Page 1

Ano 26 • Nº 62 • Maio / 2014

Impresso Especial

DEVOLUÇÃO

9912265158 - DR/MG GARANTIDA CORREIOS Associação dos Ex-Alunos da Escola de Eng. UFMG ENVELOPE FECHADO CORREIOS PODE SER ABERTO PELA ECT

A PONTE

Associação dos Ex-Alunos da Escola de Engenharia da UFMG- Gestora do Centro da Memória da Engenharia

Fotos: Arquivo AEAEEUFMG

O notável engenheiro que fez da sua vida a ENGENHARIA Em 15 de setembro de 1931 em Ouro Preto(MG) nascia o excepcional Tárcio Primo Belém Barbosa, filho do também engenheiro José Belém Barbosa e Alice Cruz Barbosa. Casou-se com Maria Regina Assis Fonseca

Barbosa com quem teve 4 filhos: Margarida Maria, Tárcio José, Arthur José e José Belém Barbosa Neto. Formado pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) como Engenheiro Civil no ano de 1959. Tárcio teve na

08

Índice

- Homenagens ao presidente Tárcio Belém Barbosa

11

- Uma História de Amor à Engenharia

centromemoriaengenharia@gmail.com

essência o amor a Engenharia e exerceu a profissão com competência e honestidade. Homenagem a Tárcio Barbosa continua na página

03 14

- Expoengenharia A Engenharia através de sua experiência profissional

(31) 3273-3023

Endereço: Rua da Bahia, 52 - 2º Andar - Centro - Belo Horizonte / MG - CEP 30.160-010

01


Estamos de volta! Agora com algumas modificações para a melhoria do nosso jornal. Durante um tempo vamos ficar com a edição online, mas em breve a edição voltará a ser impressa. Nesta edição temos uma matéria especial sobre o nosso saudoso Engenheiro Tárcio Primo Belém Barbosa, com homenagens a este profissional de extrema importância para a Engenharia. O Diretor Guilherme Brandão Federman e alguns de seus alunos escreveram um artigo “Engenharia Diagnóstica: Uma necessidade Atual”. Destacamos também o evento Expoengenharia que aconteceu no ano passado na UFMG, a entrega da comenda de Engenheiro do ano de 2013 para o presidente do Crea/MG, Jobson Nogueira Andrade. Ao preencher sua ART-CREA, indique a Associação dos Ex-Alunos, código 0159, no campo “Entidade de Classe” de sua ART-CREA-MG Queremos saber o que você caro leitor, está achando de nosso jornal. Sugestões ou críticas mandem-nos um e-mail: associacaoaponte@gmail.com. Contamos com a sua participação!

Aniversário da Escola de Engenharia da UFMG No dia 24 de maio às 08 horas será a festa de aniversário da Escola de Engenharia da UFMG. A programação iniciar-se-á com um café da manhã para os homenageados, familiares e demais convidados. Após este momento acontecerá uma Missa em Homenagem Póstuma ao Engenheiro Tárcio Primo Belém Barbosa. Este ano a

expediente

Outorga da Medalha Conselheiro Chistiano Ottoni pelo Governo do Estado será entregue ao Engenheiro e Presidente do Crea-MG Jobson Nogueira de Andrade. Acontecerá também uma homenagem aos Ex-Alunos, Jubileu de Diamante turma de 1954, Jubileu de Ouro turma de 1964 e Jubileu de Prata para a turma de 1989.

Será lançado o projeto “Instituto Fundo Patrimonial Amigos da Escola de Engenharia da UFMG”. Será no Auditório da Escola de Engenharia da UFMG- Campus Pampulha. Av: Avenida Antônio Carlos, n° 6.627- Pampulha – Belo Horizonte- Minas Gerais. Venha participar do aniversário da nossa Escola!

Associação dos Ex-Alunos da Escola de Engenharia da Universidade Federal de Minas Gerais

Presidente Fábio B. Simoni 1°Vice- Presidente Danilo Amaral 2° Vice- Presidente Geraldo Dirceu de Oliveira Secretário-Geral André de Oliveira Pinto 1° Secretário Carlos Márcio de Oliveira 1° Tesoureiro Salomão Jorge Netto 2° Tesoureiro Maria Consuelo B. Cardoso Máximo Diretores Técnicos Adir José Freitas e Silvio Piroli Diretor Cultural Guilherme Brandão Federman Diretora Social Maeli Estrela Borges Diretores Adjuntos Bernardo Abrãao Lopes da Silva, Clóvis Vaz da Costa, Delmiro Schimidt de Andrade, Emilio Mouchereek, José Carloos Laender Castro, Solange Montezuma, Waldir de Castro Drumond Superintendente do ITPD Euler Magalhaes da Rocha Conselho Deliberativo - Presidente de Honra Levínio da Cunha Castilho Presidente Márcio Damázio Trindade VicePresidente Hilton Homem de Castro Membros Ederson Bustamante, José Ignácio Brum Ribeiro, Gilson de Carvalho Queiroz Filho, Onofre Resende, Marita Areas de Souza Tavares, Benjamim Rodrigues de Menezes, Alessandro Fernandes Moreira, Edson Durao Judice Conselho Fiscal José Antônio Melo Saraiva, Milton Pinto Lodi, Carlos Augusto Muniz Jornalista Responsável Daniela Mendonça Projeto Gráfico Gilson de Souza Diagramação e Arte Gilson de Souza (31) 3462-0515 / 9975-4210 Edição Digital • Os artigos e anúncios publicados são de inteira responsabilidade de seus autores Publicação Centro de Memória da Engenharia e Associação dos Ex- Alunos da Escola de Engenharia da UFMG • Rua da Bahia, 52 - 2° andar - Centro. Belo Horizonte / MG- Cep: 30160-010 • Tel (31) 32733023 • centromemoriaengenharia@gmail.com Apoio:

02


Tárcio Primo Belém Barbosa

Patrono do Centro da Memória da Engenharia Foto: Gilson de Souza / IDT

Para todos nós o Tárcio não morreu. Sabemos que ele se tornou iluminado e que está conosco presente em tudo que criou

Adir José de Freitas Diretor Técnico da AEAEEUFMG

por Adir José de Freitas

Difícil é dizer a todos os nossos leitores o quanto estamos sentindo pelo repentino falecimento de nosso colega Engº TÁRCIO PRIMO BELÉM BARBOSA, ocorrido em 29/12/2013 tendo em vista o quanto ele nos fará e está fazendo falta para o cumprimento de nossas tarefas de estímulo ao funcionamento da grandeza das obras por ele criadas. Faleceu repentinamente num dos momentos mais gloriosos de sua vida profissional, com 82 anos de idade, rodeado por todos os que desfrutavam de seu auspicioso convívio. Desejamos que nossas lágrimas sejam um estimulo para que nosso desempenho tenha a imagem de seu criador. Sentimos profundamente sua ausência conosco embora sabendo que as recordações que dele possuímos nos levarão a conduzir as naus por ele concebidas aos seus legítimos destinos. Para todos nós o Tárcio

não morreu. Sabemos que ele se tornou iluminado e que está conosco presente em tudo que criou. Isto não deixa de ser uma alavanca que não nos deixará, empurrando-nos nos momentos de nossas fraquezas pois ele estará sempre presente; só morrem para nós aqueles que deles nos esquecemos e , isto, longe de nós, e não será este nosso pensamento. Sempre foi o Tárcio nosso grande líder, que se cobriu com o respeito que angariou de seus companheiros em sua vida. E sempre dele teremos uma lembrança imorredoura. Que continuem vivas e sempre revigoradas todas as suas ações e virtudes, no seu sacerdócio de vida profissional, como trabalhador incansável, pontual, honesto, objetivo, de uma franqueza constante, de uma ímpar seriedade permanente, sempre acompanhado de tantas outras

qualidades, motivo de orgulho para todos seus familiares, amigos e colegas. Sempre tive dele uma lembrança imorredoura que, para mim, se tornou num exemplo inigualável de ser humano. Tanto eu como outras pessoas que o conheceram haverão de tornar permanente nosso coro, para sempre ressaltarmos suas reais qualidades de nata liderança e de pontualidade inesquecível. Sempre foi para mim um motivo de orgulho no desempenho de todas as tarefas que por ele nos foram incumbidas, pois sempre soubemos que era seu desejo a valorização profissional da Engenharia. Lembro-me bem de nosso relacionamento no tempo de estudantes da Escola de Engenharia, embora se tenha diplomado em 1959 e eu em 1960. Era o Tárcio um líder junto aos seus colegas como criador de material didático, as famosas “bentas”, que

03


eram nossos materiais de estudos. Sempre ele estava rodeado pelos seus colegas, estivesse onde estivesse, pois ele sempre procurou descobrir os caminhos por onde passarmos, tudo isto de maneira natural e amiga. Pôde assim criar verdadeiras lendas de trabalho e eficiência. Nasceu em Ouro Preto, Minas Gerais, em 15/09/1931. São seus pais o Engenheiro José Belém Barbosa e Alice Cruz Barbosa, dos quais o Tárcio sempre se lembrava, em qualquer local onde estivesse, seja em trabalho, em reuniões ou no seu meio familiar. Sempre se referia a seus pais como exemplos de vida, possuidores de espírito magnânimo, tendo isto transmitido no seu seio familiar. Casou-se com Maria Regina de Assis Fonseca Barbosa, figura exponencial, de inesquecíveis qualidades morais e espirituais, que lhe deu quatro filhos dos quais dois são Administradores de Empresas, Tárcio José de Assis Fonseca Barbosa e Artur José de Assis Fonseca Barbosa, o Engº Civil José Belém Barbosa Neto e a Empresária Margarida Barbosa Hazan, bem como cinco netos, no total. De todos eles o Tárcio sempre teve lembranças de fatos ligados às suas formações humanas, alguns dos quais nos trouxeram momentos de alegria pela riqueza de vitalidade. Minha aproximação do Tárcio se intensificou a partir de 1986 quando, após cumprir meu mandato de Diretor de Patrimônio da Sociedade Mineira de Engenheiros, quando fui convidado para a Diretoria Técnica da Associação dos Ex-Alunos, criada em 1959, pelo ex- Diretor da Escola de Engenharia, o saudoso professor Mário Werneck de Alencar Lima.

04

O Eng° Tárcio, no seu desempenho de vida profissional, pôde construir um fantástico currículo pois foi ele o RT pela construção do prédio da Sociedade Mineira de Engenheiros, erguida à rua Timbiras 1514, com área de 3.080 m² e da Sede do CREA-Minas, que ocorreu no período de 1981 a 1984, sede esta situada à Av. Álvares Cabral 1.600, em Belo Horizonte/MG. Vejam só sua grandeza e o apreço daqueles que dele se acercavam pois foi o Tárcio Presidente destas duas entidades, escolhido por seus pares. Ornam ainda seu currículo profissional as inúmeras palestras por ele proferidas, sejam em diversas Escolas de Engenharia (Juiz de Fora, Itajubá, EEUFMG, Uberaba, Engenharia Kennedy, São João Del Rei, CEFET, Uberlândia, Governador Valadares, principalmente) e em Entidades de Classe (SME, Associação Comercial e várias outras). Coroam seu perfil profissional os inúmeros cargos e funções por ele exercidos, que lhe perpetuam sua lembrança tendo em vista ter passado por quase todos os cargos técnicos da Secretaria de Trasportes e obras Públicas do Estado, que o levaram, por méritos próprios, a ser Secretário Adjunto de Estado e, no período de 1981 a 1982, Secretário desta importante Secretaria, que lhe permitiram uma aposentadoria merecida e honrada. Foi Diretor Técnico da COBEURB, membro da Comissão de Estudos e Projetos do Estádio Mineirão, membro do Conselho Rodoviário do DER (1961 a 1982), membro do Conselho Curador da FEAMUR (Fundação de Assistência Médica de Urgência), membro do Grupo Especial criado na área de Expansão e Aperfeiçoamento

Físico da Rede Escolar, Presidente Nacional da Comissão Permanente dos ENCOS, Diretor do antigo DAE/MG ( atual IGAM) e membro do Conselho Estadual de Transportes (CONEST). Além disso, planejou e construiu, como RT, inúmeras obras na área de construção civil (14 pontes importantes para o Estado; 24 km de estradas vicinais, no município de Vespasiano, bem como a construção de 11 edifícios, como RT, em Belo Horizonte, com 46.350 m² e projeto de urbanização do Bairro Santa Maria, na Cidade Industrial de Contagem. Foi agraciado com inúmeros prêmios pelos seus relevantes trabalhos profissionais dos quais destacamos: 1 Certificado do CONFEA, 1 Diploma da PMMG, 1 Diploma e Medalha de Honra da Inconfidência, 1 Diploma e Medalha do Mérito Legislativo, 5 títulos de Cidadania de Municípios e da Capital do Estado, Diploma de Honra por relevantes serviços ao Exército Brasileiro, Diploma e Medalha do Jubileu de Ouro do Sistema CONFEA-CREA. A vida do Tárcio constituiu-se na explosão de seu ardente desejo de servir, seja aos mais humildes ou às entidades e órgãos, bem como ao próprio Governo, o que nos levaram a sofrer um grande impacto sentimental por termos consciência de que seu posto era insubstituível e sua ausência, um pesadelo. Quando com ele nos reuníamos, seja nos locais de trabalhos, seja nas comemorações festivas ou encontros amigáveis, nossa mesa era sempre freqüentada por inúmeros amigos seus que, também, participavam destas reuniões. O Tárcio era sempre fonte das atenções. Tanto isto era e é verdade que muitos restaurantes e clubes


de Belo Horizonte o distinguiam e havia sempre um prato marcado com a palavra TÁRCIO sendo isto um motivo de espontânea homenagem ao seu amigo querido e admirado. Lembro-me de muitos eventos de entidades ( Crea-Minas, SME e outras), realizados em diferentes locais do País e do Estado onde o Tárcio, como legítimo cavalheiro, se fazia acercar de seus colegas tendo com eles calorosos momentos de felicidades, pois este amigo sempre nos prestigiava, dando-nos oportunidades de com ele compartilhar de seu vasto círculo de amizades. Somente isto não basta para falar sobre sua personalidade. O Tárcio sempre tinha, nos momentos de alegria, um sorriso comedido e educado que lhe enaltecia sua presença. Era quando ele pronunciava a palavra FANTÁSTICO, objetivando enaltecer as conquistas de seus amigos. Católico fervoroso, sempre frequentava a igreja, com sua esposa e familiares, numa demonstração de agradecimento ao Criador por nos permitir suas decisivas atuações. Procurava sempre estimular os grupos de jovens para transformá-los em cidadãos atuantes, dos quais nos recordamos o grande trabalho por ele e familiares realizado no Aglomerado da Serra( Favela do Cafezal), criando e mantendo, com sua denodada dedicação o Clube de Futebol São João Evangelista, para jovens de 7 a 17 anos de idade e o Grupo de Jovens do Conjunto Musical BRASILEIRINHOS , através do fornecimento de instrumentos musicais e uniformes os quais sempre acompanhavam o Tárcio nos seus eventos cívicos ou festivos, por ele organizados. Pra tudo isto é lógico, que sua liderança abria as diferentes

portas de seus amigos, que nunca faltaram na colaboração espontânea ao seu trabalho seja técnico, social ou festivo. Recordo-me de uma festividade de aniversário do CREA-Minas em que o Tárcio trouxe de Curitiba um seleto grupo musical de profissionais gaitistas que deram um excepcional recital de músicas onde, seguidamente, foi aplaudido de pé pelos participantes deste evento. O vácuo por ele deixado dificilmente será preenchido. Deus, na sua onipotência, como o primeiro Engenheiro, que construiu o mundo, deverá estar utilizando o vôo alçado pelo Tárcio, seu companheiro de profissão que, nesta hora, deverá estar iluminando nossos espaços siderais. Que a imagem deste queridíssimo amigo esteja sempre dando uma presença real que haverá de minimizar sua ausência sentida. Bem sabemos que vários amigos nossos desejariam estar participando deste caminho maravilhoso de trabalho e harmônica convivência por ele traçada aqui conosco. Pois eu os convido a fazer o mesmo que agora o faço, pois aumentaremos com isto, os abraços a este companheiro imortal. Reconhecedores da necessidade de construirmos ícones de homenagem a este nosso herói a ASSOCIAÇÃO DOS EX-ALUNOS DA EEUFMG, em reunião ordinária realizada por ela em 18 de março do corrente ano, conferiu a ele o título de PATRONO DO CENTRO DA MEMÓRIA DA ENGENHARIA procurando, com isto, seu justo reconhecimento pelo seu magistral trabalho que conosco pôde realizar. É a AEAEEUFMG a entidade gestora deste Centro, criado e organizado pelo Tárcio, que possui o MUSEU DA ENGENHARIA

PROFESSOR HUGO LUIZ SEPÚLVEDA, seu Patrono, bem como a sua BIBLIOTECA PROFESSOR OLAVO PIRES E ALBUQUERQUE. Este Museu possui cerca de 1.200 equipamentos de Engenharia, que constituem seu acervo tendo a Biblioteca cerca de 25.000 publicações das quase 3.000 são peças raras. Na celebração de aniversário, no dia 24/05/2014 a EEUFMG, através de sua Diretoria, prestará ao Eng° Tárcio uma justa Homenagem Póstuma e onde estarão presentes seus familiares e amigos. No final deste ano de 2014 prestará, também a AEAEEUFMG suas homenagens ao seu grande Presidente Tárcio, que nos legou inúmeros exemplos de civismo e trabalho. Não poderíamos esquecer o encontro que com ele tivemos por ocasião da celebração da milésima reunião da Câmara Especializada de Engenharia Civil do CREA-Minas, realizada em 19/12/2013, em sua Sede da Av. Álvares Cabral 1.600 onde Tárcio recebeu uma placa de prata pelo reconhecimento aos seus relevantes trabalhos prestados à Engenharia , pautados na defesa da ética no exercício da cidadania. Tárcio, você teve sempre uma acendrada paixão pelo que fazia ou onde participava e, em especial, por sua presença marcante no Sistema CONFEA-CREAs o qual, sem dúvida, a manterá permanentemente viva pois foi você um timoneiro junto a seus colegas de profissão e amigos. Embora tenha sido lamentável o que lhe ocorreu, sabemos que foi um desígnio do Criador, mas sempre teremos conosco a chama de considerá-lo um HOMEM FANTÁSTICO, um IMORTAL HEROI.

05


O notável engenheiro que fez da sua vida a ENGENHARIA Foto: Arquivo AEAEEUFMG

Dentre suas brilhantes atribuições ao longo de sua vida, podemos destacar: Chefe da Seção de Orçamentos de Pontes, do Serviço de Estudo e Projetos - Departamento de Telecomunicações da Secretaria de Viação e Obras Públicas; Diretor Técnico da CODEURB - Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado de Minas Gerais; Secretário de Adjunto de Estado da Secretaria de Obras Públicas; Vice-presidente do Olympico Club - 1974 a 1978; Presidente da Sociedade Mineira de Engenheiros - de agosto de 1975 a abril de 1977; Secretário de Estado de Obras Públicas- 28/07/81 a 25/02/82; Membro do Conselho Rodoviário do Departamento de Estradas e Rodagem - DER, de 1961 a março de 1982; Presidente do Crea-MG de 1982 a 1984; Vice-presidente 1977/1979 e 1981; Membro do Grupo Especial para

06

Elaboração de Diretrizes e Projetos para Expansão e Aperfeiçoamento Físico da Rede Escolar; Membro da Comissão Especial de Rever e Atualizar a Legislação Estadual sobre Licitações (1971); Conselheiro do Crea/MG, representante da SME (1974/1979); Membro do Conselho Técnico Consultivo da Emater; Membro da Comissão Estadual da Indústria da Construção de Minas Gerais - Ceico (1977); Diretor-geral do Departamento de Águas e Energia Elétrica do Estado de Minas Gerais - DAE/MG. Durante quase 20 anos foi presidente da Associação dos Ex-Alunos da Escola de Engenharia da UFMG, gestora do Centro da Memória da Engenharia. Por anos essa paixão pela Engenharia e pela Associação o fez trabalhar incansavelmente para que os Ex-Alunos sentissem esse mesmo sentimento e dedicação a institui-

ção e pelo Centro da Memória, que hoje leva o seu nome: Centro da Memória da Engenharia, Engº Tárcio Primo Belém Barbosa. Durante 6 anos ele se empenhou para o evento “Top Engenharias”, que homenageia pessoas e empresas que contribuem para o desenvolvimento da Engenharia de Minas Gerais e do país. Um evento de grande sucesso entre as entidades do setor da Engenharia e afins. Que pretendemos dar continuidade neste grandioso projeto iniciado pelo brilhante Tárcio Primo Belém Barbosa. Dentre tantas obras realizadas pelo Engenheiro Tárcio podemos destacar como presidente do Crea/MG, a conclusão de sua sede em 1984. Também a construção da sede da Sociedade Mineira de Engenheiros (SME). Quando foi diretor técnico da CODEURB e responsável técnico concluiu as obras em


Belo Horizonte; o bloco vertical do Pronto Socorro João XXIII; Instituto Médico Legal, Fórum Milton Soares Campos; Bairro das Mangabeiras. Concluiu a sede do Distrito L11 do Lyons Internacional. Dentre os prédios residenciais na capital mineira ele construiu os edifícios Mendes Pimentel, Montparnasse e Montmatre dentre tantas outras residências. Ampliou a sede social, reformou o ginásio esportivo, ampliou a piscina olímpica, reformou os vestiários e construiu quadras de petecas no Olympico Club. O engenheiro Tárcio foi responsável técnico pela Urbanização do Bairro Santa Maria, Cidade Industrial; pela construção do Edifício Elena de Sanctis; pelo Edifício Marina, Edifício José Sebastião; Edifício Rosa Maria; pelo Edifício José Belém Barbo-

sa, Edifício das Samambaias, em Belo Horizonte/MG. E em suas obras pelo estado de Minas Gerais, executou a ponte sobre o Rio das Velhas; ponte sobre o Ribeirão da Mata; ponte sobre o Rio das Mortes; sobre o Ribeirão das Águas Claras; ponte sobre o Ribeirão do Carioca; ponte sobre o Rio Grande; ponte sobre o Rio Mata Cavalo; ponte sobre o Ribeirão do Onça; ponte sobre o Córrego da Quininha; Ribeirão de Oratórios; Fórum de Araxá; Fórum de Jaboticatubas; Fórum de São Sebastião do Paraíso; Fórum de Sacramento; Fórum de Uberaba; Escola Rural “Córrego da Canoa”, em Bonfim/MG; estrada vicinal Ribeirão das Neves Tijuco Melo Viana, em Pedro Leopoldo/MG. Era conselheiro Benemérito do Clube Atlético Mineiro seu

time do coração. Por sua brilhante atuação profissional, recebeu diversos prêmios e homenagens, como os títulos de cidadão honorário das cidades de Belo Horizonte, Coromandel, Porto Firme, Sacramento e Manhuaçu. Pelo amor e dedicação à profissão recebeu diversas honras, tais como: Medalha de Honra da Inconfidência, Medalha do Mérito Legislativo Estadual, Medalha Santos Dumont, Medalha e Diploma Conselheiro “Cristiano Benedito Ottoni”, Medalha Copasa pela Concessão nº 200 desta empresa, Medalha e Diploma do Mérito da engenharia conferida pelo Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia - Confea, Medalha de Prata como dirigente da Associação conferida pelo Clube da Engenharia do Rio de Janeiro.

Durante um longo período, meditei bastante o que deveria seguir, aproveitando existir na família, cujo percentual é da ordem de 40% de engenheiros. Abençoado com a luz Divina, resolvi ser mais um engenheiro no grupo. Sinto muito feliz e com orgulho dizer: sou formado pela Escola de Engenharia da UFMG Tárcio Barbosa

07


Homenagens Um grande profissional, um chefe exemplar e um homem de coração enorme Daniela Mendonça Jornalista

Em meu nome e dos meus colegas da turma de 1953 da EEUFMG, o nosso muito obrigado ao colega Tárcio, por tudo que ele realizou em apoio aos seus colegas e em prol da Engenharia Mineira Euler Magalhães da Rocha Engenheiro Civil

Sr. Tárcio um guerreiro imbatível. Obrigada por confiar-me a Biblioteca do Centro de Memória da Engenharia desde o momento que me conheceu. Dora Aparecida da Silva Bibliotecária

Tárcio Primo Belém Barbosa é sinônimo de homem forte e decidido misturado com amigo, leal e determinado. Trabalhar com o Tárcio me fez perceber o que é ser respeitado mantendo uma postura direta, clara e objetiva, e ainda me fez acreditar no valor da palavra ‘dada’, acordos e comprometimentos. Por todos os lugares por onde ele passava as portas se

É tão complicado achar palavras para falar sobre alguém que tinha o dom da palavra. Meu olho enche de lágrimas, de saudade, ao lembrar do seu sorriso. Nossa amizade durou pouco, menos tempo do que eu gostaria, mas com certeza o suficiente para eu conhecer o ser humano extraordinário que o senhor era. Humano, prestativo, atencioso, carinhoso, solicíto e o mais importante amigo. Nunca conheci alguém com tais características tão marcantes como o senhor, alguém que sempre pensava no próximo de uma maneira especial, disposto a ajudar e resol-

ver os problemas de todos. Com certeza o meu melhor exemplo de vida, agradeço sempre a Deus por ter me proporcionado a dádiva de ter convivido diariamente com você, Sr. Tárcio Primo Belém Barbosa. Guardo com o maior carinho, e lembro sempre da frase que o senhor falava para mim quando eu estava triste “conserve seu sorriso Raquel, os problemas são passageiros”, e imediatamente eu sorrio. Obrigada de coração por tudo que me ensinou e pela paciência em me ouvir. Minha eterna e sincera admiração pelo homem que o senhor foi... Raquel Puça Amiga

“Tárcio – sinônimo de competência”. Nestes quase 8 anos de convivência, foram vários puxões de orelha e ensinamentos, sendo para mim o mais valioso, seu otimismo em tudo que fazia. Ele foi além de um patrão, foi conselheiro, amigo e muitas vezes um paizão Izabelle Pessoa Secretária da Associação dos Ex-Alunos da Escola de Engenharia da UFMG

abriam, todos sabiam de seu valor e importância, e principalmente queriam fazer parte atuante da realização dos seus sonhos. Escutá-lo falando de Engenharia fazia parecer que tudo é tão fácil de realizar e resolver. Sinto saudade das belas palavras escritas e ditas, do abraço amigo, do sorriso sincero, das reclamações carinhosas, das brinca-

deiras constantes e da segurança em cada decisão tomada. Ele sempre estava disposto a ajudar a todos, através do seu conhecimento ou até mesmo da sua simpatia. Um nome forte como esse, com certeza remete boa parte do homem, Mestre, Engenheiro, atleticano e amigo que o Tárcio foi. Com carinho de sua pupila Maria Emília Borges


Breve História da nossa Associação por Geraldo Dirceu de Oliveira

A Associação dos Ex-Alunos da EEUFMG foi fundada por um nobre ideal de um grupo de ex-alunos de nossa querida Escola de Engenharia, hoje, Centro da Memória da Engenharia, ligada a nossa querida e importante EEUFMG, é uma Integral (falando em linguagem matemática) de um grande número de ex-alunos, onde temos a somatória de professores, ex-professores e ex-alunos, cujo belo ideal é manter a chama acesa da tocha que empunhamos, iluminando-nos com o significativo e nobre Espírito Universitário! É este Espírito, que nos liga; outrora estudantes de Engenharia de várias épocas, que recebemos de sábios Mestres as primeiras noções matemáticas e porque não filosóficas dos Gênios que forjaram a Engenharia através dos tempos! Como esquecer as Teorias de Newton, de Jubileu, de René Descartes, de Leibnitz, de Joule, que nos foram ensinadas, no nosso tempo, pelos nossos eminentes Mestres: Cristovão Colombo (o nosso Cristovinho), Francisco Magalhães Gomes (o nosso Chiquinho Bomba Atômica) e que tinha

por assistente um jovem cientista chamado Delmiro Schmidt de Andrade, nosso companheiro na Diretoria da Associação), Mário Werneck (o nosso Sabonetão), Candido Holanda (o Gordinho), já no quinto ano Silvio Barbosa (o nosso cartesiano). Mestres que não mais estão aqui, se o senhor permitir saibam que os princípios que nos ensinaram: De ação e reação (Newton), (razão do equilíbrio), A matéria atrai a matéria na razão direta das massas e inversa ao quadrado da distancia (Newton e Galileu), o efeito joule da corrente elétrica, os eixos cartesianos (René Descartes), de onde deduziu as formulas matemáticas que representam em letras (Algebra e Cálculo Infinitesimal) as nossas figuras geométricas, que seja nosso símbolo a ∑ ∞ integrando-nos para sempre, hoje e amanhã, quando não mais estivermos aqui (a= associação). Que lembremos para sempre de nossos mestres, aos quais devemos “ser engenheiros”, os quais homenageamos através de um flerte vivo, um dos maiores matemáticos do Brasil, figura

exemplar de inteligência e modéstia nosso querido professor e amigo Edson Durão Júdice. Sendo este um motivo importante do nosso escrever, passo a falar do grande amigo Tárcio, desde antes de entrarmos para a Escola, um pilar que não flamba, sempre amante de nossa Associação, a qual sempre tratou com desvê-lo patriarcal, exemplo dignificante de Belo Espírito Universitário, que podemos definir como um amplexo de amor ao saber, ao construir Obras, ao fazer evolui através dos tempos as obras que só a Engenharia faz, em prol do desenvolvimento e conforto da Humanidade! Que para sempre os homens possam dizer: Lá vem o trem! Lá vem o avião! Lá vem o navio! Lá vem o carro! Lá vem a luz! Lá vem o aço! Lá vem o engenheiro! E na nossa memória: Lá vem o Tárcio! de saudade e lembrança.

09


Curtas

Top Engenharias O grande evento “Top Engenharias” será realizado em setembro deste ano. Este grande sucesso idealizado pelo nosso eterno Presidente Tárcio Primo

Belém Barbosa homenageia pessoas e empresas que contribuem para o desenvolvimento de Minas Gerais e do país. Aguarde em breve mais informações.

Semestralidade Estimados Associados, a nossa semestralidade teve um pequeno reajuste neste ano, a qual estava congelada há quatro anos. O valor é R$ 75,00, caso os senhores não tenham contribuído entre em contato conosco, 3273-3023 ou centromemoriaengenharia@ gmail.com. Ajude a AssociaA Anotação de Responsabilidade Técnica (A.R.T) é um instrumento de valorização profissional. Ela define os responsáveis técnicos pela execução de obras ou prestação de serviços profissionais referentes à Engenharia e Agronomia, identifican-

ção de Ex-Alunos da Escola de Engenharia da UFMG e o Centro de Memória da Engenharia a preservar a nossa história! Contamos com os senhores. Caso prefira depositar: Caixa Econômica Federal Agência: 0843 Conta: 00018-1 do os serviços contratados. Ao anotar o código 159, são repassados 16% do valor da A.R.T. para a AEAEEUFMG. Sem pagar a mais por isso, você fortalece a luta em defesa da categoria, e garante recursos para que sejam realizados eventos

Reuniões Associado, venha participar de nossas reuniões,que acontecem todas as terçasfeiras, às 15 horas na Associação de Ex-Alunos da Escola de Engenharia da UFMG - Gestora do Centro da Memória da Engenharia. Rua da Bahia,52, 2° andar – Centro. Belo Horizonte/MG. Telefone: 3273-3023. Será um prazer tê-lo em nossa reunião. Traga suas ideias.

ART

de capacitação e promovidas ações de valorização profissional, como a inserção no mercado de trabalho, ampliando os espaços de discussão sobre temas relevantes para a região e contribuindo para o seu desenvolvimento.

Saiba mais: Nome da Entidade: Associação de Ex-Alunos da Escola de Engenharia da UFMG • Código: 159 Contatos: centromemoriaengenharia@gmail.com

Cursos

Anunciantes Quer mais visibilidade para sua empresa? Negócio? Seja anunciante em nosso jornal A Ponte, o informativo oficial da Associação dos Ex-Alunos da Escola de Engenharia da UFMG – Gestora do Centro da Memória da Engenharia. Ele

10

aborda diversos temas ligados a Engenharia: matérias, artigos, cursos, etc. O jornal tem veiculação bimensal e será enviado para seus associados por email. Entre em contato pelo e-mail: associacaoaponte@gmail.com e saiba os valores.

A Associação dos Ex-Alunos da Escola de Engenharia da UFMG está promovendo cursos nas diversas áreas da Engenharia. O próximo curso será: Gestão de Resíduos Sólidos, com o professor Raphael Tobias do Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental da UFMG. Data: 02 a 06 de junho de 2014, no CREA-MG. Das 18h30 às 22h30. Valores : R$750,00 não associados e R$700,00 para associado em dia. Para mais informações 3273-3023 ou 9713-3819. centromemoriaengenharia@gmail.com. Fiquem ligados!


Uma história de amor à Engenharia A Associação dos Ex-Alunos da Escola de Engenharia da UFMG foi fundada em 20 de dezembro de 1959 pelo Professor e patrono Mário Werneck de Alencar Lima um dos idealizadores; antes com o nome de Associação dos antigos Alunos da Escola de Engenharia da UFMG. Promovia reuniões destinadas a estabelecer convívio entre seus sócios e respectivas famílias. Bem como a colaboração com a Escola na manutenção, conservação e montagem de seus atuais laboratórios e de novos recintos de ensaios, no apoio à pesquisa científica e tecnológica. Dentre outros eventos ligados ao convívio dos engenheiros como festividades, aprimoramento profissional, encontros, simpósios e congressos. Sua primeira reunião foi no dia 13 de maio de 1960 às 20h com a aprovação do estatuto e a eleição da 1ª diretoria da Associação assim constituída: Presidente Prof. Mário Werneck de Alencar Lima e o secretário Olavio Aurélio de Lacerda Pires e Albuquerque. Que logo depois no dia 21 de maio de 1960, posse da primeira diretoria e primeiro conselho. Roberto Carneiro - Presidente; Luiz de Souza Lima - 1° Vice- presidente; Paulo José Lima Vieira - 2° Vice -presidente; Wady Simão - 3° Vice- presidente; Aristóteles J. Faria Alvim - Secretário Geral; Paulo Henrique - 1° Secretário; Waldemar Polizzi - 2° Secretário; Adahil J. Stehing - 1° Tesoureiro; Bruno Bogatti 2° Tesoureiro; Beatriz G. Alvarenga - Diretora Cultural e Djalma Gusman - Diretor Social. Em 1965, a Universidade se federalizou, passou então a chamar-se Associação dos An-

tigos Alunos da EEUFMG hoje Associação dos Ex-Alunos da EEUFMG. Devido à sua inatividade inicial, em 15 de fevereiro de 1977, por iniciativa da Congregação da Escola, seu Diretor Hélio Antonini convocou uma reunião de professores e profissionais para a reativação da Associação tendo sido realizada em 12 de abril de 1977, na Sala da Congregação em uma Assembleia Extraordinária, que elegeu seu Presidente o engenheiro Renato Falci, indicou seu Conselho Deliberativo e aprovou seu Estatuto. O primeiro prédio da Associação foi no 4° andar do prédio Arthur Guimarães da Escola, época em que foi eleito Presidente o engenheiro Levínio da Cunha Castilho, em reunião de 13 de março 1981, que a presidiu por 12 anos consecutivos, após sucessivas eleições, até 1993. Este mesmo Presidente teve a iniciativa de concretizar diversas realizações dentre as quais a celebração do convênio, em 12 de julho de 1982, com a Secretaria de Estado e Obras Públicas de Minas Gerais, para a conclusão do 7° e 8° pavimentos bem como revestimento da fachada do prédio Álvaro da Silveira, colocação de esquadrias metálicas no seu 12° pavimento e, por aditamento contratual, realização do acabamento das obras do 11° andar, para o que contou com a inestimável colaboração do Engenheiro Tárcio Primo Belém Barbosa, então Vice-Presidente da entidade. A medalha do Mérito da Engenharia foi criada em 8 de março de 1993, cujo regulamento data de 7 de janeiro de 1986.

Vários eventos foram oferecidos nesta ocasião pela Associação dentre os quais a realização do curso de Drenagem Urbana e Controle de Erosões. Em 15 de janeiro de 1986 a Associação transferiu-se para as salas 719 e 720 do 7° andar do prédio Álvaro da Silveira. E em 1° de dezembro de 1992 foi cedida à Associação o uso de parte do 1° andar e todo o 2° andar do prédio da rua da Bahia, n°52, cuja ocupação deste imóvel contou com a colaboração técnica da SUDECAP que forneceu os projetos necessários para isto. E atual sede da Associação dos Ex-Alunos da Escola de Engenharia da UFMG. Para a realização das obras de ocupação deste imóvel contou com a colaboração técnica da Superintendência de Desenvolvimento da Capital (SUDECAP) que forneceu os projetos para isto necessários. Em 9 de fevereiro de 1993 foi enviado à Associação, pelo respectivo Diretor da Escola de Engenharia, professor Ronaldo Tadeu Pena, o convênio de criação do Centro da Memória da Engenharia, assinado pela respectiva Reitora da UFMG, professora Vanessa Guimarães, cujo regulamento foi aprovado em 28 de setembro de 1993, pela Congregação da Escola. A partir desta data, além do Centro da Memória da Engenharia, cujo patrono é o Professor Hugo Luiz Sepúlveda, a Associação mantém uma importante Biblioteca, contendo obras raras, cujo acervo é de aproximadamente 35 mil volumes, todos doados por Profissionais da Engenharia ttendo hoje o Centro da Memória mais de mil equipamentos de engenharia, doados também por profissionais da área.

11


artigo

Engenharia Diagnóstica: uma necessidade atual Foto: Arquivo Pessoal

Flávia Lage Tostes – Aluna do Curso de Eng. Civil - PUCMinas Gibran Alvim Lacerda – Aluno do Curso de Eng. Civil - PUCMinas Guilherme Brandão Federman – Orientador – Eng. Civil CREA-MG 6834/D Professor Titular do Curso de Engenharia Civil - PUCMinas

Sabemos ou pelo menos temos uma noção do que deve ser feito quando surgem em nossas residências problemas diversos relacionados à construção, como por exemplo, fissuras e trincas, manchas na pintura, infiltrações e desprendimento de forros. Quando do surgimento dessas manifestações, logo tratamos de acionar o síndico, a construtora responsável pela edificação, os responsáveis pela última reforma, ou se não for o caso, tratamos de achar responsáveis para dar solução ao problema. Essas ações estão perfeitamente corretas. A dificuldade ocorre quando, na maioria das vezes, o problema não é resolvido ou pelos menos, não antes de dar muita dor de cabeça. A grande questão do tema seria a seguinte: Teríamos como prever e prevenir para que tais manifestações não ocorressem? É nesse ambiente de problemas constantes que surge uma resposta nova para essa questão: A Engenharia Diagnóstica. Temos que assimilar o conceito desse procedimento que nos alerta, assim como na medicina, na qual o melhor remédio é a prevenção com diagnóstico o mais

12

breve possível. Nas construções, essa prevenção, realizada por meio de perícias, seria o melhor remédio. Por mais que tenhamos todos os cuidados durante o projeto e a construção, podem ocorrer várias possibilidades não previstas, em função de fatores complexos como movimentações do terreno após períodos chuvosos, impactos na estrutura devidos a construções vizinhas ou mesmo por utilização inadequada da construção. Dentro da engenharia diagnóstica, o perito não é somente acionado para tratar de questões judiciais ou determinando os culpados por algum problema, mas responsável por antecipar ações pró-ativas para determinados potenciais de falhas encontradas. A contratação de seguro para os bens de grande valor não é suficiente para garantir o bom desempenho do bem, deve-se fazer a manutenção constante do mesmo. Um exemplo disso é o que ocorre com a indústria automobilística onde os veículos mesmo segurados devem passar por revisões periódicas, conforme orientação do fabricante. O mesmo deveria ocorrer na construção predial, onde os

imóveis além de ser segurados, já que são bens de grande valor, deveriam sofrer “revisões” já que estão sob utilização constante com o conseqüente desgaste pelo uso. Os desgastes dos imóveis não são tão intensos como dos automóveis, porém, são diários através de causas diversas como variação da temperatura, deformações da estrutura, ações de ventos nas diversas direções e impactos diversos, as reações químicas não previstas, que podem ocorrer com o tempo, à utilização errada da estrutura e outras causas. O entendimento de que as peças dos carros são itens submetidos a um determinado prazo de validade, também os componentes das construções devem ser vistos como materiais com vida útil. Consequentemente, todos os itens da construção também possuem um prazo de validade. Esse prazo de validade deverá ser informado pelo responsável técnico da obra, uma vez que diversos fatores contribuem para o mesmo, como se encontra o estado da construção e quais os fatores agressivos presentes na utilização da mesma.


Questões legais: Além das razões apresentadas sobre a importância da Engenharia Diagnóstica, ainda temos leis e normas que obrigam os proprietários e responsáveis pela manutenção e o bom estado das construções. Entende-se como manutenção, todas as atividades a serem realizadas visando à conservação ou a recuperação das partes danificadas. O Código Civil no seu artigo 1.348 no inciso V atribui sérias responsabilidades ao síndico e deixa clara a função de diligenciar a conservação do edifico, ou seja, não se deve esperar a manifestação do problema, pois a conservação implica no acompanhamento e manutenção. Vale observar também, que no mesmo Código Civil, o artigo 186 diz que comete ato ilícito aquele que por ação ou omissão voluntária, negligencia ou imprudência causar dano a outrem, evidenciando outra vez a responsabilidade civil no caso do síndico e a importância da manutenção. Por parte das normas técnicas, a ABNT, a NBR 5674/99, que trata da manutenção de edificações, atribui no seu capítulo cinco as responsabilidades aos proprietários ou aos responsáveis delegados para que haja a manutenção da edificação, devendo ainda, em caso de serviço terceirizado, que os proprietários recebam relatórios periódicos sobre suas condições indicando os serviços de manutenção necessários. A periodicidade das inspeções e vistorias não é previamente estabelecida e nem se pretende, neste momento, sugerir estes prazos (a NBR define apenas que as manutenções devem ser definidas em planos de curto, médio e longo prazo), pois os mesmos podem

variar muito em função da utilização da edificação, tamanho, complexidade da utilização e inclusive as relações com a vizinhança. Em algumas cidades brasileiras existem projetos de leis que obrigam a realização periódica. É o caso de São Paulo, por meio do PL 407/2001 que apesar de ter sido vetado pelo Executivo em 2009 volta novamente ao cenário político motivado entre outros fatores pelos problemas recentes como os desabamentos ocorridos em Belo Horizonte, Rio de Janeiro e outros que alertam sobre quais seriam as condições reais de segurança das edificações. O mesmo projeto em São Paulo determina a inspeção dos prédios da cidade a cada cinco anos ficando desobrigadas, apenas residências individuais, condomínios de casas e imóveis não residenciais com até 500 m². A Câmara Municipal de Teresina/PI também aprovou neste ano que edificações públicas e privadas não residenciais devem passar por vistorias periódicas. As vistorias são obrigatórias nos edifícios residenciais com mais de três pavimentos e renovadas a cada ano para obras com mais de cinquenta anos, a cada dois anos para edificações que tenham entre trinta e um e cinquenta anos de construídas e cinco anos para as estruturas com menos de vinte anos.

Em Belo Horizonte não existe lei que exige a periodicidade das inspeções como propõem de maneira clara as prefeituras de São Paulo e Teresina, porém recentemente tem-se discutido a PL 2117/12 que busca um maior controle da prefeitura sobre as construções, arquivando todos os projetos relativos ao empreendimento. Reflexo direto dos recentes acidentes ocorridos em nossa cidade. Conclusão: Fica clara a importância da Engenharia Diagnóstica nas edificações devido principalmente à segurança que devem manter e a outros fatores como valor financeiro e o valor pessoal que atribuímos às mesmas. Com certeza não é nada interessante aguardar o legislativo aprovar a periodicidade das inspeções para que iniciássemos a realização das mesmas, pois, a NBR 5674/99 já determina que deva haver a Manutenção Predial, e que esta varia em função das características do edifício, sendo determinada pelo profissional responsável e que leve em conta as diversas características da edificação. Neste momento, basta apenas que os cidadãos se conscientizem sobre a importância da realização de manutenções em suas construções com o objetivo principal de se evitar problemas maiores ou simplesmente dar solução rápida para problema que julgamos ainda sem muita importância. Sem dúvida, assimilar o conceito da Engenharia Diagnóstica, que nos alerta para o diagnóstico como a melhor solução para prevenir problemas futuros nas nossas edificações, sendo o principal caminho para se alcançar a tão desejada duração das estruturas, segurança e salubridade.

13


empreendedorismo

Expoengenharia: A Engenharia através de sua experiência profissional A Escola de Engenharia e a Associação dos Ex-Alunos da UFMG, através da celebração de Acordo de Cooperação estabelecido entre ambas, promoveram a realização, nos dias 12 e 13 de novembro de 2013, o Seminário “A ENGENHARIA ATRAVÉS DE SUA EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL”, realizado no Bloco 3 da Escola, na Campus da Universidade. Que contou com o apoio do CREA-MG, CREA-Júnior, SME, CEMIG, dos seus Diretórios Acadêmicos e Grêmios, de sua Central de Oportunidades, FAPEMIG e Empresas de Engenharia. O evento teve o objetivo de promover a participação de profissionais e alunos da Engenharia, na discussão de temas e projetos de interesse profissional que contribuam para sua formação. A Expoengenharia contou com a presença de cerca 86 alunos, dos diferentes cursos existentes na UFMG e de outras universidades que foram convidados para participar do evento. Do lado de fora do evento foram montados stands com projetos dos alunos de diversas áreas da Engenharia, inclusive projetos premiados e eventos que os alunos participam e são laureados. No primeiro dia foram apresentadas as participações da Escola de Engenharia da UFMG, pelo diretor Benjamim Menezes e de seu Vice- Diretor, Alessandro Moreira, da AEAEEUFMG, através de seu então Presidente Tárcio Primo Belém Barbosa (In memoriam), CREA Cultural, pelo Engº Ederson Bustamante e Sociedade Mineira dos Engenheiros (SME), pelo seu Diretor Normando Alves. No segundo dia foram apre-

14

sentadas a palestra do Engº Berilo Torres, da Empresa Queiroz Galvão sobre Mobilidade Urbana: Monotrilho, a palestra do Engº Alexandre Bueno, da CEMIG, sobre Energias Alternativas e, por último, o Engº e Professor José Cláudio Junqueira Ribeiro sobre Licenciamento Ambiental em obras de Engenharia. Estas palestras foram feitas através das apresentações de importantes materiais didáticos sobre os temas envolvidos, o que demonstrou o interesse dos alunos, participantes no Evento. O aluno do 7° período de Engenharia Ambiental da UFMG, Luiz Gustavo disse que o evento acrescentou muito para sua vida acadêmica. “Gostei muito dos dois dias do evento, a palestra do CREA foi bastante enriquecedora, tiveram assuntos específicos e duvidas importantes que a gente não tinha onde recorrer para sanar”. Explica o estudante. Para Thais Mota Drummond do 3° período de Engenharia Ambiental do UNIBH, o ciclo de palestras da Expoengenharia foi de extrema relevância para sua vida acadêmica quanto para conhecimento. “Achei muito bacana as palestras que tiveram temas fundamentais para o nosso conhecimento mesmo, como teve a do CREA , quanto para a minha área que foi a de licenciamento ambiental.” Comenta Thais. Bruno Gomes Medeiros, 8° período de Engenharia Mecânica, um dos auxiliares do evento explicou a idéia da Expoenhenharia “A idéia do evento era mostrar para esses alunos as atividades que a gente tem na UFMG, principais

iniciativas, para que eles vendo assim da área de seu curso alguma iniciativa afim de conhecer um pouco mais e quem sabe participar. Sair um pouco do ambiente de sala de aula e participar. E paralelo com isso teve as palestras com temas da atualidade por que as vezes também, a pessoa entra aqui e não sabe engenharia” Bruno também falou de sua experiência quando entrou na faculdade: “ Quando entrei na UFMG, o aluno principalmente o calouro fica perdido por que aqui é uma das maiores universidade do país e da América Latina. E aqui tem muitas oportunidades e quando você entra não tem a mínima noção, nada disto é exposto para o calouro. E as vezes ele tem que procurar saber por meios próprios ou quando alguém comenta com ele”. Para o Vice- Diretor, Alessandro Moreira, este evento serve para mostrar para os alunos como funciona a escola. “O evento aproxima o calouro das oportunidades e iniciativas. O que é muito importante” disse Alessandro. Um outro programa que foi explicado pelos alunos foi o ENG 200- Programa de inovação na educação em Engenharia, que é fruto do questionamento da Direção da Escola de Engenharia da UFMG sobre a formação ideal de seus alunos. Resguardando todas as iniciativas inovadoras de cada um de seus cursos e da atenção à identificação e interpretação na Escola de Engenharia são bases deste programa. Assim, garante-se que suas ações estejam alinhadas às necessidades e desejos da comunidade acadêmica. E alguns desses


resultados são a Expoengenharia, melhoria e expansão do projeto Engenharia Recebe!, apoio à retomada da Atlética, dentre outros. Ao final do Evento foram feitos os debates e apresentadas suas conclusões através de questionário em que os participantes puderam apresentar suas opiniões sobre a

possibilidade de ampliar o conteúdo dos próximos Eventos. Dentre os temas sugeridos pelos alunos: Inovação e empreendedorismo na Engenharia; Gestão de projetos de Engenharia; Ética na Engenharia; dentre tantos outros que foram encaminhados para os responsáveis do evento.

Alunos e suas obras do Programa de Inovação da Educação em Engenharia, momentos com o saudoso Presidente Tárcio Barbosa, diretor da EEUFMG Benjamim Menezes, Vice-Diretor, Alessandro Moreira e Normando Alves Sociedade Mineira dos Engenheiros (SME)

Arquiteto André Pinto fala da reforma prédio do Centro da Memória da Engenharia; Engº Berilo Torres, da Empresa Queiroz Galvão fala sobre Mobilidade Urbana; Engº Alexandre Bueno, da CEMIG, sobre Energias Alternativas; Professor José Cláudio Junqueira Ribeiro sobre Licenciamento Ambiental em obras de Engenharia.

15


fim de ano

Noite de homenagens marca final de ano da Associação

Na sequência, Os Brasileirinhos; Os homenageados da noite; Elton Luis da Silva, em nome da Tenco Shopping Centers S/A, recebeu homenagem do Engº Paulo Lopes Salomão; O presidente do CREA-MG Jobson Nogueira de Andrade recebeu a comenda de Engenheiro do ano de 2013

No dia 13 de dezembro de 2013, ocorreu no CREA-MG uma noite de premiações. O engenheiro e presidente do CREA-MG Jobson Nogueira de Andrade recebeu a comenda de Engenheiro do ano de 2013, pelas mãos do querido Tárcio Primo Belém Barbosa (In memorian). Na mesma noite o Elton Luis da Silva, gerente de serviços de orientação a lojistas, em nome da Tenco Shopping Centers S/A, recebeu uma homenagem do Engenheiro Civil Paulo Lopes Salomão em nome da Associação de Ex- Alunos da Escola de Engenharia da UFMG como prova de orgulho pela empresa mineira que está presente em todo território de nosso país. Em uma noite agradável, a Associação se reuniu para finalizar seus trabalhos no ano. Jobson Nogueira de Andrade é engenheiro civil, formado pela Universidade Vale do Rio Doce, em Governador Valadares-MG. Cursou Ecologia Urbana pela PUC Minas e Gerenciamento de Projetos pela Fundação Getúlio Vargas. Entusiasmou-se com a profissão trabalhando inicialmente

16

com projetos internacionais ligados a melhoria da qualidade de vida em vilas e favelas, demonstrando a vontade de fazer o bem a todos os necessitados. Jobson continuou firme aplicando seus conhecimentos na gerência e supervisão de obras públicas de Belo Horizonte. Foi diretor do Sindicato de Engenheiros do Estado de Minas Gerais, conselheiro efetivo do Crea-MG, além de assessor parlamentar, gerente de Comunicação e Relações Institucionais e vice-presidente do Conselho. Foi também secretário executivo do Fórum Estadual Lixo e Cidadania, conselheiro efetivo do Conselho Estadual para o Desenvolvimento Regional e Política Urbana e professor do curso de extensão Orçamentos e BDI em projetos. Atuou como secretário de Obras do Município de Betim-MG. A Tenco Shopping Centers S/A foi fundada em 1988 . E disputa espaços comerciais em todos os municípios brasileiros, fazendo assim com que esta notável empresa, se enverdece por esse caminho. Em 1995 a empresa desenvolveu o seu

primeiro Shopping; o Ponteio Lar Shopping, localizado em nossa capital. A partir de 2001 a Tenco Realty começou a focar excusivamente no desenvolvimento de Shopping Centers. Em 2008 a Tenco Realty e a CBL Properties se associaram para explorar oportunidades no mercado e através dos empreendimentos Plasa Macaé Shopping-RJ e Cariri Shopping Center em Juazeiro do Norte-CE. Em 2011 ocorreu uma renovação na marca, sendo criada a Tenco Shopping Centers S/A, alinhada com os novos objetivos e planos estratégicos da companhia. O conceito Garden , conceito inédito no segmento de shoppings no Brasil, que são: Ecologicamente correto, socialmente justo, economicamente viável. Esse conceito derruba a barreira entre sustentabilidade e consumo, promovendo a consciência ambiental e sustentável entre empreendedores, fornecedores, lojistas e consumidores. Ao final das premiações um coquetel de encerramento onde todos puderam se confraternizar por mais um ano de trabalho.

A ponte 62 05  

Um jornal da Associação dos Ex- Alunos da Escola de Engenharia da UFMG. Gestora do Centro da Memória da Engenharia.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you