Page 1


Palavra do presidente Prezados Associados e Parceiros AEA, Excepcional e espetacular. Tomo a liberdade de me expressar dessa maneira para qualificar o ano de 2020. Excepcional porque logo no início fomos pegos pela pandemia do Covid-19, que desestruturou boa parte da economia mundial. Espetacular porque, diante da crise, tivemos de nos reinventar. E o melhor, conseguimos nos adaptarmos à nova realidade, até este momento, compulsória e devastadora. Como vocês sabem, assumi a presidência executiva da AEA – Associação Brasileira de Engenharia Automotiva no dia 9 de setembro de 2019. O último quadrimestre do ano passado, para mim, foi de “reconhecimento de terreno”, como se diz no jargão popular. Assim, o efetivo plano estratégico a ser adotado à frente da presidência da entidade contemplava 2020. Logo no início do terceiro mês, porém, veio a pandemia. E aqui quero dedicar meu agradecimento a todos os diretores, comissões técnicas e membros do staff da AEA, que rapidamente se mobilizaram para reinventar o modus operandi de todas as atividades, antes presenciais, agora no formato virtual, sem perder a essência e os valores da mais importante entidade representativa da Engenharia Automotiva brasileira. No início da pandemia, confesso, receava por uma interrupção ainda que temporária do processo de profissionalização da mais importante entidade técnica do setor automotivo brasileiro. Uníssona, a equipe AEA correspondeu às expectativas de coordenar os debates de temas correlatos à cadeia automotiva, de modo virtual e com a participação efetiva e eficaz do Governo, da Academia e demais associações de classe.

Assim, a atuação da AEA permance vigorosa em temas como emissões veiculares, eficiência energética, segurança veicular, combustíveis, entre outros tantos, ao trazer demandas dos órgãos competentes, debatê-las e devolvê-las com análises e estudos técnicos. Nesse sentido, por meio de nossas comissões técnicas, com louvor, a AEA manteve o ritmo de respostas à sociedade brasileira, e também por meio de nossos workshops, seminários e simpósios, nacionais e internacionais, e também os nossos cursos técnicos, este ano em eventos online. Por fim, diante da atipicidade de 2020 e das realizações, ainda que limitadas pelo isolamento social, gostaria de agradecer a todos os associados que me conferiram mais um mandato à frente da presidência da AEA, para o biênio 2021/22, agora com Marcus Vinicius de Aguiar na vice-presidência. Ao Edson Orikassa, vice-presidente no mandato anterior, meu especial agradecimento por todo o suporte e dedicação incansável à entidade. Desejo a vocês um ótimo final de ano. Que possamos estar juntos em 2021, presencialmente, com muita saúde e paz.

Besaliel Botelho Presidente


Sumário 02

Palavra do Presidente

04 Diretoria Executiva 2020 04 Conselho Diretor 2020

19

Comissão Técnica de Gasolina/Etanol

20

Comissão Técnica de Combustíveis Gasosos Veiculares

20

Área Técnica de Lubrificantes

20

Comissão Técnica de Lubrificantes e Fluidos

05

AEA Digital - O Mundo Mudou e a AEA Também

05

Live AEA 2020

21

Área Técnica de Eletroeletrônica

06

Cursos Online 2020

21

Comissão Técnica de Eletroeletrônica

07

Eventos Online 2020

21

Comissão Técnica de Eletromobilidade

07

Seminário AEA de Inovação em Powertrain

21

Área Técnica de Manufatura

08

Simpósio de Eficiência Energética, Emissões e Combustíveis

21

Comissão Técnica de Manufatura Avançada

22

Área Técnica - Tendências Tecnológicas

10

Seminário de Manufatura Avançada

22

Comissão Técnica Tendências Tecnológicas

12

Simpósio Internacional de Lubrificantes, Aditivos e Fluidos

22

Grupos de Trabalhos Especiais ORVR – Emissões Evaporativas

14

22

Seminário de Segurança e Conectividade

23

NMOG

15

Comissões Técnicas 2020

23

RDE

15

Área Técnica de Emissões e Consumo de Veículos Leves

23

Fator de Regeneração Ki

15

Comissão Técnica de Eficiência Energética

24

Fator de Regeneração para Consumo

15

Comissão Técnica de Emissões de Veículos Leves (GT OBDBr)

24

Emissões 2R

25

Durabilidade 2R

15

Área Técnica de Emissões e Consumo de Veículos Pesados

25

Emissões Corporativas

25

OBD e AES Pesados

25

Ruído P8 – Pesados

26

Tecnologia de Powertrain e Eletrificação

26

Mobilidade Elétrica Veicular Sustentável

27

Armazenamento de Energia

27

Infraestrutura

28

Ações em Parceria com Órgãos Governamentais

29

Parceiros Institucionais

30

Vantagens para o Associado

15

Comissão Técnica de Emissões de Veículos Pesados

16

Área Técnica de Segurança Veicular

16

Comissão Técnica de Segurança Veicular

16

Comissão Técnica de Segurança de Testes de Impacto

17

Área Técnica de Acreditação de Laboratórios

17

Comissão Técnica de Acreditação de Laboratórios de Emissões de Motos

17

Comissão Técnica de Acreditação de Laboratórios de Emissões

31

Empresas Associadas

18

34

Destaque

Comissão Técnica de Ensaio de Proficiência de Laboratórios de Motores Ciclo Otto

36

Calendário 2021

18

Comissão Técnica de Ensaio de Proficiência de Laboratórios de Motores Ciclo Diesel

36

Cursos 2021

37

Em 2021

19

Área Técnica de Combustíveis

38

Equipe AEA

19

Comissão Técnica de Diesel/Biodiesel

39

Agradecimentos


Diretoria Executiva Gestão 2020 Presidente: Besaliel Botelho, Robert Bosch Vice-Presidente: Edson Orikassa, Toyota Diretoria Executiva: Anderson Suzuki, AEA

Marinna Silva, Ford

Marcos Maeda, Cummins

Marcello Depieri, Marelli

Rogério Gonçalves, Petrobras

Marcelo Massarani, FDTE-POLI USP

Sidney Oliveira, Robert Bosch

Marcio Azuma, Honda

Simone Hashizume, JX Nippon Oil

Marcos Clemente, AEA

Carlos Sakuramoto, GM

Marcus Vinicius Aguiar, Renault

Fábio Uema, AEA

Paulo Jorge Santo Antonio, Mercedes-Benz

Flávio Sakai, Harman

Raquel Mizoe, GM

Gerente Executivo: Paulo Consonni, AEA Assessoria de Imprensa: Koichiro Matsuo, Texto Final

Conselho Diretor Gestão 2020

Edson Paixão, Umicore

Gilberto Werneck, IBAMA

Presidente: Francisco Emilio Baccaro Nigro, USP

Frederico Guilherme da Costa Kremer, Petrobrás

Renato Linke, CETESB

Vice-Presidente: Vicente Alves Pimenta, AEA

Maurício Lavoratti, Robert Bosch

Sócios Individuais Elcio Luiz Farah Henry Joseph Jr. Vicente Alves Pimenta Iniciativa Privada Antonio Carlos Botelho Megale, Volkswagen

4

Gilles Grimberg, Actioil

Stephan Heinz Blumrich, Umicore Órgãos Governamentais e Estatais Milton Costa

Universidades e Institutos de Pesquisa Anderson Borille, ITA Fernando Malvezzi, IMT Francisco Emilio Baccaro Nigro, USP Mario dos Santos Guitti

Margarete Gandini, MDIC

Paulo Carlos Kaminski, POLI-USP

Paulo Henrique Demarchi, PRF

Renato Romio, IMT


AEA Digital

O mundo mudou e a também

Com a declaração oficial da OMS- Organização Mundial da Saúde, devido pandemia do Coronavírus (Covid-19), a AEA decidiu suspender todas as reuniões presenciais das 29 Comissões Técnicas e do Comitê Executivo da entidade, por tempo indeterminado, mas mantê-las por meio de áudio e videoconferências. Pelo mesmo motivo, a entidade decidiu também realizar os cursos e três seminários e dois simpósios em plataforma online. O primeiro evento online aconteceu no dia 1ª de setembro - Simpósio de Eficiência Energética, Emissões e Combustíveis. Ainda em setembro, no dia 16, o Seminário de Manufatura. No dia 28 de outubro, aconteceu o Simpósio Internacional de lubrificantes, Aditivos e Fluidos. O ciclo de eventos AEA, em 2020, encerrou-se no mês de novembro com o Seminário de Segurança Veicular e Conectividade que ocorreu no dia 10 e o Seminário de Inovação em Powertrain no dia 30.

Em função do isolamento social, a AEA deu início a um projeto completamente novo - Live AEA.

Live AEA 2020

Durante todo o ano foram realizadas transmissões ao vivo pelo o canal do Youtube da AEA com temas variados a cada semana. A mediação das apresentações ficou por conta do Diretor de Comunicação e Eventos da AEA, Anderson Suzuki, que mediou diversos temas como: Transformações no Trabalho com o Novo “Normal”, Oportunidades dos Biocombustíveis na Matriz Energética, Mobilidade Sustentável e o Futuro do Combustível, Programas Setoriais de Qualidade para Lubrificantes e Fluidos Automotivos, Rota 2030: Como os PPPs Aceleram o “Novo Normal”, entre outros. As transmissões impulsionaram um rápido crescimento de público no canal da entidade, assim como participantes interessados no projeto a fim de levar ao público temas diferentes e interessantes para o setor. Encerramos o ano totalizando mais de 28 transmissões ao vivo, com mais de 100 participantes e com uma agenda já sendo preparada para o próximo ano!

5


Cursos Online 2020

Mini Cursos Online

Cursos Online

No primeiro semestre de 2020 a AEA teve que se adequar as mudanças que estavam ocorrendo ao redor do mundo. Observando e vivenciando as novas rotinas, a Diretoria Acadêmica em conjunto com outras Diretorias da entidade desenvolveram o projeto “Mini Cursos Online” visando levar de forma totalmente gratuita, conhecimento aos participantes que estavam buscando atividades durante o período de isolamento.

Ao final do primeiro semestre, a AEA recebeu muitos pedidos para retornar com a grade horária completa dos cursos programados para 2020. Para respeitar todas as normas de segurança que é essencial no momento, a programação de cursos foi reformulada para o formato online, mantendo a essência técnica com interação entre os participantes.

Com um time de peso de instrutores voluntários, a AEA arriscou e se reinventou nessa nova atividade, dando início ao primeiro curso, que surpreendentemente e rapidamente teve todas as vagas preenchidas em minutos. Encerramos o primeiro semestre com um balanço muito positivo dessa experiência. Foram ministrados 20 mini cursos online com diversos temas, como Lubrificantes, ROTA 2030, Veículos Autônomos, Híbridos e Elétricos entre outros, totalizando 1094 participantes com certificados nesse projeto!

Foram realizados durante o segundo semestre 7 cursos online, com destaque para o Curso Online AEA Homologação para Veículos Híbridos e Elétricos, transmitido diretamente do Centro Tecnológico Gandini (Salto, SP), que graças ao empenho de toda equipe envolvida adaptou o curso presencial com prática no centro de treinamento para um Curso online sem perder todo o conteúdo teórico, isso ao vivo e online! Já a parte prática foi apresentada através de vários vídeos gravados no Centro Tecnológico Gandini demonstrando com riqueza de detalhes aos participantes todo o conteúdo de uma forma segura a todos os 40 inscritos! Realizamos ainda 6 Curso Incompany online, que são treinamentos fechados para empresas que levam a seus colaboradores o conhecimento focado nas necessidades especificas de suas equipes. A AEA encerra 2020 com o total de 33 cursos ministrados durante todo ano e com a esperança que será possível criar uma nova sinergia entre os cursos presenciais e online!

6


Eventos 2020

Eletrificação veicular x motores a combustão é tema de seminário da AEA

Dois painéis compuseram a 6ª edição do Seminário de Inovação em Powertrain, organizada pela AEA – Associação Brasileira de Engenharia Automotiva, no dia 30 de novembro, em evento online, e que debateram o tema central “Powertrain elétrico x combustão: conflito ou sinergia?”. Coordenada por Avelino Souza a 6ª edição recebeu mais de 160 participantes virtuais, a tônica do seminário enveredou por estudos setoriais que procuram equacionar sustentabilidade e custeio dos diferentes sistemas de propulsão veicular. Assim, Ricardo Bacellar, da KPMG, iniciou o primeiro painel com o tema “Macrotendências da mobilidade no Brasil”, no qual fez um diagnóstico claro sobre o quadro de matrizes energéticas no mundo e no Brasil, fator que deverá nortear os rumos da indústria automobilística brasileira no futuro próximo. Na sequência, Julio Lodetti, da Volvo, em apresentação intitulada “Novas tecnologias de powertrain à combustão”, discorreu sobre os ganhos efetivos do desenvolvimento de motores a combustão da montadora sueca de caminhões, que tem unidade fabril em Curitiba, no Paraná. Lodetti falou sobre as novas tecnologias de motorização, dedicadas a cada região do mundo, diferenciada de acordo com as dimensões territoriais e perfis topográficos. Para encerrar o primeiro painel, Sandro Soares, gerente de Engenharia da FCA, por meio de sua palestra ”Motores do ciclo Otto a gás e a etanol: oportunidades no Brasil”, fez uma completa análise sobre a evolução das legislações brasi-

leiras de emissões e a evolução das tecnologias dos propulsores de veículos, , concluindo que os motores a combustão interna ainda terão vida longa no Brasil, em especial com o uso de biocombustíveis. De outra parte, no segundo painel, mais três palestras compuseram o bloco dos “Híbridos/ elétricos/FCV”, a começar por “Veículo elétrico: desafios e soluções tecnológicas para o mercado em massa”, de Bruno Ahrens, da Bosch, tema por meio do qual ofereceu uma ampla abordagem da eletrificação veicular no mundo, onde essa tecnologia está saindo do nicho, apesar dos volumes de vendas no Brasil ainda serem tímidos. O palestrante deixa claro que o mundo busca por descarbonização. E no Brasil não será diferente. Enquanto o representante da RANDON, Cesar Ferreira, discorreu sobre o tema “Veículos comerciais elétricos a bateria”, destacando a hibridização através de eixos eletrificados como uma solução alternativa para reduzir o consumo e emissão dos veículos comerciais no Brasil, Thomas Guntert, da AVL, encerrou o ciclo de palestras do segundo painel, com a apresentação “Powertrains eficientes: hibridização e puro elétrico”, em cuja análise expôs os diferentes e variados conceitos de eletrificação mundo afora e sua conclusão, para o caso brasileiro, é uma aposta no híbrido flex, levando-se em consideração a riqueza de biocombustíveis existente no País. Anderson Suzuki, diretor de Comunicação e Eventos da AEA, mediou o debate dos painelistas 7


Eventos 2020

Evento online da AEA debate eficiência energética, emissões e combustíveis

Palestrantes compartilharam oportunidades e experiências com foco na implantação de tecnologias globais para atendimento às legislações ambientais, matriz energética e cada vez mais o uso do biocombustíveis. Na esteira das contribuições com o cenário brasileiro do desenvolvimento da indústria, a AEA – Associação Brasileira de Engenharia Automotiva promoveu no dia 1º de setembro, o Simpósio de Eficiência Energética, Emissões e Combustíveis. Por meio de evento online, a entidade compartilhou oportunidades e experiências da engenharia com foco na implantação de tecnologias globais e o desenvolvimento local para atendimento às legislações ambientais, matriz energética e cada vez mais o uso dos biocombustíveis. O evento reuniu especialistas e representantes de órgãos governamentais, fabricantes de veículos automotores, autopeças, produtores de aditivos, fornecedores de equipamentos do setor automotivo, fabricantes de ciclomotores, empresas produtoras de combustíveis e distribuidoras, acadêmicos e estudantes em geral. A apresentação de abertura foi feita por Besaliel Botelho, presidente da AEA, que pontuou a intensa participação da entidade nos dois progra8

mas governamentais – Inovar-Auto e Rota 2030 -, nos quais o tema eficiência energética, emissões e combustíveis norteou a melhoria da qualidade dos veículos brasileiros. Antes, porém, fez uma homenagem póstuma, em nome da AEA, a José Luiz Vieira, jornalista e engenheiro automotivo, falecido em maio último. Em palestra “Diesel Verde”, o presidente da BSBIOS, empresa brasileira produtora de biodiesel, Erasmo Carlos Battistella, compartilhou sua visão aos biocombustíveis avançados e Renovabio. “A demanda por combustíveis renováveis é impulsionada pela descarbonização dos transportes e pelo desenvolvimento rural e é impulsionada por metas e mandatos ambiciosos para biocombustíveis (misturas obrigatórias) em todo o mundo. Nesse ambiente, o Diesel Renovável e o Combustível para Aviação Renovável serão indispensáveis para combater as mudanças climáticas e cumprir as metas de redução de Gases do Efeito Estufa (GEE)”, afirmou Battistella. A sugestão da BSBIOS é que o Brasil deve caminhar na mesma direção que o resto do mundo e, para isso, necessita ter a manutenção do marco regulatório do biodiesel, com a meta de se atingir o B20 em 2028, além de criar um novo marco regulatório focado na produção dos biocombustíveis avançados em novas unidades ex-


Eventos 2020 clusivas produtoras de HVO, SPK e Green Naphtha. “Desta forma será desenvolvida uma nova cadeia de tecnologia no país”, finaliza Battistella. “A perspectiva brasileira de eficiência energética e emissão de CO2 e análise das alternativas tecnológicas” foi a temática apresentada por Everton Silva, da Mahle. Segundo ele, “para garantir a redução real de CO2, a abordagem das análises Well-to-Wheels (WTW) deve ser introduzida em legislação. É preciso perseguir os objetivos de estimar a emissão de gases de efeito estufa e eficiência energética e custos industriais de uma ampla gama de opções de combustíveis automotivos e trens de força significativas para a Europa em 2020. Além disso melhorias nas especificações de combustível são necessárias para permitir a introdução de novas tecnologias”, disse. “A mobilidade sustentável necessita do uso de tecnologias avançadas para garantir as baixas emissões de poluentes e de CO2 em todo ciclo (produção, operação – emissões, fonte da energia – e fim de vida útil), além de segurança técnica do veículo novo e em uso (inspeção) e consumidores conscientes e motoristas treinados por meio da fiscalização”, informou Stephan Blumrich, da Umicore, em apresentação “Estratégias e tecnologias para o controle de emissões veiculares”.

da entidade ainda contou uma _live_, na qual Damian Moretti, da Renault, Edneia Caliman, da ANP, e Franck Turkovics, consultor automotivo, debateram sobre as “Tecnologias do ciclo Otto e a nova gasolina”.

Em apresentação “Emissões evaporativas de veículos etanol”, os palestrantes Rafael Rossine e Danilo Torres demonstraram que grande parcela das emissões evaporativas é proveniente do veículo e não do sistema de combustível. “Devido ao PL7, é necessário que o método utilizado pelo CFR (fotoacústico / _impinger_) seja considerado como alternativa técnica para os cálculos de emissões evaporativas utilizando etanol. Vale acrescentar que o analisador fotoacústico e o _Impinger_ são métodos já validados pela regulamentação americana”, disse Torres. O Simpósio de Eficiência Energética, Emissões e Combustíveis foi encerrado com um debate entre os palestrantes mediado por Ricardo Abreu, membro associado da Bright Consulting. O evento 9


Eventos 2020

Seminário debate Indústria 4.0 e o déficit educacional

Discutir o papel do próprio ser humano na 4ª Revolução Industrial para resgatar a essência de sua própria natureza no pós-pandemia. Essa foi a proposta da 5ª edição do Seminário de Manufatura Automotiva, promovida online, no dia 16 de setembro, pela AEA – Associação Brasileira de Engenharia Automotiva, cujo tema foi “Da Indústria 4.0 para a Sociedade 5.0: o resgate do ser humano no pós-pandemia”. O evento reuniu estudantes, engenheiros e profissionais do setor da mobilidade e de outros setores. Foi ainda palco para o lançamento da 2º Desafio AEA de Manufatura Avançada, previsto para 2021, e apresentado por Carlos Sakuramoto, professor e diretor de Manufatura e de Materiais da entidade, quem também fez um balanço da 1ª edição do Desafio, desenvolvida ao longo deste ano. O projeto, inédito, prevê inclusão dos estudantes de escolas do Ensino Fundamental e Médio da rede pública dos Estados de São Paulo, Santa Catarina e Rio de Janeiro na iniciação em IA e IoT. Na oportunidade, o professor compartilhou ainda os avanços e conquistas da turma da 1ª edição que teve a adesão de 63 alunos. Entre os progressos, a passagem de noções básicas de programação para estruturação da montagem de um carro, utilizando lógica de programação. 10

A apresentação de abertura do seminário foi realizada por Besaliel Botelho, presidente da AEA, quem destacou a importância da Indústria 4.0 no setor automotivo brasileiro para que polo produtivo nacional seja competitivo tanto no mercado interno como nas exportações. Em palestra “Impactos das tecnologias i4.0 na Indústria e consequências no pós-pandemia: uma atualização sobre as realizações da Câmara Brasileira da Indústria 4.0”, Eliana Emediato, coordenadora-geral de Transformação Digital do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) sintetizou todas as iniciativas de apoio e de incentivo à Indústria 4.0. “Entre os desafios do atual Plano de Ação do Ministério, vale destacar o aumento da competitividade e produtividade das empresas brasileiras, melhorar a inserção do Brasil nas cadeias globais de valor, introduzir o uso de tecnologias da Indústria 4.0 nas pequenas e médias empresas, garantir instrumentos para que soluções de empresas de base tecnológica, startups e integradoras possam ser disponibilizadas diretamente às empresas, desenvolver soluções para a Indústria 4.0 adequadas às empresas do parque produtivo e, por fim, evitar a sobreposição de esforços de instituições públicas e privadas para solucionar ne-


Eventos 2020 cessidades e demandas da Indústria 4.0 no Brasil”, disse Emediato. Painel 1 – Foi promovido pelo evento o papel, as aplicações da Inteligência Artificial na Sociedade 5.0, trazendo não só um alerta, mas como um universo de oportunidades para uma sociedade e um futuro mais próspero. “As lições apreendidas durante a pandemia: Indústria 4.0 e a Covid-19 – riscos e oportunidades” foi o tema geral. A palestra “O papel da inteligência artificial para impulsionar a indústria e a sociedade no pós-pandemia” foi ministrada pelo Dr. Kai Lindow, chefe do Departamento de Informação do Instituto Fraunhofer, quem apontou sobre a necessidade de transformação de fornecedores automotivos em fornecedores de mobilidade total, de modelos de negócios baseados em dados para mobilidade combinada, além das competências essenciais digitais necessárias com suporte de IA. O presidente do IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas, Jefferson Gomes, marcou presença no evento online da entidade com apresentação “Impactos das tecnologias i4.0 na Economia e consequências no pós-pandemia”. Gomes trouxe à tona as interferências do déficit educacional diretamente no mercado de trabalho. “Não se trata de uma novidade. A tecnologia frequentemente é simplesmente empurrada. Mas é preciso responder a diversas variáveis. Qual é a tecnologia a investir? Quais os sensores que serão usados? Qual é o algoritmo a ser empregado?”, questionou.

é que a pandemia provocou uma mudança na sociedade e as pessoas passaram a valorizar outras coisas que não só o trabalho. E quando um valor muda, a cultura também muda. Desta forma, se as empresas não acompanharem esta mudança, é provável que deixem de ser atrativas para os melhores talentos”, concluiu. O evento da AEA foi encerrado após debate entre os palestrantes, mediado por Anderson Suzuki, diretor de Eventos e Comunicação da AEA.

“Ainda é cedo para definir qual será o futuro do home office e teletrabalho nas empresas, mas mesclar trabalho presencial e a distância deverá ser comum no cenário pós-pandemia”, disse Guilherme Souza, da Denso, em palestra “Impactos das tecnologias i4.0 na Indústria e consequências no pós-pandemia”. De acordo com Souza, segundo pesquisas de consultorias de RH, a maioria das empresas brasileiras afirma que atingiram ou superaram suas expectativas de resultados com o home office. E o que fica claro 11


Eventos 2020

Eficiência energética veicular exige mais tecnologia de lubrificantes

A AEA – Associação Brasileira de Engenharia Automotiva, em mais uma edição online, promoveu no dia 28 de outubro, o XIII Simpósio Internacional de Lubrificantes, Aditivos e Fluidos, com o tema “Mobilidade, Eletrificação e a Indústria do Lubrificante”. O objetivo da entidade foi compartilhar os conhecimentos dos especialistas desta importante indústria, oferecendo informações relevantes, além de pontuar os avanços do setor. Couberam ao presidente da AEA, Besaliel Botelho, e à diretora de Lubrificantes, Simone Hashizume, a sessão de abertura do evento online. O presidente da entidade pontuou que “com o Programa Rota 2030, cresce ainda mais a importância do setor de lubrificantes, aditivos e fluidos, porque a eficiência energética veicular mantém-se como absoluta prioridade a qualquer veículo em comercialização no País”. Painel I – A necessidade de reduzir os gases de efeito estufa e as emissões locais introduz novas tecnologias para a mobilidade. Em apresentação “Os desafios dos fluidos frente à evolução tecnológica da mobilidade”, Everton Silva, da Mahle, reforçou sobre a importância da redução do atrito, como ainda um fator importante para apoiar a redução das emissões de CO2 e os lubrificantes desempenham um papel importante neste campo. 12

Ainda de acordo com o Silva, “a mobilidade eletrificada tem necessidades tecnológicas adicionais para lubrificantes e fluidos. Além disso, acessórios eletrificados (MH) e bioeletrificação são a próxima etapa para o desenvolvimento do trem de força no Brasil, com oportunidades para novas tecnologias de fluidos e óleo lubrificante”. Na palestra “Eletrificação e a lubrificação de veículos híbridos”, Rodolfo Ferreira, da Afton Chemical, informou que a tecnologia híbrida é promissora para atender aos requisitos atuais e futuros de emissão e economia de combustível. “A baixa temperatura de operação, partidas, paradas frequentes e longa permanência do motor são alguns dos principais aspectos da engenharia e do ciclo de trabalho de híbridos que requerem atenção especial em comparação com a lubrificação convencional do motor. A diluição e a emulsão do óleo são problemas relevantes que afetam a lubrificação dos híbridos”, informou. Segundo Ferreira, a Afton Chemical tem conduzindo pesquisas avançadas nesta importante área para fornecer soluções robustas para a tecnologia híbrida atual e futura. Para Leandro Benvenutti, da Infineum, a associação revolucionária de motores elétricos e caixa


Eventos 2020 de câmbio multimodo sem embreagem é ideal para mudanças de marcha suaves. “Trata-se de um sinônimo de melhor eficiência de combustível”, disse o especialista em palestra “Tecnologia para Fluidos de Transmissão em Veículos Híbridos e Elétricos” O painel foi encerrado após debate entre os palestrantes mediado por Everton Gonçalles, um dos coordenadores do simpósio da AEA. Em complemento ao contexto do simpósio da AEA, o Painel II foi dedicado ao segmento de veículos pesados e contou com a palestra “Proconve P8 – Evoluções e Desafios”, apresentada por Paulo Jorge, da Mercedes Benz. Na oportunidade, o executivo pontuou alguns desafios com a entrada das novas leis, incluindo as próprias emissões baseadas nos testes de conformidade levando em consideração o alto teor de biodiesel no mercado brasileiro (15% em 2023) e os cuidados especiais no tocante a lubrificante e combustível. A palestra “Perspectivas e impactos para Mobilidade em Veículos Pesados”, ministrada por Marcos Davi Rufino, da Chevron Oronite, para quem “mesmo com a expansão da eletrificação, o Brasil necessita de soluções complementares à sua realidade. E sejam quais forem, é fundamental incentivos governamentais consistentes”. O especialista da Chevron Oronite ainda reforçou sobre a necessidade de investimentos em gasodutos para aumentar estações de serviço com oferta GNV. “Hoje cerca de apenas 5% dos postos dispõem de GNV e metade deles localizados em RJ e SP e majoritariamente em áreas urbanas”, afirmou . O painel II foi encerrado com debate mediado por Sergio Viscardi, um dos coordenadores do simpósio da AEA.

13


Eventos 2020

Seminário debate futuro do veículo autônomo no Brasil “O LDWS é uma tecnologia que avisa o condutor da evasão indesejada da faixa de trânsito, por meio de alerta sonoro e correção de trajetória, cuja efetividade esperada para redução de acidentes é de cerca de 11%”, informou.

Em seu quarto evento online do ano, a AEA – Associação Brasileira de Engenharia Automotiva promoveu no dia 10 de novembro o Seminário de Segurança e Conectividade, com o tema “O futuro do veículo autônomo e conectado no Brasil”. Com a popularização dos dispositivos ADAS e a tendência da integração da conectividade como base de implementação para o futuro dos veículos autônomos, a entidade entende que há necessidade da discussão e do debate para melhorias contínuas. Para Besaliel Botelho, presidente da entidade, a tecnologia conectada já é uma realidade no País. “Parceria importantes das montadoras com diferentes meios de conectividades públicas são oferecidas para o consumidor. O celular faz parte do nosso dia a dia e vamos ver o mundo de transformações por meio também dos veículos autônomos e como isso vai tomar corpo aqui no Brasil”, disse o presidente durante abertura do evento da entidade. “Marco regulatório para veículos autônomos”, apresentação ministrada por Andrea Martinesco, servidora da Ministério Público Federal do Paraná (PR) apontou questões jurídicas para a circulação destes veículos no Brasil. Segundo ela “o Brasil traz avanços como Decreto 9.557, de 8 de novembro de 2018, Art. 18, que ‘consideram-se veículos autônomos aqueles classificados a partir do nível três, segundo a regra J3016 da Sociedade de Engenheiros de Automóveis dos EUA, além da criação na Resolução do Contran em 2017 de grupo técnico dedicado e estabelecido no ano seguinte”. O gerente de Produto da Bosch e membro da Comissão Técnica da AEA, Bruno Mori, trouxe um panorama atual das tecnologias de assistência ao condutor em palestra “AEB e LDWS”. O engenheiro Mori explicou sobre o funcionamento do Sistema de Frenagem de Emergência Preditivo (AEB), o Sistema de Alerta de Faixa de Rodagem (LDWS) e ainda as vantagens destes sistemas, como evitar colisões traseiras e reduções de ferimentos e danos para veículos, pedestres e ciclistas. 14

Na lista do que deve-se esperar da mobilidade do futuro, apresentada por Ricardo Bovo, engenheiro e responsável por eficiência energética da FACENS em palestra “Veículo conectado”, consta veículos não poluentes, desenvolvimento de veículos financeiramente mais acessíveis, aumento da demanda por mobilidade e conectividade entre diferentes tecnologias e infraestruturas. O engenheiro ainda apresentou tecnologias para o presente e o futuro denominada C-V2X, ou seja, Cellullar vehicle-to-everything. “São sistemas que permitem que os dispositivos conversem entre si, que exista a troca de informações com o veículo e infraestrutura das vias, como um semáforo inteligente”, exemplificou. A palestra “IAAT”, exibida por Michel Braghetto, da BOSCH, trouxe o projeto que leva o nome da apresentação ‘Investigação Avançada de Acidentes de Trânsito’. “No Brasil morrem 40 mil pessoas por ano em acidentes de trânsito contabilizando dispêndios de cerca de R$ 51,8 bilhões”, ressaltou. O evento da entidade foi encerrado após debate entre os quatro palestrantes em transmissão virtual, ministrado por Tião Oliveira, editor do Jornal do Carro, do jornal O Estado de S. Paulo.


Comissões Técnicas e Grupos de Trabalho 2020 Área Técnica de Emissões e Consumo de Veículos Leves Comissão Técnica de Eficiência Energética Coordenador: Marcos Palasio, ROBERT BOSCH Vice Coordenador: Rafael Rossini, GMB Visando identificar possíveis diferenças de interpretação da nova legislação sobre eficiência energética para veículos, o grupo vem trabalhando na elaboração do Manual de Auditoria para o ROTA 2030, agora de forma remota devido ao isolamento social por conta da COVID. Nas últimas reuniões o grupo vem discutindo as metas de eficiência energética para a segunda etapa do Rota 2030 a vigorar a partir de 2026.

Comissão Técnica de Emissões de Veículos Leves (GT OBDBr) Coordenador: Renato Linke, CETESB

Vice Coordenador: Michele K. Gansauskas, TOYOTA

A comissão vem trabalhando desde 2019 no desenvolvimento do texto para Instrução Normativa referente a novas propostas de limites de emissões para OBDBr3, sendo essa uma das demandas do IBAMA para implementação das fases L7 e L8 do PROCONVE. No segundo semestre de 2020, o GT iniciou discussão sobre a proposta de Instrução Normativa do OBDBr-3 para veículos com ignição por compressão para a fase PROCONVE L8 e discussão da complementação do Artigo 16 referente ao PID 0x93. As reuniões estão ocorrendo de maneira virtual, via Microsoft TEAMS, devido ao isolamento social causado pela COVID.

Área Técnica de Emissões e Consumo de Veículos Pesados Comissão Técnica de Emissões de Veículos Pesados Coordenador: Tadeu Cordeiro, PETROBRAS

Vice Coordenador: Marcos Y. Tabuti, VWCO

Esta comissão técnica manteve os trabalhos referentes ao preparo da fase P8 do PROCONVE. Por meio da Comissão Técnica Emissões de Veículos Pesados, suportada pelo grupo técnico de OBD/ AES Pesados, foi centralizado as discussões de alinhamento referente ao procedimento de atendimento à resolução CONAMA 490 de 16/11/2018 (PROCONVE P8). Em 2020, estes grupos retificaram os seguintes itens: •

A PRF tem evidenciado alterações para evitar consumo de ARLA32, porém em alguns casos não conseguem encontrar emulador instalado. Entretanto, eles identificaram alterações no software da ECU do veículo. O GT OBD Pesados está estudando o caso junto com o Sr. Paulo Demarchi; 15


Comissões Técnicas e Grupos de Trabalho 2020 • • • • •

Proposta de Readequação do RVEP – Resolução 490 Art. 22; Revogação de itens não utilizados da CONAMA 8/1993 e 18/1986; Pré-teste de PEMS; Calibração do Contador de Partículas; WS da ACEA sobre OBD EURO VI:

Foi enviada carta ao IBAMA solicitando orientações sobre os próximos passos com relação ao artigo 5° da IN 20/2020. •

Uso do óleo diesel Comercial em testes do PEMS:

Foi feita uma reunião extraordinária para tratar questão de mudança ou não na metodologia do PEMS para uso do óleo diesel comercial (art. 11 e 13 da IN 20/2020). Apesar das reuniões estarem ocorrendo em ambiente virtual, via Microsoft TEAMS, promovido pela AEA, as discussões não foram impactadas, mantendo um alto quórum durante os encontros.

Área Técnica de Segurança Veicular Comissão Técnica de Segurança Veicular Coordenador: Carlo Gibran, ROBERT BOSCH

Vice Coordenador: Rodrigo Laurito, VOLKSWAGEN

A comissão técnica de segurança atua na área de maneira ampla, considerando todos os aspectos relativos ao indivíduo, ao veículo e à infraestrutura. Em 2020, o grupo vem realizando reuniões em ambiente virtual, devido ao isolamento social imposto devido a COVID 19. Esta comissão vem trabalhando nos seguintes assuntos: • • • •

CONTRAN 717: O grupo aguarda a retomada dos grupos e trabalho para iniciar os estudos; Estudo LDW: O grupo vem realizando melhorias e adequações no texto da LDWS; AEB: A comissão vem realizando melhorias em cima do texto elaborado pela CTAV; Inspeção Veicular: CT trabalhará nos pontos que levaram ao cancelamento da CONTRAN 716 com propostas alternativas, e que a mesma já reflete a melhor opção em termos de Regulamentação para Inspeção Veicular.

Comissão Técnica de Segurança de Testes de Impacto Coordenador: Vilson Tolfo, FCA

Vice Coordenador: Flávio Ferreira, TOYOTA

O Comitê de Segurança da AEA para Testes de Impacto durante o ano de 2020 realizou uma análise técnica sobre as diretrizes oficiais do Protocolo Latin NCAP para 2020-2023 e vem dialogando com o Sr. Alejandro Furas, por meio de conference calls.

16


Comissões Técnicas e Grupos de Trabalho 2020 O grupo vem trabalhando em cima do draft da planilha de cálculo OEM, a qual vem sendo melhorada dentro da comissão e junto ao Latin NCAP. As reuniões estão sendo realizadas de forma online, via aplicativo Microsoft TEAMS, devido ao isolamento social imposto para combater a COVID 19.

Área Técnica de Acreditação de Laboratórios Comissão Técnica de Acreditação de Laboratórios de Emissões de Motos Coordenador: Ricardo Grotto, HONDA

Vice Coordenador: Raphael Sedano, MARELLI

Durante 2020, o grupo vem realizando a criação de protocolo, ficha de inscrição e cronograma para o Ensaio de Proficiência (EP) 2021. Para a realização dos ensaios, foi utilizada uma motocicleta modelo XTZ 250 que servirá como item de ensaio, o qual deverá ser rodado 20 ensaios por cada laboratório a fim de levantar valores para que seja feita nova análise preliminar e comparativa do item de ensaio. A comissão aprovou o acompanhamento da CETESB nos ensaios do EP 2021. A comissão estudará viabilidade dos laboratórios para que nos próximos EP’s já possa começar a ser inseridas as novas metodologias que estão sendo elaboradas com base na resolução 493/19 conforme previsto no apêndice 3 do Anexo V do regulamento delegado UE nº 134/2014, NBR 16529/2016 e NBR11481/2010; As reuniões estão sendo realizadas de forma online, via aplicativo Microsoft TEAMS, devido ao isolamento social imposto para combater a COVID 19.

Comissão Técnica Acreditação de Laboratório de Emissõess Coordenador: Danilo Torres, GM

Vice Coordenador: Edson Paixão, UMICORE

Esta comissão manteve os trabalhos que foram iniciados anteriormente. Em 2020 foi discutido a calibração de Divisora de Gases, onde foi encontrado dificuldades para realizar a calibração deste equipamento. Atualmente a CT vem realizando a 11ª Rodada da Correlação AEA-INMETRO para motores Ciclo OTTO, avaliando a estabilidade de motores de diferentes marcas. Paralelamente esta comissão vem realizando a Correlação AEA-INMETRO – Ciclo Euro 12ª Rodada. Será disponibilizado um veículo para ser utilizado no próximo 13º EP OTTO, com previsão de início das atividades no segundo semestre de 2020. As reuniões estão sendo realizadas de forma online, via aplicativo Microsoft TEAMS, devido ao isolamento social imposto para combater a COVID 19.

17


Comissões Técnicas e Grupos de Trabalho 2020 Comissão Técnica de Ensaio de Proficiência de Laboratórios de Motores Ciclo Otto Coordenador: Rodrigo Faggi, IMT

Vice Coordenador: José Willian Vieira, MARELLI

O objetivo da comissão técnica de Ensaio de Proficiência de Laboratório de Motores do ciclo Otto é contribuir para a acreditação dos laboratórios de testes de motores do ciclo Otto, promover correlações interlaboratoriais nacionais e internacionais e harmonizar procedimentos de ensaios aumentando o grau de confiabilidade dos resultados dos testes feitos pelos laboratórios participantes. A data prevista para o término do atual EP (abril/2020) foi alterado devido o fechamento de alguns laboratórios por conta da COVID 19. A previsão é que o motor seja transportado para o laboratório do SENPES até 30/OUT/2020, para dar continuidade na correlação. A comissão pretende criar uma metodologia de inspeção dos motores fornecidos para testes nos EPs, com o objetivo de se realizar uma checagem de alguns aspectos físicos do motor, incluindo integridade e situação da embalagem no transporte e parâmetros medidos por cada laboratório antes da execução do ensaio. As reuniões estão sendo realizadas de forma online, via aplicativo Microsoft TEAMS, devido ao isolamento social imposto para combater a COVID 19.

Comissão Técnica de Ensaio de Proficiência de Laboratórios de Motores Ciclo Diesel Coordenador: Anderson Oliveira, MWM

Vice Coordenador: Suellen Gaeta, CUMMINS

Na mesma linha das comissões de ensaios de laboratórios, o objetivo da comissão técnica de Ensaio de Proficiência de Laboratório de Motores do ciclo Diesel é contribuir para a acreditação dos laboratórios de testes de motores do ciclo Diesel, promover correlações interlaboratoriais nacionais e internacionais e harmonizar procedimentos de ensaios aumentando o grau de confiabilidade dos resultados dos testes feitos pelos laboratórios participantes. Atualmente o grupo vem realizando ensaios de estabilidade referentes ao 01° EP que começou em 2019. Devido a pandemia da COVID 19, o cronograma do EP sofreu alterações, a previsão de término que antes seria abril/2020 mudou para outubro/2020, a CT també vem realizando o planejamento do 02° EP. Testes de validação serão feitos nos motores pelas empresas fornecedoras. Para este EP, será avaliado a possibilidade de rodar um ciclo Transiente (ETC) e no futuro definir uma sistemática que possibilite rodar um EP atendendo a legislação P7 ou P8 utilizando o sistema de pós tratamento, que será a principal dificuldade da comissão. As reuniões estão sendo realizadas de forma online, via aplicativo Microsoft TEAMS, devido ao isolamento social imposto para combater a COVID 19.

18


Comissões Técnicas e Grupos de Trabalho 2020 Área Técnica de Combustíveis Comissão Técnica de Diesel/Biodiesel Coordenador: Christian Wahnfried, ROBERT BOSCH

Vice Coordenador: Eduardo R. Oliveira, CUMMINS

Esta comissão tem como foco a discussão do Diesel e Biodiesel presentes no mercado e suas normas regulamentadoras. No ano de 2019 esta comissão finalizou a criação de cartilha de boas práticas do Biodiesel, sendo ela na versão Português e traduzida para o Inglês e Espanhol. Esta comissão vem acompanhando os testes e relatórios do combustível B10 e B15 junto ao MME, para avaliação do aumento da mistura de biodiesel, além do trabalho contínuo de acompanhamento de problemas e ocorrências de campo com o diesel brasileiro. Também estão sendo realizadas medições da qualidade do Diesel comercial ao longo da cadeia logística com o intuito de se ter dados reais do combustível entregue ao consumidor final. Membros do Comitê voltaram a expressar dificuldade de obtenção de diesel de referência. Alguns fornecedores já estão desenvolvendo seus produtos visando atender as próximas fases do PROCONVE. O problema com a aquisição do Diesel de referência importado ainda persiste. A comissão pretende realizar uma live no primeiro trimestre de 2021. Os temas abordados serão: • • •

Cenários para os combustíveis no Brasil; Boas práticas com o combustível; Case da Raízen de boas práticas / adoção de filtragem diferenciada;

As reuniões estão sendo realizadas de forma online, via aplicativo Microsoft TEAMS, devido ao isolamento social imposto para combater a COVID 19.

Comissão Técnica de Gasolina/Etanol Coordenador: Franck Turkovics, INDIVIDUAL

Vice Coordenador: Roger Valeri Daleffe, ICONIC

No ano de 2020, esta comissão vem realizando discussões referente ao Teor de Enxofre da Gasolina para fases futuras do PROCONVE. Também foi discutido a flexibilização da RANP 764/2019 para que os produtores consigam fornecer combustíveis de referência. A CT tem participado das discussões sobre teor de enxofre da gasolina para fase L8 do Proconve e suportado as CTs de Emissões de leves, de Eficiência Energética e o GT NMOG nos assuntos relativos à combustíveis. As reuniões estão sendo realizadas de forma online, via aplicativo Microsoft TEAMS, devido ao isolamento social imposto para combater a COVID 19.

19


Comissões Técnicas e Grupos de Trabalho 2020 Comissão Técnica de Combustíveis Gasosos Veiculares Coordenador: Marco Antonio Garcia, SCANIA

Vice Coordenador: Alessandro Depetris, CNH

Criada em novembro de 2019, o escopo desta comissão se restringe a todos assuntos técnicos ligados ao combustível Gás Natural, conforme exemplos listados: Normas, produção, distribuição, qualidade, emissões e assuntos que ainda serão apontados pelas empresas participantes. No ano de 2020, a CT realizou discussões sobre o combustível padrão de referência para teste dos produtos/motores em bancadas para teste de Certificações. O grupo vem realizando discussões sobre a qualidade do Gás da Rede/Gás Natural (Resolução ANP nº 16/2008) diretamente com os produtores, evidenciando o que seria necessário para que o gás natural atenda ao seguimento automotivo. Esta CT também vem discutindo a certificação dos componentes e Inspeção de Segurança Veicular para veículos movidos a GNV. As reuniões estão sendo realizadas de forma online, via aplicativo Microsoft TEAMS, devido ao isolamento social imposto para combater a COVID 19.

Área Técnica de Lubrificantes Comissão Técnica de Lubrificantes e Fluidos Coordenador: Charles Conconi, MERCEDES BENZ

Vice Coordenador: Arley Barbosa da Silva, PROMAX

Em 2020 a comissão técnica de Lubrificantes e Fluídos finalizou a criação da cartilha de boas práticas de Lubrificantes e do vídeo. O material está disponível no site da AEA na aba “Publicações Técnicas”. Esta comissão também abordou os seguintes temas em 2020: •

Foi realizado uma live referente a Auto-Regulamentação no Brasil para lubrificantes e fluidos automotivos no dia 30/06. Vem trabalhando junto com a ABNT o projeto norma troca de óleo. A comissão vem contribuindo com a ANFAVEA em relação ao tema Importação de amostra de óleo usado, em pequenas quantidades, para análise laboratorial. Um ofício foi encaminhado para o Ministério do Meio Ambiente solicitando este pleito.

• •

As reuniões estão sendo realizadas de forma online, via aplicativo Microsoft TEAMS, devido ao isolamento social imposto para combater a COVID 19.

20


Comissões Técnicas e Grupos de Trabalho 2020 Área Técnica de Eletroeletrônica Comissão Técnica de Eletroeletrônica Coordenador: Leimar Mafort, ROBERT BOSCH O objetivo do Comitê Técnico de Eletroeletrônica é integrar as empresas, fornecedores e consumidores, especialistas, acadêmicos e entidades ligadas à mobilidade para estudar e suportar as discussões que tratam no país da legislação e regulamentação dos componentes e sistemas embarcados que utilizem a Eletroeletrônica automotiva. Em 2020 com base em contribuições desta comissão, fez comentários à consulta pública ANATEL n. 9 de 2020, que tratava do “Edital de Licitação para a disponibilização de espectro de radiofrequências para prestação de serviços de telecomunicações, inclusive por meio de redes ditas de quinta geração (5G), em áreas de abrangência regionais ou nacional”. O grupo também abordou as consultas públicas n° 29, 30 e 54 da ANATEL. As reuniões estão sendo realizadas de forma online, via aplicativo Microsoft TEAMS, devido ao isolamento social imposto para combater a COVID 19.

Comissão Técnica de Eletromobilidade Coordenador: Jairo de Lima Souza, INDIVIDUAL Esta comissão técnica foi criada em 2020 e tem como objetivo tratar questões de interesse da sociedade brasileira relacionadas ao Conceito dos Veículos Elétricos e Híbridos, Baterias (Fabricação Reuso, Reciclagem) e Recarga (Infraestrutura). Esta CT também abordará assuntos referentes a legislação brasileira. Para otimização dos trabalhos desta, foram criados 4 clusters de prioridades sugeridas pelos membros da CT: 1. Infraestrutura, 2. Armazenamento de Energia, 3. Tecnologia de Powertrain e Eletrificação, 4. Mobilidade Elétrica Veicular Sustentável. Estes grupos trabalharão em paralelo esta comissão. As reuniões estão sendo realizadas de forma online, via aplicativo Microsoft TEAMS, devido ao isolamento social imposto para combater a COVID 19.

Área Técnica de Manufatura Comissão Técnica de Manufatura Avançada Coordenador: Anderson Borille, ITA No ano de 2020, o grupo discutiu sobre as atualizações do ROTA 2030 e as propostas para legislação de Incentivos.

21


Comissões Técnicas e Grupos de Trabalho 2020 Atualmente foram reiniciadas as discussões sobre o Capítulo II do ROTA, criação de um selo 4.0, discussões sobre melhorias do Guia Prático da Lei do Bem e os detalhes sobre o Seminário AEA de Manufatura Avançada. As reuniões estão sendo realizadas de forma online, via aplicativo Microsoft TEAMS, devido ao isolamento social imposto para combater a COVID 19.

Área Técnica de Tendências Tecnológicas Comissão Técnica Tendências Tecnológicas Coordenador: Everton Silva, MAHLE

Vice Coordenador: Caio Bordon Amaral, SEG AUTOMOTIVE

A CT de Tendências Tecnológicas elaborou um Roadmap tecnológico dividido em 2 categorias: veículos de passeio e veículos comerciais e abordará tecnologias como powertrain, chassis e conectividade. Os trabalhos dessa CT ocorrerão de forma transversal e colaborativa com outros CT’s e GT’s da AEA. As apresentações se iniciaram no segundo semestre de 2019 e deverão ocorrer até o fim do primeiro semestre de 2020.

Grupos de Trabalho Especiais GT Emissões Evaporativas ORVR Coordenador: Michele K. Gansauskas, TOYOTA

Vice Coordenador: Renato Linke, CETESB

Foram realizadas várias reuniões entre a Diretoria da AEA e o coordenador do PROCONVE do IBAMA para acordar as atividades (e respectivos prazos) a serem desenvolvidas pela AEA, em cumprimento às exigências fixadas pelas Resoluções CONAMA 490 (Veículos Pesados) e 492 (Veículos Leves) recémpublicadas, especificamente no que diz respeito às atividades da CT e deste seu atual GT, cujos respectivos coordenadores e vice foram indicados pela Diretoria. Os principais subitens que devem ser definidos pelo GT são: família de evaporativas, procedimento de teste de evaporação de 48h, durabilidade de evaporativa, ORVR e pré-condicionamento do veículo. Em 2020 o grupo analisou o método de medição de etanol que é feita seguindo a legislação dos Estados Unidos da América 40 CFR part 86. O grupo ponderou que seria interessante incluir esta nova medição como um método alternativo, específico para veículo Flex rodando com etanol. Para não atrasar o texto que já havia sido encaminhado para o CB-05, o grupo decidiu criar um novo anexo que servirá como complemento para esta medição. As reuniões estão sendo realizadas de forma online, via aplicativo Microsoft TEAMS, devido ao isolamento social imposto para combater a COVID 19.

22


Comissões Técnicas e Grupos de Trabalho 2020 GT NMOG Coordenador: Francisco Emilio Baccaro Nigro, POLI/USP

Vice Coordenador: Gabriel M. Branco, INDIVIDUAL

O GT foi criado com o objetivo de auxiliar o IBAMA com as demandas técnicas de implementação das fases L7 e L8 do PROCONVE. Em 2020 o GT realizou um estudo com dados fornecidos pela GM USA, se concentrando nos ensaios com A22 e EHR, a saber: 3 com A22 e 3 com EHR da 1ª rodada de testes, seguidos de mais 3 com EHR e outros 3 com A22 da 2ª rodada. Também foram feitas discussões sobre padrões de acetaldeído e formaldeído para calibração do FID e sua estabilidade no tempo. O GT encaminhou a nova revisão da Instrução normativa (IN) no dia 11 de Março de 2020. Os ensaios de NMOG estão retornando gradativamente devido ao fechamento dos laboratórios por motivos de prevenção contra a COVID 19.

GT RDE Coordenador: Marcos Toledo, VOLKSWAGEN

Vice Coordenador: Gabriel M. Branco, INDIVIDUAL

O GT foi criado com o objetivo de auxiliar o IBAMA com as demandas técnicas de implementação das fases L7 e L8 do PROCONVE. O objetivo em 2020 foi discutir a definição dos critérios de medição das emissões dos gases de exaustão veicular em Tráfego Real (real drive Emission) os representantes estão realizando testes para definir melhores métodos de medição. O grupo abordou temas pertinentes a Densidade dos gases de exaustão dos combustíveis E22 e E100, Emissão de THC nos ensaios com partida a frio utilizando combustível E100, preparação do draft de norma ABNT para os ensaios de RDE e draft da IN IBAMA. As reuniões estão sendo realizadas de forma online, via aplicativo Microsoft TEAMS, devido ao isolamento social imposto para combater a COVID 19.

GT Fator de Regeneração Ki Coordenador: José Cesar Ponte, GM

Vice Coordenador: Renato Linke, CETESB

Este GT iniciou suas atividades em agosto de 2019 e tem por objetivo: de acordo com o artigo 23º da Resolução nº 492, de 20 de Dezembro de 2018, editada pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente: a partir da Fase PROCONVE L7, para os veículos que possuam sistemas regenerativos dos dispositivos de controle das emissões e que requeiram um processo de regeneração periódica em menos de 4.000 km de operação do veículo, fica estabelecido o fator Ki, que será aplicado aos valores obtidos das emissões de: I - CO, NMHC, NOx e aldeídos para veículos a gasolina ou flex; II - CO, NMHC, NOx, aldeídos, material particulado (MP) para veículos com injeção direta de combustível, total ou parcial; e

23


Comissões Técnicas e Grupos de Trabalho 2020 III - CO, THC, NOx e aldeídos para veículos a Gás Natural Veicular. 1º Os fatores Ki são determinados segundo o Regulamento Europeu UN ECE R83 revisão 5, porém aplicando-se ao ensaio de emissões conforme Norma ABNT NBR 6.601:2012 ou ABNT NBR 16.567:2016, ou normas técnicas brasileiras sucedâneas referenciadas pelo Ibama. O grupo finalizou a proposta de Instrução Normativa (IN) em outubro de 2020, o texto será encaminhado para análise e publicação por parte do IBAMA. As reuniões estão sendo realizadas de forma online, via aplicativo Microsoft TEAMS, devido ao isolamento social imposto para combater a COVID 19.

GT Fator de Regeneração para Consumo Coordenador: José Ponte, GM Este grupo de trabalho foi criado em outubro de 2020 e terá como objetivo atender a demanda do IBAMA para que se estabeleça um novo procedimento para ajustar o consumo/autonomia dos veículos leves equipados com sistema de pós-tratamento regenerativos, podendo afetar veículos com motores do ciclo Otto ou Diesel. O GT abordará os dados de consumo/autonomia que constam na Portaria Conjunta IBAMA/ INMETRO nº 11 de 2014, os quais estão listados abaixo, sendo determinados conforme ABNT NBR 7024.: • • • •

Autonomia de combustível urbano (km/l); Autonomia de combustível estrada (km/l); Autonomia de combustível combinada (km/l); Consumo Energético combinado (MJ/km).

As reuniões serão realizadas de forma online, via aplicativo Microsoft TEAMS, devido ao isolamento social imposto para combater a COVID 19.

GT Emissões 2R Coordenador: Wesney Barbosa, YAMAHA

Vice Coordenador: Raphael Sedano, HONDA

Este grupo de trabalho se iniciou após a necessidade de normatização da Resolução CONAMA 493 de 2019, que definiu o PROMOT M5. As principais atribuições deste GT serão: •

Atualização do ciclo WMTC, o qual foi revisado para atendimento à legislação europeia Euro 5, estando atualmente defasado na norma brasileira; A Norma brasileira atual considera o ciclo “WMTC stage 2”, desenvolvido para atendimento ao Euro 4 Para o PROMOT M5, será utilizado o ciclo “WMTC stage 3”, que foi revisado para o atendimento ao Euro 5, e que passou a exigir este ciclo revisado para todas as subcategorias da categoria L (de L1 a L7).

• •

Em 2020 o grupo continuou com os trabalhos de revisão/tradução do regulamento EU nº 134/2014. As reuniões estão sendo realizadas de forma online, via aplicativo Microsoft TEAMS, devido ao isolamento social imposto para combater a COVID 19.

24


Comissões Técnicas e Grupos de Trabalho 2020 GT Durabilidade 2R Coordenador: Henrique Zonfrilli, HONDA

Vice Coordenador: Wesney Barbosa, YAMAHA

Este grupo de trabalho se iniciou após a necessidade de elaboração de nova norma específica para motociclos e similares, conforme ciclo AMA e SRC-LeCV. Foi discutido toda a aplicabilidade do ciclo AMA, uma vez que sua descontinuação na Europa já foi definida para algumas categorias, utilizando como base principal para harmonização o DR 168 – 2013 e o CDR 134 – 2014, também tomando como base o anexo VI da Diretiva Europeia 134. O GT concluiu toda a revisão do Apêndice 2 (ciclo AMA) do anexo VI da (DR 134 – 2014) em fevereiro de 2020, com isso concluindo suas atividades.

GT Emissões Corporativas Coordenador: Luiz Gustavo de Moraes, GM

Vice Coordenador: Flavio Augusto Ferreira, TOYOTA

Os objetivos deste grupo de trabalho serão baseados na Resolução do CONAMA 492/2018, Art.26 §2o. e §3o. o IBAMA publicação de instrumento que regulamente a geração, o saldo e a utilização de créditos de emissões pelas corporações e pelos veículos abrangidos pelo PROCONVE L8. A missão deste GT é estudar a fundo e adaptar práticas aplicadas globalmente à realidade brasileira de modo a cumprir com o objetivo de servir como mecanismo auxiliar no atendimento aos níveis de emissão corporativos. A metodologia de créditos visa criar mecanismos para atender os requisitos de emissões estabelecidos pelo CONAMA. As reuniões estão sendo realizadas de forma online, via aplicativo Microsoft TEAMS, devido ao isolamento social imposto para combater a COVID 19.

GT OBD e AES Pesados Coordenador: Renan Panteri, MERCEDES BENZ Estre grupo de trabalho foi criado em 2019 com intuito de trabalhar na elaboração de instrução normativa referente ao OBD e AES para veículos pesados. As reuniões estão sendo realizadas de forma online, via aplicativo Microsoft TEAMS, devido ao isolamento social imposto para combater a COVID 19.

GT Ruído P8 - Pesados Coordenador: Gabriel Prado de Oliveira, SCANIA Este grupo de trabalho foi criado em setembro de 2020 e terá como objetivo tratar dos assuntos relativos à ruído de passagem de veículos, contidos no Capítulo IX da Resolução 490.

25


Comissões Técnicas e Grupos de Trabalho 2020 Durante as reuniões, o GT tratou dos itens não previstos na ISO 362-1:2015: a. Condições de contorno para tipos de veículos representados pelo veículo mestre utilizado no ensaio (referência R51.03); b. Ruído de descarga do compressor (referência R51.03 Anexo 5); c. Condicionamento de silencioso contendo material fibroso (referência R51.03 Anexo 4); As reuniões estão sendo realizadas de forma online, via aplicativo Microsoft TEAMS, devido ao isolamento social imposto para combater a COVID 19.

GT Tecnologia de Powertrain e Eletrificação Coordenador: Avelino Souza, ROBERT BOSCH Grupo de Trabalho formado em 2020 para atender as demandas da CT Eletromobilidade. O GT concentrase no estudo de tecnologias para futura industrialização e produção de componentes e sistemas no país. O processo de eletrificação de agregados (alternadores, Compressores de ar-condicionado, Sistemas de Direção, Compressores de Ar, Bombas de Óleo, etc) nos motores de combustão interna, pode ser um primeiro passo para o incremento da eficiência energética dos veículos nacionais. Nesta área temática, além das tecnologias de eletrificação de powertrain, pretende-se estudar as questões de legislação, segurança, conectividade bem como as questões relacionadas a ciclo de vida e reciclagem destes sistemas. As reuniões estão sendo realizadas de forma online, via aplicativo Microsoft TEAMS, devido ao isolamento social imposto para combater a COVID 19.

GT Mobilidade Elétrica Veicular Sustentável Coordenador: Evilym Machado, RENAULT

Vice Coordenador: Marco Antonio Barreto, FEI

Grupo de Trabalho formado em 2020 para atender as demandas da CT Eletromobilidade. O GT abordará os aspectos necessários para a integração com segurança dos sistemas de mobilidade elétrica aos demais modais de transporte urbanos; Promover a disseminação de frotas elétricas; Estudar e propor soluções para suprir as necessidades viárias e de infraestrutura de transporte, como integração de terminais de ônibus e de taxis eletrificados (autônomos ou não); Desenvolver estudos de capilarizarão de transportes eletrificados em subúrbios dos grandes centros e criar um roadmap com prioridades respeitando as regionalidades do país. As reuniões estão sendo realizadas de forma online, via aplicativo Microsoft TEAMS, devido ao isolamento social imposto para combater a COVID 19.

26


Comissões Técnicas e Grupos de Trabalho 2020 GT Armazenamento de Energia Coordenador: Robson Cruz, INDIVIDUAL

Vice Coordenador: Mauricio Gayubas, INDIVIDUAL

Grupo de Trabalho formado em 2020 para atender as demandas da CT Eletromobilidade. O GT pretende estudar os sistemas de armazenamento de energia e suas tecnologias visando a proposição de soluções para segurança e escalabilidade de produção local através do uso de matérias primas locais. O transbordamento das tecnologias de armazenamento e ciclo de vida para diversas aplicações na sociedade também serão objeto de estudo para que a comissão possa construir um roadmap. Os processos de reciclagem e tratamento de resíduos estarão comtemplados no estudo. As reuniões estão sendo realizadas de forma online, via aplicativo Microsoft TEAMS, devido ao isolamento social imposto para combater a COVID 19.

GT Infraestrutura Coordenador: Luís Fernando Oliveira, RENAULT Grupo de Trabalho formado em 2020 para atender as demandas da CT Eletromobilidade. Pretende estudar os sistemas de geração e distribuição de energia, bem como as oportunidades e desafios para a criação de infraestrutura de recarga para os veículos. Nesta área temática, será construído um roadmap propositivo com ações sistêmicas para a produção de resultados para a sociedade e legisladores. As reuniões estão sendo realizadas de forma online, via aplicativo Microsoft TEAMS, devido ao isolamento social imposto para combater a COVID 19.

27


Ações em Parceria com Órgãos Governamentais ANP – Agência Nacional do Petróleo •

Suporte ao GT MME de testes com biodiesel (B10-15-20) e consolidação dos testes Anfavea / Sindipeças;

Diesel de referência com biodiesel (B7) para homologação de aplicações Proconve L7, L8 e P8;

IBAMA - Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis Desenvolvimento das fases L7, L8 e P8 do PROCONVE, M5 do PROMOT •

Regulamentação do Diesel Renovável HVO;

Criação de nove Grupos de Trabalho para tratar de temas específicos para o L7, L8, P8 e M5: - OBDBr; - NMOG; - RVEP; (finalizou trabalhos em 2020) - RDE; - AMÔNIA; (finalizou trabalhos em 2019)

DENATRAN - Departamento Nacional de Trânsito

- OBD e AES PESADOS;

Auxílio na elaboração de programação Evento Veículos Autônomos que será ministrado pelo DENATRAN em 2021, coorganização de webinars introdutórios ao tema que serão realizados em 10/12 e 04/02/2021;

- DURABILIDADE 2R;

CT Segurança Veicular: CONTRAN 717, CONTRAN 716;

- EMISSÕES 2R;

PRF – Polícia Rodoviária Federal •

GT OBD e AES Pesados (consumo de ARLA32)

Inspeção Veicular;

Governo Federal INMETRO - Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia •

Rota 2030 •

AEA elaborou em coautoria com GT2 da Anfavea draft de manual de auditoria para o ROTA 2030 nas sessões de Eficiência Energética, Segurança Veicular e P&D.

AEA participa dos Conselhos Técnicos das linhas IV (fortalecimento da cadeia de ferramental e moldes destinados a produtos automotivos) e V (estímulo à produção de novas tecnologias relacionadas a biocombustíveis, segurança veicular e propulsão alternativa à combustão) para os Projetos e Programas Prioritários (PPPs), que foram responsáveis por analisar e indicar projetos para aprovação para receber fundos para investir em P&D

Correlação de laboratórios AEA-INMETRO;

ANFAVEA - Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores •

Importação de amostra de óleo usado, em pequenas quantidades, para análise laboratorial. (CT Lubrificantes e Fluidos)

28


Parceiros Institucionais ABAL www.abal.org.br

AFEEVAS www.afeevas.org.br

INSTITUTO MAUÁ DE TECNOLOGIA www.maua.br

ABEIFA www.abeiva.com.br

ANFAVEA www.anfavea.com.br

IQA - INSTITUTO DA QUALIDADE AUTOMOTIVA www.iqa.org.br

ABNT www.abnt.org.br

CEDATT www.transportes.sp.gov.br

ABRACICLO www.abraciclo.com.br

FEI www.portal.fei.edu.br

AUTO INDÚSTRIA www.autoindustria.com.br

RÁDIO SOBRE RODAS www.sobrerodas.com.br

BORRACHA ATUAL www.borrachaatual.com.br

REVISTA PUBLIRACING www.revistapubliracing.com.br

POLI-USP www.poli.usp.br SINDILUB www.sindilub.org.br

Media Partner

LUBES EM FOCO www.lubes.com.br

29


Vantagens para o

Confira os benefícios que você pode usufruir no ano de 2021 e participe das discussões técnicas que contribuem para a evolução da engenharia automotiva no Brasil.

Participação nas comissões técnicas e grupos de trabalhos especiais, discutindo temas abrangentes da engenharia automotiva e participando ativamente da elaboração das novas regulamentações e normas para o setor; Propor novos assuntos para discussão em comissões técnicas e grupos de trabalho; Contato com profissionais provenientes de montadoras, sistemistas, autopeças, representantes de entidades governamentais parceiras da AEA, associações, entidades, academias e centros de pesquisa por meio das atividades proporcionadas pela entidade; Contato com formadores de opinião, especialistas no setor e profissionais líderes de empresas participantes em eventos AEA; Participação em eventos organizados pela AEA em parceria com empresas e órgãos governamentais; Divulgação de logomarca no site AEA e em todos os materiais institucionais de divulgação; Desconto em cursos e eventos promovidos pela AEA; Inscrições cortesia em eventos (de acordo com a categoria da empresa);

30


Empresas Associadas ABIOVE - Associação Brasileira da Indústria de Óleos Vegetais abiove.org.br

ACTIOIL actioil.com

AFTON CHEMICAL INDÚSTRIA DE ADITIVOS LTDA aftonchemical.com

AGCO do Brasil fendt.com.br

ALTAIR - ENGINEERING DO BRASIL altair.com

APROBIO aprobio.com.br

AUDI DO BRASIL audi.com.br

AVL SOUTH AMERICA LTDA avl.com

BMW DO BRASIL bmw.com.br

BORGWARNER BRASIL borgwarner.com

CAOA Montadora de Veículos S.A. caoa.com.br

CASTROL DO BRASIL LTDA castrol.com

CHEVRON ORONITE BRASIL brazil.chevron.com/about

CNH INDUSTRIAL LATIN AMERICA cnhindustrial.com

CORNING BRASIL corning.com

COSAN LUBRIFICANTES E ESPECIALIDADES cosan.com.br

CUMMINS BRASIL LTDA cummins.com.br

DAF CAMINHÕES BRASIL dafcaminhoes.com.br/pt-br

DELPHI POWERTRAIN delphi.com

DENSO DO BRASIL denso.com

EDC CONSULTORIA EM ENGENHARIA E REC HUMANOS edcgroup.com.br ESI SOUTH AMERICA COMÉRCIO E SERVIÇOS DE INFORMÁTICA esi-group.com

FCA www.fiat.com.br/index.html

FORD MOTOR COMPANY DO BRASIL LTDA ford.com.br

FUCHS DO BRASIL S.A. fuchsbr.com.br

GENERAL MOTORS DO BRASIL LTDA chevrolet.com.br

31


Empresas Associadas

HARLEY DAVIDSON DO BRASIL LTDA harley-davidson.com

HARMAN DO BRASIL harman.com

HONDA AUTOMÓVEIS DO BRASIL LTDA honda.com.br

HONSHA LEAN GESTÃO EMPRESARIAL LTDA honsha.org

HPE AUTOMOTORES DO BRASIL LTDA (MITSUBISHI) mitsubishimotors.com.br & suzukiveiculos.com.br

INVENTTA BGI (Incentivar Consultoria Empresa) brasil.abgi-group.com

IOCHPE MAXION - S.A DIVISAO FUMAGALLI iochpe.com.br

JOHNSON MATTHEY BRASIL LTDA matthey.com

JX NIPPON OIL & ENERGY CORPORATION nex.jx-group.co.jp/english/

KIA MOTORS DO BRASIL LTDA kia.com.br

LUBRIZOL DO BRASIL ADITIVOS LTDA lighting.phillips.com.br

HYDRO EXTRUSION BRASIL www.hydro.com LWART LUBRIFICANTES lwart.com.br HYUNDAI MOTOR BRASIL hyundai-motor.com.br

ICONIC LUBRIFICANTES iconiclubrificantes.com.br

32

MAHLE METAL LEVE br.mahle.com

MAN LATIN AMÉRICA man-la.com

IDEMITSU LUBE SOUTH AMÉRICA idemitsu.com.br

MARELLI marelli.com

INVENTTA BGI (Incentivar Consultoria Empresa) brasil.abgi-group.com

MERCEDES-BENZ mercedes-benz.com.br

INFINEUM BRASIL LTDA infineum.com

MULTITECH multittech.com.br

INNOSPEC DO BRASIL innospecinc.com

MWM MOTORES mwm.com.br


Empresas Associadas Napro Eletronica Industrial napro.com.br

SCANIA LATIN AMERICA SCANIA BRASIL scania.com.br

NETZ ENGENHARIA netz.com.br

SEG Automotive seg-automotive.com/

NGK ngkntk.com.br

TCA HORIBA horiba.com/br

TECCOM INDÚSTRIA E COMERCIO teccom10.com.br Nissan do Brasil Automóveis nissan.com.br TOYOTA DO BRASIL LTDA toyota.com.br Nova Petrene Consultoria novapetrene.com.br UMICORE DO BRASIL LTDA umicore.com.br PEAK AUTOMOTIVE LTDA peak.com.br UNICA – UNIÃO DA INDÚSTRIA DE CANA-DE-AÇÚCAR unica.com.br PETROBRAS – PETRÓLEO BRASILEIRO S.A. petrobras.com.br

PEUGEOT CITROEN DO BRASIL site.groupe-psa.com

UNIPAC grupojacto.com.br

VCA - VEHICLE CERTIFICATION AGENCY dft.gov.uk

PROMAX PRODUTOS MÁXIMOS S.A. INDÚSTRIA E COMÉRCIO promax-bardahl.negocio.site

RAIZEN COMBUSTÍVEIS S.A. raizen.com

RENAULT DO BRASIL – NISSAN renault.com.br

ROBERT BOSCH DO BRASIL brasil.bosch.com.br

VOLKSWAGEN DO BRASIL www.vw.com.br

VOLVO DO BRASIL VEÍCULOS LTDA volvogroup.com.br

YAMAHA MOTOR DO BRASIL yamaha-motor.com.br

33


Destaque

AEA lança Roadmap Tecnológico Automotivo Brasileiro teve a eletrificação como protagonista. Mas logo vieram os motores à combustão interna, que se consolidaram. Na última década, porém, a eletrificação veicular voltou a tomar fôlego na Europa, Japão, Coreia, China e parte da América do Norte, a ponto de, em alguns países, daqui a 20 anos, ser decretado o fim dos veículos com motores â combustão”.

- Em meio à tendência internacional por veículos eletrificados, a AEA lança documento histórico que aponta caminhos para o futuro da indústria automobilística do País. - O whitepaper analisa veículos leves e pesados, levando-se em consideração os capítulos de matrizes energéticas, emissões, eficiência energética, conectividade e segurança veicular. No dia 11 de novembro, durante a Coletiva Online, a AEA lançou o whitepaper “Roadmap Tecnológico Automotivo Brasileiro”, documento histórico elaborado pela Comissão Técnica de Tendências Tecnológicas, com a colaboração de outras três comissões técnicas da entidade, que envolveu 27 engenheiros automotivos e profissionais do setor, de montadoras, sistemistas, órgãos governamentais, entidades correlatas e academia, e demandou dois anos de estudos, pesquisas e debates. Em meio à tendência internacional por veículos eletrificados, iniciada há pouco mais de 10 anos, Roadmap Tecnológico Automotivo Brasileiro, com 76 páginas, diagnostica a produção e a comercialização de veículos leves e pesados, levando-se em consideração os capítulos de matrizes energéticas disponíveis no País, emissores, eficiência energética, conectividade e segurança veicular. “Esse documento histórico agora faz parte da longa trajetória de 36 anos da entidade à frente da condução das principais discussões técnicas do setor automotivo brasileiro. Uma contribuição inestimável”, anuncia Besaliel Botelho, presidente da AEA, para quem “o início da história do automóvel, há mais de um século,

34

“Nesse cenário, como fica o Brasil?”, questiona Botelho, “que, aliás, já significou o quinto maior produtor de autoveículos e o quarto mercado interno do mundo. Este whitepaper parte do princípio de que, diferentemente do restante do planeta, o Brasil é muito rico em matrizes energéticas, em especial por biocombustíveis - etanol e diesel verde - e gás natural e, por ter dimensões continentais, precisa conhecer a realidade da capacidade de investimentos em infraestrutura se considerada somente a eletrificação veicular”. Para o presidente da AEA, “agora um novo desafio se apresenta ao Brasil. Que caminhos devemos seguir? O da eletrificação, a reboque da tendência internacional? O dos biocombustíveis, somente? Ou ainda podemos trilhar pela complementariedade de tecnologias? Este último nos parece mais plausível, diante de, ao menos, duas realidades: a análise inseparável da obtenção da energia elétrica e dos biocombustíveis do ´poço à roda´ e do custeio da infraestrutura de abastecimento de energética elétrica”. 2020, sob a pandemia – No último encontro virtual com a


imprensa de 2020, o presidente da AEA fez um breve balanço sobre as atividades do ano, atípico por conta da pandemia por Covid-19. Segundo ele, “no início da crise, confesso, receava por uma interrupção ainda que temporária do processo de profissionalização da mais importante entidade técnica do setor automotivo brasileiro. Uníssona, a equipe AEA correspondeu às expectativas de coordenar os debates de temas correlatos à cadeia automotiva, de modo virtual e com a participação efetiva e eficaz do Governo, da Academia e demais associações de classe”. Assim, a atuação da AEA deu continuidade aos debates técnicas de temas como emissões veiculares, eficiência energética, segurança veicular, combustíveis, entre outros, ao receber demandas dos órgãos competentes, debatê-las e devolvê-las com análises e estudos técnicos. Nesse sentido, por meio de nossas comissões técnicas, a AEA manteve o ritmo de respostas à sociedade brasileira, e também por meio de workshops, seminários e simpósios, nacionais e internacionais, e também de cursos técnicos, este ano todos em eventos online. “Por fim, diante da atipicidade de 2020 e das realizações, ainda que limitadas pelo isolamento social, os associados da entidade me conferiram mais um mandato à frente da presidência da AEA, para o biênio 2021/22, agora com Marcus Vinicius de Aguiar na vice-presidência”, destacou Botelho, para quem a prioridade será dar continuidade ao processo de resgate da engenharia nacional, seguir adiante com o Programa Rota 2030, aperfeiçoamento das legislações automotivas brasileiras e, sobretudo, contribuir com o crescimento das competências locais de desenvolvimento de tecnologias automotivas.

35


Calendário 2021 17 e 18 de MARÇO de 2021 Quarta e Quinta-feira

XXVIII SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE ENGENHARIA AUTOMOTIVA – SIMEA 2021

10 de JUNHO Quinta-feira

XIV PRÊMIO AEA DE MEIO AMBIENTE

17 de JUNHO Quinta-feira

SIMPÓSIO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA E EMISSÕES

19 de AGOSTO Quarta-feira

SEMINÁRIO DE SEGURANÇA E CONECTIVIDADE

23 de SETEMBRO Quinta-feira

VI SEMINÁRIO DE MANUFATURA

27 de OUTUBRO Quarta-feira

XIV SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE LUBRIFICANTES, ADITIVOS E FLUIDOS

11 de NOVEMBRO Quinta-feira

SEMINÁRIO AEA DE INOVAÇÃO EM POWERTRAIN

Cursos 2021

29 de Janeiro

Curso Online AEA Princípios de Funcionamento e as Aplicações da Tomografia Industrial Computadorizada

04 e 05 de Fevereiro

Curso Online AEA Veículos Híbridos e Elétricos - Módulo II

11 e 12 de Fevereiro

Curso Online AEA Rede CAN - Módulo I

26 de Fevereiro

Curso Online AEA - CAV - Coneected Autonomous Vehicles - A hora e a Vez do Software e conectividade embarcada Overview da ISO 26262 - Funcional Safety

04 e 05 de Março

Curso Online AEA Fundamentos de Hardware-In-the Loop

19 de Março

Curso Online AEA Homologação e Regulamentação Veicular

26 de Março

Curso Online AEA Recursos financeiros para inovação no setor automotivo

08 e 09 de Abril

Curso Online AEA Veiculos Híbridos e Elétricos - Modulo I

16 de Abril

Curso Online AEA Lubrificantes - Módulo I

29 e 30 de Abril

Curso Online AEA Sistemas de Diagnósticos Automotivos: Métodos, Processos e Padrôes

06 e 07 de Maio

Curso Online AEA Motores - Módulo I

20 e 21 de Maio

Curso Online AEA Fundamentos, Tecnologias e Aplicações de Veículos Conectados e Autônomos

03 e 04 de Junho

Curso Online AEA Sistemas Automotivos com Redes CAN: Fundamentos, Tecnologias e Aplicações

17 e 18 de Junho

Curso Online AEA Veículos Híbridos e Elétricos - Módulo I

01 e 02 de Julho

Curso Online AEA Motores - Módulo II

30 de Julho

Curso Online AEA Veiculos Hibridos Elétricos - Questões de Segurança: Chão de Fábrica, Oficina , Concessionárias - Boas práticas de Segurança

36


37


Equipe AEA

Gerente Executivo

Paulo Consonni

Comissões Técnicas

Jacqueline Bezerra

Comunicação e Marketing

Walisson Bessa

Natalia Cardoso

Controller

Cursos

Eventos

Eventos

Silvia Noronha

Flávia Marques

Financeiro

Marina Chuqui

Tecnologia

Tiago Rodrigues

38

Captação

Jaquiline Jollo

Paola Canteras

Secretaria

Alessandra Rocha


Agradecimentos Prezados associados, colegas de diretoria e colaboradores da AEA, Diante de crises, não esmorecer. Avançar sempre. Mesmo com todas as adversidades em 2020, a AEA – Associação Brasileira de Engenharia Automotiva obteve, ao longo do ano, conquistas importantes e fundamentais para o setor automotivo brasileiro. Enalteço essa afirmação porque a AEA é o fórum central das principais discussões técnicas do setor automotivo, em especial este ano com a condução dos trabalhos sobre as atualizações do Proconve - Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores e também das novas tecnologias de segurança veicular, capitaneadas pelo Denatran – Departamento Nacional de Trânsito. Ambos os temas estão contemplados no Programa Rota 2030, política industrial por meio da qual o Brasil precisa seguir, com o objetivo de assegurar futuro promissor do setor rumo à competitividade internacional. Também destaco neste report anual a capacidade da AEA em se relacionar, e muito bem, com todas as demais entidades de classe correladas ao setor. A explicação é simples: a nossa entidade, em sua missão e valores, cumpre a premissa da neutralidade; pauta-se sempre na avaliação técnica de todos os temas em debate. Por essa premissa entende-se pluralidade e respeito às diferentes opiniões, sempre em favor da

sociedade brasileira, que anseia por mais qualidade ambiental e segurança veicular e viária. Por esse cenário, ratifico que a AEA está no caminho correto, cujo processo de profissionalização mais efetivo começou há pouco mais de dez anos, por entender que a principal entidade de engenharia automotiva não pode se fechar em torno tão somente da tecnicidade. É preciso ter a visão do todo e, assim, interagir. Depois de dois mandatos na presidência da entidade e, em 2020, como vice-presidente, gostaria de agradecer ao Besaliel Botelho por ter tido a oportunidade de acompanhar a excelente condução das atividades da Diretoria Executiva, das comissõe técnicas e dos membros do staff da AEA. Desejo a todos saúde, sucesso e realizações em 2021.

Edson Orikassa Vice-presidente

39


40


Millions discover their favorite reads on issuu every month.

Give your content the digital home it deserves. Get it to any device in seconds.