edição