Issuu on Google+

Sexto número do Jornal O Cusco

Maio / Junho de 2010 EDITORIAL

F i n a l m e n t e !

F é r i a s !

O Cusco está de parabéns! Chegámos, neste final de ano, à sexta edição. Assim, o nosso “pequeno” jornal completou seis meses. Esta edição especial deixa um testemunho das inúmeras actividades que se levaram a cabo no último período. Procurámos, também, dedicar este número ao Verão e às férias para dar um tom alegre à última semana de aulas. Esperamos, desta forma, que todos terminem o ano em grande e cá nos encontraremos, no próximo ano, com mais e melhor jornal. Os Editores

N E S T A E D I Ç Ã O :

Do Portão para Lá

2

Os Nossos Projectos

4

Nós por Cá/Comenius

7

República

8

Estórias com História

9

Trabalhar para o boneco

10

Ecos

12

“Ai que prazer Não cumprir um dever, Ter um livro para ler E não o fazer! Ler é maçada...” Estudar é nada.

“O rio corre, bem ou mal, Sem edição original. E a brisa, essa, De tão naturalmente matinal, Como tem tempo não tem pressa…”

“Grande é a poesia, a bondade e as danças... Mas o melhor do mundo são as crianças, Flores, música, o luar, e o sol, que peca Só quando, em vez de criar, seca.” Fernando Pessoa


P á g i n a

2

VISITA DE ESTUDO À LAGOA DE ALBUFEIRA À hora marcada, compareceram apenas seis dos dez inscritos. Fomos acompanhados pelos professores Paulo Serranito e Valentim. A carrinha levou cerca de 30 minutos a chegar à Lagoa. Verificámos que o nível da água, estava no máximo, a temperatura agradável e pairavam no ar umas nuvens com ameaça de chuva. Fomos buscar os caiaques rapidamente e equipámo-nos à maneira. Fizemo-nos à água em cada caiaque sob as orientações do professor Paulo, ficando em terra o professor Valentim para guardar os nossos valores e… imagens da nossa aventura. Rumámos em direcção ao mar usufruindo de toda a beleza e silêncio deste belo espaço natural. Pena que alguns abandonem lixo nas margens. Regressámos cansados ao ponto de partida, demos um mergulho e fomos ao banho. Entretanto começou a chover. Arrumámos os caiaques e subimos para a carrinha que já nos esperava. Durante a viagem tivemos um reforço alimentar oferecido pelos professores, onde não faltou fruta e chocolate do bom. 6ºAno

VISITA DE ESTUDO À FRAGATA D. FERNANDO, CACILHAS E CAIS DO GINJAL No dia 28 de Abril, quarta-feira à tarde as turmas do 8º ano tiveram a oportunidade de visitar a Fragata D. Fernando e Glória, em Cacilhas, bem como conhecer melhor a zona ribeirinha do Ginjal e Almada Velha a acompanhá-las foram os professores António Malta, Paulo Teia e Valentim Frias e a professora Vanda Tomás. Reunimo-nos todos junto ao portão e, de seguida partimos, em fila, até à paragem do metro. Houve alguns problemas com os carregamentos dos cartões e fomos surpreendidos pela fiscalização. Mas o professor resolveu a situação. A visita à Fragata foi feita em grupos de cerca de oito alunos acompanhados por um professor. Visitámos os vários espaços segundo as instruções, observando cenários e objectos que tentaram recriar a vida a bordo numa viagem real, ocorrida quando a Fragata rumava, mar fora, a caminho da Índia. À saída passámos pelas bilheteiras de Cacilhas para regularizar alguns carregamentos e, depois de alguns comprarem uns gelados e água, seguimos, à beira Tejo, pelo Ginjal em direcção ao elevador da Boca do Vento. A maré cheia estava no seu nível máximo, havia pescadores com canas. Presenciámos a captura de um belo choco. Lanchámos no jardim junto ao elevador, onde tirámos algumas fotos. Prosseguimos viagem passando em frente da Fonte da Pipa, onde as embarcações se abasteciam de água potável. Subimos a rampa que liga Olho de Boi à Boca do Vento, em direcção a Almada. Aí apanhámos o metro de regresso à escola. 8º Ano e Prof. Valentim Frias


P á g i n a

3

Visita de estudo ao Museu da Ciência, Lisboa Na manhã do dia 30 de Abril as turmas 4 e 5 do 5ºano foram visitar o Museu da Ciência e da Matemática, em Lisboa. Saíram às 9:20 e entraram no museu só às 11:00. Durante a espera houve tempo para o lanche. Todos sentados e enquadrados pelas professoras Isolina e Sónia Ribeiro e o professor Valentim. Comportámo-nos razoavelmente, e o lixo não foi parar ao chão, como acontece frequentemente na escola. Fomos divididos em dois grupos. Enquanto um visitou o espaço das ciências o outro visitou o espaço da Matemática. Em primeiro lugar fomos com uma funcionária do Museu para uma sala com desafios e jogos de Matemática. Havia lá muitas actividades para fazermos. Jogámos, jogámos e jogámos. Depois fomos para um laboratório fazer experiências. Estivemos a ver se a solução de couve rocha com os líquidos, vinagre, água, limpa vidros e detergente líquido. Vimos as cores que ficaram com os diferentes ingredientes: cor-de-rosa, verde, rocho e azul. No geral, gostámos mais da parte das ciências, onde tivemos oportunidade de fazer experiências em grupo, e distinguir produtos como: básicos, neutros e ácidos. 5º 4ª/5ª e Professor Valentim Frias


O que foi para ti a Agenda 21 da Criança? Para que serviu?

AGENDA 21 DA CRIANÇA A câmara Municipal de Almada tem vindo a desenvolver, desde 2004, o projecto “ Agenda 21 da Criança” que procura dinamizar um processo onde os mais novos aprendem o que é um desenvolvimento sustentável e ao mesmo tempo são estimuladas a ter um papel como cidadãos participativos. Este ano estenderam o convite à nossa escola e a turma 5º1ª aceitou-o sem hesitação, pois a temática era muito pertinente, uma vez que o tema do Projecto Educativo é “Eco cidadão, eu também quero ser”. No âmbito deste projecto tem-se deslocado à escola uma técnica da divisão de educação e Sensibilização Ambiental da Câmara Municipal de Almada para realizar sessões de trabalho com os alunos. Ao longo destas sessões os alunos têm sido sensibilizados para os problemas ambientais deste Concelho e têm sido incentivados a debater propostas concretas para melhorar o Concelho de Almada. Os alunos têm estado muito envolvidos e empenhados neste projecto. Alguns alunos da turma foram questionados sobre o que aprenderam com este projecto e mudanças que originou nos seus hábitos diários e os comentários foram muito interessantes.

A Agenda 21 da Criança é um projecto da Câmara Municipal de Almada que serviu para: … sabermos mais sobre o nosso planeta, o ambiente, as cidades, os rios e a poluição. … aprendermos sobre como não destruir o Mundo e a darmos ideias para ajudar a proteger o Planeta. … descobrirmos coisas novas sobre a Terra. … descobrirmos quanto a poluição nos afecta. … sabermos mais sobre o ambiente e o que vamos herdar, um planeta cheio de lixo, com menos água potável, com o clima alterado e um futuro mais difícil. … tomarmos consciência dos problemas causados pelas guerras e a violência … aprendermos a respeitar mais o ambiente … aprendermos a participar, dando a nossa opinião, um de cada vez. … aprendemos que, a nossa opinião conta! Com a participação na Agenda 21 da Criança houve alguma mudança nos teus hábitos e comportamentos? Sim! … Nunca mais deitei lixo para o chão. … Passei a reciclar mais em casa. … Comecei a falar dos assuntos da

P á g i n a

4

Agenda 21 da Criança com a minha mãe. … Comecei a usar lâmpadas economizadoras em minha casa. ... Tomei consciência da importância de evitar andar sempre de carro. … Passei a respeitar mais os professores. … Passei a ser menos agressivo. Como trabalho final os alunos elaboraram várias quadras sobre aspectos positivos de se viver em Almada e aspectos negativos. Estas quadras foram organizadas para fazerem parte de um RAP que os alunos vão cantar. Para acompanhar a música, os alunos do 5º1ª estão neste momento a fazer gravações para um videoclip que teremos todo o gosto em apresentar à comunidade escolar quando o CD estiver editado. Tem sido um projecto muito interessante, todos os alunos estão muito motivados e empenhados como mostram as fotografias. Apresentamos a letra para poderem treinar e “Rapar” nos intervalos a música do projecto Agenda 21 da Criança. Desejamos que este projecto sensibilize não só os alunos do 5º1ª, mas toda a comunidade para a importância de um desenvolvimento sustentável a nível mundial, mas vamos começar pelo nosso Concelho. 5º 1ª


HAPKIDO

P á g i n a

No dia 7 de Maio de 2010 na aula de Educação Física, nós, alunos do 9º 3ª, tivemos uma aula de Hapkido dirigida pelos mestres, Paulo Gonçalves e Sérgio Cachola. Durante os noventa minutos de aula não só nos divertimos como aprendemos técnicas que nos podem ajudar no dia-a-dia, técnicas de defesa pessoal. Foi uma aula esclarecedora e ao mesmo tempo engraçada. Muitos de nós não conhecíamos esta arte levou-nos a ganhar um certo interesse e até a pensar em querer aderir a esta modalidade. Os mestres foram simpáticos a ajudaramnos a perceber que não temos propriamente de “dar uns socos” para resolver os problemas. Nós as quatro gostámos da experiência e achamos que todos vocês deveriam experimentar. Iolanda Santos, Jéssica Gomes, Armandina E., Jéssica Leitão 9º 3ª

Feira do Livro Na semana de 10 de Maio a 14 de Maio, realizou-se na Escola EB1/JI Monte de Caparica, a Feira do Livro. No último dia desta feira, tivemos a prazer de receber a visita do Escritor e Ilustrador Armindo Reis. Juntámos todas as turmas no ginásio da escola e alunos e professores fizeram perguntas ao escritor acerca da sua vida, dos seus livros e ilustrações. Foi uma semana de muita agitação e de muita motivação pela leitura de livros infantis, à qual os alunos descreveram em desenho as experiências vivenciadas. Animadora Ângela

O NOSSO CLUBE DE TEATRO O clube de Teatro está a ensaiar duas peças chamadas “O Capuchinho Vermelho” e “A menina dos caracóis de ouro”. A peça “O Capuchinho Vermelho” vamos apresentá-la na Escola EB1 Monte de Caparica e a peça “A menina dos caracóis de ouro” ainda não temos a certeza onde a vamos representar. Pode participar quem quiser no nosso clube de Teatro. É divertido, brincamos e aprendemos ao mesmo tempo. Vem dar uma espreitadela ao nosso clube! O clube é as Quintas-feiras às 12:10 na sala A3. Cláudia Chaves 7º 4ª

Os Santos Populares na Ludoteca

5


P á g i n a

6

Um dia na praia

A aluna Catarina do 3º2ª elaborou um texto baseado num livro com ilustrações intitulado “ Um dia na praia”. A imaginação e criatividade voaram mais alto e o resultado foi um texto bem engraçado. Era uma vez um mar azul e brilhante e um dia um homem quis ir à praia porque estava muito calor, ele chamava-se Gaspar. O Gaspar começou a pôr a sua toalha na areia e depois o seu chapéu de sol, pôs as suas coisas na areia, deitou-se na toalha porque estava muito cansado e ainda para mais estava desejoso de ir para a água. Passado algum tempo o sol começou a bater-lhe nos olhos. Abriu-os e começou a admirar o mar azul e brilhante e viu uma coisa no mar. Curioso, foi ver o que era. Quando chegou lá perto viu que era uma bota, admirado voltou para a areia. Molhado, pousou a bota na sua toalha. De repente, no mar, apareceram muitos objectos e plantas que não deveriam estar no mar e ele, outra vez curioso, foi lá vê-los. Viu tanta poluição à volta que até já imaginava tudo. Mas Gaspar descobriu que não era imaginação dele porque afinal havia mesmo muita poluição. Começou a ver que o lixo ia andando para a sua toalha. E que montão de coisas! Só que começou a perceber que aquele montão de coisas dava para fazer um barco e empurrou-o para a água. Depois teve uma brilhante ideia: estendeu a toalha no barco, pôs o chapéu de sol e ficou ali deitado ao sabor da maré.

As Marchas e o Arraial na Escola do Chafariz A azáfama começou! Os preparativos para as marchas populares há muito que se iniciaram e com a ajuda de todos os professores iremos fazer um brilharete! Começamos pela sala da profª Francisca que se tornou num autêntico atelier de costura e a sala do prof. Paulo que se transformou num atelier de arte… Tudo isto para preparar os nossos fatos e arcos da nossa marcha, que terá como tema o 25 de Abril. Tesouras, tecidos, linhas, máquinas de costuras, agulhas e dedais, cores, músicas, ensaios realizados pelas nossas pacientes professoras e ambiente alegre preenchem estas semanas na nossa escola, que estão a ser vividas intensamente! tónio S. An e d a i ba No d gria no ar arrom ’ d é e l a Há a na escol ançar a A fest gente vai d a Toda

Não poderíamos estar mais contentes, porque pela primeira vez iremos participar nas marchas populares e o que não nos falta é vontade e alegria para o fazer! Mas…. não fica por aqui… além das marchas também estamos bastante empenhados no nosso arraial, que se realiza dia 18 de Junho e que terá um sabor muito especial… D anças com pequenos e graúdos, decorações elaboradas por nós, tasquinhas com comes e bebes, quermesses e animação são os ingredientes para esta receita especial de final de ano! Esperamos poder contar com a vossa presença e que se divirtam tanto quanto nós! Apareçam!!! Animadora Marisa

la esco a d ta ão a fes isposiç r a r a d a P boa ção danç Traz pular e anima m Vais tejar co s e f E

O di a É um de Santo Na m dia popu António Todo inha esco lar sov l ão re a por cer to cord ar


P á g i n a

7

Hello!!! Eu chamo-me Katia Kravchanka, tenho 13 anos. Eu sou natural de Bielorrússia, e nasci em Gomel, Retshisa. A minha escola de lá é muito cool, as aulas lá começavam às 8h e terminavam às 13h. À tarde ia passear com os meus amigos, estudava e fazia os trabalhos de casa. As disciplinas eram iguais às de Portugal, excepto Português, claro. Lá na escola há do 1º até ao 11º ano. Só existia até ao 11º ano. Lá nevava muito, mas a escola era aquecida Havia um grande pavilhão para a aula de educação física. Depois eu mudei-me para a capital do país Minsk, a escola era fixe e era parecida com a da Retshisa, mas era mais moderna. Katia 7º 1ª Fig. 1- na escola

NOTÍCIAS DO PROJECTO

Fig. 2-numa visita a uma barragem

No passado mês de Abril, fomos à Roménia para programar as actividades a desenvolver no próximo ano lectivo e mostrar os trabalhos que todos os alunos da nossa escola realizaram durante este ano. Elegemos o Logo do nosso projecto por unanimidade e foi o Logo da Bulgária que recebeu os louros. Visitámos a escola, as várias turmas da escola, vimos várias aulas, enfim...alunos como todos vocês... pediram-nos para vos trazer as suas fotos e na volta pediram-nos que lhes enviássemos as vossas… Professora Maria do Castelo Fernandes

Fig. 3- trabalhos sobre Be an EEC

Fig. 4-Uma aula de Literatura Fig. 5- Classe de música


P á g i n a

8

COMEMORAÇÃO DO CENTENÁRIO DA REPÚBLICA 1910 - 2010 AS RAZÕES PARA O FIM DA MONARQUIA Nos finais do século XIX, Portugal vivia uma crise política e económica. Em 1884-1886, os países europeus interessados em África reuniram-se na Conferência de Berlim. Para defender os interesses de Portugal, o governo português, em 1886, apresentou o mapa cor-de-rosa, no qual exigia para si os territórios entre Angola e Moçambique. Em 11 de Janeiro de 1890, a Inglaterra apresentou ao Rei D. Carlos um Ultimato: ou os portugueses desocupavam os territórios situados entre Angola e Moçambique ou o governo inglês declarava guerra a Portugal. O país não tinha forma de enfrentar a Inglaterra, pois não podia suportar uma guerra contra tal potência. Assim, D. Carlos acabou por entregar esses territórios. O povo sentiu-se humilhado e revoltou-se contra o Rei e o seu governo. Foi neste clima de descontentamento, de revolta, de manifestações na rua, que as ideias e os revolucionários republicanos ganharam força. Professora Preciosa Marques

O REGICÍDIO

O mapa cor-de-rosa

A 31 de Janeiro de 1891, dá-se no Porto a primeira revolta armada contra a Monarquia que foi derrotada. No dia 1 de Fevereiro de 1908, a família real, o rei Dom Carlos, a rainha Dona Amélia e o Príncipe Real, D. Luís Filipe, regressava da sua residência de Vila Viçosa. No Terreiro do Paço juntou-se-lhes o Príncipe D. Manuel. Quando a carruagem atravessava a Praça do Comércio, dois homens saíram da multidão e dispararam sobre a Família Real. O Rei e o Príncipe herdeiro tiveram morte imediata, o Príncipe D. Manuel ficou levemente ferido e a Rainha Dona Amélia escapou ilesa, tendo-se defendido de um dos atacantes com um ramo de flores. Ao rei Dom Carlos sucedeu no trono o seu filho Dom Manuel, que tinha apenas 18 anos. Professora Preciosa Marques


P á g i n a

9

U l i s s e s e P o l i f e m o Tudo começou quando Ulisses e os seus companheiros, que tinham derrotado Tróia, estavam a caminho de Ítaca. Poseidon, deus dos mares, criou uma enorme tempestade que os mandou direitinhos para a Ciclópia, onde vivia o mais feroz e mais cruel ciclope, Polifemo. Ulisses e os seus companheiros não sabiam que a aquela ilha era habitada, mas, enquanto exploravam, viram um rebanho e, mais ao largo, o enorme, cruel e feroz Polifemo, o ciclope. Logo Ulisses disse “baixem-se” e sem barulho foram para uma gruta que ali se encontrava. Quando chegou o pôr-do-sol, já se preparavam-se para ir para o navio, Polifemo entrou na gruta. Assim que o viram, esconderam-se atrás de uma grande rocha e viram o gigante assar um veado. Com a luz da fogueira, o ciclope viu a sombra de homens e começou a gritar: “Homens, homens, homens!” Rapidamente começou a pegar nos marinheiros e a engoli-los inteiros. Os marinheiros começaram a correr dentro da gruta enquanto Polifemo os comia um a um. Já cansado e empanturrado, dirigiu-se a um canto da gruta e aí se sentou. Quando o viu mais calmo, Ulisses saiu do seu esconderijo e dirigiu-se a ele para lhe falar: - Não me comas, não me comas! - O que queres pigmeu? – Perguntou o gigante. No fim da conversa, Ulisses perguntou se ele queria experimentar uma bebida agradável que ele tinha e Polifemo aceitou, mas perguntou-lhe que favor queria em troca. Ulisses pediu para os deixar sair dali vivos. O ciclope não aceitou, mas, uma vez que tinha gostado do vinho, disse a Ulisses que o comeria em último lugar. Depois perguntou-lhe: - Como te chamas? - Eu chamo-me Ninguém. – Respondeu Ulisses. Polifemo, já cansado foi dormir. Ulisses e os poucos companheiros que sobreviveram começaram a afiar um pau e enfiaram-no mesmo no meio do grande olho do monstro, que começou a gritar e a dar murros desalvorado. Os irmãos de Polifemo vieram rapidamente ver o que se passava e o ciclope disse: - Ninguém está aqui! Ninguém me quer matar! E os irmãos de Polifemo foram-se embora pensando que ele estava com dor de dentes. No dia seguinte, quando Polifemo foi pôr o seu rebanho a pastar, Ulisses e os seus companheiros escaparam-se, presos na barriga das ovelhas. Resumo do Episódio de Polifemo, João, 6º4


P á g i n a

Com o verão chega a paixão... Amor para sempre Toda a minha vida ansiei por algo Desconhecido, um sentimento não Identificado, nunca antes sentido, Nunca antes vivido. Nunca me disseste Baby fica comigo. Corpo artístico de qualquer metal criado por Deus Em dia de inspiração excepcional, Protagonista dos meus sonhos Habitante do meu pensamento, és a minha Paixão Penso em ti a todo o Momento, vivia na fantasia de te Ter à minha beira, mas jamais Imaginei amar alguém desta Maneira. Tens em ti magia que Me encanta desde o começo, às Vezes pergunto a Deus “será mesmo Que te mereço, será mesmo que te conheço será sonho ou realidade” Cheguei a pensar que isto era bom

Demais para ser verdade. Estou rendido ao sentimento a que O meu coração me obriga, Além de namorada és a minha melhor Amiga. Não tenho posses nem objectos De valor tudo que te posso dar É a minha alma e o meu amor Mesmo sem falar, o olhar dizia tudo Foi aí que percebi que o sentimento É mudo. Olhos nos olhos, arrastados Pela força do desejo, na planta Do nosso amor surgiu o nosso Primeiro beijo, cada dia que passa Tento ser feliz contigo é pena que só me queiras como teu Amigo, mas luto e sei que vou mais Além. Eu amo-te a ti como nunca Amei ninguém, dá-me uma oportunidade Eu fiz “m**”, sei que errei, tu és o meu amor, a única miúda por quem chorei. Agora a música está prestes a acabar, amor “tá” descansada, nunca Vou desistir. Nelson Cef 1

Amo-te Jéssica…

1 0


P á g i n a

1 1

Desenhar ao ar livre

Desenhar lá fora Meus caros leitores, eu venho comunicar-vos sobre uma coisa muito engraçada e divertida de se fazer: desenhar uma árvore como deve ser, com a sua estrutura e com as suas folhas, pois sem elas não seriam completas. Bem, o 6º6ª e julgo que os nossos queridos amigos do 6º 5ª em E.V.T, com duas maravilhosas professoras, Maria da Luz e Ana Marta Pereira. estão a trabalhar sobre uma árvore que apadrinharam em Ciências com a linda e maravilhosa professora Vera Jorge. Sempre que temos aula de E.V.T, normalmente os alunos vão para a rua e ficam sentados longe da árvore, que está em frente ao refeitório. Os alunos estão a gostar muito de fazer esse projecto, como por exemplo a Maria Silva, Rita Silva, Vanessa de Sousa, Susana, Gonçalo Mateus, Alexandre Varanda, João Silva e muitos mais. Foi um prazer escrever para vocês! Teresa 6º 6ª

Desafios

Nós somos da turma 7º4, vamos contar a nossa experiência de desenhar ao ar livre. Levámos uma prancheta de madeira, folha de papel branca, lápis e borracha. Fomos desenhar a paisagem ao pé do campo de jogos. O tempo estava agradável, falávamos com os colegas, dávamos opiniões e era divertido. Algumas coisas eram complicadas e outras fáceis de desenhar. Depois começámos a pintar com lápis de cor. Adorámos a experiência! Joana P. Cláudia Chaves


P á g i n a

1 2

RAP DA AGENDA 21 DA CRIANÇA Somos uma brigada para intervenção social, ambiental e de informação Nossa acção é uma dança Nossa arma é a Agenda 21 da Criança Somos crianças mas temos opinião vamos ensinar aos adultos agora uma lição Temos que construir um mundo mais sustentável com cidadãos responsáveis energias renováveis e criatividade para manter a biodiversidade. Vamos ter quer ser nós a mostrar-vos, estilos de vida mais saudáveis. Em Almada é bom viver. Temos jardins para correr Quando um livro queremos ler à biblioteca vamos ter Temos os transportes públicos Que levam muitos públicos Todos percebem que o carrão Só nos traz poluição. Tens ciclovias para andar pega na bicicleta e toca a pedalar! Somos uma brigada para intervenção social, ambiental e de informação Nossa acção é uma dança Nossa arma é a Agenda 21 da Criança

Nossa acção é uma dança Nossa arma é a Agenda 21 da Criança Vamos ajudar Almada e torná-la um exemplo Uma cidade arrumada, bem à frente do seu tempo! Precisamos de cartazes e de manifestações Proteger o ambiente, informar as multidões! Não usarmos bem a água é uma coisa que está mal Todos precisamos dela, é um bem essencial! Vamos ser bons uns prós outros, toda a gente é especial Vamos respeitar as plantas, todo e qualquer animal! Vem curtir a Agenda 21 da Criança Vamos forçar o people a entrar na dança, Todo o mundo de pé, com as mãos pra cima, muitas palmas para ver se a gente se anima Trabalhámos muito e sobre muitos temas E encontrámos soluções para vários problemas! Aos adultos só nos falta dizer: não desesperem Se nós conseguimos também vocês conseguem! Somos uma brigada para intervenção social, ambiental e de informação Nossa acção é uma dança Nossa arma é a Agenda 21 da Criança 5º 1ª

Mas nem tudo é como queremos Nesta terra em que vivemos! Há muito lixo no chão e também cocó de cão. É preciso mais civismo, e acabar com o egoísmo que faz as pessoas más e perder a paciência Aumentar o nosso stress só conduz à violência Queremos mais jardins para podermos relaxar e as praias muito limpas pra gostarmos de lá estar. Vamos plantar mais plantas e proteger os animais, ou qualquer dia não há mais! E estimar os animais que queremos de estimação! Abandonaria o seu filho? Bem me parecia que não… Somos uma brigada para intervenção social, ambiental e de informação Colaboradores Alunos: Catarina 3º 2ª Joana Palhau, 5º 4º Gonçalo, 6º 6ª Teresa Rodrigues, 6º 6ª Katia Kravchanka 7º 1ª Cláudia Chaves7º 3ª Ilustrações: 7º2ª

Joana 7º 4ª Cláudio 8º 1ª Gonçalo Oliveira, 8º 1ª Bruno Nunes 8 3ª Miguel Neves, 8º 3º André Figueira, 9º 1ª Nelson Cef 1

Contactos: ocusco2009@gmail.com

Professores: Maria da Luz Vieira Maria do Castelo Fernandes Ana Martins Sandra Franganito Preciosa Marques Valentim Frias Ema Algarvio Natércia Figueiredo Isolina de Jesus

Ana Filipe Marisa Guilherme Ângela Barrocas Graciosa Silva Sónia Ribeiro Coordenação: Conceição Marques Maria Elisa Coelho Vanda Tomás


Cusco_6